Charlies Angels 1976

QUE FIZERAM OS ASTROS DE HOLLYWOD DURANTE A 2ª GUERRA MUNDIAL? Os mais jovens de hoje nem sequer ouviram falar deles. Contrastando com os ideais, opiniões e sentimentos de muitos artistas de hoje, os atores da época da 2ª Guerra amavam os EUA, tinham classe e eram íntegros. Ao ser desencadeada a 2ª Guerra Mundial, muitos daqueles atores não hesitaram em marchar, para defender sua pátria. Sacrificaram sua posição, sua fama e seu dinheiro, para se integrar nas Forças Armadas, muitos como soldados rasos. Aquí relembraremos somente uns poucos, mas, deste pequeno grupo de 18 homens, surgiram mais de 70 condecorações, compreendendo, desde Estrelas de Bronze, Estrelas de Prata, Cruzes de Serviço Distintos, Corações Púrpura e até uma Medalha de Honra do Congresso. Por isso, nós que já temos uma certa admiração pelos atores jovens de nossos dias, tenhamos uma recordação e um carinho especial por este grupo de craques do cinema antigo, que arriscaram suas vidas e tanto fizeram, para que o mundo hoje não fosse nazista. Eles não são heróis do Big Brother. São heróis de verdade. Muitos já morreram.

Os verdadeiros heróis de Hollywood

Alec Guinness comandava uma embarcação anfíbia da British Royal Navy no dia “D”, na Normandia.

James Doohan desembarcou, no dia “D”, na Normandia com o exército americano

Donald Pleasance foi piloto da R.A.F. e foi derrubado, feito prisioneiro e torturado pelos alemães.

David Niven foi tenente-coronel dos Comandos Britânicos na Normandia.

James Stewart ingressou na Arma Aérea do Exército americano como soldado e chegou a alcançar o posto de coronel. Durante a 2ª GM, Stewart serviu como piloto de bombardeio. Em sua folha de serviços, constam mais de 20 missões sobre a Alemanha. Foi condecorado com a Medalha Aérea, a Cruz Distinta de Vôo, a Cruz de Guerra Francesa e 7 Estrelas de Combate. Ao acabar a guerra, Stewart continuou como reservista na ativa e alcançou o posto de general de brigada, indo para a reserva, nos finais dos anos 50.

Clark Gable alistou-se como soldado na USAF, em 1942, a pesar de já ter ultrapassado a idade para recrutamento. Foi promovido a tenente neste mesmo ano. Passou logo para a Escola de Artilharia e, em fevereiro de 1943, foi transferido para o 351º Grupo de Bombardeiros em Polebrook, onde realizou missões operacionais, sobre a Europa, nos B-17. O capitão Gable regressou aos EUA em outubro de 1943 e saiu do serviço ativo, como comandante, em junho de 1944, a pedido próprio, já que ultrapassara a idade permitida, para entrar em combate.

Charlton Heston foi cabo da Força Aérea do Exército dos EUA.

Ernest Borgnine foi artilheiro na Marinha dos EUA, entre 1935 e 1945.

Charles Durning foi “ranger” do Exército americano na Normandia, onde ganhou uma Estrela de Prata e um Coração Púrpura.

Charles Bronson foi artilheiro na Força Aérea do Exército americano, especificamente nos “B-29” da 20ª Força Aérea, em Guam, Tinian e Saipan.

George C. Scott foi condecorado sendo “fuzileiro naval” dos EUA.

Eddie Albert recebeu uma Estrela de Bronze por sua heróica ação como oficial da Marinha americana, ajudando os fuzileiros navais nos sangrentos combates da Ilha de Tarawa em 1943.

Brian Keith serviu com fuzileiro naval em várias ações contra os japoneses em Rabal.

Lee Marvin foi fuzileiro naval em Saipán, durante a campanha das Marianas, sendo ferido e recebendo o Coração Púrpura.

John Russell alistou-se na Marinha americana, onde lutou, foi ferido e recebeu uma medalha por seu valor em Guadalcanal.

Robert Ryan foi fuzileiro naval e serviu na frente da Iugoslávia.

Tyrone Power, ator de grande destaque na época, quando Pearl Harbor foi bombardeada, alistou-se como fuzileiro naval e serviu como piloto de transporte de material na evacuação de feridos em Iwo Jima e Okinawa .

Audie Murphy, de 1,65 de altura, com 60 quilos de peso, era un texano que participava em filmes do Oeste. Foi o militar mais codecorado da 2ª GM: Medalha de Honra, Cruz de Seviços Distintos, 2 Estrelas de Prata, Legião do Mérito, 2 Estrelas de Bronze, 2 Corações Púrpura, Medala de Seviços Civis Sobresaleientes do Exército dos EUA, Medalha de Boa Conduta, 2 Emblemas de Unidades Distintas, Medalha da Campanha Americana, Medalha da Campanha da Europa-Africa-Oriente Médio com uma Estrela de Prata, 4 Estrelas de Bronze (representando 9 campanhas), Ponta de Flecha de Bronze (representando os desembarques na Sicília e Sul da França), Medalha da Reserva das Forças Armadas, Placa de Combate de Infantaria, Placa de Atirador Especial, Cruz de Guerra francesa, Legião de Honra com Palmas francesa, Medalha da Liberdade francesa e Cruz de Guerra com Palmas belga.

Como devemos nos sentir diante da atuação destes heróis, ao compará-los com os astros de Hollywood de hoje, que respiram anti-americanismo e mordem a mão que os alimenta? Pode o povo americano imaginar estes heróis de antanho, dizendo que odeiam a bandeira de seu país, fazendo manifestações pacifistas, tomando parte em desfiles anti-patrióticos e dizendo que odeiam o Presidente? Supomos que não.

É o soldado, Não o Presidente quem nos dá Democracia; É o soldado, não o Congresso, quem cuida de nós. É o soldado, Não o jornalista, Quem nos dá liberdade de imprensa;

É o soldado, não o Poeta, Quem nos dá Liberdade de Expressão; É o soldado, não os sindicatos, quem nos tem dado Liberdade, para nos manifestarmos.

É o soldado o que saúda a bandeira, o que serve sob a bandeira, o que acaba em um ataúde coberto com a bandeira, o que aguenta, enquanto outros queimam a bandeira.
P. Dennis O'Brien, Capelão do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful