Truques e Dicas

AutoCAD - Macros de comandos (scripts)
O AutoCAD permite a introdução de macros de comandos que efectuam sequências de operações.
seguintes regras: • Cada uma das linhas do ficheiro contém um comando e as respectivas opções. Em alternativa, podem colocar-se cada uma das opções por linha. • Cada espaço em branco equivale à pressão da tecla <ENTER> no AutoCAD. • Através dos ficheiros de macros não podemos colocar pedidos ao utilizador e aguardar as suas respostas. Por exemplo, se usarmos o comando CIRCLE, o centro tem de ser dado pelas suas coordenadas. A macro não pára para marcarmos um ponto. • Só podem ser usados comandos que não mostrem caixas de diálogo. A maioria dos comandos com caixas de diálogo incluem uma versão que funciona na linha de comandos desde que se preceda o seu nome do sinal menos. O AutoCAD efectua esta substituição de forma automática, isto é, se escrevermos LAYER, o AutoCAD assume -LAYER. • Podemos introduzir linhas de comentários. Estas linhas têm de ser iniciadas por pontos-e-vírgula “;”, sendo ignoradas pelo AutoCAD quando a macro é executada. • Nomes de pastas ou de desenhos que contenham espaços têm de ser incluídos entre aspas. • Se estiver a usar o Notepad, não deve esquecer de dar um <ENTER> no final de cada linha. A execução de uma macro é interrompida pela pressão de <ESC> ou fica em pausa com <BACKSPACE>. O comando RESUME permite recomeçar a macro. O conjunto de comandos de um ficheiro de macros é considerado um grupo de comandos, pelo que todos são anulados por um único U. E um dado importante: as macros de comandos permitem abrir e fechar desenhos. Vejamos alguns exemplos de comandos que se podem colocar em ficheiros script: INSUNITS 6 - Coloca a variável INSUNITS, que controla a unidade para a inserção de conteúdos, com o valor 6 (metros). LAYERDLGMODE 0 - A variável LAYERDLGMODE controla se, ao usarmos o comando LAYER, é colocada a paleta das layers (a partir da versão 2009, sem botões OK/Cancel) ou a caixa das layers (com botões). O valor 0 garante a caixa das layers. GRID OFF - Desliga a grelha auxiliar de linhas (ou pontos). Se já estiver desligada, não faz nada. LINETYPE LOAD HIDDEN - Carregamento do tipo de linha Hidden. A seguir ao nome do tipo de linha é necessário deixar dois espaços, um para sair da escolha de tipos de linha e outro para confirmar o ficheiro onde estão as definições dos tipos de linha. LAYER NEW A-200---E-----------PAREDES COLOR 3 A-200---E----------PAREDES - Criação de uma layer (opção New), com cor (opção Color) 3 (verde). Tem de se deixar um espaço no final da linha para sair do comando. RENAME LAYER PAREDES A-200---E-----------PAREDES - Renomeia a layer PAREDES para A-200---E-----------PAREDES. PURGE ALL * NO - Efectua um Purge ao desenho a todas as definições não usadas (All), com qualquer nome (*) e não pede a verificação para cada definição a eliminar (No). ZOOM EXTENTS - Efectua um Zoom Extents no desenho. Para testar estas e outras instruções, iniciamos o AutoCAD. Na linha de comandos, digitamos NOTEPAD e damos <ENTER> ao pedido do

Eng. João Santos Formador certificado e Autor AutoCAD jsantos@qualicad.com Quando pretendemos executar uma sequência de operações por diversas vezes, carregar uma lista de pontos sem software adicional, proceder às mesmas alterações em múltiplos desenhos já criados ou fazer um slide show, um ficheiro de macros (script para o AutoCAD) é a solução. Para além da explicação dos comandos e conceitos, incluímos alguns exemplos interessantes. 1. Criação de ficheiro de macros Estas macros são escritas em ficheiros texto, com a extensão SCR, portanto criadas num qualquer editor de texto, como o bloco-notas (Notepad). Basicamente, devem figurar nestes ficheiros a lista de comandos e as respectivas opções, como se as escrevessemos na linha de comandos. O carregamento de um ficheiro de macros no AutoCAD é feito com o comando SCRIPT. Este comando mostra apenas uma caixa de ficheiros para a selecção do ficheiro SCR (figura 1). Tem a abreviatura... SCR (surpresa) e pode também ser acedido pelo menu de topo Tools, Run Script.

Figura 1 - Comando SCRIPT

Para interromper uma macro, basta pressionar a tecla <ESC> ou a barra de espaços do teclado. O comando tem de ser executado com um desenho aberto ou iniciado. A partir deste desenho, podemos fechar e abrir outros desenhos que a macro de comandos não é interrompida. Para escrever um ficheiro de macros, devem ser cumpridas as
Magazine Digital eUAU! - Setembro 2010

www.tecad.pt

espaço e o caminho para o ficheiro SCR (conforme mostrado na figura 2). para cada desenho de uma ou mais pastas. ou seja. Macro iniciada com o arranque do AutoCAD Imaginemos que queremos que.Este comando. • VSLIDE . . marcamos Properties. gravado com a extensão BAT (tipo All Files/Todos os Documentos) e onde colocamos sequências de instruções MS-DOS. Unidade para inserção de conteúdos em metros INSUNITS 6 . desde que coloquemos um asterisco antes do seu nome. estas aparecem nos slides. • RSCRIPT . como a atribuição de determinados valores a variáveis. No caso do espaço de composição. com um ficheiro de macros SCR. Exemplo: VSLIDE “c:/optim acad/slide1”. Na linha Target acrescentamos /b. Neste caso. Node. em que apenas um conjunto seleccionado de imagens é mostrado. ao entrar no AutoCAD. A visualização de slides não interfere com o desenho actual e um simples REDRAW retira o slide. Não desprezando as enormes vantagens dos sistemas operativos actuais. Com a tecla direita sobre o ícone.Setembro 2010 . Um ficheiro BAT é um ficheiro criado no Notepad ou em outro editor de texto. enquanto visualizamos o slide anterior. controlar o sistema operativo. Nota 1: Esta macro poderá ser útil também para aplicar a desenhos abertos.tecad. fazendo com que este seja executado. Marcando a tecla direita sobre o ícone de atalho. Digitando HELP nome_instrução. Intersection e Extension OSMODE 4159 .scr (não se esqueça da extensão SCR). 4. o nome tem de ficar entre aspas. Quadrant. abrir cada um dos desenhos.. /b. gravando o ficheiro (não precisamos de sair do Notepad) e carregando-o com o comando SCRIPT. naqueles tempos. permite efectuar rápidas apresentações de trabalhos. diante de . o ribbon não é colocado (bug). Escolher o workspace AutoCAD Classic (sem aspas) WSCURRENT AutoCAD Classic . Visualizar o desenho ZOOM EXTENTS No Desktop. executar o AutoCAD. através da criação de um ficheiro BAT.Permite ver slides. 2.Permite continuar uma macro de comandos interrompida pelo utilizador ou por o comando SCRIPT ter encontrado um erro. copiamos o ícone do AutoCAD e damos um nome diferente. ficheiros com a extensão SLD.Arranque do AutoCAD Properties/Propriedades.exe” acrescentamos espaço.acad. Vamos digitando estas e outras instruções. POLARANG 15 . • RESUME . Digitamos as seguintes instruções: . Pede apenas a duração da pausa em milisegundos. Desligar o Dynamic Input DYNMODE -3 . espaço e o nome da macro (ficheiro SCR) a desencadear.. Comandos: • MSLIDE . Caixa das layers em vez da paleta LAYERDLGMODE 0 . desde que a sua localização e nome fiquem entre aspas. Se for necessário incluir o nome completo do ficheiro (incluindo pasta) e havendo espaços. Se houver imagens anexada ao desenho. mesmo com espaços. é dada ajuda sobre essa instrução (figura 3). Nota 2: No arranque. se o slide tiver muita informação é necessário algum tempo para este ser carregado e mostrado. Center. Alterações de todos os desenhos em pasta Para correr uma macro em todos os desenhos de uma pasta. O ambiente MS-DOS está disponível através da instrução CMD que se digita através da caixa Start/Run (Iniciar/Executar). Através das instruções MS-DOS temos a possibilidade de correr um ficheiro BAT que possa. o slide inclui todas as janelas e os respectivos conteúdos. Outros comandos relacionados com macros Existem ainda os seguintes comandos relacionados com macros: • DELAY . Este comando tem uma particular utilidade para ficheiros de macros com sequências de slides ou para simulação de animações. Em apresentações de slides. colocado como a última linha de um ficheiro macro. Verifique que todas as instruções do script são processadas na linha de comandos. A figura 2 inclui um exemplo.pt Magazine Digital eUAU! . A aplicação de slides. 3. Retirar a grelha GRID OFF . por vezes. executa a macro em ciclo até ser interrompida.Cria um ficheiro slide (SLD) da vista actual da janela activa. o que permite facilmente detectar erros. Ao atalho de arranque do AutoCAD. Ângulo do Polar a 15º. Exemplo 2 . que retratam a área de desenho numa determinada altura. se tiver um workspace com o ribbon e não usar a instrução WSCURRENT. Midpoint. não afectando o desenho actual. Os slides do AutoCAD são ficheiros com a extensão SLD.Truques e Dicas nome do ficheiro. aplica-se com o comando SCRIPT. Na linha Target. Alguns de vocês são ainda capazes de se lembrar do MS-DOS e de como era muito fácil. A visualização de um slide é muito mais rápida do que a entrada num desenho. com um valor máximo de 32767 milisegundos. E é só testar. Outra aplicação para os slides é a possibilidade de se mostrarem imagens elucidativas para a introdução de parâmetros em programação. mal se inicie o AutoCAD. torna-se necessário recorrer a expedientes MS-DOS para resolver problemas. o AutoCAD procede à entrada do seguinte. escolhemos Figura 2 . Osnaps automáticos Endpoint. executar um ficheiro www. Esta caixa também aparece se digitarmos < + R>. por vezes em conjunção com ficheiros de macros. Podemos especificar a localização completa dos slides.Script de arranque Criamos um ficheiro com o Notepad e damos o nome Iniciar. Assim.scr (não se esqueça de indicar All Files/”Todos os ficheiros”). Digitando HELP. sejam efectuadas diversas operações. recorremos ao velhinho MS-DOS.Aplica uma pausa na introdução de comandos. Gravamos o ficheiro com o nome Exemplo. podemos associar um ficheiro de macro. vemos uma lista de todas as instruções.

dwg) do start /wait c:\”Program Files”\ Autodesk\”AutoCAD 2011”\acad. o executável do AutoCAD. Depois. através da tecla direita marcamos Edit.Setembro 2010 www.Renomeação de layers em múltiplos desenhos Imaginemos que temos 2000 desenhos em que temos de renomear 10 layers. criamos o ficheiro RENOMEIA.SCR na mesma pasta onde estão os desenhos e com as seguintes instruções: de João Santos (Autor e Formador CAD) [+] Qualidade [+] Flexibilidade [+] Inovação www. mas no caso de processamentos BAT deve-se colocar %%. conforme a tabela seguinte (de acordo com a NP EN ISO 13567).. Neste exemplo. 1.BAT.. Ainda com o Notepad. Através do script.exe Exemplo 3 . Com o Notepad. apenas com as seguintes duas instruções (digitamos as duas primeiras linhas numa única linha do Notepad): for %%f in (c:\testes-scr\*.com PUBLICIDADE Magazine Digital eUAU! . 4.PGP?) abre uma nova janela para correr a aplicação especificada a seguir. gravar o desenho e sair. seguindo-se uma letra.dwg) DO START /WAIT c:\”Program Files”\”AutoCAD 2011”\acad. Nome antigo COTAS TRAMAS PAREDES PORTAS JANELAS ESCAD MOB EQUIP LEG TEXTO Nome novo Z-0-----D-----------COTAS A-0-----H-----------HATCH A-200---E-----------PAREDES A-364---S-----------PORTAS A-365---E-----------JANELAS A-240---E-----------ESCADAS E-740---S-----------MOBILIARIO A-700---E-----------EQUIPAMENTOS Z-0-----C-----------LEGENDAS Z-0-----T-----------TEXTOS Figura 3 . usa-se a pasta “Testes-SCR” no disco C: 2.. neste caso f.pt . neste caso.exe %%f /b fich_script A instrução FOR . basta apenas fazer duplo clique em cima do ficheiro BAT para este ser executado. A instrução vai ser algo do tipo: FOR %%f IN (“pasta”\*.. Assim. Nota: Não se pode especificar o caminho completo do executável entre aspas (por forma a incluir os espaços).qualicad. Testamos a macro num desenho a transformar e verificamos a sua correcção. Para que isso aconteça. IN .exe” Assim.com Tel: 213 427 612 info@qualicad.Help do MS-DOS rename layer cotas Z-0-----D-----------COTAS rename layer tramas A-0-----H-----------HATCH rename layer paredes A-200---E-----------PAREDES rename layer portas A-364---S-----------PORTAS rename layer janelas A-365---E-----------JANELAS rename layer escad A-240---E-----------ESCADAS rename layer mob E-740---S-----------MOBILIARIO rename layer equip A-700---E-----------EQUIPAMENTOS rename layer leg Z-0-----C-----------LEGENDAS rename layer texto Z-0-----T-----------TEXTOS qsave quit Não se esqueça de dar um <Enter> no final de cada linha. A instrução START (lembramse do ACAD. mas é mais simples fazer uma cópia prévia dos desenhos. O parâmetro /WAIT de START espera que a aplicação termine para continuar o ficheiro BAT.exe %%f /b c:\testes-scr\ren_layers echo Trabalho Feito! Substituímos a versão AutoCAD pela que utiliza e corrigimos o caminho para o ficheiro executável 5. Conclusão Espero ter demonstrado o enorme potencial dos ficheiros script e de como uma sua aplicação permite poupar horas ou dias de trabalho. Efectuamos uma cópia dos desenhos para uma pasta de processamento. as aspas têm de ser colocadas apenas nas pastas: c:\”Program Files”\Autodesk\”AutoCAD 2011”\acad.Truques e Dicas de script. por exemplo na mesma pasta. DO permite executar uma instrução para cada um dos ficheiros mencionados a seguir. há a possibilidade de colocar o carregamento de uma rotina Lisp que permita alterar o nome dos desenhos. esta instrução vai abrir no AutoCAD cada um dos desenhos (ficheiros DWG) contido em “pasta” e corre o ficheiro script “fich_script”. do tipo: “c:\Program Files\Autodesk\AutoCAD 2011\acad. criamos o ficheiro REN_LAYERS. o ficheiro SCRIPT não é executado.tecad. Se o quisermos editar. basicamente. 3. O símbolo % define uma variável.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful