MULTISIM

Iniciando

Esta é a primeira parte do trabalho sobre o MultiSIM2001 e é dirigida para o estudo de circuitos em corrente contínua, desta forma os instrumentos e componentes aqui descritos são básicos para o estudo e simulação de circuitos em CC. A licença usada para fazer este trabalho (fornecida pelo fabricante, Electronics Workbench, através do seu representante no Brasil Anacom) tem o texto em inglês, desta forma toda vez que for feito referência em inglês o mesmo será colocado em itálico e entre parênteses e antes o termo equivalente em português. Devemos reiterar mais uma vez que você deve ter conhecimentos mínimos de eletricidade para que possa compreender este trabalho. Atenção !! clicar com o botão do mouse significa clicar com o botão esquerdo, quando for necessário usar o botão direito será escrito clicar com o botão direito do mouse.
A Tela de Entrada A seguir a tela inicial do MultiSIM2001, que será a interface entre você e o programa. Procure entende-la o máximo possível. A inicialização do programa deve ser feita clicando no ícone do mesmo ou indo em: Iniciar >>> Programas >>>MultiSIM2001. Em seguida será exibida a seguinte tela:

Figura01: Tela inicial do MultiSIM2001

Construindo um Circuito Para construir um circuito, de preferência você já deve ter o rascunho desse circuito. Comecemos com um circuito resistivo série como o da figura02. Exemplo1: Circuito série em CC Seja um circuito constituído por duas resistências em série, uma de 3KΩ e outra de 2KΩ,

alimentado por uma bateria de 15V.. Calcular as tensões nas resistências e a corrente no circuito. De acordo com a teoria a resistência equivalente será igual a 5KΩ e, portanto a corrente no circuito ser á igual a 15V/5KΩ =3mA e, portanto a tensão em cada resistência será igual. U1=3mAx3K=9V U2=3mA.2K=6V

A seguir na figura2 o circuito com os instrumentos (amperímetro e voltímetros) conectados.

Figura02: Circuito para exemplo1

Configurando a Área de Trabalho

Para configurar a área de trabalho, por exemplo mostrar ou não a Grade (grid), colocar Limites da Página (Show Page Bounds) e outros itens, você deve clicar com o botão direito na área de trabalho, aparecerá um menu onde poderá escolher Mostrar a Grade (Show Grid), ou indo no menu Ver (view) selecionar Mostrar a Grade (Show Grid). Experimente. Outra configuração importante é a cor do fundo. Para mudar a cor do fundo e dos componentes, clique com o botão direito na área de trabalho, selecione Cor (Color) se abrirá

uma caixa de seleção da figura3. Nesta caixa você poderá escolher a Cor do Fundo (background), Fio (wire) e de cor de Componentes (component). Experimente.

Figura03: Escolhendo cores de fundo fio e componentes Essa mesma caixa pode ser acessada indo em Opções (Options) >> Preferências (Preferences) >> Circuito (Circuit). Para deixar as suas modificações como Padrão (Default) basta clicar em Colocar como Padrão (Set as Default). Experimente.

Escrevendo na Tela

Caso deseje escrever um texto na área de trabalho vá em Colocar (Place)>>>Colocar Texto (Place Text). Em seguida clique na tela e escreva o seu texto. Clicando na área de trabalho com o botão direito você também terá acesso a Colocar Texto (Place Text). Experimente. Mudando a Fonte do Texto e das Propriedades do Componente Clique com o botão direito na área de trabalho em Fonte (Font) aparecerá uma caixa de diálogo, figura4, onde você poderá mudar o tamanho e o estilo da fonte do texto, identidade de componentes, rótulo e outros. Experimente.

Figura04: Escolhendo a fonte da ID, valor,rótulo,atributos, nome dos pinos, número dos nós e do texto Atenção!! A modificação será executada somente para os itens selecionados.

Configurando e Inserindo Componentes

Inserindo um Componente

Caso a caixa de componentes não esteja visível vá em Ver (View)>>> Barra de Componentes (Component Bars) >>> Base de Dados do MultiSIM (Multisim Databases)

Figura05: Tornando ou não visível a barra de componentes A figura06 mostra as caixas de componentes do MultiSIM2001. Como treinamento abraas uma por uma para ver o conteúdo cada .

figura07: (a) (b) Figura07: (a) Caixa de componentes Fontes (Sources) Fechada – (b) Aberta Clique em Fonte de Tensão CC (DC Voltage Source). Observe que o valor padrão é 12V. em seguida clique na área de trabalho (observe que o ponteiro tem a imagem da fonte). dê duplo clique no ícone da bateria. será inserida uma fonte CC. Experimente. se abrirá a caixa de diálogo da figura08. . Para mudar o valor.Figura06: Caixas de componentes Inserindo uma Fonte Abra a caixa de componentes Fontes (Sources).

Caso deseje girar o componente clique com o botão direito em cima dele. . Experimente. se abrirá a caixa de diálogo da figura09.Figura08: Caixa de diálogo Bateria (Battery) Girando um Componente Após ter especificado o novo valor da bateria dê OK.

Figura09: Caixa de diálogo para recortar. se abrirá uma tela com diversas guias (abas). Indo em Opções (Options) >>> Preferências (Preferences). q Circuito (Circuit): nesta aba poderemos fazer ajustes de mostrar ou não alguns elementos da área de trabalho e cores. Espaço de Trabalho (Workspace): ajustes de dimensões e zoom. funcionalidade das caixas de q q q . Componentes (Component Bin): ajuste de simbologia.horário Configurando a Forma de Retirar Componentes das Caixas Neste ponto devemos mostrar as diversas opções de retirar componentes das caixas. copiar e girar o componente Flip horizontal: gira o componente ao redor do eixo vertical Flip vertical: gira o componente ao redor do eixo horizontal Gira o componente no sentido horário Gira o componente no sentido anti. Conectar (Wiring): formas de conectar os dois componentes. figura10.

mas a caixa continua aberta (para fechar deveremos clicar no x acima à direita da mesma). keep open on clic: Ao passar o cursor sobre a caixa de componente ela se abrirá automaticamente. Na figura10 pode-se selecionar a norma de simbologia usada (ANSI ou DIN) (sugiro manter o default. Em Funcionalidade da Barra de Ferramentas (Component tools funcionality) podemos ter as opções: q q Auto Show parts bins. Experimente Auto Show Only : Ao passar o cursor sobre a caixa de componente ela se abrirá automaticamente e após retirar o componente a mesma se fechará automaticamente. ANSI).componentes e modo de colocar os componentes. é necessário usar componentes padronizados pois os mesmos vêem com a especificação do encapsulamento (footprint). . q Miscelânea (Miscellaneous): ajuste do tempo de auto salvar. como por exemplo o Utiboard. caso o projeto tenha como objetivo construir a placa de circuito impresso (PCB) usando algum software. q Fontes (Font): ajuste do tipo da fonte e onde aplicar. Figura10: Caixa de diálogo Preferências (Preferences) com a guia Caixa de Componentes (Components Bins) selecionada Obs: É importante lembrar que.

A diferença é que o resistor se encontra na caixa Básicos (Basic). O mesmo conceito vale para outros componentes. Para sair teclar em ESC no teclado. q No Auto Show. Sugiro trabalhar com o virtual. clic to Open: Para abrir a caixa você deverá clicar no ícone da mesma. Após retirar o componente para fechar a caixa você deverá clicar no x acima à direita da mesma. Experiment. Experimente Inserindo os Resistores A forma de inserir resistores é semelhante à usada para inserir a fonte. Por exemplo os CI’s que contém mais de uma porta. (a) (b) Figura11: a) Caixa de componentes Básicos (Basic) – (b) Caixa de componentes Básicos aberta . mudando os seus valores para os especificados na figura02. Observar que existem dois tipos de resistor: o virtual e o com valor fixo padrão. figura11. Colocar continuamente componentes com multiseção somente (Continous Placement Multi-section part only): Todas as partes de um componente são colocadas seqüencialmente. Experimente Em Modo de Colocar Componentes (Place Component Mode) podemos ter as opções: q q Colocar um componente (Place single component): Neste caso será inserido um componente por vez na área de trabalho. Experimente q Colocar Continuamente Componente (Continous placement): Os componentes são colocados continuamente. A cada clique na área de trabalho será colocada uma das secções do CI. Para sair clicar em ESC no teclado. Insira os dois resistores.Experimente. A diferença entre os dois é que o primeiro pode ter qualquer valor enquanto o segundo só valores padronizados.

Para mudar e girar o resistor o processo é semelhante ao visto para bateria. A seguir a caixa de diálogo Resistor. Figura13: Posicionamento dos componentes antes da conexão . Figura12: Caixa de diálogo resistor O posicionamento dos componentes antes de ligar os componentes está indicado na figura a seguir. Experimente.

manual e automático. No modo automático o programa escolhe o melhor caminho para ligar os dois terminais.Configurando. Conectando e Atributos de Componentes Conectando os Componentes No MultiSIM existem dois modos de conectar os terminais de componentes. Para escolher entre manual e automático vá em: Opções (Options)>>>Preferências (Preferences)>>>Conectar (Wiring). .

posicione o cursor em um dos terminais o mesmo se transformará em uma cruz.Figura14: Caixa de diálogo Preferências (Preferences) com a aba wiring selecionada Dica: Use sempre o modo automático Para conectar os terminais de dois componentes. figura15. Experimente .

ID (identificação para o programa) e Falha (fault). figura17. A aba . Na caixa de diálogo Resistor Virtual (Virtual Resistor) selecione a aba Rótulo (Label). Figura16: Posicionando o ponteiro no terminal do outro componente Atenção!! Para mudar a direção do fio de conexão clique na área de trabalho e em seguida arraste o cursor na direção desejada. Coloque um terra no circuito (sem ele não pode ser feita a simulação).Figura15: Ponteiro posicionado no terminal da bateria Clique no primeiro terminal e em seguida clique no outro terminal a conexão será feita. ID e Atributos de um Componente Além do valor. Rótulo. Nesta aba além do Rótulo (Label) e Identificação (Reference ID) algumas propriedades ou características do componente podem ser especificadas (o beta de um transistor por exemplo). outros atributos podem ser dados a um componente tais como: rótulo (label).

Figura17: Caixa de diálogo Resistor Virtual com a aba Label selecionada A aba Mostrar (Display) permite que as informações relativas ao rótulo. . fuga. Você pode mostrar essas características para somente o componente que desejar.Falha (Fault) permite escolher uma falha para o componente tal como circuito aberto. curto circuito. ID e atributos sejam mostradas ou não. etc.

ou clicando com o botão direito clicar em Cortar (cut). ou simplesmente selecione o fio (clique com botão esquerdo) e em seguida clique Delete no teclado. Apagando um Componente Para apagar um componente basta selecionar o componente (clicando nele ou arrastando o mouse sobre ele). é suficiente apagar o fio que os liga. Experimente . Experimente.Figura18: Circuito com ID. Para isso clique com o botão direito em cima do fio aparecerá uma caixa de diálogo como na figura19. valor e rótulo do componente visualizados Desconectando um Fio Para desconectar dois componentes. em seguida clicar em Delete no teclado. como na figura09. clique em Apagar (delete).

Selecione Cores (color) que aparecerá a caixa de diálogo da figura20. Selecione a cor desejada. Para colorir um fio basta clicar com o botão direito sobre o fio que aparecerá a mesma caixa de diálogo da figura19. . principalmente em circuitos digitais. Experimente Atenção.Figura19: Apagando uma conexão Colorindo um Fio Dar cores diferentes para fios ligados em determinados pontos do circuito facilita a visualização das funções de cada parte do circuito. Por exemplo o osciloscópio. a cor do fio conectado ao instrumento será a cor do resultado da indicação do instrumento. em alguns instrumentos.

Figura20: Escolhendo uma cor para o fio Também é possível colorir um componente. Clicando com o botão direito em cima do símbolo do componente se abrirá a caixa de diálogo da figura09 selecione Cores (color). Aparecerá uma caixa semelhante à da figura19. Experimente .

O netlist consiste em dizer que componente está conectado entre dois nós. Os nós são importantes do ponto de vista do programa pois é a partir deles que é feita a descrição de um circuito. (a) (b) Figura21: ( a ) Janela de seleção Mostrar (Show) .Inserindo Instrumentos e Simulando Os Nós do Circuito Chamamos de nó ao ponto de conexão de dois ou mais componentes. selecione Mostrar (Show) em seguida selecione o que deseja mostrar (rótulos. Os nós de um circuito são numerados a partir de 1 (nó zero por convenção é a referência terra). A descrição de um circuito pode ser feita através do esquemático ou através de um texto chamado de netlist.referencia ID. número do nó. etc). Para visualizar os nós de um circuito clique com o botão direito na área de trabalho.( b ) Mostrando somente os nós de um circuito . Experimente. Além disso existem algumas analises onde é necessário especificar o nó.

tensões. amperímetro e wattímetro Para medir corrente inserimos um amperímetro em série com o circuito. Portanto não esqueça: Para inserir o amperímetro devemos abrir o circuito. É claro que você pode girar o componente caso deseje. .Observe na figura21 que todas as outras opções foram desabilitadas. para isso devemos inserir instrumentos adequados. Experimente. Para medir as tensões deveremos inserir um voltímetro entre os pontos de medida (em paralelo). Experimente todas as outras opções possíveis e veja o resultado. ver formas de onda e outras propriedades de um circuito. Os voltímetros e amperímetros se encontram na caixa de componentes Indicadores (Indicators). Os principais instrumentos usados em CC são: O voltímetro. Inserindo Instrumentos de Medida A simulação de um circuito consiste em medir correntes. Experimente. (a) (b) Figura22: ( a ) Caixa de componentes Indicadores fechada – ( b ) aberta Clicando no amperímetro ou no voltímetro será mostrada uma caixa de diálogo que pede para escolher o instrumento na vertical ou horizontal e com uma determinada polaridade. No caso do nosso exemplo deveremos medir a corrente e as tensões nos resistores. potências.

(a) (b) Figura23: (a) Amperímetro horizontal e vertical (b) Configurando a resistência interna Dica1: Colocando o amperímetro diretamente sobre o fio será feita a conexão.001 Ohms) dá maior precisão. para isso basta dar duplo clique que aparecerá a caixa de diálogo da figura24b. Dica2: Ajustar a resistência interna do amperímetro em 1mOhms (0. Experimente. . Você pode configurar as resistências internas e o tipo de aplicação CC ou CA. Experimente.

Experimente. Para iniciar a simulação clique no botão de iniciar simulação (ver figura01). A figura25 mostra o resultado da simulação.(a) (b) Figura24: (a) voltímetro horizontal e vertical (b) Configurando a resistência interna Resultado de uma Simulação Após ter configurado os instrumentos o passo seguinte é a simulação. Figura25: Resultado da simulação do circuito da figura02 .

para ver os resultados das medidas você precisa dar duplo clique no ícone do multímetro. . Em relação a outras versões. É o primeiro instrumento da barra de instrumentos. O Multímetro Como alternativa para os instrumentos usados poderíamos ter usado o multímetro (instrumento com múltipla funções) da barra de instrumentos. a principal diferença é que é possível usar mais de um multímetro na área de trabalho e o Wattímetro não está disponível em versões anteriores. (a) (b) (c) Figura26: Multímetro configurado como voltímetro.O Multímetro e o Subcircuito Nesta página mostraremos o Multímetro do MultiSIM2001 e o Wattímetro. Para usar como amperímetro. Quando você abre o multímetro ele já vem configurado para usar como voltímetro em CC. Atenção!! Após ser efetuada a simulação. Também mostraremos como construir um subcircuito. ohmímetro ou decibelímetro devemos fazer a seleção de função como na figura26.(a) ícone na barra de instrumentos e (b) visão frontal e (c) ajustes de resistências internas A A seguir o mesmo circuito da figura01 após a simulação usando os instrumentos do Multímetro.

Experimente.Figura27: Resultado da simulação do circuito da figura02 usando o Multímetro O Ohmímetro do Multímetro Um ohmímetro é usado para medir resistência. desligando toda e qualquer fonte de alimentação e aterrando um dos terminais Em seguida é só iniciar a simulação. Figura28: Multímetro usado como ohmímetro . Para usar o multímetro como ohmímetro deveremos ligá-lo como na figura28 a seguir.

. medindo também o fator de potência (FP) ou cosseno fi de um circuito. Em circuitos puramente resistivos o FP é 1. O fator de potência dá uma medida da defasagem entre a tensão e a corrente em um circuito. neste caso Ganho(dB)<0 Caso Vs =Ve então Ganho(dB)=0 Consideremos como exemplo o circuito da figura02 onde temos um divisor de tensão. a defasagem entre a corrente e a tensão é zero.O Decibelímetro do Multímetro Antes de mostrar como usar o multímetro como decibelímetro rapidamente relembremos o conceito de decibel (dB). neste caso Ganho(dB)>0 Caso Vs <Ve dizemos que houve uma atenuação. isto é. Dado um circuito no qual de define claramente entrada e saída o ganho em dB do circuito é definido como sendo: Figura29: Quadripolo genérico Caso Vs >Ve dizemos que houve um ganho. Seja a tensão de saída em R2 (V2=Vs) que no exemplo resultou em 6V portanto de a entrada for a tensão da bateria teremos uma atenuação e o ganho em dB valerá: O Wattímetro O Wattímetro mede potência (em Watts).

Experimente Atenção !! a observação referente à bobina se refere ao instrumento analógico. Figura31: Medida de potência em um circuito Observe a conexão do Wattímetro na figura31. o símbolo na área de trabalho e o painel frontal aberto.A seguir na figura30 o ícone na barra de instrumentos.Rômulo Oliveira Albuquerque . uma de corrente e outra de tensão (ver livro Analise de Circuitos em Corrente Alternada . Exemplo2: Seja o circuito (12V ligada em 12Ω) no qual desejamos calcular a corrente e a potência dissipada na resistência.Editora Érica). O Subcircuito . a bobina de corrente estará em série e a de tensão em paralelo com o circuito do qual se quer determinar a potência. Como existem duas bobinas. (a) (b) (c) Figura30: Wattimetro – (a) ícone na barra de instrumentos – (b) Símbolo ( c ) Wattímetro aberto A seguir exemplos de aplicação do Wattímetro.

Como exemplo consideremos uma resistência ligada em série com uma bateria. Conecte cada terminal nas extremidades do seu subcircuito.O conceito de subcircuito tem a finalidade de permitir que se construa circuitos complexos sem que os mesmos sejam visualizados e conseqüentemente ocupem espaço na folha de trabalho. Vá em Colocar (Place) >>> Colocar entrada/saída (Place input/output). Vá em Colocar (Place). Aparecerá a figura34. Selecione o circuito (agora com os terminais). Figura32: Criando um subcircuito – parte 1 2. Figura34: Nomeando o subcircuito 4. Figura33: Colocando os terminais no subcircuito 3. o seu subcircuito será criado. mas podemos modificar o circuito interno. Um subcircuito pode ser considerado como uma caixa preta da qual temos acesso aos seus terminais. Desenhe o circuito normalmente. figura35. Dê um nome para o seu subcircuito (No exemplo gerador_real). Siga os seguintes passos para construir um subcircuito. Dando OK na caixa da figura34. selecione Colocar como subcircuito (Place as subcircuit) ou Substituir por subcircuito (Replace by subcircuit). . Exemplo3: 1.

br/Curso%20Multisim2001/Modulo1/aulas/aula05. Caso você deseje editar o subcircuito. Para compreender melhor vamos conectar o nosso subcircuito a um resistor de 200 Ohms. Neste clique em Editar Subcircuito (Edit subcircuit). http://www. basta dar duplo clique no seu ícone que aparecerá o quadro da figura36. como na figura37.Figura35: Subcircuito criado 5.eletronica24h.html (6 de 7)4/12/2006 18:26:43 . que o subcircuito voltará a aparecer e então você poderá mudar os valores por exemplo.com. Experimente Figura36: Editando um subcircuito construído Atenção!! Para um subcircuito valem as mesmas regras de conexão de qualquer componente.

A corrente resultante será igual 30mA (9V/300 Ohms).Aula05 Figura37: Analise de um circuito contendo um subcircuito Observe que internamente. Figura38: Circuito equivalente ao da figura37 . temos uma bateria de 9V em série com uma resistência de 100 Ohms. O circuito é equivalente ao da figura38. e externamente uma resistência de 200 Ohms que serão somadas. no subcircuito.

Potenciômetro Um potenciômetro tem três terminais e pode ser usado como resistência variável (dois terminais) ou como potenciômetro (três terminais). Figura39: Potenciômetro Com relação à figura39 temos: q O valor é o valor máximo que pode ter o potenciômetro. O potenciômetro está na caixa de componentes Básicos (Basic).Mais Componentes A seguir mostraremos mais alguns componentes que são essenciais na análise de circuitos em corrente contínua. A figura39 a seguir mostra o símbolo do potenciômetro. Assim como para o resistor você pode escolher entre o virtual (pode mudar o valor) e o com valor padrão. Chave (Key) é a letra que você deve usar no teclado para mudar o valor (letra q .

q Porcentagem (%) é o valor porcentual (em relação ao valor máximo) da resistência entre o cursor e uma das extremidades. Aplicação de Circuitos com Potenciômetro A seguir na figura40 um circuito de aplicação usando potenciômetro. na figura40a o potenciômetro é usado como potenciômetro. (a) (b) Figura40: ( a ) Potenciômetro ( b ) Potenciômetro como resistência variável Dando duplo clique no símbolo do potenciômetro aparecerá a caixa de diálogo da figura41. enquanto na figura40b é usado como resistência variável.minúscula para diminuir e maiúscula para aumentar). Nesta poderemos configurar o potenciômetro. .

e o incremento é 1% significa que ao pressionar a letra de Aumentar/Diminuir a variação será de 10 Ohms (1%de 1000). Em Incremento (Increment) selecione de 1% a 99% a variação mínima de resistência a ser usada. Exemplo4: Para os circuitos a seguir calcule a mínima e a máxima tensão que o voltímetro pode indicar. Experimente. Em seguida faça a simulação do mesmo.Figura41: Caixa de diálogo para configurar o potenciômetro Na figura41. em Diminuir (Decrease) selecione a letra minúscula que deseja usar para a ação de diminuir o valor da resistência (entre o cursor e uma das extremidades) e em Aumentar (Increase) selecione a letra maiúscula que será usada para aumentar o valor da resistência ( entre o cursor e a mesma extremidade). Por exemplo se o valor do potenciômetro é de 1K. Circuito01 Circuito02 .

real e virtual a diferença entre as duas é que a última permite mudar o valor da tensão e da potência. .Atenção!! certifique-se de que a janela atual esteja ativa (parte superior onde se encontra o nome do arquivo deve estar azul) Circuito 1 Calculados VMin VMáx Simulados VMin VMáx Calculados VMin VMáx Circuito 1 Simulados VMin VMáx Lâmpada Incandescente O MultiSIM2001 tem dois tipos de lâmpadas.

Ele se encontra dentro da caixa Dispositivos de Proteção (Protection Devices) que por sua vez se encontra dentro da caixa Eletro Mecânicos (Electro Mechanical). O Fusível O fusível é um dos elementos de proteção que existem no MultiSIM2001.(a) (b ) (c) (d) Figura42: (a) Caixa de componentes Indicadores fechada (b) aberta mostrando a lâmpada real e virtual ( c ) Símbolo da lâmpada ( d ) Caixa de configuração da tensão e da potência Clicando no símbolo da lâmpada (virtual) será aberta a caixa de configuração da figura42d. onde é possível escolher a máxima tensão e a máxima potência que lâmpada pode dissipar. Atenção que esse é um dos componentes que se danifica ao ser sobrecarregado (aplicar uma tensão maior do que a máxima). O outro componente que pode se danificar é o fusível. .

(a) (b) Figura43: (a) Caixa de componentes Eletro Mecânicos (Eletro Mechanical) fechada (b) Caixa de componentes Eletro Mecânicos (Eletro Mechanical) aberta mostrando a caixa de Dispositivos de Proteção. Figura44: Inserindo um fusível Atenção!! O fusível é um dos elementos que podem ser destruídos por excesso de corrente . Clicando na caixa de Dispositivos de Proteção será aberta a janela de seleção de componentes onde se encontra o Fusível (Fuse).

Chaves Nesta aula mostraremos um elemento importante nas simulações. (SPDT). Controlada por Tensão (Voltage Controlled). Um pólo e uma posição (SPST) e Temporizada (TDSW1). q q q q . figura45a. Um pólo e duas posições. Chaves Básicas Outro elemento muito usado é a chave. Na caixa de componentes Básicos (Basic) existe uma caixa chamada de Chave (switch). que são as chaves. Existem diversos tipos. desta forma tornando a simulação a mais próxima possível da realidade. mas todas tem a mesma finalidade: Ligar ou desligar um circuito. Existem diversos tipos. Quando clicamos nessa caixa será mostrada uma lista onde aparecem 5 tipos de chaves: q Controlada por Corrente (Current Controlled).

Dando duplo clique será aberta uma caixa de diálogo que solicita que seja digitada uma letra ou número do teclado para permitir mudar de posição. Outros Tipos de Chaves Outras chaves podem ser obtidas na caixa de componentes Eletromecânicos (Eletro Mechanical). Chave de um pólo e uma posição. Chave de um pólo e duas posições. A tecla (Key) default é a barra de espaço (Space). Para mudar de posição é necessário especificar uma chave (Key) no teclado.(a) (b) Figura45: (a) Caixa de componentes Chaves (Switch) (b) Caixa de componentes Chaves aberta Destas as mais usada são: um pólo e duas posições e um pólo e uma posição. .

Push Bottom normal fechado 1 .(a) (b) Figura46: (a) Caixa de componentes Eletromecânicos (Eletro Mechanical) (b) Caixa de componentes Eletromecânicos (Eletro Mechanical) aberta Quando a caixa de componentes Eletromecânicos (Eletro Mechanical) for aberta serào mostradas várias outras caixas. dentre estas mostremos apenas as chaves que estão em Chaves Momentâneas (Momentary Switches). Figura47: Caixa de chaves momentâneas A seguir a lista de chaves presentes na caixa Chaves Momentâneas (Momentary Switches).

Figura49: Aplicação da chave rotativa .Push Bottom iluminado de duas posições Push Bottom de duas posições Push Bottom normal fechado 2 Push Bottom normal aberto Todas as chaves permitem usar uma chave (key) do teclado para mudar de posição (a chave default é a chave Space). Figura48: Chave rotativa de 4 posições Você pode usar essa chave para conectar diversas cargas como por exemplo para medir a corrente em diversos componentes como na figura a seguir. Experimente. Uma chave também interessante é a chave rotativa de 4 posições (4POS ROTARY) que se encontra em Contatos Suplementares (Supplementary Contacts).

eletronica24h.br/Curso%20Multisim2001/Modulo1/aulas/aula08. Procure efetuar os cálculos primeiramente e depois a simulação. Divisor de Tensão com Potenciômetro Calcule os limites da tensão entre o curso e o terra: a) Valor mínimo (cursor todo para baixo)= _________ b) Valor máximo (cursor todo para cima)=__________ Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura50 e indique os valores simulados: Valor mínimo=___________ Valor máximo =___________ http://www. Tente modificar o circuito ou refaze-lo salvando com outro nome.Circuitos de Aplicação Nesta página você encontrará alguns exemplos de circuitos e os arquivos correspondentes. O arquivo do circuito se encontra no CD e você poderá fazer o download para uma pasta de onde abrirá de dentro do MultiSIM.html (1 de 9)4/12/2006 18:27:40 .com.

html (2 de 9)4/12/2006 18:27:40 .eletronica24h.Figura50: Divisor de tensão Potenciômetro como Resistência Variável Calcule os limites da corrente no circuito a) Valor mínimo (cursor todo para baixo)= _________ b) Valor máximo (cursor todo para cima)=__________ http://www.com.br/Curso%20Multisim2001/Modulo1/aulas/aula08.

Figura51: Potenciômetro usado como resistência variável Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura51 e indique os valores simulados: a) Valor mínimo (cursor todo para baixo)= _________ b) Valor máximo (cursor todo para cima)=__________ Associação Paralelo de Resistências Calcule as correntes no circuito: IT=_______ I1=_______ I2=________I3=_______ .

Calcule a resistência equivalente do circuito: Req=________ .Figura52: Circuito paralelo Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura52 e indique os valores simulados Medindo a Resistência Equivalente de um Circuito Para medir a resistência usamos o Ohmímetro. o qual deverá ser inserido com o circuito desligado de toda e qualquer fonte.

.Figura53: Medindo a resistência equivalente de um circuito paralelo Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura53 e indique os valores simulados Anote o valor medido: Req=________ Medindo Potência e Corrente em Quatro Resistores Para medir a corrente e a potência em 4 resistores como na figura54 usamos uma chave de 4 posições.

Figura54: Medindo a potência e a corrente em quatro resistores Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura54 e indique os valores simulados Medindo Potência e Corrente em Quatro Lâmpadas Calcule a corrente consumida em cada uma das lâmpadas I1=_________I2=_______ I3=_________I4=______ Use para isso a expressão P=U.I .

Em seguida varie a Rv ("a" diminue e "A" aumenta) observando o valor doa indicação no amperímetro.Rv = Rx. .Rv)/R3 Procedimento: Escolha qual resistência quer medir (Rx1 ou Rx2).Figura55: Medindo a potência e a corrente em quatro lâmpadas Indique os valores medidos de corrente na simulação: I1=_________I2=_______ I3=_________I4=______ Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura55 e indique os valores simulados. mude a posição das chaves J1 e J2 de forma a usar o Multímetro como Ohmímetro. Quando a indicação for a mínima possível. para isso use a tecla de espaço do teclado. Ponte de Wheatstone No circuito quando R1. para isso use a tecla B do teclado.R3 a indicação do amperímetro será zero e nessas condições podemos determinar o valor de Rx Rx=(R1.

Determine a intensidade de todas as correntes no circuito usando o multímetro. Para efetuar a simulação abra o arquivo Figura56 e indique os valores simulados. . mas são suficientes para que se possa estudar analisar estudar e construir circuitos em CC. Exercícios Propostos 1.Figura56: Medida de resistência usando a ponte de Wheatstone. Os tópicos vistos não são todos do MultiSIM.

Substitua o circuito entre A e B por um subcircuito em seguida ligue esse subcircuito em uma fonte de 12V e determine a corrente que a fonte fornecerá ao subcircuito usando um multímetro. .2.

desta forma os instrumentos e componentes aqui descritos são básicos no estudo e simulação de circuitos em CA.triangular e quadrada. O Gerador de Funções Para mostrar como usar instrumentos em corrente alternada vamos partir de um exemplo de um circuito RC alimentado por uma tensão senoidal. A licença usada para fazer este trabalho tem o texto em inglês. A seguir na figura01 o ícone e o símbolo do gerador de funções na caixa de instrumentos. Para obter uma tensão (corrente) alternada (AC) temos duas alternativas: 1. principalmente senoidal. Devemos reiterar mais uma vez que você deve ter conhecimentos mínimos de eletricidade e eletrônica básica para que possa compreender este trabalho.Introdução aos instrumentos de medição Esta é a segunda parte do trabalho sobre o MultiSIM2001 e é dirigida para o estudo de circuitos em corrente alternada e eletrônica básica. Um gerador de funções gera diversas formas de onda. Podemos usar o Gerador de Funções (GF). (a) (b) (c) Figura01: (a) ícone na caixa de instrumentos (b) Símbolo na área de trabalho (c) Gerador de funções aberto . desta forma toda vez que for feito referência em inglês o mesmo será colocado em itálico e entre parênteses e antes o termo equivalente em português.

Figura02: Dois sinais de freqüências diferentes (vermelho 1KHz e azul 4KHz) Ciclo de Trabalho Só definido para onda quadrada e triangular. (a) (b) (c) Figura03: ( a ) onda quadrada com CT=80% ( b ) CT=50% e ( c ) CT=20% Para a onda triangular é definido como sendo: . Para a onda quadrada é definido como sendo: onde TH é o tempo no nível alto e T é o período.Como indicado na figura01c são possíveis os seguintes ajustes: Freqüência São modificados o valor e a faixa. podendo variar de 1% a 99%.

A seguir. (a) Amplitude São modificados o valor e a faixa. A figura a seguir mostra as três situações possíveis: sinal sem offset (0V). uma tensão senoidal de 2V de . com offset positivo (4V) e com offset negativo (-4V). (b) (c) Figura04: ( a ) onda triangular com CT=80% ( b ) CT=50% e ( c ) CT=20% (a) (b) (c) Figura05: ( a ) Valor de pico onda senoidal ( b ) onda quadrada ( c ) onda triangular Offset Se a uma tensão alternada for adicionada uma tensão CC. ela passa a ter um offset (deslocamento). o qual pode ser positivo ou negativo. São modificados o valor (positivo e negativo) e faixa.onde T+ é o tempo que a onda fica com inclinação positiva e T é o período.

Insira um amperímetro e três voltímetros como na figura08b. A figura07 mostra uma onda quadrada de f=1KHz 4V de pico com tempo de subida/descida igual a 1.pico é submetida a diferentes valores de offset. devendo ser menor que 5.1ms). figura08a.000000e-04s. Para o sinal obtido entre + e . Não .e common.000000e-012s e pode ser ajustado.000000e-004s (0.a amplitude será o dobro da especificada na caixa Amplitude.1uF. Figura07: Onda quadrada com tempo de subida/descida igual a 0. Exemplo1: Ajustemos portanto o GF em 10V de pico e 1KHz (para mudar aponte o cursor para a caixa onde está indicado Hz ela se transforma em uma mão. clique mudando para KHz) e o liguemos a um resistor de 1K em série com um capacitor de 0.1ms A Saída de Sinal Atenção!! A amplitude especificada é para o sinal obtido entre os terminais + e common ou entre . (a) (b) (c) Figura06: ( a ) onda senoidal sem offset ( b ) com 4V de offset ( c ) com -4V de offset Ajustar Tempos de Subida/Descida (Set Rise/Fall Time) O tempo de subida é definido somente para onda quadrada oseu valor default é 1.

A Fonte de Tensão Alternada Senoidal 2. A figura09a mostra o seu símbolo.se esqueça de configura-los para medir em CA. Dando duplo clique no seu símbolo será aberta a caixa de configuração da figura09b. freqüência e fase inicial (phase). A outra alternativa de gerador é usar a Fonte de Tensão Alternada Senoidal (AC Voltage Source) que se encontra na caixa de componentes Fontes (Sources). Para os .Editora Érica). valor eficaz (RMS). offset. (a) (b) Figura08: ( a ) Circuito RC série em CA ( b ) Circuito RC série em CA com instrumentos Compare os valores obtidos com a simulação com os valores calculados (ver livro Circuitos em Corrente Alternada Rômulo Oliveira Albuquerque . Nessa figura os principais ajustes são de amplitude (de pico).

O circuito resultante é o da figura10. . (a) (b) Figura09: ( a ) Símbolo da Fonte de Tensão Alternada ( b ) Caixa de configuração Atenção !! Para obter os mesmos valores anteriores você deve ajustar a amplitude em 10V ou em valor eficaz ajustar 7.07V e freqüência 1000Hz.outros procure deixar o valor default.

Figura10: Analisando o circuito com a fonte de tensão alternada senoidal Observe na figura10 que usamos o amperímetro e o voltímetro da caixa Indicadores. .

figura12. (a) (b) Figura11: ( a ) símbolo do osciloscópio na barra de instrumentos ( b ) na área de trabalho Dando duplo clique no símbolo da figura11b será aberto o osciloscópio. A figura11 mostra os símbolos usados na barra de instrumentos e na área de trabalho. Permitindo ver até duas formas de onda ao mesmo tempo (dois canais de entrada).O Osciloscópio O Osciloscópio É o instrumento usado para medir e visualizar formas de onda de tensão. .

Figura12:Osciloscópio aberto Atenção !! A cor da forma de onda apresentada no osciloscópio depende da cor do fio conectado à entrada do mesmo. . Base de Tempo Os ajustes na base de tempo permitem controlar a escala do osciloscópio na horizontal (tempo) quando Y/T (tensão em função do tempo) é escolhido. A seguir a descrição dos ajustes. Use sempre que possível esse recurso.

É o caso mais comum. a tela mostrará a composição das formas de onda em B e em A sendo B no eixo vertical e A no eixo horizontal. A/B: Quando for feita essa seleção. Como exemplo seja uma forma de onda quadrada com freqüência 200Hz (período 5ms) . Figura14: Escala horizontal com 10ms/Div X Position: Provoca deslocamento no eixo horizontal da forma de onda. As duas últimas opções são usadas quando desejamos ver figuras de Lissajour. B/A: Quando for feita essa seleção. na tela será mostrada a forma de onda com tensão em função do tempo. Y/T: Quando for feita essa seleção.Figura13: A base de tempo (time base) Escala (Scale): Aqui você escolhe a escala do eixo de tempo (horizontal) em segundos. Os limites são -5 e +5. a tela mostrará a composição das formas de onda em A e em B sendo A no eixo vertical e B no eixo horizontal. Na figura13 está selecionado 10ms/Div.

Canal A e Canal B O Osciloscópio possui dois canais de entrada desta forma sendo possível mostrar até duas formas de onda simultaneamente.(a) (b) Figura15: ( a ) Forma de onda quadrada de 200Hz ( b ) Ajustes da base de tempo Os Canais de Entrada . posicionar a forma de onda em relação ao zero e escolher como conectar p sinal ao osciloscópio. Figura16: Os canais de entrada de um osciloscópio . A figura a seguir mostra o osciloscópio conectado a dois GF. Os ajuste aqui feitos permitem especificar uma escala para o eixo Y (eixo de tensão).

Nessa opção a entrada é aterrada.por exemplo o ripple de uma tensão retificada.As Chaves de Entrada O Osciloscópio tem três chaves que permitem selecionar como o sinal é conectado ao amplificador vertical. DC: Quando esta opção for selecionada o sinal será mostrado por completo (nível DC mais componente alternada). Ajustando Adequadamente Volts/Div e Time/Div Para obter uma boa visualização da forma de onda é importante fazer ajustes adequados. . A figura17 mostra de forma simplificada essas chaves. A seguir mostramos isso. Seja um sinal senoidal de freqüência 1KHz e amplitude 10V de pico com diferentes ajustes e a forma de onda vista. (a) (b) Figura17: ( a ) Chaves de entrada do osciloscópio ( b ) esquema elétrico das chaves de entrada AC: Quando esta opção for selecionada (dar clique no botão correspondente) o sinal será acoplado através de um capacitor o que remove qualquer nível DC ( Contínuo) que o sinal tiver. Esta opção adequada para ver somente a componente alternada de um sinal. É o caso mais comum.É usada quando desejamos estabelecer a referencia zero. 0 (zero) ou GND: Em alguns osciloscópios essa chave vem com o nome de GND. como.

Experimente mudar.(a) (b) Figura18: ( a ) Forma de onda senoidal 10Vpico/1KHz ( b ) Volts/Div=5V Se V/Div é aumentado a forma de onda na tela diminui. Experimente mudar. diminuindo a precisão da medida. . (a) (b) Figura19: ( a ) Forma de onda senoidal 10Vpico/1KHz ( b ) Volts/Div=20V Caso Volts/Div seja muito pequeno a forma de onda não aparecerá totalmente na tela impossibilitando a medida.

Experimente mudar. . (a) (b) Figura21: ( a ) Forma de onda senoidal 10Vpico/1KHz ( b ) TimeBase (Time/Div)=50us/Div Diminuindo a base de tempo um menor número de ciclos será mostrado na tela. Experimente mudar. eventualmente impedindo de ver a forma de onda.(a) (b) Figura20: ( a ) Forma de onda senoidal 10Vpico/1KHz ( b ) Volts/Div=2V A seguir diferentes ajustes da base de tempo para a mesma forma de onda.

O botão Nor é usado para fazer a varredura normal do traço toda vez que o nível de gatilho é encontrado. As figuras a seguir mostram diversas formas de onda para diversos níveis de gatilho. Figura23: Forma de onda gatilhada no zero e na borda de subida .(a) (b) Figura22: ( a ) Forma de onda senoidal 10Vpico/1KHz ( b ) TimeBase (Time/Div)=2ms/Div O Gatilho do Osciloscópio (Trigger) O nível do gatilho (trigger) determina as condições de inicio da forma de onda na tela. O gatilhamento é normalmente feito pelo próprio sinal que esta sendo mostrado (gatilho interno) ou pode ser usado um sinal externo (gatilho externo) a ser conectado através da entrada T logo abaixo da entrada de terra (G). Uma vez atingido o fim da tela. varia de 999KV a +999KV. O botão Sing permite visualizar uma única vez a forma de onda na tela. O nível de gatilho é o valor da tensão no eixo Y que deve ser cruzado pela forma de onda antes de ser mostrado na tela. o traço não variará mais até que Sing seja apertado novamente.

diferença de tensão entre os dois cursores.Figura24: Forma de onda gatilhada com 1V e na borda de subida Figura25: Forma de onda gatilhada no zero e na borda de descida Os Cursores São dois: O cursor 1 (vermelho) e o cursor 2 (Azul) e são usados para medir com precisão tensão. A figura 26 mostra a tela com duas formas de onda e os dois cursores. tempo e diferença de tempo entre os dois cursores. .

No exemplo temos VB1=3.VB1 =0V Reverso (Reverse) e Salvar ( Save) Clicando em Reverso (Reverse) o fundo mudar de cor. Observar que o valor é em relação à origem.4V T2 . No exemplo VA2 . nesta existem vários ajustes que podem ser feitos: Figura27: Janela de ajustes dos instrumentos . Uma alternativa de ajuste para o osciloscópio é especificar o tempo de simulação. No exemplo temos VA1=5V VB1: Medida efetuada pelo cursor 1 no canal B.4V VA2: Medida efetuada pelo cursor 2 no canal A.T1 =1ms VA2 . No exemplo temos VB2=3.T1: Diferença de medida de tempo entre os cursores 1 e 2.VA1 =0V VB2 . No exemplo VB2 . No exemplo temos T2=1. No exemplo temos VA2=5V VB2: Medida efetuada pelo cursor 2 no canal B.8ms VA1: Medida efetuada pelo cursor 1 no canal A. Experimente. Observar que o valor é em relação à origem.(a) (b) Figura26: Medindo tensão e tempo com os cursores – ( a ) formas de onda ( b) medidas Com relação à figura26 temos: T1: Medida de tempo com o cursor 1. No exemplo T2 .3µs T2: Medida de tempo com o cursor 2. Indo em Simular (Simulate) >>> Ajuste Padrão dos Instrumentos (Default Instrument Setting) se abrirá a janela da figura27. No exemplo temos T1=762.VA1: Diferença de tensão entre os cursores 1 e 2 no canal A.VB1: Diferença de tensão entre os cursores 1 e 2 no canal B. Clicando em Salvar (Save) as formas de onda da tela serão salvas como um arquivo ASCII.

Passo de tempo máximo (Maximum time step): é aqui que você especifica a precisão do gráfico. Tempo Final (End time): o valor default é muito grande em termos de forma de onda significa que a mesma ficará se deslocando quando a forma de onda for mostrada na tela em Auto. com os seguintes ajustes na figura27 e com o osciloscópio ajustado em 200µs/Div. Deixar que as condições iniciais sejam automaticamente determinadas pela simulação. definida pelo usuário e calcular o ponto de operação DC. Condições Iniciais: Deixar que as condições iniciais sejam automaticamente determinadas pela simulação. mas aumenta o tempo de simulação. Figura28: Forma de onda para os ajustes especificados acima em Ajuste Padrão dos Instrumentos . Tempo Inicial: 0 Tempo Final: 0. Um valor grande a forma de onda não sairá perfeita.001s (1ms) A forma de onda aparecerá como na figura28. Experimente mudar esse valor para ver o que acontece. Um valor muito pequeno dá uma maior precisão. Para parar você pode especificar um tempo final ou usar sing como já explicado anteriormente. Em Analise dos Instrumentos (Instrument Analysis) temos: q Tempo Inicial (Inicial time): o mais comum é especificar zero.Condições Iniciais (Initial Conditions): Existem quatro opções para especificar as condições iniciais. q q Para exemplificar consideremos uma tensão senoidal de 1V de pico e freqüência 1KHz (1ms de período). impor condição inicial igual a zero.

(a) (b) Figura29: ( a ) Símbolos do Bode Ploter na caixa de componentes e ( b ) na área de trabalho. sendo muito útil na determinação da freqüência de corte de um circuito e da analise do comportamento do circuito em função da freqüência.O Traçador do Diagrama de Bode (Bode Plotter) O Traçador do Diagrama de Bode (Bode Plotter) é uma ferramenta que permite obter a curva de resposta de um circuito (ganhoxfrequencia). .

Figura30: Bode Ploter aberto Na figura26 temos os seguintes ajustes:
q

q

q

q

Magnitude: Clicando nesse botão será mostrado o gráfico do ganho em função da freqüência. Phase: Clicando nesse botão será mostrado o gráfico da fase em função da freqüência. Vertical (com Magnitude Selecionado) Log: Clicando nesse botão a escala vertical (Ganho) será especificada em dB (é a forma mais usual). Lin: Clicando nesse botão a escala vertical será especificada de forma linear (não use essa alternativa).

Vertical (com Phase Selecionado)
q

Lin: Clicando nesse botão a escala vertical será especificada de forma linear em graus.

Limites: São os limites inicial (I) e final (F) para o ganho ou fase conforme seleção.

Horizontal (com Magnitude ou Phase selecionados)
q

q

Log: Clicando nesse botão a escala horizontal (freqüência) logarítmica (é a forma mais usual). Lin: Clicando nesse botão a escala horizontal será especificada de forma linear não use essa alternativa).

Limites: São os limites inicial (I) e final (F) para a freqüência para Magnitude ou Phase selecionados. Indicação do Cursor: A indicação do valor do ganho e a correspondente freqüência é feita no quadro ao lado das setas horizontais. Na figura30 as indicações são de -3,093dB e 1,622KHz.

Exemplo2: Para exemplificar o uso desse instrumentos consideremos um filtro passa baixas. Seja o circuito da figura31 do qual queremos determinar a freqüência de corte. De acordo com a teoria (Circuitos em Corrente Alternada - Ed Érica - Rômulo Oliveira Albuquerque) o circuito é um filtro passa baixas e a sua freqüência de corte pode ser calculada por:

Figura31: Filtro Passa Baixas para o exemplo Observações
q

Para que esse instrumento funcione é necessário que na entrada esteja conectado um GF ou a fonte de tensão alternada.

q

Observe que a entrada (In) do traçador do diagrama de Bode deve ser conectado no ponto considerado como entrada no circuito e a saída (out) do traçador do diagrama de Bode deve ser conectado no ponto considerado como saída do circuito.

Você pode usar o Bode Plotter para determinar, por exemplo, a freqüência de corte do filtro. A freqüência de corte é a freqüência na qual o ganho será 3dB abaixo do ganho no patamar (no caso 0dB). Desta forma é a freqüência para a qual o ganho será -3dB. Tente então ajustar os limites para obter uma indicação a mais precisa possível. A figura a seguir mostra a curva do ganho e da fase.

(a) (b) Figura32: ( a ) Curva do ganho com o cursor indicando a freqüência de corte ( b ) curva da fase com o cursor indicando a freqüência de corte Na freqüência de corte a defasagem entre o sinal de saída e o de entrada é 45º e o ganho é 3dB abaixo do ganho na região do patamar. Como exercício determine a freqüência de corte dos circuitos a seguir. usando o Bode Plotter. .

Figura33: Circuito para analise gráfica Após ter iniciado a simulação efetue os ajustes nos dois instrumentos como já visto.A Analise Gráfica A analise gráfica é outra alternativa para visualizar gráficos gerados pelos instrumentos (osciloscópio e Bode Plotter) ou por outras analises existentes no MultiSIM (Analise Transiente e Analise AC) e permite medir com mais precisão. Para exemplificar consideremos o filtro analisado na aula anterior. em seguida para ativar a análise gráfica vá em Ver (View) >> Mostrar Gráfico (Show Grapher) aparecerá a janela da figura34. Nesta janela o número de abas (tabs) dependerá do numero de simulações executadas. portanto teremos dois gráficos . Toda vez que for feita uma simulação será adicionada uma aba correspondente ao instrumento usado. No caso temos dois instrumentos.

. Observe que existe uma marca vermelha que indica a seleção do gráfico e da página (aba). Mudando As Propriedades da Página Existem algumas propriedade da página que podem ser modificadas como por exemplo o nome da página. Oscilloscope-XSC1 São as mesma formas de onda vistas no osciloscópio com maior precisão. clique com o botão direito no gráfico em seguida Editar (Edit) >>Cortar (Cut) Com relação à janela da figura34 temos duas abas: Bode Plotter-XBP1 São os mesmos gráficos representados no Bode plotter com uma maior precisão. Para muda essas propriedades clique com o botão direito em cima do título padrão (no caso Bode Plotter-XBP1) aparecerá a janela da figura35.Figura34: Janela Analise Gráfica (Analysis Graphs) sem configuração Obs: Caso deseje apagar um dos gráficos.

Figura36:Janela de configuração da página Clique para ver como configurar a aba . além disso pode esconder/mostrar (Show/Hide) os gráficos. Cor da fonte (Font) e Cor do fundo (Background color).Figura35: Janela para mudar Propriedade/Editar a página Caso deseje Apagar/Copiar (Cut/Copy) ou Colar (Paste) o gráfico clique em Editar (Edit). Experimente. Clicando em Propriedades (Properties) aparecerá a janela da figura36. nesta você poderá mudar: Nome da página (Tab Name). Experimente mudar o Nome da página (Tab Name). Título do gráfico (Title).Título do gráfico (Title) e a Cor do fundo (Background color).

observe a marca vermelha de seleção do lado esquerdo do gráfico). A janela da da figura37 tem as seguintes abas das quais serão detalhadas apenas as mais relevantes : q Geral (General) Eixo Esquerdo (Left Axis) Eixo do Fundo (Bottom Axis) Eixo Direito (Right Axis) Eixo de Cima ( Top Axis) q q q q . Experimente.Mudando As Propriedades do Gráfico Para modificar determinadas propriedade de um gráfico você deve primeiro seleciona-lo (Clique nele. Figura37: Janela Propriedades do Gráfico (Graph Properties) Dicas: A janela da figura37 também pode ser acessada clicando com o botão direito na linha do gráfico. aparecerá uma janela igual à da figura35. Escolha Propriedades (Properties) aparecerá a janela da figura37. Em seguida clique com o botão direito no gráfico.

No exemplo 136. Figura38: Curva de resposta em freqüência do circuito da figura33 com os cursores ativados Observe na figura38 as indicações dos cursores. A seguir o gráfico da curva do ganho da figura34 já configurado as escalas horizontal e vertical e com os cursores ativados. A seguir a descrição das indicações relevantes: X1: Indicação no eixo X do ponteiro 1.q Traços (Traces) Os Cursores São dois e são usados para medir com precisão as grandezas dos eixos vertical e horizontal.4674Hz . Você pode também clicar no ícone a seguir. Para habilitá-los ir na aba Geral (General)e selecionar Cursor ativado (Cursor On).

No exemplo -3.6013KHz dy: Diferença entre as indicações dos ponteiros no eixo Y.7378KHz Y2: Indicação no eixo Y do ponteiro 2. No exemplo 1. No exemplo 1. No exemplo -31.Y1: Indicação no eixo Y do ponteiro 1. No exemplo -3.4089dB dx: Diferença entre as indicações dos ponteiros no eixo X.3770dB .8175mdB X2: Indicação no eixo X do ponteiro 2.

SCR. Figura39: Caixa de componentes Diodos (Diodes) 1 Diodo Comercial 6 Diodo Virtual 2 Diodo Zener 7 LED 3 Ponte 8 SCR 4 DIAC 9 TRIAC 5 Varactor A Caixa de Componentes Transistores Nesta caixa encontramos transistores bipolares e de efeito de campo. . Ponte Retificadora e o Varactor. A Caixa de Componentes Diodos Nesta caixa de componentes encontramos o Diodo.TRIAC.Componentes Eletrônicos A seguir mostraremos mais alguns componentes eletrônicos usuais tais como o diodo e o transistor. ZENER. DIAC.

A figura41a mostra um diodo comercial (1N4001) polarizado diretamente e figura41b mostra o mesmo diodo polarizado reversamente. (a) (b) . e podem ser de dois tipos o virtual e o comercial (o modelo é o do fabricante).Figura40: Caixa de componentes Transistores (Transistors) 1 Transistor Comercial NPN 2 Transistor Comercial PNP 3 Transistor de 4 terminais 4 Par Darlington NPN 5 Par Darlington PNP 6 Transistores MOSFET 7 Transistor Comercial NPN 8 Transistor Comercial PNP O Diodo Retificador O diodo se encontra na caixa de componentes Diodos.

Figura41: ( a ) Diodo comercial polarizado diretamente ( b ) Diodo comercial polarizado reversamente O Retificador Controlado de Si (SCR) No circuito a chave D dispara o SCR e a chave R desliga (reseta) o SCR. A figura43 mostra um LED vermelho polarizado diretamente. Figura43: O Diodo Emissor de Luz (LED) . Figura42: Retificador Controlado de Si (SCR) em CC O Diodo Emissor de Luz (LED) Existem diversos tipos de diodo emissor de luz em função da radiação que emitem. Experimente.

Neste caso não podemos mais usar o modelo . Podemos então afirmar que o modelo aproximado de um diodo quando em condução é o de uma chave fechada.5V. (a) (b) Figura44: ( a ) Circuito com diodo ( b ) circuito com chave . Para exemplificar consideremos os circuitos da figura44.Modelo adequado Como podemos ver da figura44 os resultados das duas correntes são praticamente iguais. O erro é desprezível. Na figura44a temos um diodo e uma resistência de 1K conectados a uma bateria de 100V e na figura44b uma chave que substitui o diodo. e podem ser de dois tipos o virtual e o comercial (o modelo é o do fabricante). Obs: O diodo se encontra na caixa de componentes Diodos. Consideremos que a bateria agora é de 1. Observe que neste caso o erro entre as duas corrente é de aproximadamente 100% . figura45.Modelo de um Dispositivo Eletrônico Para compreender determinadas funções do MultiSIM precisamos saber o que é o modelo de um componente.

para isso consideremos em série com a chave uma bateria de 0.Melhorando o modelo Como podemos verificar o modelo que considera o diodo conduzindo como uma bateria de 6V é melhor do que o anterior (chave fechada).da chave fechada para representar o diodo. O modelo pode melhorado mais ainda se adicionarmos em série com a bateria uma resistência de pequeno valor. Figura46: ( a ) Circuito com diodo ( b ) circuito com chave e bateria .6V. desta estaremos representando de forma mais .O modelo não serve Melhoremos o nosso modelo. Figura45: ( a ) Circuito com diodo ( b ) circuito com chave .

O construtor do simulador então modela o componente eletrônico a partir das informações fornecidas pelo fabricante do componente. . fontes de tensão. bateria e resistência . desta forma ao simular um circuito os resultados serão semelhantes aos obtidos em um circuito real. é portanto usar componentes básicos tais como resistências. fontes de corrente e capacitâncias para representa-lo. Figura48: Diodo 1N4001GP da General Instruments polarizado reversamente. A seguir a figura48 apresenta um diodo (1N4001GP da General Instruments ) polarizado reversamente. Figura47: ( a ) Circuito com diodo ( b ) circuito com chave.realistica um diodo quando em condução.Melhorando o modelo Modelar um dispositivo eletrônico.

Editando o Modelo de um Componente Eletrônico Para obter os parâmetros que definem o modelo do diodo dê duplo clique no símbolo do diodo aparecerá a janela da figura49 na qual selecionando Editar Modelo (Edit Model) você poderá modificar esses parâmetros (por exemplo a corrente de saturação IS).812nA (atenção.11 XTI = 3 KF = 0 AF = 1 FC = 0.MODEL D1N4001GP__DIODE__5 D + IS = 6.5 IBV = 0.3905 TT = 4.04255 CJO = 1. .949e-11 VJ = 0.Como podemos verificar da figura48 a corrente indicada é 669. o ajuste a resistência interna do amperímetro em 1mOhm permite obter uma indicação mais precisa) A definição dos parâmetros do modelo de um dispositivo é feita através de uma sintaxe. mas apenas mostrar de uma forma bem simplificada o que é o modelo de um componente.3576 BV = 50 + N = 2.933e-06 M = 0.005177 TNOM = 27 Atenção !!! O objetivo deste trabalho não é estudar o modelamento de dispositivos eletrônicos.412 EG = 1. Por exemplo para o diodo 1N4001GP da General Instruments o seu modelo é: .698e-07 RS = 0.

Figura49: Janela Diodo Experimente mudar o valor da corrente de saturação e simular novamente. Mudando O Beta de um Transistor Para mudar o beta de um transistor dê duplo clique no transistor se abrirá a janela da .

Figura50: Janela transistor virtual Após ter clicado em Editar Modelo (Edit Model) aparecerá a janela da figura51. .

Figura51: Mudando o beta do transistor A seguir um circuito com o transistor com os parâmetros da figura51 .

.Figura52: Circuito de polarização por divisor de tensão na base .transistor como beta=200 Experimente repetir com beta=400.

OR2 (porta OU de duas entradas). etc. Caso deseje um CI CMOS. Neste caso clique na caixa TTL.Como Inserir Portas Lógicas Um circuito digital opera basicamente com portas lógicas as quais são encontrada em um circuito integrado (CI). Observe que também será especificada a pinagem. Para isso clique na caixa Miscelânea Digital (Misc Dig). Sendo que no segundo caso (portas escolhida pelo código) ao clicar na área de trabalho para inserir a porta será aberta uma janela solicitando para escolher qual parte do CI. Por exemplo o CI 7400 tem 4 partes (4 portas NAND de duas entradas): U1A. por exemplo. Como por exemplo. para seleção da porta lógica ou do CI. como por exemplo.Circuitos Digitais . AND2 (porta AND com duas entradas). O MultiSIM2001 tem uma biblioteca relativamente grande de circuitos integrados comerciais da família TTL e CMOS.U1C e U1D. etc). o CI4017 (contador Johnson) clique na caixa CMOS. O CI 7400 (4 portas NAND de duas entradas). . Experimente fazer. como na figura02c. NAND. q Obtendo os componentes nas caixas CMOS ou TTL pelo código do CI como.U1B. Figura01: Caixas de componentes digitais Em ambos os casos após clicar na caixa correspondente será aberta uma janela. Como Inserir Portas Lógicas Para construir um circuito lógico você pode obter as portas indo em: q Miscelânea Digital (Misc Dig): pelo nome funcional (AND.

(a) (b) (c) Figura02: ( a ) Caixa de CI's TTL ( b ) famílias TTL ( c ) família de CI's 74xx disponíveis A forma como cada porta é retirada dependerá de como foi configurado Modo de Colocar Componente (Place Componente Mode) que está em Opções (Options) >>> Preferências (Preferences)>>> Componentes (Component Bin). figura2c. Colocar continuamente componentes com multiseção somente (Continous Placement Multi-section part only): Todas as partes de um componente são colocadas seqüencialmente. Temos as opçôes : q Colocar um componente (Place single component): Neste caso será inserido um componente por vez na área de trabalho. A cada clique na área de trabalho será colocada uma das secções do CI. dando OK será apresentada tela da figura3a onde você deverá escolher qual das secções (no caso 4 secções) será colocada na área de trabalho. Experiment. A figura3b mostra . Experimente Após selecionar o CI. Por exemplo os CI’s que contém mais de uma porta. Para sair clicar em ESC no teclado. Para sair teclar em ESC no teclado. Experimente q q Colocar Continuamente Componente (Continous placement): Os componentes são colocados continuamente.

Figura4: Indicador de nível lógico .caixa de componentes Indicadores (Indicators) . A indicação do nível lógico pode ser feita através de um indicador chamado de ponta de prova (Probe). portanto para fornecer os níveis lógicos de entrada podemos usar chaves. (a) (b) Figura3: ( a ) Escolhendo qual secção do CI será colocada no circuito ( b ) secção A do CI 7400 Ponta de Prova (Probe) Lógica Como sabemos.5V a 18V de CMOS) e Nível 0 (0V). circuitos lógicos operam com dois níveis de tensão: Nível 1 (5V se TTL e de 4.que a secção "A" é uma porta NAND de duas entradas e mostra também quais os pinos de entrada (1 e 2) e de saída (3). A chave que usamos para isso se encontra em Básicos (Basics) (veja o CD MultiSIM parte 1).

Observe que as entradas estão conectadas a duas chaves de 1 pólo e duas posições e que as mesmas mudam de posição quando teclamos as letras "A" e "B" no teclado. Outro componente usado em circuitos digitais é o indicador de nível lógico.Figura5: A chave de um pólo e duas posições Exemplo1: A figura a seguir mostra um circuito que permite levantar a tabela verdade (TV) de uma porta lógica. A 0 0 1 1 B 0 1 0 1 S .

A seguir o seu ícone e símbolo.O Gerador de Palavras Binárias (Word Generator) O Gerador de palavras binárias gera uma palavra de 32 bits na sua saída. (a) (b) (c) Figura07: Gerador de palavras binárias – ( a ) Ícone na barra de instrumentos – ( b ) símbolo na área de trabalho ( c ) Gerador de palavras configurado Endereçando os Dados Armazenados Os dados podem ser armazenados em 1FFF (8191) posições. O número de posições é .

primeiramente deveremos estabelecer o numero de posições (no exemplo 11 posições) e entrar com o conteúdo de cada posição.determinado pelo endereço final especificado em Final. Por exemplo na figura acima na segunda linha (endereço 1) temos a informação 00000001 e na última linha a informação 0000000A. Cada informação armazenada tem 32 bits que são ser representados hexadecimal. temos 11 posições de endereços (de 0 a A) e o conteúdo de cada posição se encontra na coluna da esquerda. O endereçamento é feito por 4 palavras em hexadecimal em Address. mas para editar o conteúdo podemos usar a representação binária também. e o endereço inicial especificado em Inicial. quando da simulação só sairão os dados colocados nos endereços 2. No exemplo indicado na figura07. Para especificar o numero de posições você deve entrar com o endereço inicial (sugiro que seja sempre 0000) e com o endereço final (no exemplo acima 000A). Se você especificar que o endereço inicial é 2 e o final é 4. Para entrar com o conteúdo use o quadro . 3 e 4. apesar dos dados das posições 0 e 1 aparecerem. Entrando com os Dados Para entrar com os dados.

Ciclicamente os dados armazenados entre o endereço indicado em Inicial (Initial) e Final (Final) saem ciclicamente (repetem-se). Existem várias formas de transferir os dados armazenados para fora: Ciclicamente (Cycle). Em Salva (Burst).C. Em Passo a Passo (Step).E.A. Salva (Burst) e Passo-a-Passo (Step).8. os dados saem à medida que clicamos em Step.4.D.).5.9.1.(não aconselho !! mas se quiser.7.3.Editar (Edit) abaixo à direita.F) atenção portanto.2.6. onde você poderá entrar com os valores em: Binário (binary) 0 ou 1 Hexadecimal (Hex) neste caso os valores possíveis são 16 (0. Exemplo2: Vamos configurar o gerador de palavras de forma a gerar a seqüência acender 4 lâmpadas conforme a seqüência a seguir.. OU pode entrar com a palavra codificada em ASCII. (a) (b) Figura08: Seqüência para o exemplo6 . saem uma só vez os dados armazenados entre o endereço inicial e o final..B.

Você pode usar um indicador pra ver isso. Ponto de Quebra (BreakPoint) Pontos de quebra na seqüência devem ser inseridos quando desejamos parar a seqüência num determinado ponto. Para isso posicione o cursor no ponto onde deseja efetuara aparada e em seguida clique em Ponto de Quebra (BreakPoint ) (aparecerá um asterisco à direita da palavra). neste caso o gatilho será efetuado por um sinal externo. Disparo (Trigger) Se selecionado Interno (Internal) será usado o relógio (clock) interno para gatilhar as palavras que saem. Aconselho a usar sempre o gatilho interno.O gerador deverá ser configurado como na figura a seguir. no exemplo aparece 1111 (F em hexadecimal) que é o que está armazenado na primeira posição É importante também observar a posição do bit mais significativo na conexão ao circuito. (a) (b) Figura09: ( a ) Gerador de palavras configurado para gerar a seqüência da figura08 ( b ) Conexão do gerador de palavras aos indicadores Observe na parte de baixo a indicação da saída dos dígitos binários. Esta saída fornece um nível alto quando os dados estão prontos. Sinal de Pronto (Data Ready) Usado quando o gatilho é externo. Se Externo (External) for selecionado. Sequências (Pattern) Clicando em Pattern você poderá salvar as suas seqüências ou abrir seqüências pré .

existentes

Figura10: Pré ajuste de seqüências (salvar – abrir seqüência – limpar seqüência)
Na figura10 existem as alternativas:
q

Limpar o Buffer (Clear Buffer): limpa aos dados armazenados. Abrir (Open) : abre uma seqüência salva. Salvar (Save): Salva uma seqüência criada. Contar para Cima (Up Counter): Abre uma seqüência de contagem crescente pré existente.

q

q

q

q

Contar para Baixo (Down Counter): Abre uma seqüência de contagem decrescente pré existente.

q

Deslocamento Para Direita (Shift Right): Abre uma seqüência de contagem com deslocamento para a direita pré existente.

q

Deslocamento Para Esquerda (Shift Left): Abre uma seqüência de contagem com deslocamento para a esquerda pré existente.

Analisador Lógico (Logic Analyser)

O analisador lógico permite visualizar vários sinais digitais ao mesmo tempo. Tem 16 entradas para sinais lógicos, que estando ativadas mostram o número do nó a qual está conectada.

(a)

(b)

Figura11: Analisador lógico – ( a ) ícone da barra de instrumentos ( b ) símbolo na área de trabalho A seguir o Analisador Lógico aberto.

Figura12: Analisador lógico mostrando 4 formas de onda
Na figura12 à esquerda estão indicadas as 16 entradas, sendo que 4 estão sendo usadas (observar a diferença). A cor das formas de onda é a mesma da cor do fio ligado na entrada.

Os cursores (dois), permitem medir tempo (T1 e T2) e a diferença de tempo (T2 –T1). Na figura12 a indicação dos ponteiros é:

Figura13: Medidas efetuadas com os cursores
Observar que os cursores fornecem também o valor, em hexadecimal, da informação mostrada.

Exemplo3: A figura14 a seguir como foi feita a conexão do analisador lógico a um circuito contador de 0 a 9.

.Figura14: Analisador lógico conectado a um circuito contador de 0 a 9 Configuração do Relógio (clock) Clicando em Ajustar (Set). será aberta a janela de configuração da figura15. a freqüência do clock e a taxa de amostragem (Sampling setting). Nesta deve-se escolher entre relógio interno (Internal) ou externo (external). Aconselho a usar sempre o clock interno. Figura15: Configurando o clock e a taxa de amostragem A caixa de seleção de amostragem tem dois ajustes: Amostras Pré Gatilho (Pre trigger Samples): O analisador armazena dados até atingir o número especificado.

A figura16 mostra as formas de onda para esse ajuste. com um relógio de 1KHz. sendo em seguida enviados para a tela. Figura16: Analisador lógico configurado com amostragem pós gatilho igual a 10 Configuremos o mesmo clock para uma amostragem pós-gatilho igual a 5. .Amostras Pós Gatilho ( Pos trigger Samples): Após o sinal de gatilho os dados são armazenados até o número especificado. Consideremos dois exemplos para efeito de comparação. Obs: Uma amostra corresponde a um ciclo inteiro. Na figura15 a taxa de amostragem pós gatilho é de 10. no exemplo 1ms.

Figura17: Analisador lógico configurado com amostragem pós-gatilho igual a 5 Observe a diferença. Para gerar as entradas usaremos o gerador de palavras e para ver as formas de onda associadas usamos o analisador lógico. A partir de um circuito lógico combinacional obter a saída para todas as combinações de entrada. Figura18: Circuito lógico combinacional . sempre considerando Clock/Div igual a1. Experimente outros valores. Formas de Onda de um Circuito Lógico A seguir mostraremos uma aplicação interessante. No segundo caso 5 amostras à taxa de 1KHz significa ocupar 5ms na tela.

Figura19: : Circuito lógico analisado com gerador de palavras e analisador lógico Como são duas as variáveis de entrada (B e A) as combinações possíveis são 4 (00. (a) (b) Figura20: Configuração do gerador de palavras e do clock do analisador lógico Feitos os ajustes e iniciada a simulação e aberto o analisado lógico.10. Construído o circuito o passo seguinte é a conexão do gerador de palavras e do analisador lógico ao circuito. figura19. obtemos as formas de onda. portanto a configuração do gerador de palavras deverá fornecer estas combinações.Observe que a lógica executada pelo circuito é a de uma OU EXCLUSIVO. A figura20 mostra a configuração do gerador de palavras e do clock do analisador lógico. sendo que a primeira de cima para baixo é a saída e as subseqüentes .01.11).

são A e B e a última é o clock (1KHz). Figura21: Formas de onda da entrada e da saída do circuito da figura19 para as 4 combinações de entrada .

O Conversor Lógico (Logic Converter) O Conversor Lógico é usado para efetuar transformações em lógica digital combinacional como por exemplo: q Fornecer a tabela verdade de um circuito lógico a partir do seu circuito. Obter a expressão lógica simplificada. Obter a expressão booleana a partir da tabela verdade. Obter o circuito lógico a partir da tabela verdade. q q q q Obter o circuito implementado só com portas NAND de duas entradas. A figura22 a seguir mostra o ícone e o símbolo usado na área de trabalho. Figura22: Conversor Lógico (a) Ícone na barra de instrumentos (b) símbolo na área de trabalho .

dada a TV Obtem a expressão lógica simplificada. após serem feitas as conexões das variáveis de entrada e da saída basta clicar no botão correspondente. dada a TV Obtem a Tabela Verdade se dada a expressão lógica . Botão Clique aqui para para fazer a conversão Nº 1 2 3 4 Tipo de conversão a ser feita Obtem a Tabela Verdade se fornecido o circuito lógico Obtem a expressão lógica completa.A seguir a figura23 mostra o conversor lógico aberto Figura23: Conversor lógico aberto A tabela a seguir mostra todas as conversões possíveis. Para efetuar uma conversão.

Ligue a saída do seu circuito em out no conversor lógico como na figura a seguir. quais as variáveis de entrada (A. Figura25: Circuito lógico conectado ao Conversor Lógico A seguir mostraremos algumas das conversões possíveis usando o exemplo.F.H) Ligando-as às entradas do seu circuito.E.C. no Conversor Lógico. .B.D.G. Obtenha a sua TV (a) (b) Figura24: ( a ) circuito para exemplo 4 ( b ) tabela verdade a ser preenchida para o exemplo 4 Selecione.5 Obtem o circuito lógico com portas dada a TV 6 Obtem o circuito lógico com portas NAND dada a TV Exemplo04: Para exemplificar o uso do conversor lógico consideremos o circuito (observe que um circuito que tem a lógica de um OU Exclusivo).

Obtendo A Tabela Verdade Para obter a expressão lógica clique no botão de conversão Nº1. o resultado será: . o resultado será: Figura26: Obtendo a tabela verdade do circuito da figura24a Obtendo A Expressão Lógica Para obter a expressão lógica clique no botão de conversão Nº2.

2.B+C)’. Para efetuar a operação E entre duas variáveis ou expressões. não é necessário colocar o ponto de multiplicação. Exemplo: A’ é o complemento de A. Para efetuar a operação OU . Escrevendo a Expressão Lógica Para escrever a expressão lógica siga a seqüência : 1. Exemplo 5: Escrever a expressão de S=A. Para entrar com a variável digite a letra correspondente para o complemento digite a letra da variável e em seguida tecle ‘ no teclado.Figura27: Obtendo a expressão lógica do circuito da figura24a Observe que a expressão obtida na figura27 já é a mínima não podendo ser simplificada. 3.B . use o símbolo + do teclado. use (A. Obtendo a Tabela Verdade a Partir da Expressão Lógica Devemos primeiramente escrever a expressão lógica. Caso necessite obter a negação de uma operação entre parêntese . 5.C e em seguida obtenha a sua TV. Caso isso fosse possível para obter a expressão simplificada bastaria clicar no botão Nº3. Coloque o cursor no espaço logo abaixo da tabela verdade (ver figura83). . 4.

. aparece 1. entre com a TV e obtenha a expressão lógica. Após isso clique no botão a seguir para obter a TV. Figura28: Obtendo a TV a partir da expressão lógica Dica!! Observe que não é necessário ter circuito para obter a TV a partir da expressão lógica. Obtendo o Circuito Lógico Para obter o circuito lógico. selecione as variáveis de entrada. Clique. Você precisa obter a expressão lógica.Para obter a TV de uma expressão lógica primeiro escreva a expressão da mesma de acordo com o explicado a cima. se você clicar mais uma vez aparece X (irrelevante). mais um clique e aparece 0. isto é. você precisa entrar com a expressão lógica. em seguida onde aparece "?" aponte o cursor do mouse (aparecerá uma mão). Exemplo6: Vamos supor que a TV é dada. Escrevendo a Tabela Verdade Para escrever a tabela verdade. Experimente fazer o caminho inverso ao da figura28.

Figura29: ( a ) inserindo a TV de um circuito lógico ( b ) obtendo a expressão lógica Para obter o circuito com quaisquer portas lógicas clique no botão para obter o circuito só com portas NAND de duas entradas clique no botão O resultado será: .Insira a TV como explicado acima e em seguida clique no botão a expressão completa (não simplificada) será fornecida.

(a) (b) Figura30: ( a ) Circuito implementado com portas quaisquer ( b ) com portas NAND .

ambos estão na caixa Indicadores. e o display de sete segmentos que necessita de um decodificador para poder funcionar. . Figura31: (a) Caixa Indicadores (b) tipos de displays existentes Exemplo05: A seguir o display decodificado conectado à chaves com entrada digital 001.Display Hexadecimal Existem dois tipos: O display hexadecimal decodificado que já tem incorporado um decodificador para sete segmentos. Observar que o MSB (Dígito Mais Significativo) é o terminal 4 e LSB (Dígito Menos Significativo) é o terminal 1.

.

(a) (b) Figura32: (a) Display codificado indicando o número 1 (b) indicando o número 3 .

Devemos reiterar mais uma vez que você deve ter conhecimentos mínimos de eletricidade e eletrônica básica para que possa compreender este trabalho.Os Tipos de Analises SPICE Esta é a quarta parte do trabalho sobre o MultiSIM2001 e é dirigida para a analise avançadas usando o SPICE bem como complementar o estudo dos instrumentos apresentando mais três instrumentos. Varredura DC (DC sweep): determina o ponto de operação dos nós do circuito. como por exemplo o beta do transistor. Função de Transferência (Transfer Function): Determina a função de transferência para pequenos sinais (região linear). . Analise de Fourier ( Fourier Analysis): Obtém a transformada de Fourier de uma determinada forma de onda. calculando também as impedâncias de entrada e saída. As seguintes analises são possíveis: q Analise DC (DC Operating Point) Analise AC (AC Analysis) ou Analise em Frequencia Analise Transiente (Transient Analysis) ou Analise Analogica q q As outras analise existentes são derivadas das analises acima. Varredura de parâmetros (parameter sweep): ë usada quando desejamos saber o que acontece com o circuito quando variamos um ou mais parâmetros entre dois limites.

Pior Caso (Worst Case): ë uma analise estatística que dá o pior caso de uma analise em função de variações de parâmetros.Varredura de Temperatura (Temperature sweep): analisa o comportamento do circuito para diferentes temperaturas. a temperatura default é 27ºC. . Distorção (Distortion Analysis): Permite medir a distorção harmônica e a de intermodulação. Para iniciar qualquer uma dessas analises ir em Simular (Simulate) >> Analise (Analysis) ou clique no ícone: Aparecerá a janela Analises. É usada na determinação da estabilidade de um sistema.Primeiramente ela determina o ponto de operação DC e o modelo linearizado para os dispositivos não lineares. Monte Carlo: Ë uma analise estatística que determina o desempenho de um circuito quando parâmetros são variados. Sensibilidade (Sensitivity): Determina a sensibilidade de um nó em função da variação de um determinado parâmetro como por exemplo resistência. Polos-Zeros: Esta analise determina os pólos e os zeros de uma função de transferência de pequenos sinais.

Exemplo01: Vamos considerar um exemplo. Quando essa analise é executada. para o qual desejamos determinar os valores quiescentes. as fontes AC são zeradas e os capacitores são colocados em aberto e os indutores são colocados em curto circuito e os resultados serão armazenados para futuras analises (Post Processor). Seja o circuito da figura02 (amplificador emissor comum).Figura01: acessando a janela Analises (Analyses) Analise DC A Analise DC determina o ponto de operação (ponto quiescente) de um circuito. .

tensões) deseja que apareçam no circuito. indo em Simular (Simulate)>> Analises (Analysis) >> ou use o ícone: Escolha>>Ponto de Operação DC (DC Operating Point) será apresentada a janela da figura03. . Em seguida clique no número dos nós que deseja que seja calculado a tensão e selecione o ramo (branch) no qual deseja que seja calculada a corrente.Figura02: Amplificador emissor comum para analise DC Construído o circuito. Os valores das tensões nos nós são em relação ao terra (nó 0).Nesta janela selecione quais variáveis (correntes.

Figura03: Janela Analise do Ponto de Operação DC – Variaveis de saída (ramos e nós) não selecionadas .

Figura04: Janela Ponto de Operação DC (DC Operating Point) após selecionar nós e ramos Após serem feitos os ajustes clicando em Simular (Simulate) aparecerá a janela da figura3. .

29880V q q q q .Figura05 Resultados da simulação da analise DC do circuito da figura02 Na figura05 temos os seguintes resultados: q tensão do nó 1 em relação ao terra: 0V tensão do nó 2 em relação ao terra: 1.77524V tensão do nó 3 em relação ao terra: 0V tensão do nó 4 em relação ao terra: 12V tensão do nó 5 em relação ao terra: 8.

Por exemplo caso queiramos saber o valor da corrente de base então adicionamos a fonte VB como na figura06.q tensão do nó 6 em relação ao terra: 1.36572mA e o sinal menos é uma convenção do SPICE que considera para todo dispositivo a convenção de bipolo receptor. Figura06: Determinando a corrente de base Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura06 Efetuando uma nova analise DC obtemos os resultados da figura07. . Corrente no ramo que contem a fonte V1: 0A q q q Caso desejemos saber o valor da corrente em um outro trecho devemos inserir no ramo uma fonte com valor de tensão zero.00294V tensão do nó 1 em relação ao terra: 0V Corrente no ramo que contem a fonte V2: 5.

Figura07: Resultados da simulação da analise DC do circuito da figura02 com a adição da fonte VB=0V para determinação da corrente de base. Como podemos verificar da figura07 a corrente de base vale IB=45,13661uA. Como exercício procure calcular todas as variáveis (IB, IC, VCE, etc) antes de executar a analise DC. Mude também o beta do transistor dando duplo clique no transistor acessando a janela da figura08.

(a)

(b) Figura08: Mudando o beta do transistor ( a ) Janela Transistor virtual ( b ) Janela de edição do modelo Exercícios Propostos Analise DC

Como exercício determine a intensidade de todas as correntes para os circuitos a seguir executando uma analise DC. 1.

2.

As respostas são desenhadas em função do tempo resultando formas de onda de tensão para o nó selecionado. Nesta janela existem diversas aba com diversas configurações. nó 2).A Analise Transiente (Transient Analysis) Na analise transiente o MultiSIM2001 divide cada ciclo em intervalos de tempo e executa uma analise DC para cada ponto. Figura09: Circuito RC série para analise transiente Para iniciar a analise ir em Simular (Simulate)>> Analises (Analysis) ou escolha o ícone: Escolha>> Analise Transiente (Transient Analysis). Na aba Parâmetros de Analise (Analysis Parameters) temos os seguintes parâmetros: Os limites de tempo (semelhante aos ajustes do osciloscópio) que devem ser feitos em Tempo inicial . Exemplo01: Consideremos um circuito contendo um resistor em série com um capacitor e ligados à uma fonte de tensão AC como na figura09. mas as principais são abas são: Parâmetros de Analise ( Analysis Parameters) e Variáveis de Saída (Output Variables). Vamos obter as formas de onda da tensão de entrada (tensão no nó 1) e da tensão de saída (tensão no resistor. Aparecerá a janela da figura08.

Figura10: Janela de configuração Analise Transiente (Transient Analysis) com a aba análise de Parâmetros selecionada Para efetuar uma análise deveremos escolher em que nós ou ramos deveremos obter os resultados da análise. para isso selecione Gerar Passos de Tempo Automaticamente (Generate Time steps Automatically). A precisão dos gráficos será dada pelo número de pontos escolhido em Número de Mínimo de pontos no tempo (Minimum Number of Time Points).004s=4ms. no exemplo 600 pontos. no exemplo 0s. corrente ou tensões ou todas (all variables) em seguida para cada variável selecionada clique em Desenhar durante a simulação (Plot during simulation). Experimente as duas formas. . As variáveis secionadas serão mostradas na coluna da direita.(Start time). A figura11 a seguir mostra os nós selecionados. no exemplo0. Para isso selecione a aba Variáveis de saída (Output variables) e escolha quais as variáveis. Caso você deseje pode deixar o programa especificar automaticamente o numero que ele achar conveniente. e Tempo final (End Time).

Os resultados estão indicados na figura12.Figura11: Janela de configuração Analise Transiente (Transient Analysis) com a aba análise de Variáveis de saída (Output variables) selecionada e já com as variáveis adicionadas à lista da direita. Clique aqui para obter o arquivo do circuito da figura9 . Após terem sido feitos os ajustes basta clicar em Simulate que será iniciada a simulação.

Figura13: Circuito RC série em CC .Aula4.Carga do capacitor . Exemplo02: Seja o circuito RC serie da figura13 para o qual desejamos obter o gráfico da tensão no capacitor em função do tempo (carga).Figura12: Resultados da simulação Após os gráficos serem apresentados poderão ser editados para isso consulte Módulo2 . .

Nesta janela deveremos configurar as condições iniciais para zero (set to zero) e com tempos compatíveis com os do circuito (veja que a constante de tempo é 12s). Aparecerá a janela Analise Transiente. Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura13 . Figura14: Janela de configuração Analise Transiente (Transient Analysis) com a aba análise de Parâmetros selecionada e configurada Após clicar em Simular (Simulate) obteremos o gráfico da figura15 (já configurado).Para obter o gráfico da tensão no capacitor em função do tempo deveremos ir em Simular (Simulate) >>Analise (Analyses)>> Transiente (Transient).

Descarga do capacitor A seguir deveremos configurar as condições iniciais.Figura15: Gráfico da tensão no capacitor em função do tempo (carga) do circuito da figura13 Exemplo03: Caso desejemos obter a curva da descarga do capacitor a chave deve ser colocada para baixo. Nesta janela selecione Condições Iniciais (Inicial Condition). Figura16: Circuito RC série em CC . aparecerá a janela Capacitor Virtual (Virtual Capacitor). para isso duplo clique no capacitor. .

Figura17: Configurando as condições iniciais do capacitor. para a descarga Após configurar as condições iniciais dê OK. da figura14. Inicie a simulação indo em Simular (Simulate)>>Analise (Analyses)>> Transiente (Transient) .

Figura18: Configuração da janela da analise transiente para obter a curva da descarga do capacitor Observe o tempo inicial ligeiramente diferente de zero. Experimente colocar zero. Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura16 A seguir o gráfico resultante já com os eixos configurados. isso é para que o o software não entenda o gráfico e op eixo vertical como sendo o mesmo para efeitos de cor. .

Figura19: Curva da descarga do capacitor do circuito da figura16 considerando tensão inicial 12V Exercícios Propostos Analise Transiente Determine o ganho do circuito através de uma analise transiente. .

Caso o gerador de funções seja ajustado para outra forma de onda ele automaticamente muda internamente para senoidal.Obtenção da curva de resposta em freqüência Para obter a curva de resposta em freqüência é preciso especificar qual será o nó de saída. no caso o nó2. da figura21. Se considerarmos a saída no nó 2 (Vs) e a entrada no nó 1 (Ve) teremos um circuito com o comportamento de um filtro passa baixas (FPB).A Analise AC A analise AC é uma analise para pequenos sinais isso significa que todas as variáveis estão relacionadas de forma linear. Da mesma forma não importa a amplitude do sinal pois a analise dá como resposta a relação entre as tensões entre dois pontos (Ganho). Exemplo05: Consideremos o circuito da figura20 para o qual desejamos obter a curva de resposta em freqüência. por isso nessa analise é necessário especificar uma fonte AC. Primeiramente o ponto quiescente é determinado e em seguida serão obtidos os modelos para pequenos sinais dos dispositivos. As entradas são consideradas senoidais. Indo em Simular (Simulate)>>Analise (Analyses)ou use o ícone: Escolha >> Analise AC (AC Analysis) será mostrada a janela Analise AC. A freqüência de corte é dada por: Figura20: Circuito para analise AC . Nesta janela existem 4 abas: .

oitava ou linear). Numero de pontos por década: Esta escolha dá a precisão do gráfico. Miscelâneas (Miscellaneous Options) e Sumario (Summary).Parâmetros da Freqüência (Frequency Parameters). na qual deveremos então escolher quais as variáveis (corrente ou tensões ou todas (all variables) que serão analisadas. transferindo os nós e/ou os ramos selecionados para a coluna da direita.DSTOP): É a freqüência final no gráfico. Tipo de Variação (Swep type): Escolha como deve ser a variação no eixo horizontal (Década. Escolha a default: Década. . Figura21: Ajustes da aba Parâmetros da Freqüência Selecionando a aba Variáveis de Saída (Output Variables) obteremos a janela da figura22. Em Parâmetros da Freqüência (Frequency Parameters) temos os ajustes: Freqüência Inicial (Start Frequency -FSTART): Ë a freqüência inicial no gráfico. Consideremos as duas primeiras. A figura22 a seguir mostra os nós selecionados. Variáveis de Saída (Output variables). Quanto maior o valor maior o número de pontos. Após selecionar as variáveis agora você deve selecionar que nós ou ramos devem ser analisados para isso selecione da coluna da esquerda em seguida clicar em Desenhar durante a simulação (Plot during simulation). Freqüência Final ( Stop frequency .

Após terem sido feitos os ajustes basta clicar em Simulate que será iniciada a simulação. Os resultados estão indicados na figura23. Figura23: Resultados da analise AC do circuito da figura20 .Figura22: Janela de configuração Analise AC com a aba análise de Variáveis de saída (Output variables) selecionada e já com as variáveis adicionadas à lista da direita.

Figura24: Curva de resposta em freqüência com o gráfico reconfigurado Exercícios Propostos Analise AC Determine a curva de resposta em freqüência do circuito usando uma análise AC . Caso queiramos mostrar somente um gráfico. o outro deve se r apagado (clique aqui para ver como fazer). A seguir na figura24 o gráfico do ganho reconfigurado.Clique aqui para obter o arquivo de simulação Os resultados da analise AC mostrados na figura23 mostram o ganho em função da freqüência e a fase do ganho em função da freqüência.

Nesta janela existem 4 abas. . Exemplo06: Consideremos o circuito da figura25. Figura25: Circuito limitador As configurações para a analise Varredura DC (DC sweep) são feitas indo em Simular (Simulate) >>Analise (Analyses) ou use o ícone: Escolha >> Varredura DC (DC Sweep) será mostrada a janela da figura26. um limitado usando diodo. duas das quais consideraremos: . O resultado pode então ser colocado na forma gráfica gerando uma curva chamada de curva característica de transferência que relaciona a tensão no nó (pode ser a saída) com a tensão da fonte (pode ser a de entrada) .Varredura DC (DC Sweep) A analise Varredura DC (DC sweep) calcula o ponto quiescente de cada nó para vários valores da tensão DC de uma ou mais fontes do circuito.

Parâmetros para Analise (Analysis Parameters) q Fonte 1 (Source 1): é a fonte de entrada (Ve) Valor Inicial (Start Value): é o valor inicial da tensão de varredura de entrada. Incremento (Increment): É o degrau de variação entre o valor inicial e o final. No nosso exemplo queremos fazer uma varredura na tensão de entrada e saber o que acontece coma tensão de saída (nó 2). Valor Final (Stop Value): é o valor final da tensão de varredura de entrada. q q q Figura26: Janela Analise de Varredura DC com a aba Parâmetros para Analise (Analysis Parameters) selecionada A outra aba de interesse é a aba Variáveis de Saída (Output Variables): Como nas outra analises vistas. A precisão do gráfico é determinada pelo valor do incremento.Parâmetros para Analise (Analysis Parameters) e Variáveis de Saída (Output Variables). Quanto menor esse valor mais preciso será o gráfico. . No caso 12V. aqui escolhemos quais as variáveis e quais os nós que serão usados na analise. No caso 0V. portanto selecione o nó 2.

Os resultados estão indicados na figura28.Figura27: Janela de configuração Varredura DC (DC sweep) com a aba análise de Variáveis de saída (Output variables) selecionada e já com as variáveis adicionadas à lista da direita. Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura25 . Após terem sido feitos os ajustes basta clicar em Simular (Simulate) que será iniciada a simulação.

Figura28: Curva característica de transferência resultante da analise Varredura DC Exercícios Propostos Varredura DC Determine a curva característica de transferência (VsxVe) do circuito usando uma analise varredura DC (DC sweep) .

. Essa analise pode ser feita conjuntamente com outras analises de três formas: Na Análise Transiente. Poderíamos ter feito duas analises uma para cada valor. Figura29: Circuito RC para analise transiente com varredura de parâmetros Para efetuar os ajustes deveremos ir em Simular (Simulate) >> Analises (Analyses) ou use o ícone: . . Na Análise AC. como por exemplo o beta de um transistor. ao invés disso faremos uma analise transiente com varredura de parâmetro sendo que os dois resultados serão visualizados no mesmo gráfico. Na Análise DC .Varredura de Parâmetros (Parameters Sweep) Essa analise é usada para analisar o comportamento do circuito quando um parâmetro variar. etc. Varredura de Parâmetros na Analise Transiente Exemplo07: Por exemplo desejamos saber o que acontece com a curva de carga de um capacitor quando o capacitor varia entre dois limites (2uF e 5uF). o valor de uma resistência ou de um capacitor. O resultado é o mesmo se forem feitas varias análises para diferentes valores do parâmetro.

Escolha >> Varredura de Parâmetros (Parameters Sweep) aparecerá a janela de ajustes da figura30. Figura30: Janela de configuração Varredura de Parâmetros (Parameters Sweep) com a aba Parâmetros para Analise (Analysis Parameters) selecionada Na janela de configuração da figura30 você deverá escolher: q Em Parâmetros a serem Variados (Parameters Sweep). Portanto selecione a aba Variáveis de Saída (Output variables) e como já explicado em lições anteriores selecione o nó para analise no caso o nó2 (tensão no capacitor). Fim (Stop). década ou oitava) Em Inicio (Start). no nosso caso nó 2. os limites e passo incremento) da varredura. Número de pontos (# of points) e Incremento (Increment). q q O passo seguinte é escolhe em que nó (não esqueça portanto de habilitar ver os nós) será feita a analise. qual o tipo de varredura (linear. que tipo de parâmetro será mudado (Parâmetro de Modelo ou Parâmetro de Dispositivo) Em Tipo de Variação (Sweep Variation Type). . nesta janela deveremos efetuar alguns ajustes.

Aba Variáveis de Saída selecionada mostrando o nó 2 selecionado para analise Clique em Mais (More) na figura30 a aba aumentará de tamanho. figura32.Figura31: Varredura de Parâmetros na Analise AC . . Em Analise para ser Varrida (Analysis to Sweep) selecione Analise Transiente (Transient Analysis).

aparecerá a janela para editar a analise escolhida (Analise transiente).Figura32: Selecionando o tipo de analise a ser varrida Clique em Editar Analise (Edit analysis) na figura32. .

Figura33: Janela Varredura de Parâmetros da Analise Transiente .ajuste de limites de tempo e número de pontos Na figura33 após efetuar os ajustes clique em Aceitar (Accept) em em seguida em Simular (Simulate). Aparecerão os gráficos da figura34. .

Exercício Proposto: Varredura de Parâmetros na Analise Transiente Usando uma varredura de parâmetros na Analise Transiente. obtenha as formas de onda da tensão em R1 para R1=1K e R1 =10K. em seguida meça as amplitudes das mesmas.Figura34: Tensão no capacitor em função do tempo para dois valores C=2uF e C=5uF Clique aqui para obter o arquivo do circuito da figura29 Atenção!! O gráfico da figura34 já está configurado. .

.

Varredura de parâmetros . Exemplo08: Como exemplo consideremos um transistor na configuração emissor comum. corrente de saturação. etc) ou o parâmetro de um modelo (beta. figura35.Varredura de Parâmetros na Analise DC A analise de varredura de parâmetros DC. é uma analise DC na qual variamos um parâmetro de um dispositivo (resistor capacitor. Figura35: Transistor na configuração emissor comum . etc) entre dois limites. Os resultados são tabulados mostrando as correntes nos ramos escolhidos e as tensões nos nós escolhidos.Análise DC .

como exemplo. pois iremos variar um parâmetro do modelo. e escolhemos os limites (bf=200 e bf=400) com passo (incremento) de 200. Na janela que aparecerá Parâmetros a serem Varridos (Parameters Sweep) deveremos escolher que parâmetros (dispositivo ou modelo) serão mudados. Para isso deveremos efetuar os ajustes indo em Simular (Simulate)>> Analises (Analyses) ou clique no ícone: Escolha >> Varredura de Parâmetros (Parameters Sweep). Figura36: Janela Varredura de Parâmetros com a aba Parâmetros para Analise (Analysis . os limites.Ajustando os Parâmetros No circuito da figura35. o passo e em Mais Opções (More Options) o tipo de analise a ser varrida. Selecionamos Parâmetros do Modelo (Model Parameters) . faremos uma análise varredura de parâmetros variando o beta (hf) de 200 a 400. beta (bf).

Figura37: Varredura de Parâmetros na Analise DC .Aba Variáveis de Saída selecionada mostrando o nó 3 e os ramos que contém VCC e VBB selecionado para analise Resultados da Analise .Parameters) selecionada e com os ajustes feitos As Variáveis de Saída A seguir deveremos escolher que variáveis de saída serão apresentadas nos resultados. para isso deveremos selecionar a aba Variáveis de Saída (Output Variables). A figura37 mostra o nó (3) e os ramos que contém VBB e VCC selecionados para serem analisados. Por exemplo vamos mostrar as corrente de coletor e de base e a tensão VCE.

388mA q Observar que os valores negativos para as correntes se devem à convenção adotada pelo SPICE. ideal_npn__bjt_npn__1__1 bf=200 vvbb#branch. ideal_npn__bjt_npn__1__1 bf=200 3.47023E-06 -0. Tabela1. ideal_npn__bjt_npn__1__1 bf=200 vvcc#branch. Transistor.A seguir clicamos em Simular (simulate) os resultados aparecerão tabulados.001701175 5.597649515 -8. Valores Simulados 8.7011mA Linha4: Tensão no nó 3 (VCE) para beta=400 VCE = 5. Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura35 Exercício Proposto: Varredura de Parâmetros na Analise DC Determinar os valores da corrente de coletor e da tensão coletor emissor para Rc variando de 2K a 6K com passo de 2K.5058uA Linha3: Corrente no ramo vvcc (corrente de coletor) para beta=200 I C= 1.2238V q q q Linha5: Corrente no ramo vvbb (corrente de base) para beta=400 I B= 8. ideal_npn__bjt_npn__1__1 bf=400 vvcc#branch. Beta 3.003388092 Linha 1 2 3 4 5 6 Nó.47uA Linha6: Corrente no ramo vvcc (corrente de coletor) para beta=400 I C= 3.Analise DC Na tabela1 acima temos os seguintes resultados: q Linha1: Tensão no nó 3 (VCE) para beta=200 VCE = 8.597V q Linha2: Corrente no ramo vvbb (corrente de base) para beta=200 I B= 8. ideal_npn__bjt_npn__1__1 bf=400 Tabela 1: Resultados da analise Varredura de Parâmetros .223815816 -8. Ramo. ideal_npn__bjt_npn__1__1 bf=400 vvbb#branch. .50587E-06 -0.

.

os limites.01uF(10nF) e C=0. escolhemos os limites (C=0. Selecionamos Parâmetros de Dispositivo (Device Parameters) . valor de C.Varredura de Parâmetros na Analise AC Na varredura de parâmetros AC um parâmetro é variado entre dois limites.01uF e C=0. obtendo a rtesposta em. Vamos obter novamente a curva de resposta em freqüência para dois valores de C. ou clique no ícone: Escolha >>Varredura de Parâmetros ( Parametes Sweep).09uF (Observe que os . um mesmo gráfico Figura38: Filtro Passa Baixas para ser analisado por Varredura de parâmetros AC Vamos obter as curvas para dois valores de capacitor: C=0. pois iremos variar um parâmetro de um dispositivo. o passo e em Mais Opções (More Options) o tipo de analise a ser varrida.1uF) com passo (incremento) de 0. e como resposta obteremos mais de uma curva de resposta em freqüência Exemplo09: Seja o filtro passa baixas da figura20 para o qual foi feita uma analise AC obtendo-se a curva de resposta em freqüência.1uF(100nF) Para isso deveremos efetuar os ajustes indo em Simular (Simulate)>> Analises (Analyses). Na janela Parâmetros a serem Varridos (Parameters Sweep) deveremos escolher qual o tipo de parâmetros (dispositivo ou modelo) serão mudados.

Freqüência Final (Stop Frequency). Em Mais Opções (More Options) escolhemos Analise AC (Analysis AC) Figura39: Ajustando os parâmetros da analise AC Em Edição da analise (Edit Analysis) efetue os ajustes de Freqüência Inicial (Start Frequency). Numero de Pontos por década (Number of points per decade) e a Escala Vertical (Vertical Scale). Tipo de Variação (Sweep Type). .valores estão em Farads). Dê Aceito (Accept) e em seguida Simular (Simulate).

Figura40: Janela de edição Varredura da analise AC Após simular aparecerão os gráficos do ganho e da fase da figura41. Figura41: Curvas de resposta em freqüência do ganho e da fase com varredura de parâmetros .

Obs: Colocando o cursor em cima do gráfico.1uF a 10uF. na parte inferior da tela aparecerá o valor da capacitância usada para obter o gráfico. Determine a freqüência de corte inferior para cada caso. . Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura38 Exercício Proposto Varredura de Parâmetros na Analise AC Para o circuito determinar a sua curva de resposta em freqüência para C1 variando de 0.

Exemplo10: Analisemos o comportamento da corrente de fuga em um diodo quando a temperatura variar entre dois limites.Varredura de Temperatura (Temperature Sweep) Fazendo a Varredura de Temperatura (Temperature Sweep) poderemos analisar o comportamento do circuito em relação à uma variação de temperatura. ou clique no ícone . Figura42: Analise do comportamento da corrente de fuga quando a temperatura varia Para iniciar a analise ir em : Simular (Simulate)>> Analises (Analyses).

Escolha>> Varredura de Temperatura (Temperature Sweep). . Aparecerá a janela da figura43. os limites (27oC a 57oC) e o tipo de analise (ponto de operação DC). Para isso seleciona a aba Variáveis de saída (Output variables). figura44 onde escolhemos a corrente no circuito. na qual já escolhemos qual parametro será variado (temperatura). Figura43: Janela Parâmetros para analise (Analysis Parameters) da analise Varredura de Temperatura configurada para uma varredura de temperatura de 27oC a 57oC A seguir deveremos escolher quais variáveis deverão ser analisadas em função da variação de temperatura.

Os resultados serão mostrados de forma tabulada.Figura44: Janela de configuração das variáveis a serem analisadas na varredura de temperatura. A seguir iniciar a simulação. Corrente no Ramo vvcc vvcc#branch.23825uA .83nA -1. Temperature=27 vvcc#branch. Tabela2: Resultados da simulação Varredura de temperatura da corrente de fuga (IS) do circuito da figura42. Temperature=37 Valor da Corrente -669.

60ºC.20561uA -3.79818uA Determine a variação da tensão de coletor para os valores de temperatura: 20ºC. Temperature=47 vvcc#branch. 80ºC. Temperature=57 Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura42 Exercício Proposto -2. . 40ºC.vvcc#branch. 100ºC e 120ºC.

Em Tempo final para amostragem (Stopping time for sampling) xdeverem0os especificar um numero próximo do período ou então clicar em Estimar (Estimate). . Queremos executar uma analise Fourier deste sinal determinando as suas harmônicas e amplitudes. Em Número de Harmônicos (Number of Harmonics) deveremos especificar até que harmonicos deve ser feita a analise. Para executar a analise ir em Simular (Simulate)>> Analises (Analyses). o valor default (9) é mais que suficiente.Analise Fourier A analise Fourier de um sinal permite obter as harmônicas e suas amplitudes. no caso 1KHz. Exemplo11: Seja uma onda quadrada de 1KHz e 12V de amplitude de pico. Em Freqüência Fundamental (Fundamental Frequency) deveremos especificar a freqüência fundamental do sinal. ou clique no ícone Escolha>> Analise Fourier (Fourier Analysis) Figura45: Circuito para analise Fourier Na figura46 em Parâmetro para Analise (Parameters Analysis) deveremos efetuar algumas configurações.

Figura46: Janela de configuração Parâmetros para Analise da Analise Fourier Obs: Você pode pedir para mostrar somente o gráfico (Graph) e depois somente os dados tabulados (Chart). Por exemplo vamos disponibilizar os resultados na forma de gráficos. . Em Mostrar (Display) selecionamos se desejamos ver os gráficos e/ou os resultados tabulados.Em Resultados (Results) deveremos especificar como desejamos ver os resultados. A seguir deveremos especificar as variáveis e os nós para os quais será executada a analise.

Figura47: Janela de configuração das variáveis a serem analisadas na Analise Fourier A seguir iniciar a simulação. Os resultados serão mostrados de forma gráfica e tabulada. .

Curso Figura48: Resultados gráficos da Analise Fourier mostrando as amplitudes das harmônicas e da fundamental A seguir os resultados tabulados onde podemos observar o valor das amplitudes das harmônicas da fundamental e da componente DC. Tabela 3: Resultados da Analise Fourier de uma onda quadrada de freqüência 1KHz e amplitude 5V Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura45 .

O circuito a seguir é uma chave síncrona que permite obter esse sinal. Considerar o saída em R1 e 50 harmônicas. .Exercícios Proposto Analise Fourier Executando uma analise Fourier obtenha o espectro em freqüência do sinal resultante do batimento entre dois sinais um de 100KHz e outro de 10KHz.

SINAD).Analisador de Distorção (Distortion Analyser) Esse instrumento permite analisar e medir a distorção em sinais na faixa de 20Hz a 20KHz. o símbolo na área de trabalho bem como o mesmo aberto. O sinal é senoidal de freqüência 1KHz e amplitude de 8V. Exemplo12: Seja o circuito a seguir para o qual desejamos determinar a distorção na saída. A figura49 mostra o ícone na barra de componentes. . (a) (b) (c) Figura49: analisador de distorção (a) ícone na barra de instrumentos (b)símbolo na área de trabalho (c) aberto Os tipos de medidas possíveis são: Distorção Harmonica total (Total Distortion Harmonics -TDH) ou Distorção de Saída Mais Ruído ( Signal Plus Noise and Distortion .

.Figura50: Medindo a distorção na saída de um amplificador As formas de onda de entrada e saída estão mostradas na figura51.

Figura52: Resultado da medida da distorção na saída do circuito da figura50 Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura50 .Curso Figura51: Formas de onda de entrada (preto) e saída (laranja) dom circuito da figura50 Inicie a simulação e o resultado da distorção será indicado.436%. no caso7.

sendo análogo ao osciloscópio só que opera no domínio da freqüência e não tempo. A figura53 mostra o ícone na barra de instrumentos e o símbolo na área de trabalho (a) (b) (c) Figura53: Analisador de espectros (a) ícone na barra de instrumentos (c) aberto O Analisador de espectros tem vários parâmetros de ajuste: .Aula11: Analisador de Espectros (Spectrum Analyser) É um instrumento usado para analisar um sinal em função da freqüência.

Nível de referencia (reference level) Faixa de medida (measurement range) q q q Exemplo13: Seja o circuito da figura54.q A faixa de freqüências para a qual o instrumento opera. modulador AM DSB/SC com sinal modulante de freqüência 10KHz e portadora de 212KHz. Faixas de freqüências (Frequency span). Vamos obter o seu espectro em freqüências. Figura54: Modulador AM DSB/SC em ponte para analise Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura54 Os principais ajustes (entrada das freqüências) são: .

antes de clicar em Entrar (enter) Ao entrar com um dado na figura55 o botão Entrar (Enter ) se tornará ativo. . A freqüência central é 212KHz e a faixa de freqüências 50KHz. inicialmente encontramos os valores indicados na figura55. Para selecionar a faixa de freqüência existem duas formas: Controlando a faixa e controlando a freqüência Controle de Faixa de Freqüência (Frequency Span) Nesse método ajustamos a faixa e o centro da faixa. Ao abrir o instrumento. A figura mostra antes de clicar em Enter. Existem duas freqüências limites : Inicial (Start) com valor mínimo de 1KHz e Final (End) com o valor máximo de 4GHz.Curso Faixa de Freqüências É a faixa de freqüências de analise do sinal. Figura55: Ajuste de freqüência por controle de faixa . O valor zero não é permitido para nenhum desses extremos.

br/Curso%20Multisim2001/Modulo4/Aulas/aula11. http://www.com.htm (4 de 6)4/12/2006 18:39:26 . Figura57: Após clicar em Entrar (Enter) os limites Inicial (Start) e Final (End) se ajustarão automaticamente Ligando o botão de inicio de simulação obteremos o resultado como indicado na figura58.Figura56: Após entrar com a faixa e centro da faixa e antes de clicar em Enter Após clicar em Entrar (Enter) o valor inicial (Start) e Final (End) se ajustarão automaticamente. figura57.eletronica24h.

Essas dias formas de entrar com as freqüências só podem ser usadas se Controle de Faixa (Span Control) for ajustado para Ajuste de Faixa (Set Span). Figura59: Ajustando entrada de freqüências para Ajuste de Faixa (Set Span) Se a Faixa completa (Full Span) é selecionado a analise será feita para toda a faixa (1KHz a 4GHz). Se Faixa zero (Zero Span) é selecionada . Controle de Freqüência Outra forma de entrar com os dados é entrar com a freqüência inicial (Start) e final (End) e quando for clicado em Entrar (Enter) o valor da freqüência central se ajustará automaticamente. no caso a Faixa (Range) está ajustada em 5dB/Div.Curso Figura58: Resultado da simulação da analise do sinal modulado AM DSB/SC Observe que a Amplitude é melhor visualizada em dB. Clique para ver o funcionamento do Analisador de Espectros . Experimente mudar esses valores e a seleção para ver o que acontece. só a freqüência definida pelo campo central (center) é mostrada. Experimente.

Analisador de Redes O analisador de redes tem muitas aplicações mas neste texto comentaremos somente a sua aplicação na determinação de parâmetros H.V2 e I2 = h21. h21 e h22 sào chamados de parâmetros híbridos pois não tem a mesma unidade. Figura59: Quadripolo genérico Parâmetros H Para a descrição do quadripolo em termos de parâmetros H : V1= h11 .I1 + h12.I1 + h22. Sabemos que todo circuito pode ser representado por um quadripolo e o mesmo pode ser representado por uma rede característica a qual pode ser descrita através da tensão e corrente de saída (V2 e I2) e tensão e corrente de entrada (V1 e I1). São assim definidos: Exemplo14: seja o circuito para o qual desejamos determinar os parâmetros H. .V2 Onde h11. Z e Y. h12.

resultando o circuito a seguir.Figura60: Circuito para exemplo14 Para determinar h11 deveremos fazer V2=0 . .

5 isto é: .Figura61: Determinando o parâmetro h11 Por analise de circuito obtemos a relação entre V1 e I1: Para determinar h12 deveremos fazer I1 =0 (abrir a entrada) resulta o circuito da figura62 e por analise de circuitos observamos que a relação entre V1 e V2 é 0.

5 isto é: .Curso Figura62: Determinando o parâmetro h12 Para determinar h21 deveremos fazer V2 =0 (curto circuitar a saída) resulta o circuito da figura63 e por analise de circuito observamos que a relação entre I2 e I1 é -0.

no nosso exemplo parâmetro H (em . três ou quatro).Curso Figura63: Determinando o parâmetro h21 Para obter os mesmos parâmetros por simulação usando o analisador de redes deveremos liga-lo como na figura60. Em Marker deveremos selecionar Re/Im (Parte real parte imaginaria). Em Trace serão escolhidos quais parâmetros serão visualizados (um. Para tornar os botões operantes será necessário iniciar a simulação. Basta clicar no nome do parâmetro para o mesmo ser visualizado na tela à esquerda. Trace. dois. Data e Mode. Em Format escolhemos qual parâmetro será obtido. ã direita existem 4 campos de entrada de ajustes: Marker. Aberto o instrumento veremos que os botões estarão inoperantes.Format.

Em Data. salvamos os dados. figura64. abrimos arquivo. Clicando em Setup. espessura de linha.Curso função disso a tela à esquerda deve mudar). etc. fazemos impressão. etc. poderemos entrar com alguns ajustes tais como: Figura64: Ajustes de medida . Em Mode deveremos escolher Medidas (measurement). Em Setup você poderá fazer algumas configurações como mudar cor. background da tela.

É importante notar que no nosso exemplo não existem elementos que tenham as suas características modificadas pela freqüência como capacitores e indutores. Após todos os ajustes terem sido feitos. ] Figura65: Resultados da simulação para obter os parâmetros H do circuito da figura60 . Freqüência Final (Stop Frequency): a analise será feita até essa freqüência. portanto o valor do parâmetro só terá parte real. iniciada a simulação obteremos os resultados da figura65.Curso Freqüência Inicial (Start Frequency): freqüência a partir da qual será feita a analise. Em Impedância Característica (Characteristic Impedance) os resultados são normalizados em relação ao valor especificado nesse campo. Caso desejemos que uma resposta não normalizada deveremos colocar nesse campo 1.

Clique aqui para obter o arquivo de simulação do circuito da figura60 Exercício Proposto Analisador de Redes Determine os parâmetros H do circuito a seguir usando o Analisador de Redes. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful