Às armas. A bandeira de Portugal foi alterada de acordo com as figuras seguintes: Esta revolução surge devido ao estado de desagrado da população da forma como o país estava a ser gerido. às armas! Sobre a terra. ocorreu um golpe de estado. Que há-de guiar-te à vitória! Às armas. marchar! II Desfralda a invicta bandeira. Porgual foi governado por um governo provisório chefiado por Teófilo Braga até à aprovação da nova constituição. sobre o mar. Nação valente. imortal.DIA 5 DE OUTUBRO DE 1910 – CONSTITUIÇÃO DA RÉPUBLICA PORTUGUESA No dia 5 de outubro de 1910. Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memoria. No sistema monárquico o hino era o seguinte: Data: 1890 (versão original)[5] Letra: Henrique Lopes de Mendonça Música: Alfredo Keil I Herois do mar. Oh patria ergue-se a voz Dos teus egrégios avós. acabando-se assim com o sistema monárquico e implantando o regime republicano. nobre povo. Nesta altura foi alterado o hino e a bandeira. às armas! Pela patria lutar! Contra os Bretões marchar. Após a qual foi iniciada a primeira república. À luz viva do teu céo! Brade a Europa à terra inteira: . O golpe de estado foi organizado pelo Partido Republicano Português.

Seja o eco de uma afronta O sinal do resurgir. marchar! Com o sistema republicano o hino nacional passou a ser: Data: 1890 (com alterações de 1957) Letra: Henrique Lopes de Mendonça Música: Alfredo Keil I Heróis do mar. Que há-de guiar-te à vitória! Às armas. imortal. . Às armas. às armas! Pela patria lutar! Contra os Bretões marchar. às armas! Sobre a terra. Ó Pátria sente-se a voz Dos teus egrégios avós. Às armas. sobre o mar. Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memória. Nação valente. Raios dessa aurora forte São como beijos de mãe. às armas! Pela patria lutar! Contra os Bretões marchar. Contra as injurias da sorte. marchar! III Saudai o sol que desponta Sobre um ridente porvir. E o teu braço vencedor Deu mundos novos ao mundo! Às armas. às armas! Sobre a terra.Portugal não pereceu! Beija o teu sólo jucundo O Oceano. às armas! Sobre a terra. sobre o mar. Às armas. a rugir de amor. nobre povo. Que nos guardam. sobre o mar. nos sustêm.

às armas! Pela Pátria lutar! Contra os canhões marchar.Às armas. às armas! Pela Pátria lutar! Contra os canhões marchar. Às armas. Raios dessa aurora forte São como beijos de mãe. às armas! Pela Pátria lutar! Contra os canhões marchar. às armas! Sobre a terra e sobre o mar. marchar! . marchar! III Saudai o Sol que desponta Sobre um ridente porvir. Às armas. marchar! II Desfralda a invicta bandeira À luz viva do teu céu! Brade a Europa à terra inteira: Portugal não pereceu Beija o solo teu jucundo O oceano. E o teu braço vencedor Deu novos mundos ao Mundo! Às armas. nos sustêm. a rugir d'amor. Contra as injúrias da sorte. Que nos guardam. às armas! Sobre a terra e sobre o mar. Seja o eco de uma afronta O sinal de ressurgir. Às armas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful