P. 1
Responsabilidade Civil Aula2

Responsabilidade Civil Aula2

|Views: 7|Likes:

More info:

Published by: Felipe Andrade Alves on Mar 09, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/26/2015

pdf

text

original

RESPONSABILDADE CIVIL

RESPONSABILIDADE CIVIL: NOÇÕES GERAIS

Profa. Ma. DANIELA TEIXEIRA

Mestra pela UCSal, RPPS; Bacharela em Direito, pela UEFS; Advogada e consultora jurídica. Membro do NEF; Pesquisadora em Tributação Municipal; Pesquisadora em Meio Ambiente do Trabalho e Conflitos Coletivos de Terra.

RESPONSABILIDADE CIVIL
 1 aula: introdução, responsabilidade, ato ilícito, abuso de direito;  1 aula: nova teoria do ato ilícito;  2 aulas: elementos da responsabilidade civil;  1 aula: Excludentes;  1 aula: responsabilidade civil em serviços diversos;  5 aulas: seminários sobre os direitos e o seu abuso;  1 aula: revisão para a prova.

.RESPONSABILIDADE CIVIL • Responsabilidade Civil em Geral: Conceito de responsabilidade. Ato ilícito como fonte da obrigação de indenizar. Histórico.

.A responsabilidade civil pode definida como a situação de quem sofre as consequências da violação de uma norma. ou como a obrigação que incumbe a alguém de reparar o prejuízo causado a outrem.RESPONSABILIDADE CIVIL . pela sua atuação ou em virtude de danos provocados por pessoas ou coisas dele dependentes.

• Para que haja a responsabilidade civil. . da Lex Aquilia (286 a. • Francisco de Assis Toledo: “atribuir a alguém as consequências danosas do seu comportamento”. criando um direito punitivo. parte-se do princípio que há uma norma jurídica preexistente que foi violada.C).RESPONSABILIDADE CIVIL • O Direito Romano começou a tratar da responsabilidade civil. • França produziu o melhor do direito civil até primeira parte do século XX: Irmãos Mazeaud.

2v.Pai da responsabilidade civil: José de Aguiar Dias (Ministro do TFR – Tribunal Federal de Recursos-> STJ-CF/1988 e os TRFs).Antoine de Saint-Exupéry. ela pergunta: “quem foi o responsável por isso?”. Ex. É inerente as relações humanas. . Obra “Da responsabilidade civil”. mãe chega em casa e vê o vaso quebrado.RESPONSABILIDADE CIVIL .Segundo José de Aguiar Dias: “toda manifestação humana traz em si o problema da responsabilidade”. Editora forense. -. -.

.Responsabilidade: Moral (religiosa. . etc. civil. tributária. p.CONCEITO: A responsabilidade civil deriva da transgressão de uma norma jurídica preexistente (civil).RESPONSABILIDADE CIVIL . -Reponsabilidade é contratual ou extracontratual. resultando na imposição do dever de indenizar ao causador do dano (Pablo Stolze). processual.ex.). legal ou contratual.) e Jurídica (penal.

RESPONSABILIDADE CIVIL TARTUCE: A RC “surge em face do descumprimento obrigacional. pela desobediência de uma regra estabelecida em um contrato. . p. ou por deixar determinada pessoa de observar um preceito normativo que regula a vida” (2012. 415).

.Art. 395 ss-responsabilidade contratual). O caso fortuito ou de força maior verificase no fato necessário.RESPONSABILIDADE CIVIL • NORMA VIOLADA ___ CONTRATO (relação contratual violada-arts. . Não cumprida a obrigação. mais juros e atualização monetária segundo índices oficiais regularmente estabelecidos.. 393. • Parágrafo único. se expressamente não se houver por eles responsabilizado.) • Art. omissis (. 389. cujos efeitos não era possível evitar ou impedir. responde o devedor por perdas e danos.. e honorários de advogado. O devedor não responde pelos prejuízos resultantes de caso fortuito ou força maior. 389 ss.

Quando o contrato é descumprido o dano é presumido e a responsabilidade é contratual. .RESPONSABILIDADE CIVIL • Ex. o comportamento inadimplente viola a norma jurídica entre as partes. construtora: contrato que vincula credor e devedor.

a. Com esse comportamento causo dano a outrem. 186 a 188 e 927 ss. mas a lei estabelece uma norma geral que a ninguém é dado causar prejuízo a outrem • base para justificar a responsabilidade civil extracontratual. Não há um contrato prévio. • Ex. . no CC-arts. manobro carro e bato no carro de outra pessoa. séc. III.RESPONSABILIDADE CIVIL • NORMA VIOLADA ___ LEI (responsabilidade extracontratual ou aquiliana – Lex Aquilia de Damno. C).

187: define o abuso de direito. que também trata do ato ilícito. -art. . 186-7 definem a regra (sistema) geral da responsabilidade civil extracontratual: -art. • Arts. CC/2002.RESPONSABILIDADE CIVIL -. 186-187. 186: define o ato ilícito.Princípio “Neminem Laedere” (a ninguém é dado causar prejuízo a outrem): arts.

RESPONSABILIDADE CIVIL • art. econômico ou social. Ato ilícito = lesão a direito + dano. ao exercê-lo. • art. negligência ou imprudência. 187: “Também comete ato ilícito o titular de um direito que. . CC/1916). excede manifestamente os limites impostos pelo seu fim. violar direito e causar dano a outrem. comete ato ilícito” (art. 186: “aquele que por ação ou omissão voluntária. pela boa-fé ou pelos bons costumes”. 159. ainda que exclusivamente moral.

levado a efeito sem a devida regularidade. • Abuso de direito é “um ato jurídico de objeto lícito. mas cujo exercício.RESPONSABILIDADE CIVIL • Ato ilícito é o ato praticado em desacordo com a ordem jurídica. acarreta um resultado que se considera ilícito” (Rubens Limongi França). . violando direito e causando prejuízo a outrem (TARTUCE). • Abuso de direito é o ato praticado em exercício irregular de um direito (NERY Jr).

situando-se no mundo dos fatos jurídicos lato sensu. subjetivo.no abuso de direito. .RESPONSABILIDADE CIVIL • natureza jurídica (Tartuce): abuso de direito tem natureza jurídica mista: entre o ato jurídico e ato ilícito. a atividade do julgador ganha um cunho ideológico. fim econômico. bons costumes. de acordo com a doutrina: -. boa-fé.fim social. .

413: “os bons costumes previstos no art. • bons costumes: sociológico também. para permitir a sindicância da violação dos negócios jurídicos em questões não abrangidas pela função social e pela boa-fé objetiva”. da eticidade. 187 do CC possuem natureza subjetiva.V Jornada de Direito Civil.RESPONSABILIDADE CIVIL • fim social: p. . . • boa-fé: p. Enunciado n. e objetiva. destinada ao controle da moralidade social de determinada época. Boa-fé objetiva e também está na autonomia privada. da socialidade.

MAGISTRATURA. logo está implícito). pela definição.Reminiscência do Código Francês de 1. . uma ilicitude subjetiva (baseada .culpa ou dolo). . Nos arts.RESPONSABILIDADE CIVIL • Q. calcado na ideia de fool. enganar (intenção-culpa). O art. 186-7 consagrou-se a culpa ou dolo? . voluntária. .trazem o elemento da culpa lato sensu. 186 traz a conduta dolosa. segundo entende a doutrina.Há uma responsabilidade subjetiva. intencional.804. por negligência ou imprudência (culpa) (para alguns a imperícia é uma imprudência técnica.

não se investiga a intenção do seu titular. no art. utilizou-se do critério teleológico. consagrou um elemento meramente teleológico ou finalístico: abuso haverá. diz que o art. simplesmente. para se verificar o abuso de direito.RESPONSABILIDADE CIVIL • O LEGISLADOR. 187. analisa-se objetivamente se o titular excedeu os limites. o dolo. . ou da culpa. • Daniel Bôulos. quando o titular do direito desvirtuar a sua finalidade. independentemente da intenção (dolo). a culpa. em sua obra “Abuso de Direito no Novo Código Civil”. consagrou uma ilicitude objetiva. 187. ao definir o ABUSO DE DIREITO.

. e fundamenta-se somente no critério objetivofinalístico”. I Jornada de Direito Civil: “art.RESPONSABILIDADE CIVIL • responsabilidade objetiva (doutrina majoritária): Enunciado 37. A responsabilidade civil decorrente do abuso de direito independe de culpa. 187.

• Léon Duguit. desvirtuavam. diz que o direito à propriedade passou de direito absoluto. capitalista. herança do direito romano. para se vincular à sua função social. XIX. propriedade direito absoluto.RESPONSABILIDADE CIVIL • CURIOSIDADES HISTÓRICAS E CRÍTICAS: • ABUSO DE DIREITO: no início da discussão do tema. a propriedade era horizontal e vertical (do céu até o inferno). no fim do século XIX. utilizando o jus abutendi. ao longo do século XX. . • Caso Clément-Bayard: fim do séc. na relação do direito de propriedade. como “direito de abusar”.

RESPONSABILIDADE CIVIL • é lamentável a anacrônica previsão do §2º. ao definir o ato emulativo (abuso do direito de propriedade). consagra outras situações de ilicitude objetiva (independentemente de culpa ou dolo). . faz referência ao elemento intencional. do art. 1. a ser estudado oportunamente. desprezado pelo art. Legislador quis copiar o texto italiano e a própria doutrina na Itália já tinha aperfeiçoado esse tema.U.. 927. • Q. do art. 187. CC.228. Existem outras hipóteses de ilicitude objetiva no CC? O P. que. do CC.

RESPONSABILIDADE CIVIL • Enunciado 414. . V Jornada de Direito Civil: o abuso de direito tem fundamento nos princípios da solidariedade. do devido processo legal e da proteção da confiança. aplicando-se a todos os ramos do direito.

. §2º. 37.ética profissional: publicidade abusiva. .RESPONSABILIDADE CIVIL • Direito do consumidor: a publicidade abusiva como abuso de direito (art. .Red Bull: propaganda Nazaré: Jesus consumia antes de andar sobre as águas. Considerada abusiva em 2012. CDC).

o rompimento contratual abusivo. 9. . CF) e o abuso de direito do empregador: . a presença de multas contratuais abusivas. a elaboração de listas de maus empregados.TRT (indenização por publicidade vexatória de dispensa por justa causa). o assédio moral. o abuso ao não contratar. a previsão de cláusula de prorrogações sucessivas do contrato provisório. §2. etc.STF (direito de greve não é absoluto). . a previsão de adicional de assiduidade.RESPONSABILIDADE CIVIL • Direito do trabalho: a greve abusiva (art. .Edilton Meireles (cláusulas e práticas abusivas no contrato de trabalho: a remuneração aviltante.

RESPONSABILIDADE CIVIL • Direito processual: abuso no processo. 17. réu ou interveniente. . (. II . III . IV opuser resistência injustificada ao andamento do processo.) VII ..Art.usar do processo para conseguir objetivo ilegal. a lide temerária e o assédio judicial (arts.alterar a verdade dos fatos. 16 a 18. 16.Assédio judicial: quem exerce liderança.Art.deduzir pretensão ou defesa contra texto expresso de lei ou fato incontroverso. Responde por perdas e danos aquele que pleitear de má-fé como autor. induz os liderados a promoverem demandas descabidas. Reputa-se litigante de má-fé aquele que: I . .. . CPC): .interpuser recurso com intuito manifestamente protelatório.

CF).art. do dolo. . 5.direitos de vizinhança: art. §1º. .RESPONSABILIDADE CIVIL • Direito civil: direito das coisas. 1228. 1228. §2º.função socioambiental da propriedade (art. CC: direito de propriedade e direito ambiental. Abuso no exercício da propriedade. 1277. . CC.proibição do ato emulativo: art. que prevê a responsabilidade objetiva. 187. logo conflituoso com o art. CC. XXIII. CC: necessidade de “intenção de prejudicar a outrem”. . sem aferição da culpa. .

.RESPONSABILIDADE CIVIL -. CJF/STJ (aprovado pela I Jornada de Direito Civil): “a regra do art. 1228. em harmonia com o princípio da função social da propriedade e com o disposto no art. §2.Enunciado 49. CC”. 187. CC interpreta-se restritivamente.

aplica-se o D. direito do consumidor. responsabilidade civil. direito penal (já tem lei específica). Como não há uma norma específica.spam: contraria o fim econômico e social da internet.Patrícia Peck Pinheiro: conceitua direito digital como abrangente a todos os direitos existentes. RESPONSABILIDADE CIVIL . 12. Abuso de direito e atentatória a boa-fé objetiva. . Pode produzir lesão a direitos personalíssimos (art.• Direito digital ou eletrônico: spam e abuso de direito: . CC: reclamar que a prática cesse ou perdas e danos). Civil.

402). é o sofrimento que tira o sono da vítima. não é qualquer aborrecimento do cotidiano (186). por fato do próprio agente ou por fato de pessoas ou coisas que dele dependam. • Quem comete ato ilícito fica obrigado a reparar o dano causado a outrem.O dano moral é o abalo psicológico. O dano material são as perdas e danos (944.RESPONSABILIDADE CIVIL: RESUMO • RC: obrigação incumbe um agente a reparar o dano causado a outrem. seja esse dano material. 927) indenizando a vítima. (art. seja esse dano moral. é o prejuízo concreto e efetivo (403). .

Muito Obrigada! .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->