PAI JOAQUIM DE ARUANDA

Médium Firmino José Leite

Transcrição da palestra Os Cinco Agregados

Livro eletrônico editado pelo INSTITUTO DE ANIMAGOGIA, Centro de Estudos e Difusão de Saber Espiritualista e Universalista, mantido pela ONG Círculo de São Francisco, a partir da versão online disponibilizada no site www.meeu.org.

São Carlos/SP 2006

Anteriormente fizemos uma palestra1 onde afirmamos que tudo que existe na vida é uma ilusão, ou seja, alguma coisa que o ser humanizado vive achando que é verdade, mas não é. Também já conversamos sobre a Realidade do Universo2, ou seja, sobre a emanação de Deus. Vimos a vida do espírito e como Deus vai criando o Universo a cada micro-fração de tempo. Hoje, para encerrar este ciclo, juntaremos as duas coisas. Agora que já sabemos que Deus é quem cria e que os seres humanizados se iludem dando valores para as coisas, vamos descobrir de onde nascem e como se formam as ilusões. Vamos descobrir neste trabalho como o espírito “vê”, “ouve” ou “entende” as coisas do universo enquanto humanizado. Falaremos hoje sobre os instrumentos utilizados pelo espírito preso ao processo de elevação no Mundo de Provas e Expiações para “entender” as coisas do universo. A base daquilo que conversaremos hoje está estampada em um sutta de Buda Gautama). Para melhor compreensão, vamos comentar a história que este sutta relata. Existiam no acampamento alguns seguidores que queriam sair e habitar em uma outra região. Estes seguidores procuram o Buda e pedem autorização para isso. O mestre diz: vocês sabem como responder às pessoas do seu local de destino quando forem perguntados sobre a doutrina que seguem? Os discípulos dizem que não sabem e que por isso mesmo vieram conversar com Sidarta. O mestre pede, então, que eles conversem com Sariputta (um discípulo de Buda que já podia ser considerado um mestre), pois ele saberia orientá-los. Quando fazem a mesma pergunta a Sariputta, este lhes ensina: a base da doutrina de Buda é o desapego às paixões e aos desejos gerados pelos “cinco agregados” do espírito. O mestre ainda completa: Buda ensina assim porque sabe que quem se desapega das paixões e desejos gerados pelos “cinco agregados” consegue a felicidade nesta vida e também uma boa colocação quando sair da carne. A partir deste sutta, podemos entender que o desapego das paixões e desejos gerados pelos “cinco agregados” são a base da elevação espiritual dentro da visão de Buda, e sua execução leva o ser humanizado a promover a sua reforma íntima. Hoje vamos estudar exatamente estes agregados, ou seja, como o próprio nome diz, cinco elementos que não são do espírito. Eles estão agregados ao espírito e só se mantêm assim
1 2 3

3

(Sidarta

“Maya” “Realidade” Devadaha – SN XXII.2

percepções. . Paixão “positiva” é o que se sente por tudo que se “gosta”. mesmo utilizando-se destes agregados. ou o desenho que se dá aos objetos e coisas materiais do universo. os “cinco agregados” deixam automaticamente de existir. mas que é maya. pode ser “positivo” ou “negativo”. Veremos. pois é formada através da ação dos “cinco agregados”. É sobre estes “cinco agregados” e a vida vivida através deles que iremos falar. formações mentais e consciência. ou seja. é “bom”. No entanto. fruto da ação através deles. A partir do momento que o espírito cria uma paixão. a busca de não se vivenciar o que é considerado “errado” ou “mal” é o “negativo”. terá conseguido para esta vida a felicidade incondicional e para a próxima uma boa colocação. pois enquanto estiver ligado à carne necessitará deles. é formado pela ação destes “cinco agregados”. São estes os “cinco agregados” que estudaremos: formas. libertar-se da paixão e do desejo. É sobre esta criação e sobre este “estilo” de vida que falaremos hoje. As paixões do ser humanizado podem ser de dois tipos: “positiva” ou “negativa”. mas que está presente no espírito humanizado. ainda. Quando o espírito. Falaremos sobre a formação da realidade que cada espírito vive como real. tudo que é verdadeiro.enquanto o ser estiver humanizado. Mostraremos que tudo que para o ser humanizado é real. Vamos conversar sobre cada uma deles. que este caráter de verdadeiro e real que o ser humanizado aplica ao fruto da ação através dos “cinco agregados” é uma “paixão”. sensações. O que o mestre ensinou é que o espírito não pode apegar-se às paixões e desejos que nascem a partir da ação através deles se quiser alcançar uma boa colocação após o desencarne (ressurreição). O desejo de se vivenciar aquilo que se “gosta” é o “positivo”. Já a “negativa” é ao contrário: tudo que não se “gosta”. gera também um desejo que. acha “certo”. é preciso lembrar que Sariputta não disse que o espírito humanizado não deve ter estes agregados. Toda esta forma de viver (querer vivenciar as paixões “positivas” e não as “negativas”) é oriunda do aprisionamento aos “cinco agregados” do espírito que cria as paixões. Estes são os cinco elementos agregados do espírito. Comecemos pela forma. ilusão. Agora. se considera “errado” ou “mal”. da mesma forma. A partir do momento que o espírito alcance a sua elevação. precisamos antes falar mais um pouco sobre as paixões e desejos humanos. algo que não existe no mundo menos denso (espiritual).

. é uma criação do ego. pois elas são geradoras de paixões que levarão a um desejo. é uma energia. Aplicando-se a idéia de que tudo que existe é apenas fluído universal combinado de diversas formas. não pertence ao universo real. Para isso é preciso declarar expressamente para si mesmo: a forma é uma ilusão. Vejamos agora este ensinamento na prática. enquanto está humanizado. podemos afirmar que a vida humana processa-se em uma massa de fluídos universais. 31. etc. pois ela não tem forma para poder ser “vista” (captada). mas tudo isso é apenas uma forma que os humanos dão a ela. positiva ou negativa. olhe agora para uma lâmpada acesa em sua casa e preste atenção para ver se consegue ver a energia. o desenho com o qual o ser humanizado representa as coisas é maya. Naquele livro este elemento é chamado de fluído universal. força. Decompondose qualquer coisa material do universo. O ser humanizado até cria algumas representações materiais que chama de “forma da energia“ 7. pois os seres humanizados não conseguem idealizar uma forma sem ligá-la a uma paixão. é formado por ele. Precisamos nos desapegar das formas. ou seja. não é uma Realidade do universo. materialmente falando. É algo que os seres utilizam apenas enquanto estão presos ao mundo de provas e expiações. mas sim a compreensão de que tudo que existe no universal. encontraremos sempre o fluído universal. matéria energética. conhecida ou não pelos humanos. Representação que em elétrica e eletrônica se faz de uma onda eletromagnética. Por isto o chamamos de “átomo universal”. é um maya. pois a energia não tem forma. ou seja. não é mesmo? Você não vê a energia. Pergunta 27 a. a um condicionamento para ser feliz. que todas as demais coisas são decorrentes de combinação e fusão do próprio fluído universal. mas também é conhecido como fluído cósmico universal. Esta compreensão é fundamental para o fim das paixões. Este fluído universal. e conseqüentemente gerar um desejo. o espírito humanizado vive em uma 4 5 6 7 Pergunta 27 Pergunta 30. Se tudo é formado. até a sua mínima parte.Através do Livro dos Espíritos aprendemos4 que tudo que existe é formado primariamente por um único elemento do universo. ainda segundo o Livro dos Espíritos6. por energia e se essa não possui forma. 32. Alguns ainda confundem a forma do raio com a própria energia. No mesmo livro aprendemos também5 que só este elemento existe. primariamente. Não conseguiu. Por favor. O nome pelo qual se trata o elemento primário do universo não importa. A forma das coisas é um agregado do espírito.

Por exemplo. o maya em que vive: a ilusão de estar sentado numa cadeira.massa compacta de matérias energéticas. o ser humanizado distingue formas isoladas nesta massa compacta. O ar que existe entre o corpo e a cadeira e ao redor dele. tomando um café e olhando para este papel. Elas são criadas pelas percepções do espírito. ver na palestra Maya o exemplo “caminhar” utilizado pelo amigo espiritual Joaquim. mas que utiliza enquanto humanizado. Nenhum destes elementos (cadeira. Abolindo as formas da sua existência compreenderá. por ser material. então. Podemos agora falar. Neste trabalho ainda falaremos como se criam as formas. Mas você cria a ilusão que tudo isto existe e. onde se vê uma pessoa sentada. Vamos conversar sobre o segundo agregado do espírito. Apesar disto. mas sim fluído universal. Para poder viver a Realidade do universo (uma massa compacta de fluído universal) é que o espírito precisa se libertar da ação do agregado “forma”. mas “existem” para o ser humanizado porque ele está preso ao agregado “forma” 8. fumando um cigarro. o objeto e a ação. mas apenas criação do espírito humanizado. pois os “cinco agregados” existem em espíritos mesmo quando fora da carne. . em como se criam estas formas. de beber e de ler. Desta forma. A distinção que se dá criando as diversas formas não é real. Todo “espaço” que você imaginar é na verdade uma condensação de fluído universal. na realidade. ou seja. mas neste momento o importante é entender que a forma não é do objeto. pois é fluído universal. Se você não criar formas para as coisas não se apaixonará positiva ou negativamente por elas. de fumar. como pode o ser distinguir formas nestas coisas? Como alguém pode ser capaz de dizer que uma coisa é cadeira. uma massa compacta deste elemento. o que existe. porém. Estamos falando constantemente em espírito humanizado e não encarnado. “eu” ou ar? Pela “forma” que é criada pelo ser humanizado preso aos “cinco agregados”. vive o maya de se achar sentado. O corpo que o espírito está habitando e que imagina ser ele mesmo. você está sentado em uma cadeira. 8 Para maior detalhes. também é fluído universal. Este objeto que apóia o corpo não existe. Antes. Desta forma. não é ar. uma ressalva importante. café e papel) existe distintamente. Tudo é maya. então. é uma massa homogênea formada só do elemento universal. mas apenas o fruto da ação dos “cinco agregados”. um elemento que não é dele. pois são simples variações do fluído universal. cigarro. por isso.

é mais do que a simples percepção captada pelo olho. A percepção é o fruto daquilo que entra pelo olho. . É preciso aqui se manter o termo “coisa” ao se definir o que é percepção. porque está preso ao som que entra pelo seu ouvido. A humanidade de um ser não é ditada pela sua situação física. por exemplo. mas pelo seu grau de elevação espiritual. A imagem captada pelo olho. pois não existem palavras que possam descrever perfeitamente este elemento universal. Por exemplo. o som captado pelo ouvido. mas enquanto estiver humanizado (vivendo com a consciência humana). o olho é um órgão que limita a percepção do espírito. tanto no corpo físico como no astral. pelo ouvido. Podemos afirmar então que a percepção do espírito humanizado é irreal. se o espírito estiver espiritualizado. o cheiro. A humanização do espírito se dá pelo seu grau de consciência e não pela densidade da matéria que ocupa. mas também o perispiritual. enquanto ele estiver humanizado se apega ao órgão olho como única fonte de percepção o que limita a sua capacidade de “ver”. Além disto. 10 9 Pergunta 245. A irrealidade acontece porque existem muito mais coisas além daquelas que o ser humanizado está percebendo. As percepções podem ser recebidas tanto pelo olho. uma ilusão. eles existirão independente de órgãos físicos. O “olhar” (a percepção visual) não é criada pelo olho. Agora. Vamos agora ao segundo agregado: a percepção. o espírito vê pelo corpo inteiro. a percepção existe mesmo quando o ser está desencarnado. O “olhar”. No entanto. maya.Os espíritos podem ser considerados humanizados quando encarnados. Assim. boca e pelos órgãos de sensibilidade espalhados por todo elemento material que o espírito está utilizando. mas também os desencarnados podem ser desta forma. Se você não está ouvindo nada é sinal de que nada está ocorrendo. porque é limitada e não abrange tudo. o que é um olho? É uma peça material. pelo nariz. Percepções são coisas 9 que são percebidas pelo espírito através dos órgãos sensoriais do corpo. um órgão de percepção. na carne ou fora dela. estes elementos desaparecerão. o corpo a que nos referimos aqui não é apenas o físico. como veremos adiante. você é capaz de dizer o que está acontecendo em ambientes diferentes daquele em que está? Ou mesmo onde se encontra agora? Não. do corpo físico como pelo olho que existe no perispírito. pois ele é apenas um órgão do corpo físico. o paladar e a sensibilidade captados pelos seus órgãos próprios são percepções. Por isso. Quando estudamos o Livro dos Espíritos havia uma pergunta 10 que dizia: O espírito enxerga pelo olho? A resposta foi não. Como dissemos antes.

O que é um computador? É apenas um computador. por exemplo. existem diversos espíritos conversando entre si: isto faz parte da Realidade do universo. a ação do sentimento individualista do espírito humanizado sobre a percepção ela não terá qualidades. as coisas que são percebidas são apenas o que elas são. Elas estão presas ao que você vê. Não pode se apaixonar pelo que vê. não importa onde esteja. além do que consegue compreender existem mais coisas. Sensação é os sentimentos individualizados que o espírito coloca sobre todas as formas que são percebidas através dos órgãos de sensibilidade. sente o sabor ou que tem sensação pelo corpo. Por exemplo: à sua volta. é preciso “ver” realmente o que se passou. É isso que o Buda nos ensina: você não pode se apaixonar pelo que ouve (acreditar apenas nisso). Mas. você não vê tudo o que acontece. existem milhares de coisas além do que é percebido pelo ser humanizado. Quem disse isso? Você? Mas. são mayas (ilusões) gerados por aqueles que acreditam apenas nas percepções captadas pelos seus respectivos órgãos. Uma cadeira é uma cadeira. mas a partir da sensação . Como você não os ouve afirma que eles não existem ou que está sozinho. muita coisa está se passando ao seu redor. O terceiro agregado trata-se de uma ação do espírito sobre a forma percebida através das percepções. Mas. A prisão a estas percepções como verdades absolutas gera o maya. não teve sensibilidade. Este é o segundo elemento agregado do espírito: a percepção. para isso. ou verdade relativa. Enquanto não houver a ação da sensação. porque gera a “falsa verdade”. Acusa-se só porque acredita que agiu errado. acreditar que não serve para nada. então. ouve.Mas. das ilusões. porque existem muito mais coisas do que aquilo que consegue perceber pelos órgãos. não ouviu ou sentiu o gosto e o cheiro da Realidade. a emanação de Deus. Uma cadeira é uma forma percebida através dos órgãos de percepção. O que é uma cadeira? É uma cadeira. Mas. Gera ilusão de. mas nada que isso. O que diz que é “erro” pode se transformar em “acerto” se conseguir compreender tudo o que se passou. ou seja. Quando liberto da humanização o espírito exercerá a sua real capacidade de perceber que está além daquelas que são captadas pelos órgãos físicos e poderá ver. pois não enxerga tudo. Ou seja. porque existem milhares de coisas além daquelas que a sua pequeníssima capacidade de perceber “visão” é capaz de enxergar. É justamente desta limitada percepção e desta limitada capacidade de conhecer o universo que nascem suas verdades. cheira. pois. mas esta compreensão acontece apenas porque não viu. elas não são verdadeiras. O “achar que está só” ou a afirmação de que “espíritos não existem”. Só assim se libertará dos mayas.

Aí está a origem. Por isso a sensação. “prática ou não”. então utilizaremos este acontecimento da vida para isto. . Agora que já conhecemos o agregado sensação e a formação das “verdades” (sensação que se aplica às formas percebidas). a mesma sensação sobre a mesma percepção. é um agregado do espírito e não algo universal (espiritual). “bonita ou feia”. É deste processo que surgem as “coisas da vida”. No espírito humanizado há o dualismo que é a marca das paixões (positivas e negativas) que produzem a diversidade de “sentimentos”. ou seja. Deus emana o amor universal. 11 Ver palestra “Maya”. aquilo passa a “não ser bom”. “limpa ou suja”. O desumanizado não promove sensações individualistas. Se você é homossexual. aplica sobre ela a sensação “gostar” e aí aquilo vira alguma coisa “boa” (paixão positiva). Isto ocorre porque não existem dois espíritos que coloquem. Alguém me pediu para falar um pouco mais sobre o sexo. o surgimento. A sensação é a ação individualista do espírito utilizando o amor de Deus para determinar valores sentimentais às coisas que são percebidas. Ele vive a realidade. do dualismo que os mestres ensinam que os seres humanizados vivem e que é preciso acabar para se unir ao UM. Olha uma forma sobre a qual aplica o “não gostar”. O que é o ato sexual? É um acontecimento que ocorre no encontro de duas formas. o processo “viver” para o espírito como já falamos 11. Estamos falando do caminho da criação do maya: viver uma forma que é percebida e sobre ela agir pronunciando-se sentimentalmente. é exatamente quando o espírito utiliza-se do agregado “sensação” que nascem as desavenças do universo. mas o espírito humanizado utiliza-se deste sentimento para viver “paixões” individualizadas. Isso também é a vida.que o ser humanizado coloca na percepção ela se transforma em “nova ou velha”. Isso só o espírito humanizado faz. Se você é heterossexual precisa perceber uma forma diferente da sua. vamos buscar compreender um elemento da vida carnal a partir deste aspecto. mas poderia ser qualquer outro. apesar de ser um sentimento. o amor de Deus em ação. em intensidade. também. Mas. A sensação reflete uma decisão de foro intimo sentimental do espírito e por isso é diferente entre os espíritos de acordo com o seu grau de elevação espiritual. O espírito olha uma forma. precisa perceber uma forma semelhante à sua. mas o espírito universalizado vive na perfeita integração com Deus.

Ao perceber a forma desejada o ser humanizado cria a sensação “paixão sexual” (desejo). Quando o ser humanizado se deixa levar pelo seu egoísmo (querer satisfazer os desejos oriundos da sua paixão) não cumpre o mandamento de Cristo e por isso não se eleva. mas em servir ao Pai e ao próximo. Esta sensação ou sentimento é exatamente o que põe tudo a perder no sentido espiritual durante a realização de atos. No entanto elas são percepções do corpo e não do espírito. podemos afirmar que aí está o problema do ser humanizado. O amor de Deus é equânime. não se importando com o outro. Sexto sentido e percepção extra-sensorial. ou seja. transforma a vida do espírito. que são individualistas. Isto porque na escolha entre uma sensação ou a utilização do amor universal (incondicional) está o uso do livrearbítrio do espírito. Além delas poderíamos ainda incluir a clarividência. Apesar de haverem ainda dois agregados a serem estudados para melhor compreensão da elevação espiritual. mas a sensação “paixão sexual” é individualista. entretanto. porque busca amar (contentar) a si mesmo acima de todos e de tudo. que é universal. ou melhor do espírito utilizando-se de instrumentos do corpo. fale sobre o sexto sentido e a percepção extrasensorial. ainda é uma percepção humanizada. que se usado no lugar das sensações. a existência do ser humanizado. Trata-se de algumas percepções que o espírito possui como carma ou missão. na verdade. são a mesma coisa. . individualizado. clariaudiência e outras mais. não pensar em si. Esta é única ação que o espírito pode fazer a qualquer momento enquanto humanizado. por carma ou missão têm. Esta sensação. é o próprio amor de Deus. Sempre que o ser humanizado vivenciar qualquer acontecimento deve seguir os mandamentos ensinados por Cristo: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. É este amor incondicional que não possui qualquer intenção individualista. Na escolha entre utilizar-se de uma sensação (individualizar o amor de Deus) ou utilizar o universalismo (servir ao próximo e a Deus) está a ação da vida espiritual mesmo encarnado. Aí está a raiz do problema. É um tipo de percepção que alguns espíritos. próprio benefício. No entanto. O individualismo da sensação existe porque os seres humanizados praticam o ato sexual para seu Pergunta: Por favor.

ainda está ligado na carne. Pergunta: Eu acredito. é a mesma coisa que sexo: ilusão. o ato material não é você nem o corpo que faz: é Deus. Daí resulta que você também comanda o orgasmo do corpo físico. é maya. que possamos ter entrado em algum tipo de êxtase espiritual e isto nos parece como um ato sexual. Pergunta: E a masturbação? Se física. está ligado à realidade humana e por isso pode transportar a sensação para o corpo físico. Apesar de estar em êxtase espiritual fora da carne. Se espiritual. Sim. Mesmo durante este êxtase espiritual (fora da carne) você comanda o corpo porque ainda está preso às percepções. Pergunta: É possível acontecer o orgasmo em um sonho? Sim. Os espíritos elevados durante a oração alcançam um clímax: isto é um “ato sexual”. é um ato material. é uma “oração individual”. como o sonho nunca se revela para nós como é. pois neste momento você “faz sexo” com Deus. é ilusão. realizou uma “masturbação” espiritual. portanto. maya. O orgasmo espiritual é explosão de penetrar na graça de Deus. Pergunta: E o sexo entre almas gêmeas e companheiras? .Pergunta: E o orgasmo? O orgasmo como você conhece é físico. mas sim em códigos. Quando você busca Deus através da oração solitariamente e se liga perfeitamente ao Pai e entra em êxtase. Aliás. é o “orgasmo espiritual”. A comunhão com O Pai que o leva a penetrar no Amor que banha o universo e que elimina todas as sensações oriundas das percepções.

Esclareço isto para não dizerem que eu sou anarquista. Estes seres não participariam do sexo grupal. o amor igual a todos. não ter esta verdade. O que estou querendo afirmar é que é necessário se libertar da obrigação. O que estou querendo dizer é: mesmo fazendo só com seu marido ou sua mulher. Quem faz com um ou com vários parceiros está sempre perfeito no sentido espiritual. Ainda existem os seres humanizados. gostaria de deixar bem claro: não estou dizendo que tem que “virar bagunça”. Portanto. Não se pode culpar ninguém que se liberte dos conceitos. Isso é ilusão. chamamos de formação mental. desde que o faça livremente. que não entrariam nesta “brincadeira”. No entanto. aqueles valores que são criados na “mente” do ser humanizado 12 Expressão atual para pessoas que se relacionam sem compromissos. estará preso a uma percepção. sem culpa ou prazer. pois ainda acham que o seu companheiro é o único com quem. que tem mais amor a alguém do que a outro é ilusão que você precisa vencer para poder entrar no amor universal. esta obrigação. pois enquanto alguém achar que só pode fazer sexo com seu marido ou mulher. isso é impossível. . quem está liberto da lei está melhor de quem é preso à lei: palavras de Paulo. interpreto a sua pergunta como êxtase de toda coletividade espiritual ao mesmo tempo? Não. A união carnal sem obrigações e posse é o primeiro passo para se libertar da percepção de estar com um determinado corpo para poder atingir um clímax. O próximo agregado que veremos. por respeito ou qualquer outra crença individualista. Achar que um é melhor do que o outro. ou seja. Podemos também chamá-lo de pensamento. ou todos os espíritos. Não existem dois espíritos feitos um para o outro. aqueles que acreditam amar mais a alguém do que a outro e que se acreditam “propriedades” de outros por causa deste amor. pois. podem fazer sexo.Você está falando em “sexo grupal”? Só posso entender assim porque almas gêmeas são todas as almas do universo. Pergunta: E os jovens que “ficam” 12 ? Talvez estejam mais preparados para o amor universal do que o marido que cobra da esposa ou vice-versa o que não dá: companheirismo.

não é um elemento espiritual. Como já vimos. por aquilo. . ilusões). só tem amor incondicional. quando ouvir uma coisa que falei e ter uma sensação de “não gostar”. você teve uma sensação individualista para a percepção da forma que teve. ou seja. pois são mayas (verdades individuais. Esta sensação deu um valor à forma percebida. na formação mental que é consciente. tudo o que vem a “mente” e conscientemente é percebido é uma formação mental. pois ainda não tem consciência do maya e da ilusão que vive. ou seja. idéias ou imagens. O espírito tem o livre-arbítrio de sentir e Deus transforma esta sensação. que é inconsciente. Por quê? Porque ele não tem sensações. não tem idéias ou vozes na sua mente. É precisa sair da sensação individualista e entrar no amor universalista. ter pensamentos sobre o som percebido. Nem tem valores para coisas. vamos entender a sua ação e como ela se inicia. Esta é a formação mental. Deus dirá: você não gostou por isso. inicia-se um raciocínio que dará um “valor” à percepção. por causa daquilo outro.através de vozes. o ser humanizado percebe uma forma e escolhe uma sensação para aquela forma. A ação divina ao dar a formação mental é no sentido de mostrar ao ser humanizado uma só coisa: você não gostou. As formações mentais são. mas resultado da humanização do espírito. Logo depois que o espírito escolhe a sensação. Ela é um agregado e não é do espírito. Os motivos porque não gostou não importam. É Deus mostrando ao ser a ação espiritual que fez para lhe dizer: é preciso mudar esta sensação. A formação mental é um agregado ao espírito. Apesar da formação mental se espelhar na sensação do ser humanizado não é criação deste. Deus falando com o ser humanizado para lhe trazer à consciência o conhecimento daquilo que realizou inconscientemente. Se a sensação é o ponto chave na elevação espiritual. Agora que definimos formação mental. Por exemplo: alguém “não gostou” de uma resposta que dei. o espírito desumanizado não tem pensamentos. ou seja. Ele irá pensar. Enfim. Ele diz ao espírito através do pensamento aquilo que ele sentiu e não sabe. a formação mental é uma “cola” que Deus dá para aqueles que estão realizando provas e que não sabem definir o seu sentimento. mas de Deus. portanto. Dentro do exemplo que nós demos. “Não gostar” foi uma sensação escolhida por este espírito humanizado para uma forma (som) percebido. Este pensamento será pautado pela sensação escolhida: “não gostei”. Ele está livre das formas percebidas através dos órgãos do corpo.

na sensação que causou aquele pensamento. O que eu posso lhe dizer ainda. Por isso. de que a coisa “não será boa”. posso afirmar que o que acontece é que o espírito sente e Deus lhe dá o pensamento. mas o pensamento é a conscientização do maya (sensação escolhida) que você está vivendo. talvez a humanidade acredite diferente. pois este sentir é inconsciente. pois para a humanidade realmente ele só ocorre quando se pensa. É preciso a compreensão perfeita deste agregado para podermos entender que o pensamento nada mais é do que Deus mostrando a cada um onde deve lutar. a sensação que você criou ao perceber e que agora precisa vencer. é que o sentimento. Estes são os três estágios da vida. pois tudo no universo é energia. precisa derrotar. Isso é sensibilidade. a sensação. Universalmente. Agora isso vocês não conseguem ter consciência. de “não querer”. Pergunta: E o sentimento. a consciência do ser humanizado não consegue captar esta seqüência.O pensamento não é o criador do maya. pois ela é o sentir individualista: “eu não gostei”. Vamos explicar mais para retirar todas as dúvidas. ou seja. É o sentimento que gera o pensamento. Pergunta: Estou falando isso porque nós conhecemos sensação como aquilo que é recebido através dos órgãos do sentido. Ele ainda acredita que sente durante o pensamento. Então. O que eu posso lhe dizer é que sentimento é energia. A dúvida sobre o “sentir” é válida. pois é dependente da sensação. . Então eu diria que nós temos sensações que geram pensamentos e ações. vem antes do pensamento. “Eu não gostei” é o maya. Pergunta: Você conhece o conceito de pensamento que gera sentimento e que gera energia? Eu não conheço este conceito. onde ficou? É a sensação. Sensação é sentir sentimentos. o sentimento já é uma energia e não poderia gerar uma. No entanto. por conhecimento. ter a sensação de “não estar gostando”.

os acontecimentos acontecem nesta seqüência. mas só quando Deus lhe mostra pelo pensamento (através da razão) a sua decisão de “não gostar” é que começa a sentir conscientemente os efeitos do que já escolheu antes. mas para a Verdade espiritual (a existência real do espírito) você escolhe conscientemente. Acho que nossa capacidade de compreender não alcança totalmente isto. então. como o ser humanizado só toma consciência de que “não gostou” através do pensamento (pelos valores que o compõem) só sente os “reflexos” da escolha sentimental posteriormente. é ilusão. Pergunta: Acho que o entendimento para este ensinamento é muito difícil. Você quando ligado ao mundo através da carne. pois os acontecimentos não existem como você declara que são. ao mesmo tempo. o seu livre-arbítrio é inconsciente ao ser humano. que Buda ensina os agregados nesta ordem: ele conhecia a realidade. quando está acordado. Na verdade o sentimento já tinha sido escolhido inconscientemente antes do pensamento e estes reflexos já estavam presentes. também. Só quando está raciocinando o espírito se dá conta do “peso” da amargura embutida na sensação “não gostei” escolhida para vivenciar alguma situação. Mas.. você espírito está vivendo a vida que é conhecida no planeta como inconsciente. pela razão. Ele só acredita naquilo que pensa e nada mais existe. No entanto. Pergunta: Nosso livre-arbítrio. que é vivenciada na consciência espiritual. afirmar que como ser humano (dentro da consciência humana) você escolhe inconscientemente o sentimento. é inconsciente? Sim. vive “duas vidas” simultaneamente: a consciente e a inconsciente. É por que está fora da realidade de vocês? Porque estão presos à percepção: só o que percebo existe. Por isso acha que pensa para depois sentir.Você sente (escolhe a sensação) “não gostei” inconscientemente. Isto ocorre porque o ser humanizado é guiado pela lógica. ou seja. A vida consciente é maya. mas é consciente ao espírito. . então. É por isso. Entretanto. Podemos..

sejam elas sentimentais (sensações) ou materiais (formas). O conhecimento de uma determinada cor. É muito difícil falar da vida inconsciente que existe junto ao consciente porque o ser humanizado é apegado ao consciente como única realidade. Quando o ser humanizado opta (livre-arbítrio) por viver no dualismo está sempre julgando a ação divina e. ao sentir desta forma.Pergunta: Dá para explicar de novo? A dificuldade existe porque estamos conversando sobre aquilo que não tem valores para vocês. O que é consciência? Memória. Sempre que surgir um “gostei ou não” sobre alguma coisa foi decisão do seu livre-arbítrio. tenha apenas como informação e não tente entender como isto se processa. Ela é composta por verdades arquivadas. não está dentro da lógica humana e por isso é muito difícil compreender. Estas duas sensações precisam ser combatidas. dar valor como nome. Deus está lhe mostrando que você “mora” na casa Dele. busca na consciência todas as verdades arquivadas sobre ela. Isso você pode e precisa compreender e a partir daí optar por utilizar o seu livre-arbítrio para estar sempre harmonizado com os acontecimentos da vida. . Tenha apenas a informação de que tudo o que você pensa no consciente. pensamentos. Por exemplo. na essência. pois este conhecimento ainda está além do seu conhecimento. só acontece porque o ser humanizado possui verdades arquivadas que estampam estes valores. me deixe explicar algo que é o que cada um precisa compreender e saber. E por que o espírito age assim? Para explicarmos isso vamos agora falar do último agregado: a consciência. É difícil falar sobre aquilo que vocês não possuem valores. que não pode ser mensurado. Agora. características. em paz e na felicidade incondicional. ser o detentor da Verdade Universal. pois é pela linguagem sentimental que se “fala” com o Pai. o que você decidiu sentimentalmente. comunica a Deus o resultado do seu julgamento. formas.. é Deus lhe mostrando. Quando o ser humanizado percebe (capta pelos órgãos do corpo) a forma que é uma cor. vive as custas Dele e mesmo assim ainda se acha no direito de saber o que é certo. Por isso. que Deus traduz a escolha feita pelo livre-arbítrio em idéias. É o ser humanizado agindo do alto da sua falsa autoridade individualista. uma cor. etc. pois quando o ser humanizado utiliza o seu livre-arbítrio está “falando” com Deus. Ele quer que você tenha consciência do que está fazendo: julgando-O.

pode não se deixar influenciar pela sensação anterior. que como já vimos. as decisões anteriores que foram arquivadas na consciência estarão presentes. pois o ego terá a função de “tentador”. Todo fruto do seu livre-arbítrio (sensação) fica arquivado na memória junto com as formas que foram julgadas. A consciência.Entretanto. . É nela que se encontram os elementos necessários à prova que o ser executa enquanto humanizado: escolher entre sensações dualistas ou amar universalmente. Durante a execução da formação mental (pensamento). que chamamos de raciocínio espiritual. ou seja. cada espírito antes de encarnar “prepara” a sua consciência. com verdades materiais e sensações específicas. Ver Livro dos Espíritos – pergunta 267. o ser humanizado “lembra-se” das sensações anteriores. é um conjunto de informações sobre as formas e sensações que auxilia o espírito na vivência do seu carma. No entanto. surge da escolha entre o seu “estado de espírito” atual e os seus sentimentos arquivados. Ver Livro dos Espíritos – pergunta 258 e 258 a. No momento em que o ser humanizado for utilizar o seu livre-arbítrio (escolher uma sensação). 13 14 15 Para melhor compreensão deste assunto. Esta escolha é fundamental para o espírito que irá encarnar. podemos agora falar sobre ela. a consciência possui ainda mais elementos guardados sobre a forma percebida: as sensações escolhidas anteriormente quando esta forma foi percebida. ter arquivado na consciência uma lembrança de “não gostar” de determinada cor. por exemplo. se sua “base sentimental” é de paz e harmonia. ver a palestra “Fluxo da Vida”. ou seja. Depois que ele encarna este livre-arbítrio não mais existe. Como se forma a consciência. não só elas. Para tanto escolhe valores sentimentais (sensações) e verdades. Deus utilizará os valores arquivados (nome. como propositor de provas. Portanto. que vou passar a chamar de ego. por isso também é considerada com livre-arbítrio 14. Isto porque ela será baseada na sensação fruto do livrearbítrio. o espírito não tem mais a liberdade de alterar a sua consciência 15 apenas por vontade própria. ou seja. como se forma este agregado do espírito? O ser “forma” os valores que comporão a sua consciência humana antes da encarnação. Na escolha da sensação. Ele pode. mas também o “estado de espírito” atual 13. características). Esta escolha é de responsabilidade exclusiva do espírito. mas a “história” que será criada com estes valores (raciocínio) poderá ser diferente a cada momento. mas naquele momento. na verdade. pois é a mesma coisa. A partir do momento que compreendemos a consciência. mas os sentimentos que nutre no momento também influenciam.

nas pessoas. . encarna. Além dos sentimentos. seja em ensinamentos. Depois que encarna (vive no consciente material) ele precisa vencer essa sensação para alcançar a vitória. Isto vale para todos os sentimentos que compõem a “personalidade” do ser humano: nervoso. em qualquer coisa. Aquele que crê na sua superioridade precisa vencê-la. maior. forçar a utilização das sensações que compõem a personalidade. covarde. mais bonito. pois só eu sei a verdade”. obviamente.Exemplifiquemos para poder facilitar a compreensão. Depois que o ser organiza a sua “personalidade”. que auxiliarão o ego a. pois vencer significa tê-la e não usá-la. na felicidade da vida. Este sentimento é uma sensação individualista. mais perfeito que os outros. errado. a memória contém também verdades materiais. Um ser precisa libertar-se por carma da arrogância. Estas “verdades” serão utilizadas por Deus para formar conscientemente o pensamento sobre qualquer coisa da vida. Estes acontecimentos. o ser coloca em sua consciência verdades e sensações que exprimam esta superioridade. Agora terá que aprender a conviver com estas tendências sem aprisionar-se a elas. o espírito precisa organizar o “campo de batalha”. fará acontecer. Para isto ele escreverá as situações da vida (acontecimentos) que participará e Deus. não poderão satisfazer o ser humanizado. Por exemplo: aquele que buscar vencer a arrogância terá que ter verdades como: “eu não vou acreditar em nada que me disserem”. o conjunto de sensações que precisa vencer. tímido. pois não haveria vitória se o ser humanizado estivesse sem a arrogância. antes da encarnação. como provedor da oportunidade de elevação. não estarão de acordo com o que ele espera da vida. “tudo que me falarem é mentira. Eles terão que ser contrários àquilo que o ser humanizado espera para que haja a oportunidade dele optar entre o dualismo (certo ou errado) ou manter-se em paz. ou seja. mais certo. Mas para isto precisa possuir esta sensação. ou seja. pois somos todos iguais perante o Pai. Agora que está formado o “exército” que deverá ser combatido (o ego). ou seja. É por este motivo que o ser “organiza” a sua consciência material com essa sensação. Como vencer uma coisa que não se combate? Desta forma. soberbo. Para mostrar a Deus que pode utilizar o seu livre-arbítrio amando-O acima de todas as coisas e ao próximo. vem para a Terra. podemos afirmar que se você é arrogante é porque. pois reflete a aspiração de ser melhor. “colocou” esta sensação na sua consciência. conscientemente. etc. Sem a existência dela a vida não teria valor algum.

16 16 Doar a intenção a Deus – ensinamento de Krishna estampado no Bhagavad Gita. mas sim o de doar ao próximo a razão. Na história que o pensamento forma para conscientemente se sentir o desejo de combater o próximo está o maya. o pensamento será construído no sentido de ter vontade de não contrariá-lo. pois seus valores são criações dos espíritos. poderem executar suas provas. Esta escolha sentimental leva ao fracasso na “prova”. Ao invés de espelhar o desejo de querer “pular no pescoço” do seu irmão. A sensação que o espírito precisa escolher para ser aprovado é o amor a Deus acima do “amor ao que se gosta”. Já o ser espiritualizado. Nesta simples análise que fizemos a partir do ensinamento dos mestres reside a “ciência” da vida. As histórias da vida (valores que o pensamento dá às coisas) não são reais. Se optar por seguir a sua personalidade sentimental. Aqueles que buscam ser fiéis a estes ensinamentos precisam ensinar desta forma também. com harmonia. Se a vida para o ser espiritualizado só oferece limão. As histórias da vida são meras obras de ficção que os seres criam para. Então. doando a sua intenção a Deus (propositor dos carmas) que só lhe deu limão para chupar. Quando este for o fruto do livre-arbítrio o ser não terá mais o pensamento de brigar. Quando ele vivencia a ilusão (“eu não gosto”) como verdade. mas que pelo “véu do esquecimento” não tem consciência enquanto humanizado. pois foram montadas a partir de valores fictícios criados antes da encarnação. aquele que compreende que tudo que está no seu ego e que é utilizado por Deus para formar os pensamentos são apenas proposições de carma (provas). ele não luta contra ela sonhando em comer laranja. Ele chupa o seu limão com paz. através do pensamento. Esse diz a cada pensamento: “não maya. O ser humanizado ao viver em maya (acreditando nos motivos que o pensamento expõe) não vê que todas estas histórias não são reais. na maioria das vezes. pois o ensinamento de Cristo é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.Neste ensinamento está a essência da vida humana que o espírito vive. durante a vida carnal o ser tem uma percepção de alguém falando. Por esta decisão sentimental Deus lhe dará. não compreende que ela foi criada justamente para ser vencida. diferente daqueles que são passados pelas religiões criadas sobre estes mesmos ensinamentos. É por isso que nosso ensinamento é. pela interação entre ambos depois de encarnados. o desejo de gritar e brigar para provar ao outro que está certo. supera tudo. não ego. eu não vou acreditar em você”. eu não vou dar razão a você. o pensamento lhe dirá que esta pessoa está contrariando a sua verdade. .

Se nós disséssemos o que você quer ouvir. estaríamos corroborando com as suas ilusões. com os seus mayas. que vê Deus ao nosso lado nos “carregando no colo” e incitando-nos: “vamos filho. ao que sabe fazer e aí você não conquistaria nada. estaríamos aprisionando-o ao que você gosta. ou seja. Fala da ilusão de que o ser humano tem de que “nasceu” para ser servido pelo mundo quando é exatamente ao contrário: ele “nasceu” para que o mundo lhe sirva não o contentando. Para que você seja servido pelo mundo (só acontecer o que “gosta”) seria necessário que os outros lhe servissem (fizessem aquilo que você quer). do que buscar a ressurreição (vida na consciência espiritual) e nenhum trabalho espiritual seria realizado. Ela só poderá ser alcançada com a união perfeita com Deus através do amor universal. explica tudo que um ser humanizado precisa compreender sobre a vida para utilizá-la como instrumento da elevação espiritual. Isto para mim tem um nome: exploração.Nós jamais poderíamos fazer ou dizer algo apenas para satisfazer (atender) suas verdades. um conceito (verdade) formado antes da própria existência. Agora se utilizássemos estes mesmos conhecimentos para lhe fazer sonhar com um mundo criado completamente dentro das suas verdades. do ego. Se acontecesse apenas o que queremos era mais fácil permanecer vivo (viver na consciência material). ecumênica e universalista dos ensinamentos mostra como se processa a vida. que explicam a forma de “ver” as coisas do mundo através do processo raciocínio como fizemos hoje. mas sim do “diabo”. vamos. estaríamos aprisionando os espíritos humanizados aos seus próprios mayas. Ela jamais poderá ser alcançada através de sensações individualistas que a condiciona. pois só quando ele age desta forma. A felicidade é incondicional. Além de não estar auxiliando ninguém a vencer. Como o ser humanizado cria a ilusão e como a utiliza: como um preconceito. ao que quer fazer. aquilo no que você acredita e que está dentro da sua lógica humana. O conhecimento do ensinamento de Sidarta Gautama sobre os “cinco agregados” fundido aos ensinamentos dos mestres Krishna. sai desta ilusão. É por isso que a vida acontece contrariamente ao que queremos. Cristo e do Espírito da Verdade através de Kardec. Não estaríamos a serviço de Deus. Aquele que quer mudar o mundo e não a si (suas sensações) explora os outros para ser feliz. . do ser humanizado: aquele espírito puro que “caiu do céu” (teve que encarnar) por se achar capaz de julgar a Deus (escolher sensações dualistas). Com a consciência espiritual que nos coloca de frente para o Pai. É por isso que o mundo não trabalha ao nosso favor (não acontece só o que queremos). sai deste maya”. A visão espiritualista. o ser tem condições de executar o seu trabalho espiritual.

pois são eles que lhe dão os pensamentos. Portanto. Acho que agora fica claro que o que é real para você é ilusão. pois é melhor entrar no reino do céu sem um olho do que ir para o inferno com o corpo inteiro: deixe de “ver” as coisas. se existe uma inteligência inferior tem que haver uma superior e é ela que comanda todas as inferiores. E como saber o que é nosso pensamento e o que vem de fora? O . Colocar o que conversamos hoje sobre o ensinamento do Buda não precisa porque foi o que usamos. deixe e dar valor aos acontecimentos da vida. Nós pedimos para interagir com pessoas que não nos satisfazem para poder aprender a “caminhar” ao lado do suposto inimigo sem guerreá-lo. Tente aplicar os ensinamentos de Cristo no que conversamos hoje. ou seja. ou seja. mas servindo-o. ou seja. mas compare com o ensinamento do Krishna: tudo que existe é fruto da ação de um guna pensante com um guna pensado e por isso é maya. Porque você se preocupa com o amanhã. pois como Cristo ensina. deixe de ser cego (ter verdades) para poder auxiliar bem o seu próximo. Aí os apóstolos perguntam: você está dizendo que nós somos cegos? Cristo responde: se você diz que pode ver então é cego.É por não ter a consciência de que aquele que não faz o que queremos é nosso amigo (nos auxilia na elevação espiritual) que o tratamos como “inimigo”. Pergunta: Como saber se o que o senhor fala não é maya também? Tente aplicar o que eu falo nos ensinamentos dos mestres. Quando um cego guia o outro os dois caem no buraco: enquanto houver verdades sempre existirão desavenças. Não viemos a este mundo para viver apenas com as pessoas que nos satisfazem. pois ainda está preso à obra fictícia que você mesmo criou e colocou “dentro” de você para se libertar e assim conseguir alcançar a felicidade incondicional nesta vida e uma boa posição depois do desencarne. quero ver é cumprimentar o inimigo. Coloque tudo que falamos hoje em comparação com o ensinamento do Espírito da Verdade a Kardec: Deus causa primária de todas as coisas. pois o problema é o que você “enxerga” (atribui sensação) e não o que o outro está fazendo. Os espíritos conhecem os nossos pensamentos? Muito mais do que pensas. se o amanhã é criado por Deus. Retire a trave que está no seu olho e não o cisco que está no olho do próximo. amando-o. Se seu olho lhe faz pecar. arranque-o fora. pois aquele que vê de verdade nada enxerga. não atribui valor algum às coisas. é fácil abraçar um amigo.

São ficções que você valoriza criando mayas vivendo a ação dos cinco agregados como se fosse realidade. Fiquem na Paz de Deus! . com atenção plena às formações mentais que retratam as sensações escolhidas e os conceitos sobre as formas percebidas que foram armazenados na consciência. ou seja. Pergunta: Em outra palestra o senhor afirmou que o espírito está parado. Quando ele entra na enfermaria e vê espíritos deitados em macas com movimentos faciais pergunta ao seu mentor: o que está acontecendo. Nem física de corpo. nem física de espírito: é somente a ação dos cinco agregados do espírito. isso é verdade. O mentor diz: são os espíritos vivendo a sua vida. todas as ações e movimentações que você percebe é apenas ação carmática. Todo resto. Por isso Cristo disse que se qualquer parte do corpo lhe atrapalhar jogue-o fora. Não é com o braço. em busca da satisfação material. A elevação espiritual se conquista no trabalho junto aos “cinco agregados”. eu posso lhe afirmar que o meu ensinamento é maya. É aqui que se vence ou se perde no sentido espiritual. apenas vivendo uma vida mental. compreenderam os ensinamentos dos mestres. a partir deste trabalho. é só compará-lo com os ensinamentos dos mestres. mas o que você compreende é maya. Agora. uma voz que lhe fala enquanto que o seu é inconsciente. com a perna ou com qualquer outra parte do corpo (ações físicas) que se vence a elevação espiritual. deitado. aí não vai dar certo. Sabe por quê? Porque você está querendo raciocinar logicamente o que estou falando e ao fazer isso criou um maya. Desta forma. A sua vida.pensamento que o espírito lhe traz de fora é sempre uma idéia. que se “vive” ou se “morre”. o que eu falo é Real. apesar disso. uma palavra. se você quiser compará-lo com as verdades dos seres humanizados que. Aí. Agora. Sim. o que você conhece como vida é uma atividade mental e não física. O senhor pode comentar melhor isso? Essa realidade ou informação real foi trazida por André Luiz no livro “Nosso Lar”. Para saber se o que estamos falando é Real.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful