You are on page 1of 3

Verificação de Competências Textuais - 1º Trimestre

PARTE I - REDAÇÃO ENEM 2003
Para desenvolver o tema da redação, observe o quadro e leia os textos apresentados a seguir:

TEXTO I

(Época, 02.06.03)

TEXTO II
Entender a violência, entre outras coisas, como fruto de nossa horrenda desigualdade social, não nos leva a
desculpar os criminosos, mas poderia ajudar a decidir que tipo de investimentos o Estado deve fazer para enfrentar o
problema: incrementar violência por meio da repressão ou tomar medidas para sanear alguns problemas sociais
gravíssimos?
(Maria Rita Kehl. Folha de S. Paulo)

TEXTO III
Ao expor as pessoas a constantes ataques à sua integridade física e moral, a violência começa a gerar
expectativas, a fornecer padrões de respostas. Episódios truculentos e situações-limite passam a ser imaginados e
repetidos com o fim de legitimar a ideia de que só a força resolve conflitos. A violência torna-se um item obrigatório na
visão de mundo que nos é transmitida. O problema, então, é entender como chegamos a esse ponto.
Penso que a questão crucial, no momento, não é a de saber o que deu origem ao jogo da violência, mas a de saber
como parar um jogo que a maioria, coagida ou não, começa a querer continuar jogando.
(Adaptado de Jurandir Costa. O medo social.)

Considerando a leitura do quadro e dos textos, redija um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema: (3,0)
A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo?
Instruções:
• Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar os conhecimentos adquiridos e as reflexões feitas ao longo de
sua formação. Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender seu ponto de vista,
elaborando propostas para a solução do problema discutido em seu texto. Suas propostas devem demonstrar
respeito aos direitos humanos.
• Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da modalidade escrita culta da língua
portuguesa.
• O texto não deve ser escrito em forma de poema (versos) ou de narrativa.
• O texto deverá ter no mínimo 20 (vinte) linhas escritas.

segundo o contexto. já é um sinal de inteligência. segundo Calvin.____________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ 5________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ 10_______________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ 15________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________ 20_______________________________________________________________________________________________ PARTE II – INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS 1. (1.Por que. ninguém de outro planeta tentou entrar em contato conosco na Terra.0) _____________________________________________________ _____________________________________________________ _____________________________________________________ _____________________________________________________ .

praias. são mensagens. ainda que a moda seja negar minha identidade. Meu tênis é proclama colorido de alguma coisa não provada por este provador de longa idade. Em minha camiseta. coisamente. (1. Já não me convém o título de homem. mas artigo industrial. ETIQUETA Em minha calça está grudado um nome que não é meu de batismo ou de cartório. minha gravata e cinto e escova e pente. Com que inocência demito-me de ser eu que antes era e me sabia tão diverso de outros. todos os logotipos do mercado.d. meu relógio. cada vinco da roupa resumia uma estética? Hoje sou costurado. costume. principalmente). Grana Drummond. Carlos Drummond de. Por me ostentar assim. ANDRADE. premência. não de casa. tarifados. estou na moda. qual é a consequência de “estar na moda”? (1. Estou. minha xícara. independente. Eu sou a coisa. E nisto me comprazo.. Eu é que mimosamente pago para anunciar. que moda ou suborno algum a compromete.0) _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ 3) O poema sugere que pessoas que se transformam em anúncios-itinerantes se anulam e ainda sentem prazer com esse fato. abuso.. e bem à vista exibo esta etiqueta global no corpo que desiste de ser veste e sandália de uma essência tão viva. ora vulgar ora bizarro. É doce estar na moda. minhas características tão pessoais. Minhas meias falam de produto que nunca experimentei mas são comunicados a meus pés. tão mim-mesmo. tão minhas que no rosto se espelhavam. até hoje não fumei. em língua nacional ou em qualquer língua (qualquer. Transcreva os dois versos que comprovam essa afirmativa. Record. nos tornando escravos das marcas. açambarcando todas as marcas registradas. objeto pulsante mas objeto que se oferece como signo de outros objetos estáticos. saio da estamparia. s. reincidência.0) _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________________________ . a marca de cigarro que não fumo. um nome . ordens de uso. Onde terei jogado fora meu gosto e capacidade de escolher. da vitrina me tiram. minha toalha de banho e sabonete. escravo da matéria anunciada. 2) Segundo o autor. sou gravado de forma universal. gritos visuais. festas. pérgulas. sentinte e solidário com outros seres diversos e conscientes de sua humana. Não sou – vê lá – anúncio contratado. Meu blusão traz lembrete de bebida que jamais pus na boca. tiro glória de minha anulação. desde a cabeça ao bico dos sapatos. Corpo. e fazem de mim homem-anúncio itinerante. indispensabilidade. e cada gesto cada olhar. Nesse caso. meu copo. piscinas. Meu nome novo é coisa. invencível condição. recolocam. somos completamente dominados. estranho. peço que meu nome retifiquem. Agora sou anúncio. ser pensante.EU. letras falantes. estamos subordinados à senhora propaganda. meu isso. meu aquilo. nesta vida. hábito. para vender em bares.p 85-7. trocá-la por mil. Meu lenço. tão orgulhoso de ser não eu. sou tecido. Rio de Janeiro. meu chaveiro.