Título do original alemão.

“Die Grosse Jagd”
Copyrigth.t (C) 1965 Verlag C. Bosendahl - Rinteln Capa reproduzida do livro La Grande Chasse com autorização de editions J'AI LU - Paris

CAPÍTULO 1 Infância e Juventude Todos conhecem a lenda do "encantador de ratos", que livrou do flagelo a pequena cidade de Hameln e que, privado da recompensa prometida, arrastou todas as crianças para as profundezas do monte Koppen. Ainda hoje, a rua que assistiu a esse trágico êxodo chama-se Koppen - uma rua estreita, mal calçada, orlada de casas horríveis, exibindo seus pátios sombrios e sujos. Coberta de poeira no verão, lamacenta à época das chuvas da primavera e do outono, cobre-se, quando o inverno é mais forte, de considerável camada de neve, para gáudio dos moleques que ali residem. Bastante extensa, atravessa um bairro suburbano embrionário, indo perder-se insensivelmente nas plantações que se escalonam sobre as primeiras encostas do monte Koppen. Foi nessa rua que passei minha infância. Com minha cabeleira revôlta e as incontáveis manchas de ruivo sardento, devia ser bem feio. Meu pai tinha o posto de ajudante, na lOº companhia do 18º regimento de infantaria. Belo tipo de homem e excelente soldado, gozava da estima geral, mesmo quando, depois da primeira guerra. 9 A Grande caça mundial, ingressou como brigadeiro na polícia municipal. Em 1914, recebeu a Cruz de Ferro nons campos de batalha de Flandres. Em 1915, foi feito prisioneiro em Ypres e vegetou durante quatro anos no campo de Belle-Ille. Em 1919, voltando a Hameln, casou-se com Ana, a mais bonita e delicada das filhas do carpinteiro e pedreiro Martens. Ana herdara de seu pai uma obstinação pouco comum e boa dose de humor. Ainda hoje, sob uma dupla faixa de cabelos brancos, seus olhos azuis têm o brilho de uma alegria combativa. Um ano e oito dias depois do casamento, vim ao mundo, bem no meio da noite. Bem depressa meus pais e os vizinhos se deram conta de que eu não tinha nada de um menino de coro. Meu pai me educava com rigor. Para incutir-me disciplina, à moda prussiana, usava sobretudo uma comprida cinta, que freqüente e dolorosamente marcava-me nas nádegas. Militar de profissão e de alma, tratava-me da mesma forma com que devia tratar seus "azuis". Não o queria mal por isso, pois sabia que ele me amava. As generosas surras que me aplicava eram amplamente justificadas. Meu campo de ação predileto era a caserna, com seu amplo pátio, suas cavalariças e seus intermináveis corredores. Aos seis anos já sabia limpar um fuzil e conhecia a manobra de colocação de uma metralhadora em bateria. Os soldados eram para mim grandes e excelentes companheiros, com os quais me divertia da manhã à noite. 10 Infância e Juventude E os anos passavam, tranquilos e infinitamente agradáveis. Eram raros os acontecimentos

importantes em nossa pequenina cidade, encravada bem no meio de um círculo de montanhas cobertas de bosques. O Weser, caudaloso rio de águas límpidas, rebentava em espuma sobre os planos inclinados das duas barragens que flanqueavam a represa, despejava-se nos enormes canais que alimentavam o moinho instalado na ilha, carregava os comboios de chalupas, rebocadores e jangadas feitas de troncos de pinheiros. Na época das férias de verão, numerosos Ônibus levavam à velha cidade uma multidão de turistas, vindos de todos os recantos do mundo para visitar os monumentos históricos e respirar a atmosfera romântica das vielas medievais. No domingo, a banda militar desfiava suas notas alegres sob as tílias do jardim público, à margem do rio. Foi nesse quadro repousante que passei minha infância, toda ela feliz. Em 1931, passei da escola comunal para o liceu, estabelecimento venerável tanto por seus muros como por sua tradição. Naturalmente, nem por isso deixei de lado meus talentos de traquinagem. Como minha reputação já estava solidamente firmada, os professores quase não ficavam surpreendidos e me puniam com extrema indulgência, quase sorrindo. Só um deles, o padre Tribius, achava que eu passava dos limites. Era um homem encantador, mas tinha, a meus olhos, um grave defeito de ensinar matemática, química e biologia, quando minhas matérias preferidas eram justamente as línguas, história e filosofia. além disso, eu praticava 11 A Grande Caça muito esporte. em 1937, fui eleito vice-presidente de nosso clube de remo. E, por mal dos pecados, àquela mesma época tomava lições de dança. Dessa forma, realmente não me sobrava muito tempo para os estudos. Forçado a fazer uma opção, resolvi pôr de lado os cursos de química e de biologia. Tribius só deu pela coisa ao cabo de seis meses. Foi então que sua cólera explodiu, e ele impôs minha definitiva exclusão. Fui chamado pelo diretor. Estaria mentindo se dissesse que entrei no gabinete do "chefe" com muita segurança. O diretor, alto, elegante, com um vastíssimo charuto entre os dentes, impressionava-me terrivelmente. Entrincheirado por detrás de sua enorme mesa de trabalho, encaroume com ar frio, levemente irônico. A seu lado, afundado numa poltrona, Tribius, com sua calva luzidia, assemelhava-se a um gnomo rabugento. O "chefe" continuava a olhar-me com ar glacial e eu m e sentia cada vez menos à vontade. Mais um minuto daquele silencioso exame, e eu teria fugido. Por fim, perguntou-me por que motivo havia "me omitido" de assistir às aulas do professor Tribius. Poderia ter inventado uma dor de garganta ou indisposições do estômago, uma dessas clássicas desculpas que as gerações de estudantes têm invocado e ainda continuarão a invocar. Mas estava resolvido a dizer a verdade, não por fanático amor às verdades que não se devem dizer, mas muito simplesmente para não ser chamado de pequeno malandro. 12 Infância e Juventude dro mentiroso. Depois, tinha esperanças de que, usando de toda franqueza, conseguiria evitar o pior. E respondi, então, que o ensino do professor Tribius me parecia muito seco, por demais monótono. Em suma, que ele me enfadava. Pouco faltou para que Tribius sofresse um ataque. O "chefe" ficou paralisado; esperava um pretexto banal e evidente. Durante uns bons cinco minutos, trovejou como Júpiter. Os raios, reservou-os ao pobre Tribius. Pude ouvi-los parcialmente, através da porta, e fiquei sinceramente condoído do infeliz, que nem sequer ousava defender-se. O caso encerrou-se com uma repreensão, castigo de todo platônico. E Tribius fez o possível para tornar suas aulas mais interessantes. Naquele mesmo ano, no começo do outono, no assoalho encerado da Escola de Dança, encontrei meu primeiro grande amor. Lise era loira e esbelta. Eu a adorava com todo o ardor romântico de meus dezesseis anos. Infelizmente, seu pai era advogado e sua mãe uma dama

extremamente pedante, que olhava muito de cima para aquele filho de um modesto sargento da cidade. Lise parecia bem mais compreensiva. Normalmente , aprendia de cor as pequenas poesias que lhe dedicava. Sentia-se orgulhosa por ter um namorado "escritor". De fato, começava a escrever reportagens, e até mesmo alguns contos, que vendia aos jornais regionais. Assim, ganhava o suficiente para os pequenos gastos. Um ano depois, apaixonei-me por Anne, loira também, mas de formas nitidamente mais opulenl3 A Grande Caça tas. Ofereci-lhe as mesmas poesias, depois de haver substituído, nos títulos, o nome de Lise pelo seu. Ela, por sua vez, igualmente as decorou. Sentia-me reconhecido pelo amor que ambas me dedicavam, apesar de minha cabeleira revolta e das incontáveis manchas de ruivo sardento. Ainda hoje, Lise e Anne estão entre minhas mais caras recordações da juventude, com o clube de remo, os passeios ao longo do rio, as excursões nas montanhas próximas. Comovidas recordações, que consolam de muitas, muitas coisas. . .E, contudo, fui-lhes infiel, esqueci-me delas no dia em que me fiz aviador. Isso ocorreu aos 6 de junho de 1938, dia em que recebi meu batismo do ar. Um velho avião de transporte, reformado mas ainda sólido, viera pousar nas vastas campinas que margeiam o rio, além da cidade. Alguns marcos davam direito a quinze minutos de vôo. As primeiras horas da tarde, instalei-me na carlinga e, com o coração a bater, vi-me amarrado no assento. Ligado o motor, o grande avião arrancou, rolou aos solavancos pelo solo acidentado e, chegando à extremidade da campina, girou sôbre seu eixo, a fim de se colocar de frente para o vento. Depois, num ronco ensurdecedor, que a mim pareceu maravilhoso, ganhou velocidade, esboçou dois ou três saltos e decolou. Eu estava voando! Já, numa ampla curva ascendente, a terra fugia sob nossas asas. Subíamos tranquilamente, sem o menor choque. Diante do meu assento, presa às 14 Infância e Juventude costas das poltronas da frente, havia uma pequena caixa com a inscrição : "Use em caso de enjôo". Curioso, levantei a tampa : a caixa continha sacos de papel. Precaução inútil, pelo menos para aquele belo dia. Nenhuma oscilação, nenhum vácuo; apenas uma ligeira vibração nas pernas. Mais alto, sempre mais alto, para transpor os cimos cobertos de arvoredo, que cercavam minha cidade natal! O horizonte se alargava, de certa forma se erguia, enfeitado de diáfana bruma. O solo surgia como um desenho geométrico feito de quadriláteros, de triângulos e de retângulos, exibindo uma variedade de cores, de todos os matizes : o verde profundo dos prados úmidos, o amarelo vivo dos campos de colza, o filete prateado do rio, os tetos vermelhos e marrons das velhas casas. . . Aqui um automóvel, ali uma carroça, mais além uma jangada e, bem no fundo, entre duas colinas, o trem deslizando sobre seus trilhos. A paisagem se transformara num imenso mosaico, sobre o qual se deslocava toda sorte de brinquedos. Uma nova curva, e o mosaico deslocou-se para trás. Erguendo a cabeça, pus-me a contemplar as nuvens. Subiríamos além daquela massa, toda feita de flocos ? Ah! Infelizmente não' . O quarto de hora já passara, e o avião começava a descer. A terra se aproximava rapidamente, retomando seu aspecto familiar, readquirindo suas proporções habituais. Meus pais não puderam deixar de sorrir quando, com o rosto afogueado de emoção e de entusiasmo, contei-lhes meu primeiro vôo. 15 A Grande Caça

em Berlim e ao longo da fronteira germano-polonesa. errei ao longo do rio. os acontecimentos se precipitam. lançamento do disco e do dardo. vadiei pelas galerias dos claustros do mosteiro de Mollen. os comissários percorrerão as ruas. dos cinco candidatos do meu grupo. escutei o órgão da igreja da abadia de Fischbeck. transformado num veterano com duas mil missões. um só instante que fosse. estava inscrito no curso de cadete da Luftwaffe. Durante toda noite. com dias ensolarados e noites quentes e movimentadas. BronZeados e felizeS.Muito tempo depois. montar. no segundo. Uma jovem e um rapaz. Em 5 de agosto fui convocado ao centro de recrutamento. Uma comissão integrada por oficiais. dois tinham sido aprovados. médicos. tivemos que redigir sobre vários temas. jogar em todos os sentidos. O último dia estava destinado às provas desportivas: corrida de velocidade e de fundo. depois.otorrino. que deveria durar quatro dias. Um ano cheio de acontecimentos graves. Um verão magnífico. sonhei sob a ramagem das florestas de faias. respirar um ar rarefeito. responder a toda sorte de inesperadas perguntas. radiologista e tutti quanti. rodávamos em minha pequena motocicleta através dos maciços da Porta Vestfálica. Foi uma verdadeira provação. quando seu filho. Percorri pela Ultima vez os bosques das montanhas. Desde o meio-dia. a coisa foi pior. a fim de verificar a rapidez de nossos reflexos. Tivemos que rastejar em compartimentos de pressão atmosférica variável. escalei as ruínas dos castelos-fortes que guardavam os desfiladeiros. lançados no maravilhoso Universo das férias como poderíamos ter pensado. submeteram-nos a testes complexos. prenderam-nos na " cadeira de três dimensões". Acompanhado de Anne. para distribuírem as convocações individuais. 28 de Agosto de 1939. Soubemos à noite que. 17 A Grande Caça 27 de Agosto de 1939. salto de altura e de extensão. Queria unir o útil . E chegou o verão de 1939. nadávamos nas ondas verdes do Weser. As férias que gozava marcaram o fim de minha maravilhosa juventude. naquelas estúpidas ameaças ? Em fins de junho. Em nossa despreocupação. Tínhamos a impressão de estar submetidos a uma versão modema das torturas medievais.o ofício 16 Infância e Juventude das armas . técnicos e psiquiatras auscultou minuciosamente o corpo e o espírito dos candidatos. nem sequer notávamos a tempestade que se formava no horizonte político. para submeter-me a um exame de admissão. lhes falava com o mesmo entusiasmo de suas aventuras em pleno céu. complicadas engrenagens. Em Varsóvia. de início. para nos sacudir. nossa escola está transformada em caserna. ainda haveriam de sorrir. escalávamos os penhascos avermelhados de Hohenstein. em tantos segundos. No terceiro. O Exército convoca reservistas.a inebriante liberdade do aviador. improvisar conferências.ao agradável . balançar. dentista. barra fixa e boxe. de súbitas inquietações e inconfessados temores. No primeiro dia enfrentamos não sei quantos especialistas . . Um desses felizes eleitos era eu.

5 de setembro de 1939. 19 A Grande Caça Em Wangerooge. 29 de agosto de 1939. as sirenas lançam seu uivo sinistro por sobre os velhos tetos de Hameln. Será que estaremos . Vi alguns colegas do liceu. Em nosso velho liceu. a maioria deles já está envergando o uniforme.Na Polônia a guerra termina. Hoje. . pela primeira vez. uma das ilhas da Frísia. Hoje à tarde. As fisionomias são graves. .(1) Golfo que se estende da Frísia ao Slesvig. demonstravam grande alegria. O exército polonês se desagrega rapidamente. Como parecem jovens. Bombardeiros britânicos atacam os estuários do golfo da Alemanha (1). o Weser e o Elba. deu-se o embarque dos primeiros batalhões de marcha. Em casa. Anteontem. Com exceção de um só. Acabo de ser notificado de minha inscrição definitiva nas relações da Luftwaffe. 1 de setembro de 1939 As cinco horas e quarenta e nove minutos da manhã de hoje as tropas alemãs cruzaram a fronteira polonesa. As outras escolas da cidade também são requisitadas. . partem na direção leste. muito mais jovens. pois os dois quartéis tornam-se insuficientes para receber todos os soldados. O cinza oliva dos uniformes já domina as ruas. em seu ar severo t. Goering anunciou a criação da Defesa Passiva. Ontem. . na estação de mercadorias. É a guerra! E o fim de minhas últimas férias da juventude . a Grã-Bretanha e a França nos declararam guerra. À noite. Esta manhã meu Pai partiu para a Polônia com um grupo móvel de Polícia. 30 de agosto de 1939. Dentro em breve. 18 Infância e Juventude Os trens. constitui-se um batalhão de reserva. Nunca mais tornei a vê-los. Provàvelmente serei chamado antes da data normal. também partirei. enfeitados de flores. no qual desembocam o Ems. minha irmã está bem colocada para observar a intensa atividade da aviação inglesa. Todos os meus companheiros de classe se engajaram como voluntários. A guerra é iminente. a vida tornou-se muito calma. 11 de setembro de 1939. Eu e minha mãe estamos sós.O govêrno do Reich decreta a mobilização geral. . Varsóvia caiu em 8 de setembro.

Dentro de quarenta e oito horas serei soldado. . mas estranhamente intensa. as meias. que passou uma esponja na afronta que eu lhe fizera. No almoxarifado de roupas. Mamãe. um mal-humorado ajudante risca meu nome numa lista e. Pensar que nunca fui tão meigo e afetuoso como ela desejaria! Amanhã ela chorará tanto. Respondem-me que chegará minha vez de ser chamado. que começam a embranquecer. desejando-me boa sorte. Como recuso o quepe. menos sobre minha partida. certo número de missões. Deverei apresentar-me em 15 de novembro no quartel do 11 regimento de instrução da Luftwaffe. companhia. Temo que tudo termine sem que eu possa dizer. Mamãe fala sobre tudo.. Apertoume as mãos demorada e afetuosamente. . perto de Berlim. é certo. No gabinete da 4. “Também estava lá!". Concluí meu curso de bacharelado. Como estas duas semanas me pareceram longas. .de novo reunidos no Natal. 15 de novembro de 1939. . ensopados de lágrimas. o suboficial se encoleriza. exasperantes ! Nunca me senti tão impaciente. Chegarei a tempo para fazer também uma incursão ofensiva ? 13 de novembro de 1939. Só nossos aviões realizam. Deixei Hameln ao meio-dia. afirmando que o quepe está perfeito. Marca cuidadosamente as camisas. ao longo da linha Siegfried. Eis-me soldado. as peças de lã.os primeiros. As 15h 15m entro no "quartel" de SchOnwalde. Aconselha-me a calar a boca. ocupado pelo 119 regimento de instrução da Luftwaffe. 21 A Grande Caça 1 de Novembro de 1939. minha mãe e Anne agitavam seus lenços. fastidiosas. Enfim. uma túnica excessivamente estreita. Disse adeus ao liceu. 24 de Setembro de 1939. aqui está: recebi minha convocação. Olho seus cabelos. com letra redonda e fina. Na plataforma da estação. A campanha da Polônia terminou. tudo está relativamente calmo. em Berlim. Ontem ficamos sabendo da morte de dois colegas do liceu . . A oeste. diariamente. estacionado em Schoenwalde. Hoje é o Ultimo dia que passo em casa. o inscreve em outra. cuida da roupa. Esta noite. dão-me uma calça muito larga. . Recebi hoje de manhã o diploma. viverei minhas derradeiras horas de civil.Tombaram durante os combates em tôrno de Radom. botas por demais pesadas e um quepe ridiculamente pequeno. que minha cabeça é que é muito grande. Fui despedir-me do velho e bondoso Tribius. Aquela " caixa" tão amaldiçoada e tão querida. Isso é por demais vago. . Já limpou minha mala e. 20 Infância e Juventude 3O de outubro de 1939. agora. fugindo aos seus cursos de biologia e de matemática. A grande aventura da guerra exerce sobre mim uma atração mal definida. em torno de uma árvore ? Agora fui eu que solicitei a antecipação de minha convocação.

vazio. Exercícios no pátio e no campo de manobras. Em Hameln. . Não tivemos um só minuto de descanso. Uniformes. parece um tácito entendimento. Às vezes. Abracei-a. Minha pequena fuga poderia ter-me valido três dias de prisão. mas me sinto terrivelmente só naquele universo novo. Mas aproveitamos para passear durante duas horas pelos bosques. como é natural. sempre na esperança de ver seu irmão. gostaria de certificar-me melhor. o suboficial de dia não deu por minha ausência. Ao longo do fronte. eu conseguir chegar a oficial. Por conseqüência. esgotado.Não sei. Felizmente. faxinas. à luz do dia. depois de amanhã poderei dormir mais uma hora. salvo erro. algum dia. quando bancamos macacos. mas sinto-a rodar. porque do outro lado uma jovem procurava 23 A Grande Caça por seu irmão. Este quartel é um formigueiro. . É verdade que tenho centenas de companheiros. desagradável e prosaico! 22 Infância e Juventude Noite de Natal. se azafama. também aqui não fiz bela figura. Assim. exercícios de tiro com fuzil e com metralhadora. no escuro. realmente. no pátio. se agita. revistas. só uniformes. O bater das botas ferradas martelam um ritmo sempre precipitado nos corredores sonoros. 24 . Aqui. mas. nada mais que uniformes. Os “azuis” estão retidos no quartel. É o primeiro Natal que passo longe de casa. é quase certo que poderei abraçá-la novamente. recebemos um tratamento duro. Todo mundo corre. De qualquer forma. Voltará no próximo domingo. Ajudei-a a procurá-lo. chove da manhã à noite. a guerra já deveria estar terminada há muito tempo. se ela é muito grande. Amanhã à noite estarei de guarda. Esses sessenta minutos de sono suplementar constituirão meu melhor presente de Natal. Pelo que pude adivinhar. Durante as últimas semanas. chamadas. O passo normal é o de ginástica. ela não é nada má. Pulo o muro. não o encontramos : a noite já caíra. Sinto-me esfalfado. 26 de dezembro de 1939. sinto vontade de arrebentar a coronha de meu fuzil em sua cabeça. No fundo. as ruas certamente estão cobertas por um belo tapete de neve. e ela não se mostrou nada agastada. muito duro mesmo. aliados e alemães mantêm uma reserva que. Meu caporal afirma que deixará o exército se. esportes. cursos teóricos. Dir-se-ia que os instrutores desejavam matar-nos! Tanto quanto no liceu.

suboficiais e engenheiros se esforçam por nos incutir o máximo de conhecimentos : tática aérea e terrestre. um veterano que já formou dezenas de pilotos. 24 de Fevereiro de 1940. . terão início tão logo o tempo fique bom. decolei para meu primeiro vôo. .O que você faz não são aterrissagens diz-me. Embora promovidos a aspirantes. com duplo comando. minhas evoluções. trabalhamos até quase meia-noite. Nossa vida se desenvolve entre o pátio do quartel e o anfiteatro. Meu professor é o suboficial van Dieken. atrapalho-me nas manobras de pedal e do manche. abanando a cabeça. Nossos chefes de classe. . mecânica. 17 de Fevereiro de 1940. vibrando e assobiando. técnica de vôo. Quanto às lições de pilotagem. Agora. percebo ainda uma silhueta que acompanha. Á há três semanas estou na Escola de Guerra. derrapando sobre a asa esquerda. já tenho em meu ativo oitenta e três vôos de instrução. Minha trigésima-sexta decolagem é supervisionada pelo nosso chefe de grupo. Nas duas últimas vezes. ele me diz que minha performance não o deixou muito bem impressionado. ao binóculo. entra em piqué mergulhando reto sobre um campanário. Como o campo está coberto por espessa camada de neve. Nervoso.Vocês devem tornar-se duros como o aço forjado por Krupp!. confundo as três dimensões do espaço. 3 de abril de 1940. A noite. Efetuei trinta e cinco vôos durante a semana passada. . O treinamento à prussiana continua com o mesmo rigor. meteorologia. largos esquis que substituem as rodas do trem de aterrissagem. Nos dormitórios. a bordo de um Focke-Wulf 44. oficiais. são quedas vagamente dirigidas! A tarde. Exatamente às treze horas. e o avião. o tenente Woll assistiu às minhas proezas. os aviões foram equipados com glissadores. bipla25 A grande Caça no de instrução. o tenente Woll.CAPÍTULO II Na Escola de Pilotagem Fim de Janeiro de 1940.repetem incansavelmente os instrutores. quase não nos sobra tempo nem de sorrir. Agora já me habituei a isso. quando estou voando ao redor do campo. . Os que amolecerem serão impiedosamente desligados. no máximo.

repete num tom de arrasador desprezo : . é o terceiro filho de um simples operário.Seu grande idiota! Na chamada da noite. sempre com Van Dieken. Os movimentos de seu corpo musculoso. pomeraniano ambicioso e circunspecto. C. Quer que minha mulher fique de luto ? E como eu trato de ficar calado. ambos originários do Tirol. esse rapaz extremamente inteligente pôde obter seu bacharelado e escolher a carreira de oficial.Idiota! . Se as coisas continuarem assim.26 Na Escola de Pilotagem. passarei facilmente pelo exame. de tocante timidez. Ocupamos. A. Os três companheiros assistiram às minhas três últimas aterrissagens. O tenente grita-me aos ouvidos :. O avião começa a rolar.Em seu lugar. Deve possuir uma espécie de sexto sentido. E que eu trate de aplicar-me ao máximo : os alunos desligados da Escola de Guerra serão enviados à D. além de mim. 28 . No dia seguinte. num tom que náo admite réplica. Sepp Menapace. é sem dúvida alguma o melhor pilôto de nós todos. Meu grupo de instrução compreende. Em poucas semanas. Hain conseguiu também. van Dieken reduz o gás e recobra o domínio do avião enlouquecido. às 14 horas. que lhe permite evoluir no ar com espantosa segurança. os quatro. que no solo parecem desajeitados e lerdos. : defesa antiaérea por artilharia vertical. abro a admissão de combustíve1 e eu puxo o manche. Graças (2) D. depois de sua quadragésima lição. o mesmo alojamento. Sinto a cabeça enfiar-se nos ombros. transformam-se e ficam extraordinariamente ágeis no espaço aéreo. procuraria dominar o avião dois metros acima do solo. o tenente me fará passar pelo exame definitivo. . preparo-me para voar sozinho pela primeira vez. Amanhã. conseguiu perfeito domínio de seu avião. Oxalá o destino me poupe dessa suprema humilhação ! 3 de abril de 1940. Menapace e Hain. moreno. (N. e não um metro abaixo dele ! Coloco o cinto de segurança.A. No último momento.C. Quase imediatamente as rodas deixam o solo. Geiger. você vai ver !. com certeza adquirido nas montanhas de seu país natal.grita ele. . o tenente comunica que vai me dar uma última oportunidade.. os aspirantes Geiger. (2). O motor já está rodando. Menapace e Hain são austríacos.) 27 A Grande Caça a uma bolsa.Tudo correrá bem.afirma Geiger. o direito de voar sozinho. e tratam de encorajar-me. Depois. Acabo de completar minhas dez últimas decolagens. pequeno. Todos os outros alunos já há muito tempo têm o direito de voar sozinhos. vira-se para mim. do T.

De minha parte. Contra aquela violenta tempestade. visto que estou voando. a quinhentos metros. Nas últimas semanas. aviões de reconhecimento de curta distância. Consegui safar-me depois de quinze minutos de esforços frenéticos. É a segunda vez que tenho de voltar de trem. A terra sobe em minha direção.Arados 65 e 68. a águia! Agora. quando pousava no campo de Altdamm.. não foi uma aterrissagem bonita. estamos aprendendo particularmente as figuras da acrobacia aérea. meu arcaico avião realmente não podia lutar. Pouco a pouco. Nas estações. etc. Alguns Junker W 34 . destruí novamente o trem de aterrissagem. sofrera um acidente. Como estava voando. e meu couro cabeludo bastante esfolado.. 19 de Maio de 1940. realizei cerca de duzentos e cinquenta vôos. O principal conduto de combustível estava arrancado. Corto o combustível. nossa instrução progrediu consideravelmente. A falta de sorte continua. fitas vermelhas anunciam : . um choque. No momento.Cuidado'. Além disso. simplesmente. o grou. Por nada no mundo confessaria que eu. A sombra disforme de uma nuvem desliza lentamente sobre a pista. Logo mais. que corre sob minhas asas. Mas o trem aguentou sempre. Sinto vontade de gritar de alegria! A vida é bela.. a caminho da Prussia Oriental com um antigo GO 45. livre como a gaivota. Kohl e Hunefeld cruzaram o Atlântico . todos imaginavam que aquele aviador com a cabeça enfaixada com longas tiras de gaze era um ferido da campanha da França. O avião capotou. É verdade que o tempo estava horrível. no máximo. Heinkel 45 e 46. Nem as quatro seguintes o foram. encorajo-me a um olhar prudente para a terra.. com terrível velocidade. mantenham-se a respeitosa distância ! Dou voltas sobre o campo por vários minutos. Fui obrigado a voltar de trem.Na E scola de Pilotagem Nas pontas das asas. graças ao tempo favorável. tive uma pane de motor. Hoje. Tive de aterrissar num campo esburacado. Enfim. 3O Na Escola de Pilotagem 26 de agosto de 1940. domino o avião.foi com a primeira versão dêsse aparelho que. Faço a tomada de terreno. Noviço largado sozinho nos ares! Se têm amor à pele. . e eis-me de novo em terra firme! Milagre dos milagres : o trem de pouso resistiu! Evidentemente. o essencial é isso! 16 de maio de 1940. não tive tempo de escolher um terreno apropriado. treinamos com velhos aviões de com29 A Grande aaça bate . a aterrissagem. Dessa vez.são usados para os vôos de distância e de orientação. livro-me da obsessão das manobras que tenho de realizar. que estou voando sozinho. o trem de pouso não resistiu e quebrou-se na hora. Ontem.. quinze anos antes.

o Me 109 pousa a cento e cinquenta quilômetros por hora. 31 A Grande Caça desde vários dias. o avião inevitàvelmente. tiramos a sorte. O mau tempo nos prende no solo um dia. A segunda tentativa também falha. Arrancado muito cedo. e até perigoso.Consegui meu diploma de piloto. Schmitt prepara-se para aterrissar.Eu e Menapace somos destinados à aviação de caça. levo outro Me 109 para a pista. sinto a cabeça zunir. Seus gritos deixam-me completamente alucinado. Precipitamo-nos na direção do braseiro. ainda teria de assistir. há um profundo silêncio. apoio sua cabeça em meu braço. Quase sempre. mas de manejo difícil. centenas de vezes. Como em Schonwalde. Vínhamos.Começamos hoje o treinamento "real". De volta ao campo. Uma hora depois. Sou eu o primeiro a chegar. Com a violência do impacto os tanques explodem. derrapa brutalmente sobre a asa esquerda e se abate. Ele nos faz descrever um tumultuoso carrossel. Uma pequena amostra do que nos espera no fronte! 12 de outubro de 1940. É Schmitt q ganha. O Me 109 entanto. derrapa sobre a asa esquerda. Esta manhã. Depois. vejo que teve as pernas arrancadas. Como todos e impacientes para experimentar esse avião ultramoderno. de subito. projetado para fora do avião. Infelizmente. nossa instrução está bem mais atrasada do que o previsto. Durante as seis Ultimas semanas nossa esquadrilha teve oito mortos! Hoje foi o suboficial Schmitt. está no mesmo estado. Depois de sobrevoar o campo duas vezes. Não sabendo o que fazer. a algumas centenas de metros dos limites do campo. Trata-se de um ás que trouxe. Nossa transferência para o campo de Werneuchen nos foi comunicada anteontem. Debruçando-me sobre seu cor32 Na escola de Pilotagem po. levamos Me 109 à pista de decolagem. Mas subestima sua velocidade . o serviço no campo de Werneuchen é extremamente duro. magnífico avião. O sangue jorra em minhas mãos e respinga sobre minhas botas. o avião. Sua decolagem é perfeita. Esperava ser enviado a uma unidade combatente antes do fim do mês. Schmitt. A instrução de base terminou. em cada dois. é sujeito a terríveis guinadas enquuanto ainda está no solo. dos destroços só se retirava um cadáver. até então. Está coberto de sangue e urra como um animal. sob a direção do ajudante Kugel. me senti tão desamparado e sem forças. Deixamos a Escola de Guerra. pela primeira vez. o mais velho dos cinco homens que compõem meu grupo. mesmo dormindo. é levado para muito longe e tem que recomeçar tudo. a e quedas fulminantes. À terceira passagem. Nunca.A preparação é tão intensa que me acredito capaz de executar as manobras necessárias. Menapace. Schmitt está morto. apesar de seu proverbial sangue frio. das campanhas da França e da Polônia. jaz talvez a dez metros dos escombros incandescentes. mais ou menos -. com a camisa ensopada de suor. uma bonita folha de citações e magnífica coleção de condecorações. O comandante dos cursos de instrução ordena o . dessa vez com perda de velocidade. sendo preparados teoricamente na pilotagem do famoso Messerschmitt 109.

com o canto dos olhos. coronel von Kornatzki. quando lanço um olhar instintivo para a terra. Quando pulo ao chão. sentiu mêdo ? . A decolagem é rápida. Trate de perdê-lo E me vira as costas. lívido. Com gestos desajeitados. Do amontoado disforme de chapas retorcidas. meus nervos se acalmam.. Tudo corre bem. empurro a capota da cabina e salto sobre a asa. Harder e Knoke. para limpá-las do sangue. logo me habituarei à visão dos mais horríveis cadáveres.Bem. novamente fui dos primeiros a chegar ao lugar em que os aviões caíram. vejo. 33 A Grande Caça O repentino aparecimento de nosso chefe. e aterrisso sem qualquer dificuldade. retiro um dos pilotos. não melhora as coisas. sim. Fui um dos seis aspirantes que carregaram seu caixão. instruo-me e aprendo a conhecer a vida. Por azar. Lavei as mãos. Descrevo uma curva ampla e me preparo para pousar. E eu sinto medo um medo que me deixa pálido. mobilizado na aviação de guerra. O domingo é reservado aos museus e teatros. Lá pelo fim da tarde. Desejaria que a ter abrisse a meus pés e me tragasse. Seus olhos cinzentos me fixam com dureza : .. doume conta de que meus joelhos estão batendo. um medo ignóbil.. não há ninguém comigo para percebê-lo ! Fico dando voltas sobre o campo por vários minutos. meu coronel!.O velho CEKE é um avião de transporte da Lufthansa. de ossos. Sinto as batidas descompassadas do coração repercutindo até na garganta. Werneuchen fica poucos quilômetros distante do suburbio berlinense. que conduzirão a Werneuchen. Divirto-me. só . a imagem do morto se sobrepõe ao quadro de bordo. Os 2. perambulo pelos bares e pequenas boates noturnas. Fico num 34 Na Escola de Pilotagem dos pequenos hotéis do bairro de Friedrichstrasse. eu..Então. Que pena que minha carteira não seja mais recheada ! 8 de novembro de 1940.. Nas noites de sábado.Em virtude do mau tempo.000 cavalos do motor arrancam o pesado avião num ruído ensurdecedor. Os mecânicos me prendem no assento. Ordem do grupo de caça : os aspirantes Hopp. Seu crânio não passa de uma pasta de carne. Pouco a pouco.. Torno a decolar por mais duas vezes. encaixados um no outro. a fim de receberem três Messerschmitt 109. Na primeira curva.Nesse ritmo. que cada vez mais amo e admiro. de matéria cerebral. 17 de outubro de i9~0. Felizmente. o ajudante Kuhl e o mecânico de bordo Hense lev antarão vôo com um avião CEKE (um Junker 160) para Munster-Loddenheide.É um mau hábito..'~ esquadrilha colidiram sôbre o campo.prosseguimento imediato do treinamento.. é-me possível passar regularmente os fins de semana naquela grande cidade. Imediatamente. Realizou-se hoje de manhã o funeral do suboficial Schmitt. manchas de sangue em minha roupa de vôo. onde o combustível corre. dois alunos da 3. Por isso. 14 de outubro de 1940.

o mecânico ergue os braços para proteger o rosto. Arranco o avião. o avião não ganha altura normalmente. Apesar de meus esforços. sinistro. percebo uma linha de alta tensão.Aterrissagem forçada! Apertem os cintos ! Ao meu lado. com árvores recentemente replantadas. Tento.à direita. enquanto me instalo nos comandos. mantém o controle com grande dificuldade. nós todos vamos ficar torrados! Bato desesperadamente com os dois punhos contra os vidros de plexiglass. me cega. bem na frente do nariz do avião. Desta vez é o fim! Surge ao meu lado o rosto lívido de Kuhl. para logo parar em definitivo. onde os outros estão afundados em confortáveis poltronas. Se o avião se inflamar. O cheiro da gasolina começa a deixar-me louco. Vou aterrissar ali. um conjunto de instalações industriais. uma estreita faixa de terreno. Com a cabeça toda em sangue. acompanhana auto-estrada. Kuhl cedeme seu lugar e. um violento safanão. grito ao pessoal da carlinga : . Voltando-me para trás. num rasgar de chapas. projetada para frente. emergem da bruma as antenas de KOnigswusterhausen. Subimos até duzentos metros. as árvores novas amortecerão o choque. De súbito.mil litros de gasolina que escapam dos tanques arrombados.. percebo que o motor não funciona bem. crispado sobre o manche. Um estrondo terrível! 36 Na Escola de Pilotagem As árvores se quebram como fósforos. que cabreia e passa raspando por sôbre os fios. com o vento siflando contra as bordas de ataque. A pressão da alimentação de combustível baixa ràpidamente. ouço um ruído de líquido que escorre . 35 A Grande Caça Contorno Berlim pelo sul e depois. Quanto a mim. empurrar a capota do pôsto de pilotagem. desliza uns trinta metros. Depois. . o avião perde altitude. Também mecânico desmaiou. um profundo talho no couro cabeludo deixa correr o sangue. a cêrca de trezentos metros.. não consigo movê-la. talvez a uns cinquenta metros. Ao cabo de vinte minutos. à esquerda. A cabeça de Kuhl. Kuhl. vai bater com toda força contra o painel de bordo. Kuhl perdeu os sentidos. volta-se para a carlinga. agora. desmoronou a meus pés. tomo o rumo oeste. inutilmente. o mecanico consegue desemperrar a "perna" do trem de pouso.Mal o avião levanta vôo começam os aborrecimentos : é impossível recolher a parte esquerda do trem de pouso. Sob minhas asas há uma floresta fechada. a fuselagem se abate com um ruído surdo. emite uma série de soluços.. E vem o silêncio. Não sou mais feliz com a porta que leva à carlinga : por mais que force. Estamos.. No ultimo momento. Logo mais. À esquerda. a asa esquerda desprende-se.conseguimos decolar lá pelas dez horas da manhã. um silêncio profundo. voando ligeiramente mais alto que as pontas dos gigantescos pilares. O motor falha.

pouco viril. Apresento-me. 37 A Grande Caça 18 de dezembro de 1940. um ajudante-chefe inscreveme na primeira esquadrilha.O 52. serem êles enviados para as unidades engajadas no fronte. em Cognac. em seguida. Afastam a capota a pontapés. lá fora. A instrução dos pilotos provindos de diferentes esco39 A Grande Caça las é concluída e aperfeiçoada. Nas próximas semanas. Isso prometet . Pequeno. vejo surgirem. Retiramos Kuhl e o mecânico e fazemos curativos sumários em seus ferimentos. aqui. Êle me olha. os rostos angustiados de Hopp e de Harder.mão frouxa. o Fuhrer dirigiu-se a três mil aspirantes do Exército. todos êsses jovens serão nomeados oficiais e enviados ao fronte. em Berlim. Lentamente. a maior parte dêles vai morrer .Finalmente.Um subtenente entra na peça. tendo feito os cursos da 1. Compõe-se de duas esquadrilhas e de uma companhia de estado-maior. franzino. Harder vai procurar socorro. E. para. Com seu rosto balofo e seus olhos de peixe morto. Estou saturado dessa vida fastidiosa! Quero que me dêem ocasião de lutar . É uma cidade velha. pastosa. da Marinha e da Aeronáutica.9 grupo de caça é uma unidade complementar. . Como o define um oficial. tem o ar de um colegial. da cabeça aos pés. Saio para fora. 38 CAPÍTULO III Sôbre a Inglaterra e o Fronte Leste 2 de janeiro de 1941.No contrôle central. é ao mesmo tempo uma oficina de acabamento e um reservatório de material humano.. de instalações primitivas e com pistas extremamente mas. e me agrada tanto quanto seu chefe. que a comanda. somos uns dez aspirantes. Nossa base é um velho campo militar francês. O ASPIRANTE Knoke. E novamente regresso de trem. Por ora. de acôrdo com as necessidades. a partir de 2 de janeiro de 1941". 1O de fevereiro de 1941 Já há quinze dias nosso grupo está estacionado na França. Enquanto esperamos. durante grandiosa cerimônia no Palácio dos Esportes. E parece que essa antipatia é recíproca. apoiando-me nos rebordos. nos próximos anos. é designado para o 52 °. recebe-me com glacial indiferença. como se o lastimasse. escola da aviação de caça. grupo de caça. Hoje. O tenente Vhlhauer. causa-me uma impressão de extrema antipatia. Provàvelmente não seremos enviados ao fronte antes de obtermos o pôsto de subtenente. me estende sua mão . com mal disfarçada arrogância. cumprimos o máximo de treinamento e prosseguimos no estudo das mil obrigações que incumbem ao oficial em campanha.

-Espere o fim da guerra. é célebre em todo o mundo. Para completar. nos casaremos no outono. Procedo a essa nomeação na esperança de que o interessado. 40 Sôbre a Inglaterra e o Fronte Leste Desde o término da campanha da França. o centro de gravidade da guerra transferiu-se da terra firme para o ar. adormecida.Você é muito môço .cinzenta. nomeio o aspirante da Luftwaffe. Regressamos à Alemanha. Hermann Goring ”. E se essa guerra durar trinta anos ? Julgo ter adivinhado a intenção desse " caro" Ohlhauer. estou preso na mais velha armadilha do mundo. Ontem reencontrei-me com uma conhecida do ultimo ano. Acabo de receber esse documento das mãos do coronel comandante de nosso grupo de caça. Até lá. em sua opinião. Mas se algum dia se atrever a pôr as patas amolecidas em minha noiva. 24 de março de 1941. No entanto. Heinz KNOKE. agora. Maravilhosa consolação. pavoneando-se. no grau de subtenente. fiel a seu juramento.. Por muito que lute. Mais uma vez.Tão magnífico que. O grupo instalou-se em Doberitz. O ministro da aviação e comandante em chefe da Luftwaffe. Uma jovem maravilhosa. 41 A Grande Caça Fica rodeando Lilo. Ficamos noivos hoje pela manhã. os combates dos meses anteriores constituíram significativa prova. "EM NOME DO FUHRER. hoje é meu aniversário. Berlim. Fomos encarregados de participar da proteção aérea da capital. 24 de abril de 1941. . cumprirá escrupulosamente suas obrigações profissionais e justificará a confiança nêle depositada. nada resta a fazer. os "senhores" do serviço do pessoal terão me enviado a necessária autorização. 22 de abril de 1941. ao . O tenente Ohlhauer aproveita para me dizer que. é um erro que eu queira casar-me agora.um dia magnífico !. Se tudo correr bem. Mas os Tommies só realizam suas incursões à noite. passo meus fins de semana regularmente em Berlim. Considerados sob o aspecto numérico. estou loucamente apaixonado por Lilo !. graças a esse néctar que é o conhaque. de qualquer forma. 7 de Março de 1941. procurando ser espiritual. no grande subúrbio de Berlim. mato-o como a um cão t. os resultados conseguidos pela Luftwaffe sôbre a Mancha e a Inglaterra são encorajadores. Passamos juntos o dia todo . que faz esquecer tantas coisas.diz êle.. No que diz respeito mais particularmente à caça.

até o campo ainda invadido pela cerração. onde estamos alojados. E todos me olham mais ou menos de través. 23 de maio de 1941.Agora sim! Estou com meu passe de viagem no bolso. detentor da Cruz de 43 A Grande Caça Ferro.9 grupo de caça. depois de muita luta. Corro ao lado do trem. estará em Hameln. acha-se nos limites leste do campo de Ostende. São os Tommies que chegam. As luzes se apagam. Quanto ao segundo . "Muito bem para o que êsse bico-branco fará com êle" .mesmo tempo que minha espada de oficial. logo depois de ter partido. da 2 esquadra. 42 Sobre a Inglaterra e o F'ronte Leste 22 de maio de 1941. O estado de alerta começa às quatro horas da madrugada. Milagre dos milagres: ele não se mostra muito descontente! 24 de maio de 1941. . decolo para algumas voltas sobre o campo. À tarde. E quando me ouvem dizer que não sei jogar cartas. Até à vista. É manifesto que não têm muita consideração pelo subtenente recém-formado que sou. o expresso abarrotado deixa o pátio da estação da Silésia. abateu.minha designação para uma unidade do fronte . a Cruz de Ferro de segunda classe. Esse colosso é rudemente simpático.. até os soldados rasos me olham com desdenhosa piedade.C. capitão Woitke. Minhas aterrissagens são lamentáveis. Agora. o mecânico-chefe mostra-me um Messerschmitt-109.Nosso chefe é o tenente Rech. Municionam as armas do meu avião. durante a batalha da Inglaterra. Meus galões ? Não lhes dão a mínima importância! Num box perfeitamente camuflado. Com êle. Dentro de poucos minutos também deixarei a capital. Woitke me oferece um conhaque e me faz algumas perguntas objetivas.. Tenho a impressão de que lhe inspiro bem pouca confiança. Sôbre os tetos de Berlim. O trem pára. à qual fui designado.Todos os pilotos ao . na casa de meus pais. as sirenas lançam seus uivos terríveis. Os demais pilotos são suboficiais. que ruge num ritmo igual. Ligo o motor. o chefe pede-me que o escolte. é um verdadeiro gigante. Lilo.já me parece bem mais próximo. conseguiu um lugar na janela de seu compartimento e agita seu lenço. pelo trem que leva os licenciados a Cherburgo. pelo menos. deixam de me olhar de uma vez. Uma hora depois. quinze aviões britânicos. somos ao todo quatro oficiais. Oficial de carreira e piloto experimentado. mas ainda voa muito bem. manda-me levar em seu carro ao campo da 6. Pouco depois. Seu aperto de mão me faz dobrar os joelhos. Em seu gabinete. quase todos Spitfires. Todos têm. Lilo! Lentamente. O P. num vôo de exercício. Isso me livra do moleirão do Ohlhauer. Bem velho.~ esquadrilha.deve estar pensando. até a extremidade da plataforma. do 52. Amanhã. -Aí está seu avião. Meu primeiro objetivo está alcançado. O carro do chefe nos leva da pequena 44 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste localidade de Middelkerke. O "patrão".

no máximo. O tenente Rech veste seu colete salva-vida e anuncia : . Sinto um medo terrível. toda a esquadrilha já decolou. Uns após outros. meu chefe de seção também mergulha e metralha uma vaga mancha cinzenta. que roncam tranquilamente! Lá pelas sete horas. comandada pelo ajudante-chefe Grunert. Depois. obriga-nos a seguir uma linha férrea. Tem sempre o aspecto de quem abafa um bocejo. não consigo dormir. A visibilidade é má : espessa camada de nuvens plana a cento e cinquenta metros. as pessoas se agrupam e erguem as cabeças para nos ver. segunda. Ligo o motor.7h 58m. Meu avião é muito lento. agora. Seguindo-o. Meu "zinco" está na extremidade oposta do campo.C. Emerge à nossa frente uma faixa acinzentada : é a costa inglêsa. tento inutilmente interessar-me em alguma das revistas amontoadas sobre as mesas. Cruzamo-la ao norte de Deal. com Mess: salão"refeit6rio dos oficiais. Isolado de todos. A esquadrilha fará duas sortidas. de ar sonso e tão pouco marcial quanto se possa imaginar. Nas aldeias. a cerração já escondeu a costa aos nossos olhos. tenente. A 4.~ esquadrilha.Decolagem dentro de dez minutos. Prendo os cintos. os aviões rolam na pista. O chefe levanta o braço. O mar está calmo e deserto. Sigo o ajudante-chefe que. Rech derrapa brutalmente e pica sobre um objetivo que nem sequer consigo adivinhar. devem tomar-nos por Spitfires. O rádio mantém-se em silêncio. Vamos! Lá fora. Como invejo os companheiros.Se houver luta. Sinto uma fome de lobo. o pessoal de terra retira os aviões de seus abrigos camuflados. na direção de Canterbury. ao lado do de Grunert. Distingo. O motor arranca imediatamente. nossa vizinha de campo. (N. Não se vê um só barco de pesca. Depois de umas dez missões. No intervalo. Alguns homens do pessoal de terra olham-me com ar divertido.Na primeira incursão. . Sou obrigado a acelerar para não ficar atrás.) 46 Sobre a Inglaterra e o F'ronte Leste segundos.A.: sacos de areia ao redor de um canhão de 20mm.) 45 A Grande Caça certeza também poderei dormir. Recebidas as instruções.. farei parte da 3. saio para um passeio nas pistas. Voltando ao mess. Voamos reto na direção oeste. todo mundo se acomoda. Em poucos Cockpit. quase rentes às ondas. São 7h 55m. cabina do posto de pilotagem. Algo comovido. do T. para uma hora de sono. a esquadrilha permanecerá em estado de pré-alerta. Caso contrário. em dois cestos. surgem os jatos alaranjados das traçadoras.~ seção. trate de ficar sempre ao meu lado. prontos para decolagem imediata). se arriscará a ver suas bonitas calças novas queimadas por algum Spitfire. ajudado por um mecânico.gabinete do chefe! Rech anuncia o programa da jornada. Uma enfiada de balas passa bem na . O mecânico fecha a capota do cockpit. uma posição de D. um ordenança traz. à nossa esquerda. Primeira decolagem às oito horas. para olhar os aviões e inspecionar o céu. Rech nos leva ainda por alguns minutos para o interior do território inimigo. Um minuto depois. um copioso desjejum. (N do T. manterá uma secção em estado de alerta reforçado ( pilotos instalados em seus aviões. sobre a costa sul da Inglaterra. De súbito. a fim de realizar qualquer missão imprevista de que possa vir a ser encarregada. um berlinense fleumático. ginga como um pato e boceja sem parar. Com aquela cerração. Rech vira imediatamente para o mar. nas poltronas e espreguiçadeiras do mess. em carreta quádrupla. em caça livre. perto das dezessete horas. com suas pernas curtas.

47 A Grande Caça Tenso. Na primeira incursão. Minhas rajadas se perdem no parapeito de sacos de areia. passando a poucos centímetros sobre meu avião.Está bem. Nunca me senti tão idiota. . esgotado. nesta manhã. oferece fraca reação. Você aprenderá : o tempo é um grande mestre. os Spitfires e os Hurricanes com certeza estão ocupados alhures. Próximas do depósito de combustível.ainda mais baixo -. Os serventes. Com esse tempo infame. Ao norte da estrada que sobrevoamos encontram-se os campos de Ramsgate e de Nargate. eu e Grunert tomamos por alvo o depósito de combustível do campo. Armo as metralhadoras e acendo o colimador.Não. Não se consegue ver a cinqüenta metros.digo-lhe. Na segunda incursão. O permanente mau tempo nos obriga a voar rente à terra (ou às vagas). é sempre aos ultimos que se agarram os cães. No relatório. longe de se porem a salvo. Ou levantaram vôo ou então se encontram admiravelmente camuflados. só consigo colocar uma rajada. Dessa vez ninguém teve oportunidade de atirar. pois estou voando na cauda da formação. depois de rápida guinada de afastamento. tão perturbado como eu! Pousamos em Ostende às 9h 14m. meu tenente : nada. o nevoeiro tomou conta do espaço entre a costa belga e os penhascos da Inglaterra. Desço bem baixo . Os jatos das traçadoras me enquadram. Mas. Rech se põe a rir. os Tommies preferem ficar em casa. Atrás de nós. tecendo no céu acinzentado inquietadora rede. Durante dois dias. os colares das traçadoras vão-se cruzando cada vez mais. até ficar rente às ondulações de um campo de aveia. descubro um canhão antiaéreo na margem oeste do campo. corando. reduzida a umas poucas peças leves.Então. Ao meu redor. ataca novamente. às 7h 17m e às 10 horas. 48 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste entre Folkestone e Douvres. Ataco imediatamente. Voamos sobre a Mancha durante mais de uma hora. Espero. vejo Gru49 A Grande Caça . As 17h 2m decolamos para a segunda incursão do dia. De súbito. bases da caça inglêsa. e. .A. Rech dirige-se a mim : . a cada instante. A esquadrilha se reagrupa e toma o rumo leste. Grunert.frente do nariz de meu avião. esforçando-me em seguir as manobras rápidas de GrUnert. Sobretudo quando se trata de um novato.C. Com o canto dos olhos. irá atirar da próxima vez. duas ou três carretas estão em chamas. A cerração ainda é bastante espessa sobre a Inglaterra. Ainda bem. envergonhado. Metralhamos tudo que se move. o carrossel infernal se detém. como se diz em minha terra natal. alguma coisa arde em chamas.Ah! Como foi possível! ? Baixo a cabeça. . decolamos para atacar um campo auxiliar perto de Ramsgate.. está bem. agradou-lhe ? Atingiu alguma coisa ? . voando a dois ou três metros do solo.Nem sequer disparei . para ambos os lados. Os aviões ingleses que esperávamos surpreender no solo estão invisíveis. ver nuvens de Spitfires surgindo da cerração. num gesto nervoso. Hoje. respondem vigorosamente. 27 de Maio de 1941. É a inatividade total. A D.

Julgo reconhecer nela a voz áspera do tenente Barkhorn. É tempo de regressarmos. manifestasse um defeito no sistema hidráulico. O suboficial Obauer não voltou. que não me afaste dele "um milímetro". oito pontos brilhantes. um grito nos fones : .A. o que me deixa bastante aborrecido. mas só ao início da tarde é que estará consertado. Os alertas irão Suceder-se durante todo o dia. a R. Mas. Voamos sempre à distância de poucos metros. Às quatro horas da manhã. é que constatamos a ausência de um dos nossos. aos gritos.Atenção! Spitfire !. na primeira decolagem. Somente por volta das dezoito horas é que . Colo-me imediatamente na traseira de Grunert. Impondo ao meu avião uma guinada tão seca assim. no lapso de um segundo. Para falar a verdade.nert atirar-se contra um box camuflado. O combustível começa a escassear. Um Spitfire passa por cima de mim como um furacão. logo que chegamos ao campo. Meu avião está fora de combate. 28 de maio de 1941. De quando em quando. De repente.Peguei um! . Durante vários minutos. numa guinada brutal. bem na frente de minhas metralhadoras. A lâmpada vermelha que indica o limite de segurança pode acender-se em meu painel de bordo a qualquer instante. consigo finalmente colocar uma rajada de balas no canhão. um grupo de Hurricanes passa roncando sobre os diques e metralha o hangar onde se instala nossa oficina de reparações. O primeiro artilheiro ergue-se e cai pesadamente para trás. descrevem uma curva fechada para nos interceptar.grita uma voz. Quando dou uma guinada seca para acompanhar Grunert. Imediatamente abro fogo. não sei muito bem o que devo fazer. Manifestamente. Os mecânicos fazem o que podem. . Ouço nos fones as vozes dos companheiros que mutuamente se previnem contra os fulminantes ataques dos Tommies. no qual adivinha um Hurricane. arriscar-me-ia à queda fatal. sem descanso. sete. O inglês cabreia e desaparece nas nuvens. À terceira passagem. 50 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste Já há vários minutos Grunert tenta colocar-se atrás de dois Tommies que voam em formação cerrada. abater-se atrás de um dique. têm muito mais maneabilidade que nossos Messerschmitt. e se refugiam nas nuvens. Rech toma o rumo leste. eles escapam.F. Volto-me bem a tempo de ver um Spitfire. Cada vez que julga tê-los apanhado. trava-se encarniçada caça. minha asa esquerda quase se enrosca na copa de uma árvore. Outro vem colocar-se. Não consigo 51 A Grande Caça recolher a "perna" esquerda do trem de aterrissagem. vindos do norte. Só em Ostende. lança incursões contra as costas continentais da Mancha. Desde o amanhecer. depois da aterrissagem. transformado numa bola de fogo. Seis. Grunert me repete.

53 A Grande Caça 21 de junho de 1941. Subitamente. De repente. Juntamente conosco. mas é preciso.consigo decolar com a 3. há um velho princípio conhecido por todo caça digno desse nome. escoltados por Spitfires. Estamos estacionados em Souvalki. pois a cada guinada seu avião cruza minhas rajadas. naturalmente sem qualquer êxito. Na região de Dunquerque foram assinalados diversos Blenheim. todavia. onde. vamos avançar pelo Cáucaso até as regiões do Oriente Próximo. Os inimigos tentam escapar a toda velocidade. Um pequeno passeio. E mais uma vez devo contentar-me em ser a "sombra" de Grunert. 3O de maio de 1941. aterrissamos sem ter avistado um único avião inimigo. são terrivelmente pretensiosos. com o teto de nuvens muito baixo. rigorosamente vazio. depois de uma curva que lhes haveria de deixar os cabelos em pé. . Nossa D. estiquei o pescoço para olhar a direita e a esquerda. então. O céu se mostra absolutamente límpido. várias esquadrilhas de Stukas se mantêm permanentemente em estado de alerta. O piloto me viu a tempo e começa a descrever violentos ziguezagues. Uma formação de Hurricanes surgiu atrás de nós. Subo em sua perseguição. desperdiçam quantidades incríveis de munições. Sinto vontade de chorar de raiva. Todos riem de mim. Já há três semanas o grupo não faz nenhuma incursão. bem distantes". a fim de nos apossarmos das jazidas de petróleo. A torre de controle me leva até Calais. Idéia infeliz. selvagem. entra numa espiral ascendente. Depois de ter varrido o espaço durante hora e meia. o comunicado da missão nos deixa o máximo de liberdade : "Caça livre no triângulo DouvresAsford-Canterbury". . Durante as ultimas semanas. Subimos a cinco mil metros. quando se lhes diz que não sabem atirar. mas em instante nenhum pensei em olhar para trás. Empinamo-nos ao máximo e. e que não passam de minúsculos salpicos de óleo nos vidros do meu cockpit. os bombardeiros estão passeando. muito simplesmente.C. . Graças a nossa velocidade superior. Com uma das mãos protegendo os olhos. esses rapazes da D. um antigo campo polonês. ocupar os Dardanelos e bloquear o canal de Suez. nunca mais voarei sem óculos de sol. "Localiza-se facilmente o que vem pela frente. Como é evidente.A. E. Dizer que eu poderia ter registrado minha primeira vitória ! Daqui em diante.A. já os alvejou. e. que acaba de rasgar a cerração. Consegui colar-me atrás de um Blenheim. Segundo alguns. a direita.C. Os ingleses tentam colocar-se em nossa esteira. sobretudo. na esperança de escapar-me. Maldição! O animal sobe na direção do sol. ao que parece. na direção do mar. incendiado no oeste pelo sol poente. Todos se perguntam por quê. alcançamo-los em menos de dois minutos. cujas fases se desenvolvem com vertiginosa rapidez. a Wehrmacht concentrou poderosas forças ao longo da fronteira do leste. Trava-se. como dizem os veteranos do grupo. caímos 52 Sôbre a Inglaterra e o Fronte Leste sobre eles. Vamos ver. Segundo outros. vamos. um combate confuso. ficam zangados. Corro os olhos pelo céu. O tempo está fechado. atacar a Rússia.~ seção. com a concordância da Russia. examino inutilmente o céu. Grunert descreve rápida e seca guinada. Não consigo enxergar mais nada. próximo da fronteira russa. ver aquele que chega pela retaguarda". quando descubro "aviões inimigos na frente. Hoje.

o n° 6. G. Seus dois artilheiros. com mais evidência. intermináveis comboios rodam para o leste. Quatro horas da madrugada. cujas instalações se situam nos bosques a leste de Drouskieniki. uma curva fechada. ao longe. despojados de suas camuflagens pelas explosões. Na parte do campo reservada Stukas reina a mesma atividade febril. dá um salto para a frente. Vários caminhões. Três barracas já estão em chamas. rente as árvores. A. Regressam calados. A fronteira está a poucos quilômetros apenas. 22 de junho de 1941. através da planície monótona. em ceroulas. Durante as ultimas semanas. estão equipados com lança-bombas. Hoje. a baixa altitude. Meu avião estremece . Aponto o meu "zinco" para outro canhão. O comandante lê a ordem do dia que o Fuhrer dirige a Wehrmacht : a Alemanha ataca a União Soviética ! Decolamos as cinco horas. Pico sobre uma barraca e. há uma conferência dos pilotos. continuam a disparar. uma ação ofensiva contra o comunismo. ultrapasso o alvo. O campo se assemelha a um formigueiro eventrado por violenta bengalada de algum transeunte a passeio. Às 4h 30m. a ordem de interceptar o avião soviético indica. G . Q. Quase simultaneamente. C . aliviado de sua carga. Um homem. no gabinete do chefe de esquadra.os dois canhões instalados nas asas e as metralhadoras da fuselagem vomitam aço por suas quatro bocas. 55 A Grande Caça Dir-se-ia que. levo sob o ventre do meu bravo "Emil" 104 bombas de dois quilos. Sinto que meu "zinco". enxames de irrequietos Stukas. Levado pelo meu impulso. Não há viva alma nas ruas do campo onde se acha instalado esse estranho G.gigantescos preparativos do Alto Comando diante da Rússia . coloco-me de maneira a poder enquadrá-la no meu colimador e aciono o gatilho das armas. Até meia-noite. Escolho uma delas. com as rodas para o ar.tem algum sentido exato ? Trata-se de manobra política ou de uma denuncia de tratados ? 54 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste Evidentemente. talvez a um metro. ficamos na grande sala do mess entregues ao jogo falacioso das hipóteses. tomba por detrás de sua peça. Agora. Nossa missão é atacar. na Rússia. O "patrão" decola com a seção de estado-maior. todos estão dormindo. de um exército soviético. Sob nossas asas. entre êles o meu. chega a ordem de abater o avião comercial soviético da linha Berlim-Moscou. Por vários segundos. Alerta geral.À noite. o enorme Douglas escapuliu entre seus dedos. aciono o lançabombas. Quatro aviões de nossa esquadrilha. a fumaça e a poeira ocultam a terra. A operação "Barba Rossa" . Os russos estão dei- . Soldados semivestidos espalham-se pelos bosques circundantes. os "Ivãs" já acordaram. Distingo vagamente algumas peças leves de D . Por toda a noite ouvi. jazem tombados ou capotados. com sublime coragem. com um golpe de punho. o desfilar de colunas de tanques e caminhões. Por sobre nós voam compactas formações de bombardeiros e. os outros aviões de minha seção largam suas bombas. dos lados. o G . Q. Seus obuses passam sobre a capota de meu avião. Jatos de lama espirram de todos os lados. participei de não sei quantos exercícios de bombardeio. e regresso disparando como um louco.

o melhor exercício para o desajeitado novato que sou.A. A. decolamos ainda uma vez. ficamos prontos para partir.. informando-me que se esgotaram as munições. nossa formação é lançada numa operação diferente.já em minha quinta ou sexta passagem. Uma enfiada de bombas atinge em cheio um ninho de metralhadoras pesadas.não de todo bem. De vários pontos irrompem chamas. que não se fazem de rogados para agir. Naquela época. agora.Pico novamente sobre a D. esmagada. C. ao mesmo tempo em que vamos contando os episódios essenciais do ataque. na estrada . Quando. erguem-se e em rápidos saltos se refugiam num pequeno bosque próximo. que ressurgem. aniquilada. já me sinto um pouco melhor . Ordem de reagrupar. Despejamos bombas e obuses sobre os bosques onde ainda se escondem vários grupos de homens enlouqueci58 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste dos. Atiro contra tudo que se move. Aterrissamos as 7h 20m.G. incendeio um caminhão. Já não precisamos perscrutar a paisagem para descobrir nosso objetivo. anunciando uma pausa. Varremos sistematicamente a floresta com nossas armas de bordo. deixando o campo livre aos Stukas (5) e aos Messerschmitt. À tarde. de Hans Rudel. No campo. regressamos a base. Mas a tensão tornou-se insuportável para seus nervos. cinqüenta minutos depois. os soldados russos . Em nossa excitação. pulverizada. A espessa fumaça que sobe das barracas incendiadas é visível de longe. onde havia a trincheira circular só se pode ver gigantesca cratera :metralhadoras. Os "Ivãs" devem ter-se ocultado com seus veículos nos bosques que circundam o campo. sacos de areia. C. provavelmente originárias de depósitos de combustível. Ajudamo-lo. A. atirando-se contra sua presa. que tomba sobre outro veículo. Não resta muita coisa das instalações do G. atrás do anteparo blindado de seus canhões. Nós os seguimos. O pessoal de terra reabastece apressadamente os aviões. O pessoal de terra mais uma vez se movimenta em torno de nossos aviões. nos esquecemos da hora do rancho. apenas quarenta minutos depois de nosso regresso a base. (5) Sobre o papel desempenhado pelos Stukas na Rússia. Exatamente as 6h 30m. Os reconhecimentos aéreos assinalaram.tudo desapareceu.C. dos campos da Inglaterra. Continuo atacando . Parecem uma nuvem de vespas enraivecidas. veja-se "Piloto de Stuka". soviética. Agora. já não reage mais. Sua D. soviético. remuniciam suas armas e enchem os tanques. reina uma atividade febril. indubitavelmente. admiramo-nos de ouvir a ordem do comandante. De subito. Nossos bombardeiros regressaram. naturalmente. de poeira e de fumaça dissipouse. A D. nos acolhe com nutrido fogo. 57 A Grande Caça Os russos se recompuseram. . Às 5h 56m. quase todas as barracas estão em chamas. Num tempo recorde de vinte e dois minutos. edição F1amboyant.Q. não me sentia nada tranqüilo. a esquadrilha aterrissa em impecável formação. Os Stukas novamente decolam. Com um único obus. para apoiarem as pontas avançadas de nossas unidades blindadas. voltamos ao nosso campo. e continuo atirando até ouvir os estalidos secos. Quando a enorme coluna de terra. esmagando-o. Isso tudo constitui. E são os mesmos colares de pérolas alaranjadas que já vira subir em minha direção.56 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste tados de bruços.

sempre bombas! Isso começa a irritar-me. fustigá-lo incessantemente. o exército de terra conseguiu . afinal. Isso já se torna fastidioso. E eu?. Mas nós outros. de modo tão brutal. Todos os golpes acertam no alvo. nossos obuses. decolamos para a sexta incursão do dia. Os pilotos da 4. nossos infantes erguem a cabeça e nos fazem sinais amigos.' esquadrilha assina60 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste lam os primeiros combates e as primeiras vitórias. somos sempre usados como bombardeiros auxiliares. mas com maneabilidade bastante maior. nosso Alto-Comando provavelmente se persuadira disso. acabam de chegar de um campo de instrução conseguem abater seu "primeiro". Mas a atmosfera límpida prenuncia um dia tórrido. sobre Grodno. Jovens pilotos que. a cerração glauca da noite vai invadindo. a qualquer custo. 23 de junho de 1941. Nossas pontas avançadas penetram num impulso irresistível no dispositivo inimigo a dentro. De acordo com seus relatórios. Os Stukas se afastam de nós para atacar posições de artilharia nos bosques vizinhos. os russos não são exatamente o que se poderia chamar de " ases". Em todas as ruas. em suma. as rajadas de nossas metralhadoras abrem claros sangrentos naquelas tropas desamparadas. A caça russa continua invisível.Grodno_Zytomia_Skidel_Szczuczyn. É impossível errar as massas compactas das unidades soviéticas em fuga. Ao longo da imensa fronteira. Tem-se a nítida impressão de que o exército vermelho se preparava para atacar. Os companheiros da 4. Sabem que a Luftwaffe vai fazer um trabalho preparatório de que logo mais se aproveitarão. O fulminante desfechar de nossa ofensiva suprime em definitivo essa ameaça. de 59 A Grande Caça norte a sul. sempre para atacar as colunas cinzentas que cobrem as estradas caminhos e até as menores veredas.. Às vinte horas. sentia-me banhado de suor. Estamos sozinhos no céu. e nossa intervenção deve precipitar sua derrota. Pelas estradas. Por toda parte vêem-se poderosas concentrações de tropas e de material. se ele tentar resistir. Para todos nós. As 4h 45m decolamos novamente. para dizer a verdade. do lado russo. Nossas bombas. pouco a pouco.esquadrilhas. Entrementes. É preciso. que. como eu. É manifesto que os russos foram surpreendidos. Trabalho que. Nosso chefe de grupo abate três Rata. comboios soviéticos que fogem na direção do leste. Atingimos rapidamente Grodno. é muito fácil. quando esperavam nos surpreender. e mesmo as duas primeiras seções da minha. e da 5. unidades soviéticas tentam abrir caminho para o leste. todos que já pilotam o novo Messerschmitt 109 F. Agora começo a compreender por que razão a ordem de ataque do Alto-Comando chegou tão depressa. com nossos "Emília" relativamente asmáticos. Ainda não vi um único avião soviético. 25 de junho de 1941. Pois. Mas eles existem. Por toda parte. refluem em desordem. constantemente têm oportunidade de combater com os Ivãs. nossas tropas progridem rapidamente. O centro da cidade está totalmente congestionado. mais bombas. levá-lo de roldão. numa só incursão. as imagens deste dia ficarão inesquecíveis. impedir que o inimigo se reorganize. também eu desejo abater o meu "primeiro". Seus aviões são bem mais lentos que os nossos. e agora tirito. De qualquer forma. Lançar bombas. Nossos destacamentos blindados os perseguem sem piedade. Ontem. A essa hora matinal ainda faz frio. Os veteranos aumentam seus quadros de caça.

a campainha do telefone. quase com certeza. É essa.. O subtenente Knoke deve apresentar-se imediatamente ao "patrão". é bem verdade que. onde. sem causar danos importantes. toma seu banho de sol. esquadrilha. onde acabará sua carreira como avião de instrução. que me reclamaram alhures. talvez. o capitão Woitke. o pior piloto. estirado numa espreguiçadeira. eles terão aprendido a se defender. Os outros dois serão formados nos próximos meses. como que hesitando. fanático tanto mais temível quanto sua mentalidade é primitiva. Procure dirigir-se o mais depressa possível para a base de Husum. Fui designado para a 3. 61 A Grande Caça Falta experiência aos pilotos russos. Os russos são incapazes de deter nosso avanço. algo inquieto. o "velho" deve ter cantado louvores com tanta eloquência a meu respeito. Soa.um avião já muito cansado para servir no fronte. É o método mais elegante para se ficar livre de um peso morto. só muito raramente intervém. Sua tática é tão primitiva quanto seus aviões. a bordo do meu fiel "n. Eu o levarei até a escola de caça de Werneuchen. na Frísia.A partir de hoje. Que pena que Lilo não esteja em Berlim! 30 de julho de 1941. sua maior força.6". Decolo uma hora depois. 62 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste Para ser sincero. É do gabinete central do grupo. via Hamburgo. Até agora. estou decepcionado. Alguns bombardeiros Martin atacam objetivos a nossa retaguarda. estende-me a mão. mais exatamente. 2 de julho de 1941. sou o mais jovem de todos os oficiais da esquadrilha e. em três ou quatro semanas. O soldado russo sabe por que luta. estridente. sente-se descontente por ter sido "reenviado" para o oeste. Tanto quanto eu. Levamos uma existência extremamente calma e rotineira. Que será que o "velho" quer comigo ? Afivelo o cinto e. Então.espantosas vitórias. Amanhã cedo tomarei o trem para Husum. nada acontece. dirijo-me para o gabinete. A caça vermelha observa prudente reserva. reserva bem compreensível. e mesmo a atacar. você está afeto a primeira esquadra de caça. no momento. Diante da pequena barraca. Quanto a aviação soviética. Já participei de inúmeras sortidas. Bato os calcanhares. o que resta delas. a primeira esquadra de caça só consiste em um único grupo. Diariamente fornecemos patrulhas de cobertura para os comboios da Marinha de guerra que cir63 A Grande Caça . pouso em Werneuchen. É o avião mais antigo do grupo . ou. O comunismo transformou-o num fanático. não conseguiram reagrupar suas forças. Os sucessos iniciais não nos devem deixar muito otimistas. Aliás. Todavia. No momento. A tardinha. O capitão se levanta e. como diz ele. cujo chefe também veio do fronte da Rússia. O Rata está longe de comparar-se ao nosso Messerschmitt. Tanto que esperava recolher meus primeiros lauréis na Rússia. sorrindo. onde os acontecimentos se precipitam! Mas de nada valem as recriminações : uma ordem é uma ordem. mas ainda não vi um único Tommy. Evidentemente.

De quando em quando. Voamos com qualquer tempo.culam entre os portos da Mancha e do golfo da Alemanha(6). agora. não quer autorizar minha partida. Às 16h 30m pouso em Werneuchen. depois de uma volta em torno do campo. As vezes. violento aguaceiro se abate sobre o avião. Mas o controlador continua irredutível. (6) Entre as ilhas da Frisia e a Dinamarca. logo cedo. reservado. . 27 de agosto de 1941. que nos permite orientar-nos sobre o mar. gaguejando. Por todos os malditos demônios do inferno! Por fim. felicidade. e chega mesmo a pôr a minha disposição o pequeno avião de turismo. O motor roda valentemente em seu canto modesto. e não transformado em massa. mergulho na direção de um campo. ou para um lago onde banhistas de pele bronzeada se divertem alegremente. Cerca das dez horas o adjunto do chefe. tenente Rumpf. os ingleses lançam contra esses comboios pequenas formações de Blenheim e de Beaufighter. está menos límpido. Rumo. mais razoável do que eu. tomo a direção que me leva ao casamento. Nossos aviões foram equipados com tanques suplementares. Furioso. Violentas rajadas de vento sacodem-me duramente e a visibilidade diminui para tornar-se praticamente nula. reabasteço-me e torno a partir. mesmo em plena cerração. Mais vinte e quatro horas. Pretendia levantar vôo logo ao amanhecer. em princípio. Pouco a pouco. tão diferente do zumbido sonoro do Messerschmitt. Vinte minutos depois. poderei casar-me com a pequena Lilo depois de amanhã. Mas. as nuvens se arrastam rentes as árvores e a chuva se transformou numa espécie de cascata. minha segunda escala. adquirimos uma espécie de sexto sentido. Depois de uma última hesitação. 26 de agosto de 1941. Como é bom viver!. conseguimos abater um deles. É inútil querer tentar o impossível. Concede-me na hora a licença que solicito. os combates aéreos são raros. para me comunicar que acaba de chegar autorização para meu casamento. Agora. Se partir imediatamente. flutuam majestosamente alguns cúmulos brancos como a neve. de quando em quando. aos deslocamentos oficiais. fico andando de lá para cá. e não amanhã. na grande sala do mess. e estarei apertando minha noiva entre os braços! Pouso as três horas em Prenzlau. Percebo que não conseguirei chegar ainda hoje a Poznan. no conjunto. O controlador. o céu torna a fechar suas comportas. Como é bom sobrevoar esta paisagem calma de verão! No céu resplendente de sol. me chama ao telefone. Até que enfim! O grande "patrão" me recebe muito amavelmente. onde os camponeses fazem a sega. mas em virtude do péssimo estado do tempo a torre de 65 A Grande Caça controle só me autoriza a decolar as nove horas.. Ele não deixa de ter razão. Não fosse isso e eu teria sido obrigado a fazer mais de mil quilômetros por estrada de ferro. mas acontece que tenho de rever Lilo esta noite. Continua chovendo e a visibilidade continua medíocre. Levo cerca de três horas para alcançar o campo de Poznan. debaixo de forte aguaceiro. mudo de rumo. O céu. Lilo quer desposar um piloto vivo. E. 64 Sobre a Inglaterra e o F'ronte Leste Decolo ao meio-dia e.

Perto de Kalisch. No primeiro andar de um grande edifício. Lilo agita alegremente seu lenço. Mais ou menos cem quilômetros além. como meu rosto lhe é estranho. O rapaz ergue sua bandeira verde.As suas ordens. Sou obrigado a voar em rasante. Decididamente. arranco meu avião e tomo imediatamente a direção de uma colina coberta de arvoredo. quando descobrir que lhe escapei. Uma última passagem. virando o aparelho. num céu nublado. quase tocando os pinhões das velhas casas. Faz-me um sinal para que me detenha. não é mesmo? Vamos dar um jeito de arranjar-lhe uma cama. com uma condenação pelo tribunal militar a algum tempo na prisão. ligo o motor e rolo até a entrada da pista. Você aqui não está muito mal. aterrissam e tornam a decolar. sempre com a mesma solenidade. verdadeiras trombas de água limitam cada vez mais a visibilidade e rajadas de vento fustigam brutalmente meu avião. agita sua bandeira. Os pequenos biplanos decolam. e aterrisso. desde a ocupação da Polônia. as nuvens sobem sensivelmente. Ainda alguns minutos de vôo. rostos espantados se erguem para mim. há um Deus para os loucos da minha espécie t. Endireito o avião rente aos tetos. você partirá amanhã cedo. e vejo meus pais surgirem. pergunta meu nome. que cambaleia como um bêbado. os transeuntes se agrupam para observar e comentar as manobras insensatas daquele piloto. novamente mergulho. dão duas ou três voltas no campo. Depois. ao ponto final desta viagem impossível. Estou salvo! Agora. Rio sozinho ao pensar na cara que fará o controlador de Poznan. apesar dessas malditas nuvens. e sigo na direção de Lodz. Deixo escapar um suspiro de alívio. Então. bate os calcanhares. De fato. Nas aldeias. o rapaz retifica apressadamente sua posição e. só me resta acompanhar os trilhos. De súbito. De passagem. muito marcial. Atrás deles. e a perda de meus galões! Mas o impossível acontece. Observo-os distraidamente. de ruas enlameadas. As nuvens. torno a subir. Com a visibilidade próxima de zero. No campo. faço-lhe um rápido sinal de inteligência. que deve ter perdido a razão. agarram-se aos cimos das árvores. onde um aluno registra as partidas de seus companheiros num enorme quadro. já não sinto vontade de rir. 67 A Grande Caça Ainda assim não me sinto tranquilo. Seria um belo presente de núpcias! Seis meses de cadeia.repete obstinado.Espere que as nuvens se ergam . abre-se bruscamente uma porta janela que dá para um balcão. ele nota meus 66 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste galões de oficial e. a chuva diminui e logo mais cessa de todo. e que não lhe é preciso fazer meu registro. onde . Depois de transpô-la. que me levarão. Decolo. no mínimo.. Fiz uma força danada para não rir. Nas ruas. descubro finalmente a via férrea Breslau-Lodz. Entro em chandelle e depois. as funções de oficial de polícia. uma aterrissagem forçada significaria um avião destruído. meu tenente !. dois grupos de alunos reiniciaram o treinamento diário. . Quando me apresento de novo a entrada da pista de decolagem. desço até ficar a uns vinte metros do solo e tomo o rumo de Lodz. mais espessas do que nunca. Explico-lhe que desejo apenas experimentar o motor sobre o campo. aproxima-se e. É ali que se encontra Lilo. mergulho sobre a praça do Mercado. É ali que meu pai exerce. e vejo-me sobre a pequena cidade de Sieradz. ocorre-me uma idéia! Subo em meu "moinho". faço evoluções durante cinco minutos sobre o campo.

A oeste. interceptação de bombardeiros britânicos. E dizer que. estreito Lilo entres os braços. Pouco depois. Naturalmente. Noruega e Holanda 1. durante os três últimos dias. senão que somos felizes. extraordinariamente felizes ? eu e Lilo saímos da sala dos 29 de agosto de 1941. Parece que a guerra acordou nossos funcionários! Conseguimos liquidar todas as formalidades no curso de uma só manhã. Tenho em meu ativo uma boa centena de incursões. Meus pais mostram-se tão surpreendidos quanto ela. Entrementes. . já há algumas horas. antes do cair da noite. algumas escaramuças sem resultado. Nosso . 28 de agosto de 1941.aterrisso num campo auxiliar. em Francfort-sobre-o-Oder e em Cassel. Os bombardeiros britânicos quase não se aventuram sobre o continente. Hora e meia depois. Depois de duas escalas. Tenho a sorte de ali encontrar um carro.de janeiro de 1942. Passeio novamente em pleno céu. durante o dia. meus companheiros imediatamente me arrastam ao mess. nem sequer me 1embrei de que estamos em guerra e de que sou um soldado ! . alerta! Alguns Blenheim 69 A Grande a Caça rondam ao longo da costa. E sabe Deus como elas são numerosas! Às quinze horas. . Decolamos imediatamente. esqueci-me de lhes comunicar minha visita. 70 CAPÍTULO IV 1942: Mar do Norte. para me fazerem pagar uma rodada geral. os alto-falantes começam a gritar. . ela quase não acredita. Que dizer do restante do dia. quase todas com mau tempo : missões de escolta para os comboios da Marinha. . mas os Tommies não são avistados. Como sempre. Agora posso dizer que conheço o golfo da Alemanha e o mar do Norte como a palma de minha mão. a guerra se desenvolve vagarosamente. casamentos. o apartamento de meus pais transformou-se numa exposição de flores. pouso as dezenove horas no campo de minha esquadrilha. Quando lhe comunico que casaremos na 68 Sobre a Inglaterra e o Fronte Leste manhã seguinte.

ao contrário. roupas quentes. chefe da 4a. Cumprimos nossa obrigação conscienciosamente. Por outro lado. Nossos solda71 A Grande Caça dos. Na frente leste. a situação tornou-se dramática. sofrem e lutam com admirável coragem. . No último outono. depois de ter alcançado extraordinários êxitos. o número de aviões russos abatidos tornou-se impressionante. . da 6. a atividade aérea lembra os dias agitados da batalha da Inglaterra. o único episódio interessante já data de vários meses. Só os caças noturnos têm oportunidade de combater.os couraçados Prinz Eugen e Gneisenau. Conquanto não seja muito tarde. pois não se vê nada a cinqüenta metros. nos instalamos num campo da costa holandesa. Uma parte de nossa frota de alto mar . diversos cruzadores e torpedeiros deve sair imediatamente de Brest e alcançar. O tempo está péssimo. através da Mancha. A frota pôs-se ao mar. botas forradas. chocou-se contra um inimigo invencível : o inverno russo. Do amanhecer até a noite. Noruega e Holanda urgentes. uma base norueguesa. e o capitão S.trabalho não passa de simples rotina. esquadrilha. o transporte dos doentes. Além de nossas missões de escolta. no Báltico. por uns oito dias. as autoridades se esforçam por conseguir as pressas tudo quanto os homens de gabinete esqueceram : cobertores. Uma hora antes. mas sem entusiasmo. insuficientemente equipados. Cheguei mesmo a fazer um estágio a bordo do gigantesco navio. Não foi para isso que nos submetemos àquele regime forçado dos catorze meses de instrução! 10 de fevereiro de 1942. Acabo de receber notícias do 52 grupo de caça. À tarde. Participamos de exercícios combinados com o encouraçado Tirpitz. em casos 72 1942: Mar do Norte. fomos enviados. recém colocado em serviço. A Wehrmacht.. velho companheiro desde os tempos da escola de aviação. totalizam mais de cem vitórias cada um. havia abatido seu décimo oitavo Rata. O conjunto da caça alemã no fronte oeste foi posto em estado de alerta reforçado t. 8 de fevereiro de 1942. nem é mais perigoso ou mais fácil que o trabalho de um piloto civil. Na Alemanha. nem é bom pensar nisso. como oficial de ligação. morreu ao decolar de uma pista coberta de gelo. Voamos mais por princípio do que por convicção. temos de assegurar o reabastecimento. líquido anticongelante. para ficarmos mais próximos do teatro das operações. minha primeira unidade. os ingleses vão fazer o possível para impedir-lhes a passagem. O subtenente Gentzen. Com toda certeza. O tenente L. Quanto as vitórias a obter e as condecorações a serem ganhas. o correio e. Vários de meus antigos companheiros foram mortos. E dizer que já não faço parte dessa unidade gloriosa! É de arrancar os cabelos! Aqui. As ilhas da Frísia estão bloqueadas pelos gelos. Sobre a Mancha. para a região de Kiel. nossas formações vigiam o céu entre as costas britânicas e francesas.

Recebemos ordem para interceptar uma formação de Blenheim. permanecemos em estado de alerta. Nosso chefe de esquadrilha lança dois foguetes luminosos para se dar a reconhecer. Noruega e Holanda Se não fosse o mau tempo. Duran73 A Grande Caça te esse tempo. Para nós. As 10h 16m. 13 de fevereiro de 1942. Em nosso campo. decolar continua sendo algo em que nem sequer podemos pensar. N ossos aviões assinalam combates contra Swordfish. limpando com seus aparelhos de detecção o caminho que nossos navios vão seguir. Furiosa tempestade de neve varre as pistas. castiga janelas e portas. Com semelhante tempestade. ruge ao redor das instalações. nosso inimigo dá provas de sua coragem e de sua tenacidade. os Tommies atacam sem descanso. A visibilidade ainda é má. Anuncia-se o fim do estado de alerta. Nossos olhos literalmente trespassam a cerração. nossos navios sofrem incessantes ataques da aeronaval britânica. alerta! Decolagem imediata! Cinco minutos depois. Com desesperada raiva. os dragadores têm ordem de atirar contra qualquer avião não identificado que se aproxime deles. quase palpável. e lutam com furiosa coragem. Nenhum de seus aviões conseguiu chegar a bom alcance de nossos navios. 75 . impede qualquer incursão. de cristas espumantes. Mais uma vez. o mar está agitadíssimo. 74 1942: Mar do Norte. Apesar do tempo. Chegam-nos a todo momento relatórios das bases da Mancha. Uma flotilha de dragaminas avança com dificuldade. É preciso que estejamos em condições de levantar vôo em um minuto. Seus pilotos sabem que não conseguirão regressar a sua base com seus próprios recursos. Das janelas do mess. provavelmente não poderão voltar ao solo inglês. arcaicos aviões torpedeiros que. Lá embaixo. num caos de vagalhões esverdeados. Perto das dez horas a visibilidade melhora ligeiramente. os ingleses prosseguem em seus ataques inúteis. mal se distingue a pista principal. Os ingleses lançam seus últimos aviões torpedeiros. a impressão é de que estamos nas estepes da Sibéria. em sua maior parte. Na Mancha. 12de fevereiro de 1942.11 de fevereiro de 1942. nossas forças navais jamais teriam conseguido forçar a passagem. de frente para o vento. o comando desiste de nos lançar ao combate. a densa cerração. Algumas rajadas atingem a velocidade de 120 quilômetros por hora. As perdas britânicas devem ser extremamente elevadas. Ao iniciar-se o dia. Mas as grandes peças das baterias costeiras de Douvres registraram vários golpes no alvo. Os navios alemães alcançaram o estreito Douvres-Calais. a esquadrilha dá voltas sobre o campo coberto de neve e se escalona em formação de combate. Com efeito.

Mar do Norte. Depois. glauco na base côncava dos vagalhões. não consigo ver qualquer sinal de chamas. Atrás de minha cabeça. uma bala arrancou o dispositivo de fixação da capota. Recomponho-me. sombra estranhamente encolhida pela perspectiva diagonal. que imediatamente trato de imitar. O Blenheim. enquanto eu. para cada um de nós. Se mantiver um rumo de cem graus deverei alcançar a . A torre de controle assinala continuamente a posição do inimigo. e já estou em posição de tiro. De repente. fecha-se o desvão e também eu me vejo envolvido pela bruma. como nós.A Grande Caça Sacudido por traiçoeiras rajadas. há um grande buraco. cabreia e tenta refugiar-se nas nuvens. bem alinhado em sua esteira. num só movimento. dou-me conta de que a capota da cabina estremece como se fosse voar. Sei que ele recebeu duro castigo. São eles! Imediatamente. ele entra em chandelle e se atira num recorte de nuvens. Começo a não me sentir muito a vontade. Isso significa um adversário. . Mando-lhe ainda uma rápida rajada. e numa ampla curva tomo o caminho de volta. Perdi de vista meu Blenheim. ou irei afogar-me naquele mar esverdeado. o motor funciona normalmente. balança as asas. Cada qual desejaria ser o primeiro a desencadear o combate. Um enorme estrondo! Estilhaços atravessam meu cockpit. Por mais que abra os olhos e vire o pescoço de todos os lados. no flanco da fuselagem. Dez segundos depois. de onde provém esse cheiro inquietante ? Perco preciosos segundos a soltar um rosário de pragas bem sentidas. Prudentemente. depois. Meus dedos continuam pressionando os botões de tiro. tudo vai bem. e talvez uma vítima. 77 A Grande Caça O vidro traseiro rebentou. Volta seu rosto para mim e posso distinguir. Quando percebe isso. como que dependurado em sua hélice. Parto em sua perseguição. quando sobem. Já estamos voando há quinze minutos. Alguns segundos depois saio das nuvens e novamente torno a ver o mar. O cheiro de queimado se torna cada vez mais intenso. o brilho de seus dentes. todos nós damos uma guinada seca. fosforescente em toda a superfície deles. Os Blenheim são em numero de doze. sinto um vago cheiro de coisa queimada. Fogo! Calmamente. Bem no instante em que um jato de fagulhas espirra do motor esquerdo do inglês. meu avião avança a poucos metros das vagas desencadeadas. Contudo. parece flutuar nas nuvens. A cerca de oitenta metros a minha frente. a direita. a direita. comprimo 76 1942. dois buracos bem menores pontuam minha asa esquerda. ou ficarei assado dentro de meu avião. Seu avião se inclina numa curva fechada. Noruega e Holanda os dois botões do manche. um pouco à direita. Nunca as águas da Mancha apresentaram esse matiz de verde. . Vamos encontrar a formação inglesa a qualquer momento. A meu lado. mas com um pouco de sorte conseguirá chegar a costa inglesa. Segundo as indicações do painel de bordo. reduzo o combustível e dou início a uma descida progressiva. através do plexiglass de nossas capotas. Atrás. Mas então. meu chefe de seção. Sinto a sucção do ar em minhas costas. enquadrandoo sempre no colimador. Vejo-o por um desvão. Uma fração de segundo mais tarde. O Tommy que vem na minha direção ainda não teve tempo de reagir. as traçadoras que disparo penetram em sua asa esquerda. preocupado. o suboficial Wolf. Será que meu avião está em chamas ? Volto-me. pobre infeliz. descobertos num largo sorriso. Acendo o colimador e destravo as armas. tudo funciona em ordem. A voz do controlador se torna mais fraca a medida que avançamos para o largo. Logo mais. várias sombras emergem bruscamente da cerração.

o cheiro de queimado diminui. Trate de chegar o mais depressa possível. Tenho a impressão de estar completamente sozinho. 79 A Grande a aça Toda vida detestei essa data. O grupo de combate deverá seguir amanhã para a Noruega. Dois minutos depois aterrisso numa das imensas pistas de Leeuwarden. Por fim. a capota se desprende cada vez mais. a partir de hoje. Não vejo um só de meus companheiros. destaca-se e cai sobre a asa direita. .Então. Que magnífica surpresa! Em minha alegria. Nem sequer preciso empurrar a capota. São 11h e 26m. como adjunto do comandante. aí está a explicação daquele cheiro de coisa queimada. . batido pela tempestade de neve. Essa paisagem sem relevo é a Holanda setentrional. A fuselagem está com um rombo bem atrás do cockpit. a costa deve78 1942.grita Blume. Não entendo mais nada. Infelizmente. Se eu não aterrissar dentro de dez minutos. . Tempo execrável. meu velho. meus olhos batem numa folhinha. Solto um suspiro de alívio. O pessoal de terra acorre imediatamente. Tenho a minha disposição um Messerschmitt 109. que me permitiria alcançar a base de Jever. Essa bendita bússola . limitado pelo teto extremamente baixo e a massa agitada do mar. O que está dizendo? Não entendo nada! Vamos.Como é7 . Por detrás dos diques. Os minutos se arrastam vagarosos. . só consigo balbuciar algumas palavras. e o grande mergulho. Mar do Norte. e o rádio permanece num obstinado silêncio. É o tenente Blume. . Finalmente. que traz a felicidade (7). mas é impossível decolar.costa holandesa. E a confiança que deposito em minha bússola é algo limitada. . será a pane seca do motor. . Meu avião está num estado lamentável. para o grupo de combate Losigkeit. Noruega e Holanda rá surgir a qualquer momento. Apenas toco nela. adjunto do "patrão". . Contanto que ela agüente mais quinze minutos. . novamente estou sobrevoando uma extensão de água. Será uma ilha? Não. Na sala dos relatórios. Estamos no dia 13 !. vejo diversos lagos com margens mais ou menos indistintas. isolado naquele universo. o que houve com você ? Julgávamos que já estivesse divertindo os peixes! Você foi destacado. a terra firme! Poucos segundos depois. Sem dúvida. Mas.Quer dizer que estou no ar há setenta minutos. O flanco direito apresenta vários buracos. Das janelas do posto de meteorologia contemplo melancolicamente o imenso campo. Segundo meus cálculos. 14 de fevereiro de 1942. não parece. Sobressalto-me ao ver acender-se a lâmpada vermelha que indica o limite de reserva do combustível. por outro lado. quem responde : . Pouco a pouco. telefono ao gabinete da esquadra. Terra de novo. com os bordos enegrecidos. não estou muito seguro sobre minha posição. meu velho. apresse-se : trate de decolar logo que o vento diminua! .

bem no meio da pista. Já compreendi que. que aterrissa. eu e o chefe de grupo somos os primeiros a aterrissar. Às nove horas. Afundo-me confortavelmente em meu assento e. A maior parte dos pilotos que formarão o grupo provém das escolas de caça do Reich. reforçados por alguns veteranos. De manhã bem cedo. tomamo-lo emprestado a primeira esquadrilha. estão congeladas. para Aalborg. Às 10h 25m. para onde fora destacado antes da guerra. como instrutor na aviação do Mikado. Noruega e Holanda Mas o vento de forma nenhuma diminui. o grupo de combate propriamente dito também decola. Quando o grupo de combate tiver cumprido sua missão. que comandou a operação. depois de uma viagem cheia de peripécias. continua a uivar. que o pessoal de terra trata de limpar. O campo está coberto de neve fresca. deixando filtrar alguns pálidos raios de sol. A massa compacta de nuvens começa a desfiar-se. na aviação de caça. Em Jever. o equipamento indispensável e uma pequena reserva de munições. partimos novamente. advirto nossos pilotos sobre o estado da pista e a presença do Junker acidentado. um Junker 88. É a hora de manter o sangue frio. parecem pistas de patinação. quatro aviões de transporte recebem o pessoal técnico. procuro não pensar em nada. Seu chefe.esquadrilha a minha -. a gemer. comandada pelo capitão Dolenga. que nos cede também sua 3. reabastecidos os tanques. Galland. 80 1942: Mar do Norte. de imediato. Dois minutos depois. Mal acabaram eles de pousar. de autoria do general A. Milagrosamente. se 82 1942. o capitão Losigkeit. Nossa primeira escala será em Esberg. Um ajudante chefe pilota o avião que me conduz a Jever. Trabalhamos com afinco até a meia-noite. Noruega e Holanda . “Os Primeiros e os últimos Ases dos Messerschmitt". Com esses elementos. apresento-me imediatamente ao gabinete do grupo de combate que se está constituindo. que se arrastam rente ao solo. constituímos duas esquadrilhas. Depois. será dissolvida. O avião cai sobre o ventre. nossa primeira esquadra apresenta sobre o campo. ver. Só no fim da tarde sua violência amaina. como fantasmas aterrorizados. chega a 2. Mar do Norte. Margeadas pela neve acumulada. As pistas. Depois de um trajeto que a má visibilidade tornou bastante difícil.esquadrilha regressará a Jever. . sofre uma guinada e quebra o trem de aterrissagem. Permaneço em meu avião e.(7) Sobre a proteção dada pela caça alemã ao Prinz Eugen e ao Gneisenau. a erguer nuvens de neve. acaba de chegar do Japão. Quanto ao pessoal de terra. pelo rádio. edição F1amboyant. fechando os olhos. as coisas se complicam. esquadrilha. Ali. a 3. levantam vôo para Oslo. na Dinamarca. Quando me preparo para pousar. e eu recomeço a conduzir os aviões. é preciso aproveitar todas as ocasiões para gozar alguns minutos de repouso. consigo evitá-lo. A nova unidade deverá assegurar a proteção de nossos navios até sua base norueguesa. 81 A Grande Caça 15 de fevereiro de 1942. Indiferente a minha impaciência.

Neste momento. Já é noite quando. o tenente Eberle. três dias. Não creio muito nisso. um ônibus nos leva as barracas. 83 A Grande Caça No fjord de Lymph. as 13h 10m. Respondem-nos que a 3. Os homens da meteorologia continuam a anunciar a volta do bom tempo. Há algumas caixas de excelente vinho no mess. de onde provavelmente conseguirão decolar. 16 de fevereiro de 1942. Eberle desorientou-se e. E. Eberle e sua esquadrilha desapareceram em pleno céu. resmungando bem sentidas pragas. erguem-nos depois a uma pequena elevação. Servido quente e aromatizado com canela. com exasperante obstinação. pousou com sua esquadrilha no gelo que recobre o fjord de Lymph. Nossas buscas intensas resultam infrutíferas. E os "senhores" da meteorologia. preso em seu assento. os mecânicos trabalham dia e noite. Pelo que sabemos. completa. haverá barulho na Noruega. Eberle e seus pilotos acabam de chegar a Aalborg. 18 de fevereiro de 1942. congelados. Seus companheiros levaram uma hora para trazer o corpo a terra firme. Mas que diabo terá acontecido com a 3. Ficamos esperando durante toda a tarde. Sobre as pistas. com todo um acompanhamento de recomendações. partiu o gelo e ficou com o nariz enterrado. de gritos e de pragas. enfim. com seu chefe. O tempo continua péssimo. não podemos nos dar o luxo de deixar um único avião imobilizado. anunciam sempre céu límpido! Pelo menos desta vez. O piloto afogou-se. 19 de fevereiro de 1942. Mas o pobre Eberle está preocupado. . Os pilotos. não estarão errados : as quinze horas. A 3. com a cabeça e os ombros dentro da água. cada vez mais preocupados. finalmente. para reparar os trens de pouso danificados pelo gelo. recebemos uma comunicação que dissipa o mistério : em razão do mau tempo. No planalto que se ergue no fjord.um após outro. O mau tempo que persiste na Noruega setentrional nos deixa presos ao solo. 84 1942: Mar do Norte. 17 de fevereiro de 1942. fez a escala prevista e tornou a decolar. os tratores rebocam os aviões até a praia. esquadrilha já está novamente pronta para o combate. Tem-se a impressão de que essa tempestade jamais irá passar. esquadrilha ? Telefonamos a Esberg. no máximo. não conseguiu livrar-se a tempo. pois vai responder a conselho de guerra. esperam em seus aviões. ajuda-nos a matar o tédio. A meteorologia anuncia melhora sensível do tempo para amanhã. Capotando ao aterrissar. Noruega e Holanda 20 de fevereiro de 1942. Quase ao meio-dia. a neve continua a turbilhonar. as nuvens começam a levantar-se. Somente um avião ficou avariado. Ele espera que sua esquadrilha possa estar disponível dentro de dois ou. Os mecânicos tiram os aviões de seus abrigos camuflados.

Picos que atingem quase 3 000 metros. teve de se refugiar no porto de Kiel. com as últimas gotas de gasolina no tanque. então vamos! Haveremos de ver. Desde o amanhecer até a noite. . 25 de fevereiro de 1942. 85 A Grande Caça 24 de fevereiro de 1942. . Esta noite. couraçado de 36 000 toneladas. nossas patrulhas vigiam o espaço aéreo. faixa neve. Descemos até rente as ondas para transpor o fjord de Oslo. oculta pelas nuvens. única em seu gênero. Quase todos os navios que cruzaram a Mancha foram atingidos. Depois de um trajeto de oitenta e cinco minutos. do lado norte. aviões rocha. Estamos a espera de ataques maciços. com extensão de oitocentos metros e largura de trinta. promovida a base auxiliar desde a ocupação alemã. num círculo de montanhas hostis. fora de duvida. Os Tommies não desistirão facilmente dessa presa. o Prinz Eugen. vales profundamente encravados. . seus rastos de condensação surgem com surpreendente nitidez. Bem. Comunica. por uma profunda fenda. Para nós. A alta montanha ao norte do vale continua invisível. um Junker equipado para vôo sem visibilidade decolou para fazer um reconhecimento sobre as condições atmosféricas além da primeira cadeia de montanhas. Cinqüenta minutos depois. que "a coisa começa a levantar". caldeirão infernal de gigantescas ondas espumantes. um vertiginoso precipício a pique. Sobrevoar as montanhas da Noruega é tão maravilhoso quanto perigoso. e eu próprio nos instalamos numa pequena barraca situada poucos metros acima do campo. Já desde três dias estamos novamente bloqueados. entrou no fjord. Durante as Ultimas semanas. Seriamente danificado por uma mina. Às 13h 12m nossos postos de radar assinalam a aproximação de um avião inimigo muito rápido. espessamente coberto pela neve. desenha uma coberta de gelo. Essa base é. É Gardermoen. penhascos verticais despencam-se até o mar. No ar glacial. O capitão Losigkeit. pelo rádio. A uns quarenta quilômetros ao norte de Oslo. C. o pessoal do P. 26 de fevereiro de 1942. O frio é siberiano. A única pista de aterrissagem. o navio será reparado nos estaleiros do porto. aterrissamos no vasto campo de Trondheim. as 15h 35m podemos decolar. que as águas esverdeadas do fjord envolvem. bastante avariado. Esta manhã. Construída num planalto que domina o porto. Noruega e Holanda Calçada com cubos de madeira. O Gneisenau. 86 1942: Mar do Norte. aninha-se um campo solitário. margeada de muralhas de Uma verdadeira pista suicídio. diversos alemães se esmagaram naquele deserto de gelo e neve. A oeste. escala raramente usada em tempo de paz. como que para nos barrar o caminho. Oxalá os Tommies não tenham aproveitado nossa inatividade forçada para pôr nossos navios a pique! Sobrevoamos o Skagerrak. rios tomados pelo gelo formam um quadro grandioso e inquietador. termina. a costa abrupta da Noruega ergue-se a nossa frente.finalmente. é o mínimo estritamente necessário. sua chegada significa aumento de trabalho.

grita a voz do controlador. 8 000 metros. a fim de evitar uma nuvem. significa. Hanni oito zero. plana um Spit fire. A poucos metros acima de mim. vai me indicando as posições sucessivas do inimigo. Como vai. Arregalo os olhos. Hoje o controlador está em forma. aterrisso. e sempre nada. (Ouço-o perfeitamente bem!). tentei apanhar o Tommy solitário. Noruega e Holanda quanto afivelo os cintos em meu assento.Índio agora em Berta-Ludwig! Maldição! Onde se esconderá esse pássaro-fantasma ? 89 A Grande Caça Guino seco para a direita. De súbito. Não há o menor sinal do inglês. Distingo nitidamente o distintivo com as cores britânicas. O suboficial de serviço se precipita para o gabinete. arranco o avião e começo imediatamente a ganhar altura. Está me ouvindo bem? Victor excelente t. o motor começa a esquentar. . Infelizmente.Pronto t. . Vinte segundos depois. Abro ao máximo a admissão de combustível. Depois de ter voado inutilmente durante oitenta e cinco minutos. onde eu escrevo páginas e páginas de relatório. trata-se de um avião de reconhecimento. numa interminável espiral. retiram os toldos. 28 de fevereiro de 1942. o avião de reconhecimento voltou! Pulo a janela e. Como ontem e anteontem. o inglês cruzou a. Meu tenente. tenho um sobressalto. irei ver minha presa a qualquer instante. Pela segunda vez. 27 de fevereiro de 1942. Espirrando por detrás da fuselagem. em linguagem normal. O motor começa a rugir. Victor ? . costa em Christiansand. Altitude 8 000 metros. As indicações do controle de terra são muito imprecisas para orientar-me. sozinho. grande como uma roda de carreta. na direção da grande pista. viro a cabeça a direita e a esquerda.Alerta! Os mecânicos já se azafamam ao redor do meu "zinco". empurram a capota. Mar do Norte.Manifestamente. Altitude. a qualquer custo. É preciso que eu intercepte esse atrevido. A capota se fecha. os mecânicos se abaixam sob as asas e se deixam deslizar. furioso e decepcionado. patinhando na neve. A seção de patrulha recebeu a ordem de fazer um círculo sobre o Prinz Eugen. mas ele escapuliu-me entre os dedos. volutas de cerração prejudicam-me consideravelmente a visão. . o céu está vazio. deslizo pela encosta. Por muito que eu faça ziguezagues. um grande turbilhão de neve me acompanha até a pista. olhe a esquerda e a direita. . avião de reconhecimento inimigo no quadrado B-K do mapa.Se o controle não estiver enganado. Subo até 8 000 metros. Faltou um nada para que dessa incursão me resultasse um princípio de congelamento dos pés. Vou levar dezoito minutos para subir até ele. Com perfeita exatidão. O que. .Índio em Berta-Kurfurst. 87 A Grande Caça As 13h 15m decolo. 88 1942.

. isso nada tem de espantoso. de nervosismo.. Um conhaque. aumenta cada vez mais. O comandante oferece uma garrafa do legítimo . Afundo o manete do combustível e lanço meu avião numa viragem cerrada ao máximo. ao invés de diminuir. Com a raiva no coração. Tanto pior se o motor explodir. e que os ventos do mar do Norte lhe sejam favoráveis! Até breve. . mergulha quase na vertical.) 91 A Grande Caça Hélice ao passo. Já há três dias que "meu" Tommy não aparece. meu motor vai queimar-se. 2 000. pois aquele piqué insensato teria abalado os nervos de um hipopótamo. (N. Naturalmente. Dolorosos estalidos crepitam em meus ouvidos. E o badim (8) continua marcando 800 quilômetros por hora. O motor gira numa velocidade alucinante.Viro brutalmente e subo em chandelle. A aterrissagem sobre a grande pista de gelo não tem nada de divertido. . um sobrevivente da campanha da Polônia. cuja beleza selvagem me consola algum tanto do mau êxito. sem dúvida . Como que um punho gigantesco me repele para o fundo do assento. não posso deixar de admirar a elegância de sua silhueta e o valor do seu piloto. é um veterano.. nosso piqué cada vez mais se aproxima da vertical. . Cerro os dentes ao constatar que meu velho "Emíl" fica lamentavelmente para trás. Para aumentar a velocidade. vôo entre as paredes abruptas do fjord. uma intolerável vibração me passa diante dos olhos. Quando desembocamos sobre o mar abandono a perseguição inútil. (8) Badim : instrumento indicador de velocidade. Os radiadores estão prestes a ferver !. Noruega e Holanda 5500 metros ! . na direção do mar. o avião pára de deslizar. O inglês já não passa de minúsculo ponto negro na linha do horizonte. depressa! 4 de março de 1942. Abro fogo antes mesmo de estar a bom alcance. . Sobretudo. A distância ainda é muito grande. Desta vez ele não me escapará! O inglês também já me viu. do T. . fecho as paletas do radiador. dou-me conta de que estou tremendo : tremendo de frio. Arranquei a máscara de oxigênio e sinto o cheiro acre do glicol superaquecido. percebo que minhas asas começam a vibrar. Impelido ao máximo de potência. No fundo. por fim. novo em folha. o inglês sai lentamente de seu mergulho. Ali vai ele !. Boa viagem. Como é difícil resistir a tentação de expedir-lhe uma rajada ! 90 1942. meu amigo. Quando ilumino o colimador. não perdê-lo de vista! Puxo o manche com ambas as mãos. o Spitfire é muito rápido. A 1000 metros.6 000 metros! Mantenho-o no meu visor. O Spitfire voa para a terra como uma flecha. .. A distância.. Derrapando sobre a asa. . 4 000 metros. de excelente construção. pelo menos de 300 metros. mergulha para colocar-se sob o meu ventre. não há nada a fazer. com certeza representa a Ultima palavra em matéria de aperfeiçoamentos. enquanto o Spitfire. abro as paletas do radiador e descrevo ampla curva para regressar a costa. para oeste. . Parto imediatamente em sua perseguição. Mar do Norte. Tenho a impressão de que minha cabeça vai estourar. . passamos como um furacão sobre os campos nevados da cadeia costeira.. Quando. Um após outro. de fadiga. Apesar de meu nervosismo. 3 000.

Já por três vezes tentei abater aquele rapaz. como faz frio !. uns vinte saltos na neve. (10) . Com toda a potência de meu valente motor. Segundos depois. Súbita agitação na barraca central : . Decolo alguns segundos depois. Chegando na vertical de seu objetivo. 13h 02m. vou subir até 8 000. Coloco a máscara aos 5 000 metros. Noruega e Holanda Um pular de janela. ergo-me no céu límpido. mas para mim essa história S8 transformou numa questão de amor-próprio. . 92 1942. toma o rumo oeste. altitude 7 000 metros' . que parece nos desdenhar. É um prêmio tentador. (9) " Avião de reconhecimento inimigo nu setor C-I. não há dúvida. . Logo mais.Hennessy a quem abatê-lo. absorvido pelo seu trabalho. para ficar em posição vantajosa.Índio em César-Ida. a minha esquerda. descreve duas voltas completas. . onde nossos navios estão ancorados Chego aos 8 000 metros.Victor ! Victor ! respondo. "Entendido! Entendido!" 93 A Grande Caça Aproveito a ocasião para colocar-me sobre ele. batendo os dentes (10). . Sistematicamente. descubro um ponto negro que parece planar sobre um campo de neve. ele se dirige para a extremidade norte da baía. ele descreve uma curva para se aproximar do fjord. sem dúvida alguma. Mar do Norte.Índio em César-Kurfurst. não me vê. Arrastando um curto filete de condensação. É meu Spitfire. que. está fotografando. Hanni sete zero ! (9) . Preciso acertá-lo na quarta! 5 de março de 1942.O inglês está voltando! Até o encarregado da central telefônica apaixonou-se por essa presa arisca. perscruto o céu virgem de nuvens. Visto que o inglês está passeando a 7 000 metros. 13h 10m.Índio em Berta-Ludwig! Exatamente como eu imaginava. Evidentemente. Meu Deus. e já estou no cockpit do meu "Emília".

. Ainda estará vivo ? Se está. em seguida. equilibra-se 500 metros mais abaixo. continuo disparando. consigo mantê-lo em meu colimador. ainda não conseguiu liquidá-lo? Meu amigo Dieter.. . ... O rasto de fumaça tornou-se imperceptível.. Como que atraídos por um ímã.. de qualquer maneira. velhinho. balouçando sob uma corola branca.. Vamos. O penacho se faz mais espesso. ele "desenha" . como eu. Agora. vejo um corpo destacar-se das chamas. Clarões espasmódicos erguem-se por detrás de sua capota. mergulha. Minha angústia cede lugar a uma completa alegria. No fundo.. ponho-me a gritar. que talvez consiga escapar.. Talvez. o líquido pegajoso que me priva de uma vitória certa provém dos radiadores furados do Spitfire. O avião se abate. sozinho. Guino ligeira94 1942: Mar do Norte.Então. mas. Vamos! 95 A Grande Caça Como se o infeliz pudesse ouvir-me t.. sobe em minha direção e vem colocar-se a minha esquerda. A toda velocidade.Não se preocupe. o inglês se atira numa sucessão de curvas desesperadas. Transtornado. coloco-me atrás dele num piscar de olhos.como costumamos dizer em nosso jargão de pilotos. salte depressa! Então. continua voando. algo viscoso estala sobre a cabina. no entanto. Surpreendido. Irá esmagar-se dentro de alguns segundos. e dessa vez a bom alcance. É óleo ! . Uma só rajada faz com que a asa direita do inglês se destaque. o que espera para saltar ? O Spitfire. meus obuses mergulham em sua fuselagem. Tremo e sinto uma náusea acre subir-me a garganta. Parece que ele conseguirá safar-se novamente. oficialmente o tenente Gerhard. bola de fogo a rodar sobre si mesma. que o leva suavemente na direção da montanha. sob o nariz e as barbas de uma esquadra inteira.Salte. um aviador que ama sua profissão. como eu. Aperto com violenta pressão o gatilho de meus canhões. destravo as armas e lhe caio em cima. O inglês derrapa. Finalmente. meu velho !. Provavelmente. meu motor funciona normalmente e a pressão do óleo continua constante. também como eu. descrever uma cabriola e ficar. Experimento uma estranha sensação. seu avião deixa escapar um leve penacho de fumaça. Ainda estou amaldiçoando minha falta de sorte quando ouço nos fones uma voz brincalhona : . despenca-se na direção de um campo nevado. Solto uma praga : o pára-brisa tornou-se opaco e já não consigo ver o Spitfire ferido. transformando em massa o corpo do piloto.. Transformando os 1000 metros de altitude superior em velocidade suplementar. admiro aquele piloto que cruzou o mar do Norte para vir passear sobre o fjord.Abrindo ao máximo a admissão de combustível. chega rapidamente na cauda do Spitfire avariado. Explico-lhe a situação. Ele se afasta cada vez mais lentamente.. salte ! .Salte! Pelo amor de Deus. De repente. Noruega e Holanda mente a direita para observar o inglês pelas janelas laterais. tenha uma esposa. pegamos nosso primeiro inglês! . .Aquele inglês é um soldado. Vou acabar com ele! grita-me o companheiro.. Mas não o largo mais. girando como folha morta.Com violentos golpes no pedal. Por todos os demônios! E.

. tiro algumas fotografias. Mais uma vez admiro. Bebemos a saúde da caça. O motor do meu avião roda em regime de cruzeiro. para ir procurá-lo no fundo de um vale próximo. Mas sei que o regime do meu motor é extremamente econômico. não ocorra nenhuma pane. 97 A Grande Caça Algo preocupado. Decolamos com tempo excelente e tomamos rumo sul.A.. Mas não é possível ! Só faz trinta minutos que decolamos !Arrancado de meu sonho.Mais esta. tenente da R. que pretendo mandar a Lilo. 6 de março de 1942. no mess. a mais nobre das armas. agora! A lâmpada vermelha que indica o limite de segurança do tanque acaba de acender-se. sem enfadar-me. portanto há oito meses. eu já deveria ter consumido o triplo da quantidade de carburante acusada. velocidade bem reduzida 96 1942: Mar do Norte. Logo terá um bebê. Quase ao meio-dia aterrissa uma esquadrilha de aviões de assalto..há algumas semanas.. Noruega e Holanda cabo de um respeitável número de garrafas e estamos todos com a cabeça mais ou menos no ar. sinto um forte cheiro de gasolina. V amos fazer o trajeto até Oslo-Fornebu sem escala. E em que momento! Ontem a noite. na casa de uma tia. observo que o mostrador do combustível faz das suas. Se funcionasse normalmente. A frente de nossa formação voa um bimotor Messerschmitt 110. Lilo. Tenho que lutar contra a sensação de aturdimento que me domina. demos (11) Fieseler Storch Pequeno avião capaz de voar em e pousar num espaço bastante exíguo. Sei disso desde 10 de agosto do ano passado. Que maravilha! . Preciso mandar substituir êsse indicador. O rádio continua mudo. distraio-me contando as inúmeras ilhotas rochosas que emergem a poucas centenas de metros da costa. quando nosso filho nascer !. aquelas maravilhosas montanhas com suas gigantescas geleiras.. seus penhascos cujas bases vão banhar-se no mar. Também ele precisa de um conhaque.F.. ao saber que toda a garrafa lhe era destinada. ela se instalou em Tubingen.Eu e Dieter dividimos a garrafa de conhaque. E. pois está claro que será um filho. Deve estar desregulado.. Sim. É o percurso máximo para nossos aviões. Sobrevoamos a cadeia selvagem de Roros. e a salvação do nosso Tommy. Sinto-me feliz quando constato que o inglês é tão simpático quanto o imaginara : um rapaz bonachão. Pela manhã. Aquele maldito vinho que perturba a cabeça.. cujos tanques possuem uma capacidade bastante limitada.. Que magnífica beleza! Desde que. ou de saltar de pára-quedas para ir de encontro àquelas rochas. deixando escapar seu canto tranquilizador mas também monótono... dá um sorriso. E só Deus sabe quando tornarei a ver minha mulher e quando poderei abraçar meu filho. sem que ninguém esperasse. E pensar que não estarei ao seu lado. equipado com dispositivo de pilotagem automática e com radar. chega a ordem de regresso imediato a Alemanha.. Operando com uma só mão. que deverá substituir-nos. Dieter levanta vôo num "Storch" (11) provido de esquis. Por vezes. Depois. porém. Não é nada tranquilizadora a idéia de pousar naquelas encostas abruptas. suas profundas gargantas.

Jumbo 1 chamando Jumbo 2. in100 1942: Mar do Norte. Não podem atrasar-se. Vistos do alto.Vou ser obrigado a aterrissar aqui. sendo obrigado a sentar-me na neve. Ora. Limpo a garganta : . É preciso que ela resista! Manobro para aterrissar. Pousar nesse terreno acidentado equivaleria muito simplesmente a um suicídio. bem no pé daquela faixa de geleira. É impossível prever para onde seria levado. neste deserto de neve ? Advirto o capitão Losigkeit pelo rádio : . Mas não poderão chegar antes de amanhã cedo.. Jumbo 1. as rodas tocam o solo. e não conseguiria nunca pegá-lo antes de saltar.. são quinze horas. Também para eles cada minuto é precioso.. Serei obrigado a aterrissar dentro de cinco minutos.chego a extremidade da . As montanhas que agora sobrevôo erguem-se ainda até os 2 000 metros. num salto. Sabem onde procurar-me. sem contar que não poderia errar através daquele caos nórdico sem meu casaco de couro. com os dentes cerrados. Sob o ventre de meu infeliz avião. percebo que. escalo uma rocha. gostaria que minha voz estivesse mais firme. Sei que ele não pode fazer nada por mim. aqui Jumbo 2... Precipito-me para a margem e. Já não sinto mais os efeitos do álcool. aquelas vastas extensões estão semeadas de blocos de granito e cortadas por numerosas fendas. Noruega e Holanda do de norte para sul. os campos de neve parecem perfeitamente lisos e planos.Não tenho um segundo a perder. Vazamento de combustível no tanque ou na alimentação.é o que representam quinhentos metros. Consulto o relógio. Saltar de pára-quedas ? Nem pensar nisso.. Oxalá tal lucidez sirva para alguma coisa !.. num raio de poucos quilômetros. a oeste do pequeno lago. Antes de aterrissar. mergulham na neve.Cortar o combustível. Os companheiros me 98 1942. Noruega e Holanda desejam boa sorte ( empregando um termo bem menos acadêmico). Talvez vá ter em algum 1ugar.. Lembro-me instintivamente dos inúmeros pilotos que se arrebentaram ao tentar uma aterrissagem forçada naquela região selvagem. Há um estalido : deve ser o trem de pouso que cedeu. O "patrão" responde com todo seu repertório de pragas. salto sobre a asa e debruço-me para o interior do aparelho. Estou absolutamente Lúcido. livre e lépido como um pássaro. Se conseguir pousar o avião com toda a suavidade. com gola de pele. Reergo-me cinco segundos depois. com o pesado capote no braço e a pasta cheia de papéis na mão. se imobiliza. Preciso encontrar um lugar apropriado antes que o motor pare. na realidade. Como é bom sentir a velha terra firme sob os pés! Ufa! Passei um bom calor t. no fundo do avião. Reservatório seco.Desligo! Ao dize-lo. Minhas pernas bambeiam. Depois de vestir o capote. O avião desliza sobre o gelo sonoro por uma boa centena de metros. quando a cada passo se fica atolado até a cintura . À minha frente. e por muito que me esforce não consigo parar de pé. A coisa é de chorar de raiva! Quinze minutos antes eu voava. Mas. ponho-me a caminho. uma língua de geleira desce suavemente para um pequeno lago coberto por uma camada de gelo e neve. Mar do Norte. e agora me vejo forçado a patinhar penosamente na neve. Abro a capota. Por fim. . Um choque moderado. descer o trem. Depois de uma eternidade .. baixar os flaps. E isso não será nada fácil. e sofre por causa disso. o gelo estala e geme.. Dentro de uma hora os companheiros estarão pousando em Oslo e organizarão uma expedição de socorro. Que espessura terá essa camada ? Poderá resistir ? 99 A Grande Caça Não tenho escolha. esse abrigo está enfiado em algum lugar. ao descer. que espirra num jato cintilante.Jumbo 2 abandona a formação. notei uma garganta profundamente encravada.

De qualquer maneira. Em seguida. O sol já está no ocaso. Se não quiser morrer de frio terei de passar a noite num abrigo. Infelizmente. No momento . primeiro porque não fumo. Esta manhã meu pobre Messerschmitt desapareceu sob o lençol úmido. no máximo. Em seguida. isto é. Pouco depois. está deserta. como se dançassem. e em cada uma delas dei uma volta em torno do avião. Mastigo um pedaço de chocolate. não há que esperar que o socorro chegue pelo ar. masco um cigarro. De quando em quando. Meu avião repousa seu ventre sobre o gelo. e depois porque não tenho fósforos. onde. Se não quiser morrer de frio terei de passar a noite num abrigo. 101 1942: Mar do Norte. Decididamente. Abro meu pára-quedas e me envolvo em seus panos de seda. além do dele. Começo a sentir fome. Por sobre minha cabeça desfila um longo cortejo de nuvens prateadas. Espero que a camada seja bastante sólida para suportar também o meu peso. Retomo o caminho do lago. Enfim. Isso não é nada agradável. Portanto. Depois de vestir o capote. A coisa é de chorar de raiva! Quinze minutos antes eu voava. Está nevando desde a meia-noite. Se tentasse chegar a civilização por meus próprios meios. de qualquer forma. Por sobre minha cabeça desfila um longo cortejo de nuvens prateadas. quando a cada passo se fica atolado até a cintura . adormeço. correndo.garganta. Permaneço no avião. passa uma estrada.é o que representam quinhentos metros. Seria preciso que eu fosse um alpinista de primeira categoria para descer pelas paredes verticais que se despencam setecentos ou oitocentos metros de meus pés para baixo. me afundo no assento e fecho a capota. Isso permitirá que eu me mantenha até amanhã. não é certo que os salvadores consigam encontrar-me nesta paisagem caótica. e agora me vejo forçado a patinhar penosamente na neve. Retomo o caminho do lago. para reduzir a visibilidade a cem metros. Espero que a camada seja bastante sólida para suportar também o meu peso. isto é. resignado. a única coisa que posso fazer é continuar esperando no mesmo lugar. Depois de uma eternidade . está deserta. Meu avião repousa seu ventre sobre o gelo. Descubro dois pequenos tabletes de chocolate e alguns cigarros no fundo do bolso. Na vertente oposta. o cockpit não oferece nenhum conforto. Na vertente oposta. De qualquer maneira. resignado. é u' a massa cerrada. no cockpit. Seria preciso que eu fosse um alpinista de primeira categoria para descer pelas paredes verticais que se despencam setecentos ou oitocentos metros de meus pés para baixo. Descubro dois pequenos tabletes de chocolate e alguns cigarros no fundo do bolso. Pouco a pouco. não conseguiria alcançá-la.chego a extremidade da garganta. com toda certeza me perderia. cerca de trezentos metros mais embaixo. passa uma estrada. livre e lépido como um pássaro. além do dele. Isso permitirá que eu me mantenha até amanhã. faz menos frio que lá fora. ponho-me a caminho. quase compacta. 101 . Começo a sentir fome.isto é. O sol já está no ocaso. Noruega e Holanda do de norte para sul. mas alivia a fome. Aqui. porém. onde os flocos caem suavemente. não conseguiria alcançá-la. para reativar a circulação dos braços e das pernas entorpecidos pela posição forçada e inabitual. adormeço. saio para desentorpecer as pernas. Apenas a empenagem e uma pá da hélice ainda são visíveis. Mas o suficiente. Abro meu pára-quedas e me envolvo em seus panos de seda. Não há nada de parecido com a nevada da Alemanha. Pouco a pouco. Mesmo que os companheiros enviem um grupo de esquiadores. Infelizmente.está nevando menos. no cockpit. me afundo no assento e fecho a capota. as oito horas da manhã . 101 A Grande Caça 7 de março de 1942. cerca de trezentos metros mais embaixo. Acordei várias vezes. Talvez vá ter em algum lugar.

Se não me ouvirem é porque são surdos! Quase as 16 horas. A espera é interminável. 21de junho de 1942. para chamar a atenção da coluna de socorro. muito poético. Durmo como pedra até da tarde partirei num avião deixará em Aalborg. Os companheiros me dispensam calorosa acolhida. A neve não cessa de cair. O chefe. familiarmente chamado " . onde o novamente imobilizado pelo meio-dia. Já é meio-dia. As horas se escoam com exasperante lentidão. 10 de março de 1942. Todos os nossos pilotos são velhas rapôsas e tipos surpreendentes. nome norueguês. Todos se extasiam diante do perdigueiro que consegui comprar. O gosto ao mesmo tempo acre e adocicado do tabaco me provoca náuseas. Noruega e Holanda Poucos minutos antes do meio-dia pousamos em Jever. Noruega e Holanda Tamborilando os dedos sobre o painel de bordo. Disparo outras duas ou três rajadas. e logo mais um terceiro. Desde meu regresso a Noruega. 103 A Grande Caça De qualquer forma. que me grupo de combate está mau tempo. A cada quinze minutos ressoa o trovejar raivoso de meus canhões. Aproveito-me disso para disparar algumas rajadas curtas com meus dois canhões. Deve-se ouvi-lo a vários quilômetros. agora. o vento se torna repentinamente mais intenso e mais frio. constato que a instalação elétrica está intacta. O eco das detonações repercute na distância. Mar do Norte. Apresento-me ao gabinete central da Marinha e me arrasto depois até o hotel onde me reservaram um quarto. emprestado a mitologia nórdica. O cão se chama Turitt. 104 1942. já há várias horas. nosso antigo campo da Holanda. que me ajuda a sair do avião. depois de convencer os caçadores alpinos a vendê-lo. Tenho a impressão que está menos frio. dou um salto e esfrego os olhos. eles não podem estar longe. Pensamento encantador. Quando a noite chegar. Ainda naquela noite um potente veículo me conduz a Oslo. um magnífico perdigueiro de pêlo ruivo e branco aproxima-se latindo. Atrás dele vem um tenente de caçadores alpinos. A seda do pára-quedas é macia como um vestido de mulher. que grita. se é que ela está a caminho. fartamente "regada".1942: Mar do Norte. faminto. Talvez a nicotina adormeça meu estômago. cujos jatos alaranjados devem ser vistos de longe. A paisagem se faz cada vez mais sinistra. usarei as traçadoras. O grupo de combate será dissolvido. A escuridão já começa a devorar a paisagem. Como gostaria de dormir ! 8 de março de 1942. 9 de março de 1942. Eu e Dieter Gerhard voltamos a nossa esquadrilha. Masco outro cigarro. No começo de transporte. Teria sido um cão ? Poucos segundos depois. Cerca das duas horas da tarde. mas não consegue fazerme esquecer que. a esquadrilha realizou mais de mil incursões sobre as águas sombrias do golfo da Alemanha. estou lamentavelmente tiritando de frio.

Mar do Norte. e os dois carneiros cujas costelas nos serão servidas na noite de Natal. e igualmente as assinalam no mapa. que manifesta tendências anarquistas e há pouco tempo roubou o boné do coronel. juntamente com uma seção da esquadrilha. fototelegrafia e telefônicas da região divisionária. Um imenso painel de controle. a posição e a direção dessas forças. o caporal Arndt. 105 A Grande Caça Todo esse pequeno mundo vive em comum. fica o "trono" do comandante da divisão aérea. Noruega e Holanda com cerca de 300 metros quadrados. O novo posto de controle encontra-se instalado num monstruoso abrigo subterrâneo. Sob o aspecto técnico. no início da guerra. equipado de microfones e de um quadro que permite que se passe imediatamente de uma freqüência a outra. dois ajudantes especialistas em missões de escolta marítima e um sargento que. Diante da parede de vidro ergue-se um segundo estrado. o Y gerat significa considerável melhoria das comunicações de rádio entre o caça e o controle. o "pau para toda obra". ainda. cujas ordens são transmitidas diretamente pelas ondas ultracurtas. a título privado. elas transferem essas indicações para o mapa. Meu mecânico. Coube-me a honra de proceder aos ensaios técnicos e táticos do "Y gerat". depois de haver traduzido o jargão científico em indicações claras e compreensíveis. cuja espessa camada de betão resiste as mais pesadas bombas. três ajudantes chefes. dos animais da esquadrilha : o cão Turitt. numa parede de vidro 106 1942. Um gabinete vizinho transmite ao comandante as observações dos postos de meteorologia. dividido em quadrados. titulares da Cruz de Ferro de primeira classe desde a batalha da Inglaterra. assistido pelo chefe das operações e pelo chefe do serviço de informações. a macaca Fips. estava na infantaria. sobretudo a grande distância. 23 de junho de 1942. cuida oficialmente de meu "zinco" e. Os postos de radar escalonados ao longo da costa lhes assinalam as incursões da aviação inimiga. localizadas graças ao Y gerat.o velho". dependo diretamente da divisão aérea que. onde se acomodam as " auxiliares femininas". Seu adjunto. isto é. Dominando tudo. vai colocar em serviço o posto de controle de terra mais moderno do mundo. uma imagem exata da situação. Há. novo método de orientação dos aviões de caça. num universo hermético. Outras auxiliares registram a posição de nossas próprias formações de caça. por um controlador. de quem sou o adjunto. o controle estará em condições de situar e dirigir imediatamente as formações que decolaram. para outro campo. No centro da peça principal. um rapagão muito loiro e muito elegante. também na Holanda. nossos aviões foram equipados com postos de rádio de ondas ultracurtas. Do ponto de vista tático. É a partir desse observatório que cada uma de nossas formações é dirigida. o subtenente Steiger. Por detrás dessa parede há um estrado. . trazendo à volta da cabeça um arco que suporta o fone. é o capitão Dolenga. a partir do controle de terra. Por meio de projeções luminosas. Nosso oficial técnico é meu amigo Gerhard. com uma pequena central telefônica. acaba de abater seu primeiro Blenheim. separadamente. dentro de alguns dias. enfeitado e mimado como uma estrela de cinema. está desenhado um mapa dos Países-Baixos. Do ponto de vista tático. As informações anotadas no mapa dão. no curso de uma cerimônia. permite que se centralizem todas as ligações de rádio. cujo centro e cuja razão de ser é o campo. a todo instante. Durante a noite. Ontem a noite fui destacado.

9 adversário quando. Não sei. Vinha de abater seu 158. O Me 109 G. a bordo de um "Gustavo". meteorologistas e uma centena de (mais ou menos) bonitas jovens asseguram o funcionamento do centro de controle. sobre a embocadura do Escaut.Hoje. além do serviço do pessoal. Dentro em breve todos os aviões de caça engajados no fronte oeste serão equipados com postos de ondas ultracurtas. 18 de agosto de 1942. sem obter resposta. Wennecker mostra os dentes num largo sorriso. aos 30 de setembro. . estendendo-me sua mão para ajudar-me a saltar. Os resultados obtidos com o Y gerat são extremamente encorajadores. espera uma intensificação dos ataques aéreos contra o território do Reich. Tentou saltar. engenheiros. Pouco depois. Chamam-na "O Polvo". Há mais ou menos um mês Marseille recebeu das mãos do Fuhrer os brilhantes para as folhas de carvalho e espadas de sua cruz de cavaleiro. com a entrada dos Estados Unidos na guerra. levantei vôo. Dias atrás vimos chegar os primeiros aviões da série G. Wennecker voava atrás de mim. Junto ao meu avião. constatei de repente que ele havia desaparecido. escoltado pelo ajudante Wennecker. julgo estar sonhando. mas foi projetado pelo vento contra a empenagem. Além disso vai-se dar início a construção de outras centrais de controle de terra. é nitidamente superior ao Spitfire. É evidente que o Alto Comando da Luftwaffe. Dei meia volta e regressei a base. . em State. por formações de Spitfires bastante superiores. Lá pelo meio-dia. vinte e quatro horas por dia. Hans Joachim Marseille encontrou a morte sobre El Alamein. Metz. seu "Gustavo" incendiou-se. Número que dispensa comentários.. mesmo. Já faz alguns meses que nossos Messerschmitt 109 E foram substituídos por uma versão aperfeiçoada. Não há dúvida: é o avião de Wennecker. Algumas vezes.107 A Grande Caça Dois andares superiores. suboficiais. abateu dezesseis Spitfires. o 109 F. subitamente. por ocasião de sua 150° vitória nos céus da África. Os companheiros que assistiram a sua queda foram encontrá-lo morto nas dunas ardentes do deserto. pouco faltou para que essas sortidas terminassem por uma catástrofe. Viena e Berlim. Depois da aterrissagem. sobre essa sala. quando saio para fora do cockpit. O Mosquito retomou o caminho da Inglaterra sem me dar tempo de alcançá-lo. o famoso capitão Marseille. para tentar interceptar um Mosquito de reconhecimento que passeava na região de Oldenburg. abrigam as direções técnicas e táticas. expelindo densa fumaça negra. Noruega e Holanda 2 de outubro de 1942. Quando voávamos a altitude de 4 000 metros. ocorreu um acidente estranho. 109 A Grande Caça Chamei-o várias vezes. Os pilotos de caça. 108 1942: Mar do Norte. soldados. Mais de mil oficiais. De súbito. Munique. vejo bem no meio de uma charneca um enorme braseiro.já encontraram um apelido para essa verdadeira fábrica. algumas horas depois de anunciada a morte de Marseille. Várias vezes fomos caçados. No curso dos últimos dois meses realizei mais de duzentos vôos de ensaio. como nos foi possível escapar-lhes sempre. Numa só incursão. aqueles que combatem.. que representam enorme progresso. apelidado "Gustavo". ligeiramente mais embaixo.

Uma leve correção. por falta de combustível. abate-se contra o mar. Levamos exatamente dez minutos para alcançar o comboio. seu motor direito se inflama. Um debruado de chamas rubras corre ao longo de sua asa. A cada quinze minutos a posição dos Mosquitos é assinalada. Os dois primeiros conseguem fazê-lo. . Assumo o comando da es quadrilha. contudo. Kramer não insiste e desliga. Os pilotos jogam baralho. depois de uma guinada fechada. isto é. titubeante. Meus pilotos já estão em pleno combate. 110 1942: Mar do Norte. até a fuselagem. Julgara que. serão forçados a abandonar o combate.Logo mais. E sabemos que outras formações assinalam acidentes semelhantes. Afastando-se. Através da névoa ainda distingo o reflexo avermelhado que se afasta. 6 de novembro de 1942. que nossas três patrulhas executam por rodízio. a uns cinco quilômetros do lugar onde vi meu adversário desaparecer. levando comigo o subtenente Gerhard. Cinco minutos depois. está me chamando. sobre o mar. em chandelle. Ao meio-dia. na direção norte. os companheiros lutam furiosamente com quatro Blenheim. o centro divisionário telefona : dois Mosquitos acabam de cruzar a costa. estão sobrevoando Berlim. Uma hora depois. 111 A Grande Caça De regresso ao campo. O inglês guina e. logo fariam meia volta. Poucos minutos depois das 14 horas há um alerta : uma formação de Blenheim ataca o comboio a cargo da patrulha de serviço. Noruega e Holanda Apesar do tempo execrável. Já faz algumas horas que uma chuva fina e glacial cobre toda a região. Pelo que me conta. as chamas surgiram no motor. Meu chefe direto. conseguiu chegar ao solo são e salvo. Seu avião. O teto é de trinta metros. Não irá também ele pregar-me uma peça? 31 de outubro de 1942. passou para a caça noturna. com esse mau tempo ? Sem mesmo refletir respondo pela negativa. Mas esses ingleses são rijos. escrevem cartas ou roncam em suas camas. Bem no instante em que chego a bom alcance. Tão logo minha primeira salva o atinge. Um quilômetro além. exatamente como o de Marseille. fico sabendo que uma de nossas vedetas assinalou a queda de um Blenheim no setor A-Q do mapa. Decolo imediatamente. mas o terceiro demorou muito para distanciar-se. nosso controlador. incendiou-se repentinamente. o capitão Dolenga. A tarde. explica-me o mistério. Ele bem sabe que tenho razão. . Meu companheiro. tentam refugiar-se num banco de cerração que flutua a cerca de 1200 metros. um dos ingleses se incendeia e.Poderá decolar. a 4° esquadrilha perde um "Gustavo" pela mesma razão : incêndio no motor. Examino meu "zinco" com alguma desconfiança. com esse tempo. continuava a funcionar. Os outros três não esperam mais nada. o tenente Kramer. Trabalho fastidioso. Dentro de poucos minutos seus aviões. mais feliz que o ás da campanha da África. que. desde os primeiros albores do dia escoltamos os pequenos comboios da Kriegsmarine. É algo difícil de entender. Da janela de meu gabinete mal consigo ver a extremidade oposta do campo. mergulha na cerração. e ei-lo enquadrado no meu colimador. O chefe de seção reclama impacientemente a remessa de reforços.

Mas não adianta. uma sombra irrompe da cerração. Não é a primeira vez que decolamos juntos. meu pequeno Knoke! Como vai o tempo por aí7 . Depois. Noruega e Holanda radiador. Não tenho tempo de responder. Em super compressão. meu pobre amigo.. a fuselagem do inglês vem colocar-se no meu colimador.Pois então. Cuidados que se traduzem em 15 a 20 quilômetros por hora suplementares. Meus dedos comprimem o gatilho.Bom dia. a região é plana como a palma da mão. .insiste ele. A visibilidade é cada vez menor.. Acabo de receber um telefonema de Goering. teríamos a certeza de lhes cortar a retirada. subtenente Knoke falando. Por fim. 113 A Grande a aça É o momento de abrir bem os olhos. estão em algum ponto na região de Bremen e se dirigem reto na direção noroeste. não tardaremos a ver nossa presa. . 112 1942: Mar do Norte. O marechal está furioso. Se a indicação estiver exata. voa a uma velocidade terrificante. é o coronel Henschel.Vocês deveriam vê-los agora . Lentamente vou me aproximando dele. disparo-lhe uma rajada. Decolamos as 13h 30m para tentar interceptar os Tommies que.O ajudante Wennecker e eu mesmo. E é o fim. Começo a sentir-me nervoso.De não se pôr um dedo para fora. só há um recurso : fechar as paletas do 114 1942: Mar do Norte. para que cuidassem do meu "zinco" com dedicação toda particular!. A voz clara do indicador nos dá o setor B-Q como sendo a posição dos Mosquitos. . comandante da caça alemã na região do golfo da Alemanha. Noruega e Holanda Reconheço imediatamente a voz de meu interlocutor . Com uma ligeira correção. Não compreende como pudemos deixar que aqueles dois Mosquitos passassem.insiste o controlador. .Entendido. debaixo de chuva e envolvidos pela cerração. Mais um minuto. agora. você precisará decolar. Olhem bem. A cada uma de suas cabriolas. . Guina tão brutalmente que sua asa esquerda quase roça o chão.Quem pretende mandar ? . chego a uma centena de metros. vão a mer. Não se vê nada a quinhentos metros. mas o de Wennecker visivelmente perde terreno. . Apressem-se! . ganharão o mar pelas ilhas orientais da Frísia. Provavelmente. Minha primeira rajada bate como um chicote em seu motor esquerdo. Tomamos o rumo da costa. meu coronel! .. Quero diminuir a distância antes de liquidá-lo. Eu e Wennecker somos dos raros pilotos da esquadrilha capazes de voar com qualquer tempo. Um Mosquito! Seu piloto já me viu.A campainha do telefone toca novamente.Rumo 315. O Mosquito arrasta um leve penacho de fumaça. e nos ordena que os abatamos a qualquer preço. e desembocamos sobre o mar. . meu coronel. a sua esquerda. Para isso. visando ligeiramente a frente de seu nariz. Felizmente.5° esquadrilha.Obrigado. Como valeu a pena atormentar os mecânicos. Meu "Gustavo" consegue segui-lo. volta-se com a mesma rapidez para a direita. meu amigo! Não pense que seus ziguezagues sejam suficientes para enganar-me. O Mosquito é um . Não fosse essa maldita chuva. Voamos extremamente baixo. mais ou menos. Bem na minha frente. . . Vou atender.De qualquer forma. meu coronel.

foí abatído sob nossos olhos.. Agrupados sobre as pontes repletas. Lá fora. Levo-o até o seu alojamento. Dieter e eu conversamos. acompanhados de um torpedeiro e de quatro vedetas rápidas. "Noite suave. Esta noite. ela se volta para mim. teremos a ilusão da paz. Quando volto. Toda a sua asa se incendeia numa fração de segundo. 23 de dezembro de 1942. até bem depois da meia-noite. já muito baixo para saltar de pára-quedas. evocamos os companheiros que.. noite santa. ao chegar... Papai Noel trouxe o mais magnífico de todos os presentes : uma visita de Lilo.. Esta noite. Um choque. Amanhã é Natal.avião frágil. Sobrevôo novamente nossos navios uma hora depois. Num gesto lento. Dieter retém um bocejo e se ergue de sua poltrona. Noruega e Holanda meu "salão".. nós três.Lilo está ao meu lado.. a longa . Lilo sorri ao ver aquele menino grande que bebeu demais.." Lilo.. Mais exatamente. solta gritos de alegria e estende as mãozinhas para as velas acesas. beijando-lhe a mão. inclina-se diante de Lilo. vejo uma mancha de óleo brilhar no fundo das ondas. contemplando através da porta aberta do quarto o pequeno leito onde Ingrid dorme calmamente. O silêncio. os lábios quentes e doces de Lilo.. Da barraca da companhia de estadomaior nos chega o canto melancólico de um acordeão. o rapaz loiro que. de uma felicidade tanto mais preciosa quanto mais a sabemos terrlvelmente precária. Recordamos incidentes engraçados ou dramáticos... estamos. esperam a maré montante para entrar na embocadura do Weser.. que trará em seus braços nossa filha Ingrid. começou a chorar. Quando ganho altitude. sentada em meus ombros. Seus braços se erguem. no mês de setembro. Gotas de suor salgado me correm pelo rosto. imaculada.. Sentia medo do desconhecido que se obstinava em abraçá-la. Meu amigo Dieter Gerhard abre a porta. Fugidios instantes de felicidade. Agora. seu perfume. os marinheiros me fazem sinais amigos.. Estamos sós. A paz que o anjo desejava aos homens de boa vontade. Regressei de uma missão de escolta sobre o mar minutos antes do meio-dia. espessa camada de neve recobre a paisagem. Pela primeira vez. todos têm alma de civil. A guerra. diante de uma tigela de ponche fumegante. o capitão Dolenga. 115 A Grande Caça 24 de dezembro de 1942. Uma neve magnífica. vinham sentar-se a esta mesma mesa. Para mim. instalados nas fundas poltronas do 116 1942: Mar do Norte.. que se mistura ao cheiro do pinheiro. no curso do ano que termina. tanto do nosso lado como do lado adversário. encontro Lilo imóvel no centro da peça. e logo mais se destaca. por algumas horas. um avião de madeira. e o Mosquito desaparece nas vagas escuras do mar do Norte. que está prestes a tornar-se um ás da caça noturna..tudo é esquecido. pois vão a terra. juntos sob a árvore toda enfeitada de bolas multicores e de guirlandas reluzentes. as preocupações. estarão particularmente felizes. Dez grandes cargueiros. como raramente se pode ver nas costas continentais do mar do Norte. atraindo-me a si. . Assim. eu e Dieter conversamos. ou o tenente Steiger.. a entrada do campo. Ingrid. Noite de Natal! É uma noite de calma. Está ligeiramente titubeante. e Lilo escuta.

assim. estudamos toda a gama das possibilidades de aproximação. Nossa caça já abateu diversos Liberator e Boeing sobre a França. Pouco a pouco. até nos mínimos detalhes. Vitórias prenhes de conseqüências. fomos tendo perfeito conhecimento dele. todos os semblantes estão graves. através do campo. nos escombros gelados de Stalingrado. naquele Verdun da segunda guerra mundia17 Cerca do meio-dia. Durante várias horas discuti com meus pilotos a tática a ser adotada no ataque. 119 A Grande Caça Durante os últimos três ou quatro meses. Dieter Gerhard e meu adjunto Frey abateram cada qual o seu Liberator. com o máximo de possibilidades e o mínimo de riscos. minha cidade natal. subverteram os dados estratégicos e táticos da guerra aérea. Liberator e Boeing B 17. Anteontem. formações de bombardeiros americanos atacam pela primeira vez objetivos situados na Alemanha. o avião deve escapar aos ataques da caça. O Alto Comando melhorou consideravelmente as condições táticas do emprego da caça. Com seu enorme armamento defensivo. Os quadrimotores não mais nos impressionam. há poucos dias. nosso serviço de informações nos deu determinado número de indicações a respeito desse gigante dos ares. que. doume conta de que a caça alemã chegou a uma encruzilhada decisiva. diante de Great Yarmouth. fazia parte do exército de Von Paulus. Descobrimos. cuja aparição põe a caça alemã um problema extremamente difícil. sem destino. Saio para errar. a coisa pode ser feita. erguendo uma verdadeira muralha de radares. De minha parte. Tentaremos adaptar-nos as novas condições. Aproveitamos todos os minutos disponíveis para calcular as distâncias. os ângulos de tiro. Com auxílio de modelos reduzidos. Suas dezesseis metralhadoras não deixam subsistir nenhum ângulo morto. Estamos em estado de alerta desde as sete horas da manhã. 120 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha 12 de fevereiro de 1943. Uma parte de meus companheiros de infância estava incorporada naquele regimento.separação 117 CAPÍTULO V Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha 4 de fevereiro de 1943. O regimento de Hameln. Os postos de radar assinalaram uma poderosa concentração inimiga no setor Dora-Dora. Quantos dentre eles estarão mortos. Esperávamos por esse ataque desde várias semanas. . Mesmo aqui. O VI EXÉRCITO capitulou. é realmente uma verdadeira fortaleza. a duração de cada manobra. isto é. na outra extremidade do imenso território ocupado pela Alemanha. O moral da esquadrilha é excelente. Este último tipo de avião traz o significativo nome de "Fortaleza Voadora". lançando hoje seu primeiro ataque maciço em pleno dia. Os americanos. instalando novos centros de controle de terra. Portanto. pois abalaram o mito de invulnerabilidade que cercava os aviões americanos. nas costas do mar do Norte. pelo menos teoricamente. Tanto pior !. As formações inimigas são compostas de quadrimotores. construindo postos de rádio suplementares para o Y gerat.

Não paro um minuto de praguejar. Maldito motor !.Grandes casebres em Dora-Norbert. Faz um tempo excelente.Vamos. a esquadrilha surge e aterrissa. abro a capota. onde deve ser bom passear. Os onze aviões de meus companheiros estão estreitamente agrupados ao meu redor. o alerta foi para nada. Será que a Marinha continuará nos considerando seus empregados ? 26 de fevereiro de 1943. salto para a asa e me ponho a gritar com os mecânicos. O setor G-P. Passo o comando a Dieter e. eles rumaram para o sul.Paulette! Então. furioso. Levaram suas bombas.Grandes casebres agora em Frederico . A 6 000 metros. nosso guia do centro de controle.Tomem o rumo K-2. Um céu límpido. quase estoura de rir. A 5 000 metros. para escoltar dois cargueiros. Os mecânicos trabalham febrilmente.e. subam a Hanni oito zero! O que quer dizer que há quadrimotores no setor D-N. confirma a ordem de regresso. Knoke.. . Logo que aterrisso. Dessa vez. . corro ao telefone. Mal me contenho o tempo necessário para contar os aviões . Eles continuam descendo para o sul.Grandes casebres em Gustavo-Paulette. Oxalá não chegue muito tarde! 8000 metros . O controlador se enerva. e treze minutos depois posso decolar novamente. À guisa de compensação. Em dois minutos. Caramba! Isso representa quase duzentos quilômetros! . começa a falhar e se recusa a subir mais. pelo amor de Deus! 121 A Grande Caça A causa da pane é rapidamente descoberta : a bomba de alimentação está entupida. . Ainda terá ocasião de lutar. tranquilamente. toda a esquadrilha está no ar. mandam-nos decolar às treze horas.. Dois minutos depois. Decolagem imediata. Os americanos regressaram quando se encontravam na extremidade sul de Zuyderzée. peço explicações ao controlador. A partir de determinada altitude. Que significa isso ? Por que o controlador nos manda regressar ? Dou meia volta a contragosto.todos voltaram . . O céu é de resplendente limpidez Mas continuo não vendo nada. louco de raiva. O tenente Kramer. pico na direção do nosso campo. Ligo a Superpotência e o avião pula como um cavalo de corrida. atravesso um banco de nuvens.000 metros. Tudo continua em calma sobre Great Yarmouth. zero. a altitude de 8.-Que andem depressa. Em seguida.11h 30m. Pouso as 12h 58m. . ! Um rápido olhar ao mapa. 122 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha . a leste de Leeuwarden. não se zangue !. que. Desejaria que fôssemos ainda mais depressa. o motor não recebe mais sua ração de combustível.

Enrolados em seus cobertores, os pilotos, deitados a margem do campo, tomam seu primeiro banho de sol do ano. Os dois alto-falantes irradiam música de dança. Trata-se de uma emissão oferecida aos soldados do Reich pelo posto inglês de Calais. - Calais calling, Calais calling. . . Na verdade, o posto deve situar-se em alguma parte da região de Douvres. Seu programa musical é nitidamente superior ao nosso. Mas quando o speaker começa a debulhar sua propaganda anti hitlerista, todos se põem a rir. Seus textos são bastante maus. Nesse campo, Goebbels ainda é o mais forte... - Cale-se Tommy! Trate de tocar um fox! De repente, a música pára. 123 A Grande Caça - Atenção, atenção! Chefes de esquadrilha ao telefone! Só tenho que estender a mão para apanhar a aparelho telefônico, que tive a boa idéia de trazer até aqui. A divisão assinala novas concentrações aéreas no setor Dora-Dora. Mais uma vez os aviões inimigos se agrupam diante de Great Yarmouth para atacar o território alemão.É dado o alerta as 10h 50m. Os americanos acompanharam a costa, na direção de Wilhelmshaven. Às 10h 55m, decolagem imediata! Os cockpits se fecham. Os mecânicos saltam para as asas, para lançarem o dispositivo de arranque. Todos prontos! Rolamos em grupos de três até a pista de partida. Segundos depois, a formação se destaca no Céu. Chamo a torre de controle. A comunicação é excelente. Tenho a impressão de conversar com alguém sentado ao meu lado. Atingimos rapidamente 8 000 metros de altitude. . - Grandes casebres em Adolfo-Paulette, Hanni oito zero. Permaneçam sobre o campo. Descrevo uma ampla curva na direção norte. Nossos motores deixam pequenos rastos de condensação no ar límpido. Ali está o inimigo! Um gigantesco box, composto de uns trezentos quadrimotores, assemelhando-se a um monstruoso 124

Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha cacho que planasse em pleno sol. Magnífico e terrificante espetáculo ! Destravo maquinalmente as armas e ilumino o colimador. Os 2 300 cavalos de meu motor roncam seu canto tranquilizador. A distância ainda é de vários quilômetros. Os aviões inimigos dirigem-se reto para o sul. Transmito minhas observações ao posto central de controle, que deve estar zumbindo como uma colmeia. Sorrio, comparando a agitação que deve reinar naquela fábrica subterrânea com a serenidade do céu azul. Liguei a superpotência quase sem perceber. Mais perto, sempre mais perto! Agora já distingo melhor os aviões. São na maioria Liberator, pássaros enormes, com os ventres cheios de bombas. Escolho um deles ao acaso. Resolvi atacar de frente. O bombardeiro aumenta a olhos vistos. Suavemente, apoio o dedo nos botões que desfecham o tiro. Os fios das traçadoras alaranjadas vêm ao meu encontro, passando em diagonal sobre meu avião. Mais impaciente que nós, o inimigo abriu fogo. Por fim, estou a bom alcance. O recuo de meu canhão, atirando entre a hélice, e o das duas metralhadoras pesadas sacode violentamente o avião. Minhas balas são mal colocadas. Registro apenas alguns impactos na asa direita do Liberator. Passo por debaixo dele a toda velocidade, raspando-lhe o ventre. A deslocação de ar de suas quatro hélices sacodem-me com tanta violência que tenho a impressão de que minha empenagem ficou 125

A Grande Caça em pedaços. Emergindo atrás do gigante, cabreio brutalmente, numa curva estirada em altura, perseguido pelos jatos densos de suas metralhadoras traseiras. A atmosfera, hoje, está particularmente saturada de ferro! Trezentos quadrimotores representam quatro mil e oitocentas metralhadoras pesadas. Admitindo que somente um terço delas nos alveje simultaneamente, isso já constitui uma rede terrível. Depois de um 1809 a boa distância, ataco de novo, sempre frontalmente, mas um pouco mais baixo. Minhas armas cospem fogo sem interrupção. Dessa vez, as balas atingem em cheio seu alvo. O grande bombardeiro se ilumina de explosões próximas. Os clarões correm ao longo de suas bordas de ataque. Afasto-me com um piqué moderado. Enquanto deslizo, volto a cabeça. O ventre do Liberator está em chamas. Descrevendo uma grande curva, abandona a formação e começa imediatamente a perder altura. Em suma, ele ainda pode ir longe, visto que estamos a 8 000 metros. O bombardeiro já está bem mais baixo que eu. Avanço por trás para liquidá-lo, apesar do fogo nutrido que me acolhe. Com ambas as mãos firmes no manche, vejo meus obuses entrarem pela parte superior da fuselagem, furarem o posto de pilotagem e penetrarem na asa direita. Agora, as chamas envolvem toda a asa. O motor interno parou, a hélice está em bandeira. Subitamente, a asa se destaca. O enorme destroço cai 126 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha como uma pedra, na vertical, girando desajeitadamente em torno de seu eixo longitudinal. Atrás dele, espesso penacho de fumaça desfia-se ao sopro do vento. Um homem tenta sair pela enorme brecha do teto. No momento em que consegue pôr-se de fora, seu pára-quedas se incendeia. O infeliz descreve um duplo e perigoso salto, antes de cair pesadamente, como que a procura de seus companheiros que ficaram no féretro incandescente. A mil metros do solo o Liberator se desintegra numa violenta explosão. Seus destroços rubros terminam sua trajetória a duzentos ou trezentos metros do campo auxiliar de Bad Zwischenahn, perto de uma fazenda incendiada por um tanque de combustível que foi projetado sobre o teto. Pico num mergulho mortal sobre o campo e, depois de uma curva bem em cima da hora, aterrisso na única pista. Deixo meu avião rolar na direção da fazenda, desligo o motor e salto em terra. Em alguns saltos, alcanço o pequeno grupo do pessoal de terra que se esforça por salvar os móveis, os animais, as ferramentas agrícolas. Felizmente, o carro de bombeiros já chegou e o jato de neve carbônica conseguirá salvar a casa de morada e a granja. Meio sufocado pela fumaça e com a roupa de vôo avermelhada pelas chamas. consigo agarrar pelas patas dianteiras um enlouquecido leitão, que teimava em não deixar seu chiqueiro. Nunca poderia imaginar que um porco fosse capaz de tamanha resistência. Apesar de seus gritos lancinantes, arrasto-o para fora. Um minuto depois, o teto do chiqueiro nos teria esmagado a ambos. 127 A Grande Caça A carcaça do Liberator caiu num descampado cercado. A explosão do aparelho atirou os homens da equipagem para fora. Os corpos inertes, com os membros retorcidos, jazem, todos juntos, entre os destroços fumegantes. Cem metros além, por detrás de um talude, encontramos o assento do piloto. Nos galhos mais baixos de uma macieira, entre pedaços de plexiglass arrebentados, uma pequena boneca, mascote do bombardeiro, está miraculosamente intacta. Aterrisso em nosso campo uma hora depois. Meus homens me carregam sobre seus ombros até a barraca central. Era meu primeiro quadrimotor abatido, minha 164° missão ofensiva e minha lOO4'~ incursão. Há três anos, quase no mesmo dia, eu estava subindo pela primeira vez num avião de instrução. Meu Deus, como mudei! A esquadrilha registra, para esta Ultima incursão, cinco bombardeiros abatidos.

Nossas perdas se reduzem a algumas asas danificadas. Excelente balanço. Meus pilotos exultam. Apesar da alegria geral, não posso esquecer-me dos corpos mutilados dos aviadores americanos. Quando chegará nossa vez 7 28 de fevereiro de 1943. Eu e Dieter Gerhard discutimos em meu quarto durante toda a noite. As incursões diárias dos bombardeiros americanos nos preocupam cada vez mais. 128 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha É preciso encontrar a maneira de parar com isso, a qualquer custo. Dieter tem uma idéia interessante. Acha que poderíamos lançar bombas sobre as formações cerradas dos americanos. Talvez durante umas cinco horas, ficamos calculando as velocidades e os ângulos de queda. Segundo meus cálculos, um lançamento concentrado de bombas, executado por uma esquadrilha bem agrupada, deverá obter resultados apreciáveis. Em seguida, poderemos atacar com as armas de bordo. O Messerschmitt 109 G pode levar duzentos e cinqüenta quilos de carga útil. Poderíamos, portanto, carregar quatro bombas de cinqüenta quilos, ou uma só de duzentos quilos, ou, ainda, um "recipiente" contendo uma centena de pequenas bombas de dois quilos, as mesmas que lançava contra os "Ivãs", no início da campanha da Rússia. Como largaremos nossas bombas a mais ou menos mil metros sobre os aviões inimigos, será preciso um detonador regulado para provocar a explosão ao cabo de quinze segundos. Logo as primeiras horas da manhã apresento-me ao comandante e lhe exponho nosso plano. De início, ele quase arrebenta de rir. Depois, abalado por minha convicção, capitula e me autoriza a preparar um ensaio. À tarde, vôo até o quartel-general da divisão aérea para enfrentar o "grande patrão" e o chefe regional da caça. Muito compreensivos, eles me ouvem pacientemente e me prometem seu apoio. 129 A Grande Caça Aproveito essa boa disposição para solicitar a entrega imediata de cento e cinqüenta bombas de exercício, de cinqüenta quilos. Peço também licença para equipar nossos aviões com um dispositivo para o transporte e o lançamento das bombas. Para terminar, no momento em que me despeço, sugiro que a seção de estudos nos empreste diariamente, por algumas horas, seu avião alvo. Trata-se de um Junker 88, cuja velocidade é quase igual a do Boeing. Ele poderá arrastar, na extremidade de um cabo, um saco com três metros de comprimento, que procuraremos atingir com nossas bombas de exercício. O comandante me concede tudo isso, sem mesmo discutir. O chefe regional da caça telefona pessoalmente para solicitar o material necessário. Uma vez, ao menos, nossos superiores não nos oporão dificuldades. 8 de março de 1943. Dois dias depois de minha visita ao quartel-general, três caminhões trouxeram as bombas de exercício. O resto do material chegou hoje cedo. Entrementes, nos exercitamos no vôo em formação cerrada. Como a esquadrilha só conta com veteranos no manejo do manche, bem depressa obtemos um resultado perfeito. Vistos do solo, os aviões formam uma prancha, que nenhuma manobra consegue desfazer. 130

Como já o ultrapassei. Corro o risco de chocar-me a qualquer momento contra um motor. solto um grito. grita-me que tentará abater o chefe de grupo.. Mas saber o que resultará. Já está bem melhor. Minha quarta bomba. agora de uma posição ligeiramente superior. que imediatamente se incendeia. ao contrário.. para retomar o ataque. Repentinamente. Eu e Dieter lançamos hoje a tarde as primeiras bombas de exercício. Minha esquadrilha. alinhado sobre os quadrimotores. Hoje pela manhã eu e Dieter lançamos quatro bombas cada um. como também a terceira de Dieter. antes de fechar sua cabina. descrevo um rápido cento e oitenta graus e. na prática. Tenho a impressão de que meu coração parou de bater. que. Meus obuses continuam a castigar-lhe a fuselagem. realmente. o êxito parece indiscutível. 131 A Grande Caça Dieter. isto é. Nem sequer dou resposta ao que reputo uma bravata de rapazola. seria bastante estúpido! Num movimento rápido. de futuro. a esquadrilha foi destacada do grupo. 18 de março de 1943. colocado em sua esteira. Atribuíram-nos outro comprimento de onda e outro controlador. A esquadrilha ataca novamente de frente. uma asa incendiada. Mas não perdemos a esperança: é a força de forjar que se torna forjador. Derrapando sobre a asa direita. mergulha nas ondas. e o controlador se exaspera tanto que desistimos de carregar nossas bombas.Às 14h 14m. dirijo minhas rajadas contra um Liberator. será inteiramente lançado apenas contra as formações maciças de quadrimotores. Com um rugido de trovão. quase de frente. cujas chapas furadas são orladas por uma faixa vermelho escura. O tempo urge. Subo numa chandelle triunfante até oito mil metros. qual meteoro incandescente. será empregada contra formações menos importantes. é outra história bem diferente. voa bem no meio do box inimigo! Há uns cinco . aplicaremos ainda uma vez as táticas tradicionais. Sua lenta descida já se transformou numa queda mal controlada. O que. recebemos ordem de interceptar uma formação de quadrimotores que se aproxima da costa. No papel. levado pela velocidade. o grande saco que o Junker 88 leva incansavelmente a passear ao largo das ilhas Frísias. o enorme avião explode e uma chuva de destroços cai por sobre mim. Subindo ligeiramente na direção da primeira linha de bombardeiros. um tanque. atingiram em cheio o alvo. 132 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha É o meu quinto quadrimotor !. entro num piqué que me coloca sob seu ventre. Erramos o alvo pelo menos em cinqüenta metros. Em seguida. Tanta solicitude da parte de nossos chefes bem merece uma recompensa. enquanto todo mundo faz a sesta.Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha A meu pedido. O avião de Dieter. Impomo-nos um treinamento intensivo para justificar as esperanças que o comandante depositou em nosso novo método. ataco novamente. empurro o manche para o canto esquerdo e me afasto para baixo. Tanto pior. ele deixa a formação e começa a perder altura. que só se ocupará conosco. a enorme carcaça do Liberator passa bem em cima de mim e. De súbito. Desde quando o inimigo assinala o grau do piloto nas asas do avião ? Encontramos o inimigo a 8 000 metros sobre Helgoland.

minutos ouvi-o anunciar, com gritos de pele-vermelha, a queda do seu primeiro Liberator. Agora. quer abater o chefe da formação. Não resta dúvida que ficou louco !. Colado na esteira de uma Fortaleza Voadora, atira como um possesso, sem se preocupar com os jatos das traçadoras que de todos os lados convergem sobre o seu avião. Como tirá-lo de lá ? No entanto, é preciso fazer alguma coisa. Picando na vertical, atravesso o box, alvejando ao acaso os aviões que enquadram meu companheiro. Ao mesmo tempo, ordeno-lhe pelo rádio que se afaste : - Afaste-se, meu velho, pelo amor de Deus t. Afaste-se! É uma ordem, está ouvindo ? Realmente, ele se afasta para baixo. É um verdadeiro mergulho, quase uma queda. Mil metros mais abaixo, seu avião vomita de repente espessa fumaça. Vejo-o abrir a capota, erguer-se com dificuldade, com desesperadora lentidão. Depois, o vento o arranca e o projeta para longe de seu aparelho, que continua a picar. Seu pára-quedas se abre, desdobrando-se. Desço para passar a poucos metros dele. Seu rosto está irreconhecível, crispado pela dor. Comprime o ventre com ambas as mãos. Está ferido. 133

A Grande Caça Depois de quase quinze minutos, Dieter toca a água, no setor UR-9. Conseguiu livrar-se do páraquedas, e seu bote pneumático já se inflou. Penosamente, centímetro por centímetro, ele vai para seu interior. Desço até junto as vagas e, no momento em que o sobrevôo, balanço as asas. Ele não me responde. Ou está sofrendo muito, para agitar as mãos, ou então perdeu os sentidos. Assinalo a torre de controle a posição do bote e peço socorro imediato. Oxalá cheguem a tempo! Depois disso, volto ao campo. Os mecânicos que vêm cuidar de meu avião nem sequer ousam felicitar-me pela vitória. Reabastecidos os tanques, torno a decolar. Atravesso sozinho o mar vazio. Os outros ainda devem estar combatendo em alguma parte entre Helgoland e a costa. Por mais que explore a superfície brilhante do mar não consigo ver em parte alguma a mancha amarela do bote pneumático. Procuro consolar-me pensando que uma de nossas vedetas rápidas terão observado a queda de meu companheiro e o terão recolhido. De volta ao campo, fecho-me em meu gabinete. A noite cai e continuo esperando notícias de Dieter. Há uma garrafa de conhaque em meu armário. Sei que existe outra, da mesma marca, no quarto de Dieter. Há alguns meses, combinamos que o sobrevivente esvaziaria a garrafa do morto, com todos os companheiros, a memória daquele que não voltou. Será que vai ser preciso abrir sua garrafa ? 134 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Por fim, cerca da meia-noite, ressoa a campainha estridente do telefone. O corpo do subtenente Dieter Gerhard foi levado para terra por uma vedeta rápida. Dieter está morto ! Desligo, lentamente. Algo me aperta a garganta. . . Dieter... meu melhor amigo...

Vou até seu quarto, pego a garrafa e entro no alojamento do tenente Frey, que joga cartas com o médico. Também eles aguardam notícias de Dieter. Ao verem meu rosto desfeito, baixam a cabeça. Ponho a garrafa sobre a mesa. - Vamos, abra-a! Embriaguemo-nos, meus amigos. Minha vontade é chorar, mas foi isso que eu e Dieter combinamos fazer. de março de 1943 - 14h 24m : alerta! Decolagem imediata. Com os demônios! Ainda desta vez não teremos tempo de carregar as bombas. Os americanos chegam pelo mar. Como sempre, se agruparam no quadrado Dora-Dora, diante de Great Yarmouth. Sete minutos depois da partida, a torre de controle nos chama. O inimigo deu meia volta. Mas ainda poderá voltar. Reabasteço-me imediatamente em combustível. Os pilotos continuam em seus aviões, não sem al135

A Grande Caça guns protestos, como sempre. Acalmo-os, comunicando-lhes que, com certeza, vamos partir novamente. Por ora, o posto central de controle se esforça por adivinhar as intenções dos inimigos, que mudam continuamente de rumo. Talvez se trate de nova tática, destinada a iludir nossa vigilância. De qualquer maneira, vou aproveitar-me disso para fazer com que carreguem bem depressa uma bomba de duzentos e cinquenta quilos no meu avião. Mal os mecânicos começam o trabalho, a torre de controle ordena a decolagem imediata. E a bomba, que ainda não está fixada em meu aparelho ? . . t Tanto pior l Advirto todos os pilotos que, para essa missão, o ajudante Wernecke assumirá o comando. Depois, enquanto a esquadrilha se afasta, explico aos mecânicos o que lhes irá acontecer se perderem um só segundo que seja. E eles se esfalfam sob o ventre de meu "zinco", banhados de suor. Preso em meu assento, mal me contenho, com os olhos presos a rapidez dos ponteiros de meu relógio. A esquadrilha avança para o mar, ganhando altitude. A formação americana vai transpor a costa. - Pronto, tenente !. Meu avião, carregado com seu sinistro fardo, rola pesadamente para a extremidade oposta do campo. O peso suplementar da bomba me obriga a decolar de frente para o vento. Quando dou a volta a entrada da pista, meu maldito moinho pende sobre o lado esquerdo. Solto 136 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha uma praga. Não faltava mais nada t. Um pneu do trem de aterrissagem estourou !. Lanço um sinal vermelho. Lá embaixo, diante da barraca oficina da esquadrilha, os mecânicos compreenderam o sentido do sinal. Uns vinte homens saltam para uma camioneta e, a toda velocidade, se lançam através do campo. Seus ombros vigorosos erguem a asa esquerda. E, em menos de um minuto, trocam a roda, sem que eu precise parar o motor. - Pronto, tenente !. Todos se afastam. Abro ao máximo a admissão de combustível. .. O avião começa a rolar...Bondade divina! O avião pende outra vez, sempre do lado esquerdo t . Consigo arrancar, porém, depois de ter percorrido cerca de duzentos metros com um pneu vazio. Por um triz, evito um hangar na extremidade do campo. Subo a potência máxima, rumo ao mar. Por cima de mim, bem altos no céu azul, os rastos de condensação dos americanos e dos meus companheiros desenham uma renda

movediça. A grande luta já começou. Sete mil metros. A carga inusitada cansa perigorosamente o avião, cuja velocidade ascensional diminui cada vez mais. Intercalando pausas horizontais sempre mais próximas, consigo subir até nove mil metros, em cerca de vinte e cinco minutos. Manifestamente, meu "Gustavo" perde o fôlego no ar rarefeito. Os americanos já lançaram suas bombas sobre Wilhelmshaven, cujas docas estão em chamas. A 137

A Grande Caça brisa porto. A caminho de volta, o inimigo se acha na vertical de Helgoland. Sacrificando um pouco de altitude, logo o alcanço. Depois, reduzindo a velocidade, coloco-me sobre a testa da formação que, dessa vez, se compõe exclusivamente de Fortalezas Voadoras. Durante os vários minutos que os artilheiros americanos aproveitam para alvejar-me a vontade, corrijo a pontaria, deixando oscilar ora a asa esquerda, ora a direita, a fim de verificar minhas coordenadas. Na primeira vez que consegui levar uma bomba, quero estar seguro do meu golpe. De qualquer maneira, também não é este um momento para demora. Minha asa esquerda já exibe dois ou três rasgos. Preparo a bomba, corrijo novamente a pontaria e, num só golpe de polegar, aperto o botão de lançamento. Aliviado do peso, meu avião salta para a frente. A bomba cai. . . continua caindo. .. Cabreio, ao mesmo tempo em que executo uma curva, para observar-lhe a queda. A bomba explode bem no meio de um grupo de três Fortalezas. Uma, a mais próxima delas, perde imediatamente uma asa, arrancada pela deslocação de ar. As outras duas, aterrorizadas, afastam-se num piqué de quarenta e cinco graus. A uns trinta quilômetros a oeste de Helgoland, a Fortaleza atingida - para surpresa minha ela não se incendiou abate-se no mar, erguendo enorme geiser. Sua asa, girando como um pião, segue-a com poucos segundos de intervalo. leva as colunas de fumaça para a zona do 138 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Minha bomba dará o que falar, não somente no campo aliado, mas também entre nós, nas "esferas superiores' , t . Logo a aterrissagem, tenho que me apresentar ao comandante da esquadra. O "velho", que partira juntamente conosco, assistira, de certa maneira "de camarote", a destruição da Fortaleza Voadora. Está excitadíssimo.- Formidável, Knoke, absolutamente formidável! Da próxima vez, você deverá fazer isso com todos os aviões de sua esquadrilha, hein, meu caro Knoke ? - É o que pretendo fazer, meu comandante. - E acha que irá dar certo? Mostro-me cético. - Ainda não posso dizer nada, meu comandante. Talvez não tenha passado de um golpe feliz. Mas se, ao contrário, esse golpe resulte da aplicação de um método, certamente conseguiremos abater certo número de quadrimotores.- Hum. . . Sei. . . Enfim, golpe feliz ou método, espero que você irá continuar, caro Knoke. Conta com minha confiança... Pouco depois é o chefe divisionário da caça que me telefona :- Sinto-me alegre de poder felicitá-lo,

num tom suave. não foi ninguém. . senhor marechal! Um novo ruído.Exatamente. por favor. Não. O telefonista vem comunicar-me que devo chamar imediatamente o Centro de Estudos Técnicos de Rechlin. por X.Muito obrigado. vestido Unicamente com seu pijama.. mantém uma conversa com seu chefe supremo! Que história para contar a meus netos! Se o gordo Goering soubesse que nem sequer estava com minhas calças !. retifico minha posição. Acabou-se. Há um pequeno ruído.Quem havia ordenado o emprego de uma bomba ? Permaneço calado durante alguns instantes. o que é muito mal visto no exército. Sua voz é tão estridente que afasto os . Primeiro.Vou pô-lo em comunicação com o marechal do Reich. nha. 141 A Grande a aça Vão para o inferno! Sinto que logo estarei lamentando ter lançado aquela bomba! Ainda estou coçando a cabeça quando o telefone toca novamente. Depois. no fundo. segundo. agi por iniciativa própria. meu comandante. . com igual sucesso. meu comandante! Ele me interroga rapidamente sobre o modelo da bomba e do detonador.Estou satisfeitíssimo por saber que você deu provas de iniciativa.. o telefone instalado ao lado de minha cama começa a tocar. meu tenente! . . . Alô! Alô! Pode falar. Instintivamente. mas do pobre Dieter. é que. Aqueles senhores pedem com toda urgência um relatório oral. o método de pontaria. Dessa vez é o general Burstenhuber.. Refere-se imediatamente a meu " ato absolutamente não autorizado" e me passa um terrível "sabão". .Eu. foi uma vitória magnífica. e larguei-a . os efeitos produzidos. esta manhã. 139 A Grande Caça Somente os homens de minha esquadrilha guardam sua fleuma habitual. na horizontal.. Meu interlocutor comunica. ninguém me dera ordem de lançar uma bom140 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha ba contra aqueles infelizes americanos. não há muito com que alegrar-se! Bem no meio da noite. na verdade. meu "zinco" recolheu oito buracos na aventura. apelidado "o Bávaro". Em suma. 23 de março de 1943.Sim. Y ou Z. .É o tenente Knoke ? Aqui é o comandante X. Pela primeira vez. . a idéia de haver contribuído indiretamente para essa "magnífica vitória". E aí está! Um tenente da Luftwaffe que. e terceiro. comandante do 12° Corpo da Luftwaffe. destruiu uma Fortaleza Voadora com uma bomba 7 . indaga:. Fico rindo sozinho. embora continuando deitado. num tom de voz mais claro: . E de uma iniciativa muito feliz.meu caro t . .Uma comunicação prioritária do Alto Comando da Luftwaffe. deitado em sua cama.. Apresento-me num tom marcial . Foi o senhor que. diz-me num tom jovial. dou-me conta de que. Essas manifestações oficiais de júbilo lhes parecem ridículas..Hein7 Está certo que é para mim ? . tenente. Silêncio. do estado-maior do marechal do Ar. . realmente. Um momento. Apenas levei aquela bomba. Fiz questão de felicitá-lo pessoalmente. Ele deve sentir-se louco de alegria... Realmente. em sua emoção.. comandante da quinta esquadrilha da primeira esquadra de caça!. a idéia não foi mi. Oxalá não perca o monóculo.Tenente Knoke. essa bomba poderia ter sido lançada.

Todas.Essa infeliz bomba provocou muito barulho. Do outro lado do fio faz-se o silêncio. No momento em que Lutzow se despede. aliás. Bem sobre a cidade. . Possibilidade. mergulho para um grupo de uns trinta bombardeiros. . ordeno o lançamento individual. Homem ainda jovem. não posso deixar de observar. a esquadrilha. titular da cruz de cavaleiro. esbelto e muito simpático. Pelo meio da tarde. limitada no tempo. É no que ele se engana! . foi um bom dia. cometi um ato não autorizado!. . . não tem nada a dizer.fones do ouvido.prossegue meu interlocutor. 143 A Grande Caça Sobre Holstein. É evidente que os americanos conhecem nossas intenções. Cada uma de suas bombas é um golpe no alvo. alto. consigo incendiar um Boeing. Para compensar. Sobre Kiel. Atiram com uma precisão diabólica! Como não conseguimos colocar-nos juntos sobre o box dos quadrimotores. Decolamos novamente com nossas bombas. Mais uma vez vou servir-me das armas de bordo. Depois de três ataques frontais. voando em formação cerrada. 14 de maio de 1943. se o inimigo quiser que seus bombardeiros sejam escoltados por caças. implacável.Sim. O inimigo lança um ataque maciço contra Kiel.Suponho que não tenha nenhum argumento para apresentar em sua defesa. 142 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha No curso de uma palestra amistosa.A. . . Sim.Eu também. para outro. É um de nossos ases. inspetor regional da caça. erram o alvo !. está certo! Na vida. examinamos a possibilidade de generalizar-se o uso de bombas contra os quadrimotores. somos apanhados pelo fogo nutrido de nossa própria D. tudo não passa de uma questão de ponto de vista.Seria uma confusão dos diabos se qualquer tenente pudesse fazer o que deseja! . meu amigo! 17 de abril de 1943. três Boeing explodem no ar. meu general! Esta noite. Ele dá uma gargalhada. . a cerca de nove mil metros. Uma rajada que penetra na minha fuselagem detém . A cada tentativa. aproximando-os somente quando seus gritos se atenuam.troveja o Bávaro.. não ? . Para um. Naturalmente. sem exceção. Os americanos atacam Bremen. Apesar de tudo. Minha bomba nem sequer explode. tomei uma iniciativa muito feliz.. o senhor marechal do Reich telefonou pessoalmente para felicitarme !. Os rapazes da Marinha sabem atirar. com quatro bombardeiros abatidos sem nenhuma perda do nosso lado. lança suas bombas. as bombas dos ajudantes Fest. a formação inimiga vira e se afasta. Deslizando a quarenta e cinco graus.. que vai esmagar-se num campo. tento por diversas vezes engajar toda a esquadrilha. meu coronel.C. Francamente. Fuhrmann e Bier realizam bom trabalho. gostaria de não tê-la lançado. Sabemos perfeitamente bem que o método se tornará inaplicável. chega o coronel Lutzow. no conjunto.

tenho-o em minhas mãos. Desta vez a coisa dá certo! Seus dois motores da esquerda começam a fumegar. com a empenagem arrancada. choca-se com o avião de Bier. O avião fica despedaçado. a quinhentos metros do solo. Seu ventre se ilumina de chamas espasmódicas. Seus pára-quedas se alinham. Três mil metros mais abaixo. Alcançamos o inimigo ao largo da península de São Pedro. De nossas cinco bombas. que vai semeando destroços incandescentes antes de esmagar-se a margem de um bosque. Os americanos voltam a sobrevoar Kiel. Um após outro. Depois de dois ataques infrutíferos. antes que ele tivesse cruzado a costa. Bier não sofre um arranhão! 146 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha . Meu avião apresenta alguns buracos. se tiver que perder a pele. executo uma chandelle e. Só posso decolar com cinco aparelhos. enquanto a Fortaleza.imediatamente meu entusiasmo. Com o motor interno direito em pane. o grande bombardeiro se afasta e. apenas uma dá no alvo. quase de frente. À minha quarta pas8agem. Essa Fortaleza Voadora é um animal engraçado! A altura de seu leme de profundidade quase corresponde a envergadura do meu Messerschmitt. todos os nossos aviões foram seriamente castigados. 15 de maio de 1943. Afasto-me precipitadamente. Então. que salta como um animal ferido antes de cair. um Liberator derrapa e se abate no mar. e logo mais já está isolado. logo ao primeiro ataque recebi um obus que seccionou um conduto de óleo. juntos. o estado-maior e as outras duas esquadrilhas. temos em nosso ativo tantas vitórias quantas possuem. Hoje. Ataco de novo. numa sucessão de curvas fechadas. Agora. ele se desagrega. arrastando um longo penacho de fumaça. que assim seja! Colocando-me atrás do box. como que num desfile. cai cada vez mais depressa para o solo. consigo finalmente colocar minhas rajadas num Boeing que voa no flanco do box. Ontem. Regresso ao campo com dificuldade. Tratar-se-á apenas de sorte ? Não o creio. Vejo-me obrigado a largar minha bomba ao acaso. se esgueira para o centro da formação. erro por um fio de cabelo sua gigantesca empenagem. Será que hoje tudo sairá mal ? Enfim. . vamos !. o suboficial Kramer. mas o motor continua a funcionar bem e os comandos obedecem. 21 de maio de 1943. que acabam por formar um todo. ele capota. Colo-me na sua esteira e atiro como um louco. Bier consegue soltar milagrosamente seu "zinco' . Presos um no outro. Não passa de um amontoado desgovernado de ferro e chapas. Começo a irritar-me. Ao largo de Wangeroog. sobrevoando Helgoland. balouçando o avião. Minha primeira rajada atinge em cheio o nariz de um Boeing. os dez homens da equipagem se atiram no vazio. 145 A Grande Caça pico sobre uma Fortaleza que voa na cauda. e conduzi-lo em vôo planado. Ago144 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha ra. O americano perde altitude rapidamente. dou uma guinada seca. os dois aviões caem como uma única pedra. Mas ao aterrissar. Nessa mesma incursão o ajudante Wennecker abate o quinto quadrimotor da esquadrilha. lentamente. No último momento.

calçam as botas forradas e colocam os coletes salva vidas.Alerta! Os pilotos surgem. cinza escura. Atravessamos barrancos. Pela primeira vez. As Fortalezas Voadoras surgem mil metros mais abaixo. enfadado. Trata-se mais de uma espécie de fastio. procuram seu caminho nesta paisagem irreal. não tenho vontade nenhuma de voar. Concentrações inimigas em Dora-Dora !. Em seguida.Ali estão eles !. 148 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha imensas cavernas. que assinala as posições sucessivas do inimigo.Alerta sentado !. Duas correias rebentam. (12). Só se escuta nos fones a voz do controlador. Hoje. Caímos como avalancha sobre elas. Os aviões parecem minúsculos nesse desmesurado universo. com as olheiras e gosto amargo nas bocas. acompanhamos gigantescas montanhas. Os pilotos estão calados. caminha ao meu lado. A esquadra está completa. meu cão. De quando em quando. Preparo um ôvo estrelado e torradas com manteiga. não acredito. Perturbado. em doze aviões. a seda não se desdobra completamente e o infeliz bate na água com terrível violência. A 2000 metros. Manifestamente. talvez a 10 000 metros. enfio no bolso dois pacotes de curativos. que me comunica que. a poucos metros da praia. 25 de junho de 1943. meu mecânico. . Mas isso não impede que o telefonista me acorde lá pelas sete horas. Turitt. Passamos através de um caos de grandes cúmulos. onze estão em condições de vôo. . penetramos em (12) Alerta sentado : pilotos no avião. o que representa quarenta e quatro aviões. ajuda-me a colocar os cintos de segurança. Bem lá em cima. Vestem suas roupas de vôo. antes do pequeno desjejum. já na pista. Ontem a noite festejamos o aniversário de um companheiro. 7000 metros. estende-se uma terceira camada de nuvens. onde os médicos constatam graves lesões internas. A 5000 metros. Conduzemno imediatamente ao hospital. Deixo-os dormindo e vou sozinho conversar com o mecânico chefe.Kramer conseguiu saltar. atravessamos uma primeira camada de nuvens. . aborrecido. maciça. Virando e ziguezagueando em todos os sentidos. quando sua velocidade ainda está próxima dos 700 quilômetros por hora. reajusto a máscara de oxigênio que me pesa sobre o nariz. O comandante quer desejar boa sorte a seus chefes de esquadrilha : o tenente Sommer. Os alto-falantes começam a resmungar. Considerável número de garrafas ficou jogado pelo campo. Sinto uma pressão estranha no estômago. não nos esperavam. não voam em formação compacta. Mas não sinto o menor apetite. . Decolamos as 8h 1lm. Todo mundo está taciturno. cruzamos outra. V ou dar um pequeno passeio pe147 A Grande Caça lo campo. estende-me o telefone. late para assustar uma gaivota. abre muito cedo seu pára-quedas. Por pequenos grupos de três ou quatro. Arndt. Maquinalmente. Bem que poderiam ter escolhido outro dia! Os pilotos ainda estão curtindo o vinho que beberam. o capitão Falkensamer e eu. completamente deserto. eu mesmo trato de servir-me. Os americanos não podem estar longe. compacta. verifico os instrumentos de bordo. Destravo as armas. . Será medo ? Não. Nossa aparição provoca indescritível confusão. E stou completamente atordoado esta manhã. No mess. prontos para a decolagem. procuram escapar refugiando-se nas .

Mas a Fortaleza já desapareceu. passivamente. num profundo barranco de nuvens. Mais perto.nuvens e lançando-se em violentos piqués. mas não poderá agüentar muito. na camada inferior de nuvens. ! Talvez. Não sinto. com a palma aberta. Voando sobre as nuvens. como se ali estivesse para marcar os impactos. Dir-se-ia um enxame de abelhas atravessado por um bólido. Alguns outros projéteis liquidam também a torre. As chamas já atingem sua asa direita. Largo por um segundo o manche para dirigir frenéticos sinais a Dolling. obterá também hoje sua primeira vitória. desço numa espiral até quinhentos metros do mar.. aterrorizado. A distância que me separa dele não passa dos cinqüenta metros. contudo. Esse maldito metralhador traseiro !. esteja mascando tranqüilamente seu chewing gum. Dolling! Volte. abro fogo.Vai atirar ou não. As chamas devoram a sua traseira e o motor interno esquerdo. Agora. estupidamente. agora. recoloco a mão sobre o manche. que explode como um fruto maduro. Abro as paredes laterais da cabina.. um filete de sangue corre ao longo do punho. Ouço nos fones as vozes excitadas de meus pilotos. Recomeço a atirar. Dolling. levo como meu ala um jovem suboficial. que mutuamente assinalam as melhores posições de tiro... atacamos duas Fortalezas. apesar do fogo nutrido do metralhador traseiro.Atenção. que voam em formação cerrada. Voamos. que lança minha mão contra a parede. . Um clarão que me cega.. sempre mais perto! Uma de minhas rajadas atinge diretamente o posto do metralhador traseiro. Derrapa violentamente antes de abater-se.. nenhuma dor. Apenas uma grande mancha de óleo inflamado se estende sobre as vagas. qual uma tocha lançada do céu. Segundos depois. perdi completamente . Aproximo-me ainda mais. corrijo cuidadosamente o ângulo de tiro e. Os jatos das traçadoras passam por cima de minha cabina.. Se não conseguirem reagrupar-se. O animal é resistente. Meus vidros se tornam opacos. que até agora não abriu fogo. Hoje. pegue a da esquerda! O suboficial nem sequer me responde. 150 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha O primeiro Boeing está em más condições. Olho para ela. num movimento raivoso. entre duas paredes verticais. ao invés de ficar ao meu lado. Atravessamos retalhos de nuvens. Acompanhando-a.. estou decidido a parar somente quando minhas munições estiverem esgotadas. um golpe terrível. passe a minha esquerda e ataque! 149 A Grande Caça A cem metros do bombardeiro. Que espera ele para atacar a segunda Fortaleza7 Sinto subir-me a cólera. Cerrando os dentes. de transparência leitosa. Afasta-se. Minha asa direita recebe vários impactos de balas. De cima e por trás. sua torre também entra na dança. A luva está cortada em duas. estão perdidas. Se conservar seu sangue frio. Meia hora depois a Fortaleza cede. Há uma série de choques metálicos.. desfecho a salva completa de minhas armas. Dolling continua a minha direita. Meus obuses atingem a fuselagem quase no meio. ..esta é sua primeira missão de combate. seu idiota! Tatatrás! É a outra Fortaleza que me alveja! Vejo nitidamente as chamas das metralhadoras laterais da direita. fui novamente atingido. a qualquer preço. É valente. É preciso liquidá-lo.. enquanto dispara. o rapaz.

Um cirurgião examina o ferimento e. consigo picar corretamente e balançar as asas.. colada pelo sangue. Meu carro ainda está estacionado no pátio. Corro até a escada. . Já perdi muito sangue. que agora quase me faz gritar t.. Os mecânicos erguem a cabeça. Apesar de tudo. surge uma ilha. O motorista espera. que aumenta cada vez mais. no fundo de imenso corredor. Felizmente. mandei fazer uma proteção de couro para meu ferimento. Mais exatamente. Poderei aterrissar dentro de sete ou oito minutos. O adormecimento do choque passou e começo a sentir uma lancinante dor. fumando um cigarro. que tomando o rumo sul chegarei. amputa as duas primeiras falanges do índice. sempre terna e compreensiva.Meia hora depois estou de volta ao campo. Mas não sinto a mínima vontade de sorrir. Rio sozinho ao pensar que. no hospital. Uma correia presa ao couro me permitirá manejar o manche. passeei bastante a bordo de um Taiphoun. Preciso usar ambas as mãos para aterrissar. Abro cuidadosamente a porta. Na enfermaria. Durante a semana passada. agitando os braços e os bonés. pois a direita está completamente inerte. esta manhã. Na verdade. Os minutos passam e a costa continua invisível.. minha mão começa a preocupar-me. Reconheço Norderney. Nossos últimos aviões somente voltam a base lá pelo meio-dia.minha orientação.. a menos que a gangrena me obrigue a novas amputações. 25 de julho de 1943. o campo com seu familiar desenho de pistas e barracas. Toda a vida tive particular horror ao cheiro de éter ! . o médico corta a luva. sinto remorsos. declara-me depois. peço-lhe que me aplique uma injeção antitetânica. As náuseas me afligem. como um peso morto. 152 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha São nove horas.Em Hameln. A parte da frente de minha roupa parece a mesa de um açougueiro. Por outro lado.. o comandante me havia concedido quinze dias. Olho maquinalmente pela janela. Sinto um calor estranho. Para maior segurança. Mas imagino que sem mim a esquadrilha se deixaria exterminar. A despeito da dor insuportável. devem estar ainda a procurar-me.Vamos manter o tenente em observação. meus olhos se enevoam. que se propaga até o cotovelo. Mais calmo. Os metralhadores da segunda Fortaleza não eram bons atiradores. 153 A Grande Caça Lilo. não tentou reter-me. três quadrimotores. E ali está Jever. paralisante. Cuide de sua instalação. É um balanço bastante honroso. com certeza a costa. Gostaria muito de saber a que distância da terra me deixei levar. No começo do mês. e faz um curativo provisório. sorriem para mim. 151 A Grande Caça meu motor está intacto. na ponta dos pés. Sei. posso finalmente ir para um hospital. O corredor está deserto. . todavia. sem me dizer uma só palavra. A esquadrilha abateu ao todo. para anunciar minha vitória. só consigo usar a esquerda. A enfermeira me leva até um quarto.Tudo irá bem. obtive uma licença de cinco dias. E esta mão. Por fim.. E dirigindo-se a uma enfermeira. conclui : .

aponta para o mar. equipado com canhão central de 30mm. Mergulho atrás dele. Estima-se em cem mil o número dos mortos. Hoje sobrevoei Hamburgo. sacode a cabeça e. Ele agita as mãos. aterrorizado.Calma. com as asas arrancadas pela deflagração. Num céu de resplendente pureza. senão ficará torrado! Alguns instantes de insuportável tensão. as 8h 33m. com linhas elegantes. Quando me volto para seguir com os olhos minha primeira Fortaleza. Hofig cai em queda livre cerca de dois mil metros. Logo mais. Há gritos de alegria nos fones. Parecemos um bando de garotos. seis manchas de óleo inflamado assinalam os pontos de queda. mantenha o sangue frio! Sei muito bem que isso é fácil dizer. sua fuselagem arde como lenha seca. para a frente! Vamos atacar ! Já tenho um quadrimotor ainda intacto enquadrado no meu colimador. que se aproxima rapidamente. os incêndios raivam por entre as ruínas.Victor ! Victor . a mais de cem quilômetros. No instante seguin155 A Grande Caça te sua asa direita se incendeia. Debaixo de nós. Aviso pelo rádio a tôrre de controle : . Hofig. 28 de julho de 1943.. Na véspera. .E agora. até a costa do Báltico. assistimos a um espetáculo extraordinário. Pela primeira vez. se dispersa num piscar de olhos. e os americanos. no instante anterior bastante cerrada. Mas o grosso da formação defende-se encarniçadamente. Um após outro. Vamos ver no que resultará. vejo seu corpo erguer-se por sobre a capota.. antes de puxar a argola de seu pára-quedas. vejo um de nossos aviões afastar-se titubeando. Algumas evitam a colisão por um fio. numa faixa de vinte e trinta quilômetros de largura. piloto hoje um novo avião. Lançado no vazio.. derrapa sobre a asa para salvar-se num mergulho. Quarteirões inteiros foram "varridos" pelo fósforo. alcanço-o e descrevo algumas voltas ao seu redor. Decolamos com onze aviões. .Companheiro acaba de saltar. outras se afastam em todos os sentidos. com seus bombardeios diurnos. O vento o arranca e o projeta para o alto. Três com uma só bomba! Custa-me restabelecer a ordem. Pelo menos vinte páraquedas se abrem no céu. Hofig. os três se abatem.Salte. destruíram uma parte importante da imensa cidade. se incendeiam. descrevendo loopings e tonneaus sobre o box desfeito. caem em parafuso e desaparecem no mar. . Cada avião leva sob o ventre uma bomba de 250 quilos. . Vamos liquidá-los separadamente. Aí está um sujeito que não deve perder a cabeça com muita frequência. Mergulho a toda velocidade para alcançá-lo. Depois. Os ingleses. Vou prender minha mão ao manche. Peço mandarem buscá-lo.. Fantástico cogumelo de fumaça ergue-se a mil metros e se estira.Concentrações inimigas em Dora-Dora! Já compreendemos. Agora. Hoje pela manhã. por fim. quase todos em chamas. Isso nos diz respeito. também abandonam a formação. 154 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Lançadas as bombas. um de meus melhores pilotos. Meus obuses abrem brechas enormes na fuselagem do americano que. Cinco ou seis outros quadrimotores. A bomba do ajudante Fest explodiu no meio de um grupo de três bombardeiros. abandonando-o. essa nuvem sinistra evoca todo o horror da guerra moderna.avião de passageiros de quatro lugares. com uma careta. os americanos bombardearam determinados objetivos militares.. com seus ataques noturnos. Algumas Fortalezas mergulham desesperadamente. no setor U -Q-6. a formação inimiga. É o avião do suboficial HOfig. O banho forçado parece não lhe agradar muito. Quase simultaneamente. .

contra as falanges de bombardeiros. Hora e meia depois o programa se altera. mais exatamente. ou. Chegamos por volta do meio-dia. Faz um calor atroz. Encontramos o inimigo sobre Antuérpia . Mas o verdadeiro herói do dia é Johnny Fest. de uma distância de oitocentos metros. sozinho. Para nos recompensar. Vamos para Gilze Rijn. Se isso continuar..explica ele não posso comprar outro cada vez que o senhor abate um bombardeiro! A guerra ficaria cara demais para mim! 156 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Hoje. meus amigos. No fundo. 15 de agosto de 1943. Meu fiel Arndt oferece-me . Quando lhe digo que tem direito.pela sexta vez . dez aviões estão de volta ao campo. Os mecânicos montam sob as asas de nossos aviões um "cabo de frigideira". que brincadeira! . que os Tommies vêm martelando já há alguns dias. os "senhores" da seção de estudos inventaram algo de novo. À parte algumas queimaduras superficiais na fronte e nas mãos.Ah. Felizmente.Afinal. Encantadoras copeiras empurram até nós seus carrinhos carregados de refrigerantes e de pratos repletos.. Na realidade. acabarão nos equipando com canhões de longo alcance! Parece que se deverá lançar essas " amêndoas' . Seremos engajados juntamente com os outros grupos já estacionados na região.. sem falar do amigo Hofig. por detrás.repete constantemente. bem a hora do jantar. Os mecânicos nos carregam em triunfo. . recebemos ordem de nos instalarmos imediatamente em Rheine. a pretexto de fazê-lo esquecer o gosto da água salgada. sem especificar se fala do seu banho ou das libações. de um foguete. bem cedinho. o ativo de nossa conta corrente aumentou de onze quadrimotores! Onze Fortalezas Voadoras que nunca mais bombardearão cidades alemãs! Nossas vedetas rápidas recolherão uma meia companhia de aviadores americanos. o mess é bem organizado. Trata-se de um campo imenso. onde uma vedeta o deixou. carga explosiva e detonador. Johnny não se parece nada a uma jovem. não há que pensar em entrar em combate com os aviões 158 . com sua carga de propulsão.poderosa formação de Fortalezas Voadoras. Dá-se o alerta as 13h 15m : decolagem imediata.(Entendido! Entendido!) responde a voz do controlador. Aguardam-se ataques maciços contra o centro da Alemanha. que está chapinhando dentro da água com os companheiros do setor postal oposto. dá uma risada ligeiramente idiota. um hidroavião o traz de Helgoland. Se cambaleia e. o homem que com uma só bomba abateu três Fortalezas. 17 de agosto de 1943. enrubesce como uma jovem ao seu primeiro beijo. também eles podem reivindicar uma parte dessa honra. campo situado a cerca de duzentos quilômetros ao sul.o mesmo vaso de flores. grande base holandesa. Com meus "cabos de frigideira". a um quarto das felicitações oficiais. escoltadas por Spitfires. é porque os rapazes da Marinha o encheram de álcool. As 9h 2Om. está indene. a todo instante. Hoje pela manhã. Contudo. A tarde. tra157 A Grande Caça ta-se de um tubo de lançamento de uma granada de 210mm.

poderia tentar expedir minha segunda granada contra o box inimigo.Com as mãos nos bolsos. em rajadas secas. Instintivamente. Por enquanto. Contudo. O bombardeiro responde vigorosamente. Agora dão meia volta e podemos atacar. E meu avião está danificado! É de gritar de raiva ! Mas não importa : ainda assim. Crispado nos comandos. Deixando que os companheiros prossigam o ataque com suas armas de bordo. não desejaria lançá-los no vazio. As outras granadas. Sinto o cheiro acre de pólvora e de coisa queimada. examino o respeitável buraco da asa. Ainda não estou a bom alcance. encolho-me por detrás do motor. Abro fogo a 150 metros. ele sobe normalmente. Lanço a minha. já estão a caminho de volta. Os Messerschmitt e Focke Wulfs que voltam do combate aterrissam continua159 A Grande Caça mente. divido-os em seções e assumo o comando dessa improvisada esquadrilha. entrementes. Por hoje. mais ou menos como se fosse um ovo. uma rajada vem diretamente contra o meu avião. Cada um por si! Deixando que os outros avancem contra a formação . ainda não foi desta vez! Chego mais perto. decolarei. Já encontrei meu alvo. Massas enormes de bombardeiros passam sobre nós. mando-o preparar o avião. que entra de viés na formação e sai do lado oposto. A 300 metros desfecho o ataque. que continua funcionando normalmente. e vejo os bombardeiros atingidos estourarem como bolas de sabão. Bem a nossa frente voa uma formação de uns 250 Boeing. A qualquer esforço mais brusco a asa corre o risco de destacar se. sem falhar. vôo até o campo de Bonn-Hangelar. Agüentará ou não ? De súbito. Pouco antes de Aix-la-Chapelle. Exatamente as 17 horas. Prometem-me substituir a asa avariada durante a noite. sem explodir. Quase não ouso desviar-me com os ziguezagues habituais. Dois projéteis acertaram o alvo. não acertaram. tenho de lutar com todas as forças para manter meu "zinco" em equilíbrio. os Spitfires regressam a vôo rápido. a menos de . Reduzimos lentamente a distância. não há nenhum chefe de esquadrilha. de muito perto mesmo. Os rosários movediços de suas traçadoras me enquadram de perto. Logo atingimos os 7 000 metros de altitude. Apesar dos protestos do mecânico chefe. quando um obus atravessa minha asa esquerda e desprende o tubo de lançamento.Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha de caça. Esperemos!. Sei que devo tratar meu avião com o máximo cuidado. na direção sudeste. que. Uns trinta aviões. Depois. Observo que. porém. uma Fortaleza ligeiramente afastada para a esquerda. de fato. Os americanos continuam atacando as fábricas de rolamentos esféricos de Schweinfurt. Quase todos os meus pilotos já lançaram as suas. voando um pouco abaixo do grosso 150 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha da formação. a trava principal pegou fogo. pertencentes a várias unidades. Isso quer dizer que devo renunciar as curvas fechadas. Ainda assim. reuno todos os pilotos disponíveis.. meu "zinco" está fora de combate. Então. fico passeando vagarosamente pelo campo. Um mecânico chefe constata que.. Hum! Provavelmente.fico por detrás do box para não expor meu avião a manobras muito violentas. se reabastecem em combustível e munições. Olho constantemente para minha asa furada. Espero dar-lhes um pouco de trabalho. lanço todos eles contra os americanos. entre os pilotos. a trava principal está danificada. Com o canto dos olhos.

Em todo o caso. O ar vibra sobre a planície sem fim. Apesar do vento que assobia ao longo da fuselagem. Os comandos afrouxam. Desde que a asa agüente.. À sua extremidade. quando uma saraivada de balas atinge meu aparelho. Maldição! Não conseguirei nunca chegar a Hangelar !.. É absolutamente necessário que eu me aproxime do solo ! 163 . Não seria melhor saltar ? Esperemos um pouco mais. meu avião continua a voar. 3 000 metros! Meu "zinco" desce bem mais depressa. abrem-lhe o ventre.. entram pela fuselagem. Por enquanto. Enfim. o motor pára! A hélice diminui a rotação e logo depois se imobiliza. derrapando sobre a asa esquerda..cem metros. Corto o contato. Tenho a impressão de estar sentado dentro de um barril. Minha curva não está suficientemente fechada. Ele arranca. O avião americana. milagre dos milagres. resignemo-nos!. Escolho um campo bem extenso e preparo com bastante antecipação a tomada de terreno. E se eu experimentasse ligar novamente o motor? Regulo a hélice. Naturalmente. tomarei cuidado para não mais aborrecer o motor. tosse. 1500 . Como vou ser obrigado a pousar de ventre. a Faixa prateada do Reno serpenteia pela paisagem ressequida. Sob minhas asas desfilam as casas de uma aldeia. o avião pende. Abro a capota. De súbito... O badim indica 220 quilômetros por hora. para retomar o controle poucos metros mais baixo.. subo até os 4 000 metros. . lá embaixo. Deixo que se vá.. Atrás dele. . O sopro do vento literalmente me arranca o ar da boca. Os termômetros indicam que o óleo e o glicol atingiram o ponto de ebulição. Não há outro jeito: será necessário continuar planando. Já estou nos 2 000 metros. 161 A Grande Caça Desligo o motor. O motor arranca. Cuidado!. Abro totalmente a capota. O incêndio extinguiu-se. . O óleo superaquecido escorre. Eles realmente me pegaram! Meu motor expele chamas e uma fumaça corrosiva me queima os olhos. Sem apressar-me. Estou prestes a iniciar uma curva prudente. .. puxa furiosamente meu capacete. A fumaça se torna imediatamente mais espessa. evito por um triz uma venerável telha. aperto o botão de ignição.Depois. aperto os botões de tiro. cai cada Vez mais depressa na direção das planícies pantanosas. 4000 metros! Com um pouco de sorte conseguirei chegar a Bonn-Hangelar.. para ganhar um pouco de velocidade. sobre o qual um brincalhão de mau gosto despejasse um saco de batatas. como que detida pela mão de um gigante. as chamas desaparecem repentinamente. experimento mais uma vez o motor. abro cuidadosamente a admissão de combustível. O motor começa a falhar e a soltar aquela horrível fumaça que me aperta a garganta.. está rodando. sempre na direção leste. o Messerschmitt 109 não é um planador. estou molhado de suor. de fato. Tentemos ganhar alguns metros. Vou atirar-me de encontro aos álamos. Trabalho perdido !.. negaceia e. como que tateando. começa a rodar normalmente! 162 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Com o máximo cuidado.. devagar. Com a hélice bloqueada. desço lentamente em vôo planado. A terra sobe para mim a uma velocidade terrível. A essa distância não posso errá-lo. sobre a asa esquerda. minhas rajadas atravessam suas asas. E. que não passa de uma verdadeira bola de fogo. corrigindo cuidadosamente a pontaria.. quatro pára-quedas se desdobram. A minha frente. carrega meu lenço.1000.

subimos até seu nível. penetramos nas nuvens. do lado alemão. o sargento Reinhard. Que será aquilo? Por cima de nós. quase na nossa vertical. O avião ergue uma nuvem de poeira. Emergindo do outro lado. Os aviões desconhecidos continuam voando continuamente sobre os quadrimotores. nunca nossas bombas conseguiram tal resultado!. Pouco a pouco. a mais ou menos 6 000 metros. que se incendeia e depois de uma queda brutal entra em parafuso. desprendo-me e saio do cockpit. num perfeito movimento conjunto. recurvado nas correias. Não passa de um lamentável amontoado de ferragens. descobrimos o inimigo. Os ferimentos já estão fechados. . Somente a roda traseira do trem de aterrissagem ficou intacta. coloca suas granadas a poucos metros de um Boeing. O tempo está coberto. com as mãos trêmulas. Até então. Tática bastante boa. Hoje as nove horas da manhã os alto-falantes anunciaram concentrações inimigas no famoso setor Dora-Dora. somente foram engajados Messerschmitts e Focke-Wulfs.. surgem estranhos filetes de condensação. Meus dois projéteis atingem em cheio uma Fortaleza Voadora. Meu Deus! Meu "Gustavo" parece uma lata de doces pisada por um touro enfurecido.180 km/h. São excepcionalmente rápidos. Reinhard sai a persegui-lo. nossos "Gustavos" arrastam. O ventre do avião pousa. Um pequeno filete de sangue corre da minha mão direita. que reduzirá consideravelmente o efeito de nossos ataques. Dou uma freada seca. que ninguém identificaria com os restos de um avião. Minhas asas arrancam uma ponta de álamo. Santo Deus! São Lightnings! Há várias . de vez em quando. Lentamente. de onde escapa uma chuva de destroços incandescentes. Wennecker também atingiu um bombardeiro. Bem colocado em sua esteira. Os bombardeiros. 164 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Parece que nos vão engajar no centro da Alemanha. É curioso que os táticos de além Atlântico não tenham pensado nisso há mais tempo! Escolhendo um box ao acaso. e até na Baviera. reagrupo a esquadrilha e conduzo até 600 metros do objetivo. Isso já se torna fastidioso. entro naquele misterioso carrossel. 27 de agosto de 1943. a enorme falange divide-se em vários grupos de 30 a 40 aviões. além dos " cabos de frigideira". em formação largamente escalonada. consigo distinguir os aviões que os provocam. dispara rajada sôbre rajada para liquidá-lo. . Se são nossos. se dirigem diretamente para leste. Bondade divina! Um barranco bem à minha frente! Há um terrível estrépito. Que coisa estranha! Sei que. Quase roçando a terra. não se agrupam em outro setor do mapa ? Decolagem as 10h 30m. Maquinalmente. que esperam para atacar ? Subindo em chandelle. que explode com suas bombas e já 165 A Grande Caça não passa de uma massa de chamas. É evidente que os inimigos temem nossas granadas. lançamos as granadas. percorro com os olhos todo o horizonte. Rudemente sacudido. .A Grande Caça Duzentos quilômetros por hora. A 3 000 metros. Depois. O médico extraiu os estilhaços que se tinham alojado no meu braço. na qual voam para os ares torrões de terra. Os tanques suplementares ainda estão pela metade quando dou ordem para que sejam largados. cujas estacas e pranchas turbilhonam de todos os lados. São rastos duplos. Enquanto manobramos para nos colocarmos em boa posição. Desde uma semana. ao qual sucede um imenso silêncio. arranco duas ou três cercas. Tomando um rumo paralelo.. com os pés firmemente apoiados nos pedais. Meu chefe de seção. . o grande bombardeiro se afasta a bombordo e desaparece numa grande formação de nuvens. em pleno sol. que ficam continuamente mudando de direção. tanques suplementares que devem aumentar nosso raio de ação. Por que os americanos.

Êles descrevem uma curva cerrada. uma rajada de balas atinge meu "zinco". o Thunderbolt pega fogo e. posso inscrever doze vitórias.estão gravemente feridos. 167 A Grande Caça Meu motor está em chamas.Reinhard. um pára-quedas é bastante prático . carrega-me e me projeta no espaço. Como não posso atacá-los sozinho. Um tipo de avião que ainda não encontramos. também brancas. meu mecânico.Ao fim da tarde já posso fazer o balanço da jornada. Assinalo imediatamente aos companheiros que os americanos trouxeram escolta. um Thunderbolt ajusta seu tiro. A qualquer instante. O suboficial Dolling está morto. Depois de alguns segundos.. Cinqüenta metros atrás de mim. três aviões desapareceram do céu. Abro a capota. Sim. Os ajudantes Radaatz e Johnny Fest . Não resta dúvida : é Reinhard. vejo passar quatro 166 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha aviões que parecem cair do céu. continua a disparar contra sua Fortaleza. A abertura da corola faz com que as correias me entrem na carne.. mergulho novamente sobre as Fortalezas Voadoras. Era um ou outro ! Subitamente. bem a minha frente. desço para a terra. um assobio nos ouvidos. Trazem a estrela branca das forças americanas e. Toco o solo as 1lb 26m. desgovernado. volto a cabeça. Apesar de tudo. Dois outros degringolam para ajudá-lo.dezenas deles. num movimento balanceado. desamarro as correias que me retêm no assento...desde que se abra. Consolo-me da perda do meu ao pensar que o score dois a um. na direção de uma Fortaleza cujos dois motores externos estão parados. um morto. Entrementes. por acaso uma belíssima planície. a sexta não viu nenhum de seus aviões regressar. tenho a impressão de estar flutuando imóvel no ar. nas asas... O estado-maior.murmura. Na esteira do quadrimotor vai um Messerschmitt. Surpreendido. vou ficar tostado dentro desta jaula. faz uma cara engraçada ao ver que chego a pé. Arndt. ainda é honroso.Nosso belo "Gustavo". Provavelmente são Thunderbolts. À primeira rajada. E a 6° esquadrilha perdeu 168 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha nove de doze pilotos! E como os três sobreviventes tiveram de saltar. O vento me apanha. Lentamente. Saio a persegui-los sem hesitação. Levantando as pernas. a coisa promete t. . para lançar-me a toda velocidade nas nuvens que sobem em nossa direção. seis delas obtidas pela minha .. Mergulho de través sobre os caças inimigos. a meu favor. O imbecil só tem olhos para sua vítima. Um duplo salto mortal. empurro com toda a força o manche para a frente. Violento safanão : depois da alucinante queda. que não é nada brilhante. com o pára-quedas debaixo do braço. Dê o fora! Dois Thunderbolts em sua esteira! Ele nem sequer responde. . Nem sequer viu os caças que estão atrás dele! Ponho-me a gritar. Teimoso como um burro. que continua perseguindo sua presa. aciono a argola do pára-quedas.que tiveram tempo de saltar de pára-quedas . Na coluna do ativo. Um calor sufocante invade meu cockpit. O primeiro Thunderbolt já abriu fogo contra o idiota Reinhard.. suavemente. A 4° esquadrilha tem dois mortos e um ferido grave. cai em redemoinho. chego em posição de tiro. arranco a máscara de oxigênio. afaste-se!. largas faixas.. Empurro o manche com ambas as mãos. Repentinamente. Trinta minutos atrás estava decolando. Eu havia cuidado tão bem dele.

vamos ao seu encontro. excessivamente desumana ! 4 de setembro de 1943.. reequilibra-se. Depois. a poucos metros. Quarenta aparelhos sobem. desprender os cintos que me prendem ao assento. Desde minha chegada da Noruega. Minha vítima está severamente atingida. Mais uma vez. Estreitamente agrupados. com todas as nossas armas disparando. três. O resto do que foi um avião desce cada vez mais depressa. importante campo com três pistas betonadas. quando o avião começa a rolar. por entre um desvão de nuvens.. O que significa que devemos tomar um rumo de 360 graus. Decolamos com todos os aviões.indica o controlador. distinguimos agora a formação inimiga. que se diverte em perseguir as gaivotas. abrir a capota. matando cento e vinte crianças. Até então. enquanto me ergo até o cockpit. empinando-me ao máximo. sistematicamente. Mais um avião liquidado! E vem a clássica sucessão das manobras finais. Depois uma força irresistível me arranca. viro. vejo meus obuses penetrarem no nariz de um quadrimotor. os americanos se dirigem para a Holanda do Norte.Caruso. não. dá meia volta. saltam chamas do radiador. para esquentar-me. o enorme bombardeiro se inflama como uma tocha. Os lemes não mais respondem as solicitações do manche e do pedal. os alto-falantes interrompem a emissão de musica de dança para ordenar o alerta reforçado. Quando o motor arranca. Somente uma pequena formação lançou as suas ao acaso. obtivemos um belo êxito defensivo. que vomita um rio de traçadoras. seis. saio a passeio. Imediatamente. ele o segue até que a velocidade excede seus recursos. colo-me em sua esteira. Quanto a mim. fugindo pela esquerda. os bombardeiros eram escoltados tão raramente que nem sequer pensávamos em proteger nossa retaguarda. bato as mãos contra as coxas. cai sobre as quatro patas e se afasta. O reide americano não atingiu seu objetivo. sobre um burgo da Frísia oriental. afasta-se para baixo e. . encontrando espaço livre. Nossas pesadas perdas se explicam pelo fato de a intervenção dos caças americanos nos ter surpreendido em plena ação. A partir dos 7000 metros. Toda manhã. é esse o lugar que escolheu para ficar a cada alerta. Oscila na frente. Seus ziguezagues quase não me perturbam. Voando a sua esquerda. ao sul de Jever. 169 A Grande Caça As 8h 30m. De súbito. Já há uma semana estamos instalados em Marx. acompanhado de Turitt. Logo mais.. Bem longe.. para se agruparem sobre o campo. um terço das crianças da pequena cidade! . ele se deixa levar pelo vento da hélice. Oito pára-quedas já se abrem no céu. parte um clarão da pequena torre e uma enfiada de balas atinge-me no motor. Tivemos uma breve acalmia. Quase todos os quadrimotores foram obrigados a levar suas bombas de volta. começo a destruí-la. Minutos depois. De quando em quando. cujo vôo rasante tem o dom de exasperá-lo. Lentamente ganhamos altitude. entra em parafuso. descrevendo uma larga curva. examino as brechas profundas que minhas rajadas abriram em sua fuselagem. os aviões deixam longos rastos de condensação. Não obstante.esquadrilha. um box maciço de umas quatrocentas Fortalezas Voadoras. Tranqüilamente. As bombas caíram sobre uma escola. está redondamente enganado! Logo que o grande bombardeiro fica fora de alcance das metralhadoras de seus amigos. mergulhamos na falange. para oeste. Passando rente sob seu ventre. meu amigo! Se está pensando que vou deixá-lo voltar. Ah. Turitt salta ao meu lado e pula para a asa esquerda do meu avião. em velocidade algo incerta. O hálito gela sobre as máscaras de oxigênio.Meu pobre avião cai.Essa guerra é por demais atroz. zero! . pude elevar a minha lista a dezesseis aviões abatidos. cuja silhueta enorme toma conta de todo o meu colimador. atravesso toda a formação e. 170 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha A cinqüenta metros. Faz um frio intensíssimo..

bebo água a valer !. Furioso. é inútil retirar essa água. Entre duas vagas. cresce e se transforma num ronco ensurdecedor. Balançado por um movimento compassado. Prefiro refazer as forças. De qualquer maneira. perdi minha pistola de sinalização. Um verdadeiro piquenique! Com um gesto nervoso. Os pára-quedas dos americanos planam algumas centenas de metros mais abaixo. abro a sacola que contém pólvora colorida. pelo menos. À noite. Consigo içar-me para dentro dele. E o jogo continua! Hoje. vira de bordo e vem colocar-se ao lado de meu bote. De que me adiantariam eles ? Sobre mim. Por fim. somos surpreendidos por uns vinte Thunderbolt. ouço um zumbido que se aproxima. os americanos lançam um ataque maciço contra Munster. suspenso ao pára-quedas que nem sequer lembro de ter aberto. mas é um avião rápido e de grande maneabilidade. nas . Todavia. flutuo no meio de imensa mancha verde. fecho os olhos para tentar acalmar-me. 172 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Meu relógio parou. 10 de setembro de 1943. E me haviam garantido que era a prova de água e resistente aos choques! Ao bater contra a água. A cada onda que rebenta. surge uma vedeta. Alguns rastos de condensação ainda serpenteiam entre as nuvens. leva-me até o cimo de uma vaga e me suporta enquanto deslizo até o fundo de um escavado verde esmeraldino. A água salgada me corta os lábios e me queima os olhos. Os companheiros já retomaram o caminho do campo há meia hora. Diminui a velocidade. Talvez nos afoguemos juntos.bato os dentes e sinto uma estranha sensação no estômago. Bem quando subo a superfície.Estou molhado até a medula dos ossos . sou desembarcado em Helgoland. . Meu colete de salvamento se infla. Envolvido num cobertor. quando vamos nos atirar contra uma formação de Fortalezas Voadoras. No momento. Sou erguido por braços vigorosos. desprendo a argola do pára-quedas. o bote enche-se de água. uma vaga se despeja sobre minha cabeça. Sobre a cidade em chamas. entre duas ondas que tentam arrancá-lo de mim. Meu bote pneumático resistiu perfeitamente ao choque. um hidroavião me conduz até Marx.171 A Grande Caça Vejo-me entre o céu e a terra. de reflexos cintilantes. Já não sei mais há quanto tempo estou enfiado neste banho salgado. Sufocado. retiro o cinto que contém o estojo de sinais e o atiro no mar. E começa um desenfreado pega-pega! 173 A Grande Caça O Thunderbolt parece muito pesado. o céu está vazio. pois a embarcação não pode afundar. Vou banhar-me em companhia dos mascadores de chewing gum. O mar está bastante agitado hoje! Antes de mergulhar na água.

em linha reta! Em Twente. Metade do trem de aterrissagem está cortada. Não há nada a fazer para controlá-lo. que descrevem desesperados ziguezagues.mãos de um bom piloto. Por hoje. o Messerschmitt 109 lhe é superior. torno a ficar de pé. Minhas mãos Começam a tremer e um suor frio escorre de todos os meus poros. Fuhrmann abate um segundo. e desabo sobre a relva. Minhas pernas vacilam. que chegará uma hora depois. Em meu desespero. pico para interceptá-los. vários Thunderbolt se atiram contra o vencedor. o trem de pouso cede. aterrissa na pista um Focke Wulf aparentemente intacto. põem-me a conversar com ele durante uns dez minutos. Será o fim ?. excede também os recursos dos dois ajudantes. . Infelizmente. Não posso nem mesmo me aproximar do braseiro. Aturdido.. disparando ao acaso. tento empurrar o manche contra a parede lateral. projetando seus destroços sobre os vizinhos. escapo por uma subida em espiral. A queda infernal prossegue até quase os mil metros.Com o canto dos olhos. Minutos depois. O aspecto do meu "Gustavo" não é nada agradável a vista. o avião capota e imediatamente se incendeia. Como exprimiu o desejo de conhecer os melhores especialistas na luta contra as Fortalezas Voadoras. que recebo um obus na empenagem e outro na asa esquerda. a parte superior da empenagem arrancada a fuselagem furada como escumadeira. vários "táxis aéreos" levaram a Achmer os pilotos de três grupos de caça. vejo um Messerschmitt 110 lançar-se sozinho ao ataque de um box de bombardeiros. chega! 175 A Grande Caça 17 de novembro de 1943. a fim de desviar-lhes a atenção. Minha primeira rajada liquida um americano. Debatemo-nos violentamente. tentando inutilmente iludir o grupo de uns doze americanos que os perseguem de perto. No instante seguinte. piso no comando bloqueado. Quando. com toda minha força. mal percebo que o avião retornou a sua posição normal e voa tranqüilamente. Seguido dos ajudantes Barran e Fuhrmann. mergulho novamente sobre seus perseguidores. Sei que essa manobra está além das possibilidades do Thunderbolt. 174 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Meu avião se põe de dorso e começa a cair.. uma formação de quadrimotores despeja uma chuva de bombas a volta do campo. Dois bombardeiros explodem. Desta vez a coisa é grave. Esta manhã. preso no cockpit. quinze minutos depois. Ele nem sequer se move. um de nossos campos auxiliares. de tal forma o calor é intenso. Como não desejo abandonar os companheiros. Consigo-o tão bem. Apresento uma exibição de grande escola e. Ao contato do solo. Suas quatro granadas chegam ao centro da formação. finalmente. consome-se diante de meus olhos. Ergo os pés e. seguido por um longo cortejo de uns trinta carros. quase na vertical. Vamos ter a honra de receber o marechal do Reich. depois do que toda a matilha nos cai por cima. O piloto. ao lado da pista. pouso sobre o ventre. Há um safanão terrível! Minha cabeça bate contra a parede da direita. O Messerschmitt 110 aproveitou-se da confusão para escapar. cujo avião se desagrega ante meus olhos.

Foi encontrado numa turfeira de Friesoyte. não pode assegurar a vitória. De minha parte. durante cerca de duas horas. Se. lutamos na proporção de um contra oito ! . interessando-se particularmente pelo primeiro Mosquito que abati. Suas pernas gordas estão enfiadas em botas de couro vermelho. por ocasião da batalha da Inglaterra. Dolling. Para surpresa geral. Dolenga. por outro lado. atribui a responsabilidade de nossos sérios reveses no fronte oeste ao insuficiente nível da caça. Goering dá uma impressão estranha. que nenhum bombardeio pode arrancá-los de seu sono. nosso Ministério do Ar repousa sobre seus lauréis. dirigindo-se a todos os pilotos. Considerando as coisas com otimismo. O número de unidades engajadas na defesa aérea do território é de patética insuficiência. Mas. um homem decidido a sacudir de uma vez por todas o pessoal dos gabinetes ! 23 de novembro de 1943. Fuhrmann. pior ainda. o marechal aborda os grandes problemas da defesa do território alemão. quente. diz ele. Faz alguns dias. Enverga um uniforme vistoso. o fato resulta exclusivamente do extraordinário moral de nossos pilotos. ou finge ignorar. E. F.. de começar importante discurso. Ignora. Os Mosquitos. por si só. como que por alguma moléstia. o haviam sobremaneira irritado. Fuhrmann partiu para uma missão de interceptação e não regressou. estou perfeitamente de acordo com esse tópico do discurso. Fixamos sua fotografia na parede do mess.. O avião e o corpo estavam mergulhados sete metros no chão pantanoso. Steiger. de sua vontade férrea. Hofig. nosso antigo chefe de esquadrilha. A. Esses senhores dormem tão profundamente. motores mais potentes. Qual será o próximo ? . Faltam-nos aviões aperfeiçoados. Desde os êxitos iniciais das campanhas da França e da Polônia. Kone. naquele dia. estou a testa da região divisionária. simpática e cordial. Sei da afeição quase paterna que dedica aos seus pilotos. na extensa galeria dos companheiros desaparecidos : Wolny. de seu espírito de sacrifício. juntamente com o capitão Specht e o tenente Frey. Os dois aviões que eu havia interceptado. já há um ano. 177 A Grande a Caça Mas o moral. Faz-me perguntas sobre minhas vitórias. parece-me que o chefe supremo da Luftwaffe não está bem a par das condições em que lutamos. O alerta provoca176 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha do por sua aparição sobre Berlim o impedira. Pouco mais tarde. Insiste demoradamente sobre as magníficas proezas da R . constituem uma espécie de inimigo pessoal. Gerhard. esse calor é sincero. apesar dessa trágica desproporção. com as ombreiras bordadas de fios dourados. Hoje pela manhã soubemos que o capitão Dolenga. também. o inimigo tem sofrido perdas sensíveis.Com meus quinze quadrimotores abatidos. foi abatido num combate aéreo. cinza claro. que do ponto de vista técnico a superioridade do inimigo é esmagadora. Somente sua voz é agradável. Kramer.. Sob o aspecto numérico. O rosto parece inchado. Certamente. E nos incita a seguir o exemplo dos heróis britânicos.

Da plataforma da estação. Meus pilotos abateram dois quadrimotores e um Thunderbolt! Talvez quisessem provar que podem arranjar-se sem mim. emproada. sem mim. . No dia 11. Aqui. engomada. passei o comando a Wernecke. à ópera. Dentro de três dias deverei entrar em gozo de licença.. Hoje de manhã. Enquanto o soldado do fronte leva uma vida de sacrifícios. Ontem de manhã. noruegueses.limpos. Conseguir um lugar numa sala de espetáculos ? Nem pensar nisso! Toda essa agitação me deixa nervoso. as pessoas vivem como se a guerra fosse em outro planeta. gregos. a mentalidade de fuga as obrigações. Os oficiais dos serviços ministeriais se pavoneiam em uniforme de gala . 178 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha As Fortalezas Voadoras atacam diariamente o território do Reich. da estroinice. Pela primeira vez. Sigo-a com os olhos. de nascimento e de adoção. estou decidido. Agora. eu ia ou não voltar para casa.. ouvem-se todas as línguas do continente. amontoam-se nos lugares de diversão. de dezenas de milhares de estrangeiros: holandeses. ir ao cinema. bem cuidados. poloneses. Natal de guerra. observo a impecável decolagem de minha esquadrilha. A 3000 metros fui obrigado a regressar.18 de dezembro de 1943. nos cafés superlotados. pela janela do compartimento abarrotado de licenciados. Vou-me embora. dinamarqueses. Não reconhecemos "nossa" Berlim. romenos. Não foi possível recolher o trem de aterrissagem. a esquadrilha abateu seu centésimo bombardeiro. Em 2 de dezembro. italianos e espanhóis. recebo um telegrama: "Fomos transferidos para Wunstorf. 26 de dezembro de 1943. expondo todos os dias a saúde e a vida. Lilo veio esperar-me em Berlim. Por toda parte reina o espírito da retaguarda. Pergunto-me se chegarei até lá. Louco de raiva. simples. 20 de dezembro de 1943. derrubei meu vigésimo avião. ao teatro. A cidade formiga de milhares. rever os amigos. triste. dos "arranjos". afinal. Pretendemos distrair-nos. em um ano. No me179 A Grande a Caça trô. . belgas. Uma semana no fronte e não sobraria muita coisa dessa elegância perfumada. elegantes. os berlinenses. A lista se torna impressionante. deixo que meus rapazes voem sozinhos. O motorista abanou a cabeça e Arndt me perguntou se. nos coletivos. . já me encontrava instalado no veículo Que deveria levar-me à estação Quando os alto-falantes anunciaram alerta reforçado. franceses. mas tão comovente . búlgaros. Desci e corri para meu avião. checos.

Lilo é extremamente corajosa.Tinha certeza de que você não me abandonaria. de "explicar-se" com ele. Chegou a tirar-me da cama. Fica sorrindo. Perdeu uma vista no início da guerra. Na verdade. que pára constantemente em pleno campo. o que não impede que tenha absoluta autoridade sobre seus pilotos. Irei revê-la ? 27 de dezembro de 1945. . Extremamente duro para si mesmo. Creia-me que estou desolado por encurtar sua licença. alguma vez. da cidade. enquanto me relata a situação. Não me dá ordem direta para juntar-me a ele. não admite qualquer fraqueza em seus subordinados. Sem o respeito que nos inspiram seu excepcional quadro de vitórias e sua retidão moral. a minha lista. Extremamente calmo. que me estende sua mão. por uma hora que seja. vinte quadrimotores. como uma águia. No curso dos últimos dez meses. passeando com uma jovem : puni-lo-ia imediatamente. Vinte e quatro horas de trem. no melhor sentido da expressão.. São raros os pilotos que não tiveram.Falkensamer morto e Sommer ferido.. Examino-o furtivamente. sou o único capitão em condições de voar. chefe da 6° esquadrilha. certa noite. chefe da 4°. Mas. agitando seu lenço. proibiu que seus oficiais recebam. Abraços. para examinar comigo tal ou qual detalhe tático. não é Nada cômodo. Foi o comandante da esquadra que o enviou. Por ora. mas. por volta das dezessete horas. Specht é de estatura bem menor que nós todos. Apresento-me imediatamente ao "velho". Specht manda afixar uma ordem de absoluta interdição de saída do campo. 31 de dezembro de 1943. Infeliz do piloto que fosse visto por ele. a visita da esposa ou da noiva. um ajudante me espera com o carro. Só tem um assunto de conversa : os Boeing. em algum lugar. Specht". 180 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Duas horas depois estou na estação. vê tudo. de um trem repleto. convida os oficiais e os pilotos para um grande jantar no mess. Mas precisava tanto de você!. de instalações modernas. Ergue-se imediatamente um concerto . em sua velha roupa de vôo. ultrapassando assim. . Na estação de Wunstorf. como esse homem pequeno e simples. atira com espantosa precisão. procurando sorrir. Nenhum outro oficial provocou-me uma impressão tão forte. Mustang e Lightning. por vários pontos. mas sei que precisa de mim. . com a que lhe resta. Tínhamos planejado um réveillon alegre. abateu. . 181 A Grande Caça Specht só vive por uma idéia : o combate aéreo. nós o detestaríamos cordialmente. Para compensar. Celibatário empedernido. nosso novo campo é um aeródromo civil. só ele. Como superior hierárquico. Thunderbolt. É o tipo perfeito do oficial prussiano. e da indisponibilidade de Sommer. tão profunda. depois da morte de Falkensamer.

e línguas de fogo já lambem a . A. 185 A Grande Caça Nem por isso me dou por salvo! A asa estraçalhada está em chamas. sem qualquer transição. . Encontramos algum tempo para molhar a garganta com algumas boas garrafas. Cinco minutos depois. . muito secreta e muito importante. C. para irmos dormir logo depois da meia-noite. . vamos encerrar 1943 no quadro mais austero do nosso mess. a sala do mess está vazia.. A. No instante seguinte. Como sua voz ao fazer essa comunicação. que imediatamente pende para trás. Portanto. Que diabos o levem. 183 CAPÍTULO VI Em Pleno Crepúsculo 4 de janeiro de 1944. a divisão preveniu-me de que durante esta noite será tomada uma importante decisão. violento safanão sacode meu avião. uma detonação seca e depois. arrancou a hélice e a parte anterior do motor. Para não colocar em perigo a lucidez dos pilotos. traz o timbre de comando. Durante seis dias os americanos nos deixaram em paz. quando entramos na sala do mess. Ao primeiro minuto do novo ano chega-nos a esperada notícia : Specht foi promovido ao posto de comandante! Também ele se mostra surpreso. o moral já é de novo excelente. um silêncio total. o envia “ad patres”. com uma saraivada de obuses. há um ranger de chapas. entre as barragens de nossa própria D. Mas hoje recomeçaram.de protestos. Mas nem por isso deixamos de pensar uma porção de coisas . um Thunderbolt me cai em cima e com uma só rajada incendeia minha asa direita. para nossa primeira missão do ano. Devolve-nos imediatamente a liberdade. lá pelas vinte horas. Um obus de nossa D. sob uma salva de palmas. julguei melhor proibir os excessos habituais das festas de Ano Novo. atacamos uma formação de quadrimotores. Quando me aproximo de um box que voa afastado do grosso das Fortalezas. O motor emite um silvo estridente. ninguém ousa responder. Sobre Munster. Manifestamente. Tenho enorme dificuldade em manter meu avião em linha de vôo. Specht nos explica rapidamente a razão de sua ordem : . pois Wennecker.Concentrações inimigas em Dora-Dora !. Decolamos as 10h 02m. Mas não volta a atacar. esperava alguma missão muito especial.Senhores. esse desmancha prazeres ! 182 Fortalezas Voadoras Sobre a Alemanha Contudo. C.

. quase me arranca a perna que está pendente. desvio da coluna vertebral. . O diagnóstico dos médicos do hospital de Munster provoca cuidados especiais a minha pessoa. Enfim. . Minha perna esquerda pende para fora. Minhas bochechas e as aletas do meu nariz tremem como uma vela desfraldada. desprender os cintos. empurro-o para o lado. Respiro com dificuldade. Meu avião quase se põe de dorso. preciso fazê-lo. Quando volto a mim estou em plenas nuvens. ali está a terra. o vento me arranca do assento. atrás do cockpit. As nuvens estão no máximo a duzentos metros. Torno a perder os sentidos.. Num esforço sobre-humano. que deve ter-se aberto sozinho. O vento agita perigosamente meu pára-quedas. não consigo mover-me. Com a perda de velocidade. Mas é preciso que eu me mova! Se não conseguir soltar-me. Com um pontapé. contusões graves no ombro e lado direitos. Mais uma vez executo os gestos necessários : abrir a capota. . pois o vento provocado pela velocidade cola-me irresistivelmente contra a fuselagem. que se enrosca. arrancou-lhe a perna direita e o pé esquerdo. Com os braços imobilizados pelo vento. para cair no jardim. Infelizmente. À enfermaria. A. pois o cabo ainda está em sua argola. comoção cerebral. Quando volto a mim. consigo alcançar o manche com a perna direita. Meu "zinco" descreve um meio tonneau. Tento gritar. Logo em seguida. Numa torção violenta. dois enfermeiros estão me carregando para uma ambulância. não me arranca de todo. Um obus de D. com paralisia dos nervos do lado direito. reequilibra-se ligeiramente. antes de picar para o solo. Preciso reagir. Sinto um golpe terrível nos rins. Os enfermeiros me transportam para um quarto. E dizer que este seria meu último dia de licença ! Somente recupero um pouco minha lucidez a tarde. tecidos macerados no quadril direito. dependurado em meu pára-quedas. Outro golpe. Essa queda infernal fez-me percorrer 3000 metros. enquanto a direita continua no assento. os186 Em Pleno Crepúsculo cila. Com os braços levantados. num solo congelado. este na cabeça.fuselagem. nem um dedo sequer. cabreia. Sofro terrivelmente e sinto muito sono. Solto um grito de dor. deitando-me numa enorme cama com lençóis brancos. É preciso saltar. As chamas começam a envolver a fuselagem. Mal consigo respirar. Não consigo mover-me.. 30 de janeiro de 1944. E não é para menos : fratura do crânio e das vértebras 1ombares. 187 A Grande Caça Vomito continuamente. me faz perder os sentidos. meu corpo se liberta. a qualquer custo . será o fim. titubeia e retoma sua vertiginosa queda. Já faz oito dias que voltei a Wunstorf.C. que me faz esguichar sangue do nariz. A outra cama existente no quarto está ocupada por um piloto que veio da Rússia. Passo raspando quase horizontalmente o teto de um pavilhão. para limpar a garganta : só consigo emitir um estertor rouco.. hesita. O avião entra em parafuso. é claro. Ele procura reerguer-me o moral. . . Fico dependurado pelo pára-quedas. plano por um instante ao lado do desmantelado avião.

recebemos ordem de voar para a Holanda. ao menos. De qualquer maneira. Um avião nos leva a Wunstorf. em seus féretros incandescentes. 188 Em Pleno Crepúsculo Esta manhã. no mínimo. estimo-a em mil e duzentos aviões.Para a frente.A 4° esquadrilha tem quatro mortos. para a camada de nuvens. acabei por habituar-me a elas. dou-lhes a esperada ordem : . numa espreguiçadeira. estou perto dos companheiros. Com alguma dificuldade. Specht olha-me como se eu fosse um fantasma. Apoiado numa bengala. Se o doutor está a beira de uma crise de histeria. logo mais. todo agasalhado. em Wunstorf. Quando emergimos de um banco de nuvens. quando me apresento para o relatório. De início. E nós somos quarenta! Mas não importa. mal consigo mover a perna. me transmite o comando da esquadra. a paralisia vai desaparecendo bem depressa. A cada tentativa. A 8000 metros vemos o adversário. Mas chegarão muito tarde. com seu insuportável cheiro de éter. consigo safar-me. Ainda me julgava numa espreguiçadeira. Às 13h 05m. levam-me até o campo. Provavelmente. escoltados por poderosas formações de caças. Peço a meus pilotos que mantenham o sangue frio. uns mil bombardeiros. Quase todos os aviões que escaparam estão danificados. Specht.Mas assim mesmo é mil vezes melhor que aquele hospital superlotado. cai-nos em cima um a massa turbilhonante de Spitfires. Aqui. Incluindo os caças. constantemente me levanto e tento caminhar. E que adversário ! Dispostos numa larga frente. Um após outro. Não vamos muito longe. Sempre as "concentrações inimigas em Dora-Dora". dispersando num piscar de olhos nossas esquadrilhas. Não tenho sequer uma oportunidade de colocar uma rajada. 189 A Grande Caça 10 de fevereiro de 1944. Quanto a mim. Apesar de sua categórica proibição. Em Arnhem. com um motor em pedaços. a um quilômetro do campo de Hilversum. Specht foi o único que abateu um Spitfire. mesmo que fôssemos apenas dois. o grupo do "velho" um. os Tommies nos caçam como cães açulados contra um bando de coelhos. O balanço da sortida é desastroso : . Toda manhã. onde passo o dia. a 6°. mais feliz que a maioria deles. os bombardeiros mudam de rumo. Não temos tempo de nos refazer. Quanto as contínuas enxaquecas. no grosso da formação! . Um grupo de Thunderbolt desliza por trás de nós. decolamos para interceptar uma formação de Fortalezas Voadoras. com toda certeza é por culpa minha. Explorando ao máximo o efeito de surpresa.Atacar ! . doente.três. atacaríamos ainda assim. Tento inutilmente lançar a massa de meus quarenta Messerschmitt na frente da enorme falange. seu objetivo é Berlim !. Depois. aterrisso sobre o ventre. Faremos escala em Arnhem. Também minha 5° esquadrilha perdeu um piloto. arrasto-me até meu avião. é a mais formidável armada que já vi. dirigem-se para leste. nossos pilotos descem.

Ora ! queria atingir o posto de pilotagem ! . rompemos o contato e nos afastamos para o sul. cujas asas se destacam 2 000 metros mais abaixo. voam majestosamente para leste. o ajudante Raddatz. com sua escolta de caças. seus vizinhos que se afastam precipitadamente. lanço meu avião numa espiral ascendente em saca-rolhas. atingido por uma rajada de traçadoras.responde imediatamente o controlador. Mas ainda desta vez chegarão muito tarde. tensos. É a altitude ideal para cair em cima dos bombardeiros e surpreender sua escolta. ferido de morte. Minhas rajadas estalam na asa de uma Fortaleza. Um após outro. Depois de alguns ziguezagues. ao mesmo tempo destravo as armas. Avanço sozinho. Controlando meu piqué. DoraDora afeta até mesmo nossas funções intestinais. Já Specht derrapa sobre a asa esquerda. que nenhum Thunderbolt conseguiu imitar até hoje. que. deixando para trás o bombardeiro. coloco minhas rajadas no nariz de um bombardeiro e dou 190 Em Pleno a Crepúsculo uma guinada seca para passar sobre sua empenagem. é obrigado a abandonar imediatamente o combate. seus ataques maciços contra as cidades alemãs. Meus pilotos também fizeram um bom trabalho. nos preparamos em silêncio. e a minha retaguarda! A coisa se torna séria. 25 de fevereiro de 1944.Meu ala. . seiscentas ou setecentas Fortalezas. . Dois mil metros abaixo. Mergulhamos atrás dele. para o ataque. nos isolamos no "pequeno canto". o combate terá custado aos americanos a bagatela de doze quadrimotores. já entra em parafuso. Pouco depois. Um rápido 180 graus para enfrentar os caças inimigos.. Meu Deus! Uma nuvem de Thunderbolt desce do sol e se lança em nossa perseguição. Uma existência terrível! Os mais incorrigíveis brincalhões mostram-se agora sérios. Novamente a imagem habitual : a Fortaleza que pende para trás. Subimos hoje até os dez mil metros. Ao cabo de meia hora. olhando atrás de nós. inquietos. Como o supliciado país ainda encontra forças para resistir ? Para nós.Victor ! Victor ! .e passo.anuncia a voz clara de Specht. Dia e noite as sirenas emitem seu uivo sinistro. .Ali vão eles! Eu os estou vendo! . Sua intervenção nos impede de continuar o massacre. fico sabendo que o ajudante Raddatz abateu-se em chamas numa pequena praia. 191 A Grande Caça Toda manhã. as "concentrações inimigas em Dora-Dora" se tornaram o leitmotiv de nossa existência. sem cessar. ilumino o colimador e examino maquinalmente o céu. os Thunderbolt e Lightning entram em ação. Diabo! Eles já estão ali. Não conseguiu saltar. Ao aterrissar. Ingleses e americanos prosseguem. a guinada brutal e a queda do gigantesco pássaro.

Poucos minutos depois da aterrissagem. que se desenvolve sob minhas asas. em excelente posição para ser alvejado como um coelho. É um "salve-se quem puder" geral. Hoje. dois ou três rapazes completamente inexperientes. derrapo. o avião retoma um ângulo mais normal. pelos vidros. vamos! Num só movimento. Os americanos. que com toda certeza não nos viram! Então. Milagrosamente. bem debaixo de nós. progressivamente. Com o canto dos olhos. Specht telefona a divisão. O avião treme e guina. A noite. balança as asas . agora! Um noviço não se teria deixado apanhar tão mal. vejo-me diante de um Lightning. Coloca-se ao meu lado. cujos pilotos não agüentam mais. 8 de março de 1944. puxo o leme de profundidade. hoje. . Fiquei. Presos numa tesoura. desse pequeno número. a bordo de um avião emprestado pela 4° esquadrilha. Empurro apressadamente o manche para a esquerda. acompanhado ao longo da pista pela ambulância e pelo carro de bombeiros.Peguei-o! Peguei aquele ali! Segundos depois. um Lightning em chamas cai como pedra a uns cem metros a minha direita. . Meu suplemento de velocidade leva-me além do meu alvo. vem juntar-se a mim. Em poucos segundos. Quando tentamos. Tive de pousar sobre o ventre. nenhum deles precisou intervir. vejo arrebites saltando das asas. Preciso equilibrar o avião. faço-lhe o gesto de apertar a mão. vamos sucumbir a força do número.diabo! Se tem algo a dizer por que não usa o rádio ? . E essa. com um avião seriamente danificado. para pedir a retirada provisória do grupo. enfia meu queixo no peito. Dos veteranos. que Wennecker me aponta alguma coisa. vejo o avião de Wennecker subir até mim. Torno a decolar imediatamente. éramos quarenta. ao efeito da terrificante velocidade.e sobe ainda mais. Enquanto observo o combate dos caças. É essa a segunda vez que Wennecker me salva de um americano que queria minha pele. 194 Em Pleno Crepúsculo Já sei que meus dois chefes de seção foram abatidos. sobre a landa de Luneburg. uns quarenta Thunderbolt surgem das nuvens e nos atacam. Eu e Specht conseguimos escapar no último momento. Nos escalões superiores. fico sabendo também que Wennecker. quatro Lightning. desencadeados. pelo menos por alguns instantes. . muito suavemente. . depois. interceptar uma formação de Liberator.193 Em Pleno a Crepúsculo E eis-me desembaraçado daqueles zangões furiosos.A culpa foi dele mesmo! O pirralho! Tinha a pretensão de liquidá-lo! Pelo vidro. não passamos de oito. rejeitam o pedido com indignação: o grupo lutará até o último avião. Nesse exato momento. depois de desenfreada perseguição. se atiram a presa com gritos de peles-vermelhas. gravemente ferido. está no hospital de Diepholz. derrapamos para picar sobre os americanos. Monstruosa mão me afunda no assento. cujas asas brilham ao sol. Levo um susto ao ouvir a voz de Wennecker nos fones : 193 A Grande a Caça . Há quinze dias. E. Suave. A esquadra desaparece a olhos vistos. Um grupo esquelético. Vejo. rente as charnecas. Inclino o avião e olho. Meus olhos se velam. só restam Wennecker e Johnny Fest. afastando-me em parafuso fechado. pôr fim a essa queda infernal.

quatro. não quero tomar conhecimento de nada. Comovido. Johnny me fala sobre sua noiva. 196 Em Pleno Crepúsculo 28 de abril de 1944.Bravos! . . Amanhã. O olhar de Johnny está preso as fotografias dos que se foram. conseguem atingir uma velocidade superior em 40 % a máxima habitual. Felizmente. Quase não falamos. que eles vão rir. Ninguém pode distinguir nossas fisionomias.. confio-lhe um grande segredo. Graças a injeção suplementar. onde vi pela primeira vez o Messerschmitt 262. somos apenas. deixa muito a desejar . até o fim do ano teremos em serviço mil desses fenômenos. As luzes não passam de ridículas velas azuladas. Com a chegada de uns vinte pilotos . Tem-se a impressão de que os retratos vão animar-se. e dançamos até não poder mais. ele alcança a extraordinária velocidade de 900 quilômetros por hora. O grupo decola com seis aviões.. Aceito tudo quanto ele quiser. . já é noite. . Sua propulsão por foguete confere-lhe uma velocidade de cerca de 1200 quilômetros por hora. Convida uma amiguinha.Magnífico. creio que bem merecemos esse descanso. Quando ele sai. evocar velhas 1embranças . Então.Vamos fazer uma farra ! . nosso novo caça a reação. Esta noite.propõe Johnny. nos cilindros. que Deus tenha piedade dos americanos e dos tommies! Já há alguns meses assisti a decolagem de um Messerschmitt 163. de uma mistura de metanol e água. absolutamente de nada. Specht vem procurar-nos no mess: .grita ele. 195 A Grande Caça Eu e Johnny estamos banhados de suor. Aceito.O grupo foi retirado do combate por seis semanas. furados como escumadeiras. Quer ter no mínimo quatro filhos quando casar. . não passam de ferragens. Vamos a sua casa. No mess silencioso. contra os cerca de trezentos Thunderbolt e Lightning que protegem mais de mil Fortalezas Voadoras. 15 de março de 1944. Lilo espera um filho para o próximo mês. brincar. Nossos aviões. que as vozes familiares dos companheiros vão quebrar o pesado silêncio. talvez. sobretudo se você ainda estiver para vê-lo! Ao cair a noite. começamos outra. Contanto que não vá fundir-se novamente na fornalha! Venho de passar cinco dias no centro experimental de Lechfeld. É o fim! Ao meio-dia. A viuvinha é realmente encantadora. vamos para a cidade. Johnny conhece "uma pequena e encantadora viúva".A rádio anuncia que "os quatro cantos de Berlim estão ardendo". O álcool nos faz esquecer as últimas semanas.cuja instrução. Segundo as previsões oficiais. Em vôo horizontal. nossas fotografias estarão naquela mesma parede. fumando sem cessar. aliás. Recebemos aviões de um novo modelo.pudemos reconstituir a 5° esquadrilha. com voz pastosa. Duas horas depois. . Ao regressarmos. abro uma garrafa de conhaque. que acabam de sair da fábrica. que lhe permite subir aos 8000 . eu e Johnny Fest estamos jogados em fundas poltronas.

eles já nos viram e. Specht me diz que minha promoção antecipada ao posto de capitão é a recompensa de "minha excepcional coragem diante do inimigo". para permitir que vários grupos de Focke Wulf interceptem as Fortalezas com o máximo de eficácia. num curso de treinamento intensivo. na maioria de Focke Wulfs. na qual ninguém mais acredita. esse avião alemão sem hélice ultrapassava o limite dos mil quilômetros por hora. Três divisões de bombardeiros acabam de deixar a região de Great Yarmouth e se dirigem para o continente. obedece com espantosa facilidade. Quem levará a melhor. aguarda-se um desembarque aliado. Via Amsterdan. . 29 de abril de 1944.metros em três minutos. as bombas chovem sobre nossas oficinas. Hoje pela manhã o comandante Specht. os rastos de condensação dos Lightning. desde 1941. derrapo sobre a asa e avanço contra um grupo de Lightning. Às onze horas suas pontas avançadas sobrevoam o campo que nossos aviadores evacuaram provisoriamente. . fica-se a perguntar por que os responsáveis pela Luftwaffe ainda não nos dotaram de um instrumento de guerra assim temível! 197 A Grande Caça Bem sei que. uma massa de uns . lançados numa ampla viragem. a oeste. 7000. Nossas unidades avançadas na Holanda assinalam que o inimigo dispõe de escolta numerosa. Abandonamos a África e lutamos em retirada nos Apeninos. Hanni. Minutos depois eles passam sob minhas asas. As 11h 30m. Continuo a subir até os 9000 metros. . E no entanto. 8000.Victor !. Victor! . Zuyderzée e Deventer. O motor. Do norte e do sul. Enxames de Thunderbolt e de Mustang volteiam pelos lados. em nossas fábricas. as Fortalezas Voadoras ou nossos engenheiros ? E o horizonte continua cada vez mais sombrio : a leste. sobem outros grupos de caça. recuamos sempre. promovido ao grau de comodoro. Já há meses que a esquadra está preparada para enfrentar qualquer eventualidade. vêm ao nosso encontro. no sul.Bombardeiros agora em Gustavo-Siegfried. . . Quando se pensa que. Nossos Focke Wulf se lançam ao ataque! 199 A Grande Caça Imediatamente. seguidos pelo interminável desfilar dos bombardeiros. descrevemos uma larga curva para nos agruparmos e começamos a ganhar altura. . 198 Em Pleno Crepúsculo Recebemos ordens de travar combate a qualquer preço com os caças inimigos. dia após dia. distingo. Mas sei também que. A oeste. noite após noite. especialmente adaptado para ar rarefeito.Bombardeiros em Gustavo-Quebec. que formam a vanguarda inimiga. debaixo e por cima. Bastará uma pressão sobre um botão elétrico para acionar esse Imenso dispositivo. zero! 6000 metros. Pouco além.. de acordo com uma tática "elástica". oito. assumiu o comando do 11 ° grupo de caça. trabalha-se febrilmente para cobrir esse atraso. a armada americana alcança a fronteira alemã a oeste de Rheine. Sucedo-lhe no comando da esquadra. Decolamos as 11h 04m. Os pilotos aprenderam. quando e como devem atacar os lanchões de desembarque e as concentrações terrestres.

desce e torna a subir. Suas balas me enquadram de perto. Não há nada a fazer. de passagem. estou banhado de suor. Dessa vez consigo acertar minhas rajadas. que corta minha trajetória. cuja placa dorsal encaixa estoicamente as "ameixas". De súbito. sinto . Apesar do frio glacial. enquanto ainda tenho altitude suficiente. vejo que meu chefe de seção. aguar201 A Grande Caça dam a ocasião de intervir. Maldição! Só faltava essa! Olhando por sobre os ombros. mas ainda assim posso ver umas trintas Fortalezas que se abatem em chamas. Segundo meus cálculos. através de um rombo com as bordas rasgadas. Tremo da cabeça aos pés. devo estar em algum lugar entre Brunswíck e Hildesheim. Oito Thunderbolt colam-se a minha esteira. derrapa. com uma guinada a esquerda. Com terrível estrépito. Meu tanque estará vazio dentro de dez minutos. bem sobre as nuvens. que ainda me persegue uns trinta metros. os pilotos americanos contra os quais estamos lutando são experimentados veteranos. Espessa fumaça escapa de seu motor direito. seguiu-me fielmente e continua a me proteger. Exatamente o que queríamos! Colo durante alguns minutos na esteira de um Lightning. um bando de Mustang executa uma passagem frontal. Cabreio meu "zinco" com ambas as mãos. . De repente. Ainda bem que minhas manobras os impedem de fazer boa pontaria. irrompem labaredas que vêm 1amber-me a bota. A mil metros. seguido de outros sete que. Imperturbáveis. Ao lado de mal pé direito. Ouço nitidamente o espoucar de suas metralhadoras. vem colocar-se a minha frente. Ora sou lançado para a esquerda. Daqui a pouco. de súbito. a silhueta de um Lightning. que incendeia sua empenagem. A velocidade diminui imediatamente. Suas traçadoras passam raspando minha capota. afundado no meu assento ou suspenso de cabeça para baixo. enquadra-se no meu visor. Sinto o corpo dolorido como se tivesse levado uma surra de cacete. Meu adversário passa sobre mim. a hélice do americano me transformará em salsicha. a ponto de sentir náusea. levado por seu impulso. abaixo-me no assento. encarregado de cobrirme a retaguarda. Não posso explorar minha vantagem. Mando-lhe uma rajada. Abro fogo. que continuam me alvejando por trás. ora para a direita. . Por muito que me debata e tente minha famosa chandelle em saca-rolhas. Aperto os botões de fogo de meus canhões. Uma gota no mar !. . A luz vermelha do indicador de combustível acaba de acender. dou uma guinada e mergulho para o solo. meu chefe de seção vira e se precipita para as nuvens. Meu Deus! Como são longos estes minutos! Entrementes. que ziguezagueia. provavelmente. . suas rajadas penetram no meu pobre avião. Uma bala ricocheteia e me atinge na cabeça. A asa direita imediatamente se inflama. Manifestamente. intrigado. Quase não tenho tempo de olhar em volta. É um Thunderbolt. t É o fim! O motor pára. centenas de outras prosseguem sua rota para leste. Outro Lightning tem a idéia estúpida de vir passear sob o meu nariz. eles continuam firmes no meu rasto. No lapso de alguns segundos. os Focke Wulf fizeram bom trabalho. Os Thunderbolt me abandonam a minha sorte. Volto-me. Por isso. Que situação! Se salto agora. Brutalmente. Bum! Um impacto direto esmigalha meu painel de bordo. equilibro lentamente o avião. Só de quando em quando consigo mandar-lhe uma saraivada de obuses. 200 Em Pleno Crepúsculo Mas eis que um dos americanos. Bem no momento em que vou me içar. Santo Deus! Um Thunderbolt me segue a poucos metros. E ali está a terra! Empurro a capota para saltar. mas ele já guinou para juntar-se aos companheiros. Distingo. A fuselagem e as asas estão terrivelmente esburacadas. Refugio-me nas nuvens.quarenta Thunderbolt também muda de rumo e se atira contra nós. como se ela fosse manteiga. uma saraivada de balas penetra em minha fuselagem. O animal sabe pilotar ! . os berlinenses irão sentir calor !.

Apesar dessa constatação desagradável. minha pobre cabeça! Caio de joelhos. caio.Está ferido ? . os mais elementares.diz ele.Certamente não sou sua primeira vitória.É você o piloto do Messerschmitt ? . próximas. Enorme coluna de fumaça ergue-se dos escombros do meu avião. fui. perco os sentidos. Nele estão acomodados seis americanos. Sua capota se destaca e um corpo se ergue. Tem razão. Atravesso em vôo rasante alguns campos. Encolerizo-me : Baixem as armas. Depois.. um choque terrível..Sim. eles me carregam até a estrada. filosoficamente. que é melhor t. patina e pára numa valeta. vejo a minha frente uma espécie de armário espelhado. Quero erguer as mãos para proteger os olhos. Depois de um instante. reta para o céu. acende meu cigarro e esboça um sorriso. sua cabeça está sangrando. acho-o simpático.De qualquer modo. começo a vomitar. Instalo-me o melhor que posso entre eles. hem? . outro avião se consome. Tarde demais! Já está em chamas. o outro dará o grande salto juntamente comigo. depois uma planície. É a vigésima sexta. Depois de uma hora. isto não demorará muito agora. Alguns obuses já estouram. Deve ser o americano !Minha cabeça. que avançam com os fuzis prontos para atirar. com ar aborrecido. .Oh. Ele se serve.Mas que fazer ? . O americano. torrões de terra voam ao meu redor. um golpe terrível na cabeça . ajudado pelo meu . . Deveria voltar dentro de alguns dias para os Estados Unidos. vemos chegar um grupo de soldados das posições de D. . 204 Em Pleno Crepúsculo Sinto que ele diz a verdade. a exaurir-me. 202 Em Pleno Crepúsculo O Thunderbolt guina desesperadamente. ao meu lado. A.Foi exatamente esse o seu erro. sobre a qual colo o ventre do avião num brusco movimento de manche. e seus estilhaços passam zumbindo em meus ouvidos. reta como um muro.Sim. Um jato de chamas me atinge o rosto. Depois de algumas baforadas. abateu dezessete aviões alemães. de sua parte.continua o americano. continua: . que me fixa com olhar 203 A Grande Caça vidrado. sem duvida. .. o avião desliza. oferecendo-lhe em troca meu próprio maço. tropeço. atrás das quais como que bate um frenético martelo. . Dores atrozes na cabeça não me permitem qualquer pensamento coordenado. .. Agora percebo que o sangue escorre pelo meu pescoço. mas apenas reflexos.Tanto pior! Se estou perdido. . C. Centenas de metros além. levanto-me.. ansioso apenas por afastar-me daqueles destroços que vão explodir. Ele se põe a rir. como instrutor. . De qualquer maneira. Absolutamente não sei como saí do braseiro. Titubeio. Aceito. . O americano me diz que. . não !. É formidável! Seu avião queimava como uma tocha! É preciso ser duro para fazer aquilo ! Eu o julgava semimorto ! . No fundo. .Acho que estou. seu bando de idiotas! Tratem de chamar padioleiros. . onde um caminhão do exército está a espera. senta-se no chão.Foi você que me abateu ? . .que meus nervos vão ceder a qualquer momento. . apertando com ambas as mãos minhas têmporas. A terra sobe para mim.. Ofereceme um cigarro. Quando me recobro. estou contente por vê-lo com vida. até que só me reste na boca o amargor repugnante da bílis.

Ainda hoje. Entregam-me um monte de papéis. Infelizmente. É o crepúsculo do poderio alemão.. Sinto-me extremamente irritável e a memória me foge completamente. for you too! Duas horas depois. Lilo e Ingrid vão comigo. especificando que estou completamente restabelecido. articulo as palavras com dificuldade. . com sinceridade. .Exceto eu. ao que retruco. 206 CAPÍTULO VII Volta ao Lar. que deverei entregar ao médico de minha nova unidade. Levam-me para a cama e.novo amigo. Partirei amanhã para uma casa de convalescença da Luftwaffe. A tarde. No fronte leste. o ajudante Barann vem buscar-me com um Arado. À frente do meu gabinete. no Tegernsee. Ao cair . Queimando de febre. Minha antiga esquadra de caça regressou a Wunstorf. Comunica-me que o grupo não sofreu nenhuma perda. ~ o que realmente tenho a intenção de fazer. . quando fazemos escala em Wiesbaden com nossos setenta e quatro aviões. os jovens pilotos novatos. Os médicos haviam constatado uma fratura do crânio. Durante a transferência. despeço-me dele. À entrada do campo de Brunswick. Comunico por telefone meu regresso a divisão. sob as ordens de um velho companheiro. dão-me ordem de acompanhar a esquadra a França.digo-lhe. Vou até lá para ver o que é feito da 5° esquadrilha. Meu grupo combate a cabeça de ponte. . Passei sete semanas extremamente penosas. 205 A Grande Caça 10 de junho de 1944. . os russos avançam para as fronteiras do Reich.Tudo de bom para você !. a esquadra parte novamente na direção do fronte. Tive depois um choque nervoso. na Baviera. seguido de forte hemorragia cerebral. destinados a preencher os claros dos últimos combates. a enfermaria. É de gritar de raiva! 207 A Grande Caça 13 de agosto de 1944. os médicos da comissão especial continuam a julgar-me inapto para o serviço ativo na aviação. Trocamos um demorado aperto de mão. Fiquei vários dias incapacitado de falar. Sem exigir provas dessa cura. onde assumirei o comando da 3° esquadra do primeiro grupo de caça. perco as forças e caio. o capitão Krupinski. . Faz quarenta dias que os aliados desembarcaram na Normandia. melancólico : . um verdadeiro esgotamento. de Muletas Dois meses nos Alpes bávaros permitiram minha recuperação. 12 de agosto de 1944. começo a delirar. F alam em mandar-me para uma casa de saúde. Naturalmente. Recebemos aviões de substituição.All the best. destroem uns doze aviões na aterrissagem. pouco depois. . .

A espera do fim. doze aviões. Com um pequeno dardo quebrado. Assumo esta manhã o comando efetivo da esquadra. um avião de reconhecimento vem passear na vertical de nosso campo. Para surpresa minha. Com as últimas gotas de combustível. . no mínimo. distingo uma formação de doze Marauder. entre duas missões. transferimo-nos para Marolles. Mas eles já vão muito longe. é uma dura prova. Abato um deles. ao norte de Paris. inquieta-me como um pesadelo. Transferimo-nos novamente. . . que explode sob meu nariz. fisgo solhas que lutam selvagemente. Logicamente. prenhe de ameaças de tempestade. Mas como é possível que esse velho soldado continue envergando o mesmo uniforme ? . para morrerem depois de demorada agonia. Ainda fizemos bom trabalho! Ao cair a noite. a leste de Soissons. entre Vernon e Mantes. Vejo apenas um Lightning isolado. pesada couraça de gesso. uma pista aplainada por rolo compressor. O verão tórrido. uma hora depois. . que passa a alguns metros do campo. O inimigo tenta cruzar o Sena. ao redor do ombro esquerdo e do peito. parto de carro para o campo de meu novo "rebanho". deveria ser. o animal! De fato. e eu o quarto. Ele deve ter algum inimigo tenaz no serviço do pessoal. oito caças bombardeiros mergulham sobre nós e destroem um avião. . numerosas peças de D. atacamos a canhão uma coluna de jeeps com reboques. Um dos nossos pilotos choca-se contra um poste telegráfico e morre. 14 de agosto de 1944. o capitão Woitke. para nos instalarmos em Vailly. ontem. Um dos veículos se lança numa vala e pára contra o barranco oposto. Quando chegar minha vez. t. que não pode mais tardar. para tentar alcançá-los. . o oficial que irei substituir é meu primeiro chefe direto da campanha da Polônia. passeio de bote pneumático pelas águas claras do Aisne. Os americanos atingiram o Sena. Quando partem. Travamos o primeiro combate de meu reinado sobre Rennes. que consegue escapar rente as árvores. quando voltamos de um ataque a um destacamento de blindados. É mais seguro. 209 A Grande Caça 18 de agosto de 1944. Cerca das dez horas da manhã. que o faz parecer-se extraordinariamente a uma cavaleiro da Idade Média. . À tarde. Abatido em chamas poucos dias antes. A. 17 de agosto de 1944. antes de explodir como uma granada. pois o primeiro campo com toda certeza será bombardeado amanhã. Sou amistosamente recebido. tenente-coronel. . Na mesma noite. pousamos numa base de campo. jatos de terras surgem repentinamente de nosso campo já bastante castigado. 208 Volta ao Lar . Seis inúteis ataques contra eles nos custaram. contra seis Thunderbolt. mando retirar as redes de camuflagem e decolo.da noite. Os pontões lançados pela engenharia são protegidos dia e noite por nuvens de caças. Woitke exibe. C. e incontáveis projetores. Vai nos mandar seus amigos bombardeiros. certamente morrerei mais depressa! 28 de agosto de 1944. Por vezes. de Muletas A caminho de volta. Meus homens abatem três americanos. No ar vibrante de calor. lançamo-nos ao ataque.

. Hoje pela manhã. que surpreende o adversário. do primeiro grupo de caça. Depois. é um bocado forte! Mando preparar um dos aviões danificados. O setor do mapa corresponde a região de Tergnier. Agora. é o cerco final! Somos alvejados de todos os lados ao mesmo tempo. . derrapa sobre a asa e vai abater-se em chamas ao lado de um pequeno bosque. mas. Dois minutos antes da hora fixada para decolagem. Além do mais. Doring morre na hora. É minha vez de atirar ! Minha primeira rajada incendeia-lhe a empenagem. fatigado. Prudentemente. só estamos eu e meu segundo. de Muletas . mas ainda possui seis! Perdeu a razão ? Parece que não se dá conta da gravidade da situação ! Isso é sabotagem. fica com o outro. Vamos cair. nunca ninguém falou comigo nesse tom! Quase não reprimo a cólera. o caporal chefe Doring. Sobre esses objetivos vitais é que a 3° esquadra. . pois os caças 211 A Grande Caça bombardeiros ingleses atacam incessantemente seus campos. está ouvindo ? Sa-bo-ta-gem !. colocar-se no meu visor. para passar-me uma descompostura : 2lO Volta ao Lar . Meu "zinco" acelera com dificuldade. estoicamente. Dá-me enorme trabalho arrancá-lo do solo. Combate de desespero. Meu "zinco". acompanha todas as minhas manobras. confundidos num braseiro comum ? 212 Volta ao Lar . sozinho. Dirija-se a Siegfried-Gustavo! . esses estrategistas de salão ? Sabotagem? Na verdade. Meu chefe de seção. seu motor é presa das chamas e uma violenta guinada o projeta bem na minha trajetória. Que sabem de nossos cuidados. A "pista" é uma longa faixa de terra movediça. O velho avião se ergue. a " esquadra" está reduzida a cinco aviões. Doring se impacienta muito cedo. . o suboficial Ickes. de nossas preocupações. Trata-se de importante entroncamento ferroviário. Essa ordem do corpo é um verdadeiro assassinato ! Fico sabendo pelo rádio que as outras esquadras não podem nem sequer decolar. Em poucos minutos. Cabreio. É o halali. . . Não há nada a fazer para ludibriar o Mustang que se colou a minha esteira. Os mecânicos trabalham para consertar outros dois. ao norte de Soissons. dos cinco aviões só restam dois. ele passa por debaixo de mim e vem. esses escalões agaloados. Às seis horas da manhã. somente quatro aviões puderam decolar. numa curva ascendente. de Muletas Você comunica quatro aviões disponíveis. num Ultimo esforço.Estamos praticamente fora de combate. ambos. contra pelo menos sessenta Mustang e Thunderbolt. vai sustentar seu último combate em céu francês. saímos dos abrigos de camuflagem. Agora. perde sensivelmente velocidade. Levado por seu impulso. Desde a época longínqua da caserna. Ickes. é em Tergnier que o canal do Somme se liga ao Oise. colocamo-nos contra o vento. não tendo ainda a sustentação necessária.ordena o controlador. o chefe de estado-maior do corpo me chama ao telefone. . Ordeno-lhe que engaje a totalidade de seus aviões! Ele grita como um possesso.

um sujeito que me preocupa bastante. . o Mustang e o Messerschmitt formam uma só fogueira. Paro a cinco passos deles. É o mais quieto deles. Ainda não compreenderam que os últimos Messerschmitt desapareceram dos céus. pára e volta-se. Por cima de mim. num descampado. vejo-o erguer sua arma. estala a nossa esquerda o espoucar nervoso de uma metralhadora alemã -. atiro-me atrás . O rapaz da metralhadora corre atrás de mim. Caramba! Estou bem longe das posições alemãs. pois ainda há muitos boches na região. Numa fração de segundo. os três franceses que me precedem se lançam de bruços no chão. A metralhadora silencia. Enorme língua de fogo amarelada não me atinge por questão de centímetros. Terá desconfiado de alguma coisa ? Atravessamos um bosque fechado e chegamos a um talude de estrada de ferro. Em baixo. Com o canto dos olhos. que os americanos entraram em Amiens. suspenso ao pára-quedas. prefiro não brincar de esconde-esconde. tratemos de desempenhar convenientemente nosso papel. sem me esperar. onde escondi meu revólver. Nossos olhos se encontram. Quatro armas de fogo estão voltadas contra mim. arranco as ombreiras e enfio no bolso a minha Cruz de Ferro.Podem ajudar-me a encontrar meus companheiros ? Visivelmente. Talvez achassem esse jogo um tanto sem graça. é mesmo tão certo como dois e dois são quatro. atravessamos o talude. Meus "salvadores" me informam que há uma unidade blindada americana a apenas dois quilômetros. que voa no espaço. São maquis! Escorrego a mão sob a roupa. . Mas é preciso abrir os olhos. Bem nesse momento. Dou meia volta e corro para o bosque. vou ao encontro deles. chegamos a margem de uma bela estrada. Meus conhecimentos de francês são suficientes para compreender que estão a minha procura. Meu acompanhante faz-me um sinal para que os siga e. Isso é quase certo. Pergunto-lhe para onde vai aquela linha férrea. . vejo quatro civis franceses surgirem do outro lado da clareira. Com esta roupa de couro americano. no mínimo. 213 A Grande Caça Ergo-me e. salta também atrás dos companheiros. . Se eles perceberem que se trata de um alemão. Todos estão armados. de Muletas .Hello. continuo :. seus amigos atravessam o espaço descoberto. o gelo está rompido. calmamente. são capazes de matar-me. Olham-me com preocupada surpresa. O grandalhão não se afasta um centímetro de mim. Agora ele compreendeu. quase não 1embro a figura de um oficial alemão.Terrível choque sacode meu avião. arrancando-lhe a asa direita. Imediatamente. boys! Depois. Mas ignoro se me encontro aquém ou além de nossas linhas. E como agi bem! Quinze minutos depois. De súbito. O maior dos quatro. O rapaz da metralhadora fica de pé ao meu lado. procurando imitar o melhor possível o sotaque americano. Em alguns saltos. Prudentemente. Toco a terra numa pequena clareira.é minha Ultima oportunidade. . empurro a capota e me iço para fora. fico imóvel e lhes digo. Dou comigo em pleno ar. 214 Volta ao Lar . minhas velhas e desbotadas calças e a camisa de seda azul. Depois de ter fumado um cigarro para acalmar as batidas descompassadas do meu coração. os pilotos americanos continuam sua ronda vertiginosa. Pouco além. Como os quatro rapazes começam a revistar as moitas. Agora. . No momento em que aperta o gatilho. Faz três dias. Preciso salvar-me .A Amiens. traz sob os braços uma metralhadora portátil alemã. . num tom jovial: .

nossas fábricas. Talvez umas vinte esquadrilhas de caças a reação ainda pudessem reequilibrar as coisas. A Luftwaffe morre. . Mas o Alto Comando teima em suas represálias ! 9 de outubro de 1944. corro para o bosque. 215 A Grande Caça Cerca da meia-noite o comodoro me chama para comunicar que o inimigo realizou uma profunda penetração. a leste e ao norte de nosso campo. na direção de Soissons. Os outros franceses não me seguiram. É preciso partir imediatamente. estou novamente no meu campo. no mar Báltico. Ao cair da noite. prenderão todas as unidades que ainda se encontram na região. Galland e os chefes das grandes unidades ousaram protestar. as balas erguem gêiseres miniaturas de terra. De um salto. ele declarou que não admitia qualquer discussão a respeito dos aviões 216 Volta ao Lar . À meia-noite. Partimos meia hora depois. . corajosamente. Determino a transferência da esquadra para a região de Beaumont. Quando Goering. na Bélgica. Cada veículo deverá levar sua provisão de combustível. À saída da aldeia. mas sem poder impedir que os aliados arrasem sistematicamente nossas cidades. violento solavanco me 217 A Grande Caça . .de um pequeno monte de terra. esperamos inutilmente pelos caças a reação que. como numa imensa armadilha. Como três dias atrás fomos transferidos as pressas para a região de Viena. Desde hoje cedo sei que nunca mais voarei. . comemos num albergue mantido por um checo. recebera ordem de levar minha esquadra imediatamente para Anklam. meu caro. Oxalá nossos comboios consigam passar pelas malhas inimigas! 10 de setembro de 1944. por estradas constantemente vigiadas pela aviação aliada. Ora. mandei reconhecer um campo auxiliar. Cheio de raiva. é verdade. O comboio fará o percurso num dia e meio. Abaixo-me e recolho sua metralhadora. estamos acampados num mísero e pequeno campo. com um estertor. ponho-me de pé e disparo. Depois de alguns metros. as instalações ferroviárias e as centrais de produção de energia. Estamos exatamente há uma semana em Beaumont. escondo-me atrás de um tronco de árvore. a margem ocidental do Reno. puxo o revólver.de Muletas a reação. Dresdem e Berlim. onde. A rota prevista passa por Praga.. onde nossos caminhões conseguiram chegar depois de uma viagem épica. Suas pontas avançadas estão ao sul. "em nuvens". Quando o francês baixa a cabeça para mudar o carregador. mas era você ou eu. deveriam pôr fim ao pesadelo dos bombardeios aliados. No momento. era nossa última esperança. pois o reabastecimento em trânsito tornou-se bastante precário. escondido entre duas montanhas cobertas de bosques. encontro um destacamento de tanques alemães. Ao meu redor. . Se não as detivermos em Laon. De qualquer forma. Em suma. alguns dias antes. Sinto muito. Hitler engajou o Me 262 como " arma de represália" contra a Inglaterra. a Luftwaffe morre em vão. Quinze minutos depois. As quatro horas da tarde. Era ele quem decidiria sobre seu emprego ! E aí está! A Luftwaffe se dessangra para tentar defender as cidades alemãs. começo a imaginar se o grandes chefes ainda estão em seu juízo perfeito.. Arquejante. O homem cai.

Esta noite não sentirei dores! 7 de dezembro de i944. Amanhã. . os médicos querem por força amputar-me a perna esquerda. Mas eu recuso. Rastejando de costas. A pele já apresenta uma cor suspeita. fulminante. Já posso sair. . terrível choque nos sacode : outro veículo. um desses infelizes de que todos sentem pena.. mais tarde. erguendo-me sobre os cotovelos. apoiado num par de muletas. 8 de dezembro de 1944. sentado atrás. Soube. Minhas mãos estão cobertas de bolhas. . No hospital militar de Praga. provocadas pelas muletas. Sinto uma dor atroz. Dou os primeiros passos. 218 Volta ao Lar . Mas andarei! 1O de dezembro de 1944. tateio meu corpo.S. . Minhas pernas estão terrivelmente magras. A rótula esquerda e a articulação do quadril direito estão esmagadas . Gerhardt é projetado através do pára-brisa e o motorista. sabotagem dos checos. Redobro meus esforços e depois de um ou dois minutos de luta consigo sair pela porta semi arrancada. .arranca o volante das mãos. Retiraram o gesso ontem. a oitenta por hora. Ontem a noite fui ao teatro. Por nada do mundo quero passar o resto da vida como mutilado. Aprenderei a andar de novo. tento inutilmente sair. Quanto a mim. De repente. Precisei quebrar o volante. me encontra desfalecido. desesperadamente. acompanhado de uma enfermeira. como uma criança. Abro minha Ultima garrafa de conhaque e em poucos minutos a esvazio até a Ultima gota. Estou tão fraco que mal consigo sentar-me na cama. darei um passeio pelo corredor. obstinadamente. que inúmeros outros veículos sofreram acidentes semelhantes. Torno a agarrá-lo.. Isso não tem a mínima importância. Levei mais de uma hora para um trajeto que um homem normal faz 219 A Grande Caça em dez minutos. Consigo andar de uma parede a outra do quarto. Caído na valeta. . mas o veículo não mais obedece.de Muletas Os médicos gastam duas horas para me recompor a rótula. desgovernado como o nosso. fico num quarto cuja lotação é prevista para quatro pessoas. Cada movimento me arranca um grito de dor. Uma enfermeira traz minha pasta. Só meus progressos é que contam. com as pernas abertas. subindo ao longo das pernas. mas onde agora se apertam dez feridos graves. Duas horas depois. consegue sair e cai ao lado da capota arrebentada. cujo eixo quase me entrou peito a dentro. O joelho direito ainda não se flexiona. consigo subir até a estrada. Provavelmente. Com ambas as pernas engessadas. preso debaixo do volante. vem de encontro a ele. uma unidade das waffen S. Chocamo-nos contra um muro.

Você caminha com tanta dificuldade! . empreendi a viagem que me levará para casa.19 de dezembro de 1944. quando todos têm seu fardo de preocupações. A meia-noite. o trem leva exatamente sete horas. um ônibus deixa-me. O joelho esquerdo lentamente recupera sua elasticidade. Estendidos no chão. me leva para casa. Dois caminhões nos levam a uma parada do outro 220 Volta ao Lar.Reconheço no escuro a silhueta de Lilo. Para chegar a Augsburg.milagre dos milagres! . . em pânico. Alugou um apartamento no arrabalde da cidade. Nosso trem pára numa estação de subúrbio. nunca mais. dormir. a estação está em chamas. Que me deixem em paz !. 23 de dezembro de 1944. .murmurou Lilo. as bombas chovem sobre a estação. dormir.. desajeitadamente. . finalmente. A Alemanha toda está ardendo t. vou . bem ao lac10 da estação. ela está definitivamente acabada. A partir de agora. Não nos deixaremos mais. de Muletas lado da cidade. numa villa adorável. Lilo conseguiu minha transferência para o hospital de Sanderbusch. Quero dormir !. Milhares de viajantes. Atenção meritória. mas eu as ponho porta a fora.Ao meio-dia. Em Augsburg. Na lareira da sala crepita um fogo bom. e subimos devagarinho na direção da casa. Deixo-me cair numa poltrona. incapazes de correr. as Fortalezas Voadoras atacam o centro da cidade. com nossos dois filhos. Às vezes. Quando os bombardeiros se vão. Um pobre destroço. À noite. . Se eu soubesse que era tão grave. balança inutilmente na articulação destruída do quadril. faz um frio siberiano. . onde esperamos o trem para Munique. em Jever. ficamos deitados entre os trilhos. Um carro militar me leva sim. que se movimentam com dificuldade. a aviação aliada ataca a estação. Em Salzburgo. 21 de dezembro de i944. Quero dormir. Esta viagem vai liquidar-me. Passei uma semana numa estação termal austríaca. a poucos quilômetros de Jever. transportam-me para uma barraca da Cruz Vermelha. ocupados com as malditas muletas. Em Munique. Não agüento mais. Nem sequer posso estreitá-la em meus braços. encostamo-nos uns nos outros. nos perguntamos como ainda estamos vivos. estou exausto. principalmente neste momento. Somos uns vinte feridos. Para mim. caminhando com auxílio de duas muletas.chega ao destino somente com duas horas de atraso. A meia-noite. correm para os abrigos. normalmente um trajeto de cinqüenta minutos. Abraço-a ternamente. cujas águas radioativas me fizeram muito bem. Encolhida seis centímetros. As enfermeiras querem levar-me para um abrigo. Em Rosenheim. Nós. . exatamente. com a voz entrecortada pelas lágrimas. . os viajantes acorrem em meu 221 A Grande Caça auxílio. A guerra continua. para o aleijado que sou. Mas a perna direita ainda continua um peso morto. para partilharmos das Ultimas reservas de calor humano. É lá que me espera. que corre ao meu encontro através do jardim coberto de neve. os feridos. um trem de soldados em licença parte para Hanôver e . Superestimei minhas forças. .

.. Por quê? . Amanhã. vai assaltar-me com mil perguntas : por que fiquei tanto tempo ausente.. Por quê? .. para o meu lar. por que ando tão devagar. .. Só quero viver para minha família. POR QUE? FIM . por que os homens maus ainda fazem guerras. dos dramas que vi. Ingrid. da guerra..começar a descansar de tudo : das fadigas da viagem. Amanhã é Natal. minha filha de cachos loiros..