Questões sobre Gestão da Mudança, Caos e Complexidade, Sistema Autopoiético, Teoria Order from Noise, Empresa Auto-Organizante

, Mudanças, etc.
Complexidade É a circularidade entre as instâncias de ordem e desordem. Também, nas auto-organizações, a complexidade é a informação, quanto mais informação maior é a complexidade. “Perceber a ordem é dar atenção a diferenças similares e similaridades das diferenças, isto é, considerar não só as diferenças similares, mas também as diferentes similaridades das diferenças.” (Adaptado de: A totalidade e a Ordem Implicada, David Bohm; Editora Cultrix, 1992) A mudança em um sistema autopoiético Em uma organização autopoiética só ocorre mudança quando o ser vivo percebe e fica em congruência com o ambiente.. Como a única sobrevivência possível é em sincronismo com o ambiente a organização autopoiética está em constante atualização com o ambiente. A importância da linguagem na Teoria da Autopoiesis A linguagem é mais do que o acoplamento estrutural mútuo, que é a coordenação de comportamentos, a linguagem é a coordenação da coordenação de comportamentos. Logo, o domínio lingüístico é uma história de interações de orientação que procuram ser bem-sucedidas no interior de uma organização. Cultura organizacional É um processo interpretativo que dá sentido à realidade, traduzindo-a para os membros da organização em termos de um significado comum. A relação entre mudança e identidade para uma organização autopoiética A organização autopoiética é uma organização que se produz a si própria, tem uma identidade muito forte, é a sua cultura organizacional que opera sobre o ambiente, encara o ambiente como uma ameaça ou oportunidade. Em uma organização autopoiética só ocorre mudança quando o ser vivo percebe e fica em congruência com o ambiente. Como a única sobrevivência possível é em sincronismo com o ambiente a organização autopoiética está em constante atualização com o ambiente. O relacionamento “planejamento e flexibilidade” para uma organização autopoiética Quanto ao planejamento quando precisa resolver um problema (planejamento) associa à resolução de um problema passado, se não atende, cria um novo padrão baseado na experiência anterior. Ponto fundamental é que tudo que a organização precisa está nela mesmo. Logo, desenvolve os estoques de conhecimento, desenvolve habilidades diversificadas e a agilidade para elaborar apreciação rápida do ambiente com o exercício constante da intuição. Com isso, cria o potencial para o planejamento em tempo real.

Conhecimento organizacional É o conhecimento compartilhado pelos membros da organização, ou seja, é a capacidade de efetuar distinções, que se encontra compartilhada entre eles. Duas condições para ocorrer o processo de autopoiesis em uma organização 9.1) Existência de relacionamento. 9.2) Auto-descrição (identidade). Princípio da Teoria Order from Noise O princípio da order from noise exprime, após a ocorrência de perturbações, o aumento da informação (complexidade) quando ocorre a passagem de um nível inferior para um nível superior da organização. Mas isso só faz sentido para um observador externo, fora do sistema. Para o sistema o aumento da complexidade é ele próprio. As duas variáveis antagônicas da teoria order from noise São a variedade e a redundância. Quanto maior a variedade menor a redundância e quanto menor a variedade maior a redundância. Características de uma empresa auto-organizante (organization from noise) Possui variedade (diversidade), possui redundância (repetição), possui um grande número de interações entre seus componentes. As interações são o fluxo de informação que circula pela organização. Cabe observar que quanto maior a variedade menor é a redundância e quanto maior a redundância menor é a variedade. O potencial para mudança de uma empresa auto-organizante consiste em suas redes informais de interações entre pessoas Quando uma organização tem redes informais com laços fortes, observa-se que as pessoas passam mais tempo juntas, se auto-ajudam, tornam-se emocionalmente envolvidas e por conseqüência surge a confiança mútua, que gera segurança, que é um potencial para a mudança. As vantagens de ter laços fortes das redes informais para o processo decisório A capacidade de decisão está diretamente ligada à base de informações ser completa, ou não, que muitas vezes é fornecida pela rede informal. Não tendo uma base boa, as possíveis alternativas serão reduzidas, e também análise dos resultados depende de um feeback preciso que pode, novamente, depender dos laços, de relações, das redes informais. Cinco iniciativas para tentar superar as deficiências e alavancar a auto-organização em algumas empresas 1)Desenvolver habilidades sociais, para manter relacionamento e laços fortes entre as pessoas. 2)Tolerar os erros, discutir e argumentar as ações que não estão de acordo, explicar as ações corretas e entender porque ocorreu o erro. 3)Focalizar a missão e visão organizacional para manter uma identidade na organização e todos compartilharem essa visão. 4)Ser adaptivo, tem que estar apto a mudanças e atento às mudanças ambientais, ser flexível e com mente aberta.

5) Delegar, saber delegar é uma característica fundamental para que a complexidade possa funcionar. 6) Exercer o poder com autoridade, esta não é imposta, é atribuída, é merecida. Práticas para administrar conflitos A) Multiplicar alternativas, ou seja, quando existe um impasse, ter várias alternativas de solução para minimizar conflito. B) Equilibro de poder, evitar impor ou ter diferenças de níveis hierárquicos ou de poder de decisão que podem gerar conflito ou ainda, ressentimentos que provocarão desgastes futuros. Quando a solução é imposta só se está criando ambiente para futuros conflitos e possibilidades de “receber o troco”, além da possível “sabotagem” das soluções definidas. C) Aguardar pela qualidade do consenso, procurar entender como o “outro” pensa, procurar obter sugestões de soluções, colocar argumentos embasados, claros e trabalhar seguindo princípios. Teoria “Order through Fluctuations” Ou teoria das estruturas dissipativas, é a ordem por meio das perturbações com evolução/reestruturação, com a criação de complexidade, por meio de saltos qualitativos, por meio de mudanças estruturais com a simultânea destruição e criação da ordem. Por analogia podem compara com a água que vai esquentando até que passa para a fervura e muda de estado. Teorias autopoiesis, order from noise e order from fluctuations têm em comum: Todos os sistemas se auto-organizam e quando os sistemas percebem o “ruído” aumentam a complexidade entrando, novamente, em congruência com o ambiente. Fatores necessários para ocorrer as transformações em uma empresa que evolui aos saltos (organization through fluctuations) É necessário que as organizações se afastem do equilíbrio, isto é, que haja instabilidade e estabilidade. Também, é necessário que haja auto-organização, a partir de redes informais fortes e, que a organização tenha espaço para a experimentação, possibilitando, ao sistema, a criação de novas formas e aumentar sua complexidade. Holística É o Conjunto, ver o “quadro”. É a visão do conjunto, é uma visão universal interligada onde tudo tem relação tudo e interfere em tudo. Sujeito e objeto são indissociáveis. O todo contém as partes e está contido nelas. Conhecedor, conhecido e conhecimento são indissociáveis. “...[o universo] não é uma coleção de acidentes ajuntados externamente, tal qual uma colcha de retalhos, ...[ele é] sintético, estrutural, ativo, vital e criativo de maneira crescente, cujo desenvolvimento progressivo é moldado por uma atividade operativa holística única,..[abrangendo] até as criações e idéias mais sublimes do espírito humano e universal.. O caráter de unidade ou totalidade sintética que tudo permeia, e que está em constante crescimento nestas estruturas, nos leva a um conceito de holismo como sendo a atividade fundamental subjacente e coordenado às outras, assim como a uma visão do universo como sendo um Universo Holístico”. Pierre Weil Mudança São eventos que afetam a realidade, que sem esses eventos estaria estável.

Mudança significa a passagem de um estado para outro diferente. É a transição de uma situação para outra diferente. A mudança implica transformação, perturbação, interrupção, ruptura, dependendo de sua intensidade. A mudança está em toda parte: nas organizações, nas cidades, nos países, nos hábitos das pessoas, nos produtos e nos serviços, no tempo e no clima. Kurt Lewin foi muito feliz ao retratar o processo de mudança como uma seqüência de três etapas distintas: 1. Descongelamento do padrão atual de comportamento: significa a etapa inicial em que velhas idéias e práticas são derretidas, abandonadas e desaprendidas. Ocorre quando a necessidade de mudança se torna tão óbvia que a pessoa, grupo ou organização pode rapidamente entendê-Ia e aceitá-Ia, para que ela possa ocorrer. Se não houver descongelamento, a tendência será o retorno puro e simples ao padrão habitual de comportamento. O descongelamento significa que as velhas idéias e práticas são derretidas e desaprendidas para serem substituídas por novas, que devem ser aprendidas. 2. Mudança: é a etapa em que novas idéias e práticas são experimentadas, exercitadas e aprendidas. Ocorre quando há a descoberta e adoção de novas atitudes, valores e comportamentos. Um agente de mudança pode conduzir pessoas, grupos ou toda a organização através do processo. Durante o processo, o agente de mudança deve promover novos valores, atitudes e comportamentos através de processos de identificação e internalização. Isto significa que os membros da organização precisam identificar-se com os valores, atitudes e comportamentos do agente de mudança para então internalizá-Ios, desde que percebam sua eficácia em seu desempenho. Identificação é o processo pelo qual as pessoas desempenham novos padrões de comportamento após terem conquistado alguma melhor.ia com eles. A internalização é o processo pelo qual as pessoas desempenham novas atitudes para adotá-las como parte de seu padrão normal de comportamento. Em outras palavras, as pessoas tentam novos comportamentos úteis ao longo de um determinado período de tempo. A mudança é a fase em que as novas idéias e práticas são aprendidas de modo que as pessoas passam a pensar e a executar de uma nova maneira. 3. Recongelamento: é a etapa final em que as novas idéias e práticas são incorporadas definitivamente ao comportamento. Significa a incorporação de um novo padrão de comportamento de modo que ele se torne a nova norma. Recongelamento significa que o que foi aprendido foi integrado à prática atual. Passa a ser a nova maneira que a pessoa conhece e como ela faz seu trabalho. Conhecer meramente a nova prática não é suficiente. A incorporação ao comportamento (suporte) e a prática bem-sucedida (reforço positivo) são o objetivo final da fase de recongelamento. As recompensas individuais recebidas como o resultado do desempenho do novo comportamento são instrumentais no recongelamento. Dialética Concepção filosófica de um mundo em permanente mudança e evolução. Reconhece a contradição como uma qualidade intrínseca à existência. Dialética hegeliana: Tese, Antítese e Síntese, isto é conceito do “ser”, conceito do “nada” e conceito do “tornar-se”. Complementaridade É a metodologia de análise e síntese, é o processo de análise resultando na síntese. É unidade e diversidade, da lógica do “ou isto ou aquilo” para “ para lógica do “isto e aquilo”.

Transdisciplinaridade Tem várias definições, como as de Piaget, Michaud, Jantsch e Morin, no entanto, contrapondo a definição/função de especialistas e ultra-especialistas, nos primórdios não era feita a distinção entra as várias áreas da ciência e do conhecimento, o reducionismo foi acentuando essa dicotomia entra as várias áreas do conhecimento. Logo, não gerando um novo reducionismo, parafraseando Morin, transdisciplinaridade seria a comunicação e interligação de todos os domínios científicos sem que isso causasse redução das realidades complexas a simplificações. Seria substituir o paradigma atual reducionista vigente por um de completitude, que ao mesmo tempo separa e une.