P. 1
Sus e Conceito Saude

Sus e Conceito Saude

|Views: 1|Likes:

More info:

Published by: Pra Aletheya Benacon Dantas on Apr 24, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/24/2015

pdf

text

original

República Federativa do BRASIL

SAÚDE “Direito de todos e Dever do Estado”
Constituição Federal de 1988 Artigo 196 Sistema Único de Saúde SUS Universalidade, Integralidade e Participação Social

Sistema Público de Saúde Brasileiro
Sistema Único de Saúde – SUS
• População brasileira (2003) : 176.596.594 • População usuária do SUS - 75% : 134.212.651 Rede Ambulatorial 63.662 Unidades 2,03 bilhões de procedimentos/ano. Rede Hospitalar 6.106 hospitais, públicos, filantrópicos e privados 434.752 leitos 11,6 milhões de internações/ano.

que engloba a promoção da saúde. a prevenção de agravos. o tratamento e a reabilitação e constitui o primeiro nível da atenção do Sistema Único de Saúde. . de caráter individual e coletivo.Atenção Básica à Saúde SAÚDE DA FAMÍLIA Estratégia prioritária de mudança de modelo de atenção A Atenção Básica à Saúde compreende um conjunto de ações.

Estratégia Saúde da Família .

Princípios: •Integralidade •Intersetorialidade •Territorialização e Adscrição de Clientela •Equipe multiprofissional com planejamento integrado •Responsabilização e Vínculo da Equipe com a população adscrita •Participação e Controle Social .

400 a 4.área geográfica de abrangência da Unidade / Equipe de Saúde Adscrição de clientela: cada equipe se responsabiliza por cerca de 1.500 habitantes) •Campos de atuação: • Promoção da Saúde • Prevenção de doenças . agravos e complicações • Tratamento • Reabilitação .Territorialização e Adscrição de Clientela Território específico .000 famílias dentro da sua área geografica (de 2.

Equipe Multidisciplinar: Composição Básica: • Médico • Enfermeiro • Auxiliares de enfermagem • Agentes comunitários de saúde • Cirurgião-Dentista • Auxiliar de consultório dentário e/ou • Técnico de higiene dental .

culturais e epidemiológicos •Elaboração do plano de Saúde integral.Responsabilidades mínimas: •Diagnóstico do território e população adscrita à equipe e Unidade Básica •Diagnóstico da situação de saúde das famílias –aspectos socioeconômicos. rederecionamento do modelo assistencial com participação da comunidade •Assistência integral a doenças prevalentes: ações programáticas e atendimento a demanda espontânea •Vigilância em Saúde •Promoção da saúde e prevenção de agravos -foco na família e comunidade •Promover ações intersetoriais com organizações comunitárias formais e informais e ações educativas para grupos prioritários e população em geral •Incentivo a participação social através dos Conselhos de Saúde .atividades da equipe. demográficos.

206 de pessoas – 39.812 (Fonte:SIAB – setembro/2004) .491 Número de equipes de Saúde Bucal : 8.86.4% de cobertura Número de equipes: 21.884.475 Número de Agentes Comunitários de Saúde: 195.Saúde da Família em números: Cobertura de implantação: 4.785 municípios .1% dos municípios no país População coberta: 69.

Profissão regulamentada em lei. • Mobiliza a comunidade para a conquista de ambientes e condições favoráveis à saúde . selecionado e treinado. Notifica aos serviços de saúde as doenças que necessitam de vigilância.Agentes Comunitários de Saúde-ACS • • • • • • • Pessoa da comunidade. Identifica áreas e situações de risco individual e coletivo Orienta a promoção e a proteção da saúde. Trabalha com a equipe de profissionais Elo entre a comunidade e os serviços de saúde.

56.456.1% .491 Agentes em 93.Agentes Comunitários de Saúde-ACS 195.191.7 % dos municípios brasileiros População coberta: 99.

ESF/ACS/SB ESF/ACS ACS ESF SEM ESF. ACS E ESB FONTE: SIAB .Sistema de Informação da Atenção Básica .Situação de Implantação de Equipes de Saúde da Família. Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde BRASIL.

000 25.000 0 ES F 19 9 4 328 19 9 5 724 19 9 6 847 19 9 7 1.000 30.0 0 0 2 7 .0 6 8 2 1.0 8 3 19 9 9 4 .2 5 4 2000 8 .6 9 8 19 .6 2 3 19 9 8 3 .6 0 4 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 13 .Evolução do Número de Equipes de Saúde da Família BRASIL .16 8 16 .ate 2007 REALIZADO ESF META 35.000 5.000 15.1994 .000 20.Sistema de Informação da Atenção Básica .000 10.4 7 5 2 5 .0 0 0 FONTE: SIAB .0 0 0 3 0 .

Setembro/2007 ACS REALIZADO 300.8 6 5 17 5 .4 6 3 18 4 .5 4 6 19 9 6 4 4 .000 250.000 150.9 3 4 19 9 8 7 9 .000 200.8 0 0 2 5 7 .4 5 6 13 5 .3 4 1 19 5 .Sistema de Informação da Atenção Básica .6 7 7 19 9 9 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 10 5 .000 100.2 4 6 15 2 .000 0 ACS META 19 9 4 2 9 .1994 .5 3 2 19 9 7 5 4 .4 9 1 2 10 .0 9 8 19 9 5 3 4 .0 0 0 FONTE: SIAB .Evolução do Número de Agentes Comunitários de Saúde BRASIL .000 50.0 0 0 2 2 6 .

Doenças Crônicas Não Transmissíveis-DCNT Brasil DIABETES MELITUS e HIPERTENSÃO ARTERIAL .

) 50 % 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 DIP DCV NEO CE 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 .Transição demográfica da mortalidade As Doenças Cardiovasculares-DCV passam a representar a primeira causa de mortes 255 mil em 2000 ( 27.4% do total.

69 TOTAL (*) Grupos etários (anos) Ministério da Saúde.49 50 .7 30 .4 12. Brasil 1986-1988 .39 40 .7 7.59 60 .Estudo multicêntrico de prevalência de Diabetes no Brasil por grupos etários 17.6 7.5 2.6% 5.

635 1.191 Mun) 2001 (3.000 400.000 300.000 600.576 Mun) 2002 (4.000 500.000.Portadores DM cadastrados no PSF-2003 1.082.570 Portadores de diabétes cadastrados .000 800.482 Mun) 2003 (4.000 200.100.348 920.000 700.638 655.218 Mun) 2000 (3.770 Mun) 429.000 900.531 1999 (2.082.570 Nº 1.000 1.000 215.

7 Portadores de diabétes acompanhados .0 91.3 87.DM-92.576 Mun) 2002 (4.0 87.3% acompanhados % 93.0 1999 (2.0 89.191 Mun) 2001 (3.0 88.482 Mun) 2003 (4.4 91.218 Mun) 2000 (3.9 90.2 92.0 86.0 92.770 Mun) 87.0 90.

000 2.772 Mun) 1.730.000 1.230.848.000 1.000 3.773.000 4.230.000 730.754 2.000 2.000 3.724 3.356.356.986 Nº 4.907 4.730.230.485 Mun) 2003 (4.570 Mun) 2002 (4.000 967.Portadores HA cadastrados no PSF-2003 4.218 Mun) 2000 (3.730.199 Mun) 2001 (3.631.730.979 1999 (2.230.986 Portadores de Hipertensão Arterial cadastrados .

4 80.7 88.218 Mun) 2000 (3.570 Mun) 2002 (4.9 86.1% acompanhados % 92.485 Mun) 2003 (4.0 89.0 82.0 82.0 1999 (2.0 87.7 84.772 Mun) Portadores de Hipertensão Arterial acompanhados .HA-91.0 91.1 90.0 85.199 Mun) 2001 (3.

770.HIPERDIA-Sistema de Informação da Atenção Básica a Hipertensão e Diabetes-em fase de implementação www.796.datasus.255 2.210 7.br Total municípos do Brasil Municípios com adesão Municípios com envio de dados Nº de usuários cadastrados: Nº portadores de HA Nº de portadores de DM Nº de portadores de HA e DM Nº portadores de HA acompanhados Nº portadores deDM acompanhados 5.706.60% 67.882 94.266 3.gov.550 2.061.356 102.410 632.50% .561 5.hiperdia.323 2.

467.054. Propranolol 40mg.02% 28. Metformina 850 mg InsulinaNPH.002 5.119. Captopril 25mg Total de medicamentos-Brasil (comp) 2003 2004 % de ampliação HA 2.800 79.Política de Assistência Farmacêutica a HA e DM Portaria n º371/GM de março de 2002 Glibenclamida-5mg.50% Insulina Insulina Insulina HGO HGO HGO DM NPH NPH NPH 623.039.402.160 1.76% .000 3.473. Hidroclotiazida 25mg.898 7.116.783 76.739.595.

saude.br .br www.058-900 www.gov.br hiperdia@saude.gov.Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus Esplanada dos Ministérios Brasília – DF CEP: 70.gov.hiperdia.datasus.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->