P. 1
BOLETIM ESPERANÇA 51

BOLETIM ESPERANÇA 51

|Views: 7|Likes:
Published by docimnho007

More info:

Published by: docimnho007 on Jul 27, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/28/2014

pdf

text

original

A TERAPÊUTICA DEFINITIVA PARA A DEPRESSÃO (1ª PARTE

)
A depressão se tornou, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, o quarto maior problema de saúde pública, caracterizando-se como “uma nova epidemia global”. E mantido o cenário atual, estima-se que, até 2020, a depressão será o segundo maior problema de saúde pública no mundo¹. Conceitua-se a depressão² como “um Transtorno Afetivo (ou do Humor), caracterizado por uma alteração psíquica e orgânica global, com consequentes alterações na maneira de valorizar a realidade e a vida”. Diferencia-se da tristeza normal por ser esta passageira, por mais dolorosa que possa ser. Assim, o estado depressivo é tido hoje como uma doença, e não uma fraqueza, envolvendo todo o corpo e a personalidade do sujeito depressivo, afetando seus pensamentos, sentimentos e o estado físico em geral. Para o Dr. Inácio Ferreira, “a depressão é sempre um distúrbio muito angustiante pelos danos que proporciona ao paciente: dores físicas, taquicardias, problemas gástricos, inapetência, cefaleia, sentimento de inutilidade, vazio existencial, desespero, isolamento, ausência total de esperança, pensamentos negativos, ansiedade, tendência ao suicídio”, acrescentando que “o enfermo tem a sensação de que todas as suas energias se encontram em desfalecimento e as forças morais se diluem ante a sua injunção dolorosa”³. Dentre as diversas possibilidades de desdobramento dos estados depressivos, o suicídio é, sem dúvida alguma e por si só, razão para estarmos em alerta para essa “epidemia”, que, hoje em dia, alcança inúmeros lares. E considerando que a maioria dos depressivos, que se suicidaram, deu, em algum momento, evidências desse propósito, essa possibilidade deverá sempre ocupar as ações preventivas dos que assistem aos depressivos. Na busca de soluções para a temática, e com base nos estudos, identificamos uma tríade dimensional nos estados depressivos, em uma visão multifatorial, com aspectos orgânicos, psíquicos e espirituais. Essa visão pode ser parcialmente percebida nas causas da depressão, onde evidenciamos a suscetibilidade (ou natureza), com a componente da predisposição genética, os fatores estressantes (ou meio ambiente), relacionados aos fatos e contextos de vida atual, acrescidos na componente definida como vulnerabilidade psicológica, que evidencia os aspectos psíquicos relacionados à história de vida do indivíduo. O conhecimento espírita nos descortina, de forma complementar e fundamental, a componente espiritual, permitindo o alargamento da compreensão desse quadro tão doloroso da depressão, e abrindo a oportunidade para estabelecermos uma terapia tridimensional dos estados depressivos, envolvendo o orgânico (uso de fármacos, desde que mantidos os cuidados para que o abuso desnecessário não se faça mandatório), o atendimento psicoterapêutico (hoje com várias possibilidades de abordagem), e a terapêutica espiritual. (continua no próximo Boletim)
1“What 2 3

Deus existe! Até aí, nada de novo, afinal somos espíritas. Novo mesmo é o posicionamento de parte da elite da ciência convencional, revendo suas posições no tocante à discussão acerca da existência ou não de um princípio inteligente atuando como articulador da criação do Universo. Antes, figurava no discurso acadêmico-científico, de forma quase solitária, a tese que defendia que o “Big Bang” seria sua causa primária, ao disparar um processo que, de forma aleatória, redundaria na casual origem de todas as formas de vida porventura existentes no Universo conhecido. Não havia espaço sequer para a discussão do tema, tamanha a certeza sobre o assunto. Qualquer questionamento era logo tachado de manifesto fanatismo religioso ou simples incapacidade intelectual. Pois é, as coisas estão mudando. Um físico formado em Harvard e Cambridge, diretor da Georgetown University, em Washington D.C., professor Ph. D. Patrick Glynn, escreveu o livro: “A Evidência. A reconciliação entre a Fé e a Razão no mundo atual”, onde explica os quatro motivos que o levaram do ateísmo à fé cristã. O primeiro motivo, segundo ele, é que não há como, seriamente, negar que exista uma ordem inexplicável no Universo. Pesquisadores altamente qualificados já esgotaram o assunto e chegaram à conclusão de que, por menor que fosse a alteração na conformação dos planetas, ela extinguiria o equilíbrio que viabiliza a vida na Terra. Por outro lado, se não existisse a sintonia fina em nível subatômico, também seria inviável qualquer sopro de vida no Planeta. Tentar explicar a criação com uma sequência infinita de coincidências inexplicáveis é violar a lógica e desprezar os critérios científicos. Só com humildade será possível continuar evoluindo, pois, em época de transição é preciso ter especial desprendimento com as próprias ideias. O autor adere à tese, conhecida como princípio antrópico, segundo a qual, por trás de todas as leis da física, existe um indiscutível planejamento, que as inspira, dirigindo-as sempre para o especial fim de possibilitar a vida dos homens em nosso planeta. Há, portanto, uma inteligência anterior, e superior, guiando toda a Criação. Em seu livro, ele considera ainda o poder de cura da oração, já amplamente confirmado em pesquisas cuja credibilidade é incontestável. Ele corrobora o efeito benéfico da fé com os fartos registros testemunhais fidedignos das Experiências de Quase Morte (EQM). Conclui, citando os estudos de importantes sociólogos sobre as consequências deletérias à vida em sociedade quanto à inexistência da fé. Um número cada vez maior de cientistas vem manifestando adesão a esse raciocínio e alguns deles têm corrido o mundo fazendo palestras e participando de congressos sobre o assunto. Podemos comemorar, pois há sinal de amadurecimento científico entre os nossos pesquisadores. Agora que concluíram que Deus existe, não demora, eles vão entender que só a reencarnação é precisa expressão da Lei de Justiça, Amor e Caridade. Convém, desde já, começar a colocar mais lugares nos auditórios das Casas Espíritas. Enfim, vale aconselhar: não perca Rafael Rodrigues tempo, leia Kardec!

ENFIM, A CIÊNCIA DESCOBRIU DEUS

GERALDO GUIMARÃES

Boletim Esperança
Informe de Estudos Espíritas, RJ, Ano V, N. 51 EDITORIAL
Nesses dias de excessos materialistas, aproxima-se um oásis de bênçãos. Sim; todo ano, por uma semana, temos a chance de conviver com o Pomicultor do Bem. Semeando a Verdade, e multiplicando leiras repletas de celeste luz, ele perfuma o espaço, balsamiza almas sofredoras, e esclarece mentes sazonadas na estação do Amor. Da Retidão à NãoViolência, nos convida à construção da Paz. Vamos participar desse evento? A EQUIPE Boa leitura.

JULHO, 2013

DIVALDO FRANCO – UMA VIDA EM VERSO
No interior da Bahia, o menino nasceu, com a missão de luz que Jesus lhe deu. O pai, seu Francisco, e sua mãe, a Dona Ana, tiveram treze filhos, lá em Feira de Santana. Desde a primeira infância, com Espíritos conviveu, o pequeno Jaguaçuru fora amigo seu. O povo não entendia, o pobre menino, coitado, com certeza queria vê-lo logo internado. Em plena juventude enfrentou conflito, perdeu dois irmãos, tombou, tão aflito. Dona Ana Borges, foi quem lhe salvou, tirando-o da confusão ela o orientou. Na Escola Rural, professor se formou, mas foi no Ipase, que ele trabalhou. Em março de 47, como orador estreou, e, com Humberto de Campos a todos conquistou. Sua rotina agitada, o dia todo ocupava, sem embargo, entretanto, até às três psicografava. O mundo inteiro ele percorreu, de nenhuma parte se esqueceu, levou a todos o Espiritismo, sem cair jamais no personalismo. Trabalhou uma vida sem descansar, para com o mais rico tesouro, a todos recompensar. No Caminho da Redenção, começou a assistência, mas foi na Mansão, que alcançou excelência. Em meio à revolução, Joanna autorizou, um livro à publicação e um sol novo raiou. Tarefa cumprida, é batalha vencida, prova e expiação, rumo à elevação.

Capa

NESTE BOLETIM

EDITORIAL SUPÉRFLUO NOTA DE FÉ DIVALDO FRANCO – UMA VIDA EM VERSO

Página 02
A MISSÃO ESPIRITUAL DOS POVOS EXPEDIENTE COLUNA DO CAMINHO PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DO DIVALDO

Página 03
MENSAGEM DO MÊS ESTUDANDO O LIVRO DOS MÉDIUNS

Página 04
A TERAPÊUTICA DEFINITIVA P/A DEPRESSÃO ENFIM, A CIÊNCIA DESCOBIU DEUS PROGRAMAÇÃO DA CASA DATAS IMPORTANTES DO MÊS

SUPÉRFLUO
Que se há de pensar dos que açambarcam os bens da Terra para se proporcionarem o supérfluo, com prejuízo daqueles a quem falta o necessário? “Olvidam a lei de Deus e terão que responder pelas privações que houverem causado aos outros.” Nada tem de absoluto o limite entre o necessário e o supérfluo. A Civilização criou necessidades que o selvagem desconhece e os Espíritos que ditaram os preceitos acima não pretendem que o homem civilizado deva viver como o selvagem. Tudo é relativo, cabendo à razão regrar as coisas. A Civilização desenvolve o senso moral e, ao mesmo tempo, o sentimento de caridade, que leva os homens a se prestarem mútuo apoio. Os que vivem à custa das privações dos outros exploram, em seu proveito, os benefícios da Civilização. Desta têm apenas o verniz, como muitos há que da religião só têm a máscara.
(“O Livro dos Espíritos”, pergunta nº 717 ).

NOTA DE FÉ
Em qualquer fase da vida, Quando a prova te apareça, Tempestade ou mágoa espessa Ao peso de férrea cruz, Recorda que o Céu te envia Mais amparo do que pensas, Mesmo nas trevas mais densas, Deus te acende nova luz. Conflitos, problemas, lutas, Nas sendas por onde vamos, São lições que precisamos, A fim de saber servir; Não há desprezo ante os Céus, Olha o charco que se enflora, Pensa na noite e na aurora E guarda a fé no porvir. Sofrimento é igual à nuvem... Estrondo, fúria, ameaça... Depois... é chuva que passa, Frutos ganhando apogeus; Se hoje sofres, não te esqueças, Que amanhã, no Espaço Infindo, O dia virá mais lindo, Brilhando no amor de Deus. (Maria Dolores no livro “Maria Dolores”).
BOLETIM ESPERANÇA 51 – página 01

PROGRAMAÇÃO DA CASA
PALESTRAS DOUTRINÁRIAS: OLIVRODOSESPÍRITOS 01/07 – Ana Guimarães LIVRE 08/07 – Vanessa Bianca Questão 803 15/07 – João José Questões 804 e 805 22/07 – Jair Cesario Questões 806 e 807 29/07 – Anete Guimarães LIVRE 3ª Feira (14:00 às 14:30) O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO 02/07 – Vanessa Bianca Cap. XIX, item 1 09/07 – Márcia Alves Cap. XIX, itens 2 e 3 16/07 – Helena Alves Cap. XIX, itens 4 e 5 23/07 – Luiz Carlos Bezerra Cap. XIX, item 6 30/07 – Rafael Rodrigues Cap. XIX, item 7 5ª Feira (19:30 às 21:00) – ESTUDO DO ESPIRITISMO Sábado (8:30 às 15:00) – ESCOLA DE ESTUDOS ESPÍRITAS ESPERANÇA

2ª Feira (20:00 às 21:00)

is Depression?”, disponível em World Health Organization. Acesso em: dez 2010. BALLONE, 2002. FERREIRA, apud FRANCO, 2010, p110. Ricardo Drummond

BOLETIM ESPERANÇA 51 – página 04

o Poder Divino encaminhou as manifestações em massa para a Europa. Os presidentes Harry S. ocorreu o fato que suscitou toda polêmica entre os amigos de ideal ou não. do Centro Espírita Jorge Niemeyer (Vila Isabel). àquele momento mágico do crepúsculo. no sentido de que não mais lhe daria cobertura. Carinhosa e sofrida. porém a presença dos Espíritos jamais se retirou das terras benditas dos “yankes”. Kardec. até o retorno. O passeio foi promovido pelo setor de divulgação do 120 CEU (área Grande Tijuca e adjacências). uma nota em que afirmava não mais se responsabilizar pelas dívidas ou pelo comportamento do jovem. impunham respeito. já em Barra do Piraí. Ela acertara mais uma vez. enquanto passeávamos na pracinha. coube à jornalista Ruth Montgomery (1912-2001) registrar. para o encantamento de todos. quando retornavam do passeio. Nem tudo. da França para o Brasil. investiga as causas das manifestações de levitação provocadas pelo Médium. servia de exemplo a forma gentil e constantemente atenciosa com que tratava a esposa. acrescenta: – Recolha seu filho. Era um homem alto. no Vale do Paraíba. cercada de suas primorosas lojas de artesanato. Somente no dia 22 de novembro de 1963 é que os noticiários estamparam o nome da sensitiva. conduziu-nos. No Ocidente. No Journal New York Courrier (1828-1938). dividindo opiniões entre certo e errado. Depois de meditar longamente. A personagem que escolhi para esta página. solidariedade e carinho com os abrigados. sem que isso. posto em liberdade.Truman e Dwight David Eisenhower conviveram com essa notável senhora. modificasse seu comportamento. – Pai. As visitas foram adredemente programadas ao Centro Espírita Fonte de Luz. depois de todas as chances e oportunidades desperdiçadas por incúria e desrespeito dele. enquanto durar o socorro que lhe prodigalizar. E foi o que ocorreu. por algum tempo. Tais iniciativas são verdadeiras ações de solidariedade que favorecem a confraternização e valorizam a nossa cultura. com direito a escolher a música de preferência e a saborear o bolo dos aniversariantes do mês. com eficiência e presteza. os desígnios celestes consolidaram o Espiritismo em nossa nação. com riqueza de detalhes. fizemos uma parada numa autêntica fazenda dos barões do café. Com dor no coração. e a renda será revertida em prol do evento comemorativo de 35 anos da Ação Evangelizadora das Instituições associadas ao 120 CEU/CEERJ. eu não posso ferir seu carinho de mãe. absolutamente. dando forma à nova revelação. através de analogia às manifestações das mesas que se movimentavam se a interferência humana. em jornal da localidade. E foi o que ocorreu. o filho os aguardava na esquina onde se despediam. ele assinala: – Minha querida. investigador das manifestações espíritas ocorridas com as irmãs Fox. preocupando-se com a saúde delicada da companheira de quase cinquenta anos de matrimônio. por muito tempo.A MISSÃO ESPIRITUAL DOS POVOS Desde sempre. era perfeito na vida do casal. mas não posso permanecer sob o mesmo teto. Pessoas existem que marcam de forma indelével a vida de outras. os Estados Unidos da América foram os primeiros a documentar os fenômenos mediúnicos. Aí. todavia o semblante era jovial e os olhos de criança. Uma curiosidade: os americanos cumpriram sua missão pioneira. tivemos a feliz oportunidade de passar um agradável domingo na “Cidade das Serestas”. retorno. A nossa simpática guia Wilta. e a palavra calma e esclarecida agradava sempre. Foi tudo uma delícia. causa e objeto do fenômeno físico. Como termina o caso? Simples e bom como os sentimentos honestos e verdadeiros no coração do homem. onde permanecerei. Home foi acompanhado de perto por outro estudioso. publicou suas experiências sobre as batidas de Rochester em 01 de agosto de 1853. e a maneira pela qual encaramos o nosso papel diante delas. E. a senhora Dixon comunicou aos repórteres. E. a fim de que Allan Kardec pudesse compilar os ensinos constituintes de “O Livro dos Espíritos”. enfeitava o rosto com um sorriso feliz e oferecia-lhe o braço para um passeio que durava até a chegada da noite. após o assassinato de John Kennedy no Texas. com direito à recepção pela anfitriã caracterizada de sinhazinha. cujo nome será omitido por questões óbvias. vai passando o bastão do conhecimento e da fraternidade para a construção da paz entre irmãos Vanessa Bianca COLUNA DO CAMINHO CARAVANA FRATERNA EM CONSERVATÓRIA No dia 9 de junho. o mundo espiritual manteve contato com o mundo dos encarnados. Com isso. às 7h. então. procurou pela mãe suplicando socorro. por atitudes tomadas etc. Parabéns! Valeu. Ana Guimarães ESTUDANDO O LIVRO DOS MÉDIUNS – CAPÍTULO IV – ITEM 80 Dando continuidade aos estudos da fenomenologia do movimento de objetos provocados por uma força estranha à Lei da Física estabelecida. ela pede a aquiescência do esposo para recolher o filho. Num início de noite. que aquele médium tinha a capacidade de ser. utilizou. aguardando a esposa-namorada. no declínio da tarde. E. pela maneira de se comunicar. durante uma entrevista. dedicado pesquisador das manifestações mediúnicas naquela época. o fato de estarmos num mundo de provas e expiações. não precisa mais ficar fora de casa. encontrávamos invariavelmente o nosso amigo com uma rosa na mão. com equidade. o juiz John Worth Edmonds. recebendo orientações do mundo espiritual nos graves momentos históricos vividos à época. francos e diretos. não importando a circunstância. encontrava-se enfermo e desabrigado. ao mesmo tempo. Ah! Não podemos deixar de citar o agradável almoço regado à seresta. E. respirando fundo. Assim. que uma nuvem negra pairava pela Casa Branca e. A partir de então. auxiliando-os e preparando-os para os graves eventos da vida. vencendo. com louvor. se reafirma a certeza de que os Espíritos nunca se apartam dos encarnados. de sua perspicaz capacidade dedutiva. Allan Kardec direciona seus argumentos para uma pequena abordagem dos efeitos produzidos pelo notável médium Daniel Dunglas Home (18361886). O filho fora preso e. a partir de 18 de abril de 1857. mais uma vez. Quando ele se for. mais tarde. sem falar do saboroso lanche regional cordialmente servido. Havia a presença de um único filho. As grandes missões dos povos são específicas. Sua entrada no Centro Espírita era motivo de alegria para todos. Simultaneamente. Ao vê-la chegar. por volta de 20h30min. Como ele não teve a possibilidade de observar in loco. os desafios. pela sua postura diante das circunstâncias. o casal tornou-se centro de atenção de muitos que discutiam pró ou contra. Esse homem fora obrigado pelas circunstâncias a estampar. tampouco devo transigir com a decisão adrede tomada. DIREÇÃO DA INSTITUIÇÃO Presidente: Luiz Carlos Bezerra Vice-presidente: Ricardo Drummond Secretários: Vanessa Bianca e Rafael Laucas EXPEDIENTE Direção do Jornal: Rafael Rodrigues Secretária: Regina Celia Campos Revisora: Giannina Laucas Colaboradores: Ana Guimarães Eugenia Maria Rita Pontes Marcia Alves Vanessa Bianca André Laucas BOLETIM ESPERANÇA 51 – página 02 André Laucas BOLETIM ESPERANÇA 51 – página 03 . Em 1956. Um sem número de médiuns tem desfilado ao longo de decênios pelas paragens americanas. desde o período colonial. para finalizar. Em nós. cabelos totalmente encanecidos. com as suas visões. homem público de grande caráter e inteligência. acredito que. carregando dentro o corpo do chefe de estado. como numa corrida olímpica. mas vou retornar quando for digno dos pais que Deus me deu. um físico inglês chamado William Crookes (1832-1919). trate-o como bem lhe aprouver. após cumprir o tempo de detenção. na esquina da rua X com a rua Y. porém. Neste item que ora estudamos. para onde levamos doações e trocamos momentos de descontração. estou saindo agora. a presença da clarividente Jeane Dixon (19041997) na Casa Branca. cada qual em seu momento. desde o momento da saída do ônibus. Fica o aproveitamento que tiramos das benditas oportunidades que a Justiça Divina nos oferece. O homem é um ser surpreendente. ficaram razões para analisar. Conclui ele. Na vida particular. pudemos nos deleitar ao som de uma saudosa “solarata” a céu aberto. Assim. bem como ao Lar dos Velhos de Conservatória. afirmou ver um caixão entrando pela porta principal do palácio presidencial. causou polêmicas infindáveis no movimento espírita. a vida das pessoas perdeu a possível monotonia. A despeito da contemporaneidade entre o famoso escocês e o Codificador − eles nunca se conheceram pessoalmente −. cuja vida e comportamento enchiam de tristeza o coração dos pais. me mudarei para um hotel. acompanhada de sua mucama. como era produzido o fenômeno por Home. Com tantos grupos concordantes e discordantes. Pelo inusitado da situação.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->