You are on page 1of 16

PORQUE TEMOS TAIS PROMESSAS, PURIFIQUEMO-NOS

Tema: A relação entre a Santificação e o Evangelho e o mistério da mortificação pelo Espírito, baseando-se em Romanos 8.

TEXTO BASE: ROMANOS 8:1-18
Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque os que são segundo a carne inclinamse para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça. E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.

INTRODUÇÃO
A IMPORTÂNCIA DO TEMA
Esta conferência tem como tema: "o ideal de uma vida limpa". Como o jovem e todos os outros podem manter seu caminho puro? Essa é a nossa pergunta. Mas, primeiramente, qual, a importância desta pergunta? Quando olhamos para as Escrituras vemos a importância da Santificação. Quero listar alguns para vocês: 1. A Santificação do povo de Deus é um dos motivos pelos quais o Deus Filho encarnou, morreu, ressuscitou e intercedeu por nós; João 17:17-19 - Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade. 1 Coríntios 1:30 - Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; Efésios 5:25-27 - [...] Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (1)

Tito 2:14 - [Nosso Salvador Jesus Cristo ]o qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras. Colossenses 1:22 - No corpo da sua carne [de Jesus Cristo], pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis, 2. A Santificação é um dos motivos da Eleição do Pai e Sua Vontade para a igreja 1 Tessalonicenses 4:3,7 - Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Efésios 1:4 - Como também nos elegeu [o Pai] nele [Cristo] antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; Deus nos elegeu para salvação em santificação (2 Tessalonicenses 2:13), nos chamou para sermos santos como Ele o é (1 Pedro 1:15) e nos disciplina para alcançarmos tal objetivo (Hebreus 12:10). 3. A Santificação é o fruto da ação do Espírito Santo Tito 3: 5 - [...] nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, O Palavra declara que o Espírito Santo é o Espírito de Santificação (Romanos 1:4) e que a santificação é do Espírito (2 Tessalonicenses 2:13 e 1 Pedro 1:2). 4. Ninguém verá o Senhor sem Santidade Hebreus 12:14 - Segui [..] a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Salmo 24:3-5 - Quem subirá ao monte do SENHOR, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Ninguém no último dia poderá contemplar a Deus sem santidade. Ninguém! Não haverá uma única pessoa no céu que não se revestiu de vestes limpas. Jesus nos conta uma parábola ilustrando essa realidade, onde um rei prepara uma festa e envia seus servos para chamar os convidados (o povo judeu), contudo, estes rejeitam seus convites e, por causa disso, o rei os destrói (destruição do templo em 70 d.C.). Então, o rei fala para seus servos chamar a todos que encontrarem (o chamado estendido aos que não eram judeu). Leiamos o restante da parábola de Mateus 22, a partir do verso 10: E os servos, saindo pelos caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e a festa nupcial foi cheia de convidados. E o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. (Mateus 22:10-13) Assim, da mesma forma, se hoje você se encontra na festa do Cordeiro, que é sua igreja visível, mas você não está revestido de santidade, você, no último dia, será lançado nas trevas exteriores, no inferno. J. C. Ryle diz em seu livro "Santidade, sem a qual ninguém verá o Senhor", afirma: "Evidência, evidência, evidência será a única prova aceita perante o grande trono branco, quando os livros forem abertos, quando os túmulos entregarem seus ocupantes, quando os mortos forem convocados ao tribunal de Deus! Este não é um assunto para ser tratado levianamente, nem para cometer qualquer erro doutrinário ou crer em nenhuma heresia, pois como vimos as conseqüências são eternas. Este ensino é tão importante que 11 das 40 parábolas (número total da Bíblia de Estudo NVI) de Jesus tocam neste assunto. 1/4 das parábolas de Jesus avisam:
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (2)

Evidência será a única prova aceita perante o grande trono branco! E, por fim, o versículo de nosso texto central: Romanos 8:13 - Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.

A PROPOSTA DA PREGAÇÃO
É diante da importância desse glorioso tema que esta pregação é feita, visando  Explicar as gloriosas promessas da salvação de nosso Deus e a relação delas com a santificação (2 Coríntios 7:1)  Derrubar dois gigantes que lutam contra a santidade do crente através da rocha das Escrituras, para que vocês possam com a espada do Espírito cortar suas cabeças foras. E esses gigantes são: legalismo e antinomismo (os quais serão explicados mais tarde)  Incentivar todos os santos, diante destas promessas, a purificar-se de toda a imundícia da carne e do espírito e aperfeiçoar a santificação no temor de Deus. (2 Coríntios 7:1, Hebreus 12:14)

QUEM ME LIVRARÁ DO CORPO DESTA MORTE?
O TESTEMUNHO DAS ESCRITURAS
No final do capítulo 7 há o desesperado grito: Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Antes de tratarmos da questão da santificação, para podermos entender melhor o plano da salvação que nos motiva a santificação, precisamos tratar de outro grande assunto registrado na bíblia: A depravação do homem! Ouça o testemunha das Escrituras em relação a depravação do homem. Ela afirma que: por um homem [Adão] entrou o pecado no mundo (Romanos 5:12); e, nós, estando unidos com ele, também pecamos e adquirimos uma natureza pecaminosa e que, por causa disso, o homem é formado em iniqüidade e concebido em pecado (Salmo 51:5) e seu coração é inteiramente inclinado para o mal desde a infância (Gênesis 6:5; 8:21 e Salmo 58.3); Isso resulta que todos pecaram (Romanos 3:23). Sendo assim, não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus; todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um só. (Romanos 3:10-12). Este problema não é algo meramente superficial, mas atinge o próprio centro do ser humano, seu coração. Porque: é do interior do coração dos homens que saem os frutos do pecados e da carne (Marcos 7:21-23; Gálatas 5:19-21) e o coração dos filhos dos homens está cheio de maldade (Eclesiastes 9:3) e é enganoso mais do que todas as coisas, e perverso (Jeremias 17:9) Por causa disso a Bíblia declara que o homem:

VoltemosAoEvangelho.com

"Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (3)

é servo do pecado (João 8:34), inimigo de Deus (Romanos 1:30), trevas (Efésios 5:8), filho do diabo (João 8:44; 1 João 3:10), filho da ira (Efésios 2:3), ignorante e duro de coração (Efésios 4:18) está morto em ofensas e pecados (Efésios 2:1; Colossenses 2:13), separados da vida de Deus (Efésios 4:18) sua vontade está presa aos laços do diabo (II Timóteo 2:25) e seu entendimento e consciência estão contaminados (Tito 1:15) e por isso, não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente (I Coríntios 2:14) e não deseja a salvação, vindo a Cristo para ter vida (João 5:40). Sendo assim, nenhum homem tem vontade ou capacidade para se salvar, afinal: "Quem do imundo tirará o puro? Ninguém" (Jó 14:4) ou "quem poderá dizer: Purifiquei o meu coração, limpo estou de meu pecado?" (Provérbios 20.9) O homem natural tem, portanto, dois grandes problemas: (1) Ele é culpado diante de Deus (2) Ele possui uma natureza corrupta

NENHUMA BOA OBRA
Analisemos agora o verso 7 e 8 de nosso texto base: Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. (Romanos 8:7,8) Paulo declara que o "corpo esta morte" se inclina somente para as coisas da "carne" e portanto é inimigo de Deus, porque se rebela ativamente contra a perfeita e sábia lei de Deus. Em seu orgulho, o homem quer ser mais sábio que Deus e ditar sua própria lei, sua própria moral e viver sua própria vontade, para sua própria glória. Este estado é humanamente irreversível: "nem, em verdade, o pode ser". Não há nada que o homem possa fazer em seus próprios esforços para se livrar dessa miserável condição por dois motivos: (1) quem, sendo impuro pode purificar a si mesmo? (2) o homem caído não deseja tal fim, pois ele ama o pecado e o serve. A conclusão de Paulo é também a nossa: "os que estão na carne não podem agradar a Deus". Não há uma única ação de um pecador que possa agradar a Deus. Três razões porque isto é verdade são: (1) Paulo declara em 1 Coríntios 13 que toda ação desprovida de amor é de nenhuma valia. Logicamente, isto é válido para nossa relação horizontal, um com os outros, mas é muito mais real em nossa relação vertical, com Deus. Como toda ação de um ímpio não é baseada no "ame ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças" (Marcos 12:30), tal ação, além de violar o primeiro e maior mandamento (e conseqüentemente todos os outros), é de zero valor diante de Deus. (2) Paulo também declara que toda ação deve ser feita para a glória de Deus (1 Coríntios 10:31 - Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus) Logo, toda ação que não tem como fim supremo a glória de Deus é um ato de idolatria, quer seja alimentar os pobres ou amparar os doentes, violando assim segundo mandamento. E é por isso que o profeta declara que TODOS os nossos atos de justiça são como trapo de imundícia diante de Deus (Isaías 64: 6).
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (4)

A SOLUÇÃO DIVINA
NENHUMA CONDENAÇÃO: A JUSTIFICAÇÃO
Após a terrível exclamação anterior, há mais uma brado agora, não de agonia, mas de alegria: Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Diante do entendimento sobre a depravação e o pecado do homem, podemos entender quão grande alívio deve ser poder bradar: "não há nenhuma condenação". Mas, por que não há condenação? E, qual condenação? 1. A resposta de Deus ao pecado: condenação A Palavra declara que Deus odeia tanto o pecado quanto o pecador, tanto a maldade, quanto os que a praticam. Hebreus 1:9, diz que Cristo amou a justiça e odiou a iniqüidade, Salmo 5:5 e 11:5, diz que Deus odeia a todos os que praticam a maldade, ao ímpio e ao que ama a violência Deus se ira tanto com o pecado quanto com o pecador. É o que diz: Salmo 7:11 - Deus é juiz justo, um Deus que se ira todos os dias. João 3:36 - Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. Romanos 1:18 - Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Contudo, o ódio de Deus ou a ira de Deus não é um descontrole emocional como o nosso. Deus é santo e seu ódio e sua ira também são santos e justos. O ódio de Deus é a repulsa moral que Ele tem contra o pecado. Seus olhos são tão santos que Habacuque 1:13 diz que Deus é tão puro de olhos, que não pode ver o mal, não no sentido de Deus não ser onisciente, mas no sentido da repulsa que Deus tem diante da horrível visão do pecado. E a ira de Deus é a manifestação dessa Sua repulsão. Deus deve condenar o pecado e odiá-lo, ou, senão, ele não seria nem justo, nem santo e nem amor, porque se Deus ama a justiça, Ele, conseqüentemente, deve odiar a injustiça. Considere os monstros do filme O Senhor dos Anéis. Seres abomináveis! Quando vemos o filme, nossa reação é de ódio contra tais seres vis. Ficamos felizes quando tais seres são exterminados da face da Terra. Assim, lhe digo, que será no último dia, quando Deus lançar os ímpios e os anjos decaídos no inferno. Haverá alegria e louvor em Sião quando a Babilônia for condenada, conforme no diz Apocalipse 18 e 19. 2. O Grande Dilema A grande questão é que você é injusto. Você é o monstro que contamina a terra. E se Deus é justo, Ele não pode simplesmente deixar você sair impune, porque Provérbios 17: 15 diz que "absolver o ímpio e condenar o justo são coisas que o Senhor odeia." 3. Em Cristo Jesus: Expiação e Justificação Diante do fato de que: (1) Você é (ou era) um pecador por natureza e nascimento (2) Você não consegue, nem pode, nem deseja fazer nada para se salvar (3) Deus deve condenar o pecador eu espero que você possa estar compreendendo a alegria que deve ser exclamar: "não há condenação". Porém, outra de nossas perguntas era: como não há condenação? E esta resposta
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (5)

é resumida por Paulo na expressão: "em Cristo". Que gloriosa expressão. Quão profundo deleite é a união com Cristo. Deixe-me explicar melhor o que "em Cristo" diz a respeito de sua justificação. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; (Romanos 8:1-3) Deus enviou Seu Filho em semelhança da carne do pecado para condenar o pecado na carne de Cristo na cruz. Ou seja, o Verbo se fez carne (João 1:14); Cristo "que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz." (Filipenses 2:6-8). O Pai, na cruz de Cristo - a expiação do Cordeiro que tira o pecado do mundo (João 1:29) condenou o pecado de todos aqueles que estão unidos a Cristo pela fé de tal forma que agora não há mais condenação! Zero! Nenhuma! Mas não é só isso, a Justiça imaculada de Cristo é imputada a todo o que crê. Todos aqueles que estão em Cristo são declarados justos pelo Juiz de toda a Terra. Ah! que você possa se deleitar nessa gloriosa Boa Nova do Evangelho! Esta justificação é feita exclusivamente "pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8,9) Paulo declara maravilhosamente isto em Tito 3: Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. (Tito 3: 3-7) Há inúmeros outros preciosos versículos como Romanos 3:24 - Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Hebreus 10:14 - Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. 1 Coríntios 6:11 - E é o que alguns têm sido, mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espírito do nosso Deus. e tantos outros.

IMPLICAÇÕES NA SANTIFICAÇÃO
1. Derrubando o Primeiro Gigante: Legalismo O Cristianismo é um esquema "para justificar o ímpio" [Romanos 4:5], através da morte de Cristo por eles, "quando eles ainda pecadores" [Romanos 5:6-8], um esquema "para nos reconciliar com Deus, quando éramos inimigos [Romanos 5:10]; e para tornar os frutos de santificação os efeitos, não a causa, de sermos justificadas e reconciliados. William Wilberforce (1759–1833), político britânico líder do movimento abolicionista do tráfico negreiro. Este entendimento (juntamente com a justificação) nos ajuda a derrubar nosso primeiro gigante: o legalismo. Legalismo, segundo Ernest F. Kevan,
"Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (6)

VoltemosAoEvangelho.com

"é o mau uso da lei; é confiar na observância dela para ser aceito por Deus; mas a observância orgulhosa da lei não faz parte da graça de Deus." É tentar pelas suas próprias obras ser aceito diante de Deus. É a prática de todas as outras falsas religiões, inclusive a dos fariseus. Todos os que assim crêem e praticam no último dia chegarão diante de Cristo e afirmaram: "mas eu não fiz isto e aquilo?" (Mateus 7:22) e essa ação será como oferecer um presente com trapos sujos dentro a Deus. E, Cristo, que vê a maldade do coração, declarará: "Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade" (Mateus 7:23). Se você até a presente data tem buscado ser "santo" (aos seus próprios olhos) para poder ser aceito por Deus, esta é a sua situação. Você é legalista que não entende a gravidade do pecado e a santidade de Deus; e você corre sérios riscos de ser lançado no inferno no último dia. Até que o pecado se torna para você terrivelmente pecaminoso (Romanos 7:13) e você, em desespero, consiga declarar "miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?", você jamais conseguirá desfrutar da alegria da justificação e dos prazeres da santificação. 2. Não Confunda! Confie, Descanse e se Alegre! Na justificação, a palavra a ser dirigida ao homem é "crê, simplesmente crê". Na santificação, a mensagem deve ser "vigia, ora e luta". Aquilo que Deus separou não devemos misturar e confundir. J. C. Ryle, (1816-1900, ministro do Evangelho) Entender a distinção da Justificação e Santificação já é um passo da Santificação, porque toda obra que não é feita sob este entendimento já é um pecado em sua essência. Toda obra que busca o favor judicial de Deus, a não ser a obra de Cristo, é um terrível pecado. Como diz John Piper: "Você só pode ter vitória sobre um pecado perdoado". Portanto, confie que Cristo é seu Suficiente e Único Salvador, que a obra da cruz te perdoou de todos os pecados que você cometeu, comete e cometerá e se alegre! Louve a Deus bradando: "Graça a Deus por Jesus Cristo". Não lute contra seu pecado para que ele seja perdoado. Lute contra seu pecado que já foi perdoado para que você possa ser cada vez mais como Cristo. Lute contra o pecado para que ele possa ser mortificado na cruz, porque se você está unido espiritualmente a Cristo, se você está "em Cristo", você está juntamente crucificado com Cristo. Como diz: Romanos 8:10 - E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça. Gálatas 5:24 - E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.

SEGUNDO O ESPÍRITO: REGENERAÇÃO E ADOÇÃO
Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. [...]Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.[...]Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. (Romanos 8:4,5,6,9,14,15,16) Até agora só tratamos de um dos dois problemas do homem: sua culpa diante de Deus. Contudo há outro igualmente grande problema: a natureza decaída do homem. Se todo o efeito
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (7)

da cruz de Cristo fosse a justificação para todo aquele que crê, então nós simplesmente não teríamos ninguém no céu, porque não há no homem a vontade de crer e buscar a Deus. Não que o homem não seja capaz fisicamente de desejar isso, mas moralmente o homem está casado com o pecado e cegamente apaixonado pela iniqüidade. Então como um homem passa de ser "segundo a carne" para "segundo o Espírito"? A salvação de nosso Deus e o sacrifício de nosso Cristo são completos e eficazes. Cristo não comprou somente nossa justificação na cruz, mas também a legalidade e o direito da regeneração pelo Espírito de todos aqueles que foram eleitos pelo Pai. Então, a resposta de como um homem passa de ser "segundo a carne" para "segundo o Espírito" é esta: é necessário que você nasça de novo. Veja o que Jesus diz em João 3:5-8: Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.(João 3:5-8) Sendo assim, regeneração ou novo nascimento ou ainda ser nova criatura: é a obra de adoção do Pai por meio de Jesus Cristo na vida de um eleito (Efésios 1:5) que ocorre pela ação Soberana e Livre do Espírito Santo (João 3:5-8, Tito 3:5) onde este é gerado de novo para uma viva esperança (1 Pedro 1:3) pela palavra da verdade (Tiago 1:18) e se torna uma nova criatura (2 Coríntios 5:17), Nesta obra sobrenatural o eleito recebe: um novo coração, onde o coração de pedra (duro e resistente a Deus) é trocado por um coração de carne (sensível a Deus) (Ezequiel 11:19; 36:26). Este coração de carne é aberto a Palavra (Atos 16:14), possui a lei inscrita em si (Jeremias 31:33) e é cheio de temor divino que não permite que o eleito se afaste de Deus (Jeremias 32:40) e, por causa desta gloriosa ação do Espírito o eleito é capaz de receber o dom divino da fé (Efésios 2:8,9), o recebe e crê que Jesus é o Cristo (I João 5:1)

IMPLICAÇÕES NA SANTIFICAÇÃO
1. Refine seu Paladar Espiritual Transformado Entender quão vil e repugnante é o pecado e o quanto ele fere a dignidade de Deus é um grande incentivador a santidade; quão mais excelente e prazerosa é a justiça, nos conduzirá a cada vez mais odiar o pecado e amar a justiça assim como Cristo; que o pecado traz um prazer pervertido e momentâneo e que, como diz o Salmo 16:11, na presença de Deus há fartura de alegrias e à mão direita de Deus há prazeres perpetuamente. Ah! considere a terrível natureza enganadora do pecado, atraindo você para a condenação e para a morte! Dizendo que "só um pecado não faz mal", que "você já foi perdoado mesmo, então não faz diferença", que "ninguém vai saber". Considere a capacidade do pecado de te fazer parar de pensar. O pecado é o ato mais irracional e tolo de qualquer ser humano. Pense! Será que este "clique e estarei na pornografia" vale a pena? Será que esta mentira, esta fofoca, este julgamento falso, está crítica não edificante vale a pena? Será que vale a pena violar os dois mandamentos mais importantes, no qual toda a lei se resume: amarás a Deus e o próximo? Considere quão grande tristeza o pecado não causa tanto para o crente quanto para o Espírito Santo?
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (8)

Ah! considere também quão prazerosos são os deleites dos santos. Quem aqui não tem alegria e prazer em orar ao Senhor, em ouvir o ensino do Espírito pela Palavra, em desfrutar de conversas celestiais com os irmãos? Portanto lute pela sua alegria e satisfação em Cristo nas coisas celestiais, nas quais você deve ocupar sua mente (Colossenses 3:2). 2. Não Confunda! Agrade o Pai, confie em Cristo diante do Juiz Dizer que você não pode fazer nada para aumentar ou mudar sua justificação diante do Juiz de Toda Terra não significa que o Pai não se entristeça com seu pecado ou não se agrade com sua santificação. Qualquer ação, mesmo de um crente maduro na fé, está manchada pelo pecado, cheia de defeitos e imperfeições em maior ou menor grau. Por isso, nossos frutos jamais servirão para nos justificar. Contudo, as Escrituras declaram que Deus se compraz dos sacrifícios da prática do bem e da mútua cooperação (Hebreus 13:16) e que devemos guarda os Seus mandamentos e fazer diante dele o que lhe é agradável (I João 3:22) Imagine um pai e seu filho. Este, pode praticar tanto obras que agradem a seu pai, quanto obras que o desagradem. Contudo, tais ações não farão um pai amoroso expulsar ou renegar o filho, mas sim discipliná-lo para que ele possa crescer em integridade. Assim é com nosso Pai celeste que sabe nos dar boas coisas (Mateus 7:11 e Hebreus 12:10). Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossa ignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo” (1Pe 1.14-16). 3. Exploda em Gratidão e Admiração A gratidão é ao mesmo tempo um fruto da santificação e uma motivação para a mesma. Considere tudo o que Deus fez em Cristo para resgatar você - a Soberana e Incondicional Eleição do Pai, a Expiação do Filho e a Regeneração do Espírito - e exploda em ação de graças. Graças ao Deus Trino que me salvou, porque a salvação vem do Senhor (Jonas 2:9) Contemple, medite e admire essa glorioso esquema da salvação "'para justificar o ímpio' [Romanos 4:5], através da morte de Cristo por eles, 'quando eles ainda pecadores' [Romanos 5:68], um esquema 'para nos reconciliar com Deus, quando éramos inimigos' [Romanos 5:10]; e para tornar os frutos de santificação os efeitos, não a causa, de sermos justificadas e reconciliados" e seja estimulado a perseverar na santificação. Quem corre atrás do pecado quando está meditando na grandeza de Deus? Ou é orgulhoso quando está prostrado ante a Cruz? Ouçam o apelo do apóstolo Paulo: 2 Coríntios 7:1 - Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus.

GLORIFICAÇÃO (COMPLETAR)
E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. 18 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada. (Romanos 8:11,17,18)

VoltemosAoEvangelho.com

"Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (9)

A SANTIFICAÇÃO
CRISTO MORREU PARA SUA SANTIFICAÇÃO
Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito (Romanos 8:3,4) Podemos definir santificação com "a graciosa e contínua operação do Espírito Santo pela qual Ele liberta o pecador justificado da corrupção do pecado, renova toda a sua natureza à imagem de Deus, e o capacita a praticar boas obras" (Berkhof). Cristo morreu para que a justiça da lei se cumprisse não só fora de você, judicialmente, através da justificação, mas "em você", através da regeneração, santificação e glorificação. E isso ocorre naqueles que andam segundo o Espírito, que nasceram de novo, como vimos anteriormente.

VOCÊ MORTIFICA
O que nos leva ao próximo versículo. De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. (Romanos 8:12,13) do qual deriva a famosa frase de John Owen “Mate o pecado, ou ele matará você” (John Owen, pregador puritano) Todos nós aqui, que fomos justificados pelo sangue de cruz vertido na cruz, regenerados pela obra sobrenatural do Espírito e adotados pelo amor incondicional do Pai somos devedores não à carne, mas ao Espírito! Você foi comprado por uma alto preço. Você não é mais seu próprio dono, senhor ou mestre. Cristo o é! Se você anda segundo o Espírito você é um feliz e alegre escravo de Cristo, que tem seu trabalho, sua santificação não como algo penoso (1 João 5:3), mas como um sacrifício de amor (Hebreus 13:16). Como escravo conquistado, comprado e voluntário de Cristo, você é devedor da graça e totalmente responsável pela sua santificação. Você deve mortificar as obras do corpo. Você não faz isso sozinho. Você faz isso "pelo Espírito", que explicaremos logo adiante, mas você deve fazêlo. Não há nenhuma desculpa que você possa dar porque como nos diz 2 Pedro 1:3, Deus "como o seu divino poder [já] nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade". Como você pode levantar qualquer desculpa diante da grandeza de nossa salvação, como vimos até agora. do poder Soberano do Pai na eleição que escolheu você antes da fundação do mundo do poder eficaz da cruz que pagou o preço de todos os que crêem de tal forma que já não há mais nenhuma condenação do poder efetivo do Espírito Santo em ressuscitar espiritualmente você, que estava morto em pecados e delitos através do novo nascimento, tornando você filho de Deus Levantar qualquer desculpa a santificação já é um pecado em si mesmo: um pecado de incredulidade; e sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11:6)

DERRUBANDO O SEGUNDO GIGANTE: ANTINOMISMO
Antinomismo significa contra-o-sistema-da-lei . Ele vê a própria lei de Deus como o inimigo real. (O legalismo é, paradoxalmente, um tipo de antinomismo.) O Antinomismo propõe que pelo faro de o crente ser salvo somente pela graça, ele
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (10)

deve de agora em diante não ter nenhum relacionamento com a lei moral. A era do Espírito, diz-se, substituiu a era da lei. (John W. Robbins) Antinomismo é a falsa doutrina de que diz "se somos justificados pela graça, por meio da fé então eu posso pecar quanto eu quiser" "se a graça se mostra mais graça quando peco, então por que não pecar mais?" Esse é justamente o ponto de Paulo em Romanos 6: Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? (Romanos 6:1,2) A fé que nos justifica, a fé dos eleitos não é uma fé separada de arrependimento e santificação. A fé que nos une a Cristo, nos une a Cristo em sua morte e sua crucificação, de tal forma que aquele que realmente crê, está já morto para o pecado! Aqueles que recebem a Cristo, recebem o Cristo que odeia a iniqüidade e ama a justiça e o amam e buscam ser igual a Ele. Toda fé diferente dessa não é uma fé que salva, mas sim fé de demônios (Tiago 2:19) A pessoa que diz que pode viver descuidadamente porque não está debaixo da lei, mas debaixo da graça, precisa verificar bem se não está debaixo da ira.(J. Blanchard)

PERDA DE SALVAÇÃO?
Então, "se eu não mortificar pelo Espírito as obras da carne eu irei para o inferno, isso significa que eu posso perder minha salvação? Afinal, Paulo mandou essa carta para a igreja de Roma. E a resposta para essa pergunta está em todo contexto de nosso versículo. Quero apresentar 2 motivos porque esta não era a idéia de Paulo: 1. Não há Nenhuma Condenação Paulo declara que aqueles que andam segundo o Espírito (aqueles que nasceram de novo) não possuem nenhuma condenação contra eles. Nenhuma. Não há como você ter nenhuma condenação e depois ser mandado para o inferno. A justificação que é pela fé (um dom de Deus e não do homem, para que ninguém se glorie) é uma justificação perpétua, porque o sangue de Cristo é um sangue eficaz. Para todos os que são cobertos pelo sangue de Cristo há seguinte realidade será eternamente verdadeira: "não há nenhuma condenação". A vida eterna não é parcialmente eterna, mas sim eterna. 2. A Corrente de Ouro O segundo argumento porque Paulo não se referia a perda de salvação encontra-se nos versos 28-30 do mesmo capítulo. E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou. (Romanos 8:28-30) Observe o que o texto diz: (1) Deus predestinou alguns com um fim: serem conforme Jesus. E agora Paulo explica como Deus atingirá este fim. (2) Os que Ele predestinou, Ele chamou e essa chamado é totalmente eficaz segundo 1 Coríntios 1:22-24, onde Cristo, através da regeneração do Espírito, é recebido como Salvador e se torna poder de Deus, e sabedoria de Deus. Este chamado é um chamado diferente da pregação do Evangelho a todos. Este chamado específico é a obra do Espírito Santo na vida daqueles que Deus predestinou.
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (11)

(3) E os que chamou também justificou, pela graça, através da fé na expiação de Cristo. Fé que não vem de nós, mas procede de Deus. Ou seja, Deus está moldando seus eleitos para serem conformes a Cristo e a primeira coisa que Ele trata é a posição judicial de culpado deles. (4) E os que justificou, também glorificou. Paulo agora mostra como Deus resolve o segundo problema: uma natureza corrompida. Deus através do "Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus e que habita em nós, assim como ressuscitou a Cristo dentre os mortos também vivificará os nossos corpos mortais" e nos tornará a imagem do Seu Filho. Aleluia! Ninguém que foi justificado não será glorificado. A Salvação é uma obra Sobrenatural de Deus que é do começo ao fim pela graça. Então o que Paulo quis dizer? Bom, Paulo quis dizer que se você não mortificar pelo Espírito as obras do corpo você vai para o inferno. Justamente o que está escrito. Quero ler novamente a frase de William Wilberforce que nos ajudará em nosso entendimento: O Cristianismo é um esquema "para justificar o ímpio" [Romanos 4:5], através da morte de Cristo por eles, "quando eles ainda pecadores" [Romanos 5:6-8], um esquema "para nos reconciliar com Deus, quando éramos inimigos [Romanos 5:10]; e para tornar os frutos de santificação os efeitos, não a causa, de sermos justificadas e reconciliados. (William Wilberforce) Ou seja, mortificar o pecado pelo Espírito não é a raiz de sermos justificados ou reconciliados com Deus, mas antes o fruto disso. A santificação ocorre porque Deus nos justificou e porque temos Deus ao nosso lado e não o contrário. Sendo assim, a santificação é a única evidência, o fruto de que Deus o elegeu, chamou, justificou e glorificará. Se você não está fazendo guerra contra o pecado, então há poucas evidências de que você seja salvo.

OBRAS DO CORPO
Agora, Paulo fala para mortificarmos pelo Espírito as obras do corpo. Mas o que serão estas obras do corpo? O motivo de Paulo não explicar aqui o que significa isso é porque ele já explicou antes. 1. Senhorio Romanos 6:6 - Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. A primeira figura que Paulo nos mostra é o pecado tentando levar nosso corpo a servi-lo. 2. Reinado Romanos 6:12 - Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; A segunda figura é o pecado tentando reinar em nosso corpo. 3. Instrumentos Romanos 6:13 - Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. E a terceira é o pecado tentando usar nosso corpo como instrumento da iniqüidade. As obras do corpo são as obras que nossos membros estão prontos para fazer quando o pecado está tentando tomar controle, senhorio, reinado sobre eles e usá-los como instrumentos. É quando o pecado quer tomar conta dos seus olhos para acessar aquele site pornográfico, ou da sua boca para ser mau com um irmão, ou da sua mão para ser violento, ou dos seus ouvidos para ouvir uma fofoca e gostar disso. Mate essas coisas! Não deixe que o pecado seja senhor ou rei de seu corpo e o use para a iniqüidade. Porque aqueles que estão em Cristo, que foram unidos com Cristo também foram
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (12)

unidos em sua crucificação e morte. Ou seja, existe uma realidade espiritual onde você já está morto para o pecado, agora traga isso a realidade em sua vida. Assim como Cristo recusou as oportunidades que não eram da vontade do Pai de fugir da cruz você também deve rejeitar toda tentativa da carne, do mundo e do diabo para te afastar da sua crucificação das obras da carne. Seja enfático como Cristo: "arreda-te Satanás". E assim como Cristo foi o Cordeiro mudo na cruz, não desejando sair dela, mas levando-a em obediência, assim também você deve carregar e aceitar os sofrimentos e a vergonha da cruz para cada vez mais estar em conformidade com o Filho. Faça guerra contra toda tentativa da carne de descer da cruz, contra todo "só um pouco, já estou cansado", "depois eu volto"!

PELO ESPÍRITO
Agora entramos no mistério do versículo 13. O que significa "pelo Espírito"? Sou eu que devo matar o pecado? O Espírito? Como faço isso "pelo Espírito"? Quero passar três conceitos: 1. Abrindo o mistério da cooperação com o Espírito: três outros versículos Quero colocar mais três versículos onde idéias similares aparecem para que você possa entender melhor o que significa "pelo Espírito": 1 Pedro 4:11 - Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém. Pedro está falando sobre o uso dos dons e o serviço e a mordomia cristãos. Ou seja, enquanto estou aqui pregando eu devo pregar de tal forma que eu pregue pelo poder que Deus dá para que Deus seja glorificado por Jesus Cristo e não a mim. Devo depender da força de Deus de tal maneira que ao encerrar este sermão seus olhos estejam fixos em Cristo e não em um ser tão pequeno quanto eu. Só que isto não só se aplica a mim, mas a todos os cristãos. Você deve viver sua vida dependente da força divina e não da sua de tal forma toda glória vá para ele. É isso que Jesus quis dizer em: João 15:8 - Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto Mateus 5:16 - Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. Nosso próximo versículo é: 1 Coríntios 15:10 - Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo. Aqui Paulo fala que ele trabalhou mais que todos os outros apóstolos. Ele se esforçou pra valer. Mas então, ele faz uma pausa e diz: "não eu, mas a graça de Deus". E a pergunta é: "como eu vivo uma vida onde eu me esforce, mas não eu, contudo a graça de Deus em mim"? E por fim, Filipenses 2:12,13 - operai a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. Paulo fala: "você desenvolva a sua salvação e não desenvolva de qualquer maneira e, sim, com temor e tremor". Porém, ele prossegue dizendo: "porque Deus é que opera tanto no querer quanto no efetuar". Então, você pode se questionar: "Mas eu pensei que era eu". Afinal, sou eu ou Deus que trabalha? E a resposta é: você pelo Espírito. Então mortificar pelo espírito significa: (1) depender da força que Deus nos supre (2) depender da graça de Deus que atua conosco (3) depender na ação de Deus em nós tanto no querer ser santo quanto na execução prática de nossa santidade
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (13)

Cabe ressaltar que o confiar em Deus não é nunca algo passivo, mas sim ativo. Que depender da ação do Espírito não significa que você não terá sua parte e responsabilidade em sua santificação. Atente a esta frase de John Owen nos ajuda muito no entendimento desta relação: "O Espírito trabalha em nós e conosco, e não contra nós ou sem nós." (John Owen) 2. Então, como fazê-lo? Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; (Romanos 8:5,6; NVI) Assim, o primeiro direção que temos é: voltar as mentes para as coisas do Espírito. Mortificar o pecado envolverá sua mente, envolverá seu pensar. Você deve pensar nas coisas do Espírito. Mas o que são as coisas do Espírito? Paulo usa esta mesma expressão em 1 Coríntios 2:13 As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. (1 Coríntios 2:13) Ou seja, pensar nas coisas do Espírito é pensar nas palavras que Paulo falou não em sabedoria humana. Num contexto mais geral, pensar nas coisas do Espírito é pensar na Palavra Inspirada de Deus. Fixe sua mente nessas coisas no momento da tentação. Este é nossa segundo direcionamento. E esta realidade está por toda a Bíblia, veja: Salmos 119:9-11 - Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos. Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. João 17:17 - Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Sem observação da Palavra com todo coração, sem guardar as Escrituras no coração, sem a Verdade não há santificação. Como nosso mestre lutou contra as tentações senão pela Palavra? E, por fim, mais um versículo. Quando Paulo está falando da armadura espiritual em Efésios 6, o que é que temos em nossa mão para matar o pecado, mortificar as obras do corpo? Efésios 6: 17 - a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Sem a Palavra de Deus inundando abundantemente em sua mente, você não terá a espada do Espírito e sem espada como você pretende matar o pecado? E para defender-nos dos dardos do inimigo? Efésios 6: 16 - Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. E como a fé se dá? Gálatas 3:5 - Aquele, pois, que vos dá o Espírito, e que opera maravilhas entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé? Romanos 10:17 - De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Deus nos dá o Espírito e a pregação da fé e a fé que vem pela pregação para que possamos realizar a maravilhosa operação da mortificação do pecado. Sendo assim, a Palavra é fundamental em sua santificação. E esse é um dos motivos porque eu comecei tão longe para chegar neste ponto. Enquanto estive falando sobre pecado, justificação, regeneração e adoção eu estava exercitando a pregação da fé para que você pelo Espírito, pela Palavra, mate o pecado. E é, por isso, que entender as promessas da salvação é tão essencial para a santificação.
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (14)

2 Coríntios 7:1 - Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. 3. Três ilustrações práticas Quero agora dar três ilustrações práticas da relação da Palavra, das "tais promessas" com nossa purificação. i. Mentir e Roubar

Em breve haverá o fim da declaração do imposto de Renda e essa é uma situação onde mentir e ocultar é uma grande tentação. E Paulo nos diz: "Mate isso"! Pense: é melhor eu roubar esse dinheiro do que confiar em Deus, sendo que Deus em sua Palavra assegurou que (1) eu não preciso ficar ansioso e inquieto pelo que comer, beber e vestir porque Deus sabe o que eu preciso até mesmo antes de eu pedir (Mateus 6); (2) eu não preciso ficar ansioso e inquieto por nada, mas posso orar ao Deus de Todo Universo (Filipenses 4:6); (3) que o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males (1 Timóteo 6:10). Mate pelo Espírito esse desejo apaixonado pelo dinheiro ou esse amor ao dinheiro matará você! ii. Pornografia e Luxúria

Aqui está você pronto para abrir uma revista pornográfica, pronto para acessar um site pornográfico. Por quê? Porque a mentira do pecado e o engano do diabo diz que você vai se sentir bem, tão bem. E você irá se sentir bem por um momento, isso é mortalmente verdade. Portanto, pense (1) no horror do pecado, como já falamos anteriormente; (2) como isso se você é casado afeta já imensamente seu casamento, e você ainda não é casado, como afetará; (3) lembre-se que como diz Mateus 5:8, "bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus". Você quer ver a Deus mais claramente, deslumbrar sua glória em Cristo através da Palavra de forma mais clara? Então, mate pelo Espírito esse desejo apaixonado pela luxúria ou esse amor a pornografia matará você! iii. Raiva

Ah, quão perigosas são a ira e a raiva. Aquele sentimento de frustração com sua esposa ou seu esposo, com seu patrão, com seu irmão de igreja acumulado por tanto tempo, porque eles não agiram correto com você. E você se sente no direito de que eles te devem algo. Quero te contar a parábola de Jesus de Mateus 18. Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves. Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaramse muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor,
VoltemosAoEvangelho.com "Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (15)

chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas. (Mateus 18:23-35) Se você tem problemas com ira, você precisa meditar nesta parábola e neste capítulo de Mateus. Pense como Cristo perdoou você, mesmo você sendo infinitamente pior que a pessoa que pecou contra você. Lembre-se quem muito é perdoado, muito ama (Lucas 7:47)

ALVO DA SANTIFICAÇÃO (COMPLETAR)

CONCLUSÃO
Quero encerrar levando você a meditar em tudo o que vimos até agora. (1) Que somos miseráveis pecadores merecedores de toda ira e condenação de Deus ao ponto de você clamar: "miserável homem que sou; quem me livrará do corpo desta morte?"; (2) Que Deus providenciou uma saída para nossa culpa ao sacrificar seu filho na cruz pelos nossos pecados, para que todos que tem fé em Cristo possam declarar: "não há mais condenação"; (3) Que Deus providenciou uma saída para nossa natureza pecaminosa na regeneração (novo nascimento, nova criatura) do Espírito para que possamos em alegria indizível dizer: "porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte"; (4) Que podemos ter a certeza que somos perpetuamente salvos e viveremos eternamente se estamos demonstrando o fruto da santificação, isto é, matando o pecado; (5) Que Cristo morreu e o Espírito age em mim para que eu possa mortificar pelo Espírito (isto é, pela Palavra, pelas promessas do Evangelho) as obras do corpo (que são o pecado tentando reinar sobre meu corpo levando meus corpos a seres servos e instrumentos da iniqüidade). E, por fim, quero finalizar lendo o final de Romanos 8: Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. (Romanos 8:31-38)

Por Vinícius Musselman Pimentel Website: voltemosaoevangelho.com Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

VoltemosAoEvangelho.com

"Porque temos tais promessas, purifiquemo-nos ", Vinícius Pimentel - pág. (16)