You are on page 1of 9

A CRIAÇÃO DE UM PLANO. 1) INTRODUÇÃO  No ínicio ganhos de forças são grandes = Aprendizado motor.

 Primeira semana o no treinamento aprende da as

resistência,

corpo

habilidades necessárias para realizar o exercício.

Treinamento de flexibilidade:  Importante indivíduo.  Determinar o movimento específico. no desempenho do

Flexibilidade é a amplitude do movimento possível de uma articulação e de seus músculos.

2. 2. 3) FATORES QUE PODEM INFLUENCIAR A ADM: 1.Massas de partes moles.Dinâmica= refere-se a ADM que pode ser conseguida movimentando –se ativamente um segmento corporal em virtude da contração muscular. Estática= refere-se a ADM presente quando um segmento corporal é movimentado passivamente. . 3.Impacto de estruturas ósseas. 4.Tensões na cápsula articular e ligamentos no final do movimento. Formato das superfícies articulares.2) TIPOS DE FLEXIBILIDADE: 1.

fáscias e músculos que limitam a ADM de uma articulação (WATKINS.Ausência de treinos regulares  O aumento ou a manutenção da flexibilidade envolve o alongamento dos ligamentos. de uma .5. HALL. 6.Dor dos músculos 7. 2001.Extensibilidade esqueléticos. 2000).  Tecidos moles de uma articulação devem ser alongados de maneira progressiva com o objetivo de aumentar a flexibilidade articulação específica.

4) PROPRIEDADES DOS TECIDOS MOLES QUE AFETAM O ALONGAMENTO.  Velocidade.  Tecido mole é alongado ocorrem alterações elásticas e plásticas.2001). sexo e possivelmente raça do indivíduo. tecidos conectivos e pele.  Músculos. Mantidos apropriadas por meio de de técnicas aquecimento. ( KRIVICKAS. intensidade e duração da força do alongamento. . A flexibilidade do músculo e articulação é influenciada pela idade. flexibilidade e treinamento de peso.

balístico e dinâmico. 6.1) Escolha do exercício  Devem ser escolhidos exercícios que trabalhem as ações apropriadas dos músculos e articulações relacionados às atividades do paciente. 1998). 6) VARIÁVEIS DO PROGRAMA AGUDO. 1. quanto os não contráteis tem qualidades elásticas e plásticas (KISNER E COLBY. . estático.Tanto os tecidos contráteis. passivo. 5) FORMAS DE ALONGAMENTOS. Alongamento ativo.

3) Período de repouso  Levar em consideração o fator ATP – CP. . 6.  Período de recuperação de 2 a 3 minutos ente as séries de exercícios. 6.2) Número de séries  Fatores relacionados com o tamanho do músculo.  Quanto maior o número de repetições envolvidas no programa de exercícios.4) Determinação da carga  Esquema de repetição máxima ( RM). 6. menor a carga a ser utilizada (“endurance” Tolerância”). Série única ou múltipla.Distribuídos em duas categorias: Parte estrutural / parte corporal.

a velocidade do movimento do exercício também deve ser alta.  Exercícios gerais de baixa intensidade e grande quantidade para o programa de exercícios específicos de alta intensidade e pequena quantidade 1. da intensidade.6) Periodização  È a mudança ou manipulação gradativa da especificidade.6.5) Velocidade do exercício. 6.  Aumentar força em uma velocidade elevada. volume de treinamento para alcançar os níveis de pico e desempenho. Fase de hipertrofia e endurance  Baixa ( intensidade de de treinamento e grande produção energia) .

 Objetivo é desenvolver força. 2. ao mesmo tempo aumentar a endurance muscular. 3.  Objetivo é aumentar a massa muscular total.  Repetições esta dentro do âmbito de 5 a 8 RM e o número de séries por exercícios está dentro do limite de 3 a 5 séries.quantidade repetições) ( e numero aquisição elevados de de técnica ( ensinamentos).Fase de potência .Fase de fortalecimento  Intensidade e a carga aumentam gradativamente (80%).

 Intensidade do treinamento com peso aumenta par 90%. de 1 RM O número de repetições dos exercícios estruturais é de 1 até 5 RM  Exercícios função  Numero de séries está dentro o limite de 3 a 5 por exercício estrutural.  Desempenham um papel importante no desenvolvimento contínuo da específicos para a velocidade e força ( potência) . ou mais.