P. 1
TwilightRoteiroportugues.pdf

TwilightRoteiroportugues.pdf

|Views: 2|Likes:
Published by Flavio Braga

More info:

Published by: Flavio Braga on May 04, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/18/2015

pdf

text

original

Principais mudanças no roteiro Cena 1 - Mudou o animal de cervo para veado Cena 2 - Leves mudanças na seqüência e na descrição da cena

- Mudou-se a idade de Reneé de “40 anos” para “30 anos” - Mudou-se o carro de Phil de um “carro Subaru Wagon” para “carro wagon” Cena 11 - Mudou-se o diálogo de Charlie para “rolar você colina abaixo” (era “rolar você riacho abaixo”) Cena 23 - Mudou-se o seguimento da cena para “Fim de Tarde” (era “noite”) Cena 24 - Mudou-se o seguimento da cena para “Fim de Tarde” (era “noite”) - Leves mudanças na descrição da seqüência - Mudou-se a idade de Cora de “40 anos” para “30 anos” - Pequenas mudanças nos diálogos Cena 33 - Cortou-se a fala de Charlie “Tem de haver algum atrativo por aqui” Cena 35 - Leves mudanças na descrição da seqüência Cena 38 - Leves mudanças na descrição das seqüências - Cortou-se a fala de Charlie “Bella, Isabella Swan” - Cortou-se a fala do médico da emergência “Apenas alguns aranhões e hematomas” Cena 39 - Adicionou-se na fala da Bella “Aquela foi a primeira noite em que sonhei com Edward Cullen” Cena 40 - A cena omitida do sonho foi readmitida. Cena 41 - Leves mudanças na descrição da seqüência Cena 45 - Mudou-se o seguimento da cena para “Cozinha da Casa do Charlie” (era “Casa do Charlie”) Cena 48 - Mudou-se a descrição da cena de “Dois garotos Quileutes” para “Três garotos Quileutes” - adicionou-se um “Embry” extra - Cortou-se a fala de Jacob “Sam” Cena 50 - Leves mudanças na descrição da seqüência durante o ataque ao barco Cena 52 - Cortou-se “Os Frios” como referência Cena 60 - Mudou-se o segmento da cena para “Entrada do restaurante Waterfall” (era “Casa de Carnes”) Cena 61 - Adicionou-se uma cena com o segmento de “Pátio do restaurante” - Mudou-se a comida para “Mesquite de Salmão Assado” (era “ Massa à Primavera”) - Mudanças e adições nos diálogos Cena 64 - Mudou-se do segmento da cena para “Externa/Interna” (era “Externa”) - Mudou-se na descrição da cena

- Pequenas mudanças no diálogo Cena 78 - A cena omitida do sonho foi readmitida. Cena 79 - A cena omitida foi readmitida. Cena 83 - Leves mudanças no diálogo - Adicionou-se a seqüência do Programa de Culinária Italiana Cena 88 - Pequenas mudanças no diálogo Cena 90 - Mudou-se o segmento da cena para “Externa/Interna” (era “Externa”) - Mudou-se o seguimento da cena para “Fim de Tarde” (era “noite”) - Leves mudanças na descrição da seqüência Cena 92 - Mudou-se o segmento da cena para “Interna” (era “Externa”) - Leves mudanças no diálogo Cena 96 - Mudou-se o segmento da cena para “Campo de Baseball – Fim do Crepúsculo” (era “Estrada na Montanha – Noite”) - Pequenas mudanças nos diálogos Cena 97 - Mudou-se o segmento da cena para “Estrada na Montanha” (era “Rodovia”) - Pequenas mudanças no diálogo Cena 103 - Pequenas mudanças na descrição da seqüência - Pequenas mudanças no diálogo Cena 104 - Mudou-se o segmento da cena para “Forks Coffee Shop” (era “Forks – grupo de adolescentes”) Cena 111 - Omitida Cena 113 - Omitida Cena 114 - Adição de uma cena com o segmento “Floresta da Península Olímpica – Externa” - Leves mudanças na descrição da seqüência Cena 127 - Mudou-se o segmento da cena para “Interna/Externa” (era “Externa”) - Leves mudanças na descrição da seqüência Cena 133 - A ação é limitada especificamente ao set e a coreografia dos dublês - Adicionada um seqüência de sonho – Bella indo embora flutuando… Ínicio » CENA 01 SURGIR: Extensão da floresta, Parque Nacional do Olímpico, Washington – amanhecendo. Musgo drapejado. Sombra invadindo. Troncos de árvores torturados giram para cima, alcançando a rara luz do sol. BELLA (NARRAÇÃO): Eu nunca pensei muito sobre como iria morrer… De repente, cada criatura na floresta está excessivamente silenciosa. Nenhum pássaro,

animal ou inseto faz qualquer barulho. Um predador está próximo. Então à distância, se ouve um pequeno talhar – galhos se quebrando. Abruptamente nós estamos em movimento. Rápido. PONTO DE VISTA DESCONHECIDO – SE MOVENDO Árvores começam a açoitar por nós sob a velocidade vertiginosa, galhos se esquivam com a agilidade super natural. E nós aumentamos a velocidade, perseguindo alguma coisa. Está estimulante. Aterrorizante. Finalmente, logo adiante, nós damos uma primeira olhada em nossa presa – UM VEADO – Correndo atrás dele enquanto ele se lança ao labirinto da floresta. Ele corre a toda velocidade, mas nós nos aproximamos. Além do veado, VEMOS a beira da floresta mais à frente, a branca luz do sol brilhando contra as árvores. O veado corre para a luz. Nós vamos atrás, perto de emergir da escuridão das sombras – O veado SALTA na luz em um alto arco, pairando (de repente MOVIMENTOS LENTOS) contra a CLARIDADE do sol… então BAM! Ele mergulha abruptamente para fora da imagem sob um ângulo diferente, deixando a claridade preencher a tela. MANTER A CLARIDADE – BELLA (NARRAÇÃO): Mas morrer no lugar de alguém que eu amo parece uma boa forma de ir… – E na CLARIDADE surge o rosto de – ISABELLA SWAN, 17 anos. CENA 02 Olhos fechados contra a luz do sol, absorvendo os raios. Cabelos longos e escuros se ajustam em sua pele. Ela tem uma vulnerável, introvertida, imperfeita beleza. BELLA(NARRAÇÃO): … Então eu não posso me arrepender da decisão que me trouxe até aqui para morrer… O fundo toma foco enquanto nós percebemos que agora estamos em – EXT. SCOTTSDALE, AZ – DIA Bella para ao final na margem de um deserto sem saída. O sol a queima por trás dela – ela se curva e cuidadosamente raspa um pequeno CACTO em um pote de argila. BELLA(NARRAÇÃO): … A decisão de deixar a casa. Ela encara o cacto pensativa, até – LOIRA #1: Tchau, Bella! PONTO DE VISTA DA BELLA – DO OUTRO LADO DA RUA Três GAROTAS queimadas, atléticas e loiras saltam de uma Mercedes conversível. Seu belo bronzeado comprado-e-pago contrasta com a palidez natural de Bella. Elas acenam. LOIRA #1: Boa sorte em sua nova escola! Elas IMPROVISAM bons votos superficiais. “Não se esqueça de escrever,” “Sentiremos sua falta.” Bella acena de volta, docemente, mas indiferente conforme pisa para fora do meio-fio – BELLA: Tenham uma boa… – e tropeça. Quando ela se endireita, todas já se foram. BELLA: …vida. Claramente, não são amigas próximas. O comportamento adulto de Bella e sua inteligência natural se tornam aparente enquanto – MÃE DE BELLA, RENNÉE, 30 e poucos anos – sai da casa delas – que tem o aluguel um pouco mais barato para esta elegante vizinhança. René é eclética, espalhada, ansiosa, mais melhor amiga do que mãe. Ela entrega um celular à Bella. RENNÉE: Ele não funcionará de novo, querida. BELLA: Você o suspendeu. RENNÉE: Suspendi?

BELLA: Olhe. Você também ligou para o México. Renée a empurra de brincadeira, elas riem. RENNÉE: Eu descobrirei. Você tem que estar disponível para alcançar eu e Phil na estrada – eu amo dizer isso – na estrada. BELLA: Muito romântico. PHIL, 31 anos, boa aparência, corpo atlético, sai da casa carregando três malas de Bella com facilidade. PHIL: Se você chama motéis ruins, cidades afastadas e cachorros-quentes de estádios de beisebol de romântico. Ele coloca seu chapéu de beisebol Phoenix Desert Dogs na cabeça de Renée com um beijo. O amor de Phil por RenéE deixa Bella mais segura. Phil vai até o velho carro da família para colocar a bagagem, enquanto Renée passa seu braço pelo de Bella, a agarrando enquanto elas caminham ao carro. RENNÉE: Agora, você sabe que se mudar de idéia, eu voltarei correndo pra cá de qualquer lugar que estiver tendo jogo. Mas a expressão tensa de Renée nos diz que isso seria um grande sacrifício. Bella força um sorriso. BELLA: Eu não mudarei de idéia, mãe. RENNÉE: Talvez mude. Você sempre odiou Forks. BELLA: Não é sobre Forks, é sobre o papai. Quero dizer, duas semanas por ano, nós mal nos conhecemos. (fecha no olhar ainda preocupado de Renée) Mãe, eu quero ir. Eu ficarei bem. Mas conforme Renée abraça Bella, nós vemos a verdade no ROSTO DE BELLA – medo, dúvida, arrependimento. Fecha em Bella, lutando para manter sua fachada enquanto entra no banco de trás do carro. OS TÍTULOS COMEÇAM A SUBIR CENA 03 PONTO DE VISTA DA BELLA DO LADO DE FORA DA JANELA DO CARRO – SCOTTSDALE Bella, com os fones de seu IPOD nos ouvidos, dá uma última olhada de relance nos shoppings brilhantes, nos compradores elegantes, jardins de cactos bem armados. PÁRA E SAI DO CARRO ATÉ QUE NÓS ESTAMOS – EXT. SOBRE SCOTTSDALE (FOTOGRAFIA AÉREA) – CENA 04 A McMansions fica menor enquanto nós nos ARRASTAMOS PELA paisagem queimada, se queimando sob um sol quente. Além da casa se desenvolvendo, SE VÊ o deserto seco, rochoso, se estendendo por milhas… Sobe MAIS ALTO, e mais alto ainda, até que finalmente suspendemos com um CÉU azul, claro, perfeito, com somente uma nuvem ocasional… Vagarosamente, as nuvens começam a ficar mais numerosas, grossas, escuras… até que estamos completamente submersos a elas… o sol desaparecendo. Finalmente, nós EMERGEMOS das nuvens para encontrar por baixo – EXT. ESTADO DE WASHINGTON – PENÍNSULA OLÍMPICA (FOTOGRAFIA AÉREA) – CENA 05 Não há nada, mas florestas profundas, escuras e verdes por milhas. AVANÇA PARA BAIXO,procurando o assustadoramente dramático lago Lake Crescent. Por cima dele paira a neblina do sempre-presente céu cinza e nublado. Tudo está úmido e verde, e sombrio…

ENCONTRAMOS UMA PISTA DE MÃO DUPLA NA ESTRADA PRINCIPAL, em que viaja uma VIATURA POLICIAL… FOCAR na VIATURA até que nós alcançamos – A PASSAGEIRA NO CARONA Bella parece ausente, tomada por sua triste nova vizinhança… FIM DOS TÍTULOS CENA 06 DENTRO DA VIATURA Bella senta próximo ao seu pai uniformizado, chefe da polícia, CHARLIE SWAN, de uns 40 anos. Calado e introvertido como Bella. Seu tenso silêncio contrasta o relacionamento de Bella com sua mãe. CHARLIE: Seu cabelo está maior. BELLA: Eu cortei desde a última vez que te vi. CHARLIE: Acho que cresceu de novo. Ela apenas balança a cabeça. Silêncio. CHARLIE: Como sua mãe está? BELLA: Bem. Mais silêncio. Eles passam por uma PLACA: “A Cidade de Forks Lhe dá Boas-vindas – Pop. 3246” Bella suspira. CENA 07 FORKS WASHINGTON – Externa, dia. Enquanto o carro de policia passa, Bella absorve esta cidade madeireira – a fachada de todas as lojas são de madeira. A placa do museu Timber são dois madeireiros cortando um tronco. O DEPARTAMENTO DE POLÍCIA é um pequeno prédio de madeira à frente da prefeitura. CENA 08 CASA DO CHARLIE – Externa, dia. O carro de polícia para numa casa velha de dois andares. Há um casebre de madeira cheio de lenha. Há um barco na garagem, equipamentos de pesca e uma velha bóia. Bella sai do carro…lar. CENA 09 Bella e Charlie carregam as bagagens dela. A casa não é estilosa (a única coisa nova aqui é a TV de tela plana), mas é confortável, habitável. Há vários enfeites de pesca, fotos de Charlie pescando com o índio Quileute BILLY BLACK. Cartões artesanais escritos “Papai” e fotos de Bella. Ela faz uma cara de constrangimento para si mesmo, com 7 anos, sentada no chão, teimosa vestindo um tutu de ballet. CHARLIE: Eu coloquei a escrivaninha antiga do vovô no seu quarto. E clareei algumas prateleiras no banheiro. BELLA (faz careta): É mesmo. Só um banheiro. Os olhos de Bella param numa foto de um Charlie e uma Reneé bem mais novos, de férias, apaixonados. CHARLIE: Vou colocar estas coisas lá em cima no seu quarto. BELLA Eu posso fazer isso. Ambos vão pegar as bagagens, trombando-se embaraçosamente. Bella anda para trás deixando Charlie carregar as malas para cima.

CENA 10 QUARTO DE BELLA – Interna, dia. Uma antiga escrivaninha de rolo encontra-se no canto.O quarto é cheio de vestígios de infância, que já tiveram uma aparência melhor. Ela começa a tirar da mala suas caixas de CD, a solidão finalmente toma conta dela. Ela senta com pesar na beirada da cama, seus olhos lacrimejam. Então nós ouvimos uma BUZINA lá fora. Bella atravessa o quarto e olha pela a janela para ver… CENA 11 CASA DO CHARLIE – EXTERNA, DIA. Bella sai e encontra Charlie cumprimentando o motorista, JACOB BLACK, 16 anos, índio Quileute, amigável, com um longo cabelo preto, e expressões infantis em seu rosto. Os dois ajudam BILLY BLACK (das fotos) a sentar-se na cadeira de rodas. CHARLIE: Bella, você se lembra do Billy Black. BILLY: Estou feliz que você esteja aqui Bella. Charlie não para de falar desde de que você disse que estava vindo. CHARLIE: Continue exagerando que vou empurrá-lo ladeira abaixo. BILLY: Logo depois que eu te atingir nas canelas. Billy brinca de dar socos em Charlie que se desvia deles. Jacob sacode a cabeça, olhando para os dois pais, enquanto aproxima-se de Bella, envergonhado. JACOB: Eu sou Jacob. Nós fazíamos pudins de lama quando éramos crianças. BELLA: Sim…eu me lembro.(olha para o pai) Eles são sempre assim? JACOB: Está piorando conforme a idade. Charlie então dá um tapinha no capô da caminhonete e dirige-se para Bella. CHARLIE: Então, gostou do seu presente de boas vindas? BELLA: Fala sério! Essa caminhonete é pra mim? CHARLIE: Eu acabei de comprá-la do Billy aqui. JACOB: Eu reconstruí o motor e… BELLA: É perfeita! Ela sorri com alegria É o primeiro sorriso sincero que vemos nela. Ela corre para a caminhonete. Jacob se junta a ela entusiasmado. JACOB: Okay, então, você tem de pisar duas vezes na embreagem para mudar de marcha, mas… Ele lhe entrega as chaves enquanto ela sobe dentro da caminhonete. BELLA: Talvez eu possa lhe dar uma carona para a escola. JACOB: Eu freqüento a escola lá da reserva. BELLA: Que pena, seria bom conhecer pelo menos uma pessoa. Quando ela liga a caminhonete nós cortamos a cena para— CENA 12 CAMINHONETE DA BELLA – ESCOLA FORKS – EXTERNA, DIA. As cabeças viram, barulhentas, enquanto Bella estaciona o carro. Todos os olhos estão nela ao descer da caminhonete e pisar em uma poça que ensopa o seu tênis. Ela escapa para a escola quando começamos a cena. CENA 13 UMA SÉRIE DE TOMADAS – ESCOLA – INTERNA, DIA. Bella (nunca sem o seu IPod) anda, abrindo caminho no meio das crianças que a encaram descaradamente, alguns corajosos dizem oi. Todos estão falando dela. Este é seu inferno. - Ela vaga pelos corredores procurando pelos números das salas, perdida. - Olhares constantes em Bella, a forasteira ..

A série de tomadas termina quando um garoto, tagarela, nerd e uma gracinha, ERIC, aparece no meio do caminho. ERIC: Você é Isabella Sawn, a garota nova. Oi. Eu sou Eric. Os olhos e ouvidos deste lugar. Tudo o que você precisar. Guia turístico, companhia para o almoço, ombro para chorar. Bella apenas o olha. Esse garoto tá falando sério? BELLA: Eu sou do tipo que sofre silenciosamente. ERIC: Ótima manchete para o seu perfil. Sou do jornal, e você é notícia, querida, de primeira página. BELLA: Eu, não, eu não sou notícia. Tô falando sério. Nem um pouquinho… ERIC: Oh. Relaxe. Sem perfil então. BELLA (aliviada): Você se importaria em me mostrar o caminho para a sala do Sr. Varner? Ele lhe mostra o caminho, gostando os olhares atentos das pessoas, ela se contrai com vergonha deles… ERIC: Você perdeu a maior parte do semestre, mas eu posso te arranjar um professor particular, umas anotações, dispensas médicas… CENA 14 AULA DE EDUCAÇÃO FÍSICA – INTERNA, DIA. O time masculino de basquete treina numa metade da quadra. O jogo de voleibol das meninas ocupa a outra metade. Bella, usando roupas de educação física, evita a bola como se fosse radioativa. JESSICA, a energética e atlética capitã do time motiva as jogadoras. JESSICA: Bloqueia Chloe! Isso! Ótimo ataque! Infelizmente, a bola vai em direção a Bella. Ela fecha os olhos, e ataca dando um tapa na bola que sai da quadra— —e atinge um jogador de basquete na cabeça. Ele é MIKE NEWTON, bonito, amigável com cabelos loiros espetados. MIKE: Wow! BELLA (envergonhada, corre até ele): Você está bem? Eu disse para eles não me fazerem jogar. MIKE: É só um machucado superficial. Mike ri e Bella sorri, aliviada. O sinal toca e a aula acaba. MIKE: Você é a Isabella, certo? BELLA: Só Bella. MIKE: Sou Mike. Newton. Ele a encara por um segundo bem longo, visivelmente cativado por ela – Do nada Jéssica aparece, entrando no meio dos dois. Abruptamente, porém possessiva, ela o cutuca com uma cotovelada. JESSICA: Ela tem uma ótima sacada, não é? JESSICA (para Bella): Então, você é do Arizona, não é? As pessoas de lá não deveriam ter a pele bronzeada? BELLA: É por isso que me expulsaram de lá. Mike ri, e só por que ele riu, Jéssica também ri. Bella sente-se desconfortável com toda a atenção dada a ela. CENA 15 CAFETERIA – INTERNA, DIA. SEGUE Bella, Mike e Jessica enquanto eles carregam suas bandejas até a mesa. Eric aparece e se espremeu no banco próximo à Bella. ERIC: Mike, você encontrou minha garota de casa, Bella. MIKE: Sua garota de casa?

JESSICA (para Bella): É primeira série toda de novo, e você é o brilhante brinquedo novo. Bella sorri sem jeito. De repente, um FLASH cega Bella. Ela ergue os olhos à fotógrafa, ANGELA, a amiga doce, reservada e insegura de Jessica. ANGELA: Desculpem, precisava que a foto fosse natural – ERIC: Sem fotos, Angela. Não levante isso de novo. (para Bella) Eu te defendo, baby. ANGELA (Desapontada): Acho que nós só vamos rodar outro jornal sobre os jovens beberem. BELLA: Desculpe.Sempre tem pessoas com problemas de alimentação, ou acolchoamento Speedo no time de natação – ANGELA: -Espere, essa é uma boa… Mas a atenção de Bella agora está fixada em – PONTO DE VISTA DE BELLA – AS PORTAS DUPLAS DA CAFETERIA Elas balançam enquanto quatro das pessoas mais impressionantes que Bella já viu entram (em SLOW MOTION): OS CULLENS. Dois rapazes, duas garotas, todos de pele branca como giz, sombras arroxeadas embaixo de seus olhos… e todos devastadoramente bonitos. Eles se movem pelo lugar com uma graça natural, e sentam-se à mesa mais distante de Bella. Bella se inclina para Jessica e Angela. BELLA: Quem são eles? ANGELA: Os Cullens. Jessica se inclina, se virando para fofocar. JESSICA: São os filhos adotivos do doutor e da senhora Cullen. Eles se mudaram do Alaska há dois anos atrás. ANGELA: Eles meio que se isolam. JESSICA: Porque todos estão juntos. Tipo, juntos juntos. A garota loira, Rosalie, e o cara grande de cabelo enrolado, Emmett… EM ROSALIE, 18 anos, longos cabelos loiros, beleza de modelo, sabe disso. Ao lado dela está EMMETT, 17 anos, grande, musculoso, como halterofilista, mas um brilho travesso em seu olho. JESSICA: …E eles têm um caso. Eu nem sei se isso é permitido. ANGELA: Jess, eles não são mesmo parentes. JESSICA: Mas eles moram juntos. E a pequena garota de cabelos escuros, Alice, ela é realmente estranha… EM ALICE, 17 anos, parece uma fada, magrinha, andar gracioso com cabelos curtos e escuros apontando em todas as direções. Ela paira sobre JASPER, 18 anos, cabelo loiro cor de mel, alto, magro, levemente atormentado. JESSICA: …ela está com Jasper, o loiro que parece estar com dor. Digo, o Dr. Cullen é como este pai adotivo casamenteiro. ANGELA: Talvez ele me adote. Bella ri, gostando dela… então vê o último Cullen a entrar – EDWARD, 17 anos. Magro, com cabelo cor de bronze e bagunçado. Ele parece internamente misterioso. Mais jovem do que os outros. Mas o mais impressionante deles. Bella não consegue tirar os olhos dele. BELLA: Quem é ele? JESSICA: Aquele é Edward Cullen. Repentinamente, Edward olha, como se ele ouvisse Jessica pelo aposento. Seus olhos encontram os de Bella. Mas ele parece… confuso. Bella rapidamente olha para outro lugar.

JESSICA: Ele é lindo, obviamente. Mas aparentemente ninguém aqui é boa o bastante pra ele. Como se eu me importasse. (ela obviamente se importa) De qualquer forma, não perca seu tempo. BELLA: Eu não estava planejando isso. Mas Bella não ajuda, e dá uma espiada em Edward de novo. Ele está a encarando diretamente agora, com uma expressão levemente frustrada que intimida Bella. Ela se esconde por trás de seu cabelo. CENA 16

AULA DE BIOLOGIA – INTERNA, DIA. Uma sala com mesas de laboratórios pretas. Dois por mesa. Bella e Mike entram. Mike pega seu lugar e aponta ao MR. MOLINA, entusiástico professor de ciência, usando Birkenstock na liderança da sala. Enquanto Bella andou até o professor com seu papel da aula, ela nota – EDWARD – ele está de costas dela, sentado em uma mesa mais adiante. Mas ela passa pela mesa de Edward… CAMERA LENTA – a brisa que ela cria quando passa levanta um pedaço de papel próximo à Edward. Nós ainda estamos nas costas dele enquanto ele inala – então abruptamente endurece. Ele se agarra a beira da mesa, a esfarelando levemente. Ninguém nota. Mr. Molina pega o papel de Bella. MR. MOLINA: Bem-vinda, Senhorita Swan. Acompanhe o melhor que você puder até que entenda tudo. Mr. Molina indica o único lugar vazio…perto de Edward. Mas conforme Bella se aproxima, ela é surpreendida quando – NO ROSTO DE EDWARD – ele lentamente a olha, seus olhos carvão negro com repulsão, fúria. Se olhar pudesse literalmente matar… Bella bate na bolsa de alguém fora de suas cadeiras. Recoloca no lugar, murmurando uma desculpa. Então escapa relutantemente ao seu lugar. Edward se sacode para longe dela no canto extremo de sua cadeira. MR. MOLINA (para a classe, animado): Hoje nós vamos observar o comportamento da planária, conhecida por platelmintos. Enquanto Molina distribui dois pratos por mesa – MR. MOLINA: Nós vamos cortá-los ao meio, e observá-los se regenerar em dois vermes separados… Bella olha de relance para Edward, que desvia seu rosto, segurando uma mão em seu nariz enquanto cheira algo horrível. Bella, se encolhendo, funga o ar sutilmente, não cheira nada. Ela cheira seu cabelo. Está tudo bem. Ela fica perplexa. Mr. Molina entrega a Edward dois Pratos Petri. MR. MOLINA: …Sim, pessoal, vermes zumbis! Eles simplesmente não morrerão. Edward pega um prato, e desliza o segundo através da mesa para Bella, como se ela tivesse Ébola. Ela pega seu prato e faz uma cortina escura entre eles com seu cabelo. Ela pode ver as MÃOS DE EDWARD embaixo da mesa. Se apertando em punhos. Fecha em Bella, totalmente confusa, e profundamente insegura… CENA 17 ESCOLA – CORREDOR – INTERNA, DIA. – quando o SINO TOCA, Edward escapa porta afora. As outras crianças e Bella saem um momento depois. Bella olha ao corredor; ele se foi.

CENA 18 DIRETORIA – INTERNA, DIA. Bella entra, mas quase se vira e sai quando ela vê – EDWARD bajulando a enfeitiçada diretora, de uns 40 anos. Ele não vê Bella entrar. EDWARD: Deve ter alguma coisa aberta no sexto período. Física? Bioquímica? DIRETORA: Não, todas as classes estão cheias. Temo que você tenha que ficar em biologia. Me desculpe. Bella fica pálida. A diretora a vê e faz um gesto a pedindo para esperar um minuto. Mas de repente Edward se ajeita como se sentisse Bella. Ele se vira lentamente para olhá-la furiosamente com olhos perfurantes, cheios de ódio. Ela apóia na parede, abraçando a si mesma, repentinamente com calafrios… com medo. EDWARD (para a diretora): Eu vou simplesmente…aguentar isso. Ele caminha para fora da porta. Fecha em Bella… CENA 19 ESCOLA – EXTERNA, DIA. Edward sobe em um brilhante Volvo prateado com os Cullens, enquanto Bella, chateada, corre para sua caminhonete.Os muitos olhos que ainda estão a observando, colocam mais lenha na fogueira… Finalmente, ela alcança – CENA 20 CAMINHONETE DE BELLA (CONTÍNUO) – INTERNA, DIA. – e fecha a porta. Seus olhos bem… mas ela luta com isso, irritando-se. BELLA: Imbecil. Enquanto ela tentar dar partida no carro, abafando o motor, nós começamos a ouvir uma respiração amedrontada, irritada de um homem – CORTA PARA:

CENA 21 GUARDA DE SEGURANÇA – NO ESCURO Extremamente apertado em seu ROSTO apavorado, pingando suavemente, com curtas arfadas de respiração, tentando desesperadamente não fazer barulho. INCLUI – CENA 22 INTERNA GRISHAM MILL – FIM DA TARDE. – Ele está encolhido no canto escuro. Mas então vê uma SOMBRA se mover rapidamente por ele. Ele se sacode e então outra SOMBRA voa, rápida demais para seguir. Ele FOGE! Corre para a passagem das escadas, luzes grossas do exterior do moinho o cortando. Ele se move o mais rápido humanamente possível – PONTO DE VISTA DESCONHECIDO – NA GUARDA DE SEGURANÇA MUITOS ANDARES ABAIXO PONTO DE VISTA DESCONHECIDO carregam atrás dele em uma VELOCIDADE INUMANA neste labirinto de pilastras e caminhos. Nós desviamos de esqueletos triturados sob a luz, PULAMOS de um andar ao outro, acima da escada, armação, luzes, acima e acima, chegando mais próximo e mais próximo para – A GUARDA DE SEGURANÇA – que desesperadamente corre por sua vida, olhando sobre os ombros com pavor. PONTO DE

VISTA DESCONHECIDO está se aproximando dele, mas então ele FOGE pela porta – CENA 23 EXTERBA GRISHAM MILL (CONTINUA) – FIM DA TARDE – O guarda INVADE o degrau, mas perde seu piso e TROPEÇA, respirando pelo corrimão e arfando sobre o lado — e pára, pairando no ar— E pára, flutuando no ar, a 90 cm do chão. Uma MÃO, agarra sua camisa, e o arremessa pelo ar e fora da tela com uma forma incrível. Seu grito devastador é engasgado quando o SANGUE SE ESPELHA ASSIM QUE ELE CAI NO CHÃO… CENA 24 FORKS COFFEE SHOP – INTERNA, FIM DE TARDE CÂMERA EM UM BIFE que está na frente de Charlie. Ele divide uma mesa com Bella. INCLUÍR a garçonete, CORA, na casa dos 30. Ela sorri para Bella quando coloca um prato de bacalhau na sua frente. Há vários MADEREIROS no balcão que sorriem calorosamente para Bella. Ela se encolhe de vergonha com a atenção toda. Charlie não percebe nada. CORA: Não acredito como você cresceu. E como está bonita. Bella olha para Charlie, que continua olhado para o seu bife. Um barbudo e hippie madeireiro, WAYLON FORGE, 50 anos, aparece atrás de Cora, inclinando sobre seu ombro em direção à Bella WAYLON: Lembra-se de mim querida? Eu fui o Papai Noel um ano. CHARLIE: Waylon, ela não passa o Natal aqui desde que tinha 4 anos. WAYLON: Mas eu acho que me saí muito bem. CHARLIE: Você sempre se sai. CORA: Deixe a garota comer o bacalhau dela Waylon. CORA (PARA BELLA): Quando você terminar vou trazer o seu favorito – torta de frutas silvestres – lembra? O seu pai ainda a come. Toda quinta feira. BELLA (não lembra disso nem um pouco): Isso seria ótimo. Muito obrigada. Cora espanta Waylon. Charlie e Bella são deixados em paz, ambos tentam pegar o sal e batem suas mãos uma na outra. Charlie muda e tenta pegar o ketchup ao invés do sal. Há silêncio enquanto comem. Espalhafatosas risadas de uma família perto deles, apenas servem para enfatizar o desconforto dos dois. Bella tenta criar uma ponte. BELLA: Então…Você come aqui todas as noites? CHARLIE: É mais fácil do que lavar os pratos. BELLA: Eu cozinho. Ele olha para cima, como se estivesse confuso com a idéia. BELLA: Eu cozinhava em casa – em Phoenix. A mãe não é muito boa na cozinha. CHARLIE: Eu me lembro… Ambos riem – lembrando-se de um jantar especificamente ruim. CHARLIE: Como foi a escola? Conheceu muita gente? BELLA: Algumas pessoas…Você conhece a família Cullen? CHARLIE (olha para cima irritado): As pessoas estão falando sobre eles novamente? BELLA: Não…Bem, um pouco. CHARLIE: É só porque são novos aqui. Nós temos sorte de ter um cirurgião como o Dr. Cullen na nossa espelunca de hospital. Sorte, que a esposa dele quis morar numa cidade pequena. Sorte que os filhos deles não são que nem os endiabrados daqui. BELLA: Ok. CHARLIE: É que eu não gosto de pessoas mente fechada. E ele retorna o olhar para a sua comida. Silêncio. CENA 25 QUARTO DE BELLA – INTERNA, NOITE

Bella olha para a neblina lá fora enquanto fala ao telefone. RENE: Se o treinamento de primavera for bem, nós poderemos morar permanentemente na Flórida. OPERADORA: Coloque 25 centavos para continuar. BELLA: Mãe, onde está o seu celular? CORTAMOS PARA: CENA 26 POSTO DE GASOLINA/GARAGEM – EXTERNA, NOITE Com o celular sem bateria em suas mãos. Na garagem, atrás, Phill e um frentista mexem no motor da Subaru. RENÉE: Ok, eu não perdi o meu carregador. Ele falhou do nada. Berrando. Eu literalmente repugno a tecnologia agora. Bella sorri, sentindo falta de sua mãe. Renée põe uma moeda de 25 centavos no telefone. RENÉE: Me conte mais sobre a sua escola querida. Como são as crianças? Têm algum cara bonitinho? Eles estão te tratando bem? BELLA (mordendo os lábios, mentindo.): Eles têm sido bem… Acolhedores. CLOSE NO ROSTO DE BELLA, ficando irritada novamente quando… FLASH PARA – ROSTO DE EDWARD, SEUS OLHOS NEGROS COMO CARVÃO, FÚRIA… CORTA PARA: CENA 27 ESCOLA, MANHÃ (ANTES DA AULA) – EXTERNA. CÂMERA NA BELLA, sentada numa mesa, com um livro aberto em seu colo. Mas seus olhos estão nas crianças que chegam e no estacionamento enquanto elas param os carros. Ela está esperando por Edward. Perto dela, Jéssica, Ângela, Mike e Eric brincam de chutar uma bola de futebol. Eles acenam para ela se juntar a eles, mas ela sorri recusando…E volta a procurar por Edward. O seu rosto demonstra que está pronta para confrontá-lo. CENA 28 AULA DE BIOLOGIA – MESMO DIA Bella entra…Porém pára, surpresa ao ver a sua mesa do laboratório vazia. A câmera sai de Bella que está frustrada CENA 29 REFEITÓRIO – NUM DIA DIFERENTE, INTERNA Bella senta-se com Jéssica e Ângela para ver um vídeo no YouTube no celular que está com elas. Bella dá uma olhada ao redor, mas é deslumbrada pela mesa dos Cullens—apenas quatro deles. O lugar de Edward está vazio… CENA 30 BANHEIRO DAS MENINAS – NUM OUTRO DIA DIFERENTE, INTERNA. Bella está lavando suas mãos, então, olha para cima no espelho, e se surpreende ao encontrar Rosalie e Alice atrás dela. Elas analisam Bella. Rosalie com olhos arrepiantemente frios, Alice com curiosidade. Bella, incomodada, apressa-se para sair dali. CENA 31 ESCOLA FORKS – EXTERNA – DIA DIFERENTE Bella sai da escola junto com Ângela, Mike, Jéssica e Eric, fazendo parte do grupo. Agora, ela olha para o carro de Rosalie, uma BMW M3 vermelha, enquanto o carro passa, se nota novamente apenas quatro Cullens, sem Edward. Bella retorna para seus amigos, finalmente esquecendo dele…

A SÉRIE DE CENAS TERMINA e vamos para– CENA 32 SALA CASA DO CHARLIE – MANHÃ, INTERNA A casa está mais organizada, atrativamente arrumada, obviamente Bella deu seu toque ao lugar. Ela passa pela sala, dobrando a jaqueta de Charlie e deixando-a arrumada. Ela pega sua mochila— BELLA: Pai estou saindo. CENA 33 CASA DO CHARLIE – EXTERNA, MANHÃ (CONTINUAÇÃO). CLOSE NO ROSTO DE BELLA quando ela abre a porta e pára, um aborrecimento a prenche. Está chovendo bastante – o quintal está cheio de poças, algumas congeladas. Bella treme e abraça seu casaco bem apertado. BELLA: Ótimo. A câmera se move rápido para a frente da casa enquanto Charlie estaciona – dirigindo a caminhonete dela. BELLA: Pai, eu posso ir sozinha para a escola. Ao descer os degraus, ela não percebe que algo a está observando — PONTO DE VISTA DESCONHECIDO – VINDO DAS ÁRVORES –rastreando todos os movimentos de Bella enquanto ela escorrega e cai numa poça de gelo. CHARLIE: Você tá bem Bells? BELLA: O gelo não ajuda os descordenados. CHARLIE: Foi por isso que coloquei pneus novos Ela olha para sua caminhonete – sim, quatro pneus novos. CHARLIE: Os outros estavam quase carecas. BELLA: Você trocou os pneus pra mim. Nunca ninguém fez isso antes. Charlie olha para ela, confuso. BELLA: Quero dizer…Esquece. Fica obvio que ele não entendeu enquanto anda para seu carro. CHARLIE: Vou me atrasar para o jantar. Estou indo para o condado de Mason. Um segurança do Grisham Mill foi morto por um tipo de animal… PONTO DE VISTA DESCONHECIDO – OLHANDO PARA BELLA E CHARLIE, enquanto ele fala… BELLA: Um animal? CHARLIE: Você não está mais em Phoenix querida. Eles estão caçando o animal faz uma semana e ainda não deram sorte. Pensei em dar uma mão. BELLA: Tenha cuidado. CHARLIE: Eu sempre tenho. CÂMERA DE VOLTA EM BELLA… BELLA: E obrigada. Pelos pneus. Ele vê emoção em seus olhos. Não entende, mas faz um aceno com a cabeça e entra no veículo. Bella olha para os pneus novamente, sensibilizada de uma forma estranha… CENA 34 CENA 34 OMITIDA CENA 35 AULA DE BIOLOGIA/CORREDOR – INTERNA, DIA. A chuva cai no telhado enquanto Eric entra na sala com Bella. Ela tira as gotas d’água de seu casaco enquanto ele conversa com ela. ERIC: …E sim, o comitê de baile é uma coisa de meninas, mas eu vou ter de cobrir para o jornal de qualquer jeito mesmo, e eles precisam de um cara para ajudar a escolher a música—Então vou precisar da sua lista de músicas.

Bella está prestes a responder quando Mike aparece atrás dela. MIKE: Vamos Arizona. Diga olá para a chuva. E ele sacode seu boné de baseball molhado na cabeça dela. BELLA: Que ótimo. Ela caminha em direção ao seu lugar, tirando a água de seu cabelo. Mas ela congela quando vê — Edward. Bella fica ereta, juntando suas forças. Então anda para a mesa, e com confiança, coloca seus livros na mesa, pronta para falar com ele. Mas ele olha para ela – EDWARD: Olá. Bella pára. Abismada. Ele é direto, preciso, como se cada palavra fosse um esforço para ele. EDWARD: Não tive a chance de me apresentar. Meu nome é Edward Cullen. Ela está muito chocada, com fato de que ele está falando com ela, para responder. EDWARD (estimulando a conversa): …Você é Bella. BELLA: Sou…Sim. Sentindo-se como uma idiota, ela senta-se rapidamente. Ele subitamente se move para a ponta extrema de seu assento. Ela fica mais envergonhada ainda. MR. MOLINA (fala para sala): Células de raízes de cebola! É isto que encontra-se nas suas lâminas. Separe-as e classifiquem-nas nas fases da mitose. A primeira dupla que acertar tudo ganha…Uma cebola de ouro! Ele mostra com empolgação uma cebola pintada. Todos apenas olham para ele. Ele fica desapontado com a indiferença dos alunos. MR. MOLINA: Vamos pessoal, o tempo está passando. Todos começam a trabalhar. Edward empurra o microscópio para Bella, mantendo sua distância, sua voz está controlada. EDWARD: As damas primeiro. Ela pega o microscópio defensivamente e põe a primeira lâmina, ajustando as lentes. Ela é direta ao falar com ele. BELLA: Você ficou um tempo fora. EDWARD: Estava fora da cidade. Por motivos pessoais. Ela olha para ele, mas ele inclina-se para longe, seu rosto tenso. Ela olha de volta para o microscópio. BELLA: Prófase. Ela começa a mudar a lâmina. EDWARD: Posso olhar? Ela desliza o microscópio para ele. Ele olha pelas lentes. EDWARD: Prófase. BELLA (murmurando): Como eu disse. Ele escreve o resultado no trabalho. E então respira, como se tentasse acalmar-se, e vira para ela com um enorme esforço. EDWARD: Aproveitando a chuva? BELLA: Você está falando sério? Você está me perguntando sobre o tempo? EDWARD: É o que parece. BELLA: Não, não gosto do frio. Ou da umidade. Ou do cinzento. Ou das parkas. Ou de golas rolê. Isso foi um sorriso em seus lábios? Pela a primeira vez, ele parece mais intrigado do que agonizado. Ele a analisa. Ela ainda não sabe dizer que ele a despreza ou não. Isso é tão enfurecedor. BELLA: O quê foi? Ele balança a cabeça e volta para o microscópio, mudando a lâmina. Ela olha para ele. E continua olhando… PONTO DE VISTA DE BELLA – CLOSE NO ROSTO DE EDWARD Suas bochechas, seus lábios. Tão perfeitos, como uma escultura… EDWARD: Anáfase. Ela volta para a realidade. Tentando esconder o que fazia com um olhar sério.

BELLA: Posso? (Ela olha pelas lentes) BELLA: Anáfase. EDWARD: Como eu disse. Ela olha para ele, e desta vez vê um sorriso. Ela simplesmente estende sua mão para que ele lhe dê a outra lâmina. EDWARD (entregando a lâmina): Se você odeia o frio e a chuva, porque se mudou para a cidade continental mais úmida do EUA? BELLA: É complicado. EDWARD: Acho que consigo acompanhar. Ele realmente parece interessado. Ela olha no microscópio enquanto fala— BELLA: Minha mãe se casou novamente. EDWARD: Muito complexo. E você não gosta dele. BELLA: O Phil é OK. Novo para ela, mas é legal o suficiente. (Olha para o slide) Interfase. CORTA PARA O SINO DA ESCOLA: CENA 36 CORREDOR DA ESCOLA – MOMENTOS DEPOIS – INTERNA. Bella sai da sala segurando a cebola de ouro, e praticamente tromba com Edward que está bem na sua frente. EDWARD: Porque você não ficou com sua mãe e seu padastro? Ele espera por uma resposta, analisando-a, como se tentasse decrifá-la. Ela é atraída pela a atenção que ele dá a ela, estranhamente coagida. BELLA: Certo, Phil joga na liga menor de baseball, então viaja bastante. Minha mãe ficava em casa comigo, mas isso a deixava infeliz. Então eu decidi que era hora de passar uns tempos com meu pai. EDWARD: Mas agora você está infeliz. BELLA: Não…Eu – Eu apenas… Ela lhe dá as costas – envergonhada, vulnerável. EDWARD: Só estou tentando entender você. É muito difícil te ler. Ele claramente está tentando lê-la agora… Os olhos deles encontram-se novamente. Mas agora ela o observa melhor. BELLA: Você está usando lentes? EDWARD: …Não. BELLA: Seus olhos eram pretos antes, e agora eles estão marrom dourado ou — EDWARD: É a luz fluorescente. Ele de repente dá as costas e sai andando. Quando ele faz isso, Bella percebe – AS MÃOS DELE com o punho fechado. A câmera vai saindo de Bella que está abobada, intrigada e frustrada. CENA 37 EXTERNA. ESCOLA – ESTACIONAMENTO A chuva parou, mas a garagem do estacionamento está cheia de água e manchado com gelo escuro. Tremendo, Bella vai até sua picape, carregando a cebola, cuidadosamente passando pelas poças de gelo. Conforme ela alcança a picape, olha pelo estacionamento Edward está parado em seu Volvo prateado com seus irmãos, prestes a entrar. Seus olhos se encontram por um momento… então ele olha em direção ao som de um berrante GRITO, que rapidamente fica MAIS ALTO… Bella se vira para ver uma VAN – derrapando no gelo, saindo do controle, em direção a ela. O TEMPO de repente se quebra, ficando imóvel, então explode em velocidade enquanto – – OS ROSTOS DOS ESTUDANTES – em choque, olham o que está vindo. – O ROSTO DO MOTORISTA DA VAN – TYLER, desesperadamente tentando ganhar controle, e então cobre seu rosto.

– O ROSTO DE EDWARD – olhando para Bella com pavor… A VAN está para bater na picape de Bella, com ela parada entre elas, quando repentinamente, alguma coisa empurra Bella para baixo, a fixando no chão. Ela ergue o rosto – Edward está em cima dela. O mundo em volta deles CONGELA — nesta fração de segundo, sua proximidade está devastadora, eletrificante. Ele sente seu cheiro, ela olha para o rosto perfeito dele… Abruptamente, nós VOLTAMOS A VELOCIDADE com várias coisas acontecendo rapidamente, nós, e Bella, não temos certeza do que está acontecendo: - A VAN SE CHOCA de volta à picape de Bella – – Então GIRA, uma vez mais em direção a ela e Edward, e de repente – – AS MÃOS DE EDWARD criam um profundo amasso na porta da van enquanto lutava para parar, próximo a Bella. – Edward literalmente empurra a van para longe. Então silêncio. Uma longa batida, anulando qualquer som, enquanto Bella olha para Edward, tentando absorver o que acabou de acontecer. O medo de Edward para que ela ainda estivesse viva em seu rosto. Ela começa a falar, mas… OS GRITOS começam, gritaria, chamadas por ajuda. Pessoas saltam para ajudar Tyler, correm para Bella e Edward. Bella VÊ a ‘cebola’ no chão, esmagada como ela deveria estar. Enquanto todos se arrastam, Edward se mexe ao chão. Mike e Eric correm até Bella – MIKE: Você está bem? Está… machucada? ERIC: O que aconteceu? Alguém viu o que aconteceu? No meio do caos, Bella vê os IRMÃOS DE EDWARD olhando para ele. Mas eles não demonstram preocupação com sua segurança. Ao invés disso, eles o olham com desaprovação… e fúria. CENA 38 INTERNA HOSPITAL – ÁREA DE TRATAMENTO . As portas duplas SE ABREM enquanto Charlie entra, seu rosto pálido de terror. Ele se apresenta – BELLA – Sentada em uma maca, o DOUTOR do Pronto Socorro olhando os olhos dela com a lanterna. Na maca ao lado, Tyler, o motorista da van, deita com um pequeno ferimento na cabeça. Charlie se apressa. CHARLIE: Bells. Você está bem? BELLA: Estou bem, pai. Calma. TYLER: Me desculpe, Bella. Eu tentei parar; BELLA: Tudo bem, Tyler. CHARLIE: Pro inferno que está bem. BELLA: Pai, não é culpa deleCHARLIE (severo, a interrompendo): Nós quase perdemos você. BELLA: Mas não perderam. Ele a abraçaria, se isso fosse quem ele, ou ela, fossem. Ao invés disso, ele olha furioso para Tyler. CHARLIE: Você pode dar um beijo de despedida em sua carteira de motorista. DR. CULLEN : Ouvi dizer que a filha do chefe estava aqui. Eles olham para DR. CARLISLE CULLEN, beirando os 30 anos, loiro, lindo como um galã de filme. Seu rosto é amável, mas pálido, cansado. CHARLIE: Ótimo. Dr. Cullen. DR. CULLEN (Para o doutor do pronto socorro): Eu pego este aqui, Jackie. O médico do pronto-socorro entrega os papéis a Dr. Cullen e sai. Dr. Cullen lê e sente a parte de trás da cabeça dela enquanto… DR. CULLEN: Você tem um bom nó crescendo aqui, mas seus raio-x não mostram indicação de concussão. TYLER: Me desculpe, Bella. Estou realmente – Charlie abruptamente puxa a cortina entre eles.

BELLA: Teria sido muito pior se Edward não tivesse me tirado do caminho. CHARLIE: Edward? Seu garoto? Dr. Cullen rapidamente olha de volta aos papéis. A intuição de Bella vacila, sentindo que ele sabe de alguma coisa. Ela pressiona. BELLA: Foi incrível como ele me tirou tão rápido. Ele não estava em nenhum lugar perto de mim. DR. CULLEN (sorri): O importante é que está segura. CENA 39 INTERNA HOSPITAL – RECEPÇÃO Charlie e Bella saem da área de tratamento. CHARLIE: Eu tenho que assinar umas papeladas. Melhor você ligar pra sua mãe. BELLA: Você contou a ela?! Ela deve estar enlouquecendo. Ele encolhe os ombros e sai apressado. Bella sacode a cabeça, puxa seu celular. Está prestes a discar, mas ela olha abaixo ao corredor… PONTO DE VISTA DE BELLA – EDWARD, ROSALIE, E DR. CULLEN Rosalie está claramente furiosa com Edward, que está parado no chão. Dr. Cullen está intermediando. ROSALIE: Isso não é só assunto seu, é sobre todos nós – Dr. Cullen vê Bella e pára Rosalie – DR. CULLEN: Vamos falar disso em meu escritório. Rosalie olha furiosa para Edward enquanto sai com Dr. Cullen. Edward adora uma fria postura enquanto Bella se aproxima, determinado. BELLA: Posso falar com você um instante? (fecha nele acenando com a cabeça) Como você chegou em mim tão rápido? EDWARD: Eu estava bem ao seu lado. BELLA: Você estava perto do seu carro, do outro lado do estacionamento. Ele se aproxima dela. Sua expressão se torna rígida como gelo. EDWARD: Não, eu não estava. Ela não se sente intimidada. Se aproxima dele. BELLA: Sim, você estava. EDWARD: Você está confusa. Bateu sua cabeça. BELLA: Eu sei o que vi. EDWARD: E o que você viu, exatamente? BELLA: Você parou aquela van. Você a empurrou para longe. EDWARD: Ninguém acreditará nisso. BELLA: Não estou planejando contar pra ninguém. Isso registra com Edward. Eles estão centímetros um do outro, a tensão aumenta. BELLA: Eu só quero saber a verdade. EDWARD: Você não pode simplesmente me agradecer e esquecer disso? BELLA: Obrigada. Uma longa vibração enquanto eles estavam se olhando, com raiva, defensivos… e sem dúvida, atraídos. EDWARD: Você não vai deixar isso pra lá, vai? BELLA: Não. EDWARD (se vira, anda para longe): Então eu espero que goste de se decepcionar. BELLA: Por que você se incomodou então? Ele pára, uma vibração. Olha de volta para ela, inesperadamente vulnerável. EDWARD: …Eu não sei. E continua andando. Fecha em Bella, confusa, frustrantemente atraída, e totalmente determinada a descobrir a verdade. BELLA : Aquela foi a primeira noite que eu sonhei com Edward Cullen…

CENA 40 SEQÜÊNCIA DO SONHO – DEBAIXO D’ÁGUA Bella nada, pele branca incandescente, cabelos flutuando, sensualmente… de repente, alguma coisa PASSA POR ELA. Ela gira. Se foi. Alguma coisa PASSA POR TRÁS DELA. Ela se vira de novo — para se encontrar cara a cara com – Edward… Bella o alcança, mas ele abruptamente se lança para trás, fora de alcance. – CORTA PARA: – CENA 41 INTERNA NO QUARTO DE BELLA – BELLA – NOITE - Enquanto ela acorda de repente. Naquela fração de segundo, na escuridão, ela VÊ Edward observando-a. Ela ACENDE a luz – o quarto está vazio. Ela estava sonhando? CENA 42 CENA EXTERNA NA ESCOLA – ESTACIONAMENTO Bella está de pé no exato local do acidente. Atrás dela, no gramado, vários alunos se juntam, se preparando para uma excursão. O Sr. Molina está no comando. SR. MOLINA: Tenham certeza que eu pegue as suas permissões. IMAGEM NO ROSTO DE BELLA olhando para as marcas de pneu no asfalto… Flashback na van vindo diretamente na direção dela – Flashback nas mãos de Edward parando a van – Flashback para Edward em cima do corpo dela, a proximidade, a eletricidade – De volta para Bella, ficando corada por causa da memória. Então ela VÊ Edward chegando com Alice e Jasper. Ela o observa quase sem perceber quando Mike corre até ela – MIKE (Imitando Dr. Frankenstein): Olha! Você está se movendo. Você está viva! BELLA: …é, alarme falso… MIKE: Na verdade eu estou feliz que você não esteja morta porque – bem, isso seria uma droga, além do mais eu queria te convidar – apesar de ainda faltar, tipo, um mês… Mas Bella está distraída por Edward. A voz de Mike vai sumindo enquanto… PONTO DE VISTA DE BELLA – DO OUTRO LADO DO GRAMADO Edward, de cabeça baixa, está conversando baixinho com Alice e Jasper. Abruptamente ele olha pra cima, como se estivesse ouvindo ela e Mike, apesar dele estar longe demais pra ouvir. Bella rapidamente volta a prestar atenção em Mike. MIKE: E então, o que você acha (sem prestar atenção na expressão desligada dela)? Você quer ir? Ao baile. Comigo. BELLA (se dando conta, horrorizada): Baile. Como em dança. Eu, uh – tenho que ir – a um lugar. A Jacksonville. É. MIKE: Você não pode ir num outro fim de semana? BELLA: A passagem não é reembolsável. Talvez você pudesse convidar Jéssica. Ela sorri para eles – De repente Edward passa na frente de Jéssica. Ele parece estar sorrindo… CENA 43 CENA INTERNA NA ESTUDA DA UNIVERSADE DA COMUNIDADE – EXCURSÃO O Sr. Molina e um guia turístico levam várias dezenas de estudantes até uma estufa. Bella fica de olho em Edward que está à frente com Alice e Jasper. O Sr. Molina demonstra uma máquina enquanto vários estudantes fazem bagunça. SR. MOLINA: Vamos, Eric, coloque isso bem no fundo… isso mesmo… (a máquina faz barulho e começa a rodar)… Agora, Tyler, pegue uma grande xícara de “chá misturado”. Esse é o nível mais básico da reciclagem – ei, não beba isso! Quando Bella vê Edward parar sozinho perto de uma samambaia, ela respira fundo pra ter coragem e vai até ele.

BELLA: Olá, Edward. Ele olha para ela, apenas balançando a cabeça. Nós reparamos os pulsos dele se apertando, e soltando. Bella olha para ele, assustada com a atitude rude. BELLA: Sério? Nenhuma resposta. Ela se vira, começa a ir embora. EDWARD: O que há em Jacksonville? Ela se vira pra ele BELLA: Como você ficou sabendo disso? EDWARD: Você não respondeu minha pergunta. BELLA: Você não respondeu nenhuma das minhas. Você nem sequer diz ‘oi’. EDWARD: Oi. BELLA: Como você parou aquela van? EDWARD: Alta dose de adrenalina. Muito comum. Procure no google. BELLA (sem acreditar): Pessoas da Flórida. É isso que tem em Jacksonville. Ela se vira pra ir embora e tropeça na mangueira de irrigação. Edward a ampara, sentindo o cheiro dela – ainda tão poderoso… Ele aperta a mandíbula. Edward: Ajudaria se você, de fato, visse onde enfia os pés. Insultada, ela continua andando. Ele acompanha, sério agora. Edward: Eu sei que fui rude, mas isso é o melhor. Ela olha pra ele como se ele estivesse maluco. Ele se afasta enquanto Jessica se aproxima de repente. JESSICA: Adivinhe quem me convidou para o baile! Bella sorri. JESSICA: Eu pensei que Mike fosse convidar você, Bella. A situação vai ficar chata? BELLA: De jeito nenhum. Nada disso. Vocês são ótimos juntos. JESSICA: É mesmo, não é? Sorridente, Jessica corre se aproximando de Ângela. Bella anda até a porta que leva até – CENA 44 CENA EXTERNA NA ESTUFA DA UNIVERSIDADE DA COMUNIDADE – OS ÔNIBUS (CONTINUAÇÃO) – Onde os alunos estão vendo “caixas de vermes”, enojando uns aos outros com as criaturinhas gosmentas. Enquanto Bella se afasta, Edward se aproxima. EDWARD: Bella, seria melhor se nós não fôssemos amigos. BELLA (magoada): Uma pena que você não tenha descoberto isso antes. (MAIS) Você podia ter deixado aquela van me atingir e se poupar desse arrependimento. EDWARD (fora de sério, com raiva): Você acha que eu me arrependo de ter te salvado? BELLA: Eu sei que se arrepende. EDWARD (furioso): Você não sabe nada. A dureza dele a assusta. De repente, Alice aparece ao lado dele. Ela olha pra Bella com curiosidade. ALICE: O ônibus está indo embora. (para Bella) Oi, você vem conosco? EDWARD: Não. Nosso ônibus está lotado. Ele leva Alice para longe de propósito. Mas ele olha para trás para Bella com, o que é aquilo… remorso? Ela não vê aquilo. CENA 45 CENA INTERNA NA CASA DE CHARLIE – COZINHA – NOITE Bella entra, joga a mochila de livros e o casaco, ainda com raiva. Ela começa a subir, mas Charlie aparece na cozinha CHARLIE: A sua mãe ligou. De novo. BELLA: A culpa é sua, por ter contado a ela sobre o acidente. CHARLIE: Ela sempre soube se preocupar (pontada de tristeza). Ela também está mudada. Ela parece feliz. Phil parece legal.

BELLA: Ele é. Ela continua a subir as escadas, olhando para a foto de casamento dos pais. Tirando do rosto de Bella, nós cortamos até – CENA 46 CENA INTERNA NA ESCOLA – REFEITÓRIO – ROSTO DE BELLA – Enquanto ela passa pela porta. Ela olha para A MESA DOS CULLEN, Edward e seus irmãos. Ele não olha para ela. Raiva e determinação aparece novamente enquanto Bella se junta a Eric, Jessica, Mike e Ângela. Ela coloca a mochila numa cadeira – ERIC: La Push, baby. Tá dentro? BELLA: Eu devia saber o que isso significa? MIKE: A praia de La Push, na reserva dos Quileutes. Todos nós vamos depois da escola. Vai ser uma festa. ERIC: E eu não surfo apenas na internet. JESSICA: Eric, você só ficou de pé uma vez. Numa tábua. ÂNGELA: Dá pra ver as baleias também. Vem com a gente. ERIC: La Push, baby. BELLA: Eu vou se você parar de dizer isso. CENA 47 BUFFET DE SALADAS – MINUTOS MAIS TARDE Bella desenha artisticamente uma salada bem arquitetônica. Quando vai pegar a MAÇÃ, Edward está de repente ao seu lado— EDWARD (encantado): Arte comestível. Pega de surpresa ela balança a mão e derruba a maçã – Edward a pega com seu pé, do estilo hackey sack de footbag, e a balança de volta para sua mão, a maçã vermelha destaca-se em sua pele pálida. Ele a entrega para ela com um pequeno sorriso. BELLA: Obrigada…Mas as suas mudanças de humor estão me deixando confusa. EDWARD: Eu disse que seria melhor se não fossemos amigos, não que eu não queria. BELLA: O que isso significa? EDWARD: Significa que, se você fosse esperta, você me evitaria. Edward olha sem querer para seus quatro, desumanamente lindos, irmãos, que esperam por ele, inquietos, em sua mesa. Ela repara nos seus próprios amigos bem humanos, que monitoram esta conversa da mesa deles. Mike exala ciúme. BELLA: Então, digamos, pelo bem da conversa, que eu não sou esperta. Você falaria comigo? Me falaria a verdade? EDWARD: Provavelmente não. Eu prefiro ouvir suas teorias. BELLA: Certo…Que tal, aranhas radioativas? Criptonita? EDWARD (Olha nos olhos dela, desafiando-a): Você está falando de super-heróis. E se eu não for um herói? E se eu for um bandido? BELLA (hesita, examinando ele mais de perto): Não. Não acredito nisso. Você não é mau. Você pode ser um idiota, mas é meio que… Um disfarce. Para afastar as pessoas. Ele é pego de surpresa pela honestidade dela, pela esperteza dela, atraído por ela… BELLA: Olha, porque a gente não apenas – anda junto. Tipo…Vá à praia com agente. Vai ser divertido – pulgas de areia, vento quente, a água salgada ardendo nos seus olhos… EDWARD (com um pequeno sorriso, considerando): Qual praia? BELLA: La Push. Quase nem se percebe que seu sorriso se apaga. BELLA: Algo errado com aquela praia? Edward olha para Mike – os dois trocam olhares frios. EDWARD: Vai estar um pouco cheia. Câmera fica na Bella enquanto Edward sai andando… CENA 48

PRAIA DE LA PUSH – EXTERNA, DIA. Está muito frio, mas Mike, Tyler, Jéssica e os outros colocam as roupas de surf. Eric está junto com ele. Bella está perto das madeiras que foram arrastas pelo mar, junto com Ângela, que está tirando fotos. ANGELA: Eu fico achando que o Eric vai me convidar para o baile, e aí, ele não convida. BELLA: Você pode convidar ele (câmera no rosto frustrado de Ângela). Tomar controle da coisa. Você é uma mulher forte a independente. ANGELA: Sou? JACOB (voz): Bella! Ela olha e vê 3 garotos Quileutes aproximando-se do grupo; Jacob Black, e SAM e EMBRY, Bella sorri para Jacob. BELLA: Pessoal, este é Jacob. Você está me perseguindo? JACOB: Você que está na minha reserva lembra? Você, surfando? BELLA: Definitivamente não. JESSICA (provocando): Faça companhia para ela. O encontro dela não veio. ERIC: Que encontro? JESSICA: Ela convidou Edward. BELLA (envergonhada): Por educação. ANGELA: Acho que foi legal ela ter convidado ele. Ninguém nunca o convida. MIKE: Porque os Cullens são uns esquisitos. SAM: Acertou em cheio. BELLA: Você os conhece? SAM (ríspido): Os Cullens não vem aqui. Jacob joga um olhar para Sam e balança a cabeça. Bella percebe isso. Num impulso, ela casualmente puxa o Jacob de lado – BELLA: Você quer dar uma olhada nas piscinas naturais? Ela pergunta com um sorriso esquisito de flerte. Ele morde os lábios, atraído por ela, enquanto andam em direção a água. CENA 49 PRAIA DE LA PUSH – EXTERNA, FIM DO DIA. Bella e Jacob andam perto da água, olhando para o mar, procurando por baleias. Os surfistas estão pegando ondas. Ela se aproxima gentilmente dele, continuando sua tentativa de paquera… BELLA: Então, o que o seu amigo quis dizer com aquilo que os Cullens não vêm aqui? JACOB: Oops. Você percebeu, né? Ele se aproxima dela, abaixando sua voz para lhe contar um segredo. JACOB: Eu não posso contar. Bella sorri incentivando-o. BELLA: Eu posso guardar segredo… JACOB (rindo): É só uma antiga história de terror. Você sabia que, segundo a lenda, os Quileutes são descendentes de lobos? BELLA: Tipo pêlos, presas…bafo de cachorro? Jacob ri. Bella sorri e o incentiva a continuar… BELLA: Então a lenda dos Cullens é… JACOB: Bom, diz a lenda que eles descendem desse, tipo…(fala com uma voz assustadora) clã inimigo…Mas eles alegaram que são diferentes, então fizemos um tratado com eles. BELLA: Eles não acabaram de se mudar para cá? JACOB: Ou mudaram de volta. BELLA: Certo. Então, qual é este tratado? JACOB (murmurando): Se eles prometessem ficar fora das terras Quileutes, nós não falaríamos o que eles realmente são para os caras pálidas… Jacob faz uma pausa dramática –- Bella se arrepia. GAROTA (voz): AAAAAAAAGH!!!!!!!

Bella PULA por causa do grito cortante, enquanto Ângela passa correndo, sendo seguida por Eric que balança na mão um crustáceo morto. Jacob ri e começa a andar de volta para o grupo. BELLA: Espera…O que eles são? JACOB (rindo): É apenas uma história Bella. A câmera dá um close em Bella, que agora tem mais perguntas sem respostas… CENA 50 COMUNIDADE DE CABANAS AO RIO – FIM DE TARDE. Há uma série de cabanas espalhadas e docas de barcos, ligadas por calçadas de madeira. ENCONTRAMOS Waylon Forge (o madeireiro hippie que costumava se vestir de Papai Noel) lixando seu barco, tomando uma cerveja enquanto ouve seu Walkman pré-histórico… De repente, os sons da natureza SILENCIAM-SE abruptamente. O cachorro levanta sua cabeça e começa a rosnar. Waylon não percebe. A CÂMERA FICA EM WAYLON, cantando, trabalhando… Até que ele olha para cima e percebe que o cachorro sumiu. WAYLON: Jerry? Waylon tira os fones de ouvido. Assobia. Nada do cachorro. Waylon começa a andar numa passarela…Então vê UMA PERNA DE CACHORRO, saindo dum arbusto. WAYLON: Vamos Jerry, seu vira-lata velho… Ele puxa a perna. Ela está cortada decepada. Ele anda para trás tropeçando em seu barco, freneticamente, ele solta o barco e o empurra para o rio. CÂMERA NA ÁGUA – Waylon flutua, respiração acelerada, escutando tudo. PONTO DE VISTA DE WAYLON – NAS MATAS ao redor do rio. Há uma escuridão assustadora. UM BARULHO. Ele se vira de um lado para o outro. Nada. Então, de repente, seu barco BALANÇA violentamente; ele se vira— UM HOMEM – está em pé no barco agora. JAMES, 30 anos, pele clara. Um vampiro. Porém seus olhos não são como o dos Cullens, seus olhos tem uma cor vermelha sinistra, são profundos e absolutamente letais. Seus movimentos felinos parecem prontos para reagir. WAYLON: Como você fez isso? JAMES: Sempre as mesmas perguntas idiotas… Waylon vira-se, mas uma mulher SALTA para dentro – é VICTORIA, 26 anos, cabelos vermelhos bagunçados, cheios de folhas das matas. Morrendo de medo, Waylon vira-se e dá de cara com LAURENT, 28 anos, cabelos pretos grossos, pele de oliva, sentado no banco de seu barco. Todos os três nômades usam roupas desfiadas, e todos os três estão descalços. JAMES: O que vocês querem? VICTORIA: Porque você está fazendo isso? LAURENT (resmunga, com um sotaque puxado para o francês): …James temos mesmo fazer isso? JAMES: A pergunta deveria ser, ”vai doer?” Victoria ri com sarcasmo. Então, com a rapidez de um raio, os três ATIRAM-SE VIOLENTAMETNE –DEIXAMOS A TELA PRETA:

CENA 51 Rosto de Edward aparece gradativamente na escuridão Imagens instantâneas de seus olhos, suas bochechas, seus lábios… Cena 52 INTERNA. QUARTO DE BELLA – EM SEU ROSTO – MANHÃ Enquanto ela senta em frente ao seu computador, perdida em pensamentos, ela se chacoalha

fora dos pensamentos e digita na sua ferramenta de pesquisa “Lendas Quileute, Península Olympic.” Um anúncio aparece na tela. “Thunderbird & Whale Livraria, Port Angeles.” Bella, intrigada, clica no anúncio. CENA 53 EXTERNA. ESCOLA FORKS – DIAS ENSOLARADO. O sol apareceu e a pele também. Crianças estão de shorts, mesmo não estando nem 16 graus. Todos estão comendo ao ar livre. Bella procura Edward pela multidão. JESSICA: Ele não está aqui Ela olha para baixo e vê Jéssica sentada na grama. JESSICA: Quando o tempo está bom, os Cullen desaparecem BELLA: Eles só… matam aula? JESSICA: Não, o Doutor e a Sra. Cullen os levam para acampar e caminhar, coisas assim. Eu tentei essa idéia com meus pais. Nem chegou perto. Bella registra isso enquanto Angela de repente pula nelas. ANGELA: Eu vou no baile com Eric! Acabei de pedir a ele, assumi o comando (abraça Bella)! Você tem certeza que tem que sair da cidade? BELLA: É uma coisa de família. JESSICA: Oh meu Deus, nós precisamos ir às lojas de Port Angeles antes que os vestidos acabem. BELLA: Port Angeles? (um plano se formando em sua mente) Posso ir com vocês? ANGELA: Graças à Deus. Nós precisamos ter sua opinião. Acaba em Bella, isso não é o que ela tinha em mente… CENA 54 INTERNA. BOUTIQUE, PORT ANGELES – NO ROSTO DE BELLA – TARDE. — impaciente, distraída, enquanto Jessica e Angela provam seus vestidos. Bella pega um mapa impresso de sua bolsa – está escrito, “Thunderbird & Whale Livraria.” Jéssica sai do provador, posando provocativamente. JESSICA: Acho que esse corpete faz com que meus peitos pareçam maiores. O que você acha, Bella? Fora da janela, um grupo de garotos briguentos vão em direção a um bar. Dois deles encaram Jéssica em seu vestido curto. Envergonhada, ela volta para Bella. JESSICA: Bella? BELLA (distraída): Ficou ótimo. JESSICA: Você disse a mesma coisa sobre os últimos cinco vestidos. ANGELA (simpática): Você não é muito boa nisso, é? BELLA: Talvez eu deva olhar a livraria e encontro vocês no restaurante depois. ANGELA: Tem certeza? Bella confirma com a cabeça, indo para fora. Jessica olha no espelho de novo. CENA 55 E 56 – Omitidas. CENA 57 LIVRARIA THUNDERBIRD E WHALE/RUA – NOITE. Bella sai, folheando um LIVRO que ela acabou de comprar. Ela anda pela calçada, mas então escuta PASSOS atrás dela. Ela vira, mas não vê ninguém. Ela põe o livro na sua mochila e continua a andar. PONTO DE VISTA DESCONHECIDO – OLHANDO PARA BELLA – alguém a está seguindo. Ela olha ao redor, mudando o caminho para cruzar o estacionamento. O PONTO DE VISTA DESCONHECIDO vai se aproximando… Está mais perto, até que ela chega a um…

CENA 58 ARMAZÉM NO FINAL DO ESTACIONAMENTO – NOITE. Bella está isolada, ela começa a respirar rápido, assustada, ela se vira quando —- DOIS HOMENS saem das sombras, não são vampiros, mas são universitários que estão bem bêbados. UNIVERSITÁRIO 1: Quer uma cerveja? Ela olha para a esquerda; mais DOIS CARAS estão lá. Ela está encurralada. Ela tira sua bolsa do ombro. BELLA: Olha só, leve minha bolsa. UNIVERSITÁRIO 2: Nós não queremos a sua bolsa. Ela anda um pouco para trás, defensiva, e enrola a alça de sua bolsa no pulso, para usar como arma. Eles riem ridicularizando-a. Mas quando o Universitário 1 chega perto, ela balança a bolsa, e acerta ele no meio das pernas. O peso do LIVRO na mochila de Bella faz com que ele se dobre de dor. Os outros três riem, e começam a se aproximar dela. Mas, de repente —- OS FARÓIS de um carro cegam eles. Um Volvo prateado chega, cantando pneu. Os universitários desviam-se do carro. A porta do passageiro se abre. É Edward. Ela está tão surpresa que nem se mexe. EDWARD: Entre. Ela finalmente entra. Mas o universitário 2 entra na jogada e corre para o lado do carro onde está Edward –- Edward CANTANDO PNEU joga o carro para o outro lado, sai dele e encara o universitário 2, ele fez isso tão rápido que nem os universitários nem Bella conseguiram notar. Bella também não nota o OLHAR de Edward, tão assustador, tão animalesco em sua fúria que faz com que, o Universitário 2, assustado, afasta-se instintivamente para trás. Ela apenas fica olhando para Edward, enquanto ele entra de volta no carro. CENA 59 CARRO DO EDWARD – ANDANDO – NOITE, INTERNA. Bella continua olhando para Edward, ela vê que ele transborda raiva, suas mãos estão agarradas no volante, sua mandíbula está tensa. BELLA: O quê –- não, como você me achou — ? EDWARD (fala entre os dentes): Eu deveria de voltar e arrancar a cabeça deles. BELLA: Não. Isso é uma má idéia. EDWARD: Você não sabe as coisas cruéis, repulsivas que eles estavam pensando. BELLA: E você sabe? EDWARD (escondendo): Não é difícil de se imaginar. CENA 60 RESTAURANTE WATERFALL – ENTRADA DA FRENTE – NOITE. Jéssica e Ângela saem do restaurante enquanto Bella se aproxima. ANGELA: Onde você estava? Deixamos uma mensagem para você. JESSICA: Nós esperamos, mas estávamos famintas –Então, elas vêem Edward saindo do carro, atrás dela. Elas congelam, surpresas. Ele está recomposto agora, fazendo um esforço para ser encantador. E elas ficam encantadas. EDWARD: Desculpem-me por ter atrasado Bella para o jantar. Nós nos encontramos e ficamos conversando. JESSICA: Eu – Nós – entendemos. Nós já estávamos…De saída, então –As duas meninas começam a ir embora. Bella é forçada a ir com elas. BELLA: Certo, bem. Obrigada. Ela começa a seguir as meninas. Edward fica aflito, e do nada – EDWARD (de repente): Talvez, eu devesse me certificar que Bella coma alguma coisa. (Close da câmera na expressão de surpresa de Bella) …Se você quiser. Aí eu mesmo te levo de volta. ANGELA: Isso é tão… Atencioso.

JESSICA: Muito atencioso. BELLA (pensa um pouco e então decide): Eu poderia comer alguma coisa. Ele a acompanha, as duas garotas olham uma para outra, e dão um gritinho mudo de entusiasmo. CENA 61 PÁTIO DO RESTAURANTE WATERFALL – EXTERNA,NOITE. Bella e Edward sentam-se no deck. Há uma cachoeira bem dramática derrubando água, atrás deles. Uma garçonete coloca um prato quente de salmão defumado na frente de Bella e nada na frente de Edward. Ela sai. BELLA: Você não vai comer? EDWARD: Estou fazendo uma dieta especial. BELLA: Como a de South Beach? EDWARD: Não é bem assim. Ela olha para ele com curiosidade enquanto pega uma garfada. BELLA: Que tal algumas respostas? EDWARD: Sim, não. Para chegar do outro lado e 1,772453851. BELLA: Eu não pedi a raiz quadrada de pi. EDWARD: Você sabia essa? BELLA: Como você sabia onde eu estava? EDWARD: Eu não sabia. Ela balança a cabeça, desapontada, e vira-se para entrar no restaurante –EDWARD (a impede, com sinceridade): Não vá. Ele parece estar atormentado por um dilema interno. Então, finalmente… BELLA: Você estava me seguindo? EDWARD: Eu sou muito protetor quanto a você. BELLA: Isso quer dizer que sim? EDWARD: Sim, eu te segui. Eu tentei manter distância…Até quando você precisou de ajuda. BELLA (juntando as peças do quebra cabeça): Você tinha dito antes… Que você ouviu o que aqueles caras estavam pensando… Você pode… Ler mentes? EDWARD (encolhe os ombros): Eu tava pensando em criar um Disk Vidente, com um número 0800… BELLA (tentando entender): Certo, então você lê mentes…O quê eu estou pensando? Peraí – Certo agora, vai. EDWARD: Eu não faço a mínima idéia. Posso ler todas as mentes aqui, exceto a sua. (Aponta para as pessoas dentro do restaurante) Trabalho, sexo, dinheiro, sexo, sexo, namorado –(Aponta para Bella) Nada. Isso é bem frustrante. BELLA: Porquê, o quê tem de errado comigo? EDWARD: Eu te conto que eu leio mentes e você acha que tem algo errado com você? Ele sorri, encantado com ela. Mas seu sorriso desaparece, a aparência atormentada retorna. Ele fica olhando para a queda, pensando longe. BELLA: O que foi? EDWARD: Eu…Não tenho mais forças para ficar longe de você. Ela está surpresa. E entusiasmada. BELLA: Edward, você não precisa. Ele está atraído pelo olhar encorajador dela…Mas fecha seus olhos por instante e volta a olhar para a água. EDWARD (fala meio que para si mesmo): Isso é errado. BELLA: Edward –EDWARD: Você está com frio. Devíamos ir embora. Ele começa a ir embora antes que ela pudesse fazer mais perguntas…

CENA 62 ESTRADA – NOITE. O Volvo de Edward acelera na estrada de duas mãos. CENA 63 DENTRO DO VOLTO DE EDWARD – NOITE. Bella olha para Edward, ela talvez faça mais perguntas, mas parece que ele está discutindo com seus próprios pensamentos. Finalmente… BELLA: Eu acho que já estou bem aquecida agora. Ela estende a mão para desligar o aquecedor, ele faz o mesmo – suas mãos SE TOCAM. E ficam encostadas por um longo tempo. Uma eletricidade conecta os dois. BELLA: Suas mãos, ainda estão bem geladas. Ele afasta sua mão, mas ela continua olhando para elas… então ela muda sua atenção para as LUZES DE UM CARRO DE POLÍCIA. Enquanto passam na frente da DELEGACIA DE POLICIA DE FORKS, o carro do xerife vai saindo. A viatura de Charlie está estacionada na frente. BELLA (preocupada): Meu pai está aqui até tarde. Algo deve ter acontecido. CENA 64 DELEGACIA DE POLÍCIA DE FORKS – EXTERNA/INTERNA, NOITE. O volvo estaciona. Bella e Edward saem do carro. Então, Edward vê um segundo carro do lado da viatura. EDWARD: É o carro do meu pai. O quê ele — ? PONTO DE VISTA DE EDWARD E BELLA: DENTRO DA DELEGACIA ESCURA Num pequeno feixe de luz, um cansado Charlie e Dr. Cullen estudam fotografias e evidências. Quando terminam sua conversa, Dr. Cullen põe sua mão no ombro de Charlie, tentando consolá-lo e então sai da delegacia de polícia aparentando preocupação. EDWARD: Carlisle, o que aconteceu? DR. CULLEN: Waylon Forge foi encontrado nas matas perto de sua casa. Acabei de examinar o corpo. A expressão de Edward fica obscura. Bella está horrorizada. BELLA: Ele morreu? Como? DR. CULLEN: Atacado por um animal. BELLA: Do mesmo tipo que matou o segurança lá em Mason? Edward e Dr. Cullen olham entre si, subitamente, mas Bella consegue perceber. DR. CULLEN: É bem provável que sim. BELLA: Então está se aproximando da cidade. EDWARD: Waylon morava bem no fim de River Queets. A umas 75 milhas ao sul. BELLA: Mas isso – DR. CULLEN (com um sorriso reconfortante): Bella, você deveria entrar. Waylon era amigo do seu pai. Ela olha para a porta, mas olha para trás e vê eles dois conversando quietos e com um ar de seriedade. Obviamente, existe mais coisa por trás disso. CENA 65 INTERNA. ESTAÇÃO POLICIAL – NOITE. Bella entra e encontra um Charlie estressado estudando evidências, fotos, mapas – tentando achar algum sentido na morte de Waylon. Delegados vêm e voltam ao fundo. Bella se aproxima de Charlie. Ele olha pra cima. BELLA: Pai, sinto muito por Waylor. CHARLIE: Eu o conhecia há trinta anos. Ele está obviamente confuso. Bella não tem certeza do que fazer. Então coloca uma mão reconfortante em seu ombro. Uma batida… Então Charlie aperta a mão dela. É a primeira vez que vemos afeto físico entre eles. E isso ameaça trazer mais emoções a Charlie.

Então ele pressiona a mão dela, se levanta, e então projeta uma conduta confidente. CHARLIE: Nós chegaremos ao fundo disso, Bella. Mas no meio tempo… Enquanto uma ambulância pára do lado de fora, ele abre uma gaveta, e acha um spray de pimenta. CHARLIE: … eu quero que você tenha isso. BELLA: Isso não é provavelmente uma boa – CHARLIE: Vai me dar um pouco de paz na mente. Ela vê que ele precisa disso, e o deixa colocar o spray em sua bolsa. Então Charlie vai até seu casaco, Bella vai para o lado de fora para ver – CENA 66 EXTERNA. ESTAÇÃO POLICIAL – NOITE – PONTO DE VISTA DE BELLA. Dois atendentes levantam uma maca metálica para dentro da ambulância. Dentro, Waylon morto, branco, pés descalços e sangrentos embaixo de um lençol, descansando em um ângulo não natural. Em Bella, com frio. PASSA PARA: FLASH NOS OLHOS PRETOS DE EDWARD. FLASH NAS MÃOS GELADAS DE EDWARD FLASH NOS CINCO CULLEN, CÂMERA LENTA, lindos e brancos. FLASH NOS PÉS BRANCOS E CONTORCIDOS DE WAYLON. CENA 67 EXTERNA. ESCOLA – GRAMADO – NO ROSTO DE BELLA – AMANHACER – NEBLINA GROSSA Ela fica parada no centro da grama deserta e verde. Sua expressão diz que ela ainda está em descrença. FICA NO ROSTO DELA, O TEMPO PASSA ENQUANTO: O sinal toca e os estudantes saem das classes, passam por Bella enquanto ela continua parada, esperando… PONTO DE VISTA DE BELLA – EDWARD E SEUS PARENTES atravessam o gramado, indo para a aula. Edward vê Bella, vê a intensidade no rosto dela. Ele pára. Ela anda até ele, os olhos encontrando os dele… o olhar dela diz, nós temos que conversar… e ela passa diretamente por ele, e entra na floresta escura atrás da escola. Ele a vê desaparecer nas árvores, e então começa a seguir. Jasper se move em frente a ele, Rosalie segura seu braço. ROSALIE: Edward, não vá. Mas Alice gentilmente remove a mão de Rosalie de seu braço. ALICE: Ele já está lá. CENA 68 EXTERNA. FLORESTA – DIA. Bella fica parada no meio das árvores, esperando. E então o som da floresta pára abruptamente. Um predador está perto. Edward aparece atrás dela. Ela não se vira. Uma batida. BELLA: É impossível o jeito que você é rápido. E forte. Sua pele é branca, fria como gelo. Seus olhos mudam de cor. E de vez em quando você fala como se fosse de um tempo diferente. (vira para olhá-lo agora) Você nunca come comida, ou bebe alguma coisa, ou aparece no sol. E você disse não à praia só depois que ouviu onde seria. Por causa do tratado. Ele registra. Ela vai pra mais perto dele. BELLA: Quantos anos você tem? EDWARD: Dezessete.

BELLA: Há quanto tempo você tem dezessete? Uma batida longa começa a cercar eles. Ele vê que não pode esconder mais. Honestidade é um risco enorme, mas ele tem que tomar. EDWARD: …há algum tempo. Ela inala. Ela sabia, mas ainda assim era chocante. Nós os circulamos mais rápido. BELLA: Eu sei o que os Frios são. O que você é. EDWARD: Diga. Alto. Diga. Todos os sons param abruptamente. Só ouvimos um sussurro. BELLA: …Vampiro. Eles parecem aguardar em suspense em um êxtase momentâneo, ele exposto, a realidade dela sacudida. EDWARD: Está com medo? BELLA: Não. EDWARD (bravo): Então me pergunte o básico. Pergunta: O que nós comemos? BELLA: Você não irá me machucar. Você é diferente. EDWARD: Você acha que me conhece? Ele a encara. Ela se segura. De repente, ele a pega pela mão. Começam a andar. BELLA: Onde estamos indo? EDWARD: No alto da montanha. Fora das nuvens. Você precisa ver o que eu realmente sou. Como eu fico na luz do sol. BELLA: Não! A luz do sol vai te matar! EDWARD: Mito. Você precisa ver a verdade. Ele a puxa, mas ela não se mexe. BELLA: Vá devagar. De repente, ele está bem do lado dela. EDWARD: Você está com medo? BELLA: Não. EDWARD: Então venha comigo. Pra algum lugar onde ninguém possa te proteger. Um lugar onde eu possa fazer tudo o que eu quero fazer desde o primeiro dia que te conheci. A proximidade deles é intensa, prendendo a atenção dos dois. BELLA: Eu não estou com medo. EDWARD: Você deveria estar. Ele abruptamente e sem nenhum esforço a pega nos braços. EDWARD: Se segure. E então ele a coloca em suas costas… e começa a correr. CENA 69 EXTERNA. FLORESTA – CORRENDO – DIA. Como na seqüência de abertura, Edward corre pela floresta, ficando para trás enquanto ele aumenta a velocidade, rápido e mais rápido. Bella fica abraçada às costas dele enquanto parece que ele vai trombar nas árvores, mas ele as evita com uma graça sobrenatural. É amedrontador, nauseante, intoxicante. EDWARD: Você está com medo?! BELLA: Não! Mas ela abraça mais forte. Horrorizada. Eles escalam na altitude. Alto e mais algo, acima da camada de névoa. Finalmente, lá em cima — A BORDA DA FLORESTA se aproxima rápido, uma clareira está perto. A luz do sol brilha num branco quente atrás das árvores, eles estão quase emergindo da escuridão… mas de repente— Bella se encontra sentada no chão, contra uma árvore. Tudo está silencioso. Ela está tonta, tenta reaver seu equilíbrio. E então ela percebe que está sozinha. BELLA: Edward, onde está você? Ela levanta, e pisa bem na orla das samambaias para dentro –

CENA 70 EXTERNA. CLAREIRA (CONTINUAÇÃO) – DIA. Um círculo perfeito de grama oscilante, flores selvagens e a luz do sol. Ouve-se um barulho por perto. Bella olha ao redor e finalmente vê – EDWARD, camisa aberta, parado nas sombras de algumas árvores. Ele a vê com cuidado. Ela começa a andar em direção a ele, mas ele ergue a mão. Ela espera. Finalmente, ele respira fundo, e sai das sombras. EDWARD: É por isso que nós não nos mostramos na luz do sol. Enquanto o sol bate nele… a pele de Edward literalmente brilha como se fosse embebida em milhares de minúsculos diamantes. Ele é magnífico, brilhante, como uma estátua esculpida em um cristal. Ele se move para perto dela. EDWARD: É isso o que eu sou. Ele chega mais perto, claramente esperando que ela recue, mas… BELLA: Você é… lindo… Ele percebe que ela está em terror. Ela levanta a mão para tocá-lo, mas ele imediatamente volta para as sombras, sua pele normal de novo. EDWARD (intimidado): Lindo? Eu sou um assassino, Bella. Essa é a pele de um assassino. Seu braço projetou-se em um raio de luz, brilhando de novo. BELLA: Eu não acredito nisso. EDWARD: Porque você acredita na mentira. Na camuflagem. Eu sou o predador mais perigoso do mundo. Tudo em mim é um convite para você – minha voz, meu rosto, até meu cheiro. Como se eu precisasse disso… De repente ele está atrás dela – então em frente a ela – e então em uma árvore, correndo tão rápido que só conseguimos ver aonde ele pára – EDWARD: Como se você pudesse fugir de mim. Como se você pudesse lutar comigo. Ele abruptamente pega uma árvore enorme, e a joga contra no tronco de outras árvores com uma força explosiva. Bella recua, mas fica presa ao chão, inabalável. EDWARD: Eu fui feito para matar. BELLA: Não me importo. EDWARD: Eu matei pessoas. BELLA: Não importa. EDWARD: Eu queria te matar. Eu nunca quis o sangue humano tanto em minha vida. Eu sou perigoso para você. BELLA: Eu confio em você. EDWARD: Não. BELLA: Eu confio em você, Edward. Eu estou aqui. Ela pega a mão dele. Ele vacila com a temperatura de seu toque. Ela se inclina para ele, inconsciente que sua garganta está perto de seus lábios… e de repente ele desaparece. BELLA: Edward? Ela olha ao redor para ver que ele está do outro lado da clareira, retomando a respiração. EDWARD: Você… Pegou-me de surpresa (se recompondo). Eu não sei como… fazer isso. Ele se move de volta para ela. Lentamente. EDWARD: Eu, e minha família, nós somos diferentes dos outros da nossa espécie. Nós não somos nômades, nós temos uma casa permanente. Nós só caçamos animais. Nós aprendemos a controlar nossa sede. (balançando a cabeça) Mas você – o seu cheiro, é como uma droga para mim… minha BELLA: (percebendo) Oh… Eu pensei que você me odiava quando nos conhecemos. EDWARD: Eu odiava. Por me fazer te querer tanto. Eu ainda não sei se posso me controlar. Ele a alcança de novo. BELLA: Eu sei que você pode. Ele está vulnerável enquanto olha para ela, procurando pistas em seu rosto.

EDWARD: Eu gostaria de entender essa coisa que você vê em mim. Você olha pra mim com esses olhos… (frustrado) Eu não posso ler sua mente. Diga-me o que está pensando. BELLA: Estou com medo. Atacado, ele desce graciosamente em seus joelhos na grama. EDWARD: (devastado) Bom. Ela desce em frente a ele. BELLA: Não disso. Estou com medo… você vai desaparecer. De eu te perder. EDWARD: (maravilhado) Você não sabe por quanto tempo eu procurei por você. Eles trocam um sorriso. Então ele vai em direção ao pescoço dela, pausando… EDWARD: Não se mova. Ela fica parada. Exercendo um ótimo controle, ele coloca sua mão na garganta dela… é tão exposta, tão vulnerável. A urgência entre eles é tão irresistível. Mas Bella não se move. Ele passa sua mão na bochecha dela. E então desce para o coração dela… As nuvens passam pelo sol. Eles dois estão felizes, se vendo. EDWARD: E então o leão se apaixonou pelo cordeiro. BELLA: Que cordeiro idiota. EDWARD: Que leão doentio e masoquista. Mostra os dois, deitados juntos, mais perto do que deveriam… a mão dele no coração dela… Dissolve para: Sede do meu sangue. E três… CENA 71 INTERNA. QUARTO DA BELLA – MANHÃ Fecha no rosto da Bella. Ainda na cama. Pensando. BELLA (NARRANDO): Sobre três coisas eu tinha certeza. Um, Edward era um vampiro. Ela levanta, vai para o espelho. Olha para si mesma, preocupação afetando suas sobrancelhas. BELLA (NARRANDO): Dois, havia uma parte dele que estava com sede do meu sangue. E três… Enquanto ela se move passando a janela, alguma coisa alcança seu olho, causando a ela um BANG quando tromba na mesa. Ela olha para fora… PONTO DE VISTA DE BELLA – A RUA Edward encosta contra seu carro, olhando pra ela com um pequeno sorriso. Ela sorri ao ver ele. BELLA (NARRANDO): …eu estava me apaixonando, incondicionalmente e irrevogavelmente por ele. CENA 72 OMITIDA CENA 73 EXTERNA. FLORESTA TROPICAL OLYMPIC – DIA (OUTRO DIA) Edward ajuda Bella passar por um pinho enorme caído pelo musgo. BELLA: Há quanto tempo você é assim? EDWARD: Desde 1918. Foi quando Carlisle me encontrou. Ela absorve, é muita coisa. Mas a deixa curiosa. BELLA: Onde ele te encontrou? EDWARD: Em um hospital, morrendo da Gripe Espanhola. Meus pais já tinham morrido. FLASHBACK PARA O HOSTPITAL DE CHICAGO, 1918 — NOITE. BELLA (voz no fundo da imagem): Como foi?

EDWARD (voz no fundo da imagem): A palavra excruciante vem à cabeça. Mas o que Carlisle fez é muito mais difícil… não são muitos de nós que resistem à isso. BELLA (voz no fundo da imagine): Ele só não… mordeu? EDWARD: Só, não. Nossa mordida contém veneno. E uma vez que sentimos o sangue, um tipo de frenesi começa. É quase impossível parar. BELLA (voz no fundo da imagem): Mas Carlisle conseguiu. EDWARD: Primeiro comigo, então sua mulher, Esme. Ele a achou em um hospital também. Os outros vieram logo em seguida. DE VOLTA PARA O PRESENTE. BELLA: É preciso estar morrendo pra virar alguém como você?… A CONVERSA DELES CONTINUA ENQUANTO NÓS VAMOS PARA – CENA 74 EXTERNA – BEIRA DO RIO – DIA (OUTRO DIA) Eles andam junto à uma orla estonteante – pedras pretas cobertas em musgo verde claro. EDWARD: Não, isso é só Carlilse. Ele nunca faria… isso, com alguém que tivesse outra escolha. BELLA: Então Carlisle é a razão para vocês caçarem animais, ao invés de pessoas. EDWARD: A única razão não. Ele pára, a olha, sério, com emoção… EDWARD: Eu não quero ser um monstro. Ela concorda com a cabeça. Entende. Ele sorri. EDWARD: Aliás, nós nos chamamos de vegetarianos… Para a nossa espécie, caçar animais é como viver de tofu. Nos deixa forte mas não é muito gostoso. E abruptamente, ele passa rápido por Bella. Ela se vira e vê ele parado em uma pedra grande no rio. BELLA: Exibido. EDWARD: Não é tão impressionante, sério. Qualquer um da minha família pode fazer isso. BELLA: Todos eles podem ler mentes também? EDWARD: Não, isso é único para mim. Mas Alice pode ver o futuro. BELLA: Sério? Aposto que ela viu eu me aproximando a quilômetros de distância. Ela nota a mudança de humor dele, enquanto ele diminui a velocidade, escurecendo. EDWARD: As visões dela são bem subjetivas. O futuro pode mudar. Ele corta as perguntas dela indo para a beira, e continuam a caminhada. CENA 75 EXTERNA. CASA DE CHARLIE – CREPÚSCULO (OUTRO DIA) A água espirra de uma mangueira enquanto Bella e Edward lavam a caminhonete dela. Uma caixa alta toca. Ele sobe no capô da caminhonete. EDWARD: Venha na minha casa amanhã. Bella olha para cima, mirando a mangueira de um jeito ruim – a água ricocheteia e espirra em seu próprio rosto. Ele pula do capô. BELLA: Sua casa? Com a sua família? Ele enxuga a parte dentada do pára-lama, e então o pega, e com suas próprias mãos, facilmente tira um entalho grande da caminhonete. Ela está muito nervosa para registrar isso. BELLA: Mas… e se eles não gostarem de mim? EDWARD (rindo): Você está preocupada, não porque vai estar em uma casa cheia de vampiros, mas porque você acha que eles não vão te aprovar? BELLA: Fico feliz de te fazer rir. Mas então a risada dele morre, enquanto ele ouve algo. BELLA: O que é? EDWARD: Uma complicação. … um carro preto aparece na vista, e estaciona. EDWARD: Eu venho te pegar amanhã.

Ele vai para seu carro, olhando para os passageiros no — PONTO DE VISTA DE EDWARD – INTERNO. CARRO PRETO. Jacob, com seu pai, Billy, de quem a expressão é intensa. Ansioso. CÂMERA LENTA enquanto Edward fixa os olhos em Billy. Jacob olha questionando para seu pai. Bella vê Edward ir embora, perturbada pela troca de olhares. Ela força um sorriso e vai receber os visitantes. Jacob arruma a cadeira de rodas de Billy e Billy sobe nela enquanto – BELLA: Veio visitar sua caminhonete? JACOB: Parece boa. Aquele entalho saiu. BILLY: Na verdade, viemos visitar sua TV. O primeiro jogo dos Mariners da temporada. E Jacob ficou me enchendo para te ver de novo. JACOB (mortificado): Ótimo, pai. Obrigado. Jacob dá a seu pai um olhar irritado, antes que a viatura de polícia estacionasse. Charlie sai do carro, segurando dois pacotes. CHARLIE: Pale Ale. BILLY (Segura um pacote marrom de papel): Peixe seco e caseiro do Harry Clearwater. Charlie sorri, satisfeito. Ele fala do jogo enquanto eles entram na casa – BILLY: Alguma sorte com o caso de Waylon? CHARLIE (escurecendo): Achamos uma pegada na cena do crime hoje. Uma pegada descalça de humano. Billy parece incomodado mas não surpreso. Bella está aterrorizada. BELLA: Uma pessoa fez aquilo? JACOB: Uma pessoa louca, andando por aí com os pés descalços nessa época do ano. CHARLIE: Espalhe a notícia pela reserva, pode ser? Deixe as crianças fora das florestas. BILLY: Tudo bem. (direcionado à Bella) Não queremos mais ninguém machucado. Bella olha para longe de Billy, sem irritação. CENA 76 OMITIDA CENA 77 OMITIDA CENA 78 SEQUENCIA DE SONHOS – EMBAIXO D’ÁGUA. Bella bóia perto de Edward, só suas mãos se tocando, mas seus corpos estão se juntando, muito perto, tão sensual… De repente, Edward é puxado para baixo! Alguma coisa o pegou, o puxando para baixo. VAI PARA: Cena 79 INTERNA. QUARTO DE BELLA –- NA BELLA – MANHÃ – enquanto os olhos dela se abrem… e alívio se instala nela enquanto ela percebe que foi só um sonho. Mas a assombra… CENA 80 PENÍNSULA OLÍMPICA, ESTRADA – EXTERNA, DIA VISÃO AÉREA da floresta enquanto passamos pelo extenso verde das árvores e ENCONTRAMOS o Volvo de Edward correndo na estrada, muito rápido. O Volvo finalmente sai da estrada pavimentada e entra numa estrada de terra. A CÂMERA SEGUE O CARRO, até que finalmente, ele chega a uma pequena clareira, aonde encontra-se no meio CENA 81

CASA DOS CULLENS – EXTERNA, DIA Uma nova e graciosa casa. O Volvo estaciona e Bella sai do carro surpresa. BELLA: É…Maravilhosa. EDWARD: Você estava esperando por torreões, masmorras e um fosso? BELLA: Não… Não achei que teria um fosso. Ele pega a mão dela. Ela se prepara. Eles caminham para dentro. CENA 82 CASA DOS CULLENS – SALA DE ESTAR – INTERNA, DIA Edward guia Bella dentro da grande e brilhante casa. Pela as paredes de vidro pode-se ver o rio. Tudo é bem espaçoso e branco. Objetos históricos decoram a casa com um bom gosto. OUVIMOS “La Traviata: Libiamo ne’ lieti calici” de Verdi vindo de um outro cômodo. Bella está abismada. BELLA: É tão iluminada e espaçosa. EDWARD: Graças as janelas com insulfilm… É o único lugar onde não precisamos nos esconder. Então percebemos um BARULHO de panelas vindo da cozinha. Edward balança sua cabeça. EDWARD: Eu falei para eles não fazerem isso. CENA 83 CASA DOS CULLEN – COZINHA – INTERNA, DIA. A ópera de Verdi ESTRONDEIA quando Bella e Edward entram e encontram a cozinha cheia de cantoria. Dr. Cullen, Emmett, Rosalie e ESME preparam pratos bem elaborados de massas italianas e antepastos. Esme estica uma massa de pizza e coloca tomates num instante. Rosalie mexe uma tijela, desinteressada. Esme vê Bella e pára, radiando um calor maternal. Seu rosto em forma de coração e seus cachos lembram aqueles filmes de cinema mudo. ESME: Bella. Estamos fazendo comida italiana para você. EDWARD: Está é Esme, minha mãe para todas as intenções e propósitos. BELLA: Bon giorno? ESME: Molto bene! DR. CULLEN: Você nos deu uma desculpa para usarmos a cozinha pela primeira vez. Pausa na cena… CLOSE nas caixas de utensílios de cozinhas novos da Williams-Sonoma que estão no canto – eles estão assistindo um PROGRAMA DE CULINÁRIA ITALIANA na TV. Emmett aperta o controle remoto do DVD. ESME: Espero que esteja com fome. BELLA: Oh, com certeza –EDWARD: Ela já comeu. Bella olha para ele, mas alguma coisa ESTILHAÇA. Rosalie atirou a tijela no chão e agora sai da cozinha – ROSALIE: Perfeito. CENA 84 SALA DE ESTAR – INTERNA, DIA – CONTINUAÇÃO – Bella sai atrás de Rosalie, tentando explicar. Os outros as seguem – BELLA: Eu achei – porque vocês não comem, sabe… ESME: Mas é claro. Isso foi muito atencioso de sua parte. EDWARD (referindo-se a Rosalie): Ignore-a. Eu a ignoro. ROSALIE: É vamos continuar fingindo que isso não é perigoso para todos nós. BELLA: Eu nunca, nunca contaria para alguém. DR.CULLEN (assegurando): Ela sabe disso. EMMETT: O problema é, agora vocês dois já foram vistos juntos, então… ESME: Emmett.

ROSALIE: Não, ela deve saber (fala para Bella). A família inteira estará envolvida caso isso acabe mal. BELLA: …Acabe mal? Esse momento constrangedor paira no ar. Edward não consegue olhar para ela. BELLA (entendendo): Oh. Acabe mal. Tipo, caso eu vire uma refeição. Emmett ri. Edward faz uma careta. Ele põe seus braços ao redor de Bella. Até mesmo Esme dá uma risada baixinha. Exasperada, Rosalie vai em direção à cozinha. Emmett levanta os ombros e vai atrás dela. ALICE (VOZ): Oi Bella! DA SACADA Alice sai saltitante pelas cortinas, segurando um bouquet de flores silvestres. Jasper a segue. Ela se inclina para frente, beija a bochecha de Bella e lhe dá as flores silvestres. ALICE: Sou Alice. Você realmente cheira bem. EDWARD: Alice. ALICE: Tá tudo bem, Bella e eu seremos grandes amigas. BELLA (estendendo sua mão): E você é Jasper, certo? JASPER: Prazer em conhecê-la. Mas ele esquiva-se da mão dela. ALICE (encorajando-o gentilmente): Você não irá machucá-la Jasper. Ele não tem tanta certeza. Ao invés disso Edward pega na mão de Bella. EDWARD: Vou fazer um tour pela casa com você. ALICE (querendo dizer alguma coisa): Vejo vocês logo. Edward solta um olhar para Alice que Bella percebe antes que ele a guie pelas escadas. Conforme sobem, Bella percebe as PEÇAS DE ARTE ecléticas de todas as partes do mundo, cruzes da Etiópia, Dresden, China, pergaminhos asiáticos. Eles chegam – NO HALL – E ENCONTRAM uma parede com uma dúzia de quadrados de seda com franjinhas. Bella olha mais de perto. BELLA: Chapéus de formatura? EDWARD: É uma piada nossa. Nós nos matriculamos muito. BELLA: Que pesadelo, repetir o Ensino Médio. EDWARD: É, mas quando mais cedo vamos para um lugar, podemos ficar lá por mais tempo. Ela treme só de pensar enquanto eles continuam… CENA 85 QUARTO DO EDWARD – INTERNA, DIA EDWARD: …E este é meu quarto. Bella entra e encontra uma parede de portas de vidro que vão dar num deck, com um rio atrás. O resto está cheio de CDs, vinis, fitas cassete e etc, do chão até o teto, com um sofisticado som de IPOD. BELLA: Então, você é obcecado por música. Mas… (olhando ao redor) Não tem cama? EDWARD: Não durmo. BELLA: Nunca? EDWARD: Sem pesadelos, sem babar, sem roncar. Ela fica pensando nisso, enquanto passa a mão na parede de CDs, olhando os títulos. EDWARD: Você tem algum favorito? BELLA: Depende. Alternativo? Jazz? Anos 60, 70… EDWARD: Oh, ela conhece seus gostos musicais. Certo, anos 90. 1890. Clássica. BELLA: Eu diria…Debussy; Ele olha para ela, surpreso, sorri. EDWARD: Minha favorita também. Fora da conexão entre eles, ele pega um CD e põe ele para tocar. Uma versão de CLAIR DE LUNE em piano começa a tocar. Ele chega perto dela, pegando sua mão, então ele começa a rodopiá-la, dançando com ela – mas ela faz ele parar e se afasta.

BELLA: Não danço. EDWARD: Nunca? BELLA: Sem tropeços, sem cair, sem tontura. EDWARD (com um jeito travesso): Eu posso te forçar. BELLA: Você não me assusta. EDWARD: Você realmente não deveria ter dito isso. Ele ri, soltando um SOM DE RUGIDO no fundo de sua garganta. Ela ri e anda para trás, entrando no – CENA 86 QUARTO DO EDWARD – DECK – CONTINUAÇÃO – Bella encosta-se na cortina. Edward aparece na porta, agachado, pronto para atacar. BELLA: Não se atreva – Do nada ela é levantada quando ele a agarra e eles SAEM VOANDO DO DECK… Então ela vê que está –NUMA ÁRVORE –- nos braços dele. Quando percebe aonde está ela ri feliz da vida. Sua risada é contagiosa, ele ri feliz também… CORTAMOS PARA: CENA 87 CASA DOS CULLENS – SALA DE ESTAR – MESMO MOMENTO Esme e Dr. Cullen olham pela janela. A risada de Edward os preenche. Esme, vira-se e sorri. ESME: Ela o trouxe à vida. Dr. Cullen: Ele ficou sozinho por muito tempo…Mas como isso poderá acabar bem? ESME: Alice já se enganou antes. DR. CULLEN: Não muitas vezes. Esme vira-se para o Dr. Cullen, gentilmente mas com absoluta firmeza. ESME: Carlisle. Bella é o que ele quer. Vai dar certo. De algum jeito. Dr. Cullen sorri para ela amavelmente, então pega sua mão enquanto olham de volta para a janela… CENA 88 ÁRVORE – EXTERNA, MESMO MOMENTO. Edward olha nos olhos de Bella. EDWARD: Confia em mim. BELLA: Teoricamente. EDWARD: Então feche seus olhos. Ela fecha os olhos, preocupada. Ele a segura com mais firmeza, então SALTA para uma outra árvore como um esquilo! Então, de novo, para o TOPO de outra árvore. Ele se segura facilmente com os pés, enquanto segura Bella. EDWARD: Abra…E vê como uma ave a VISTA do vale, do rio, das montanhas e além. A CAMERA gira ao redor deles mostrando uma visão de 360 graus do que os cerca. Close no rosto embriagado de Bella… CENA 89 COLÉGIO – EXTERNA, DIA. Jéssica joga a bola de vôlei no ar, praticando saques. Ângela tira uma foto dela então começa a apontar a câmera ao redor procurando por uma nova foto. Eric dá uma olhada em alguns fliers de propagando do baile. JESSICA: Monte Carlo? Esse é o tema do nosso baile? ERIC: Jogatina, smokings e – (à la Sean Connery) Bond. James – OW! –quando Jessica bate na bola que acerta ele no rosto. ANGELA: Oh. Meu. Deus. Ângela, que procurava por uma foto, ficou paralisada. Então Jéssica e Eric VÊEM – BELLA E EDWARD — chegando juntos. Todos os olhos do campus se viram para eles, cheios de curiosidade, ciúme, inveja. BELLA: Todo mundo ta olhando.

EDWARD: Aquele cara não – é, ele acabou de olhar. Close no seu sorriso gozador, porém confiante. Cena 89-A FLORESTA – EXTERNA,DIA CLOSE EM UM PASTOR ALEMÃO Movendo-se rápido, farejando. INCLUÍMOS CHARLIE segurando a coleira do cachorro –É uma equipe de busca, vários cachorros, meia dúzia de homens armados. CHARLIE: Pessoal, achamos algo –Os policiais correm até Charlie. Eles se juntam –UMA PEGADA. Os cachorros começam a arrastar eles numa certa direção. Enquanto a equipe sai correndo –PONTO DE VISTA DESCONHECIDO – DE LONGE EM CHARLIE Nós vemos Charlie e a equipe indo embora…VIRAMOS a câmera e encontramos –JAMES – NO TOPO DE UM MONTE, OBSERVANDO ELES Laurent está perto dele. Victoria vem subindo. VICTORIA: Eles pegaram a isca. JAMES: Amanhã eles estarão na metade do caminho para Winnipeg. Victoria agarra James com vontade pela sua blusa. Puxa ele para ela. VICTORIA: Adoro quando homens me caçam. Ele sorri, e começa a tirar as roupas dela. Eles puxam um ao outro para as matas com um desejo carnal. Eles mal notam a presença de Laurent que continua olhando a equipe de busca com preocupação. CENA 90 FORKS COFFEE SHOP – EXTERNA, FIM DE TARDE Bella entra correndo, tentando esconder a felicidade em seu rosto…Com o mínimo de sucesso. Na porta ela cruza com Mike, que estava junto com vários amigos do time de basquete. MIKE: Ei, Arizona. Então. Você e o Cullen. Ela faz uma careta de sem compromisso, mas não consegue esconder por inteiro o seu sorriso quando vai correndo para a mesa do Charlie e senta. BELLA: Desculpe-me pelo atraso. Projeto de Biologia. Cora põe um prato de filet mignon na frente de Charlie e um prato de frutos do mar na frente de Bella. CHARLIE: Pedi o prato de frutos do mar para você. BELLA: Da próxima vez, peça um pra você. Você deveria de diminuir a quantidade de bifes. CHARLIE: Sou saudável com um cavalo. CORA (preocupada): Diga uma coisa Chefe, os rapazes querem saber, você achou alguma coisa lá em Queets River hoje? Charlie sabe que os MADEIREIROS no balcão estavam escutando também. Ele monta uma resposta para manter todos calmos. CHARLIE: O suspeito está indo para o leste. O xerife do condado de Kitsap vai tomar conta do caso daqui em diante. Eles vão colocar mais policiais no caso. CORA: Espero que eles o peguem rápido. Ela vai embora com um certo alívio. Charlie e Bella passam o sal um para o outro, manteiga para o pão, etc., numa sincronia bem fácil agora. CHARLIE: Seus amigos estão provocando você. Ela se vira e vê Mike e os garotos brincando do lado de fora, com os canudos em suas narinas, fazendo caretas para ela. Ela sorri. CHARLIE: Tudo bem se você quiser se juntar a eles. Eu vou pra casa cedo de qualquer jeito. BELLA: É. Eu também. CHARLIE: É sexta feira à noite. Saia. O garoto Newton sorriu bastante para você. A família legal, os Newtons. BELLA: Ele é apenas um amigo.

CHARLIE: Nenhum dos garotos da cidade te interessa? BELLA: A gente não vai mesmo falar sobre garotos, vamos? CHARLIE: É que…você deveria de andar com a pessoas. Eu deixo você muito tempo sozinha. BELLA (com uma verdadeira afeição): Eu nunca me importei em ficar sozinha. Acho que sou muito parecida com o meu pai nisso. Charlie sorri. Esses dois progrediram muito. Cora retorna. CORA: Torta de frutas silvestres, 2 garfos. Ela põe a torna no meio deles. Close neles dois pegando os garfos… CENA 91 INTERNA. QUARTO DA BELLA – NOITE Bella, vestida para dormir, olha para fora da janela enquanto conversa no telefone com Renée. A euforia de Bella ainda fica em seus olhos… BELLA: O treinamento de primavera vai bem? CORTA PARA: CENA 92 INTERNA. CAFÉ – NOITE Renée fala no celular. Phil está no fundo, praticando rebatidas junto com alguns amigos de time. RENÉE: Phil está trabalhando duro. Nós estamos procurando uma casa para alugar, no caso de se tornar permanente. Você ia gostar de Jacksonville, bebê. BELLA: Na verdade, Forks está melhorando para mim. RENÉE (Pára, sabe que tem algo mais): Um garoto poderia ter algo a ver com isso? BELLA (pequeno sorriso): Talvez… RENÉE: Conte-me tudo! Machista? Indie? Aposto que ele é esperto! Ele é esperto? BELLA (tentando evitar mentiras): Bem… ele é um tipo daqueles que sabe tudo sobre história. – enquanto isso ela se vira e encontra – Edward deitado na cama dela, sorrindo. Ela quase derruba o telefone. BELLA: Eu, uh… tenho que ir. RENE: De jeito nenhum, nós temos que conversar sobre garotos. Você vai ficar segura? Edward atira um olhar para ela, ele ouviu isso. Ela está mortificada. BELLA: Eu te ligo depois, mãe. FICA EM BELLA que desliga o telefone. BELLA: Como você entrou aqui? EDWARD: A janela. Como sempre. BELLA: Você já esteve aqui antes? EDWARD: O que mais se tem pra fazer à noite? Ela o empurra. Ele segura a mão dela e de um jeito brincalhão, ele puxa ela para a cama, brigando enquanto – BELLA: Você é tarado! Pervertido! EDWARD: Shh! O Chefe vai ouvir você. Mas a eletricidade do contato físico dos dois rapidamente os aquece, as risadas se aquietando. Ele estuda o rosto dela. EDWARD: Eu só… gosto de ficar te olhando. Ele levanta os dedos para os lábios dela, mandando uma vibração pela espinha dela. EDWARD: Tem uma coisa que eu gostaria de tentar. Ela concorda, maravilhada por ele. Ele pega o rosto dela nas mãos, hesita para se testar, e a beija… O que os dois não estavam preparados era para a reação dela. A respiração dela se torna ofegante. Seus dedos se fecham no cabelo dele, puxando ele para ela. Os lábios se abrem enquanto ela respira o cheiro dele… E então as mãos gentis dele a forçam se separar. Ela abre os olhos e vê que os olhos dele

estão loucos, e sua mandíbula fechada. BELLA: (mortificada) Oh… Eu… oh. Ele relaxa, olhando para o rosto dela que começa a se avermelhar. EDWARD: Eu sou mais forte do que imaginava. BELLA: Eu gostaria de poder dizer o mesmo. Estou tão envergonhada. EDWARD: Não fique. Mas nós temos que ser mais cuidadosos (sério). Eu nunca posso perder o controle com você. Nunca. Ela concorda com a cabeça, e com cuidado deita no peito dele. Ele envolve os braços ao redor dela. Desaparece dos dois. CENA 93 INTERNA. CASA DE CHARLIE – SALA DE ESTAR – TARDE. Bella entra e encontra Charlie limpando um rifle. Ele começa a dizer oi mas ela o corta – BELLA: Eu tenho um encontro com Edward Cullen. Ele de repente parece estar tendo um aneurisma. CHARLIE: Ele é muito velho pra você. BELLA: Nós estamos na mesma sala. Eu pensei que você gostasse dos Cullen. CHARLIE: Eu pensei que você não estava interessada em nenhum garoto da cidade. BELLA: Ele não mora “na cidade”. E está no começo e – tanto faz, ele está aí fora agora. CHARLIE: Agora? Ele está lá fora? BELLA: Ele quer te conhecer. Oficialmente. CHARLIE: Bom. Ele pega o rifle com uma seriedade brincalhona. BELLA: Seja legal, okay? Ele é… importante. Charlie dá a sua filha um aceno reconfortante… e então ela abre a porta para revelar Edward em uma parka e luvas. EDWARD: Chefe Swan. Eu queria me apresentar formalmente. Eu sou Edward. Edward estende a mão. Charlie a pega, mas fala um oi que mais parece um grunhido, resistindo a ele. EDWARD: Eu não vou ficar com Bella até tarde hoje. Nós só vamos jogar baseball com a minha família. CHARLIE: Bella vai jogar baseball? Bella está igualmente surpresa, mas esconde isso. EDWARD: Sim, senhor, esse é o plano. CHARLIE: Bom. Boa sorte para você, eu acho. EDWARD (olha Charlie nos olhos): Ela vai estar segura comigo senhor, eu prometo. Edward sai… Charlie segura Bella. CHARLIE: (voz baixa) Você tem spray de pimenta? BELLA: Pai. CENA 94 EXTERNA. CASA DE CHARLIE. — À TARDE. Edward e Bella escalam para dentro de um JEEP gigante parado na garagem. EDWARD (maravilhado): Seu pai acha que você tem que ir para uma escola só de garotas. BELLA: Não é justo ler a mente de Charlie. Enquanto eles escalam o Jeep, Bella nota um taco de Baseball — BELLA: E desde quando vampiros gostam de baseball? EDWARD: É o passatempo americano. E mais, há uma tempestade chegando. É a única hora que podemos jogar. Você vai ver porquê. CENA 95 EXTERNA. CLAREIRA NA FLORESTA — CREPÚSCULO Nuvens tempestuosas se juntam no céu enquanto Bella e Edward estão no Jeep. Ela chega

em um campo enorme nas florestas Olympic. Esme e Emmett vêm cumprimentar Bella. ESME: Que bom que você está aqui. Nós precisamos de um juiz. EMMETT (grande sorriso torto): Ela acha que a gente trapaceia. ESME: Eu sei que vocês trapaceiam. Os chame quando você ver, Bella. CÂMERA COM RAPIDEZ para Alice na clareira. ALICE: Está na hora. – E então um trovão balança a floresta. COMEÇA MONTAGEM – JOGO. E é extraordinário. Bella fica junto com Esme que recebe as bolas. Alice lança com a velocidade de um trovão. Edward e Emmett ficam em suas posições do outro lado do campo. – ROSALIE REBATE a bola com o bastão de alumínio. Faz um CRAQUE como se fosse trovão – e é seguido por um trovão de verdade. BELLA: (para Esme) Agora eu entendo porque vocês precisam de trovão. A bola avança como se fosse um meteoro pela floresta, batendo nas árvores. Edward desaparece em seguida. BELLA: Aquele tem que ser um home run. ESME: Edward é muito rápido. Rosalie corre pelas bases, quase um borrão – Edward corre por fora da floresta com a bola e a joga. WHAP! Esme pega a bola um nano segundo antes de Rosalie chegar. BELLA: Foi fora? Esme concorda… Maravilhada, Bella olha Dr. Cullen chegar à linha. Edward e Emmett correm para pegar, mergulhando e colidindo de um jeito que parecia prédios enormes caindo. Eles perderam a bola – Dr Cullen está salvo! JASPER taca a próxima bola – para dentro da floresta. Mas antes que Edward possa correr, Alice de repente fica ofegante. ALICE: Pare! Eu não os vi… Eles todos param. Imediatamente Edward está do lado de Bella. A família instantaneamente vai para a base. ALICE: Eles estão viajando tão rapidamente – ROSALIE: Você disse que eles deixaram o condado — ALICE: Eles deixaram, mas então eles nos ouviram… (olhando para Edward) E mudaram de idéia. EDWARD: (para Bella) Coloque seu cabelo para baixo. ROSELIE: Como se isso fosse ajudar. Eu posso sentir o cheiro dela do outro lado do campo. Edward ignora Rosalie e arruma o cabelo de Bella. EDWARD: Eu não devia ter trazido você aqui. Desculpe-me. Ela ia perguntar por quê, mas de repente, todos eles se viram – A BORDA DA FLORESTA Há um sussurro… e então James, Victoria e Laurent aparecem. Enquanto eles se aproximam, Bella vê seus pés descalços, e então o vermelho de seus olhos. Laurent segura a bola. LAURENT: Acho que isso pertence a vocês. Ele joga a bola (sua jogada fraca, ainda muito rápida) para Dr Cullen, quem facilmente pega a bola e sorri educadamente. DR. CULLEN: Obrigado. LAURENT: Vocês usariam mais três jogadores? DR. CULLEN: Claro. LAURENT: Eu sou Laurent. Essa é Victoria. E James. DR. CULLEN: Você gostaria de rebater primeiro? Laurent pega o taco. Os Cullen vão para o campo. Dr. Cullen pega a bola, Edward está na primeira base, com Bella atrás dele, perto do Jeep. Bella vê que os olhos de Edward estão em James. Laurent rebate primeiro. DR. CULLEN: Eu acho que as suas caçadas tenham causado alguma bagunça para nós.

LAURENT: Nossas desculpas. Nós não percebemos que o território tinha donos. DR. CULLEN: Sim, nós temos uma casa permanente. Os três trocam um olhar de surpresa. LAURENT: Sério? Bem, nós não seremos um problema. VICTORIA: Os humanos estavam nos seguindo, mas nós os despistamos para o leste. Jasper joga a bola – Laurent rebate – mas Alice sobe na árvore em um flash e a bola vai à mão dela com o THWAP. Laurent fica bravo, mas James sorri, divertido com a descoberta de seus oponentes. James é o próximo e ele REBATE FORTE com uma FORÇA EXTRAORDINÁRIA… Ele corre pela primeira, por Edward, por Bella CLOSE EM BELLA – CÂMERA LENTA enquanto o vento da bola passa pelo cabelo dela, carregando seu cheiro, que chega em— JAMES — que de repente se curva, com seu grunhido por perto dela, suas narinas se abrindo, e os olhos em Bella. JAMES: Você trouxe um lanche. Edward se joga à frente de Bella, mostrando os dentes. E um rugido ameaçador sai de sua garganta. James ruge de volta. POR CIMA DA CABEÇA (FILMAGEM): em um flash, todos os Cullen ficam atrás de Edward – Laurent e Victoria atrás de JAMES. DR. CULLEN: A garota está conosco. LAURENT (tentando amenizar a situação): Nós não a machucaremos. EMMETT (com fome de batalha): Só tente. DR. CULLEN: Eu acho que é melhor vocês irem embora. LAURENT: Sim, eu posso ver que o jogo acabou. Nós vamos embora. James? Mas os olhos de James não saem dos de Edward. Laurent coloca uma mão no ombro de James, e finalmente, James vai para a floresta com seus companheiros, desaparecendo. Esme imediatamente pega os tacos. DR. CULLEN: Tire Bella daqui. Nós vamos seguir eles. Dr. Cullen, Jasper e a uma Rosalie sem vontade correm atrás dos três vampiros. Edward pega Bella enquanto nós – CENA 96 EXTERNA – CAMPO DE BASEBALL – NO JEEP – CREPÚSCULO Edward coloca Bella no Jeep e a prende – EDWARD: James é um caçador. Eu vi a mente dele. A obsessão por caçar, e a minha reação o desencadeou. – Os pneus giram enquanto Edward vira o Jeep EDWARD: — Nós somos um clã grande com lutadores fortes e todos protegendo uma humana vulnerável. (escurecendo com nojo) Eu acabei de fazer disso o jogo mais animador. Bella se toca do que ela acabou de trazer para todos enquanto — O JEEP DESCE PELA ESTRADA NA MONTANHA Uma corrida desafiadora contra a morte, espirrando pelos riachos, até eles alcançarem – CENA 97 EXTERNA. ESTRADA DA MONTANHA – NOITE O JEEP aumenta a velocidade descendo a Estrada. EDWARD: O primeiro lugar que ele irá é sua casa. Ele vai seguir seu cheiro lá. BELLA (horrorizada): O quê?!! O Charlie está lá! Ele está em perigo por minha causa! Por nossa causa! EDWARD (calmamente): Então nós levaremos o caçador longe dele. De algum jeito. Ele chicoteia por uma curva, lama voando — CENA 98

INTERNA. CASA DE CHARLIE — SALA DE ESTAR — NOITE. Charlie está assistindo ao jogo de baseball na TV enquanto a porta abre e mostra Bella, chorando, e Edward, devastado – BELLA: Eu disse, me deixe em paz! EDWARD: Bella, não faça isso. Só pense, por favor – BELLA: Saia! Está acabado! Ela BATE aporta. Charlie levanta, preocupado. CHARLIE: Bella? O que aconteceu? BELLA: Eu tenho que sair desse lugar. Sair de Forks. Estou indo embora. Agora. Bella corre para o andar de cima. Charlie corre atrás dela — CENA 99 INTERNA. CAMA DE BELLA – NOITE Bella bate a porta atrás dela. REVELA Edward já no quarto, pegando coisas das gavetas dela e empurrando elas em uma mala mais rápido do que é humanamente possível. Bella fica atrás da porta. BELLA: (um sussurro doloroso) Eu não posso magoar ele. Edward dá um olhar a ela, você tem. E há uma batida. CORTA para Charlie do lado de fora. É agonia para os dois. CHARLIE: Bells. Ele te machucou? BELLA: Não, pai. CHARLIE: Então o quê? Ele terminou com você? BELLA: Eu terminei com ele. CHARLIE: Eu pensei que você gostasse dele? BELLA: É por isso que eu quero ir. Eu não quero isso. Eu quero ir pra casa. EDWARD (sussurrando): Eu vou estar na caminhonete. E desaparece pela janela. Bella junta forças para continuar sua performance. Ela abre a porta para revelar Charlie. Ele a segue enquanto ela carrega sua mala e as chaves da caminhonete para —CENA 100 ESCADA DA CASA DO CHARLIE – CONTINUAÇÃO – INTERNA, NOITE. Bella desce correndo as escadas –- Charlie a segue. CHARLIE: Sua mãe nem está em Phoenix. BELLA: Ela vai ligar para casa. Eu vou ligar para ela da estrada. CHARLIE: Você não pode dirigir para casa agora. Eu te levarei no aeroporto de manhã. BELLA: Eu quero dirigir. Preciso de tempo para pensar. Eu vou parar num Motel em algumas horas. Prometo. Ela desce a escada. Charlie a segue… CENA 101 SALA DE ESTAR DA CASA DO CHARLIE – CONTINUAÇÃO – INTERNA, NOITE. Bella chega ao piso térreo da casa com Charlie em seus calcanhares. Ela está quase na porta quando Charlie a bloqueia. CHARLIE: Bells, Sei que não sou muito, mas posso mudar isso. Podemos fazer mais coisas juntos. Ela respira, odiando a si mesma pelo o que está prestes a dizer… BELLA: Como assistir mais basebol na TV de tela plana? Ou ir na Coffee Shop? As mesmas pessoas, o mesmo bife, a mesma torta toda noite? Isso é você pai. Não Eu. Isso atinge Charlie em cheio. Ela mal consegue suportar, desce os degraus, enquanto ele espera um segundo para se recuperar… CHARLIE: Bella…Eu acabei de ter você de volta. Isso parte o coração de Bella… E a força a entregar o golpe final.

BELLA: E se eu não for embora agora, vou ficar presa aqui como aconteceu com a mãe. Charlie está paralisado, machucado. Ela aproveita o choque dele, abre caminho e sai pela porta. CENA 102 CASA DO CHARLIE – EXTERNA, NOITE. Balla sai e vai em direção de sua caminhonete. Lágrimas caem de seus olhos. ÂNGULO DA MATA Árvores, troncos… e um par de OLHOS MORTAIS. James. Ele assiste a distância enquanto Bella sai com o carro. A caminhonete se vai… e James também, deixando Charlie sozinho com sua dor, olhando da janela. CENA 103 CAMINHONETE DE BELLA – INTERNA, NOITE. Bella dirige, limpando as lágrimas do rosto. De repente Edward está do lado de fora do carro, perto da janela de Bella. EDWARD: Ele vai te perdoar. (Close no olhar surpreso de Bella) Passa pro outro lado… Bella passa para o bando de passageiro enquanto Edward abre a porta, entra e pega o volante. Bella desmorona. BELLA: O rosto dele… Eu usei as mesmas palavras que a minha mãe usou quando deixou ele. EDWARD: Era o único jeito de ele deixar você ir. Edward ACELARA o carro. EDWARD: Seu pai está a salvo agora Bella O rastreador está nos seguindo –De repente, BOOM! – uma figura escura SALTA na caçamba da caminhonete. Bella GRITA. EDWARD: Está tudo bem. É apenas o Emmett. Alice está no carro de trás. Ela recupera seu fôlego. É penoso para ele vê-la tão assustada. Ela olha pela janela enquanto eles passam pela cidade… CENA 104 PONTO DE VISTA DE BELLA – FORKS COFFEE SHOP – CONTINUAÇÃO – EXTERNA, NOITE. A pequena, cidade isolada passa em CÂMERA LENTA…DENTRO nós VEMOS Mike, Jéssica, Eric e Ângela rindo, paquerando, inocentemente, esperançosamente… CENA 105 CASA DOS CULLEN – EXTERNA, NOITE. Edward, Emmett e Alice tiram Bella rapidamente da caminhote para dentro da casa… mas congelam quando a porta abre e Laurent sai da casa. Eles imediatamente tomam posições de defesa, mas Dr. Cullen aparece. DR. CULLEN: Ele veio nos alertar. Sobre James. Eles saem de suas posições devagar. Laurent fala para o Dr. Cullen. LAURENT: Eu me cansei desses jogos. Mas ele possui sentidos inigualáveis. Absolutamente letais. Nunca vi nada como ele em trezentos anos… E a mulher, Victoria, vai cobrir sua retaguarda. Não a subestime. Dr. Cullen agradeceu acenando com a cabeça. Laurent olha para Edward com um olhar de desculpas. LAURENT: Eu realmente sinto muito pelo o que foi libertado aqui. E ele vai embora, desaparecendo na mata… CENA 106 GARAGEM DE 4 CARROS DA CASA DOS CULLENS – INTERNA, NOITE. A porta lateral é ESCANCARADA quando Edward e os Cullens entra, seguidos por Bella. As luzes se acendem e revela uma garagem imponente; O Volvo, a BMW vermelha, uma

Mercedes Sedan preta e um utilitário esportivo. Todos, exceto Rosalie começam a agir, abrindo os armários para pegar suprimentos – celulares, baterias extras, mapas, GPS portátil, muda de roupas, latas de gasolina, etc. Enquanto carregam os veículos… JASPER: Já tive que lutar com nossa raça antes. Ele são difíceis de matar. EDWARD: Mas não é impossível. Vamos esquartejá-lo EMMETT (com sede de sangue): Vamos cortá-lo com nossas mãos e então queimar dos pedaços – DR. CULLEN: Eu não acho prazeroso matar uma criatura. Mesmo uma sádica como James. ROSALIE: Isso se ele não achar um de nós primeiro. BELLA (horrorizada): Isso é loucura. Você não podem se colocar em risco desse jeito – por mim. ROSALIE: Tarde demais. Edward joga um olhar em Rosalie, mas ele pega dois jogos de chave de um gancho, jogando com a rapidez de um raio, um jogo para o Dr. Cullen –EDWARD: Vou correr com Bella para o sul, enquanto você leva o rastreador para longe – DR. CULLEN: Não Edward –- o rastreador acha que você não sairá do lado da Bella. Ele vai te seguir. ALICE: Eu irei com Bella. Jasper e eu dirigiremos com ela para o sul. (Encarando ele) Eu a manterei salva, Edward. Edward agoniza. Frustrado. Alice anda para frente. EDWARD (a analisa, atormentado): Dá pra você manter seus pensamentos para si mesma? Ela acena que sim. Um acordo silencioso. Edward finalmente dá as chaves para Alice. Então ele abre uma as malas de Bella, pegando as roupas e jogando elas para –EDWARD: Esme, Rosalie, vistam isso para que o rastreador sinta o cheiro de Bella. ROSALIE (derrubando as roupas): Porque eu deveria? O que ela é para mim? Apenas uma ameaça que você impôs para nós) DR. CULLEN (falando bravo com ela): Rosalie. Bella está com Edward. Ela faz parte desta família agora. E nós protegemos nossa família. Ela resmunga, mas pega as roupas. Dr. Cullen aperta o botão do portão e os gigantescos PORTÕES DE METAL abrem. Dr. Cullen aperta os ombros de Edward antes de ele e Esme entrarem dentro do utilitário esportivo. Todos terminam de carregar o carro e entram –- No meio da agitação toda, Edward e Bella têm um momento a sós. BELLA: Se um de vocês se machucarem por minha culpa –EDWARD: Não vamos, somos em 5, eles em 2. Quando tiver acabado eu vou te buscar. Ele a puxa para mais perto, olhando nos olhos dela. EDWARD: Você é minha vida agora. Eles absorvem um ao outro, possivelmente pela última vez…enquanto o utilitário esportivo ACELERA para fora DO CAMPO DE VISÃO –CENA 107 NOROESTE PACÍFICO – EXTERNA, AMANHECER. O sol começa a se levantar na estrada vazia enquanto a MERCEDES SEDAN esguia, preta, com janelas com insulfilm PASSA CORRENDO pela câmera —CENA 108 MERCEDES – MESMO MOMENTO – INTERNA. Jasper dirige, Alice no bando do passageiro. Bella está no banco de trás, seus olhos vermelhos de tanto chorar. Ela fala em seu celular –BELLA: Mãe, sou eu de novo. Você deve ter deixado a bateria do seu celular acabar. De qualquer forma, não estou mais em Forks mas estou bem. Vou explicar quando você ligar. Ela desliga, então olha de volta para a janela, vendo a neblina verde da Península Olímpica passar rápido. Close no rosto de Bella – UMA SÉRIE DE IMAGENS AO LONGO DO DIA, ENTÃO A NOITE –- nos mostra que a paisagem mudo das florestas verde escuras de montes cheios de grama para um arredor mais seco e

marrom, até que a noite cai e os faróis nos cegam. Finalmente, chegamos em… CENA 109 OMITIDA CENA 110 FLORESTA DA PENÍNSULA OLIMPICA – EXTERNA,DIA. TRÊS VENTOS PASSAM POR NÓS em alta velocidade quando vemos Edward, Rosalie e Emmett que disparam dentro e fora da câmara, correndo pelas matas nebulosas, Edward, o mais rápido, tentaler os pensamentos do seu inimigo. Rosalie rasga um pequeno pedaço de seu roupa e o deixa numa ÁRVORE DE BORDO VERMELHO. E então eles se foram. CENA 111 OMITIDA CENA 112 OUTRA PARTE DA MATA – EXTERNA, DIA. Esme e Dr. Cullen estão agachados no topo de um monte, olhando para baixo no rio; De longe, abaixo, eles VÊEM –PONTO DE VISTA DELES – NO LAGO – VICTORIA aparece na cena. Então ela olha na direção deles. Quando o Dr. Cullen e Esme tiveram certeza de que ela sentiu o cheiro deles, eles continuaram no monte. CENA 113 OMITIDA CENA 114 FLORESTA DA PENINSÚLA OLÍMPICA – EXTERNA, DIA. James passa correm PELAS FOLHAS DE BORDÃO VERMELHO –- então pára, volta para a árvore, e encontra um pequeno pedaço de tecido. Ele começa a correr novamente…mas pára, cheira o tecido. Algo não está certo. Ele corre de volta na direção oposta…Uh oh… CORTAMOS PARA: CENA 115 QUARTO DE HOTEL EM SCOTTSDALE – INTERNA, FIM DE TARDE. CLOSE NO ROSTO DE BELLA: seus olhos bem abertos. Ela está deitada numa cama, completamente vestida. Ela levanta, se recuperando. CENA 116 SALA DO QUARTO DE HOTEL EM SCOTTSDALE – INTERNA,FIM DE TARDE. As cortinas estão abertas. Alice e Jasper assitem sem interesse nenhum a TV. Vários pratos de comida enchem a mesa. Alice olha para cima quando Bella entra, olhando para seu celular. BELLA: Eu queria que ele ligasse. ALICE: Você deveria comer. Mas Bella ignora a comida. Ela senta com pesar. BELLA: Eles podem se machucar. Não vale a pena. JASPER (insistindo): Sim. Vale a pena. Ela fica surpresa. Essa era a primeira vez que ele falava com ela. JASPER: Edward mudou desde que te encontrou. Nenhum de nós vai querer olhar nos olhos dele pelos próximos 100 anos caso ele perca você (ele olha para frente de novo). Vale a pena. De repente, Alice FICA EM PÉ. Jasper vai até ela, Bella o segue. JASPER: O quê você vê?

ALICE (com muita preocupação): O rastreador. Ele mudou seu curso… Jasper rapidamente põe um bloco de papel e um lápis na frente dela. JASPER: Para onde ele vai, Alice? CLOSE NO ROSTO DE ALICE quando – FLASH – JAMES Uma visão desorientada dele numa sala cheia de… ALICE: Espelhos. Uma sala de espelhos. Alice começa a desenhar com uma SUPER VELOCIDADE, fechando seus olhos, tentando ver as coisas com clareza. BELLA: Como as visões funcionam? Edward disse que ela não são sempre certeza. JASPER: Ela vê o caminho em que as pessoas estão, enquanto estão nele. Se eles mudarem de idéia, as visões mudam. Bella olha por cima do ombro de Alice para ver o desenho. BELLA: Então, o caminho de James o levará a um…Estúdio de ballet? ALICE (olha para ela): Você já esteve aqui? BELLA: Não. Eu não sei. Eu fazia ballet quando pequena. A escola tinha uns arcos assim. JASPER: A sua escola era aqui em Phoenix? BELLA: Sim, perto da esquina da minha casa. Mas fazem 10 anos que eu não vou lá. JASPER: Você tem algum motivo para ir lá agora? BELLA. Não. De jeito nenhum. Eu odiava o lugar. Alice e Jasper trocam olhares, tentando entender isso. De repente, Bella PULA quando seu celular TOCA. Ela o pega. Vê o número e respira com alívio. Ela atende… BELLA: Edward. Você está bem? CORTAMOS PARA: CENA 117 JEEP/ESTRADA EM WHASINGTON – INTERNA, EXTERNA, DIA. Dr. Cullen dirige o Jeep rapidamente, Emmett está no banco de trás, Edward no banco do passageiro falando ao celular. EDWARD: Estou indo te pegar (Ele odeia dizer isso). Perdemos o rastreador. A mulher ainda está na região. Rosalie e Esme estão protegendo o seu pai. BELLA (se desesperando): Isso é minha culpa. Você me alertou, mas eu não achei. Eu apenas… EDWARD: Bella, nós estamos muito envolvidos. Não podemos mudar como nos sentimos… BELLA: Não…Nós não podemos. Quando você vai chegar aqui? EDWARD: Em algumas horas. Então você e eu iremos para algum lugar. Juntos. Os outros vão continuar caçando (Com determinação). Bella, eu juro pra você, vou fazer de tudo para que você esteja a salvo novamente. Close nos olhos profundos de Bella CENA 118 HOTEL EM SCOTTSDALE – EXTERNA, DIA. VEMOS Alice no lobby, acertando a conta. Jasper carrega o carro do lado de fora. CENA 119 HOTEL SCOTTSDALE — QUARTO — INTERNA, DIA. Bella junta suas coisas, então seu telefone toca de novo. MOSTRA O IDENTIFICADOR DE CHAMADAS – Se lê “CASA.” Bella atende – BELLA: Mãe, estou tão feliz que você recebeu minha – RENE (SÓ A VOZ): (em pânico) Bella? Bella? Onde você está? BELLA: Se acalme, mãe. Tudo está bem, okay? Eu vou explicar tudo – OUVE-SE barulhos na linha, como se René tivesse derrubado o telefone BELLA: … Mãe? Você está aí?

E então Bella ouve uma voz que manda arrepios pela sua espinha — JAMES (SÓ A VOZ): Casa bonita que você tem. Não é a melhor no quarteirão, mas confortável. CORTE COM: CENA 120 CASA DA RENE, PHOENIX – INTERNA, DIA. Um close muito perto de JAMES, seus olhos sinistros e sorriso viciante. JAMES: Eu estava preparado para te esperar. Mas então Mamãe chegou em casa depois de ter recebido uma ligação preocupara de seu Pai. Até que tudo funcionou bem. Os olhos de Bella estão loucos de medo. JAMES: Eu tenho que dizer, a Escola Forks não protege a privacidade dos alunos muito bem. Foi muito fácil para Victoria achar seu endereço antigo. RENE (SÓ A VOZ): Bella? Bella?… BELLA: Deixe minha mãe fora disso. JAMES: Você a protege. Que legal. Você ainda pode salva-la. Mas você vai precisar se separar de seus amigos. Você pode fazer isso? BELLA: Eu… acho que não. JAMES: Se a vida de sua mãe depender disso? Bella está horrorizada, mas não há chances aqui. BELLA: Onde eu devo te encontrar? James sorri enquanto passa os dedos em uma foto de Bella que está presa com um ímã na geladeira. É a mesma foto que Charlie tem dela, 7 anos, em um tutu, sentada no chão. JAMES: O velho estúdio de Ballet na esquina. E eu vou saber se você trouxer alguém junto. Pobre mamãe que iria pagar o preço desse erro. (cheira o ar) Ela cheira como você. Deliciosa. Fica em BELLA enquanto ela desliga, em pânico. Ela começa a abrir gavetas, procurando uma arma –uma caneta, um kit de costura. Inúteis. Então ela se lembra. A bolsa dela. Ela tira tudo o que tem dentro, e encontra o spray de pimenta que Charlie deu a ela. Ela pega ele, sua única proteção agora. CENA 121 OMITIDA CENA 122 OMITIDA CENA 123 OMITIDA CENA 124 OMITIDA CENA 125 OMITIDA CENA 126 OMITIDA CENA 127 HOTEL SCOTTSDALE – INTERNA/EXTERNA, CREPÚSCULO — DIRIGINDO. Bella anda pelo lobby, procurando Jasper e Alice. Ela os vê do lado de fora, carregando a Mercedes, tendo uma discussão profunda. Ela sai

pela porta oposta, corre até um táxi e pula dentro, fecha a porta. O motorista é uma mulher idosa com tosse. BELLA (respirando pra criar coragem): Oitava com a Palo Verde, por favor. O táxi começa a andar. Bella vê o hotel desaparecer. Sai do rosto dela pela janela. BELLA (VOZ): Eu nunca pensei muito em como ia morrer… CENA 128 HOTEL SCOTTSDALE — EXTERNA, NOITE — PONTO DE VISTA DE BELLA. De novo, vemos shoppings, a cactos cortados à mão nos jardins. Tudo vazio para à noite. BELLA (voz): Mas morrer no lugar de alguém que eu amo parece um jeito bom de ir… CENA 129 OMITIDA CENA 130 OMITIDA CENA 131 ESCOLA DE DANÇA DA MIMI – NOITE Bella sai do taxi. Este se afasta, a deixando na calçada olhando o prédio deserto. Bella gira o anel de sua mão em seu dedo, e então pega o spray de pimenta. BELLA (narração): Eu não posso me arrepender pelas decisões que me trouxeram cara a cara com a morte… elas também me trouxeram a Edward. Ela coloca o spray de pimenta no bolso de seu jeans. Ela amarra a alça de sua bolsa em volta de sua cintura. Ela respira, e se aproxima da escola. Olha para as janelas. As cortinas estão abaixadas. Mas de dentro, ouvimos um barulho baixo. RENE (só a voz): Bella? Bella? É a hora. Bella vai para a porta da frente. Está destrancada. CENA 132 OMITIDA Bella? Bella? CENA 133 INTERNA – ESCOLA DE DANÇA DA MIMI – ESTÚDIO – NOITE Bella cuidadosamente entra nesse grande e vazio cômodo de espelhos. Uma barra de ballet envolve as paredes. RENÉE (só a voz): Bella, onde você está? Bella gira, tentando encontrar a fonte. Ela segue o som até um armário. Ela abre a porta para achar – UMA TV – NA TELA UM VÍDEO ESTÁ TOCANDO – Bella, 7 anos, se esconde no armário em que a TV está agora. Pequena Bella olha para nós. RENÉE (só a voz): Você não quer dançar, bebê? Pequena Bella balança sua cabeça teimosamente. A tela treme enquanto René dá a câmera pra outra pessoa. Renée, dez anos mais nova, aparece na tela e ajoelha na frente de Bella. BELLA: Todo mundo ri de mim. RENE: Mas você é uma dançarina maravilhosa. BELLA: Mãe, eu sou ruim. RISADAS atrás de Bella. Ela gira, tentando localizar James nos espelhos. JAMES: Essa é minha parte favorita. Criança teimosa, hein? O rosto de Bella fica vermelho de raiva… e alívio. BELLA: Ela não está aqui. JAMES: Me desculpa. Mas você fez disso muito fácil.

Visível no espelho, ele suspira, desapontado. E então vai até a frente de Bella e aponta uma câmera de vídeo a ela. JAMES: Então para fazer as coisas mais entretidas, vou fazer um pequeno filme dos nossos tempos juntos. Emprestei isso da sua casa. Espero que não ligue. (liga a câmera) E… ação! Bella joga a bolsa até ele, e corre para a porta. JAMES: Excelente! Uma tentativa de fuga! De repente, ele está bem atrás dela. Ela congela. JAMES: Vai quebrar o coraçãozinho de Edward. Ele cheira o cabelo dela. Toca sua garganta. BELLA: Edward não tem nada a ver com isso. JAMES: Mas ele vai. A raiva dele vai fazer disso um esporte mais interessante do que a tentativa dele de te proteger. Ele está se divertindo muito para notar – o spray de pimenta está na mão dela. Ela gira e joga nele. E então ela corre, enquanto James fica para trás. Mas ele pula por cima dela e pára BEM EM FRENTE DELA. Maravilhado, ele a joga pelo chão como uma bola de boliche. Ela bate em um pilar. James captura isso no filme. JAMES: Lindo! Bem dinâmico visualmente. Escolhi meu palco muito bem. Ele avança até ela. JAMES: Ainda teimosa, não é? É isso que faz você especial? Porque francamente, eu não vejo. Ele inala como se pudesse sentir o sabor – JAMES: Que pena que ele não teve a força pra te transformar. Ao invés disso, ele te manteve como uma humana frágil. É cruel, sério. James gira a câmera, mas a lente está cheia de spray de pimenta. Ele tenta tirar. JAMES: Muito bem! Você conseguiu me irritar! Ele pisa na perna dela. Nós ouvimos a tíbia dela fazer SNAP! Bella GRITA em agonia. JAMES: Diga a Edward o quanto dói. Abruptamente, a câmera está no rosto dela – JAMES: Diga a ele pra te vingar. BELLA: Não! Edward, não… James inala enquanto o sangue dela se espalha. Ele vai para frente, com fome. Bella, quase inconsciente, o vê virar a câmera pro seu próprio rosto – PONTO DE VISTA DA CÂMERA – ROSTO DE JAMES JAMES: Corta! Fim. De repente — JAMES É TIRADO DE CENA! Ele levanta para se encontrar cara a cara com Edward. James empurra Edward, o forçando contra uma coluna. JAMES: Você está sozinho… porque você é mais rápido que os outros. Mas não mais forte. James BATE o rosto de Edward em um espelho até este quebrar. EDWARD: Eu sou forte o suficiente para te matar. Edward joga James para trás – batendo em um espelho parado no meio da sala – para a porta. Ele pega Bella e escala até a porta – quando de repente ele e Bella são jogados para baixo. James joga Edward violentamente no chão – JOGANDO Bella de seus braços – enquanto James joga Edward para a janela do alto – O JOGANDO contra tijolos. James agacha do lado de Bella. Ele pega a mão dela – Olhando diretamente para Edward com um olhar sinistro – ele AFUNDA seus dentes na mão de Bella! Ela GRITA em agonia. A raiva de Edward EXPLODE – ele escala a janela e ATACA SUICIDAMENTE James, o jogando pelo chão.

EM BELLA — enquanto o veneno viaja pelas veias dela. PONTO DE VISTA DE BELLA – figuras negras giram e brigam, saindo e entrando em foco. De repente seus olhos se abrem para ver a REALIDADE EXPLOSIVA de James CHUTANDO Edward, entregando um tiro de morte quando – De repente a mão de Edward pega o tornozelo de James. EDWARD ruge até os pés dele e BALANÇA James como um bastão de baseball, o batendo em espelhos e mais espelhos. James está abatido. Bella geme – e o som de sua dor corta Edward. Em sua fúria animal Edward morde uma parte da carne de James, a tirando do corpo. Do rosto horrorizado de Bella para DR. CULLEN – agora do lado de Edward, colocando a mão no ombro de seu filho. Edward se vira para ver seu pai – e EMMETT, JASMER e ALICE, saindo do balcão. A expressão de Edward muda – ele percebe que foi longe demais. Ele se distancia enquanto seus parentes se curvam em ataque e vão em direção a James como um bando de animais. Dr. Cullen corre até Bella que está ferida e GRITA de dor. Edward vai até ela – PONTO DE VISTA DE BELLA – NOS TRÊS CULLEN, entrando e saindo de foco… é quase como uma dança tribal enquanto eles arrancam algumas madeiras do chão e constroem uma fogueira… é como uma pira funeral enquanto eles rasgam James, jogando pedaços no fogo. DE VOLTA EM BELLA — enquanto Edward chega a seu lado. Dr. Cullen trabalha rápido para acessar seus machucados, focado no sangramento enorme em sua perna. Mas claramente sua mão dói mais. Ela grita de dor. CORTE PARA O PONTO DE VISTA DESORIENTADO DE BELLA EM UMA REALIDADE CAÓTICA: Dr. Cullen faz pressão em sua coxa — DR. CULLEN: A artéria femoral dela foi danificada. Ela está perdendo sangue demais. BELLA: Está em fogo! Minha mão! EDWARD: Veneno… DR. CULLEN: (trabalhando em Bella) Você tem que fazer uma escola. Deixar a transformação acontecer – EDWARD: Não! PONTO DE VISTA DE BELLA – ALICE aparece atrás de Edward, indistinta. ALICE: Vai acontecer. Eu já vi — EDWARD: Não tem que ser desse jeito. DR. CULLEN: Alice, ache um torniquete. Uma camiseta. Alice aperta seu nariz e evita o sangue enquanto ela rasga a manga de sua blusa e ajoelha para ajudar Dr. Cullen. EDWARD: Qual é a outra escolha? Você disse – DR. CULLEN (para Alice): Mais apertado, acima do joelho – EDWARD: Carlisle. DR. CULLEN: Você pode tentar sugar o veneno para for a. EDWARD: Eu – não vou conseguir parar – DR. CULLEN: Encontre o desejo de parar. Mas escolha, ela só tem mais alguns minutos restantes. Edward olha para Bella, em dor. Por fim, Edward pega a mão dela. Ela tenta puxar a mão. EDWARD: Está tudo bem, Bella. Eu vou fazer isso ir embora. Ele olha para ela – e então começa a sugar o veneno da mão dela. Eles nunca tiram os olhos um do outro, uma conexão palpável, intensa. CLOSE NOS OLHOS DE BELLA – loucos de dor. Mas se dividindo… CLOSE NOS OLHOS DE EDWARD – o frenesi começou. Ele suga mais forte. Com mais fome. Angustiado, ele quer parar mas não consegue. A voz do Dr. Cullen parece milhas distante… DR. CULLEN: Pare. O sangue dela está limpo, você está matando ela. O desejo por sangue é muito forte. Ele está matando ela. Bella olha para ele, pedindo perdão,

enquanto ela começa perder a consciência… PONTO DE VISTA DE BELLA – EM EDWARD – começa a ficar embaçado… ele desaparece na luz que cega. É como se ela estivesse embaixo d’água, como em seus sonhos… BELLA (narrando): A morte é pacífica. Fácil. Bella começa a afundar… nós estamos perdendo ela… De repente da escuridão, Edward alcança uma mão… Uma luz brilhante aparece… CENA 134 O ROSTO DE BELLA APARECE NA CLARIDADE Olhos fechados. Mas lentamente se abrem. Ela sente a luz nos olhos. BELLA: Vida… É mais difícil… Um tubo de oxigênio descansa embaixo do nariz dela. Ela tenta alcançar ele, confusa. Uma mão pára a sua enquanto tudo fica focado. RENÉE: Você está acordada, bebê! Você está bem!!! INTERNA – QUARTO DO HOSPITAL – DIA Bella está deitada numa cama de hospital. Engessada, perna suspensa. Em uma forma não muito boa. Renée se inclina para ela, lágrimas nos olhos. Na cômoda, ela vê cartões e uma montagem de seus amigos de Forks. BELLA: Edward? Cadê — RENÉE: Ele está dormindo. Ela olha para o outro lado do quarto onde Edward “dorme” em uma cadeira. RENÉE: Ele nunca sai daqui. E seu pai está na cafeteria. BELLA: O que… aconteceu? RENÉE: Bebê, você caiu dois lances de escada e voou por uma janela. Bella fica confusa. Renée a lembra – RENÉE: Edward veio até aqui para convencer você voltar a Forks. O pai dele o trouxe. Você foi ao hotel deles mas você tropeçou nas escadas. Um momento… e então Bella percebe a história. Ela concorda. BELLA: Soa como eu. O celular de Renée apita. Ela o abre. Lê uma mensagem, começa a digitar em resposta. É Phil. Ele está preocupado com você. BELLA: Mãe, você está mandando mensagens. RENE: (sorrindo) Eu disse a ele pra ficar na Florida. Os Suns o contrataram! BELLA: Isso é ótimo, mãe. RENÉE: Jacksonville é sempre sol e você vai ter seu próprio banheiro… BELLA: Mãe, espere. Eu quero viver em Forks. Eu tenho o papai… (olha para os cartões)… e amigos… RENÉE (olha pra Edward): E ele está lá. Bella encolhe os ombros, entregando a verdade. RENÉE: Charlie não gosta dele. O culpa por você ter ido embora. BELLA: O que você acha? RENÉE (abaixando a voz): Acho que ele está apaixonado por você. Bella sorri. Renée sorri. Bella olha para Edward. BELLA: Mãe, você pode ir buscar o papai? Eu quero falar com ele. Me desculpar. RENÉE: Eu tenho certeza que ele não liga pra isso, bebê. Mas vou buscar ele. Renée beija a testa de Bella. Sai, Bella vê-a ir embora. A porta fechando atrás dela. Bella se vira para encontrar Edward parado do lado dela com uma preocupação profunda. Ele beija a testa dela suavemente. BELLA: E James — você —? EDWARD: Nós cuidamos dele. E a mulher, Victoria, ela fugiu. Ela fecha os olhos em alívio, e então o olha. BELLA: Estou viva por sua causa. EDWARD (escurece): Você está aqui por minha causa.

Os machucados dela causam dor a ele. Ele acaricia o rosto dela. EDWARD: O pior disso… era ficar pensando que eu não conseguia parar – BELLA: Mas você parou. EDWARD: Bella, você deveria ir para Jacksonville. Onde eu não posso te machucar mais. BELLA: O que? Não! Eu quero ficar com você! Eu não quero… EDWARD (sentando ao lado dela): Shh. Está tudo bem. Eu não vou a lugar algum. Estou bem aqui. Ele coloca um braço ao redor dela. Enquanto ela se curva em seus braços. DISSOLVE PARA: CENA 135 EXTERNA FORKS, WASHINGTON – FIM DE TARDE Uma VISÃO AÉREA sobre as exuberantes florestas verdes. Nós voltamos à beleza nebulosa e úmida do noroeste do Pacífico… CENA 136 EXTERNA CASA DE CHARLIE – LINDO FIM DE TARDE Em uma mesa de piquenique, Charlie limpa um peixe com uma grande faca. Edward espera sem jeito próximo ao seu Volvo, vestido em um elegante terno. Mas mesmo calmo, Edward está com receio pelos olhares de Charlie. A porta da frente se abre e eles olham para ver – BELLA – aparecendo na entrada em um impressionante vestido longo. Edward está encantado. Bella desce os degraus com dificuldade, devido ao gesso de sua perna. Charlie passa por Edward para ajudá-la a descer. BELLA: Alice me emprestou o vestido. Foi a única coisa que caberia com o meu gesso. Está muito…? EDWARD: Você está perfeita… Eu cuidarei bem dela, Chefe. CHARLIE: Já ouvi isso antes. Edward anda para abrir a porta do carro. Charlie segura as costas de Bella. CHARLIE (em voz baixa): Eu coloquei um novo spray de pimenta na sua bolsa. BELLA: Pai. CHARLIE: … e… você está linda… Pai e filha dão um sorriso… CENA 137 EXTERNA/INTERNA MANSÃO, POUSADA VIEW POINT – CREPÚSCULO O volto de Edward entra nesta adorável pousada. Ele ajuda Bella a sair do carro, e começa a guiá-la pela sala de jantar. Senhor Molina e outros professores estão lá. Nós talvez notamos as costas de uma ruiva,se misturando com os acompanhantes. BELLA: Não acredito que você está me convencendo a fazer isso. Ele apenas sorri. Edward a guia pelo canto para… CENA 138 EXTERNA MANSÃO QUINTAL DOS FUNDOS (CONTÍNUA)- CREPÚSCULO 138 O BAILE – estilo Monte Carlo. Mesas de jogo e roletas. Caras em ternos e garotas de vestido apostam por prêmios, dançam e se socializam. BELLA: Você realmente está tentando me matar. EDWARD: Baile é um importante ritual de passagem. Não quero que você perca nada. Ela não consegue ficar brava com ele, apenas sacode a cabeça afetuosamente. Eles continuam no baile. Muitas cabeças se viram. Bella vê – NA PISTA DE DANÇA, onde um vácuo de formou. No meio, dois casais,giram graciosamente. É Alice e Jasper, Rosalie e Emmett, absolutamente impressionantes. Rosalie olha de relance; indiferença trocou de lugar com a fúria. Mas Alice acena brilhantemente. Bella responde com um sorriso, enquanto nós ouvimos o som mudar para a próxima música –

PONTO DE VISTA DE BELLA – O DJ DA TENDA – É Eric na plataforma giratória, fazendo o som do local! Próximo a ele, Ângela usa os fones, girando uma pilha de discos. Eles balançam a cabeça para Bella – ela dá a eles um sorriso, quando – UM CLARÃO DE FLASH chama sua atenção – PONTO DE VISTA DE BELLA – POSIÇÃO DO FOTÓGRAFO Mike e Jéssica estão parados em frente de um Aston Martin. Bella olha para seus olhos – Mike faz sua melhor performance de James Bond. Jéssica posa de Pussy Galore. Edward dá um sorriso forçado, e se vira para Bella – EDWARD: Podemos? BELLA (risos, então cai a ficha): Você tá falando sério? Ele não espera por uma resposta, mais ou menos a CARREGA para a PISTA DE DANÇA – e coloca os pés dela em cima dos seus… e começa a se mexer. Ela na verdade começa a gostar disso. EDWARD: Viu? Você está dançando. BELLA: No baile. Enquanto eles dançam, ela sente sua graça, sua força. Fica pensativa. Finalmente, ela olha para ele… BELLA: Edward… por que você me salvou? (fecha em seu olhar de questionamento) Se você tivesse deixado o veneno se espalhar, eu poderia ser como você agora. EDWARD: (pára, horrorizado) Você não sabe o que está dizendo. Você não quer isso. BELLA: Eu quero você. Para sempre. EDWARD (com raiva): Eu não vou acabar com sua vida por você. Ele continua dançando, lentamente, esperando que fossem as últimas palavras. BELLA: Estou morrendo de qualquer forma. Cada minuto eu fico mais velha, mais velha – EDWARD: É assim que as coisas deveriam acontecer. BELLA: Não da maneira que Alice vê. (Fecha em seu olhar cortante) Eu a ouvi. Ela me viu como você. EDWARD: Suas visões mudam, Bella. BELLA: Baseado no que alguém decide. E eu decidi. Ele olha para ela, zangado. EDWARD: É com isso que você sonha? Se tornar um monstro? BELLA: Eu sonho em poder ficar com você para sempre. EDWARD: Você realmente quer isso? BELLA: Sim. Ele abaixa os lábios até o pescoço dela. Uma mordida é tudo o que seria preciso. EDWARD: Você está pronta agora? BELLA: Sim. Seus lábios pairam sobre a pele dela, uma longa batida… então ele pressiona os lábios em sua garganta. Não uma mordida. Um beijo. Ele a olha. EDWARD: Você terá uma longa vida feliz comigo. Não é o bastante? Ela olha para ele.. e finalmente sorri. BELLA: Por enquanto. Eles giram, deslizando com sua graça, sem afastar nunca o olhar um do outro, enquanto nós nos suspendemos por eles, um nos braços do outro BELLA (PENSAMENTO): Ninguém irá se render esta noite. Mas eu não vou ceder. Eu sei o que quero. CONTINUA PARA CIMA E PARA TRÁS na pista de dança. Nós notamos… … alguém está assistindo tudo, olhando da janela da sala do segundo andar do hotel. A MÚSICA vai aumentando em eco. ARRASTA PARA TRÁS para REVELAR… VICTORIA, virando da janela. Ela está vestida de forma elegante, mas fervendo – um baixo e sinistro resmungo por trás de sua garganta. AVANÇA RAPIDO EM SEU ROSTO, E SEUS OLHOS

VERMELHOS cheios de vingança, enquanto nós – TELA FICA ESCURA

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->