You are on page 1of 177

'ãT

€- -= ;; *.*.ì:
F=-

Manole

&

TABELAS FISIOPATOTOGIA DE ......51 AlcroçõesdoDesenvolvimentoCelulor ....71 AlcroçõesdoMetobolismo . . ......89 A l t e r o ç õ e s d o s T e c i d o s e d o s M e m.b r o n o s .....105 AlteroçõesdoSistemoTegumentor... Es o A l e r o ç õ e s d o S i s t e mq u e l é t i c o e A r t i c u l o r .....135 Musculor . . . .l 59 Alteroções Sistemo do AlteroçõesdoTecidoNervosoedoEncéfolo ......185 Periíbricos Afteroções MeduloEspinol dosNervos do e . . .209 AlteroçõesdosOrgõosdosSentidos ......233 A l i e r o ç õ e s d o s G l ô n d u ld ó c r i n o s En os ......258 AlteroçõesdoSongue ......279 AfteroçõesdoCoroçõo ......299 Afteroções Vosos dos Songüíneosdo Circuloçõo e . .329 AfteroçõesdoSisbmo Linfotico .....340 Alteroções Sistemo lmune do . .358 Alteroções Sistemo Respirotório do . .383 Afteroções Sistemo do Digestório . . . .414 Al|eroçõesdoSistemoUrinório .....433 Afteroções Resultcntes Desequilíbrios Fluido Eletrólitos . . .447 de de e AfteroçõesdoSistemoCzenitol ......470 Afteroções Desenvolvimento Humono do . . . .494 VOCE ENVETHECE QUADROS ENGIUANTO
Copfiub 3 Copitulo 4 Cçltulo 5 Cçitub 6 CoÉtub 7 Cçitub 8 CoÉtub 9 CopítulolO

Cçnub I I Cçltub 12
CoÉrtl|o 13 CoÉtub | 4 CoÉtub | 5 CoÉtubtó Codtub | 7 co$tub | 8 Codtub 19 Cçítulo 20 CoÉtrio2t dqr\/r 22

Célulos ....51 MetobolismoCelulor ....71 TecidoseMembronos ....89 Tegumento Comum Temperoturo e Corpóreo . .104 SistemoEsqueléticoeArticulor...., ..135 SislemoMusculor ......]59 Sistemo Nervoso: Tecido Encéfolo Nervoso e . .184 Sistemo Nervoso: MeduloEspinol Nervos Perifêricos e 209 OrgõosdosSentidos . . .233 GlôndulosEndócrinqs ...258 Songue . . .279 Coroçõo . .299 VososSongüíneoseCirculoçõo .......328 Linhtico Sistemo . .339 Sistemolmune ...357 SislemoRespirofório ....382 Sisfemo Digestório . . . . .414 SistemoUrinório ......433 Equilíbrio Hídrico, EletrolíticoÁcido-Bósico e . .446 Sistemo Genitol . .470

.

Lll'grtlto l-t {t- BarbaraHerlihy' PhD' RN Docente da Escolade Enfermagem da University of the IncarnateWord SanAntonio.tto . Têxas Ilustraçõesde Caitlin H. Duclrwall Duckwall Productions Marvland Baltimore.^ì g |. )c.I lì^r-elolltte e l-'tstotoS'Le tt ì ]a| l I l c.PhD' RN Professára The Health Institute of SanAntonio do SanAntonio.ud-tYcl 1ì 1 Y I t . Manole .'o\-ot'l t)o Liurtü.. Têxas Nancy K. Maebius.

É proibida a reprodu@o por xerox. Este livro foi catalogado na CIP. 06460-120 .com.Fax: (0__ I I ) 4t96-6007 www.2002 Direitos em língua portuguesa adqúridos pela: Editora Manole Ltda.br Impresso no Brasil Printed in Brazil ü ! !r t . l" edição. Saunders Company.SP . Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida.Barueri .manole. ISBN 85-204-1297-l la ediÉo brasileira.Tamboré.Tínlo dn original: The Human Body in Health and lllness. por qualquer processo.com. pennsylvania Coordtnador daTíadução e Reaisor Científco: EdsonAparecido Libeni Professor Liwe-Docente em Ánatomia . Avenida Ceci. de Herlihy e Maebius Copyright @ 2000 by VlB.Brasil Fone: (0__1 I ) 4196-6000 . 67 2 .Universidade de São paulo Tiadutores: Cíntia Bovi Binotti DorivalTêrra Manini &lson Aparecido Liberti Márcia SanaeMizuno Míriam Celeste Sanaiote Brandão Rainer Guilherme Haetinger Sflvia de Campos Boldrini Capisa: Mauricio Girar d (Mazz Design) Foto da Capa: Tonystone Todos os direitos reseryados.br info@manole. sem a permissão expressados editores. Philadelphia.Instituto de Ciências Biomédicas .

Andrew meusnetos. Stephen. Brian.Joseph Kellie e minha irmã.Allison e Sarú NKM .À minha família: meu esposo. Kingsland meu esposo.Pretzyl BH À minha família: meu pai. Tom. Robert C. Jed meusfilhos. Jean minha amigapeluda. Elizabeth. Jeremiú meusfilhos. Maria.

.

como contagem de células do sangue. ' Além da Fisiopatologia.A Fisiopatologia integrada descreveos efeitos da depressãoda medula óssearelacionada a anemia. E também uma história que vai melhorando a cadanarrativa. com todas as suas partes e como elas trabalham em conjunto.punçáo lombar. assim. Os agentesfarmacológicos estão também incluídos e.muiro. Este livro foi feito com amor. ela não é meramente incluída em quadros ou no final do texto. Anatomia e Fisiolngia do Corpo Humano Saudáuel e Enfermo conta a história do corpo humano. Mas esteé diferente . infecção e hemorragia. E escrito para estudantes com um preparo mínimo em ciências. O texto descreve. Noções básicasde Microbiologia estão incluídas no Apêndice A.Ao Professoir Sim! Mais um livro de Anatomia e Fisiologia. porque o corpo humano continua a revelar os seusmistérios e o modo como foi maravilliosamente criado. complementada com caricaturas. De fato. a função da medula ósseana produção de células sangüíneas. outros tópicos sáo amplamente integrados ao texto. Uma bela série de ilustrações. Pontos Fortes do Livro Acreditamos que o texto apresentamuitos pontos fortes: ' A Anatomia e a Fisiologia são explicadas claramente e de maneira simples. A Fisiopatologia integrada é utilizada principalmente para reforçar a Anatomia e a Fisiologia normais. Química ou Física. É nosso desejo que você aprecie contaÍ esta história tanto quanto nós. E uma história que nós temos contado várias vezesem nossasaulas. ele é o fruto de umavida dedicada ao ensino daAnatomia e da Fisiologia. e o que acontece quando essedelicado equilíbrio é alterado. O primeiro éarelaçáo entre aestrutura e afun$oo estudante deve enrender que um órgão é anatomicamente projetado para executar uma determinada tarefa fisiológica. auxilia o texto.. sem a necessidade de um conhecimento prévio de Biologia. análise de urina e eletrocardiograma. Os princípios fundamentais da Química são apresentados em dois capítulos e estabèlecem as basespara o entendimento da função celular. Existem dois temas muito irnportantes que percorrem o texto. Por uma razÁo: ele é interessante e algumas vezesdivenido .. como a Fisiopatologia. O texto se inicia com a descrição de uma simples célula e evolui pelos vários sistemasorgânicos. todo um embasamento científico necessárioao entendimento da Anatomia e da Fisiologia. a história do corpo humano é contada tanto pela arte como pelas palavras. Estesincluem os procedimentos comllns de diagnóstico. Anatomia e Fisiologia do Corpo Humano Sauüuel e Enferrno é um texto básico de Anatomia e Fisiologia destinado ao estudante que se pÍeparapaÍa ser um profissional de saúde. por exemplo.o papel que cada sistema orgânico desempenha para a manutenção davida. Uma promessa: você ficará satisfeito com a reação de seusestudantes a esseespetáculo! r Este texto realmente integra a Fisiopatologia. e da digestáo. são . proporcionando. A Fisiopatologia da depressáoda medula ósseaamplia a função da medula ósseae auxilia o estudantè a preparar a transiçáo para as aplicaçóesclínicas. amando cada minuto dela. múto diferente. O conteúdo daAnatomia e da Fisiologia é apresentado em uma ordem tradicional. do simples para o complexo. do equilíbrio hídrico e eletrolítico. O segundo tema principal é a homeostase.

. A terminologia médica é introduzida. Pcrlavr^crs-cl4crve Esses termosestão totalmente explicados capítuloe definidos glossário. definida e utilizada ao longo do texto. nós . no no Muitas dessas vinhetas se referem a situaçõesclínicas. O texto irrcorpora diversasparticularidades divertidas da história da Medicina.vi r Ao Professor utilizados para reforçar a Anatomia e a Fisiologia. Em virtude dos esforçospara se fazer as correlaçóesclínicas. Resu. outfas relatam eventos históricos interessantes- Identifica as principais alteraçóesfisiológicas que ocorrem com o envelhecimento. Embora o corpo humano sejaperfeitamente previsível e lógico. incluindo a Farmacologia e a Enfermagem médica. Como exemplo temos a discussãosobre a junção neuromuscular acrescidade uma descrição dos efeitos dos agentesde bloqueio neuromuscular.rt o Ao final de cada capítulo há um resumo que serve como uma excelente revisão e auxilia o estudantea extrair o conteúdo do caoítulo. Essas questóesde "respostas curtas" revisam os pontos principais do capítulo e convidam o estudante integraros conceitos a principais.As histórias das catacumbasproporcionam algumas boas risadase muito respeito. o presente texto estabeleceas basespara os cursos de ciências da saúde mais avançados. Desfoques () ble*vos Os objetivosidentificam a finalidadedo capítulo. Têrmos clínicos comuns como vasodilataçáo. .O Aoêndice B é uma lista resumida de eoônimos e termos médicos. fazemos e dizemos algumas coisas estranhas. . cirurgica e obstétrica.sereshumanos .pensamos.hipertensão e diagnóstico são definidos e reutilizados de forma a permitir que o estudante adquira gradualmente um vocabulário médico considerável. \ I - .

Os tipos. é lista de palavras-chaveresumidaem uma tatunístita e flora normal. laboratóriais. dantea integraros conceitos do específicos relacionadas sistemas a as Essas tabelasdescrevem alterações corpohumano.sobrea terminologia médica. três apêndices laboratoriais.O conteúdodesse uma extensa e e para sicasnecessárias tópicos como a assepsia asterapiasfarmacológicas " antimicrobianas. e vras-chave de diversos .infecçãonosocomial(hospitalar). ganismos estãoincluídosem por e Os descritos. ascaracterísticasasidentificações vírus.para um iniciante de curso.terminologiamédicae valores Sãodefinidostermos O ApêndiceA inclui a Microbiologia básica. sufixose raízes palavras de forneceuma ampla informação. análise urina de rotina. extenso outros termosdo texto. patógenos asdoenças elescausadas báapêndiceforneceasinformaçóes tãbela. Uma tabelade prefixos. Uma laboratoriais microorde e bela. de inclui uma brevedefiniçáode todasaspalaglossário O Glossário. infecçãooporprincipaiscomo patógeno. de suplementares Miforneceminformações Os Apêndices. riquétsiase fungos sãodetalhadamente èomo bactérias. onde estãolissobrevalores C O 'Apêndice é uma seçáo como a hedo comunsdos componentes sangue tadosos valoresdos testes do e de eletrólitos dos diferenciais glóbulosbrancos moglobina.Ao Professore vii *RESUflltltDO! regularmentenos capítulose auxiliam o estuque aparecem Sãoparágrafos principais.contagens tabelade valoreslaboratoriaisutilizadosna Inclui também uma sangue. crobiologia. O ApêndiceB inclui uma introduçãoà terminologiamédicae uma das relaçáo èpônimos.

Elosestõoem negrito no fexto e esÌõo definidos no Glossório. Boxeadores.&* ffi#?#ffieruYã por livroiró conduzi-lo um coniunÌo estruiuros Anotomio do Fisiolooio serhumqno. Contudo. l. sangüíneose conseqüente henorragia.oït".. e e Coricqturos coloridos tornommois próximosde vocêo Anqtomioe o Fisiologio. clorezoe discernimento..sEnquonto Você Envelhece conlém descrições sobre comoo Anotomioo Fisiologio humonos e sõo ofetodos pelo processo de envelhecimento.. estruturo o o e funçõodq Anotomio dq Fisioloe gio. Definir as duas divisõ€s do sistema neÍvoso.(. . Íreqüentemenfe ilustrodos.. esse oprendizodo'ogrodóvel e odoece rozõode olteroçóes corocterísticos especiois: divertido.LJm(nr(.n u.. r ."'r unygplqç4 clq. despertom seuinleresse inusitodos com relocionodos conhecimenlos o Anotomio Físiologio. l ()b1.ei oté o desdeo moissimples o moiscoÀplexo. O número de neurônioscomeçaa diminuir por voÌta dos 30 anos de idade.'e. e d 3... Poro'tornor humono em dessos estruturos. uma lesão na cabeça pode causar hemorragia. . Ilustrqções originqis e coloridqs ouxiliom-no compreeno der os conceitos. v. ." quondoo s. de do do Este e Vocêtombémiró oprender que o. | | codo copítulopropõem os metosque você deve fer em menteenquonto lê o texto. C o m p a r a a e s t r u t u r a a s Í u n ç o e s o s i s l e m an e r v o s o .o número perdido é somente uma pequenaporcentagem número do . Descrever as três funções gerais do sistemâ nervoso. . O que se enlendepor codgulosongüíneo : no cérebro? Ernbora o cérebro seja bem protegido. Como a cabcça .por exemplo.destocqmos seguintes os 'As polovros-chqve obrem codo copítulo.' t .( mn\c h'u. . são constantemente golpeados na cabeça. com humor. 2. no Os Obierivos de estudo início de e As coixosVocê sobio?.

itrilobilidode e movimentos descoordenodos. l. As questões Revise Seus Conhecimende los seencontrom finolde codocopítulo. Qualé a diferença entre neuróglia neurônio? e Citeas funçõesdos astrócitose das célulasdo eDêndima. Í.. perdo do copocidode poro se conc€ntoÍ.::r'i:":'i. l..RESU|iÃINDO! O SNC.' A inge$ôo crôni€o e excessivo de ólcool couso donos irevêrsívêls oo s siemo nervoso O resuliodo é umõ derêrioÍoçõo mêniõ. especio menie dos obos iesÍ''. Sistemo Nervoso: Visõo Gerol A. O sislemonervosocentrol (SNC) inclui o e n c é f o l oe o m e d u l oe s o i n o l . Como o sistemanervoso central é diferentedo sistemanervoso periférico? 2. no ^âpêndices *Microbiologio Bósico *ïerminologio Médicoe Epônimos *Volores Loborotoriois . . interpretóìo e copqcìtor o corpo o responderò inÍormoçõo.fitaxa. A síndrome de Wernicke Korsokoff ê um iioo dê encêÍoloootio relocionodo oo ólcoo .ool Doenço dê Alzheimer :ntêitÕrÕ:rrrr.*eàâre Neurctoxi. perdo da memórÌo. de Utilize-o poro reverseusconhecimentos se e prepororporo qs provos. s AlÍeroções do. com *RESUMINDO!oo longo e'Osporógrofos de codocopítulo ouxiliom olunoo exomio nor e revisorropidomenie conceitosos chove.i. sõotobelos fisiopotologio de relocionodos sisquedescrevem olteroções os o temos do orgônicos específicos corpohumono. (^ifCTH) Hormônio adrenocorticotróflco Um hormônio secretadopelo lobo anterior da glânduìahipófise. executa brilhantemente as funções de condução. Ele coordena eficientemente os diversos sistemasorgânicosdo corpo. c O Resumo no finolde codo copítulo serve comoumo ferramento estudo. Fibra adrenérgica Uma fibra que secreta norepinefrinano terminal do axônio.tno A funçõo do sistemqnervosoé conduzir informoçõo oo sìstemonervosocentrol. Glose úrío Adrenalina Ver epinefrina.fibras pós-ganglionares sistemanervoso simpádo tico são fibras adrenérgicas.especialmente o cortisol. Evldêncios sugefem ohofio encefóllco.. estimula o córtex da adrenal a secretar esteróides.idode pelo induzido ól. É umo doenço degenerotivo do encéÍo o que ocorre gerolmenle em pessoos idosos Esso doenço é coroclerizodo pelo perdo progressivo do memório e preiuizo do Íuiçôo lnlêlectuol. Divisões do Sisfemo Nervoso ì .especialmenteo encéfalo.

.

Janice M.da DuckwallProductionr. EdS.Oklahoma.NewJersey. Julia C. O'Neil. RN. NortheastTexas Texas. BSN. Patricia Laing-Arie. Indiana. MS.Bridgeton.publicar e comercializar novo livro de Anatomia e Fium competentes. MS. MS. RN. RN. MS. . deramum importante toque final de arte. Lima. Apollo CareerCenter. RN. MSEd. RN. bom humor. Marion Elizabeth School. BSN. RN. Nassau Jackson. Casey.Divisão de Genética de The University of Utú. RN. RN. MSN. SallyJ. Georgia. RN'C. BS. ilustrar. Conselheira Genética.Sumiton. Annette Ferran. RN. Monica G.Houma.California. niry College. Stilling.Pennsylvania. RN.M. Speakman. Caitlin Duckwall. Ashland. mi Valley. RN. Ruth A. Indiana County Area Vocational-Technical School.Stillwater.ex-EditoraSêniorde Livros de Editorial Sênior. Adrienne Bowlus.'l7estbury.Designery o PeteFaber. deslanchou projeto. Apollo Schoolof P"ractical Nursiri . Monúan. Utah. Além desses. BSN.Justine Ann Coppinger.Mary Snipes Armstead.Kentucky. Chattanooga Tennessee. Louisiana.Donna N. Blickos Leek.Reynoldsville. Dent. BSN.Mt. Simi ValleyAdult School.e Marie Thomas.Lois Harrion. MS. Editora de Livros de Enfermagem.Chattanooga. Saunders. CGC. Editora Sênior de Desenvolvimento. New Mississippi. PHN. BSN.Editora de Reprodução.Bartonsville.Tülsa. . Kathleen Dolin.Agrodecimertúos Escrever. MSN.Glendora. paciência. KentuckyTechnicalInstitute. Enfermagem. CoastalGeorgiaCommunity College. Meridian Têchnology Center. Monroe County Area Vocational-Technical Delores L.C. ilustrações. Ohio. Citrus College.Carolyn Morrison MaÉee. Rob.BSN. Hinds Community College. BSN. vaNós gostaríamos agradecer diversos aos revisores colaboraram que com suas de Commu.editar. \íaterbury Connecticut. DeCarlo. sinceridade pressar gratidão por suasimpatia. Kaynor RegionalVocation-GchniState cal School. RN. Kilgallon. gional Education Center.C. MS. RN. BSN. MSN. Mississippi. MAEd. Rita Hejtmanek. pus. Gerentede ProduçãoSênior. Ohio. de a gostaríamos agradecer Ilze Rader. RN. Hampton. CumberlandCounryTechnicalEducationCenter. RN. MEd.Assistente este que que forneceuum apoio extraordinário.MEd. Donna Leach Kane. Virginia.California. RN. Debrâ Osnowitz. . em pelo seugrandeesforço estelivro atéa conclusão.Lima. \Vayne. BS. New Horizons Relege.New Jersey. MA. RN.Editora de Desenvolvimento. pelo seu exextraordinárioesforçona coordenação. Robin Levin Richman. RN.Phyllis S. Pennsylvania. Bevill StateCommunity College. Ashland CamTechnicalCollege.MSN. Kaúleen G. criadas com o auxíliode seuesposo. \LF. York. Reiúa Cabaniss. Terri \íood.Cynthia D. MSN. Comiskey. L. Hinds CommuSchool. TechnicalCommunity College. ao da especialmente para: . Louisiana South LouisianaCampus. Reprodutiva. RN. Jefferson County Vocation-Technical Pennsylvania. Nossos agrasiologia envolveu esforços os combinados diversas de pessoas decimentos pessoal \(8.Jackson. BOCES.BSN. pèl"r marauiÍhosas 'Suascaricaturas.Brunswick. RN. Pleasant. ' Jonel Sofian. suaediçãoe estímulo. Garner. BSN. Passaic Counry TechnicalInstitute. Roddy.Valerie I. MS. por . Não existempalavras que possam e nossa persistência. Alabama. Anne M. acompanhar .SiCenter.niryColliosas sugestóes: Cynthia Amerson. RN. Howard. Salt Lake City. TulsaTechnology Oklahoma.

Kiska H.Em último.Maryland. porém de não menor importância. NorthwestTechnicalInstitute.Amarillo. IvYGchnical StateCollege. Barbara Herlihy Nancy Maebiusagradece seusamigos. Donna Albee... RN."Vocêterminou o seu livro?" Sim! E muito obrigada. Mary Ellen Proscia Peggy e Richardson. de com quem eu aprendimuito. SanAntonio.estudantes colegas The Health Instia e do tute of SanAntonio. Os estudantes Enfermagem. me proporcionaram muita inspiração numerosas e idéiasque foram incluídasno texro. Texas. BSN. RN.iniciava toda conyersa telefônica com "Ele estápronto?" Obrigadaà Dra.Barbara G"yl" Talik.Collette Moreno. como meusamigos. DonnaWelty Stoner. RN.pelas centenas horasque esterre de sentada perto do computadorenquantoeu digitava. Indiana. Springdale. BarbaraHedihy agradece seus a estudantes amigosda Universityof the Incarnare e \íord. MSN.que. Obrigadaa todos os meusamigosque sesentavam redor da piscinaem Harao mony Hills e me diziam: "Depressa. Amarillo College. SusanHall pelaleitura dasprovase pelo encorajamento. Obrigadaa meusfilhos Jõey e Kellie e à minha irmã.Lea Ann Loftis. Texas. RN.AgradeçoaJerry Herlihy pela digitaçãodastabelase por agüentar mesas as cheias papéise assalas de lotadasde livros. os amigose colegas que contribuíram com o seuestímulo:Bev Halter. ANB TexasCareers.Beryl Pixley. NancvK. BSN.Greencastle. Maebius \ . Kiska Varela. paraque nós possamos divertirl" Obrigadaaos nos meuscompanheiros raqueteno ginásiode Incarnate\7ord pelashorasde exercícios de e diversão. Durante três anoselesperguntaramsemprea mesmacoisa. MEd.e Loretta Lucillelüíhite. Baltimore.xii r Agrodecimentos RN'C JohnstonSchoolof Practical Nursing. Varela. Não possodizero suficientesobreexercício saúde e mental.Pretzyl.muito obrigadaà minha pequenaamigapeluda. Jean. Michael Pleuger. MSN. Arkansas.

apËruprcr vALoREs c rABoRAToRrArs 53r íNarcr Rru. BAsrcA .ssryo 53s .apÉNolcr TERMrNoLoorR r rpôNnaoss27 s ruÉorcl .Sumúrio Resumido t TNTRODUçAO AOESTUDO CORPO DO HUMANO 2 2 0uírtttcA BAstcA t 8 g cÉruns 34 4 5 6 METABOLISMO CELUIAR 54 TECIDOSMEMBRANAS 74 E TEGUMENTO COMUMETEMPERATUR. ELETRorhco 436 EAcrDo-BASrco 22 SISTEMA GENITAL 450 23 DESENVOLVIMENTO HUMANO HEREDITARIEDADE E 474 orossÁno A97 npÊNorcr MrcRoBroLoGrA 5r9 l.A CORPOREA 92 z srsrEMA rsourÉrcoEARTtcutAR t og 8 9 MUSCUIARI38 SISTEMA SISTEMA NERVOSO: TECIDO T TNCÉTRTO162 NERVOSO TO SISTEMA MEDULA ESPINAL ENERVOS PTruTÉRICOS I88 NERVOSO: ' ' ORGAOS SENTIDOS DOS 212 lz oúNourAs ENDocRTNAS 236 13 SANGUE 262 le conaçÃo 2s2 rs vAsos snNoüÍNros EcrRcunçÃo 302 ró srsTEMA uNrÁrco 332 T7 SISTEMA IMUNE 342 18 SISTEMA RESPIRATORIO 3óO 19 srsTEMA olcrsrónro 3gó 20 S]STEMA URINARIO 418 z l eourrígRro HÍonrco.

.

Covidode Ventrol 14 *14fffiã' I q4 UMACÉLUÁTÍPICA 36 Membrono Celulor 37 O Interior Célulq 37 dq No Superfície Membrono do Celulor 41 MOVIMENTO ATRAVÉS MEMBRANA DA CELUIÁRÁ1 Meconismos Tronsporte de Possivo43 Meconismos Tronsporte Ativo 47 de DIVISÃO CELULAR 48 lntérfose 49 Prófose.Sumúrio l)etalhado . A Produçõo Glicose 59 *ff#ffi.. Anófose Telófqse49 e DTFERENCTAçÃOCrtUUqn 50 oRGAN|ZAçÃO.-@ ffiüúffi ^!---.tì r GIUIMICA L:r BASICA | 8 -ï'-'"'tt'" MATÉRIA. SOLUçÕES ESUSPENSÕES 3l .. ALTERAçÃOMORTE 50 E . Metófose.*'ffi#rü .Wh *:#gn tNTRoDuçÃo EsruDoDo lo #õ CORPO HUMANO 2 ANATOMIA FISIOLOGIA: E O QUESÃO 4 dfidffimtu Tronsferêncio de Energio: Popel Adenosinq O do Trifosfoto30 MTSTURAS. Pontes Hidrogênio 24 (GoRDURAS) LrPrDtos ó0 loNS 24 Cótions.esdilú$. ELEMENToS EÁToMoS 20 Motério 20 Elementos 20 Ábrot 20 LGAçÕES OUíM|CAS 22 Ligoções lônicqs 22 Ligoções Covolentes 23 de .As onoÂNrcos 5 Definições: Órgõos Tornondo-se Sistemos Orgônicos 5 Mois Definições: Principois Sistemos Orgônicos 7 HOMEOSTASE: "PERMANECER IGUAL" 7 TERMOS INITÔUICOS: FALANDOSOBRE CORPO O HUMANO IO Posiçõo Anqtômico 10 'l Posições Relotivos 0 Plqnos Secções CorpoHumono I 1 e do Termos Regionois I I CAVIDADES CORPO 14 DO Covidode Dorsol 14 .#"" METABOUSMO CETUTAR 54 METABOLISMO: ANABOLISMO E CATABOLISMO 56 CARBOIDRATOS5Z Monossocorídeos 57 Dissocorideos58 Polissocorídeos 58 Utilizoçõo Glicose 58 do de . Ânionse Eletrólitos 24 Formoçõo Íons 24 de lonizoçõo 25 MOLÉCULAS COMPOSTOS 25 E Moléculos 25 Compostos 25 AlgunsCompostos Moléculqs e lmportontes 26 REAçOES QUTMTCAS27 ACIDOSE BASES 27 Ácidos 27 Boses 28 Neutrolizoçõo Acidose Boses 28 de Medido:A Escolo pH 28 de ENERGIA 29 Formos Energio 30 de Conversõo Energio 30 de Utilizoçõo Lipídios ó0 dos Metobolismo Lipídios ó1 dos PROTEINAS 62 Aminoócidos 62 Utilizoçõo Proteínos 62 dos TNFORMAçÃO GENFilCA E SíNTESE PROTEíNAS ó4 DE Hereditoriedode 64 DNA: O Proietodo Vido 64 "& r'crDosEMEMBRANA' 74 TECIDO EPITELIAL 76 Epitélio Simples78 Epitélio Estrqtificodo 78 Epitélio Glondulqr 79 TECIDO CONJUNTIVO 80 Tecido Coniuntivo Frouxo 80 . * .g fFl 'ruffififfi" ilt Âq os NÍvrsor onclNrzlÇÃo DOCORPO HUMANO 4 E onoÃos srsTEM.

xvi .|50 Origeme Inserçõo AçõoMusculor 151 AOS PÉS 154 DA MUSCULOS CABEÇA do Músculos Cobeço 154 .|55 do Músculos Pescoço do Músculos Tronco 155 do Músculos Ombro e do Broço l5ó o que Músculos Movimentom Antebroço 157 o que Músculos Movimentom Mõo e os Dedos 157 o que Músculos Movimentom Coxo. e o Perno o Pé 157 Denso 82 Fibroso Coniuntivo Tecido Reticulor83 Coniuntivo Tecido Cortilogem83 Osso 84 Songue 84 NERVOSO84 TECIDO MUSCUIÁR84 TEC|DO 84 Esquelético Estriodo Músculo Liso 84 Músculo Cordíoco 8ó Estriqdo Músculo 8ó TECIDUAL REPARO 87 MEMBRANAS dos Clossificoçõo Membronqs87 87 MembrqnosEpiteliois ia. Musculor 148 Tônus Musculqr 148 poro o Controçõo Fonte Energio de Musculor 148 o Movimento Descrevendo Acimo e Aboixo do Normql 148 UsodosMúsculos ESAUELÉÏCOS 149 OS CLASSTFICANDO tvtÚSCUtOS Tomonho 149 Formo 149 dos Fibros 149 Direçõo Locolizoçõo 1Á9 Númerode Origens 149 . "' t -. Sumório Detolhodo COMO UM TODO 141 DO ESTRUTURA MUSCULO MUSCUIAR E FUNçÃO DEUMA FIBRA ESTRUTURA lsoLADA 141 SE COMOOSMÚSCULOS CONTRAEM I43 do O e Controçõo Reloxomento: Popel Cólcio edoATP 143 e Nervos 143 Esqueléticos Músculos COMO UM TODO 146 DO RESPOSTAS MUSCULO o Tudo-Ou-Nod 146 PorciolVersus Resposto e Somoçõo Tetonio 147 Controçõo.- O E coMutì4 TEcUMENTo TEMPERATURACORPOREA 92 DA PELE94 ESTRUTURAS do Comodos Pele 94 Cordo Pele 96 DA ACESSORIAS PELE97 ESTRUTURAS Pêlos 97 Unhos 99 Glôndulos100 DA FUNÇÕES PELE lOO Corpóreo 101 do Reguloçõo Temperoturo é o Quondo Pele Queimodq 102 com Sobre UmLembrete osCuidodos o Pele 104 ESQUELETICO SISTEMA E ARTICULAR I08 DOS E DrsPosrçÃoFUNçÕES OSSOS110 O Esquelético: Que EleFoz 1 10 O Sistemo e Tomqnhos Formos 1 10 de Ossos Diversos E FORMAçÃOOSSEA 11O OSSEO TECIDO e OssoCompocto OssoEsPonioso 1 l0 OssoLongo 112 Ossificoçõo I 13 Ósseo 114 Crescimenb ESAUELÉÏCO 117 DMSÕESDO SISTEMA Axiol 117 Esqueleto 125 EsqueletoApendiculor ARTICUIAÇOESI30 130 Articuloçõeslmóveis 'l Semimóveis 30 Articuloções ArticuloçõesMóveis 130 Articulores 133 Dores 'l Articulores 33 Tiposde MovimenÌos NERVO$O:TECIDO S|STEMA NERVOSOE ENCEFALO 162 E FUNçAO 164 ESTRUTURA NERVOSO: O SISTEMA Nervoso 164 do Divisões Sistemo Nervoso 164 do Funções Sistemo AUE COMPÕEM CÉLULAS NERVOSO 164 O SISTEMA Neuróglio 164 Neurônio 166 Cinzento I ó8 e Bronco Substôncio Substôncio INFORMAçÃO 1ó8 CONDUZINDO o NEURONIO O Nervoso: Que é lsso? I ó8 lmpulso O Nervoso: Que O Origino? 169 lmpulso O Nervoso: Que Deïermino lmpulso o Suo Propogoçõo 171 E FUNçÃO 174 ESTFiUTÚRA ENcÉFALO: Cérebro 174 Diencéfolo 179 EnceÍolico 179 Tronco Cerebelo 180 do os que Estruturos Atrovessom Divisões Cérebro 180 Centrol 181 Nervoso o Protegendo Sistemo DOSMÚSCULOS 140 E TIPOS FUNçÕES Esquelético 140 Estriodo Músculo Liso 141 Músculo Cordíoco 141 Músculo ffi ta8 MUscuLAR slsrEMA .

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel EnÍermo . e xvi: SISTEMA NERVOSO: MEDUTA ESPINAI E NERVOS PERIFÉRrcOS 88 | O QUEEA MEDULA ESPINAL?I90 CinzoInternomente.Ë. t â rt'\r ^üll'r &*w coRAcÃo .t 4 . Bronco Externomente190 NervosEspinois Conectodos MeduloEspinol 193 ò AS FUNÇOES MEDUIÁESPINAL I93 DA O Que Sõoos Reflexos 194 O Arco Reflexo 195 SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO 197 O Que é Um Nervo? 197 ..if I 1. Circuitos Circuloções 304 e Vios Principois Cominhos e Secundórios: Nomeondo Vosos os Songüíneos 305 Poredes VososSongüíneos 30ó dos VososSongüíneos: Que Fozem? 30ó O Principois Artériosdo Circuloçõo Sistêmico 307 Principois Veiosdo Circuloçõo Sistêmico 310 l Circuloções Especíois 3l I . VASOSSANGÜÍNEOS 1q.-#=lF'+h .INAS 236 GúNDUIAS HoRMÔNIos238 E HORMÔNIOS 238 Clossificoçõo Hormônios 238 dos Alvos 238 Receptores Hormonois 238 Controle Secreçõo do Hormonol 241 A HIPOFISE 242 A Hipófise o Hipotólomo 242 e Adenohipófise 243 Neurohipófise 247 GIANDUIATIREOIDE 247 FolículoTireoideono248 O Que Fozem Hormônios os Tireoideonos 249 GúNDUIAS PARATIREoIDES 25o ESTRUTURA CORAçÃO 284 DO Tomonho Locolizoçõo 284 e Comodosdo Coroçõoe de Revestimento 28Á UmoBomboDuploe DuosCirculoções 286 As CômorosCordíocose os GrondesVosos 286 As Volvosdo Coroçõo 288 Os SonsCordíocos 290 Fluxo Songüíneo Atrovés Coroçõo 291 do Suprimento Songüíneo poro o Miocórdio 291 FUNçOESDO CORAçAO 293 Complexo Estimulonte Coroçõo 293 do O Cosodo Morcoposso Vioionte 294 Eletrocordiogromo295 CicloCordíqco 296 DébitoCordíoco 296 GúNDUIAs SUPRA-RENAIs 251 Medulqdo Supro-renol 251 ^ Córiexdo Supro-renol 252 PANCREAS 254 Insulino 254 Glucogon 256 ^ GONADAS 256 Ovórios 256 Testículos 256 T|MO 257 GIANDUIA PINEAL 257 ..** E C|RCUIAçÃO 3O2 ESTRUTURA SISTEMA DO CIRCULATORIO304 Ciclos.l98 Clossificondo Sistemo o Nervoso Periférico OUTROS HORMÔNOS 257 Hormônios Associodos o Sistemos Oroônicos Específicos 257 Prostoglondinos 257 Hormônio EstimulonteMelonino 257 do ffisANe* 262 O QUEO SANGUE FAZ 264 coMPosrçÃo SANGUE Do 264 Origemdos Célulos Songüíneos 265 Depressõo MeduloOsseo 2ó5 do (Contogem Hemogromo Completo Completo do Songue) 272 HEMOSTASIA: PREVENçÃO DE PERDA SANGÜíNEA 272 Esposmo VosoSongüíneo 273 do Formoçõo ïompõode Ploquetos 273 do CooguloçõoSongüíneo274 TIPOS SANGUINEOS 276 Antígenos TiposSongüíneos 276 e Anticorpos Tipos e Songüíneos 276 InteroçõoAntigeno-onticorpo 276 Compotibílidode Incompoiibilidode Tipos e dos Songúineos 276 Sistemo Clossificocõo 278 de Rh .:::_.'82 ':ã€F' ..oRcÃos sENnDos2rz Dos RECEPTORES E SENSIBILIDADE 214 Célulos Detectom que Estímulos 214 O Que é Sensoçõo 214 Experimentondo Sensoçõo 214 umo OS SENTIDOS GERAIS 216 Dor 216 Totoe Pressõo 217 Temperoturo 218 Propriocepçõo 218 OS SENTIDOS ESPECIAIS218 Sentido Olfoto:O Noriz 219 do Sentido Gustoçõo: Línguo 219 do A Sentido Visõo:O Olho 220 do Sentido Audicõo:A Orelho 228 do Sentido Equilíbrio: Orelho 232 do A ::.Z GIANDUIAS ENDOCR.

CqrboidroÌos 409 Proteínos AO9 Gorduros(LiPídios)4Og Vitominqs 4O9 Minerois 410 Soúdee DietoBolonceodo 411 EnergioCorPóreo Á11 344 IMUNE oo cüËirrrcnçÃo slsTEMA 344 lmunidodelnesPecíÍico 3A7 lmunidodeEsPecífico DE TIPOS IMUNIDADE 353 Genêtico 353 lmunidode lmunidodeAdquirido 354 IMUNES 355 RESPOSTAS OUTRAS ' Alérgicos 355 Reoções AuÌo-imune 35ó Doenço de Reieiçõo Órgõos 357 *-lF. ffi stsÏEtúAuRlNARlo 418 ':=#FË qffitr dos Locolizoçõo Rins 420 do Esïruturo Rim 421 422 Poro iuori."''t""" a" LinfoAÌrovésdos 33ó ORGÃOSLINFATICOS LinÍonodos 338 Tonsilos 338 Timo 339 Boço 339 408 DlGEsToRlo slsTEMA uNr-rïóôo BAslcos409 coNcElTos Nuìnlçno.xviii t Sumório DeÌolhodo Estômogo 393 Delgodo 397 IntesÌino Grosso 398 lnÌestino 31ó CIRCULATORIO DO FUNçÕES SISTEMA 31ó SongÜíneo Pressõo 322 Fluxo OlrniUuitaoão SongÜíneo 323 Pulso CoPilor 324 Troco L -.-l-info:OQueéedeOndeVem 33^ \lososLinlóticos 335 VososLinfóticos fU.o CorPorois438 dosFluidos è. LlNrÀnco 332 srsïEí|rA 334 o ssftmnLlNFATlCO .lADlctsïÓruÔ 388 DIGESTORIO DO VMO GERAL SISTEMA Digestório 388 . 38ô srsïEl."nto SongÜíneo o Rim dos Funções Rins 422 DE coNinórr HoRMoNALAGUA 425 E ELETROLITOS Aldosterono 425 HormônioAntidiuréÌico 426 FoïorAtriol Notriurâico 426 426 HormônioPqrotireóideo srsïËiilAnEsplRAïÕR|o3ó0 Do oRcÃos slsrEMA rsïilÜrunR: 362 RESPIRATORIO Nosol 362 e Covidode Nqriz 362 Foringe Loringe 3ó5 Troquéio 367 : ÂruoruBrônquicoBrônquios' e Bronquíolos Alvéolos 3ó8 Pulmões 3ó8 Pleuro 3ó9 372 FUNÇÃORESPIRATORIA 'do ResPiroçõo 372 ^-Á t e. slsïEmA u..'i. EtoPos 3/ / dos e Volume Copocidode Pulmões Controledo ResPiroçõo 379 Comuns e Vorioções Anormolidodes nosResPiroções381 Á27 DAURINA coMPOSlçÃo 427 FALHAM OS OUANDO RINS uRlNÂRlo: üÃs oo slsTEMA 430 ESTRUTURAEFUNçÃo y'30 Ureteres Urinório 430 Bexigo Micçõo 432 Uretro 432 EtEÏRotiÏlco HiDRlco. EOUILiBRIQ 43ó ÉÂcroo-sAslco 438 DO DOS DrsTRlBulçÃo FLUIDOS CORPO ... ^ 401 DlGEsToRlo Do ÁNEXos slsTEMA onóÀós Fiqodo 401 Váículo Bilior 404 Pôncreos 4OA Digestorio Ouondo os Órgõos Anexosdo Sistemo 4O4 NõoFuncionom-Direiïo E DIGESTÃO ABSORçÃO 406 que e õorboidrotos Enzimos Quebrom os Corboidrotos 40ó Que Quebromos Proteínos 407 e Proieínos Enzimos Que Quebrqmos Lipídios 4o7 e Enzimos ilil.do Cqmodqs TroÌo Peritoneois)390 p"rltánio(Membronqs Boco 390 Foringe 392 Esôfogo 392 .à. H|DRICO439 EOUIL|BRIO de Inqestõo Aguo 439 Eireçao deAguo 440 440 ELETROLiTICO EOUIL|BRIO 440 RóPido Referênciq ionsMoislmPorÌonles4A1 4Á2 EOUILIBRIOACIDO-BASICO de Comportimenïos Fluidos 438.tuNE 342 nËryHF- -"€E-c+ e nrouinçÃo rxcnrÇÃo420 nrús.

É Menino:Comoo Sexodo Crionçoé Determinodo 493 Doenços Congênitos Hereditórios 494 e d u. Genese Cromossomos 49O É Menino. Emissõo.octoçõo 488 do ALTERAçÕES POS-NATAIS ESTÂGOS E DEDESENVOLVIMENTO488 Aiusteslmediotos 488 Desenvolvimento Duronteo Vido 4gO HEREDITARIEDADE 490 DNA.rrrÍü oEN*Ar e'o SISTEMAGENITALMASCULINO 452 Testículos 452 Vios Condutoros Gometo 455 de s Glôndulos Anexos 455 Sêmen 456 GenitoisExternos 456 Reoçõo Sexuol Mosculino: Ereçõo. Eioculoçõo Orgosmo 456 e Hormônios Sexuois Mosculinos 456 SISTEMA GENITAL FEMININO 458 Ovórios 458 TrotoGenitol 460 Orgõos GenitoisExternos 4ó2 Reoçõo Sexuol Feminino 463 ControleHormonoldos CiclosReprodutivos 463 _ DoisCiclosReprodutivos 4ó3 METODOS CONTROLE NATALIDADE 467 DE DE Métodosde Controledq Notolidode Com Borreiros 467 ControceptivosHormonois 4ó8 MétodosCirúrgicosde Conirolede Notqlidode 469 Dispositivos Intro-uterinos 468 MétodosComporiomentois Controle de de Notolidode 468 RU-48ó 468 Escolhos ControÍe Notolidode 468 do de GrossÁRro {lç7 ArÊNDrcE ffit€ROFtsrSG|À Àl BASICA 5Iç ÁPÊNDrcG BrïER*uNoLGiA rçÊorce r ËpoHrütos 527 APÊHDrcE VALORüS €.AnoÌomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel EnÍermo r xix e Referêncio Rópido 442 DeOnde Vemo Acido (H*) 442 Comoo Orgonismo Regulo pH 442 o DesequilibriosAcido-Bósicos 444 ComoOcorre o Fertilizoçõo 476 DESENVOLVIMENTO PRÉ-NATAL476 Período Embrionório Iniciol 477 PeríodoEmbrionório478 PeríodoFetol 482 ALTERAÇÕES HORMONAISDUMNTE A GRAVIDEZ 485 GonodotrofinoCoriônicoHumono485 Estrógeno Progesterono 485 e ALTERAçOES CORPODA MULHER NO DURANTE GRAVIDEZ 485 A O NASCIMENTO 486 Trobolhode Porto 486 MAMAS E TACTAçÃO 488 Estruturo Momq:As Glôndulos dq Momórios 4gB Hormônios L. IÁBORATORIAIS537 UESE NVOLYIfrTËHTO HUftTÂNO E HËNTDMAHEDITDË 474 FERTTL|ZAçAO 476 Quondo Ocorre Fertilizoçõo o 476 OndeOcorre Fertilizoçõo47ó o inprcr nrffilsslvo sgs .

.

Anatomiae Fisiologia do Corpo Humano Saudávele Enfermo

lNrRoDUçÃO
DO AO ESTUDO HU ANO CORPO
O bjetivos
l. Definir os termos r4zatomia e Fisiologia. 2. Listar os níveis de organizaçáo corpo humano. do orgânicos. os 3. Descrever onzeprincipaissistemas 4. Explicar o termo homeostase. 5. Definir o termo posiçãoanatômica. as 6. Explicar os termos comuns utilizados para descrever posiçóesrelativasdo corpo humano. do 7. Descreveros três principais planos de secção corpo humano. 8. Listar os termos anatômicospara as regióesdo corpo humano. do 9. Descreveras principais cavidades corpo humano.

3

Note essaprogressão . respostaspara essas Por que este túmulo estó sendo violodo e por ciue o lodrõo meleu'se em umo ironãe complicoçõo? do A dissecação corpo humano durante o período medieval náo era permitida nem pela igreja e nem pelo Estado.r.orrr. po. Ela descreve.Esserapaz ìeã . Quando você eliamina a anatomia de uma parte do corpo.. ou as suasfunções' A fio .A punição pâra quem era p€ssoas vam p. fãrmas de tratamento. Por exemplo. como Iisiologia é o ramo da ciência que clescreve funciona..a única maneiraque os antigosanatomistas tinham de conseguir corpos humanos Para dissecar contratâmedievais era roubando túmulos.r.r'.ss"s paites funcionam q. do . . Pergunta a si mesmo como sua estruiura rel"ciona-t.ttençáoas é a prrt. 1-l). ciência anatômica originou-se das feitas pelos cientistas enquanto dissecaobservaçóes vam o corpo numano. Dessoa cardiaco. O coraçáo bombeia o sanguee a .u não tenho um?" A medida que funcionà? Por que lrá.cuidados portanto uo.ttt. ter um profundo conhepossíveis.Assim. Os cientistas para essatarefa. quando o coraà.niure em uma árvore. você não poderá entender as doenças e os distúrbios aPres€ntaão.como ele ftrnciona. a estrutura da mão está relacionada à função de segurar um obieto (Fie. not deixa doentes..por exemplo. seuspacientese nem compreender as bases d". Se voiê não adquirir um bom conhecimento da Anatomia e Fisiologia normais.e . forre e flexível do macaco permite que ele s.deselho abail lf"-"t disso? "O que é isso? que eu Preclso-olï"t Como ele I'or xo: "O xo-: que tssoi Porque eu "."o organismo humano. como as terapias com drogas ou os Procedimentos cirúrgicos' Você quer fornecer aos seuspacientesos melhores.. A palavra a'ndtumiavem do grego e significa dissecar.t..rrirr. currículo profissional? Você precisa saber essasmatérias.como . por que ele não funciona' o q. èimento do corpo humano' A Anatomia e a Fisiologia estáointimamente relacionadas. Em todos os animais' a estrutura e a função caminham juntas' os NivElsDEORGANIZAçÃo DO CORPOHUMANO O corpo humano está organizado desde o muito o . àiu.uando a por exemplo' o que está doente. p.ãroo hrï-"rro siolofia descreve.è d. vivendo por aproximadamente 75 anos' Muitos de nós temoì curiósidade em relação ao nosso corpo .td" Anàtomia e Fisiologia. durante um ataque cão funciona precariamente ou não tunctona' Por aue o ãstudo da Anatomia e Fisiologia faz pat' t. à tú" funçáo. qual é o seu t"-"nho."úd" lott[". d" ciência que descreve conseqüências sir ão f.o. você aprenderá as questóes.ion"mento inadequado de partes do corpo humano .HUMANO DO AO I / 4 r COPíIUIO INTRODUçÃO ESTUDO CORPO .Ao estudaro corpo humano' vezesvocê se sentirá como no. como está organizado e onde se situa.étiot problemas seele for Pego' e pareceque será' ANATOMIA E FIS-IOLOGIA: O QUE SAO Anatomia é o ramo da ciência que estuda a estrutura (ou morfologia) do corpo humano' Assim' a Anatomia descrevéa forma do coração. a sua constituição.o-plexo.'como o coração atua comõ bomba e por que o bombeamento do sanguee da vida' A Fisiopatolop"r" essencial "'-"tt. do átomo microscópico ao simples "ié co-pl.eoioub"rrdo os túmulos enrâpidae\evera.r.rr".

Todos esses sistemasse unem para formar o corpo ou organismo humano. Nessas invasões.a excreçãoe a reprodução. Cadaórgáo possui uma função como a digestão.atravésde uma abertura no assoalhodo laboratório. o estômago e o rim.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e 5 Por que este fqmoso loborotório de qnqlomiq foi construido sobre um pequeno rio no ltôlio? Como a dissecação corposhumanos era ilegal na de Idade Média. os laboratóriosde anatomia eram rotineirament€ invadidos pela polícia. do simples ao complexo. .Órgõor Torntrndo-se Sistemos0rgônicos Um órgão é um grupo de tecidos arranjados para executar uma determinada função. Um sistema orgânico é um grupo de órgáos que se auxiliam mutuamente para de- FIGURA l-l r Estrutura efuncão:aestruturaeafuncão estão intimamente relacionadas. como por exemplo os tecidos do coração. que se organizam de tal maneira que ele possadesempenhar a sua função de bomba do sistema circulatório. Grupos especializados céde lulas formam os tecidos que então se arranjam em órgãos como o coração. constituem moléculasmaiores. Grupos de órgãos formam os sistemas ofgânicos. ónoÃosEsrsrEmAs oRcÂNrcos Definições. Finalmente as moléculas maiores estáo organizadas em células. a unidade básicada vida. Então. em uma barcaça que ficava no rio. na Figura 1-2. coros pos parcialmentedissecados eram colocados. o corpo (e a prova incriminadora) flutuavam para longe. Átomos formam moléculas que. o corpo humano estáconstituído desde o minúsculo átomo até o ser humano. por sua vez. Assim.

HUMANO DO AO 1/ ó r COPiIUIO INTRODUçÃO ESTUDO CORPO \N W r\.do átomo ao orgânlsmohumano' do FIGURA f -2 . Níveis de organizaçáo: simplesao .V p (u*^* \--) .'Q/ Moléculas complexo.{ tpÌ\) Ï.

O sistema esquelético e articular for-"ã estrurura básicado corpo humano e é constituído de ossos e articulações.a reprodução e o equilíbrio hídrico. O sistema muscular é composto por três tipos de músculos. do nível de açúcar no sangue. os gases respiratórios (oxigênio e dióxido de carbono) aúavessam uma delgada membrana. a temperatura do seu corpo é de aproximadamente37"C (98. Quando os mecanismoshomeosráticosnão funcio- . O sistema linfático consiste de linfonodos. O sistema neÍvoso é formado pelo encéfalo. O oxigênio penetra no sanguedos pulmões e é levado para as diversasestruturas do corpo. Os outros dois tipos musculares são encontrados nas paredesde determinados órgáose são responsáveis pelos seusmovimentos. O sistema genital é constituído por órgãos e estruturas que capacitam o organismo humano à reprodução. O sistema urinrírio é formado pelos rins e por outras estruturas que auxiliam na excreçãode produtos de metabolismo do corpo atravésda urina. e eliminar os resíduos da digestão. O corpo humano possui centenas dessesmecanismos.semelhante. do equilíbrio hídrico. Os nervos sensitivos recebem informaçóes do meio e as conduzem para a medula espinal e para o encéfalo. Essesistema orgânico. incluindo aquelespara o controle da temperatura. da pressãosangüínea e dos níveis de sódio no plasma. O dióxido de carbono passado sangue para os pulmóes e é eliminado para o extenor. leva oxigênio e outros nutrientes para as células do organismJ(você irá aprender sobre o sistemacirculatório no Capítulo i5).Assim como o coraçáoé um órgão que bombeia o sangue. os vasossangüíneos são órgáos que recebem o sangue do coração. distribuem-no atravésdo corpo e o rrazem de volta ao coração. pela medula espinal. três ou quatro litros de água por dia. vasos linfáticos. . Quando o seu corpo rcalizaa homeos.No interior dos pulmóes.6"F) mesmo que a temperatura ambiente se elevea 100"F ou diminua para 60"F. . O sistemaseà nital masculino produz espãrmatozóidese hornïônios e é formado por estruturas cuj. Fazem parte dessesistema o estômago. HOMEOSTASE: ''PER'VIANECER IGUA['' Homeostase significa literalmente "permanecer igual" (homea. . .Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e sempenhar uma função específica. O sistema genital feminino produz o óvúlo e os hormônios necessários gravidez. Por exemplo. O sistema respiratório é formado pelos pulmóes e por outras estruturas que conduzem o ar dos pulmões e para eles. rransformá-los em substânciasque possam ser absorvidas pelo organismo. pelos órgãos dos sentidos e pèlos nervos. Os músculos estriadosesqueléticoJ inse serem nos ossose são os responsáveispelos movimentos do esqueletoe pela manutenção da postura do corpo. as condiçóes internas do organismo permanecem as mesmas. estãseestável). O sistemategumentar executafunções importantes: ele forma o revestimento do corpo. é formado de pele e estruturas anexascomo os pêlos e as unhas. Ambos. 7 Mnis Definições: PrincipEis Sisfemas ()rgânicos Onze sistemasorgânicos principais constiruem o corpo humano. o coração e os vasossangüíneos. O termo refere-seà capacidade do corpo de manter o equilíbrio do meio interno em resposta às alteraçóós do meio externo. cada um desempenhando uma função específica. O sistema tegumentaÍ ou tegumento comum. Os mecanismos que auxiliam na manurenção da homeosrase sáo denominados mecanismos homeostáticos. os intesrinos e os óigãos anexos como o fígado e a vesícula biliar.as secreções são necessárias deposiçãodos espermatozóides sisà no tema senital feminino. O sistema circulatório é formado pelo coração e por vasossangüíneose é o responsávelpor bombear e transportar o sangueatravésdo corpo.a despeito das diversasmodificaçóes do_ exterior. tase. . O sistema digestório consiste de órgãos destinados a ingerir (comer) os alimentos. auxilia na regulaçãoda temperatura corpórea e contém algumas estruturas relacionadasà sensibilidadeeeral. . A quantidade de água no interior de suas células se mantém estável mesmo que você beba dois. O nível de açúcar do seu sangue permanece nos limites normais mesmo que você jante um peru ou jejue durante seis horas. O sistema urinário auilia no contqole da quantidade e composição da águae de outrassubsrânciasdo organismo. Homeostasesignifica que o corpo possui uma maneira de manter-se inalterado independentemente das alteraçõesocorridas nas condiçõesìxternas. linfa e órgãos linfoides como as tonsilas e o baço. como o crescimento. O sistema endócrino (glândulas endócrinas) consistede numerosasglândulas que secretamhormônios e substânciasquímicas que regulam as atividadesdo corpo. onde são interpretadas. .O sistemaesqueléticoprotege e fornece sustentaçãoaos órgãos. O sangue transporta nutrienres e oxigênio às células do corpo e também os produtos de metabolismo das m€smas para os órgãos de excreção. o sistema circulatório.Observe a Figura 1-3 e identifique a localizaçáoe a distribuição dos órgãos de cada sistema. . Essesistema desempenha uma função im- portante na defesado organismo contra microorganismos patogênicos e outras substânciasestranhas. As decisões tomadas no encéfalo e na medula espinal são rransmitidas ao longo dos nervos morores para as diversasestruturas do corpo. são necessários para o desempenho da função do sistema orgânico do qual fazem parte.

HUMANO DO g O (qPitUIO/ INTRODUçÃO ESTUDO CORPO AO I comum Tegumento e articular esquelético Sistema muscular Sistema nervoso Sistema FIGURA I'3 ' PrinciPais do sistemas corpohumano' circulatório Sistema endócrino Sistema (Glândulas endócrinas) l-- .

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono Soudóvel Enfermo o 9 e do Sistemalinfático Sistema dioestório resoiratório Sistema urinário Sistema genital Sistema FfGURA l'3 t ContìnuaÇão .

o. lestee oeste'-bnquanto estásituado .açáo'a positeresses das cão e as reeióËs partesdo corpo' Devido a utilizados ao longo deste freqüentemente il. soaria estranho localiza ao norte do tórax' que a cabeçase ã"t. parulocaliza. cursosmédicos e paramédicos)' com elesa partir de agora' Pessoas .ã pod. o.tt... dizer corretamenteque o Canadá se voce ro ïor. dos EstadosUnidos. voi.ê áeà sefamiliarizar que atuam em áreasmédicassão freqüentemente censufato' nós i"d^ ót falarem a sua própria linguagem' De termos como se o o fazemos!Sempre utilizamos esses .o-^" faéevoltada para a Frente' ... A.ras partes do corpo humano' Os termos normalmente lizamos outra termlnologia' cada par sáo descritosaos parese"osdois termos de são oPostos' normaÌmente FIGURA l'4 I Posiçáo anatômica' .. t.ìtirresseem posiçãoanatômica' .todô..".. rão . doença.o-o ãqt"ltt aos quais estamosfamiàe direçáo voliarizadoscomo norte' sul. o corPo humano membros para os . utlAssim." distúrbios' a il"ostático estáasiociado diversos Posiçõo Anqtômittr estáereNa posição anatômica.t dedos dos pés e a palma das mãos dire.orpo h.otpô .HUMANO DO CORPO AO UIO I O T COPit 1 / INTRODUçÃO ESTUDO disfunpodeserum-a o nam corretamente' resultado o desequilíbriohoPortanto.t ffit cionadospara a frente (Fig' 1-a)' FATANDO ANATÕMIÇOs: TERMOS HUMANO O ÉOBRE CORFO Termos específicosdescrevem alocaliz.t*..r-*o Posiçõer RelEtivos de uma Termos específicosdescrevem a posição os termos são parte do .t ..relaçãoa outra' Esses .

Plano sagital (Fig.relaçãoàs orèlhasl.ro .. posterior sígnifica voka_ do para trás ou para a face dorsal. Assim.s.rü linha.{nrerior e posrerior.do."ao ïurmEr RegÍonaie Existem termos específicos para descreveras d.. idenrifique as seguinres logo abaixo das costelas I N.n.dor.: O termo raiz normalmenre se aplica para a re_ gião dos membros (superiorese inferiores) áu. (".um órgão. Cada plano divide o corpo humanò atravésde uma ü"t. o co_ raSo. o cor_ Se f. a cabeçaé superioi ao tórax.termo . Lateral significa estar afastado da linha mediana. o punho é distal. a linha I"". cletermrnando a frente e o dorso do corpo. Essaé a linha mediana do corpo. "o . _ Em outras-palâvras. imagine apryedorsal do tubarão que pode ser vista movimentando_serapidamente e sem nenhum esforçoem direção à sua prancha de surfe! . . Como o cotovelo situa_se mais próximo do rronco do que o punho.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e . o.relação de a Flqnog e Serçôer do Ëorpo Humqno Quando nos referimos ao lado esquerdo do corpo.ifi.. ele é descrito como.-llStnartl clesse plano se inicia na parre da cabeça onoe geralmente repousaa margem de uma coroa. rR.rmo do rronco do que os dedos.oipo . O plano trãnsversal divide o corpo humano de maneira horizontal. as meradesdireita e esquerdasão iguais. esie último rermo com a nadadeiradoisal ou.proximal .: O termo mediano se aplica para estrururas situadas nessalinha. é lr-" .a). .ano re e reatlzadoexatarnentena linha mediana do corpo. . Os olhos são mediais em. ou seJa..ál) .nrro. O termo diìtat srgnrtrca que uma parte do corpo estámais afastada clo rronco ou da sua raiz."periférico significa estar afastadodessecenrro.iiftri. é Por q.4"I sìgnifica volrado para a rrenre ou para a faceventral.o.o_ Por quê? Coronalsignifica . l)roximal e disral. In_ Ìenor srgnlfrcaque uma determinada parte estási_ ruaoaabarxode ourra ou próxima aos pés. Imagine . Dessa"forma. sevocê costuma na_ dar no mar.um.-_ plo. p. coÀo é o c"_ so das orelha. dorsal. Essa secçãoé denominada -ãdi"r. o cora_ ção encontra-seem posição central enquanro os va_ sossangüíneos perifericos (afastado.em relaçãoao cotovelo.ue o orticuloçõo do punho pode ser oescrrto oo mesmo lempo como proximol e disrol? Os rermos proximal e distal sãotermos de relação. Dessa forma.proximal. Superficial significa que uma. I " Profundo músculos. outra. á .rrtà significa que uma estrurura esrá lo. O punho é distal em relação .t. que são laterais em relaçãoao nariz. dividindo-o em meradesdireita e esquerda. | | .r". por exemplo. super_ ficial e profundo.Geralmente termossaopares opostos os e e in_ cJuel sup. Superior significa que a parre do corpo esráacima deìma outrã ou pró1xima'à cabeça.ou. Por exemplo. e_ posre_ rior (dorsal). Superior e inferior. esses termos descreva-.é inferior à cìbeça. Superficial e profundo. . Se você gosta de peixes. anteriá.rroêi.i"l em relaçãoaos :1". o l'lano rransversal. esramos nos refenndo aos seusplanos ou secções.O rórax.11es rlustra esses rermos utilizados para identificar as regiões das facesanterior e posteriàr do corpo. O punËo é proximal em rela_ dedos. dàdo. à sua metade superior ou à sua part. _sagrtal r t'lano frontal. os ossossãoprofundos em relàçãoà pele.calizada. \{edial e lateral. central. disíal. O plano frontal também é conhecido. a localização do punho em relação ouiá p"ri. eriiio. .ã. por Ëxemplo.fUillÌ{DOl Têrmos específicos descre_ vema posição umapartedo . medial significa esrarvoltado prr" .i. . A Figura 1ï5 mostra os três importantes planos de secção ão . 2 N.Jn*"_ tfonco.r-á li.Outro termo corres_ pondente para anterior é ventral e..é posterior ao ossoesterno. por exempÌo.orpo. proximal significá que uma dererminada esrrururaesrásituadã próxinia ao rronco ou próximo a sua raiz2. O. ár. do T.parte está situada. criand. fua. Central e periferico.rh" desenhadano meio do_seu corpo.oro"'. .up. signìfica que uma parte do corpo está afasradada suã superdcie.o.medial e lateral. o que signìfica que'ele está mais pró_ :í..erior inferior. A Figura ou do I-6 1.o uma parte superior e outra inferior. portan_ to_.o-o pl"rro..são cortados horizontalmenre. O plano sagital divide o cofpo nas parresdireita e esquerda.rr" mediana do coroo. sai distais em relação ao punho.o "o: x.o para os membros).u. "Ar.na sup^erfície corpo dó ou próximo pele é .1.rrtro. que o do os dedos. o punho é proximal em relação d. 1-5A). o corpo hueuando manll o. -^-lob* reglões: Aidomirr"L a face posterior. ao " corpo.r. do T. são se estendend.lol Err" descriçãosignifica que o punho éstá"o mais ao tronco do que o cotoveÌo. por. O plano frontal divide o corDo humano nas parresanrerior (venrral)e posterioi (dorsau. a secção denominada secçãotransversal. para posterior. punho está mais próximo ao tronco "o..ì_ nária em uma determinada direção.. (ou"median.rtrrrt.rior.ifereB'Oes áreas corpo humano.

frontal (coronal).C' transversat' S"aJ C -Planotransversal .Plano corPohumano'A' l'5 r Planos.HUMANO DO ESTUDO CORPO 1/ 12 r COPíIUIO INTRODUÇÃOAO A .Planosagital (coronal) frontal B .do ffOUm g.

Vista anterior.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo .ílica: cabeça Cervical: pescoço Cranial: próximo à cabeça Digital: dedos Femoral: áreada coxa Inguinal: áreaonde a coxa encontra o tronco do corpo Oral: áreada boca Orbital: áreaao redor dos olhos Patelar:na frente do ioelho Podálica:oé Púbica: áreagenital Esternal: área média do tórax (anterior) Umbilical: umbigo Sobre a face posterior. Cubital anterior: áreaanterior ao cotovelo Axilar: fossaaxilar Braquial: braço Bucal: áreada bochecha Cef. B. e |3 FIGURA f -ó r Termosregionais. vista posterior A. identifique as seguintes regióes: Caudal: próximo à região inferior da coluna vertebral Deltóidea: áreaarredondadae lateral do ombro Clútea: nádegas Lombar: áreado dorso entre as costelas o quadril e Occipital: áreaposteriorda cabeça Poplítea:áreaposterior do joelho Escapular:áreaposterior do ombro .

interior da .abdominopét"t:in-'^l^1ï:-'ït**iãff. ao f.Y!. Essascavidades são conhecidas na Anatomia mo Paquímeros.t* . :':-1.ïJ !li-q ior do ã".Ëil . n ' um importante músculo da resptraçao' . A cavi"' inadasno coniunto como abdominopélúca' to'ftl"t e é. l -7 do r Principais cavidades DO CAVIDADES CORPO Cqvidade Dorsql estão localizaOs órgãos' denominados vísceras' do corpo' q"t ti".."i" a""..ània"àtt abdominal il.ü.-á.ela contém a mtdula contínuo únlco' formam um espaço cavidades ' X.I4 HUMANO DO AO r COPítUIO INTRODUçÃO ESTUDO CORPO I / DiaÍragma Cavidade abdominal Cavidade abdominopélvica Cavidade pélvica FIGURA corPo...il duas espinal'Essas vertebral.i"iaïaï no interìor do crânio e contém o ""Ã... co- ..ti"l e seestende.i*J.1 .ifà.i.:lp'ventral ]í]..' al31ll.rè'" a" ãLrhamédia (essas cavidades ."nï dade::: *'lkó a...ica estásituada acima do músculo diafragma e os õ..E:j'ï:tiï I . !ï ".il. dorsal'e :ïd:Ë." Quatro Pequenas as cavidade oral' a cavidade nasal' .". rÃs'^..::: das cavidades a"rl"-iïãior Covidode VenÍrtrl A amplacavidadeventral estálocalizadanarcgiáo a cavidade anteriordo corpot "p"""t" duasdivisóes: denome pêlvica' ..á"iá"a..ï-.ï.separada pelas ir...."d"."üã"a' serãodescritasem capítulos posteriores)' Covidode Torácicq em dois comParA cavidade torácica está dividida um espaço que contém o -"ãit"titto' .."Uà"ãin.i..ü."lizada vertebralse inicia na baseda .ooione"eorsálestásituadanaParteposterrorCro iorá...ï.iJade coluna pelo l.if"l":."^:::^" ìlìt"ti"r (espinal)' clvi 111 purmóesocupam"-1ï"ïilïi'::lr:'r'i:l..a aai-it"da .-.

â maior parte dos intestinos. .iha (f1g.rração. ì r m e n t e o d i a F r a g m aA p a r t es u p e r i o rd e s s a a v i a .a traquéia. o pâncreas. A região epigástrica está locJizada inferiormente ao osso esterno e o termo epigástrico significa literalmenre sobre (epi) o estômago-(glstricò. Devido à amplitude da cavidade abdominopélvica. Um sesundo sisrema divide a cavidade abdominopélvica eri nove regiões separadas que lembram oi quadrados do jogã da . Nove resiões.. que o fígado estáloãizado no quadrante superior direito.inggkHl direit{t A B FIGURA f -8 * Áre"s do abdome. Observe.r'idade abdominopélvica é denomìnada cavidade pélvica. t-p B). para estudo. 1-B A). quadrante inferior direito (4ry) e quadrante inferior esquerdo (QIE) (Fig. a pftbica (ou hipogástrica).A cavidade abdominoi.A.cÌr'icapode ser dividida em quarro quadrantes que são denominados de acordo com sua localização em q.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e -. DrvrsÁo EM QUADMNTES. cia com dor aguda no QID pode ser diagnostiCado como apresentando um quadro de apendicite. Tenha isso em menre quando você estiver estudando as figuras do texto. B.Observe na Figura 1: os órgãos localizados em cada quadrante ou região. a bexiga uri:rririae os órgãosgenitaisinternos. c .lade é a cavidade abdominal que contém o esrômair). rla é subdividida.4 regiáo umbilical é a região mais central e circunda o j Resião . Note na figura que o QID esrádo seu ladoèsquerdo.rs da basedo coração. o fïgado e a vesícula riliar. ocupando o in:crior da pelve (ou bacia) e inclui o rero.. . DnrsÁo EM REGróES.a umbilical . A parte inferior da .t. Quatro quadrantes.uadrantesuperior direito (QSD).Os pulmóes (direito € csquer. em áreasmenóres de:rominadasquadrantese regióes.o esôfago. por exemplo. Um pacienre que se encontra na sala de emergên.o baço e os rins. o timo e os grandesva. Ela se estendeinferiormente. quadrante superior esquerdo (QSE). como quando se olha no espelho.lo ) estãosituadosde cadalado do mediastino. |5 Covidqde Abdominopêlvico A cavidade abdominopélvica estálocalizada infe: r .As três regiõescenrrais (de súperior para inferior) são a epigástrica.

HUMANO Do AO ESTUDO coRPO 1 ló r copítulo / INTRODUçÃo e hérnia termoscomodor epfiástrica umbigo.Aregiáohipogástrica,cujotermosignificalaterair0,conhecime^ntolï:'reeióesoa'ud está'n.ifJ"'fï ào esta^iç9 (hipo) ,.:Iõ,*'o'r abaixã \s,awico)' região à estão riormente (ou rc*REgUnlNDOl Osórgãos vísceras) "qïtff-Oas nosladosdessas estãoI regióes
Seis e eióescenrrais sãoo.rï.Ãi""a* hipocondríac:-tï:,ir""iiJ"ï corpo' As duas i"'.'.'rã ã", t"t'id"'dts do

ït"gïÏr*Ï.ï#,ïï.!",ï:',l.,?.,fr,1ï{i.,ifi ""'"'ï'#:'Ïri',*x-'i#í.p*Ë
episástrï1".,.u*": "?"'li'ï.,ft.ï:";;:: ladodaregiáo @'P!),:,::i o termohipoconoriaà'ú;ifi* "q1*
( unem as costelasao

Y,rÇ,^G":"a'"1"1'ji,:,È':,ï**:-'çï1"ï{Ë ïïtrïkïïr:,','ffi:,:ïtr'.*;'xi:ia ' 'li' esôra''' eiãoumbilicâl"ao"'ïËiili$;qió^lilipocononar?Írïïïï:'.ï"ï'trÍ:t*nwo i#âïïfrtr*lfÏï,t'i'1ffi.':ïã:'1ilïÏl'Ë
direitae esquerda.J;;;ì;Jas d9ca{1l*:ij:_ ."ria"aËïËaã-i".pJr"i."
mo e os

é dorsal subA cavidãde ;íljl;ídï"ï.ã1"'-."ìe' quecontêm e vertebral Ji"íaia"ïï.;;ià;d;; ""nial contorácica. A cavidade

cadalado da regiãof'fïit"

t i"ftriormente is regiões

'sümíD
ê o Fisiologio o estudo Anoïomioê o estudo estruturo; do do funçõo. l. Niveis de Orgonizoçõo A' Do simples oo complexo o izododesde simples,olé l. OcorPohumonoe: ' òs^molecuòs d"dq o óÌo--mo molêculos' ã'..-tilf"xo, tecidos'oosórgõos'oos célulos'oos i.;;;t;;òs hutt':Ï:?l:^o'ganito'ã-oã o'gonltto sisÌemos reloctonoe o runçõoestõointimomente 2. A estruturo dos. iguol' O lermo resignificopermonecer ì 4. Homeosïose em monïer do ò ïT T"l: fere-se copocrdooe corpo do mero òs resposÌo mudonços ff;:.tóï';lem externo.

ll. TermosAnqlômicos e A. ^' PosiçõoAnotômics
com os broços Pe

Govidodes do Gorpo

ì .-N;posiçõo -onotômico ffïifinïiJt$:

;ï::

orgônicose H:Tï:yt" B. órgõos, sisremcrs de ïecidosorroniodosporo
1. Um órqõo é ut gtupã tunçoo' reqliã umodeterminodo

d":'!:^ï o:''-:: úônico ê umsruPo ury z. ilï''"Li' reolizor i"-:tÏlï poro mutuomente ouxiliom prlnclPors'
3.
4.

d"ttt"u"t 2. õ; i"tttt onoïômicos onotômico' no Posiçõo e direçõo po'"' quJï""revem o situoçõo 3. os termos qnterior e inferior' 'nt'iãi t'p"'ior e dos eslruïuros e distol' superfi|n"diot oosïerior, ""Ëi"'J['pt"*itol

o ['"nt-"'---^^ .ãt.t ptffivohodos Po'o humono o corpo,

orgônicos I ã. fu"ça"'Exisïem I sisiemos do çoi"o" o rJvestimento corregumentor O sistemo

sositor' ï:",:ff;':::ï, prono' ;5J'lül3i , Ë1 'l
-' i ; " ú l i t t r o n o l ) e t r o n s v e r s o l ' .noE : - -ó' , 'elocionqdot Figuro '"gionoi;ã'tõo 5. Ostermos

Ë sisÌemo esquele T;'''é'; :,ï,:ï:ïffi'üïff:;." O

porte osu e

o Proteçõo' r :r^ -..^ ^ .^r^ô permiteque o corpo se movrmusculor 5. O sislemo menÌê. I r. ^^--^-Ã, o relocionodoò sensoçõo' o. ô-riiìL.. neryosoesÌó e interPretoçõo ò integroçoo que ouxthormônios ' ,. ô tìï"*; tndottino-ttcreïo do corpo' comoo n-.t no conÌroledos otividodes e crescimenïo o reProduçõo' e nutrientes oxrgeciic'lotorio tronsporto 8. ôï;; nio Peloorgonismo' ò defesocontro c ' ò titËr"ã Ëifati"o estórelocionodo ' e r: ' *bstônciosestronhos pológenos' ^ e o obsorve oxigênio elrmrno respirotório rO.õïtËt. o qós corbônico'

,,.ã',ïìi"'ãü-"-uÍ.,["5ï;"ï:"iJffi ' *i:rveoori' '-':::^ excr Eru mento; em segulclo' ele ,vJ ^ '
comoo urrno' residuos' urinarioexcreÌo I2. ô slil; nelo substônciqs contie reguloo óguo ot t"'ft " ò relocionodo produçõode r g.3tìrï"to genitolesÌó descendentes.

B. Govidode Dorsol o "' t'oniono conÌêm encéfolo' ì:;:;Joã" eso contém medulo 2. A covidod" ""n"rtãtìãtpìnol) pinol. G. Goüdode Ventrol torócicoe qs ventrolconlém cqvidqdes I - A covidode obdominoPélvico' oo torócicoestó siÌuodosuperiormenÌe 2. ï;;;ìi"ie músculodiofrogt;;td;spulmõLs;nelotomhÉm Ìroquâo' esôfogo' (coroçõo' o seenconïro t"aio'tino docoroçõol' do.bose vosos i#ã-.t gì*aes situodoinÍerior3. A cqvidod""bd;;;á"itt "tta diofrogmo' ;""t" oo músculo :-è o portesuperior ï:;::: a. Àï""1ããa" ãbdominol o dot intestinos' tigoo témo estômogo, moior poit"

e do,o boço osrins' os e inÍerior conïém geoorte s. ï"iir''aïJ"-oeüco é o e o porteinterior o internos, oe^'gfourinório nitois

estó o cqvidode referêncio, ó. Poro "lttlL:tÍI"co e noveregloes' quodronïes
rulq lsrerv'tY'-, -

dos inÌestinos'

aviãiao em quotro

|

'-

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . e

l7

1. Especifique se as descriçõesa seguir se referem à Anatomia ou à Fisiologia: a. Com o que se parece o coração b. De que se constitui o coração c. Onde se localiza o coração d. Como o coraçãobombeia o sangue e. Por que o bombeamento do sangueé necessário para a manutenção da vida 2. Como a estrutura anatômica de uma parte do corpo estárelacionadaà sua função? os 3. Estabeleça níveis de organizaçãodo corpo humano, desdeo simplesaté ao complexo. 4. Explique.a diferença entre um órgáo e um sistema organrco. orgânicose as princi5. Denomine os 11 sistemas pais funçóes de cada um. 6. Qual termo se refere à capacidade do corpo em manter estávelo meio interno em resDosta uma a alreração meio externo? do 7. Defina a posiçãoanatômica.

8. Cite os termos opostos aos seguintestermos de direção e de posição: a. Inferior b. Anterior c. Caudal d. Lateral e. Distal f. Superficial g. Periftrico 9. Q""1 é o plano do corpo humano que corresponde às seguintesdescrições: a. Divide o corpo em partes direita e esquerda. b. Divide o corpo em anterior e posterior. c. Divide o corpo em superior e inferior. 10. Defina os termos cauidade dorsal e caaidade uentral. 11. Denomine as nove regióesda cavidade abdominooéÌvica.

Descrevera relaçãoentre um eletrólito e um íon. Citar os quatro elementosque compõem 960/o peso corporal. Diferenciarligação iônica. Diferenciar energiamecânicae energiaquímica. 14. Citar três mecanismosreguladoresdo equilíbrio ácido-base. 5. Diferenciar ácido e base. Definir o pH em termos de concentraçãodo íon hidrogênio.suspensão suspensão e coloidal. 8. 9. Descrevero processode reaçãoquímica. 16. do 3.gua essencial vida. Definir as palavrasrnatériae elemento. 15. l9 . e 13. Estabelecer diferençaentre íons. 2. 4. a 7. solução. Explicar a diferença entre uma molécula e um composro. Apontar cinco razóes é à 10. ligação covalentee pontes de hidrogênio. Explicar aaçáode catalisadores enzimas. Descrevero papel dos elétrons na formação dasligaçõesquímicas. Dar exemplosde mistura. 6. 11.neuirwcA r gÁstcA 'A bje*vos l. pelasquais a á. Caracterizaros üês componentesde um átomo. cátions e ânions. 12.

idênticoi. movemos em mos emoçóese elaboramosgrandespensamentos Para-compreendermos o razáo de ieaçóes químicas.-plo.oìr" que ocupe um lugar no espaçoe tenha masé ã r"ao o ô. tudõ o que está ao seu redot matéria. Os planetas movem-se constantemente ao redor do Sol èm órbitas ou trajetóriascircu(isto é' o lares.ro. como o alimento que ingerimos' Olgelge^ ^ .".". A matéria em estado recipiente que a contém.nr"q.or'. à sãõ ird.o"reÀ milhóes e milhoes dè átomos idênticos' Por todos os átomos do elemento sódio são ..ita ainda é madeira). Matéria líquida inclui sanem guel saUu. o átomo') Embora existam Dara 'maiso e l e m e n t o è de 100 elemenios.rmação física. O tronco sofreuma ÚansroÍmaçao física ao ."t elétricas.o oxigênio.rrdo -"d.i. sejáem estadosólido. devemos arite. Uma transformaçáo química ocorre flementos Toda matéria. Copítulo2/QUíMICABASICA nosPorque or oue um capítulosobreQuímica? substânpor .*.rírti. Os elemãntos-traço (ou vestigiais)' em na tabela.r.i-pÏ. essencialment.trrolrre ambas as transformaçóes' íieaçao q. ..stao.J. inatéria poãe sofrer transformaçóes físicas e quíA forriicas.s "trrrrË. nós respiramos é matéria em estado gasoso' .o.i". da composiçáo quí.1.er alguns princípios mrcos gerars. o símbolo-O representa o sódio. Pele. O átomo compóe-se de um núcleo que envolvem Sãii. sódio' é usado p"t. digestivos' Um gás."1 ocalizam as partículas subatômicas?Os (Fig' 2prótons e os nêutrons locãlizam-seno núcleo Cinzas na FIGURA 2'l r Tiansformaçóes matéria'A' Tiansformaçáo (a irr["-O . potárrio e C.-ot. Um delesé o fenômeno da A mase.. o núcleo (Fig. ELEMENTOS E ATOMOS íüslÕric A Química é o estudo da matéria' Nlatêúa. q. Tiansformaçãoquímica madeiranão é mais madeira). õ nitrogênio. ilusrra a diferença entre Íorma@o (Fig. N. quí. Por exemplo. trata-sede uma transem substâncias química.td. a.è vê. tais elementos essenciais vida' Cadaelemento daTabela 2-1 é representadopor o um símbolo.o h o . formação cias qu?micas. o r m a sm a r s de reaçóesquímicas comuns' Mesmo . . . a âgua que | . pois vai utilizálos' -.t.t.r.-.2-28).o. é a unidade i". 2-l). Apesardessas ourrrfid"d. . MATÉRN. K' o .rr.ï carbono.r. (i. pois a composição química das á.oü ótbi.in ^.o1po.é qualq. estãoPresentes i.ou matéria não tJm forma nerrrvolume definidos' Ërt"do gasoso' q. q u e n ã o p o d e s e r d e c o m p o s t ae m f .queo tronco' mas . A matéria (madeira) não .i.. camadas.r.'r. saoformados.. líquido ^ougasoso' A matéria em estado sólidoìem forma e volume matéria definidos.o deles carbono. Um trõnco' usado como lenha para uma de transos dois tipos l*.po.ira.bebemos e o ar que r e s D t r a m o s . conhe. principais. . NA TRANSFORMAÇÓES MATERIA A Íísica TransÍormaçáo B química TransÍormaçáo Âtomos Atômicq Estruluro Os elementos são compostos por átomos' Um átomo é a menor unidade que mantém as mesmas caquímicas do sãu elemento. Um elemento é uma substânciafundament a l .t t. apenascerca de 25 estáoprevivos.bt" o alimento em pedaços menores i*""f. básicada matéria. O ". (Note que o mesmo nome.t. ossose dentes são exemplos de líquido toma a forma do sólida. Os pedaçossão menores.20 . nêutronse elétrons' tículassubatômicas: dal partículas subatômicas assemeA organizaçáo O lha-se à"organí"açáodì sistema solar (Fig' 2-2A)' Sol estáno centro. Ë .. apenassua aparência física mudou.. Substânciasquímicas cha"ilJ madas enzimas digestivas transformam o alimento mais simples. em sentes organismos ATabelJ2-l apresenta os elementos mais abundantesno corpo."J.er-cort"do em pequenos pedaços com um machado. q r . O.compõem 960/oda massacoroxieênio e nitrogêÀio cuiasporoóËa.r'r.O átomo é composto por três parprótons. é mica da matéÍiausada como lenha' No corpo ocorrem vários-exemplos de transformadicóesÍìsicas'equímicas.ô c c ô â r r t l l e resprramos' l \ o s nossos corpos' sentlrinios nõsso alimento. B.Esses memorizar os símbolos dos eleVocê deve "tiêit. não aparecem quantipequenas ínfimas.t.o.dif. hidrogênio' .r.à"ii"""foi essencialmentetransformada. maiúscula.t"t. a n t i d a d em u i t o p è q t r t n a d e u m e l e m e n t o u-à .A primeira letra do símbolo é símbolos sáo usadoscom frei. viva ou morta' é formada por elementos.Na. diferentes ouando a madeira é queimada' Nessecaso' a madeira ser madeira. .

Prótons têm carga elétrica posiriva (+). O processode decomposição espontânea é chamado radioatividade. A massa atômica é determinada pela soma dos números de prótons e nêurrons presentes no núcleo. Entretanto. Os elétrons têm carga elétrica negariva (-). tem um próton e um elérron. primordialmenre aos números de prótons e elétrons em cada átomo. náo tem saldo positivo ou negarivo de cargas. O átomo de hélio tem dois prótons e dois elétrons. O hidrogênio. ou seia. tem número atômico 1 e massaatômica 1.rr.Por exemplo. como seu número atômico.em geral. a massaatômica do hidrogênio rambém é um. Dois números caracterizam áromos isolados. um próton e nenhum nêutron no núcleo. o número atômico do hidrogênio é 1. Sendo assim. Outros radioisótode pos são usadospara destruir célulascancerosas. Por exemplo. iodo radioativo é usado para destruir excesso tecido tireoideano.00/o 18. Lembre-se: um isótopo rem o mesmo número atômico de um átomo. Em cadaâtomo. .Seusnúcleos decompõem-se emitindo partículas. ou liberando energia na forma de ondas eletromagnéticas. Assim. O número atômico corresponde ao número de prótons no núcleo. tem um próton e um nêutron em seu núcleo. assim como os planetasao redor do Sol.Isótopos instáveissão chamados radioisótopos. Todos os prótons são semelhantes. ao redor do núcleo. PORCENTAGEM DO PESO CORPORAT 65.todos os nêutrons são semelhantes e rodos os elérrons são semelhantes. eletricamenteneurro. Como o número atômico é l. portanto.Os átomos de hidrogênio. o nêutron extra no núcleo torna o átomo mais "pesado". isto é. são instáveis.seu número atômico é 1. pois o núcleo deste átomo contém apenas um próton e ne- nhum nêutron.5o/o 9. o número de prótons (+) é igual ao número de elétrons (-). nlas massa atômica diferente. hélio e lítio são diferentesporque têm diferentesnúmeros de prótons e elétrons. mas sua massaatômica é aproximadamente 2. o átomo de hidrogênio é o menor átomo e o mais simples. Uma segunda forma menos comum de hidrogênio é chamada de hidrogênio "pesado".2o/o H N Ca P K S Na CI Mg I Fe Cr Co Cu F Se Zn 2C).Anotomioe Fisiologio CorpoHumqno do Soudóvel Enfermo o 2 | e ETEMENTO Oxigênio Carbono Hidrogênio Nitrogênio Cálcio Fósforo Potássio Enxofre Sódio CÌoro Magnésio Iodo Ferro Cromo Cobalto Cobre FÌúor Selênio Zinco srMBoro o L. para adquirir estabilidade. O átomo de lítio tem três prótons e três elétrons. Dessemodo. o que rorna um átomo diferenre de outro? A diferença ã. O "hidrogênio pesado" é um isótopo do hidrogênio. Isótopos pesados.-r. Os elétrons encontramse em camadas eletrônicas. A massa atômica do hélio é 4. pois seunúcleo contém dois prótons e dois nêutrons. ainda rrara-sede um átomo de hidrogênio. Radioisótooos danificam tecidos vivos e são usadosclinicamentá para destruir células. ou órbitas. o número atômico do hélio é2 eo número atômico do lítio é 3. O átomo é. por exempÌo. O que é um isótopo? Um isótopo é uma forma diferente de um mesmo átomo. nêutrons não têm carga elétrica. pois aumenta sua massaatômica. Um isótopo difere de um átomo apenasno número de nêutrons.5o/o 3.

lhe é possível t"""d" externaprocura ceder il..Os seteúltimos elétrons de cloro precisa receinstável' o átomo .ttg""q ilr .*. P"t" adqüirir estabilidade' o átomo .. para esvaziar-se'ou receber esEssatendência da camada externa à químicas' "àÃol. do núcleo).J. Camada interna -ì..tJ..r.-fl. €.bìiiá.ó"tcas Ïïtïïaã.de -"it próxima do núcleo' pode con. constitui a basedas ligações B ATOMO o LrGAçoEs uiMlcAs obter a esOs átomos se atraem mutuamente' para Em outras palatabilidade de suas camadas externas' tendem a completar ou esvaziaressas .ã."t.l.. serávisto mais adiante' "'^ núde cloro (Cl) tem 17 protons em seu C..isa aligaçáo entre os dois átomos' conforme .à...i...J.r.itleo (a rìã á"it elétrons naprimeira camada Ï. . Copitulo2 Cqmodqs de Elêtrons órbitas' chaOs elétrons circundam o núcleo em (Fig' 2-2C)' O madas níveis ou camadas de energia para outro' número de camadasvaria de um átomo uma hidrogênio' têm ap^enas Alguns átomos. .ú"' deligaçóes 2a camaoa Ligoçõeslônicos de A ligação iônica ocorre com a transferência para outro' A interação de um elétrons de um átomo cloro e um exemátomo de sódio com um átomo de ligaçáo (Fig' 2-34)' O átomo de sótipo de .tóila O e apenasum elétron na camada externa' camada na a cam ada dttt...os é semeA força de atraçáo entre os átomos .. -oa. (órbita"s pì"t"tn'i"')' C' Prótons : lê""tÏ]:: ..-.... #ÏiìLà do núcleo. ligaçãocovalentee pontes de hldrogento' iôniqyiTi'T' ligação i'e. cada uma' oito "'-õ ligaçóes ?...-r.....ttú.á"t. . doa*stè 'lét'on' A doação do eléãïJfi.--rl'próton"s Ë. (s"il:Ë'"* ao (pl""'t"$ emórbitas redor .ïa ca. q.t elétrons que participam das camadaexterna' ou seà auímicas sãoos pertencentes do núcleo' Se esta camada -"ït""i"tt"aa iïÏil....o"t na segunda torn^m a ca' camadaexterna.....'ã.."a Aãtraçáo eleber um eÌétron p".parelhado)."i..(Sol)e caà.létro.r.2rEstruturaatômica..ì....ãã:..tl. outros' como elétrons' A da pode conter um número específico..ì"" i"t.on desemparelhadona camada ou "aìrancado" para juntar-se aos sete sódio é atraído c 3a camada OU camada externa (-) O Elétron Próton(+) iüf (o) @ Nêutron F|GURA2. " elétrons para ... conter' ela se torna -J ã.ié.'.'.t e sete elétrons na .tor . oito elétront 11.Partículassuhatômicas solar'B' Núcleo."r-r. ot átomos constitui a ligaçáo. .fãrt"n.a tercelra cater somente dois elétrons' A segunda eletrons' madas podem conter.. e l1 elétrons em ãìã i..t-t rìilì..ì.""i..ì.t"*r.t'.tl.qrrí 5Ë.td...i.A. .r.fbt"ï.. como o o sódio' têm três' Cada camacamada.ti.i-ô. se náo contiver o número máxiff.-o'sentir a resistência'A atração .t.louiMICABASICA 22 .. dois ímãs' Quando tentâmos selhante àatraçáo entre pod.r..tiodo.".o .... estáo Os elétrons cleoe 17 elétrons em suascamadai' da seguinteforma: dois elétronsna primeira áìt.iil. ." to"t"'-se estável' as camadas externas dos trostática ocorre entre *-átomos de sódio e de cloro' externa do ó-.. análogoao sistema ..

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo o 23 e A -----+ Atomo de sódio (Na) Átomo de cloro (Cl) lon sódio (Na) íon cloreto(Cl) (NaCl) Cloreto sódio de B Átomode oxigênio(O) (H) Átomode hidrogênio Moléculade água (Hzo) c F|GURA 2'3 t Ligaçóes químicas. Sódio e cloro formam ligação iônica porque o elétron desemparelhado da camada externa do sódio deixa o sódio. B. A expressão"mãos dadas" caracteriza bem . que ocupa sozinho a camada mais externa do sódio. A ligação covalenre ocorre com o comPartilhamento de elétrons por parre dos átomos envolvidos.Ligrção iônica. Ligação covalente. O elétron. Tãrminais de moléculas com cargas opostâs se unem por atração eletrostática. formando NaCl. Ponte de hidrogênio. Cada átomo de hidrogênio tem um elétron em sua camada externa. produzindo cloreto de sódio. ligoções Covcrlentes Um segundo tipo de ligação química é chamado ligação covalente. e a camada mais externa do cloro aceita esseelétron. A. os dois elétrons são compartilhados com o átomo de oxigênio. C. Assim. deixa o sódio para juntar-se ao átomo de cloro. Atraçáo entÍeas moléculas água de elétrons da camada externa do átomo de cloro. o sal de cozinha. os átomos de sódio e de cloro ligam-se ionicamente.

.'i"* p""'vadas . c"ã" um com um elétron. chamadoânion' '--ïà íons 8r"t"ólito e uma substância que forma eletrólitos' como o quando dissolvida em água'. m i a l d o ....-"'...outras palavras' a catga eléuitá ilã.õmpl.r-it'".á" carga negativa pod...-Éïú.a s o b r e a s m o l e c u l a sd e exerce . . químicasenvolvendolt*tltï 1: No corpo. (EEG) registiam ocorrências de ..rio.tifão e a ctlsUm exemplo de como ocorre o processo água...ìï*..r-ráo "p'Z'sr o c a r d i o g r a m aE C G ) e d e ( eïet d.ì"il"..ilü. d a m a i s P r ó x i m ad o n ú c l e o ' ..s. d e O ânion cloro e chamado ânion' -ì:..cãtrm nio..-r. a O saldode cargado sodto passa ser carsasnegativas. Ã.'. alteram suasfunções' As pontes álg"-"t èaracterísticasda ã. Conseqüentemente'a porção . pelo símbolo Cl-' Alguns árocloreto..t tem olto c ' u n i d o s p o r l i g a ç õ e s o v a l e n t e sO o x t g ê n t o seisna cacamadae apenas .i.as pontes de hidrogênio consempenham funçóes importantes no oÍganlsmo' como o tribuindo para dar forma a muitas moléculas' DNA' as pontes de DúÀ. e é representado salmaisde um elétron' resultando mos podem perder iã"" uma pequeelétrons no iÃterior das moléculas' surge (+) ao redor dos átomos de hidrogêiã.. passãráa íer 17 c a r g ai g u a l ....t..a'Se as ligaque se constrtul prrncipalmente aquoso' os Ëó...t.J. a u n s c a r Ê a s e g a t i v a( .i.. positivas)e 11 j.ã.. "ã"t'ot "o ..' Tsso o ?..itiva (-) ao redor do nio.qa carbono são tantas. È ..ãodas substâncias orgânica' Em conà.que existeum ramo que contêm química para o .t"' de malsum u s ê n i o t e m a p e n a s m e Ì é t r o n 'e P r e c l s a r u " . elétrons)' O átomo de elétrons com os dois átomos ao compartilhar .itiva (*) de ..id"dt de dissolversubstâncias .ìã..... representado *1.' entre as carência ou o compartilhamento de elétrons A ponte de hidrogênio é -"a"t externasãos átomos' duas momelhor descritacomo sendo a átração-entre externa de Os íons se formam quando a camada elétrons' Por exemplo' o perde ou g"tth" '-ãioã. que passa de hidrogênio.fdograma respectlvanatvÍezaelétriéano coração e no cérebro' ocorrências é o movlmento de causadessas mente. . eÌétricasopostas ou s. .. .J..ã.ro.iJtottt (cargas e positivas. Ésia ligaçãodifere ptlo fato dã não enuolutt a transfeïá-'ãïà..td"d. .II cargas áiü.."." porção nea . "ii..." Jo a.ntes sãoligaçoes ortes' dessas toluiaó aquosa'A resistência L. q. p r i n c i p a i se l e m e n t o s .re ramo é a química inãrgânica oõupa-s' das subs... A íons atravésdos tecidos' de Formoção ions Pontes de Hidnogênio de hiO terceiro tipo de ligação é chamado ponte das ligaçoes drocênio (Fie. e uma p."tro . .til. uma p..lét'o"' t'o ttt" consti: ..do carbono com hidrogênio' com .Os de conduzir correnreele.. o u s e i a . hrõ taár.o tem 17 prótons (cargaspos. e chamado cátron.. t ' ^ d o .ta sua camada externõ À âsuae representadapelo símbolo .ú*o..t" constitui uma ponte de hidrogênio' dos distribuição à X"7il"' devido particular .È... . q u e ao htdrogënro' ao oxtgetuem o corpo' pode ligar-se átomos de carbono' Linitiogênio .'E. 2-3C).quef iõ.ou"l. o íon sódio é um cátion.í'-'"t e os carboidratos' que náo se.....rar'.oxigênio)' covaO átomo de carbono sempre forma ligações camada externa' o I. e careanegativa.".orralentesfossem rompidas em melo seriam incapa"esde cumprir suasfunçóes' il.". Ao determinar a forma do de hidrot iãrúe"i.il".. ". hídiogcniã e oxigênio' .H" d^ cargaselétricasna molécula.. . é"d. " .o-o ou patapositiva !+) ou negativa (ì' Elesênciade carga) íons' mentos eletricamentt ta"tgados são.1" ..tt it.ãt. -"it"s põteínas' como os hormôsangue' nios...".i. comã*igênio e com nitrogênio formam moleculas As ligaplexas como as prot.itivas) adqutrtr e 17 elétrons (cargasnegativas)' Se esteá19mo positivas (+) e 18 cargas um elétron.orno de ródio tem 1"1 prótons (cargas Se um único elétron é pernegativás)' .. ..rÃ" deop". .-ô"i.i..rdãr."|"'[6ãã.bo.ïrr ãue também é sua camada€xterna' t-ÏE.&l-plo.t"a....de .im" molécula de água auai duas moleculas gativa (-) de outra' Essaatração..eja' atração-que.ì. negativamente carregados'sáo perdidos mais ãxterna' a cargaelétrica adcuiridos õ.k . o"igenio..ïtr?ni..'^ìúu*int igu -possibilita a dissoluçáoda substância' por tipo de ligaçáo(Fig' 2-38)' Na água'formada esse os átomos estão d. apenas10 tàilJfic" éo. tem uma carga negatlva água' A atraçãoentre oólos poiitivos das moléculasde '".o-pl..1.o. são tranìportadas atravésdo corpo pelo de águ..:Ã.(isto é' auelemento passa.i*ib.. as reações esPeclrlco...i^'-.24 o Copitulo2louiMlcABASlCA deEmbora sejam fracas."t: dois"naprimeira de dois Á"J"-. " ..'p" a tegremquando exPostas agua' ""ï. etomos de Ëidtogettioe^umde.chamados se tem Se o íon tem cargapositiva.i.. U.r".. Ânions e Eleïrólifos a atividaOutros termos são usadospara descrever do átomo' Se os de dos elétrons na camada t*ttttt" ou .lo. forma quando dois átomos de hidrogêeÌétrons .to."Port"ïto.*...'. a ."..ãtuçao da albumina em água: a albumina' que atral os teíná do plasma.." e considerada ioluenre universal' i"n"iaade de substânciasé solúvel ïr"*rn..entre ã.tr.de . pelo símbolo Na+' t-ô.ü.átomo de oxigênió precisa tt'" t"-"ã" extèrna' o !id:ï . doi.) . átomo de oxigênio' sua camada externa (cuJacapade hidrogênio completa oxigênio' por . ... an.prosubstanclas lieaçõeìe importante para que certas e não se desin. compartilham átomo Dessemodo' cada.q''r."-"d" n'. neutra..à"..química târrciasque nãã contêm carbono' iotts Cótions..

quando colocado fnì água. ou se quebra em . dizemos que o eletrólito foi dissociado (Fig. Em outras pala\ ras. Por exemplo. A ionização ocorre apenascom eletrólitos. Em estadosólido.o NaCl se dissocia.sg ffiË#6F=y* .rJma molécula pode formar-se também pela combinação de átomos de elementosdiferentes. forma-se uma molécula de água (HzO). l-4).s ee m :ons (Na* e Cl-). enfraquecem-se . esseprocessoé chamado ionizaçío. Z-5). O . Entretanto.Ìoreto Bicarbonato Foslato Jo positivo de carga maior que +1. quando dissolvido em água. o sal apresenra a torma de pequenos cristais brancos.Por exemplo. FIGURA 2-4 e lonizaçáo. l e r r ó l i t o ( N a C l ) d i s s o c i a . para o hidrogênio (Hr) (Fig.Como issoacontece? MOIECUIAS E COMPOSTOS Moléculos Uma molécula é formada quando dois ou mais átomos se unem.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e 25 NOME Cátions Sódio Cálcio Ferro Hidrogênio I)otássio stMBoto Na* Ca2* Fe2* H+ FUNçÃO Equilíbrio hídrico (principal cátion extracelular). um áromo de oxigênio pode ligarse a outro. principal cátion intracelular Principal ânion extraceluÌar Importante na regulação do equilíbrio ácido-base Componente dos ossos e dos dentes.O cátion cálcioé represenrado pelo símbolo (-"r-.rs ligaçóes iônicas que manrêm o sódio e o cloro Lrnidos. para formar uma molécula de oxigênio (representadapor 02). AT"b.Os cristais de NaCl se dividem em Na' (íon sódio) e Cl (íon cloro ou cloreto). o sal se dissocia. O cloreto de sódio (sal de cozinha) é um exemplo de eletrólito. Dois átomos idênticos Dodem se unir.la2-2 apresenta oïtros íons importantes. O mesmo vale para o nitrogênio (Nz) .oluçáo. função dos neryos e dos músculos Componente dos ossos e dos dentes. RB.Como os produtos dessâdis- Composfos Um compostoé uma substância conrémmoque léculas formadas por dois ou maisátomosdiferentes. lonizoçõo Quando um eletrólito se divide. NaCl saÌ Na+ íon sódio (cátion) + CÌíon cloro (ânion) Quando o sal é colocado em água. componenre do AIP (energia) KCI HCO3 HPOa2 Ânions (. coágulo sangüíneo. sociaçãosão íons. contração muscular Componente da hemoglobina (transporte de oxigênio) Importante no equilíbrio ácido-base Função dos nervos e dos músculos. o cálcio é um exemplo disso. quando dois átomos de hidrogênio se unem a um átómo de oxigênio.

O que torna aeigtrtáo :':"ï'"H'ã.'Ãtii'""f de água)e .:i.d.r::.:*ïÏ'oË"i.'ãï"-úe- um composto' de -' t A tisuaé um regulador rcmp'eratura. do. o líquido amniótico durantea gestaçao' no útero materno h.--i"'. \eg""F::.ïï:.àÃoor.i:i'.o.. ffi -----r. dt p'ottçao.c' Água' é umaïolécula e um comPosto' i' Quando 1. :* ËïÏ 1" ff comum átomo além de ser uma molec T^?ïlíi..".Hidrogênio (H Moleculade hidrogênio 2.ïi^d{q: :*:*{*** iïïï^ï:f:j:::ce*os de a ':r?"'io ir..áJ.ï.-lt..t*o uma ttitututa importante' .t.* xrito entreduases-d"r re i'""' uma sob a iï:: ïi #ã.. ""'0" ari ensemm Ëfiï"*""Ëï:Ï."J"ffi'r.i"'. aUÍMICABASICA Copitulo2/ -.26 ..a''.*ïiï^:: lï'iliïïcomPonentef:.. .o o r d^ tecidos.' em atividade' enquanto os músc'ìlos Alquns ComPortos e úãte. "1ïl:'-::iiïnï. no dissolve-se "fe* ïãf Ë"'-plo' Ëu"Ë. facilidade.Do o feto dula espinal' ttt"oll:^t protege modo.'ï..." ".. é uma de suas em âgta' muitas substânterísticas'Sendo'ot"uãi' e rapidez '1"tlpá*"d"'"tom mais ciaspodem dt váriasreaçóes "t at'pãtiitip""*.rtq5 lmPortontes Aguo .'..il"-.^.. (qt: Í t"*i'íiá-basiËamen-te do corpo' ascélulas '*p'o"t"t'i* p'" tod^t move-se ]3Ë. ::Ï:'*Ë: outra' '.d"*."' que-algunsdias sem p^'ãt *"it to.:...3.rrr"l r.. (Hz). como aSproteínas.*e'i.yryarcn *..r. ãáo podemos especiaÌ? água. ' re reações químicas..ì.*ffi:ï1""'i*ï coA suÈstâncias' utilização um grande"i'-t'o ãt caracmais importa^ntes il 3. pã'...."t'' tl5'ilil:ï.i."tg. como A âgua' it"'ptt"tura normal o corPo mantém "'" na mânutenimpottante Dortanto.. Oxigênio (H Moléculade água zo) e FIGURA 2'5^'.i:-:7?'fiï^r:. tem um papel é" .ü.'d. formaçãode certas deproteção' águapo'A * A águad'tuac0r7o'*ttì". Moleculade oxigênio(Or) Oxigênio B ffi w w Hidrogênio ffi Hidrogênio .ïiliï13ïll.' á r rn "i q..."*bém ducarboidrâtos de a árta é necess para .'i'.il.Aágua "iï:ï:#ï:ït:ir*"ü i aProxrmaoamtl::^ Constitu :.ili.i": a protege " água)envolve^e tituído b"'it"*tâit de e pela mepttt encefalo delicadat"'*"t"tio"'I-t"JÍ mesmo ton'o lhoqt'ei me-ciii.+..?::$ï.. A água ììu'I.'.i.* WK-v....?l-^ o A água Portt-':!:t?*r.or..T:i..Molécuìas (Oz)'B' oxigênio A..a (que é consrrq'"úã cerebroespinal ï.çot'"químicas .

arbono. Muitas reaçõesquímicas ocorrem apenas na presençade um catalisador ou de uma enzima. A ausênciadesseequilíbrio no corpo pode levar a problemas clínicos fatais. e pela formação de novasligaçóes. e 27 Oxigênio (O2).Ïét.rtron. A química é o estudo da mairjria.morreríamos rapidarìente. ácidos muito fortes. âgua e energia. ÁcroosEBAsEs O funcionamento normal do corpo requer um equilíbrio entre substânciasclassificadas como ácidas e básicas.r fbrmação de novascombinações. suco de limão e vinagre são ácidos. portanto. que deve ser eliminado pelocorpo. o oxigênio. aparecena naturezasob a forma de :rm gás. ao contrário. particularmente atravésdos elétrons. ou li'r. O dióxido de carbono é um produto de :retabolismo. Um ácido forte é aquele cujo grau de dissociação é elevado. A velocidade das reaçõesquímicas (isto é. 'RESUIIIINDO! Ácidos Todos nós reconhecemos o gosto azedo de um ácido. produzindo pouco H*.erar.daí o seu nome (o sufixo di sig' nifica dois). Moléculas e composrossãoformados quando os átomos interagem de maneira específica. úalisadores são substânciascapazes aumentar a vede locidade de uma reaçãoquímièa. O entendimento da química dos ácidos. o corpo pâra de :uncionar.itomoi de oxigênio . das basese dos tampóes é fundamental para a compreensãodo equilíbrió ácido-base. grande quantidade de ânions). a ponro de cegá-los. a glicoseinterage com oxigênio para formar dióxido de . Paranosso estudo. As proteínasque desempenham o papel de catalisadoressão chamadas enzimas.o ácido clorídrico (HCl) dissocia-se em íon hidrogênio (H. Acido espirrado nos olhos.daí sua importância. conseqüentemenre.Os três ti:.onr. Um ácido é um eletrólito que se dissocia em um ou mais íons hidrogênio (H') e um ânion. Conforme iá mencionado. As ligaçõesquín. ou seja.los átomos unidos em moléculas ou compostos. que a produção de H* é baixa. A o RCP deve.O ar que respiramoscontém aproximadamente I19/o de oxigênio. ou ácido acético. \'Íuitas delas processam-se muito lentamente.irogênio. A quantidade de H* é o que determina o grau de acidez de uma solução. sem um à Jontínuo fornecimento dessegás.rè. cessa transporte de oxigênio para os tecidos. íon cloreto (Cl-). Essa interação química ca:acteriza-sepela quebra das ligaçóesquímicas da gli. O oxigênio é essencial vida.ráquina. a rapi.lemento é composto por milhões de átomos idênticos. Caso . encontrado no interior do estômago.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo .ricas formadas pela interação de um áromo com são rìurro. ser iniciada imediatamente. Sua :ormação ocorre quando o alimento é decomposto :. em conseqüência. ligação coi alente e ponte de hidrogênio. Certas reações químicas ocorrem apenasem meios em que há o equilíbrio ácido-base. Os ca' .roduzindodióxido de carbono e água. a energia dos alimentos que ingerimos. o carbono e o nitrogênio.se não dispuser de energia. A transferênciade elé:rons é responsáveltambém pela formação de íons cátions e ânions). como o ácido clorídrico (HCl). é um exemplo de ácido forte.dependendo dos tecidos atingidos.. O ácido clorídrico. Suco de laranja. tem baixo grau de dissociaçáo. permanece em sua maior parte na forma não-dissociada. Como uma r.os de Ìigaçõesquímicas são:ligação iônica. Um ácido fraco.rotivo da urgência de um procedimento como a res\uscitaçãocardiopulmonar (RCP). por exemplo.ìromosde oxigênio. Além do gosto azedo.ontrário.aquele que produz grande quantidade de íons hidrogênio (H*) (e.A reaçãoé representada seguinteforma: da CcHrzOe + Oz glicose oxigênio COz + H2O + Energia dióxido âgua de carbono Nessareação. fu célulasutilizam o oxigênio para extrair. para . . A importância do oxigênio para o corpo é o r.Por exemplo. Essadissociaçãoé representadada seguinte forma: H C ácido clorídrico I J H + + íon hidrogênio ctíon cloreto REAçÕES OUirnlCaS Uma reação química é o processo de interação .lra a obtenção de energia.umamolécula O oxigênio composra dois por . Cada .) . vinagre. ácidos fortes podem causarlesóesgraves. o componente mais importante é o H*.é um O ácido fraco. Se o coração pá'rade :'ì:ìrer. Como o número de íons hidrogênio (H*) determi na a acidezda soÌução. t)s átomos são compostos de partículas subatômicas -hamadas prótons.A matéria é composta por elementoscomo o hi. o vinagre é classificado como um ácido fraco. . pode lesaros tecidos dos olhos. o cérebropode sofrer lesões irreversíveis.lez com que elas ocorrem) é um fator importante. A dissociaçáo está representadaabaixo: Vinagre + H++acetato A seta mais escura (apontando para a esquerda) informa que a maior parte do vinagre náo se altera e.ose e do oxigênio. . possibili:ando que o corpo entre em atividade. podem causarqueimaduras graves. Dióxido de Cqrbono O dióxido de carbono (COz) é um composto fornrado pela uniáo de um átomo de carbono com dois .'.

ro orôrn"go.é íon íon... acidezou alcalinidade. pH do suco de limão e do vimaior que naere.1" conversãoem água.da base' formando ácido-combina-se o. o na escala.t se conclui "t". 2 .foi l. hidrosênio.r"çao dË Ht' lor o\ o* -o o "fraquezd'explicaPorquenáo nos quelmamos'ao Essa torte que manipulaì o vinagie..rir'".t. outros íons também se combi.com pH variando de 8 a 10' nais sáo . Alãdirro..esn".. tuas'soluçóessão chamadas brísicas a escalade pH mede o grau de calinas. *'õb.osímbolo r"" úìã-"if a inegativo)' "pt"tttttttdo . quãimar a ponto õ.d*id"o sodió(NaoH) é um exrcmplo (Na.alin". como antiácidos' O em antiácidos' o é uma das basesmais usadas iltil.6 ) ' o número d9 H' e1 âguapura pH7 ' -gaio da e'scala' é ieual ao númeìo de OH-' A solução é' portanto' indica que a Ú. contêm um o H'(positivo).. de íons H* presentes No ponto e s c a l ad e p H v a r i a d e 0 a 1 4 ( F i g ' .:.. uma base .oafinidasão ..Ãbirr"--re (e do OH-) e sua ã" r.. foi eliminado..rçaotJrna-semenos ácida com a adi. f.ã cáo é âcida.al e produz sal e água: o ácido."çao estáno consumo do H' .gt*des de7 d: unidaáe pÏ (digamos' para6) pH dos Liquidos do CorPo Os do líquidos corpo' lío ObservepH dealguns d. ô l Medidql A Escolode PH indica a O pII é uma unidade de medida que em uma solução'A ournriã"d. õür.louiMlcA BASICA 28 r Copítulo2 de O íon hidroxila (OHì é um íon consumidor OH. e o Clnam e formam um sal. de 7ìïãi.. a úlce..O HCI' entretanto'é táo nossapele' de atravessar â.."çao quírãi. O pH da urina a dieJ" ã. ou seja.Ambos são menoresque 7' Um pH Ort-' Essassubstâncias quantidad. oort" alterá-lo..-i" a.... il.pH menor que Z l-a e-scala . o NaCl' . U"t. ô-hie.. ì v . dei vezes (de 7 pata 5) indica uma ..d: variaçõesdfconcentraçáo de H*' .". Poro que servem os ontiócidos? de ácido Pacientescom úlcera costumam ter excesso O ácido estomacal (ácido clorídrico) pode . p"r. hidróxido de ãroe"r rao . i a 8.a é representadada seguinte HCI ácido + NaOH base HzO água + NaCl saÌ se Em uma reaçáo de neutralização' um ácido combina com uma baseformando sal e água' AntiácidoO hidrogênio) H* 1íon j 9. Neutrqlizqçõo de Ácidos e Bqses a uma base' o H* do Quando um ácido se mistura com o OH.il.àl. embora uma sériede fatores' como A urina pode tornar-se até mesmo i"..nte ã.:J. ã..-i^ao sáo excrezado peio antiácidà.id".ifèt*ç" de duas unidades de H* cem vezesmaiôr' O g".Á"ior ou alra.. .ma Bcses Uma base tem gosto amargo e é escorrega{" ". As base"s substãnciasque têm -.. o ácido é neutralizado' forma: Érr" t.ã-". õ ú"OH dissocia-se íonssódio varlando são ouidos estomaèais muito ácidos'com pH normalmente é ácido' varianà.orrh. lntestlem função de uma dieta' As secreçóes "l.t. Em outras palavras' o "envolveníon hidrogênio e a ele tt.pelo forma: íons hidroxila (OH-) da seguinte NaOHrNa++OH- maior' tJma indica uma concentração dË H."l:' ô.fã "ìr"fa" Ü.)e em J.. Por exemplo' O Na* Aìm-portânformando um sal. H* do ãnio. n. .o.ütt.il"..""i*ça" Jiferençasmuito pequenasna leitura do pH á.ã. ú"t.. ção de uma base.o"ita (OH-) combina-secom o cátion neutrali.ã..rr. O sal e a água produzidos Dessaforma.ü. alcalinas.bm resumo.rdo com drogasque contenham Por neutralizarem o ácido' estas em sua composição. Leiturq do Escqlq de PH de Cada unidade de pH representauma diferença exemplo' uma didezvez. .r. pois geralme..urr"i1..it"it H* do que oH-' Neste caso' a solu.t nia. o ácido que lrrltava tados pelo organismo. internas do estômago' causando ra.

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudovel Enfermo . e Valor do pH 0 Exemplos de soluções Ácidohidroclorídrico

29

do sangue desempenharem melhor suas funçóes em condições de pH normal, tanto a acidose como a alcalose são problemas clínicos sérios e devem ser corrigidos. A necessidadede manter a alcalinidade normal é a razáo pela qual se monitora cuidadosamente o pH do sangue de um paciente, no transcorref de uma doença.

Suco de limão Conteúdogástrico(1 - 4 ) Vinagre,vinho

Reguloçõo do pH do Songue
O pH do sangue é regulado minuto a minuro, por três maneiras: por um sistema tampáo, pelos pulmões e pelos rins. O sistema tampão é a primeira linha de defesa contra variações do pH sangüíneo. Um tampão é uma substância química que previne grandes variações de pH; ele age de dois modos. Se a concentração de H* no sangue aumenta, o tampão remove o excesso íons hidrogênio, de modo que o pH volta a de seu nível normal. Se, ao contrário, a concentração de H* diminui, o tampão cede H* ao sangue trazendo o pH ao nível normal. (Uma descrição mais detalhada da atuação do tampão seráfeita no Capítulo 21.) A segunda e a terceira liúas de defesana regula$o do pH sangüíneo são os pulmóes e os rins. (Estesprocessosde regulaçãoserãodescritosnos Capítulos 18,20 e2l.)

;ÌÍ::

v'35-7'45) ,-lt"nn'"
]conterioo

*nEgUtll|DO!

Milhõesdereaçóes químicas

:J,:"(8-10)
11 12 Amôniadoméstica

13

14 Hidróxido sódio de

FIGURA 2'ó . Escalade pH. A escala indica a concentracão de H-. Um pH iguala 0 é o maisácido(tem gr"nd..on.ent."ção de H*), enquanto um pH iguala14 é o menosácido (baixíssima concentração H.). A cor rosaindica acidez,e a cor azul basicide dade (ou alcalinidade).Observeo pH de algumassubstâncias conhecidas.

ocorrem no corpo a cada minuto. Reações químicas são processosque convertem uma substância química em outra. As reaçóesquímicas absorvem ou liberam energia. A velocidade das reaçõesquímicas pode ser aumentada com o auxílio de catalisadoresou enzimas. O funcionamento normal do corpo requer um equilíbrio entre ácidos e bases.A concentração do íon hidrogênio é medida pela escalade pH. O pH normal do sanguevaria de 7,35 a7,45, sendo,portanto, ligeiramente alcalino. Quando o pH cai abaixo de 7 ,35, diz-se que apessoa éacidótica; quando o pH sobe acima de 7,45, a pessoaé alcalótica. O pH do sangue é mantido nos níveis normais por três mecanismos: tampóes (ou soluções-tampão), pulmóes e rins.

ENTRGIA
Ao contrário da matéria, a energia, definida como a capacidade de realizar trabalho, não pode ser vista ou pesada;ela pode apenasser medida, através de seusefeitos sobre a matéria. O corpo depende de um suprimento constante de energia. Mesmo em repouso, ele está continuamente trabalhando e consumindo energia. O músculo cardíaco, por exemplo, contrai e relaxa sem cessar,bombeando o sangue através de uma extensa rede de vasos sangüíneos. Células nervosas e musculares estáo continuamente bombeando íons sódio paraforado corpo celular, dando início à formação do impulso nervoso. As células do pâncreas produzem enzimas ininterruptamente para que possamosdigerir nossosalimentos. Em resumo: sem energia, o corpo deixaria de funcionar.

O pH do sangue mantido nos limites de uma esé treitavariaçá de 7,35 a 7 ,45, sendo,porranto,leveo mentealcalino.Desse modo, um pH sangüíneo menor que 7,35 é maisácidoque o normal. Nestecaso, diz-seque o paciente acidótico.Seo pH do sangue é de um pacienteé maior que7,45, o pacienteé classificado como alcalótico.Devido ao fato de asproteínas

/ 3O r Copitvlo2 aUíMICABASICA

formsE de fnergitl
naTâExistem seisformas de energia' apresentadas mecânica*m""iftsta-tt em forma brl; ;-à: Ãenergia os.músculos das de movimento. Por exemplo, quando A camisuaspernasse contraem' u"tê p"dt caminhar' mecânica' A Ã",',if.,t"ção da energia ;á ;ï;i; nas qúmica é armaz'enada ligações químicas; enersia -",,té"' os átomos ttttidot' Quando as âïã.;gÌ;;; química é iin""o.Jq,rí-icas são quebradas' a energia de um automosemelhanteao movimento do motor na queima ou decomposição do ;iï;;;;ãlib.r"d" o motor' e o .ombrrstírrãl é usada para movimentar andar' movimento do motor faz o automóvel

ïrnnsferêntin de frergiu: O Popel d*r Adenosintl TriÍogÍüto
vem dos A energia usada para ativar nossos corpos (F.is' 2-7A)' Com a decomingerìmos di-;;;;;ï;. é a.energia libera;;;i;;" doJ di-ãntos na dig"estão' pode ser usadadire.",*o"to,"não ã;:il;;t*i^, .el,'I"' do corpó' A energia deve' ;;;;;-;;1"ï comPosto p orimeiro, ser transFerida ara um outro mbé m co n h ecido trifosfato' ta ;.ttotitt" :h;;;à; abreviaçãoAIP. oela t"'õATP; uma molécula transferidora de energia' açúcar e três composta de três partes: uma base' um

ouparadesempenhar serutilizada iiil;à;,;;ilJo .t,,ï é Esse alimèntos' processo i;üá.t, comodigerir

;;;i^*j;i",o,(FË.

{onv*r*ão

d* Ênergio

de uma A energia pode, facilmente' ser convertida quando um.tronco de Por exemplo' for-".À"o*ira. armaze' madeira é queimado, a energiaquímica.nele térmica) e l uz .m c'lo'ie'ãrgia ; .; ;;; "-'';;rid" a energra i"""tni" luminosa). De modo semelhante' nos músculos é convertida em ;;í-i;;;;;enada e momecânica,quando o músculo se contrai ;.;ni; vimáta um membro' '"^A^;;;.rsão de energia no corpo ge.ralmenteé músculos de produçãã de c^lot' Q"*+" lntensos' ".o-o-h"da duraÃtea reilizaçãode exercÍctos ...on,r".tanto em energiarnecâquímica é convertida "."ã*i" q""",o em calor' Basta lembrar o ;t* i:,'l.,1;.rrio; O quanto seu corpo esquenta quando você se exercita' de sua temperatura) .orpo (. à **uiençáo .';;; à;; p.fa co""tr'ão de energia' (Arnanutenção Z p..J"riaà 6') da temperatura corpórea é descritano Capítulo

Os grupos a oostostatoserao parteprincipaldo ATP de poittt tipo especial ligação t tf"i"-.tia. unidás o"d"l"do"ttttt ót gruposfosfato' qìi-i.". Os traços de alta de i"-nn"t", indicam a existência ligãções são ligaçóes rompidas'uma ;#i;. ô;"ndo."" essa en€rgra é quÀtidade de energia liberada; nr"^ã. pelacélula'para dire"tamente A;;^;;i. ;.; utilizada suas desemPenhar runçoes' . r r. tiPo de ligaçáo(dt 4^r^ ,,nàd^nesse A enersia -?a'ada à ene'gia armazenada ." ;.,g;Ë;il;;'; armazenada em uma ratoeira "t-"d"' A energiaé d" r".o'i'" é,P",'.1;q*ïdl " rato de;il;";;I" De energia' a a sarma ratoelra' mola é solia'liberando de enerÃãão ,.^.thante, quando o corpo necessita aÍmazeque estava sia, o ATP é rompido e a energia 'E* a ligação,que o,ltttt-palavras' i"á" e liberada. ÌlDee fosfato quebrada' mantinhaunidosos gruPos o.ATP proda ligaçã"o ;;;ã; ;;;úia. Comã qi'^'bl3 difosfato) e-P (fosfato)' Esse a"" Àop ("adenosina abaixo: está processo rePresentado AIP' + Energia ADP + P

os estudo' sru2-78)'Em nosso

FORMADEENERGIA
Mecânica

DESCR'|çÃo
Energia que causa o movìmento

EXEMPTO
na caminhada; Movimento das pernas na corrida e do músculo cardíaco' provocando o contração movimento do sangue como PoÍ Combustível para reabzar trabalho' exemplo correr da Sinal elétrico envolvido na transmissão nervos informação Pelos radiação Luz: estimula os olhos para a visão; do Sol que causa o bronzeamento ultravioleta Responsável pela temperatura corporal Sem uso fisiológico

Química

químicas Energia que é armazenada nas ligaçóes Energia que é liberada a partir do movimento de partículas carregadas E n e r g i aq u e v i a i a e m o n d a s de Energia que é transferida devido à diferença tempefatura Energia que é liberada durante a decomposição isótopos de substâncias radioativas como os

Elétrica Luminosa Térmica Nuclear

\.

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e

3f

\b
B
Estrutura ATP: do
Ligaçoesde alta energia

+J

|

'"tt''

Fosfato

.\
' L i \____ì-__J

,,

Açúcar

\iis obtemos a energia dos ali:Ììcntos. B, A energia é armazena.:.r nas ligações de alta energia do \.fP (adenosina trifosfato). C, A -:rergia armazenadana mola da ra: . ' c i i a é l i b e r a d ac u a n d o a r a r o e i r a r .lesarmada.

F|GURA 2-7 " Energia. A,

c
Energia armazenada
i,=í'
iÊì

,7-<:Ç*.$1

O ADP é idêntico ao AIB excero por rer um srup,o fosfato a menos. O ATP é restaurado quanão a cnergia obtida na queima dos alimentos liga novamente o último grupo fosfato ao ADB conforme representadoabaixo:

ADP+P+Energia-ATP

Il/U JRAs, SOt{rçOEs STt Ë SUSPENSOES
Você encontrará,vários termos químicos em situaçõesclínicas. Misturas sáo combinações de duas ou mais substâncias, que podem ser separadaspor processosfísicos simples. Quando separadas,as subsrânciasmanrêm suas propriedades originais. Por exemplo, imagine uma mistura de açúcar e limalha de ferro à qual você

aproxima um ímã. Ele atrairá todo o ferro, afastandoo do açúcar, ou seja, separando as duas substâncias. Note que as duas substânciasmantiveram suaspropriedades originais; o açúcar conrinua sendo açúcar, e o ferro continua sendo ferro. Soluções são misturas. Em uma solução, as partículas que são misturadas, ficam igualmente distribuídas.A mistura de sal e âguaé um exemplo de solução. Uma solução compõe-se de duas parres: um solvenre e um soluto. O soluto é a substância presenreem menor quanddade; é a substânciaque esrásendo dissolvida. Na solução de sal e âgua, o sal é o soluto. O soluto pode r.. iólido, líquidã ou gasoso. O solvente é o componente da solução presenre em maior quantidade; é o responsávelpela dissoluçáo. Na solução de sal e âgua, a água é o solvenre. O solvente geralmente é um líquido ou um gás. Solução aÍluosa é aquela que tem água como solvente. Se o solvente é um álcool, a solução é chamada tintura.

Moléculos compostos e dióxido de corbono. Umo boseé umo subslôncio se combinocom o de A H*. e morre. Sem um suprimento adequado de energia. Elenrenlos c Áiomos A. Um composto umo subslôncio (por exemgom-sedois ou moisótomosdiferentes plo: HzO). Um iófopo é um ólomo com o mesmo número olômico. c.45.32 r Copítu1o2/ouítrtlcaBAslcA recida com gelatina ou muco. lornondo-se umo subsfôncio mois simples olrovés do enrissõo de ondos elelromognélicos ou de porlículos. A energia é obtida dos alimentos e transferida para as ligafoes d. A molério pode sofrer ronsbrmoções físicose químicos. se 3. O pH do songue cuio songuetem pH menorque 7. Elemennos que l. Suspensões também são misturas. oitoelârons iônicosse brmom quondoocorrelrons2. G. liquido e gososo. Um 3.elo é olcolótico. padodrr. lúolério é quolquercoisoque ocupelugor no espoÇo e que |enho mosso. ou moisólomos(poro<emplo: H2O). que circundom o núcleo em órbitos elétricos. óguo. 2. nârtÍìons oólons. Outros exemplos de suspensõescoloidais são a maionese. Um rodioiólopo é um iótopo inslúvel que se decomPõe.ocorre o comportilhomento externos.um pH menorque 7 é ócido. Um eletrólitoé umo substôncio processo chomoé em quondodissolvido óguo. locolizodosno núcleodo ólomo. em nõo pode ser decomposüo formos mois simples olrcìós de rco@esquimicoscomuns(corbono. Umo moléculo umosubsfôncio 02. Se areia e água forem misturadas e agitadas e. no intede roçõó enhe ótomos. Ponles hidrogêniosõo ligoçõesintermoleculores. tolêrio l. A escolode pH medeocideze olcolinidode.Um cótioné um ion corregodo positivomenle.se o pH do songuefor moior que7. soluçóes e suspensões.porlonto. podeconler O de número especiftco elétrons. Formoçõo de ions o l. neuholizoçõo um ócido por umo boseproduzsole óguo. posteriormente. O número olômico é o número de prólons presenles no núcleo.35 e7. que se mantêm em suspensão no líquido. o soluto se dissolve completamente.é o menor que monlémos suoscorocfeporte de um elemenlo íslicos químicos. A.Ârcnros l. Âcidos e Bqses l. Este do ionizoçõo. mos com difurenle mosso olômico.com um soldoposiÌivoou negotivo de coigo elétrico. nârlÍìons e pólons. mesmo se não forem Um colóide é uma substância pegajosa. déixadas em repouso. As ligoções dos os poro estobilizor comodos brêniio de elétrons ólomosenvolvidos. Em uma suspenúo. as partículas sáp relativamente grandes' e tendem a se depositar no fundo do recipiente' a menos que a mistura seja agitada continuamente. isto é. B. consumindo-o. 2.e um pH moiorque Z é bósicoou olcolino. teiiêrio. Combinaçóes químicas incluem misturas. níre|moispróximo níveis. oxigênio e 2. elas são tão pequenas. ele não se deposita. . normolvorio entre7. Um elemenloé umo subslônciofrrndomentol.A quontidode H* em suo determino ocidez. oulros do núcleo codoum. C. Um íon ê um ótomocomelékons moisou o menos. Msso corpo é conslituídode dibrentes subdônciosquÊ conhecerolguns é micos. Acido ê um eletrólitoque se dissocioliberondoíons de hidrogênio{H*) e ônions. Energia é a capacidade de reafizar trabalho. O plasma sangüíneo é uma suspensãocoloidal. e elé{rons. Oólomoécomposlo de três portículossubolômicos: O ólomo é composlo ótomo. Em uma suspensáo coloidal. a energia é liberada do ÂIP e usada para ativar o corpo. porém. TR. Quando necessária. hidrogênio. alta energia do ATP. órbitodetónicq. os podeconler doiselé{rons. O. a areia gradualmente se depositÃrá. sem partículas visíveis. onde as proteínas estão suspensas. Quotro elernentos nihogêniol compõem9ó%dos élulos do corpo. As ligoçõescovolentes formomquon4o. umosoluçõo que 2. oxigênio importontes: e 3. a clara de oYo e as geléias. llolêculos e Compostos formodopor dois é l.35 é Umo pessoo chomodoocidótico. de ou o que nõo envolvem tronsbrêncio o comportilhomentode eléhons. Íicondo.odo comodo. pH iguolo 7 é neulro. A mqsso olômico é o mosso dos nêutrons e póbns no núcleo. il. O corpo contém muitas substâncias coloidais. B.ESUilINDO! Uma solução é sempre límpida. o corpo não pode funcionar. 2. dos elétrons comodos 4.A mqlério exisleem kês esbdos: solido. um ônion um íon corregodonegotie vomenle. NÍreis Elefrônicos e ligoções um ou t. as partículas não se dissolvem.45. que formo íons. hneruções Gluimicos A. Íormodqquondoliê 2.Porocompreendê-lo necessório geroisquimicos principios l. O ólomoé o unidodebósicodo molério.

.

o núcleo e asorganelas. osmose.filtração e transporte ativo. Explicar a função do núcleo. Comparar assoluçóesisotônica. asproteínas e os pofos. 5. 7. Descreverasfunções dasprincipais organelascelulares. Explicar o que se entende por diferenciaçãocelular. 35 . 3. Distinguir Íansporte ativo de üansporte passivo. atravésda membrana celular: difusão. o citoplasma. Descrevero movimento das substâncias faciliada. difusão 6. 9.LU ilcÊ O bjetivos Elaborar um diagrama das partesprincipais de uma célula típica. hipotônica e hipertônica.incluindo as camadaslípídicas. 2. Identificar a estrutura da membrana celular. 4. 8. com a membrana celular. Descreveros cinco estágiosda mitose (divisão celular).

t ".. J: rì rm= ïï:il i:"ÌÍ com um microscópio um frag\--..geral Embora ocorram diferenças..h"-ol de toda a A célula é a unidade morfofuncional maneira consideráAs células variam de -"..i".""-i"""" de cortiça. elétricos formas permitem que elastransportem sinais estruturae a distâncias'..s ã o m i n ú s c u l a s ' um mepode uÌtrapassar um..-br"'t .:tprema célulasdo oro oxigênio para todas al ìã"t.t monges testruturas de células' essas . forma e função' tu células vermelhas .ï..fna de possuia capacidade se dobrar' Essatorma Permlre s no interior dos capilares angüíã.mosteiro' Assim' Hooke pããtt pá...ou as células' ocuq". . e i"i" ". enquanto d o s a n g u e .áulas tambéni são muito diferentes' do sangue é de aspecto globuloso. A céì"t^ a^ .g*..i.p o r e x e m p l o .úi.r-" célula nervor"tt' tt-" célula ou todas as propriedadesde il.iUïa são muito lon-gase céiulas t**ot"t l""it-..."lg"-" uma célula tíPica.i-.3ó . Cada célula especializadaL vermelha do oto .ìi". for-" rápida' em longas função celular estáo intimamente relacronadas' uMACÊlun rincl em.nho. Copftulo3/cÉLuÁs ïlï^ï:ïÏJ:....as células A Figura 3-2 ilustra Dossuemdiversassemelhançás' couma célula típica com todos os seuscomponentes tgmo Por exemnhecidos..l1nas as estrutro de comprimento..t'. Robert Hooke observouestruilrras *Ão os quartos'.4 J.t.plei célula nérvosa e (Fig' 3-l)' As to. FIGURA 3'l r Célulasde diferentesformase tamanhos' .ii-..-efgumas aísemelham a arbustos ou árvores' Essas il. l.*.

.. os poros grandes da membrana nuclear permitem que o RNAm se movimente do núcleo paÍao citoplasma. co:ìo o oxigênio ou o gás carbônico. meio através do qual se movimentam os nutrientes e os resíduos celulares Contém a informação genética. ou dar preferênciaàs substâncias . a membrana pode ser seletivamente permeável . rüem O que compóe a membrana celular?A membrana -clular é composta principalmente de fosfolipídios. lipídica e utilizam os poros. ou fluindo pelos eletricamente. nas caporos formam canais atravésdos nadas lipídicas. Somente substâncias selecionadas penetrar ou passaratravésda membrana celular. é produzida no núcleo mas atua no citoplasma. onde a proteína é sintetizada Local de síntese de esteróides Converte a energia dos nutrientes em ÂIP ("usina de forç1' da célula) \úcleo \ucléo1o Retículo endoplasmático (RE) Rugoso Liso \Íirocôndria .ílios Flagelos Acondiciona a proteína envolvendo-a com uma membrana. ou poros. A gema é o núcleo e a clara. controla o que entra e o que sai da célula Envolve e fornece suporte às organelas. Substânciasmaiores que os poros não podem atravessara membrana.rm. (Fig.u semipeÍmeável. Âs substâncias atravessama membrana seletiva:rlente permeável dissolvidas na sua parte lipídica. 3-2). uma molécula grande.. {re separao material do-interior da célula (intracelular) jrqueie situado fora dela (extracelular). As célulasvermelhasmaãuras do sangue não apresentam núcleo. â membrana nucleaÍ. Envolvendo o núcleo existe uma membrana de paredesduplas. a membrana realizaoutras fun. atuam como sítios de ligaçáo para . Além de man:cr o conteúdo celular. '-.. e diver.Assim. enquanto que outras.e proteína. fagocitose através de enzimas Potentes Proporciona o suporte celular e dá forma à célula Auxiliam na separação dos cromossomos durante a mitose Criam movimentos sobre a superfície externa das céluìas Produzem os movimentos celulares (permitem que os espermatozóides nadem) À célula é envolvida por uma membrana. que apresenta poros grandes. fluem facilmente atravésdeles.ts estruturas minúsculas sáo encontradasem seu incompo:crior.resimportantes.'idio e o cloreto. O tamanho dos poros também auxilia na seleçãode quais substânciasirão atravessara membrana. Por exemplo. Membrqna Celulcr -\ célula é envolvida Dor uma membfana celulaf. Por sele-i: substâncias que a atraves-ionar. em \ moléculas de proteína da membranarcalízamvárias ::rnçóesimportantes: proporcionam o suporte estfu:-rral da membrana. lJma das principais é a de selecionar que entram ou saem da célula.\parelho de Golgi Ribossomos Lisossomos Ciroesqueleto Ce ntrío1os (. dá os retoques finais à proteína Local de síntese de proteína "Varredores" do interior da célula. como o foros. não podem penetrar na membrana O Inferior du Cólulo O interior de uma célula é semelhante ao de um ovo cru. o ácido ribonucléico mensageiro (RNAm). Esses . . centro de controle da célula Forma os ribossomos Tiansporta material através do citoplasma Contém os ribossomos.rganizados duas camadas. A Tabela 3-1 resume as funções desses ::cnrescelulares.Soudóvel Enfermo ' e do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono 37 CELUTAR ESTRUTURA \Íembrana celular Citoplasma FUNçÃO Contém as estruturas celulares. Substânciascarregadas '. o citoplasma.t uais cirèulam a ágtrae substânciasnela dissolvidas. .como o sódio e o cloreto. apresentamvários núcleos. Núcleo O núcleo é o centro de controle de toda a atividade celular (Fig. hormônios e delimitam orifícios. A maioria das células adultas Dossuisomente um núcleo.ttqü"nto iubstâncias menores. e está dividido em dois compartimentos: o núcleo e o citoplasma. 3-3). como algumas células brancas do sangue.Estespermitem o livre movimento de determinadas substânciasentre o citoplasma e o núcleo.

-. u". ou seia.é muito ativo e. .".".no ovo)' Essegel é composto Jo .do "ii"id"dê celular' .tabolism"o' O citoplasmacontém e corpos de inclusão' As organelas'ou peofgan€las . Localize as organelas naFiguta3-2' ORc.A s c é l u l a só s s e a sq u e s a o mitoiôndrias Citoplosmo é O Gnl Ctropi-asMÁTlco.. nutrientes-e prodiversas ã.o.Í.r.i. o quáo difícil é o trabalho metabólica da céluÃ"ir'.i.ttá.r. filamentosas que contém os genes' quenos órgãos."" . Portanto' aPresenta ' p o r c é l u l a .possuemcada uma a sua função espetemporáàf.r.'ã. ou produor o.úolãt.orra.e m f o r m a d e s a p a t o ' q u e metabólica da com a õ. O.'d.o..J..".-".r'. copítulo3/cÉLuÁS Microtúbulo Centríolos llvre Ribossomo Membranacelular Mitocôndria Citoplasma Membrana nuclear Lisossomo Nucléolo Aparelho de Golgi endoPlasmático Retículo (com rugoso aderidos) ribossomos liso RetículoendoPlasmático tíPica' FIGURA 3-2 ' Umacélula O núcleo é preenchido por umasubstância gelaticonnosa denomináda nucleoplasma' Ele também duas pequenasïstruturas: (1) o nucléolo' aé.. as vesículas nulos. eletrólitos.".p"r.ieo... citoplasma umasubs- e fora tância selatinosa situada no inteiior da célula (como a clara.o principalmente de água.qNPrasCtroPr-tsluÁtrces são organelas Mitocôndrias.b.u"d.ia. relacionado à síntese e (2) a cromatina. As mitocôndrias variam em m i n ú s c u l a s .ttomos . iotpoï de inclusáo sáo estruturas são constantementel l"t 0". composta de es. a atividade ô"""i" número de mitocôndrias' O fígado' por È.tú..ì.e desaparecem e secretoras os dtterentesgrao. multas exemplo.-'.3g .'é1rrl". ..r.

Enzimas Membrana interna Mitocôndria FIGURA 3-4 r Mitocôndria'Como a maior partedo AIP é produzida mitocôndrias.i.rcélula. proreínas criamos ooros. sãoconhecidas nas elas como as"usinas força' de .Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r 39 e Cadeiade carboidratos Espaçoextracelular ------\ Glicoproteína Fos Íolipídio l t _L ^ t_ Fosfato^À^i^ de lipídios Citoesqueleto Proteína (que Íorma poros) Espaçointracelular (citoplasma) FIGURA 3-3 * Estrutura da membranacelular. \. .Observea camadadupÌa fosfolipídicae asproteínasespalhadas enrre os fosfolipídios.

i*üifl )-L) :1''. à nadas síntese ' d..''t.ï:ô cristas' As enzimas' 'ïthÍi#gxÏ. .'tr.1.J.orpo ao {rP) estáo situadas longo das e ì'*i""" álisa'ne.irão.r."â"Ï.tJ.'"ïï:t'. Ribossomos'':ï:ï.'i:t[iãiï'ãi'"'a'i^'fi elassáo citoPlasma \|rg' (ATP)' oa lïJ. coPítulo3/cÉLULAS menos ativas metabolicamente' núapresentam um .ond.ïËJ"tf..ï:.À.ï.. J''.'ff.rf'tìr"7' G' o O Exteriorda célula Membranacelular @ @ @ ParaoutrasPâr s Paraseremexportadas írouRA deGotgi g-s ' Apate\ho do corPo humano' ..ri-.i.:ïiüi:Ki..qtìF(-RE)": :ïi..ú pt::t]::*t.:ïï.i" liïffi .Ï3ï: Retículn Endopwlnal'"" Ïij-* '. 0'." no Capítulo ao retículoèndo- 1'r".#.lilii::..ï:ilkH:: . interór do prõduzi..- rem a maïor Parte Retículo ándoPlasmátlco rugoso de AParelho Golgi lnteriorda célula Pr< O @ .4O .' d*'ï:l#ï\ïo..x'm#rarumïf ' .lllt^o- caduas possui Ëü.."""ryÌ'::ï.

O RE que não contém ribossomos em sua superftcie apresentauma superftcie lisa. Essassubsúncias são necessárias conteúdo da célula e dwem poranto ao atravessara membrana celular. Os resíduos Éelulares. auxiliando na eliminação do muco e de partículas de pó que penetram nessas vias.Anolomio e Fisiologio Corpo HumonoSoudóvel Enfermo r 4l e do gueadas formam canais através dos quais as substâncias se movimentam. O movimento celular é particularmente evidente nas células musculares. formando uma vesícula secretora. sáo mais espessos. Centríolos. O citoesqueleto participa na manutençáo daforma da célula e auxilia nos diferentes tipos de movimento celular. As enzimas dos lisossomos decompóem os fragmentos e resíduos intracelulares. eliminados do organismo. Os lisossomos são sacosmembranosos que contêm enzimas hidrolíticas potentes. microtubulares. o aparelho de Golgi acondiciona a proteína para ser secretada. O interior da célula é dividido em núcleo e citoplasma. e são considerados como organelas digestórias. que o capacitaanadar no sêmen. Entáo. As proteínas sintetizadas no RER são transportadas para o aparelho de Golgi através dos canais formados pelo RE. No Superfície do Membrqno Celulqr Cilios Os cflios são pequenas projeções em forma de pêlos visíveis sobre a superfície externa da célula. . ou organelas. Flogelos aos Os flagelossãosimilares cíliosumavezque ambos se assemelham a pequenos pêlos. Dessa forma. por conseguinte. Por exemplo. como"participar da destruição de bactérias num processodenominado fagocitose. em direção à faringe. Os cílios apresentam movimentos em ondas que vão conduzindo as substâncias ao longo da superftcie celular. Citoesquelela. as celulas são banhadas por um líquido extracelular que é rico em nutrientes como oxigênio. O RER está relacionado principalmente à sínteseprotéica. Todavia. mais longos e estáo relacionados à movimenta$o das células. um segmento de membrana do aparelho enrola-se ao redor da proteína e se destaca. Os centríolos possuem o aspecto de um bastão e são estruturas pares. Essasenzimas desempenham diversas outras funções. O citoplasma contém vários órgãos pequenos. glicose e aminoácidos. O aparelho de Golgi dá os retoques finais nas proteínas. Elas também auxiliam no processode diminuição do tamanho de um 6rgiao. cada qual com uma tarefa especial para cumprir.Dessa forma. Existem dois tipos de RE.A proteína sintetizada ao longo do RER é transportada pelo aparelho de Golgi para processamentoposterior. sendo por isso denominado retículo endoplasmático liso (REL). os flagelos aparecem em menor número. *nESUtllllDO! A célula a unidade morfoé funcional de toda matéria viva. A fumaça do cigarro danifica os cílios. uma molécula de glicose pode estar aderida a uma proteína no interior do aparelho de Golgi. que possuem uma grande quantidade de microfilamentos. como acontece com o útero nas semanas subseqüenres ao parto. A célula é envolvida por uma membrana celular. privando os fumantes dessebenefício. A cauda do espermatoz. O citoesqueleto é composto por microfilamentos e microtúbulos. como o dióxido de carbono que se acumula ho interior da célula. elas também apresentam muitas semelhanças. Enquanto as células variam consideravelmente.óide é um exemplo de flagelo. Sáo abundantes nas células que revestem as vias aéreas. O núcleo é o centro de controle celular: ele comanda o trabalho interno da célula. O que contém ribossomos ao longo de sua superftcie é denominado retículo endoplasmático rugoso (RER) por possuir uma superfície semelhante a de uma lixa. os cílios ajudam a manter limpas e livres as vias respiratórias. ON MOVIfrIENTO ATRAVÉS MEMBRANA CELUTAR Como mostra a figura abaixo. auxilianão a "mantei a casalimpa".3-5). Lísossomos. O REL se relaciona à síntese de lipídios e esteróides. dwem também atravessara membrana da celula sendo. O aparelho de Golgi é formado por uma série de sacosmembranosos achatados sobrepostos (Fig. que desempenham uma função importante na reprodufo celular. para fora dos pulmóes. Aparelbo de GoQi.

Portanto.. . a bola ãescepela superfïcie. o *"nrfr. proteína' fragmentos) que Existemmecanismos Participamdo-movtmenda aìravés membradissoividas to de áeuae substâncias em dois grupos:os na celiar. Elespodemserdivididos dË mecanismos tratttpotte passivoe os mecanismos um de transporte aúvo..n.l gia.. Movimento de água esubstâncias dissolvidas de água e as substâncias sáo impelidas (de uma área de baixa concentraçáo para uma área de alta Movimento ascendente de uma substância (AIP) concentraçáo).i.. "".rtà'rdiciJnal.A bola rola pelo decÌive.. Necessita de adição de energia Ineestão de substâncias através da membrana celular "'ïË. com a bola se enconÚanáo .. A bola deveserempurrada ìt" por si mesma.i dois tiposde náo passivo necessrde Os mecanismos transPorte tam de energia adicional sob a forma de ATP Essetipo ao de t. ela se movimenta passrvaÃ.."nsporie se assemelha movimento de descida de uma bol" pot um declive.."..opo dessasuperfície inclinada (Fig' 3-6)' Uma vez liberâda.Mecanismosdetransportepassivo-nãonecessitamdeabsorçáodeener. da célula) .42 e Cspitulo3/CELUIÁS MECANISMO Passivo Difusão Difusão facilitada Osmose Filtraçáo Alivo ativo Bombasde transPorte Endocitose Fagocitose Pinocitose Exocitose DESCRIçAO concentração para outra de baixa concentração Movimento de uma substância de uma área de alta uma celular participa do movimento de substâncias de uma molécula auxiliar no interior da membrana área de baixa concentração área de alta concentração parâ uma há mais água para outra onde existe menos água Movimento de água(solvente) de uma área onde a uma área de alta pressão para outra de baixa pressão.n.. através da membrana celular (ato de comer (ato de beber da célula) Inlestão de gotículas líquidas para o exterior da célula Secreçãode produtos celulares (p' ex'.ss.oiia".ro . ATâbela 3-2 aptesenta resucelullr' transporte mo d. os mecanis- A Passivo(decììve) B Atrvo(ac\ive) ffimosdetransporte:âtivoepassivo..absoirr.c.pelo aclive' d..rri " õom a energia emPregada' .. . sem a necessidade de ser emputrada.r energia.A.

a osmosee a filtração.I 3.ÈÉï Alvéolos VasossangüÍneos @ Oxigênio Dióxidode carbono o . Após algum tempo. Ont. O cheiro do gambá se difunde rapidamente. Nlecsnismo* de Trcn*porte Pusrivo que moviOs mecanismosde transporte passivo. e o dióxido de carbono se difunde do sangue para o interior dos alvéolos. a difusão facilitada. como uma bola rolando por um declive. Um tablete é colocado no recipiente 1.. . c1e transporte passivodeterminam o movimento . ele se dissoive e se espalha de maneira uniforme no recipiente 3. 3-6).r. e1adeve ser empurrada.rquae de substânciasdissolvidassem energia adi:ral. Difusõo A difusão é o mecanismo de transporte mais comum. atravésda membrana. A.e Soudóvel Enfermo r 43 do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono .. Paraque a bola se mova para ::. e . "u. ()s mecanismosde transporte ativo necessitamde -:gia sob a forma de AIP E um tipo de transporte . B.o exemplo de difusão: o oxigênio se difunde do pulmáo (alvéolos) para o sangue.. o que requer a adição :nergia. incÌuem a mentam substâncias difusão. e é definida como o movimento de uma subs- FIGURA 3'7 ü Difusão.llh"nte ao movimento de se empurrar uma bola : um aclive (Fig.

....ipientes e ï' A difusão. ."la ilJ..õ.da Jo p'd-ao parao sangue' ã..ân.il.rÃ" at. ('á..-.r.xemplo..Como na difusáo.-ã vez que a gllcose rior do organismo.ú.r-rrl" no sangue. 3-B)' Todavia' nessetipo.t...". a glicose)' é auxiliada por ...'i'i' o dióxido de carbono' um resÍduo que contrário.....continua distrtbuÍdoem toque o coranteieia uniformemente -" o recipiente.. na direção oposta' ou ..on'rid.A.ú. do (Fig'-3d" e"mbá tambémilustraa difusão ô..t..'io' a..inte..ote Pelodeclive' " il. .'.aizcl.." o alvéolo' Dessa de carbono do organismo' o dio*iao -ã. da .:i.de A difusão facilitada é um caso t"' um rËcipientede vidro com .."""r"iaa em dive"os eventos do na determinação movimento .....ã de alvéolo para o sangueporque a concentração no.. parasaturaro ambiente!A ïào dt-ota ?B. c"ri..ã."do e O tabletesedissolve o corantese a""" ffi*.44 .-ti..ü...iatt" Osmose atravésde uma Osmose significa a difusáo da água permeável'ou sefa' que Permembrana selËtivamente enquanto mite a passagemde algumas substânctas traçáo para outra de b"i-" #..do sanguep.Comona$lÏ:-'substânciassedifundemdeumaáreadeaItaconce movimenro' B' A molécula auxili -oieJ..J. célula' A difusão facilitada é da . ##ãïì..."." de (Fig...r"d" como transPorte ã. Lembre-se: uma a para atravessar membrana' a difusão .."h e então é co'nduzida atravésdã membranâ . Ã.. gú'o'e"pula"Pi'i " interior n' t''tpttfície externa da ..Ë.íiÀi"ãt" do se Gú... 3-7A)' ond'ele estámaisconcentrado(re^iir t#....t..sangue'Ao dó aluéolo que .Jê.i""(p' da membt"ttã . mematravés.o oigênio ditunde oxigê- "#Ë..ïì..t.rt" de proteína auxiriar "" -.á fisiológicos' âd"ã ãtrã.úi.ì'.il menosconcioiente l) paraumaáreaonde ele está até 2 .JiltJ..uma molécuÌa trans. CoPitulo3/cÉLUAS taçáo pata outra de tância de uma âtea dealta concent exemplo' um tablete de cor Por b.lé. se movlmentam sáo. se difunde Forma' os pulseia..à.i.de difu.ilã.à" ". "uiílio passivo' ..."ïtp.rirr.. se ""1"ï. transportemuito comum no.*.çto ex'. as substâncias alta concentraçãoPara outra de baixa i..r^çáo' Difusõo Focilitcrdo difuespecial.g" gli. ").

hipotônica e hipertônica. por uma membrana seletivamente permeável (a :rembrana é permeável somente à ág""). a . e dessaforcarnente O coágulo "It*i "tirr. Para descrevero movimento daâgua. a glicose não pode ultrapassar a membrana e fica. Se um glóbulo vermelho é colocado em um recipiente com solução salina normal. ocorrem dois efeitos: (1) a quantidade (ou volume) de água no compartimento B se torna maior que a do compartimento A e (2) as concentraçóesdas soluçóesse alteram nos dois compartimentos. 3-10). não ocorre movimento de água e.rtr"da para outra onde se encontra em menor concentração. portanto. três termos são utilizados: isotônica.ã. Soruçórs HtpotôNtces. por uma membrana semipermeável.O compartimento A conrem uma solução de glicose diluída. A água se move do lado \ para o lado B criando.maior aforça da pressãoosmórica. Tonicidode Note o que ocorre quando dois compartimentos. Por exemplo. retida em seu comDartimento.9o/ode sal). Uma solução isotônica não determina nem o rompimento da membrana e nem o encolhimento do glóbulo vermelho. Elas são normalmente administradas por via endovenosa. Osmose. enquanto a do compartimento B r€ tottÌâ mais diluída. Lembre-se de que a membrana é permeável somenteà água. ele pressiona o tecido cerebral. a célula nem ganha nem perde água.ig.Entretanto. ela pode causarinchaço. As proteínas confinadas atuam por osmose.i. . Uma solução isotônica apresentaconcentração semelhante àquela com a qual está sendo comparada (isa significa a mesma). sendo mais diluída que o conteúdo do interior da célula. dessamaneira.r" prt" si. por osmose (do local com mais âgua para o local com menos âgta). dessaforma. O recipiente de vidro é dividido nos FIGURA 3'9 . Quanto :rraior a concentração. elas podem atrair ìgua para o interior desseespaço. Como a pressáoosmótica atrai águapara o inte:ior de um compartimento. sua membrana se rompe. ou seja. Durante a osmose. com diferentes concentraçõesde soluto (substâncias dissolvidas).apacidade das substânciasdenomina-se pressáo osmótica. sendo a mais comum a solução salina normal (0. Durante a osmose.Soudovel EnÍermo ' e Anotomioe Fisiologio CorpoHumqno do restringe a passagemde outras.a função do glóbulo vermelho é severamentecomprometida. Duas soluçóesdiferentes no recipiente da Figura -l-9 ilustram o fenômeno da osmose. volumes desiguais.ela encolhe. Em ambos os casos. a solução do recipiente é denominada isotônica em relaçáo ao interior do glóbulo vermelho. determinando uma sériede deficiênciasneurológicas.los A e B.por osmose. conhecido como edema. A e B.O recipiente esrá dividido em dois compartimentos.daquele com maior concentração de água para o de menor concentraçáo. As soluções hipotônicas deter- Membranaseletivamente permeável Lado B: solução concentrada . paços teciduais. ma se expande. as concentrações em ambos os lados da membrana são iguais. Sempre que substânciasdissolvidas como glicose ou protèína estiverem confinadas em um determinado cspaço por uma membrana seletiva. ou sofre lise.9o/ode NaCl).A essa . A água pura. se a célula perde ág:ua.igua se difunde de uma área onde ela está mais con. Devido ao fato de ser isotônica. portanto. Soruçóes IsotôNIcas. Se um glóbulo vermeIho é colocado em água pura (isto é. Assim. Esseprocesso causaum acúmulo de água nos espaçosdos tecidos. A soluçáo no compartimento A fica mais concentrada. é denominada soluçáo hipotônica. o interior de uma célula vermelha do sangue (glóbulo vermelho) possui uma concentraçãosimilar à concentraçáo salina normal (0. atraindo aâgmem sua direção. a lesão de tecidos determina perda Je líquido e acúmulo de proteínas no interior dos es- 45 Por que um coógulo songüineo pode _ continuor o se expondir mesmo quando cesso o hemorrogio? Os comDonentesdo coágulo são substânciasosmoti. O fluxo de água induzido por osmose determina o inchaço do tecido inflamado ou lesado. aâgua se move para o interior da célula. Por exemplo. a âgua se move do compartimento A para o compartimento B. enquanto o compartimento B contém uma soluçáo de glicose mais concentrada. A intensidade da pressãoosmótica está diretamente relacionada à concentração da soluçáo. Por que o movimento da águaé um fator importante a ser considerado? Se a célula ganha água. interagem (Fig. Se o coágulo se localiza no interior do encéfalo. a de 5o/oD/A (dextrose ou glicose em água) e a soluçáo de Ringer.". uma solução sem adiçáo de sal). as substânciasdissolvidasnão se movimentam.

ã" ponta da agulha. é .ing". água se diFunde pãra o seu interior' e ela se . í"rtí.os so sangüíneominúsculo. e su1 paredeé formada por u-" ã?f*"a" camada de células que apresentam orifícios.ã-ìfi""lidode i*hãç" cerebrol (liquido no tecido "ü cerebrol)? Como uma solu@ohipertônica contém mais soluto do no que o que estápresente líquido intersticialdo cérebro'a e à .ol. ..orr.-bt"-tta ã". Por que umo soluçõo hiperrô-nico pode ser qãministrqdq por vio endovenoso àe diminuir um eCgmo .iior otili.Em outras palavras. oara fora do encéfalo' o inchaço ou edemadiminui' . bnd. sosoluôão podem seradmihipJtônicasou hipertônicas lucóËs T"da"ia. pode também ilustrar esse água Co-o a águaé hipotônica em relação à saìsi.lho do sangue). A pressáonos capilaresempurra' através dos poror. É devido à hemólise .rpora" a uma diferençaentre as .olas de soluto Ltilolre.o. a ásuasedifunde parafora da célulaem direçáo farendàcom que a celulaseencolha'A r"í"iaã salina.a filtração.tçao salinaconcentrada conhecidacomo uma as hipertônica (sobcondiçóesespeciais.ios minrísculos laterais' Quando a força é no êmbolo. e é fervida em efeito de rompipura.igu" páa. à s Ë r i n g a 1 e s t ác h e i a d e á g u a ' S e u m a Èotï" Z aplicada . soluçóes osmose: Hipertônica tônica e hipertônica.o. . o a da FIGURA 3'lO ' Efeitos hiPoisotônica. coãté.. âguae substânciãsdissolvidas do sangue para os espaços dos tecidos' A esse processo Sot-uçóes HplntÔNtcas.iáo como que não se administraáguapor via endovenosa' ---U-" salsichaqu.-. . U-" seringapode ilustrar o fenômeno da filtração ( F i e .uma pressão'ou torpressões.Se a água pura fosseintrodu. à. a maioria despor via endoven"sa. a hemoglobina que é liberada do glóbulo vermelho rompido poderia danificar seriamente os rins.rro. oriÊíci.rr". determinando o seu aumento e a conseqüente hemólise. " nas atravésde uma membrana' ' ' a'-ourr" as substâncias "". a Ãltraçaoem nossocorpo?O movimento dos fluidos através da parede dos capilares oode sercomparadoao movimenro da águana seringa laterais(seringa2)' O.o. Copitulo3/cÉLuus Membrana celular Soluçãosalina normal salina Solução concentracla ! r a I . i águ^e as subsrâncias.o. em direção ao sângue.to ê"-bolo. " romPe.ãá.Na segundaseringa' ^Êoram " Ë."a" da ponta da agulha. a âgua é empurrada para A água se move ém ttsposta à diferenf"ii a" "gulha. "iJ*"d"t são soluçóes isotônicas). 3 .i 1 ) ..rh. lsotônica Hipotônica prominam o rompimento do glóbulrygtTtlh?'. ou-poros.um h. d. Filtroçõo Com a difusão e a osmose' a âguae as substâncias em dissolvidas se movem atravésde uma membrana Poconcentraçóes' ..muito sal.ro.. á o.À". a âgtaesguicha dos lados da se"pti. Entre outros efeitos. sas O que oconteceÍio se óguo puro fo-sse odministrodo Por vio endovenoso? (ela possui A áeua pura é uma soluçãohipotônica do que o interior de um gló-.nte sangüÌnea'ela poãeria entrar no glóbulo vermelho. "ar"rr..ú" rr"...rão[te..ü"t o tecido cerebral(em resposta osmose) Como o sangueé levado .cupilar é um vaio.à.dissolviem resposta às diferen^ças -. Seum glóbulo vermelho é imersoem uma soluçãosalinamuito concentraà da.ã-áu.o-ì pressãodo êmbolo sendo maior ca de preïsão.46 ..

sangue esguicha pelos orifícios.r fbrma de mover substânciasadicionais oara :r:r. B.r das célulasé bombeando-as. Uma célula absowe uma partícula envolvendo-a com a própria membrana.cLrobjetivo. B. . Transoorte ativo. Endocitose. . Por que isso é necessário para bom. de uma área de baixa concentraçáo para outra de alta concentração... Portanto. fazendo com que a .gumas substâncias célula é muito grande. ir mais potássio para o interior da célula. Jo.Por . O conteúdo da vesícula é eliminado da célula.eia pela ponta da seringa.O p o r á s s i o K ' ) p r e c i s a e r b o m b e a d op o r q u e s ele está se movendo em aclive. o mecanismo de transporte ' necessita adiçáo de energia (AIP) para atinda ' .*. e quando o êmbolo é empurrado. C) êmbolo da seringa 1 é empurrado. ()mo já mencionado. Como a seringa 2. Asquando o sangue é empurrado através dos capilares. A. os capilares apresentam orifícios. A água se move porque é empurra:-.r'de transporte ativo.: . e Bombos de Tronsporte Ativo (.r 2.leterminadassubstâncias? Como a quantidade na i.-oio. a água esguicha por (-.. . Filtração. . Bomba de transoorre FIGURA 3'12 ( a r i v o ( n o a c l i v e ) . Furos são feitos nos lados da :g. parte da .r normalmente contém uma grande qu"ntìd"d. Uma vesícula no interior da célula ìe move e se funde à membrana celular. a -. Para Serinoa 1 B Endocitose Hzo Seringa2 C Exocitose Vaso sangüíneo Glóbulos vermelhos F IGURA 3' | ì .rtissio(Kt). é necessário o emprego de energia (ATP). Exocitose. a endocitose a exocitose. em direção âos espaços . " -. o bombeamentoé a maneira de se . Capítulo 15).Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e ìrrina-se filtração (a filtração capilar seráexolica. 47 A Meconisrnosde Trcnsporte AÍivo ' )s mecanismosde transoorte ativo incluem as '::. C.

rtáo resumidos naTabela 3-2' D|VISÃO CELULAR celular' é necesA divisáo celular. *ifusao' mecantsmos e a filtraçáo' Os ã.. -comer)' "tit" por exemplo' ã. N" fu Va.*."""ì"...a exocitose levasubstânclas ascélulasdo pâncreas ï..*J-tn"" dt t'.il."a*..e d!: membranacelular'que ttbso*t^Pf e a endocitose^: tagocrtose a i".rr..tfr" a proteína e a envoÌfu células pancreáticassintetizam encapsuladase vem em uma memDrana' Essavesíclla e entáo aproteí..p. -d"ïJr"ì"ã"rã. d'acélula.à.r" ins 3-izôl' Por exemplo' qt" serà utilizadasfora do órgáo' .llNDO! A água substâncias e Endocitose transporte que A endocitose é um mecanismode líquido i"**ra" dt p"nit"l"t de alimento ou ..t infecçóes' ã'f'"ï..í""" A de um comPartlvidas devem estar aptas a se mover Essemovimento geralmento do corpo para outro' à" membraria das mente envolve p"""!J-ï'ã"À " ãa tígua e das substânti"t é 1:i: O movimento . Hira.ó.ú.* náo neõt mecanismos de transportt p..ilil.. ffi.Ë.rgi" . intercelulares' para os esPaços J" Ï.4g r copítulo3/cÉLulAs de baixaconcentração movimentar o K* de uma área no de alta concentração (bombeamento Ë". " incluem as bombas de transporte' d..ari" p"r^ o crescimento o "p"io celularvariaconsiÀ fl.- J. ".' " " ("to d: beberda celula)o proil.tt. do (regeneração) t ..qiiê"cà da divisão . ."..* a-tZn): aclive). . funde à membrana celular' .*o" rã" ?"._ duasfoimas de uma signifi ca se.l* Algumas p"'" outro' "'iJo tlqo"t::-otüas com freqüência' @\cerura-mãe INTÉRFASE PROFASE METAFASE ANAFASE .. passrvo rtíao de mecanismos de transporte iir"áo...t..' conffa as ï#ïJ... ..ltd" "..n" gotículade Exocitose para captasubstâncias o.g ..olvi{aryla iâ o inleriot..-ut""""ãr"ri gnnde púF mover por ditusãoatrat-uito .ï"..ifi.. a dìfu(ATP) e incluem d.-. célu- Ë?.i. rOfidaé"envolviai iïto õtot"' auque fagocitamasbactérias' Lt*-'..Tji"-o .rnEncuanto a endocitose Pararora rcrio.tr""t" dissot *RESUlì.t-n"óinocitose águapelacelula' ãt" à.... ou reprodução...r"r."f. t."t"a" pott-to env. a Na endocitose' " tnig' 3-l2B)' "Ïi""-.produzem ott não se reproduzem' muito lentamË"tt ...'Ëi.. emprega-se energia Gig' l1n Ï't:Ï" provém do alimento que lngenmos' ""Aitl.. se lr.ativo mecanismos de transa endocitose e a exocitose' Os port.oì....

. uma célula se separa .qundo.a superÍÌcie externa da membrana celular se contrai e comDrime a célula em sua merade.: rirrérfase.ìa no crescimentoe na regeneração orgado e significa a separação uma célula-mãe em de .t Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . .clulas-filhas"idênticas.a céÌula-mãe sepaÍa duascélulas-filhas se em idênticas. .la medula espinalnão se reproduzem. fazendo com que cada um contenhaa mesmainFormação genérica. rrìiìdanos cromossomos. célula passaa maior parte do tempo na intérfa. prófase.. r \o u r r a s e n e t i c â m e n tie u a i s . Frófqse.lois tipos de divisão celular são a mitose e a .le céÌulasvermelhasdo sanguesão renovadas '.taisfilhaslDurante a mitose. r. e cerca de dois -. as célulasneryosas endo .lâ. Durante a intérfase. Entretanto.-. O resultado é a separaçãodos cromossomosem dois grupos idênticos.anáfasee telófase . . -:.)nlossomos determinam formação células-filhas que a das idênticas. Os cromossomos contêm os genes e. -+ -+ ::tres estágios sesepâtar duascéÌulas-filhas ao em idênticas: intérfase prófase metáfase TELOFASE CÉLULAS-FILHAS . e -::plo. armazenam transmitemnossas e características hereditárias. . Essetermo foi sugerido porque..i :eja. estágios mitose.A oalavra chavee idên.. r . os pares de cromossomos idênticos se alinham na parte média da célula onde os fusos neles se inserem. Anôfose e Telófose Durante três fasesda mitose (prófase. as céÌuÌas que revestemo tubo digestório -:. E lembre-sede que o carárermais impor'.l.\ meiose ocorre somente com as célulasse: se explicada no Capítulo 22. a célula está muito ativa. ' tlLle ocorr€ durante a mitose?Ela possui cinco . na intérfase. janáfase -+ telófase. -:. nessafase. .. g g 49 diariamente.r mitose é que. os cromossomos do núcleo se duplicam. uma cópia exatada informação genética. com ela. metáfasee anáfase).rrantea qual ela crescee exercesuasatividades FIGURA 3'| 3 n Mitose. Arranio B.. Tâl mãe.A. . um em cada extremidade da célula. Essafase é às vezeschamada de fase de repouso. Como os fusos tracionam os cromossomos. deve ser passada para . a célula não se encontra em divisão.ì.s renovadasem poucos dias.I 3). um termo impróprio porque. cada par se separae é levado para o lado direito ou esquerdo da célula. {kïetófose. Durante a telófase. .metáfase. formando duas célulasìndividuais e genericaÌnenre n te rfose -.A célula-mãe da p"rr" p. dessa manerra. A mitose está rá . Divisãocelúlar: C. células-filhas.

rèr. célulasse diferenão*o eue?Em outras palavras. cEtulÁR DTFERENCnçAo A mitose nos asseguraque a divisão de uma célula idênìicas.t^ rt ito.ocorre permanece ainda desconhecida. Amaneira exata como a especìalDaçáo . ptõ.ov se diferenciar (Fig.r. pot mercúrio). Através da mitose. as células começam a se especializar. êmitem expansóessemelhantes às suas garr"JA.tt"s crescem rapidamente e invadem o tecido circJnjacente' Essascélulas recebem essa Jenominaçáo de forma apropriada. CqPírulo3/CÉLUÁS a izuais.io. E oRGANIZAçÃo.50 ."t. AITERAçÃO MORÏE A maioria das células crescede maneira ordenada' Normalmente reproduzem o mesmo padrão e se ali- #-.| 4 .ï-ento celular t.O interior da célulaentãose reorganizaaté-que A ao semelhante da intérfase' um asPecto . essasimples célula se divide oor diversasvezesem células idênticas' Então.. Algumas vezes' entretan.No.Como pode mos avaoroduza duas célulasdiferenças entre as células. ascélulas.o.rir" as .precocemente iârr. o qu. ".. o .térias. ou podem sofrer os efeitos nocivos da radiaçáo."t e os glóbulos vermelhos do san".. "t ãi".r.nri-rs são ationadas e produzem céìulasósseas' Seiaqual for o mecanismo. 3-14). pode acionar (lisar) enzimas que prodlzem glóbulos vermelhos' Ouïras .r.rr. podem ser envenenadas Lm'período muito . como as células [i".r. diferentes . orieem restriçãode oxigênio por olo. ge"ralmenteda periferia do colo do útero' Essaamostrã é então examinada sob microscopia a fim de detectar alteraçóescancerígenas'Um resultado o positivo Para essetestepode detectar..?lula "dq.olr'dife""ttciação . órr.. as célílas õod"em-sofrei (p' longo. Diferenciação diierentesentre si..tt" de maneira descontrolada e desorganizada.tÌg. q.á-pl.r-" âd-iráuel célula e termina com bilhóes de células especializadas.l \ ffi _\w C élulaespecializada (célulaóssea) w CélulaesPecializada (célulaePitelial) tamanhospara desempenhar em das celular:a capacidade célulasde seespecializar diferentesformas e FIGURA 3.. com freqüência conduz ao óbito' Nas mulheres' o teste de Papanicolaou é um procedimento diagnóstico no qual-uma amostra de células é obtida. ."r"tg.*.. você inicia sua vida como .r" iod". Eisa é a razío pelaqual se recomenda às mulheres a realizaçáodesseexame anualmente' células são lesadasde maneira Aleumas .Esseprocesso é sentido pacientecomo um inchaço ou tumor' 'pelo d. pois câncer significa" caranguejo". por exemplo. lesúnadaspor toxinas produzidas por t". Uma célula.élulas cancerígenastambém se desprendem Fssa ão arr-o. "t (palatão grïe que elas morrem' ou sofrem necrose qregaque significa morre)' Por exemur" ã. musculares. invasão ampla p"elas como metástasè. ertá associadoa uma alta possibilidade de cura. írc Itr. e as células cancerígenas' como um . de origem e súisseminam pelo corpo' conhecida células cancerígenas. em um àeterminado momento durante o seu desenvolvimento. tumores podem ser classificadoscomo benigou nos (não-cancer?genot) malignos (cancerígenos)' As células . separando células-filhas' telófase " nham em posições corretas. seoriginaram de uma única céiula' funçóes. on desenvólvem diferentes características? Úm embrião inicia a vida como uma única célula' o ovo.

4. Todas as células sofrem alteraçõesenquanto envelhecem. *RESUMINDO! e A união do espermatozóide .'-r. um tipo diferente célulo).A maioria das célulascresceordede todavia. Organelas * como as mitocôndrias e os lisosem número reduzido somos . Determinadas alteraçõesgenéticascomo a síndrome de Down sáo mais comuns em filhos que nascem quando a mãe é idosa. no é onormol. ".. em possom olteroções é A çõo do célulo. molignos poro outro(secundório). as J:lì outras palavras.)s normais..A displosio umo oheroçõo tomonho. ocorrem altera3. no um oumento tomonho dos colunores dqs de TronsÍormocõo um tipo de célulqem outro(p.!Ììor. As células normais possuem mecantsmos rnüínsecos câpazesde reparar pequenas lesóes.tornando-semaiorese diminuindo sua capacidadede divisão e de reprodução.i. ex. Crescimento e de'tecìdos de órgõos. célulaspobrementediferenciadas . 2.rlar células"pobremente diferenciadas".e Soudóvel Enfermo ' do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono 5| ênqu.tu--or do fígado não seìssemelham aos hepatóci:.tombém Um novocrescimento Os um e no é um ïumorconceríqeno.r. .o firncionamento das células também se torna. Essa condição é característicade céÌuÌas -. otrofiqé o diminuiçõo Ìomonho e mentode tecidos órgõos.lade de funções. ór'ulo forma uma única célulaque sedivide.rra anormal. erÌÌ bilhões de célulasidêndcas. hiperplosio um oumento númerode célulos. O resultad-o vezes a formaçãode um . onormol.moligUm denominodo celulor.: r 'c. . neoplosmo.. 5. preocupoçõo o de que essos resultondo em do é A excessivo.e O que significo quondo o biôpsio de um iecido opresento diversqs célulos pobremènte diferenciodos? Uma biópsia se refere à remoção cirúrgica de um :ìaqmento de tecido tumoral para exame. tumornõo-concerígeno. Mortecelulorou de um grupode célulos.esdiminui com o envelhecimento. em diversostipos de para desempenharuma grande vanecessárias -..o mudonço célulos de em de vios respiroiórios um fumonte.las. tumor. Qurirdo çóes nas membranas e enzimas da célula. um locoloriginol(primório) o tendem sofór meÌóstose. menos etlcaz com o temPo..As célulasentão se -. Os como sofrem alteraçóes cromossomosnucleares âgrupamento. AÌrofio Displosio Hiperplosio Metoplosio Necrose Neoplosmo levondo um enfroquecio dos célulos.-ro.onÌoVocê €rcvLlhec.rncerígenas..ccializam. neoplosmos de orise disseminorem. .'. um benigno. ou se diferenciam. 1. elaspodem se desenvolver ma:. sacapacidade o DNA é danificado. por mi. u. Mudançasno transporte de íons e nutrientes também acontecem na membrana celular. do A Semnutriçõo.estãopresentes à medida que a pessoaenvelhece.Jamente: é às ::.que pode serbenigno ou maligno. céìuÌasdo As na fracassãram diferenciaçãoou especiaiização.no formo e no orgonizoCrescimento resultor côncer. e que pode re'. encolhimento e fragmentafo.

onófose o ïelófose' célulos'Í q de sobre superfície olgumos -. Divisõo Celulor (Reproduçõo sõo I0. A difusõop"'tit"'qiJ'ìo 111"vo poro outrode g'onj" concentroçõo umo óreo d" concentroçõo' menor ò difusõo'porém 3.o que digestórios otuom g. É. como expressos sõo. copot t"l'loie composïo yTo duplo proterno' que.Clulo é o unidodeestruÌurol moÌêriovivo queconlémProteíno' ^'i.ie célulo. õ'ã".Assoluçõessõoisotônicos'hipotônicos ou hiPertônicos' disde óguoe substôncios ê 5. A Célulcl Ípico: Estruturqs e funcionolde Ìodo A .)^ -. por microfilomeltro-s poro 9.-. Os cíliossõo e o o meïófose. 'iïã.52 r Copítu|o3/cÉLUAS ffi"trÍrt. inÌrocelulores' como"vorredores" o gocitose. reticuloendoplosmo:titotond'üt"ibo"oto" citoesoporelhode Golgi' lisossomos' olosmótico.ia. Estruturos do Interior -' eleormodo de é o cenïro controle célulo. A osmose um cosoespeciol o. Ot meconismos tronsportepossivo (ATP)' do odiçõode energio út de s'bstôntio 2.õnú no dif"'"nt"s esÌõoimersos ciÌo3..-.br.poro.is (RE estót"!:l Ri' lo Ìicu endoplo'*atã i' gãto -t:ïi: liso ll.1* zenoo informoçõo do gelotinoso inte'ubsïôncio a 2. é'seletivqmente áulor 2 ÀË. ..Mec<rnismos TrqnsPotr: A. Movimentos brqnq de Substôncios Atrovês do Mem' de . As cincofoses tìü'" tao curtos'semelhontespêlos' proieções I . célulo' . .ó. i"fiíiitia" seossemelho -' o poro oumentor poouxilior moléculo . queleÌo centriolos' e do célulo' ão 4.. ián. 3.. õ. A endociïo'"tou" "ústôncios.. Aï'. "oto de comer"' e miÍ .tõ. A mitose o seporoçõo umo sobre o Superficie C..ï*"li.-. Os centríolos esÌruturos -'Ão celulor' que A. A meioseocorre somentenos ou" oúiliot no movimenïo olgumos ò espectoltzoçoo z. B.iot de umoóreo de em umo meme úi^àt recém-sinteïizodos os envolve concentroçõo' ouïrode olto do inÌerior brono.iitito umo drõodo difusõo' de oïrovés de difusõo é 4.. r em longos formode pêlos sõoproieçõãs 2. ó.-tt.ji"i a. qenéÌico' "ú. .ioçõo celulor refere-se Pot:i-t-o-=^.Ï..ctulo. . Eslruüurqs idênÍicos' célulos-filhos o Celulor o inïérfose' próÍose' do o -' 2.r"aï. A exociÌose e o suporïe o tormoto .i.a" t'on'po'teotivo -' nos finois Proporo c"ti7idó osretoques boixo concentroçõo ' . A filtroçõo o movimento poro ouÌro de olto p-ressõo de solvidos umo a'* d" boixoPressõo' Ativo B. Meiosee Diferencioçõo -..oço"t de umosoluçõo t""ì. sexuqrs'r.-úroio A. celulor.i6i... Os meconismos tránsporte tJtit'tà endoplosmóÌico proÌéico o (ATP)' ò sinïese odiçõode energio " e subsmovimentom I Ëii. O citoplos'no "Ë e exïernooo nÚcleo' Ji. As bombo.rúUutot que proporcionom celulor. Mitose d" bosïõo otuomno reproduçõo em 'l célulo-mõe duos de é dq Membrqnq ..á" ran.celulos' celulcls de I .-."nt. hrorromos orgonelos sõo beber"do céluloe fopinocitt* .ãtrl'"* delipidios esterôides' 2. Celulor) em microtub-ulores forlll.' ô. õ. ï.ú o queentroe o quesoido do Célulo -õ B.ú. À áif"t"n. modode fosfolipidios conïém elo permeóvel.iliãoãtottoao '' movesubstôncios foro do célulo' 4. As mitocôndtiot os "usinosdeÍoço" r ' oe rlr de ooissõoos locois moiorProduçoo de do porticipom sinïese proteinos' 5.o e Funções l.aá..t O reriposde ieticuloendoplosmóÌico' ã. Mecqnismos de Trqnsporte ----:r do oÌivonecessiïom de 1. noo necessrde ì .difusõo t"tipàtt"avel' Envolve umomembron" mors se encontro ã" ogro de umo óreo ondeelo As de menorconcentroçõo' poro outro concentroclo. Membrsnq Gelulqr (Plosmótico) .

difusão.osmosee filtrafo. 13. Como os glóbulos vermelhos do sangue e as células nervosasdiferem em estrutura e função? 2. Explique por que a âgtapura não é administrada por via endovenosa. 8. As células variam consideravelmente em tamanho. Explique como as substâncias movimentarn através da membrana celular por üansporte ativo. Defina mitose. 16. 10. Explique como a glicose se movimenta através da membrana celular. Explique por que o ftgado possui mais mitocôndrias por célula do que as células ósseas.Quais são as cinco fasesno ciclo de vida da célula? 19. O que é encontrado na suspensão toplasma? 7. Como o movimento do potássio para o interior da célula é similar à ação de uma bomba? 18. 4.e Soudóvel Enfermo r do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono 53 l. Descrevacomo a pressãoosmótica estárelacionada ao inchaço. Explique como a filtração atua como uma seringa no movimento do sangue atravésdos capilares. Explique o significado do termo semipermeáuel que se aplica à parede celular. Relacionetrês funções dos lisossomosna célula. 3. Como as "células pobremente diferenciadas" estão relacionadas às células cancerígenas? . 17. coloidal do ci6.as ósseas os glóbulos vere diferentes? melhos) desenvolvem características 20. 14. Relacione duas estruturas encontradas no núcleo. Relacione três funções da proteína na membrana celular. 12. Qual parte da célula atua na manutenção de seu formato e auxilia na movimentaçáo celular? Qúais são as funçóes dos cílios e dos flagelos? se 11. Definapinocitoseefagocitose. Quais são as substânciasque não podem penetrar na membrana lipídica de uma célula e devem utilizar os poros? 5. Qual palavradefine o processopelo qual as células (como as musculares. Qual parte da célula produz NIP? Qual é a funçáo do RER e do REL? Quais organelasacondicionam a proteína para ser secretadapela célula? 9. O que acontece aos glóbulos vermelhos do sangue que são colocados em uma solução hipertônica?E em uma soluçáohipotônica? 15. forma e função.

.

Descreverâ estruturâ de um nucleotídeo. 10. Definir metabolismo. Descreveros papéisdo DNA e do RNA na síntesede proteínas. Explicar o que significa projeto da vida. Explicar autilização das proteínaspelo organismo. Estabelecer diferençasentre pareamentoe seqüenciamentode bases.anabolismoe catabolismo. as 9. 5. 3. 7. Explicar a rtilizaçáo dos carboidratospelo organismo. a de 55 . Descrever síntese proteínas. 2. 6. 8. as entre metabolismos aeróbicoe anaeróbico dos carboidratos. Estabelecer diferenças 4. Explicar a utilização dos lipídios pelo organismo.METABOTISMO CEtUtAR () bje*vos 1.

@ Aminoácidos \ ' ProteÍna B tu c 45 -1--. 4 -r ) .> )JV s g. deve recebere utilizar materla-Prluma ANABOLISMO METABOLISMO: E CAÏABOLISMO solJma vez no interior da célula' a matéria-prima para a sua químicas necessárias fre milhares de reaçóes -" pt"*"i. tabolismo ou construção'c' capara afábrica(corpo). Copítulo lMETABOLISMO célula'.gi asproteínasé asgorduras(Fig' X @.tÏt.A.@. Anaborismo .B.CELULAR 4 5ó .ot.: oer {D e *od {p @ Proteína O Rminoácioos (arimento)sendorevada FtGuRA 4-r r Metaborismo.como ara desempenharsuasfunçóes' a fábriéa. Matéria-prima ou quebra. do alimento q"t tlg-t-i.nte tf"i "t "ïtUoiãr".

i. hidrogênio (H) e oxigênio (O). ":\ tÌtono). MonossocErideos Os monossacarídeos contêm de três a seisátomos simples com seiscarbonos de carbono.. O catabolismo geralmente está associa: -()m a liberação de energia que é finalmente con. .:incias grandese complexas.já os polissacarídeos. Os carboidratos estão relacionadosnaTâbela 4-1.-:rÌìo. ' classificados acordo com o tamanho (Fig. Os açúcares incluem a glicose. ..::ida emATP 57 A Monossacarídeo --Glicose DissacarÍdeo - c Polissacarídeo A. compostos ofgânicos formados por carbono .-r'orade uma molécula protéica grande em aminoá*. constitui a dieta de fibras . CARBOIDRATOS Ibdos nós ingerimos alimentos com açúcar e amie . Os carboidratos .rcla. são denominados amidos. C. e Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do -' -.Ìçáo. A ..4-1).rde energiae AIP estádescritano Capítulo 2. -r torma de adenosina trifosfato (ATP). Monossacarídeos. arroz.::rilicas geralmente necessitamde adição de energia ..:.. . Polissacarídeos.: . I'ão.-. 'imples.:: "::r'ididoem anabolismoe catabolismo(Fig. r. Dissacarídeos. polissacarídeos possuem muitos (poli) açú..a p^rtir de outras ' -.4-2). NO}TE \Íonossacarídeos(açúcares simples) CÌicose Frutose GaÌactose Desoxirribose FUNçAO A fonte de energia mais importante Convertida em gÌicose Convertida em glicose Açúcar no DNA Açúcar no RNÁ fubose i )issacarídeos (açúcares duplos) Sacarose Maltose Lactose I'olissacarídeos (vários açúcares) Amido Glicogênio Celulose Divide-se em monossacarídeos Divide-se em monossacarídeos Divide-se em monossacarídeos Encontrado nos alimentos vegetais. :. r rtsso é semelhanteao que ocorre quando se derru' r -:nr muro.:l\formando-as em substânciasmais simples. . As reações . :nuro utilizando-se tijolos individuais. batata. Esseprocessoé semelhante à construçáo de .) t ) catabolismo inclui reaçóesque degradam ou . FfGURA 4-2 o Carboìdratos.rlimentos favoritos. :. :. é digerido e transformado em monossacatídeos Amido animd. Esse . B. massas docesestãoentre nos. individuais é um exemplo de catabolismo.'. de rr rflonossâcarídeos sáo açúcares (sacarídeos)sim. r ) anabolismo inclui as reaçóesque constróem -:-. longa. que pode .rm as substânciasmaiores e mais complexas. o excessode glicose armazenado no Íïgado e nos músculos esqueléticos Não digerida pelo homem. frutose e galactose(Fig. A glicose é o mais importante dos três e é utilizada pelas célulascomo umâ fonte imediata de energia. A construção de proteínas longas a par: jc aminoácidos individuais é um exemplo de ana" . os dissacarídeos são açúcaresduplos (d) . (A transfe. '.cares.4-2Ì\).-:ir.Soudóvel Enfermo . Esseprocessoé o metabolismo. Todos eles são carboidratos. nlono e dissacarídeos menores e são chamados são maiores e de cadeia ecúcares. ::.

n.. ".Âersi" (ATP) (Fie. . é quebrada em duas condiçóes diferenconhet.t"t é outras por cadeiasramificade d a s ( F i e . as reaçóesquí- Por que este cupim pode digerir modeirq e você nõo? Diferentemente dos humanos. é quebrada através de uma série de " .r.o'b a forma de gordura. ervilha.rro a maioria Como"rr". qu.lat do ciclo do ácido cítrico' tambem conhecidocomo ciclo de Krebs' Tiês pontos importantes sobre o catabolismo aeróbico dúm ser relêmbrados.As enzimas nas mitocdndriasincluem tqú. gii. Na ausência de oxigên1o.o.g l i c o g ê n i oe a c e l u l o s e 'O amido é um depósito de polisiacarídeoencontrado nasplantase é cônsrituídopor uma sériede moléculas entre si de forma ramificada'Os alid. Primeiro. gii. (2) pode ser armazenadacomo glicoeê."broruidos Por exemplo. -". . ã f. s.. O s t r ê sp o l i s s a c a r í d e o s i n t e r e s s e p " r " ' r .trra-se no fígado e nos músculos estriados esqueléticos. o . ela fornece energia sob a forma de ATP que a célula necessita pata realïzat o seu trabalho.Quando os níveis... também para seÍ como A queimadaposteriormentã' ftate "armazenada todas! de so." et. a glicóliseproduz somente uma pequenaquantidade de ATP (Ftg.34). s ã o o a m i d o . também conhecido como "amido é im polissacarídeoaltamente ramificado. ' 'S.rim"Ï".ndo ttansformada inicialmente em ácido pirúvico e depois em ácido lático' Esseproé a giìótise e ocorre no citoplasma' . é primeiro transformada em glicose e depois é utilizada pelas células' Urilizoçõo ds Glicose PcllssÊcoridecs Os polissacarídeos são constituídos de diversas moléculas de glicose ligadas entre si'. A celulose é um polissacarídeode cadeia reta encontrado nas plantas. Eles devem ser digeridos.o.ti.o.or.ô é acompanhado pela liberação de uma granàe ouantidade de energia-(ATP). Embora não tenhamos enzimas c p q u e d i g e r e ma c e l u l o s e a r a a p r o v e i t á .lÉora as funçóes digestivasde dià" versasmaneiras.rio para q"ueima posterior e (3) pode ser armazen"ã" .a glicoseé . Copitulo /METABOLISMO com Tâmbémexistemmonossacarídeos cinco cara desoxirribose'Esses bonos.de açúcar tornam-se b"Lor. ou quebrad'os.. èelulose .rgi".r.s. O glicogênio é a forma na similar qual os seres humanos armazenamgltcose'bsseestoq. nír. Primeiro.CELUTAR 4 58 . gficòse e frutose."r. ãs fragmentos de ácido pirúvico sáo completamente cuebiados em dióxido de carbono e água' Esse pro.o-o ún combustível. A glicose é utílizada de três maneiras: (1) oode se. o elicogìnio é convertido em glicose no fígado..4-. d". A eliõse é1ntão liberada no sângue' onde restabeleceãs níveis normais de açúcar. tábua Por tábua..."ãó. a sacarose quebraé zados pelascélulas.róbico da energiaainda estácontida na molécula de ácido lático. para seremutili.. 4-38).trto. grãos e massas contêm essetiPo de amido' O glicogêirio. q.rsência de oxigênio (em um Processo anaeróbico) e na presença cido como catabolismo de oxigênio (catabolismo aeróbico).-aglicosee completamente cu.elesincluema ribose e dos são açúcaies utilizadosna síntese ácidosnucléicos -oRNAeoDNA. Asiim. nutrientes. 4 .Ã -ottott"carídeos antes de no tubo digestório.í.. Dissscarideos Os dissacarídeos também são produzidos quando se dois monossacarídeos unem (Fig' 4-28)' Os dissacarídeosincluem a maltose e a lactosee estãopresentes nos alimentos que ingerimos. os cupins possuem enzimas que digerem a celulose. .Lt"da para formar dióxido de carbono' ásuae.rorr" dieta e -. A glicose é utilizada imediatamente pelas células. ambos abmonossacarídeos da nos^ sorvidos. ligadas O que acontece com as balas e doces que você come? A glicose é utilizada pelo corpo principalmente .i.ao amid^ovegetal. as "usinas de força" da célula' Na presença de oxigênio e de enzimas especializadasdas mitocôndrias.i"rrrFor-"ãa em ácido pitúrrico no citoplasmae então as moléculas desseáCidosao levadaspara as mitocôndrias.dura" é a mais desoladora " A nli. ã . mentos vegetais como batatas.l a o m o u m a ela ãesempenhauma função imforrt. o o*igêttio estádisponível.2 C ) .Algumas são unidas por c"dãias t..A capacidadede produenzima capacitao poderosocupim a comer uma zir essa casade madeira.ada imediatamente como combustírreÏpa. fornecea fibra A Dortantena nossadigestão.

.e os produtos da quebra podem ser utilizados na fabricaçãode glicose.isÀTP que a quebra anaeróbica. Aerobicamente(com oxigênio) em dióxido de carbonoe água.:s. toda a energia armazenada libe. As células podem também fabricar ou sintetizar glicose a partir de outras substâncias. não oode entrar na mitocôndria e então é con'' J() em ácido lático no citoplasma. podem ser quebradas.. o ácido pi-. Os clínicos observam as condiçóes anormais envolvendo a utilizaçáo e a síntese da glicose. como uma fonte de energia.1o.:primento contínuo de oxigênio para as células. a quebra aeróbicada glicoseproduz mui::. :rósrespiramoscontinuamente... e . os carboidratos podem ser quebrados nas células. . Essanecessidade oxigênio é a razáo pela de . .que ocorrem nas mitocôndrias necessitamde :r:rio. . . Se os níveis de açúcar sangüíneo caem. proteínas são convertidas no fïgado em glicose.icientecrítico causaa acidoselática.ítico é a razáo pela qual a falta de oxigênio em :'. Se as célulassão desprovidasde oxigênio.. 59 & Produç&cde Glieose Como t€mos visto. Terceiro. por exemAs plo.Observea grandequantidade de energia(AIP) associada com a quebraaeróbica. proteínas. Nas pessoas (carboidrato).B.para assegurar . .A síntese de glicose é um mecanismo importante na regulado ção do açt3car sangue. \ssim. O acúmulo de : l.:'.se o *:rio não estádisponível para a célula. restabelecendoassimos níveis normais de açúcar. 'go ficam sem energiae não podem realizarsuas '.. em co (gÌicólise). Araerobicamente (semoxigênio). ácido1átiFIGURA 4'3 * Quebrada glicose A. .Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . quando a glicoseé quebrada completamené ::: CO2 e H2O. que é liberada na corrente circulatória.

A boa é que os lipí dios são necessários paÍa o organismo (l) càmo font. Segundo. pode ser quebrado ele em moléculasindividuais de glicose.n"tes dasmembr nascelulares. . E. seune a um dos sítiosdo gliãerol(Fig.tornando a pessoahiperfii_ cêmica. Como. os ováriose os testículos do produzemhormônios sexuais (A.ro .gtdttltq: gemas de ovos. Flgura4-4Aé um triglic .. representado na FiguraZ-Z)I O glicogêìio e encontrado principalmente no fígado.os lipídios sãolongos. Porém. os fosfolipídios e os es_ teróides.oscarboidratos. Como as células diaEéticas não podem utilizâ-lï.rg Prostaglandinas Lipoproteínas Variedade funções(identificadas capítulosposteriores. principal fonre de energiaarmazenada Encontrados nas membranas Utilizado na síntesede esteróides Áuxiliam na digestãodasgorduras Sintetizadana pele quando expostaà radiaçãoultravioleta. ãl.r. pãr_ tanto. un.Quando necessário. u "pi.suasmolécul"ir.em lun músculoiob er<ercício intenso. dessamaneira.rrn *rtroõforf". ováriose testículàsna síntese do normontos sexuars..j"úo. A glicose é arryazrnadarõb a foim" de glicãgênio.ro. 4:48). um indivíduo diabético possui a maior"parte da glicose. on_ de o AIP é liberado rapidamente.Por exemplo. ovários e testículos Substâncias lipídicas Vitaminas lipossolúveis ruNçÃo No tecido adiposo:protegee isola os órgãosdo corpo. Copítulo4/METABOLTSMOCELULAR diabéticas.nid".para serem. com excessode açúcar. Primeiro. formados. da energia por ela proporcioãada. o colesteroldesempenha dìrrers funçõesimportantes.contribui para a homeosrase cáldo cio e do fosfato Os hormônios corticaisda supra-renal necessários a vida e têm influência são para sobretodos os sistemas corpo.ovose queijo.Lipoproteína de alta densidade(HDL) é o "colesterol bom". Os fo folipídios sãoimportant. o_ queléticos. O glicoeênio aÍmuÊ_ nado no mrjsculo constirui uma fonúmeãiata de glicose. lipoproteínade baixadensidade (LDL) é o "colesterolruim'. lipídios sãocompos os ofSâ1co. O esteróide o terceirotipo de lipídio.como sJobrerua..por carbonõ.o-porr.D.o'colesterol es presente todasasmembranascelularesé necess em e rio pl1" a síntese vitamina D na pele.. laticínios e diversos tipos de óleos. isto é. TIPODEIIPiDIO Tiiglicerídeos Fosfolipídios Esteróides Colesterol Saisbiliares VtaminaD Hormônios do córtex da supra-renal. 4-4C).Embora eústa toda uma press negativasobreele. em $iàse. como a insulina é necessária para o rransporrede glicose para o interior da célula.. a falta de insulina priia as céiulas de glicose e.r-. Enquanro maior parte do colesterolé coniumida por meio d carne. a faka de insulina afeta o metabolismo da glicose de duas formas. UP|DIOS(GORDURAS) A maioria dos lipídios é ingerida por meio de carnes g. sendo é mais importante o colesterol Gig. a gli_ cosese acumula no sangue. onde ela é necessária para a produção de energia. influenciam na contraçãomuscular AuxiÌiam no ffansPortede ácidosgraxos.O lipídio ilustrado. bloc Os consrrutoresde lipídios sãoaslongascadeias á< de dosgraxose glicerol. Ele tambér de é utilizado pelos. EIe apresentatrès (n[ cadeias lonsas de ãcid gfa*gs unidasa uma pequenamoléculJde glicerc Um fosfolipídio é formado quando .) de em Encontradas membranas nas celulares.óO . Outros derivados dos lipídios estão relaciona_ Utilizoçõo dos Lipidios O qle ocorre com o bacon quevocê come no al moço? Coisas boas e coisas ruins-.ono. dosnaTabela4-2.na rídeo. Os lipídios mais comuns encontrados no nosso organìsmo são os triglicerídeos. por exemplo. Se ocorr€ o excesso glicose.hidrogênioe'oxig nio.o corpo tambémpoãesintetiz colesterolno fígado._a falta de insulina determina a quebra das pro_ teínasdo or_ganismo.de seu organismo no sangue e não nas'células. que pode ser queimada como combustível.de uma longa e ramificada cadeia de glicogênio (um polis_ sacarídeo.rrt"arranjomaiscomplexoque os carboidrãtos."rrguË.

.cr cortados em unidades pequenasantes de penetra- ...'.ularese (3) na síntese esteróides. Os ácidos graxos são produzidos mais rapidamente do que elessão transportados para o interior das mitocôndrias.a gordura pode tornáJo gordo! Além disso.. Em uma pessoadiabética.rejada. coisaruim é de a gordura pode frcar armazenadapor um longo . o catabolismo de ácidos graxossofre distúrbios. Ocheiro da acetona na respiraçãoé um forte indício de que o metabolismo dos ácidosgraxos estáforâ de controle..e Natureza encoraja o urso cinzento a comer muito e ganhar peso.:c .riodo . (2) como um componente das membranas A . por serem estruturas de cadeia longa..:: cnergia. formando os corpos cetônicos. ela forma um gás que é exalado dos pulmões.de maneira incompleta. pois ele é capaz de viver da . Metqbolismo dos Lipídios Como os ácidos graxos sáo quebrados? Como a :. Existem três tioos de coroos cetônicos: a acetonac dois ácidos muito iortes (cetoàcidos).i rambém pode ser depositada em áreasonde não é .glicerídeo GrupoÍosfato Por que umo pessoo em como opresenlo um odor de fruto no respiroçõo? Àr r'. que são encontrados no sângue. os ácidos graxos e o glicerol podem ser que:.:. a quantidade de energia liberada na queima dos ácidos graxos é muito maior do que aquela liberada na queima da glicose. A queima aeróbica das unidades de ácido graxo nas mitocôndrias libera uma enorme quantidâde de energia (ATP). a mã. Po:-rm. Os ácidos são responsáveispelo desenvolvimento da cetoacidosediabética. A respiraçãode uma pessoadiabética em cetoacidose Dossuium odor suavede fruta.rados para liberar a energia neles armazenada. eles devem . Conhecendo o metabolismo dos lipídios.r. A acetona não é um ácido.icose. em razãoda acetona. as gordurassão quebradasrapidamente. . ele está apto a hibernar durante os mesesde inverno.como no interior dos vasossangüíneos. por exemplo. Acidosgraxos I Esteróide(colesterol) CHg CHs rem nas mitocôndrias e tomarem parte do ciclo do ácido cítrico (de Krebs).Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e ól B FosÍolipídio r '. Como as moléculas de ácido graxo são muito maiores que as moléculas de glicose. a glicose não está disponível para o metabolismo celular. Com isso.. Com isso.

62

.

4 Copitulo lMETABOLISMOCELULAR Por aminoácidos pode ser sintetizadapelo organismo' não existir o ãminoácido alanina' ,. nà di.," .-f-of., ãi. 'Toá",ri",sintetizado no interior do fígado' '-- oJa. t.t alguns aminoácidos não podemser sinteda dieta' Por ,ir"ããt f.fá .ãrpo . devem ser obtidos aminoácidos na dieta' ,.i t...ïtatia a ingestáo desses aminoácidos essenciais' Aqug;Ì;r ã;h"-"doJd. ser sintetizados no fígado são os amii;ú;; úJ.noácidos náo-essenciais, ou seja, não são.absoluta4-3 a na Ã.rr,. necessários dieta' Obóerve naTabela rmo nãocomuns (nota: o ie t.f"ta" dos aminoácidos aminoácidos não sesignifica que esses ;;;.i"inão organismo' O termo refere-seà caiam necessáriosão sintetizá-losquando elesnáo ;;.iJ;á. á".orpo.ít ãstãoincluídosna dieta). *"õ;;;;carboidratos e os lipídios' os aminoácie oxigêdos sáo compostos por carbonoihidrogênio elestambém contêm trêt elementos, Áe* desres amina "i.. nitrogênio, que aparece como um gruPo da molécula de amioutra extremidade NH;).Na (daí o nome: ìoa.ído está o grupo ácido (COOH) o gruPo amina e o grupo ácido OËr.*. "Ãi"ããiatl. 4-54, que inclui o aminoácidoalantna' '^.^ na Figura são unidos entre si por ligaçóes ó?l-i""áciàos quando o o.oúáüt. Úm" ügação pepúdica ocorre se une com o srupo amina (NH) de um aminoácido

fat ta alime ntaçáo do so rdura ar mazerada ob tida da hib*erna' a sua ï;;t; ; do outono. Enquanto o utso e o ÂIP liberado é q;.ú."a" gr"dïd-tttte' ;"'dt;; íuficiente para mantê-lo vivo' "" produzidosos ácidosgt1*:t? Como bem óã-ãïa. ou slnsabemos'a gordura pode também serfabrtcada' extra de. guloseimas ingerida Ã"q"ã",i.i'ae ;;;;à;

am*li! a"-11-11:: quadril i'';Ë éd;p"itadanoseu
as (energra)'. enzlmas de consome um excesso calorias gordura são estimuladas,lA'gordura é ã".-t-i.,ir"m Nos homens' ã."".ii"a" no tãcido adiposo do corpo' quantidadedt gotdura é depositadana re;á;;t;;ã. nas m.ulheres'a malor eiao ;'bdomiÃal, enquanto que no quadrll e nascoxas' iart. d" gordura acumula-se

PROÏE|NAS
A proteína é.a matériaorgânica mais abundante inúmeros em nossoorganlsmo. Por estai presentenos correto t-orna-se compostosfisiológicosimportantes' as funçóes do corq". ela píticipa de todat ;fi;"ï; qu"sè todas as reaçõesquímicas do i';;.Ì".*pr.i, ;;. que é Por nossoorganlsmosaoreguladas uma enzima' dos hormônios são proteír-" pt.'a.ita. A maioiia para as ,r"r; á h.-oglobina, que transPo.rtaoxlgênro é uma proteína'. -Frnalmente'os células do cãrpo, em ìirtude de suas proteínas músculos ,. .dntr".a actina e a miosina' Como você pode ver' contráteis, para a vida' as proteínas sáo essenciais

um (cobH) de outro aminoácido' ?;õ;;tJ; se aminoácidos alguns ilp'.rai" Jf"i-,1do quando (Fig' 4-58); a forunem atrave, oe rtgaçó'.,peptídiãas i; .t- potïpLptíãiõ ocorre 9]and,o diversos ;;A; rátrttJ-. Rt proteínas úo polipeptídios proteínasé "Áitoá.idor ^uïrã *tt"aes, sendo què a maioria das por mais de,,-a cadeiade polipeptídios' :;õË

Aminoócidos
os ami' Os blocos construtores de proteína sáo 20 aminoácidos são utilizados. pattoa.idot. Cerca de ra formar uma proteína' A maioria dos aminoácidos e ovos' que orovém dos alimentos como carne' lerte fo.rr., de proteína' Mais da metade dos íã L".a."tt

Utilizoçõo dcrsProleincrs
A mais As proteínas são utilizadas de três maneiras' enzimas' proi-pori"nt. é na síntesede hormônios' proteínas musculares e a maioria ;iã;;;i;áticas, De um jeito ou de outro' as ã"t -ÀU*n"s.eliatts' desempenham um papel fundamental em ;;;;;il

Leucina Lisina Metionina Fenilalanina Prolina Serina Tieonina Tliptofano Tirosina Vaìina

O que é ovqliodo oo se determinqr de uréiq no songue? tiã""-"Í"t"dos
corrente A uréia é fabricada no fígado e vai para a Ílns Como a uréia é excretadana urina' se os sangüínea. uréia náo pode ser elide fitrâ-la, a .rraïi"."p*itados sangüíminada dà ,angrr., permanecendona corrente elevadodessasubstânciano sangue Assim, ,t-ìíl.l nea. é indicativo de uma doençarenal'

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Squdóvel Enfermo r ó3 e

A

Aminoácido acrdo

Alanina

9r.po--ì

çeerl -' lr,^,1-ó À l
OrrUâW
amrna

B
Aminoácidos
reURA 4-5 r Aminoácidos e proteínas. A, Estrutura geral ::::inoácido com o grupo amina em uma extremidaãe e o ' .-:Jo na outra. A alanina é um exemplo de aminoácido. B, r. de diversos aminoácidos para formar um peptídio. Um , .ir'cad.eia longa é um poÌipeptídio. Os peptídios longos :::.idosde proteínas.

Peptídio

Polipeptídio

e
Ligaçãopeptídica

e{ -----------* e OC------------| o @

L igaçõespeptídicas

w

. - .' r funçfes fisiológicas.Os diversosripos de pro.. . suasfunçõesestãorelacionados Tâbela4-4. na :'. -:o à grande demanda de proteína, a maior parre ,i:ninoácidos é cuidadosamenre conservadJpelo 'r.:::\mo paÍaavtilização na síntese proteínas-. de !.i-irrem duasoutras formas menos comuns de seuti--' .i. proteínas.Na primeira, a proteína pode ser que-.:-.( usadacomo combustível, como fonte de energia .'- .l produfo deATP Todavia,esse processo não é ãe.- . -'.. pois asfontes de energiapreferidassão os carboi-' '. c :ls gorduras.Na segundaforma, menos comum, . : ':cína pode ser quebrada e convertida em glicose. " :recanismo é utilizado pelo organismo para assegu. .:.rc os níveis sangüíneosde glicose não se tornem ..:,, baixospa,raa manutenção da vida. O uso da pro' :.1para a síntesede glicoseocorre quando or ní*i. -

sangüíneosdessasubstâncianão podem ser manridos pela dieta de carboidratose pelo gliiogênio aÍmazenado.

Gluebro do Proteino
A quebra das proteínas apresenra um problema em particular pois, além de os aminoácidorio.rt.recarbono e oxigênio,_elestambémpossuem o nitrogênio e, embora a quebra de um aminoácido sejaserãelhante à da glicose,a presença nitrogênio Faz do uma grande diferença._Carbono,hidrogênio e oxigênio p.fdqm ser quebrados em dióxido dúarbono e á"gua e eliminados do organismo; porém, o nitrogênioãeve ser controlado de maneira especialpelo iíeado. Ele pode ser reciclado e utilizado pãra sinietiza, ãif....rt., aminoácidos ou ser convertido em uréia e excretado.

nP'O
' :línas estruturais LìmporÌeÌÌtes das membranas celulares , .olágeno r.)ueratina : : :mônios peptídicos (p. ex., insulina, :mônio do crescimento) ::.:noglobina r,:::icorpos : ,reínaspiasmáticas . : r1gi125musculares ::ìzlmas

FUNçAO
Desempenham diversas funções: determinam o diâmetro dos poros; auxiliam os hormô, nios no "reconhecimento" celular Componente estrutural dos músculos e tendões Parte da pele e do pêlo Muitos hormônios são proteínas e exercem efeitos sobre diversos sistemas orsânicos Tiansporte de oxigênio Protegem o corpo contra organismos causadores de doenças Coágulo sangüíneo; equilíbrio de líquidos T o r n a m o m ú s c u l o c a p a zd e c o n r r a i r Regulam os padrões das reações químicas

4 ó4 I Copítulo / MEIABOLISMOCELUIAR
os hormôsíntesede diversas substânciasvitais como plasmátinios, as enzimas,os anticorPos' as.proteínas Metabocas e os component€, e'ttui'-"ai' dàs células' de reaçóesquímicas iirrrro ,.f.r.-re ao grande número f.r,"ionar' As reaçóesanabólicas ;;i;;; " "orpã construçáo, ou síntese' de subsH;;;;l"iá"ï"" simples' As ;Ã;J"; complexas, a partir dã substâncias de. ta neìessi m geralmente^ energia' ,."f oo com".,"Ëó1i.", quebram as substânclâs catabólicas As reações mais simples' geralmente em plexasem substâncias iiÚ.t"t a energiaarmãenada nos aliffi;tf.;;;;"t" das reamentos. Ëráqti.rrr.rnente'-a eiergia lib-erada an abólicas utilizada para-reaçóes çã.ïì"i.Uãilcas é potentes.

ornÉncl INFORMAçÃo
Urina (uréia)

DE E SiNTESE PR.OTEINAS

Hereditoriedode
Tipos específicos de proteínas sintetizadas lmpladeter-minam a estrutura e a funçáo ú;'àuhs mem"r."rJ presentesrnas proteínas.estão do cotpo' Essas còntrolando milhares enzimas, br"rr"r'..lrll"r.r''.o-o e como hormônios"tg"1"ï: ;..íólicas, ã;,ãçó* dos órgáos' Embora a maior parte da ão " "iiula"de as estrutura e função seja comum para todas Pessoas' ou traços' sáo herdaclos' alqumascaracterísticas, " se asA hereditariedade faz com que pats.e tllhos semelhem. Você se parece com seuspltt P911"ï"?t Cada às são semeihantes deles (Fig' 4-7)' ;;;;";; exemplo' g.t'ttitamente pode'-por Ëi,ã;i".L"n'rd" e castanhos pele clara' A estaaruis, cabËlos i*;lh"t su1 ap-arflcia também bem como ;;"";;;;-.i"r,ç" é deteràs serãosemelhantes dos pais' A simïaridade proteínas especíhcas' minada pela ação de

FIGURA

""-gã"a" pela urina. minada

é tóxico) 4'6 t lhéïa-Conversão de nitrogênio.(que onde é eli.- Jtei". í uréi" flui pelo s'ngot aié o rim'

Gonversõo de Proüeinctem Uréio
dos amiParte do nitrogênio liberado pela quebra ocorre noácidos é removião do organismo' O processo do amlnoacuando o grupo amina (NHJ é removtdo uréia (Fig' 4' .o"".t,. o :til;;í;;ãã "o-potto.tm do.fígado para a uréia 6). O saniue então transPorta

;lÃr;;d.

pelo organismo' porém,é reciclada .ritrogérrio,

do n" J-.iit";""aa u'in"' A maiorparte

*RESUIWNDO! O corpo' como uma fábrica' reparos matéria-primapara cresclmento.' de necessita dos A matéria-primaé provenìente ;fu;;it;"-ento. - carboidratos, pioteínase gorduras'os il;;;;;t princigord,r,"' iáo o combustível ;;b"ã;"t.., principalmentena sáoutilizadas ;;ì;; ;t p.ot.ínaï

DNA: O Proierodo Vidq
é armaze' A informaçáo referente à sínteseprotéica nos núclèo da célula, mais especificamente t *J" é com"" (Fig. 4-7)' Cadacromossomo "io-otto-os uma séiie de genes'Cada-gen:r um segpot oor,"

il;;.'ã;
;;;;;-

Por que o folêncio do figodo pode olteror o n'rvbl de consciêncio?
a Sob condiçóes normais' o Fígadoextrai iT:"i' (NH:) do sânguee a converteem uréia' Com a lalêncta da amônia do sanguediminui', eleil;;;l;;"..;tação niu.i. i. amônia' Por ser tóxica para as células ;fi;; e pode perdo encéfalo, a Pessoatornâ-se desorientada der a consciência.

a informação para fabricar uma determinada O DNA é o p'ojeto para a síntesede proteí"tàì.t*. ," prot.ín"' cãntrolam as atividadesvitais il;;;;-; vjda (lembreã" á"f", ele é considerado o proieto da protéica esà relacionadaà união de se de que a síntese ,..,do que, em uma proteína' cada um ;.tì;JãJ.t, .ttar .nfiltiiado numa otdtm exata)' J.Ëá;;. sua banda Cadagene transporta informação em carregat,i19' de DNA. Por e*emp'lo' um g€ne pode ajzuise t'- outto' para cabelo liso' ;-çãú;;tolhos é denoEssearmazenamento de informação ão gene minado informaçáo genética'

áciao desoxírribonucléiõo(DNA)' que

da sínteseprotéica.O seqüenciamentodescreve ora dem das basesao longo de uma cadeia simples do DNA. ]NA Gene para cor de cabelo Gene para cor oa pete FfGURA 4'7 : Cromossomos. como conseqüência. LsNooo CóDIGo GENÉrlco.4-9). A lista de basestriplicadas é chamada de seqüenciamento de bases.4-10). r O açúcar do DNA é a desoxirribose. O Gódigo Genêtico O código genético refere-seà informação sobre a síntesede proteína no DNA. citosina (C).:n. -()mpostos por unidadesmenores. A adenina e a timina. são denominadas basespares. Assim.orie nos ribossomos do citoplasma. que não sai do núcleo. Umasimples cadeia de DNA é lida no sentido vertical (de acordo com as bases nos degraus) da seguinte maneira: CTCGCCCTT. e . grupo fosfatoe uma base. de CopraNoo o CoDrco GeNÉrrco: o RNAm.lJm nucleotídeo apresenta partrês . O DNA apresentaduas cadeias. Ás basesdo DNA são a adenina (A). Observe a estrutura em escadado DNA. Essesistemaé um paream€nto de bases. ) f)NA é um ácido nucléico. o DNA é o código paÍa a união dos aminoácidos e.r açúcar. Os dois lados são compostos por moléculas de açúcar/fosfato. nucleotíos icos Fig. genes o projetoda vida. Tânto o DNA como o RNA contêm citosina (C). porém. na seqüência de basesao longo de uma cadeia (um lado da escada) do DNA (Fis. ou codificada. o. guanina (G) e adenina (A). A adenina pode unlr-se.4-BA). se Duas cadeiasde nucleotídeos estão organizadas em uma escada em forma de espiral para estruturar o DNA (Fig.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo o ó5 e A Estruturq do DNA . ou parear-se. enquanto a quarra base do RNA contém uracila (U). os ácidosnucléicos . Nota: não confunda Dareamentode basescom seqüenciamento de baseJ. sendo uma de cada lado. enquanro a doRNAéaribose. assimcomo GCC é o código de outro e CTI o código de um terceiro. do qual difere em três pontos: . Mais precisamente. Uma seqüênciade três bases(GTC) é o código de um determinado aminoácido. enquanto a citosina une-sesomente à guanina. 4-88).a informaçáo é armazenada. . assimcomo a citosina e a guanina. O oareamento descreve a maneira pela qual as duas cadèiasde DNA são ligadas entre si pelas bases. A sínteseprotéica. que realiza o pareamentocom a adenina. guanina (G) e timina (T). no DNA. e os degraus da escadasão compostos pelas bases. O código genético é armazenado no interior na seqüência bases. porém a quarta base do DNA contém timina (T).somente com a ümlna. nuum Os :rJeos unem paraformar longascadeias. Como o código passado núcleo para o citoplasma? A cópia e a liberação do código genético são realizadaspor um segundo tipo de ácido nucléico. o RNA (ácido ribonucléico) (Fig. Note as diferentes formas (cores) das basesnos degraus da escadae que elasapresentam uma organizaçãoparticular.e o RNA somenre uma. O código genético para a síntesede proteína é armazenado no núcleo da célula. O ácido ribonuclóico (RNA) é um ácido do núcleo composto por nucleotídeossemelhanteao DNA.

i.Fosfaro o CHz l-a----' + Açúcar Base Nucleotídeo CHz o -6\ o o ro CHe o*( P o@o QHz o ro CHe o "É" A' NucleotíFIGURA 4-8 r Estruturado DNA' B.t*aa " ra* e ss á o a a d e n i n a ( A ) ... As bases formam os degraus por parean"""i"" irento de bases.*i .. Ad"nin"qkGuanina @ qkrimina @citosina .õtüdos (Js oef o s f a t a d o sd o s n u c l e o t j d e o s ' e componentes f o r m a d o s p e l a sb a s e s '+ ' q Ï : l t : são ã".fato por açúcar da escadasáo formados .CELULAR 4 óó r Copítulo /METABOLISMO A o "=@fu. e base'.r.:'-".r c Ë. t i m i n a ( I ) ' c l t o s l n a \ \ ."DïìÃ.õ. A estrutura "...s (G).

i chamado de seqüenciamento das bases. ele .rr.: GTCGCCCTT.'. Observe o código para três aminoáci... Um pedaço do DNA sePara-seem QG'URA 4'9 ..:linoácido.' código genético. Tiês bases (triplicadas) codifi. . Uma faixa simples do DNA mostra uma seqüên. .e Soudóvel Enfermo o ó7 do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono t DNA..

.."e.ï."'ï.i"" }|AF. ï "ãa-ig.' ããoNn'e a faixa de ïjË"ri" tt*amento das bases' ".?.4"?f* Grcccccrr' . CopïIuIo4/METABOLISMOCELUIAR FIGURA 4-lO' cop]a Transcrição:-a d1 P:t: s. RNÂdeve sèrCAGCGGGAA' .i.-..ó8 ..

Nota: a transcriçãorefere-seà cópia do código genético do DNA no núcleo pelo ao nNn-.(-. vmacadeia de DNA separa-se A complementar (o outro lado da escada).'r'rcia basesdo DNA for GTC.. O RNAI transfereos aminoácidos do citoplasma para o ribossomo.. 4-11). citoplasma. um mecanismo celular elaborado direciona a reuniáo dos aminoácidos para formarem as proteínas. . o código deve ser transportado para o ribossomo' onde ocori. :.. ela realizará.) Foses dq Sintese de Proleinos r...E certo dizer que você é o que as suasproteínas são.e Soudóvel Enfermo ' do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono ó9 DNA lcucar Brse Desoxirribose Adenina Guanina Citosina ïmina ( :deias Duplas RNA Ribose Adenina Guanina Citosina Uracila Simples Como qs droqqs utilizodos contro o côncer qlteroïr o sintese de proteinos? drogasinterferem na sínteseprotéica.... 4-10).i ela deve mover-se para o ribossomo para montar uma proteína? A alanina está fixada ao RNAI que contém as basesque podem reconhecere parear com as basesdo RNAm (ribossomos).: . terminou a cadeia protéica. as únicas bases de parearcom ela são CAG. l:lsE 1.\-\ transportador (RNAt).ienético. ' .rma lifaçáo peptídica entre cada aminoácido.io a aminoácidos individuais.Por exemplo.ixì polipeptídio (proteína). Ele transporta os . . Esseprocesso ocorie junto aos ribossomos. p. a reunião dos aminoácidos. Quando uma determinada proteína está de .ristem três tipos de RNA. Fass 4. cíficassintetizadaspelascelulas. impedindo o crescielas mento das célulascancerosas. A estrutura e a funçáo do corpor proteínas espepo são amplamente determinadas. o código pode especificarque sorri:ìre o aminoácido alanina pode unir-se ao sítio núr. diferenças entre o DNA e o RNA estão resumi. a tóxicas sériasassociadas esses tas reações '\.:. por pareamentode bases. crdeia . .. se o RNAm contém a seqüênciade basesGCA. Fasr 5.ítio número 2.:riênciade basesexposta (o código genético) da caem é . A tránslaçãorefere-se reconhecimento do código genético do RNAm pelo RNAI. Em razáode funções fundamentais desempenhadas pelas proteínas.()rÌlentea dois deles:o RNA mensageiro(RNAm) e :.566s5. . O código no RNAm (agora em um ribos. Seu código senético estáarmazenadono DNA (no núcleo da céIula). A destruiçãodas célulasnormais é a causade muiâgentes.ao longo dos ribossomos' Formasè . (Lembre-sede que a correta ::ije protéica estárelacionadaà associação . :::roácidos arranjadosem uma ordem específica. também podem fazer de o mesmo em muitas célulassaudáveis crescimento rápido.As drogascontra o câncerinterferemem diversospontos ao longo do percursoda síntedo seprotéica:elaspodern (1) interferir na síntese DNA (2) do saudável..icadeiade RNAm. :ro) determina quais aminoácidos podem unir-se a . t ) RNÂt é encontrado no interior do citoplasma. .Ìs esrruturasna seqüênciacorreta para a fofmação .) controle da sínteseprotéica pelo DNA e pelo ' \..Cada proteína deve apresentarseus . e é chamada de transcriçáo (Fig... i. Essaé a i:reira pela qual o RNAm copia o código clacadeia : l)NA. seufuncionamento seráprejudicado. i lst 3. ocasionandoa morte celular.-. no Enquanto as drogascontrâ o câncersão eficazes bloqueio da síntesede proteínas. O RNAm deixa o núcleo e seguePara os ' :. somente o RNAI com a seqüênciaCGU pode unir-se a essesítio. Se a segundafor .:'.. A formação de *nESUftllNDO! . O RNAm copia o códi^ icrìérico do DNA no núcleo e o transporta para os ' . porém. entáo. Por exemplo.\ envolvecinco fases (Fig.-. Quando todos os aminoácidos estiverem agrupadosem uma seqüênciaexata determinada pelo código genético. ..::o 1 e somente o aminoácido cisteínapode unir-se : . criando uma cadeiapeptídica em desenvolvimento.-.ìssomos.. F rse 2. A proteína está pronta para ser utilizada pela célula ou ser transPortadapara outro local fora da célula.rminoácidos..no citoplasma. 'ra Tâbela4-5. Por exemplo. Como a alanina (localizadano citoplasma) sabe . onde elessão colocados na òrdem exata determinada pelo código genético' A leitura do código genético do RNAm pelo RNAI é chamada de translaçáo. ::rnoácidospara os ribossomos e auxilia na união .. uma proteína completa foi criada. Quando requisitado para a sínteseprotéica. Os aminoácidos são alinhados em uma seqüência específica. transferindo assimo códino . Diversasdessas de Seuma droga pode bloquear a síntese proteína em uma o célulacancerosâ. se a primeira se.i separada copiado.t. bloquear a síntese RNAm ou (3) interferir no agrupamentode aminoácidosao longo do ribossomo. iremos nos refe' .no citoplasma.'odem o . pareamento com CGG.ì ser sintetizada..

..faiì'""ìrjçà.i.^r-""1{.c. .( kre íÀ v Começaa formação de ligaçãopeptídica l . cópia do código genético peptídìcas o-RNAm). (4) formaçãode lìgaçóes tã |Net relnt'. (3) translaçãodo iAdlgo no RNAm pelo RNAI que leva os aminoáci- Aminoácido Citoplasma Núcles )@ )'rP pwd o RNAm deixa o núcleoe segue para o ribossomo @ ) T.. ::tl*.. "Jlongo .ì.9.79 r CELUIAR 4 Çopírulo /METABOLISMO pepdos para os ribossomos../ í-'.. uma proteína ocorre em cinco fases:(1) sepaÍação..@ \--l ffi-@ @u'. (2) movimánto do RNAm do núcleo 'p"r" o.: do núcleo parao ribossom"ì.""ido."'q@g compleÌa é criada RNAt com liga-se aminoácidos a sítiosespecÍficos do RNAm (translação) Ribossomo o pelo RNAm.(4) formação de ÌigaçÓes entre os aminoácidos organizadosem uma setídicas qüência específica iunto aos ribossomose (5) o término de uma nova cadeiaProtéica.idor r. ribossomosno citoplasma.das duas cadeiasde DNA e cópia (transcrição)do código pelo RNAm. do ribossomol (5) término da criaçáo da proteína.l I r Fases síntese proteína:(1) transcrição. (2) o RNAm transfere código a de da FIGURA 4.ú.-:*:.p."i.

. O crescimento dos tecidos e a sua repançáo tornam-se lentos.n" tõo ossociodos diversos " o "roiustes hormonois.ó.o toltode insulino ofetoo metobolismo corboidrotos. rrr"r fuó. tompoos ductosponcreóticos'diminuindo o fluxo no ele ossim d. O envelhecimenro romove uma diminuicão p do número e da funçao das organelar. o m e r a b o l i s m or o r n a . orde e o gonismo.o produçõoa" arp pero à ourroo rnorr".esse. diobetes No melito.r oxigênio). Como resultodo... por suovez. ""piãJü. Íibrose. infecçõo e de A cousoo lib. or dãÊi"ro.umo olteroçõo metobolismo potro de oerobico do qr" (coÀ oxigênio) poro onoeróbìço glicose proJr. crescimento.or. exemplo.i. Alteroções hormonois Doenços hormonois Estodos hipermetobólicos Acidose lôrico .. mrco o espesso solgodo.tlr.produzindo Este no f*itl"ton.i. deficiêncio Esso determino óroduçõode u.o-o ". Comoo metobolismo muitoofetodopeloshormônios.eenzrmos.Esseefeito é secundário diminuià hormonal. e sudorese enzimos e poncreóticos.í.r. Todos doenços os hormonois corocterizodos olteroções sõo por metobólicos. O padrãode síntese proréicadiminú.À. o de do comoo cortisole o epinefrino. oxigênionõo póde ser utilizoJo.cilil. _ 3." ã ..einotivoolgumosdos enzimos é dos mitocôndrios. tenilcetonúriocousodo A é pelodeficiêncio umoenzimoque mebbolizoo de ominoócido fenilolonino. altera diretamente o metabolismo. estresse O determino liberoçõo diversoihormônios esti.s em a i s l e n t o com a idade. serodministrodo um pocienÌe. A quontidode oxigêniodiminuide formo severo de nostecidos pocientes choque. doenço ormozenomento glicogênio deveo umodefiA do do se ciêncioenzimótico que foz com que o excesso glicogênìo de seiodepositodo fígodoe no no musculoturo esquelético. a diminuição d. queimoonoeróbicq'do { roflco. o de determino mobilizoçõo o de gorduros reduzo utilizoçõo corboidrotos.ilo."do ooi a"t"io. Esses estodos tombémse desenvolvem pocientes suportorom em que queimoduros sever9l.Como elassão õndamentais para o metabolismo. 9m pocientes com infecções sérios em pocientes e (pocientes côncer coquéticos com e debilitodosl.disro e O elevo o.id. no proreiA no dos membronos tronsportodoros. á. poiselepodemorrerenuenenodo cionureto.podrõometobólico. hormônio Esse estimulo síntese proteínos. umocondiçõo que cousoretordomenrol severo.queimo gorduroe nõo oproveito proteíno corboidrotos.---".Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e Zl ênqworaÌo Voc è ênv el h-c- l . à.."". particularmenredos ção da secreção hormônios da tireóide.drogonormolmente " utilizodoem trotomentos produzciqnureto cordíocos comoefeito coloterol.. o umo. muco O noïortÃã"i aiiiãrÈ "rpàri" to o respiroçõo.. é excretodo urino. digestivos.i. corpooceleroseumetobolismo. Ao o estedeveserrigorosomente moniiorodo. í:". que. pôncreos. bem como a síntesedì ouiras proreínas. estimulo vios meÌobólicos figodoporo utilizorprot"ino os do oçúcor. ocumuto octdotottco \J de cousoum distúrbio severo pH do songue no denominodo ocidose lótico. de em Esse decréscimo determino. pelo Muitosdoenços cousodos sõo pelofoltode umoenzimoou por umoenzimoimperÍeito (deteituoso).. E m g e r a l ... olteroções é os dessos substôncios por tombémdeterminom olteroções metobólicos. hipertireo.i. proteínos lipídios. um é "rúão. del'es um oumenio h. o olgumos vezes pontode deo Termrnorrotencto o cordioco. uma tendência a ganhar peso e diminuição da eficáciaem utilizar !li. Um metabolismo dimin u í d o d e t e r m i n av á r i o se f e i r o sc o m o a m e n o r tolerância ao frio. provocom que ruionço. mitocôndrias. como as enzimasdigestivas. Envenenomento por ciqnureto DoenÇos cousodqs por deficiêncios enzimóticos O cionureto um venenoqu. profundos rn"tãú.

Proteinos por sõo 1. citimino. Os doistiposde RNA incluem RNA mensogeiro (RNAï)' em e (RNAm) o RNAïronsportodor iolicôlise o ciclodo ócidociÌrico) COze HzOe e (ATP)' q-rondes quonÌidodes energìo de C. . Á ribosee o desoxirribose e guonino. ê o formo codeiode DNA' trêsboús ão longodo ormozenodo O toi"noão do glicose. iosino no de comcincoóÌomos corbonoutilizodos síntese 5. subsiôncios complemois em ios. RNA principolmente figodoe not mÚtculos io oeò (RNA) similor processos pelos é podesercotobolizodo do ó. do DNA. de'hormônios. Cotobolismo que químicos dei. Àt r. em tronsformodos monossocorideos' de no qrO. O ócidodesoxirribonucléico ll. Sintese Protéico: Ginco Fqses o pode ser sintetizodo portir de outros glicose 7. longãs As oo de desenvolve-se longodo ripeptíàios em duosunidodes corbono' fod"ioï" no citJplosmo.é esqueléticos' B. O cOïigogJnéti. sõo monossocorídeos 3.comos seguintes lronsformodo e sendo é o or"bro (qlicólise) incompieto. ã. As iroteínossõometobolizodos umoformosimide especiol niÌrogêHo lor ò glicose. Codo foï"o d" DNA estóligodo de ocordocom os do RNAe do DNA' ò (o ligo-se Ìimino.o sõo boses o odenino. O tonossqcorídeo orron3. O qlicogênio um polissocorídeo. Á.elo é quebrodocompletomenÌe 2.t"bolismo incluios reoções mois os otJot. ó. Úm nucleotídeo composÌo um oçúcor. do pídios esteróides. pelos sõo menores utilizodos bossomo."rsos síntese onobólicos (ATP). l. pro. proleinos os os lizor seucombusïível: gorouros. Á do 1. A qlicose 1.'ótlloidios moiscomuns os triglicerídeos.Poroo DNA. liberondo quontidodes energio' grondes . e hemoglobino memmusculores. cor é o ribose. glicogênio. O códigogenéÌico DNA é copiodopelo RNAm' substôncios. ou quebrom. de 3.Llrlores. boses o odenino. sõo usodos tombém úrono. A. DNA (DNA)é o "proietodo l. processo o lronscriçõo.oé ormozenodo seqÜêncio ele é 5. glicose um por é 4. Úmo liqoçõopeptídico 3. é Esse poro do 2. energio -B. O RúAmfonsfereo códigogenético núcleo B. de codeios ócidos 4.As proteínos poro o produçõo e combustívelmotério-primo como de glicose. ïronsformondo-os substôncios simples' gerolsõo ocomponhodos cotobólicos 2. Metobolismo A. Os lipldiospodemsêrormozenodos ïecidoodigorduro.-. posocomo C. portir de momsubsïôncios simPles. 3. Sõocompostos monossocorideos. RNAé umocodeiosimples suos Pelo de quontidodes ATP' e ciïosino guonino' spequenos urocilo. As proteinos formodos umosériede omiem peptidicos umosepor unidos ligoções noócidos esPecifico. mitocôndrios. e os corboidrotos. Anobolismo que químicos Ìorincluios reoções l. lll. célulodeve. formo (umosérie genes de nodo no ONI dosgenes e oolissocorideos. unidodes (de (terminodo)' é do 5. As proteinos utilizodos plosproteínos onticorpos. dos é e de energio no síntese membronos' no entrecodoominoócido groxossõoquebrodos. A codeioprotéico completodo ondeos enzimos ciclodo ócidocítrico Krebs) em cômpletomenïe COze cotobolizó-los o ouxiliom de 'HzO. ó. Lipidios -Íosfolisõo do os ribossomos citoPlosmo. grucomo e e comoglicogênio convertido ormozenodo é oo fosfotoe umo bose. enzimos. lnformoçõo Genêtico e Sintese de Proteino A. A estruturo ócidoribonucléico suo onoeróbico no Peloprocesso diferenços: RNAo oçúróËicoe onoeróbico.o ciÌosiporeodos odenino boses duplose devemser sõo 4. A informoçõo dissocorídeos por 1. O códiqosenético RNAmé lido peloRNAI(onee Esse no comofonïe individuois ciloplosmo)' principolmente *odo o"otìnoócidos Z..iao"tati. õt lipidiotsõouïilizodos processo o tronsloçõo.nções. proleinos móticos. O é moisimportonte o glicose' 2. qüêncio no principolmente sínïese sõo 2.4 72 e Copitulo / METABOLISMOCELULAR ffi"o. o oçÚcor o qordurq. "t o processo oeróbico. sõo e os desoxirribose. umocoptoçõo do nio otrovés ciclodo urêio. umcromossomo). Os dissocorídeos oçÚcores ò no ligo-se guonino). O onobolismo o e grondes complexos."oço"s de peloliberoçõo energio. Motério'primo vido". i. menïe no 4. Gorboidrotos: Estruturo e Funçõo protéicoé ormozeò referente síntese 2. O DNA ê umocodeioduplode nucleotideos Íonte comoo principol utilizoo glicose orqonismo de iodosnumoformoçõo duplohélice' podeserormozenodo tombém A de-energio. substôncios de necessitom ou de 2.o meÌoboo suos Porodesempenhor fu.

Diferencie pareamento de basesde seqüenciamento de bases. 17. Qual é a relaçãoda proteína com a ufelaÍ 14.orPo. t. r ]Lraissão as duas fases metabolismo? do l.iigerido. Cite setecomponentesdo corpo que são constituídos po_rproteínas. t]uais são os três açúcaressimples?Qual monos. mas constitui a fibra da nossadieta? -. t -iretrêsdissacarídeos. t]uais são as três formas pelas quais o organismo '. 6.nediata de energia? i. Cite as cinco fases da síntese proréica. 18.ontrada em nossocorpo? 11.os genese o DNA estão envolvidos na sínteseprotéica?Qual é a esrrutrura do DNA? 15. -)g5ç1stra estrutura do açúcare do amido.ì causada formaçáo do ácido lático? c. Qual é o significado de uma determinação de índices elevadosde uréia no sangue? 20.ilrerao metabolismo da glicose. 10. t]uais sáo as três maneiras pelas quais se diferen-ia o catabolismo aeróbico do anaeróbico? Qual é .::iÌtOS.:rrliza glicose? a t. t]uais são as três formas mais comuns de lipídios cncontradasno nosso organismo?Cite três ma:reirasnas quais os lipídios são utilizados pelo . ( -ire duas maneiraspelas quais a falta de insulina . 13. Como os cromossomos. Explique como a alanina (localizada no citoplasma) sabe que ela deve se mover para o ribossomo para a formação da proteína. Quais são as três maneiras pelas quais as drogas contra o câncer podem afetara síntesede proteínas? ì. 1 l. t]uaÌ é a matéria orgânica mais abundanre en. t]ual polissacarídeo encontrado nas plantas não é . Como o odor de frutas da respiraçãode uma pessoa está relacionado ao metabolismo de ácidos graxos? 19. Descrevacomo o código genético é copiado para que possasair do núcleo em direção ao citoplasma.-rcarídeoé utilizado pelas células como fonre . 16. (-omo os aminoácidos essenciaisdiferem dos :ráo-essenciais? Como os aminoácidos se unem lìrìraformaf as proteínas? .Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo o 73 e I . t ire os três elementosque produzem os carboi.

.

5.TECIDOS E fYIEfYIBRANAS C) bje*vos l. e exócrinas. 6. Estabelecer diferençaentre as membranas a mucosa e serosa. 4' Estabelecera diferença entre glândulas endócrinas muscular e rÌeryoso. Explicar como é classificado o tecido epitelial. 2' Descrever as funções dos tecidos epiteriar. Citar os quarro tipos básicosde tecidos. 75 . conjuntivo. 3. Citar os tipos de membranasepiteliaise conjunrivas.

filtração À e secrèção. Uma é livre. o nervoso e o muscular (Tâbela5-1).. O que o tecido epitelial faz?Essetecido está relacionado pìincipalmentè com proteção. também chamado simplesmente de epitélio. como a superfïcie externa da pele ou o revestimento inter. conduzem a poeira aderidaao muco em direçãoà faringe. . o que auilia a limpar o ar inalado.Existem três formas dé tecido epitelial: pavimentoso' cúbico e prismático (Figura 5-2).". A B "U'u. ou seja. de regenerar-se' reparar-se damente. Como as cerâmicas individuais arranjadas em um belo piso. As células se unem de forma bem organizada. . To Capítulo 3.íliot.o rapiou èpitélio e c pa. Esse arranjo é semelhante à união de células idênticas p"r" fot-"t uma lâmina de tecido. para sua nutrição. Portanto. tamanhos e funçóes distintas. o tecido epitelial forma glândulas que e enzimas.# EPITEIIAI TECIDO O tecido epitelial. e as ondas de batimento. O epitélio é abundante em órgãoscomo os do trato digestório.onde é ellminada pela tosseou deglutida e posterioimente eliminada com as fezes. .-osquais absorvem grãndes quantidades de água e de alimento' Finalmentã. cuando lesado.O tecido epitelial que revesteasvias respiratórias sécretamuco e apresentamuco em sua superftcie. pele. tecidos são grupos de células similares em estrutura e função. A superfície inferior do epitélio está aderida à membràna basal. Os quatro principais tecidos do corpo ião o epitelial.ttt. r Em virtude do bom suprimento sangüíneoproporcionado pelo tecido conjuntivo subjacente. por exemplo. Neste capítulo. As células pavimentosas sáo deleadase ãchatadas. ^ O.semelhantes às escamasde peixe TIPOS PRINCIPAIS Têcido eoitelial TrPOSESPECÍFICOS Simplespavimentoso Simplescúbico Simplesprismático cadoprismático Pseudo-estratifi Estratificadopavimentoso De transição Frouxo (areolar) Adiposo Fibrosodenso Reticular Cartilagem Osso Sangue Neurônios Neuróglia Estriadoesquelético Liso Estriadocardíaco Tecido conjuntivo Têcido nervoso Tecido muscular .eÌe é avaicular. as células são agrupadas de diversasmaneiras para constituírem os diferentes tipos de tecido. absorção. As lâminas epiteliastambém revestem a maioria das cavidades internas como a boca. *ptiiamos como ela se divide em milhóes de l\l I ì céiulas idênticas e como elas se diferenciam em formas. formando um 5'l FIGURA belo piso. O tecido epitelial é classificado de acordo com sua forma. qtt"ttio ao número de camadas. as vias respiratóriase reprodutoras (Fig' 5-1)' Os tipos de tecidõ epitelial estão relacionadosna Tâbela5-2. da invasão de bactérias causadoras de doenças. I Não possui vasossangüíneospróprios. O muco capta a poeino ra suspensa ar. r União de cerâmicas idênticas.". o cónjuntivo. O tecido epitelial também atua no transporte de substânciasatravésdas membranas. estudamosuma célula típica. 'produzem uma variedade de hormônios as seguintes caracterísO tecido epitelial apresenta ticas: r Forma membranas contínuas. veremos como essascélulas estáo organizadas para que realizemfunçóes específicas. o tecido do epitelial dependedos uasossangüíneos tecido cóniuntivo situado i nferiormente.. forma lâminas amplas e contínuas' Ele particióa da constituiçáo da pele e revestetoda a superfícieê*t. promovidas p. do corpo.76 o Copitulo /TECIDOSEMEMBRANAS 5 ì.senta duas superfícies. protege o corpo dos raios dè tol . como a cerâmica de um piso. Àpr..lo. uma estrutura muito delgada que ancora o epitélio às estruturas subjacentes.ro d" bo.

conduzem o ólrrlo para o útero Protege o corpo contra microorganismos invasores.#ry . ânus e vagina Bexiga urinária . o núme_ das ro de camadas (simples estratificado). e 77 nFo . ou .iry Cúbico ã rffiH Prismático (colunar) FIGURA 5-2 * Classificação tecido epitelialde acordocom do a fo_rma células(pavimenioso. resistenre à fricção Permite a expansãode um órgão sem se romper .ì: transição Seínelhantea: Forma da célula Tiposde camadas celulaÌes: :È :€ xe Pavimentoso (escamoso) Simples Estratificado . :mentoso rocAuzAçÃo Paredesdos vasossangüíneos(capilares) AÌvéolos pulmonares Rins Revestimenro dos túbulos renais Diversas glândulas (tireóide.ir-áticoi. : .: ' -c s .<:do-estratifi cado prismático ' '::r iìcado .absorçãoe secreção dos sucos digesrivos: treqüentemente conrém célulascaliciformes (produzem muco) Proteção e secreção.-: ico : . imentoso Revestimento das vias respiratórias Revestimento das tubas (uterinas) Camada externa da pele Revestimento da cavidade bucal.z--Ãr.cúbico e p.limpeza das vias respiratórias.* \. salivares) liato digestório FUNçAO Permite a troca de nutrientes e de resíduos Permite a difusão de Oz e COz FiÌtração de água e eletrólitos Âbsorção de água e eletrólitos Secreção de enzimas e hormônios Proreção.nárico .Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo .:'. pâncreas. esôfago.

. t.1.esse ü"tJt"Èir. uma região os quadril). do corPo Para outro brarrâ.a aparênciade essâs irregulares.rrr"rìfi..t. .r.. paredesdos capilaressangüíneos' to..am"dã epitèlial é majs freqüentemente túbulos renais' onde atua . respiratórias' .efio ú"i. Nessecaso. exterrevestindo a cavidadebucal e sobre a superficte na da pele.'t'à. dessetecido auxilia a capÍar a células especializãdas contidas no ar inalado' Os cílios enóeira e pàrtículas muco em direção à faringe' tão empurram o Epirélio HsfrofifiçEdo por Os epitélios estradficados caracterizam-se issomais sendo-por ou -"it camadas' .."' substâncias' atravésde .á*s"'tes ca.el..À. .irr.ri".ou seia'facilitar ciliado ãï r.. o tecido conjuntivo' tipo de epi(de onde deriva um outro nome Paraesse comparadas As células cúbicas são ìJrì".O ioitélio.. h.. i-"o formadas pôr epìté\ìo sirnp\es pavirnentoso' dos alvgoloi (pequenoì sacosaéreosdos À.rrnadã de celulas célulasdão..aio d.ntosas com uma epitão delgado'.""""a" em glândllas e nos de no transporte e na secreçáo diversas-substâncias' a prismático refere-se uma caO epitélio simples s d e c e l u l a sp r i s m á r i c a s o b r eu m a m e m mada única céluÌãsaltas e firmemente compacbrana basal. v a s o s a n g ü í n e o sn r e r r o m p e n d uma úicera' g.. pt'lt' O epitélio. ". se estica' As células parecem es(contratificadai quando a bexiga urinária estávazia elã estácheia (esticada)' traída) e simples quando simples está Por ser muito delgado' um epitélio com o movlmento ou o relacionadoprincipalmente memd: àirr.etransiçáo é encontrado principalmente Ëm órglaosque necessitâm ser esticados' Recebe esse..Essas e . O pesodo corpo comprime' ou presslona' d s o^ uprimento e sani.".".rr.so)..estratificado estratlrtoavimentoú é o mais comum dos eptteltos e a Fricçãó é encontrado Ãul.ça... com diversas um ..-s.. ã"J.t também estão iormadas por esse^tipode p"fLo. simples pavimentoso é uma camada membrana "íi. a.rl"r'.EMEMBRANAS 5 78 .l Unì epitelio pseudo-estratificado O muco produzido pelas .. nham uma função protetora e estáo do dia-a-dia' c. A sua funçao è tt-ìlhtttte a absorção ãpiiJfi.u.ì"1* pi"i-.it... ir"i sáocauraàas (p' óssea ex" cotovelo' calcanhar' ã".pitZlio i. de tecido envolvìdo' Um carcinoma ue o tecido epitelial e um saÍcomâ.âdo".*.i. presentesnos te'. ^ * r d r ' ú n i c a ã e c é l u l a s a v i m e n t o s a s 'n q u a n t o cacontém dtversas estratificado epitélio pavimentoso evi' rï"ã"t d'.ou úlcerapor pressáo' tede por uma interrupçáo do suprimento sangü.i.nt..i. pod.iìa. simplesprismáticó.úsorçáo uma funçáo importante Jo.ro*Jporqoe suascéluÌas deslìzam umas sobre as outras qrl"ttdo .rr".n. )-t).número de camadassão utilizados paexemra descreveros diferentes tipos de epitelio' Por a refere-se uma s olo. pois esses oÏgâos' em rados Poucos $imPles Ëp*têflio única de O epitélio simples cúbico é uma camada membrana trarePousasobre uma .a. ..#?. ..as que^ ensal."i àe qüência em pacientesque ficam acamadospor um longo pelo pesodo corpo sobrea pele Ë. o esôfago. de um compartimento '"b lrrs. Essa. essetecido permite a difusáo rápida do oxigênio dos alvéolosParâo sangue' . na.t.. tecidos..rtá-no. que morrem. celulas. ãá 0"."tt"m e d o s p r o d u t o s d a d i g e s t ã o . Copítulo/TECIDOS O que cquso o úlcero de decúbito? é causada A úlcerade decúbito.: Ã.ipo.bi. e as células prismáticas sáo altas e estrei.m toda a extensão do trato digestório i"J"...r. "õ ãír. .r-ã".íneo um decúbito se desenvolvemcom fre:ii.^õ..U m m u c o l u b r t t l c a n t e comuns nesse produzido pelas célúlas caliciformes' tlpo cleePltello. formando e Quql ê o diferenço entre um Gqrcinomq um sqrcoma? Ambos sáo tumores malignos (câncer)'A diferença envol. os epitélios simples' Eles desempe'5..o bem ã..-"t "falsamente prrudo-estratif cado. *t.. ' uma O epiìéüo pseudo-estratificado prismático é Como apresenprismáticas' delsada.r.. q'1esignifica Ãn çao aqt'ela do . p"r" ã. i.prierio simples.. €ssetlpo tas como colunas (uma denominação para ceo aspecto dessas de eoitélio leva em consideração lulas:epitélio colunar)' -' Ãt ãJltits epiteliaisesrãoorganizSd":.t"t"t daí a denocamadas. Uma camadade celulas forrir"ï..omo a bo.""rü.-p."fia"tt. Observe que a Figura 5-2 pavimentoso estratlficadomas nao o dencia o epitélio epitélios são enconcúbico ouï prismático. .. o epitélio pavimentoso imples o e p .tT camadas caractesimolesou múitiplas.. plà.duasou maiscamadas mam o ãPitélio estratificado' A forma e o.lo fato de ser se movlmentam télio e observadoonde as substâncias por difusáo ou filtraçáo' Como exem.u.i.

rliosimplescúbico.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . t ìrande parte do tecido glandular é formado pelo epi:. EpitélioGlondulor Uma glândula é constituída por um ou mais tipos je células que produzem uma substância específica. o suor. Esse tipo de tecido forma a pele e o revestimento das cavidades internas do corpo como . a saliva e as enzimas digestivas.As secreções exócrinas incluem o muco. Existem dois tipos de glândulas: as exócrinas e as endócrinas.Como . :ratos digestório. e Boca e pele: pavimentoso estratiÍicado 79 Viasresoiratórias: pseudo-estratificado prismático Suoerfície ovário: do simolescúbico Alvéolos: simplespavimentoso Bexigaurinária: de transição Tratodigestório: simplesprismático FIGURA 5'3 t Localização do tecido epitelid. ou rubos delgados. no interior dos quais suassecreções são lançadasantes de atingirem as superftcies ou as cavidades corpóreas. respiratório e urinário. As glândulas exócrinas possuem ductos.

tido no "*.rpo...As fibras elásticasnão são grande capacidadede distentes."é" á. Copitulo lTECIDOS Poros Glândulas exócrinas leva geralmente estruturas d'essas uma lesão atletasabe..i. Têx' desenhado oue estica as rugas' õ to"o amigo método' que"poderia utilizar este lü.#:.. de gordurae Ë.po.í.t"''os um .dtp. 5-3 descree lFig' 5-5)' ATabela neo..oot) em um ducto ffi.. l""g. essas -"--nã1..*i"t* poucas ..ob. Como "'o'.ro*. inieçõesde colágeno têm sido utt(linhas) de lizadaspara remove'ás ì"de'ejá"eis-marcas que sudoríferas' citar asglândulas pode-se exemplo..'p' hu-ano' Ele é enco-ntrado ilïfïã.ti ""'4".. pele' colágeno CONJUNTIVO TECIDO e o mais O tecido coniuntivo é o maisabundante dos quatro.'.ea3' "'t"'ã""*tnto de transPorte substanctas' "''ilÏ..possam tiposde tecidoconiuntivosãofrouxo Os diversos tilagí' ..td"a de matriz extracel .i".bã -Itrdavra' ossoe no ximas..Ëi."il... célulaparaoutro' Ela podeser (como no." 'ìecretam ho rmô nio s' ïilIâ". . não iipot de tecidoconjuntivo..ã parafora do corPo.*.. de ouantidade matrizextracelular' na p. -"r..que os transportaparaos seussítios de sao e assuPra-renars exemplos ".'i.. a..lr.fí.".:....mrr-' Primeiro' a maior e cartilaos tecido areolar coniuntivo exceto ligamentot'ttÀdótt O tecido conjuntivo frouxo' ou os b... incluemsustentação outras funçóes 3.ósseo o sangue tiPosde tecido' ve esses sermuitosemelËantesentresi'elestêmduascaracteïecido ConiuntivoFrouxo parte do tecido ilt.."i por fibroblastos (Fis:5--ii. característica A muito tempo pararegenerar' segunda ular' ttcia é i ab.na correntesangurdiretamente dulas sáolançados de açáo'A 'hi.fiút.át^ãÀ...com Poucamat\z entresi' e células uma grande ..Ï.".ú"i...I".it...Jf--"a" uma lrrlgaçaosangurapresentam essáo ir. de é.. nea.' ('olãg....tecidoadiposo) ".tido boo J.óptio pãtit"it' o colágeno "ilàï-ã'a" á"'p*iitttté atua como um preenchimento . .f i-'nto sangüíneo' ligamatrrz .g.tiposde tecidos ãiráib.'-"'" de matriz ou dura (como nos ossos)'Aquantidade próvaria..' du'"tos'a suasecreçáo-(o (Fig' Jo .ã.*ente.ü.ltgelrqottsão sua t Glândula exócrina'A glândula secretâ FTGURA 5'4 queãirecionaa secreção (-p.o.t d'!*-lflì ï"-"'a^l'.. colágenas multo reslstente eüsticas..oãã da"d"la tireóide' e por issosãotamductos dócrinasnão apresentam semducto' Pelofato Ëãà ....'.."^pãU.t."int en"hdii"*inas As glândulas .. porém Possuemuma a distensáo' são. conjuntivg'Os tipos do-tecido ^^rrnda maiãr parte (brancls)' elásticas incluem as colágenas . órt"'o' e ao redorde diversos p.ì.r.. . fi b'o' o denso' reticular' cat (-. indica... ã.. .oiaL endócrinas' glândulas do^[uadril' da coxa e do vinos ou... consistência líquida(coii".: i .EMEMBMNAS 5 80 ."lir"do fora da célulae que preenche 'i*ïïít p'od"' â matri' e a libera no ret"l"t À té1"1" da matrlzvarlace A meio extracelular. ele conecta'ou une' as sãoï.."t"ãÃt""' injetado p. como uma tlra de Ëorracha'-Após fibras retornam ao seu comprimento ^otigt"d' .Í. e-uma ... paraevaPoração 5-4)' ..ü.rrroi e os tendóes fibroblastos células à"i?"árííit g. il. .5"J.".. #ïá*í.ú " õ ...oteit"t também sáo encontradas "-ï^ãü.r.' ..-..o.t"n*idai como glândulas glândessas os hormônios do"ï'.àil....."ã"t"l"l* diferenciaos diveré o que untivo' A matrtzé o materlat sostiposde tecidoconf os esPaços io. suor) . rã..'õ' ít'-.1.. a cartilagemnão é irrigada' Como ï.''1 :f^Tj:' e resistentes flexíveis'Porem.No tecido adiposoqceJulis estão ..

Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e Fibroso denso 8| Ligamentos Cartilagem Reticular Adiposo Frouxo(areolar) Pele ï ' basal Membrana FIGURA 5'5 e Tipos de tecidoconjuntivoe suas localizaçóes.ola". protege e funciona como um coxim de amortecimento para diversosórgãos. Ele também atua como '. ou gorduroso.. 5-5).O tecido conjuntivo frouxo é macio e envolve.O tecido conjuntivo frouxo é o tipo de tecido conjunti- vo mais amplamente distribuído pelo corpo. oois .ìdo-. O tecido adiposo.n "t. O tecido adiposo forma a camada que revesre internamente a pe- .r. lJma camada dessetecido está Dresentesob as membranas mucosas. é um tipo de tecido conjuntivo frouxo no qual os fibroblastos aumentam de tamanho e armazenamgordura (Fig.Ë é o responsável por manter os órgãosem suasposições. treladas grandes que secretam colágeno e fibras elásticaspara o espaçoentre as células. revestindo suã superfície a interna.

t^. nas articulações União das costelas ao esterno Anéis da traquéia do trato respiratório Nariz Esqueleto fetal Discos intervertebrais Meniscos dos joelhos (sínfise púbica) Meniscos entre os ossospúbicos FUNçAO Unir..e morre.EMEMBRANAS 5 82 r Cqpitvlo lTECIDOS TIPO Frouxo (areolar) Adiposo rocAuzAçÃo epiteliais.iãá Jip'oro t"-bém se deipositaao redor uma cacertos órgãos...aPresenta o sempenhauma função Protetora: ele acondlclona da órbita' olho no interior virtude de le. o tecido adiposoprevi. proteger...o-o um coxim gorduroso."tecido-cold' gordura Amortecer. ":""a (ilustrado abaixo)' o ti-h"tüante ..t.alizadódistalmente ao torniquete e nutrientes.". hormônios.que deáho t"mbé. ligamentos.t.".ãJe qua"tidãde de gordura dos seobservaà q"-ì" ""Aiiaã ôue ninem nos pólos' O leão-martnho possul animais de suascaenormes ã"-adat de gordura que' em Íazão que o animal mergulhe .. Parte da laringe Ossos do esqueleto Vasos sangüíneos Por todo o corPo Sustenta e forma estrutura (armação) (armação) Sustenta.i."t isolantes. cápsulas e fáscia Pele (derme) Têcido linfóide como os linfonodos' baço e medula óssea Extremidades dos ossoslongos.isolar.ï..amortecer."t s€ndoo seuprincipalcome elásticas.forma estrutura(armação) Sustenta Amortecer e Proteger Eìástica Osso Sangue Orelha externa..Air"çáo.dura de s'uaPosiçáonormal' Essacondição^é 3 . o tecido adiposo pode isolar externo' Por do mo das temperaturas extre-mas meio # um ambientefrio...ü."permitem -'^ em águasgeladasprofundas sem congelar' de cíì. Se o tecido lofor bloqueadoPor um período muito longo' é privado de oxigênio . Ém indivíduos extremamente permitindo que pode estar ausente-' .já.ritai.regiáo .ï. ãs fibr"s colágenas' fibroblastos ...idoriloËr... Protege e forma estrutura respiratórios Tlansporta nutrientes.armazenar Fibrosodenso Reticular Cartilagem Hialina União dasestruturas Forma a malha interna dos órgáoslinfóides (suporta)e protege. proteção é melhor calor do corpo' Essa .". Abaixo da pele e da maioria das camadas entre os músculos Sob a pele (subcutâneo) Ao reior do rim e do coração Posteriormente ao bulbo do olho Tendóes... conhecida como camada subcutânea'Em o organisr"" f..r.Oi rins' por exemplo' Possuem ïecido ConiuntivoFibrosoDenso O tecido coniuntivo fibroso denso é formado qu€ e por fibroblastos matriz extracelular contém fitb.. gases (Oz e-COz) e resíduos Por que um torniquete mol oPlicodo pode cousqr gongrenq? iocalizada'dos teA gangrenaé a morte.. secretam Os pã". ou necrose de o suprimentosangüíneo uma. no intemada de gordura que os mantêm em posição marior do aËdome.

à ãredida qìe ele cresce. nos linfonodos e na medula óssea.tt.sua nar a perda dos movimentos do Pé. Pelo fato do metabolismodas gordurasser afetadopeloshoros e estrógeno testosterona. Todavia. resistentes. o naríz e a regiío entre o esterno e as costelas' Fieura 5-5 ilustra a união do ossoesternocom as cosatravés de cartilagem hialina (cartilagens costel"as. as fibras se transformam em uma substânciagelatinosa. ele não se ossifica. q u r n d o a a r t i è u l a ç ã o f l e t i d a . que revestem os múse culos.é convertida em osso. Cnrfilogem A cartilagem consiste de condrócitos.l. Finalmente.Os ligamentos cruzam as articulaçóese unem um ossoa outro. ao contrário do esqueleto hn-"tto.os tendóes Por que o cqrne cozidq em umo soPo é mqis tenro? A grande quantidade de fibras colágenasPreseÌìtena carne a tornam compacra. como a laringe. mentos. .as extremiãadesdoJossoslongos que participam das articulaA çóes."-bébras d"ensas redor de certos órgãos como os rins e o fígado.Como ele fixJos músculos da parte posterior da lesãopode determiperna na região do calcanhar. ou células u c a r t i l a g í n e a iq u e s e c r e t a m m a m a t r i z e x t r a c e l u l a r p r o t é i ã f i r m e . Por conterem do mais fibras elásticas que os tendóes. Os tendões são estruturas em forma de cordão que unem os músculos aos ossos. Por que o excesso de Peso do homem e do mulher "orredondà" locois diferentes do corpo? de O excesso alimentaçáo resuÌta em um armazenamento de gordura sob a forma de tecido adiposo. afáscíaenvolve.to do tubarão é inteiramente composto por cartilagem hialina e. m b o r as ó l i d a . Aìartilaeem hialina é encontrada somente em poucas regiõãsdo corpo.ou bainhas de tecido.do osso. . enquanto na mulher ele ocorre nas mamase no quadril. Um tendão calcâneo(de Aquile$ rompido é uma lesãomuito séria.e Soudóvel Enfermo o 83 do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono sionando dor severae perda da mobilidade.A s f i formam cápsulas resistentesao ...Devido ao fato de os iubaróes ìão d. os ligaturas de ir'rpott. TecidnConiuntivo Reticulsr O tecido conjuntivo reticulaÍ caracteriza-sePela presença uma delicada malha de fibras colágenas de o Ele delgadás. asìápsulase a Fáscia.. A cartilagem hialina também é encontrada em grandesquantidadesno esqt'eletodo feto.-.a cartilagem sofre ossificação.a cartilasem de tubarão tem sido comercializadacomo um óroduto que combate o câncer. inibir o tumor.l i s a f l e x í v e l . suporta e ancora oi órgáosàs estruturasadjacentes' ^ (como em lesõesde Se o estiramento é excessivo e ligamentos podem romPer' ocaatletas). O . pír' d. tornandoa carnemaismacia. esse abdominal. Essacapacidade disé i m p o r t a n t e ' p o i s e l a p r e v i n eo r o m p i m e n t o rensão é d o s l i e a m e n t o .rolverem essetipo de doença' que a cartilagem do seu esqueletoconteacredita-se nha uma substância.a m a r r i z E e náo étáo dura quanto a. forma a rede interna que cons^titui tecidã linfOide encontrado no baço.Recentemente. locaisonde a mônios sexuais sordura seacumula diferem no homem e na mulher.rqtr.Existem õartilagínea três tipis de cartilagem:a hialina. a elásticae a fibrosa. denominadas fáscias. ou seia. tais). não existem ainda infàrmações científicasque sugiram que a cartilagem de tubarão desenvolvaa imunidade contra o câncer. Quando o colágenoé fervido. que formam estrucomo os tendóes. as fibras paraamauizextracelular. porém. o tecido fiúoso densoforma faixas. os ligamentos de distendem-semais facilmente. os vasossangüíneos os nervos.. No acúmulo ocorre principaimente na regiáo Éo-.

ras. como^na oste. Um neurônìo típico apresenra três partes: (1) os dendritos. çá9 4e outros neurônios e a rransmitem para o corpo celular. Ele também é encontrado em estruturas tubulares como os bronquíolos e os vasossangüíneos. que possuem fibras colágenase elásticaserÌr sua mat.se fraco e quebra o com facilidade. como o estômago e a bexiga urinária. o que o capacitaa proteger os órgãoscomo o encéfaloe suporrar o peso do corpo na postura ereta e quando nos movimentamos.oporose. A palavraglia significa "semelhante a cola" e refere-seà iapacidãde deisas célulasem sustentarou unir a vasraredè de neurônios. TECIDO MUSCUTAR O tecido musculaf é formado por células que têm a capacidadede se encuÍtar. Diferentemente do que ocorre com os neurônios.84 r copftulo /TEC|DOS 5 EMEMBRANAS Osso O tecido ósseo é formado pelos osteóciros.Por ser controlado sob a ação da vontade ("Eu decido mover minha perna"). especialmenteo cálcio (a estrutura do osso será explicada no Capítulo 7). ou glia. função do músculo liso está A relacionadaao órgáoonde ele se encontra. Os neurônios são as células nervosasque transmitem os sinais elétricos que chegam e saem do encéfalo e da medula espinal.-per"tura corpóïea (o sangueserá descritocom mais deralhes Capírulo l3). Essetipo de músculo movimenra o esqueleto. Essascélulas apresenram diversos tamanhos e formatos. elas são consideradai mais fibras do qïe célulís. Dessa forma. 10 e 11). Os três tipos de tecido muscular são o estriado esquelético.em e p. Por exemplo. énquanio o da bexigaurináriaatua na eliminação urina. ou conrrair. são células que suporram.Os exercícios ftsicostambém são importantes para que o cálcio sejadepositado nos ossos.á. TECIDO NERVOSO O tecido nervoso forma o encéfalo. Em razáo da presençade faixas. o . A neuróglia. do Quando a mineraTízação tecido ósseodiminui. ralizadatorna o osso duro. Por serem longas e delgadas.rotegem os neurônios. nutr. quando os ossosestão èrescendo.tglt. o músculo liso do estômago participa dos proces. Essamatriz mine. O ciílcio é necessáriopor toda a vida mas é especialmenteimportante durante a inÍância. osso torna. Diferentemente do que rê observa nos outros tipos de tecido conjuntivo.iz.os níveisnormais de estrógeno proporcionam a deposiçãode cálcio no tecido ósseo. e após a menopausa. que recebem a informa. mantém a postura e estabilizaas articulaçóes. o liso e o estriado cardíaco. Além disso. 5-6). saisde cálcio e outros minerais. Como se sabe. elas produzem os movimentos de uma determinada parte do corpo. ô plasma possrriproteínas não-fibrosas.O sanguedesempenha uma função importante no transporie de substãncias através do corpo. sos de mistura e agitaçãodo alimento. A ingestão diária de cálcio na ãieta é essencialpara que se tenha ossosforres. ele também é chamado de músculo estriado. que conrém o núcleo è é essencial para a manutenção da vida da célula. _quetransporta a informação para longe do corpo ceìular. e (3) o axônio. Músrulo tstritldo Ësquelético O músculo esquelético normalmente está fixado ao osso. no MúsculoLiso O músculo liso estápresenrenas paredesdas vísce. ele é conhecido como músculo voluntário. as célulasda neuróglia não rransmitem impulsos elétricos (o tecido nervoso serádescrito de formá detalhada nos Capítulos9. da . (2) o corpo celular. O osso também atua como um reservatório de sais minerais. a medula espinal e os nervos e consiste de neurônios e neuróglia (Fig. Songue O sangue_éo único tipo de tecido conjuntivo que consiste de células imersas em uma matriz líauida ãenominada plasma. está envolvido na regulaçãoãa t. ou estrias. quando os níveis de estrógenodiminuem.proporcionadas pela organizaçáodas proteínas em suasfibras. oue prodrsem uma marriz e*tracehilar que inclui coligrno.

Neurônio. e estriadocardíaco.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Squdóvel Enfermo r e A Neurônio (glia) B Neuróglia 85 Dendritos q] Corpo celular FIGURA 5'ó r Os dois tipos de tecidodo sistema nervoso. Estriadoesquelético Estriadocardíaco FfGURA 5-7 r Tioos elocelizaestriado çóesdos tecidosmusculares esqueÌético. neuróglia. B. A. Ìiso .

início o processo de reParo. A fibroie é a substituição do tecido lesado por meio da formação de tecido conjuntivo fibroso. Quando o epitélio está completo. normalmente você não se esforça de maneira consciente para diminuir a sua pressãosangüínea físicos.*po. preenchendo a ferida com sangué. Forma-se um coáeulo sangüíneo que. d^oestriado esquelético pois não apresenta faixas ou estriasem sua estrutura.r. em junções especializadas junçóes permitem a nadas discos intercalares. e devem ser reparadospor tecido cica- Músculo Estriqdo Cqrdioco O mrísculo estriado cardíaco é um tipo de músculo estriado e involuntário encontrado somente no coraçáo.ação.As fibras dessetecido ião células com ramificaçóeslongas que se unem firdenomimemente entre si."rrgiiítt. a crosta é destacada. Ela ocorre somente em tecidos cujas célulassofrem mitose. B.nt.O resul^tadoé uma camada regenerada e ínregra de epitélio sobie a regiáo da cicauiz.Os tecidos musculares estriadosesqueléticoe cardíacoe o tecido nervoso não sofrem mitose. . madas superfiepitelìais t. Por eiemplo. Ò)strês tipos de músculo estão ilustrados na Figura 5-7. As fibras dessetecido unem as margens da lesão e reforçam a área. O músculo liso não é controlado voluntariamente e por isso é chamado de músculo involunt:írio.O músculo liso é diquando praticâ exercícios f. .como a pele. ou tecido cicatricial. Um tecido cicatricial se forma nas ca- profunòas. Essas 5'8 t Fasesdo reparo FIGURA tecidual.tori". TECIDUAT REPARO apósuma leComo um tecido conseguereparar-se são?Através de dois tipos de reparo: a regeneraçãoe a fibrose.onde atua bombeando sangue para uma ampla rede de vasos sangüíneos. Uma ferida Profunda na oele Drovoca lesáo dos vasos . Ào mesmo E. A. A regeneraçáo refere-seà substituição de tecido por célúlas que sã9 idênticas às originais. ao secar' C e D.ãt. F.8ó r Copítulo /TECIDOSEMEMBRANA'S 5 condução râpidade impulsos elétricos atravésdo co.t céiulas ciais se multìplicam e Preenchem a reeião entre õ tecido cicatricial e a cõsta. Tem ãonsritui i-r.

a membrana sinovial será descrita no "ipítulo7).::()sas.'eriósteo t'ericôndrio \ Íeninges Fáscia (diversos tipos) Reveste as cavidades articulares. contém os vasos sangüíneos que suprem os ossos Reveste a cartilagem.A camadainterna (dersubstância me) é compoìta de tecido conjuntivo fibroso denso que reforça e auxilia a ancorar a epiderme (a membrana cutâneaserámelhor descritano Capítulo 6).'.Ela também previne o ressecamento (ou a desidrataçáo).a capacidade encurtar de movlmentOsOaS . o nervoso r.le tecidos são o epitelial. o liso.\s membranas são lâminas de tecido que reves'-'::r as superfïcies. o conjuntivo..O tecido conjuntivo é o mais di' .: conjuntivo. na e Tecidos são grupos de células :r'. As fasesenvolvidas no reparo tecidual estão .ionado principalmente aosprocessos secreção.rdo à transmissãode informaçóespor todo o corl)ois tioos de célulasconstituem o tecido nervoso: .Elas podem ser epiteliaisou de teci.ruscular.::iedosesquelético cardíaco. .:lares entre si em estrutura e função. tecido epitelial reveste forra.iradas descritas Figura 5-8. r:eurôniose a neuróelia. jel.. Os três tipos de tecido muscular são os :. Os quatro ti.rçãoe absorção.ï.is mb \Íembrana cutânea \ Ícmbrana mucosa rocAlrzAçAo Pele (camada superficial) Revestimento do trato digestório Revestimento do trato urináno Revestimento do trato genital Revestimento do trato respiratório Cavidade torácica Cavidade torácica ao redor do coração Cavidade abdominal l' Íembranas serosas Pleura Pericárdio Peritônio Membranas de Tecido Coniuntívo :inoviaÌ . Por que os lumores devem ser submetidos q umo biópsio? Uma biópsia significa a remoção de tecido de um tumor para exame microscópico.em os órgãos.i. Observando-seo espécime colhido em um microscópio. na medula espinal e nos nervos e estáreÌar. contém os capilares que nutrem a cartilagem Revestem o encéfalo e a medula espinal Em todo o corpo . forram as cavidades córpo e endo .:c COtìttâlt e assrmÍe llzaf OS par-. . TIPO lvle ra n s s Epítelío. O tecido nervoso é encontrado no -ctàlo. são formadas por uma camadaepitelial e uma camadasubjacentede tecido conjuntivo (Fig. com sua camada superficial (epiderme) formada por epitélio estratificado pavimentoso. As membranas epiteliais incluem a ::rnbrana cutânea(pele)e as membranasmucosase .ial e as relacionadasna Tâbela 5-4 (as membranas . e : ..::cs do corpo.ê. protege o corpo da invasão de microorganismos. Membrqnq Cufôneo A membrana cuúnea é a pele que.. O tecido muscular está ' :::rado por célulasqtt.'. r exemplo. 5-9). pois suas células contêm uma impermeabilizante. Jo corpo. São membranasconjuntivas a membrana si. ele une ' . . .Anotomio Fisiologio CorpoHumono e do Squdóvel Enfermo. embora tenham essadenominação.:: recido conjuntivo serãodescritas posteriormente. produz o líquido sinovial Reveste os ossos. ME'VIBRANAS Clossificqção Membrqnqs dos .o patologistapode determinar se um tumor é maligno (cancerígeno)ou benigno (não-cancerígeno). e e 'RESUilIINDO! 87 Membronqs Epireliqis As membranas epiteliais.::Jido e diversificado dos tipos de tecido. de ' ::. ele está e O ".

superfïciedos órqãosque nela se encontram. -.tico. como também a lumenË torna a -.tt. enquanto o pericárdio visceral forma a camada externa do órgão' O peritônio situa-se na cavidade abdominopélvi- . 5-9).rrrbt"t" brifica. serosas e peritônio).t". t. pelo natiz e pela boca. o pericárdio e o peritônio (Fig. Membrqnqs Serosqs As membranas serosas revestem as cavidades ventrais do corpo. ."t "t mo mucosa.o meio externo (Fie. enquanto a outra Parte.mbranas deslizaremumas sobre as ó. O pericrírdio parietal reveste inrernamenté o periõárdio fibroJo.oì"s.digestórioiurinário e genital. r . a lizam pessoasent€muita dor. com um mínimo de atrito. 5-9). Assim. Membrcrnqs Mucosqs As menbranas mucosas revestem todas as cavidades corpóreas que se abrem para. A maioria das membranas mucosassão adaptadasPara a absorçaoe secreçãoe também produzem muco' O muco não soúrnida. Por exemplo' o trato digestório abre-separa o meio externo pela boca e.r. a parede da cavidade é ãenominada camaúapatretal. a superfície de cada pulmão. o muco permite que o alimento Percorra o seu trajeto com um mínimo de atrito com as paredesda víscera. As membranas serosas zem uma deleada camada de líquido (fluido seroso) que permite ã.rr.pelo ânus. Eìsas membranas são passíveisde serem observadassomente em cirurgias das cavidades produabdominal ou torácica.{ pleura está situada na cavidade torácica' A parietal reveste a face interna da cavidade plàt. iorácica e a pleura visceral.As membranas serosas forram uma cavidade e então se refletem Para a Por que o pleurisio é tõo dolorosq? A pleurisia refere-sea uma inflamação da pleura e a um detréscimo no líquido serosoque ela produz' A medesdida que asmembranãs pleurais inflamadas e "secas" uma sobre a outra nos movimentos respiratórios.ttt6t". fu três membranas serosassão a pleura./TECIDOSEMEMBRANAS 88 r Cqpítulo5 Membranamucosa visceral Pericárdio parietal Pericárdio visceral Pleura parietal Pleura Membrana cutânea visceral Peritônioparietal FIGURA 5'9 r Membranasepiteliais:membranacutânea(pe(pleura. 'O pericárdio localiza-se no tórax e está relacionadoìo coração.pericárdio e le). . freqüentemente referidas somente cob'. responsávelpela sustentação dã coração. a p"ït. Uma membrana serosa é composta de epitélio simples pavimentoso sobre uma dèlgada camada de tecião coniuntivo frouxo (areolar). gerdmènte contêm epitélio estradficado pavimentosJou simples prismá. d" me-bt"'na qú. que não se comunicam com o meio externo.tttãt. Por exemplo. As mem-. membranasmucosas -. enquanto ã respiratório.^Elas inciuem os tratos respiratório. no trato digestório. ao revestir os órgãos dessacavidade' constitui a camadavisceral.

dominais e pélvicas(issoserádescrito no Ca. da . A alteraçãoda gordura do corpo e a diminuição de água são as principais razõespelasquais os indivíduos idosos reagem às drogas de forma diferente daquela verificada nos jovens.aumento gradativo de gor- 4. que necom antibióticos.forram as cavidades corpo e envolvem os órgãos. Por exemplo.erigosa.olveo peritônio. não evidenciando um declínio como no homem.côncer seoriginodo tecido (p. podeserdestruído. por volta dos 85 anos de . por sua vez. t) colágeno e a elastina diminuem no tecido os ionjuntivo. Esse derramedeterminauma in. l . Adesõo por fibroso. odesões As cicotriciol determinodo um tecido de Umouniõoonormol tecidos obstruçõo. As membranassãolâminasde tecido. quando então começa a ocorrer um decréscimo. dura até os 60 anos. As nas são classificadas incluem a membranacutânea(pemembranasepiteliais As e le) e asmembranasmucosas serosas. das trada nascavidades articulações *ffi€#l$ffiãF#F#$ g É?-- íF. lesões tecido do ocqsionondo o colóqeno Porrozões desconhecidos.r19).ue.e Soudóvel Enfermou 89 do Anotomio Fisiologio CorpoHumono e :Jve stido internamente peÌo peritônio paneI :nquanto o peritônio visceral revesteasvísce. s s i d (LES) o e sistêmico reumotoide.a 4-:s ênqwantÌo €rcvelhec. a gordura acumula-secontinuamente nos tecidos. do o imune pocienÌe do otocoe destrói cológeno seupróprio .ìue. dosossos). corcinomo . sorUm que do epiteliol ex.também gradual. glondulor).. Dus deve ser drenado da cavidade abdominal. lúpus o eritemotoso incluem ortrite o do doenços cológeno nos sõo A do esclerodermo.l. e dtmtnutro ltexroiltoooe.. Como conseqüência. tumores CrescimenÌo o envolve teciUm de sõodenominodos ocordocomo tipo de tecidoenvolvido. o rompi-rc um apêndicepermite que o conteúdo intespara o interior da extravase .s e x e m p t oo e .e Você i'clo fato de os tecidos seremformados por célu. afetam as funções dos diferentes .odenocorcinomo (p.rs. confundomentol Ìecìdo do fotodo ãolóqeno o componente ser do coniunÌivo corpo. cousondo os os podemgrudoro.aforçamuscular.sÌreiÌor órgõos(especiolmente do obdome). tecidos tor:ram-serijos.As membrado em epiteliais e conjuntivas. A a t r o f i a d o s t e c i d o sd e t e r m i n au m a d i m i n u i ção da massada maioria dos órgáos. menos elásticose menos eficientes cm realizarsuasfunçóes. o envelhecimento celular altera os tecidos . ). quoiso sistemo orgonismo. A quantidade total de água do organismo diminui de forma gradativa.Jade. perto de 30o/o.moioriodos doenços cológeno outo-imunes.r ir-rfecção cavidade abdominal freqüente.rrgáos.1cum tratamento agressivo o Ocasionalmente. As membranas revestemas superfícies.aproximadastente 45o/oe a função renal. .. osteossorcomoum côncer o comoenvolve fecidoconiuntivo "t.:: lbdominal. Ëá tt. (J conteúdo sorduroso dos tecidos é alterado. Côncer Doenços do Cológeno Os e onormolque podeofetortodosos tiposde tecidos membronos. a capacidadepulmonar estarádiminuída Jm torno de 50o/o. membranasde tecido conjundvo incluem a membrana sinovialenconmóveis (livres). Por exemplo. 5. \o homem. Na mulher.'nr. .conhecidacomo peÍitonite.Pelo j u n f i v oo s e f e i t o s e s s ei p o d e d o e ú o s õ oo m p l o s eg e n e r o l i z o d oO.:cio de bactérias.

. Esso moos gelotinoso duro. de sois umomoiriz minerois. ou Um neoplosmo Sõoexemolos neoolosmos de benionos Ìecidoconiuntivo odenomo do o ítecido olondu(osso). cólcio ouiros e r 0O songue umtipode tecido consÌituído é conjuntivo por líde célulos songüíneos envolvidos umomotriz quidodenominodo plosmo.ç. e tronsoorte substôncios. formoos molhos tecido Ele de existentes orgõos nos linfoides. I. ormozenomento gorduro de çõo (suporte). trêstiposde cortilogem o sõo Os hiolino. formoos tendões. de possui extrocelulor O tecido coniuntivo umomotriz quepreenche espoços enireos célulos. O epitélio simples é princicomodo célulos olongodos é encontrodo e de polmente revesÌimenÌo no interno troto digestório.-EMEMBRANAS 9O o Copítulo/TECIDOS 5 Gongreno Neoplosmo (morie)dos tecidosmolesde umo porte do corpo. ligoe mentos. Tecido Coniuntivo I . lipomo(tecido"odiposo)e pólipos(odenomos gerolmente encontrodos óreosvosculorizodos em comoo noriz. os do os corpoe envolvem órgõos. Tecido Epiteliol l. O tecido é dos conjuntivo o moisobundonte quotro tecidos estóomplomente distribuído pelo e in:* A funçõo principol tecido do coniuntivo o de unir é funções incluem os portes corpo. inde fecçõotombémpode impediro fluxode songue poro umo regiaádo corpoe cousorgongreno.Outros do sustentoproieçõo. fibroso por O tecido coniuntivo denso composto fié fibros broblostos motrizextrocelulor contém e oue Ele os cológenoselósticos. ou por 3. principois de fibros os colótipos sõo Os (broncos). elóstico o fibroso. gerolmente encontroco comodo célulos de e é do ondeo Ìrocode goses de nutrientesimportonte (como olvéolos nos pulmonores noscopilores). o e o O osso(tecido é ósseo) umÌipo de tecidoconiuntivo formodo osieócitos. O epitélio estrotificodo protetoro tenos umo comodos desempenho íunçõo e (como revestioos noturois o cidos expostos desgostes mento interno bocoe o superficie do externo pele). O epitélio é prismóticos que oporento co comodode célulos e possuir Ele diversos comodos. os e juntivo pelo reÌiculor corocterizodo O tecidocon é presenço umotromodelicodo fibrosreticulode de res(delgodos). (coõilogem). formodo A cortilogem umtipode tecido é conjuntivo por condrócitos. elósÌicos (omorelos)os reticugenos e os (delgodos). possui povimentoso diversos ó. O epitélio glondulor formo glôndulos os simples cúbico. dos intestinos. O tecido reveste superfíciesforroos coepiteliol os e vidodes. gongreno ou A ocorrequondoo suprimento songüíneo um de Pocientes determinodo tecidoé interromoido. otuono obsorçõo no e secrecõo. O tecido Írouxo(oreolor) mocioe envolé coniuntivo ve.A motriz Ìrizpodeserlíquido.osteomo condromo fibromo(fibroblostos). diobéticos oodemooresentor oonorenodos por A dedosdos pésquondosuqsortérios tornom-se obstruídos depositos g"ordïro. comoos dedosdos pés e É o necrose dos mõos. O epitélio povimentoso é formodo umoúnisimples ochotodos. glondulor gerolmente é formodo epitélio pelo 8. (tumor) podeser moligno(concerígeno) benigno(nõo-concerígeno). O epitélio tronsiçõo umomodificoçõo epitéde é povimentoso enconÌrodo princilio estrotificodo eé polmente órgõosque necessitom distender-se em (como bexigo o urinório). do pseudo-estrotificodo prismótico umoúni5. de similores entresi em Os tecidos grupos célulos sõo As de estruturoÍunçõo. do do Z. versos órgõos 5 C tecido é odiposo(gorduroso) um tipo de tecido que gorduro.lrr. lor). protege otuocomoum coximque omortece die (oÌuocomocolo). célulos As secretom oor ósseos extrocelulor inclui que cológeno. cópsuloso fóscio. oretoeoútero). membronos lôminos e sõo delgodos Íorromos covidodes tecidoque revestem superfícies. e B. lores 4 . por 2. Tipos de Tecido A. epitélio O (com (sem exócrinos ductos)endócrinos ductos). e prismóticoformodo umoúnico por 4. ou é formodo fibrosprotéicos sõosecreÌodos por que peloscélulos. Reru. O epitélio simples cúbico formodo umoúnico é comodo célulos formode cuboe é encontrodo de em principolmente glôndulosnostúbulos nos renois. formoo coEle coniunÌivo ormozeno (sob modosubcutôneo o pele) funciono e comocoximporoos rinse osolhos.

l.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r 9l e C. D. umomembrono mucoso os trotosrespirotó"". lisoe o estriodo o cqrdíoco. lll. cousondo ossim movimento.. nutree protege neurôos nios) fozemportedesse tecido.quatro tipos de tecido. A. outro o e viscerol.no encéfolo no medulo e espinol. Tecido Musculor I . Membronos A. Tecido Nervoso periÍéril. Regeneroçõo significo reposiçõo tecidopor célude losidênticos célulos òs originois. Os trêstiposde tecidomusculor o estriodo sõo esqueléÌico.Amembrono epiteliol que forro todosos covidodes do corpoquesecomunicom o meioexterior com é (p. . tipo de tecido conjuntivo frouxo é mais comum no corpo e que forma a base de todas as membranas mucosase mantém os órgãosem posição?Que tipo de tecido conjuntivo frouxo atua como um isolante? f 0. A regeneroçõo ocorresomente célulos sonos que tremmitose. Membrqnos Epiteliois l. Qtr. 2. com 4. Qual membrana pode ser afetada quando o apênorce se romDeí . covidode e do obdominol. Fibrose refere-se reposiçõo tecidolesodopor ò de meiodo formoçõo tecido de coniuntivo fibroso. Como as glândulas exócrinas se diferenciam das endócrinas? 8. As membronos serosos formom duoscomodos: umo porietol. Qual é a diferença entre tendóes e ligamentos? 1f . B. Quais são os três tipos de tecido muscular? 15. Dos quatro tipos de tecido. 2. conou troçõo. (que 2. Qual é a diferença entre as membranas mucosa e serosa? f 7. O tecidonervoso encontrodo nervos é nos cos. ll. Dos. Quais são as quatro funções do tecido epitelial? Qual é o delgado material que ancora o tecido epiteliaÌ às estruturassubjacentes? -ì. reveste superfície que o externo umórgõo. Membronos de Tecido Coniuntivo l. Cite duas maneiras pelas quais o epitélio é classitìcado. Reporo por Regeneroçõo ì . Qual é afunção do epitélio de transição? -. A peleé umomembrono cutôneo formodo peloepi(interno).pee oos o ricórdio(presente covidode no torócico ossociodo e oo coroçõo) o peritônio. que reveste porededo covidode. Reporo por Fibrose I . Os neurônios tronsmitem impulsos elétricos) o e (que neuró-glio suporto. Que tipo de reparo tecidual ocorre somente nos tecidos cujas célulassofrem mitose? 16. Quais são as três partes de um neurônio? 14. con 2. o 2. A fibrose que ocorre célulos nõosoÍrem em mifose. Defina tecido. ou iecido cicotriciol. As célulos musculores sofrem encurtomento. Membronos que serosos membronos sõo epiteliois revestem covidodes os ventrois corpo. tipo de epitélio é encontrado onde ocorre o movimento de substâncias por difusão rápida ou fìltração?Onde o epitélio cúbico é encontiado no corpo? Qual tipo de epitélio desempenhauma função importante na absorçãode produtos da digestão?Onde o epitélio pseudo-estratificado prismático é encontrado no corpo? 6. Quais são os quarro diferentes tipos de tecido? 2. Quais sáo os três tipos de cartilagem? 12. B.e qr" n'õo do secomunicom o meioexÌerior. Qual é o nome da condição na qual a mineralização do tecido ósseodiminui? 13. rio e digestório). derme(exÌerno) peloderme e 2. Q". 3. qual é o mais abundante e mais amplamente distribuído pelo corpo? 9. Ouirosmembronos Ìecidoconiuntivo de estõorerocionodos Tobelo no 5-4. qual regeneramais raPloamenteí +. de 5. As trêsmembronos (enconhodo serosos o pleuro sõo no covidode torócico ossociodo pulmões). Reporo lìeciduql A. Qual o tipo de epitélio que conrém múltiplas camadasde célulasdelgadase achatadas? i.smembronos sinoviois membronos tecido sõo de juntivo.

.

93 . Descrever os fatores que alteram as variaçõesna temperatura corpórea. segundo e terceiro graus. Descrever esrrururas as acessórias pele:pêro. Citar as duas funçóes principais da tela subcutânea. Descreveras duas camadasda pele: epiderme e derme. 5. Citar os farores que influenciam a cor da pele. citar rrês estrururas na pele que participam da reguraçáoda temperarura. Descrever as maneiras pelas quais a pele é afetadapelasqueimaduras de primeiro. 12. 3.1. 2. ll. TEGUfúENTO cofYlufYl ETEMBERATURA CORPOREA () bjetivos 1. 8. Definir lâmina basale esrrarocórneo. 10.unhase grândulas. Explicar quarro processospelos quais o corpo perde calor. 4. Descrever como a pele auxilia a regular a remperarura. 7. citar três fatoresque alteram a quantidade de calor produzida pelo corpo. 9. da 6. Citar seisfunções da pele.

ìugas bu um cabelo desarrumado? Ne\.r"nto isso ocorre. èl"t . as célulasse dividem. fim de rèalizarem distintas:a duascamadas A peleapresenta cializadas). fricção e lesóes constantes e microorganismos que constantemente estãotentando penetrar por sua superfícte. é depositada no inïerior da célula. Comodos dq Pele Epiderme A epiderme é a fina camada extella da p-ele.criando uma epiderme espessa' é Esseespessamento denominado calo. arrq. erupçóes na pele. nutrição. elasempurram as mais velhas para cima. esticado orimaquiladì como a pele.duas delas são a iâ-in" basal (estrato germinativo) e o estrato córneo./ nhum outro órgão do corpo é táo examinado. enquanto as células se afastam da sua Èorrt. a maioria das quais protege o corpo concomo urna barreira contra agentes do tra lesóesór't "trr" meio externo. é considerada órgão (defineformado por dois ou mais tipos seórgãocomo sendo espetarefas a de teãido agrupados. dos raìos quentes do Sol. lavagem. produzindo milhóes de células diariamente.o-. não. Uma verruga é um crescimento da epiderme è é causadaPor um vírus. A tâmina basal situa-se próximo à derme e.o padrão de mitose ção. O que ê um colo? ou Um calo é uma respostaà pressáoexcessiva irritaSe a pele é submetida à pressão. Primeiro. observam-seduas transformacóes.é formada pelo epitélio escamosoestradficado. denominadaepiderme' e a externa(ou súperfièial). O sapo é inocente dessaacusaçáo! DA ESTRUTURAS PELE um A pele. asestruturasacessórias ou sebácêas oleosas. esfregado. dessa maneira.ç"m a morrer. Foi o sopo quem fuz isso? O sapo tem alguma coisa a ver com â verruga no nariz de Hèlga? Náo. Segundo. d. Além disso.94 CORPOREA I COPitUIO TEGUMENTO COMUMETEMPERATURA ó/ h. A queratina endurece e achata as células enquanto elas se dirigem Para a (glândulassudoríferas. formam o tegumento comum (ou sistema tegumentar).pêlos e unhas) e a tela subcutânea.ou cútis.náo apresenta suprimento sãngüíneopróprio. A pele. a ilerme que estáfìxadaà tela subcutânea. uma espinha! Quantas vezesvocê olhou ^ I lno espelho para ver uma espinha. A eoiderme oode ser dividida em cinco camadas. a quefatina. Essesistema desempeúa diversasfunçóes. em direçáo à superfície do epitélio. . À mediã" qt. ela é avascular. interna. ano após ano. Como todo tecido epitelial. a pele resiste aos efeitos severosdas intempÈries. situada abaixo da pele. as células sofrem um processo de queratinizaçáo. tem acessoa um rico suprimento sangüíneo' As células dessacamada estão em constante divisão. Oxigênio e nutrientes se difundem para a face profunda da eptderme a partlr do rico suprimento situado na derme. aumenta na lâmina basal. onde uma proteína consiìtente.

O estrato cór'..*e-plà deïr. Aderme situa-sesobre a telasubcutânea.ì compreendecercade três quartos da espessura da .. Você já observou que sua mão não se dissolve . :rptococcus (Grupo A).r. umã pessoaaÌèrgicaã penicilina pode desenvolverurticáriã. A pele pode também refletir processos patológicos . Ìor exemplo. ela tende a desidratar. uma inflamação-dos nervos causada pelo vírus da catapora.*pott" continuamente aos efei' \ nocivos do meio ambiente..Anqtomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo r e 95 i rc do pêlo Estrato córneo Epiderme -'èrdula :-'nrnaçao . Uma peiro" coherpes zoster (cobreiro).c c deteriorar-se. são rrinuamente eliminadas de maneira natural. e são ':fostas por outras que se movem constantemente.-rbilizada nem absorve nem perde muitã água.rlqo você a mergulhá na água?Uma pele imper.iìto é. -rcrfície. nlortas. Quando a pele é lesadapor fricção constânte ou irritação.:me e é composto por cercade 30 camadasde célui. () estraúo córneo é a camada superficial da epi:. a queratina ':-i-izaoutra imporranre função: ela impermèabilizaa ':. desenvolverá lesóes dolorosas da pele. ou hipoderme. As células mortas descamam. achatadase queratinizadas. do organismo.Ela também pode sofrer irritãções por . Thlvez-omais recenree dramático. queimada -: congelada.: t r i u l e 5 q u í m i c o se p o d e s e r i n v a d i d ap o r p a t ó g e . Além de endurecer as células. Aepiderme e adermesão as duas camadas dapele. O que é umq bolhq? Uma bolha é uma bolsa cheia de fluido entre a derme e â epiderme. ao longo da via suprida pelo nervo. .i:derme.3:eptor :É 3ressão Estrato basal Terminações nervosas Derme livres Tela subcutânea Nervo (dor) Glândulasudorífera Tecido adiposo RGT RA ó-l Tecidoconjuntivo t Apele.A pele pode ser cortada. parte do plasma vasados vasos sangüíneospara a derme e se acumula entre essâs camâoas. a : irrir de camadasmais profundas. -isáopatogênica da pele seja o da bactéria carnívora .'.. Como a pele está .

dè Pessoas pele clara freqüentemente "assam" ao sol durante hoìas. Telo SubcuÌôneo A derme estásituada sobre a tela subcutânea.J. A pele escuÍecena tentativa de-proteger as camadasproFundas dos efeitos nocivos da radìação. também é chamada de pele verdadeira. Poucasáreasdo cotpo Àão Possuem nestes locais . geralmente consideramossomente o negro.\o "[. está localizada sob a epiderme e que ela. Quando consideramos a cor de pele. As fibras tornam a derme resistente e elásiica. Observe a pele da paÌma das mãos e da planta dos pés. O colágeno dessacamada s€ tornâ muito duro e resistentequando tratado com ácido tânico. A tela subcutânea é composta principalmente por tecido conjuntivo frou- ro . A derme entáo forma linhas rosadasque gradualmente se toÍnam brancas. onde o medicamento é depositado. mas a quantidade de melanina produzida..mais escura é a cor da pele.Ela Porque "pr. çlue detectam dor.CORPOREA E COMUM TEMPERATURA ó 9ó .que são envolvidas por uma substância gelatinosa. na tentativa de aumentar a produção de melanina.Esta última camada não é considerada como pertencente à pele.Essas linhas são as estrias. ou hipoderme.tt" orro. está dãbr"se é enrugadâ dos. ela é muito mais espessado que aquela que recobre a face interna do braço ou a superfïcie das p:ílpebras. 'cutànea. unhas e c€rtasglândulas estão incluídas na derme.\\" principais: auxilia a ïsolar o corPo das variaçõesextre^"t dt meìo ambìente e fixa a pe\e às estruturas subtela sub' iacentes. ela pode ser danificada. Derme A derme. Quanto mais melanina é secretada. a pele está fixada diretamente \. chamado melanina.^p. é necessário adequadoe que a mesma sejainserida em uma angulação correta. A espessurada epiderme e da derme varia de acordo com a região do corpo. melanina? Siml QuaÀdo expostos à radiaçáo ultravio\eta òos taros òe-so\. . De que ê feito seu blusõo de couro? O seu blusão ou jaqueta de couro é a derme de um animal. que são responsáveis creção de um pigmento que escurecea pele. tato e pressão. A agulha penetra na epiderme e na derme de tal maneira que suâ ponta se situe na tela subcutânea.poro. na epiderme. O interessanteé que todos nós temos o mesmo número de meÌanócitos. o que determina a cor da nossapele náo é o número de melanócitos. ou cório (ver p. Copítulo / TEGUMENTO O que sõo estriqs? Se a pele estámuito esticadapor gravidezou obesidade.r. Cor dq Pele Por que existem diferentes cores de pele?A cor da pele é determinada por diversos fatores: alguns são genéticos. os mà\anocìtos ptoòuzem mars melanina. Porém. Profundamente. 105).tecido nervoso e algumas fibras musculares também estáo localizados nessacamada. A derme é composta de tecido é mais espessa coniuntivo denso e contém numerosas fibras colágenas e elásticas. mas e as diferentes tonalidades que existem As entre eles? corese tonalidadesda pele são determinadas geneticamente. existem células depela senominadas melanócitos. temperatura.n\t \ursluniues Os nrt\xr(trrss çs{trs l'lrserrvrrt sce\cÉsde dos âs sobre ârticulações deâ Olhepârâ pele no osso. ela fica sob a pele e por isso é chamada de tela subcutânea. E a melanina quem determina a coloração das célulasao seu redor. o amarelo e o branco. €omo você inietq um medicomento nq felo subcutôneo? Quando se injeta um medicamento na tela subcutâque se utilize uma agulha de tamanho nea. A maioria dos nervos possuem termidenominadas receptoressensitinaçóesespecializadas vos.. Esseesforço é recompensadocom a obtenção do famoso bronzeamento. Imagine como você seria se toda sua aderida "o inserida diretamente nos ossos' pele estivesse .. dËterminando o seu escurécimento. Embora derivem da epiderme' as estruturas acessórias como pêlos. outros fisiológicos e alguns são relativos a doenças.. Vasossangüíneos.

. Infe_ -:ìrc.rriras epele. negro. cabelo que O escovamos. -r:osâ).:-.:r-rle cor da pele..Ëb.c o m o a c e n o u f a .uma coleçãode célulasquerarinizadas morras.Hoie. r . :..rt. '.ì amarelo. Uma coloraçao nãgra . ou penetra .exceroo.in..palma das mãos. meÌanina) em determinadasáreasda pel.:itÌceis de se trarar."_ beludo (r.capilares responsáveis essa os por tona. .. é.or rosada. na rea_ e Irdade. . ele é . l. é claro.otrro .lnoma maligno tende a sofrer metástase(seespa-' ::ruiro rapidamente.os vasossangüí.l"r^r.po1 e*emplo.i:ìcas.a pele.:c papel"? Um indivíduo que se assusra sofre uma . normal_ ' :.o que determina o rubor e o calor dãssa si_ .lanoma "o maligno. A cor dos pêlos é controlad-agenericamentee de_ t e r m i n a d ap e l o r i p o e p e l a q u a n i i d a d ed e m e l a n i n a . indica óe .:.oãcentrad" em .r-"j regiões que apresentam pêlos desempe. :.rma condição conhecida como cianose. . esparsa.. O pigmento m.ro . melanócitosse ror_ os nam menos ativos.Algumas parresdo iorpo nao pãs_ suem pêlos e incluem a. aumêntando o fluxo sangüáeo ' i pele. O cabelo grisalho se deve à mis_ . Ja pele dilatam. ". pomo ourras célula.da derme para a superfície (Fig. Pêlor Há milhares e milhares de anos atrás. determinada-pelocaroteno.ele.Por que se diz "Ele está branco como uma fo_ . r .nções importante.ãdido pelo cËscim. Como nossosanimais de estimação.O que acontecese os melanóèitosdeixam .:oâ corrÌ€fmuitos vegetais que contenham o pig_ . r r n . Uma abundância de melanina produz o cabelc_. si_ f acjml da superficie da pele.presençade insetossobre a pele. r cor da pele pode também se alterar em resDosra a '.-lmo na quanddade de sanguepara a pele e a per..Ja de vitiligo.pilosoà.._iumascondiçóes envolvem disfunções dos me.:::idade de melanina. o cafoteno.:()s. Err" extensáoinferior forma o folícuio piloso. Às células epidérmicasda basedo Folículo.O que .Là'" da . ..-g . Essacondição é conhecidacomo albinis_ r. -. ::.--i\peles.O san. as células pi_ tosasrambém sofrem queradnização. .cas. 97 ESTRUTURAS ACESSORIAS PELE DA A pele apresentadiversasestruturas acessórias co_ mo os pêlos. nós humanos eramos serespeludos. avaliaçãoda cor da pele fornece A dadiosim_ . deve ser imèdiatamente avaliada.. rs pessoas apresenramde 10 a 20 pintas.ina. A pnncipal função dos pêlos do nosso corpo é a de detectara. Alg. :r. :ì()breem oxigênio determina a coloráção azulda : -' . antesque elesnos piquem. é pelo caÈ-elo lguanto pouca m-elanina responsável f lorro. nham fu. ào . Nos homens.r principais do pêlo são o eixo do pêlo.:ìlqmento não é notada.r.:ricão dos vasosda pele.dependíamosde uma espessa cobertura de peto para nos mantermos aquecidos. pé_ los nas axrlase na região púbica.r_ .' alguns indivíduoì produzem pouca Ílo. o caroteno é o responsável pela cor amarela .as células velhas sáo empurradas para cima. A exposição iol o "umenta .proveniente vasossangüíneos dos da derme. porçõesde pele branca.. p". de com "cordo " . em razáodos efeitos "-"r. . Por exemplo. Llmapinta pode sofrer uma alteraçaomaligna .l..orrência de pintas na pele é comum. O estrógenonão possui esse efeito.o.Juzir melanina completamente?Nessaspes_ . que se projeta inferiormenre.. se da a .r" p. a maior parte do revestimento. form"...d ec é l u l a s ï a ..ir" sãja inalada para os pulmões. .. causandoa icterícia...Anotomioe Fisiologio CorpoHumqno do Soudóvel Enfermo .a ausênciade melanina pro_ duz o cabelo branco.ìnresem relaçãoa determiÀadaspatologias.*cèssode melaïina na pele ' -:ìresentaruma cor bronzeada. e a Íaiz. e i.ic sedesenvolverum m. esres são muito raros).:. os lábios.om um funcronamento precário da elândula su_ .1. que aparececom uma contusão. apresenta Um cOntofno .rsirado pele. --':rlada. O crescimentôdos pêlos é influenciado pelos hor_ mônios sexuais.pintas e rrrrugâs são exemplos de melanina .\ cor da pele pode ainda se alïer".. . afastam cteseu suprlmento sangüíneo.t-.Como a pele dos asiáticospossui pouca ::ìrna. ()Lr denteado. . assim. à pl"r.i . e os pêlos são muito dèlgados.tr.: r t o . " .: . têm uma importân_ cia imensasob o ponro de visraesterico. Câa^ p ê l o s e o r i g i n a d e u m g r u p o .:.e é um dos tipos de câncer .possível adquirir uma coloração .Um indiví_ na . Nessecaso.:rn da melanina..l.: . ..um rico suprimento de sangue.O iní_ cio da puberdadeé pr.po .'foï' . Ao invés de ser eliminado.o estrógeno e a progesrerona. p i d ..rbém corar a pele de formã ãesieual. Lom o envelheclmento. A coloração .:r. os pêlos e a parrè colorida dos olhos (ïris) .lanina .essas célulasmorrem. a pele também posïui um pig_ : :. pés. e_D.e. a parre que yado se estende.ldg que para ãlgurrr. ::ìqueescapou vasos coagulou dos e sob a oele. em direção à superficie da pele. .11165 indivíduos desenvolvem uma condicão . A medida que essascélulas se divldem e crescem. formando um melanoma maÍigno. os pêlos do nariz impedgm que a po. os mamilãs e parresde órgãoì do sistema genital.:r.ontribui paraì cor rosada da . ranto nos indivídüos do sexo mascuÌino como nos do sexo feminino. e os cabeloi aiudàm a man_ ter a cabeçaaquecida. .. ).epacidadedo sangueda derme em alterar a cor .s '. as unhas e as glândulas. Como . ro. q. .'ric rambém depende de outras condições. o aumento da testosteronatambém determi_ na o aparecimenroda barba e dos pêlos do tórax.. os supeicí_ tlos-ecillos proregemos olhos da poeira e da tránspi_ ração.secamos penteamostodos os dias é. d :.rr.há a perda d" pìg_ : .tJ do. .-ira e QueSetorna escUra. Ìsso determina um de_ :.rra com doença hepática é incapãz de ãxcretaro ::Ììenro bilirrubina.rreÌada pele.: . euan_ 1. . a derme se torna visív.nro d. Uma :. . pessoas ficam envergonhadas.:enaÌ pode depositaro ...sãoos.. Uïrra '.

Ao se eriçar. A perda dos pêlos é denominada alopecia. Essareaçãoé o que explica a pele arrepiada.os pêlos são importantes. próximo à sua base. õ cabelo regeneradopode apresentarcor e textura diferentes do cabelo original. O pêlo eriçado não serve muito para manter o nosso calor. Embora os sereshumanos não sejam muito beneficiados com seuspêlos quanto os nossosamigos pelu- dos. ao ponto de tornar um indivíduo calvo.a forma do eixo determina a ãparência do pêlo. Observea relaçãodos cutânea vasos sangüíneos.CORPOREA E COMUM TEMPERATURA ó 98 .O tipo mais comum de calvície é a masculina. ondulaão ou liso . . tr-"'. A contração desses los traciona o pêlo e esticaa sua extremidade.A extremidade livre do pêlo do gato também se eleva quando ele está com frio. tura de cabelos com e sem o pigmento. como aquelas utilizadas na quimioterapia. uma das açõesinteressantes Sob o aspectoestético.o qu€ o ajuda a espantar o agressor.o encéfalo do gato leva a mensagem de pânico pelos nervos que suprem os músculos múscueretores do pêlo (Fig. uma condição hereditária caracterizadapela perda gradual dos cabeloscom o envelhecimento.O pêloé formadopor um eixo sub. Copítulo / TEGUMENTO Eixo do pêlo Músculo erelor do pêlo Epiderme Glândula sebácea piloso Folículo Raiz do pêlo Vaso sangüÍneo da derme FIGURA ó'2 r Folículo piloTela so. é muito desagrádávele às vezesdesolador para algumas_pessoas. mas a contração dos músculos eretoresdos pêlos determina um aumento na produçáo o de calor. responsávelpela elevaçãode sua extremidade livre. ele aprisiona calor em meio aos pêlos. Um eixo circular produz um cabelo liso. o pêlo determina. Pode-seproduzir um cabelo crespo. glândulas e músculoscom o folículo piloso. Crespo. O gato olha mais ferozmente com os pêlos eriçados. Dessaforma. existe um feixe de células musculareslisasqueTormam o músculo eretor do pêlo. A contiação dos músculos eretoresdos pêlos também determina a elevaçãode suasextremidades livres. nós respondemosda mesma forma ao medo e ao frio. E interessante ressaltarque o cabelo ruivo se deve a um tiPo modificado de melaninaque contém ferro. Quando assustado. pode eriçar os pêlos? Como um gatinho assustado Aderido ao folículo piloso. Perder os cabelos."ir. Curiosamente. lJma se[unda causacomum é a perda de cabelo relacionada à toxicidade de drogas. As drogas contra o câncer sáo tão tóxicas que freqüentemente destróem as células produtoras dos pêloì. 6-2). o que o ajuda a se manter aquecido. que os pêlos realizam. Um pêlo crespo e retorcido é o resultado de eixos achatados. Quando a terapia termina. enquanto que um eixo oval determina um cabelo ondulado.pena quenas elevaçóes pele. achatando-se o seu eixo pelaaçáo de produtos químicos. as céluias se regeneram e voltam a produzir os pêlos. Essarespostadesencadeia arrepio e o tremor.

-ipócrinas asmerócrinas. situados in_ ternarn€nre.- RA ó-3 r Unha. uma parte da epiderme.' glàndu. . um coÍpo e uma matÍiz. e :.-:r dois tipos ãe glândulas sudorífe. . e Esse tênis :: ie um pé suado. As célulasdo ::"u. :r..Os ' de da 1.As un-has ensão .. que estálocalizada na baseda unha.:::rdas nas exrremidadesdistais dos dedos dos pés . . A extensãoda matrizda unha é repre_sentada uma região em forma de meia lua..r unha são a margem li.'rpo da unha e a marriz t-:.ìcxrremamentedura (Fig.las pelesãoasglân.. mãos e protegem essas estruturasde lesões.unha apresentaas seguintesestruturas: uma -'ì::cm llvre. Á cor rosada das unhas se deve à presençados vasossangüíneosda derme.. r eda.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo o 99 e A Lúnula Corpoda unha Matrizda unha ffit .ele percorre uma camada situada inferiormente denominada vale da unha. .: '.. unha se desenvolveme se tornam queratinizada -* das na matÍiz da unha. À medida que o corpo da unha cresce. O eponíquio (cutícula) é uma prega do estrato córneo que crescesobre a parte proximJdo co. RGURA ó-4 r Glândulasda pele. 6-3).As três .._ po da unha. lEpiderme Glândula sebácea Tela subcutânea .:báceas as glândúlassudoríieras. Margem livre Corpoda unha Unhos \r unhas são placas delgadasde células epiteliais que contêm um tipo de que"i:!osasestrarificadas .. a por hinula.i.

asapócrinas e as merócrinas.sentedor ou'fica sexualmente excitada. as secreçóes dessas glândulas atuam como atrativos sexuais. palma das mãos e planta dos pés. Protegeas estruturase os órgãosinternos de lesóes determinadaspor queimaduras. porém. se ele se FUNçOES PErE DA A pele é um 619áocomplexo que desempenhadiversastunções: . Glôndulos Duas glândulas exócrinas importantes estão assoe ciadasà pele: as glândulas sebáceas as glândulas sudoríferas(Fíg. modificadas.as glândulas sebáceas podem entupir pelo acúmulo de secreçáoe outros resíduos. formando â caspa. t . sendo essaalteraçãoem parte responsável idosas. que é produzido pelas glândulas sebáceas. Algumas vezes. pela pele secae cabelosquebradiçosdaspessoas Os recém-nascidosapresentamum revestimento que lembra muito a consistênciado requeijão. Diferente do que ocorre com as glândulas apócrinas. As glândulas apócrinas estão com os folículos pilosos e são engeralmente associadas contradasnas regióesaxilar e genital. A derme situa-sesobre uma camada denominada tela subcutâneaou hiooderme. que repeleinsetose retém material estranho. as substâncias transformadas. o cerume (ou cerã do ouvido). O tegumento comum é for(pêlos. unhas e mado por pele e estruturas acessórias glândulas). Somente se um pequeno número de glândulassebáceas abre diretamente sobre a superfícieda pele. Elas secretamuma substânciaoleosadenomináda secreçáo sebácea (sebo) que flui para o folículo piloso e daí para a superfícieda pele. que se tornam ativasdurante a puberdade. produtoras de leite.A pele é composta por duas camadas:a epiderme e a derme. ela também previne a perda excessivade água. essas das aos folículos pilosos. as glândulas merócrinas funcionam durante toda a vida. durante a püberdade.em substâncias químicas com odor desagradável.6-q. lubrifica e auxilia na impermeaA secreçãosebácea bilizaçáo da pele e dos pêlos. O cravo e a espinha são comuns em adolescenìes respondem ativamente porque as glândulas sebáceas às mudançashormonais decorrentesda puberdade. Você iá deve ter observado o conteúdo de uma espinha. Essasecreçãotambém inibe o crescimento de bactériassobre a suoerfície da s d p e l e . C o m a i d a d e . Mantém substâncias nocivasfora do corpo e auxilia na retençáo de á'guae eletrólitos. estãosituadasno tórax (a secreção leite do serádiscutida no Capítulo 23).E CORPOREA COMUM TEMPERATURA ó I OO . Copítulo / TEGUMENTO nele contidas são acumula sobre a pele.trdoríãr". lábio superior. substâncias químicas. sebácea exposta ao ar e seca. formando um cÍayo.Observe o cuão impacientemente um cão cheira quando um acaialamento em potencial estápor perto! As glândulas merócrinas são as glândulas sudoríferas mais numerosase mais amolamente distribuídas.impedeo crescimentode patógenos em sua superllcre. Existem dois tipos de glândulassudoríferas. saise pequenasquantidades de resíduos. a pele é capazde eliminar água. A secreçãodas glândulasmerócrinas é composta principalmentepor águae algunssais. E o verniz caseoso.como a uréia. Estas são as glândulas que nos fazem suar profusamente em dias quentes ou durante períodos de exercícioextenuante. Elas estáolocalizadasem todo o corpo e são especialmente numerosassobre a fronte. Um paciente rapique sofreu queimadurasextensas desidrata-se damente em razãoda ausênciada pele. perturbada. essas glândulas produzem o suor. Ao contrário das glândulas não estão associaglândulas apócrinas. A maioria das glândulas sebáceas (ou glândulas aos folículos pilosos e sáo oleosas) estão associadas encontradas em todas as regióesdo corpo onde existem oêlos.As glândulasmamária*s. ocorre perda de calor. *R. Em animais como o cão.Embora essafunção seja pequena.cortes. desenvolve-seuma espinha.a s e c r e ç ã o e b á c e a i m i n u i g r a dualmente. As glândulas sudoríferas (glândulas do suor) estáo localízadas na derme e na tela subcutânea (Fig.Esse"cheiro do corpo" é a ruzáopelaqual utilizamos desodorantes.ESUilIINDO! O que é seborÉio? A seborréia ocorre como decorrência da secreçáo exagerada das glândulas sebáceas localizadas na cabeça. O suor produzido pelasglândulas apócrinasnão possui um cheiro forte. As glândulas ceruminosas sãoencontradasno meato acústico externo e Droduzem uma secreçáoamarelada. Executa uma função excretora. lJma pessoaapresenta aproximadamente três milhóes de glândulas sudoríferas. Como o nome indica.ele é Quando a secreção se torna negra. Enquanto o suor evapora da superÍÌcie da pele. EIas são encontradasem todas as regióesda pele e são oarticularmente abundantesna oalma das mãos e n" pl"nt" dos pés. EÌasrespondem ao emocional e tornam-se ativascuando a Dessoa estresse fica assustada. As elândulas mamárias e ceruminosas são slândulas . quando a secreção se torna infectada.A pele atua como uma barreira Íïsica e a sua secreção ácida. luz do sol e microorganismos patógenos.Como o desenvolvimento dessas elândulasé elassáoLais ativas estimulado pelos hormônios sexuais. 64). O suor produzido pelas glândulas merócrinas desempenham uma função importante na regulaçãoda temperatura corpórea.por ação de bactérias. .

..t-" pitto" é perturbada (por medo. o corpo) para o ar frio que o envoÌ. . os vasosse diÌatam no intuito de prevenir lesões Os lobos da orelha dilatados torversíveisdos tecidos.gái.r. Por exemplo. e geralmente acompanha uma infecção. calor em uma sala fria.. a perda de calor pode se Processar através da evaporação.6"C..rr do corpo é produzida nos músculose no ffgado.rt"è.a quantidade de calor pro. Esseestímulo resultaem um tipo de sudore'c que náo estáassociado exercíciofísico nem à consea condiçáoé da .Ilmatemperatura acima do normal é denominada hipertermia ou febre.rnhecida . durante exercíciosextenuantes' o suor da superfície da pele evaPorae esfria o corPo.. -i. quando o álsobre apele.eliminação de calór diminui.. ^A temperãtura corpóreavaría em diferentes red g i õ e sd o c o r p o . petd" de calor^ocorre quatro maneiras: radiação.J. os vasossangüíneos quente nas câmadaslnternas consefvar a temPeratufa dos tecidos. a pele auxilia a detectar infor' .r. assim. removendo constantementea camada de ar aquecido próxima ao corpo..-.ìturacorDórea. Quando ...r oelos músculos pode aumentar muito O . -b. trÁ ittdi ríd.()staaó sol.Radiaçãoiignifica que o calor é eliminado de uma estrut. ::oouso.rr milhóes de reaçóes .. A ouantidade de sanguenos vasosdérmicos infl. difi-. Íemperoturo Corpóreq: Perdcrde Color t ) corPo produz e perde calor constantemente' A . (p.mp€flha. pressão. a evaporarda superfïciêda pele. :ipos de hormônios que são secretados ativida:. .. condução e convecção. quando a temperatuÌa cai mutirreto.(n. -. .1:. Clinicamente. . -::.r.. a uma temperatura abaixo do normal e se desenvolvemais freqüèntemente quando um indivíduo é exposto a temperaturas ambientais frias.condução. .iiversosfatores:consumo de alimento. que por suavez é menor que a temperatura retal.:.:()ósseo..itr durantè o estudo náo produz muito mais calor . O calor produzido pelo metabolismo .."r p.rr..:cquando estáem repouso' . Finalmente.nm de vezes). S e v o c è m e d i r a t e m P e r a t u r a e u m peli boca (sob a língua)..t.:indo: o calor produzido pelo metabolismo celu.Entretanto..ica.'culaque é convertida em vitamina D quando :.. calor produzido pelascélulasé . -.-ro importante nautilizaçáo do cálcio pelo te. ãa perda de calor ocorre atravésda pele ' .à a quantidade de ãalor que pode ser eliminada ou dissipada pela radiação....'::Jo e distribuído pelo corpo atravésdo sangue.-:Ìr um papel fundamental na regulaçãoda tem'J:. Com o exercício.aciente iifi.uma função sensorialpor abrigar redor e tempe:"ìlof€s sensitivospara tato.:ldadesou nervosismo).èpouto produz somente cercade l5o/o -.A convecção é a perda de calor po. ' . respiratório (pulmões) e por produtos excretados(uride À na'e fezes).orr.:.nas diferençasnas leituras. .. : .:iienteelevação temperatura. Assim. a águanão pode de caloì. r.e.*. ..::-. . ele evaporae resfriaa pecool é esfregado le.fãlo .r baseda temperatura corpórea.otpo. .Dessaformã. |0| ' Por que os orelhos se lornom vermelhqs em côndições de temperoturq muito frio? Normalmente.2C e37. Por è*e-plo. irá vef.:: e a baseda temPeratura corpórea.r. .e Soudóvel Enfermo t do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono ' '.forma a minui. oì músculos produzem cercade 25o/odo .iqn. que ocorre quando um líquido é transfor-ìdo .r.:.).rtt" pestoà (corpo quen-te)esfrìa quando . O restante (20%o)é eliminado pelo sistema O que ê suor frio? é A sudorese reguladapelo sistemanervososimpáti-.. nessa sangüíneo ' t eg u loçõo dr: Temperoturq Corpóretl lemperoturo Corpóreo: Produçõo de Color ' -.rloré uma forma de energia (termica) é produe químicas que ocorrem nas . enquantoo figado produz até25o/o.'itaminaD.rimulado. um ventilador movimenta a superficie da pele. A vitamina D desempenhauma . com uma média de 3TiC.Por issoessa como "suar frio". p"it.t-. Jo corpo. A temoeraturanormal do corpo oscilaentre 36.-or do.rrteì dúr que se movem sobre a superfïcie da o ar sopele. quantidae . dsi-. uma manta fria pode ser utilizada para reduzir uma febre alta e perigosa...'. As células da pele contêm uma .o sistemanervososimpático é -.m . A hipotermia .A maior parte ... Essaé a razáo pela qual sentimos intensamenteo calor de um dia quente e úmido..ï... .1do corpo. Do mesmo modo...'.. quando a temPeraturâdo corpo disofrem constriçãode.. axila ou reto. A condução é aperda de calor de um corpo quente para um objeto fiio que estáem contato com ele.r. convecçãoe evaporaçáo. .e Por exemplo. É inteiessantesalientarque o encéfalo . a temperatuia na axila é menor quea oraÌ.Ì como uma glândula sintetizando e secretan. quantidade de calor produzida pode ser afetada ..to pe. :.. à Note que a á.re.aporação ãe água èstáassociada perda Em um dia quente e úmido.d.õessobre o meio ambiente. nam-se avermelhadosem razãodo aumento do fluxo região.um bloco de gelo (objeto frio).. .

a temperatura corpórea normalmente é mantida em torno de 37"C. 6-5). dem ser eliminados em um período de 24 horas. ocasionandoarrepio e tremor. Terceiro. glândulas sudoríferas mais ativas. Essastrês atividades elevam a temperatura corpó Íea para níveis mais normais.de tal forma que ela é mais elevadano final da tarde e início da noite..CORPOREA E COMUM TEMPERATURA ó I 02 . Sob do iondições ã".ras.i o.-peratura: os vasossangüíneos. amplas áreasde pele são freqüentemente perdidas como conseqüênciade queide madur"s.""d" superfície corpo.r. arrepio. Copítulo / TEGUMENTO A temperatura do corpo também varia de acordo com o período do dia.o.0.À medida que nossaatividade fïsicae o consumo de alimento aumentam no decorrer do dia. quando somente a epiderme é envolvida.1 da temperatura. A elevaçãode temperatura também estimula a atividade das eiândul"s súdoríferas. O termostato do corpo é o hiporálamo. Note o rubor na face da corredora em virtude do maior aporte sangüíneo nessaregião (Fig. Uma Termostato FIGURA ó'5 HIPOTALAMO . até 12 litros de suor po- Glusndo o Pele ê Queimqdu De maneira trágica. a ausência de suor."é-.Os três mecanismos que restauram umâ temperatura baixa para níveis normais são a vasoconstricção. e um aumento na Produção de calor. ^ " ï ' s ' . Essarespostamantém o sanguee o calor nos tecidos profundos.nL o o o o n utr:Ò . o calor é êliminado.:. Baseando-se profundidade. Dois i mecânrsmos esrao envorvtdos na diminuição da temperatura e até o normal: a vasodilaração a transpiração.. Uma queimadura de primeiro grau é vermelha. onde três estruturasparticipam da regulaas çao d"ì. tornam-se TEMPERATURA DIMINUíDAI Os vasossangüíneos e contraem-se o calor e mantidonos tecidos sudoríferastornarn-se menosativas. como o corpo respondã? Primeiro.e" . .-".d i a p o r q ú e e s t i v e m o s m r e p o u s oe a i n d a não comemos. Qn o . As queimaduras são classificadas acordo com a profundidade e a extensãoda árealesada(Fig. Essas duas atividades abaixam a temperatura do corpo..co-rpóreadesvia dõ normal. de calor. Essaatividade transfere calor das estrutuias profundas para a superfície do coroo. Setotna--se menosatigundo. reduzindo o fluxo de sangue para a pele.a temperaturacorpóreaé mais baixa no e i n í c i o d o . as glãndulassudorí^feta. Então. Nïï. Regulação TEMPERATURA AUMENTADA: Os vasossangüíneos produzindo dilatam-se. 6-5). na 6-64). Temperoturo Corpóreo: Reguloçõo Como já mencionado. prevenindo a perda de temperatura. ' 0 " o o o o ' o a . O que acontece com o cavalheiro que está esperando o ônibus enquanto estánevando?A temperatura de seu corDo estádiminuindo. O termostato do corpo é uma parte do encéfalo denominada hipotálamo. uma aparência As avermelhada.tt. dolorida e ligeiramente edematosa (inchada). . o arrepio e o tremor. glândulas dos pêlos (Fig. A queimadura de sol é um exemplo dessetipo..'.À medida que o suor evapo. a temperatura do corpo se eleva. permitindo assim um fluxo maior de sanguepara a pele. Quando a temperatura. causando o"o ov. a informação é enviada do hipotálamo para a pele.Os múscutoseretores dos pêloscontraem.re ì contraçáo dos músculos eretores do pêlo.o que também previne a perda de calor." ' 0 . iudoríferas e os músculoseretores Com o exercício e a elevaçãoda temperatura' os vasossangüíneosdilatam. 'r ol ' o ï M". oco. Por exemplo. As alteraçóesna temperatura estão relàcionadascom a atividade física e alimentação. os vasos sangüíneos se . as queimaduras em são classificadas queimaduras de primeiro' segundo e terceiro graus..

Queimaduras ãe primeiro e segundo graus e queimaduras de. braços.terceiro grau. e I 03 Queimaduras de Queimaduras l a e 2 e g r a u s de 3e grau Epiderme maduras: partes da pele lesades por queimaduras. B..antebraços mãos e 18% Anterior . FIGURAó-ó r A. Queimaduras mais profundas são chamadasde terceiro grau.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . qúeiÀ"dura in_ --rem vermelhidão. os sintomas dessetipo d. A prova dos nove para avaliar a extensão das qúeimaduras. dor. Posterior Com uma lesão maior da derme. edemâ e formação de bolha. Nessecaso.a epiderme e a derme são des- .:cimadura de segundo grau envolve lesóestanto na --?rtlerme quanto na derme. a pele pode parecer vermelha. euei- Tela subcutânea -Ombros. bronzeadaou branca. Com uma pequenalesão :-: derme.

Como nos protege do meio ambiente. resultando em uma pele pregueadae enrugadaque tem reduzida a sua capacidade de manter a temperatura corpórea. Como resultado. 3. o clínico necessitaavaliar tanto a profundidade quanto a extensáoda lesãocausada pela queimadura. fu*mbs'wÈ* #m"e S*ëps. Cuidados . as células da epiderme se reproduzem mais vagarosamente e são maiores e mais irregulares. Para determinar o tratamento adequado. com freqüência. ênqwonÌoVocê êravelhec. o mais importante. O padráo de produçáo de melanina pelos folículos do pêlo diminui. que pode serlesada com mais facilidadee é mais diÍÌcil de cicatrizar. A pele é um órgão complexo funçóes:forneceproteçãopaque desempenha diversas ra todo o corpo. Alguns melanócitos aumentam a produção de melanina. ou manchas da idade. resultadoé um auO mento na fragilidade da pele. 6-68). o cabelo se torna mais claro. peratura.duras e espessas. A atívídadedas glândulas sebáceas resultando em uma pele seca. aumentao risco do câncere do melanoma malisno. Por exemplo. 6. atua como uma barreira.e O envelhecimento provoca um adelgaçamento generalizadoda epiderme. 8. nós dos.Essas alteraçõesresuÌtam em uma pele fina e mais transparente. O suprimento sangüíneopara o vale da unha diminui. devemos tomar muito cuidado com esse órgão maravilhoso.tornando-se ressecada com a idade. porcentagensdeterminadassáoreAs lativas ao número 9.as camadasmais profundas também.quebradiças. A derme se torna delgada. As queimaduras de terceiro grau possuem cor branca. Por exemplo.ásperae cheia de sardas. sintetizavitamina D e atua como um órgão excretor. 2. com uma diminuição na quantidade de colágeno e do número de fibras elásticas. A arívidade dos melanócitos diminui. resultando na diminuição da capacidade de regular â temperatura corpórea e na intolerância ao frio. a enquanto cada membro inferior equivalea IBo/o(9 x 2). l. A vasculaúzaçáoda derme diminui (pela diminuição do número de vasossangüíneos).as unhas tornam-se fracas.o calor dos vasossangüíneos eliminado mais facilmente. de maé neira^gue as pessoas idosas freqüentementesentem mals tno.o-rn pele são pârticularmente importantesnas pessoas " idosas. 4. de tal forma que drogasadministradaspor essa são absorvidasmais lenvia tamente. em particular nas áreasexpostasao sol.qrÌe possuemuma pele geralmente seca.o idoso tem uma maior propensãoa lesões porque os vasossangüíneosnáo estãobem protegidos. detectasensações temperatura e dor).Mais ainãa. AÌém disso. como o fessecamento provocaclopor sabão.w es ffiwãdmdms {ffiË}'sffi ffi&ffffi A pele é constantementeexpostaa toda sorte de maus tratos. Como resultado. A quantidade de tecido adiposo na tela subcutânea diminui. A atividade das glândulas sudoríferas diminui. com um padrão mais lento de reparação. *RË5UÍilINDO! . os efeitos nocivos da radiaçãoultravioleta do sol. a cabeçae o pescoço sáoconsideradoscomo 9o/odo total da superÍÌciecorpórea.bronzeada.-tF I O4 * Copítulo / TEGUMENTO ó COMUMETEMPERATURA CORPOREA truídas e. resultando em uma diminuição da proteção contra os raios ultravioletase uma maior suscetibilidade às cueimaduras de sol e ao câncer. negraou vermelho-cereja. regula a tem(tato. Como não se pode evitar o desgaste podemos proteger a pele de diversasmaneiras.A nessoa tende a sentir frio. Como a pele é seca. a manut e n ç ã od a s u p e r f í c i e c i d ad a p e l e s e r v ep a r a e v i r a ra á proliferação de bactérias (o que serádiscutido posteriormente no Capítulo 17). podemos diminuir a exposiçãoda pele à radiaçáo ultravioleta. bem como do aparecimento de rugas. numerosaserupçóese a exposiçãoa objetos pontiagunatural. A vascularízaçãoe a circulação da tela subcutânea diminui. Essa alteração faz com que a pele se torne mais suscetível a pequenas hemorragias e úlceras por pressão. a áreatotal da superfïciecorpórea é dividida em regióes. 9. cadamembro superior corresponde 9%o. Note que asporcentagenscorrespondem a cada região específica do corpo.o uso excessivo sabâodeveserevitadoa fim de prevenirum de ressecamento adicional da oele.Além disso. o que resulta em pintas ou manchas marrons. 7. desde cinza até branco. diminui. Como conseqüência. o padrão de crescimentotambém diminui. marrom. A extensãoda lesãopor queimadura é avaliadainicialmentede acordo com a prova dos nove (Fig. 10. com a derme e a tela subcutânea tornando-sedelgadas. pressão. Ela também endurecea pele à e. banhos de sol são nocivos para a ao pele. Por esse método. a pele sofre também uma outta alteraçãoimportante. Os pêlos não são repostoscom freqüência e se tornam mais delgados.A exposição sol tanto resseca quanto produz lesóesirreversíveis pele. 5.A pele também demora mars pafa se regenerar.

derme. e 4. e | 05 UmooÍteroçõo peleem que os glôndulos do produzem secreçõo moneiro sebóceos suo de excessivo. rubor).A comodosuperficiol o estroto é córneo consise teemcélulos ochotodos. é gerolmente e (prürido). corcinomo célulos O de bosois locolizodo seutrotomento reolizodo é e é com sucesso. o : A epiderme opresento cinco comodos. e crostos escomoçõo.ou peleverdodeiro. por lesões populores vesiculores. de no ex.A dermotite corocterizodo eritemo(veros põr é melhidõo). o 5. pópulos(lesões semelhontes espinhos). ":.e no regiõodo virilho. umoespinho. irritoçõodo pele é çõo com sunogre de A ocorrepelocontoto com o substôncio irritonte. úlceros prue Íurúnculo rido (coceiro).Ìodoselesrelocionodos exposiçõo de ò excessivo oo sol. corocterizodo de fissuros. A quontidode songue peleolterosuocor (p.que sig. Inflomoçõo pelequepode sercousodo umogrondevoriedode ogentes do por de irritonies comoos químicos. moissériodeles que temmenorchonce sucesso irotomento o melonoO e de no é mo moligno. lômino A bosol é o comodo ondeocorre divisõo o celulor. lfro Gsfo Dcrmotite Cczemo uakório fnperigo Èoríqse Câncer de pele Resumo ) tegumento comumincluio pele. (bolhos) crostos. Um sõo conectodos entre si.Os doistiposmoiscomuns o corcinomo célulos sõo de bosois o corcinomo célulos e de escomosos. Do polovrogre€oque significo "coçor" É umo condiçõo .Esiru?uros:órgõos do Tegumento Comum i sistemo legumenlor incluio pele. umoexterno. plontose os ócidos. e A urticórioocorredevidoo umo reoçõoolérqicocorocterizodq reqiões por overmelhodos (vergões). o :'€e os órgõos internos desempenho Íunçõo e umo im.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . Exìsfem diversos tiposde côncer pele. t. estósiElo tuodosobre telosubcutôneo.elevodos cobertos escomos ospecto e por de proteodo. outros fisiológicosoutros e sõo relocionodosdoenços. boixoconteúdo oxigênio de B. Polovro derivododo grego. irritoo vesículos e A venenoso umo formo de dermotite contoto. Umo porçõode vesículos oquosos.'rs e o telosubcutôneo.mostombémpode os . secoi. condiçõonormolmente'ofeto dedosdos pés. A cor do peleé deÌerminodo diversos por fotores: olgunssõogenéticos. O pêloestódistribuído desiguolmente superfípelo cie do pele. l.nifico erupçõo. mortos querotinizodos. epidero me. ocorreduA de que ronÌeo ooolescencro_ FÉ-de-Atferq (" Í rieiro" I Umo infecçõo fungos por pelo presenço vesículos.o eczemo umo condiçõoinflomotóé rio corocterizodo vermelhidõo. A dermeé o cório.elo reveste corpo. Estrufurqs Acessôriqs do Pele 1. A pelepossui duoscomodos. corbúnculo Íurúnculos'múltiplos.e outrointerno.: -rnle no reguloçõo temperoturo do corpóreo. cousodos pelo infecçõo como vírusdo herpes simples. por crônicocorocterizodo lesões que sõovermelhos.um côncer dos melonócitos.ocomponhodo porioceiro intenso Umo infecçõo contogioso pelenormolmente do cousodo pelo bociérioStaphylococcus. bemcomoo oporecimento substônde ( c i o so n o r m o i s o m oo b i l i r r u b i n oi c t e r í c i o ) u m c e (cionose). foliculo produO entupido zindo ossim.Esso ocorrernosdedose polmodos mõos.A locolizoçõo pêlodetermino ão suo . Esfruturos soculores contendo líquidoou moteriol semi-sólido envolvidos umocópsue por lo resistente. de ..Pele A peleé chomodo cútis. secreçõo A querotinizodos sebóceo os célulos e pimortos entopem folículo um losoe oporecem podeserinfectodo boctério. por comocrovos.os estruturos ocesoboixodo pele. célulos As novos (impermeobilizonle) produzem querotino e morremò medidoqueelossõoempurrodos poro o superfície. Umo porçõolocolizodode pus provocodopor infecçõopor Stophvlococcus folículos nos pilosos nosglôndulos e sebóceoi. formo moiscomum ocneé o ocnevulgoris. melonino o A escurece pere o e o coroteno confere lhe umocoloroçõo omorelodo.

Ancoroo dermenosestruturos prevenindo perdo o térmico 2. vitiligo.ot e os nervìs? Q""l da situada abaixo da derme? 4. A moiorportedo color(80%lé eliminodo pele. Quais fatores afetam as variações na temperatura corpórea? 14. A provo dos nove é umo formo de se ovolior os queimoduros. Quondo o Pele é Queimodo A. Produçõo de Golor dos pelo metobolismo célulos l.cone duçõo. 5. enquonto ciliose supercílios o contro poeiroe o tronspiroçõo. 12. coloré montido triçõoe peloorrepioe tremor. Cite seisfunçóes da pele.essos do (umosubstôno glôndulos produzem vernizcoseoso que o oo iio semelfronÌe requeiiõo) reveste peledo recém-noscido. funçõo problemos e B. Z. Como os vasossangüíneos da derme estão relacionados com a cianose. 3. e de l. profundosf grou (mois de 2. O color produzido do o constitui temperoturo corpo. Quais sáo as quatro maneiras pelas quais o corpo perde calor? 13.situodo hipotólomo. 1. Qual é a diferença entre glândula sudorífera e glândula sebácea?Qual glândula secreta uma que severiiubstância que forma o verniz caseoso fica nos recém-nascidos? 10. do 2. e esÌéticosemocionois). 8. B. Qual é a diferença entre glândulas apócrinas e merócrinas? 11.A secreçõo sebóceo do No permeobilizoçõo pelee dospêlos.o rubor e a aparênciade "branco como uma folha de papel"? 6. Quondo o temperoturo corpo coi pelovosoconso oboixodo normol. . glôndulos do no um sempenhom popelfundomenïol reguloçõo corpóreo. Perdo de Color do otrovés 1. Em qual camada da pele são encontrados_os é o nome da cama' . de epiteliois delgodos célulos sõoplocos As unhos que umoformoenestrotificodos conlêm escomosos de durecido querotino. lll. Copitulo / TEGUMENTO do funçõo. Telo Subcutôneo subiocentes. Quais são as duas câusasda alopecia? 8.CORPOREA E COMUM TEMPERATURA ó t Oó . Q""l é aproteínaque impermeabiliza a pele? vasos 3. exócrinos de Existem tiposprincipois glôndulos dois e no oele:os sebóceos os sudoriferos.o roiz e o do As portes Íoliculo. feto. l. ocimodo norelevo-se corpóreo do o temperoturo do otrovés suore do vosomol. os sudoríferos: opóExistem tiposde glôndulos dois demerócrinos As e crinos os merócrinos. ó. sudoríferqs ll.convecçõo evoporoçõo. Queimoduros terceiro 3."ngüírr. A moiorportedo coloré produzido e pelofígodo. Clqssificoçõo dos Glueimqduros grous. e pelo A cor do cobeloé determinodo quontidode pelotipode melonino.o coloré eliminodo do dilotoçõo.Os pêlosesporsos corpo fozempouco o sobre pede o moisquedeÌector presenço insetos protegem olho o os le. temperoturo (produzem leite) os cerue momórios As glôndulos (produzem cerodo ouvido) glôndulos sõo o minósos modificodos. infecçõo) os de longoprozo(cicotrizoçõo. (oleosos) produzem umosesebóceos As glôndulos creçõono interiordo folículopilosoou sobreo suouxiliono imperficie pele. Q""l camada da epiderme forma a cutícula? 9. 2. sardase verrugas com a melanina? 5. Como a quantidade de melanina produzida altera a cor da pele? Q""l é a relação de albinismo. Atuo comoum isolonÌe de color. principois pêlosõoo eixo. Explique a relaçáoentre a vasoconstriçáoe ava' sodilaiação na regulação da temperatura corpórea. Efeitos Fisiolôgicos de Incluem efeitos curtoprozo (perdode fluidose elecorpóo poro regulor temperoturo incopocidode trólitos. pelosmúsculos 2. perdodo e reo. A perdode colorocorreotrovés rodioçõo. C. Queimoduros primeiro segundo . Reguloçõo do Temperoturq Corpóreo A. pelo corpóreonormolé conÌrolodo 3. Qual é a diferençaentre epiderme e derme? 2. 4. O que faz com que a pele se torne arrepiada? 7. A temperoluro no Quondo termostoto corpo.

Qual é o efeito sobre a pele da exposiçáo repetida aos raios solares? 17. Como o envelhecimento age sobre a pele? . e I \. segundo e terceiro graus?O que é a "prova dos :ove"? lO7 16.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo .tfual é a diferença entre queimaduras de primei:o.

.

2. ReÌacionar os principais tipos de articulações.SISTEMA ESGIUETETICO E ARTICULAR a () bletivos l. Diferenciar medula ósseavermelha e medula ósseaamarela. Relacionar os ossosdo esqueleto axial. Definir os pontos de referência importantes em determinados ossosdo esqueleto. Descrever os tipos de movimentos que ocorrem nas articulações sinoviais. 4. 3. 7. 10. Descrever a estrutura de um osso longo. 8. 9. 5. 11. ou diartroses. Descrever as funções dos osteoblastose dos osteoclastos. Descrever as funçóes das articulaçóes. r09 . Comparar o esqueleto axial com o esqueleto apendicular. Relacionar os ossosdo esqueleto apendicular. 6. Enumerar as funçóes do sistema esquelético e articular.

" vértebras e vários ossosdo crânio' ir r v à b É .. ao concentricamente' redor de grandes por é aososteóõitos preenchida .. rc. N^ Nr*i* SubstânciacomPacta e esponjosa' Att"rô*t*nospunhose nostornozelos' .ì.ã. '."s."h".ossos Como pode ser visto na Figura..-idades ..responsável do penecessfuios' t. uma palavra que f.. -uúìif...EARTlculAR ESOUELÉÏCo 7 I lo . grede es leto'otigina-se.T-1' a ptomanetra sistemaesqueléticoestão dispostosde p"t" o nosso.t..e estálocalizaãoprincipalmente O crânio.umaestruffa trabecuìar' forç".. .^ .ootdesempenham diversas .t. irregulares..o-. qualÌ[rqa(lç Ìc Jo"iZãgt""del e quantidadeu ç rmaterial De re: morto parecemorto ou ressecado' fósforo. o sistema encontrado ort. JJa.ao .ri-t . .. . pode sertudo' esquelético Entretanto.ot'.s..ndo-ttos "r.tto mais duro dos tecidos conjuntivos' DOS r DrsPoslçÃo FUNçÕES OSSO5 do os.otPo resãecado"' rilnifi. aiua funçao f ri*ento saígüíneoade"quado. esquelético ferentes microscópio.". minerais são depos. lhe pràporcionar muita do mais importantes o cálcio e o fosforo' . as por sua vez' elasticidadeao tecido ósseo'Os minerats' fazendo dèle o tecido duro e resistente. e consiste osteócitos sangül vasos. ossocompactoapresentao O dosmúsculos... 'o.s de neas.*. prlncrpalmente forma de cubos.. ossos cavidades' ou irregulares. copitulo / slsTEMA planos' Os ossosplanos são delgados' chatos Ossos eo ..t dos ossos ü""ì"-.""tts uma ervilha' e com o pede os existindod.o tecidãósseo sáoclassificados seguinte Os ossos à* [..riOs o Ossos longos.. O osso e chatos curdo áo .....e encontram-se .. Co. dos membros inferiores sustentam o Peso osãos outrosossos.tì.rri'. A meduia ósseavermelha produz ou sisúemade Havers..oílio corPo se movimente' densicomprimido.dispostos e muitos tamanhose formas' dirigem'sefate^ralmente' aPresentam Os ossos t""gtii". microscàpicã ossocompactoé o osteônio a células sangüí.ïd" do osso em manelra: dispóe-se lameda Nele.i"s Por esPaços mento maior que a larguã' Eiessãoencontrados ao osso..não o compacto.".o*primento. "ier'rt.de modo que..l de r r é L L r ! 4 r rinorgânico.ãido outrasfunçóes: e na superfície desempenha longos h*.com o tamanhode conectam sistemas Haversentresl a60 externado osso'A rede o ft-tt.?r?lto...rpottjàtã uma alarênciaperfuradasedando e superiores lnterlores' nosmembros sob curtosaPresentam-se a Os ossos o Ossos curtos..'ço o que a nossaforma básica' Imagtne com você se pareceria sem os ossos! e OssoComPocto OssoEsPonioso* O Sislemq Esquelêrico:O Que Ele Ftrz existentes Os dois tipos de ossoou tecido ósseo (Fig'7-3)' O ossocome o esponjoso sãoo compacto esquelético prinAlém de nos dar uma forma. . ""r. de Ossos de Diversos Tqmqnhos e Formtrs de O àssocompactoconsiste muitos sistemas uns paralelamente aosoutros'Vasos Havers. ossra óssro EFORMAçÃo ïEClDo ósseo' CéluO osso é também chamado de tecido osteócitos' secretam uma las ósseas.il.contem *brÃ.ü.utiot.J riósteoque reveste superficie um e a forma de um ostectdoÓsseo suasseguÍa. poi t*ttitplo ' aloiao encéfalo' ...t .. t'." ãã."bo.n.' longos e no interior de dos ossos pto?. Ele contém206. à âreaadlacente e outrosmlnerals' cálcio fibrasprotéicas.ú. .ttãt" uqa gralde-parte tem.. úorï".mplo.-'. a matriz óssea' que. ditêm e compacto esponioso aparências Os ossos do corpo.t.t molesdo os ottot' o ossoesfonjosoou trabee Protegem órgáos o Os ossos sustentam .r. na coxa....ËÁ"d* o longospossuem comp.".. p"a. .í.sdã osso.... precedentes' Eles . esósseas lamelas Essas ósseas' trabéculas itt . for-".ttacálcïo eoutros minerais' Esses quêls proPlclam dos ao redor de fibras protéicas..corpo' forne.ã-t..essa que o firmemente permite se sendo os iesistência'A o Os ossos armazenam vários minerais' ã"J.. H""... .J"t g *.s denso..denominadas intercelular.r.podendo chegar a .rn d.J ao ".como funçóes contemslstealojare piottgtt o encefalo' esPonjoso.rii.p.o*p"tto (Fig' 7 -38)'Ao contrário ossos crâniosáodelgados' do.rrdo-o de lesóes' rr. consideúveis'Por outro laou esponjoso.ossos importantes' funçóes .Os ossosirregulares apreserÌtam Ossos neformas diferentes e não são classtttcados-em incluem as á".o dttio e den-so' . O tamanho de vasoJsangüíneos por for(Fig'7-2)' O longo e resistente r. Eles formam as costelas' o esterno crânio. sistema . osso . ...ã.o slstema murto que estão menosmorto...iá'osoxigênioe nutrientes il. .parece e como como cáÉio. que seassemelha um longo madurosdisposto.iJ"á.

. .t o encéfalo' uor. Por "o.O ossocome sãoo compacto o esponjoso esquelédco Além de nos dar uma forma.e encontram-se forma de * Na Nomina Anatôrnica . crânio. do corpo. quaispropiciam Os ao elasticidade tecido ósseo.e estálocalizadoprincipalmente protegendo-o lesões. Cìs orsoJatm""enam vários minerais. ossos ou cavidades' irregulares. dirigem-se comuÃicantes sangüíneos com o tamanhode uma ervilha. O tamanhoe a forma de um osum tecido ósseo sud.s. o termo "corporessecado".Os ossos planossãodelgados. o Elesformam as costelas. Ao contrário muito alojar. sistema apres€ntaao ferentes microscópio. dot membros outrosossos. . de longos e no interior de dos 'Or nas extremidades ossos o sustentarn peso . por exempló. sendo os A prõporcionar muita resistência. las ósseas. ossos existindodesdè entresi e com o pede conectamos slstemas Havers no punho.ttr" de outrosossos' ossoesponjoso ffabecorpo. dade pode lhe maisimportanteso cálcioe o fosforo.o-primento. O crânio. coniuntivos. que contém intercelular.áo compacto(Fig. do microscõpica ossocompactoé o osteônio unidade sangüí. o Ossos irregularesapresentam Os irregulares. contém grande De parece morto ou ressecado.r. e câlcio outros as dos ao redor de fibras protéicas. tão separadas espaços Por mento maior que a. pioteg. densisefirmementecompiimido. o sistema pacto é o tecido ósseo duro e denso'encontradoprinoutrasfunções: desempenha longose na superfície dos nashastes ossos ãipalmente molesdo o Os ossos e sustentam protegemos órgãos ou O .O ossocompacto permite que o corpo semovimente. esponjoso. pód.."rrto. osio esponjoso-não do osso maneira: da são em Os ossos classificados seguinte dispõe-se lameNele.cáIcioe outros mínerars Ossosde DiversosÏstrsnhos e Formas de de O ãsro comPactoconsiste muitos sistemas outros' Vasos uns paralelamente aos dispostos -FIavers.ádo como funções contémsisteo compacto. e como cál-cio fós-foro.refletea suafunção (Fig. poi exemplo.Substânciacompacta e esponjosa' nospunhose nostornozelos. outro latem ou osso O chatose curdo do. pes sãoencontrados perfuradaseuma aparência dando ao ossoèsponjãso e intertores' superiores nosmembros sob o Ossos Osïssos curtosapresentam-se a cartos. principalmente cubos.amatriz óssea. esósseas lamelas Essas ósseas.que seassemelha um longo neas. O longo e resistente "úeg. uma estrutura . esternoe o .". até o fêmur na coxa'podendochegara 60 externado osso'A rede a riósteoque reveste superfície d. secretamuma denominadasosteócitos.ossosdo sistemaesqueléticoestão dispostosde maneira a Pro' porcionar um arcabouço para o nosso corpo. minerais. cular é menosdenso.7-3). substância mineraissãodepositaEsses minerais. diversas vivose desempenham óSSrn E óSSEO FORMAçÃO TECTDO CéluO ossoé também chamadode tecido ósseo. muitos tamanhose formas. forneèendo-nos a nossaforma básica' Imagine com o que você se pareceriasem os ossos! OssoCompoctoe OssoEsPonioso* existentes Os dois tipos de ossoou tecidoósseo (Fig. deleo tecido fazendo tornam o ossoduro e resistente. trabecular. mas como é do ósseo vivo e metabolicamente quantidadede material inorgânico.de palavragrefato.o.EARTICULAR ESOUELÉÏCO SISTEMA I IO . A medula óssea vermelhaproduz células a ou sistema de Havers. ativo. trabéculas laschamadas o comprilongospossuem o Ossos Os longo. uma esquelerobrigina-se.t'rr'uos.7-2). inferiores orïo.7-38). difereÀt.por suavez. e consiste oJteócitos sangüívasos ao concentricamente..responsável forprimento saãgüíneo ftmur. madurosdispostos de cilindro. . ossos em e não sãoclassificados neformas diferentes Elesincluem as nhuma das formas precedentes' do e vértebras váriosossos crânio.l"rguã.. apresentam Os ossos e lateralmente. esquelético o muito que menosmorto.tt"-"o so por adequado'. ditêm e compacto esponjoso aparências Os ossos esquelético o o Com ó auxílio dosmúsculos.o. . os . COPitUIOT/ chatos o Ossos planos. redor de grandes Í€cíAltríadfaccarcaanantcaàtancpzcczzcb)àapas fibrl"s protéicas. Ele contém206 ossos estão funçõesimportantes. lraroJr"^güíneos ".r. aloiao encéfalo. maisduro dostecidos DOS r DrsPoslçÃo FUNçÕES OSSOS Como pode ser visto na Figuta 7 -1. de modo que essa . gaquesignifica " Èrrrr.susteíh uma grandepartedo peoxigênioe nutrientesnecessários' tecid-os .o tecidõósseo masde Havers. iguns ossos crânio sãodelgados. O O SistemoEsquelérico: GluêEleFoz .porì"t forçasconsiderãveis. sistema pode sertudo.

e Soudóvel Enfermo ' do Anotomiqe Fisiologio CorpoHumono I I I Crânio Ossos face da Mandíbula Ossos carpais Ossos metacarpais Falanges Ossodo quadril n Ossos tarsais Ossos metatarsais Falanges Esqueleto ffi axial Esqueleto apendicular RGURA 7-l . Esqueleto . axial (vermelho)e esqueleto humano. O esqueleto apendicular(marrom).

ttto."t local que ocorre o crescimento ósseo .kextremidídes ãt tt. c". d' cartilageà hi^alinalocalizaí":"f"i*" :.r.i.il-...Í" nesseestágio' associadaà eordura.se. to"'*tló-o . e relongos contêm locaisde cresclmento Ot ossos às articulaçóes (Fig' modelaçáo. sistênciaao ossolongo' alargadasde um osso lon...r-. Na infância' a cavidade dr"..ãi"ut ... '..:.."á"t.^d...do osso' comtectdo Ósseo constituída principalmente de "il..t*"táta e preËnchida-commedula óssea i. não estando' 3. muito fibroso' que o sangüíneas'interiordaca- .o..'...o .i".Por mais leve' e contêm a pesodo or.'.tilagem é também denominada Ëï*^i"üae tl nesse epifisário ou zona de crescimento' disco longitudinal' 'ë)ï.. rePortanto' considerável ..Ié*.'.il.motivos: dimi.rp]ìt. As epífises compacto que revesteo osso esponjoso' são recoberiasPor cartilagem' em.. E.ììd""*t.lY células com sangue ossoespon.EARTICUIAR ESQUELETICO Z/ I 12 ...t." abundantementeo supreEsta r*ã"f" ãrr.local de reserva .ãà i*po't""tes. conJunirid"d.t medula ósseavermelha com ..Jr. COPíIUIO SISTEMA Ossoirregular OssoPlano cunos Ossos Osso longo Iongo' curto' plano e irregular' FIGURA 7'2 t Tryosde ossos: existentesno melhante ao "queijo suíço"' Os espaços áois.. de e funciona to*o .dular é revestidopor um tectdo tivo denominado endósteo' é uma membrana de tecido ìiíìt*. fu.-.... crescrmenCartilaçern tpífitial' Um osso longo.." enüe"a epífise e a diáfise' .A iliáfrse é a haste longa...".lha' e tâmbém Pi:.ossoo articula' ..onJir.ó..emidades.. Ãcavidade medular-é a cavida."rtes de um ossolongo Ela é o Diáfi.t-eepífise uma articulação' ou o une' a um segundo osso' em fina camada de osso de uma ó.iao-Orr. e esüuturas associadas sáo as seguintes: 7-ãõ... meda diafise..ioso para seremusadaspor todo o corpo' sangüíneas Osso Longo € esPonA disposição dos tecidos ósseoscompado por sua resistênàrto lo"go é responsável irr..[".õìã"iott"o revestea suconiuntivo d.ioná"do.iõ{fi".nchida pela produção de células sangüíneas' t..."-.

rtilagem articular.7-4). A cartilagem articular é en.'nsritui uma superfície lisa e polida què diminui I t3 o atrito no interior da articulação (por isso é deno. e :.composro de cartilagem e membrana de tecido conjuntivô Gig.Anqtomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo ..quaJquerlesãodessa é.aperda do suprimento sangüíneo sua :\xJe causa-r mofte.A.nrrada sobre a superfïcie exrerna da epífise.tr.Ã formaçao ósseaé ãenomina- A úmero Cartilagem epifisial Cartilaoem articula"r =. minada cartilagem articalar).:rer outro órgiao. .rtuia tr"" .. O periósteoprotege o osso. . .<riósteotransporra o suprimento sangüíneopara o rro subjacente./ i:'se Osso esponJoso Cavidades da medula óssea vermelha Osso compacÌo B Visão ampliada dos ossos compacto e esponjoso Periósteo Endósteo Medulaóssea (na amarela cavidademedular) Canalículos Canalde Havers Sistemade Havers (osteônio) Periósteo Vaso sangüíneo lrífica Cartilagem articular w Osteócito ÍIGURA '€ ' Ossos. Tipos de tecido ósseo(ossocompacto e osso esponjoso).Como o :.servecomo um :\ìnro de fixação para os músculos e contém os vasos ':rgüíneos que nutrem o ossosubjacente.rrias conseqüências saúdedo osso.Como qualà . A riedida que o feto se desenvolve.o'riícieexterna da diáfise. Ela -. üa a sup_erftcie externa do osso. Anatomia de um ossolongo. Ossificoçõo Como o osso se forma? Um feto de três mesesde idade tem um arcabouço premaruro.. semelhante a um esqueleto. B.excetoà cartilagem -i:licuÌar.a cartilagem e o tecido coniuntivo são substituídos por osso. fixando-se firmemente a :.

Quando o feto a. . osossos de de crânio)constituem-se uma fina membrana tecido forou conjuntivo. membrana da substituição delgada Ossificoçõo dos Ossos Longos longosocorrequando o tedos A ossificação ossos do O sutstitui a cartilage-"m.Esta ocorre de maneira diferente..o osso da cartilagem nua a seformar dentro O em continuacrescendo comprimento. deixando a criança mais alta. ou a fusáodessa samo selamento Como a longitudinal dos ossos.é caracterizado dois tipos de crese em crescem comprimento deOs cimentoósseo.Sopeçasisolàd"s de cartilagem. COP|IUIO SISTEMA EARTICULAR ESOUELÉÏCO 7/ da Ossificação membranade tecidoconjuntivo qem do corpo apresenta-se substituídapor osso. esquéleto feto cido ósseo e cartilagem. (Fig'i-4). os níveis elevadosde estrogênio promovem o selamento da cartilagem epifisial mais cedo nas mulheres do que nos homens. . ossos outro lado. crescimento epifisialse quandoa cartilagem longitudinalcessa ósseo ossifica. continua em cadaossolongo até que tudo. 7-3A). do narize partes das costelas. cresciníveisplasmáiicos definitivamente' longitudinal cessa mento ósseo de Ossificação cartilagem de na FIGURA 7'4 t ïpos deossificação:membrana tecido (crânio) nacartilagem. a disé composto. tal como no septo ir.rr. células plados ossos a regíáo -"áot"t de osìo.^ c rtílagrm próxima à diáfise contiEnquantoa cartilagem e osteoblastosseòssifica. o pesodo corpoadulto.por exemplo.a fim de sustentarem Crescimento em AIfurq longitudinal ocorrena cartilaósseo O crescimento gem epifisial(tambémchamadadezonadecrescimencontià adjacente epífise . Entretanto. epifisial.Durante a puberdade. Os efeitos do hormônio masculino.tinge completo. conjuntivapor osso. Por maislartornando-se em tambémaumentam espessura."1 fptg.de proporcionaum mono da oosicãã cartilagem. e conjuntivo da ossificação. multiplicar . osossos terminam a altura do indivíduo. nos ossosplanos e longos. . os e hormôniossexuais estrogênio testosterona cauinibindo cartilagem. Crescimento ósseo a desde infrncia de O desenvolvimento uma pessoa' por atéa idadeadulta.to i.lo p"t" a formaç?o invadema cartilaosteoblástos os f.Quando ososúeoblastos. gos. tre asdelgadas implica na tipo de ossificação Esse mandoasiim o osso.permanecem. testosteÍona. tos do hormônio sexual Após que tendema sermenores os meninos' meninas com o aumentodos que estáassociada a puberdade. someÍÌte sáo petcebiòos em uma idade mais avançada'Conseqüentemente'âs mulheres oaram de crescermais cedo do que os homens.a ossificaçáo mesmos inicia' Os osteoblastos endentrodosespaços e outrosminerais cálcio secretaln forde membranas tecido-conjuntivo. migram paru se dos nos. seu seja substituídopor osso.rá.em grandeparie. espeèialmente hormônio do cresciO mento e aoshormônios sexuais. assimo crescimento aos sensível efeiepifisialé partícularmente caftilagem as feminino. substituída e ela é gradualmente gem. do No feto. desenvolvé. em direção é invadida por suavez.. feto.r"'"í. processo è*cetoa cartilagemarticulare a cartilagemepifisial.rt. hormônio do cresepifina cimento estimulao crescimento cartilagem sial. aos epifisialé sensível efeitosde certos A cartilagem ao hormônios.4 cartilagem Por à-diáfise. Esse por osso. o dos hormônios sexuais. Lmedida que o óssea à.a maioÍ parteda cartiladesenvolvimento Por que qs mulheres gerolmente sõo menores que os homens? A cartilagem epifisial geralmente é mais sensívelaos efeitos do estrogênio do que aos da testosterona. Ossificoçõo dos Ossos PIqnos os planos(como. o estrogênio.I I4 .

depois o crescimento que :. comparando o trabalho deles ao de um pe:::::o. Os acidentes do ACIDENTES óSSTOS Proieções/Processos . Sqliênciqs e Depressões irregulare aciA superfície ossoapresenta-se do a cristas.:rcesso :.:.A : r.:pinha DEFTNTçÃO se arredondada. Remodelação óssea. sulcose depresrepresentam trajetopercorrido pelosvasos sansões o sobree através ossos dos e güíneos neryosao passarem As e tambémaue articulaçóes.vasos de Uma aberturaatravés um ossoque geralmente sangüíneos ligamentos e ou Uma depressão entaÌhe passagem.Soudóvel Enfermo .ìrrura e largura.::. FIGURA 7-5 . assim a pressão um ossodo ombro.::5ta . projeções depressóes xiliam na formaçãodasarticulaçóes.por exemplo. constituindo de ósseos específicos articulação ombro.:5eça .de.ôndiÌo . com uma cavidade.: jr. pode permanecercom es". projeções As ósseas acidentes que são salientes) servemcomo pontos de fixaçãopara músculos.depositam continua-':1re ossosobre a superfïcieóssea externa. :.rna consideravelmente mais curta que a outra.io nos ossose aumentam a massaóssea. . destroem o tecido ósseo.io remodelados..e esseremodelamento ósseoé '.. Os exercíciosmantêm o Por outro . U-" criança que lesa a cartilagem epifisiai em um '". .escavandoassim o interior do osso.' da perna. dentada. e Os tendóes ligamentos. Os ossosestão continuamente .:-izado por uma ação conjunta dos osteoblastos. e AnoÌomioe Fisiologio CorpoHumqno do Como a cartilagem epifisial tem um papel decisivo a . que são célulasdestruidorasde osso. no interior da cavidade medular. destróem o :-:Jo ósseo. depressóes (os ósseos ósseos. Os osteoclastos(escultor). situadosno periósteo. . as lesões estacaÍ-:gem podem retardar severamenteo crescimento ós.:. Enquanto os osteoblastosdepositam osso noos osteoclastos.isros.ina. encontrados na superfícieóssea -:. por exemplo. | |5 ' Cnscimenlo em Espessuroe Lqrgurq ósseo i'or muitotempo..:r€nt€mas não muito pesado. ossoscontinuam a crescerem os .\ Figura 7-5 mostra a maneira como os osteoblas: . circundando a cavidademedular.-r sáo células formadoras de osso. semelhante um tubo a Um túnel ou oco Uma cavidade espaço ou -':bérculo(tuberosidade) -:ocanter Depressões/Aberluras i o rame i:ssa \ learo \€lo .idade dos osteoclastos comparadaa de um esculé ' :.rescimento ósseolongitudinal. gà.'. ten. cabeça osso A do encaixa-se dentrode uma dedo braço.:-.irüâÌÌÌ.Essa aparência deve-se numerosas acidentes e sulcos denominados projeções. os ossosde pessoas sedentárias acamadas ou :::: a perder massae se fraturam facilmente quando -:metidos a tensóes. geralmente articula com outro osso que Uma grandesaliência Uma dilataçãopróxima ou acimade um côndilo dilatadae arredondada um osso de Uma extremidade Uma pequenasuperfícieaplainada Uma aresta sobreum osso Uma projeçãoproeminentesobreum osso Uma projeçãoaguda a Uma projeçãosemeÌhante uma maçaneta encontradosomenteno fêmur Um grandetubérculo (tuberosidade) servecomo uma passagem para nervos.:irudinal cessa. O pedreiro e o escultor gradualmente criam um ''.Os osteor .Os osteoblastos (parede com tijolos) depositam tecido ósseo na superfície externa do osso.tornando-o "-pi" ". e dos osteoclastaí.::rdilo :::. Um dos fatores que estimulam o crescimento ós": r' a sustentaçãode peso.

r-" doi intensa' As vértebras colapsa.nte.it ot. A Fechada(simPles) B (comPosta) Exposta (em galhoverde) lncompleta C ( F|GuRA7..ã Jeclínio na^formaçáo os ossosse"enfratecido ósseo. Ërã" .f. .rrt.asvértebras' A Dor osteoporosesão o quadril' o punho coluna vertebral' poa' ï.r.compostaeemgalhoverde..tais como Frqturqs (Fig' 7Ocasionalmente' ocorre uma fratura-óssea- O...-"ã*o" e não se separaria completamente' õ.t.. por sua os pulmoes' funcionamêntode órgáos.f.. .111'sobreéaquela As a perfura pele' extremi- il.t.Como o tecrdo é perdido' comuns de Ìratura quecem e fraturam' Os locais mais e. !"tno a.úe" "f'àr nervospodem serpinos tet.EARTlculAR ESOUELÉÏCo 7 I ló | copíïulo / slsTEMA os vários acidenestãoresumidosna Tabela 7-1' Note desexistentesnos ossosquando elesforem tes ósseos critos individualmente' ósseqs grove? Por que o osteoPorose ê tõo comum' espeA osteoporose é uma doença óssea Eìa se carâc.. causâm um encurtamento da colunavertedas também mudanças mudança em sua curvatura' Essas ü".".q".." p". ge. õ. galho verde é uma fratura Urri" em crianças' Ela rece...'"'i*pt..ri.iaU "t"ã constante' é uma PreocuPação ósseainfr"tú" ãr.u" vez' uma fratura composta .i...ú. freqüentemente prejudicam na forma. ...""oì'p"t' ô"ìïtaï* ." o vez..i"lrn..nrrlhe"t após a menopausa' óisea e pela perda do . ..mïn"ção Porque' sevocê nova' este não se racharia .aLãentt ocorre fossetentar curúl'.io *''il..il.."t"6e- causam uma dades dos ossõsfraturados geralmente t"'o' o risco de infecção extensat..s tecidual local é iacente permaneceIntacta è o dano é uma Po.o-ot..": na-q:l.órTiposcomunsdefraturas:simples.ilã.. .

:. 7 -l). .ão.. com um arcabouçosemeÌhantea um es. :lmanhos e formas.:ìcssoa desenvolve..ìncnocrânio") (Fig. curtos. ter uma subluxação.ncaixedo ombro.. a coluna vertebral e os ossosdo tórax... Eles são classificados como .O galho respondedessa maneira por.e Soudóvel Enfermo ' do Anqtomioe Fisiologio CorpoHumono in:.iniciamosa vi' r. aéreos I tDlâ Fíbula Patela Ossos tarsais Ossos metatarsais Falanges Total do núrnero de ossos .-o pesãdo braço paralisadopuxa o úmero parafora . porém.-' t)\'€ÌÌÌ e flexível.rcãosubstitui a maior parte das cartilagens cere .rnrbranasde tecido coniuntivo. .Jo ósseo: ' .iste de ossose articulaçóes.bem como de cartila.itero. por exemplo. planose irregulares. Nguns desses ossostam'. muito semelhante ao osso de . O esqrrel€to axial abran. na --. . ele se curvaria.r-ionados naTabela 7 -2.rnça.Quando um ossosai de sua articulação. Algumas . Cíngulo do membrosuperior(4) Escápula Clavícula Partelivre do membro superior (60) umero Rídio Ulna Ossoscarpais Ossosmetacarpais Falanges Cíngulo do membro inferior (2) Ossodo quadril Partelivre do membro inferior (60) Fêmur 2 2 2 2 2 T6 10 28 2 2 2 2 2 14 10 28 206 Axiql Esqueleto CÉnio O crânio é formado por dois grupos de ossos:os. o ossohióide. ..Ìm mais longos. os ossosda orelha .r:.o€o suficientepara tornáJos fleíveis. Esqueleto Apendicular (l 2ó) ESQUEIÉilCO Do DtusÕEs slsrEtúA t) esqueletoé dividido em esqueletoaxial e esque:' . As luxações a . Nós... /-/).o esqueletocresce'e os ossos .. O espcleto apendicular inclui os ossosdas partes livres -. -:i. ..' ::r.l Vômer da Ossículos audiçáo(6) Martelo Bigorna Estribo Ossohióide Coluna vertebral(26) Vértebrascervicais Vértebrastorácicas Vértebraslombares Sacro Cóccix Caixatorácica(25) verdadeiras Costelas + falsas flutuantes Costelas Esterno rúmrno compacto (ossodenso)e esponjoso(os. .. Com o crescimento'o. Um pacientecom paralisia 'nraço pode.-ulação. do crânió.-.Os ossosdas criançasainda têm material :r... mais largos e mais espessos.)res. liqamentosencontradosno interior e ao redor ' I 17 ossos Esqueleto Axial (8O) Crânio (29) Crânio (B) Frontal Parietal Temporal Occipital Esfenóide Etmóide (14) Face Maxila Zigomático Palatino Mandíbula LacrimaÌ NasaI inferior Concha nasa.írÀmente."-. àrro. o pesode um membro pode causaruma envolvendoo ombro .' tlisso. A medida que se ..-'. .menteocorrem em resposta um trauma.r'cuìar). do crânio ("neurocrânio") e ossosda face ("es'.r.. j:'ros e tendóesgeralmentesão rompidos. 'RESUMINDO! "e esquelético ardcuO sistema ::.:::ì como os cíngulos dos membros superiorese inOs . z 2 1 1 1 ì 2 2 2 Ì 2 2 2 1 2 2 2 1 7 12 5 1 I O que é umq luxoçõo? L'ma luxação é o deslocamentode um osso de sua Ìiga-::.processo de '.-'-. Os osios apresentam-se uma variedaem " ' :. .iia.::ì1contêm espaços denominados seios. nomes dos 206 ossosdo esqueletoestão :.Ìpendicular (Fig. e talvezse quebrasse .:rì constituído de cartilageme fina membrana de ' : -onjunrivo..

A. Vistalateral. Vista anterior. Base crânio.-- I l8 * Copítulo / SISTEMA EARTICULAR ESAUELETICO 7 Suturacoronal A Osso Írontal Ossoparietal Osso esfenóide escamosa Sutura Osso nasal Osso lacrimal Ossoetmóide temporal Osso lambdóidea Sutura Osso zigomático Maxila Osso occipital Meatoacústico externo temporoArticulação mandibular Processomastóide Processoestilóide Mandíbula zigomático Processo B Osso esfenóide Osso frontal Osso occipital Osso parietal Osso parietal Forame magn0 Osso temporal Osso zigomático Processo mastóide Côndilo Osso nasal occipital Osso lacrimal Vômer Osso esfenóide Mandíbula FIGURA 7'7 * Ossos crânio. do B. C. do .

! ' J . que constitui parte da basee da :. '. o bebê apresenta certa dificuldade para marnar. forma a po?ção anterior do palato duro ("céu da boca") (Fig. 7-8).um bebê nascecom uma abertura no teto da cavidadeda boca (palato duro). .que articulam com os ossos Srocessos :emporais. porque pessoas tendem a ceÍÍaÍ a mandíbula. Processozigomático. ' )::0 etmóide. Os seios. Esta é causadapor uma falha na fusáo dos processos palatinos das maxilas e/ou dos ossos palatinos.. circunjacentes :.7-7).eas (os côndilos occipitais) que se articulam -. Felizmente. uma condiçáo chamadafenda palatina. que é a abertura da ore. que constitui um ponto de fiProcesso uçáo para alguns dos músculos do pescoço.e Anotomiqe Fisiologio CorpoHumono do Squdóvel Enfermo . osso esfenóide é um osso em forO ::e de borboleta.ì que recebea denominação de forame magno.que auxilia na formação da estrutura ós. constituindo a articulação temporomandibular. Essesprocessostambém representam pontos de fixação para os músculos da mastigação.-:-. Eles sáo chamados de seios paranasais porque circundam e se relacionam com a cavidade do nariz. localizadasem alguns ossosdo crânio.. o Ossos zigomáticos. o Maxila. seio esfenoidal e seio maxilar. 't frontal.re ralmente ao forame magno existem projeções .'n1 a primeira vértebra da coluna vertebral (Fig. São eles: \Íeato acústico exteÍno. Ela pode ser imediatamenteà frente percebidacomo uma depressão da abertura da orelha..óes verticais posteriores da mandíbula contêm se ósseos.j-i '. . Existem quatro seios(Fig.e parte :. As duas maxilas se unem oara formar o que alguns denominam maxilar superior. o Ossos ?alatinos. A disfunção daATM é freqüente"estressadas" mente atribuída ao estresse.1.rsolhos. dois ossostemPorais estão siOs .ompletamente móvel do crânio.. -:rìpâres .1t parìetais.:.rda cavidadedo nariz. Spros. dos dentes O que é umo fendq polotino? Ocasionalmente. que forma parte da maçã do :osto. Os dois ossos parietais formam a ^'. O ossoesfenói. uma fenda palatina pode ser tratada cirurgicamente. Segundo. -. freqüentemente causam dores Tensãoou estresse na articulaçãotemporomandibular (AÏM).. Os nomes dos quatro seios refletem suaslocalizaçõesdentro dos vários ossosdo crânio: seio frontal. Os dois ossos palatinos formam a parte posterior do palato duro e do assoalhoda cavidade do nariz. Esses ossosnasais. cuia -":"çrriâé par. A maxila contém os dentes suDeriorese um de seusDrolongamentos.siáo lateraldo crânio (FiS.:regular. . Na linha mediana do ossoesfenóide. o pro. e os ientes inferiores estãoinseridos nela. | |9 : O que é disfunçõo dq AïM? A articulação temporomandibular (AIM) é a articulaçãoentre a mandíbula e o ossotemporal.rlos associados língua e à laringe.Os ossos zigomáticos são os ossos das maçãs do rosto. sendo com o ranger condiçáo comumente associada essa (bruxismo) durante o sono. Primeiro. ."lmdíbula. somente a mandíbula e o vômer são os(Fig. e também formam uma parte das órbitas. . desempenhamduas funçóes importantes. tornando o ato de mamar muito difícil para um bebê. Processoestilóide. Vrírios outros ossoscompletam a ossossão os ossoslacrimais.7-7C). diminuem o peso do crânio porque são cavidadesvaziasem vez de osso sólido. cavidadespreenchidas de ar.rro palatino.Existem 14 ossosfaciais. Diversos acidentes ósseosimportantes são . Duas proje. 'sadacomo ponto de fixação para diversosmúsà :. ì. . Nele encontra-seum grande orifí-. Com essa abertura no palato. ìtiü occipital. temp7rais. nas proximidades das ore^. os estrutura facial. que é uma projeção aguçada.:. o local onde se -i-ojaa g1ândulahipófise (não mostrada). _ .:.o ossovômer e a concha nasalinferior. O osso frontal forma a fronte . .77C).--:Joslateralmente. A mandíbula é a única articulação . parte tariz e parte da estrutura circunjacentè aos . Ij!0 esfenóidc.c. apertando os dentes.-onrrados nos ossostemporais..rìs Do CnÂNIo. Falhasna fusão dos ossospalatinos causam uma fenda palatina. O osso etmóide é um osso de forma . s t)ssos DA FACE. seio etmoidal. O crânio é a estrutura óssea -' i"ria e protege o encéfalo.1rambém forma parte dãs órbitas.. mastóide.-:iorparte da regiáo mais alta da cabeça.Ele é composto por oi. amplificam e aumentaln o som davoz. . Essesossostambém formam partes da cavidade do narize das órbitas. rua repiãolateral. O osso occipital está localizado na :-ise do crânio.há :n-ra depressáochamada sela turca. o Outros ossosfaciais. A porção ante:ior da mandíbula forma o mento (queixo).

..ttio dos seios.sermais sentidos.denoi^íg^"t^ p"t" d.. ele se tornará saliente em respostaao aumento da pressáointracraniana. Copto os ôssos Do CRÂNIo MaNrÊv-sp. Os ossosdo crânio adulto formam um tipo exclusivo de articulação denominado sutura (Fig' 7-7)' A sutura une os ossosdo crânio de maneira muito semelhante aumzíper. ".o volume sangüíneo é diminuído e' em resafunos posta à desidratação. Até que a fontículosváo .' esses em ossoe' nessaidade. são sentidascomo um entupimenãriã"d"t sinusites.À medida que o mue a membrana incha. O CnÂNro lNreNrlr. elasapresentam-serecober- . por suâ vez' forma um excelentemeio oata o desenvolvimento bacteriano.rn se tornar afundados' Se uma criança fica desidratada.rl" to sáo freqüentemente sentidos na região facial adjacente aos seios(ão redor dos olhos e do nariz). fontículos e as suturas O crânio infantil apresenta áreasque ainda náo se ossificaram. infecções podem se disseminar do nariz e da Tais infecçóes.etmoidal.EARTICULAR ESAUELÉTICO Z/ I2O r COPíiUIO SISTEMA Seio Írontal Por que os olergios. Como o fontículo consistede tecido mole.t-.éb. contínuo do encéfalo e do crânio após o nascimento' e oor toda a inância.Assim.. elas sáo chamadas de "moleiras"' -oi. Seio maxilar e maxilar esfenoidal' frontal. As duas principais diferenadulto são os ças entre o crânio infantil e o crânio abertas. do Iatim rorona).forma de-losango' e um fontículo posterior. o ritmo do pulso do bebê pode ser sentiáreas.. FIGURA 7'8 r Seios: Como os seios relacionam-se com as vias nasaise a sarganta. to e dor nas regióes faciais adjacentes. pressãoe desconfor.o .. pequeno e triangular (Fig.Inversamente. Como essas toque. e. os fontículos podem indicar aumento otr diminuição da pressãointracraniana.7-9).. fontículos apresentam-se ãados. ' OsTontículos são um motivo pelo qual os ossosdo crânio infantil são móveis em relação aos do crânio adulto. Ètt"t suturas abertaspermitem que o crânio seja comprimido durante o nascie também possibilitam o crescimento -. impedindo o crescimento do encéfalo. UNroos. Em vez disso.. Conseqüentemente'o exame dos fontículos pode proporcionar informaçõesvaliosas quanto ao grau de edèmj cerebral. olgumos Yezes' fozem suq foce doer? As alergiasfreqüentemente fazem com que âs membranas que revestem os seios da face secretemmuco em O excesso. Ocasionalmente' as suturas do crânio infantil fundem-se muito cedo. "o Além disso.ulos pod.o encéfalo pode inchar.i"nca atiÂiaãois anosde ìdad.que .tte iá não pode. cujo signìficado é "fonte pequena'' Os dois fonïiculos principais são um grande fontículo anterior. As suturas de maior interesse são a sutura coronàl (que significa coroa.. asutura lambdOideã e a sutura escamosa'Ao contrário dos outros ossosdo corpo. Essacondição é ãenominada microcefalia e se caractetizaPor um crânio pequeno e por uma ativida- O que um fonticulo qfundcldo ou solienle represento? Se uma criança sofre um gravetrauma na cabeça. se transformando er"dà-. Outro motivo é que as suturasdos crânios infantis náo são fundidas. muco. nenhum movimento significativo ocorre entre os ossosdo crânio' áreassão tas Dor uma membrana fibrosa.rtã.a denominação de fondo nessas úculos.os font?.

estãolocalizadasna região do pes-rrÇoias doze vértebrastorácicas(TI a T)CI) estãoloca. localizado pescoço. por exemplo. nrros são forçados lateralmente e o crânio se dilaia.rociado à deglutiçáo..r condição é chamada hidrocefalia (ou o que os .:r intelectual deficiente.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Squdóvel Enfermo . e as cinco vértebraslombares (LI a L$ no TIX TX TXI Curvatura lombar Curvatura sacral .nde-se muito. Se. o irro e o cóccix. U. A coluna vertebral desempenhaquatro fun-. Osso Fontículo posterior occipital .já : rc estase estendedesdeo encéfalo até a reaáo lombar --rroporciona flexibilidade para o corpo.n'ical. As setevértebrascervicais(CI a no \lI). fixa a línguae está no Ele . estende-se do -:inio até a pelve (Fig. Situando-se entre uma vértebrae outra existe .-:n disco cartilagíneo que atua como um amortecedor .critos mais adiante.. . torácica. doze vértebras torácicas.:rebral.:. Cada orelha conrém :r'\ pequenosossos:os minúsculos ossosda orelha :-:e sáodenominados ossículosda audicão (elesserão ::. 7-10). cinco vérte-braslombares. Óssos DA ORELHAMÉon. por exemplo. formada por setevértebras tf GURA 7'lO . lombar e sacral. As vértebras estão sobreem forma de uma coluna. ossoschamados vértebras. e Osso frontal l2l Fontículo anterior Ossofrontal Osso parietal FIGURA 7-9 e Fontículos crânio do rr rma criança.io o anteriore o oosterior. A coluna vertebral apresenta quatro cu.:zadas tórax. O hióide é o único osso do Ì:po eue não se articula com um ourro osso.' cvl TI TII Till TIV TV TVI TVII TVIII Curvatura torácica Colunq Vertebrql -\ colunavertebral.)sras . Coluna vertebral. Outras vezes.o crânio ex'.:.rgos chamam de "água na cabeça"). daí o termo coluna :'.rvaturas: -. um excesso líde :::ido acumula-sedentro do encéfalode uma criança. ou espinha dorsal. l. As vértebrassão denominadas de acordo com iuas 'caìizações corpo. O ossohióide é um ossoem forma :. aloja e protege a medula espinal.:r'icais.'cs importantes: constitui um suporte estrutural para a --rbeça o tórax.:c choque.no Capítulo 11).Os dois maioresfontícu. forma uma conexáo com o cíngulo do e ::rcmbro inferior. Ela consistede uma série . . 's. Cóccix(osso da cauda) . Vértebras cervicais Osso HróroE.

*àt. abdãminaise também pode diminuir a expanórgáos portanto. em fusionam-se urn cóccix.pode-se livres' formadá por 26orros.As curvaturas isto securvamposteriormente. é. vma parte da colunaverteàsoutrasparaestabilizar é procedimento uma fusãoespiúal' bral.. ArLAS (CI) e Axrs EsPECIAIS: VÉnrEBRAs Duas têm cervicais vértebras (CII).a cabeça para o assim. Esse .rrirrtt. d...o-ã lâminâ semelhante uma barprocedimentocirúrgico chamadolaminectora e um p"t" i. .I22 EARTICUIAR . a um ano de idade.As maioresvértebrãs.B. projeçoes o Lr"'".A curvaturacervicaldesenvolve-se quatro mesesapós o nascimento. anormal que envolve.As paraa medula bral é a "bertlt"dámodo que' sevocêdeslizar mão sua estáoalinhadas espicoluna.quandoa criançacomeça andar' anormais curvaturas A Fisura7-11 iiustradiversas é da coluía vertebral.i". Lordose(dorsocurvo). elas curvaturas ge d^a anterior do corpo.tr" A Escoliose B Cifose c Lordose t Curvaturas da anormais FIGURA 7'll coluna vertebral.Escoliose uma curvaturalateral torácias. tt*" a quatro pequenas Normalment.C. chamada po.rr*"'rrrr" cerviàal.vócêsentiráos processos ao longo de sua motivo. damentetrês a elecabeças quandoos bebês io-.A vértebra é estruturasdium ossoirregular.Cifoseé uma.o ossoda cauda' coccígeas afirmar que a colunade. eiou articulaçáo vértebras espinal. isto é. podemsedesenvolver ou a uma doença à má Postura' em resposta Ca^necrsRÍsrlcAsDASVÉnrpsRAs.geralmente.otu. Cifose ("corcunda"). COPíTUIO ESOUELÉTICO 7 / SISTEMA de chamada corcunda'Lordoseé uma curvaturaloma recebe denominavezes.ir"r àracterísticas atlas. a colunavertebralé também Por esse .s músculos verteO f-orame com outros ossos. sendo acentuada.r* defeitogenético... cervicurvaturas têm grandeimportância'.não tem corra vértebracervical(CI).-orrer um discolesado' mia podl serrealizado são vértebras fundidasumas diversãs Ocasionalmente. ' A curvaturada colunavertebralfetal é diferente' Suaúnica curvaturaé côncavae securva posteriormente.rhoroí.algumas bar acentuada podemdecoranormalidades cáodedorsocurvo. Essas superfície sobreo corpo proPorcionando. a respirasaãda caixatorácicaprejudicando. Note como as vértebrastorpela coluna nam-semaiorei.. mas tem depressóes dentro dasquaisseencaixam occipitaldo crânio'A vértedo ósseai osso. na estãolocalizadas regiãodorsal mais inferior' Além úcrais fundem-seem um único disso.errão24 vértebras Cunvirunns. sustenta crânio. à medida que se desce inferiormensituadas vertebral. e permite que vocêincline com como quando sediz "sim" acenândo suacabeça.a maniet suas em A curvaturalom-bardesenvolve-se torno de .atorácica. equilíbrionecessário andarem uma posicáoereta. vértebras comPrlmrr curvaturalateralPode essa cas. Quandovistade lado. sustentam a A vértebrat. uma carga te. que. para longe da superfícieanterior do aproxrmacorpo. de modo que elas curvaln anteriordo corà superfície em anteriormente direção de são sacral côncavas. . Escoliose. chamadade espinha. lombar e a sacral.um adulto é Assirã. maispesada... A primeirae a segunda (Fig' 7 -12)' A primeieõpeciais ài'. motorâcicae po. Ë.As direções se cal e lombar Jão. A.Eisas ou .rrtrdirã.O corpo da vértebraé protegido da o e por um àisãocartilagíneo sustenta Peso vérteproporcioLra situadaacimadãle. rctácica çáo.o sacro'que forma a parede vértebras d.que contém diversas ferentes(piel l -tZ)-.r'"d"r..a colunavertequatro curvaturas normais(Fig' 7-10): a bral apresenta cujas a .Vários Processos e nam locais de fixaçãopara ligãmento. paralonào qr.Sefor grave.ç".cinco vértebras posteriorda pelve' osso.

Ela tem um Papel importante na respiração e ajuda a sustentar os os- . o dente do áxis. o coraçãoe grandesvasossangüíneos(Fig. um disco sai do lugar e pressiona um nervo adjacente. A segunda vértebra cervical (CII). Anatomia de uma vértebra:o atlas(CI).impedindo qualquer atrito entre as vértebras e amortecendo o choque associadoaos atos de correr. Eles criam um espaçopara os nervos espinais e também atuam como amortecedores.em forma de cone. que carÍegavao mundo sobreseusombros. saltar e andar. o rixis(CID e uma vértebratorâcica. que circunda e protege os pulmões. O áxis permite que sua cabeçarotacione de um lado para o outro quando você diz"náo". rem uma projeção. Cqixo Torôcico A caixa torácica é uma caixa óssea.Ela recebeu essadenominaçáo a partir da fiqura mitológica grega. chamada áxis. eles sáo denominados discos intervertebrais.Atlas. Uma camadade cartilasem chamada disco separauma vértebra da outra' Coilo os discos estáo loóalizadosentre as vértebras.Essapressãocausauma dor intensa e pode exigir a remoção cirírgScado disco saliente. Ocasionalmente.e Soudôvel Enfermo t do Anotomioe Fisiologio CorpoHumqno | 23 Atlas(Cl) Forame vertebral Forame vertebral torácica Vértebra FIGURA 7-12 . 7'13). Drscõs lNtpRlnRtnsnArs. a cabeça. que se encaixa dentro do atlas. e atua como um pivô ou um eixo para o atlas.

tipo e saúdegeral das célulassangüíneas.ou retirada desselocal. € uma é amostra de medula óssea aspirada. Elas são chamadas costelas verdadeiras. nas vértebrastorácicas. é um osso em forma de punhal. sos do ombro.Anteriormente. pelascostelas pelasvértebrastorácicas' EstpnNo. O processoxifoide é a pont.ide. e falsas costelas flutuantès. Ele serve como um ponto de refecardiopulmonar). ou osso do peito. posteriormente. Estas sáo denominadas costelas falsas. O esterno. o-corpo e a sua ponta. uma agulha é inserida dentro do esterno. Doze pares de costelasfixam-se. localizado anteriormente. esternoé compostopelo manúbrio. do esteÀo. o processo xift. Os dois pares inferiores de costelas falsas . As podem serverdadeiras. Os próximos cinco pares fixam-se indiretamente ao esterno ou não se fixam de modo algum. As três partes desseosso são o manúbrio. esseossoé um locaÌ comum PaÍa a rcaIização de biópsia de medula óssea. rência para a RCP (ressuscitaçáo Cosrpras.Nesseprocedimento. pelo corpo e pelo processoxifóide. as extremidades de sete pares de costelasfixam-se diretamente ao esterno através das cartilagens costais. A análiseda amosproporciona informaçõessobre nútra de medula óssea m€ro. e analisadasob um microscópio.EARTICUIAR ESQUELETICO Z/ 124 t Copítulo SISTEMA Costelas verdadeiras Esterno Costelas falsas O FIGURA 7'13 t Caixatorácica. A caixa torácica é constituída pelo ese terno. no tórax. flutuantes O que ê umo punçõo esternol? Como o esterno é um local de produçáo de células por vermelhas. e como também é acessível sangüíneas meio de punção.

Em razáo de sua localização são náo se fixarem ao esterno' as costelasflutuantes facilmente fraturadas.". Pronaçao.lo.ro."i"t. inLocalizados entre as costelasestão os músculos dessesmúsculos auxilia na tercostais.. Por isso' chamadas e por telas flutuantes.você sentirá sua caixa torácica r*pit"ça. O esqueleto e e superiores lnferlores' membros dos doscíneülos livresdos membros-superlores p.e Soudóvel Enfermo t do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono 125 Cíngulo do membro. P"rição'do rádio e da ullnadurante l. g..olà. movimentar-se para clma e para rora' Esqueletr Apendicuhr pelosossos apendicularé composto.tta"çáo da caixatorâcica durante a respiraçáo' fizer uma S. . vista posterior Cotovelo Antebraço Ossos carpais Osso metacarPais Falanges cosnão se fixam ao esterno e são.7-l)' xas. sua máo sobre seu peito e profunda. -ã.superior' FIGURA 7'14 t Ossosdo membro superior'. oisosdaspartes e mãos)e membrosinferiores(coiU.õ"ïàUr"ç. e pernas Pé$(Fig. A Clavícula Cavidade glenoidal do Cíngulo membro superior Fossado olécrano Olécrano (da ulna) W Cotovelo.oto*lo . ""r.4' e a supinação a .ê .. . A contraçáo -orri-.brJço.

--S"1" do membrosuperioré tambémcha_ p"lT" voltada para baixo (pronação). A ulna é o ourro osio do antebraço.e sua mgge-m superior. euando a palma da mão está voltada para cima. auxiliando na estabilização do ombro..isquiáticas proporciona. per_ mitindo a rotação do braçõ na articulaçáo dï o-tro. como referido anteriormen_ te. qúando a palma da mão voltase para baixo. porranro. serve como um local de fixação para os músculos. Se as espiàhasisquiáticas dos dois ossosísquioi d. Os i4 ossosdos dedos são chamados falanges. Cada osso do quadlil é constituído por trêi partes: o ílio.rlr"-. Ela se parece com um longo bastão.oclavícula." rotação. Copítu|o7/S|STEMAESeUELEIICO EARTTCULAR €íngulo do Membro Superior 9 . no ombro. o-Ëro e seu braço em círculos e nore quanros movimentos diferentes você pode fazer. ent. a crista ilíaca. 7-15C e D). e^reduz a abertura inferior da pelve.e f. informações vaÌiosasquanto àadequaçãó da pelve na gravi_ dez. Osso oo Qunonrl. que. a pelve feminina é maior e mais ãs" do qu. quando o corovelo é esìendido. o ílio produz célulassangüíneas. é um local e com_urnparaarealizaçãode biópsiide medula óssea. os dois ossosestão paralelos. se encaixa na cavidade glenoidal da escápula.rio. como a bexiga urinária e os órgãos genitais. é irnport"rrt.126 . A escápula é também chamada de osso da paleta ou da asa. O úmero é o õsso longo-do braço. Ele estálocalizado lateralmente (no "lado do polegari').ch"mados ossos carpais. Cinco ossos metacarpais for_ mam a palma e o dorso da mão. A clavícula é às vezeschamada de osso do colarinho.onregue fazer no cotovelo e no ioelho. ou bacia (Fig. O flio constitui a maior paìte do ossodo qua_ dril. Forma a parre superior e alargadadesseosso. O cíngulo _domgmbro superior é projetado para uma grande flexibilidade. O osso do quadril é também chamado de osso coxal (Fig. A tuberosidade do rádio. excero o polegar. permitindo.A hssa do olécrano éuma depressãodo úmero qué contém o olécrano da ulna. Ele possui uma cabeça.espiúa isquiática e aìncisura isquiática maior. A cavidade glenoidal da eicápula é o local onde a cabeçado úmero (osso do braço) se encaixa. é o local de fixação para o músculo responsável pela flexão do antebraço nõ cotovelo.-_ bro inferior e prorege os óqgãoslocalizados na cavidade pélvica. quando a palma da mão estávoltada A cabeçado rádio articula-se tanto com"rrt"rior'rnerrte.mais o sacro e o cóccix. O olécrano da ulna é o que rro. para concluir essemovimento. permitindo "rri. No. conrém ossos os . As diferençasenrre a pelve feminina e a pelve masculina estão relacionadas papel feminino ãa gravidez. os dois oìsos se . I p". a fixação da clavícula é frág1l e esseosso é facilmente deslocado ou fraturado. metacarpais e falanges). esrão muito próximas uma da outra. ou ossosdos dedos. A incisura isquiática maiór é o lócal ond. pela palma e dorso e pelos dedos.r. formando a articula$o sairoilíaca. gue estão firmemente unidos através de.è . Cr-qúcuLA. do antebraço (ulna e rádio) e da máo (ossoscarpais. quando a .". o úmero quanro com a ulna. por alojar a cabeçado Íèmur. qu. Entreranto. serve como um local de fixaçáo para aparte livre do -. e iervem como pontos de fixação para"a parte livre do membro superior e para os músóulos do tórax. a pelvemasculina(Fig. constiruem p9lve. í. A mão é composta pelo carpo.Dois grandes processosda escípula permitem que ela se ariicule . A pelve de_ I sempenhatrês funções: sustentaó peso do corpo. pode ser facilmente palpada sob a pele. .r. a ' rotaçío da coxa na ardculaçãodo quadril. no lado do dedo mínimo.7-14). isto é. livredo membro I I - . R{oIo. O rádio é um dos dois ossosdo antebraco. a ulna está localizada-medialmente. Oìarpo-contérnoità orsãs.Note mão se movimenra de uma posição com a pjma vol_ tada para cima (supinação)-pari tr-" por4ão com a Porte Livre do Membro Superior superior. UveRo. Ele contém trêJestruturas importantes: o rúber isquiátic? a.r. O ísquio é a partemais inferior do osso do quadril.ãh" amão. O ílio articulã-seposteriormenre com o sacro. kqyh. Enrreranro. . 7-15È). cabeças falangeúão noAs das tadas como os "nós" dos dedos. DrEEnrNças ENrnE o HoMEM E a Ã4urnpn.e si para foìmar uma depressão.A espinha isquiática projeta-separa dentro da cavidade pé[ui.aparte livre do membrJ rrlp. com o rádio e com os ossosdo punho (ossos carpais).O dois ossosdo quadril. te que cada dedo tem trêsìssos. existemdiversosprocessos que lhe permitem articu_ Iar-secom os ossosdo antebraço. sendo que iada um enconrra-sealinhado com um dedo. porranto.o-o a ponta óssea corovelo. estes. Na outra extremidade do úmero (extremidade distal). O túber isquiático é a parte do orsò do quadril sobre a qual vocè se senra. Ilio. Eso{pur-q. Ela tem pro_ cessos depressóes e que lhe permitem articular-se com o úmero. a abertura inferior da pelve torna-s_e muito pequena para permitir o nascirnento de um bebê. Compare-os com os movi_ mentos limitados que você .7-l5A). e articula-se tanto com o esterno como com a escápula. o ísquio e o púbis. Àclavícula é o osso mais freqüerrtemente fraturado no corpo. na sua extremi_ dade proximal. . Caãa ombro contém dois' ossos:uma clavícula e uma escápula (Fíg. mado de cíngulo peitoral. Mais longa do que o rádio. Como o esterno.t. MÁo. UrNa. quando. da parte livre dõ membro superior. Gingulo do Membro Inferior cíngulo do membro inferior é composto pelos . do braço (úmero). Em ao geral.ligamentos.. O ombro sustenra."varos sangüíneos_e nervo isquiático (ciático) passam da o cavidade pélvica para a rigiáo posrerior da coxa. que tem somenre dois ossos. Os três ossosunem-i. do a relação enrre o rádio e a ulna. Movimeni. uma -uih.chamada acetábulo. A dimensão da distância enrre as duas es_ pinhas.

1'Túber isquiático Forame obturado " Abertura da superior pelvemenor (verdadeira) pélvica. C' Pelvefemi FfGURA T-lS c Cavidadepélvica.A.". Pelvemasculina. ísquio e púbis).B. vista lateral direita C .u" feminina Cristailíaca Pelvemaior lncisura /. Ossosque delimitam a cavidade D.e Soudóvel Enfermot do e Anotomio Fisiologio CorpoHumono 127 Pelve Ossodo quadril Osso do quadril. nina. Ossodo quadril (ílio. isquiática malor Espinha Acetábulo Estreito supenor (da pelve verdadeira) Abertura inferior Abertura da superior pelvemenor (verdadeira) Pelvemaior (falsa) Pelve masculina . .

O que se entende por pelve maior e pelve menor? Enquanto a pelve maior (pelve falsa) é a ârea circundada pelas partes alargadas consriruintes dos dois ílios. na região do trocanter maior. [Jma pessoaimobilizada. Em pessoasidosas. Nessescasos. que fica acamada. as dimensões dessasaberturas são importantes. originando uma fratura de quadril. Ossos do membro inferior (coxa. ''L ts [Trocanter maror Ossodo quadril Cabeça Pqrte Livre do Membro Inferior A parte livre do membro inferior é constituída pelos ossosda coxa (Íêmur).7-16). este disco se distende em respostaaos hormônios da gravidez. FÊttun. porque elas devem ser suficientemenre grandes para permitir a passagemde um bebê durante o parto. O fêmur.a imobilização pode causarsériascomplicações. Apelve menor. Os dois ossospúbis unem-se entre si. A cabeçado ftmur articula-se com o acetábulo do ossodo quadril. que proporcionam locais de fxação para muitos músculos. um colo. ampliando assim a cavidade pélvica. os mais importantes são o trocanter maior e o trocanter menor. arravésda sínfise púbica. do capuzdo joelho (patela). para proporcionar um espaço maior para o desenvolvimento do feto. O maléolo lateraÌ pertence à Íïbula. ter uma rotaçáo lateral do quadril. por exemplo. Um grande orifício. Para prevenir a rotação lateral do quadril. é também chamada pelve verdadeira. o osso da coxa. a reabilitação. Tuberosidade da tíbia Maléolo lateral Maléolo medial Ossos tarsais Ossos metatarsais . um anel formado pela fusão dos ossospélvicos. os trocanreres e menor e os côndilos (lateral e medial).metatarsaise falanges)(Fig. deve-secolocar um rolete sob o quadril. anreriormente. é formado à medida que o ossopúbis funde-se com uma parte do ísquio. e permite a rotação da coxa sobre a articulação do quadril. é o osso mais longo e mais resistente do corpo. O Íêmur apresentanumerosos processos ósseos. e um disco de fibrocartilagem situa-seentre ambos os ossos. assim. e com os ossosda perna para formar a articulação do joelho. chamado forame obturado. vasossangüíneose nervos passamda cavidade pélvica para a regiáoanterior da coxa. Falanges . O forame obturado é o maior do corpo e. atravésdele. Ela possui uma aberrura superior e uma abertura inferior. o colo do ftmur freqüentemente se fratura. devido ao peso da perna. A tíbia (osso da "canela") epresenta uma tuberosidade e o maléolo medial. da perna (tíbia e fïbula) e do pé (ossostarsais. perna e F|GURA 7-16 ^maior pé).7-l5C). O Íèmur possui uma cabeça. Na mulher.Na mulher.I28 C Copítu|oZ/SISTEMA ESoUELÉÏco EARÏICULAR Púbh. é contínua com o colo do ftmur. Se for permitido que essa rotação progrida. e é muito menor (Fig. Ele se articula com o osso do quadril para formar a articulaçáo do quadril. pode. o andar poderá se tornar muito diftcil retardando. a pelve menor situa-se abaixo da primeira. O púbis é a parte mais anterior do osso do quadril.

e o tálus.ou ossodo calcanhar. Derna.nvolver um esporão no calUma pessoa na canhar. Cada pé (Fig. Na extremidade mada maléolo medial articula-se com a face medial dos ossostarsais. e tendóesse enfraquecem'os arcosdo pé potem pé casos. Tíbia Fíbula medial Maléolo Maléololateral Tálus 3alcâneo Ossos tarsais Ossos metatarsais Falanges FIGURA 7-17. e estásituada lateralmenteà tíbia. ---. é o local onde sefixam chada tíbia. uma projeçáo distal xa.chamada Ürn" p.e Soudóvel Enfermo " do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono 129 A Parp. da do io.to maléolo lateral' por uma^regiáo PÉ. o único osso comoletamente móvel do tarso.metatarsais os tendóese liOs metatarsais. situadaanterior-Ënr. .diz-se que a Pessoa dãm "cair" e. um dótto (e planta) e cinco dedos' Os sete ossostarsais constituem ô tornozelo' Estesincluem o calcâneo. nesses 14 falanges' chato.o fêmur na articulação ioelho'Ela é o osso do corp9' do pela responsável sustentação peso Derna tuberosidade anterior.ArcossuPoftamaestruturadopé'sapatos inadequados: formaçáo de joanetes' .pé:ossostarsais(incluindoocalcâneoeotálus).o. ossós formam os arcosdo pe Se os gamentosa elesassociados ii*"rn. que se articula com a face lateral dos ossostarsais.nte e airedondada pé. proe-in. é formada pelasextremidadesdistais dos ossos e tarsais.flere da A E FÍBULA.ossosmetatafsaisefalanges. O peso do corpo é sustentadoprincie palmentepelo calcâneo pelo t:ílus' O dorso e a planta peloscinco ossosmetataÍsais'A parão oé sãofotm"do. enquanto a extremidade distal constitui o maléolo lateral.oìuberância da os ligamentos cod" tíbì^.n. 7-I7) está.ra. O tálus articula-secom a tíbia e a fíbula. Os dedosdo pé contêm poãe des.formado do tornozelo. do t. tíbia e a fíbulasãoos ossos que se articula A tíbia é o ossoda "canela". A extremidadeproximal da fíbula articula-secom a tíbia. patela(ou rótula) é o capuzdo joelho' sono Ela selocaliza interior de um tendãoque passa breo ioelho. A fíbula é o osso mais delgado da perna. que é um crescimentoósseoexcesstvo face Este esporãocausauma inflamainferioi do calcâneo.Os esquiadoresfreoüentemente torcem seustornozelos e traturam a tlbula..

. lmóveis Arriculoções As articulaçóes imóveis são chamadas sinartro' articulaçóes ses.... a graot'ra'oaorra. '. o. . joelho dedos Atlas e áxisl Permite a roração (movimento de um lado Para o outro) da cabeça..r.. .rÀ.. e semimóveii móveis il.constituída a artlcude'tecido conjuntivo fibroso' EIa envolve semelhante lação como uma cobertura resistente' a um mangulto.. dois tipos sáo móveis' e ã"t . . iogo em.três ".. do elasproporcionam mais flexibilidade e mobilidade A de articulação' maior parte ..orri...riâl.ESUIì."ftçóes do ri.o tos de salto alto inadequados' Estesfazem e forçado contra o segundo ü." uma lesáonaãrticulaçáo' iormidade (Fig'7-17)....i"-oíd. Ãt articúaçóesdesempenham flexibilidade e propôrcionam . ser tì*iaãr fu ariiculaçoes'podem classiÍìcadas com o graude To}lldld:' artlcueúpot. As suturas Presentesno crânio são as margens irimóveis.''tos da colúna vertebral . Imaginemcomo seriãsemgraça inteirofosse se dï basquere o esqueletõ .tornando o vez' uma condição que multas muàolorido.ol. articulàr.A cápsula articular é.T30 ..em resposta ao abuso contínuo com que. Cà... "nós dos dedos" Articulaçáo selar Articulação Plana Articulação eliPsóidea I . de acordo (Tabela 7-3).t*" esquelético móveis sâo articulações sino.. encontra-se a membrana sinóvia no interior da cavidade ."Ã. As suturas se formam quando e sáo uni.tttidot por um disco cartilagíneo' .. .rrro..posição do ã.. amplie. 7-18) Uma articulaçáo as apresenta segulntesestruturas: o Cartilagem articular..ti.'.r'ido' Semasarticulações' nos rígido. que secretaa articuÌar..*R.. á."i.. lheres conhecem muito bem são os de sapaã. Por sua que se joanetes'.leto maneirarígida' como sefosse.il iFi.t ossosdo crânio se encaixam' d"ï pot tecido conjuntivo fibroso' TIPO Sinartrose Anfiartrose Diartrose GRAU DEíì'TOBILIDADE Imóveis Semimóveis Móveis DESCRIçÃo Sutura / "ZíPer" Disco de cartilagem entre dois ossos Articulaçáo esferóidea Gínglimo Articulação trocóidea EXEMPLOS Ossos do crânio Discos intervertebrais. sinovial típica ." artr."rro.diminuindo asstm to em seu interior. O esqueleto está dividido em axial e apendicular' Os 206 ossosdo esqueesqueletos naTãbela7-2 e naFigura7-l' L. o Membranã sinouial' Revestindo internamente a sino.nos discos intervertebrais' Durante púbica também permite que a pelve se ..A sinóvia ou líquido sinovial lubrifica os o atrrde ossos uma articulação.o Passar.rrrrol'0. . indicando "náo" Polegar (articulaçáo carpometacarpal) Articulações carPais Osso temporal e mandíbula... Arriculoções Móveis As articulaçóesmóveis sáo chamadasdiartroses.il nós ".aï ãJ pe.-"ì"t.fise . quadril (osso Pélvico e ftmur) (fêmur e tíbia). ARTICULAçoEs seenUma articulação é o local onde dois ossos duasfunçóes: .ilil.rm doïdois ossosé revestida pelacartilagem assimuma superfíctelrsano rntecular' formando 'òíotìto rior da articulaçáo. A superfície articular dt :i1.. Cotovelo (úmero e ulna).aft"U articular.í.IINDO! Articuloções Semirnóveis anfiarAs articulaçóes semimóveis são chamadas são geralm ente rcaliza' limitados t"otãtl út"i-entos obserãr*. ioo"i-.t ". E ESQUELÉÏCO ARTICUIAR 7/ COPítUIO SISTEMA andar muito cáo dos tecidos subiacentes. assistir-átì"Uãt.tL "o"r.Ë.tq". ".. tempo' taìs"ndo dor e deoiorro.t a.r.Ëil... ilnduia...-"primidã essa.ã.is..tl"çó. sínfise Púbica Ombro (escáPula e úmero).

porém os dpos de movimento diferem. aumenra .inovial. Essemovimenro é muito diferente do movimento giratório do braço. a ::riculação do joelho é reforçada por ligamenros.de-tenistaé :rma bursite causadapelo uso excessivo inadee . sãomóveis. onde o ângulo. O tipo de movimenro e o grau de flexibilidade variam de um tipo de articulação para outro.Esses blocos amortecem o choque do andar . 7 -I9 . 7-18). o antebraço irá ou para cima ou para baixo. Dois blocos de cartilagem em forma de ::cia-lua. IJm artroscópio é um pequeno telescópio que pèrmite ao cirurgião examinar o interior da articulação do joelho. da d'o Lìgamentos.*n sobre a tíbia.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo .::oviaÌ (Fig.Uma èarti- Ginglimo O gínglimo permite um movimento semelhante àquele de duas tábuas unidas enrre si por uma dobradiça. O ligamento crvzado é outra esrrutura que freqüentemente requer tratamento cirúrgico. o menisco medial e o menlsco lateral.O uso excessivo uma articulação pode de rausar uma inflamação bastanredolorida da boka . e I3| Fêmur Patela Cavidade articular (preenchida com sinóvia) Membrana sinovial Menisco lateral Tíbia ÍIGURA 7-18 t Articulaçáo sinovial (joe:irrutura e constituição. Ambas as arriculações. causandodor e pérda de mobilidade. no nível da dobradiça. Além de todas as esrrururas conri. Como ourras arriculaçóessinoviãis.rrr eÌÌì uma arriculaçãosinovial. A dobradiça permite movimento em uma direção. que unem os ossosentre si e esrabilizam a articulação. Algumas vezesum ligamenro é estiradoou rompido. sob a forma-deblocosde . a arriculação esferóideae a arrisão culaçãotrocóidea. t t 3olsas sinouiais. Próximo ou no interior da articulação eristem ligamentos. Tr€s dessas articuÌaç_óes o gínglimo. na articulaçãodo ombro. em :'. O menisco medial e o menisco lateral são freqüenJmente lesadosou rompidos por aderas.1uado arriculação cotouelo. Movimentos dqs Articuloções Sinoviois Há muitos tipos de articulaçóessinoviais móveis. Essas estruturaspeimitem o desliza:r'Ìenro dos tendõesdurante a movimentação dos ossos. como duas tábuas unidas por uma dobradiça.nrem amortecedores exrras. O cotovelo.inicular pelos ligamento cruiados. Joelho: Umq Articuloçõo Sinoviql Larticulaçáo do joelho é um exemplo de articulaçáo . a articulação do ioelho . repou. Se você movimentar o cotovelo.do corovelo e do ombro.Muitas articulaÇóes sinoviais con:em bolsassinoviais. Tâbela 7 -3). lagem rompida (geralmente o menisco medial) pode ser removida por uma cirurgia artroscópica. Jo saltar. interïamente. por exemplo. situados entre a articulação e os tendóes que a cruzam. chamada bursite. que sãopequenossacosde sirór'ia. Seistipos de articulaçõesmóveis são classificadas de acordo co_mo tipo de movimento permitido pela articulação (Fíg.-:rrilagem.

trocol(lea.EARTICUIAR ESOUELETICO 7 132 t Copítulo / SISTEMA A rticulação esferóidea @ Articulação do ombro móveis(diartroFIGURA 7'19 o Articulaçóes e elipsóidea gínglimo. do Articulação cotovelo Articulação intercarpal Articulação carpometacarpal L*W* plana Articulação >@ Articulação selar Articulação metacarpofalângica @ Articulação elipsóidea . ses):.esferóidea.selar. plana.

à medida que o . de modo que ela sevolta parao pé do lado oposto. endireitar a perna no joelho e esticar os dedos para abrir a mão). As articulaçóesdo ombro e do quadril Enquanto a cabeçado ião articulaçóesesferóideas. o DorsiÍlexã. indicando que "não". IJm exemplo é o movimento da cabeçade um lado para o ouiro. Com o passardo tempo. Esses gura7-20. São exemplosde gínglimos as articulaçóes do cotovelo e as articulações interfalângicas. a cabeçado ftmur se encaixa no acetábulo do ossodo quadril. Moarticulaçóespara esclarecer vimente cada uma dessas o movimento aqui descrito.a ponto de precisar ser substituída.o: é o movimento para longe do plano mediano do corpo (por exemplo. na articulaçáo de mesmo nome.Com essadoença. o Euersão:é a rotaçáo lateral da planta do pé. as articulaçóesesferóideae trocóidea. dobrar a perna no joelho ou dobrar os dedos).formando pequenoscristais cristais lesam a articulação. Esses e podem também prejudicar o rim.ao redor de um porrto central. ou se dança na ponta dos dedos do pé.inclusive as do quadril. Movimente seu ombro em círculos (como no lançamento de uma bola de beisebol) e note a liberdade de movimento.llNDO! Arficuloçõo Esferóideo Uma articulação esferóidea é formada quando uma extremidade em forma de esferade um osso se encaixa dentro de uma concavidade em forma de taça de outro osso. c Inaersão: é a rotação medial da planta do pé.o: é o movimento no qual o pé é inclinado para cima. Os três tipos de são: as articulaçóesimóveis (siarticulaçóesexistentes nartroses). se encaixa na cavidade glenóidea da escápula úmero na articulação do ombro. Devido aos diversos tipos de articulaçóes. | 33 corpo se esforçapara excretaro ácido úrico na urina. o corpo produz. por exemplo. em excesso. joelho. c Pronação: é a rotação da mão. Quando uma força extrema é aplicada ao ombro. é a extensão excessiva uma artiem culação. Dores Articulqres Diversos problemas de saúdeafetam as articulaçóes. Compare-o com o movimento limitado das articulaçóesdo cotovelo e do joelho. Articuloçõo Trocóideq Uma articulação trocóidea permite somente a rotação ao redor do longo eixo de um osso. tal como o que é feito quando se pisa no aceleradorde um carro. causando geralmente desconforto e prejuízos à mobilidade. o Supinação: é a rotaçáo da mão.uma substância chamada ácido úrico. assim como a que ocorre no movimento circular do braço que é feito por um arremessadorde beisebol ao lançar uma bola. movimentar a perna lateralmente. ele também permite o fá. em direção à perna. Este se acumula nas articulaçóes. ombro e cotovelo. afiadoscomo navalha. A gota também pode afetar as articulaçóes. o Flexão: é o movimento no qual há a diminuição do ângulo entre os ossosde uma articulação (por exemplo.e Soudóvel Enfermo ' do Anotomiqe Fisiologio CorpoHumqno ou diminui.o:é o movimento em direção ao plano mediano do corpo (por exemplo. o Abduçã. Isso ocorre freqüentemente quando jogadoresde futebol são derrubadosno gramado. um deslocamento da articulação pode ocorrer. *nESUl. Articulaçóèssintéticàstêm sido utilizadas para a substituição da maioria das articulaçóes. Uma articulaçáoe o local onde dois ou mais ossosse encontram. o Circundução: é uma combinação de movimentos. a articulação pode se degenerar. o Aduçã. Tipos de Movimentos Articulqres Os movimentos ocorrem nas articulações sinoviais quando os músculos que se situam próximos a elas se contraem e exercem pressaosoDreos ossosaos quars movimentos são ilustrados na Fiestáo fixados.as articulaçóessemimóveis (anfiartroses)e as articulaçóes móveis (diartroses). c Extensão: é o movimento no qual há o aumento do ângulo entre os ossosde uma articulaçáo (por exemplo.de modo que o movimento de um dos ossos possaocorrer em váriasdireções. de modo que a palma se volta superiormente.Os tipos de articulaçóesmóveis incluem o gínglimo. o HiPerextensão.crldeslocamento das estruturas articulareì. Estas últimas são também denominadasarticulaçóessinoviais. o esqueleto é capaz de realizarvá' rios movimentos. Essarotação ocorre quando o atlas (a primeira vértebra cervical) gira sobre o áxis (a segunda vértebra cervical).afastando-ado corpo). como a que ocorre quando se movimenta a mão em direçáo à superfÏciesuperior do punho. Ao mesmo tempo em que o arranjo da articulaçáo esferóidea permitJuma grande variedade de movimentos. o Flexão plantart é o movimento no qual o pé é inclinado para baixo. retornar a perna em direção ao corpo). de modo que a palma sevolta inferiormente. A inflamaçáo de uma articulação é denominada artrite.

I34 T COPíÌUIO SISTEMA EARTICULAR ESAUELETICO 7/ Hiperextensão FIGURA 7'2O o Tipos de movimentosnasarticulaçóes. .

inchoçoe restrições sinoviois. é o em o orticuloçõo. os ossosse fraturam mais facilmente. bursite o sõo As movimentos. É o inflomoçõo umoou moisbolsos de (ombrodolorido). formosmoiscomuns o bursite'subocromiol (ioelho (coïovelo-de-minerodorcotovelo-de-tenisto) bursite pré-potelor eo ou do olécrono doméstico). ou mosnõo hó dono ósseo orticulor. que pelodeficiêncio vitomino O omolecimende de e em em A esqueléÌicos. umo inÍlomoçõo tecidos é de Tombém chomodo epicondilite côndiloloteroldo úmero(cotovelo). de tombém 25 Existem oproximodo"mente formosde ortrite.as artlculaçoesapresentamuma diminuição da amplitude de movimentos. orticuouÌros mois do A orticulor.osteomieliÌe e çõo de umofroturoósseo cirurgioortopédico. devidoò desminerolizoçõo dos É . podemserrompidos regiõolesoáo. ções pelouso". tendões de com rompimento ligomentos. Quondoo termosubluxoçõo oplicodoò orticuloxoçõo porciolé chomqdo desso e do oo ele temporomondibulor. do O é iubluxoçõo.os ossosse tornâm menos reslstentes Muitas mulheres mais idosas mais quebradiços. tumorque envolve cortilogem. dos compressão discose à perdade massa a altura do corpo diminui. 3. Devido à óssea. com lsso. de É o deslocomento um ossode suoorticuloçõo. dietodeficiente cólcioe vitomino e oosboixosníveis exercicios. lJm desgasteda cartilagem articular e um crescimento ósseo excessivo na articulação contribuem para o enrijecimento articular. os ossosfraturados regeneram-seincompletamente e mais lentamente. refere-se estiromento cópsulo dos ligomentos çõo quondo mondíbulo movimentodo.deles esqueléÌico. desenvolvemosteoporosee.osteomolocio ossos cresciresulÌo deÍormidodes em to dos ossos roquitismo. AÌém disso. inchoço olterode É o inflomoçõo umoorticuloçõo. estruiuiois. Íigomentos Os ocorredevido Umodistensõo ou em o É umo lesõo um músculo tendõo umoorticuloçõo. 2. . osÌeoporose relocionodo folrode estrogênio tresse de D em idosos. o condrossorcomo. é cousodo D. grovegue umoentorse. qoto. Umoentorse É umo lesõo cousodo orroxeodo devidooo hetoiomo que se fotto no inchoco umocoloroçõo e mobilidode. quoltumores é de A formomoiscomum côncer óso vermelhos cousom destruiçõo e songüineos no de ósseoinlerferem produçõo célulos seo.ro doençocorocterizodo (perdo cólcio fósforo).e resulto deqóneroçõo cortiloqem do no sinoviol consiste moisdebilie do"membrono umo chomodo reumoÌismo. tumorósseo. retorno ossoporo denfrode suoorticuloçõo chomodo reduçõo. de empregodo incluem o Exemplos. Os tendõese ligamentos tornam-se menos flexíverse. do mum. ortritereumotóide."é inflomocõo qotoso. crisÌois ocorre de provocondo dor.e Soudóvel Enfermo* do Anoiomio Fisiologio CorpoHumono e | 35 Artrite e gerolmente ocomponhodo dor. podemocorrerno sistemo Vóriostiposde côncer o um e um osteossorcomo. Bursite Côncer Luxoçõo Osteomqlqcio Osfeomielite Osfeoporose Entorse Distensõo Cotovelo-de-fenistq ênqwantto Voc ã êmv elhece 1 .A osteoortrite. perdode pelotorçõode umoorticuloçõo. orticuloçõo ombroé'deslocodo focilmentJque e cópsulo de Umolué loções. e a região torácica da coluna vertebral se curva (causandoa cifose). conseqüentemente. Os discosintervertebraisse contraem. ò mulheres provocodor. mento chomodo é cousodo e/ou infeccõo meduloósseomoisÍreqüentemente dos É umo inflomocõo ossos gerolmente ocorrecomo umo complicoA do pelo boctério Slaphylococcus. ortrite tonte dosformos quondo em de ofiodos ócidoúricoie deposito-m umoorticuloçõo. molignos medulo do no ósseo o mielomo. que resulto estolos peloomolecimenïo ossos. e excessivo é menos oo usoou estiromenio oo odiocenles epidos loterol. que tornoo ossoÌõo porosoque ele se esforelo o essob ósseo É .mo perdode mosso em ò A esió normoldos movimentos.é um distúrbio metobólico e A ou de crônicos ortrite. Em decorrência da perda de cálcio e de matéria e orgânlca.é o formo moiscoou de chomodo ortritedeqeneroÌivo ortritedo "desqoste tombém À ortiãulor.

Tomonhos e Formq5 l. colunovertebrol A do odultotem quotrocurvoturos: cervicol. torócico. 3.m. O cíngulo membro do superior formodo peloescóé puloe pelcclovículo. Esqueleto Apendiculor 1. Os ossos formom.I3ó . seossificom. Outros ossos formomsobremodelos se de corfilogem hiolino. formode é em 'l cone. por 3. e dependem muiios de foÌores. B. e 4. trocóideo. elipsóideo. B. o por 2. Formoçõo e Crescimenfo ósseo l.mostombém crescem espessuro em e lorguroporo sustentor pesodo corpo. comoum locolde reservo miotuo de (especiolmente e fósforo) produz nerois cólcio e célulos songüíneos. conecto-se esqueleto do e oo oxiolpor meiodo socro. susÌento protege órgõosdo corpo. e ll. Os ossos crescem longitudinolmente determiporo nor o olluro. membrono o sinoviol. obduçõo oduçõo.selore orticuloções esferóideo. suturos os encontrodos crônio). As orÌiculoções imóveis chomodos sõo sinortroses (porexemplo.o. O esqueleto opendiculor incluiosossos portes dos livresdosmembros superiores inÍeriores.o crescido Por mento lorguroe espessurodecorrente oçõo em é do coniunÌo osteoblostos de e osteoclostos. eoi As fises consistem ossoesponioso mocio. 3. Arliculoções Umoorticuloçõo o locolondedoisossos enconirom. Tipos de Articuloções (Boseodos no Grqu de Mobilidode) i. no 2. quesõoóreosmembronosos possibilitomcresque o cimento encéfolo.os osteoblosÌos No substituem fino o membrono tecidoconiuntivo. Movimentos Articulqres l. Umossolongotemumolongohoste e (epífises). corÌilogem extremidodes A orticulor enê controdosobreo superfície externodo epïfise. supinoçõo pronoçõo circunduçõo. Os ossos clossificodos quotrogrupos: sõo em longo.formodopeloesterno. incluindo dieto. curto. B. l.A diafise revestido periósteo. O cíngulo membro do inferior formodopelosdois é ossos quodril.permiieque o e os corpose movimente. por 2 poresde costelose pelosvértebros torócicos. codo oo lunovertebrol do coixotorócico.incluem tol o cortilogem orliculor codoosso. O esqueleto oxiolinclui ossos crônio(crônio. As orticuloções móveis permifem diferentes tiposde movimento. cópsulo de o orticulor. como e bem de seus respectivos cíngulos. duosmose ou de neiros. sínfise o púbico). O crônioconlém covidodes preenchidos or. é se A.As vértebros estõoseporodos por discosintervertebrois.ô medidoque os osteoblostos substituemcortilogem osso. 2. A coixotorócico umocoixoósseo. é socroe pelo cóccix. de formondo ossos os plonos. crônio. que sõofoixosde cortilogem locolizodos nos exfremidodes diófise. Os iiposde orticuloções móveis o gínglimo os sõo e plono. O sistemo esqueléticoorticulor e suporto pesodo coro po.e o mede ou duloósseo vermelho encontrodo covidodes é nos do osso esponioso.exercícios hormônios.inversõo e e eversõo. do 3. Divisões do Sistemo Esquelético Os nomes 20ó ossos esquelelo dos do relocionoestõo dosno Tobelo 7-2. sinóvio. Os ocidentes ósseos indicomlocois fixoçõomusde culore de possogem nervos vosos de e songüíneos.O crescio mento ósseo longitudinol ocorrenoscortilogens epifisiois. e 5. 2. lombor socrol.plonoe irregulor. A coluno por pelo vertebrol formodo 24 vértebros. Ossos: Umo Revisõo A. bolsos o os sinoviois os ligomentos. outrolodo. os do foce. comoo ioelho. Esqueleto Axiol l. estruturos As em umoorticuloçõo sinoviol. Copítulo SISTEMA Z/ ESaUELÉTIco EARTICUIAR 'sÚ'. e pelo 4. (dÍófíse) duos 3. lll. O crôniode um recém-noscido contém fontículos. O crescimentoo remodeloçõo e ósseo ocorrem todo o vido. e e . Os tiposde movimenfos umoorticulocõo êm móvel sõo:Ílexõoe extensõo. As orticuloções móveis chomodos sõo diortroses ou presentes orticuloções sinoviois. e 2. A dióÍise constituído ossocompocto ouro. cnopor mqdos seios. A. As oriiculoções semimóveis chomodos sõo onfiortroses(porexemplo.osso hióidee osossos orelhomédio).e é de ou suocovidode contém medulo ósseo omorelo. 4. 2.

Maçãdo rosto c. lateraÌmente f. Movimentar a pernalateralmente. compostas em galhoverdeì e 7. de modo que a palmasevolte superiormente 18. Explique alocalízaçáo ossos dos compactose esponjosos(trabeculares).Quais sãoasquatro estruturasencontradas em uma diartrose? 16. Quais sáoas diferenças entre osteócitos. Quais sãoos quatro tipos de ossos. Explique a funçãodo atlase do áxis. Dê um exemplode sinartrose. Quais sãoos dois ossos cíngulo do membro do superior?Qual é o nome da estruturaóssea do cotovelo? 14. Descreva diáfise. Defina os seguintes termos:cauidade medular. endósteo. paralonge do seucoroo e. e 137 1. Fronte b. no que Quais sãoos quatro ossos constituemos seios paranasais? Qu"l é o único ossomóvel do crânio? 9. falsas flutuantes? e 13. 12. Identifique os ossos seguintes das regiões: a. 17. Qual é o ossomaislongo do corpo? 15. osteoblastos osteoclastos? e 3. Cite quatro do acidentes ósseos encontrados ossotemporal. Rodar amáo. Dobrar a pernano joelho b. Explique os termosempregados para os seguintes movimentos: a. Quais sãoasdiferenças entrecostelas verdadeiras. Qual ossoé um local comum para realizaçáo de biópsiade medulaóssea? . Rodar a plãnta do pé.Anotomioe Fisiologio CorpoHumqno do Soudóvel Enfermo . um exemplo de uma articulaçãoesferóidea um de articulação e trocóidea. 4.epífisee cartilagemepifisial. classificados de acordocom a forma? 2. Dançar na ponta dos dedosdo pé d. Endireitar os dedosparaabrir a mão c. Dê um exemplo de gínglimo. e 5. Quais sãoasquatro funçóesda colunavertebral? 11. MaxilarsuDerior d. O que ocorrequando a cartilagemepifisialé lesada? 6. Q""l a diferençaentre o esqueleto axial e o apendicular? 8. Queixo (rnento) 10. periósteo cartilagemarticular. anfiartrose diare trose. Quais são as diferenças entre fraturas simples. Denomine os oito ossos crânio.

.

9. Descrever a hipótese do filamento deslizante da contração muscular. Definir fasciculação. Identificar os três tipos de tecido muscular. Descrever os eventos que ocorrem na junção neuromuscular. 2. 3. /. 12. tetania e recrutdmento como característicasda 8. 4. 10. contração muscular. Identificar as fontes de energia para a contração muscular. Descrever a estrutura de um músculo esquelético.o. Explicar a basepara denominar os músculos. r39 . Traçar a seqüência de eventos desde a estimulação nervosa até a contração muscular. Descrever os tipos comuns de movimento.SISTEMA MUSCUTAR @bjetivos 1. 6. Relacionaras açóesdos principais músculos. 5. Identificar os principais músculos.somaçã. Explicar o papel do cálcio e do trifosfato de adenosina na contração muscular. 11.

Este capítulo trata principalmente do músculo estriado esquelético.r.. O músculo cardíaco estriadoe involuniário. sáo bem delineadas e compostas por proteínas organizadas de tal forma que o músculo parecelistrado. possuijunçóes e é chamadas discos de "d. Músculo Esfriqdo Esquelêtico O músculo estfiado esquelético geralmente se fixa ao osso. . mantêm a postura corporal e estabilizam as articulaçóes.lados. palavra músculo se origina do termo em latim ^ mus. Ll J. T|POS FUNçÕES E DOSrnÚSCULOS Os três tipos de músculossãoo estriadoesqueléti(Fig.| 40 r Copítulo / SISTEMA 8 MUSCUIAR cardíaco. o liso e o estriado cardíaco liso é discutidoao longo do livro e o músculoestriado Aparência da célula: Juncõesaderentes Músculoestriadoesquelético Músculoliso Músculocardíaco Localização: Descrição: Estriado Voluntário Não-estriado Involuntário Estriado Involuntário FIGURA 8'l r Os três tipos de músculo: esquelético.ni. As células do músculo esquelético são cilindros ou tubos longos. O músliso O é culo liso não apresenta estrias é involuntário. Pelo fato de o músculo esquelético poder ser controlado por açáo davontade (isto é. músculoesquelético estriado(listrado) e voluntário. Os músculos esqueléticos produzem movimento. interca. 8-1). ele também é chamado de músculo voluntário. e cardíaco. ou estriado. ett qaero mover meu braço). O músculo co. no Capítulo 14. o movimento muscular abaixo da pele lembra o movimenro de ratos correndo. por isso. oumúsculo. Eles também produzem calor considerável e.IQuando os músculos se contraem. que significa pequeno camundongo. Daí o termo mus. ajudam a manter a temperatura do corpo.

A mioglobina armazena oxigênio no músculo e o libera gradualmente. Cada sarcômero estendese da linha Z paraa outra linhaZ e é formado por um arranjo únicode duas proteínas contráteis .Por funcionar automaticamente. de três modos. o músculo cardíaco também é estriado. Cada fibra muscular é composta por longas estruturas cilíndricas chamadas miofibrilas. por exemplo.denominados fascículos. Fibras que não contêm mioglobina são brancas. quando o músculo começa a funcionar. por exemplo. uma fáscia áao) "o laminar. A f. o músculo liso não tem aparência listrada ou estriada. a. Essemúsculo é formado por milhares de fiA brasmuscularesisoladas(célulasmusculares). estrutura e â função dos músculos como um todo diferem em vários aspectosda estrutura e da função de uma fibra muscula?isolada. Os músculos se fixam a outras estruturas. Por que o corne bovino é vermelho e o cqrné de golinho é bronco? AÌgumas fibras musculares contêm um pigmento marrom-avermelhado chamado mioglobina. como os bronquíolos (vias respiratórias) e os vasossangüíneos. os sarcômeros (Fig. como a carne branca do peito de galinha. Outra camada de tecido conjuntivo. 8-2C).aictrlnae a miósina. S-28). formando túbulos tratrsveÍsos. DO ESTRUTURA Mú5CUIO COMO UM ÏODO Se você toca sua coxa. Algumas fibras musculares chegam a medir mais de 30 centímetros.íscia é chamada de epimísio. onde atua bombeando sangue atravésdo corpo.ísciase prolonga e se fixa ao ossocomo um tendáo. Os finos filamentos de ac- Músculo Cordícrco O músculo carúíaco é encontrado apenasno coração. chamada perimísio. o músculo liso é denominado músculo involuntrírio. A camada externa da f. Em vários pontos. pode fixar um e plana músculo a outro músculo ou um músculo a um osso. Dentro da fibra muscular existe um retículo endoplasmático especializado. chamada aponeufose. você sentirá um grande músculo.e Soudóvel Enfermo r do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono l4 | Músculo liso O músculo liso é geralmente encontrado nas paredesdas vísceras(órgãos como o estômago e a bexiga) e é chamado de músculo visceral. permite ao estômago triturar o aliÃenio sólido transformando-o em pastoso. 8-2C).o reúculo safcoplasmático. As linhas Z ficam nas extremidades de cada sarcômero (Fig. O músculo cardíaco não está sob controle voluntário e é classificado como músculo involuntário. a membrana celular penetra profundamenttno interior da fibra muscular. uma estrutura semelhantea um cordão ou fita. Cada miofibrila é formada de uma série de unidades contráteis. A contraçáo do músculo liso permite à víscera realizar suasfunçóes. Um músculo esquelético grande é circundado por camadas de tecido cãnjuntivo resistente denominado fiíscia. o endomísio. . As células do músculo cardíaco são longas ramificaçóes que se unem firmemente em junçóès denominadas discos intercalados. Fibras musculares individuais são encontradas dentro dos fascículose são envoltas por uma terceiracamadade tecido conjuntivo. Semelhante ao músculo esquelético. daí a sua denominação. Sezundo. Têrceiro. o tendão fixa o músculo ao osso. os músculos fixam-se diretamente (sem um tenosso ou a um tecido mole. Primeiro. a carne vermelha bovina. e depois empurrá-lo em direção ao intestino. Fibras que contêm mioglobina são vermelhas em rtzáo do pigmento mioglobina. Estasjunções aderentespromovem a conduçáo rápida dos sinais elétricos através do coração. Tâmbém é enãontrado em tubos e vias. E ESTRUÏURA FUNçAO DE UMA FIBRA lsotADA Íì[usculÂR A célula muscular é uma fibra muscular alongada (Fig. Diferente dos músculos esqueléticos. A fibra muscular possui mais de um núcleo e está envolta por uma membrana celular. A contração dos músculos do estômago. ou túbulos T. onde a digestãocontinua. envolve feixesmenores de fibras musculares.

...Í] Ë::ïi":ft*:(ft 'ïïïïTfffiï)T:u:::'r*:[ïÍ:"ì:. .u i...:*1y]:.2rBtruturadeummúsculocomoumtodoedeumafibra-.i'Ëô:.tffií.i:d$'il".i*i. sarcop....iï:i.Èlïïïi..ico mostrando o a'anjodas proteínas contráteis.. ."ï.ã".ó#"ËïË"à".ï.asmá..i#iljtïlï..142 c Copítulo / S|STEtu\AMUSCULAR 8 A o rurúscur_o uMToDo coMo Músculo tríceps (cortado) Osso Tendão Perimísio Vasos sangüíneos Epimísio (Íáscia) B FrgRA MUscuLAR (cELULA) Retículo Membranacelular (sarcolema) Endomísio Túbulo sarcoplasmático T I Fibra muscular (célula) Miofibrilas FascÍculo G sancôíaeno da miosina Miosina Sarcômero relaxado Sarcômero contraído F|GuRA8.'.

distante da actina e da miosina.o espaçoou fenda que existeentre a terminação e a membrana muscuiar. rotação das cabeças da miosina causao deslizamento da actina sobre a miosina. a contração muscular. B-34).elasdeslizam. Quando o músculo está relaxado. O relaxamentomuscular ocorre quando as são e pontes transversas quebradas a actina e a miosina retornam a suasposiçõesoriginais.váriasfibras musculares com estimulação nervosa.Anotomio Fisiologio CorpoHumono Soudóvel Enfermos 143 e e do tina se estendem em direçáo ao centro do sarcômero. ou supre. lJm nervo motor origina-se na medula espinal e inerva. cessaa produção de ÂTP. Quando o cálcio é bombeado de volta para o retículo sarcoplasmático. Esta alteraçáo é chamada rigor mortis. puxando a actina em A direçãoao centro do sarcômero. O arranjo da miosina e da actina em cada sarcômerodetermina aos músculos esqueléticoe cardíaco sua aparência estriada. Os filamentos mais espessos miosina estão situados entre os filamentos de actina. avaliaçãodo rigor mortis muitas vezes ajuda a determinaro tempo exatode morte. 8-2C). elesencurtam. da as cabeças miosina rodam. de a partir das linhas Z. Estendendo-sea Dartir dos filamentos de miosina estão estruturas denominadas cabeças da miosina. o cálcio é armazenado no retículo sarcoplasmático. Isso ocorre porque os sarcômerosencurtam. Como o sarcômeroencurta?Quando estimuladas. da miosina e do AIB as pontes transversas são quebradas.Not. Lembre-se:os sarcômeros encurtam não porque as proteínasactina e miosina se contraem ou retraem. 8-38).e o músculo relaxa. Em decorrência dessaatividade deslizanteda actina e da miosina. O ATB no entanto. na e os sítios receptores membrana muscular. e os sarcômeros encurtam porque os filamentos de actina e miosina deslizamum sobre o outro.t. O trombone encurta porque as partes desÌizamuma sobre a outra.O deslizamentoé como um trombone de vara. O que ê rigor mortis? (contração Tanto a formação de pontes transversas (reÌaxamuscular) como a quebra de pontes transversas mento muscular) dependemde AIP Quando uma pessoa morre. músculos permanecemcontraídos e tornam-se rígidos. ou "rigidez da A morte" (rigidez cadavérica). o cálcio é liberado do retículo sarcoolasmáticoe causainteração entre a actina. SE COMO ()5 MÚSCULOS CONTRAEM Quando músculos se contraem. Quando o músculo é estimulado. q'. &{*seu$ms ffisqe*efit#*tmffis * ru#rv€g A contração do músculo esqueléticopode ocorrer apenasse o músculo é primeiramente estimuÌado por um nervo. não porque o metal retrai ou contrai. A Junçõo Neuromusculqr O que acontecena junção neuromuscular?O nerquímivo estimulado causaa liberaçãode substâncias . mas porque as proteínasdeslizamumas sobre as outras. as cabeças miosina fazem contato com a actina. da formando conexóestemporárias chamadaspontes transversas. O tipo de nervo que supre o músculo esquelético é um nervo motor ou somático (Fig. pode desempenhar seu papel apenasse o cálcio estiver presente. lJma vez que as pontes estão formadas.longe da actina. A actina e a miosina fazema mesma coisa. O ATP auxilia as cabeças da miosina a formar e quebrar as pontes transversascom a actina.A áreaonde o nervo motor encontra o músculo é chamada de iunção neuromuscular (JNM) (Fig. Estruturas dentro da JNM incluem a membrana da terminação nervosa.rsas. entáo. a disponibilidade do cálcio para asproteínascontráteisactina e miosina é necessária para a contraçáo muscular. Note o quanto o sarcômerocontraído apareceencurtado (Fig. A deficiência de assimos AIP promove a quebra das pontes transve. a miosinã e o AIB ocorrendo. a contração muscular é conhecida como hipótese do filamento deslizanteda contração muscular. *mnnËr'mçã*ffieê*x*xretec?*õ: * ÃïF dm w & Pwpeã ffiffifreiç ffim O composto adenosinatrifosfato (AIP) e o cálcio desempenhampapéis importantes na contração e no relaxamento de um músculo (ver o Capítulo 2 para uma explicaçãosobre o AIP).

Quatro fasesestão envolvidas na transferênciada informação do nervo para o músculo naJNM (Fig. (4) a fixação ACh aosreceptoresa destruiçáo ACh pelaacctilcolinesterase. JNNrÍmostrando(1) o sinalelétrico. ou impulso nervoso. são e do FIGURA 8-3 " Inervação músculoesqueléticojunçáoneuromuscular (ACh). A ACh é liberada pelas vesículas para o espaçoentre a terminação e a membrana muscular. ou supridas.(2) a liberaçáo neurotransmissor de junção(espaço). para mover-seao longo do nervo até a terminação do nervo. e de e cas. .B. 8-3). Armazenadas dentro das terminaçóes do nervo estão as vesícu- Ias. O neurotransmissor junção neuromuscular é a acetilcolina (ACh).preenchidaspor uma substânciaquímica denominada neurotransmisna sor. Fase o impulso nervoso causaum deslocamento 2: das vesículai e uma fusão com a extremidade da terminação nervosa. A.'a estimulaçãodo nervo causaum sinal elétrico. * " Fase1.r\\\ \$ \1 Junção neuromuscular (JNM) $ V \\ V \Fibras musculares (celulas) ì\ \ Neurônio motor Acetilcolinesterase \:-/ \J* \ Sítiosreceotores por (lNM).Medulaespinal Nervo motor Músculo Axôniodo motor neurônio .que se difundem atravésda JNM e estimuÌam a membrana muscular. (3) a difusáode ACh através da do um neurôniomoror. ou bolsasmembranosas. Fibrasmusculares ine_rvadas_.

que afeta a JNM.Os sítios receptores terados. quando | 45 O sinal elétrico estimula o retículo sarcopÌasmáticoa e Iiberar cálcio. Os sítios de fixaACh adicioção livres estão.a contração muscular estáimpedida. e o paciente sente uma fraquezamuscular extrema (a palavra miastenia significa literalmente fraqueza mus- A Membrono Musculor Estimulqdq O oue acontececom o sinal elétrico na membrana muscuiar?Ele percorre toda a extensãoda membrana muscular e deiencadeia uma série de eventos que resultam em contraçãomuscular (Fig' 8-28). de modo que não podem fixar a ACh' Conseqüentemente.tç" sáo causados estãoaÌna muscular danificados. Infecçáo (botulismo).e Soudóvel Enfermo t do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono * * Fase3: a ACh se difunde através do espaço e unese aossítios teceptores. Fase4: a ACh eitimula os receptorese gera um sinal elétrico. 8-a).w da exagerada Estimulação muscular membrana . da miosina e do ATB produte a zindo a contração muscular. Bloqueioneuromuscular-por-cì. FIGURA 8'4 r Funcionamento C. nal. botulinu. Em conseqüência.o cálcio é bombeado retrogradamente para o reticulo longe da actina e da miosina. Prontos. O nome dessa ãrrrima é a acetilcolinesterase. é grave umadoença Miastenia MnsrENn Gnavn. assim. Especificamente.na membrana muscular. l o cl a l Contração enfraquecida muscular Contração n Infecçãopor Clostridium botulinum Funcionamento prejudicadona JNM lmpulso /. nervoso _______r. O cálcio inunda os sarcômeros permiinteraçáo da actina.para o nervo é estimulado novamente. Alteroções do Junçõo Neuromusculqr Certas condiçõespodem causarproblemas à JNM (Fig.A ACh então se dissociaou abandona o sítio fixador e é imediatamente destruída por uma enzima que é encontrada dentro da JNM próximo à membrana muscular. Acredita-se que os sintomas da da por sítios recePtores membrado..o sinal elétrico percorre a membrana muscular e penetra em seu interior atravésdos túbulos T' A grave Miastenia B Õ a neuromuscular Bloqueio por curare lmpulso nervoso '----// lmpulso <---?_\ -___=___L-nerVOSO ..\@ Infecçãopor Clostridiumtetani \-\ na enfraquecido JNM' A.Ìrare' Miastenia Çáopor Cltrtani (tétanãou bloqueiomandibular)'D. InfecB. que se desenvolveao longo da membrana musculãr. por C. causarcoplasmático. grave. sando o relaxamento muscular.

dificuldade para elevar as pálpebras e dificuldade respiratória. Uma infecção còmìste organiimo causa uma doença conhecida como botulismo. entreranro. as fibras muscularesnão podem se contrair e os músculos. Antigamente. Broquero MusculeR Ceusaoo poR CuRARE. conseqüenremente. Como os músculos respiratórios estão também afetados pelo curare. Eprrros DE NEURoroxrNAS NA FuNÇÁo MuscuL. ou . lJma outra neuroroxina é secretadapela bactéria Clostridium botulircam. a droga era absorvida e. arraniadas numa série de sarcômeros.e a contraçáo muscular é impedida. Como os músculos da mandíbula são freqüentemenre afetados primeiro. A neurotoxina age impedindo a liberação de acetilcolina das terminaçóes nervosasnaJNM. Sem acetilcolina.Note o papel fundamental desempenhado pelo nervo motor *RE9UMINDO! A estimulação dos sítiosreceptores causa um impulsoeletrlcoformadona membranamuscular.nR. Afraqueza muscular evidencia-secomo baixa tolerância ao exercício. mais freqüentemente em alimento impropriamente processado e enlatado. difere daqueìa.Esse processo e continuaenquantoo cálcioestiverdisponível para a actinae a miosina. estimulando de mado neira exagerada membrana muscular. o paciente pára de respirar e morre. impedem o funcionamento norirral do sistema nervoso. o curare era utilizado como um veneno para caçar animais. a doença muitas vezesé chamada de bloqueio mandibular. Os três tipos de músculos são o estriado esquelético. causandoformaçãode pontes transversas contraçãomuscular. Daí a origem do termo têtano. o Clostridium tetani secreta a neurotoxina que causauma estimulaçáo excessiva dos nervos motores.nada. Um músculo é composto de fibras musculares (células musculares).de uma fibra muscular isolada numa série de manelras. cluindo os da respiração.a miosinae o ATp possaminteragir. C o p í t u l o 8S I S T E M A M U S C U I A R / cular). Cada fibra muscular contém as oroteínas contráteis actina e miosina. O relaxamento muscularocorrequandoo cálcioé bombeadoretrogradamente para o retículo sarcoplasmático. acordo com a hipótese do filamenDe to deslizante. é necessárioque se ventile mecanicamente o paciente. Elas são produzidas por determinadas bactérias. Um músculo esqueléticocomo um todo. O impulso elétrico percorre a extensão da membranamusculare penetrano interiordo músculoatravésdo sistematubularT. longe da actinae da miosina. O cálciopermiteque a actina.Bloqueadoresdo músculo são freqüentemente utilizados durante cirurgia. Isso acarreta uma liberação excessiva neurotransmissor.Caso contrário.a interação da actina è da miosina causa contração muscular. por exemplo. o liso e o esiriado cardíaco. para promover o relaxamento muscular. quando ela perfurava a pele do animal. O curare ãtuabloqueando os sítios receptoresna membrana muscular. até que os efeitos da droga desapareçam. e FIGURA 8-5 r Fases contraçãoe no relaxamentodo músna culo esquelético. a ACh não pode se unir aos sítios receprores. RESPOSTAS MUSCUTO DO COMO UM TODO A hipótese do filamento deslizante explica a contração e o relaxamento de uma única fibrã muscular. Pelo fato de os receptores esrarem preenchidos pela droga. portanto. A Figura B-5 resume as fasesenvolvidas na contração e no relaxamento do músculo esquelético. Quandoo cálciose move dessa maneira. As de alguma forma.A resposta contrátil de um músculo. determinando a espasmomuscular severoe contrações tetânicas.O curare é uma droga classificada como um bloqueador do músculo esquelético. in. uma forma grave de envenenamento alimentar. quando a paralisia do músculo respiratório levava à sufocação.146. Em outras palavras.a actina e a miosinanão podem interagir o músculorelaxa.a fibra sofre contração máxima (a mais fortápossível).ficam paralisados. é composto por milhares de fibras musculares. Resposto Psrcinl VersusTudo-Ou-Nodn Uma fibra muscular isolada sofre contração numa respostatipo tudo-ou. neurotoxinas são substânciasquímicas que. Essabactéria apaiec. A ponta da flecha era embebida em curare e. determinava um bloqueio fatal do músculo esquelético.

Uma força muito maior é requerida para levantar um pesode 40 quilos.exercendo uma ação importante na manutenção da postura.Levantar um peso de +0 quilos. C.ontraçáo? Levantar um lápis pode exigir a contração Je várias centenas de fibras musculares.-8-64). ao contrário. Se. o músculo contrai e depois relaxatotalEssaresoostamuscular isolada é chamada de :. SoúaçÁo. Contraçõesmuscularestetânicas são regularese persistentes. Como pode um músculo variar sua intensidade de . Se um estímulo único é enviado a lrm músculo. O tratamento imediato inclui suporte ventilatório mecânico e administraçáo intravenosade cálcio. lJma certa quantidade de força é produzida na contração. inclusive os músculos da respiraçáo. Tetania. A essacontração muscular sustentadadá-seo nome de tetania (Fig. 8-6C). Somoçõo e Tetoniq Muitos termos importantes descrevema contração Jo músculo como um todo. \ força muscular maior é atingida por usar. Contração. Se a freqüência de estimulação aumenrápida). apenasuma pequena para levantar um láporção de contração é necessária pis. Por exemplo. permanecendo então em estado de contração.Lllafes a(llclonals. podendo ser de maneira fraca ou muito forte. Pelo fato de um músculo ser de capazde se manter em tetania. porém. é denominada somaçáo (Fig. é capaz de se contrair parcialmente. TrreNn. contraçáo (Fig. :ìbras adicionais. CoNrnaçÁo.A fadiga ocorre se o mús(náo confunda a tetania desculo não pode descansar com a doença conhecida como tétanesta sessão crita no.f 1 estímulo 3 estÍmulos ïtttltïïil'tttï1ttï11 20estímulos B. aforçade contraçáo do múscuÌo esque. manter em pé e. por exemplo.Contraçóesnão são úteis tìsioÌoeicamente. ela é chamada de tétano ou tetade nia.A hipocalcemia desencadeia contínua dos nervosque suprem os músculosesquelétiEm cos. Eles incluem a contra. a somaçãoe a tetania. contráteis músculoesquelético. Assim. vinte estímulos rápida). sem antes experimentar um relaxamento completo do estímulo prévio. razão dessacondição. A B Somação c Tetania 1'. a tetania é o mais :mPortante. do FIGURA 8-ó r Respostas . entretanto. no entanto. nós somos capazes manter uma postura ereta. reçluera contração de milhares Je fibras.ético pode ser variada por recrutarnento de fibras mus. Dos três. 8-68). Essaha- bilidade do músculo para contrair.Ì1ente. apenas rlgumas fibras estãocontraídas. três estímulosem sucessáo músculo não pode relaxar totalmente antes que inicie a contraçãopor uma segundaou terceiravez. o músculo náo tem tempo para em sucessão relaxar. Estas fibras se rontraem à maneira do tudo-ou-nada. os músculos qu€ mantêm nossapostura ortostátide seríamosincapazes nos ca apenasse contraíssem. Se a freqüência de estimulaçáo é repetidamente aumentada (por exemplo. cairíamos ao chão (algo náo muito agradável). todas contraindo na forma do tudo-ou-nada. resultandoem contraçáomuscular sustentada. 147 O que ê tetqnio hipocolcêmico? A tetania é causadapor níveis baixos de crílcio (hipouma excitação calcemia). ou bloqueio de mandíbula). porque envolve todos os músculos esqueléticos.Soudóvel Enfermo ' e do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono Íláo se contrai. Este processoé chamado recrutamento. Controçõo. A. A tetania leva a risco de morte e necessita tratamento imediato. Ela nunca se contrai parcialmente. o ra (por exemplo. Somaçáo.ao. Um músculo como um todo.ou recrutar.

Quando essas bras começam a relaxar. A produção de ATP é alta (ver Capítulo 4 para uma revisãodo metabolismo aeróbico e anaeróbico). Acimo Usodos Músculos e Abqixo do NormEl Hipertrofio Músculos utilizados acima do normal aumentam é em tamanho. Esta respostaao trabalho excessivo chamada de hipertrofia. primeiramente se confitrai um grupo de fibras musculares.4 quantidade de AIP armazenada dentro de um músculo em repouso é muito pequena e é suficiente para manter a contração de um músculo esquelético por cerca de seis segundos. . Quando o oxigênio não está presente. Bícepsbraquial Trícepsbraquial (antagonista) Fonte de Energitl porq q €ontruçõo Musculnr A contração muscular requer um rico suprimento de energia (ATP). a origem do bíceps braquial está localizada na escápula. O tríceps braquiaÌ exerce efeito antagonista no bíceps braquiaÌ.uma transformação completa do combustível não é possívele. A origem do músculo está fixada no osso imóvel. Por exemplo. Metabolismo do fotfon de creatina. ácido lático é produzido. Os atletasprovocam a hipertrofia dos seusmúsculos intencionalmente. Por exemplo. desenvolvemmúsculos maiores do que um "comedor de batatas" o faz assistindotelevisão.Ele se opóe à açãodo bíceps. antago' nisúas são músculos que se opóem à ação de outro músculo. durante a contração muscular. ele é reposto de trêsmaneiras: . então. O fosfato de creatina contém energia que o organismo pode usar para repor a AIP rapidamente. Os halterofilistas.com risco de morrer. Ao contrário. a glicosee as gorduras podem ser completamente transformados em dióxido de carbono. Inserção A FIGURA 8'7 r Origem e inserçáo/antagonistas.Se o tônus muscular diminui. A inserção está . Metabolismo aeróbico. O tríceps braquial (no braço. locaiizaçáo do bíceps braquial no membro superior mostrando a inserção no rádio e a origem (dois locais na escápula).estãoos "músculos auiliares" chamados de sinergistas. 8-7). Ajudando o agonista. O organismo pode também metabolizar combustível na ausênciade oxigênio. âgua e energia (ATP).um múspela maior parte culo isolado geralmenteé o responsável "músculo chefe" é chamado de agodo movimento.MUSCUIAR 8 | 48 " Copítulo / SISTEMA Tônus Mus<ulqr O tônus ou tono muscular. O nisúa.enquanto a inserção se dá no rádio. Para manter o tônus muscular.o rádio (inserção)é puxado em direção à escápula(origem). Essepadrão de contraçáo e relaxamento continua de modo a manter o tônus muscular. O tônus muscular desempenhavárias funções importantes' Por exemplo. por exemplo. Durante a contração do bíceps. Sinergisto e Antogonisfo Embora a maioria dos movimentos seja acompanhada pela cooperaçãode grupos musculares. Como uma forma armazenadade energia. 8-7). Agonisto. refere-sea uma contraçáo muscular parcial normal em estado contínuo. o fosfato de creatina garante que o músculo esquelético atue por longos períodos.tracionando o antebraçopara longe da escápula(Fig.Quando o nfp e consumido pela contração muscular. a pessoapode sofrer uma queda da pressáovascular. Descrevendo o Movimenfo Museulor Origem e Inserçõo Os termos origem e inserçãose referem aos locais de fixação do músculo. o tônus muscular do músculo liso nos vasos sangüíneosajuda a manter a pressãosangüínea. Sinergistassão os que cooperam com outros músculos. Na presença de oxigênio. Quando um músculo se contrai por meio de uma articulação. o agonistapuxa o antebraço em direção ao ombro. O tônus é secundário à contração de diferentes grupos de fibras muscularesdentro do músculo como um todo. combustíveiscomo o glicogênio. fixada no osso que se movimenta (Fig. O acúmulo de ácido lático pode ser responsávelpor algumas das queixas de dor muscular que acomPanham um exercício pesado. na contração do bícepsbraquiaÌ. em situação posterior) é o antagonista. . Metabolismo anaeróbico.um ossopermanece relativamente estacionário ou imóvel. então um segundo grupo se contrai.

Exemplos incluem o m. I N. Tomqnho Os seguintes termos indicam tamanho: vasto (enorme).írrensãoe oscilaçóes :.:na atiofia nos músculos dessaperna.. vasto lateral e m. oor vários meses... transversoe circular (orbicular). forma. em várias direções:reto. tríceps indica três e quadríceps. tamanho e a força do músculo são recuperados.. Porém.número de origens. se issofor feito com levantamentode peso ..braquial.. .Ì\'âsos Itzenqo o coraçao crescer. latíssimo do dorso e o m. tríceps braquial e o m. Exemplos: m.. :-. . bícepsbraquial.rolongado. . localização.. Forms Várias formas são utilizadas Dara dar nomes aos músculos: deltóide (triangular). Direçõo dos Fibrog As fibras são orientadas.. . ìurrosefeitosnocivosàsaúde. aumentar a massamuscular com o .. r. .pode-se citar o m.''cmplo. bíceps braquial. mentaispsicóticas severas. Quando a são retoma.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . do T. oblíquo. por exemplo.rna volta a suportar peso e os exercícios . redondo maior. máximo. oblíquo externo do abdome. longo.inuir de tamanho. .. e 149 CLASSTFTCANDO MUSCUTOS OS ESOUELÉTICOS Os nomes dos músculos esqueléticossão geralmente baseados uma ou mais das seeuintescaracem terísticas:tamanho. elespodem di:'. supra (acima). EIa geralmente "congeld' o ::rúsculoem uma posição fletida e restringe severa:ììentea mobilidade articular..'. peitoral maior e m.:. Como exemplos. Uma por ... traoézio.. o m..'. A hipertrofia cardiaca . O que hó de errqdo em oumenlor o mosso musculor? \áo há nada de erradoem aumenrâra massa muscu: . ou alinhadas.. . identificação da origem e da inserçãoe açãodo músculo. leva o coração a bombear o sangue ao sangüíneos que são muito resistentes flu.:rnalmente é indesejávele é indicativo de uma doenA .roso dentro do músculo. glúteo máximo.quatro.:r.:. tapézio (trapezóide). além :.. de esteróides perigoso..bíceps:duas cabeças. ou até mesmo definhar.ausando excesso trabalho cardíaco. infra (abaixo).: As origens muscularessão conhecidascomo "cabeças". Locolizoçõo Os nomes de músculos muitas vezesrefletem sua localizaçáo no corpo: peitoral (tórax).. reto do abo dome e o m. . Sáo exemplosdessaclassificação m. \ contratura é uma formação anormal de tecido fi:.. quadríceps femoral. latíssimo (grande).rercício..)s.iro rambém pode hipertrofiar. o Número de Origens O músculo oode ser denominado de acordo com o número de loôaisnos quais estáfixadol: bícepsindica dois locais.atrofia dos testícuios.Considera-se os esteróié que r-. glúteo (nádegas). hipenende . mínimo (pequeno) e breve (curto). orientação ãas fibras..'r\soa com uma perna quebrada e engessada.. podem causar câncerde Íïgado.rombóide e redondo.é incapazde exercitá-laou suportar peso so':c ela.A falta de exercício causará . Atrofio Se os músculos não são utilizados.. Exemplos incluem o m. o m.lo corpo. glúteo máximo. Conlrqfurq Se um músculo é imobilizado por um período . -. ele pode desenvolver uma contfatufa. m.sub (inferior) e lateral (lado).

A. Temporal Orbicular olhos dos Zigomático Bucinador Orbicular boca da Masseter Esternocleidomastóideo Deltóide Bícepsdo braço Peitoralmaior Serrátilanterior Retodo abdome ìnterno Obìiquo Oblíquo externo Transverso abdome do lliopsoas Adutorlongo Linha alba Adutormagno Sartório Reto da coxa quadríceps L o. tem sua ori- gem no esterno e na clavícula.o"-l. Copítulo / SISTEMA Origem e Inserçõo* pelos locais Alguns rnúsculos sáo denorninados de fixaçáo. utiliza-se somente o termo inserção.MUSCULAR B | 50 . Vista anteÍlor. esternocleid.: inserçáo proximal. tânto na orïgem como na ïnsetçâo. o m. * N. esternocleidomastóideo.lateral Vasto Vastomedial Tibialanterior Fibular longo FIGURA 8-B o Músculos mais importantes do corpo. inserçáo distal.: na Termìnologìa Anatômica atual. Essainformação permite que se determine a ação do músculo. e sua inserçáo no processomastóideo do osso temporal. O m.omastôideo(\et.eo pescoço e gha a cabeça.Ex. do T. por exemplo. A Vista anterior . ou seja.

o músculo masseterpermite q u e v o c ê m a s t i g u e .B o n s e x e m p l o ss ã o o m . enquanto um linha. B Vistaposterior . a d u t o r Àrgno. superficial dós dedos e o m. levantador da pálpebrasuperior. fl.retifica.e Soudóvel Enfermo do Anotomioe Fisiologio CorpoHumono ' | 5| Ação Musculqr Aaçáo de um músculo pode estarincluída em seu nome. Um músculo levantador eleva a estrutura.ïo. Da mesma forma' um edutor o aproxima dessa músculo flexor determina a flexão' enquanto um músculo extensor estica. Por exemplo. frapézio Deltóide Trícepsbraquial do Latíssimo dorso Glúteomedio Glúteomáximo Adutormagno Grácil Bícepsfemoral----- Semitendíneo I GruPo I Posterior J Semimembranáceo da coxa (dojanete) I Gastrocnêmio Sóleo Tendãodo calcâneo (deAquiles) FIGURA 8'8 t Continuação B. o -. Vista posterior. um músculo abdutor afastao membro da linha mediana do corpo.

olhar para cima. abaixo das axilas Músculo plano que cobre a parte superior e anterior do tórax Grande e forte músculo plano na linha média e na parte inferior do dorso Estender a cabeça. horizontalmente e obliquamente. principaÌ da inspiração (aumenta a cavidade torácica) Como um grupo. encolher os ombros Tiaciona as escápulas para a frente. pisca os olhos Abre os olhos Fechar/enrugar os lábios.I 152 . ajuda a elevar os braços Aduz e flete o braço na frente do tórax. músculo do sorriso Fechar a boca/morder Fechar a boca/morder Pescoço Esternocleidomastóideo Estende-se pela lateraldo pescoço. elevaos ombros e os traciona e da faceposteriordo pescoço da parte para trás. músculo do trombeteiro. músculo do assobio. olhar de surprese. Copítulo / SISTEMAMUSCUIAR r$ÚscuLo Cabeça Músculosda face Frontal Orbicular dos olhos Levantadorda pálpebra superior Orbicular da boca Bucinador Zigornâtico Músculosda mastigação Tèmporal Masseter DESCRTçAO FUNçAO Músculo plano cobrindo a fronte Músculo circular ao redor do olho Da faceposteriordo olho à pálpebra superior Músculo circular ao redor da boca Músculo da bochecha Estende-se canto da bocaao osso do zigomático Músculo plano em forma de leque sobreo ossotemporaÌ Cobre a parte lateralda mandíbula Eleva as sobrancelhas. encolhe os ombros superiordo dorsopara os ombros lronco Músculosenvolvidosna (músculos do respiração tórax) Intercostais extefnos internos Intercostais Diafragma Músculosda parededo abdome Oblíquo externodo abdome Oblíquo interno do abdome do Tiansverso abdome Reto do abdome Músculosda colunavertebral da Músculosdo assoalho pelve Espaços intercostais (entre as costeÌas) Espaços intercostais (entre as costeÌas) Músculo em forma de cúpula (domo) que separa as cavidades torácica e abdominal Os músculos estão organizados verricalmente. de modo a tornaÍ a parede abdominal rígida Músculos fixados nas vértebras Lâminas musculares planas Respiração (aumenta a cavidade torácica) Respiração (diminui a cavidade torácica na expiração forçada) Respiração: m. "músculo do nadador" Serrátil anterior Peitoral maior Latíssimo do dorso . estendendo-se Estende a cabeça. músculo da oração Tiapézio Músculo triangular. elevar os ombros e puxáJos para trás. ajudar na função dos genitais Mítsculos que Movem oOmbroeoBraço 'hapézio MúscuÌo grande e forte na face posterior do pescoço e dos ombros Forma a parre superior da parede torácica. traciona o ombro para a frente e para baixo Aduz e roda o braço para trás. auxilia na mastigação Eleva o canto da boca. como ao olhar para cima. músculoforte e estreitoque seestende obliquamentedo esternoe da clavícula mastóidedo ossotemporal parao processo Flete e roda a cabeça. os músculos da parede do abdome comprimem o abdome. enruga a fronte Fecha os olhos.plano. músculo do beijo Comprime a bochecha. o reto do abdome também flexiona a coÌuna vertebral Movimento da coluna vertebral Suportar as vísceras pélvicas.

localizado na superfïcie das nádegas Músculo espessoparcialmente atrás e superiormente ao glúteo máximo Menor e mais profundo dos músculos glúteos Localizado na superfície anterior da virilha. mantém o arco do Flexãoplantar do pé. múscuÌo para sentar e subir escadas Abduz e roda a coxa. "músculo do boxeador" Fìete o antebraço Flete o antebraço Fletemeestendemamáo Fletem e estendem os dedos Tiícepsbraquial BraquiaÌ BraquiorradiaÌ Grupos flexores extensores e do carpo Grupos flexorese extensores dosdedos Músculos que Movem d Coxa Glúteo máximo O maior e mais superficial dos músculos glúteos. como um grupo.Anotomioe Fisiologio CorpoHumono do Soudóvel Enfermo . cruza a articulação do quadril para o fêmur Região medial interna da coxa Forma as nádegas. antagonistas do quadríceps femoral Músculo longo que cruza obliquamente a face anterior da coxa Localizados na superfície posrerior da coxa. e 153 MUSCUTO Deltóide Músculosdo manguito rotador Supra-espinhaÌ Subescapular Infra-espinhal Redondomenor DESCR. eversão pé.: chutar uma bola). eles se fixam na tíbia e na fíbula Músculos que Movem o Íornozelo Tibia. antagonista do glúteo mríximo Glúteo médio Glúteo mínimo Iliopsoas Grupo adutor Adutor longo Adutor curto Adutor magno Grácil Aduz a coxa. forma um tendão comum que se insere na tíbia Grupo usado para estender a perna (p. músculos usados pelos cavaleiros para manter-se sobre o cavalo Músculos que Morem d Perno femoral Quadríceps Reto femoral Vastolateral Vastomedial Vastointermédio Sartório Jarrete Bícepsfemoral Semitendíneo Semimembranáceo Localizado na superfície anterior e lateral da coxa. o reto femoral pode fletir a coxa. lugar comum para injeçóes intramusculares Abduzerodaacoxa Flete a coxa. músculo grande de duas cabeçasque forma a panturrilha Face posterior da perna . usado para "exibir o músculo".lanterior Fibular Gastrocnêmio Sóleo e o Pê Fleteo pé dorsalmente.no ombro Músculos que Movem o A n t e b r a ç o e a M ã o Bíceps braquial Principal músculo da face anterior do braço Face posterior do braço Profundamente ao bíceps Músculo do antebraço Das regióes anterior e posterior do antebraço para a mão Das regiões anterior e posterior do antebraço para os dedos Flete e faz supinação do antebraço. inversãodo pé Flexãoplantar. estendem a coxa. o vasto lateral é um local comum para injeções intramusculares em crianças Permite que você sente de perna cruzada ou em posição de lótus Fletem a perna. estende a coxa. age em sinergia com o braquial e o braquiorradial Estende o antebraço. formam uma bainha sobre a parte proximal do úmero FUNçÃO Abduz o braço em posiçãode espantalho Rotacionamo braco. músculoda dançarina Flexãoplantar do pé Face anterior da perna Face lateral da perna Face posterior da perna. ex.TçAO Músculo espessoque cobre o ombro Um grupo de quatro músculos que fixam o úmero à escáoula.