A formação de frentes e a sua influência nos estados de tempos em Portugal

Rui Jesus
18-01-2010

a ascensão do ar quente provoca o seu arrefecimento. sobrepondo-se.Espaço Português. em contacto com a superfície da Terra dá origem à chamada frente. Doc. dando origem à condensação do vapor de água e à formação de nuvens. pelo que. pelo que ficam separadas por uma zona de transição a que se dá o nome de superfície frontal. à passagem de uma frente se associa a ocorrência de precipitação (mau tempo).” Matos António .Formação de frentes e sua influência nos estados de tempo “Quando duas massas de ar de características diferentes convergem e entram em contacto uma com a outra não se misturam. é o ar frio que avança. 12 – Formação de uma frente quente Tanto numa como noutra. pode haver trovoadas e o vento é mais forte. geralmente. introduzindo-se como uma cunha por baixo do ar quente. com nuvens de grande desenvolvimento vertical. Esta. as chuvas são intensas (aguaceiros). gradualmente. o vento é fraco. Escola Secundária de Penafiel . obrigando-o a subir. 11 e 12): − Numa frente fria. Frente Fria: grande nebulosidade. 11 – Formação de uma frente fria − Numa frente quente é o ar quente que avança. ou misturam-se muito lentamente. As temperaturas são baixas com tendência para subir. Frente quente: céu nublado. Doc. ao ar frio. Edições Asa As frentes podem ser quentes ou frias (Doc. chuvas contínuas e de longa duração (chuviscos) ou chuva de molha-tolos.

por sobreposição do ar quente ao ar frio Escola Secundária de Penafiel . B – O ar quente tropical penetra cada vez mais para norte e o ar frio polar avança cada vez mais para sul. − Na frente quente. 14 e 15). A – O ar tropical desloca-se de oeste para este. criando-se uma superfície frontal (área de contacto entre duas massas de ar) cada vez mais ondulada. A interpenetração das duas massas de ar é fraca – frente estacionária. uma frente quente e uma depressão barométrica constitui uma perturbação frontal (Doc. onde a convergência das massas de ar quente tropical com as de ar frio polar dá origem à formação das frentes polares (Doc 13). C – Surge. paralelamente ao ar polar que se desloca em sentido inverso. O conjunto formado pela associação de uma frente fria. entre dois sectores de ar polar frio (anterior e posterior). uma sucessão de frentes frias e frentes quentes – sistema frontal (conjunto de duas ou mais frentes associadas). acontece frequentemente nas latitudes médias dos dois hemisférios. por efeito da interposição do ar frio por baixo do ar quente. verificando-se uma dupla ascensão dinâmica do ar: − Na frente fria.O encontro de massas de ar de características distintas. Deslocam-se sempre de oeste para este. de acordo com o movimento de rotação da Terra. posterior anterior Uma perturbação frontal é constituída por um sector de ar tropical quente. assim.

pois o ar frio. as duas frentes avançam a velocidades diferentes. obriga-o a subir mais depressa do que na frente quente. o que influencia a evolução da perturbação frontal.Evolução duma perturbação frontal Embora se desloquem no mesmo sentido. a frente fria acaba por alcançar a quente e o ar frio posterior junta-se ao anterior. mas a chuva vai desaparecer dando lugar ao bom tempo. (As frentes desapareceram). uma frente oclusa – frente resultante da junção da frente fria com a frente quente. Forma-se. Assim. ao penetrar por baixo (em cunha) do ar quente. então. embora com temperaturas baixas. obrigando todo o ar quente a subir. A frente fria progride mais rapidamente do que a frente quente. Estados de tempo associados à perturbação da frente polar Escola Secundária de Penafiel . pode ainda haver precipitação.

Outra forma de representar os estados de tempo Escola Secundária de Penafiel .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful