You are on page 1of 1

HOMICDIO

O primeiro crime previsto no Cdigo Penal, no Captulo I (Crimes contra a Pessoa), Ttulo I (Crimes contra a Vida) o homicdio, reputado o delito mais tpico, natural e permanente de todos, considerado entre os maiores por todos os povos e em todos os tempos, o delito natural na terminologia de Garfalo. Sem dvida, a destruio culpvel e antijurdica da vida humana causada por outro homem se encontra entre os atos mais decisivamente proibidos pela lei (divina, natural ou humana) tanto que a vida humana (objeto jurdico protegido) protegida no apenas no interesse individual, mas no interesse coletivo por garantir a ordem pblica ao assegurar a convivncia social harmnica. O art. 121 estabelece a figura tpica nos seguintes termos: Matar algum: Pena Recluso de 6 a 20 anos. Este o homicdio doloso simples, podendo tambm existir o homicdio privilegiado (1), qualificado (2), culposo simples (3) e o culposo qualificado (4), que sero objeto de futuras consideraes. O sujeito passivo, que aquele que suporta a leso, pode ser qualquer pessoa com vida, que inicia com o rompimento do saco amnitico no incio do parto (antes do parto temos o feto, configurando o crime de aborto). Basta que esteja vivo, independente do seu estado de sade, se tem muita ou pouca vitalidade enquanto que o sujeito ativo pode ser qualquer pessoa (s ou associado), ou seja, crime comum por no exigir caractersticas especiais do agente. Por fim saliente-se que o homicdio admite qualquer meio de execuo (crime de forma livre), de forma direta ou indireta, tanto por ao quanto por omisso (desde que o agente tenha o dever jurdico de impedir a morte da vtima - CP 13, 2) sendo indispensvel o resultado morte como conseqncia da conduta do agente.

Pedro Luciano Evangelista Ferreira - Advogado, mestrando em Direito Penal e Criminologia pela UCAM/RJ e integrante do Programa de Capacitao de Docentes do CESCAGE.