You are on page 1of 3

Argumento

:

Jorge Furtado,

Direção:

Jorge Furtado,

Narração:

Paulo José,

Roteiro:

Jorge Furtado,

Fotografia:

Roberto Hekin, Sérgio Amon,

Montagem:

Giba Assis Brasil,

Direção de arte:

Fiapo Barth,

Música: Geraldo Flach,

Produção: Goulart,

Casa de Cinema de Porto Alegre., Giba Assis Brasil, Mônica Schmiedt, Nora

Elenco: Idioma: Português Ano: 1989

Local: Rio Grande do Sul - Brasil Duração: Cor: Cor 13 minutos

Bitola: 35/16mm Gêneros: Documentario/Ficção

Melhor Curta-Metragem . Festival International du Film de Region. Clemont-Ferrand/França. Prêmio Air France de Cinema. 1990: Melhor Curta-Metragem Brasileiro. 1991: Melhor Filme. Ilha das Flores segue-o até o seu verdadeiro final. 1989: Melhor Curta-Metragem Júri Oficial e Popular. 40º International Filmfestival de Cinema. Melhor Roteiro e Melhor Montagem. Prêmio Especial do Júri. Saint Paul/França. Rio de Janeiro/RJ. 1991: Prêmio Especial do Júri e Melhor Filme. Berlim/Alemanha. porcos e seres humanos. Melhor Filme Júri Popular . Rio de Janeiro/RJ. o motivo de sua . Mulheres e crianças num tempo determinado de cinco minutos. 1990: Prêmio Margarida de Prata/CNBB. numa escala de prioridade. (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). 1990: Urso de Prata (1º Prêmio). colhido. O que IF não se conforma em demonstrar e por isso delira. Rio de Janeiro/RJ. IF assume o delírio. Acaba? Não. mulheres e crianças.3º Festival Internacional do Curta-Metragem. 7º No-budget Kurzfilmfestival. o pensamento caótico e lida com uma idéia linear como se tratasse de um pesadelo. mas apodrece e acaba no lixo.Prêmio da Crítica.Prêmios: 17º Festival do Cinema Brasileiro de Gramado/RS. Um tomate é plantado. Melhor Direção. transportado e vendido num supermercado. Melhor Roteiro (Jorge Furtado). 1989: Melhor Curta-Metragem Brasileiro. Prêmio Air France de Cinema. Troféu Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. 28º Festival de Gramado Cinema Latino Brasileiro/RS. 1990: Mostra Os 10 Melhores curtas brasileiros da década de 80. um ensaio dialético-cinematográfico sobre os habitantes do planeta Terra. lixo. Exibições especiais: Cineclube Estação Botafogo. Melhor Filme. Sinopse: Qual a produção mundial de tomates? Como se mede um segundo? Qual a verdadeira causa da queda do Império Romano? Quantas galinhas valem uma baleia? Quais eram as Capitanias Hereditárias? Como se fabricam perfumes? Quem foi Mem de Sá? Estas e muitas outras perguntas são respondidas neste filme. Mostra o absurdo da situação entre seres humanos que. estão depois dos porcos. garantem na sobra dos porcos sua alimentação diária. E então fica clara a diferença que existe entre tomates. entre animais. 2000: Mostra Paralela. Hamburgo/Alemanha. Melhor Montagem (Giba Assis Brasil). 1993: Melhor Filme.

estamos hipnotizados pelas nossas descobertas. o sentimento de liberdade. que fecha o filme. A ciência e o conhecimento avançam mas só fazem aumentar nossa frustração. Como espectadores.. embriagados pela nossa inteligência. ou mesmo um sentimento de algo que não é possível conceituar. que é a liberdade. No final. não sabemos reter nem assimilar a informação pois ela está disponível se necessário. impotentes. mas continuamos a perseguir. por outro temos a obscena exploração do homem pelo homem. mas não sabemos o porquê. estamos num impasse. Se por um lado temos um desenvolvimento científico impressionante e um crescente conhecimento do corpo e da mente. Quando nos damos conta da nossa terrível situação enquanto humanos com o teleencéfalo altamente desenvolvido e o polegar opositor. Este curto-circuito não parece ter fim. como se divagasse por tão amplo conhecimento. só resta a profunda indignação consigo mesmo. nossos crânios rachados pela idéia da liberdade. e ninguém que não entenda.indignação. segundo a frase de Cecília Meirelles. a destruição pela bomba atômica. . os estados de miséria. através da medicina e da psicanálise. resta uma embriaguez. Somos impotentes.. repete conceitos. IF foge dessa idéia insuportável. Mas é preciso acompanhar o tomate plantado no início do filme . é a contradição em que o próprio ser humano criou para si mesmo com toda a sua história . O ciclo histórico de exploração. a ciência . entra em choque com os resultados do progresso e por isso abre e fecha páginas de hipertexto. ela está presente no hipertexto. violência e morte retorna em IF. a religião. e. A visão de IF é humanista. Só resta uma idéia. não há ninguém que explique. assim como é preciso recapitular constantemente o caminho percorrido. os humanos preteridos aos porcos na Ilha das Flores. Estamos como num transe. os campos de extermínio. de igualdade e fraternidade. não temos mais memória. Não somos livres. e pula entre os diversos links.