Trabalho Realizado por: Carla Cipriano Nº de Aluno: 21207384

4 -------- Conceito de Direito Canónico/ Importância do Direito Canónico Pág.8----------Penetração do Direito Canónico na Península Ibérica Pág.5----------Fontes do Direito Canónico Pág.6----------Direito Canónico Anterior ao Século XII/ Colectâneas do Direito Canónico Pág.10-------- Bibliografia .INDICE Pág.9---------- Conclusão Pág.3--------- Introdução Pág.7----------O Código do Direito Canónico Pág.

falar sobre a sua Importância. as suas Fontes. Com a execução deste trabalho pretendo assim dar a conhecer de forma resumida este direito que faz parte da História do Direito Português. o seu Código e a sua Penetração na Península Ibérica. Irei explicar o seu Conceito. as suas Colectâneas. .Introdução Ao longo deste trabalho irei fazer uma abordagem sobre o Direito Canónico.

Importância do Direito Canónico O direito canónico teve uma importância muito significativa no quadro histórico do sistema jurídico português que se prolonga até os tempos modernos. Esta expressão por sua vez está errada porque é utilizada para a compreensão das normas jurídicas estaduais relacionadas com confissões religiosas. .Conceito de Direito Canónico O direito canónico é um direito privado da igreja católica que regulamenta e disciplina a sua organização impondo-se nas relações do clero e dos fiéis. O direito canónico tem recebido outras designações equívocas. Este tem uma grande importância no direito actual. Entende-se assim por direito canónico o conjunto de normas jurídicas que disciplinam as matérias da competência da igreja católica. entre as quais se destaca o chamado “direito eclesiástico”. devido também a que muito cedo designou a pessoa jurídica. Antigamente era este quem disciplinava os múltiplos aspectos das relações sociais que se encontram hoje assumidas pela legislação estadual.

as leis ou cânones dos concílios ecuménicos. que são:    Os preceitos cerimoniais Os preceitos judiciais Os preceitos normais O Novo Testamento engloba:   O preceito do direito divino do evangélico O preceito do direito divino apostólico . As fontes de direito humano são o costume (este estava subordinado a três requisitos que são a razão. As fontes de direito divino são constituídas pela Sagrada Escritura (Antigo e Novo Testamento) e pela Tradição Canónica (esta é uma interpretação bíblica e encerra os ensinamentos e preceitos de Jesus Cristo não consignados por escrito. a igreja apenas propõe ou interpreta. a doutrina e a jurisprudência.Fontes do Direito Canónico As fontes do direito canónico dividem-se em dois grupos: as fontes de direito divino e as fontes de direito humano.os decretos ou decretais pontífices romanos. sendo que neste caso. as concórdias ou concordatas. os diplomas emanados de autoridades eclesiásticas infra. A Sagrada Escritura é uma fonte que engloba tanto o antigo como o novo testamento: O Antigo Testamento possui diversos tipos de preceitos. mas só transmitidos oralmente). a fé e a verdade).ordenadas.

Devido a isso em um curto espaço de tempo foi preciso implementar a criação de colectâneas que reunissem a sistematizassem essas mesmas normas.  Decretais de Gregório IX (1234): são uma colectânea de normas pontifícias posteriores à obra de Graciano.Direito Canónico Anterior ao Século XII ( Ius Vetus) Qualifica-se como o período do direito canónico antigo que decorre desde o seu aparecimento até cerca de meados do século XII. Este divide a história do direito canónico em três períodos que são o ius vetus. Estas decretais foram os que receberam a renovação do alto canónico.  Livro Sexto ou Sexto de Bonifácio (1298)  Clementina: foi realizada pelo Papa Clemente e decorre do concílio de Viena entre 1311 e 1312. E ste foi uma influência máxima da Escola dos Glosadores. e está dividido em cinco livros que foram marcando as várias compilações até ao século XV. que S. o ius novum e o ius novissimum. mas só foi aprovada por João XXII no ano de 1317 . A primeira fase é caracterizada pela quase exclusividade das fontes de direito divino. e deste modo a obra aparece designada nos manuscritos mais antigos por “ Concordia discordantium canonum”. logo seguiu-se o progresso do costume e das outras fontes de direito humano e estas por sua vez tornaram-se o modo normal de criação de preceitos jurídico-canónicos que se convocam para disciplinar certas situações cada vez mais vastas e complexas. João Graciano ( monge e professor da Escola de Bolonha) procurou fazer uma síntese e compilação dos princípios e normas vigentes. Colectâneas do Direito Canónico Com o aparecimento de novas colectâneas de direito canónico houve uma tendência para a uniformização e centralização dos sistemas jurídicos. Raimundo de Penãfort organizou a pedido de Gregório IX. Tais colectâneas são:  Decreto de Graciano (1140): esta foi a primeira grandíssima compilação de direito canónico.

a hierarquia do seu governo. Este encontra-se ordenado em cânones que cumprem funções similares aos artigos nos textos legislativos civis e divide-se em sete livros:  Livro Primeiro: Das normas gerais  Livro Segundo: Do Povo de Deus  Livro Terceiro: Da função de ensinar da Igreja  Livro Quarto: Da função de santificar a Igreja  Livro Quinto: Dos bens temporais da Igreja  Livro Sexto: Das sanções na Igreja  Livro Sétimo: Dos processos .Na prática é a constituição da Igreja Católica. os direitos e obrigações dos fiéis e o conjunto de sacramentos e sanções que se estabelecem pela contradição das mesmas normas.O Código do Direito Canónico O Código de Direito Canónico é o conjunto ordenado das normas jurídicas do direito canónico que regulam a organização da Igreja Católica.

Este direito foi aplicado em Portugal nos tribunais eclesiásticos. no primeiro momento como direito preferencial. houve também a sua aplicação nos tribunais eclesiásticos e nos tribunais civis. eram na sua maioria eclesiásticos a quem as respectivas instituições proporcionavam grandes facilidades para o início ou prosseguimento de tais estudos no estrangeiro. Também já houve uma divulgação considerável dos textos de direito canónico através de muitas cópias e até de traduções. Numa posição paralela com a organização judiciária civil.  Aplicação nos tribunais eclesiásticos: o direito canónico apresenta-se antes de tudo como o ordenamento jurídico privativo dos tribunais eclesiásticos onde tudo era aplicado em função da razão da matéria (“ ratione materiae”) e em função da razão da pessoa (“ ratione personae”). tribunais civis ou seculares. Os peninsulares que se deslocaram aos centros de ensino de direito italianos e franceses. Deste modo apenas certas pessoas só podiam ser julgadas nestes tribunais. onde o próprio monarca que o determinaria. inclusive nas cátedras bolonhesas e de outras universidades. ou seja. de tribunais da igreja. Para além da aplicação do direito canónico no ensino. Havia certas matérias que pertenciam á jurisdição eclesiástica. Embora estes de dedicassem ao direito romano. . O direito canónico desde os seus alvores penetrou e foi aceite na Península Ibérica. pois desde cedo teve reflexos para além dos Pirenéus. e a outros benefícios eclesiásticos. orientavam-se sobretudo para o direito canónico. matérias que diziam respeito ao matrimónio. aos testamentos. como era o caso do clero. a lista de decretistas e decretalistas hispanos é longa.  Aplicação nos tribunais civis: O direito canónico também foi aplicado nos tribunais civis. existia uma organização judiciária eclesiástica. O direito canónico tinha um conhecimento que para além de ser especulativo era prático. aos bens da igreja. Sendo assim.Penetração do Direito Canónico na Península Ibérica A renovação legislativa e doutrinal do direito canónico não tardou em difundirse pela Europa. Alguns canonistas peninsulares ocuparam posições de destaque. pois este não podia ser levado perante um tribunal civil.

. como é que se expandiu. Com a execução deste trabalho ficamos a ter conhecimento a origem deste direito.Conclusão Podemos concluir então que o Direito Canónico é um direito privado da igreja católica que regulamenta e disciplina a sua organização impondo-se nas relações do clero e dos fiéis e que este é conjunto de normas jurídicas que disciplinam as matérias da competência. qual é a sua história e a importância que tem para o direito actual.

pt/$direito-canonico .ecclesia.htm http://www.agencia.va/archive/cdc/index_po.pl?tema=87 http://www.vatican.Bibliografia Livro: História do Direito Português de Mário Júlio de Almeida Costa http://www.infopedia.pt/cgi-bin/pesquisa.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful