O Reino de Vog - The Kingdom of Vog

Sir Gallant the Knight was returning to the City of Philos, but he had lost his way and

had wandered into the Kingdom of Vog. Stopping by a wayside tavern, he alighted to ask for directions, but he could not find anyone who knew how to get to the City of Philos. Those he met told him that he had entered the Kingdom of Vog and should return quickly from whence he had come, for strangers were not welcome in this land.

Quando regressava à cidade de Filos, o cavaleiro Sir Galante se perdeu e entrou no Reino de Vog. Passou perto de uma taverna à beira da estrada e desceu do cavalo, mas não encontrava ninguém que soubesse lhe e explicar como chegar a Filos. As pessoas que encontrou disseram que ele tinha entrado no Reino de Vog e que seria bom ele voltar rapidamente para o lugar de onde havia vindo, porque nesta terra eles não gostavam de estranhos.

While inquiring at the tavern, Sir Gallant had noticed the peculiar behavior of these people. The customers who filled the tavern complained continually and loudly to the others of their lot and how their neighbors had more than they did. The sound of bickering filled every corner of the room. Sir Gallant observed the owner of the tavern serving a man a tankard of cider and overheard the unhappy customer complain that the mug was not large enough. “What do you want?—A bucket? If you want more cider, give me more money,” the owner of the tavern yelled as he waved his hand in front of the man’s face.

Ao entrar na taverna para pedir informações, Sir Galante reparou no comportamento estranho daquelas pessoas. Os clientes que enchiam a taverna não paravam de se queixar uns para os outros da sua sorte e como seus vizinhos tinham mais do que eles. O som de reclamação permeava cada canto do cômodo. Sir Galante observou o dono da taverna servir uma caneca de cerveja e o cliente descontente se queixar que a caneca não era grande o suficiente. -- Mas o que é que você quer, um balde? Se quer mais cidra, dê-me mais dinheiro -- gritou o dono da taverna, gesticulando com a mão na frente do rosto do homem.

The man slapped the extended hand away and gulped down his cider, muttering under his breath, “More money? You get more money than you deserve.” A woman sitting beside the man cleared her throat and addressed the owner. “Excuse me, I have a complaint. There are not enough peas in my soup, and I would hardly call this a slice of bread.” “I see plenty of peas,” replied the tavern owner. “And the bread is more than an inch thick.” The woman huffed and tucked into her meal. Sir Gallant, not able to stand the din in the tavern any longer, hurried out the door, doubting the sanity of the people of this place. * Thud! Thud! Thud! The sound of heavy footsteps thundered through the valley, shaking the ground and sending all the creatures scurrying for cover. King Vog, a giant, had heard that a stranger had entered his kingdom, and Vog would not have his domain disturbed by intruders who were out to cause trouble. *

O homem empurrou sua mão estendida e engoliu a cidra, enquanto resmungava: --Mais dinheiro? Você recebe mais dinheiro do que merece. Uma mulher sentada ao lado dele, pigarreou e depois disse para o dono: --Desculpe, mas eu quero reclamar de uma coisa. Minha sopa não tem ervilhas suficientes, e mal se pode dizer que isto é uma fatia de pão. --Estou vendo bastante ervilha -disse o dono da taverna. -- E a fatia de pão tem mais de dois centímetros de grossura. A mulher deu os ombros e começou a comer. Sir Galante, não aguentando mais o barulho da taverna, saiu rapidamente, duvidando da sanidade das pessoas daquele lugar. * Tum! Tum! Tum! Um forte som de pegadas ecoava pelo vale, fazendo o chão estremecer e todas as criaturas fugirem para procurar refúgio. Chegara aos ouvidos do Rei Vog que um estranho havia entrado no reino, e Vog não queria que seu domínio fosse perturbado por intrusos que só gostam de causar problemas. *

The terrain Sir Gallant now traveled was rough and foreboding, with large boulders towering over the narrow passageway that cut through the mountains. Sir Gallant proceeded cautiously, on the lookout for any danger. As the knight turned a sharp bend, he was startled by the appearance of a huge giant. “Who are you? And where are you going?” roared the giant. “My name is Gallant, I am a knight from the City of Philos and I’m traveling home,” answered Sir Gallant. “I lost my way and have been seeking someone who might point me to the road that would lead me to the City of Philos, but I have found none yet to help me.” The giant eyed him suspiciously. “Good sir, what is your name?” asked Sir Gallant, very politely. “You do not know? I am Vog, and I am the ruler of this land.” And pointing to a large fortress on the horizon, he said with pride, “And that is my castle.” Then, as if remembering the fierce reputation he needed to maintain, he barked, “You have no business here! Turn back and be on your way.”

A terra por onde Sir Galante agora cavalgava era árida e sombria, com rochas altas de ambos os lados da passagem que cortava as montanhas. Sir Galante avançava cautelosamente, atento a qualquer perigo. Ao virar uma curva grande, sobressaltou-se ao ver um enorme gigante na sua frente. --Quem é você? E onde está indo? -- berrou o gigante. --Meu nome é Galante, sou cavaleiro da cidade de Filos e estou voltando para casa -- respondeu Sir Galante. -- Eu me perdi e estou procurando alguém que me indique o caminho para a cidade de Filos, mas não encontrei quem pudesse me ajudar. O gigante o observou desconfiado. --Bom senhor, qual é o seu nome? -- perguntou Galante educadamente. --Você não sabe quem eu sou? Sou Vog, o rei desta terra. E aquele é o meu castelo -- disse apontando orgulhosamente para uma grande fortaleza no horizonte. E depois continuou como se tivesse que manter sua reputação -- E você não tem nada que fazer aqui! Precisa voltar atrás e seguir seu caminho.

“I am sorry, I did not know. But may I be so bold as to ask your Majesty if you would be kind enough to offer a weary traveler some food and a place to lay his head for the night?” Vog was surprised by such a request. The knight had spoken with such courtesy, and Vog was so impressed by this display of good manners that at length he nodded. “Only one night … and you must be off at dawn,” replied Vog. “Follow me.” “Thank you, your Majesty,” Sir Gallant replied. After they arrived at the castle gates, one of the servants led Sir Gallant’s horse to the stable, and Sir Gallant followed the giant into the great dining hall. Vog motioned for the knight to sit and eat, and when both had eaten to their heart’s content, Vog began to ask many questions of Sir Gallant concerning the City of Philos. Vog had heard rumors there were no quarrels or disputes in that land, and that the people shared all they had. “Is it true that in that place there is no strife between the inhabitants?” Vog asked.

--Desculpe, eu não sabia. Mas posso ousar pedir a Vossa Majestade a gentileza de dar a um viajante cansado um pouco de comida e um lugar para descansar a cabeça durante a noite? Vog ficou surpreso com o pedido. O cavaleiro falara com tanta cortesia, que Vog ficou de tal maneira impressionado com seus bons modos que acabou meneando a cabeça afirmativamente. --Só uma noite... e terá que partir pela manhã -- respondeu Vog. -Siga-me. --Muito obrigado, Vossa Majestade -- respondeu Galante. Quando chegaram ao portão do castelo, um dos criados conduziu o cavalo de Sir Galante ao estábulo, enquanto ele seguiu o gigante até a enorme sala de jantar. Vog fez um gesto para o cavaleiro se sentar e comer, e quando ambos estavam satisfeitos, começou a fazer muitas perguntas sobre a cidade de Filos. Tinha ouvido rumores de que não havia brigas nem disputas nessa terra, e que as pessoas repartiam tudo o que tinham. --É verdade que nesse lugar não há disputas entre os habitantes?-perguntou Vog.

Sir Gallant affirmed it was so, and how in his country all behaved toward their neighbors as they personally wished to be treated. The giant began to tell him the sad story of his domain, and how his people were only concerned with their own well-being, and thought little of others. Arguing among these people was widespread, and Vog continually had to sort out their disputes. Besides having to sort out the problems of his people, Vog also had to always be on guard against the gangs of roaming giants who would invade his kingdom, carrying off not only goods but his people as slaves. On one such raid, a mean, ugly giant known as One Eye had fought a fierce battle with Vog, and though Vog had asked his people to stand with him against One Eye, they had been too concerned with their own safety and had hid till the fighting was over. The enemy giant had nearly dealt Vog a fatal blow with his huge club, but in the end, Vog had defeated him and One Eye had fled.

Sir Galante afirmou que era isso mesmo, pois no seu país todos tratavam os outros como gostariam de ser tratados. O gigante começou a contar a triste história do seu reino, e como as pessoas só se importavam com o seu bem-estar e pensavam muito pouco nos outros. Discutiam por todo o lado, e Vog tinha que resolver continuamente suas disputas. Além de ter que resolver os problemas de seu povo, tinha que estar sempre atento a gangues de gigantes que os rondavam e esperavam o momento oportuno de invadir o seu reino para não só lhes roubar os seus bens, mas também fazer as pessoas de escravas. Numa dessas ocasiões, um gigante muito malvado e feio, conhecido como Um Olho Só, tinha travado uma batalha feroz com Vog e, apesar de Vog ter pedido ao povo para lutarem com ele contra Um Olho Só, as pessoas, preocupadas demais com sua segurança, se esconderam até a luta ter terminado. O gigante inimigo quase desferiu um golpe fatal contra Vog com seu enorme porrete, mas, no final, Vog o derrotou e Um Olho Só fugiu.

Due to this victory, Vog had not had trouble with invading giants for quite some time, but now he had heard reports that One Eye had vowed to destroy Vog’s kingdom. With the support and help of some of the other giants, One Eye was planning an attack. “I am afraid it will be difficult to defend my land from this group of giants led by One Eye with my people divided and unwilling to stand together,” said Vog despairingly. “I do not know how to help my people see the need to band together.” Just as Sir Gallant was about to speak, Vog ended the conversation abruptly. “Enough talk of the problems of my kingdom. I wish to be left alone.”

Devido a essa vitória, o reino não foi invadido por gigantes por bastante tempo, mas agora ele tinha informações de que Um Olho Só havia jurado destruir o reino. Um Olho Só estava planejando um ataque com a ajuda e apoio dos outros gigantes. --Receio que seja difícil defender a minha terra desse grupo de gigantes chefiado por Um Olho Só com o meu povo dividido e não querendo se unir --disse Vog desesperado. --Não sei como ajudar meu povo a entender a necessidade de se unirem. Exatamente quando Galante ia falar, Vog terminou abruptamente a conversa, dizendo: --Chega de falar dos problemas do meu reino. Agora desejo ficar sozinho.

Sir Gallant rose from the table. “Good night, your Majesty, and thank you for your hospitality,” he said. * The next morning Sir Gallant was up at dawn. After he had eaten breakfast, a servant gave him a map which would help him to find his way out of Vog’s kingdom to the City of Philos. As Sir Gallant was about to ride out of the castle gates, he was surprised by the sudden appearance of Vog, who handed Sir Gallant a sealed parchment scroll. “Please give this to your king,” he said. The knight took the scroll and bowed, and then rode out of the castle gates. * Sir Gallant arrived at the City of Philos three days later and delivered Vog’s message to the king. Taking the parchment scroll out of his satchel, Sir Gallant handed the letter to the king. “Your Majesty,” he said, “I was given this message by King Vog the Giant.” The king broke open the seal and read the contents. “ Vog wishes to make an alliance with our city.”

-- Boa noite, Vossa Majestade, e muito obrigado pela hospitalidade – disse Sir Galante levantando-se da mesa. * Na manhã seguinte, Sir Galante levantou-se bem cedo. Depois de um bom café da manhã, um criado lhe entregou um mapa que o ajudaria a encontrar o caminho do reino de Vog para a cidade de Filos. Quando Sir Galante estava saindo pelo portão do castelo, ficou surpreso ao ver Vog aparecer de repente, e lhe entregar um pergaminho enrolado e selado. --Entregue isto ao seu rei, por favor -- disse. O cavaleiro pegou o pergaminho, fez reverência, e saiu pelo portão do palácio. * Sir Galante chegou à cidade de Filos três dias depois, e entregou ao rei a mensagem de Vog. Sir Galante tirou o rolo do pergaminho da bolsa e o entregou ao rei. --Sua majestade --disse -- o rei Vog, o gigante, me entregou esta mensagem. O rei rasgou o selo e leu a mensagem. --Vog deseja fazer uma aliança com nossa cidade.

The king then spoke to his minister who stood by his side, “Call a council meeting. We will discuss the proposal set forth in this letter.” Turning to Sir Gallant, he said, “And you will join us.” When the council members had been assembled together, the king read the letter aloud. In the letter, Vog told of the problems of his kingdom and how he wished his land could be more prosperous and filled with peace. Vog told of his brief encounter with Sir Gallant, and how he had been impressed by the knight’s example of good manners and courtly conduct. “If the subjects of your kingdom are all as Sir Gallant, and behave as he describes the people in your land, then I believe that you in the City of Philos are the ones who can help me bring my dream to pass,” the letter read.

O rei, então, disse ao ministro que se encontrava ao seu lado: --Convoque uma reunião do Conselho. Vamos discutir a proposta desta carta. E você também deve estar lá --disse, olhando para Sir Galante. Quando os membros do Conselho haviam se juntado, o rei leu a carta em voz alta. Na carta, Vog contava o problema de seu reino e como desejava que sua terra pudesse ser mais próspera e repleta de paz. Falou de seu breve encontro com Sir Galante, e como ficara impressionado com as boas maneiras e conduta cortês do cavaleiro. --Se todos os súbditos de seu reino forem como Sir Galante, e se conduzirem da forma como ele disse que se conduzem, então acho que vocês, da cidade de Filos, é que podem me ajudar a tornar meu sonho realidade -- dizia a carta.

“I therefore humbly request, Your Majesty, that Sir Gallant and members of your city instruct the subjects of my kingdom in the ways of courtesy, brotherhood, and unity. Your people may settle in my lands, for I believe my people will learn most by observing your example of daily living. If my people do not learn this, I fear the next attack from One Eye shall mean defeat for the Kingdom of Vog.” After some discussion, the king and his council agreed to send, under the leadership of Sir Gallant, as many as would volunteer to settle in the Kingdom of Vog, and help instruct those who lived there in the ways of Philos. * Dum da dum! A proclamation was to be read in every town square throughout Vog’s kingdom, and all citizens of Vog were to be in attendance. Vog himself was attending the proclamation at one of his largest towns, and the townsfolk were curious to hear what this important announcement would be about. Standing in the square, there were also a great number of courtly looking knights and well-dressed families whom the citizens of Vog had never seen before.

--Por esse motivo, peço humildemente à Vossa Majestade que Sir Galante, e membros da sua cidade, ensinem aos súbditos de meu reino a arte da cortesia, fraternidade e união. Seu povo pode se estabelecer em minhas terras, pois acredito que meu povo aprenderá mais se observar o seu exemplo de vida diário. Se o meu povo não aprender isso, receio que o próximo ataque de Um Olho Só traga a derrota do Reino de Vog. Depois de discutirem o assunto, o rei e seu Conselho concordaram em enviar, sob a chefia de Sir Galante, todos que se voluntariassem a se estabelecer no reino de Vog e ajudar a ensinar às pessoas que ali moravam os preceitos de Philo. * Dam da dam! Uma proclamação iria ser lida na praça de cada cidade do reino de Vog, com a presença de todos os cidadãos. O próprio Vog participou da proclamação em uma das cidades maiores, e os moradores da cidade estavam curiosos para saber o conteúdo daquele importante anúncio. De pé na praça, havia também um grande número de cavaleiros elegantes e famílias bem vestidas que os cidadãos de Vog nunca haviam visto antes.

It was all a great mystery, and soon grumbling was heard among the people gathered. “Foreigners!” said one. “Riffraff!” said another. And then after another blast of the horn, those in the town square fell silent as the herald began to read. “ To the citizens of Vog: I, King Vog, after much consideration have come to realize our kingdom could be prosperous and our borders safe from marauding giants if only we could work together in peace. I have therefore given portions of land to those from the City of Philos. The people from this city are well known for their good manners and the camaraderie they share. They have agreed to settle in our lands and instruct us in their ways. Please learn from them, for our survival as a kingdom depends upon it. Sincerely, King Vog.” The citizens gathered in the town square were shocked at this news; most of them had known their behavior was not admirable, but now hearing how Vog had decided on such drastic measures caused them to think long about their past behavior.

Era um grande mistério, e logo se ouvia as reclamações dos que estavam ali reunidos. --Estranhos! -- disse um. --Gente que não presta -- disse outro. E depois da trombeta de corno soar novamente, as pessoas na praça fizeram silêncio e o arauto começou a ler. --Aos cidadãos de Vog: Primeiro, o Rei Vog, depois de muito ponderar, chegou à conclusão de que o nosso reino poderia ser próspero, e nossas fronteiras livres de gigantes saqueadores, se trabalhássemos juntos em paz. Com isto em mente, dei partes de nossa terra para habitantes de Filos. Os habitantes desta cidade são conhecidos por terem boas maneiras e, acima de tudo, pela camaradagem que reina entre eles. Eles concordaram em se estabelecer nas nossas terras e nos ensinar a arte da cortesia e generosidade. Por favor, aprendam com eles, porque a nossa sobrevivência como reino depende disso. Sinceramente, Rei Vog. Os cidadãos reunidos na praça ficaram chocados com as notícias; a maioria sabia que o seu comportamento não era admirável, mas o fato de ouvirem que Vog decidira tomar medidas tão drásticas os fez refletir sobre seu comportamento passado.

Others of the citizens moaned that they had difficulty enough living with each other, and to add foreigners to the mix— surely there was some mistake! But surprisingly—over a very short period of time—the people of Vog found the people of Philos easy to get along with and often found a way to turn a disagreeable discussion into a pleasant exchange. Not only that, but they consistently went out of their way to help their neighbor Vogians. The Vogians soon picked up on Philos traits, for they found life was much more enjoyable when they found ways to appreciate each other’s opinions and thoughts. They also discovered how helping each other out made life much easier, and enjoyed being able to count on borrowing an extra loaf of bread or an extra tub of butter when their own pantry was empty, and they otherwise would have had to go without. And not too long after the people of Philos had settled in the Land of Vog, something occurred that showed the Vogians had truly learned how to help each other and work together in unity.

Outros cidadãos concordaram que já tinham dificuldade em se dar bem uns com os outros, mas ainda acrescentar estranhos a essa mistura... certamente era algum equívoco! Mas para sua surpresa, em pouco tempo, o povo de Vog descobriu que era fácil se darem bem com o povo de Filos, que muitas vezes encontravam um jeito de transformar uma discussão desagradável em uma conversa agradável. Não só isso, mas eles regularmente se desdobravam para ajudar seus vizinhos Vogianos. Os habitantes de Vog em breve estavam copiando os modos do povo de Filos, pois descobriram que a vida era muito mais agradável quando encontravam formas de apreciarem as opiniões e o que cada um pensava. Também descobriram que ajudarem-se uns aos outros tornava a vida mais fácil, e era legal poderem contar com o vizinho para lhes dar um pão ou um pote de manteiga quando lhes faltava em sua despensa. Caso contrário, teriam que passar sem isso. E, pouco depois dos habitantes de Filos terem se instalado na terra de Vog, ocorreu algo que mostrou aos Vogianos que tinham realmente aprendido a se ajudar uns aos outros e a viverem juntos em união.

One fine spring day, One Eye reappeared on the border of the Kingdom of Vog! But this time, when Vog called on his people to unite and stand against One Eye, his people came and stood by his side. And when One Eye and his fellow giants attacked, they were caught by surprise, for Vog’s army had laid a trap for them. One Eye was killed and his band of evil men fled.

Um belo dia de primavera, Um Olho Só apareceu de novo na fronteira do reino de Vog! Só que desta vez, quando Vog conclamou o seu povo para se unirem e lutarem contra Um Olho Só, o povo veio e ficou ao seu lado. E quando Um Olho Só e seus amigos gigantes atacaram, foram pegos de surpresa, porque o exército de Vog lhes havia preparado uma armadilha. Um Olho Só foi morto e seu bando de malvados fugiu.

Histórias bilíngüe para crianças – www.freekidstories.org
Art and story courtesy of My Wonder Studio,  The Family International.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful