P. 1
Manual PCMSO.doc

Manual PCMSO.doc

|Views: 184|Likes:
Published by co100za

More info:

Published by: co100za on Apr 17, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/07/2014

pdf

text

original

Manual de Orientação de Preenchimento dos Formulários do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

Edição 2003

Índice

APRESENTAÇÃO............................................................................................... INTRODUÇÃO..................................................................................................... I - EXAME MÉDICO PRÉ-ADMISSIONAL...........................................................

3 4 5

II - AVALIAÇÃO PSIQUIÁTRICA PRÉ ADMISSIONAL/APP A .......................... III - EXAME DE SAÚDE OCUPACIONAL ESO ................................................ IV - ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL - ASO ......................................... V - AVALIAÇÃO DE PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA – APPD ......... VI - PARECER/RECOMENDAÇÕES................................................................... ANEXO I ............................................................................................................... ANEXO II .............................................................................................................. ANEXO III .............................................................................................................

13 16 32 34 41 42 45 47

APRESENTAÇÃO
A CASSI – Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil – foi fundada em 1944 por iniciativa de funcionários do BB, com o objetivo inicial de apenas ressarcir as despesas de saúde. Em 1996, na última reforma estatutária, a CASSI conquista autonomia administrativa, e assume por missão: “Prestar assistência integral à saúde do usuário com ações de promoção, proteção, recuperação e reabilitação, para a melhoria da qualidade de vida”. Desde 1996 a CASSI possui convênio firmado com o Banco do Brasil tendo como público-alvo os funcionários da ativa, para execução do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO. Foi também a partir da reforma do seu Estatuto que a Caixa de Assistência passou a dispor de quadro próprio de funcionários, contratados por meio de processos seletivos, e a executar o PCMSO. A execução dos serviços relativos ao PCMSO é um momento privilegiado para o cumprimento da missão da CASSI – Atenção Integral à Saúde dos usuários. Constitui-se como porta de entrada obrigatória, é gerador contínuo de informações sobre a saúde de uma faixa etária importante da população, é um momento que permite a abordagem de promoção à saúde, a realização de diagnóstico precoce e a integração de atividades de cunho assistencial e preventivo de doenças. O médico examinador dos exames médicos do PCMSO desempenha um papel fundamental na qualidade dos dados preenchidos nos formulários. O correto preenchimento dos campos gera informações consistentes e confiáveis, tornando-se importante instrumento para planejamento e

programação de ações, proporcionando melhoria nas condições de saúde e de trabalho dos funcionários. Contamos com o apoio e a parceria de todos. Obrigado,

Sandro Sedrez dos Reis Gerente Executivo de Saúde

INTRODUÇÃO
O objetivo deste Manual é auxiliar o médico examinador no correto preenchimento dos formulários do PCMSO/2003 (Exame de Saúde Ocupacional – ESO, Exame Médico Pré-Admissional, Avaliação Psiquiátrica, Avaliação de Pessoa Portadora de Deficiência - APPD, Parecer/Recomendações). A totalidade dos campos constantes nos formulários do PCMSO/2003 é de preenchimento obrigatório. O preenchimento correto é essencial para a melhoria das informações produzidas pelos exames relativos ao PCMSO. Todos os envolvidos no processo de execução do PCMSO são responsáveis pela melhoria contínua dos dados gerados pelos exames, de forma a garantir a qualidade das informações geradas. Abaixo a descrição dos formulários e a indicação de uso. Exame de Saúde Ocupacional - ESO, será utilizado para a realização dos Exames Periódicos de Saúde, de Retorno ao Trabalho e Mudança de Função. Para admissão de candidatos ao Banco do Brasil, além de preencher o formulário de Exame Médico Pré-Admissional, o médico examinador deverá obrigatoriamente preencher o formulário de Avaliação Psiquiátrica para os funcionários do Banco do Brasil (ver forma de preenchimento e encaminhamento). Ao final do descritivo de alguns campos estamos incluindo observações especiais ou erratas. Pedimos especial atenção em relação a esses comentários visando melhor e mais coerente preenchimento dos formulários. No final do manual – Anexo I, está incluída parte do Decreto n.º 3298/99 - Pessoa Portadora de Deficiência, para que o médico possa utilizar as informações no enquadramento do funcionário, quando necessário. Quando o funcionário for identificado como Portador de Deficiência, o médico examinador deverá preencher o formulário Avaliação de Pessoa Portadora de Deficiência. O formulário Atestado de Saúde Ocupacional – ASO, será utilizado quando for realizado os Exames Pré-Admissionais, Periódicos, Retorno ao Trabalho, Mudança de Função e Demissional Cassi. Quando necessário, o médico poderá também utilizar o formulário Parecer/Recomendações, conforme orientações específicas contidas neste Manual.

I. EXAME MÉDICO PRÉ-ADMISSIONAL
Na área de DADOS PESSOAIS os campos devem ser preenchidos pelo candidato do item 1.1 até 1.12. O médico examinador deverá preencher o item 1.13 – Risco por Função, e também poderá auxiliar no preenchimento dos campos em que o candidato apresentar dificuldades. As informações relativas aos itens 1.9 – Prefixo da Dependência, 1.10 – Nome da Dependência, 1.11 – Código da Função/AFR e 1.12 – Cargo/Função são informações que o Banco do Brasil deve fornecer ao candidato, para a realização dos exames.

1- DADOS PESSOAIS
1.1. Empresa Parâmetros: 1 BB ou 2 - CASSI.

1.2. Data do Exame Parâmetro: data, na forma dd/mm/aa.

1.3. Cidade

1.4. U F

1.5. CPF

1.6. Nome

1.7. Sexo

1.8. Data Nascimento Parâmetro: data, na forma dd/mm/aa.

1.9. Prefixo da dependência

Físico. Riscos por Função Parâmetros: 0 . 16 . 1 .Sem Risco. disponível nas Unidades CASSI.10.Biológico. 8 . 1 . 4 . Quando a resposta for 1 – Sim. 1.Ergonômico.ANTECEDENTES PATOLÓGICOS PESSOAIS Preencher para todos os campos com os parâmetros: 1 – Sim ou 2 – Não.12.13.11. Nesse campo o médico examinador terá duas opções de preenchimento: assinalando apenas um dos parâmetros ou assinalando mais de um parâmetro e ao final efetuando a soma dos mesmos.Químico. Médico examinador poderá também consultar o Anexo II e III – Descrição da Função/Cargo. informar o código do CID-10 completo. Cargo/Função Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato. 1. 1. Nota 2: A responsabilidade de destacar a parte de identificação do formulário é da pessoa indicada pelo responsável pela saúde do trabalhador nas Unidades. Nota1: O candidato deverá assinar. seguindo os parâmetros utilizados para os antecedentes patológicos pessoais. 2 . Médico examinador poderá também consultar o Anexo II e III – Descrição da Função/Cargo. no campo estabelecido no formulário.Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato. Os riscos devem ser assinalados de acordo com os Riscos Ocupacionais estabelecidos no Documento Base do PCMSO do Banco do Brasil. 1. O campo Revisão de Sistemas somente será preenchido pelo médico examinador durante o exame físico.Acidentes. . Código da Função/AFR Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato. com três dígitos após a letra. Nome da Dependência Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato.

pois o sistema realizará o calculo. divide se o peso. e a pressão arterial mínima P. Quando a resposta for 1 – Sim. informar o código do CID-10 completo.60 m de altura e 60 kg de peso: a Quadrado da altura: 1. que deverá variar entre 50 e 200 mmHg.4 Kg/m2 Tabela de classificação por IMC: Observação: Esse campo (3.2 . 3 . e assim poderá orientá-lo.56=23. 3. pelo quadrado da altura.Pressão arterial Nesse campo o médico deverá mensurar a pressão arterial máxima P.A Sistólica. No entanto. em quilogramas. em metros.IMC Índice de Massa Corporal. com três dígitos após a letra. Para calcular o IMC.4 c) Resultado: IMC = 23. 3. O médico examinador deverá utilizar a lista dos Antecedentes Patológicos Pessoais.Peso O valor deverá ser colocado em quilos.Altura O valor deverá ser colocado em centímetros. quando for necessário. como referência. Parâmetros: O sistema aceitará valores de altura entre 120 e 231 cm.3) não será digitado.60 X 1.60 = 2. 3. que deverá variar entre 80 e 300 mmHg .EXAME FÍSICO 3. O sistema aceitará valores de peso entre 40 e 220kg.56 b) Divide se o peso pelo quadrado da altura: 60/2.2 .ANTECEDENTES PATOLÓGICOS FAMILIARES Preencher para todos os campos com os parâmetros: 1 – Sim ou 2 – Não.4 .3 .A Diastólica. . Ex: Cálculo do IMC de uma pessoa com 1. o médico examinador deverá fazer o calculo para saber qual a classificação por IMC do candidato.1 .

PORTADOR DE DEFICIÊNCIA O médico examinador. deverá proceder ao preenchimento obrigatório do formulário de Avaliação de Pessoa Portadora de Deficiência – APPD. qualquer outra consideração que seja importante sobre o exame físico do candidato.Sim.0 – exame ocupacional.3. A seguir. o médico examinador poderá registrar até quatro CID completos. sumariamente. Em caso positivo. o médico examinador deverá registrar em um dos campos o CID Z10.Ramo da última ocupação/atividade . o médico examinador deverá informar a idade gestacional e data provável do parto.6 . na forma dd/mm/aa. 6 . ao entender que o candidato é portador de alguma deficiência deverá assinalar o parâmetro 1 . 4 – GESTANTE No caso de funcionários (sexo masculino).5 . auxiliando-o no que for preciso. Informar com os parâmetros: 1 Sim ou 2 Não. para evitar que o campo fique em branco. deixando em branco os outros campos. com três dígitos após a letra. deixar o campo em branco. 5 .Hipótese Diagnóstica (CID-10) No caso de exames com alterações. Parâmetros: 1 Sim ou 2 Não. o médico examinador deverá escrever.Descrição Sumária do Exame Físico Nesse item. 3.Ausculta Pulmonar Parâmetros: 0 Normal e 9 Alterado. Não havendo alterações no exame. ANAMNESE OCUPACIONAL O médico examinador poderá pedir ao candidato que preencha os itens 6 – Ramo da última ocupação/atividade e 7 – Dados profissionais anteriores.7 . 3. 3.8 .Ausculta Cardíaca Parâmetros: 1 Normal e 2 Alterado. No caso do candidato não possuir deficiência. o examinador deverá assinalar o parâmetro 2 – Não.

Errata: No item 7.3. 7. Todos os campos deverão ser preenchidos com um dos seguintes parâmetros: 1 Sim ou 2 Não. 9 . e os dados ficarão em branco.O candidato deverá informar apenas o último ramo de ocupação.3. Em relação à última ocupação Parâmetros: 1 Sim ou 2 Não.2.Dados Profissionais Anteriores.Dados profissionais anteriores 7. AVALIAÇÃO DE DOENÇA OSTEOMUSCULAR 11 – Inspeção . Quando este for o primeiro emprego do candidato.SINTOMAS OSTEOMUSCULARES DURANTE A REVISÃO DE SISTEMAS Parâmetros: 1 Sim ou 2 Não. 7 . 8 . Todos os campos deverão ser preenchidos com um desses parâmetros. 7.5 a frase correta é: Sua audição ficou prejudicada.1.ESPORTE/LAZER OU ATIVIDADES DOMÉSTICAS COM SOBRECARGA FREQÜENTE DE MEMBROS SUPERIORES Parâmetros: 1 Sim ou 2 Não. não deverão ser preenchidas as questões relativas ao quesito 7 . Tempo no penúltimo emprego Deverá ser colocado em meses. Tempo no último emprego Deverá ser colocado em meses.CARACTERIZAÇÃO DE SINTOMAS OSTEOMUSCULARES E DIFICULDADES ATUAIS Esse campo está divido em duas partes: Sintomas Atuais e Dificuldades Atuais. 10 .

Proceder à soma horizontal. o lado Direito deverá variar de 0 a 15.não identificado ou 1 . Parâmetros (do lado) Direito: 0 .Não Identificado. 1 Ombro. o médico deverá marcar com o parâmetro 0 . Rotação Interna e Rotação Externa. Punho e Mão: . Ombro: Os parâmetros serão os mesmos para todos os itens: Elevação. ombro.1. Parâmetros (do lado) Esquerdo: 0 . 16 Inclinação Direita e 32 Inclinação Esquerda. Mobilização Ativa: 1 – Direito e 2 – Esquerdo. 1 Flexão. Região Cervical: Parâmetros: 0 – Não Identificado. Parâmetros da Região Cervical: 0 . 1 punho e mão. 12 – Mobilização 12. Flexão. que deverá variar de 0 a 15. A soma horizontal dos campos deverá variar de 0 a 63.Esse campo está divido em : Região Cervical. 2 Extensão.região cervical. Contra Resistência: 4 – Direito e 8 – Esquerdo. Parâmetros: Não Identificado – 0. Portanto. Quando o candidato não apresentar achados clínicos.não identificado. 4 ante braço e 8 Os campos do lado Direito e do Esquerdo deverão ser somados separadamente no sentido horizontal. 2 braço. 4 Rotação Direita. Mobilização Ativa: 1 – Direito e 2 – Esquerdo. Pronação e Supinação. 8 Rotação Esquerda. Parâmetros: Não Identificado – 0. Proceder a soma horizontal. que deverá variar de 0 a 15. Direito e Esquerdo.Não Identificado. 2 braço. Contra Resistência: 4 – Direito e 8 – Esquerdo. 4 ante braço e 8 punho e mão. e o lado Esquerdo também deverá variar de 0 a 15. Cotovelo: Os parâmetros serão os mesmos para todos os itens: Extensão.

CONCLUSÃO Parâmetros: 2 Apto ou 4 Inapto. Desvio radial.1. À Direita: 1 – Presente e 2 – Ausente. obrigatoriamente. Esternocleidomastoideo. Músculos flexores dos Ms. O candidato poderá estar apto. Mobilização Ativa: 1 – Direito e 2 – Esquerdo.Palpação – Musculatura Os parâmetros serão os mesmos para os campos: Trapézio. Proceder à soma horizontal. obrigatoriamente. Encaminhamento à CASSI para inclusão em Programa de Saúde 2 e Outros . que deverá variar de 0 a 15. Abdução dedos e Adução dedos. Superiores e Músculos paravertebrais. que deverá variar entre 1 e 15. Observação Especial: Há uma redundância entre os parâmetros N.I – Não Identificado e Ausente. Flexão. Músculos extensores do Ms. Superiores.I – Não Identificado. Contra Resistência: 4 – Direito e 8 – Esquerdo. Parâmetros: 0 – Não Identificado. . o formulário Parecer/Recomendações. 13 . Epicôndilo lateral. Supra espinhoso.4. Proceder à soma horizontal. O médico deverá preencher a sua conclusão final a respeito do exame realizado. Extensão. o médico deverá preencher.RECOMENDAÇÕES Parâmetros: Encaminhamento ao Especialista . 14 . Parâmetros: Não Identificado – 0. Quando houver recomendações.Os parâmetros serão os mesmos para todos os itens: Desvio ulnar. Caso a decisão seja pela inaptidão do candidato. com recomendações. O médico examinador deverá utilizar o parâmetro Ausente e descartar o parâmetro N. À Esquerda: 4 – Presente e 8 – Ausente. o médico examinador deverá preencher. Epicôndilo medial. o formulário Parecer/Recomendações. 15 .

.Quando não existirem recomendações. Caso o médico examinador possua um número de CRM maior do que o espaço existente. o mesmo poderá ultrapassar o campo previsto para inserir os algarismos corretamente. Caso haja dúvida quanto ao preenchimento dos DADOS PESSOAIS. escrever seu nome por extenso e colocar o seu CRM. O médico examinador deverá enviar o formulário com a parte de identificação devidamente preenchida para o psiquiatra. II. o médico deverá utilizar as orientações constantes na parte do Exame Médico Pré-Admissional. AVALIAÇÃO PSIQUIÁTRICA PRÉ ADMISSIONAL/APP A A avaliação psiquiátrica deverá ser feita para todos os candidatos do Banco do Brasil. o médico examinador deverá colocar o número “zero”. Sobre a Avaliação Psiquiátrica nos Pré-Admissionais do Banco do Brasil: 1. Observação Especial: O campo para inclusão do CRM possui quantidade de espaço igual a seis dígitos. assinar. Nota: Preenchido o formulário. o médico examinador deverá carimbar. A avaliação psiquiátrica é exame especial a ser executado por médico especialista em Psiquiatria e está inserido no grupo de exames admissionais aos aprovados e convocados por concurso a trabalharem no Banco do Brasil. para evitar que o campo fique em branco.

relacionados à Alienação Mental. Os laudos deverão ficar acondicionados com os demais resultados dos exames admissionais realizados. para definição da admissão. deverão ser observados os seguintes pontos: Consciência Orientação Atenção Conduta Linguagem Pensamento Sensopercepção Afeto / Humor Memória Inteligência Juízo crítico 3. No caso de persistência da dúvida. De acordo com o que ficou estabelecido pelo médico coordenador do PCMSO do Banco do Brasil. o conteúdo dos laudos considerados incompatíveis somente poderá ser entregue ao examinado após autorização. do Médico do Trabalho Responsável.1. o médico psiquiatra deverá confeccionar um laudo onde. comprometendo gravemente os juízos de valor e . Outros parâmetros devem ser considerados. com vistas a verificar se os examinandos reúnem condições mentais para o exercício da atividade bancária. haja alteração completa ou considerável da personalidade. na utilização da anamnese própria de cunho psiquiátrico. com profissionais distintos (psicólogo ou psiquiatra). onde. principalmente os discriminados no artigo nº 151 da Lei 8213. o laudo incluirá as seguintes conclusões: indicado para o exercício da função bancária. observa-se que. 4. ao médico psiquiatra. do Banco do Brasil. 6. considerados os itens descritos acima. Os casos considerados “não-indicativos” serão encaminhados para uma segunda e/ou terceira avaliação. esgotados os meios habituais de tratamento. 5. Uma vez realizada a consulta. todos os convocados para admissão deverão ser submetidos à avaliação psiquiátrica. e não conclusivo. Alienação mental é todo caso de distúrbio mental ou neuromental grave e persistente. reproduzidos a seguir: 8. emitido pelo médico do trabalho da CASSI. informará estar o examinando em condições de exercer atividades bancárias ou não. 8. no qual. Desta forma. não indicado para o exercício da função bancária. Assim. Entretanto. para que o mesmo possa formular uma conclusão objetiva quanto ao que se pretende avaliar. Entretanto. para embasar o laudo conclusivo no ASO. os casos deverão ser encaminhados ao BB/GEPES. Os casos considerados “não-conclusivos” no laudo psiquiátrico deverão seguir a mesma rotina prevista na opção anterior. Fica a cargo do médico especializado na área de psiquiatria determinar os parâmetros de normalidade e anormalidade a serem considerados no exame. por escrito. de 24/7/1991.2. a avaliação deverá ocorrer através de consulta. 7. deverá ser informado quanto às exigências inerentes ao exercício da atividade bancária.

1. em seu estado evolutivo. 8. quando comprovadamente cronificadas e refratárias ao tratamento. 8.4.2. 8.3.7. que comprometa gravemente os juízos de valor e realidade.3. da personalidade e outros transtornos mentais não psicóticos. 8. falta de autoconsciência – o paciente ignora o caráter patológico de seu transtorno ou tem dele uma noção parcial ou descontínua.2.2. 8.3. Não são casos de alienação mental: transtornos neuróticos. 8.6. que dirigem a vida normal em sociedade.2.2.1.2. 8. Transtorno intelectual – atinge as funções mentais em conjunto e não apenas algumas delas. desde que. grave e persistente.2. 8. ou ainda quando configurarem comprometimento grave e irreversível da personalidade.2.2. Enfermidade: 8.2.2.realidade.2.2. coreica. pré-senil.3. doença de Alzheimer e outras formas bem definidas.2.5. 8.2. mental ou neuromental. A alienação mental pode ser identificada no curso de qualquer enfermidade psiquiátrica. 8.2. Elementos que identificam os quadros clínicos de alienação mental: 8.1. 8. que haja nexo sintomático entre o quadro psíquico e a personalidade do paciente. Identificação 8. aterioesclerótica.3.2.1.3.1.2.3.2. 8.2. 8.2. paranóia e parafrenia nos estados crônicos. inadaptabilidade – o transtorno mental é evidenciado pela desarmonia da conduta do paciente em relação às regras relativas.1. 8. 8. que provoque alteração completa ou considerável da personalidade. psicoses esquizofrênicas nos estados crônicos.3. estados de demência – senil.4.3. 8.1.3. Quadros clínicos que causam a alienação mental: 8. . ou quando apresentarem elevada freqüência de surtos psicóticos. psicoses pós-traumáticas e outras psicoses orgânicas.2. com destruição da autodeterminação e do pragmatismo. psicoses epiléticas. que torne o paciente total e permanentemente inválido para qualquer trabalho.1. refratária aos meios habituais de tratamento. quando caracterizadamente cronificadas e resistentes à terapêutica.2. uni ou bipolar.2. São excepcionalmente considerados casos de alienação mental: psicoses afetivas.2.2. 8.2. destruindo a autodeterminação do pragmatismo e tornando o paciente total e permanentemente imposibilitado para qualquer trabalho.2. oligofrenias moderadas e graves.1.4 ausência de utilidade – a perda da adaptabilidade redunda em prejuízo para o paciente e para a sociedade.2. estejam atendidas todas as condições abaixo discriminadas. ou quando exibirem elevada freqüência de repetição fásica.2. quando caracterizadamente cronificadas e refratárias ao tratamento ou quando configurarem um quadro irreversível de demência. luética.

se não estiver mencionado o estágio evolutivo da doença e o CID – Classificação Internacional de Doenças. Mudança de Função. EXAME DE SAÚDE OCUPACIONAL – ESO Esse formulário será utilizado para a realização dos seguintes exames ocupacionais: Exame Periódico de Saúde.1 até 1. psicoses do tipo reativo – reação de ajustamento. 8. As informações relativas aos itens 1.1.4. intercorrências psico-reativas e distúrbios orgânicos subjacentes. da personalidade e outros transtornos mentais podem.9 – Código da Função/AFR. III. Não pode ser emitido laudo de Alienação Mental com base em diagnóstico de enfermidade psiquiátrica aguda. entretanto.12.Nome da Dependência.14 – Riscos por Função. reação ao estresse. Retorno ao Trabalho.12 . nos quais sejam simples epifenômenos. 8.11 – Prefixo da Dependência e 1. O médico examinador deverá preencher o item 1. deverão ser fornecidas pelo Banco do Brasil ao funcionário para a realização dos exames. 8.10 – Cargo/Função. Demissional (exclusivo para funcionários CASSI). 1. O laudo médico que concluir por Alienação Mental deve ser firmado em diagnósticos não confundidos com quadros de reações psíquicas isoladas. 1 . 1. 8. causar invalidez e conseqüente contra-indicação à admissão no Banco do Brasil.1. A simples menção do grau ou intensidade da enfermidade não esclarece a condição de Alienação Mental.2. e também poderá auxiliar no preenchimento dos campos em que o funcionário apresentar dificuldades.desvios e transtornos sexuais.4. dependência de drogas e outros tipos de dependência orgânica.13 – Modalidade do Exame e o item 1. Empresa .4. psicoses orgânicas transitórias – estados confusionais reversíveis. Os casos excepcionalmente graves e persistentes de estados psicopatológicos referentes a transtornos neuróticos.DADOS PESSOAIS Na área de DADOS PESSOAIS os campos devem ser preenchidos pelo funcionário do item 1.3. 1.1. alcoolismo. oligofrenias leves.1.

1. Prefixo da dependência Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao funcionário.3.5. Matrícula Observação Especial: A matrícula dos funcionários CASSI possui 10 dígitos. Para completar a matricula da CASSI. Data do Exame Parâmetro: data. 1. U F 1. 1. Sexo Parâmetro: 1 – Masculino ou 2 – Feminino.10. na forma dd/mm/aa.4.12. Data de Nascimento Parâmetro: data. O médico examinador poderá também consultar o Anexo II / III – Descrição da Função/Cargo.6.7. Nome Completo 1. na forma dd/mm/aa.Parâmetros: 1 BB ou 2 -CASSI. Cidade 1. Nome da Dependência Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao funcionário. O médico examinador poderá também consultar o Anexo II – Descrição da Função/Cargo. Código da Função/AFR Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao funcionário.9. 1.8. 1. . 1. 1. o funcionário poderá utilizar mais de um algarismo em cada espaço previsto.11. mas o campo do formulário levou em consideração a matrícula dos funcionários do Banco do Brasil. 1. Cargo/Função Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao funcionário.2.

2 – Químico. 8 – Ergonômico. Modalidade do Exame Parâmetro: 1 – Periódico. Para funcionários CASSI.ANTECEDENTES PESSOAIS . Riscos por Função Parâmetros: 0 – Sem Risco. 4 – Demissional. Os riscos devem ser assinalados de acordo com os Riscos Ocupacionais estabelecidos no Documento Base do PCMSO do Banco do Brasil. Nesse campo o médico examinador terá duas opções de preenchimento: assinalando apenas um dos parâmetros ou assinalando mais de um parâmetro e ao final efetuando a soma dos mesmos.Para funcionários CASSI: nome da Unidade em que o funcionário está alocado. 1. 3 – Retorno ao Trabalho. 1. nas Unidades onde estiverem implementados. 16 – Acidentes. 4 – Biológico.13.14. 1 . Nota 2: A responsabilidade de destacar a parte de identificação dos formulários é da pessoa indicada pelo responsável da Saúde do Trabalhador. 2 – Mudança de Função. na Unidade. os riscos ocupacionais estarão estabelecidos nos documentos de PPRA. Nota 1: O funcionário deverá assinar no campo estabelecido no formulário. 1 – Físico.

Observação Especial: O item 1. A frase não está corret a quando diz: “Em caso de exame clínico sem alterações. Funcionárias com idade igual ou superior a 50 anos. 2 Tem. é preciso colocar o número 0. 2 Sim. 2 . colocando o CID-10.Os parâmetros serão os mesmos para todos os itens desse campo. 2 Alterado ou 3 Não Aplicável.EXAMES COMPLEMENTARES Todos os campos devem ser preenchidos com os seguintes parâmetros: 1 Normal. anualmente. Ex: o funcionário consome bebida alcoólica com regularidade. a cada dois anos. Para que esse item não fique em branco. deixando o campo de CID em branco. Portanto.1. Parâmetros: 1 Teve. o médico deverá desconsiderar a frase. Ex: o funcionário não consome bebida alcoólica. O médico examinador poderá descrever até três CID. Em caso positivo. 2 < 1 vez ao mês.CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS Parâmetros: 1 Não. registrar CID 10. Mamografia Critério: Deve ser preenchido para funcionárias com idade entre 40 e 49 anos. No caso em que o funcionário não apresenta patologia nos últimos 12 meses.Outras possui dois campos para registrar o CID. discriminar a patologia. 4.PATOLOGIA NOS ÚLTIMOS 12 MESES Parâmetros: 1 Sim. apenas no primeiro campo. 3 > 1 vez/mês a 1 vez/semana. sem afastamento. no período de 30 dias. Ex: Nesse caso. com afastamento. e 3 Não. 4 .0”. 3 . 3 Não tem/Não teve. preencher apenas a primeira coluna com o parâmetro 3 – Não.10. 4 > 1 vez/semana. . deixando os demais em branco. Ex: O consumo de bebidas alcoólicas ocorre em intervalos maiores do que 30 dias.9 . o funcionário deve informar que consome bebida alcoólica num intervalo de até uma vez por semana. Esse campo vem antes do exame clínico.

o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável.Funcionárias com idade inferior a 40 anos. além de informar se o exame está Normal ou Alterado. 3.3. utilizar a nomenclatura abaixo: 4. Por exemplo: o exame de mamografia é feito a cada dois anos para funcionárias com idade entre 40 e 49 anos. No caso de funcionários. o médico deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. em 2003 não precisará repetir o exame. Quando o funcionário tiver idade inferior a 50 anos e não tiver história familiar de câncer de próstata. o médico examinador deverá colocar o resultado do exame. a critério do médico examinador. Critério: Deve ser preenchido anualmente para todas as funcionárias. 4. 4. Se a funcionária realizou o exame de mamografia no ano de 2002. No caso em que o laudo de laboratório não forneça a classificação do método papanicolau. Papanicolau Nesse campo. 4. 4. quando a funcionária estiver em dia com o exame. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. utilizar o parâmetro 3 – Não Aplicável. 5.5. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. a critério do médico examinador. Parâmetros: O resultado do exame deverá variar entre 30 e 2000. mas somente em 2004. Funcionários com idade inferior a 40 anos. O médico examinador também poderá utilizar o parâmetro 3 Não Aplicável.2. No caso de funcionários com idade inferior a 40 anos. Funcionários com idade inferior a 45 anos. a critério do médico examinador. o médico examinador também deverá colocar a classe em que o resultado se classifica (dado fornecido pelo laboratório). No caso de funcionários. Avaliação Urológica Critério: Deve ser preenchido anualmente para funcionários com idade igual ou superior a 50 anos ou a partir dos 45 anos.4. No caso de funcionárias. Parâmetros: Classes 1. anualmente. PSA . quando houver história familiar de câncer de próstata. Critério: Deve ser preenchido para funcionários com idade igual ou superior a 40 anos. além de informar se o exame está Normal ou Alterado. Triglicerídeos Nesse campo. 2.

Parâmetros: O resultado do exame deverá variar entre 10 e 100. 4.9. Critério: Deve ser preenchido para funcionários(as) com idade igual ou superior a 40 anos. Outros . 4. ao lado. Critério: Deve ser preenchido anualmente para funcionários com idade igual ou superior a 50 anos ou a partir dos 45 anos. Parâmetros: O resultado do exame deverá variar entre 30 e 1000. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. o resultado encontrado. Quando o(a) funcionário(a) tiver idade inferior a 40 anos. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável.7. o médico examinador também deverá colocar. anualmente. Parâmetros: O resultado do exame deverá variar entre 50 e 700. ao lado. o médico examinador também deverá colocar. Funcionários com idade inferior a 50 anos. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. Critério: Deve ser preenchido para funcionários com idade igual ou superior a 40 anos. a critério do médico examinador. HDL Nesse campo.8.Nesse campo. anualmente. a critério do médico examinador. além de informar se o exame está Normal ou Alterado. Parâmetros: O resultado do exame deverá variar entre 0 e 15. além de informar se o exame está Normal ou Alterado. Critério: Deve ser preenchido para funcionários com idade igual ou superior a 40 anos. quando houver história familiar de câncer de próstata. Quando o funcionário tiver idade inferior a 40 anos. além de informar se o exame está Normal ou Alterado.6. Glicemia Nesse campo. Quando o funcionário tiver idade inferior a 40 anos. 4. o médico examinador também deverá colocar o resultado encontrado. 4. Funcionários(as) com idade inferior a 40 anos. Colesterol Total Nesse campo. além de informar se o exame está Normal ou Alterado. o médico examinador deverá colocar o parâmetro 3 Não Aplicável. o resultado encontrado. Quando o funcionário tiver idade inferior a 50 anos e não tiver história familiar de câncer de próstata. No caso de funcionárias. o médico examinador também deverá colocar o resultado encontrado.

A tabela onde o preenchimento é obrigatório para todos os funcionários.Peso Normal.na segunda parte .11-19Kg > peso normal. . 10 > 30 cigarros/dia. c) Atividade Física Parâmetros: 0 Atividade esportiva profissional intensa.Caso o médico examinador solicite outros exames.para funcionários com idade igual ou superior a 40 anos. 8 26Kg > peso normal.< 5Kg do peso normal. 1 ex Fumante/Não Inala. 7 . Parâmetros: 1 . b) Peso Parâmetros: 0 . 9 21 30 cigarros/dia. deverá preencher o seguinte formulário: Solicitação de Exames Complementares. 1 Atividade esportiva profissional moderada. 2 < 10 cigarros/dia. 2 .5-10Kg > peso normal. 3 10 20 cigarros/dia. 5 . 3 . Preenchimento Obrigatório .Sim ou 2 . possui os seguintes campos: a) Fumo Parâmetros: 0 nunca fumou. 1 .Não. que está dividida em: Preenchimento Obrigatório na primeira parte para todos os funcionários. Todos os campos da Tabela de Avaliação para Risco Coronariano não comportam soma no sentido horizontal.20-25Kg > peso normal.AVALIAÇÃO DE RISCOS Nesse campo existe a Tabela de Avaliação para Risco Coronariano.

4 Atividade profissional sedentária/pouca atividade física. 1 120 130 mm Hg. onde o preenchimento é obrigatório para funcionários com idade igual ou superior a 40 anos. 4 e 6 para o enquadramento dos funcionários do Banco do Brasil/CASSI. 7 Pai e mãe < 60 anos com doença coronariana. A tabela. mãe e tios com doença coronariana. 8 Pai. possui os seguintes campos: d) Sexo/Idade Parâmetros: 0 Homem 20/30 anos. 3 Homem 46/50 anos. 6 Inatividade física. .2 Atividade esportiva profissional leve. Mulher com irmão infartado. Mulher diabética. 1 Homem 31/40 anos. 6 141 160 mm Hg. 3 Pai ou mãe < 60 anos com doença coronariana. f) Pressão Arterial Sistólica Parâmetros: 0 119 mm Hg. Observação: Os médicos executores deverão utilizar apenas os parâmetros 3. Mulher > 50 anos. 5 Homem 51/60 anos. Mulher sem ovário. 2 131 140 mm Hg. 6 Homem > 60 anos. 1 Pai ou mãe > 60 anos com doença coronariana. 2 Homem 41/45 anos. 2 Pai e mãe > 60 anos com doença coronariana. 3 Atividade profissional sedentária/exercícios moderados. Mulher até 50 anos. e) Antecedentes Familiares Parâmetros: 0 Ausente.

TESTE DE LIPP . 1 Diabéticos na família. g) Glicemia Observação Especial: O médico examinador deverá desconsiderar o termo curva glicêmica e seguir os parâmetros abaixo relacionados: Parâmetros: 0 Jejum < 110.Diabéticos na família. e deverá variar entre 0 e 68. O campo Soma somente será preenchido para funcionários com idade igual ou superior a 40 anos. 9 250 280. que servirá de auxílio ao médico examinador para enquadrar o funcionário na devida faixa de risco. está disponibilizada uma tabela de Interpretação dos Fatores de Risco. A soma será feita na coluna vertical. 10 281. 2 Jejum 110 119 /1ª hora 5 Jejum 120/1ª hora 6 Diabetes sob controle. o médico deverá considerar o parâmetro 1. que é a pontuação mais elevada. Nesse campo. o médico examinador deverá considerar a pontuação mais alta.9 161 180 mm Hg. 10 Diabetes não controlada. 7 221 249. Neste caso. h) Colesterol Parâmetros 0 até 180. 10 180 mm Hg ou mais. 160. 2 201 220. Exemplo: o funcionário enquadra-se no parâmetro 0 – Jejum < 110 e possui 1 . Abaixo do campo Soma. 160. 1 181 200.

Ao lado do campo Total de itens assinalados e confirmados. ou quando a pontuação for .2.1 e da Coluna 1. A seção ASSINALE OS SINTOMAS EXPERIMENTADOS NOS ÚLTIMOS TRÊS MESES possui 23 campos. a frase correta é: Irritabilidade sem causa aparente.3. Observação Especial: No Teste de Lipp. e não Irritabilidade sobre causa aparente. 3 e 5 deverá ser marcado no campo correspondente. Coluna III. 1 Alerta (se 7 ou mais itens na fase I).2. O TESTE DE LIPP possui as seguintes seções: I. o campo deverá ficar com valor igual a “zero 0”. Parâmetros: 0 Insignificante (pontuação insignificante em todas as fases). III. Caso o funcionário não apresente nenhum sintoma dessa fase. conforme abaixo: II.2 e Coluna III.1 e da Coluna 11. o campo deverá ficar com valor igual a “zero 0”. onde deverá constar o número de itens marcados e que poderá variar entre 0 e 23. que devem ser assinalados com um “X”. Caso o funcionário não apresente nenhum sintoma dessa fase. Ao lado do campo Total de itens assinalados e confirmados. que devem ser assinalados com um “X”. 2 Resistência (se 4 ou mais itens na fase II). Sintomas Experimentado nos Últimos Três Meses – Fase III.1. 6 – ESTRESSE O médico examinador deverá preencher esse campo. onde deverá constar o número de itens marcados e que poderá variar entre 0 e 15. 3 Exaustão (se 9 ou mais itens na fase III). No final da seção há um campo para marcar a quantidade de itens assinalados. A seção ASSINALE OS SINTOMAS EXPERIMENTADOS NO ULTIMO MÊS possui 15 campos. Caso o funcionário não apresente nenhum sintoma dessa fase. divididos em duas colunas: Coluna 11.2. existem dois campos específicos para colocar os itens da Coluna 1. que estão divididos em duas colunas: Coluna 1.2 e Coluna III. A seção ASSINALE OS SINTOMAS EXPERIMENTADO NAS ÚLTIMAS 24 HORAS. no item 7 da coluna III. Ao lado do campo Total de itens assinalados e confirmados.3. divididos em três colunas: Coluna III.1 e Coluna 11. Exemplo de preenchimento: Se o funcionário assinalou os itens 1.Esse formulário deverá ser obrigatoriamente preenchido por todos os funcionários. No final da seção há um campo para marcar a quantidade de itens assinalados.1 e Coluna 1. de acordo com o resultado do Teste de Lipp. existem três campos específicos para colocar os itens da Coluna III. Coluna III. possui 15 campos. o campo deverá ficar com valor igual a “zero 0”.2. O médico examinador assinalará com um “X” apenas uma fase a fase que foi mais pontuada. Existindo empate na pontuação entre uma fase e outra. existem dois campos específicos para colocar os itens da Coluna 11.3. No final da seção há um campo para marcar a quantidade de itens assinalados. onde deverá constar o número de itens marcados e que poderá variar entre 0 e 15. que devem ser assinalados com um “X”.1.

ao constatar que o funcionário é portador de alguma deficiência. 7 . 3 Médio. 5 Baixo. 5 Baixo. 7. Afastamento por acidente do trabalho Parâmetros: 1 Não.9. o médico deverá considerar sempre a maior. 3 Médio. Portador de deficiência física (Decreto 3298/99) O médico examinador.4.5.3. 7. deverá proceder ao preenchimento obrigatório do formulário de Avaliação de Pessoa Portadora de Deficiência – APPD. 7. Natureza do risco ocupacional Esse campo será marcado de acordo com os Riscos Ocupacionais estabelecidos no documento base do PCMSO do Banco do Brasil.8.6.2. . 3 Típico. 3 Médio. 7. Volume de serviços Parâmetros: 2 Adequado. Grau de satisfação com a atividade Parâmetros: 1 Alto. 5 Ruim. a pontuação é insignificante. Se os itens assinalados forem em menor número que os indicados em todas as fases. O médico examinador deverá informar o Risco predominante nos últimos 12 meses. Observação: Cintura escapular e membros inferiores 7. deverá assinalar o parâmetro 0 – Sim. 7 Doença Ocupacional. 7. 4 Excessivo. Sinais/sintomas osteomusculares Parâmetros: 0 Sim. 7.1. 7. A seguir.7.insignificante em mais de uma fase. 9 Não. Conforto no local de trabalho Parâmetros: 1 Alto. Clima de trabalho Parâmetros: 1 Bom. 9 Não.INQUÉRITO OCUPACIONAL 7. Parâmetros: 0 Sim. Atividade laborativa extra banco Parâmetros: 0 Sim. 9 Não. 5 Trajeto.

8. Ausculta Pulmonar Parâmetros: 0 Normal e 9 Alterado.A.60 X 1. Sistólica. IMC Índice de Massa Corporal. 8 . .1. O sistema aceitará valores de peso entre 40 e 220kg.4 Kg/m2 Tabela de classificação por IMC: 8. 8. 4 Ergonômicos. em metros. que varia entre 80 e 300 mmHg . 8. Ex: Cálculo do IMC de uma pessoa com 1. Diastólica. pelo quadrado da altura. 3 Biológico. 2 Químico.Parâmetros: 1 Físico. O sistema aceitará valores de altura entre 120 e 231 cm. Pressão arterial Nesse campo o médico deverá mensurar a pressão arterial máxima P. em quilogramas.4. que varia entre 50 e 200 mmHg.A.56=23. divide se o peso. e a pressão arterial mínima P. Ausculta Cardíaca Parâmetros: 1 Normal e 2 Alterado.5.56 b) Dividi se o peso pelo quadrado da altura: 60/2.4 c) Resultado: IMC = 23. 6 Nenhum. Altura O valor deverá ser colocado em centímetros.3. 8.60 = 2. Peso O valor deverá ser colocado em quilos. 5 Acidentes.60 m de altura e 60 kg de peso: a) Quadrado da altura: 1. Para calcular o IMC.EXAME FÍSICO 8.6.2.

para evitar que o campo fique em branco. 3 Raramente. portadores de deficiência e funcionários que responderam “SIM” no item 7. 8.Assinale os itens Conforme o grau de ocorrência nos últimos 12 meses Esse campo também é preenchido pelo funcionário. o médico deverá ir para o campo PARECER FINAL. Não havendo alterações no exame. com função exclusiva de digitação). 9. 7 > de 5 anos. Operador de Teclado (entendido aqui como funcionário da DITEC – Tecnologia.8. AVALIAÇÃO DO SISTEMA ÓSTEO MUSCULAR Essa parte do formulário somente será preenchida. Parâmetros: 8 Sentado. Descrição Sumária do Exame Físico Nesse item o médico examinador deverá escrever. Hipótese Diagnóstica (CID-10) No caso de exames com alterações. se o funcionário exercer as funções de Caixa Executivo. 5 > 1 a 5 anos. 10 . e os demais campos poderão ficar em branco. Tempo de Função.Informações Prestadas pelo Funcionário 9. 5 Habitualmente.0 – Exame Ocupacional. 9 Em pé. sumariamente. Parâmetros: 1 Até 3 meses. 4 Canhoto. o médico examinador poderá registrar até quatro CID.8.2. ou 7 Sempre. Parâmetros: 2 Destro. Postura Predominante. 3 > 3 meses a 1 ano. 9. o médico examinador deverá registrar em um dos campos o CID-Z10. 9 . qualquer outra consideração que ache importante sobre o exame físico do funcionário. 6 Ambidestro. Parâmetros: 1 Nunca. Nesse campo os parâmetros serão os mesmos para todos os itens. .2. 0 Alternada à sua vontade. deixando os demais campos em branco.7.1. Lateralidade.3. Se o funcionário não se enquadrar nesses critérios.

9 Atividade e repouso. desconforto ou dormência. Parâmetros: 2 No Trabalho. Colocar o parâmetro “zero” nos casos negativos e o CID-10 nos positivos. 11. o médico examinador poderá informar o número 99 – Não Tem.6 – Existência de Doenças Reumáticas e/ou Osteomusculares na Família. 99 Não Tem. 2 Atividade Doméstica. declarando que as informações prestadas por ele são verdadeiras. Trauma físico (fratura.Não tem 11. 11.1. Sobrecarga muscular/Esforço repetitivo. 4 Outras Atividades.3. Nesse campo o médico examinador poderá proceder à soma dos parâmetros. 99 Não tem. entorse.1. quando o funcionário não possuir sinais/sintomas relacionados. 11. O sistema não aceitará os parâmetros 3 e 5 para esse item específico.2 e 11. 11. etc)/cirurgias nos últimos 12 meses. 1 – Anamnese Observação Especial: Nos campos itens 11. 8 Relações Sociais. Sofrimento psíquico/estresse.3. Nota: O funcionário deverá apenas RUBRICAR. Parâmetro: CID-10 ou 0 – Nenhum. luxação. 4 Relações Familiares.Observação Especial: Item 10.4. Dor. Parâmetros: 1 No Trabalho. 99 .2. Parâmetros: 0 Só em atividade. onde o máximo é de três diagnósticos prováveis permitidos. Utilizar o parâmetro 1 – Nunca em caso de negativo e o parâmetro 7 – Sempre em caso positivo. Nesse campo o médico examinador poderá proceder à soma dos parâmetros. .

3 – ESTADIAMENTO Para preencher este campo. Parâmetros: 1 Mãos e punhos. alterações inflamatórias. onde o máximo é de três diagnósticos prováveis permitidos. gerando assim um dado inconsistente e comprometendo a qualidade da informação. o médico examinador deverá consultar a tabela Critérios de Estadiamento das Disfunções do Membro Superior e Conduta – Aplicável aos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho. bursites.0. Mobilização Ativa. cistos.EXAME FÍSICO Os parâmetros serão os mesmos para os campos: Inspeção. Colocar o parâmetro “zero” nos casos negativos e o CID-10 nos positivos. o médico deverá escrever apenas o parâmetro 1. 11. 4 Braços e punhos. 2 . Mobilização Passiva. . Parâmetros: 1 Grupo 1. Se o médico escrever 1. 2 Antebraços. o médico examinador deverá colocar o número zero no campo correspondente. O médico examinador deverá colocar apenas o parâmetro estabelecido no formulário. Palpação. 8 Cintura Escapular.5. onde o máximo é de três diagnósticos prováveis permitidos. Exemplo: se o parâmetro for 1 – Mãos e punhos.11. 4 Grupo 4. existe a seguinte informação que deve ser desconsiderada: * preencher os campos 602 a 607 no formulário RA-1. o sistema entenderá como a soma do parâmetro 8 – Cintura Escapular com 2 – Antebraços. Outras Doenças Colocar o parâmetro “zero” nos casos negativos e o CID-10 nos positivos. doenças reumatológicas a partir dos últimos 12 meses. 3 Grupo 3. 0 Normal. Errata: No canto inferior direito da tabela Critérios de Estadiamento das Disfunções do Membro Superior e Conduta. Parâmetro: CID-10 ou 0 – Nenhum. Força Muscular e Sinais Neurológicos.6. o que dará o valor 10. Hérnia de disco. 5 Grupo 5. 2 Grupo 2. Parâmetro: CID-10 ou 0 – Nenhum. No caso de total normalidade.

escrever seu nome por extenso e colocar o CRM/UF. o formulário Parecer/Recomendações. 2 – Encaminhamento a Especialista. o médico examinador deverá colocar o número “zero”.1. o médico deverá preencher. Nota: Após o preenchimento do formulário.DADOS PESSOAIS 1. 8 – Outros. Data Prevista para o próximo EPS O médico examinador deverá informar a data. o médico examinador deverá carimbar e assinar. Quando houver recomendações. o médico examinador deverá preencher obrigatoriamente o formulário Parecer/Recomendações. Empresa Parâmetros: 1 – BB ou 2 – CASSI .1. Nesse campo o médico examinador poderá proceder à soma dos parâmetros. caso exista mais de uma recomendação. e 4 – Encaminhamento à CASSI para inclusão em programas de saúde. 5 – RECOMENDAÇÕES Parâmetros: 1 – Mudança de Tarefa.PARECER FINAL 4 – Conclusão Parâmetros: 2 Apto ou 4 Inapto. Caso a decisão seja pela inaptidão do funcionário. O médico deverá preencher a sua conclusão final a respeito do exame realizado. ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL – ASO 1 . IV. 15. obrigatoriamente. para evitar que o campo fique em branco. na forma dd/mm/aa. Quando não existirem recomendações.

1. a descrição dos riscos específicos identificados no PCMSO. também.10.RG 1. Data de nascimento 1. 1. 1.1. Exemplos: Caixa Executivo: Atendimento a público e a clientes do Banco do Brasil com situações de risco causadoras de estresse físico e psicológico (risco ergonômico). Matrícula 1. Sexo Parâmetro: 1 – masculino ou 2 – feminino.14.7. Prefixo da Dependência Informação fornecida pelo empregador ao candidato/funcionário. Data do exame 1.6. 1. 1. Código da Função/AFR Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato/funcionário. além da descrição sumária da função.2.13. Cargo/Função Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato/funcionário.4. Número da Carteira de Identidade . .3. Nome da Dependência Informação fornecida pelo empregador ao candidato/funcionário.5. UF 1. Descrição Sumária da Função Nesse campo.11. deverá ser colocada. O médico examinador poderá também consultar o Anexo II / III – Descrição da Função/Cargo. Nome 1.12.9.8. Cidade 1. O médico examinador poderá também consultar o Anexo II / III – Descrição da Função/Cargo.

o candidato(a)/funcionário(a) encontra-se Parâmetros: Apto ou Inapto. fungos e outros microorganismos (risco biológico). Acidentes e Sem Risco. são informações que o Banco do Brasil deve fornecer ao funcionário.Cargo/Função.15. Para exercer a função de: Deve ser colocada a função/cargo que o candidato/funcionário exerce. Ergonômico.1 até 1. 1.13 – Modalidade do Exame e também poderá auxiliar no preenchimento dos campos em que o funcionário apresentar dificuldades. Mudança de Função. Retorno ao Trabalho e Demissional. Periódico. Biológico.Exposto ao(s) Risco Ocupacional(is) Parâmetros: Físico. Funcionário submetido aos seguintes exames/avaliações relacionados aos riscos assinalados Deve ser preenchido relacionando apenas os exames para aquelas funções que contenham risco conforme consta no PCMSO do BB/CASSI.10 – Nome da Dependência. 2 .12 .Após avaliação médica. . 1. 1.1. O médico examinador deverá preencher o item 1. Químico. 4 – Recomendações Deve ser preenchido pelo médico examinador nos casos em que o examinado necessite. Modalidade do Exame Parâmetros: Admissional.9 – Prefixo da Dependência. 1. Empresa Parâmetros: 1 BB ou 2 -CASSI.11– Código da Função/AFR e 1. para a realização dos exames. para melhor exercício de suas atividades e preservação de seu estado de saúde. As informações relativas aos itens 1.12. AVALIAÇÃO DE PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA – APPD 1 – DADOS PESSOAIS Na área de DADOS PESSOAIS os campos devem ser preenchidos pelo funcionário do item 1. 3 . V.Médico: Atendimento a funcionários adoentados com situação de risco de exposição a bactérias.

9.13.5. Nome Completo 1.12. O médico examinador poderá também consultar o Anexo II / III – Descrição da Função/Cargo. 1. na forma dd/mm/aa. Sexo Parâmetro: Feminino ou Masculino.10.4. 1. 1. para os candidatos. 1. Data do Exame Parâmetro: data. Prefixo da dependência Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao funcionário.3. . Nome da Dependência Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao funcionário. O médico examinador poderá também consultar o Anexo II / III – Descrição da Função/Cargo. Cidade 1.2. Código da Função/AFR Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato/funcionário.1. 1. Data de Nascimento Parâmetro: data. 1. Cargo/Função Informação fornecida pelo Banco do Brasil ao candidato/funcionário. 1. Riscos por Função Parâmetros: 0 – Sem Risco.6. A matrícula deverá ser indicada na realização do Exame Periódico de Saúde. na forma dd/mm/aa. U F 1.8. para os funcionários.11. 1. CPF/Matrícula O CPF será utilizado no Exame Médico Pré-Admissional.7.

6 – Anacusia. 4 – 71 a 90 db – surdez severa. 4 . 6 – Sem alterações. 2 – 41 a 55 db – surdez moderada. Ouvido Direito Parâmetros: 1 – 25 a 40 db – surdez leve. 3 – Agnosia (R48. 4. 8 – Ergonômico. 5 – Acima de 91 db – surdez profunda.INSCRITO NO CONCURSO BB OU SELEÇÃO CASSI COMO PORTADOR DE DEFICÊNCIA Parâmetros: 1 – Sim ou 2 – Não. . 7 – Sem alterações auditivas. 4 – Biológico.0). 15 – Acidentes.2. Parâmetros: 1 – Disfasia e Afasia (R. 2 – Dislexia e Alexia (R48.1 – Físico. 5 – Outros. Nesse campo o médico examinador deverá assinalar apenas um parâmetro.0).2).1. 4. 2 – Químico. Fala Nesse campo o médico examinador deverá assinalar apenas um parâmetro. Audição Assinalar o nível de perda auditiva segundo audiometria. 3 .1).ASSINALE AS ALTERAÇÕES ENCONTRADAS 4. O médico examinador deverá consultar o Decreto 3298/99 – Anexo I.47. 2 . 4 – Apraxia (R48.1. 3 – 56 a 70 db – surdez acentuada.ENQUADRA-SE NO DECRETO 3298/99 Parâmetros: 1 – Sim ou 2 – Não.2.

8 – Campo visual menor que 20º. 16 – Sem as alterações referidas. Olho Direito Parâmetros: 1 – Amaurose. Critério: Funcionamento intelectual significativamente inferior à média com início antes dos 18 anos que acarrete limitações associadas a duas ou mais áreas das seguintes habilidades adaptativas: comunicação. saúde e segurança. 4.1. 2 – Sem correção.4. 3 – 56 a 70 db – surdez acentuada. habilidades sociais. Olho Esquerdo Parâmetros: 1 – Amaurose. 4.3. 4. 4 – 71 a 90 db – surdez severa. 16 – Sem as alterações referidas. Ouvido Esquerdo Parâmetros: 1 – 25 a 40 db – surdez leve. 2 – Limitação de uma área. 5 – Acima de 91 db – surdez profunda.3.3. Parâmetros: 1 – Limitação de duas ou mais áreas de habilidades adaptativas.2. 4 – Com correção. 2 – 41 a 55 db – surdez moderada. 4. Os parâmetros 2 e 4 são referentes à acuidade visual menor ou igual a 20/200 (Snellen).2.4. 4 – Com correção. 2 – Sem correção. Mental Nesse campo o médico examinador deverá assinalar apenas um parâmetro. 7 – Sem alterações auditivas. . 6 – Anacusia. cuidados pessoais.2. utilização da comunidade. Visão Nesse campo o médico examinador deverá assinalar apenas um parâmetro. 8 – Campo visual menor que 20º. lazer e trabalho.

5. que tratam do Membro Inferior. A soma deverá variar de 1 a 31. 4 – Antebraço. 2 – Mão. para que fique dessa forma: 1 . 16 – Ombro. Membro Superior Esquerdo Parâmetros: 1 – Dedos.3. procedendo à soma horizontal dos parâmetros. 16 – Ombro. Membro Inferior Esquerdo . possuem erros que devem ser corrigidos conforme errata abaixo.4. 0 – Não identificado. o médico deverá preencher os outros itens que compõem o campo Alterações Físicas. 2 – Mão. 2 – Mão. 0 . 5.3 e 5.Dedos: continua sendo dedos. 16 – Ombro. o médico examinador deverá utilizar o parâmetro 0 – Não Identificado.1.3 – Sem limitações. com caneta. 8 – Braço.Mão: alterar para pé. 5 – FÍSICA Parâmetros: 1 – Sem alterações físicas. 5.Ombro: alterar para quadril. 16 . A soma deverá variar de 1 a 31. Quando o candidato/funcionário não possuir as alterações físicas identificadas no formulário. Membro Superior Direito Parâmetros: 1 – Dedos. 8 – Braço. Errata: O médico examinador deverá corrigir. 2 . 2 – Com alterações.2. Em caso positivo. 0 – Não identificado. Membro Inferior Direito Parâmetros: 1 – Dedos. 4 .Antebraço: alterar para perna.Braço: alterar para coxa. 5.Não Identificado: continua sendo Não Identificado. A soma deverá variar entre 1 e 31. 4 – Antebraço.4. 8 – Braço. 4 – Antebraço. os parâmetros desse item. 8 . 0 – Não identificado. Atenção: Os campos 5.

O médico considerará as Atividades da Vida Diária – AVD. Necessita de auxílio de pessoas para mais de 50% das atividades.Parâmetros: 1 – Dedos. Necessita de auxílio de dispositivos. 16 – Ombro. com caneta.Ombro: alterar para quadril. Errata: O médico examinador deverá corrigir. Trabalho. 8 – Braço. 2 .GRAU DE INDEPENDÊNCIA Nesse campo o médico examinador analisará o grau de independência do candidato/funcionário. o médico examinador deverá descrever as alterações nas linhas especificadas no formulário.Mão: alterar para pé. 5. interessando saber o que a pessoa é capaz de fazer atualmente de forma independente. Comunicação. Dependência Moderada. Locomover-se. 0 – Não identificado. Em caso positivo. Outras alterações físicas geradoras de incapacidade Parâmetros: 1 – Sim ou 2 – Não. Autocuidados. 2 – Mão. os parâmetros desse item. Independência Modificada.Antebraço: alterar para perna. 16 . 4 .Dedos: continua sendo dedos. 8 . 4 – Antebraço. 0 . A soma deverá variar de 1 a 31. . Dependência Total. para que fique dessa forma: 1 . acrescentando até 3 CID-10. Não necessita de auxílio de pessoas.5. como: Transferir-se.Não Identificado: continua sendo Não Identificado. 6 .Braço: alterar para coxa. O médico examinador procederá à soma na horizontal. Parâmetros: Independência Completa. Necessita de auxílio de pessoas para executar até 50% das atividades.

O médico deverá assinalar apenas um parâmetro. Necessita de dispositivo facilitador de audição Parâmetros: 1 – Sim ou 2 – Não.6. especificando qual o outro dispositivo utilizado. Em caso positivo. As alterações que provocam maior grau de incapacidade têm caráter Parâmetros: 1 – Permanente. 4 – Telessensor. 1 – Monitor > 15 polegadas. com agravamento. 3 – Evolutivo.2. 7. 16 – Outros. 6. Quando o candidato/funcionário necessitar de um outro dispositivo que não esteja estabelecido no formulário.1.3. evitando assim erros no momento da soma dos parâmetros.Errata: Item 6. o médico examinador deverá especificar o tipo de dispositivo facilitador de que o candidato/funcionário necessita. Necessita de dispositivos ou recursos auxiliares de deambulação . 7. 2 – Evolutivo. 8 – Sintetizador de voz. Nota: Os parâmetros possuem uma numeração diferente para cada item.7: a frase correta é: calçar sapatos ou meias. o médico examinador deverá marcar o parâmetro 16 – Outros. caso o candidato/funcionário necessite de mais de um dispositivo facilitador de visualização. 4 – Indefinido. Necessita de dispositivo facilitador de visualização O médico poderá efetuar a soma. com melhora. 2 – Lupa. 7 – COMPENSAÇÕES Nesse campo o médico examinador deverá indicar os dispositivos que o candidato/funcionário necessita para compensar suas deficiências.2. Parâmetros: 0 – Nenhum. 7.

especificando qual o outro dispositivo utilizado. 32 – Outros. Parâmetros: 0 – Nenhum. 1 – Bengala ou muleta. 8 – Cadeira de rodas. Adequações no posto de trabalho do funcionário/candidato em função das deficiências/ limitações/ necessidades identificadas O médico poderá efetuar a soma dos parâmetros. . 8. 4 – Mesa (altura e/ou superfície de trabalho). 2 – Necessita de treinamento para o trabalho atual proposto. Treinamento para AVDs e/ou tarefas no trabalho Nesse campo o médico examinador assinalará apenas um dos parâmetros. Parâmetros: 0 – Não há necessidade de adequações. Quando o candidato/funcionário necessitar de uma outra adequação que não esteja estabelecida no formulário.1. 8 – Dispositivo ampliador de imagem. 1 – Apoio para pés.O médico poderá efetuar a soma. o médico examinador deverá marcar o parâmetro 64 – Outras adequações. 16 – Sintetizador de voz. 4 – Prótese/Órtese. 2 – Cadeira especial. 2 – Andador. 16 – Calçado especial. 32 – Adequações físicas no prédio. Quando o candidato/funcionário necessitar de um outro dispositivo que não esteja estabelecido no formulário. 8 – RECOMENDAÇÕES 8.2. Parâmetros: 1 – Habilitado/capacitado para as tarefas atuais/propostas e AVD. especificando as outras adequações necessárias. caso o candidato/funcionário necessite de mais de um dispositivo facilitador de visualização. caso o candidato/funcionário necessite de mais de uma adequação no local de trabalho. o médico examinador deverá marcar o parâmetro 32 – Outros. 64 – Outras adequações.

após avaliação dos exames complementares. 128 – Flexão/extensão de MMII. nas linhas estabelecidas no formulário. Parâmetros: 1 – Comunicação. juntamente com o carimbo e a sua assinatura. o motivo da consulta com especialista. em ritmo acelerado. juntamente com carimbo e assinatura.2. o médico examinador deverá carimbar e assinar. 32 – Movimentos repetitivos dos MMSS. 512 – Outros. se julgar necessário. juntamente com o carimbo e a sua assinatura. . 2 . 2 – Atendimento de telefone. enumerando os principais sintomas referidos.PEDIDO DE PARECER COM ESPECIALISTA 1. PARECER / RECOMENDAÇÕES 1 . achados clínicos e resultados de exames complementares significativos. 8 – Deslocamentos internos.4 – Necessita de treinamento para AVD. de forma legível. 64 – Flexão/extensão de MMSS. 8.1. colocando local e data. O médico examinador colocará o local e a data. 1. Atividades laborativas que não devem ser realizadas com freqüência pelo candidato/funcionário O médico poderá efetuar a soma dos parâmetros. Parecer do Especialista Nesse campo o médico especialista colocará seu parecer. 16 – Subir ou descer escadas. Motivo da Consulta O médico examinador utilizará esse campo quando necessitar de parecer de especialista. incluindo hipótese diagnóstica – CID-10. justificando. Nota: Após o preenchimento do formulário. VI. os dados sobre os quais solicita parecer.3. e entregará o formulário ao candidato/funcionário que o levará para o especialista da rede ou do Serviço Próprio da Cassi. 4 – Prolongados períodos de pé.RECOMENDAÇÕES GERAIS O médico especialista utilizará esse campo para recomendações gerais. O médico especialista poderá solicitar exames complementares. O médico especialista colocará o local e a data.

ao transporte. incisos IV e VI. de 24 de outubro de 1989. à cultura. e tendo em vista o disposto na Lei n° 7. 1º . da Constituição. apesar de novos tratamentos. consolida as normas de proteção.deficiência – toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica. à saúde. social e econômico. serviços e/ou atividades não recomendados ao candidato/funcionário. de 24 de outubro de 1989. no uso das atribuições que lhe confere o art. fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade. 3 . à edificação pública. e . dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. juntamente com o carimbo e a sua assinatura. que poderão ser transcritos para o ASO. ANEXO I ranscrição do Decreto nº 3.853. O médico examinador colocará o local e a data. à habitação. considera-se: I .RECOMENDAÇÕES ESPECÍFICAS PARA ATIVIDADES LABORAIS Nesse campo o médico examinador deverá descrever situações. ao turismo.853. ao lazer. à previdência social. O médico examinador colocará o local e a data. o médico deverá apenas descrevê-los no espaço estabelecido. Art. II . 84.298. de 20 de dezembro de 1999. e dá outras providências.deficiência permanente – aquela que ocorreu ou se estabilizou durante um período de tempo suficiente para não permitir recuperação ou ter probabilidade de que se altere. ao desporto. ao trabalho. Art. dentro do padrão considerado normal para o ser humano.Quando necessitar de exames complementares. ao amparo à infância e à maternidade.Cabe aos órgãos e às entidades do Poder Público assegurar à pessoa portadora de deficiência o pleno exercício de seus direitos básicos. DECRETA: CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. já que o pedido é feito através de formulário específico. e de outros que.A Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência compreende o conjunto de orientações normativas que objetivam assegurar o pleno exercício dos direitos individuais e sociais das pessoas portadoras de deficiência. Regulamenta a Lei nº 7. 3º . O PRESIDENTE DA REPÚBLICA.Para os efeitos deste Decreto. inclusive dos direitos à educação. 2º . decorrentes da Constituição e das leis. propiciem seu bem-estar pessoal. à assistência social. juntamente com o carimbo e a sua assinatura.

ou ocorrência simultânea de ambas as situações. f) habilidades acadêmicas.incapacidade – uma redução efetiva e acentuada da capacidade de integração social. adaptações. ou campo visual inferior a 20º (tabela de Snellen).deficiência auditiva – perda parcial ou total das possibilidades auditivas sonoras. triplegia.após a melhor correção. ANEXO II DESCRIÇÃO CÓDIGO DOS CARGOS DOS FUNCIONÁRIOS CASSI .deficiência mental – funcionamento intelectual significativamente inferior à média. b) de 41 a 55 db – surdez moderada. tais como: a) comunicação. e h) trabalho. c) habilidades sociais. e) acima de 91 db – surdez profunda. IV . variando de graus e níveis na forma seguinte: a) de 25 a 40 decibéis (db) – surdez leve. apresentando-se sob a forma de paraplegia.III .É considerada pessoa portadora de deficiência a que se enquadra nas seguintes categorias: I . hemiplegia. paraparesia. membros com deformidade congênita ou adquirida. monoparesia. exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções. g) lazer. d) de 71 a 90 db – surdez severa. amputação ou ausência de membro.deficiência visual – acuidade visual igual ou menor que 20/200 no melhor olho. II . III . b) cuidado pessoal. V . tetraplegia. tetraparesia.deficiência múltipla – associação de duas ou mais deficiências. acarretando o comprometimento da função física. com necessidade de equipamentos. com manifestação antes dos dezoito anos e limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas. d) utilização da comunidade. monoplegia. 4º . e) saúde e segurança. Art. paralisia cerebral. triparesia. meios ou recursos especiais para que a pessoa portadora de deficiência possa receber ou transmitir informações necessárias ao seu bem-estar pessoal e ao desempenho de função ou atividade a ser exercida. c) de 56 a 70 db – surdez acentuada.deficiência física – alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano. e f) anacusia. hemiparesia.

ANEXO III Descrição Código dos Cargos dos funcionários do Banco do Brasil .

Ana Cristina Castro Campos Equipe de Elaboração/Revisão Técnica Ângela Rosa Rodrigues Dr. Marcos Aurélio C.EXPEDIENTE Diretoria de Saúde Lessivan Pacheco Gerência de Saúde Sandro Sedrez dos Reis Coordenação do NUPLAS Dra.Sede . Nilton Farias Pinto/BB Produção Gráfica Projeto Gráfico: B&C Editoração e Marketing Ltda Revisão Geral: Núcleo de Marketing / CASSI . Ferrão Dr.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->