P. 1
Integral Parte1 Alunos

Integral Parte1 Alunos

|Views: 12|Likes:
Published by Layoan Mascarenhas

More info:

Published by: Layoan Mascarenhas on Mar 05, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/12/2014

pdf

text

original

- IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF

- FURG - I

- IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - IMEF - FURG - I Bárbara Rodriguez

Notas de Aula de Cálculo

Integral Indenida - Parte I

23 de outubro de 2012 Cinthya Meneghetti Cristiana Poal

FURG .FURG .FURG .FURG .FURG .IMEF .FURG NOTAS DE AULA DE CÁLCULO Instituto de Matemática.I .I Autoras: Bárbara Rodriguez Cinthya Meneghetti Cristiana Poal Universidade Federal do Rio Grande .FURG .IMEF .IMEF .IMEF ..IMEF .IMEF .FURG .IMEF .IMEF .IMEF .FURG .IMEF .FURG .IMEF .FURG .FURG . Estatística e Física .IMEF .FURG .FURG .FURG .IMEF .IMEF .FURG .FURG .IMEF .IMEF 1 Notas de aula de Cálculo .IMEF .FURG .

. . . 1.FURG .IMEF . . 1. . . .14 Integral de f (u) = cosec(u)cotg(u) . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . .FURG . . . .5. . . .13 Integral de f (u) = sec(u)tg(u) .2 Propriedades da Integração Indenida . . . . . . . . . . . . . . . . .IMEF . . . .. . . . .5 Regras de Integração . .FURG . . . . .FURG . . . . . .FURG . . 1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . .10 Integral de f (u) = cosec(u) .8 Integral de f (u) = cotg(u) . . . . . . . . . . . . . . . .IMEF . . . . . . . .FURG . . . . . . .IMEF .5. . . . . . .4 Integral de f (u) = au .12 Integral de f (u) = cosec2 (u) . . .5. . . . . . . . .IMEF . . . . . . . . . . . . . . .7 Integral de f (u) = tg(u) . . . 1. . . . . . . . .FURG . . . . . . . . .I . . . . . . . . . . . 1 1.1 Integral da Potência . .3 Regra da Potência de x: . . . . . . . . . . 1. . . . u 1.11 Integral de f (u) = sec2 (u) . . . 4 5 6 7 9 9 9 10 10 12 12 13 14 14 15 15 16 16 16 3 2 . . . . . . . . . 1. .5. . .FURG .FURG .3 Integral de f (u) = . . . . . .IMEF .5. . . . . . . . . . . .IMEF . . . . . . . .IMEF . 1. . . . . . . . . .FURG . . . . . . . . . . . . . . . .FURG . . . . . . . 1. . . .IMEF . . . .FURG . . . .FURG .2 Integral de f (u) = eu . . . .I Sumário 1 Integral Indenida 1. . . . . . . . 1.IMEF . . .5. . 1. .5. . . . . . . . . .IMEF . . . . . . . . .5.IMEF . . .FURG . . . . . . . . . . 1. .IMEF . . . .5. . . . . . . . . . .FURG . . . .IMEF .6 Integral de f (u) = cos(u) . . . . . . . . 1. . . . . . .FURG . .5. . . . . . . . . . . . . . . .IMEF .4 Método da Substituição . . . . 1. .9 Integral de f (u) = sec(u) . . . . . . . . . . . .5. . . . 1. .5 Integral de f (u) = sen(u) . . . . .1 Denições . 1. . . . 1. . .IMEF . . . . . . . .5.

FURG . dx Os problemas de cálculo integral dependem da operação inversa do cálculo diferencial. f (x) = x3 e a sua derivada f (x) = 3x2 .FURG .IMEF .0. embora existam innitas integrais indenidas para f (x) que diferem apenas pela constante C . O processo utilizado para encontrar a função f (x) é chamado de integração e é indicado pelo símbolo .IMEF .FURG .FURG . logo: f (x)dx = f (x) + C .IMEF .FURG . o problema f (x). a qual recebe o nome de integral ou pri- mitiva da função. Lê-se: a integral indenida de f (x)dx é igual a f (x) mais uma constante C .I .IMEF . posto antes da diferencial conhecida.FURG .IMEF .FURG .IMEF . que derivação e a integração são operações inversas uma da outra. onde C é uma constante arbitrária.FURG .IMEF .FURG .IMEF . a derivada f (x) é única.IMEF . Seja a função 3x2 dx = x3 + C .IMEF .IMEF .IMEF ..FURG . Deste modo.IMEF . pode-se dizer. dada por: [f (x)] = f (x).IMEF .FURG . ou seja: Dada a diferencial se resume em encontrar tal função d (f (x)) = f (x)dx de uma função f (x).FURG .IMEF .FURG . Exemplo 1. de maneira informal.FURG .FURG . então 3 . ou usando a diferencial d(f (x)) = f (x)dx. De fato: seja uma função f (x).IMEF .I Capítulo 1 Integral Indenida No cálculo diferencial aprende-se como calcular a derivada de uma função d f (x).1.FURG .

1. duas a duas. uma família de curvas planas congruentes que.IMEF . dx 4 Notas de aula de Cálculo .IMEF . Se F (x) é uma função primitiva da função f (x).FURG .IMEF . podem ser superpostas através de translações convenientes realizadas na direção do eixo y .FURG .IMEF . C é uma constante de integração.IMEF . a) Se F (x) = x2 . Exemplo 1.IMEF .IMEF .FURG . Portanto. DEFINIÇÕES 1.IMEF .FURG . onde: x é a variável de integração. b) Se F (x) = x2 + 1.2.FURG . Considere a função f (x) = 2x.1. sendo representada por: f (x)dx = F (x) + C.1. então F (x) = 2x = f (x).1. F (x) é a função primitiva.1. temos F (x) = f (x). Exemplo 1.FURG .. para todo x ∈ I . então F (x) = 2x = f (x).FURG .IMEF .IMEF . representa.1.IMEF .IMEF .1 Denições x3 é primitiva da função f (x) = x2 . Seja f (x) = cos(x).FURG . geometricamente. f (x) é a função integrando. A função F (x) = Denição 1. 3 Denição 1.IMEF .2.IMEF .1.FURG .FURG . então sen(x) é uma função primitiva de cos(x).FURG .FURG . a) Se d (sen(x)) = cos(x). Exemplo 1. então F (x) = 2x = f (x).FURG .3.IMEF .FURG .I 1.FURG . pode-se concluir que: A integral indenida de uma função.FURG . quando existe. é o símbolo de integração. c) Se F (x) = x2 − 1.IMEF .FURG . Uma função F (x) é chamada de primitiva ou integral da função f (x) em um intervalo I se.I .1. então F (x) + C é também função primitiva de f (x) e é chamada de integral indenida da função f (x).

ou seja: Kf (x)dx = K f (x)dx.IMEF . d Portanto. determina-se a derivada da solução F (x) + C .IMEF .FURG . ii) A integral da soma algébrica de funções é igual a soma algébrica das integrais indenidas de cada função. então sen(x) + 3 é uma função primitiva de cos(x).IMEF .FURG .FURG .FURG .FURG . então sen(x) + k é uma primitiva de cos(x).FURG .IMEF .IMEF . √ 1 3 1 3 1 1 x . x + 2.1.IMEF . = x2 . pois: a) b) c) d) d dx d dx d dx d dx 1 3 x 3 = x2 . 1.FURG .2. então sen(x) − 8 é uma função primitiva de cos(x).IMEF .FURG . Se f (x) = y.FURG .FURG . x3 + 2 são primitivas da 3 3 3 3 1 3 x +2 3 1 3 x −5 3 1 3 √ x + 2 3 Observação 1. dx sendo k uma constante. x3 − 5.FURG .FURG . g : I → R e K uma constante. então a primitiva está correta. dx b) Se .2 Propriedades da Integração Indenida Sejam as funções f . Exemplo 1. As funções função f (x) = x2 . ou seja: [f (x) ± g(x)] dx = f (x)dx ± g(x)dx.IMEF . dx d c) Se (sen(x) − 8) = cos(x).1. PROPRIEDADES DA INTEGRAÇÃO INDEFINIDA d (sen(x) + 3) = cos(x).FURG .FURG .1.3. No exemplo 1.FURG . Exemplo 1. tem-se que y é constante.IMEF .IMEF .IMEF . . se (sen(x) + k) = cos(x).IMEF .IMEF . Se essa derivada for igual a função f (x). mas se for diferente.. então: i) A integral do produto de uma constante K por uma função f (x) é igual ao produto da constante K pela integral da função.I .I 1. então existe algum erro nos cálculos. .IMEF . então ydx = yx + C é uma primitiva de f (x) = y . Uma função pode apresentar mais de uma primitiva as quais diferem por uma constante. pois em relação a variável de integração x. tem-se a primitiva geral da função cos(x) igual a sen(x) + k.5.FURG . = x2 .4.1.IMEF . Para vericar se uma função primitiva f (x) foi calculada corretamente.FURG .1. 5 Notas de aula de Cálculo . = x2 .IMEF .

FURG .IMEF .IMEF . Tem-se que f (x) = x0 .3. n = −1.I .IMEF .I 1. REGRA DA POTÊNCIA DE X: iii) A diferencial da integração de uma função é igual ao elemento de integração: d f (x)dx = f (x)dx. n+1 Observação 1..IMEF .FURG .IMEF .FURG . 1.1.FURG .IMEF . pois neste caso f (x) = 1.1. verica-se que a derivada da expressão resultante é igual a xn : d dx xn+1 +C n+1 = (n + 1) xn+1−1 = xn .IMEF . ou seja: xn dx = xn+1 + C.FURG .IMEF . 3 x x x √ 3 √ x2 + 4 x √ x c) Ic = dx.IMEF . iv) A derivada da integral indenida de uma função é igual a função integrando: d dx f (x)dx = f (x). Importante! Não existe uma regra para a integral do produto e/ou do quociente de duas funções.FURG . b) Ib = 6 1 + √ + 3 dx. x0+1 + C = x + C. 0+1 Exemplo 1.FURG . 6 Notas de aula de Cálculo .FURG .FURG .FURG . logo x0 dx = dx = x + C .3.FURG .IMEF .IMEF .3 Regra da Potência de x: A integral de uma função potência é uma outra função potência obtida do integrando aumentando-se seu expoente de 1 e dividindo-se a expressão resultante pelo novo expoente.3.FURG .IMEF .IMEF .FURG .IMEF . Calcule as integrais: a) Ia = (x3 + 5x7 )dx.FURG .IMEF .FURG . n+1 De fato.IMEF .FURG . ou ainda.FURG .

IMEF . isto é.FURG . MÉTODO DA SUBSTITUIÇÃO 1.FURG .IMEF .FURG .FURG .IMEF .IMEF .1.IMEF .FURG .IMEF .4. substituindo-se u em In e obtém-se o resultado da integral Ih .IMEF .IMEF .FURG .IMEF . n+1 un+1 Deste modo.IMEF .FURG . Portanto. 1 Exemplo 1. du = cos(x)dx. Substituem-se tais expressões na integral Ih e obtém-se uma nova integral na variável u.4 Método da Substituição A fórmula un du = + C. n = −1. como segue: Ih = sen3 (x) + C. então du é a diferencial dessa função.FURG .IMEF .FURG . Logo. n+1 I1 = (9x2 − 1) 3 xdx. quando u é alguma função x. Calcule a integral: Exemplo 1..FURG .2.I 1.FURG . Resolve-se a integral If pelo método da substituição. No entanto.IMEF .FURG .FURG . pode-se escrever a regra da potência na seguinte forma: un du = un+1 + C. u = f (x) e du = f (x)dx. Calcule as integrais: a) Ia = d) Id = g) Ig = j) Ij = Solução: (5x + 2)4 dx cos(3x) sen(3x) + 2 3x dx (a + bx2 )3 arcsen(x) √ dx 1 − x2 b) Ib = dx √ 3 2x + 1 dx sen(2x) 1 + sen2 (x) 2 c) Ic = dx √ x2 + x4 dx e) Ie = h) Ih = k) Ik = f) If = i) Ii = ln2 (x) dx x sec(3x) 1 + tg(3x) 2 sen (x) cos(x)dx 2 + ln(x) dx x dx h) Ih = sen2 (x) cos(x)dx.FURG .I . n = −1 parece ser uma variação da n+1 regra da potência de x na qual a variável x é substituída por u. n = −1.FURG .FURG . o método de integração por substituição se escreve como: [f (x)]n f (x)dx = [f (x)]n+1 + C. 3 Como se considerou u = sen(x). 3 7 Notas de aula de Cálculo .4. retorna-se para a variável original x.4.IMEF .FURG .IMEF . fazendo-se a mudança de variável: u = sen(x).IMEF .IMEF . ou seja: In = u2+1 u du = +C 2+1 2 (Regra da Potência) = u3 + C.

.FURG . MÉTODO DA SUBSTITUIÇÃO i) Ii = sec(3x) 1 + tg(3x) 2 dx.FURG .IMEF .IMEF .IMEF .FURG .FURG . então retorna-se para a variável original x substituindo-se u em In e obtém-se o resultado da integral Ij .FURG .IMEF .IMEF .FURG . 1 Sabe-se pelas relações trigonométricas que sec(3x) = .4.FURG .IMEF . substituindose u em In e obtém-se o resultado da integral Ii . arcsen(x) √ dx.IMEF . du = √ dx. obtém-se a nova integral na variável u: In = udu = = u1+1 +C 1+1 u2 + C.FURG .IMEF . + tg(3x))2 Utilizando-se o método da substituição.FURG .FURG .IMEF . como segue: Ij = arcsen2 (x) + C.FURG .IMEF .IMEF . utilizando-se a seguinte mudança de variável: u = arcsen(x).FURG .IMEF . 3 du dx Logo.IMEF . 3u Como u = 1 + tg(3x).FURG .IMEF . 3(1 + tg(3x)) j) Ij = Resolve-se a integral Ij pelo método da substituição.FURG . 1 − x2 Portanto.FURG . Após a substituição dessas 2 (3x) cos 3 cos2 (3x) expressões na integral Ii . obtém-se a nova integral na variável u: 1 du 1 In = = u−2 du (Propriedade i) 2 3 u 3 = 1 3 u−2+1 +C −2 + 1 (Regra da Potência) 1 = − u−1 + C 3 1 = − + C. 2 8 Notas de aula de Cálculo .I .IMEF .FURG . Substituindo-se tais expressões na integral 1 − x2 Ij . 2 1 (Regra da Potência) Inicialmente se considerou u = arcsen(x). retorna-se para a variável original x.FURG . resolve-se a integral Ii com a mudança de variável: u = 1 + tg(3x). du = dx e = .I 1. cos(3x) Logo: Ii = 1 cos(3x) 2 1 + tg(3x) dx = cos2 (3x)(1 dx . como segue: Ii = − 1 + C.IMEF .

IMEF .FURG .FURG .IMEF . n+1 f (u) = eu Seja a função exponencial de base e. a integral de f (u) é uma outra função potência obtida do integrando aumentando-se seu expoente de 1 e dividindose a expressão resultante pelo novo expoente n + 1.IMEF .IMEF . n = −1. REGRAS DE INTEGRAÇÃO Exercício 1. estão algumas regras de integração usadas com frequência no cálculo integral: 1.FURG . f (u) = eu e sabendo-se que a sua derivada é f (u) = eu . Exemplo 1.FURG .IMEF .IMEF . ou seja: un du = 1.FURG .IMEF .FURG . Calcule as integrais: a) Ia = c) Ic = √ √ ex dx ex − 5 b) Ib = d) Id = 9 xe−x dx 2 e x √ dx x earctg(x) dx 1 + x2 Notas de aula de Cálculo .1 Integral da Potência Considere a função potência f (u) = un .IMEF .4.FURG .2 Integral de un+1 + C.IMEF ..5.IMEF .FURG . têm-se que a integral da função f (u) é: eu du = eu + C.FURG .FURG .I .FURG .5.5.1.IMEF .FURG .FURG .FURG .I 1.FURG .5.IMEF .IMEF .IMEF .1.IMEF .FURG . Calcule as integrais: a) Ia = d) Id = g) Ig = √ 1 x− √ x dx b) Ib = e) Ie = h) Ih = x2 (x2 − 1)dx x2 (1 − 4x3 ) 3 dx 2 + 3x dx 1 + 4x + 3x2 1 c) Ic = f) If = 1 dx (2x − 3)2 x3 2 − x3 2 5 √ x dx 5 − 4x2 −5 dx √ 1 (1 + x) 4 √ dx x √ Respostas: a) Ia = x 2 − 2 x + C 3 2 3 √ b) Ib = x5 x 3 − +C 5 3 1 1 − 4x3 16 4 3 c) Ic = − +C (2x − 3)−1 +C 2 −4 √ d) Id = − g) Ig = 5 − x2 +C 4 5 4 e) Ie = − √ f) If = 5 3 2 − x3 20 +C √ 8 1+ x 5 +C h) Ih = 1 + 4x + 3x2 + C 1.5 Regras de Integração Nesta seção.FURG .IMEF .

. Mostre que: a) b) senh(x)dx = cosh(x) + C .IMEF . 1. Logo.IMEF . pode-se resolver a integral Ia utilizando-se o método da substituição. obtém-se uma nova integral In na variável u: In = du √ = u u− 2 du 1 1 u− 2 +1 = +C −1 + 1 2 = 2u 2 + C.FURG . ou seja. ln(a) 10 Notas de aula de Cálculo .IMEF .IMEF .FURG .IMEF .FURG .FURG .FURG .FURG .FURG .IMEF .FURG . pelo processo inverso da diferenciação.5.IMEF .IMEF . obtém-se: Integral de f (u) = u 1 du = ln |u| + C.IMEF .IMEF . Exercício 1.FURG . ex − 5 Pela regra de integração eu du = eu + C .FURG .I 1. u Exemplo 1.FURG .FURG .IMEF . du = ex dx. u > 0.5.5.4 Integral de f (u) = au Considere uma função f (u) = au .3 1 u Sabendo-se que dada uma função f (u) = ln(u).FURG .FURG .5. então obtém-se que: au du = au + C.FURG .IMEF . e sabendo-se que a sua derivada é igual a f (u) = au ln(a). REGRAS DE INTEGRAÇÃO Solução: a) Ia = √ ex dx. retorna-se para a variável original x substituindo-se u em In para se obter o resultado da integral Ia : √ Ia = 2 ex − 5 + C. Como consequência.1. Calcule as seguintes integrais: a) Ia = 1 dx 4x b) Ib = e2x dx e2x − 4 c) Ic = dx cos2 (x)(3tg(x) + 1) 1.FURG .IMEF .2.IMEF . então. 1 (Regra da Potência) Como considerou-se inicialmente u = ex − 5.FURG . fazendo-se a mudança de variável: u = ex − 5. cosh(x)dx = senh(x) + C .IMEF .5.I .IMEF . e que sua derivada 1 corresponde a f (u) = .

FURG .FURG .FURG .IMEF . 6 ln(2) 3 Retorna-se a variável inicial em Ia e obtém-se: Exercício 1.5. obtém-se uma nova integral In na variável u: In = 2u du 1 = 2u du (Propriedade i) 6 6 1 2u = + C.IMEF .FURG . logo.5.IMEF .IMEF .I . fazendo-se a mudança de variável: u = 2x3 au e portanto tem-se du = 6x2 dx.IMEF . Calcule as integrais: a) Ia = Solução: x2 22x dx 3 b) Ib = 62x ln(6)dx c) Ic = (3x + 1)3(3x 2 +2x) dx a) Ia = x2 22x dx.FURG .FURG .IMEF .FURG .FURG .FURG .IMEF .IMEF .IMEF .IMEF .5. 4 ln(a) + 1 4 ln(a) 11 Notas de aula de Cálculo .IMEF .FURG . Deste modo.FURG .IMEF . REGRAS DE INTEGRAÇÃO Exemplo 1.IMEF .FURG .2. utiliza-se o método da subln(a) stituição para resolver a integral Ia .FURG .FURG .3.IMEF . (Integral Imediata) 6 ln(2) 22x Ia = + C. Respostas: a) Ia = (ex + 1)7 +C 7 1 2 b) Ib = ln |arctg(x)| + C d) Id = − ln |1 − 6x − 9x2 | + C f) If = 3x ex +C ln(3) + 1 1 6 c) Ic = ln |sen(2x)| + C ax e) Ie = − +C 2 ln(a) 2 g) Ig = e4x e2x a2x a4x + + + C.FURG .IMEF .IMEF ..FURG .I 1.FURG . Calcule as seguintes integrais: a) Ia = c) Ic = e) Ie = g) Ig = ex (ex + 1)6 dx cos(2x) dx 2sen(x) cos(x) ax dx x2 e2x + a2x 2 2 b) Ib = d) Id = f) If = dx (1 + x2 ) arctg(x) (3x + 1) dx 1 − 6x − 9x2 3x ex dx dx. 3 Sabendo-se que au du = + C .

FURG .FURG . Calcule as seguintes integrais: a) Ia = sen(2x + 1)dx √ sen( x) 2x x sen(2x ) + √ − 1 + x2 x 2 3 1 cos( x ) x 1 1 √ + + x+ x2 x x 2 b) Ib = dx sen(ln(x)) dx x ex cos (ex )dx √ x cos( x2 + 1) √ dx. retorna-se a variável Ia = − cos(2x + 1) + C.IMEF .5.FURG .IMEF .IMEF .IMEF . Reescrevendo-se a integral na variável u tem-se: In = sen(u) du .5.FURG .IMEF . chega-se à integral imediata da função seno: In = 1 2 sen(u)du = − cos(u) + C.FURG . 2 x para se obter o resultado de Ia : Como foi considerada inicialmente que u = 2x + 1. então: Sendo a função f (u) = sen(u) e sabendo-se que a sua derivada é igual a cos(u)du = sen(u) + C.IMEF . REGRAS DE INTEGRAÇÃO 1..FURG .IMEF .6 Integral de f (u) = cos(u) f (u) = cos(u).IMEF .FURG .5.IMEF . x2 + 1 12 Notas de aula de Cálculo .5 Integral de f (u) = sen(u) f (u) = −sen(u). 2 f) If = √ x cos( x2 + 1) √ dx.FURG . Exemplo 1. du = 2dx.5. Sabendo-se que pelas integrais imediatas a procede-se com a seguinte mudança de variável: u = 2x + 1. então: Seja a função f (u) = cos(u) e sabendo-se que a sua derivada é igual a sen(u)du = − cos(u) + C.FURG .IMEF .I .FURG . 2 Aplicando a propriedade i.FURG .FURG .FURG .FURG .IMEF .FURG . 1. sen(u)du = − cos(u) + C .IMEF .IMEF . logo. x2 + 1 c) Ic = e) Ie = Solução: d) Id = f) If = dx a) Ia = sen(2x + 1)dx.FURG .FURG .4.I 1.IMEF .IMEF .IMEF .

FURG .7 Integral de f (u) = tg(u) Seja a função f (u) = tg(u). cos(u) sen(u) . chega-se a integral imediata da função cosseno: In = cos(u)du = sen(u) + C.. Demonstração: Sabe-se que a função tangente é denida por tg(u) = pode-se reescrever a integral como tg(u)du = sen(u) du. x2 + 1 Reescrevendo-se a integral na variável u.IMEF .FURG .IMEF .FURG . Exemplo 1.FURG .IMEF .IMEF .FURG .IMEF .IMEF . Retorna-se à variável x e obtém-se: √ If = sen( x2 + 1) + C. tem-se: v = cos(u) e dv = −sen(u)du.5.IMEF . sua integral é tg(u)du = ln | sec(u)| + C.IMEF .IMEF .FURG .FURG .IMEF . Obtém-se assim: tg(u)du = − ln |(cos(u))| + C = ln | sec(u)| + C.FURG .IMEF . portanto cos(u) Utilizando-se o método da substituição.I 1. Aplicando-se a propriedade dos logaritmos: − ln | cos(u)| = ln |(cos(u))−1 | = ln | sec(u)|. Calcule as integrais: a) Ia = Solução: tg(3x)dx b) Ib = tg(ln(x)) dx x 13 Notas de aula de Cálculo . (Integral Imediata) v Retornando-se à variável u: In = − ln | cos(u)| + C.IMEF .IMEF . 1.FURG .FURG . logo.FURG . REGRAS DE INTEGRAÇÃO Procede-se inicialmente com a mudança de variável: u= √ x2 + 1.IMEF .FURG .IMEF .I .FURG .FURG . du = √ x dx. Reescreve-se a integral na variável v e: In = − dv = − ln |v| + C.IMEF .5.5.FURG .FURG .5.FURG .

FURG . sen(u) cos(u) . Exemplo 1.FURG .FURG .IMEF .5. Demonstração: 14 Notas de aula de Cálculo .IMEF .FURG . (Integral imediata) 3 Retornando-se à variável x.FURG .IMEF .IMEF .FURG . obtém-se: 1 1 Ia = − ln | cos(3x)| = ln | sec(3x)| + C.IMEF .FURG .IMEF . portanto pode-se sen(u) Aplicando-se o método da substituição. (Integral Imediata) v Retorna-se à variável original u e aplica-se a propriedade dos logaritmos: In = ln |sen(u)| = − ln |cosec(u)| + C.9 cotg(5x)dx b) Ib = cotg(e−x ) dx ex Integral de f (u) = sec(u) Seja a função f (u) = sec(u).FURG . onde v = sen(u) e dv = cos(u)du: In = dv = ln |sen(v)| + C.IMEF .FURG .8 Integral de f (u) = cotg(u) Seja a função cotangente f (u) = cotg(u).FURG .IMEF .FURG . sua integral é: sec(u)du = ln | sec(u) + tg(u)| + C. e aplica-se a mucos(3x) dança de variável: u = cos(3x).5.FURG .IMEF . Calcule as integrais: a) Ia = 1. sen(3x) dx.5.FURG .IMEF . sua integral é: cotg(u)du = − ln |cosec(u)| + C.IMEF .FURG .IMEF .FURG . então du = −3 sen(3x)dx.5.IMEF .IMEF .. Demonstração: A função cotangente é denida como cotg(u) = escrever a integral da forma: cotg(u)du = cos(u) du.I 1.6. (Propriedade dos Logaritmos) 3 3 1.FURG .I . REGRAS DE INTEGRAÇÃO a) Ia = tg(3x)dx.IMEF .FURG .IMEF . Tem-se: Pode-se reescrever essa integral como In = − 1 du du =− (Propriedade i) 3u 3 u 1 = − ln |u| + C.

FURG . A integral acima é obtida aplicando-se o processo inverso na fórmula du d(tg(u)) = sec2 (u) .FURG .IMEF .FURG . multiplica-se e divide-se o integrando pelo termo [sec(u) + tg(u)].5.1..I .FURG .IMEF .FURG . (esse termo permite o uso do método da substituição). Exemplo 1.IMEF .7.IMEF .IMEF .FURG .IMEF .IMEF .FURG . fazendo u = cosec(u) − cotg(u) e dv = [cosec2 (u) − cosec(u)cotg(u)] du obtém-se: cosec(u)du = ln |cosec(u) − cotg(u)| + C. f (u) = cosec(u) Considere a função f (u) = cosec(u) sua integral é da forma: cosec(u)du = ln |cosec(u) − cotg(u)| + C.5.FURG .5.FURG . isto é: In = sec(u) sec(u) + tg(u) du = sec(u) + tg(u) sec2 (u) + sec(u)tg(u) du.FURG . fazendo v = sec(u) + tg(u) e dv = [sec(u)tg(u) + sec2 (u)] du: In = 1.IMEF .IMEF .5.IMEF .FURG . 3 Integral de f (u) = sec2 (u) Seja uma função f (u) = sec2 (u).FURG .IMEF .IMEF .IMEF .IMEF . sec(u) + tg(u) Finalmente. Para resolver a integral de f (u) = cosec(u) deve-se multiplicar e dividir o integrando pelo termo [cosec(u) − cotg(u)].FURG . correspondente de derivação dx dx 15 Notas de aula de Cálculo .FURG .FURG . resolve-se a integral pelo método da substituição.IMEF . cosec(u) − cotg(u) Através do método da substituição.5.I 1. isto é: In = cosec(u) − cotg(u) cosec(u) du = cosec(u) − cotg(u) cosec2 (u) − cosec(u)cotg(u) du.11 sec 6 x dx 5 b) Ib = x3 dx cos(x4 ) c) Ic = cosec x dx.IMEF . (termo que permite o uso do método da substituição). Demonstração: cosec(u)du = − ln |cosec(u) + cotg(u)| + C.FURG . Calcule as integrais: a) Ia = 1.FURG . REGRAS DE INTEGRAÇÃO Para determinar a integral da função secante. Observação 1. sua integral é da forma: sec2 (u)du = tg(u) + C.10 Integral de sec(u)du = ln | sec(u) + tg(u)| + C.

5. Calcule o resultado de: a) Ia = Solução: sen(2x) dx cos2 (2x) b)Ib = ex cosec(ex )cotg(ex )dx a) Ia = sen(2x) dx.FURG . 2 Retornando à variável x. dx dx 1.IMEF .FURG .5.IMEF .FURG . A integral de f (u) é dada sec(u)tg(u)du = sec(u) + C.FURG . Considere a função f (u) = cosec2 (u).IMEF .IMEF . cos2 (2x) Através de manipulações trigonométricas chega-se a: Ia = sen(2x) dx = cos(2x) cos(2x) du 1 = 2 2 tg(2x) dx = cos(2x) sec(2x)tg(2x)dx.FURG .FURG .IMEF .IMEF .FURG . Fazendo a mudança de variável u = 2x e du = 2dx e pela propriedade i: In = sec(u)tg(u) sec(u)tg(u)du = 1 sec(u) + C.IMEF .I .IMEF .FURG .IMEF . 2 16 Notas de aula de Cálculo . Obtenha o resultado de: a) Ia = 1.FURG .5.8.9.IMEF .FURG . d(cosec(u)) du = −cosec(u)cotg(u) . Sua integral é da forma: A integral acima é obtida aplicando-se o processo inverso na fórmula d(cotg(u)) du correspondente de derivação = −cosec2 (u) . REGRAS DE INTEGRAÇÃO 1.FURG . A integral de f (u) é obtida através da fórmula correspondente de derivação d(sec(u)) du = sec(u)tg(u) .5.13 dx dx e2x sec2 e2x dx b) Ib = [1 − cosec(x)]2 dx Integral de f (u) = sec(u)tg(u) por Seja a função denida por f (u) = sec(u)tg(u).IMEF .5.FURG .12 Integral de f (u) = cosec2 (u) cosec2 (u)du = −cotg(u) + C..FURG .IMEF .IMEF .FURG .14 Integral de f (u) = cosec(u)cotg(u) Considere a função f (u) = cosec(u)cotg(u).FURG . sua integral é dada por cosec(u)cotg(u)du = −cosec(u) + C.IMEF .FURG . dx dx Obtém-se a integral acima integrando-se ambos os membros da equação Exemplo 1.5. Exemplo 1.IMEF . obtém-se: Ia = 1 sec(2x) + C.I 1.IMEF .FURG .

FURG .I 1.IMEF . 2 17 Notas de aula de Cálculo .IMEF .FURG . REGRAS DE INTEGRAÇÃO Exercício 1.IMEF .IMEF .IMEF .IMEF .FURG .FURG . (*)Outras respostas equivalentes: Ia = sin2 (x) 2 1 2 1 2 + C .3.I .IMEF .FURG .FURG .IMEF .5. Calcule as seguintes integrais: a) Ia = d) Id = g) Ig = j) Ij = sen(x) cos(x)dx cotg(3x − 1)dx b) Ib = e) Ie = h) Ih = k) Ik = cos2 (x)dx c) Ic = f) If = dx x cos(x2 )dx sen(x) dx cos(x) dx cos(2x) tg(πx)dx sec2 (x) 1 + tg(x) cosec(2x)cotg(2x)dx 1 x sec2 3 1 x dx 3 i) Ii = tg2 sec2 (x)etg(x) dx..FURG .IMEF .IMEF .FURG .FURG .IMEF .IMEF .FURG .FURG .FURG .FURG .IMEF . Respostas: a) (∗)Ia = − c) Ic = cos(2x) +C 4 b) Ib = 1 sen(2x) +x +C 2 2 1 3 sen(x2 ) +C 2 1 π d) Id = ln |sen(3x − 1)| + C f) If = ln | sec(x)| + C h) Ih = 2 1 + tg(x) + C j) Ij = tg3 1 x +C 3 e) Ie = − ln | cos(πx)| + C g) Ig = − cosec(2x) + C i) Ii = ln | sec(2x) + tg(2x)| + C k) Ik = etg(x) + C. Ia = − cos2(x) + C .IMEF .FURG .FURG .IMEF .5.FURG .FURG .IMEF .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->