MINISTÉRIO DA CULTURA EDITAL CONCURSO PÚBLICO – 01/2006

O Secretário-Executivo do Ministério da Cultura – MinC, e os Presidentes da Fundação Biblioteca Nacional – BN, da Fundação Nacional de Artes – FUNARTE, e da Fundação Cultural Palmares – FCP, no uso de suas atribuições legais, considerando a autorização concedida pelo Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão e obedecendo ao disposto na legislação em vigor, tornam pública a realização, sob a responsabilidade da Fundação Getulio Vargas (FGV), em datas, locais e horários a serem oportunamente divulgados, de Concurso Público destinado ao provimento dos cargos especificados no item 2 do presente Edital. O Concurso Público reger-se-á pelas disposições contidas por este Edital, em conformidade com as disposições legais pertinentes. 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1. O Concurso Público destina-se ao provimento de duzentos e quinze cargos do Plano Especial de Cargos Cultura, do MinC, da BN, da FUNARTE e da FCP, pelo Regime Estatutário, dentro do prazo de validade de (um) ano, podendo ser prorrogado, por igual período, a critério da administração, a contar da data homologação do certame. 1.1.1. Durante o período de validade do concurso, o número de vagas poderá ser acrescido por necessidade administração com o de acordo e autorização do Ministério de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão. 1.1.2. A remuneração inicial dos cargos de Nível Superior e de Nível Médio tem por base os valores pagos acordo com a legislação vigente para a Classe A, Padrão I dos referidos cargos em janeiro de 2006. 2. CARGOS 2.1 Nível Superior 2.1.1 Remuneração: R$ 1.768,86 2.1.2 Jornada de Trabalho: 40 horas semanais, ressalvados os casos descritos em legislação específica 2.1.3 Descrição sumária das atividades, requisitos e número de vagas ÁREA V: CULTURA E EDUCAÇÃO Colaborar na elaboração do planejamento das atividades de criação, promoção e divulgação de serviços, de produtos e de eventos culturais. Colaborar na elaboração e desenvolvimento de projetos de pesquisa e na produção de textos técnicos e científicos com fins editoriais. Articular a cooperação entre as diversas áreas do conhecimento e instituições de ensino e pesquisa. Planejar, coordenar e executar ações relativas a projetos de identificação, proteção, conservação do patrimônio material e imaterial. Realizar estudos e pesquisas orientados a preservação do patrimônio. Emitir pareceres sobre projetos culturais apresentados para obter recursos de incentivos fiscais ou do Fundo Nacional de Cultura. Colaborar na formulação de projetos de inclusão social na área de cultura. Monitorar e avaliar a execução de Projetos de Cultura. Criar, desenvolver e acompanhar projetos gráficos, projetos de sinalização de espaços arquitetônicos e implementação de páginas da web. Desenvolver ações de capacitação e treinamento para o exercício de atividades culturais. da 01 da da de

1

Substantivo.1 Classificação dos Verbos. Brasília: Presidência da República. CONHECIMENTOS BÁSICOS – NÍVEL SUPERIOR Língua Portuguesa 1. 3. 2004. 5.2 Nominal. Evanildo. 1. 9. 4.3 Classificação Estrutural 5. 2005.1 Conceito.Análise Sintática.5 Grau do Adjetivo. 6. Domingos Paschoal.ANEXO I (CONTEÚDO PROGRAMÁTICO) 1. 2002. 7. 1. 6. 1.2 Emprego dos Verbos e Tempos Verbais.1 Narração. Pronomes.1 Conceito.2 Classificação Semântica. 6. 8. Ortografia Oficial. 2. BECHARA. Verbo. 6. Bibliografia BRASIL.2. Rio de Janeiro: Ed.1 Concordância Verbal. Adjetivo. 10.2 Concordância com o sujeito e com o predicativo. Descrição. 4.1 Regras Práticas. 7.5 Plural dos Compostos. Lucena.2 Processos de Formação. 4. 5.3 Classificação Estrutural 4.3 Vozes do Verbo. Concordância Nominal. além das habilidades. os conhecimentos.1 Verbal. Gramática escolar da Língua Portuguesa com exercícios. Manual de redação da Presidência da República.4 Gênero dos Substantivos. São Paulo: Companhia Editora Nacional. Novíssima gramática da Língua Portuguesa.3 Dissertação. 3. Estrutura e Processos de Formação das Palavras. Noções de Administração Pública e do Sistema Federal de Cultura 2 . conforme as especificações a seguir: 1.Tipologia Textual. 9.1. 3. SEGALLA.4 Flexão dos Compostos. 5. 5.1 Emprego e Formas de Utilização. 5. 9. Morfossintaxe. Regência. OBJETOS DE AVALIAÇÃO A prova objetiva deverá avaliar. 8.Redação Oficial. 11. 4. 8.2 classificação Semântica. 2.1 Elementos Estruturais. 4.

A . 1.1 Direitos e Deveres do Servidor. de 22 de junho de 1994.MARCONI.. et al.872 de 23 de dezembro de1986 . Secretaria de Educação Continuada. (Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas da Fundação Biblioteca Nacional). 1998. 2003. de 06 de setembro de 2001. Governo.l. Brasília: Ministério do Planejamento. BRASIL. 3. (Dispõe sobre a organização da Administração Federal e estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa).1 Conceito de Estado. 2003. BRASIL. Decreto n° 1. E. http://portal. aplicada.3 Organização do Estado. 5. 2. 5.(Dispõe sobre a unificação dos recursos de caixa do tesouro nacional e atualiza e consolida a legislação pertinente). 2005. 3. Decreto nº 93. Balanço da reforma do estado no Brasil: a nova gestão pública. de 09 de janeiro de 2003. Organização do Poder Executivo Federal no Setor Cultura. DALLARI. LAKATOS.814. 2003. Lei n° 8. (Estabelece os Princípios Gerais da Política Nacional do Cinema. Medida Provisória n° 2.BID. São Paulo: Atlas. Cultura e desenvolvimento 1. Normas editoriais e para relatório e trabalhos técnicos.685. Cultura como instrumento de inclusão social Bibliografia ARMANI.037. Decreto-Lei n° 200. Curso de direito administrativo. de 25 de fevereiro de 1967. cria o Conselho Superior do Cinema e a Agência Nacional do Cinema . altera a legislação sobre a Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional). Técnico em Assuntos Culturais. São Paulo: LTC. 2. 4. BRASIL. Técnico em Pesquisa. Hely Lopes.1 Leis de Incentivo à Cultura. Lei n° 10. Natureza e finalidade da Administração Pública. de 24 de fevereiro de 2006 . Produção e difusão cultural. 3. 3 . Organização Administrativa do Estado Brasileiro. (Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas da FUNARTE). (Aprova o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal). Alfabetização e Diversidade – SECAD/MEC. A. 7./ Tomo Editorial. Manual para elaboração de projetos e relatórios de pesquisa. Ações afirmativas e combate ao racismo nas Américas. M.PRODECINE.3 Agências Reguladoras. teses. 6. Técnico em Assuntos educacionais e PTS-Administrador Cultural. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). BRASIL. O conceito de falseabilidade.2 Agências de Estado. S. Lei nº 10. LAKATOS.São Paulo: Saraiva.unesco. Disponível em http://www. 1.179. de 07 de abril de 2004.4 Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público. 4. São Paulo: Atlas /s. (Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União. Brasília. Modelos de Gestão. 4.112. de 06 de fevereiro de 2001.1 Organizações Sociais. As fontes do conhecimento científico. Conceitos e funções. et al. M. As Bases do Método Científico. BRASIL. BASTOS. BRASIL. D. VERA A Metodologia da pesquisa científica. (Inclui no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”). Planejamento de pesquisa.1 Administração Pública Direta.711. M. 1995. Estado e Administração Pública. Decreto n° 5. Dalmo de Abreu. 3.228. MEIRELLES. José Júnior. BRASIL. BRASIL.2 Missões e Finalidades dos Órgãos. MARCONI. 1999. Elementos de teoria geral do estado. 5. Direito Administrativo.3 Políticas e Diretrizes. Princípios Básicos da Administração. MEC. São Paulo: Saraiva. da Revista Forense. Programa integrado de ações afirmativas. 3.org. 2.1.639. O ciclo de vida da pesquisa. 7. 7. de 19 de agosto de 2003. (Aprova o Estatuto e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas da Fundação Cultural Palmares). Metodologia do trabalho científico. 7. dissertações e monografias . GASPARINE. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Ed.mec. 2. consolidando a legislação em vigor sobre a matéria). Ética no Serviço Público. Atual. 2. 3.171. Lei n° 8. 1./.br/secad/index.B.038. Rio de Janeiro: Ed. (Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Ministério da Cultura). de 20 de julho de 1993. 6. BRASIL. 1989. BRASIL.d. (Cria mecanismos de fomento à atividade audiovisual). Ativos culturais. Como elaborar projetos? /s. 2002.ANCINE. L.4 Conceito. Preservação do patrimônio histórico e artístico nacional. O Financiamento do Setor Cultura. 3. 3.1 Estruturas Organizacionais do MinC e Entidades Vinculadas. Normalização 1. Decreto n° 5. (Dispõe sobre os títulos da dívida pública de responsabilidade do Tesouro Nacional. CAMPELLO. Belo Horizonte: UFMG. A racionalidade da investigação científica. 2000. Técnico.FUNCINES. experimental.4 Políticas de Ações Afirmativas: Cultura Negra e Identidade. BRASIL. Fontes de informação para pesquisadores e profissionais . das autarquias e das fundações públicas federais). Diógenes. Conceitos e metodologia da pesquisa 1. de 07 de abril de 2004.2 Administração Pública Indireta. 5. M.php CRETELLA. Bibliografia BRASIL. 2. BRASIL.2 Crimes Contra a Administração Pública.2 Governo. Direito Administrativo Brasileiro.br/publicacoes/livros/acoesafirmativas/mostra_documento ÁREA V: CULTURA E EDUCAÇÃO CARGOS: Pesquisa. São Paulo: Globo. 6. Tipos de pesquisa: básica. 2005. 5. UNESCO. E. Servidor Público. ASTI. institui o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Cinema Nacional . R. 1. de 11 de dezembro de 1990.Decreto n° 5. autoriza a criação de Fundos de Financiamento da Indústria Cinematográfica Nacional . Decreto n° 4.gov. BRASIL. 8. Orçamento e Gestão. 5.. A construção de hipóteses de pesquisa.

/ 2000. GIL. POPPER. MOISÉS. E. MinC. Rio de Janeiro: FUNARTE. A. Brasília: Briquet de Lemos/Livros. 4 . CESNIK. Gilberto. F. 2001. São Paulo: Cultrix. A. M. PRADO.MALAGODI./ Escrituras. Projetos culturais – elaboração. MEADOWS. aspectos legais e busca de patrocínio. 18 de julho de 2003.l. D. Discursos do Ministro da Cultura Gilberto Gil. S. Cidadania. K./ /s. administração. 2004. Modelos de financiamento da cultura. A comunicação científica. 2003 TAKANO. /s. Gerenciamento de projetos nas organizações. J. R. J. 1997. Fomento e financiamento à cultura: quais os principais desafios? São Paulo.l. /s.. 1999.ed. Brasília. A lógica da pesquisa científica. dos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful