Volkswagen do Brasil

Engª de Powertrain
Motores: Alguns Conceitos Básicos
A essência do automóvel
Motor é uma máquina térmica
Transformação de Calor em Trabalho:
Calor
Trabalho
Calor
Fontes de Calor:
Gasolina
Álcool
Gás Natural
Óleo Diesel
Bio Diesel
Outros (Carvão, Comb.
Nuclear...)
Conceito: Combustão
Motor Otto:
Ar
Para cada
13,3g de ar
você pode
colocar 1g de
combustível
(gasolina);
Quanto + Ar
no cilindro,
+
Combustível
dá pra
colocar;
Mais
Potência o
motor gera.
Para cada
8,9g de ar
você pode
colocar 1g de
combustível
(álcool);
Como o motor transforma calor em movimento:
Admissão
4 Tempos de 1 cilindro
Expansão Compressão Escape
1 ciclo completo = duas voltas do eixo do motor
Como funciona?
Esquema Simplificado do Sistema de Gerenciamento:
Convencional:
Mede a
quantidade de ar
admitida pelo
motor
Calcula a
quantidade de
combustível
necessária para
mistura correta:
mcomb=mar/Esteq
•Comanda
a Injeção
•Comanda
disparo da
centelha
Determina o ponto
ideal da centelha
Confere o
resultado da
combustão
Conceito: Número de Octanas ON (Octane number)
Combustíveis
Padrões
Iso-octana
NO=100
n-Heptana
NO=0
O combustível comercial que
detona com a mesma taxa de
compressão de uma mistura de
x% de Iso-octana e (100-x)% de
Heptana, terá um NO = x.
100
0
RON
Tx de compressão
detonando
Brasil
RON=91
RON=95
(premium)
Detonação: Auto ignição do combustível:
Nociva ao motor
O que é?
• Permite a utilização de álcool hidratado (E100),
gasolina (E22) ou qualquer mistura entre os dois;
• Se adapta automaticamente ao combustível
fornecido, não requerendo qualquer interferência do
motorista;
• É original de fábrica: não requer adaptações
posteriores à produção do carro.
É um Novo Conceito de motorização que:
Por que?
• TOTAL FLEXIBILIDADE ao consumidor na escolha
do combustível, a cada abastecimento:
– adequando o tipo de combustível às suas
necessidades:
 Autonomia desejada x Desempenho x Custo por Quilômetro (tipo de
percurso);
Permitir ao consumidor:
– aumentando o seu poder frente aos fornecedores de
combustíveis:
 Maior independência em relação a políticas de formação de preço pelos
fornecedores.
Por que?
• Eliminar a obrigatoriedade de escolher o
combustível para longos períodos (na compra
do carro);
• Usar álcool sem medo de desabastecimento.
Permitir ao consumidor:
Como funciona?
Características dos dois combustíveis:
Gasolina (E-22)
1
:
Estequiometria: 13,3 : 1
Octanagem: ± 81 (MON)
Pressão de Vapor
2
: ± 38 kPa
Poder calorífico: 9.600 kcal/kg
Calor de Vaporiz.: 101 kcal/kg
Densidade a 20ºC: 756 kg/m³

Álcool Hidratado:
Estequiometria: 8,9 : 1
Octanagem: ± 90 (MON)
Pressão de Vapor
2
: ± 9 kPa
Poder calorífico: 6.100 kcal/kg
Calor de Vaporiz.: 201 kcal/kg
Densidade a 20ºC: 810 kg/m³

(1) E22= Gasolina com 22%vol de etanol anidro
(2) Método segundo Grabner a 20ºC
Como funciona?
Com a variação de combustível:
Mede a
quantidade de ar
admitida pelo
motor
Calcula a
quantidade de
combustível
necessária para
mistura correta:
mcomb=mar/
•Comanda
a Injeção
•Comanda
disparo da
centelha
Determina o ponto
ideal da centelha

Confere o
resultado da
combustão
Esteq ??
Octanagem ??
Esquema Simplificado do Sistema de Gerenciamento:
Como funciona?
Com o Total Flex:
Mede a
quantidade
de ar
admitida
pelo motor
Calcula a
quantidade de
combustível
necessária para
mistura correta:
mcomb=mar/ Esteq
•Comanda
a Injeção
•Comanda
disparo da
centelha
Determina o ponto
ideal da centelha
considerando
Octanagem
Confere o
resultado da
combustão
Determina
qual
combustível
esta
chegando ao
motor:
•Estequiom.
•Octanagem
SFS
Esquema Simplificado do Sistema de Gerenciamento:
Sensor de Combustivel: SFS
Software Fuel Sensor
SFS = Sinal da Sonda Lambda + Inteligência (software).
O SFS (Software Fuel Sensor) é a rotina computacional que determina
o tipo de combustível que está sendo queimado para que a ECU adapte
os parâmetros do motor;
O sinal da Sonda Lambda é usado para determinar se a mistura queimada
esta rica (excesso de combustível) ou pobre (excesso de ar);
Com isso a ECU mantém o motor funcionando sempre na mistura correta.
Função da Sonda Lambda:
Mudança do comb.
(e portanto da
Estequiometria)
Detecção
da mistura
incorreta
Cálculo da
quant. de
combustível
necessária
p/ a correção
Comparação das
quantidades de
combustível:
NOVA
vs
ANTIGA
Determinação do novo combustível:
reconhecimento pela ECU das novas
caract. do novo combustível
Calcula a
quantidade de
combustível
necessária para
mistura correta:
mcomb=mar/ Esteq
Lógica de Funcionamento do SFS:
Como funciona?
Por que o SFS é viável ?
1) Pelas propriedades físico-químicas do álcool e da
gasolina, não há possibilidade de separação de
fases no tanque;
- Implica em que mudancas bruscas de combustível so podem
ocorrer no abastecimento;
2) O processo de reconhecimento do combustível
ocorre em curtíssimo tempo;
- Em alguns segundos de operação (após religar o carro),
mesmo em marcha lenta, já é possível ao SFS reconhecer a
mudança de combustível.
Gasolina - E22 Álcool - E100
22% Etanol 93% Etanol
78% Gasolina 7% Água
Outros Exemplos:
0% E22
100% E100
0% Gasolina
93% Etanol
7,0% Água

25% E22
75% E100
19,5% Gasolina
75,25% Etanol
5,25% Água

50% E22
50% E100
39% Gasolina
57,5% Etanol
3,5% Água

75% E22
25% E100
58,5% Gasolina
39,75% Etanol
1,75% Água

100% E22
0% E100
78,0% Gasolina
22,0% Etanol
0% Água
DIAGRAMA DE EQUILÍBRIO DE FASE PARA O SISTEMA: ETANOL, ÁGUA e GASOLINA
ÁGUA 100% Vol. GASOLINA 100% Vol.
ETANOL 100% Vol.
Linha de Possíveis Misturas
80
70
60
50
40
30
20
10
90
Dados em % de Volume a 24°C
Exemplo Prático:
40% E22
60% E100

31,2% Gasolina
64,6% Etanol
4,2% Água
REGIÃO DE 2 FASES
Como funciona?
Características dos dois combustíveis:
Gasolina (E-22)
1
:
Estequiometria: 13,3 : 1
Octanagem: ± 81 (MON)
Pressão de Vapor
2
: ± 38 kPa
Poder calorífico: 9.600 kcal/kg
Calor de Vaporiz.: 101 kcal/kg
Densidade a 20ºC: 756 kg/m³

Álcool Hidratado:
Estequiometria: 8,9 : 1
Octanagem: ± 90 (MON)
Pressão de Vapor
2
: ± 9 kPa
Poder calorífico: 6.100 kcal/kg
Calor de Vaporiz.: 201 kcal/kg
Densidade a 20ºC: 810 kg/m³

(1) E22= Gasolina com 22%vol de etanol anidro
(2) Método segundo Grabner a 20ºC
A baixa pressão de vapor das misturas com alto % de álcool faz
necessária a presença de um sistema auxiliar de partida a frio;
Ao ligar a chave
de ignição:
ECU checa o
último
combustível
registrado
Teor Álcool >
80%?
Não é acionado o sistema
auxiliar de partida
Não
Temp. Motor <
20 ºC?
Não
Sim
Monitora a
ocorrência da
partida
Sim
1AVP 4AVP
45 pinouts 80 pinouts
µ Controller
68HC11
128KBytes EPROM
2,5Kbytes RAM
0,5KbytesEEPROM
4MHz
8 bits
µ Controller
ST10S269
256 kbytes Flash
8 kbytes RAM
2 kbytes EEPROM
25 MHz
32 bits
Ignição
1x Módulo Interno
Ignição
2x2 Módulo Interno
Drive by cable Drive by cable
Distribuitor
Distribuitor Less
Placa com
tecnol.(SMD),
4-layers:
Área=130 cm
2
Placa com
tecnol.(SMD),
4-layers:
Área=192 cm
2
KR (Knock)
L9119
KR (Knock)
Sigma
Mudanças no
Hardware:

Evolução da ECU
Convencional Total-Flex

– Novo comando de
válvulas:
• Melhoria da versão básica
do motor;
Alterações no hardware do
motor EA-827:

– Injetores c/
– faixa de trabalho
ampliada (20%),
– maior pressão (17%)
de injeção:
• Garante o fornecimento
da quantidade requerida
de combustível em altos
regimes;
• Garante a linearidade em
condições de baixo
consumo.

– Válvulas e sedes com
material mais resistente
ao desgaste:
• Válvulas Adm. e Escape:
Inserto em Stellite F;
• Anéis Assento de válvula:
CoMo12FS (alta dureza).
Alterações no hardware do
motor EA-827:

– Nova vela de ignição:
• Grau Térmico intermediário entre
Álcool e Gasolina;
• 2mm mais profundas na câmara
de combustão (combustão mais
rápida para maior eficiência e
estabilidade de M.Lenta);
• Garantia do prazo de manutenção
de 60.000 km.


Alterações no hardware do
motor EA-827:


– “Distributor-less”:
• Bobina dupla: maior energia
disponível nos eletrodos das
velas.
Alterações no hardware do
motor EA-827:

– Nova bomba de combustível:
• Proteção contra corrosão;
• Garantia de vazão para
qualquer condição de
operação.

Conectores Elétricos
_ Sobre moldados (ao
invés de terminal-faca)
Armadura
_ Novo Commutator Carbon
_ Lamelas com banho de Sn
Carcaça da bomba
_ Banho de Sn (era Zn
+Cr)

Mancal
_ Sem Bucha
Pino de Enconto
_ Niquelado

_ Endurecido
Carcaça Intermediária
_ Camada anodizada
de maior espessura
_ Selada a frio (verniz)

Tampa de sucção
_ Camada anodizada de
maior espessura
_ Selada a frio (verniz)

Tampa superior
_ Integrada
Alterações no hardware do
motor EA-827:
Alterações no “hardware” do veiculo:
– Sistema de partida a
frio:
• Garantia de partida a
baixas temperaturas
com misturas de alto
% de álcool.
Sistema de partida a frio
Alterações no “hardware” do veiculo:
– Sistema de controle
de emissões
evaporativas:
• Gerencia as emissões
das misturas de alta
pressão de vapor
(tendência a
evaporação).
Alterações no “hardware” do veiculo:
– Pré-conversor
catalítico (“close
cat”):
• Rápido aquecimento
do catalisador com
qualquer combustível,
para redução de
emissões na fase fria;
Pré-cat.
Pós-cat.
– Pós-cat :
 Garantia de
longevidade para o
sistema de controle de
emissões.
Resultados Obtidos
Dados
Técnicos:
Motor:
•Modelo AP-827 1.6L TF
•Nº Cilindros / Disposição 4 / longitudinal
•Nº Válvulas / Cilindro 2
•Capacidade Volumétrica Efetiva (cm³)’ 1.596
•Curso do Pistão (mm) 77,4
•Diâmetro do cilindro (mm) 81,0
•Relação de Compressão 10 : 1
•Comando de Válvulas (mm levante / º abertura) 10,6 / 216
•Injeção Eletrônica multiponto seqüencial
•Número de injetores de combustível 4
•Sistema de Ignição eletrônica / sem distribuidor
Veículo:
•Comprimento (mm) 3.916
•Altura (mm) 1.415
•Largura (mm) 1.628
•Capacidade do Tanque de Combustível (l) 51
•Capacidade do Reservatório de Partida a Frio (l) 1,8
•Capacidade da Bateria (Ah) 48
•Peso (kg) 932
•Cw x Área Frontal (m²) 0,34 x 1,93 = 0,656 m²
•Pneus 175 / 70 R13 (rd= 0,280 m)
•Rodas 5J x 13
Curvas de Desempenho:
80
100
120
140
160
0 1 2 3 4 5 6 7 8
1000 RPM
T
O
R
Q
U
E

[
N
m
]
0
20
40
60
80
P
O
T
Ê
N
C
I
A

[
k
W
]
Gasolina
Álcool .
Por que maior potência com álcool?:
ar
comb d
v t m
esteq
H RPM V
Potência µ
ì
q q q * *
120
*
|
|
.
|

\
|
·
|
.
|

\
|
·
· · =
Gasolina (E-22)
1
:
Estequiometria: 13,3 : 1
Octagem: ± 81 (MON)
Pressão de Vapor
2
: ± 38 kPa
Poder calorífico: 9.600 kcal/kg
Calor de Vaporiz.: 101 kcal/kg
Densidade a 20ºC: 756 kg/m³

Álcool Hidratado:
Estequiometria: 8,9 : 1
Octanagem: ± 90 (MON)
Pressão de Vapor
2
: ± 9 kPa
Poder calorífico: 6.100 kcal/kg
Calor de Vaporiz.: 201 kcal/kg
Densidade a 20ºC: 810 kg/m³

(1) E22= Gasolina com 22%vol de etanol anidro
(2) Método segundo Grabner a 20ºC
Álcool requer mais energia para
evaporar:
-Menor temperatura da mistura
(maior enchimento do motor);
0
10
20
30
40
50
60
0 10 20 30 40 50 60 70
Rotação x 100 [rpm]
E
f
i
c
i
ê
n
c
i
a

T
é
r
m
i
c
a

[
%
]
Álcool (E100) Gasolina (E22)
Curvas de Eficiência Térmica em Plena Carga:
(Aproveitamento da energia contida no combustível)
Valores de Desempenho:
Motor AP-827 1.6L TF
COM GASOLINA
(E-22)
COM ÁLCOOL
(AEHC)
Potência (kW @ rpm) 71 @ 5750 73 @ 5750
Torque (Nm @ rpm) 138 @ 3000 141 @ 3000
Velocidade Máxima (km/h) 183 184
Aceleração (s) 0 a 100 km/h 11,5 11,2
Retomada (s) 60 a 100 km/h - 4ª Marcha 9,7 9,6
Retomada (s) 60 a 100 km/h - 5ª Marcha 13,4 13,3
Retomada (s) 80 a 120 km/h - 4ª Marcha 10,5 10,4
Retomada (s) 80 a 120 km/h - 5ª Marcha 14,4 14,2
Consumo Combustível Urbano (km/l) 11,4 8,0
Consumo Combustível Estrada (km/l) 16,8 11,6
Consumo Combustível Ponderado (km/l) 13,8 9,6
0,2
0,4
0,6
0,8
1,0
1,2
1,4
1,6
1,8
20 40 60 80 100 120
Preço Álcool / Preço Gasolina [%]
R
$
/
k
m

c
o
m

Á
l
c
o
o
l

R
$
/
k
m

c
o
m

G
a
s
o
l
i
n
a

Urbano Estrada
70%
Quando rodar com álcool?
Vantagem rodar
com álcool
Vantagem rodar
com gasolina
Quando rodar com gasolina?
Quanto de IPVA?
IPVA dos veículos
Total Flex
igual
ao IPVA dos carros a
álcool:
3%
FIM



OBRIGADO !