You are on page 1of 18

Página 1 3 As guerras religiosas DA FRANÇA Não poderia haver maior falácia do que a teoria de que as conspirações subterrâneas são

realizadas em apenas por pobres, os oprimidos e revolucionários. A guerra real francesa contra os huguenotes começou como um movimento subterrâneo. Enciclopédia Mackey da Maçonaria 1 As guerras religiosas da França começou após o reinado do Rei Henrique II de Valois (r.1547-1559) e durante a regência de sua rainha aplacável, Catherine. A causa subjacente das guerras religiosas não era Reforma; nem era um conflito entre Sion e os Templários. Foi uma luta interna entre merovíngios concorrentes. Este capítulo incidirá sobre as intrigas que cercam o segundo e terceiro Guerras religiosas, que mergulharam a realeza Santo Graal em um banho de sangue que durou 1562-1594. O "Grande Plano" Merovingian Como mencionado no capítulo 1, os merovíngios tinha uma "Doutrina Secreta" (também chamado de "Grande Plano"), que em parte pediu a criação de um trono universal na Europa. Três propriedades esotéricas seria necessário para o titular do Trono Universal para ser legítimo: (1) ele deve possuir a Lança do Destino, como descrito no capítulo 1, (2) ele também deve ser o imperador romano, e (3) ele deve ter o título "Rei dos Jerusalém. "O rei merovíngio com estas três propriedades em seu poder não seria apenas o governante do mundo, ele seria o rei perdeu dos merovíngios, ou no Santo Graal escatologia - o Messias de Israel. O Plano começou a sério em Gisors logo após o Priorado de Sião oficialmente separada do Templários em 1188. Para iniciar o plano, os tronos da Europa carolíngia existentes deveriam ser subvertida ou caso contrário derrubado. Este casamento não só envolvido com a realeza carolíngia, mas às vezes exigiu intriga política secreta, assassinato, ou uma convulsão ostensiva de poder. Uma vez que os carolíngios foram 117 removida, os merovíngios iria cooperar na combinação, através de casamentos, Holy Blood vários famílias para criar uma linha de três propriedades esotéricas necessários para estabelecer um governo mundial.

2 Planejando a Destruição da Igreja Para manter a legitimidade política e controle esotérico, os merovíngios inicialmente contou com a Igreja. Eventualmente, no entanto, Roma provou um passivo e teve que ser enfraquecida ou removida. Os merovíngios planejada para diminuir a influência da Igreja, através de guerra psicológica - uma tradição clandestina destinada a corroer a hegemonia espiritual de Roma - uma tradição que encontrou expressão em hermética e esotérico pensei, como na Rosacruz e Maçônica sociedades secretas. 3 Manipulando os protestantes e católicos Guise Bourbon: Guerra Civil como um trono merovíngio Universal A história nos diz que a Reforma no século 16 dividido velha França entre protestantes e Católicos. O consenso histórico aceito é que um grupo de protestantes bélicos, chamandose Huguenotes, precipitou os acontecimentos que terminaram com o massacre no Dia de São Bartolomeu, 24 de agosto 1572. Não nos é dito do Priorado de Sião que conspiração manipulado ambos os lados do conflito - um conflito que foi travada a criar para os merovíngios um trono universal. Página 2 Jogadores do Drama Conspirar pelo domínio, ou de sobrevivência, em meio a guerras religiosas da França foram tres real famílias: (1) a casa do pró-protestante de Bourbon: (2) Casa do ardente Católica de Guise (subordinado ao a Casa de Lorena), e (3) a Casa Católica amável de Valois. As Casas de Valois e Guise foram merovíngia, enquanto que os Bourbons não eram. Ainda não. Realeza Bourbon, protegendo os huguenotes, governado sudoeste da França sob uma forma solta republicanismo. A Casa de Guise, lutando ferozmente para aniquilar os huguenotes, foram o ramo cadete ou o braço militar da Casa merovíngia de Lorena, então governando o Holanda. Mais poderoso era o Casa de Valois, a decisão norte da França. Valois 118 reis, mais ou menos paz, desejada, em vez de guerra civil entre protestantes e católicos. Sua atitude enfraquecida apenas um já erodindo rapidamente posição dominante Católica. A dinastia Valois começou com Charles de Valois (1328-1350), sobrinho de Merovingian Filipe IV, também conhecido como Filipe, o Belo. Ele era o Philip mesmo que tentou a destruição dos Cavaleiros Templários

e tinha Jacques de Molay queimado na fogueira em 1314. Charles de Valois se tornou rei Filipe VI e realizada o título de Rei merovíngia de Jerusalém. 5 Em 1483 o título passou para a Casa de Lorena através casamento, permanecendo lá até 1735. Um século depois da dinastia Valois nasceu, a dinastia Bourbon ao sul entrou para a protestante movimento. Valois reis, já tentando conter os Bourbons nominalmente protestantes, foram também ter dificuldade fora de suas fronteiras. Casa de Habsburgo da Áustria (ou de Habsburgo) teve filhos sobre os tronos circundante França. O objetivo Habsburgo era capturar o trono francês, em seguida, forçar um casamento com a Casa de Lorena para a obtenção de uma ou duas gerações o "Rei de Jerusalém" do título. Já o título de Sacro Imperador Romano foi anexado ao trono austríaco, que trono também possuía a Lança do Destino. Os Habsburgos foram bem no seu caminho para cumprir as condições da Doutrina Secreta para o Merovíngios tão desejado império do um-mundo! Não estamos dispostos a entregar o título de "Rei de Jerusalém", a Casa de Lorena conspirou com seu cadete Casa de Guise para tomar o trono francês poderoso por si mesmos, esperando assim, para conter o Habsburgo plano. Sua estratégia era enfraquecer a dinastia Valois através da guerra civil, o que significou a exacerbar a conflitos existentes entre protestantes e católicos. Para preservar seu reino contra essa turbulência, a Casa de Valois foi forçado a contínua apaziguamento quando as guerras eclodiu entre os protestantes e católicos Guise Bourbon. Estes conflitos ficou conhecido como as guerras religiosas da França. Priorado de Sião e as guerras religiosas: Grandes Sion de huguenotes Bourbon mestrado Voltar Evidência substancial confirma que o Priorado de Sião estava manipulando os dois lados da religiosa Guerras. Os duques de Lorena, mantendo o título de "Rei de Jerusalém", implantado dois Grão-Mestres de França, ambos do clã Guise. Eles foram Ferdinand de Gonzaga, mais conhecido como Ferrante de Gonzaga (GM 1527-1575) e Louis de 119 Nevers, também conhecido como Luís de Gonzaga (GM 1575-1595). Louis foi o sobrinho de Ferrante. Seu atribuição aparente, que se reuniu com sucesso parcial, era exterminar a Casa merovíngia de Valois em favor da Casa de Merovingian de Guise.

6 Evidências apontam para a afirmação de que para realizar sua tarefa, os dois Grandes Mestres de Sião apoiou a Bourbon exércitos huguenotes, a fim de enfraquecer tanto a dinastia Valois e da Igreja Católica. Segundo de Holy Blood, Holy Grail, durante os segundo e terceiro trimestres do século 16, o Grande Mestre Ferrante "Parece ter sido secretamente em aliança com o duque de Guise, que [em 1563] veio dentro de um fio de cabelo de apreensão do trono francês. " 7 No último trimestre do século 16, o Grande Mestre Louis de Nevers Página 3 "Efetivamente exterminados a velha dinastia Valois da França e quase obteve o trono para a Casa [da Guise]. " 8 Nostradamus: Profeta ou agente secreto de Sião? De acordo com os "documentos Prieure", os Guise e os Lorraines encontrou um aliado em um judeu chamado Nostradamus (15031566). Nostradamus estava bem ciente da história do Priorado de Sião e da Cavaleiros Templários. Como os autores de Holy Blood, Holy Grail nota, muitos de seus escritos "refere, bastante explicitamente, ao passado - para os Cavaleiros Templários, a dinastia merovíngia, a história da casa de Lorena .. . Aos Razes - o conde velho de Rennes-le-Chateau .... Em qualquer caso, há provas abundantes de sugerem que Nostradamus era de fato um agente secreto trabalhando para François de Guise e Charles, cardeal de Lorena. "' 0 A Casa de Valois, na ignorância, contratado Nostradamus como médico da corte e astrólogo. Não surpreendentemente, uma de suas profecias primeira foi a de que a dinastia Valois logo seria extinto. Antes de embarcar em sua carreira como profeta do trono francês, no entanto, Nostradamus passou tempo considerável em Lorena, onde foi iniciado em algum segredo portentoso. Um livro misterioso em que para basear suas profecias supostamente foi apresentado a ele na Abadia de Orval, a Abadia, onde o mesmo Priorado de Sião tem o seu início em 1070. Holy Blood, Holy Grail afirma que "tão tarde quanto a Revolução Francesa e da era napoleônica, livros de

profecias supostamente de autoria de Nostradamus foram [ainda] emissão de Orval. " 11 Holy Blood conclui: "Muitas das profecias de Nostradamus, em suma, não pode ter sido profecias em tudo. Eles podem ter sido mensagens crípticas, cifras, programações, calendários, instruções, projetos para ação. "12 A implementação destas mensagens codificadas foi uma das atribuições dos Grandes Mestres de Sion. François, duque de Guise, e seu irmão 120 Charles (Cardeal de Lorraine) foram relacionadas a ambos os Grandes Mestres e pode muito bem ter tomado as suas ordens directamente a partir deles. Por exemplo, os Guise supostamente católicos e os protestantes Lorraines financiado a partir de tempo ao tempo, enquanto o cardeal se secretamente deu dinheiro para certos grupos protestantes. Mais uma vez, em Março 7, de 1560, o Cardeal anistia proposta para os huguenotes. 13 A Casa de Guise foi estigmatizado pelos historiadores como "católicos fanáticos furiosamente e fanático, intolerante, brutal, sanguinário e ". 14 No entanto, como os autores de Holy Blood estado, "não há provas substanciais para sugerir que essa reputação é, em certa medida injustificada, pelo menos até agora como a adesão ao catolicismo é em causa. François e seu irmão aparecem, muito patentemente, ter sido de bronze, se [não] astúcia oportunistas, cortejando tanto católicos como protestantes, em nome de seu projeto ulterior ". 15 Problemas na linhagem merovíngia: O estigma Valois Em 1533, o jovem Henrique de Valois (Henry U) se casou com Catarina de Médicis, da antiga real Medici família da Itália. Ambos foram idade 14. Catherine era sobrinha do Papa Clemente VII. Rumores de doença e doença mental começou quando há dez anos sem filhos nasceram com esse casal real jovem. Alguns culpou uma deficiência inerente a Catherine, já que ambos os seus pais tinham morrido de sífilis em 22 dia de seu nascimento. No entanto, depois de dez anos, as crianças vieram quase anualmente - dez ao todo. Três morreram em uma idade precoce. Três se tornaram reis. Dois eram rainhas. Embora Catherine sobreviveu a seu marido e três sucessivas real filhos, seus filhos eram todos doentes ou doentes mentais. 16 Trono francês para a Casa de Guise

Doença em uma dinastia merovíngia não pode ser tolerado pelo Priorado de Sião, cujo dever era manter puro do chamado "Bloodline Santo". Conseqüentemente, não foi adicionado justificativa para terminar a Valois dinastia em nome da Casa de Guise. Página 4 Sion tentativas de entronizar a Casa de Guise Quando Henrique morreu em 1559, filho de Catarina, Francisco II, foi coroado com a idade de 16. Dentro de um ano que ele morreu. Seu segundo filho, Charles IX, sobre 121 subir ao trono em 1560 aos 10 anos, aceitou a regência de sua mãe. Os historiadores comentário Durant em Charles: "O sickliest dos filhos, Carlos IX, poderia ter sido um juventude amável, exceto para crises ocasionais de crueldade e temperamento que brilhavam em momentos em uma paixão beirando a insanidade. Entre tais tempestades ele era um caniço ao vento, raramente ter uma mente própria ". 17 Com a ascensão de Carlos IX, Ferrante de Gonzaga, Grão-Mestre da Sion, deu ordens para a Casa de Guise, que agora era o momento de capturar o trono enfraquecido francês. Prevendo uma mudança de administração da Casa de Valois para a Casa de Guise, o Concílio de Trento foi convocado em 1562 em preparação para trazer a paz para a França. Ferrante também destinado ao Conselho para enfraquecer o poder de Roma, em França, com o Cardeal de Lorraine para lançar "uma tentativa de descentralizar o papado - para conferir autonomia aos bispos locais e restaurar a hierarquia eclesiástica ao que tinha sido em Merovingian vezes. "' 8 Grand Master Ferrante deu François, duque de Guise, ajuda secreta para tomar o trono. Em 1563 Francois estava se preparando para declarar-se rei da França, quando ele caiu de uma bala assassina. Em 15 de setembro de Naquele ano, Carlos IX, que ainda não tinha 14, foi declarado de idade. Catherine, enquanto ela se render regência, não fez, no entanto, abrir mão de sua liderança. Movendo-se contra os huguenotes Guerreiros protestante: Coligny e coned Em 1564, iniciou a montagem de pressão sobre a coroa de usar medidas de força contra os protestantes

Huguenotes, cujos líderes eram almirante Gaspard de Coligny e Príncipe de Conde "(Luís I da Casa de Bourbon). Príncipe Conde "tinha se convertido ao protestantismo como um meio de ganhar o apoio de sua huguenote assuntos. Coligny, por outro lado, era um cristão devoto, que estudaram a Bíblia e orava todos os manhã e à noite. Ele detestava o mundanismo da Igreja Católica e era inquieto com a pompa de Realeza, mas não encontrou dificuldade em seu lobby político com uma monarquia católica. Ele não bebia, era oposição a dança, e viveu uma vida virtuosa. Sua única fraqueza era a sua disposição militar, que atraiu ele em muitas batalhas sangrentas com os católicos para o direito de culto em paz. João Calvino avisou contra tal ação. 122 Controlado Conde 'sudoeste da França. Coligny, presunçoso e com medo de homem nenhum, percorriam toda a França. Felizmente para ambos, Catherine muitas vezes usou sua influência para protegê-los contra a Casa duplicidade de Guise. Ela continuou a fazer isso agora, mesmo sob grande pressão. Para auxiliar na limitação da oposição Guise, Catarina contratou mercenários da Suíça. Mal-entendido seus motivos, os dois líderes huguenotes, com seguidores armados, tentaram, em setembro de 1567, para aproveitar o jovem rei e da rainha-mãe. Embora a rainha-mãe frustrada sua tentativa, Catherine agora temia que os dois homens que antes protegiam. A Segunda Guerra Religiosa Para adicionar mais tensão do conflito, a Sociedade jovem e vigoroso de Jesus (Jesuítas), fundada apenas treze anos antes tinha entrado a França em 1564. Embora este novo sacerdócio militar foi prometido e dedicada ao papado, não pegar em armas como fizeram os Templários cinco séculos anteriores. Jesuíta sermões eram, para a Casa de Guise, pelo menos, uma partida de boas-vindas para os huguenotes bélicos. Agitado pelo jesuíta Página 5 mensagens de ódio, os católicos repetidamente violados os éditos de tolerância assinados pela Casa de Valois, e barbárie reinou. Coligny senti que outra tentativa no Trono foi necessária para restaurar o limitado direitos dos huguenotes. França posteriormente entrou em sua Segunda Guerra Religiosa. 19 Pio V

Em 1566, 62 anos de idade, Antonio Ghislieri, dominicano frei e Grande Inquisidor, tornou-se o Papa Pio V. O historiador Will Durant descreve sua personalidade: "Ele excomungou Elizabeth da Inglaterra e lançado os católicos Inglês de sua fidelidade. Ele pediu que Carlos IX de França e Catarina de Médicis para processar guerra contra os huguenotes até estes devem ser totalmente destruída e sem piedade. " 20 Tolerância e Paz, com os huguenotes A Catherine religiosamente tolerante recusou. A paz foi feita com os huguenotes em 23 de março de 1568, restaurar a tolerância modesto. Mas o 123 Guise católicos, percebendo os protestantes foram se tornando poderoso demais, denunciou o tratado e se recusou a implementá-lo. Coligny protestou a Catherine, mas lembrando de suas tentativas anteriores sobre sua vida, ela virou uma surdo. Guerra religiosa terceiro e Termos de paz religiosa Em maio de 1568, o Papa Pio finalmente convencido a Casa de Valois para assassinar ambos Coligny e Conde ". Quando os dois líderes protestantes receberam esta informação, eles formaram um exército huguenote novo. A frota foi montado. Simpática Rosacruz ingleses ofereceram suas embarcações particulares para servir sob Conde comando. Os Durants explicar a reação de Catherine para esses eventos: "Catherine olhou para esse Religiosa Terceiro Guerra como revolução, como uma tentativa de dividir a França em duas nações, um católico, o protestante outra. "21 Em 3 de março de 1569, a Terceira Guerra Religiosa estourou. Os huguenotes foram derrotados e Conde 'morreu de feridas. Catherine próxima oferecido Coligny uma renovação do tratado original. Ele recusou-a como inadequada e continuou seu avanço. Então, de repente em 8 de agosto de 1570, o jovem Charles IX afirmou sua autoridade e assinou um tratado de paz. O tratado deu os huguenotes freqüentemente derrotados mais do que jamais esperava para. Eles foram concedidos "a liberdade de culto, exceto em Paris ou perto do tribunal, a elegibilidade total ao público escritório, e, como garantia de que esses termos seriam honrados na prática, o direito de realizar quatro cidades sob seus independentes fortwoyears regra. " 22

Em setembro de 1571, juntou-se ao tribunal Coligny Valois em Blois. Carlos IX se agarrou a ele como fraqueza se agarra à força, mas Coligny começou a fazer fortes exigências dele. Catherine foi avisado de do Rei conselhos secretos com Coligny e levou Charles de lado para censurá-lo por ter entregue sua mente para Coligny. Ele pediu-lhe perdão e prometeu obediência a ela. Casamento dinástica de católico Sion Foils protestante Nesse mesmo ano, Catherine fez sua última tentativa mais ousada e trazer paz para a França, um plano que em última análise, poderia frustrar o plano Sion de estabelecer a Casa de Guise no trono francês. Ela decidiu oferecer sua filha Margarida em casamento a Henry III, protestante 124 Rei de Navarra, da Casa de Bourbon, que, após a morte do Conde ', foi chefe do huguenote Página 6 império. O casamento ocorreu 18 ago 1572, seis dias antes do Dia de St. Bartholomew. Esta união, se Henry viveu, efetivamente enterrar plano de Sion para uma monarquia universal rápida. Mal sabia Catherine perceber as conseqüências de longo alcance, destrutivas e benéfico, desta aliança. Ele era destrutivo para sua Casa Real porque iria acabar com a dinastia Valois, como profetizado por Nostradamus. Seria destrutivo para todos França dois séculos, portanto, uma vez que a união ligada a Casa de Bourbon de Filipe, o Belo, o assassino de Jacques de Molay - um evento que foi um subjacente causa da Revolução Francesa. Foi benéfico para a França porque Henrique III de Navarra se tornaria Henrique IV, o rei Bourbon primeiro a unir toda a França - e, finalmente, ele traria a tolerância religiosa e paz para a França por quase um século, ao assinar o Édito de Nantes em 1598. Casa de Guise e abate dos huguenotes Enquanto isso, a Holanda se revoltaram contra a Casa de Lorena. Este Coligny satisfeito, que começou a pressionando o rei Carlos para dar ajuda aberto para a Holanda revoltante. Embora a aprovação Coligny antecipada de seu pedido, o martelar de bigornas em toda a França revelou a apressada forja de armas. Vendo um chance de se livrar para sempre de Coligny França e seus seguidores protestantes, a Casa de Guise alertou Catherine que os preparativos de batalha eram mais uma tentativa de sequestrá-la e ao rei menino. Catherine deu seu consentimento para assassinar Coligny Almirante. Aprovação pelo rei Charles era desejável, mas não necessário.

Catherine e seu disfarce conselheiros cercaram o jovem príncipe. De acordo com os Durants, o inseguro soberano foi informado de que 30 mil huguenotes estavam planejando prendê-lo no dia seguinte e levá-lo para algum reduto protestante, onde ele seria preso e impotente; se não tivessem duas vezes antes tentada tal movimento? Charles ficou agitado com eles, e Catherine reconhecimento de seu filho hesitação, ameaçou retirar-se para a Itália e deixá-lo ao seu destino. Sua agitação voltou-se para emoção, trazendo-o perto de insanidade. O rei menino de 23 foi dito que escolher entre sua mãe e Coligny. Se ele recusou sua mãe, ele seria posto de parte como um covarde e um tolo. Finalmente, em um ataque de nervos e raiva, Charles gritou: "Matem-nos todos! Mate todos eles!" Amaldiçoando, ele fugiu e se trancou em seu quarto. 23 O Durants concluir: 125 Se os conspiradores planejavam matar apenas alguns, agora eles se aproveitaram de ordem louco do Rei para fazer a matança dos huguenotes a mais completa possível. Catherine insistiu em proteger [seu filho-de-nova lei], Henrique de Navarra ... palavra foi enviado para os capitães distrito de Paris para armar seus homens e estar pronto para a ação no badalar dos sinos da igreja às três horas da manhã 24 de agosto de St. Dia Bartholomew. Carta branca foi dada a Guise para executar sua vingança longo atraso, sobre o Almirante. Henrique de Guise enviou uma mensagem para os oficiais da milícia que no som do toque de alarme de seus homens estavam para matar todos os huguenotes que poderiam encontrar. 24 Quase toda a raça de huguenotes foram extintos. Setenta mil pessoas foram assassinadas durante as semanas seguindo 24 de agosto de 1572. Muitos milhares escapou e navegou para o Novo Mundo, estabelecendo-se nos Estados Unidos. Todos ao todo - e em nome de Deus - cerca de 100 mil protestantes foram mortos em diferentes partes do reino. Casa de Bourbon vs Casa de Guise Os 20 anos de guerra civil que se seguiu determinou o que iria substituir casa nobre da Casa de Valois na França. Seria a Casa de Bourbon ou a Casa de Guise? Em 1584 um novo ataque contra o trono foi tentada pelo novo duque de Guise e de novo cardeal

Lorena. Ao seu lado estava Luís de Gonzaga, Duque de Nevers, Grão-Mestre da Sion desde 1575. O bandeira dos conspiradores era agora a Cruz de Lorraine, um símbolo Rosacruz. Sangue Santo registra os resultados desta batalha: "A disputa continuou Até o final do século, a Valois. foram extintas em último. Mas a casa de Guise tinha sangrado até a morte no processo e poderia não apresentou nenhum candidato elegível para um trono que finalmente estava ao seu alcance. " 25 Página 7 Tolerância e flexibilidade Henrique III, rei de Navarra, que tinha casado Marguerite de Valois, filha de Catarina, finalmente ganhou a trono através de uma sucessão de guerras. Ele se tornou rei Henrique IV de toda a França em 1593. Henry foi o primeiro de uma longa linhagem de reis Bourbon, cuja dinastia se estenderia dois séculos. 126 França permaneceu católico, mas Henry convenceu Parlement (grafia francesa) para aceitar seis huguenotes em sua montagem. Tolerância foi restaurado, eo terror diminuiu. A tolerância foi mantido, no entanto, apenas enquanto um soberano branda foi persuasivo de Parlement, e politicamente ágil o suficiente para aceitar o conselho dele, mantendo seu poder. Ao contrário do eleito Inglês Parlamento, o parlamento francês foi nomeado pelo rei. Se o soberano estar descontente com ou ameaçado por esta assembléia, ele simplesmente se desfez dela. Assim, Parlement só poderia ser tão tolerante como o rei. Henry exibido flexibilidade com sua corte de justiça. Em 1598 o Édito de Nantes foi aprovado pelo Parlement e assinada pelo rei trazer a paz para a França por quase um século. Depois da morte de Henry, No entanto, tornou-se uma instituição Parlement volátil. Sion contra os Stuarts Com a extinção da dinastia Valois um accompli destino, Sion olhou através do canal para o escocês Stuarts Templários em linha para ascender ao trono Inglês (ver capítulo 2). Rainha Elizabeth era velho e sem filhos. Em seu leito de morte, em 1603, ela reconheceu formalmente James VI da Escócia sua sucessora. Tiago VI da Escócia se tornou o rei James I da Inglaterra. Um trono Templários na Inglaterra, foi um problema mais grave do que a de Sion Bourbon novo Merovingian

trono da França. Assim, os próximos cinco Grandes Mestres de Sião se concentrou em depor os Stuarts Templários - Uma meta que levou quase um século para realizar. Sion contra os Bourbons: Sion Incentiva a Casa de Guise para derrubar os Bourbons A deposição dos Bourbons, no entanto, iria esperar 200 anos, apesar de uma tentativa de subversão foi feito durante o reinado de Robert Fludd como Grão Mestre de Sião, na Inglaterra. Em 1602, um ano antes de James Stuart I ascendeu ao trono britânico, Fludd fez uma longa viagem para a França. Ele havia recebido uma comissão "a Marselha para atuar como tutor pessoal para os filhos de Henrique de Lorena, particularmente Charles, o jovem duque de Guise. Sua associação com Charles parece ter continuado tão tarde quanto 1620. "26 127 Embora não haja nenhum registro sobre o que implicou a sua tutoria, ele certamente teria incluído a história de Sião e da dinastia merovíngia em conexão com a tentativa de Sion para capturar o trono francês para o Casa de Guise durante as guerras religiosas. Ele ainda possivelmente incluído um esquema para um ataque aberto do Trono Bourbon. Esta teoria é emprestou credibilidade pelas ações posteriores do duque de Guise. Por exemplo, em 1610 Duque casou Henriette-Catherine de Joyeuse, cujas posses incluído Couiza ao pé da a montanha em que Rennes-le-Chateau está situado. Em 1631, o duque de Guise, sem sucesso conspirou contra o trono francês e foi para o exílio voluntário. 27 Cardeal Richelieu: Uma Política de Adequado para gostos Rosacruzes De 1610-1643 o trono da França foi ocupado por Luís XW, que era casado com Ana de Áustria. Louis deu pouca atenção à sua rainha, que era solitário e desejoso de companhia masculina. O verdadeiro poder por trás do trono foi o Cardeal Richelieu, primeiro-ministro do rei. Richelieu, se não um Página 8 membro do Priorado de Sião, foi definitivamente um mercenário. Enquanto o resto da Europa inflamado no auge da Guerra dos Trinta Anos, Richelieu estabeleceu uma estabilidade sem precedentes na França - até 1633. Antes de 1633, os protestantes na Alemanha estavam sendo financiados por Rosacruzes Sionist da Inglaterra e do Continente. Richelieu continuou um conjunto precedente ao Sion durante as guerras religiosas da França: em 1633, ele começou financiamento dos protestantes alemães.

Holy Blood explica esta política aparentemente bizarro: "Em 1633, o Cardeal Richelieu embarcou em um política audaciosa e aparentemente incrível. Ele trouxe a França na Guerra dos Trinta Anos - mas não no lado seria de esperar .... Um cardeal católico, presidindo um país católico, o envio [ing] Católica tropas para lutar do lado protestante - contra outros católicos .... Nenhum historiador jamais sugeriu que Richelieu era um Rosacruz. Mas ele não poderia ter feito nada mais de acordo com Atitudes Rosacruzes, ou mais provavelmente para ganhar o favor Rosacruz. "26 Luís XIV sobe ao trono Louis XIII (r.1610-1643) e Anne permaneceu sem filhos. De repente, em 1638, após 23 anos de casamento estéril, Anne produziu uma criança. Poucas pessoas na época acreditava que ele era legítimo. Fofoca tinha 128 a criança do pai Cardeal Richelieu, ou talvez um substituto empregado por Richelieu, talvez o cardeal Mazarin, Richelieu PROTA © gà © 'sucessor e. Tanto Luís XIII e Richelieu morreu em 1642. Alguns historiadores afirmam que o cardeal Mazarin depois se casou secretamente com a Rainha Mãe Anne. 29 Após a morte de Luís XIII, o rei menino subiu ao trono em 1643. Luís XIV era de cinco anos. O rainha mãe levou a regência de seu filho. Cardeal Mazarin foi primeiro-ministro. Para a rainha mãe mando, o jovem rei abraçou o catolicismo. "Companhia" Sion: Precursor da Maçonaria De acordo com os "documentos Prieure", o Priorado de Sião se dedicado a depor Mazarin e tanto o jovem rei. 30 Para realizar essa tarefa, Sion fundou uma sociedade secreta altamente organizada e eficiente chamado "A Compagnie du Saint-Sacrement". A Compagnie (ou empresa), atendendo apenas com o marginal sucesso, foi sediada em Saint Sulpice, e estabeleceu uma intrincada rede de delegações provinciais. Semelhante às operações dos Illuminati um século mais tarde, os seus membros permaneceram ignorantes de seus diretores identidades. Em suma, a Companhia compreendia uma organização Hydra-cabeças com uma "mão invisível". A Companhia foi de fato um precursor da Maçonaria. Tanto quanto o nível inferior foram iniciados em causa, foi ostensivamente dedicado a obras de caridade, especialmente em regiões devastadas pelas guerras de religião. "É

agora geralmente aceite ", dizem os autores de Holy Blood", que este "trabalho de caridade" era apenas um fachada conveniente e engenhosa, que tinha pouco a ver com o verdadeiro propósito da compagnie. O propósito real era duplo - para se engajar no que foi chamado de espionagem piedoso, coleta de informações de inteligência, e para se infiltrar nos escritórios mais importantes da terra, incluindo os círculos em proximidade direta ao trono " 31 Influência revolucionária da Companhia Por meados de 1600 a Compagnie du Saint-Sacrement exercia o poder através da aristocracia, o francês Parlement, o Judiciário ea polícia - tanto assim, que em várias ocasiões estes corpos abertamente desafiou o rei. 32 Na verdade, a Compagnie desejado para controlar a monarquia através Parlement, mas encontrou uma monarquia absoluta 129 resistente ao controle parlementary. Por exemplo, em 1648 Parlement abordadas várias exigências para o Rei e sua mãe, que deve ter parecido para eles revolucionário. Ao rejeitar a Mãe Rainha, 13 meses de guerra civil, o chamado Fronda, estourou. Página 9 A tolerância inicial Louis ' Em 8 de setembro de 1651, quando Luís XIV tinha treze anos, ele anunciou que estava terminando a regência de sua mãe e tendo o governo em suas próprias mãos. Mesmo com essa idade, a justiça Luís, clemência, generosidade e auto-controle impressionou o tribunal. Em 1652, Louis confirmou o Édito de Nantes. Ele expressou o seu apreço de lealdade huguenote e permitiu-lhes manter seus sínodos em paz. Embora o Rei Louis estava disposto a abrir seu reinado de alguma tolerância, ele ainda era um monarca absoluto. Ele agiu com força, como tal, quando, em 1665, Parlement querendo discutir alguns de seus insatisfatória decretos, Ele imediatamente ordenou a dissolução da assembléia e proibiu a Compagnie du SaintSacrement. Louis Abandona Tolerância: Revoga o Édito de Nantes Enquanto isso, como parte da Contra-Reforma da Igreja Católica, os jesuítas tinham manobrado -se em cortes reais em toda a Europa como confessores rei. Na realidade, eles também funcionava como conselheiros, assim como os Cavaleiros Templários antiga.

Rei Luís também tinha seus confessores jesuítas. Este Rei menino estava aflito que a França não estava unida sob Catolicismo. Quando angústia virou-se para a desconfiança, seu jesuíta conselheiros viram sua chance de combustível do rei dúvidas, sugerindo que os huguenotes eram subversivos - que o desafiaram na Compagnie. Sobre o próximas duas décadas (1665-1685) liberdades foram gradualmente retirados dos protestantes. Em outubro 17, 1685, 104 anos antes da Revolução Francesa maçônico, Louis revogou o Edito de Nantes - o próprio documento que ele tinha, uma vez confirmada. 33 Livro Foxe Mártires de detalhes as conseqüências: Instantaneamente os dragões foram esquartejados sobre os protestantes em todo o reino, e encheu toda a França, com a notícia de como, que o rei já não sofrem qualquer huguenotes em seu reino, e portanto, eles devem resolver a mudar seu 130 religião. Posto isto, os intendentes de cada paróquia (que eram governadores papistas e espiões postos sobre o Protestantes) reuniu os habitantes reformadas, e disse que eles devem, sem demora, vire católicos, livremente, ou pela força. Os protestantes respondeu, que "estavam prontos para sacrificar suas vidas e propriedades para o rei, mas suas consciências o ser de Deus não podiam assim eliminá-los. " Imediatamente as tropas apreenderam as portas e avenidas das cidades, e colocando guardas em todas as passagens, entrou com a espada na mão gritando: "Morrer, ou ser católicos!" Em suma, eles praticavam cada maldade e horror que poderiam inventar para forçá-los a mudar de religião. Eles enforcado homens e mulheres por seu cabelo ou seus pés, e fumava com feno até que estivessem nearly dead; and if they still refused to sign a recantation, they hung them up again and repeated their barbarities, until, wearied out with torments without death, they forced many to yield to them. Others, they plucked off all the hair of their heads and beards with pincers. Others they threw on great fires, and pulled them out again, repeating it until they extorted a promise to recant. Some they stripped naked, and after offering them the most infamous insults, they stuck them with pins from head to foot, and lanced them with penknives; and sometimes with red-hot pincers they dragged them by the nose until they promised to turn. Sometimes they tied fathers and husbands, while they ravished their

wives and daughters before their eyes. Multitudes they imprisoned in the most noisome dungeons, where they practiced all sorts of torments in secret. Their wives and children they shut up in monasteries. Such as endeavored to escape by flight were pursued in the woods, and hunted in the fields, and shot at like wild beasts; nor did any condition or quality screen them from the ferocity of these infernal dragoons; even members of parliament and military officers, though on actual service, were ordered to quit their posts, and repair directly to their houses to suffer the like storm. Such as complained to the king were sent to the Bastille, where they drank the same cup. The bishops and the intendants marched at the head of the dragoons, with a troop of missionaries, monks, and other ecclesiastics to animate the soldiers to an execution so agreeable to their Holy Church, and so glorious to their demon god and their tyrant king. Página 10 131 Later this dreadful example of bigotry employed the pen of Voltaire (1694-1778) in deprecation of the horrors of superstition; and though an infidel himself, his essay on toleration does honor to his pen, and has been a blessed means of abating the rigor of persecution in most European states. 34 Voltaire, Sion and Freemasonry Voltaire (1694-1778) was a revolutionary whose liberal philosophy helped prepare the French mind to revolt. Born nine years after the revocation of the Edict of Nantes, Voltaire grew up with these horrors impressed upon his young mind. With pen in hand he became embroiled in rebellion against Crown and Church. Dr. George E. Dillon provides a brief childhood history of Voltaire: "His real name was Francis Mary Arouet, but, for some reason which has never been clearly explained, he chose to call himself Voltaire. Ele was the son of good parents, and by position and education should have been an excellent Catholic. Ele foi trained by the very Jesuits whom he afterwards so hated and persecuted." 35 Voltaire was age 20 when the Templar Stuarts were exiled to France and age 32 when he himself was

"exiled" to England from France. From 1726 to 1728, while residing in London, Voltaire met nearly every prominent citizen in English letters or politics, including King George I, England's first Masonic king. From then on Voltaire believed that the best prospect for social reform would be through an "enlightened monarchy," meaning a monarchy whose king was a Mason. 36 Voltaire's mentor in England was Freemason Alexander Pope, 37 the famous English poet, who was a member of a rather obscure institution called the Gentleman's Club of Spalding. 38 This club was comprised of Rosicrucians, including Freemason Desaguliers, who helped organize the Grand Lodge, and Sir Isaac Newton, Grand Master of the Priory of Sion. Voltaire was introduced to Newton when he met members of Sion's Royal Society. He attended Newton's funeral a year later. Afterward he read all the late Grand Master's work, as well as the books of Freemason John Locke, 39 who before his death in 1704, had been intimate both with Newton and the previous Grand Master of Sion Robert Boyle. Finally, in 1728,just before returning to France, Voltaire joined English Masonry. 40 There is no record of what transpired in Voltaire's two-year association with Sion's Masonic hierarchy though, it appears Voltaire 132 was an agent of the Priory of Sion. For example, when he returned to France from his English exile, he praised and imitated Alexander Pope's Essay on Man. He carried the books of the English deists home with him, including those of Isaac Newton and John Locke. All supplied him with ammunition he was to use in his war against the infamous French throne. 41 Voltaire returned to France in 1728, the year after Charles Radcliffe (already in France) became Grand Master of the Priory of Sion. Although there is no evidence that Voltaire and Radcliffe knew each other, both were working for the Sionist conspiracy. Radclyffe's assignment was to make sure that the Templar

Stuarts would not return to England. Voltaire's assignment was to foment revolution in the minds of Franceses. As an English Freemason, Voltaire had the credentials to enter French Masonic Lodges, where he was protected. His writings also inflamed the Templars, who longed to avenge the murder of Jacques de Molay, a murder ordered by a French king, a king whose blood now flowed in the veins of the Bourbons. Voltaire also became a confidant of the head of Scottish Rite Freemasonry, 32nd degree Frederick the Great, King of Prussia - a Templar king. Voltaire's commitment to a Masonic monarchy was so overpowering that when sent to Frederick's court in 1750, he spent three years there, encouraging the king to destroy not only the Catholic Church, but all Christianity. Voltaire continued correspondence with Frederick as late as 1767. Just before his death Voltaire was initiated into French Freemasonry. 42 A Conspiracy Mystery: Allies or Enemies? Página 11 Strangely, Voltaire and Radcliffe were both involved with the Templars and the Priory of Sion. Para example, while Radcliffe was a Knights Templar fighting on the side of the Stuarts, he was appointed Grand Master of the Priory of Sion upon the death of Isaac Newton. Likewise, Voltaire had joined Sionist English Freemasonry, yet collaborated with Frederick the Great, the Templar King of Prussia. Either Sion and the Temple had reconciled to unite their efforts in dethroning the Bourbons, or Radcliffe and Voltaire both were double-agents for the Priory of Sion. 133