P. 1
aneis concentricos

aneis concentricos

|Views: 2|Likes:

More info:

Published by: Clara Milena Concha Lozada on Jun 06, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/25/2015

pdf

text

original

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciência Agrárias, Ambientais e Biológicas Núcleo de Engenharia de Água e Solo Disciplina: CCA

039 - Irrigação e Drenagem

Infiltração da Água no Solo
Prof. Vital Pedro da Silva Paz
2010

DEFINIÇÕES
Infiltração ⇒ descreve o processo de entrada de água no solo, através de sua superfície. Acontece quando uma superfície de solo recebe água por chuva ou irrigação Movimento da água no sentido vertical, de cima para baixo. Taxa de infiltração influencia o escoamento superficial (erosão e inundação).

DEFINIÇÕES
Redistribuição ⇒ movimento de água dentro do perfil do solo depois de cassada a chuva ou irrigação. Ocorre em função das diferenças de potencial Praticamente nulo quando essas diferenças são mínimas.

preferencialmente. ⇒ infiltração e Na aspersão e na inundação ⇒ ocorre.DEFINIÇÕES Irrigação por sulcos e por gotejamento redistribuição em todas as direções. no sentido vertical. .

IMPORTÂNCIA DA INFILTRAÇÃO Determinação do tempo necessário para aplicar uma determinada lâmina de irrigação. Estimar a quantidade de água a ser aplicada para que se mantenha uma altura de água sobre a superfície do solo (caso da irrigação por inundação do arroz). .

solo ainda está relativamente seco.VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO No inicio da infiltração. e a velocidade de infiltração é alta. Após algum tempo. a velocidade de infiltração diminui gradualmente até chegar a um ponto em que se mantém praticamente constante. o gradiente de potencial é muito grande. o gradiente de potencial é reduzido e a velocidade diminui. . As argilas se expandem e contraem parcialmente os poros.

Depende fundamentalmente da textura do solo. Os valores de velocidade de infiltração básica (VIB) ou taxa de infiltração básica. são os seguintes: .VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO Este valor constante chama-se de velocidade de infiltração básica.

VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO Solo Argiloso: < 5 mm h-1 Solo Franco-argiloso: 5 a 10 mm h-1 Solo Franco: 10 a 20 mm h-1 Solo Franco-arenoso: 20 a 30 mm h-1 Solo Arenoso: > 30 mm h-1 .

VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO VI Solo arenoso Solo argiloso Tempo Figura 1. Processo de infiltração. .

avi .INFILTRAÇÃO Infiltração Redistribuição Movimento VEL INFILTRACAO.

FATORES QUE AFETAM A VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO • Condições intrínsecas do solo: – cobertura vegetal. – compactação pela maquinaria agrícola e – erodibilidade. . seja por práticas culturais. – estado de agregação das partículas do solo. efeito das irrigações ou precipitações.

– flora e a fauna do solo. – adensamento de perfis.FATORES QUE AFETAM A VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO • Condições extrínsecas do solo: – textura. . – conteúdo de água.

– carga hidráulica. .FATORES QUE AFETAM A VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO • Condições de aplicação de água : – duração da aplicação de água. – qualidade e a temperatura da água.

sendo o maior com diâmetro de 50cm e o menor com diâmetro de 25cm. ambos com altura de 30cm. .DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Método do Cilindro Infiltrômetro Consiste em se utilizar dois anéis concêntricos.

DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Método do Cilindro Infiltrômetro 50cm 25cm 15cm 30cm .

.DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Método do Cilindro Infiltrômetro A determinação da infiltração se processa pela medida da altura de água infiltrada no cilindro menor (interno) em tempos sucessivos de leituras.

.DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Método do Cilindro Infiltrômetro O cilindro externo tem a função de eliminar a infiltração lateral do cilindro interno.

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

Método do Cilindro Infiltrômetro .

1 2.7 8.40 4.5 0.8 3.8 9.0 9.0 15.6 0.7 10.5 10.4 9.0 2.3 9.6 VI (cm/h) 30.3 1.40 4.40 5.20 8.9 0.4 9.5 1.60 2.1 / 11. (cm) 0.0 7.7 4.60 Tempo (mim) 0 1 2 2 5 5 10 10 15 15 30 30 30 Leitura da Régua (cm) 10. (cm) 0.9 1. acum.5 2.5 0.8 10.0 7.5 0.60 2.40 5.1 / 12.0 15. Acum.6 5.1 Fonte: Klaus Reichardt . (mim) 0 1 3 5 10 15 25 35 50 65 95 125 155 – Teste de Infiltração Dif.3 8.7 8.3 I.0 1.Cilindro Horas 12:44 12:45 12:47 12:49 12:54 12:59 13:09 13:19 13:34 13:49 14:19 14:49 15:19 Infiltrômetro T.3 10.7 0.3 1.1 1.0 1.4 11.7 6.4 8.

minutos .DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Infiltração Acumulada 12 10 Infiltração .cm 8 6 4 2 0 0 20 40 60 80 100 120 140 160 Tempo .

infiltração .DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Velocidade de Infiltração 30 Vel.min .cm/h 25 20 15 10 5 0 0 20 40 60 80 100 120 140 160 Tempo .

cm .cm/h 30 25 20 15 10 5 0 0 20 40 60 80 100 120 140 Tempo .min 12 10 8 6 4 2 0 160 Infiltração acumulada .DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Velocidade de Infiltração X Infiltração acumulada Velocidade de infiltração .

A área de aplicação é delimitada por placas metálicas. sendo a taxa de infiltração obtida pela diferença entre a intensidade de precipitação e a taxa de escoamento superficial resultante. .DETERMINAÇÃO DA INFILTRAÇÃO Simuladores de Chuva A água é aplicada por aspersão com uma intensidade de aplicação superior à capacidade de infiltração do solo.

Limitado para situações em que há disponibilidade de dados de infiltração observados para a determinação dos parâmetros da equação. n são constantes que dependem do solo e das suas condições iniciais.MODELOS DE INFILTRAÇÃO Modelos Empíricos Kostiakov n I = kt Em que : k. .

MODELOS DE INFILTRAÇÃO Modelos Empíricos Kostiakov-Lewis I = kt + i f t • Eliminou a deficiência da taxa de infiltração tender a zero quando o tempo tende a infinito. n .

MODELOS DE INFILTRAÇÃO a) Método gráfico b) Método da regressão linear .

1 1 10 Log T 100 1000 .MODELOS DE INFILTRAÇÃO a) Método gráfico 100 10 Log I 1 0.

b) Regressão linear Equação de Infiltração: Y = log I X = log T I =KT n log I = log K + n log T a = log K K = ant log a x∑ y ∑ ∑ xy − n= N 2 ( x) ∑ 2 ∑x − N a =Y − n X Y ∑ Y= N X ∑ X= N .

8716 log y 0.1761 2.9928 1.6 2.0 6.4771 1.5873 1.0000 1.3927 35.y 0.2 5.7559 0.6927 2.1618 3.1427 0.6990 1.0792 2.7324 0.3230 4.7160 0.1761 1.2553 2.x 0.4 5.8 5.b) Regressão linear (exemplo) TESTE DE INFILTRAÇÃO x=T 5 10 15 20 30 45 60 90 120 150 180 210 Somatório Y=I 1.0863 5.8191 4.3222 19.9976 .9542 2.7634 0.6 4.2041 0.8 3.1837 1.7782 7.4772 1.7331 3.6774 1.7 5.4886 1.7782 0.3010 1.3023 1.7709 0.3832 1.6532 1.8070 13.9 6.7973 0.7354 5.4472 0.1819 2.7782 1.7549 1.7873 x.8240 x.7 5.4472 0.5563 0.0000 1.6128 0.6543 0.6721 0.1 4.0 log x 0.

5298 T 0 . 4854 ∂I VI = ∂T .229 T 0. 6014 I = K Tn Velocidade de Infiltração (VI): VI = 27.Equação de Infiltração: I = 0.

Editora Manole Ltda. Viçosa: 2003. Silva. 1990. • REICHARDT. V. D. 1995. S.. D. Infiltração da Água no Solo.. Viçosa-MG. A água em sistemas agrícolas.. São Paulo. UFV-Imprensa Universitária. . K. S. 98p. 6 ed. 188p. Editora UFV. ed.BIBLIOGRAFIA CONSULTADA E RECOMENDADA • BERNARDO. F. Manual de Irrigação. • Brandão. 2. Pruski. F. 657p.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->