You are on page 1of 7

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x

Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral

PAULO FREIRE: O PAPEL DA EDUCAÇÃO COMO FORMA DE EMANCIPAÇÃO DO INDIVÍDUO
DUARTE, Ana Cléia de Souza Discente da FAHU/ACEG
E-MAIL: cleiafaef@hotmail.com

BARBOZA, Reginaldo José Docente da FAHU/ACEG
E-MAIL: regcognitivo@hotmail.com

RESUMO: PAULO FREIRE: O PAPEL DA EDUCAÇÃO COMO FORMA DE EMANCIPAÇÃO DO INDIVÍDUO O nosso objetivo primordial neste trabalho é o de discutir a respeito das influências que o educando sofre por viver em uma sociedade dividida em classes: dominantes e dominados. Isto é, pretendemos discutir sobre as ideologias inculcadas por essa sociedade elitista e demonstrar o quanto se faz necessário, conforme afirma Paulo Freire, a Educação como meio de libertação. Devemos de fato, enquanto educadores, proporcionar uma alfabetização que não somente privilegie a leitura das palavras mas que enfatize também a leitura de mundo do educando. Pois, sabemos que o indivíduo, antes mesmo de entrar na escola, já teve contato com o mundo e, assim sendo, trás muitas experiências para a sala de aula. Esse tipo de Educação deve permitir uma maior interação do indivíduo com: a socialização, a auto-estima, o desenvolvimento do raciocínio crítico num contexto de leitura dentro e fora da sala de aula. Precisamos, enfim, mediante esse tipo de Educação libertária, formar um cidadão mais consciente da realidade onde ele vive. Palavras chave: Educação libertária, Alfabetização, Ideologia dominante.

ABSTRACT: PAULO FREIRE: THE PAPER OF THE EDUCATION AS FORM OF EMANCIPATION OF THE INDIVIDUAL Our primordial objective in this work is to argue regarding the influences that educating suffers for living in a society divided in classrooms: dominate and dominated. That is, we intend to argue on the ideologies introduced for this elitist society and to demonstrate how much if it makes necessary, as it affirms Paulo Freire, the Education as half of release. We must in fact, while educators, to provide an alphabetization that not only privileges the reading of the words but that it also emphasizes the reading of world of educating. Therefore, we know that the individual, before exactly to enter in the school, already it had contact with the world and, thus being, backwards many experiences for the classroom. This type of Education must allow a bigger interaction of the individual with: the socialization, auto-esteem, the development of the critical reasoning in a context of reading inside and outside of the classroom. We need, at last, by means of this type of libertarian Education, to form a more conscientious citizen of the reality where it lives. Keywords: Libertarian education, Alphabetization, dominant Ideology.

Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF, mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG. Rua das Flores, 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www.revista.inf.br – www.editorafaef.com.br – www.faef.br.

 

exemplo disto é aquele cidadão pobre. O fato é que esse cidadão (sujeito passivo diante das verdades alheias) vai conduzindo sua vida e acreditando que não deve perder o seu tempo buscando os estudos. à crítica.REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral 1. ou com uma grande influência política-econômica. sem ao menos ter interesse pelo que acontece em sua realidade político-social. Deste modo. Com isso. ou seja.basta.inf. a maioria da população no que diz respeito ao processo de alfabetização. Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF. INTRODUÇÃO: Vivemos em uma sociedade dividida em classes: composta por dominantes e dominados.br – www.faef. Assim. programas de auditório que tratam as realidades e os problemas familiares muitas vezes como mais uma forma de entretenimento) tornando-se passivo a tudo. sem instrução. 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www.br. em um neoliberalismo onde as exigências perpassam à autonomia.casa – TV . pois já incorporou a idéia de que é “burro” mesmo! Somente o universo: trabalho . à reflexão e à versatilidade. dogmas que devem ser seguidos.revista. mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG. normas comuns que devem manter as ações a serem exercidas. as pessoas com um poder aquisitivo elevado. Esse tipo de sociedade exclui. Rua das Flores. por conta do capital. aliena-se no trabalho e na mídia (assiste novelas. levando-o à marginalização. Essa classe dominante filtra informações a partir do seu interesse à grande massa. entendidas como as normas sociais impostas e seguidas cegamente).com. que em seu modo simples de vida habitua-se a viver a partir de “cabrestos” sociais (estes.editorafaef.br – www.   . percebemos que há uma formação de estereótipos ou tácitos pensamentos coletivos. infiltram seus pensamentos caracterizando-os como verdades. trilham-se os interesses da “sociedade dominante”.

as pessoas menos instruídas sofrem vários tipos de violência por parte dessa sociedade elitista. trabalho) incorporamos pensamentos e comportamentos de forma inconsciente como se fossem naturais. os padrões de pensamentos e o sistema de valores vigentes em nossa sociedade são frutos do Estado moderno inspirados no iluminismo. o que é preciso fazer para que ele consiga perceber o quanto é dominado e encontra-se em uma classe subalterna? A resposta na pode ser outra a não ser: EDUCAÇÃO. 2. um patriarcalismo que conduz à submissão.REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral Contudo. mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG.br – www. o desenvolvimento do raciocínio crítico.br – www. racial ou ideológica. as capacidades de aprendizagem. igreja. violência aplica-se àquele que desrespeita a diversidade cultural. Em outras palavras. família. Ao pensarmos em violência. Rua das Flores.editorafaef. cívica. A IMPORTÂNCIA DO PENSAMENTO EDUCACIONAL DE PAULO FREIRE: É sabido que a Educação deve possibilitar: a alfabetização. Através de Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF.faef. Diante de toda essa situação mencionada acima. “Deus ajuda quem cedo madruga”. Diante disso. por meio de aparelhos ideológicos sociais (escola. religiosa. Neste sentido.revista. Deste modo. a criatividade e a ação no que diz respeito à transformação social. nos esquecemos que existe também a violência simbólica. questionamos o seguinte: o que deve acontecer para que de fato o cidadão se torne mais consciente de sua realidade sócio-política-econômica? Ou ainda. tais frases nada mais representam que um chauvinismo.br. violência é também qualquer ato que iniba ou fira os direitos de qualquer ordem moral. ou seja.   . 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www.inf. Sem perceber.com. normalmente apenas consideramos a violência física. é bastante comum ouvirmos frases ideológicas do tipo: “o trabalho dignifica o homem”. sabemos que: os costumes culturais. “só é digno aquele que tem um emprego e o exerce sem questionar”.

2. Exemplo disso é aqueles docentes tradicionais que trabalham em escolas em que a metodologia de trabalho é baseada no construtivismo. temos a obrigação de estimular o pensamento crítico em nossos educandos. seja qual for o tema. Devemos ter a consciência de que somos mediadores ou ainda mobilizadores que alavanca as mudanças sociais. Ou seja. 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www. conduzindo-o há uma compreensão não somente à leitura de palavras. somos formadores de opinião e. por meio do estímulo. Para tanto.1. mas. fazem um projeto bom. sobretudo à leitura de mundo. que a nossa postura enquanto educador deve ser consciente. infelizmente muitos projetos criados nunca saem do papel. somente para agradar a diretora. Além disso.br. conformamos com Paulo Freire (2001).   . da reflexão. Entretanto.br – www. porém este projeto não se realiza e a sua ação em sala de aula é a de uma déspota.br – www. Rua das Flores. devemos sim coloca-los em funcionamento na realidade onde vivemos.faef.com. Conscientes dessa nossa postura de formadores de opiniões. em outras palavras.inf. A ALFABETIZAÇÃO COMO UM DOS INSTRUMENTOS DE LIBERTAÇÃO HUMANA: Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF. Não podemos apenas criar magníficos projetos. Desta forma. quando este afirma. devemos ter por base um viés filosófico educacional que leve em conta os aspectos epistemológicos que abordam o conhecimento de forma interdisciplinar e respeitam o tempo de cada aluno. mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG. assumindo assim uma opção política de forma coerente. Devemos agir de forma vivificada nas práticas em sala de aula. pois somos intelectuais transformadores.revista. da crítica e da troca de idéias. assim sendo.editorafaef.REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral uma visão de mundo mais crítica podemos analisar e modificar nossa realidade.

aos problemas comuns. como um cidadão ativo. isso. mas sim com a aquisição de uma postura observadora.br – www.br – www. pensando em política como as ações e relações de interdependência que as pessoas mantêm em conjunto. Essa educação libertária deve instigar o educando a aprender com vontade. sabendo que as pessoas necessitam de interação e que têm uma necessidade de socialização. Nesse modo de compreender e aplicar a Educação constatou que há a possibilidade de uma aprendizagem criativa e libertária. Não podemos. de expressar suas necessidades e indignações. Isto esclarece uma prática e compreensão da alfabetização. pois assim daremos sentido. indubitavelmente.editorafaef. mas sim relê-las e reescrevê-las. enquanto educadores libertários. o importante não é somente trabalharmos a leitura de palavras em si. Assim. permitir que o educando se contente apenas com a aquisição de palavras. 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www. isto implica em uma outra leitura da realidade. Enfim. nesta idéia de dependência mútua podemos entender que a transformação social deve ser de fato entendida como um processo histórico: construção social. É preciso que o educando perca o receio de se colocar diante do mundo. mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG.com. de forma que ele sinta-se parte daquilo que está aprendendo: com pertinência. ajuda o educando a entender-se ou a perceber-se como cidadão criador. numa relação de intrínseca interligação do todo. transformador do que o rodeia. com voz crítica em seu cotidiano e em seus discursos. Essa aprendizagem o conduz à reflexão. pois a Educação é indispensável para a ação política graças a seu poder de transformação da linguagem (persuasão).br.revista. da sociedade toda (mobilidade social).faef.inf. nomeação e renomeação para uma reconstrução sobre o que foi realizado. como junções bucólicas de palavras ou letras. à autonomia moral. de maneira significativa.REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral Segundo as idéias de Freire (2001). Rua das Flores. isto é. devemos fazer um resgate social “lendo” e “relendo” o seu próprio mundo e escrevendo e reescrevendo a Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF. Em última instância.   . O intercâmbio dialético assumiu a natureza política do processo educativo.

o mundo de suas primeiras leituras de “textos”. ideais. que o educando já tem uma vida social que antecede a escola.editorafaef. ou seja. deixando o indivíduo. ou seja. conhecimentos anteriores. competência lingüística. Nesse contexto. 3.inf.br – www. Desta forma. que aprende por meio da interação com o seu meio: indivíduos pertencentes ao mesmo local e tempo.br. a educação transmitida na escola deve ser significativa e contextualizada com a realidade que norteia a vida do educando. no cerne da privação cultural. a alfabetização assume um caráter de indicador social no tocante a idéia de que. gestos familiares etc. Rua das Flores. Assim sendo. impõe suas ideologias. o educando já percebe e age sobre suas experiências existenciais. mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG. constituído socialmente.   . experiências orais.revista. Em outras Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF.faef. Enfim. de acordo com as idéias desse educador. O que esse educando precisa é então do apoio de um educador que o estimule ou provoque ainda mais o desenvolvimento do seu raciocínio crítico. Ela não leva em conta as características da grande massa: seus valores históricos. com menos instrução. pois somente assim estaremos exercendo a nossa verdadeira cidadania. Essa elite faz uso do analfabetismo como instrumento de privação dos indivíduos ao acesso em um contexto social mais crítico. que o homem é um ser histórico. conforme Paulo Freire (2001).br – www. Sabemos. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Na nossa atual conjuntura social-política-econômica.REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral sua própria história. 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www. aquele que tem acesso a uma formação mais refinada e crítica (portanto.com. letras. palavras. a Educação é a única forma das classes dominadas ascenderem socialmente ou assumirem uma postura mais crítica frente a sua realidade. se encaixa muito bem aqui a elite política e economicamente ativa). devemos sempre ter em mente que a “leitura de mundo precede a leitura da palavra”.

br. Rua das Flores. 1986. 4.A. 4° edição. SAVIANI.revista. Cipriano Carlos.br – www. Campina/SP: Editora Autores Associados. onze teses sobre educação e política.. Revista Científica Eletrônica de Pedagogia é uma publicação semestral da Faculdade de Ciências Humanas de Garça FAHU/FAEF e Editora FAEF. 1990.   .br – www. 2001. São Paulo: Cortez. 740 – Vila Labienópolis – CEP: 17400-000 – Garça/SP – Tel: (0**14) 34078000 – www. São Paulo: Edições Loyola. Democratização da escola pública. 6° edição. São Paulo: Editora Ática S. LIBÂNEO. 1995. mantidas pela Associação Cultural e Educacional de Garça – ACEG. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam.com.editorafaef. José Carlos. Filosofia da Educação. 30° edição. Escola e democracia: curvatura da vara.inf. GADOTTI.REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA – ISSN: 1678-300x Ano V – Número 09 – Janeiro de 2007 – Periódicos Semestral palavras. ela deve expressar e relacionar a vida do educando a uma real linguagem carregada de significação: levar em conta a experiência existencial deste. Moacir. 1996.faef. São Paulo: Cortez. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: FREIRE. Demerval. Paulo. LUCKESI. Pensamento pedagógico brasileiro.