You are on page 1of 2

O livro: Ensino de História, organizado por Kátia Maria Abud.

Centra suas reflexões sobre a metodologia do ensino de História. No decorrer de dez capítulos os autores discorrem sobre as diversas possibilidades de incrementar o ensino de História. Nessa linha, o primeiro capítulo, intitulado: "Documentos escritos e o ensino de História", traz reflexões sobre o uso de documentos na sala de aula. Na introdução do artigo é ressaltado a importância do documento escrito. Uma pequena narrativa sobre a evolução da produção documental é realizada, bem como dos processos de arquivamento. Ainda na introdução o artigo lembra que o domínio das técnica arquivísticas é negligenciado nos cursos superiores de História. Esse ponto, serve de fio condutor para o autor explanar sobre as principais técnicas arquivísticas e sua utilidade para o professor ou pesquisador de História. Posteriormente, o artigo sugere atividades pedagógicas para serem realizadas em um arquivo público. O texto alerta da necessidade de espaço adequado e um número reduzido de alunos, o que nem sempre é possível em uma escola pública. Da parte do professor, é exigido uma analise preliminar do documento exposto para reunir o maior número de informação possível. Essa atividade docente permitirá situar o aluno no contexto histórico dos documentos analisados. Mais adiante, temos duas possibilidades de trabalho pedagógico em arquivos. Uma primeira possibilidade é o uso de documentos selecionados pelo arquivista. Esses documentos tem maior significação para a história que o arquivo se destina, contudo, pode não ter muita relação com o conteúdo programático usado pelo professor em sala de aula. Outra possibilidade seria a seleção de documentos "sob medida", a pedido do professor. Esta possibilidade daria mais trabalho ao arquivista, mas traria maior ganho didático ao aluno. Por fim, uma terceira solução seria a mescla das duas possibilidades anteriores. Onde documentos selecionados pelo arquivo serviriam como uma visão geral de um determinado fato histórico e documentos selecionados pelo professor serviriam como suporte do conteúdo dado em sala de aula. Na parte final do texto é apresentada uma proposta de trabalho pedagógico. Os documentos usados são duas cartas abertas, uma escrita por Luís Carlos Prestes e a resposta, desta carta, feita por Juarez Távora. Os textos se referem ao fim da república velha e os rumos que o país deveria tomar a partir daquele momento. Prestes pregava a revolução por meio das massas, já Távora defendia a mudança por meio do consenso entre as elites. Para trabalhar documentos históricos com os alunos um pequeno roteiro é sugerido: • • • Contextualização histórica: autoria; datação; localização geográfica e destinátario Objetivo: os alunos poderão discutir a intencionalidade, a finalidade do documento. Aspectos materiais: como foi feito, qual material foi usado, qual o tamanho do documento.

. ocorre defesa ou crítica de alguém.• Descrição do documento: qual é o assunto central. quais frases ou palavras sintetizam sua intenção. o texto termina lembrando que a análise de documentos presentes em livros • didáticos e paradidáticos não são as únicas alternativas para serem trabalhadas em salas de aula. Lembrar que nem o documento nem o historiador são neutros. Interpretação: após cumpridas todas as etapas anteriores os alunos compreenderão que nem sempre é possível apurar todas as informações de um documento. Por fim. Outro ponto ressaltado é a importância de se conhecer o caminho trilhado pelos documentos escritos para enriquecer o ensino de História. quais necessidades ou possibilidades de solução são apresentadas. com quais argumentos. Uma interpretação do documento é necessária.