You are on page 1of 1

O Direito Penal na Antiguidade

Por um impulso de associao surgem as primeiras sociedades e com elas as normas de comportamento que eram os padres comuns que convinham unidade e coeso do grupo. A vigncia destas regras de conduta resulta do hbito e do temor religioso (tabus) e a punio era a destruio simblica do crime para libertar o cl da impureza acarretada pela ao delitiva. A vingana prejudicava a solidariedade entre os cls (totem) - pois a vingana era vista como um ato de guerra - e a soluo encontrada pela comunidade primria foi expulsar do grupo aquele inimigo que a contaminava. Ficava ento exposto morte, visto que estavam rompidos os vnculos de sangue com o cl, era a perda da paz. Posteriormente, com o aumento da complexidade da vida e normas e, por conseguinte, dos desajustamentos, surge a reao social contra o infrator. Agora a vingana no individual, mas do grupo porque se entendia que a ofensa atingia a comunidade, o perodo da vingana indeterminada que evidencia o nascimento da reao contra o crime como reao social. Com a maior conexo entre os grupos a vingana transferida dos agrupamentos secundrios para a coletividade geral surgindo a vingana talional (Lei de Talio - olho por olho, dente por dente) que hoje pode ser injusta, mas que poca foi um grande avano porquanto destaca o surgimento da noo de justia e limite aos excessos da ira do ofendido. Outra grande evoluo do Direito Penal o aparecimento da composio voluntria ou legal (preo do sangue) que era um pacto de paz entre grupo ofendido e ofensor. Gradativamente o Direito Penal vai perdendo seus apoios mticos e religiosos e, por exigncias de retribuio e castigo da culpabilidade, passa a ser sistema jurdico de combate criminalidade para a defesa social.

Pedro Luciano Evangelista Ferreira - Advogado, mestrando em Direito Penal e Criminologia pela UCAM/RJ e integrante do Programa de Capacitao de Docentes do CESCAGE.