Direito Processual Civil

Curso Fraga

prof. Luiz Tubencklak

Estudos da Jurisdição, da Ação e do Processo.  Jurisdição – é a função poder do Estado de compor conflito de interesses caracterizados por uma pretensão resistida = lide. É inerte, só atua mediante provocação. Competência é o limite da jurisdição. Ação : Direito que têm a pessoa de exigir do Estado prestação jurisdicional. • Competência pode ser: Interna ou Externa - Art. 88/90 CPC Competência Corrente – art. 88 CPC Competência Exclusiva da Autoridade Judiciária Brasileira – art. 89 CPC
Emenda Constitucional 45 – STJ é competente para homologar sentença estrangeira.

Competência Interna: a) Absoluta – determinada pelos critérios matérias ou funcional (pessoa ou hierárquica), não pode ser modificado nem ser prorrogada, será sempre incompetente. Obs.: O valor de causa não fixa competência. Exceção Juizado Especial Federal. Matéria: Família, órfãos e sucessões e empresarial. Obs.: Comarca s/varas especializadas – observa-se o CODERJ hierarquia – mandado de segurança contra o governador do Estado deve ser impetrado no TJ. b) Relativa – Territorial Domicílio do Réu (para ações pessoais de ações reais imobiliárias). • • A incompetência absoluta pode ser argüida a qualquer tempo pelas partes, através de simples petição. O réu deve argüir a incompetência absoluta no 1º momento, através de preliminar de contestação, art. 301, II CPC. Se o réu não argüir no prazo da resposta a incompetência relativa, o juiz torna-se competente através da prorrogação de competência.

Art. 100 CPC – Competências Territoriais.  Da Ação – direito público, subjetivo, abstrato, autônomo, condicionado ao preenchimento das condições da ação. – Condições da Ação: legitimidade, interesse e possibilidade. – Carência da Ação: não preenchimento das condições da ação, acarreta a extinção de ação sem julgamento do mérito. Art. 267, VI CPC.

Legitimação Interesse de Agir, Possibilidade Jurídica.
– Legitimação ad causam  Legitimação Ordinária – quem requer esta sofrendo resistência de sua pretensão. Tem que requere direito próprio em nome próprio.  Legitimação Extraordinária – legitimação concorrente – requer direito alheio em nome próprio. página 1

Direito Processual Civil

Curso Fraga

prof. Luiz Tubencklak

 Substituição Processual – prevista em lei. É diferente de sucessão processual (quando a parte falece e os herdeiros tornam-se parte). – Interesse de Agir - caracterizado pelo binômio necessidade e adequação. A tutela jurisdicional deve ser adequada (a ação deve ser adequada). – Necessidade – existe o direito e a ação é necessária para o mesmo ser satisfeito.  Jurisdição Contenciosa – a pessoa já tentou todas as vias e tem sua pretensão resistida. Carência de ação pode ser argüida no 2° grau de jurisdição.  Jurisdição Voluntária – a necessidade deve ser a 1ª via, única forma de opção. Direito de ação. Ex.: Ação de Separação, Inventário. Possibilidade Jurídica do Pedido. Verifica-se na lei se o mesmo é impossível. Quando não há causa de pedir causa de pedi existe inépcia da inicial e não carência de ação. Elemento da Ação: Partes, Fatos e Fundamentos e Pedido. Inépcia quando falta o elemento da ação – art. 282 CPC Parte autor e réu – art. 234 CPC Litisconsórcio é pluralidade de partes. Ativo Quanto ao pólo Passivo Misto Quanto ao Momento da Formação  Anterior/Inicial – ocorre do momento da propositura da ação – art. 264 CPC  Ulterior / Incidental – quando ocorre com o processo em curso; quando incorre numa intervenção de terceiro. Art. 54, 75 e 77 CPC. O litisconsórcio se divide: • Facultativo – art. 46 CPC – pode se formar ou não, depende da vontade das partes. Tanto no pólo ativo quanto no passivo. • Necessário – art 47 CPC – somente no pólo passivo, no pólo ativo limitaria o exercício do direito de ação. Se dá por determinação legal ou pela natureza jurídica. Pela lei art. 10, § 1º CPC; art. 942 CC – usucapião ; cobrança por fiador casado desde que haja ortoga da esposa. Pela Natureza Jurídica – ação de consignação em pagamento por não (dúvida) saber (quanto), a quem pagar. Oposição (quando terceiro se impõe contra o autor e réu de uma determinada ação). Quanto aos Efeitos da Sentença • Simples – quando a sentença puder atingir os litisconsortes de maneira diferenciada. página 2

Ação Cautelar Incidental – O juiz pode indeferir de ofício. embargo de terceiro.: O MP tem capacidade postulatória Se faltar capacidade Ad Causam acarreta a extinção do processo sem julgamento do mérito. Ação Cautelar – medida de proteção do processo. A antecipação é requerida nos próprios autos ou na inicial. A antecipação de tutela tem que ser a requerimento da parte. Luiz Tubencklak Unitário – sentença única para os litisconsortes. Via de regra.Direito Processual Civil • Curso Fraga prof. 3) Capacidade Postulatória – bacharel em Direito regularmente inscrito nos quadros da OAB. página 3 . não necessita a execução. e é necessária a reversibilidade. Medida de Antecipação de Tutela – medida de proteção à pessoa. do Direito que sofre ameaça para a prestação da tutela jurisdicional. Obs. Se faltar capacidade processual e postulatória suspende-se até a regularização. Pressupostos Processuais Subjetivos 1) Capacidade Ad Causam – quem tem personalidade jurídica para figurar como parte. Ação: 1) Ação de Conhecimento ou Cognição. 461 e 461 A CPC – ações de obrigação de fazer e entrega de coisa móvel/imóvel. 2) Ação de Execução .  Sanção – quando há manifestação proposta pela parte. Art. Ex.não se busca o conhecimento e sim a satisfação do direito através de medidas coercitivas sobre o patrimônio do devedor. A cautelar é apartada. A antecipação de tutela para ser concedida tem que ter verossimilhança e prova inequívoca. Art. O representante do menor é substituto processual.: execução provisória. Tanto a cautelar quanto a antecipação de tutela:  Remédio – juiz defere para situação de risco para difícil reparação. mandado de segurança. 3) Ação Cautelar – para garantir uma medida assecuratória que garanta o direito. Ação Mandamental – o juiz ordena direito líquido e certo – Hábeas data. que pode ser:  Declaratória (ação de investigação de paternidade)  Constitutiva e Desconstitutiva – Ação de Retrovenda  Condenatória – (quando o juiz determina cumprimento de algo descumprido). 584 (judicial) e 585 (extra-judicial) CPC – Títulos Executivos. Ação executiva lato sensu – em que a sentença tem força executiva. 2) Capacidade Processual (ad processo) – quem tem capacidade jurídica de fato. Para que o juiz tenha conhecimento da matéria. o litisconsorte necessário é unitário.

Processo de conhecimento Critério matéria qualquer que seja o valor Comum  Sumário – art. Salvo Micro Empresa. 275. II CPC.Competência II . Possessório ate 40 salários mínimos. II CPC Matéria Despejo para uso próprio (12 X o valor da causal). Luiz Tubencklak Ação de Conhecimento.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. 286 CPC 1) Ações Universais página 4 . 282 CPC – Requisitos I .  Ordinário – 60 Salário Mínimo Residual – quando a lei exigir _ por exclusão Especial – Sumaríssimo  Júris Contencioso  Júris voluntário JEC (juizado especial criminal) Estaduais – lei 9099/95 .Partes Réu Autor III – Fatos (motivo) e Fundamentos (conseqüência) => Causa de pedir IV – pedido = conclusão lógica dos fatos e fundamentos – senão o pedido extingue sem julgamento do mérito. Pedido Certo e Determinado. Se não for cumprido esses requisitos:  Há INÉRCIA da inicial  Próxima = fundamental  Remota = fatos Exceção pedido genérico na espécie porque o gênero é certo e determinado. Art. JEC Federais I – valor da causa ate 60 salários mínimo II – pessoa jurídica Direito Público Federal Empresa Pública Federal Petição Inicial – art. 275.procedimento facultativo Federais – lei 10259/01 – procedimento obrigatória JEC Estaduais I – até 40 salários mínimo II – Art.

cada pedido e independente. 9º CPC – Curadoria PZ – depende do processo página 5 . art. 259. 3) Quanto ao ato for praticado pelo réu. 288 e 289 CPC. 290 CPC – prestações periódicas (vencida e vincendas).Direito Processual Civil Curso Fraga prof. regra vantagem econômica que sequer com a Ação. . 282. cumulado – formula-se vários pedidos. art. Depende do juiz. Expresso na Petição Inicial .Implícito Art. VI – Protesto por provas (específico) Documental VII – Protesto por Citação  Via Postal  Oficial de Justiça  Pessoal  Representante legal  Com hora certa  Carta – Precatória – outra comarca contígua – juízo de mesma instância. Sucessivo / subsidiário. V – valor de causa – art. Depois da LINS (lugar incerto não sabido) ausente A citação é presumida Se o réu prevalecer revel se aplica a REVELIA Art. 325 CPC => Ação de Declaração Incidental Alternativo vários pedidos e você só se satisfaz com um. Art 230 CPC.Simples – formula pedido. Art. – Rogatória . 293 CPC – Juros – Súmula 2545 STF Astas e Honorários Classificação do Pedido .Incidental – art. – Ordem – determinada por Tribunal Hierarquicamente Superior  Edital (ficta) (exceção) depois de todas as tentativas (depois de tentar a pessoal.réu domiciliado em outro país.Sucessiva – ação de aumentos de acumulados com paternidade . Luiz Tubencklak 2) Quando não for possível determinar. Formulam vários pedidos mais o pedido só conhece do primeiro (principal) se desfazendo do 2º. Onerosidade excessiva – é subjetivo.

Se o réu não contestar a ação. procedendo ao julgamento antecipado da Lide (art. 269. Inércia Direito Rec. Jurídico do Pedido – art. 269. mandará que o autor especifique as provas que pretenda produzir na audiência. 277 CPC Prazo <= DA/MP => 4 X => (art. II CPC =/= Confissão RÉU Art. 320 CPC – Revelia sem confissão => Art. II CPC). I página 6 . 188 CPC) Litisconsórcio – art. Preclusivos – perda do direito de alegação do pedido. 2) Art.10. Art. Seu assistido pela defensoria – lei 1060/50. 191 CPC. verificando que não ocorreu o efeito da revelia. a inércia gera três situações: 1) Matéria de Fato – o juiz decreta a Revelia e aplica a pena de confissão.925. 324.1973). 319 e 330.AIJ prof. 324 CPC Art. 319 CPC – revelia com confissão Art. Peremptórios – não pode ser modificado. (Redação dada pela Lei nº 5. O réu revel não será mais intimado dos atos processuais nem da sentença – art. 322 CPC 3) Matéria de Direito – não leva a Revelia. salvo caso de catástrofe. 269. Resposta do Réu (ônus processual) Exceção Contestação Reconvenção O réu sendo citado pode permanecer inerte. o juiz. de 1º. 320 CPC – o juiz pode aplicar a revelia sem a pena de confissão => Revelia sem confissão.Direito Processual Civil Comum Especial JEC => AIJ Curso Fraga Ordinário – 15 dias Sumário . Fato – Art. Luiz Tubencklak Conhecimento Cautelar 5 dias Prazo Próprio: para as partes Impróprio: para os Juizes Dilatório – pode ser modificado pelo juiz ou convenção das partes.II AUTOR/RÉU Art.

Toda matéria de defesa tem que ser argüido na contestação. página 7 . 301. curador especial.Impedimento => qualquer tempo em qualquer grau de jurisdição – art. Luiz Tubencklak Nomeação a Autoria Art. 261 CPC  Impugnação a Gratuidade Resposta do Réu – Exceção  Incompetência Relativa (somente no prazo da resposta) => Réu (argüido) => Juízo Podem ser argüidos no prazo da resposta . § 4º CPC. 135 CPC Impedimento Parte Juiz Reta . Art. pois depende da dupla aceitação.Suspeição => no prazo de 15 dias quando fica evidenciada a suspeição – art. Exceto: compromisso – art.impedimento Colateral 2º grau – impedimento Advogado Contestação: Princípio da eventualidade ou concentração dos atos processuais. 302 CPC Contestação:  Processual – art. salvo: advogado dativo. 67 CPC = prazo de resposta – modalidade de intervenção de terceiro (provocada) = pode ser recusada. Se fizer a nomeação a autoria não se faz contestação. Processos Apensos  Impugnação ao Valor da Causa – art. Denunciação da Lide / Chamamento ao Processo Deverão ser apresentados simultaneamente (dentro do prazo da contestação). 134 CPC . e órgão do MP.Direito Processual Civil Resposta do Réu No prazo de resposta Curso Fraga Meio de Prova Após o prazo de resposta prof. Podem ser argüidas em qualquer momento.impedimento Colateral 3º grau Reta . • Fatos alegados devem ser impugnados = fato incontroverso (fato verdadeiro) Contestação tem que ser especifica inclusive o defensor Público. 301 CPC – compete ao réu alegar • Dilatória • Absoluta – declina para o juízo competente • Peremptória – se reconhecida extingue o processo tendo julgado o mérito.

• Indireta =/= reconhecimento jurídico do pedido – ônus da prova cabe ao réu. II CPC II – Fase Julgamento conforme Estado do Processo página 8 . art 31 lei 9099/95 – cabe formulação de pedido contraposto. 333.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. Art 317 CPC I – Postulatório – art. 330. 104 CPC P P CP CP P P Art. 253 CPC Reconvenção não cabe no sumário e sim pedido Contraposto. 100. faz coisa julgada. III P CP P Art. art. Luiz Tubencklak  Mérito • Direta – o réu de forma especifica. Ônus da prova cabe a que alege (autor) – art. ser der causa por três vezes Perempção Conexão Espécie de conexão = identidade das partes e de causa de pedir sendo o pedido de um é mais abrangente compreende o pedido do outro. 253. conexão. Coisa julgada Litispendência Perda do direito de ação. Não cabe reconvenção da reconvenção. P = pedido Exemplo: Acidente de Transito = arts 94. 301 CPC. I CPC Art. litispendência. 253 CPC P CP P Art. – Remissão Art. 106 CPC.Correndo em separado ações conexas perante juízes que têm a mesma competência territorial. Prevenção – é pela distribuição – Art. 267. 278 § 1º CPC. Art.219 CPC. 267. 267. 106 . Não cabe no processo sumário e nos juizados especiais. Não cabe pedido contraposto em caso de perempção. II CPC O art. I CPC. O pedido reconvencional deve guardar conexão a matéria de defesa ou da ação principal. V CPC P CP P Art. Continência P P CP CP P P Transito em julgado – coisa julgado material Art. 268 § único Art. perempção. CP = coisa de pedir. Art. 267. V CPC P = parte. considera-se prevento aquele que despachou em primeiro lugar. Não cabe reconvenção na ação dúplice (onde a ação tem os dois lados da moeda) Ex: Reintegração e prestação de contas. 333. I P CP P CP P CP P P CP P P CP Art. continência.

337 CPC Probatória / Instrutoria. 93. Luiz Tubencklak Providências Preliminares 1) Art. Art. 323 a 327 CPC => 10 dias.Extingue-se o processo com julgamento de mérito: II . Não Houve Acordo Despacho Saneador 1) Fixa os pontos controvertidos (objeto da prova). 2) Decidir as questões processuais pendentes que não importe em extinção do processo. 332 CPC Princípio da Valoração da Prova. Saneamento – art 301 CPC.Ação Declaratório Incidental não cabe no sumário. Art. II CPC – Homologação do acordo. Ao despacho saneador cabe Agravo de Instrumento. Art. Se estiver contido no Direito Federal não cabe. 1) Livre Convencimento ou convenção intima 2) Prova Legal – a lei da prova os valores a serem adotados. impeditivo. 4) Designação de Audiência de Instrução e Julgamento se necessário de produção de prova oral. IX CF/88. Curso Fraga prof. Art. Art. Art. 401 CPC 3) Livre Convencimento motivado ou persuasão racional – o juiz tem livre convencimento motivado mas tem que fundamentar. Art. 327 CPC – Contestação Processual – matéria de ordem pública Se for de mérito direto não há réplica. 325 CPC combinado com Art 5º CPC . 331 CPC – Audiência Preliminar (é facultativa – por força do § 3º art 331 CPC) se o direito admite transação (direito patrimoniais e disponíveis) Houve Acordo Art. 324 CPC – Intimar a parte para especificação de provas.Direito Processual Civil Art. Réplica – impugnação da contestação 3) Art. Ex. Excepcionalmente prova de direito. 2) Art. pois tem natureza decisória. 269 . 269. ÔNUS DA PROVA página 9 . 326 CPC – Contestação de Mérito Indireta – Modificativo institutivo. Prova – destina-se a comprovação de fato. 3) Determinar as provas a serem produzidas.: Sentença ou Decisão Interlocutória.quando o réu reconhecer a procedência do pedido.

são aqueles que influenciarão na sentença final. ou seja. Percebemos. A Inversão do ônus da Prova tem se dá ate o despacho saneador. segundo o alegado e comprovado nos autos e não segundo sua convicção pessoal. cabendo. O juiz deve decidir segundo o princípio da persuasão racional (hipossuficiência e/ou verossimilhança). podemos citar o Art. que o objetivo norteador do juiz é à busca de quem mais facilmente pode fazer a prova. possuem o encargo de produzir as provas para o julgamento do juiz. Tratando-se de direito federal. OBJETO DA PROVA Os objetos da prova são os fatos pertinentes e relevantes ao processo. ou seja. Enquanto o parágrafo único do mesmo artigo institui regras para disposição entre as partes do ônus da prova. O parágrafo único do mesmo Art. a critério do juiz. I do Código de Processo Civil institui as regras gerais de caráter genérico sobre a distribuição do encargo probatório as partes: O instituto do ônus da prova possui três princípios prévios: O juiz não pode deixar de proferir uma decisão. 6º. caso essa tenha mais facilidade para provar ou repudiar determinada alegação. VIII do Código de Defesa do Consumidor que permite a inversão do ônus da prova em benefício do consumidor “quando. consideramos o fato provado independentemente de que provou. exceto para direito indisponível de determinada parte. Nesse sentido. atribuído pela lei a cada uma das partes. 333 do CPC instituem o ônus da prova para autor e réu. a inversão do ônus da prova a parte contrária. de demonstrar a ocorrência dos fatos de seu próprio interesse para as decisões a serem proferidas no processo. 333 do CPC permite as partes disporem o ônus da prova. estrangeiro ou consuetudinário o juiz pode determinar que a parte a que aproveita lhe faça a prova do teor e da vigência (Art. aqueles fatos que são de conhecimento geral. assim como. não estão sujeitos a provas. neste caso. Em contrapartida. pois cada parte deve provar os fatos relacionados com seu direito. Para Humberto Teodoro Junior diz que é “e” hipossuficiência e verossimilhança. por verossímil a alegação ou quando for ele hipossuficiente segundo as regras ordinárias da experiência”. nunca. estadual. ao réu cabe provar a existência de fatos impeditivos. fatos constitutivos são os fatos afirmados na Petição Inicial pelo autor. “apenas se tratar de direito municipal. O Artigo 333. As partes possuem a iniciativa da ação da prova. o direito pode ser também objeto de prova. Assim. os fatos que possuem presunção de legalidade. É necessário ressaltar que os fatos notórios. cabendo a ele prová-los. modificativos ou extintivos do direito do autor. Luiz Tubencklak Ônus da prova é o encargo. sendo indiferente a sua posição no processo.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. Percebemos que os incisos I e II do Art. Assim sendo. ou quando é excessivamente difícil a uma parte provar seu direito. Excepcionalmente. respectivamente. Quanto ao ônus da prova. neste caso. 337 CPC)” MOMENTOS DA PROVA: página 10 . ou seja.

ou seja. Luiz Tubencklak De modo geral. 332 do CPC: Os meios de provas devem estar revestidos dos princípios da moralidade e lealdade. 400 a 419 CPC). PRESUNÇÕES: Presunção é um processo racional do intelecto. podemos considerar como três os momentos da prova:  REQUERIMENTO: • A princípio a Petição Inicial (por parte do autor). como elucida o Art. de modo licito e idôneo. 342 a 347 CPC). Porém. ou seja. • A Contestação (por parte do réu). admitem contra-prova. 348 a 354 CPC). Desta forma.  PRODUÇÃO: • A prova oral é produzida na Audiência de Instrução e Julgamento. Assim. MEIOS DE PROVA Os elementos trazidos ao processo para orientar o juiz na busca da verdade dos fatos são chamados de meios de prova. pelo qual do conhecimento de um fato infere-se com razoável probabilidade a existência de outro ou o estado de uma pessoa ou coisa. 364 a 399 CPC).  Exibição de documentos ou coisa (Art.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. os seja. • A prova testemunhal é produzida na Audiência de Instrução e Julgamento. os meios de provas citados pelo Código de Processo Civil não são os únicos possíveis. possui o encargo de provar o fato contrário ao presumido.  Inspeção judicial (Art. 420 a 439 CPC). podemos classificar presunções como:  PRESUNÇÃO RELATIVA (“júris tantum”) – São aquelas que podem ser desfeitas pela prova em contrário. podem ser produzidas desde a Petição Inicial. o interessado no reconhecimento do fato tem o ônus de provar o indício. não poderão ser objeto de fundamentação na sentença proferida pelo juiz. Pois. além de existir a necessidade de serem obtidos de forma legal. página 11 . O Código de Processo Civil elenca como meios de prova:  Depoimento pessoal (Art. 355 a 363 CPC).  Confissão (Art. ou seja.  Prova documental (Art. porém provas documentais.  Prova pericial (Art.  DEFERIMENTO: No saneamento do processo o juiz decidirá sobre a realização de exame pericial e deferirá as provas que deverão ser produzidas na Audiência de Instrução e Julgamento. 440 a 443 CPC). as provas serão consideradas ilegítimas e conseqüentemente não serão aproveitadas no julgamento do mérito da ação.  Prova testemunhal (Art. caso não possuam os requisitos expostos. por exemplo.

A presunção legal liga o fato conhecido ao fato que servirá de fundamento a decisão. o juiz busca. Ao examinar a prova. 347. 406. É importante lembrar que as provas não possuem valor determinado. necessariamente. parte de um indício e chega a um fato relevante. Assim. através de atividade intelectual.  PRESUNÇÃO “hominus” – Parte de um raciocínio humano.Art. seu peso é considerado única e exclusivamente pelo juiz. É necessário prova técnica quando o fato depender de conhecimentos específicos ou especializados. Sendo o convencimento do magistrado livre. VALORAÇÃO DA PROVA O sistema adotado pelo legislador brasileiro é o Sistema da Persuasão Racional do juiz.  PRESUNÇÃO LEGAL – É aquela expressa e determinada pelo próprio texto legal. o fato não é objeto de prova. 343 CPC) Requerido pela parte contraria É uma vez só Só acontece na AIJ Intimação pessoal – paga custas Confissão Meio de Prova Interrogatório (Art. A presunção absoluta é uma ficção legal. II CPC Faculdade para depoimento da Testemunha . deve ser racional conforme as provas descritas nos autos processuais. II CPC A Testemunha que mentir em depoimento responde criminalmente. desconsiderando qualquer prova em contrário. ou seja. MEIOS DE PROVAS 1) Depoimento Pessoal (Art. 353 CPC página 12 . Do Autor e do Réu – fato comprovado. O material de valoração da prova deve encontrar-se.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. 343 CPC) =/= Interrogatório (Art. onde o juiz tem o dever de justificá-los e motivar sua decisão. 348 a 354 CPC). ainda que livre. Espontânea – termos nos autos Judicial Expressa – por escrito ou verbal Provocada Confissão Presumida – quando decorre de previsão legal Extra-judicial – tem a mesma validade da confissão judicial – art. contido nos autos do processo. Isso permite às partes conferirem que a convicção foi extraída dos autos e que os motivos que o levaram a determinada sentença chegam racionalmente à conclusão exposta pelo magistrado. conclusões sobre os fatos relevantes ao julgamento do processo. nos elementos probatórios. Luiz Tubencklak  PRESUNÇÃO ABSOLUTA (“jure et de jure”) – O juiz aceita o fato presumido. sendo apreciadas no contexto e conjuntamente com as demais provas. 2) Confissão (Art. 342 CPC) Ofício Várias vezes A qualquer momento Meio de Convencimento Faculdade para depoimento da Parte – Art. ou seja. 342 CPC) Depoimento pessoal (Art. Porém.

Mas o credor não pode exigir do devedor cópia do recibo de quitação. Pode se dá através de procedimento preparatório. O art. no prazo de 10 dias – jurisprudência. Documento Particular – só tem efeito probatório quando aquele a quem se quer provar participar da sua confecção. qualquer pessoa com exceção dos incapazes art. no curso do processo. § 1º CPC . Por exemplo cabe ao patrão pela guarda do cartão de ponto. Luiz Tubencklak Código civil também regula provas. com o mesmo valor probatório. 5 . A Revelia pode gerar uma confissão. 4 .Prova documental (Art. etc. que resolver o incidente. A revelia pode ser uma conseqüência a confissão (não intimação da parte para os demais atos do processo). Xerox – não precisa ser autenticados. pacto antenupcial. Art. o cego para depor de fatos que dependam do sentido que lhe falta débeis).Prova Testemunhal (Art. 405.: Os documentos juntados após a propositura da ação tem que garantir a parte contrária o contraditório . 400 a 419 CPC) Quem pode ser testemunha. Art. Obs. página 13 . impedimento (parentesco) art. O prazo é preclusivo para o incidente. Art.prazo para contestação de 10 dias para autor e réu quando os documentos forem juntados pela parte contrária. 544. 405. ate para que a parte possa argüir falsidade de documento. § 2º CPC e suspeitos. A sentença. Se não for apresentada a coisa. 364 a 399 CPC) – tanto documento público quanto particular. Pode o Advogado Autenticar os Documentos conforme art. Tem que ser carreada aos autos na inicial ou na contestação. – art. documento ou coisa plausível é aplicada a pena de confissão que é diferente de Prova Documental.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. declarará a falsidade ou autenticidade do documento. 844 CC. escritura de imóveis.recurso para o STF e o STJ – (trata do Agravo de Instrumento quando negado o segmento de Recurso Extraordinário). por exemplo. surdo. 3) Exibição de documentos ou coisa (Art. deverá ser proposta uma Ação Autônoma de Nulidade. 395. só se for decorrente de fato novo. 405. Não para falsidade de documento se o processo estiver tramitando. quando por instrumento público goza de presunção de veracidade pela interveniência do ente público – boa fé. 355 a 363 CPC). pois o mesmo tem o dever de prova. 395 CPC. Documento Público. § 1º CPC (menores de 16 anos. § 3º CPC. 212 CC – Presunção: situações previstas em lei acerca de determinado fato. Incidente de Falsidade .

Sentenças Terminativas – extingue processo sem julgamento do mérito.12. 7 . Quando o juiz nomeia perito ou experiente para auxiliar na formação da sua convicção (nas áreas técnicas que o juiz não tem conhecimento) O juiz pode julgar contrário ao laudo pericial. 445 CPC página 14 . o autor poderá apelar.1994). Art. desde que fundamente. Sentença Declaratória – imprescritível Existe prazo na lei = Imprescritível Sentença Constitutiva / sentença Desconstitutiva – Não existe prazo na lei = Decadencial – art. =/= de Questão Preferencial – questão incidental de caráter processual. 296 CPC – Juízo de Retratação – quando o juiz indefere a petição inicial apelando o autor poderá o juiz em 48 horas retratar sua decisão. Prejudicial = direito material não podem ser discutido no mesmo processo – discutidas e decididas em ação autônomas. 14. (Redação dada pela Lei nº 8.Inspeção judicial (Art.952. (art. Art. os autos serão imediatamente encaminhados ao tribunal competente. 405. Art. de 13. pois ele pode voltar atrás com recurso de agravo de instrumento ou retido. reformar sua decisão. Indeferida a petição inicial. (art. (Redação dada pela Lei nº 8. 15 CPC – Princípio do Consentimento Informado Art. 6 .Prova Pericial – percepção sensorial – perito . facultado ao juiz. § 4º CPC. Art. Não sendo reformada a decisão. Parágrafo único.12.1994).Direito Processual Civil Curso Fraga prof. 440 a 443 CPC Atos do Juiz –Art. 269.952. 420 a 439 CPC).(Art. 296. 526 CPC Esta petição é facultativa ou obrigatória é facultativa Art. no prazo de 48 (quarenta e oito) horas. I CPC) Sentença Terminativa – natureza declaratória. 162 CPC  Despachos de Mero Expediente  Decisões Interlocutórias  Sentenças Decisões Interlocutórias – são aquelas em que o juiz põe fim em uma questão incidental. Art. de 13. 463 CPC – Uma vez publicada a sentença o juiz perde seu ofício duas hipóteses que cabem juízo de retratação. 267 CPC) Sentenças Definitivas – extingue o processo com julgamento do mérito. Quando em sede de embargo de declaração houver efeitos infringentes. § 4º CDC – Responsabilidade Pessoal do Profissional Liberal. sem por fim ao processo. Luiz Tubencklak O Juiz pode ouvir as testemunhas suspeitas ou impedidas.

267. O juiz deixa de dar uma Tutela Jurisdicional quando for formulado em pedido. É um efeito interno impede que aquela matéria seja discutida naquele processo. É possível recorrer sem que haja sucumbência? Sim. réu. está pode recorrer no prazo das contra razões pelo Recurso Adesivo. 458 CPC – Relatório. que só cabe em 4 situações: – Apelação. 515 § 3º CPC – Princípio da Causa Madura . Fundamentação. Dispositivo. 128 combinado com o art 460 CPC  Citra Petita. 530 CPC .a parte sucumbente Sucumbência Recíproca . Recurso Especial.trata dos embargos de infringente.processo esta pronto para ser julgado. MP – art. Se uma das partes recorre e a outra não. uma diz que é nula e outra diz que é valida  Extra Petita – o juiz julga fora do pedido. V CPC. 500 CPC) Só será apreciado e julgado se o recurso principal for deferido . Art. Luiz Tubencklak Sentença Condenatória = prescritível sempre Mandamental Executiva “Lato Sensu”. Se caracteriza por uma comissão.  Ultra Petita – o juiz julga além do pedido. se houver desistência do recurso principal. 499 CPC 2) Interesse . Embargos Infringentes.art.toda sentença faz efeito formal. Efeitos da Sentença  Formal . para alterar a fundamentação da decisão. Principio da Dupla Sucumbência – art. página 15 . A Ultra Petita e Extra Petita violam o Princípio da Inércia. e por fim ao processo. 461 e 461A CPC Requisitos da Sentença – art. 3º prejudicado. o adesivo vai pelo mesmo caminho. Recurso Extraordinário (art. ou seja. As sentenças terminativas só têm efeito formal – Art. Também produz efeito material  Material = Extrínseco Impede que a matéria discutida seja novamente suscitada naquele processo ou em outro. Vícios da Sentença – art. Pressupostos Recursais 1) Legitimidade – autor . Duas correntes.julgado procedente em parte.Direito Processual Civil Curso Fraga prof.

se recolher menor. Doutrina Majoritária diz que cabe Agravo de Instrumento por serem incidentes processuais.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. 273.: Exceção de Incompetência Relativa) o juiz profere sentença. 273. § 7º CPC. 2) Tempestividade  05 (cinco) dias – Embargos de Declaração – Agravo de Instrumento (Agravo Regimental ou Agravo Interno quando indeferido a suspensão do feito)  10 (dez) dias – Agravo de Instrumento – efeito devolutivo – Agravo Retido – Recurso de Inominado no Juizado Especial  15 (quinze) dias – Apelação – Embargos Infringentes – Recurso Especial – Recurso Extraordinário – Embargo de Divergência – Recurso Ordinário 3) Preparo Pagamento de custas. § 7º CPC a) Boa-Fé b) Não pode se tratar de erro grosseiro.  Alexandre Câmara diz que só poderão ser recebidos pelo Princípio da Fungibilidade o Recurso Especial e o Recurso Extraordinário. 17 lei 1060/50) Ex. O Preparo é recolhido antes da interposição do Recurso. c) Tem que preencher os requisitos do recurso que seria interposto. o juiz admitirá pelo Princípio da Fungibilidade – art. No JEC não há prazo para complementação. o recurso é julgado deserto. Processos que correm em apartado (ex. é dado prazo de 05 dias para complementação. Luiz Tubencklak Pressupostos Objetivos: 1) Adequação: a finalidade Decisão Interlocutória => Agravo de Instrumento Sentença => Apelação Princípio da Fungibilidade – Art.: Benefício da Gratuidade: Correndo em apenso Sentença : cabe Apelação Se for interposto Agravo de Instrumento. (art. Se não houve recolhimento o mesmo é declarado deserto. Recurso que não tem Preparo: • Embargo de Declaração página 16 .

530 CPC) . obscuridade ou contradição. 558 CPC e §§ . Exceção: – Recurso Especial e Recurso Extraordinário (pode-se alegar inconstitucionalidade e divergência de julgamento). No JEC.:  Apelação Exceções art. recurso Especial.  Ação de alimentos (devolutivo). b) Não Devolutivo: quando devolve para o Poder Judiciário mas não para instância superior. não interrompe. Requisito para embargos infringentes página 17 .Direito Processual Civil • • Curso Fraga prof.  Rejeição de Embargo (devolutivo). Ex. Efeitos dos Recursos a) Devolutivo: quando o recurso devolve para o Poder Judiciário para instância superior. c) Suspensivo: suspende os efeitos da decisão proferida. Execução Provisório: quando de decisão que está sendo recorrida para recurso recebido no efeito devolutivo Proferida a Sentença:interrompem o prazo para interposição da apelação. Recurso de Inominado no Juizado Especial Civil. Apelação Da apelação cabe: Embargos de Declaração Obs. 520 CPC. . Embargos de Declaração: para suprir omissão.quando uma parte ganha numa instância e perde na outra por maioria. só suspende.: Apelação.pode ser deferido o efeito suspensivo às hipóteses do art. Ex. Embargo de Divergência.  Despejo (devolutivo). 520 CPC. Recurso Extraordinário. Terá 15 dias contados da decisão dos embargos de declaração.  Art. Agravo de Instrumento. Exemplos: Embargo de Declaração. Na prova da OAB é DEVOLUTIVO. Embargos Infringentes. Princípio da Unicidade Processual Só cabe um Recurso para cada decisão.: Dupla Sucumbência (art. Luiz Tubencklak Agravo Retido Agravo de Instrumento (que é interposto para puxar o Recurso Especial ou Extraordinário que foram negados pelo Tribunal a quo STJ / STF).  Processo Cautelar (devolutivo).

Direito Processual Civil Dupla Sucumbência – art. O pré-questionamento é condição de admissibilidade para o recurso especial e extraordinário. 585 CPC). 584 CPC) – execução por quantia certa. 539 CPC Execução: Ação em que se pretende a satisfação da execução para:  Título Executivo Judicial (art. Art. os mesmos devem ser interpostos simultaneamente até 15 dias. inciso I do art. cabe recurso especial e extraordinário. Habeas Data – julgados em uma única instância pelos Tribunais Superiores Federais. Nessa fase do embargo de declaração sob necessários para pré-questionamento de divergência ou de inconstitucionalidade. o recurso especial fica suspenso até o julgamento do recurso extraordinário. Aliena “a” do art. 539 CPC. A cobrança de honorários será sempre para procedimento sumário.cabe Agravo de Instrumento – Art. Só será apreciado se o recurso extraordinário for julgado improcedente. 584 CPC – Rol taxativo. Ex. o recurso especial e extraordinário. cabe Embargo de Divergência para o Pleno.  Título Executivo Extrajudicial (art. 526. Juízo de Admissibilidade Para que o recurso suba. Se o recurso especial subiu e foi julgado. página 18 . tem que ser uma decisão denegatória. inciso II. Alimentos ou Contra Fazenda Pública. Luiz Tubencklak Decisão Sentença Acórdão Autor 1 3 Réu 0 0 Recurso Apelação Réu Recurso Especial Recurso Extraordinário Réu Recurso Especial Recurso Extraordinário Autor Recurso Especial Recurso Extraordinário Embargo de Divergência Acórdão 2 1 Acórdão 0 3 Acórdão 1 2 Se não houver dupla sucumbência.  Mandato de Segurança julgado em uma única instância pelo Tribunal Regional Federal ou pelos Superiores Tribunais de Justiça dos Estados quando denegatória a decisão. Recurso Ordinário: cabe em três matérias – art. 530 CPC Curso Fraga prof. 539 CPC  Mandato de Segurança. Se forem interpostos. Depois da interposição. 544 CPC Juízo de 1º Grau – Art. Se for procedente o recurso especial perde o objeto. Mandado de Injunção. § único CPC No caso tem o prazo de 3 dias para apresentar os documentos que instruem o Agravo de Instrumento. quando denegado recurso especial e extraordinário .

Aresto e Seqüestro – Art. se necessário. O arresto converte-se em penhora. Sua finalidade é afastar artifício fraudulento que fruste a execução ou lese credores. se procedente o pedido da ação principal. Que é diferente de Fraude à Execução – já existe uma ação capaz de reduzir o réu ao estado de insolvência. sob pena de Astreintes (multa combinatória). Se o devedor nomear bens a penhora para garantir o juízo (art. Fraude contra Credores. expedição de mandado de busca e apreensão se bem móvel ou emissão da posse se bem imóvel.título executivo extrajudicial – o devedor será citado para entregar a coisa no prazo de 10 dias sob pena de não fazer. É diferente do arresto. em segredo de justiça e de plano. 655 CPC). Execução de Titulo Executivo Extra Judicial: execução por quantia certa para entrega da coisa. 822 CPC DO ARRESTO: é medida cautelar que tem por fim apreender judicialmente bens indeterminados do devedor. para provar o preenchimento dos requisitos. Não se faz execução. Se à parte na ação: Fraude à execução. que não há bens específicos e sim qualquer bem pode ser arrestado para garantia do pagamento de dívidas. 471 e 474 CPC. Procedimento da Execução.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. DO SEQÜESTRO: consiste na apreensão de coisa determinada. Fica suspenso: quando o devedor paga ou deposita o quantum debeatur mais honorários advocatícios e custas ou. É possível audiência de justificação. quando dá fiador ou presta caução. 813. ainda. deve observar o artigo 649 CPC (bens absolutamente impenhoráveis). b) Execução de Obrigação de Fazer – o devedor é citado para cumprir. 814): a prova literal da dívida líquida e certa e a prova documental ou justificação de alguma das situações prevista no art. Podem ser preparatório ou incidente a uma ação de conhecimento condenatória ou de execução Requisitos básicos (art. Fraude contra Credores – quando o devedor aliena bens CONCILIO FRAUDIS – alienação gratuita. obrigação de não fazer – a parte será intimada para cumpri-la. página 19 . Aplica-se as normas do arresto e é nomeado depositário dos bens. O prazo é fixado pelo juízo na sentença. Estado ou Município ou se o credor prestar caução. bens do casal). como garantia de futura execução por quantia certa. Luiz Tubencklak A execução é exclusivamente patrimonial. se não tiver sido citada. c) Execução por quantia Certa contra Devedor Solvente – (TEEJ) – o devedor é citado para pagar no prazo de 24 horas sob pena de penhora. só há possibilidade de embargos das matérias do art. a fim de resguardar a sua entre ao vencedor. novação ou transação. Execução de Título Executivo Extra Judicial: cabe Embargo das matérias do art. Não haverá justificação se o pedido for da União. 471 CPC a) Execução de Entrega de Coisa Certa / Incerta . que é objeto de um litígio. Cessa com o pagamento. Cabimento: quando há receio de dano ou dilapidação em bens específicos que estejam em disputa (ex.

– art. Art. Não cabe penhora. Pede-se de tantos bens quanto sejam Requer-se a apreensão dos bens deteminados. Defende-se a integralidade do bem para que se entregue a quem de direito. Habilitação nos créditos precatórios. só é incidental. 730 CPC. O prazo em 30 dias em casos específicos (INSS por exemplo). Quando não cabe Sequestro. Luiz Tubencklak Aresto Sequestro Cabe sobre bens moveis e imóveis para Cabe sobre bens moveis e imóveis para salvaguardar os bens. 7332 e 733 CPC página 20 . e) Execução De Prestação Alimentícia. cabe Arrolamento de Bens em caso de receio de dilapidação dos bens. Arrolamento de Bens (cabe em todas as hipóteses não especificadas no art 822 CPC quando não cabe seqüestro). O arresto pode ser tanto procedimento preparatório quando incidental.Direito Processual Civil Curso Fraga prof. pois bens públicos são impenhoráveis. – art. salvaguardar os bens. quando disputada a posse ou dominio de determinado bem. O prazo não é contado em quádruplo ou em dobro porque é uma ação incidental. O seqüestro. d) Execução Contra a fazenda Pública: é citada para oferecer embargos. no prazo de 10 dias. 855 CPC – para união estável quando companheiro vai dilapidar o patrimônio. necessários para garantir futura penhora.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful