You are on page 1of 2

O liberalismo no Brasil

A doutrina liberal foi uma resposta da ascendente classe burguesa contra o absolutismo monrquico ao tratar das novas formas de produo e das novas relaes sociais, todavia, a aplicao de seus preceitos dosada de acordo com os interesses predominantes. Sob o aspecto econmico, foram sobrevalorizados os conceitos de propriedade privada, economia de mercado, livre empresa e iniciativa privada. Na esfera polticojurdica surgiram princpios como: o consentimento individual, a representao poltica, a diviso dos poderes, a descentralizao administrativa, a soberania popular, os direitos e garantias individuais, a supremacia constitucional e o Estado de Direito. Uma vez que o eixo principal desta doutrina centrou-se no conceito de mercado, no campo ticofilosfico houve uma afirmao de valores e direitos bsicos atribuveis natureza moral e racional do ser humano. Mas se em pases como a Frana, a Inglaterra e os Estados Unidos a ideologia liberal representou uma revoluo burguesa contra os privilgios da nobreza constituindo-se em uma fora libertadora - tornando-se conservadora a medida que a classe burguesa se estabelece no poder e sente-se ameaada pelo proletariado -, no Brasil esta revoluo no ocorreu, ao contrrio, o liberalismo foi castrado e deturpado para servir somente aos interesses das oligarquias e ao clientelismo vinculado ao monarquismo imperial. O liberalismo brasileiro adquiriu muitas facetas para satisfazer os interesses das vrias classes que detiveram o poder em momentos histricos diversos - semelhante ao que ocorre com um camaleo - marcado pela forte dissociao entre o discurso terico (que pregava a democracia) e a prtica (que restringia esta democracia apenas s minorias detentoras do poder). Com a Independncia do Brasil, o discurso liberal passou a representar uma promessa de avano e progresso - tanto na esfera social e cultural como na organizao do Estado - em oposio s retrgradas idias colonialistas, no obstante a paradoxal convivncia do liberalismo com prticas colonialistas antipopulares e antidemocrticas como o escravagismo legitimado e a estrutura patrimonialista de poder.

Pedro Luciano Evangelista Ferreira - Advogado, mestrando em Direito Penal e Criminologia pela UCAM/RJ e integrante do Programa de Capacitao de Docentes do CESCAGE.