You are on page 1of 7

Epidemiologia

Do grego, Epedeméion (aquele que visita) Epi (sobre) Demós (povo) Logos (palavra, discurso, estudo) Etimologicamente “epidemiologia” significa: “Ciência do que ocorre com o povo” Epidemiologia “Ciência que estuda o processo Saúde-doença na comunidade, analisando a distribuição e os fatores determinantes das enfermidades e dos agravos à saúde coletiva, propondo medidas específicas de prevenção, de controle e de erradicação”. Processo “È uma sequência de etapas que não encontram demarcadas em um sentido estrito mas inter-relacionadas e por sua vez envolvidas no contexto social” (Colimon,1978) Saúde-doença É expressão que denota o estado de completo bem estar físico, mental e social até o de doença, passando pela coexistência de ambos em proporções diversas. Objeto da Epidemiologia “São as ocorrências de saúde-doença em massa, envolvendo um número expressivo de pessoas , seja sob forma de grupos heterogêneos, seja sob forma de comunidades”. Estudo A epidemiologia estuda estados particulares de ausência de enfermidades ou sua presença sob a forma de doenças infecciosas ( sarampo, difteria, malária etc.), não infecciosas ( diabetes, hipertensão arterial,etc.) e agravos à integridade física ( acidentes, homicídios, suicídios,etc.). Distribuição Estudo da variabilidade da frequêcia de doenças de ocorrência em massa em função das variáveis ligadadas: Ao tempo ( quando?) Ao espaço ( onde?) A pessoas (sobre quem ocorre determinada doença ou agravo?) Prevenção Visa empregar medidas de profilaxia (ex. aplicação de vacinas), afim de impedir que os indivíduos adoençam. Controle Visa baixar a morbidade a níveis mínimos; A erradicação consiste a reduzir a morbidade a zero (ex. a varíola está erradicada do mundo desde 1977) Análise da causalidade Envolve a aplicação de método epidemiológico ao estudo de associação entre um ou mais fatores causais suspeitos e um determinado estado de saúde-doença. 

2.C) – já demonstrava a preocupação de que para se entender o processo de adoecimento seria necessário o estudo dos padrões das doenças. pessoa e tempo de ocorrência. Doll e Hill (1950). A epidemiologia debruça-se sobre os problemas da saúde em grupos de pessoas. Proporcionar dados essenciais para o planejamento. O que confere especificidade à Epidemiologia enquanto área de conhecimento?  Objeto de estudo: Os processos coletivos geradores de doença  Modo de Produção do Conhecimento Observação de grupos (populacionais) Conceito de risco (teoria da probabilidade). segundo local. Bases históricas da epidemiologia no Brasil Segundo Barreto M. AST (1965) – Estudo de intervenção em comunidades com o uso de suplementação de fluor na água feito em 1940 nos EUA levou a iniciativa de ampla introdução desta medida como prevenção de cáries dentárias.Conduziu o primeiro importante estudo de caso-controle (hábito de fumar e câncer de pulmão) e demonstrou sua utilidade na pesquisa epidemiológica. . John Graunt (1662) – Quantificou os padrões de ocorrência de doenças nas populações de Londres. bem como para estabelecer prioridades.  Finalidade Subsidiar as práticas que tenham como objeto de intervenção a saúde da população. Dawber (1957)Conduziu um dos primeiros e mais importentes estudos de longo seguimento (coorte) nos EUA (The Framingham study). 3. execução e avaliação das ações de prevenção. Willian Farr (1839) – Responsável pela compilação rotineira dos números e causas de óbitos na Inglaterra. Francis (1957) Avaliou a vacina contra poliomielite com mais de 1 milhão de crianças incluidas em 1954 e forneceu as bases para a prevenção desta doença. A epidemiologia no Brasil tem uma história rica e recente.L (2002). controle e tratamento das doenças. Dawber (1980) Conduziu um dos primeiros e mais importantes estudos de longo seguimento (coorte) nos EUA (The Framingham study). Disciplina básica da Saúde Coletiva A clínica e a epidemiologia A clinica dedica-se ao estudo da doença no indivíduo. Descrever a distribuição e a magnitude dos problemas de saúde nas populações humanas. porém nestas últimas duas ou três décadas a velocidade dos acontecimentos com relação à consolidação da disciplina em nosso país é monumental Objetivos da Epidemiologia 1. ainda em consolidação. John Snow (1853) – Formulou e exitosamente testou uma hipótese sobre a epidemia de cólera ocorrida em Londres. Identificar fatores etiológicos na gênese das enfermidades.Marcos Históricos Alguns marcos históricos da epidemiologia são: Hipócrates (século 50 a.

A vertente Patológica – interessam as modificações que se passam no organismo vivo.  Testar e avaliar a utilidade de novas técnicas de diagnóstico.  Esclarecer aspectos da etiologia das doenças. Período de pré-patogênese Envolve. como já foi referido. As duas vertentes abrangem o meio ambiente.  Fornecer subsídio para a definição de programação. drogas. Fatores Culturais – Preconceitos.  Fazer predições prognósticas.  Quantificar a magnitude do benefício e impacto de uma intervenção em saúde. planejamento e políticas públicas de saúde. a singularidade Diagnóstico ( individual) História clínica Determinantes clínicos Recorre à ciencias biológicas Epidemiologia Abordagem em nível coletivo Perfil epidemiológico Perspectiva histórica ( busca conhecer os processos sociais Determinantes sociais  Recorre a estatística e as ciências sociais Uso dos achados dos estudos epidemiológicos  Estimar magnitude de um agravo em um grupo populacional. vacinas). Vertentes da História Natural da Doença A vertente Epidemiológica – o interesse é dirigido para as relações agente-suscetível-ambiente.A clínica e a epidemiologia Clínica Abordagem em nível individual O caso. Fatores determinantes desse processo .  Quantificar e compor a eficácia.  Identificar fatores de risco e grupos de risco para determinado agravo. hábitos alimentares. as inter-relações entre o agente da doença.  Gerar hipóteses a serem verificadas em outros estudos. o suscetível e os fatores ambientais que estimulam o desencadeamento da doença no organismo sadio e as condições sócioeconômicas-culturais que permitem a existência desses fatores. e o meio interno. Fatores determinantes desse processo Fatores econômicos – Os grupos sociais privilegiados são pouco sujeitos a certos tipos de doenças cuja incidência é elevada nos grupos economicamente desprivilegiados.  Auxiliar na programação para atender demandas. efetividade e procedimentos terapêuticos e preventivos (ex. Fatores Genéticos – Fatores ligados aos genes. onde ocorrem os agentes. onde se desenvolve a doença. crendices e comportamentos são também contribuintes na difusão e manutenção de doenças.

Defeitos permanentes. . Os processos coletivos geradores de doença em populações humanas objeto da epidemiologia objeto das ciências sociais objeto da história Período de Patogênese  Neste período são considerados 4 níveis de evolução da doença: Interação estímulo suscetível. Fatores Biológicos – Como elo da corrente que leva o estabelecimento da doença no homem. Alterações bioquímicas. . o suscetível e o meio ambiente e com a evolução da doença. .Higiene pessoal e do lar. Ele desempenha papel de esclarecedor. fisiológicas e histológicas. Sinais e sintomas. Fatores Psicossociais – De outra natureza são os estímulos patogênicos que influem sobre a mente. a partir do momento em que as situações sóciopolítico-econômicas estão corrigidas. Proteção específica Promoção da saúde . Prevenção Primária  Faz-se com a intercepção dos fatores pré-patogênicos incluindo: Promoção da saúde que é feita através de medidas de ordem geral.Imunização. . Quando fazer a prevenção da doença? A prevenção pode ser feita nos períodos de pré-patogênese e patogênese.Saúde Ocupacional. O conhecimento da história natural da doença favorece o domínio das ações preventivas necessárias. por terem acesso à organização interna dos seres vivos.Escolas. os fatores biológicos são parte do ecossistema.podem funcionar para estes. .Proteção contra acidentes.Alimentação adequada. As ações dos especialistas só são eficientes. . . cronicidade. como agentes patogênicos. Deve começar ao nível das estruturas políticas e econômicas.Educação em todos os níveis.Fatores ecológicos – Em situações ecológicas desfavoráveis. Prevenção Deve anteceder a ação dos especialistas em saúde. Proteção específica .Moradia adequada. Ao profissional de saúde é importante fazer prevenção a partir do nível de conscientização da comunidade envolvida. Devem ser conhecidos os múltiplos fatores relacionados com o agente.

2 . N.Medidas de controle de vetores.Fisioterapia. fundamentos e perspectivas Rev. da produção e circulação de serviços de interesse de saúde. Conceito de Vigilância Sanitária Entende-se por Vigilância Sanitária um conjunto de ações capazes de eliminar. 1.Diagnóstico e tratamento precoce .080/90) Saúde Pública WINSLOW. ao nível do estado de doença incluindo: 1 . 4 Vol. a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva. Prevenção secundária  É realizada no indivíduo. e o aperfeiçoamento da máquina social que irá assegurar a cada indivíduo. Papel da epidemiologia no desenvolvimento do Sistema Único de Saúde no Brasil: histórico. Prevenção terciária . define: “ Saúde Pública é a ciência e a arte de evitar doenças. um padrão de vida adequado à manutenção da saúde. Rio de Janeiro: Medsi. mental e a eficiência .M. ..Aconselhamento genético. o controle das infecções na comunidade.Isolamento para evitar a propagação de doença. prolongar a vida e desenvolver a saúde física .Evitar futuras complicações.Inquéritos para descoberta de casos na comunidade. . Epidemiol.Limitação da incapacidade . . .Evitar seqüelas. para detecção precoce de casos.Reabilitação (impedir a incapacidade total). Bras. 2002 . ALMEIDA FILHO. M. 5.Tratamento para evitar a progressão da doença. . já sob a ação do agente patogênico. através dos esforços organizados da comunidade para ao saneamento do meio ambiente.. Z. BARRETO.Terapia ocupacional. . a organização de serviços médicos e paramédicos para o diagnóstico precoce e o tratamento preventivo das doenças.” Bibliografia ROUQUAYROL. .Exames periódicos. com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos”. Epidemiologia & Saúde. 1999. . (Lei 8. supl.Emprego para o reabilitado Vigilância Epidemiológica “Entende-se por vigilância epidemiológica um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento. Tratamento de esgoto e do lixo. ed. citado por LEAVEL & CLARK (1976). Salvador-Ba. dentro da comunidade. 6. . diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente. individuais.Tratamento da água. .L.Saneamento ambiental.