P. 1
acordao-2008_1177490

acordao-2008_1177490

|Views: 0|Likes:

More info:

Published by: Zauri Severino Junior on May 16, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/16/2013

pdf

text

original

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL. SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL. CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO. DESVIO DE FUNÇÃO. Pretensão de servidor público municipal, nomeado para exercer atividade de Operário, mas que exercia a função Motorista, de recebimento das diferenças decorrentes do desvio de função. Consolidação da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça no sentido de que o servidor em desvio de função tem direito às diferenças salariais dele decorrentes, embora não seja possível o seu reenquadramento. Revisão da posição do relator acerca da matéria para se ajustar à orientação dos tribunais superiores e dos integrantes desta Colenda Terceira Câmara. SENTENÇA MODIFICADA. APELAÇÃO PROVIDA.

APELAÇÃO CÍVEL Nº 70020271953 ANTENOR GAMBRA KURTZ MUNICÍPIO DE VERA CRUZ

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL COMARCA DE VERA CRUZ APELANTE APELADO

ACÓRDÃO
Vistos, relatados e discutidos os autos. Acordam os Desembargadores integrantes da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, à unanimidade, em dar provimento à apelação. Custas na forma da lei. Participaram do julgamento, além do signatário (Presidente), os eminentes Senhores DES.ª MATILDE CHABAR MAIA E DES. ROGÉRIO GESTA LEAL. Porto Alegre, 28 de agosto de 2008. 1

ante a exploração de mão-de-obra sem a devida contraprestação. RELATÓRIO DES. mas recebia vencimentos 130% menores. de outro canto. 2 . sob a alegação de desvio de função e quebra do princípio da isonomia. PAULO DE TARSO VIEIRA SANSEVERINO. VOTOS DES. postulou a reforma da sentença. Sustentou. de 2º grau. Relator. A questão está bem individualizada e diz respeito aos efeitos jurídicos que se irradiam do desvio de função na órbita da Administração Pública. É o relatório. para dar provimento aos pedidos da inicial. manifestou-se pelo desprovimento da apelação.ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL DES. Por estas razões. Nas suas razões de apelação. de sentença que julgou improcedente o pedido de pagamento de diferenças salariais entre as funções de operário e de motorista. O Ministério Público. nos autos da ação de cobrança que move contra o MUNICÍPIO DE VERA CRUZ. a quebra do princípio da isonomia. PAULO DE TARSO VIEIRA SANSEVERINO (RELATOR) Trata-se de apelação interposta por ANTENOR GAMBRA KURTZ. PAULO DE TARSO VIEIRA SANSEVERINO (RELATOR) Eminentes Colegas. sustentou que é inequívoco o desvio de função. Houve contra-razões. pois o apelante desempenhava a função de motorista. asseverando a ocorrência do locupletamento ilícito do Município.

das parcelas vencidas antes da propositura da demanda (Súmula 85 do STJ). apenas. Resta que se estabeleçam os efeitos jurídicos do desvio de função. quando fora nomeado para o cargo de Operário. Antes e depois do período antes referido o autor exercia a função de operário. nomeada para exercer atividade de Atendente II padrão 3. Revisão da posição do relator acerca da matéria para se ajustar à orientação dos tribunais superiores e dos integrantes desta Colenda Terceira Câmara. precisamente de caminhão caçamba. Ausência de denegação de pedido 3 .ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL Os documentos acostados às fls. corroborados pelo depoimento colhido na fl. de recebimento das diferenças decorrentes do desvio de função. ESCRITURÁRIO. exercendo as atribuições de Motorista. mas que exercia a função de Escriturário padrão 7. Trabalhava como motorista dos veículos que faziam o recolhimento do lixo e entulho. Interpretação do art. apesar de ser operário. embora não seja possível o seu reenquadramento. Consolidação da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça no sentido de que o servidor em desvio de função tem direito às diferenças salariais dele decorrentes. Prescrição qüinqüenal. 75): Entre 1997 a 1999 o autor passou a exercer a função de motorista. 20. tendo sido o precedente ementado nos seguintes termos: APELAÇÃO CÍVEL SERVIDOR PÚBLICO. Já me manifestei acerca de controvérsia semelhante. MUNICÍPIO DE SANTANA DO LIVRAMENTO. Portanto. O autor no período em que trabalhou como motorista na secretaria de Obras no setor de recolhimento de lixo e entulho. confirmam que o autor efetivamente laborou em desvio de função. 07ss.910/32 em face da Súmula nº 85. Merece destaque o depoimento da testemunha Mozart Ludovico dos Santos (fl. não há maior controvérsia em torno do fato de o autor ter efetivamente laborado em desvio de função. DESVIO DE FUNÇÃO. Pretensão de servidora pública municipal. 75. 1º do Dec.

Não há omissão no acórdão recorrido quando o Tribunal de origem pronuncia-se de forma clara e precisa sobre a questão posta nos autos. ÓRGÃO JULGADOR QUINTA TURMA. contradição ou omissão existentes na decisão recorrida. DATA DO JULGAMENTO 06/09/2007. assentando-se em fundamentos suficientes para embasar a decisão. PRESCRIÇÃO. JUROS MORATÓRIOS. Terceira Câmara Cível. REVISÃO. embora sem reconhecer o direito ao reenquadramento. SENTENÇA REFORMADA. Tribunal de Justiça do RS. DIREITO À PERCEPÇÃO DAS DIFERENÇAS SALARIAIS. 2. DESVIO DE FUNÇÃO. SÚMULA 85/STJ. prevalência do direito da parte buscar em juízo as parcelas ainda não encobertas pela prescrição qüinqüenal. (Apelação Cível Nº 70020372686. RELATOR(A) MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA.2007. LEGITIMIDADE PASSIVA DA UNIÃO. 1. RECURSO ESPECIAL CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO. 350.ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL expresso na esfera administrativa. posteriormente. Os embargos de declaração têm como objetivo sanear eventual obscuridade. PROCESSUAL CIVIL. IMPOSSIBILIDADE. Julgado em 26/06/2008). HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. mesmo que sejam referentes a período em que esteve cedida ao Estado do Rio Grande do Sul e.10. A União é parte legítima para figurar no pólo passivo de ação ajuizada por servidora pública federal na qual postula o pagamento de diferenças salariais por ter laborado em desvio de função. P. “DIREITO ADMINISTRATIVO. os argumentos trazidos pela parte. Estes os recentes precedentes: RESP 759802/RS. SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL. ao Município 4 . AÇÃO AJUIZADA POSTERIORMENTE À EDIÇÃO DA MP 2. admite o direito do servidor à percepção das diferenças remuneratórias relativas ao período em que trabalhou em desvio de função. O Superior Tribunal de Justiça. DATA DA PUBLICAÇÃO/FONTE DJ 22. Ademais. RECURSO DE APELAÇÃO PARCIALMENTE PROVIDO. Relator: Paulo de Tarso Vieira Sanseverino. um a um.180-35/01. o magistrado não está obrigado a rebater. SÚMULA 7/STJ.

pois foi mantido seu vínculo originário com a União. Nas ações em que servidor busca o pagamento de diferenças devidas a título de desvio funcional. As disposições contidas na MP 2.ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL de Pelotas. 24/8/01. o reexame de matéria fático-probatória. ÓRGÃO JULGADOR T5 .494/97. A teor da pacífica e numerosa jurisprudência. DIREITO DO SERVIDOR. SERVIDOR PÚBLICO. somente são aplicáveis aos casos ajuizados posteriormente à sua vigência. porquanto não foi indicado qualquer dispositivo de lei federal que teria sido 5 . DIFERENÇAS SALARIAIS. DEFICIÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO. “ADMINISTRATIVO. mediante convênios celebrados com o Ministério da Saúde. a reapreciação do quantum fixado a título de honorários advocatícios implica.180-35/01. prescrevem apenas as parcelas vencidas nos cinco anos anteriores ao ajuizamento da ação.04. o que é inviável em sede de recurso especial. pelo que os juros moratórios devem ser fixados no percentual de 6% ao ano. 1. RELATOR(A) MINISTRA LAURITA VAZ. por terem natureza de norma instrumental. 3. CERCEAMENTO DE DEFESA. necessariamente. que continuou responsável pelo pagamento de sua remuneração. o servidor faz jus às diferenças salariais dele decorrentes.QUINTA TURMA. nos termos do art.2005. 1º-F da Lei 9. nos termos da Súmula 85/STJ. 5. Hipótese em que a ação foi ajuizada em 9/11/01. DATA DA PUBLICAÇÃO/FONTE DJ 11. 6. P. enquanto não negado o direito. Recurso especial conhecido e parcialmente provido para fixar os juros moratórios no percentual de 6% ao ano. sendo o caso de incidência da Súmula 7/STJ. DATA DO JULGAMENTO 08/03/2005. O Superior Tribunal de Justiça possui entendimento no sentido de que. A alegação de cerceamento de defesa em face do indeferimento da produção de prova pericial não merece ser conhecida.” RESP 711963 / RS. 378. ou seja. reconhecido o desvio de função. com reflexos na esfera jurídico-material das partes. SÚMULA 284/STF. DESVIO DE FUNÇÃO. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. 7. 4. PRECEDENTES DESTA CORTE.

” Destaco que o referido enfoque. no entanto. concluindo que o desvio de função constitui um ilícito administrativo. que se mostra peculiar. Ante o exposto. mesmo em desvio de função. Precedentes.ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL malferido. da moralidade administrativa e da impessoalidade. especialmente os princípios da legalidade. do qual não poderia ex-surgir efeitos. no caso dos autos. tampouco o cotejo analítico não foi efetuado nos moldes legais e regimentais. entro em sintonia com os demais integrantes deste órgão fracionário. privilegiando o trabalho desempenhado. sob pena de enriquecimento indevido da Administração. a título de indenização. a buscar a solução da presente questão nos princípios constitucionais que regulamentam a atividade administrativa. impõe-se o provimento da apelação da parte autora. também já me impressionara quando exerci a jurisdição do 2º Juizado da 4ª Vara da Fazenda Pública. centrado no princípio da vedação do enriquecimento sem causa. os integrantes desta Colenda Terceira Câmara passaram a reconhecer o direito ao pagamento das diferenças vencimentais advindas do exercício de funções que não aquelas para as quais o servidor prestara concurso. Entretanto. reconhecendo-se o direito do autor ao recebimento da diferença dos vencimentos do cargo de Operário para o de Motorista. que estão consagrados no artigo 37 da Constituição Federal. No entanto. 6 . passando a examinar o direito ao pagamento do adicional de insalubridade postulado. Passei. 2. 3. Ressalvando meu posicionamento acerca da questão. provido. Recurso especial parcialmente conhecido e. Recurso que não merece ser conhecido nesse ponto. nessa parte. os valores referentes à diferença entre os vencimentos do cargo ocupado e da função efetivamente exercida. impõese reconhecer o direito da parte autora aos vencimentos de Motorista. É devido ao servidor público em desvio de função.

e de juros de mora de 6% ao ano. desde a citação. PAULO DE TARSO VIEIRA SANSEVERINO . UNÂNIME.De acordo. 20 do Código de Processo Civil e segundo os precedentes desta Câmara. DES.Presidente ." Julgador(a) de 1º Grau: MARCELO DA SILVA CARVALHO 7 . voto no sentido do provimento da apelação. DES. julgando procedente a demanda.De acordo. Em face da sucumbência. É o voto.Apelação Cível nº 70020271953. ROGÉRIO GESTA LEAL . desde a data de seu vencimento. em observância aos § 3º e § 4º do art. DES.ª MATILDE CHABAR MAIA (REVISORA) . Comarca de Vera Cruz: "DERAM PROVIMENTO À APELAÇÃO. Em síntese.ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PTVS Nº 70020271953 2007/CÍVEL Condeno o Município ao pagamento dos valores acrescidos de correção monetária pelo IGP-M. condeno também o Município ao pagamento das custas processuais e de honorários advocatícios fixados em 10% sobre o valor atualizado da condenação.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->