E-QP-ECD-077

REV.

C

01/Abr/2008

- PROCEDIMENTO DE CONTROLE DIMENSIONAL TUBULAÇÕES

ENGENHARIA

Os comentários e sugestões referentes a este documento devem ser encaminhados ao SEQUI, indicando o item a ser revisado, a proposta e a justificativa.

SL
SERVIÇOS E LOGÍSTICA
Este documento normativo tem a validade de 2 (dois) anos a partir da sua edição, prazo máximo para a realização da próxima revisão. Este prazo poderá ser alterado em razão de requisitos operacionais, ou alterações em requisitos dos SNQC’s ou Sistema Petrobras.

SEQUI
CERTIFICAÇÃO QUALIFICAÇÃO E INSPEÇÃO

ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. TERMINOLOGIA 4. INSTRUMENTOS 5. DIMENSÕES A SEREM VERIFICADAS 6. PROCESSOS EMPREGADOS

Apresentação Este procedimento visa descrever os instrumentos e processos de Controle Dimensional na verificação de pré-fabricados de tubulações.

GESTOR: SL/SEQUI – CI

APROVADOR: SL/SEQUI - CI

UMBERTO EZIO ENRICO TOMASI Matrícula 610277-1

JOSÉ ANTONIO DUARTE Matrícula 572212-6

PROPRIEDADE DA PETROBRAS

16 páginas

A IMPRESSÃO E REPRODUÇÃO DESTE DOCUMENTO TORNA A CÓPIA NÃO CONTROLADA

C 01/Abr/2008 DATA 10/01/2005 11/04/2005 20/04/2007 01/04/2008 PROPRIEDADE DA PETROBRAS 2 .E-QP-ECD-077 CONTROLE DE REVISÕES REV. 0 A B C Emissão original Alterações nos itens 4 e 5 Revisão Geral Revisão Geral DESCRIÇÃO REV.

0 mm .Régua graduada de aço de 1 m menor divisão de 0. 4 INSTRUMENTOS .Fio de nylon de pesca Ø 0.PI-25SL/SEQUI-001. menor divisão 1 mm .Goniômetro resolução de 10 min . além da seguinte: Spool .Paquímetro resolução de 0. perpendicularismo ou alinhamento das linhas de centro de tubulações e flanges 3 PROPRIEDADE DA PETROBRAS . 5 m.Trena metálica graduada em 3 m. N-115 – Fabricação e montagem de Tubulações Industriais 3 TERMINOLOGIA São adotadas as definições constantes do Plano de Gestão Integrada do SEQUI .Prumo de aço .05 mm .Mangueira d’água Ø interno mínimo 10 mm Os instrumentos a serem empregados devem estar calibrados.Plano de Gestão Integrada do SEQUI.trecho de uma linha de tubulação fabricado em oficina para ser unido no campo a outros trechos pré-fabricados.Clinômetro resolução de 1 min .E-QP-ECD-077 1 OBJETIVO REV. 2 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PI-25-SL/SEQUI-001 .5 m . C 01/Abr/2008 Este procedimento tem por objetivo descrever os instrumentos e processos de controle dimensional empregados na verificação de pré-fabricados (spool) de tubulações.Esquadro graduado de aço com pernas de 0.5 a 1.Nível de bolha metálica .5 mm . 5 DIMENSÕES A SEREM VERIFICADAS Os desvios e dimensões a serem controlados são: comprimento de trechos retos distância entre derivações distância entre centros de flanges e conexões ângulo entre trechos de tubulações paralelismo.

3. O traçado das geratrizes deve ser feito conforme fig. 1.S p o o l n iv e la d o s o b r e s u p o r te . de preferência que formem ângulo reto e que estejam no mesmo plano. Depois do spool nivelado devem ser traçadas as geratrizes dos trechos retos de tubulação. C 01/Abr/2008 excentricidade das linhas de centro de flanges e linhas de centro de tubulações alinhamento de trechos retos de tubulações rotação das faces de flanges 6 PROCESSOS EMPREGADOS O primeiro passo para se executar o controle dimensional de um spool é nivelar dois trechos retos de tubulação do spool.E-QP-ECD-077 - REV. T R E C H O S N IV E L A D O S F ig . conforme Fig. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 4 . Estes trechos servirão de referência para se medir os desvios e dimensões de outros trechos e conexões do spool. O spool deve ser nivelado com auxílio de suportes reguláveis. 1 . 2 e fig.

E-QP-ECD-077 REV. ½ e ¾ do perímetro a partir da geratriz superior ou conforme a fig.Traçado das geratrizes superior e inferior Ponto médio geratriz lateral Fig. este será um ponto da geratriz superior. C 01/Abr/2008 nível de bolha ponto médiogeratriz superior esquadro com régua milimetrada Fig. Na figura 2 depois de colocado o esquadro no nível marca-se meio diâmetro a partir do esquadro. 4 e 5. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 5 . 2 . Os pontos da geratriz laterais e inferior poderão ser obtidos a ¼.Traçado das geratrizes laterais. 3. outros pontos da geratriz superior serão obtidos da mesma forma. 3 . Nivelado o spool e traçadas as geratrizes procede-se ao transporte para os flanges dos pontos correspondentes as geratrizes traçadas no tubo gerando os eixos x-x e y-y conforme figs.

Marcação nos flanges dos pontos correspondentes geratrizes dos tubos.. d) Tubo horizontal com flange horizontal uso de nível. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 6 . f) Tubo horizontal com derivação vertical e flange inclinado .E-QP-ECD-077 REV. Fig. 4 . b) Tubo horizontal com flange horizontal uso de prumo. c) Tubo horizontal com flange (derivação) uso de nível.uso de nível. C 01/Abr/2008 a) Tubo horizontal com flange horizontal uso de nível. e) Tubo horizontal com derivação vertical e flange inclinado.

xx ou então.E-QP-ECD-077 REV. na face do flange. 6. correspondentes às geratrizes do tubo. Determinar o ângulo da rotação do flange através da medição do ângulo ss .1 VERIFICAÇÃO DA ROTAÇÃO DOS FLANGES Determinar. conforme Fig. 7. determinar o deslocamento da furação (m-n y 2). pelo menos um eixo de simetria da furação (eixo s-s da figura 6). 5 – Obtenção dos pontos “Y” a partir dos pontos “X” . PROPRIEDADE DA PETROBRAS 7 . Depois de concluída a execução das referências passa-se a executar as verificações. C 01/Abr/2008 Ponto "X" Ponto "X" Ponto "y" Fig.

2 VERIFICAÇÃO DO PARALELISMO DA FACE E PROJEÇÃO DO FLANGE Tanto para flange com a face horizontal como vertical. C 01/Abr/2008 Fig. A verificação do perpendicularismo e concentricidade deve ser feita em duas posições ortogonais (eixos x-x e y-y).E-QP-ECD-077 REV.. determinar a distância da geratriz do tubo ao ponto “x” marcado em dois extremos do flange. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 8 . Para a direção perpendicular à indicada. A figura 9b apresenta uma alternativa quando houver possibilidade de girar de 90º o tubo com flange. 6. conforme figuras 8a e 8b. de acordo com esquema da figura 9a. para verificação somente do perpendicularismo.Determinação da rotação do flange através do ângulo.Determinação da rotação do flange através do deslocamento da furação. Fig. utilizar nível de bolha passando pelos pontos “y”. 6 . 7 .

C 01/Abr/2008 Para concentricidade devem ser feitas 4 medidas defasada de 90º cada e comparar os valores obtidos.E-QP-ECD-077 REV. 8 a – Verificação do paralelismo e projeção do flange em derivação PROPRIEDADE DA PETROBRAS 9 . Régua graduada Pontos"X" nível Geratriz superior Fig.

E-QP-ECD-077 Régua graduada Nível REV. 9a ) . Fig. 6.Uso do esquadro e régua. Ponto "X" Geratríz superior Geratríz lateral Fig. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 10 . C 01/Abr/2008 Ponto "Y" Régua metálica Ponto "X" Geratríz Ponto "X" b ) Verificação do paralelismo e projeção do flange na continuidade do tubo. 8b .3 VERIFICAÇÃO DO PERPENDICULARISMO DA FACE DO FLANGE E CONCENTRICIDADE ENTRE FLANGE E TUBO.Verificação do paralelismo do flange .

Ponto "X" Ponto "Y" Ponto "Y" Ponto "X" Ponto "Y" Ponto "Y" n m m n a ) Diâmetro da face do flange menor que o diâmetro do tubo. C 01/Abr/2008 Ponto "X" ( após o giro : ponto "Y") Geratríz Tubo nivelado b ) uso de nível. 9 . “b”. em ambos os lados. conforme figura 10. “c” para flange horizontal e “d” e “e” para flange vertical. O deslocamento na projeção do flange é dado pela metade da diferença entre os valores obtidos (m-n y 2). 6.E-QP-ECD-077 REV.4 VERIFICAÇÃO DO DESLOCAMENTO TRANSVERSAL AO EIXO DO TUBO DO FLANGE NA DIREÇÃO Com o auxílio de nível e régua metálica graduada medir o afastamento máximo entre a borda do flange e a geratriz do tubo. sendo “a”. b ) Diâmetro da face do flange maior que o diâmetro do tubo (ver alternativa na fig.Verificação do perpendicularismo. Nível de bolha Fig. 10c) PROPRIEDADE DA PETROBRAS 11 .

C 01/Abr/2008 Prumo m n Geratrìz Geratrìz c ) Alternativa da fig. Fig. n m Ponto "Y" d ) Diâmetro da face do flange menor que o diâmetro do tubo. 10 . 6.5 VERIFICAÇÃO DE DISTÂNCIAS LONGITUDINAIS E LOCAÇÃO Devem ser efetuadas de acordo com a fig.Deslocamento do flange na direção transversal.E-QP-ECD-077 REV. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 12 . conforme o caso aplicável. 11. 8b Régua Ponto "Y" Geratríz Ponto "Y" Régua n Nível Nível m Ponto "Y" d ) Diâmetro da face do flange menor que o diâmetro do tubo.

11 – Verificação de distâncias longitudinais e locação 6. d) Distância centro a centro entre tubos. Fig. nivelando o eixo principal e posicionado e a derivação em plano vertical.E-QP-ECD-077 REV.6 VERIFICAÇÃO DE ÂNGULO DE DERIVAÇÃO Efetuar conforme a figura 12. C 01/Abr/2008 Régua Ponto"Y" d Pontos "Y" Geratríz superior Ponto "Y" d a) Distância face a face Ponto "Y" b) Distância face a centro Régua metálica Pontos "Y" Régua Geratríz d c) Distância centro a centro entre flanges. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 13 d Pontos "Y" .

Tubo nivelado Goniômetro ou clinômetro Trena Esquadro = arc tg b a Geratriz c) Medição do ângulo de derivação por meio de cálculo. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 14 . nivelando o eixo principal e posicionando a derivação em plano vertical.7 VERIFICAÇÃO DE DESLOCAMENTO TRANSVERSAL DE DERIVAÇÕES Efetuar conforme figura 13. 6. 12 – Verificação de ângulo de derivações. C 01/Abr/2008 Goniômetro ou clinômetro Geratriz superior Geratriz superior prumo Geratriz superior b) Derivação inclinada verificação com clinômetro. Fig. a) Derivação ortogonal verificação c/ prumo ou nível.E-QP-ECD-077 REV.

Deslocamento transversal de derivações.E-QP-ECD-077 REV. 14 . C 01/Abr/2008 n m Geratríz latera Fig. b) Derivação contidas em planos perpendiculares.Verificação da distância longitudinal e locação das derivações. 13 . 6. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 15 .8 VERIFICAÇÃO DERIVAÇÕES DA DISTÂNCIA LONGITUDINAL E LOCAÇÃO DE Efetuar conforme a figura 14. d d a) Derivação contidas num mesmo plano. Para o caso “b” a peça é indicada em plano horizontal. Fig.

1.TOLERÂNCIAS PARA DISTÂNCIA FACE A FACE. PROPRIEDADE DA PETROBRAS 16 . 5 . 2) .ÂNGULO DE INCLINAÇÃO DO FLANGE EM RELAÇÃO A LINHA DE CENTRO DA TUBULAÇÃO: 90° +/_ 0. CENTRO A CENTRO: 3mm 2.5mm 3 . apresentados na seqüência. E 3 % COM PRESSÃO EXTERNA. MEDINDO DA MANEIRA INDICADA NA FIGURA.DESALINHAMENTO DOS FUROS POR ROTAÇÃO DO FLANGE EM RELAÇÃO À POSIÇÃO CORRETA: 1.AS TOLERÂNCIAS NÃO SÃO CUMULATIVAS. 4 5 3 2 Notas: 1) .5mm 5 4 . 7 . C 01/Abr/2008 As verificações e dimensões executadas devem ser analisadas de acordo com os critérios das tolerâncias de montagem da N-115.5mm 6 .9 TOLERÂNCIAS REV. FIGURA 1 .TOLERÂNCIAS DIMENSIONAIS Outros critérios podem e devem ser empregados quando uma outra Norma é especificada.5mm.E-QP-ECD-077 6.5°. 7 1 .ALINHAMENTO DA JUNÇÃO.EM TUBOS CURVADOS A DIFERNÇA ENTRE O MÁXIMO E O MÍNIMO DIÂMETRO (ACHATAMENTO) NÃO PODE SER MAIOR QUE 8 % DO DIÂMETRO EXTERNO.DESLOCAMENTO DO FLANGE OU DERIVAÇÕES DA POSIÇÃO INDICADA NO PROJETO: 1. COM PRESSÃO INTERNA.INCLINAÇÃO ENTRE TRECHOS SOLDADOS DE UMA MESMA LINHA: 2 mm em 1m.AFASTAMENTO MÁXIMO DO FLANGE DA POSIÇÃO INDICADA NO PROJETO: 1.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful