P. 1
24898-94812-1-PB

24898-94812-1-PB

|Views: 5|Likes:
Published by Pathi Medeiros

More info:

Published by: Pathi Medeiros on Jul 24, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/12/2014

pdf

text

original

CINTED-UFRGS

Novas Tecnologias na Educação

____________________________________________________________________________________________________

Uma ferramenta para apoio ao ensino da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais)

Evandro Metz Flores, Sandro José Rigo UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos
evandrometzflores@gmail.com, rigo@unisinos.br

Abstract. The teaching of Brazilian Sign Language(LIBRAS) lack for free and friendly tools to support the need for training of various publics, especially teachers. This work describes the construction of a digital tool to support teaching and practice of LIBRAS, using the OpenCV library for the presentation of videos, and the EGL library to work with images and build interfaces for user interactions. Keywords Digital tool LIBRAS Teaching

Resumo. O ensino da Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS) carece de ferramentas livres e amigáveis, para apoiar a necessidade de capacitação de diversos públicos, em especial os professores. Neste trabalho é descrita a construção de uma ferramenta digital de apoio ao ensino e prática da Libras, utilizando-se das bibliotecas de programação OpenCV, para a apresentação de vídeos, e EGL, para tratamento de imagens e construção das interfaces de interação com o usuário. Palavras-chave 1. Introdução A educação de surdos tem sido embasada por diferentes enfoques para a educação desses sujeitos. Entre a exaltação da fala no oralismo, a aceitação parcial da sinalização na comunicação total, chega-se ao fortalecimento do bilingüismo enaltecido pela oficialização da Língua Brasileira de Sinais (Libras) no ano de 2002. O enfoque bilíngue baseia-se no entendimento de que a primeira língua do surdo deve ser impreterivelmente a Língua de Sinais, e a sua segunda língua a língua portuguesa na sua modalidade escrita. A língua portuguesa na modalidade oral é posta como uma escolha pessoal do sujeito surdo. O fortalecimento do bilinguismo na educação de surdos foi ocasionado pela oficialização da Língua Brasileira de Sinais, a partir da Lei N.º 10.436 de 24 de abril de 2002 regulamentada pelo decreto Nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Essas políticas acerca da Libras, juntamente com as políticas sobre inclusão escolar, vieram a embasar o processo de inclusão dos surdos no ensino regular, garantindo a formação de professores ouvintes que dominem a Língua de Sinais, e de tradutores/intérpretes de Libras para intermediar a comunicação dos surdos no contexto escolar. Entretanto, uma grande quantidade de alunos surdos incluídos nas escolas regulares encontram professores com pouco preparo para lidar com sua especificidade linguística. Frente a este contexto foram consultados professores da área, ministrantes de disciplinas relacionadas a Libras na UNISINOS ou cursos específicos para pessoas ouvintes de diversas áreas, para colher subsídios sobre necessidades de apoio ao ensino de LIBRAS, com utilização de ferramentas digitais.
V. 9 Nº 2, dezembro, 2011_______________________________________________________

Ferramenta digital

LIBRAS

Ensino

CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ Nestes relatos verificou-se que uma das lacunas nessa área relacionava-se a falta de materiais apropriados para o ensino da Libras que dessem conta de características fundamentais dessa língua. locação. de um humanóide em três dimensões permite. Com base nesta necessidade identificada. a rotação do personagem para uma melhor visualização de tais parâmetros. sendo atualmente apoiado pelo MEC/Secretaria de Educação Especial com recursos do FNDE. disponível a quaisquer pessoas que estejam interessadas em aprender esta linguagem de forma interativa. O projeto TLIBRAS [Acessibilidade Brasil. Busca-se. quanto o próprio aluno que por vontade própria queira fixar e/ou aprender novas atividades. deste modo. passando por um dicionário da língua formado por dezenas de vídeos [Acessibilidade Brasil. Coordenado pela Acessibilidade Brasil. contribuir para promover uma inclusão menos excludente dos surdos na escola e em um âmbito social mais amplo. TLIBRAS Observam-se atualmente alguns projetos que visam a tradução dinâmica das palavras em português para os sinais em Libras. está sendo desenvolvido por cerca de 23 pessoas. Porém seu desenvolvimento é demorado e os resultados não são amplamente satisfatórios. 2008]. 2008]. o que dificulta a visualização dos parâmetros linguísticos da Libras. foi desenvolvido neste projeto uma ferramenta de uso simplificado e acesso facilitado. por exemplo. Já a animação. com o objetivo de promover o aprendizado da Língua Brasileira de Sinais. o uso de gravuras e vídeos deixa a desejar no que diz respeito à profundidade do movimento. o fato da animação não ser natural ainda provoca estranheza e receio de usuários. através de convênio com a FENEIS. É importante ressaltar que a ferramenta foi construída de modo que seu usuário possa ser tanto um professor que queira usar e divulgar esta ferramenta como material de apoio para as suas aulas.Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos. até o uso de animações computadorizadas que tentam simular os movimentos adequados à representação de cada palavra. 9 Nº 2. Nessas situações não há uma correta visualização dos parâmetros lingüísticos da Libras. em alguns casos. 2011_______________________________________________________ . ESTRUC e ESTRUC. com o uso da tecnologia já difundida e amplamente utilizada nos dias de hoje. Mesmo assim. ESTRUC e ESTRUC. dezembro. 2. 2011]. posto que a Libras é uma língua visuo-gestual. Este V. Porém. configuração de mão e principalmente movimento [PACHECO. foi iniciado em 2001. 2011]. Grande quantidade dos materiais disponíveis para o ensino da Libras estão baseados em desenhos do sinal em questão. Trabalhos relacionados Existem hoje variadas formas de demonstrar os sinais da Libras. Figura 1. desde metodologias técnicas utilizando gravuras simples [PACHECO. a saber: ponto de articulação.

consistindo em um conjunto de áreas de interface onde cada sinal será demonstrado por três câmeras em ângulos diferentes. O OpenCV (Open Source Computer Vision Library) originalmente desenvolvida pela Intel em 2000. Figura 2. Com base nestes requisitos. Apresenta necessidade de melhorias devido ao seu sistema de animação facial e de esqueleto [Acessibilidade Brasil. estes poderão ser repetidos em laços. ela possui uma forma totalmente diferente e inovadora de apresentar seu conteúdo. 2011). Outro projeto sendo desenvolvido paralelamente ao TLIBRAS é o Projeto de Computação Gráfica que tem por objetivo transformar a Notação-Libras em uma Animação Real Time Libras utilizando-se das mais modernas tecnologias de Computação Gráfica. inicialmente por ser uma virtual e interativa. para o V. 2011_______________________________________________________ . Modelo do projeto de Computação Gráfica 3. 9 Nº 2. Além disso. totalmente livre ao uso acadêmico e comercial. Tão importante quanto à metodologia de ensino é o conteúdo a ser apresentado pela ferramenta. Além disso. empregam-se as bibliotecas de programação OpenCV (OpenCV. que mesmo sendo um protótipo deve atuar em áreas diferentes para testar suas funcionalidades. Para que a ferramenta seja realmente dinâmica e adaptativa a cada usuário. dezembro. sendo a primeira frontal. A metodologia de apresentação é o principal diferencial desta ferramenta. Materiais e métodos A ferramenta desenvolvida atende três etapas fundamentais do ensino e aprendizado: conhecer. foram modeladas as principais funcionalidades necessárias. Para o seu desenvolvimento foi realizado um levantamento sobre as atuais ferramentas e projetos em andamento de objetivo semelhante e também um levantamento das necessidades observadas em escolas e outros locais de utilização desta língua. e desenvolvido um protótipo. com o objetivo de apresentar certa profundidade do sinal demonstrado. a segunda na diagonal direita e a terceira a diagonal esquerda do tradutor. ela conta com recursos optativos como uma barra slider onde a velocidade de exibição dos vídeos pode ser ajustada para uma melhor compreensão. exercitar e interagir. é uma biblioteca multiplataforma. 2011]. Com relação aos recursos de implementação. Um exemplo de seus resultados pode ser visto na figura 2.2011) e EGL (HEINEN. A figura 1 ilustra esta idéia geral do projeto.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ projeto objetiva a tradução simultânea de textos ou vozes para a língua de sinais. de forma a validar sua utilização e coletar dados para melhorias. Atualmente está sendo realizado um conjunto de testes com usuários da ferramenta. Estas etapas devem estar bem relacionadas e serem de fácil compreensão.

Figura 3. onde o usuário encontra todos os sinais existentes no banco de dados da ferramenta. Na interface da ferramenta está presente um campo para digitação de texto. 2011]. cuja representação será exibida na V. Para isso é essencial que a ferramenta proporcione a visualização destes três vídeos ao mesmo tempo para o usuário. Com a funcionalidade de gravação de vídeo.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ desenvolvimento de aplicativos na área de Visão Computacional. Na LIBRAS são encontrados 5 parâmetros que formam os sinais e cada um desses parâmetros é explicado com um pequeno texto adicionado de um recurso visual. formando uma comunidade de estudantes de Libras. dezembro. seus posicionamentos e colisões. onde o usuário pode digitar o nome da palavra que deseja.ORG. ou ainda de vocábulos de uma língua. 9 Nº 2. 3. é importante que ele possua controle sobre a apresentação de cada sinal. Função Parâmetros Linguísticos Um dicionário é uma compilação de palavras ou dos termos próprios. 2011_______________________________________________________ . característica disponibilizada na ferramenta. quase sempre dispostos por ordem alfabética e com a respectiva significação ou a sua versão em outra língua. cria-se um novo leque de oportunidades e caminhos a serem seguidos futuramente.1 Principais Funcionalidades A seção “Conhecer” delimita toda a parte de aquisição de novos conhecimentos e nela estão distribuídos conteúdos explicativos referentes aos parâmetros lingüísticos. como pode ser visto na figura 3. Na seção “Parâmetros Linguísticos” estão reunidos elementos de apoio para sua compreensão. alfabeto manual e um dicionário formado por vídeos. podendo haver compartilhamento de vídeos entre os colegas. Existe uma página para cada parâmetro e o usuário pode alterar entre as páginas no momento que desejar. Um dos fundamentos em que se baseia esta ferramenta é a apresentação ao usuário de três vídeos simultâneos do mesmo sinal em ângulos diferentes. Para que o mesmo adapte a ferramenta as suas características de aprendizagem. A EGL é uma biblioteca bastante utilizada para ensinar programação de jogos e C++ e com ela se trabalha facilmente imagens. selecionando as setas presentes nas partes laterais da interface. Os sinais são formados a partir da combinação da forma e do movimento das mãos e do ponto no corpo ou no espaço onde esses sinais são feitos [LIBRAS. Está incluído na ferramenta um dicionário que trata da tradução e/ou representação de algumas palavras da língua portuguesa para sua simbologia em LIBRAS.

é possível visualizar a reprodução do vídeo representativo. dezembro. Neste ponto optou-se pela utilização de imagens 2D e pequenas animações devido ao fato de sua visualização ser extremamente simples . quer icônico. Figura 6.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ janela de vídeos. Apresentação tripla de vídeos A datilologia. com um pequeno texto explicando a utilidade do alfabeto manual e o que o usuário deve fazer para visualizar a representação da letra selecionada. apresentando todas as palavras presentes no banco de dados de forma ordenada. na tela de interface haverá um campo descriminado indicando qual a configuração de mão está sendo utilizada no vídeo. é um sistema de representação. ou a seleção na lista. Função Alfabeto Manual V. Na seção “Alfabeto Manual” este assunto é tratado. 2011_______________________________________________________ . Figura 4. quer simbólico. As figuras 4 e 5 ilustram estas funcionalidades. por meio das mãos. Após a digitação do texto. Função Dicionário LIBRAS Figura 5. das letras dos alfabetos das línguas orais escritas. 9 Nº 2. Enquanto qualquer vídeo estiver sendo visto pelo usuário. ou alfabeto manual. Outra alternativa possível é a seleção da palavra em uma lista presente na interface. A figura 6 apresenta um exemplo desta funcionalidade.

9 Nº 2.  Respostas para cada item. Figura 7. Esta funcionalidade será explicada individualmente dentro das seções que seguem. 2011_______________________________________________________ . A diferença entre as duas funcionalidades se dá na seção “Exercícios”. dezembro. enquanto que na seção “Avaliação”. separados por vírgula. esta divisão da ferramenta traz exercícios de múltipla escolha com um funcionamento intuitivo. Função Exercícios Para criação de exercícios deve-se editar um arquivo específico. Quando a sequência de sinais termina. ou com a letra “v” se está for a resposta correta. o usuário alterna entre as questões selecionando as setas de navegação. é exibida também uma janela tripla de vídeos. Depois de visualizar o resultado. Tanto a lista de exercícios quanto a lista de questões referentes à avaliação podem ser expandidas facilmente por qualquer pessoa. o usuário aperta o botão “Corrigir” e verifica a correção da sua resposta. um pequeno vídeo apenas mostrando a palavra “Fim” é exibido e a sequência de vídeos é iniciada novamente. na ordem desejada. Sua divisão foi feita em duas partes muito semelhantes: avaliação e exercícios. como exibido na figura 7. V. A funcionalidade de exercícios é focada totalmente na prática teórica. o usuário só pode passar para a questão seguinte. Também está presente nesta janela o campo onde há a indicação da configuração de mão que está sendo utilizada no vídeo atualmente em exibição. iniciando com uma letra “x” se esta resposta é incorreta. Após selecionar a resposta desejada. Assim que o exercício é iniciado. contendo a descrição das questões e respostas.  Título do exercício. um após o outro. onde cada sinal definido na criação do exercício é exibido. Um novo exercício pode ser criado com os seguintes itens:  Nome de cada vídeo a ser apresentado no exercício.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ A seção “Exercitar” trata de todo treinamento teórico presente na ferramenta. que lhe é apresentada ao final da avaliação. Na janela de interface é descrito o título do exercício e logo abaixo as quatro respostas possíveis de serem selecionadas. onde o usuário pode alternar livremente entre todos os exercícios da lista e responde-los quantas vezes preferir. As duas sub-seções apresentam exercícios de múltipla escolha onde o usuário deve assistir os vídeos e responder o que se pede no título do exercício. e cada resposta correta acrescenta um determinado valor a sua nota final.

dentro do banco de dados da ferramenta. a ser incluído no exercício. seguido do enunciado do exercício. dezembro. Não há um número limite de exercícios que podem ser criados. A seção “Interagir” trata da criação e inclusão de vídeos ao banco de dados da FEDAEL. Exemplo de criação de exercícios A figura 8 ilustra um exemplo de criação de exercício simples. porém o usuário neste caso não pode retornar às questões já respondidas.txt” dentro da pasta “exercitar”. Para expandir a lista de questões deve-se acessar o arquivo “avaliação. Na segunda linha. Focando o treinamento prático esta funcionalidade se divide em duas: “Interagir com a webcam ” e “Adicionar vídeos”. mas é necessária a verificação da existência do vídeo. antes do título. 2011_______________________________________________________ .seção “Adicionar vídeos”. Estas sub-seções estão ligadas devido o fato de que vídeos gravados com a webcam. cujo resultado é exibido na figura 9 abaixo. Figura 9. Cada questão possui um peso definido pelo professor. podem ser adicionadas posteriormente utilizando o passo a passo da sub. V. A seção “Avaliação” possui seu funcionamento muito semelhante ao que ocorre em Exercícios. e salvos apenas na área de trabalho. 9 Nº 2. A criação de questões dentro deste arquivo segue o mesmo principio da criação de exercícios vista anteriormente. fazendo com que ao final da avaliação o usuário receba uma nota referente ao seu conhecimento. com uma única alteração. que contém todas as questões pertencentes à lista.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ Figura 8. deve ser colocado o valor correspondente a questão. Função Avaliação A criação de cada questão também é muito semelhante a que ocorre na criação dos exercícios.

para a gravação. 9 Nº 2. logo após ele retorna a janela “Interagir com a webcam ” para que possa gravar mais vídeos. podendo inclusive ser utilizado para incluir vídeos criados na subseção “Interagir com a webcam ”. é exibida uma mensagem ao usuário com esta informação. Esse tipo de procedimento funciona com vídeos de qualquer formato. A gravação de um vídeo é um processo simples na ferramenta desenvolvida. Caso nenhuma das alternativas seja marcada. para compartilhar com colegas e professores. selecionar a configuração de mão desejada e selecionar o botão vermelho para iniciar a gravação. possibilitando ao usuário escolher novamente onde deseja salvar ou confirmar que deseja apenas gravar o vídeo e não guardá-lo em lugar algum.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ Figura 10. ou para outras funções desejadas. Iniciando a gravação. Veja na figura 11 um exemplo da interface para esta funcionalidade. se pressionado. Figura 11. A função Interagir com a webcam pretende principalmente a facilitação do uso de webcams para a geração de vídeos. para a inclusão do vídeo. a partir deste momento todo o conteúdo que nela estiver já estará sendo gravado. uma nova janela surge na tela. dezembro. demonstrando a área que está sendo filmada pela câmera. uma pequena tela pedindo a confirmação da opção aparece. Também surge na janela de interface um novo botão que. Função Interagir com a webcam V. Finalizando a geração do vídeo. Função Adicionar Vídeos Seguindo os passos descritos na figura 10. o usuário receberá uma mensagem de confirmação. 2011_______________________________________________________ . para simples análise do próprio usuário sobre o seu desenvolvimento. Basta digitar o nome que se deseja dar ao vídeo que será gravado. O usuário pode optar por salvar o vídeo no banco de dados da ferramenta e/ou em sua área de trabalho. que podem ser usadas para expandir o banco de dados da ferramenta.

Destaca-se também o fato de todos os voluntários concordarem em ter aprendido algo sobre LIBRAS. quanto pelo corpo discente. Resultados e discussão Para testar a real funcionalidade da ferramenta construída. todos os voluntários do primeiro grupo consideraram a ferramenta de fácil interação e que pode ser utilizada por pessoas com pouco conhecimento em LIBRAS e em microinformática. Já o segundo grupo em sua totalidade considerou estar insatisfeito com as metodologias existentes. Para uma maior difusão desta ferramenta. 9 Nº 2. se faz importante destacar o quão bem avaliado foi o projeto. em sua totalidade indicou a possibilidade do uso da FEDAEL como material didático. ágil e funcional. em três vídeos. dando destaque à metodologia apresentada. V. Ambos descreveram a ferramenta como interativa. e destacou positivamente a forma como a FEDAEL apresenta seu conteúdo. poderiam ser incluídas funcionalidades ainda mais abrangentes. atendendo uma necessidade urgente e que não pode mais ser adiada. um grande banco de vídeos colaborativos. e que parte deles recomendaram uma maior divulgação da mesma. É importante destacar também que todos os professores sugeriram que a ferramenta continue sendo trabalhada. Conclusões Ao longo do desenvolvimento deste projeto foram realizadas muitas alterações para que a ferramenta possa ser considerada um bom material de apoio ao ensino e aprendizado da LIBRAS. se mostrou um diferencial a ser evidenciado nesta conclusão. podemos observar que esta ferramenta poderia ser desenvolvida em uma versão posterior. que os voluntários puderam aprender rapidamente alguns sinais. Somente a adição desta funcionalidade já faria aumentar de forma exponencial sua aplicação. Também foi possível observar neste grupo que apesar dos poucos minutos de interação com a ferramenta. também para plataformas móveis como telefones inteligentes e tablets. optou-se pela realização de testes práticos. Observando suas funcionalidades e requisitos simples. formado por professores que ministram aulas sobre o assunto LIBRAS. dezembro. onde todos os usuários poderiam ter acesso. e o terceiro por professores que ministram aulas sobre o assunto na UNISINOS. realizados com 3 grupos diferentes. 5. Com o desenvolvimento da ferramenta finalizado e já apurado o resultado dos testes. tornando sua aplicação ainda mais dinâmica. De acordo com os resultados obtidos. O primeiro formado por três estudantes sem conhecimento em LIBRAS. como por exemplo. utilizando a ferramenta.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ 4. 2011_______________________________________________________ . e também a forma como cada sinal é apresentado. O terceiro grupo. tanto pelo corpo docente. O fato de alguns terem sugerido a continuação e expansão do projeto e levar a conhecimento de órgãos ligados ao tema e ao ensino. o segundo formado por estudantes com algum conhecimento no assunto referido. formando uma grande comunidade de alunos e educadores voltados à disseminação deste assunto.

Acesso em: 8 de março de 2011. Acesso em: 12 de outubro de 2011. Disponível em: <http://www.br>. L. Disponível em http://code. 2008.. E.ufmg. F. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos. agos. 2006. ESTRUC. Libras? Que língua é essa? São Paulo: Parábola Editorial.willowgarage.com >..acessobrasil.br/Apostila. Universidade Federal de Minas Gerais.br>. TAVARES. Acesso em: 10 junho de 2011.br/anais/2009/pdfs/seminfo/63488_1. 2011.br/fon/monografias/07-marcia-sousa. OPENCV. 2011.google. PACHECO. Acesso em: 20 ago de 2011. dez. João E. 2007.seminfo.org.pdf>.medicina. Valderi. ACESSIBILDADE BRASIL. Acesso em: 10 de maio de 2011. GESSER. 2011. 2007. Acesso em: 27 abril de 2011. S. HEINEN. CRISTINA. Animação de Humanos Virtuais Aplicada para Língua Brasileira de Sinais.com/p/libegl/ . Acesso em: 15 mar de 2011. MG.pdf>. Acesso em:5 maio de 2011. Atividades sobre LIBRAS. LOPES.scielo. 2008. da R. Belo Horizonte. Andréia Rodrigues se Assunção.iit. Disponível em <http://www. Surdez & Educação. Centro de Estudos Educação e Sociedade. TECGRAF PUC-RIO. dezembro. Curso Básico da LIBRAS. SOUSA.php?lista=libras>. Aspectos práticos da inclusão escolar de alunos com deficiência auditiva na cidade de Belo Horizonte .. Disponível em <http://code.com. M. SensorLibras:Tradução Automática Libras-Português Através da Computação Ubíqua . Marcia Cristina de Oliveira. 2011.. A língua brasileira de sinais .edu>.br/pdf/ccedes/v26n69/a04v2669.com/p/libegl/> .org. 28 f. 2011. 2011_______________________________________________________ .pdf>. professores e interpretes sobre esta experiência . 2011. Acesso em: 1 mai de 2011. 108 f. SCHNEIDER. 2008. O. Disponível em < http://opencv. ATIVIDADES EDUCATIVAS.surdo. Mara Corcini. 2009. IIT College of Science and Letters. V. 9 Nº 2. Disponível em: <http://www.google. Acesso em: 10 de outubro de 2011. Disponível em <http://www.edu>.com/doc/JOZ_V2wQ/preview. Acesso em: 12 de outubro de 2011. Disponível em <http://www. Disponível em <http://dc108. EGL3. Belo Horizonte: Autêntica. Porto Alegre. 2007. ESTRUC. Disponível em <http://www. Disponível em < http://www. RS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.iit.tecgraf. 2007.br/index. 2011. EGL3.puc-rio.html>. BROGLIA. C. LEITHARDT. A.atividadeseducativas. Disponível em < http://www. R. 2007. Acesso em: 12 de maio de 2011.CINTED-UFRGS Novas Tecnologias na Educação ____________________________________________________________________________________________________ Referências bibliográficas A GRAMÁTICA DA LIBRAS. CORCINI. Disponível em < http://www. Belo Horizonte: Autêntica. Trabalho de Conclusão de Curso – Curso de Medicina.com. 2011. F.pdf> Acesso em: 10 de outubro de 2011. J. 2011. M. Aspectos práticos da inclusão escolar de alunos com deficiência auditiva na cidade de Belo Horizonte . L. Surdez & Educação. 2011. Dissertação (Mestre em Ciência da Computação) – Curso de ciência da computação. IIT College of Science and Letters.4shared.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->