You are on page 1of 17

cfr2

,,
—c-v

o Cj-

Cr.

9ç) -çr;nr;

Çr')l-m.11(\

cz)

Émile Durkheim nasceu em França, em 1858, e morreu em Paris em novembro de 1917. É considerado o fundador da escola francesa de sociologia, tendo deixado como legado uma série de estudos que se notábilizam pelo esforço de combinar pesquisa empírica e teórica desenvolver em (preocupou-se metodologicamente a sociologia).

"Não se pode deduzir a sociedade do indivíduo, o todo da parte, o complexo do simples. A sociedade é uma realidade sui generis; tem suas características próprias que não são encontradas, ou que não são encontradas sob a mesmo , forma, no resto do universo. As representações que a exprimem têm, portanto, um conteúdo completamente diferente das representações puramente individuais, e podemos estar seguros, de antemão, que as primeiras acrescentam alguma coisa às segundas.."

Citação: (...) O homem é duplo. Há nele dois seres:
um ser individual que tem sua base no organismo e cujo círculo de ação encontrase, por isso mesmo, estreitamente limitado, e um ser social que representa em nós a mais alta realidade, na ordem intelectual e moral, que possamos conhecer pela observação, ou seja, a sociedade."

A própria sociedade cria mecanismos de coerção internos que fazem com que os indivíduos aceitem de uma forma ou de outra as regras estabelecidas — a explicação dos fatos sociais deve ser buscada na sociedade e não nos indivíduos; os estados psíquicos são, na verdade, consequências, e não causas dos fenômenos sociais.

longa série de gerações acumularam aí a sua experiência e o seu saber. Uma muito particular, intelectualidade infinitamente muita mais rica e mais complexa que a do indivíduo aí está como que concentrada."

apenas no espaço, mas no tempo; para produzi-/as, uma multidão de espiritos diversos se associaram, misturaram, combinaram suas idêlas e seus sentimentos;

representações coletivas são o produto de uma imensa cooperação que se estende não

A própria maneira pela qual se formam umas e outras completa a diferença. As

Para Durkheim, o individualismo no sentido da existência de um indivíduo racional capaz de calcular com precisão os seus interesses particulares e agir em conformidade com esses interesses, é um fenômeno recente e gradual, constitui somente uma característica da sociedade moderna e nasce fruto da evolução da própria sociedade. Nas sociedades mais antigas o estava fortemente comportamento individual condicionado por regras sociais que não permitiam o desenvolvimento da esfera privada.

A Sociologia de Durkheim
A concepção da s c oloP-i de Durkheim se baseia em uma teoria do fato social. Seu objetivo é demonstrar que pode e deve existir uma sociologia objetiva e científica, conforme o modelo das outras ciências, tendo por objeto o fato social. Ele desejava que a sociologia tivesse um objeto específico que a distinguisse das outras ciências, que pudesse ser observado e explicado assim como o objeto das outras ciências.

O objeto da sgi;iologia durkheimiana são os fatos socais;
Os fatos sociais têractês características fundamentais:

s Coerção:

foircem força sobre os indivíduos, levando-os a conformar-se ÀsL sogas da sociedade em que vivem, independentemente de sua vontade 1. Cscolha. O grau de coerção de um fato social pode ser

identificado pelas siaiõessociais que ele provoca. As sanções podem ser legais e espontâneas)

s São exteriaares aos indivíduos

(independem de sua consciência pai exilar): existem e atuam sobre os indivíduos independentemervonle sua vontade ou adesão consciente.

s GeneralidociIe: é social todo fato que é geral. Isto é, que se repete
em todos os indivpeitos ou, pelo menos, na maioria deles.

Fato Social e Consciência Coletiva
Consciência coletiva: "conjunto de crenças e dos sentimentos comuns à média dos membros de uma mesma sociedade que forma um sistema determinado com vida própria". (a consciência coletiva é diferente da consciência particular dos indivíduos e não corresponde à soma destas. De uma certa forma, a consciência coletiva é a própria sociedade). A "consciência coletiva" é adquirida mediante os processos de socialização aos quais somos submetidos ao longo da nossa vida na sociedade. (educação)

O Método Durkheimiano
Regras do método sociológico: estudar o fato social como "coisa" (os fenômenos podem ser observados e medidos de forma objetiva). A questão da neutralidade científica. Morfologia social: método comparativo classificação das diferentes formas de sociedade. (o método sociológico durkheimiano flerta com alguns modelos da biologia, tal qual aponta a idéia de "organismo social"). (patologia social, questão da violência. Direito).

Durkheim parte da idéia fundamental de Comte de que a deve ser vista como um organismo vivo. Também soc' concordava com o pressuposto de que as o ie ades apenas se manté m coesas quando de alguma forma compartilhar sentmen e.cr^enças. comuns. Entretanto,,critica_ Comte na sua pers,pecianistál. pois entende que a sucessão , hi tórica não significa necessariamente .werioridade % mas sim ~organizacional.

Uma questão central no pensamento de Durkheim é a análise da relação entre indivíduo e sociedade, fruto de sua preocupa ç ão com a crise na ordem social. Daí decorrem questões como: •Como é que um grupo de indivíduos pode constituir uma sociedade? •Para que isso aconteça, é necessário que se estabeleçam entre os indivíduos- determinados laços de solidariedade. Tais laços podem assumir duas formas: mecânica e orgânica. SAIàasíQCUe----^ ?l),+ic) s OAZ COZirt)scOb,‘

"Co*5Ga,*\c,

co `^

u

Çç, c coleL moko,
r"
11

}rc (

~N\

a

A solidariedade mecânica é uma solidariedade por semelhança. Quando esta forma de solidariedade domina numa dada sociedade, significa dizer que os indivíduos diferem pouco uns dos outros. Todos se assemelham porque experimentam os mesmos sentimentos, aderem aos mesmos valores, reconhecem o mesmo sagrado. A sociedade é coerente porque os indivíduos ainda não se diferenciaram. Neste sentido a solidariedade orgânica será uma forma de solidariedade oposta, o consenso resulta ou é expressão da diferenciação. Pelo contrário, os indivíduos já não são semelhantes mas diferentes.O nome de solidariedade orgânica, utilizado por DurKheim, é feito por analogia com os órgãos do ser vivo. Ou seja, cada um desempenha uma função própria e diferente dos demais, mas todos são indispensáveis àvida.No pensamento de Durkheim, estas duas formas de solidariedade correspondem a duas formas de organização social.

1'

As sociedades primitivas são caracterizadas pela existência de uma solidariedade mecânica. Nelas cada um é o que são os outros, na sua consciência, os sentimentos são os mesmos que têm os demais, são sentimentos coletivos.A oposição destas duas formas de solidariedade combina-se com a divisão entre sociedades segmentares e sociedades onde surge uma nova divisão do trabalho.A divisão do trabalho que Durkheim tenta definir, não se confunde com a que os economistas consideram. Segundo o utilitarismo, o aumento da especialização é derivado do aumento da riqueza material a que a diversificação do trabalho e a troca deram origem. Para esta escola quanto maior for a produção maior numero de necessidades humanas serão satisfeitas e maior será a felicidade dos homens.DurKheim, refuta por completo esta ideia. Para ele se é verdade que o homem moderno conhece prazeres novos, esses prazeres são contrabalançados por novos sofrimentos que também não existiam nas sociedades anteriores.

solidariedade' orgânica que é estimulada pela divisão do trabalho alimenta o sentimento de dependência recíproca, entre sujeitos especializados. Tem, segundo Durkheim, origem na desintegração da solidariedade mecânica.Uma vez que cada sociedade apresenta uma determinada forma de consciência coletiva, ou seja, como diz Durkheim: " o conjunto das crenças, dos sentimentos comuns, à media dos membros de uma sociedade", essa consciência coletiva comporta mais ou menos extensão, ou mais ou menos força.Assim, nas sociedades onde domina asolidariedade mecânica, a consciência coletiva cobre a maior parte das consciências individuais. Nas sociedades onde surge a diferenciação dos indivíduos, cada um é livre de crer e de agir segundo preferências próprias num grande número de circunstâncias.Deste modo, nas sociedades onde predomina a solidariedade orgânica, a maior parte da existência individual é governada por imperativos e por interditos sociais. A solidariedade orgânica pressupõe, não a identidade, mas a diferença entre os indivíduos nas suas crença se ações.

A tradição durkheimiana
X E da tradição durkheimiana que surgem as formulações funcionalistas, como as idéias de "função" e "totalidade" (interconexão entre o todo e as partes, as partes e o todo), que depois deram origem às abordagens sistêmicas. * Até certo ponto toda sociologia que dá mais ênfase ao organismo social (à sociedade) do que à ação social dos indivíduos tem algum nível de relação com a tradição durkheimiana.