P. 1
106930906 Ulisses James Joyce

106930906 Ulisses James Joyce

|Views: 99|Likes:
Published by Carlos Orellana

More info:

Published by: Carlos Orellana on Aug 12, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/23/2014

pdf

text

original

Multibrasil Download - www.multibrasil.net

Folha de Rosto

James Joyce
Ulisses
Tradução Bernardina da Silveira Pinheiro

Créditos Todos os direitos desta edição reservados à
Editora Objetiva Ltda. Rua Cosme Velho, 103
Rio de Janeiro — RJ — Cep: 22241-090 Tel.: (21) 2199-7824 — Fax: (21) 2199-7825
www.objetiva.com.br

Seleção, elaboração e tradução das notas de capítulos Flavia Maria Samuda Capa Victor Burton Revisão Ana Kronemberger Umberto Figueiredo Pinto Taís Monteiro Antônio dos Prazeres Lilia Zanetti Freire Conversão para e-book Abreu´s System CIP-BRASIL.CATALOGAÇÃO NA FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DELIVROS, RJ. J979u Joyce, James Ulisses [recurso eletrônico] / James Joyce ; tradução Bernardina

da Silveira Pinheiro ; [seleção, elaboração e tradução das notas de capítulos Flavia Maria Samuda]. - Rio de Janeiro : Objetiva, 2010. recurso digital Tradução de: Ulysses Formato: ePub Requisitos do sistema Modo de acesso: 872 p. ISBN 978-85-7962-035-5 (recurso eletrônico) 1. Romance irlandês. 2. Livros eletrônicos. I. Pinheiro, Bernardina da Silveira, 1922-. II. Samuda, Flavia Maria. III. Título. 10-4196. CDD: 828.99153 CDU: 821.111(415)-3

Sobre o autor
James Joyce nasceu em Dublin, Irlanda, em 1882. Depois de infância e juventude modestas e influenciadas por uma rígida educação jesuíta, deixou sua cidade natal em 1902 rumo a Paris. Na capital francesa, trabalhou como jornalista e professor, enfrentando grandes dificuldades financeiras. Em 1904, desta vez acompanhado de Nora Barnacle – que se tornaria sua mulher em 1931 –, Joyce instalou-se na cidade italiana de Trieste, onde escreveu a coletânea de contos Dublinenses (1914) e o romance Um Retrato do Artista Quando Jovem (1916). Com a Primeira Guerra Mundial, a família refugiou-se em Zurique, onde Joyce escreveu Ulisses (1922), romance que lhe valeu reconhecimento internacional. De volta a Paris em 1920, onde viveria por quase duas décadas, o agora renomado escritor dedicou 17 anos à elaboração de seu último romance, Finnegans Wake (1939). Com o início da Segunda Guerra Mundial e a ocupação da França, a família conseguiu permissão para retornar a Zurique, onde Joyce faleceu em 1941. O escritor tornou-se célebre por sua experimentação com a linguagem e por suas inovações estilísticas, que incluem o uso extenso do monólogo interior, do fluxo de consciência e de uma complexa

rede de referências simbólicas emprestadas à mitologia, à história e à literatura, além de um vocabulário peculiar feito de palavras inventadas, trocadilhos e alusões. Em Ulisses, Joyce descreve um dia inteiro de seu personagem principal, Leopold Bloom, em sua jornada pela cidade de Dublin. Considerado o precursor do romance moderno, Ulisses é um épico moderno livremente inspirado na Odisséia de Homero, repleto de alusões a lugares, personagens e acontecimentos reais. Proibido nos Estados Unidos e no Reino Unido na época de sua primeira publicação, é considerado o mais representativo romance do século XX.

Sobre a tradutora
Bernardina da Silveira Pinheiro nasceu no Rio de Janeiro, em 1922. É professora Emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde defendeu tese de livredocência sobre a densidade semântica na poesia de Gerard Manley Hopkins (1974). Realizou pesquisas de pós-doutorado sobre a obra de James Joyce e, especificamente, Ulisses, no University College, em Londres, e em Dublin, na Irlanda (1986). É membro da International James Joyce Foundation e da Escola Letra Freudiana. Traduziu Um Retrato do Artista Quando Jovem , de James Joyce, publicado em 2006 pelo selo Alfaguara da Editora Objetiva, e Uma Viagem Sentimental Através da França e da Itália, de Laurence Sterne, publicado em 2002 pela Editora Nova Fronteira.

Introdução
Dublinenses, a primeira obra em prosa de James Joyce, é um livro de contos que, revelando as frustrações, a inação e, até mesmo, as perversões ocasionais de seus personagens, denuncia a inércia da cidade em que vivem. No entanto, Dublin não é apenas o centro da paralisia, mas também a segunda cidade do império britânico, quase três vezes maior do que Veneza, merecendo, portanto, que algum artista a ofereça ao mundo. E Joyce a descreve com minucioso carinho, de Dublinenses a Finnegans Wake e, em particular, em Ulisses, a fim de que, se algum dia for destruída por uma guerra ou um terremoto, ela possa ser reconstruída através de seus escritos. Em seguida Joyce escreve um romance, inicialmente Stephen Hero, do qual só restam fragmentos, que transforma em Um Retrato do Artista Quando Jovem. Nesta obra primorosa, ele evolui para o monólogo interior, a narrativa do fluxo da consciência, de que se serve para acompanhar, através de recursos de linguagem e musicalidade incomparável, a evolução psíquica do seu personagem Stephen Dedalus, desde sua mais tenra idade até o final da adolescência. Em Ulisses, teremos, então, uma paródia de A Odisséia de Homero. Elaborada com sucesso

extraordinário e de forma abrangente, ela corresponde perfeitamente ao conceito atual deste gênero literário. A paródia moderna é, na realidade, uma forma de arte em que predomina a auto-reflexividade, proporcionando um novo modelo para o processo artístico. É uma inversão irônica do modelo inicial. A paródia moderna, afirma Linda Hutcheon, se distingue da imitação ridicularizante mencionada nas definições padrões dos dicionários. Além de reativar o passado, dando-lhe contexto novo e freqüentemente irônico, ela exige do leitor maior atualização e melhor conhecimento deste passado, levando-o, se preciso for, a voltar a ele para uma maior integração com a obra. Em sua inversão irônica, é um jogo com convenções múltiplas, uma prolongada repetição com diferença crítica, uma confrontação estilística que, longe de desmerecer o original, ressalta nele apenas a diferença. Por seu aspecto sofisticado, a paródia faz exigências não apenas daqueles que a utilizam como também de seus intérpretes. De fato, tanto o escritor quanto o leitor devem efetuar uma superposição estrutural dos textos, que incorpore o antigo ao novo, visto que ela é uma síntese bitextual. Em Ulisses, Joyce combina o virtuosismo técnico da paródia com o tratamento psicológico dado aos seus três personagens principais: Stephen Dedalus, Leopold Bloom e Molly Bloom. Assim, ao compor seu romance em dezoito episódios, portanto menos seis do que aqueles em que se divide A Odisséia, Joyce vai abandonar alguns da obra grega, alterar a ordem

daqueles que usa, antecipando certos episódios e pospondo outros, criando um episódio onde não havia um no original, a fim de enfatizar os processos psíquicos e os conflitos psicológicos de seus personagens, que são os que mais lhe interessam. Inúmeros são os recursos paródicos empregados por Joyce, quanto ao tema propriamente dito, aos personagens e ao papel que desempenham, aos episódios de que se apropria, sem obedecer à ordem em que ocorrem no modelo homérico, à diversidade dos estilos usados com finalidade precisa, às inúmeras citações de obras, sobretudo shakespearianas, ou aos vocábulos latinos, hebraicos, franceses, irlandeses, italianos, espanhóis, alemães, inseridos naturalmente no texto. Consideremos inicialmente o tema de ambas as obras. A Odisséia narra a história de um herói, Odisseu, rei de Ítaca, casado com Penélope, que, depois de ter se distinguido durante dez anos na guerra contra Tróia, por sua prudência e sagacidade, levou mais dez anos para retornar ao seu reino e à sua casa. Viu cidades e povos diferentes e passou a conhecer-lhes os costumes. No caminho de volta, enfrentou uma série de aventuras e provações, ficando muitas vezes à mercê de feiticeiros, monstros e deuses vingativos. Lutou para preservar sua vida e as de seus companheiros, mas não conseguiu salvá-los. Mostra-nos também, paralelamente, a história de como sua mulher, Penélope, o aguardou fielmente, embora assediada por pretendentes à sua mão que,

instalados em sua propriedade, esperavam ansiosos serem os substitutos escolhidos do marido desaparecido. Seu filho, Telêmaco, vendo-se despojado de seus bens e aconselhado pela deusa Palas Atena, protetora de Odisseu, sai em busca do pai. Temos, assim, em resumo, as aventuras do herói Odisseu em sua epopéia de volta à pátria, a fidelidade da mulher ao marido ausente e um filho à procura do pai. E m Ulisses, naquele longo dia 16 de junho de 1904, Leopold Bloom – o Ulisses de Joyce –, depois de um dia particularmente atribulado, perambulando por Dublin, retorna à sua casa e ao se deitar ao lado da mulher, Molly, pede-lhe que lhe traga, no dia seguinte, o café-da-manhã na cama, fato inusitado que não ocorria havia onze anos, desde a morte do filho Rudy. Durante todo aquele tempo fora ele que a servira. Naquele mesmo dia, Molly, que além de ser a Sra. Marion Bloom também era uma cantora, cometia adultério com seu empresário Blaze Boylan. Desta traição, Bloom tivera plena consciência o dia todo. Diferentemente de A Odisséia, Stephen Dedalus – o Telêmaco da obra de Joyce –, embora insatisfeito com o pai que tem, não está interessado em procurarlhe um substituto, como o desejara no final de Um Retrato do Artista Quando Jovem . Aquele que, na verdade, continua sonhando em ter um filho homem é Bloom, e será ele que tentará, através de uma proposta que lhe parece interessante, convencer Stephen a morar com ele e Molly. Tal proposta, no

entanto, será delicadamente recusada pelo jovem. Temos, assim, diversamente do modelo grego, um marido traído que, ao invés de lavar a honra com sangue, inverterá com palavras uma situação existente há onze anos; uma mulher que não se mostra fiel, cometendo naquele dia adultério, e um pai procurando um filho, ao invés de um filho em busca de um pai. Para Joyce, como ele o confessa ao amigo Frank Budgen, o mais completo herói clássico, e por isso por ele escolhido, é Ulisses, por ser filho de Laerte, pai de Telêmaco, marido de Penélope, amante de Calipso, companheiro de armas dos guerreiros gregos em Tróia e rei de Ítaca. Submetido a inúmeras provações, superou-as com sabedoria e coragem. Seu Ulisses moderno, Leopold Bloom, também é por ele descrito como “filho, pai, amante, amigo, trabalhador e cidadão”. É, além do mais, ainda sempre a mesma pessoa bondosa, humana, prudente, equilibrada, submissa, tragicamente isolada, astuta, cética, simples, não reprovadora, com um exterior aparentemente suave e maleável, mas com uma essência íntima, inflexível, de auto-suficiência. No entanto, diversamente de Odisseu, ele não tem uma deusa Palas Atena para protegê-lo. Terá de depender de sua própria sabedoria e de seus frágeis recursos humanos. Molly Bloom, a Penélope de Joyce, totalmente diversa de seu modelo grego, é assim descrita por seu criador: uma “Weib (mulher) sã de espírito, totalmente amoral, fertilizável, inconfiável, cativante, perspicaz,

limitada, prudente, indiferente – Ich bin das Fleisch das stets bejaht”. Ou seja: “Eu sou a carne que sempre diz sim.” Na verdade é isso que ela faz, ela diz sim à vida, no sentido mais amplo da palavra. Outras inversões irônicas ainda ocorrem, como no caso do Sr. Deasy, diretor da escola em que Stephen leciona, que parodia Nestor, o mais sábio dos guerreiros gregos, embora esteja longe de possuir a sabedoria do modelo grego. Imbuído de preconceitos, considera as mulheres, a partir de Eva e de seu pecado original, responsáveis por todo o mal existente na terra, e os judeus, com suas riquezas, merecedores de continuar errantes pelo mundo afora. Para ele o dinheiro é tudo na vida, pois “dinheiro é poder”, o que leva Stephen a se indagar se é isso a “sabedoria”. Contrastando com as sereias que, em A Odisséia, são perigosas por enfeitiçarem os homens com sua música e seus encantos e os arrastarem para a morte, as sereias em Ulisses são duas garçonetes do bar do Hotel Ormond. Uma delas, senhorita Douce, tem o cabelo bronzeado e a outra, senhorita Kennedy, o tem dourado. Elas tentam em vão ser sedutoras, desdenhando quem por elas mostra interesse, como Lenehan, embora sejam menosprezadas por aquele que desejariam seduzir, Blaze Boylan. A Nausicaa do Ulisses de Joyce, Gertie MacDowell, é uma jovem bonita de rosto que, diversamente da moça ingênua e pura do original grego, é provocante. Conhecedora de seus dons e de sua beleza, seduz aquele homem mais velho e interessante

– Bloom – que fantasia ser o homem ideal de sua vida. Parodiando Circe que, em A Odisséia, é uma feiticeira fascinante que atrai os homens que dela se aproximam e os transforma em porcos, mantendo-os aprisionados em seu covil, em Ulisses a luxúria, o egoísmo, a sordidez, simbolizando os porcos do modelo grego, estão presentes na zona dos bordéis em que Bloom penetra em busca de Stephen e nas fantasias de toda sorte, inclusive as de poder e de perversão do herói joyciano. Em Ulisses, além da inovação de uma narrativa revolucionária, baseada no fluxo da consciência através do monólogo interior, Joyce criou um herói muito especial, totalmente diferente do herói-padrão do início do século XX. De fato, ciente da traição da mulher naquele atormentado dia 16 de junho de 1904, ele reage de uma forma inesperada para a época. Embora enciumado, atormentado e sofrido, ele reflete com clareza que “cada um que entra (na cama) se imagina ser o primeiro a entrar enquanto ele é sempre o último termo de uma série precedente mesmo se ele for o primeiro de uma série subseqüente, cada um se imaginando ser o primeiro, último, único e sozinho, enquanto não é nem o primeiro nem o último nem o único nem sozinho numa série originada então e repetida ao infinito”. Tal pensamento jamais poderia ser admitido por um homem preso aos códigos vigentes na sociedade do início de século XX. Seria inadmissível para ele chegar à conclusão à qual Bloom chegou, ao considerar a atitude

a tomar diante da situação que enfrentava: “Assassinato, nunca, visto que dois erros não tornam um certo. Duelo por combate, não. Divórcio, agora não.” Bloom é, na verdade, um homem muito bom e avesso à violência que sabe conviver com suas frustrações, limitações e fraquezas; que, em sua visão realista de si mesmo, aceita a traição por saber que, ao menos naquele momento de sua vida, não consegue existir sem a mulher amada. Ele é o herói moderno, ou melhor, o anti-herói que, em sua luta diária pela sobrevivência, nem mesmo sabe o quão heróico é e tanto nos seduz. Lembra-nos o homem absurdo de Camus que aceita a luta, não despreza de forma alguma a razão e admite o irracional, pois reconhece que o absurdo é a razão lúcida que constata seus limites. Ao se referir a Ulisses em conversa com o jovem amigo Arthur Power, em Conversations with James Joyce, Joyce, plenamente consciente da revolução que efetuava na literatura, diz: “Quanto ao classicismo romântico que você tanto admira, Ulisses mudou tudo isso, pois nele eu abri um novo caminho e você vai ver que ele será seguido cada vez mais. De fato a partir dele você pode datar uma nova orientação na literatura – o novo realismo, pois embora você critique Ulisses, contudo a única coisa que você tem que admitir que eu fiz foi liberar a literatura de seus grilhões antiquados. Você é evidentemente um tradicionalista intransigente, mas deve perceber que uma maneira

nova de pensar e de escrever foi iniciada, e aqueles que não concordarem com ela serão deixados para trás.” E em seguida acrescenta: “Em Ulisses procurei expressar as múltiplas variações que constituem a vida social de uma cidade – suas degradações e suas exaltações.” Realmente tudo acontece naquele bendito dia 16 de junho de 1904: nascimento, morte, frustração, alegria, rejeição, traição, prazer, masturbação, menstruação, tudo, enfim, que um ser humano vivencia. Ulisses é, na realidade, uma extraordinária comédia humana. Entre o Ulisses de Joyce e A Odisséia de Homero vários séculos se interpõem. O tempo pode, sem dúvida alguma, distanciá-los, mas o virtuosismo, o requinte técnico da paródia joyciana amarra, implacavelmente, os dois gênios da expressão artística. Por que, então, me decidi a enfrentar a tradução de uma obra tão complexa? Certamente para mostrar que a leitura de Ulisses não era uma aventura intransponível, que a linguagem de Joyce não era tão difícil e pesada quanto se dizia, mas uma linguagem coloquial convidativa e ao alcance do leitor, embora lexicamente muito rica. Maior do que o desafio assustador da empreitada era o meu desejo de, através de uma linguagem coloquial semelhante à de Joyce, permitir que o maior número possível de leitores usufruísse, como eu usufruíra, de suas criações narrativas inovadoras, através de sua diversidade de estilos, sua musicalidade, sua riqueza vocabular e seu uso do monólogo interior em sua acepção mais

completa. Eu desejava, sobretudo, dar-lhes a oportunidade de se divertirem com a leitura deste livro invulgar como eu me divertira ao lê-lo e traduzi-lo. Em 1992, quando traduzi Um Retrato do Artista Quando Jovem , eu já me deparara com o desafio um tanto assustador de traduzir Joyce. Somente o encantamento que me proporcionara sempre a sua leitura, devido ao seu estilo harmoniosamente adequado ao conteúdo, à sonoridade das palavras por ele empregadas, à melodia, cadência e ritmo de sua linguagem, me armara de coragem. De fato, transpor para o português, com sua música própria, a riqueza musical estilística e poética de um livro que é a própria poesia em prosa, não foi uma tarefa fácil. Na verdade o som é tão importante para Joyce em Um Retrato que é possível acompanhar a evolução psíquica de seu personagem Stephen Dedalus através dos efeitos que o autor lhe empresta, partindo de um som monocórdio no capítulo inicial e prosseguindo, num crescendo, até atingir uma sonoridade polifônica e orquestral na descoberta que o jovem faz de sua verdadeira vocação artística. E m Ulisses, o elemento sonoro vai ser igualmente marcante. Se como Joyce dissera em Um Retrato que “havia diferentes tipos de dor para todos os diferentes tipos de som”, também em Ulisses ele imprimirá ritmos próprios e distintos aos monólogos dos três personagens principais do romance, apropriados às suas respectivas personalidades. O monólogo de Stephen Dedalus, meditativo,

mutável como Proteu, se manterá mais lento, intercalando palavras longas e curtas, de origem latina ou saxônica, refletindo a complexidade de seus pensamentos filosóficos e metafísicos. Tudo nele é pensamento ou sensação. O de Leopold Bloom, todo ele em stacatto, com o ritmo brusco de alguém capaz de superar as próprias dificuldades, se constituirá de frases primordialmente curtas, de omissão de sujeitos, de palavras freqüentemente monossilábicas, às vezes mesmo reduzidas por aférese, refletindo o seu ser interior que sempre tenta imaginar um sentido lógico nas coisas. O de Molly Bloom, sem pontuação, sem maiúsculas, sem fazer diferença entre os homens – todos eles são he –, fluirá, incontido e incontrolável, de uma mente liberta de qualquer grilhão. É de grande importância, na tradução de um escritor genial como Joyce, estar bastante familiarizado com o autor e sua obra como um todo e tentar ser, ao máximo, fiel à sua linguagem e à sua maneira de escrever, para que o leitor possa, através delas, percebê-lo e entender os seus objetivos. Conseqüentemente, se sua linguagem é coloquial, como no caso de Ulisses, é indispensável usar a mesma linguagem coloquial na tradução. Cabe, no entanto, ter bem claro em mente que uma tradução nunca pode ser perfeita, pois são distintas as índoles das línguas em questão e há, às vezes, coisas intraduzíveis, armadilhas a serem vencidas, como é o caso dos puns – jogos de palavras – tão usuais entre os escritores de língua inglesa, como Shakespeare e Joyce. Puns ou jogos de

palavras cada língua tem os seus, e eles são intransferíveis, precisando ser, portanto, de uma certa forma contornados, sempre que possível, sem alterar o sentido dado pelo autor ao contexto. O que fazer, por exemplo, com a expressão seguinte, usada por Stephen Dedalus ao falar sobre a mulher de Shakespeare, Ann Hathaway: “If others have their will, Ann hath a way ”, isto é, “Se as outras têm sua vontade, Ann tem sua maneira de ser”. Neste caso, porém, o jogo de palavras e a brincadeira do trocadilho se perdem se literalmente traduzidos e, então, apelei, como em outras ocasiões para o emprego da aliteração, tão característica na poesia e na prosa de língua inglesa, ou seja, a repetição de uma mesma consoante inicial: “Se as outras têm sua vontade, Ann tem sua veneta.” Há ocasiões em que Joyce trocará uma palavra por outra, como world por word, para mostrar uma certa ignorância de determinado personagem, em que eu troquei “palavra” por “planeta”, ou ainda outras em que cometerá propositalmente erros de concordância verbal e eu, para lhe ser fiel, farei o mesmo. São essas dificuldades, entre outras, que tornam maior o desafio de traduzir uma obra como esta, e somente o leitor poderá testemunhar se o meu objetivo de divulgar o Ulisses de Joyce foi alcançado, ao se aventurar comigo nesta jornada de Bloom, do dia 16 de junho de 1904, data celebrada todo ano, em diferentes recantos do mundo, pelos admiradores deste genial escritor irlandês.

Agradeço a Flavia Maria Samuda que me auxiliou na revisão do meu trabalho, e a todos aqueles alunos e amigos queridos que comigo leram Ulisses, particularmente Eduardo Vidal, Maria Helena Carneiro da Cunha, Renata Salgado, Emilia Lobato, Maria Julia Goldwasser, Virginia Murad e Pedro Otavio Prado, que contribuíram, com suas observações e seu incentivo, para que eu prosseguisse nesta árdua, mas tão prazerosa tarefa.

Bibliografia
Budgen, Frank. James Joyce and the Making of “Ulysses”. Londres / Oxford / Melbourne: Oxford University Press, 1972. Camus, Albert. Le Mythe de Sisyphe. Paris: Gallimard, 1942. Hutcheon, Linda. A Theory of Parody . Nova York & Londres: Methuen, 1985. Joyce, James. Um Retrato do Artista Quando Jovem . São Paulo: Siciliano, 1992. Tradução de Bernardina da Silveira Pinheiro. Power, Arthur. Conversations with James Joyce. Chicago: Chicago University Press, 1974.

Esquema de Episódios

Parte I

1
Majestoso, o gorducho Buck Mulligan apareceu no topo da escada, trazendo na mão uma tigela com espuma sobre a qual repousavam, cruzados, um espelho e uma navalha de barba. Um penhoar amarelo, desamarrado, flutuando suavemente atrás dele no ar fresco da manhã. Ele ergueu a tigela e entoou: – Introibo ad altare Dei. Parado, ele perscrutou a escada sombria de caracol e gritou asperamente: – Suba, Kinch! Suba, seu temível jesuíta! Solenemente ele avançou para a plataforma de tiro. Olhou à volta e seriamente abençoou três vezes a

torre, o terreno à volta e as montanhas que despertavam. Em seguida, avistando Stephen Dedalus, ele se inclinou em direção a ele e fez cruzes rápidas no ar, gorgolejando na garganta e sacudindo a cabeça. Contrariado e sonolento, Stephen Dedalus apoiou os braços no último degrau da escada e olhou friamente para o rosto sacolejante e gorgolejante que o abençoava, para a cabeça eqüina e os cabelos claros sem tonsura, tingidos e matizados como carvalho descorado. Buck Mulligan espreitou por um instante por baixo do espelho e depois cobriu a tigela rapidamente. – De volta pro quartel! – disse implacavelmente. E acrescentou em tom sacerdotal: – Pois isto, meus bem-amados, é a verdadeira cristina: corpo e alma e sangue e feridas. Música lenta, por favor. Fechem os olhos, senhores. Um momento. Um pequeno problema com esses corpúsculos brancos. Silêncio, todos. Ele olhou de soslaio para cima e soltou um longo e lento assobio de chamada, depois fez por um momento uma pausa em atenção enlevada, com seus dentes iguais e brancos brilhando aqui e ali pontilhados de ouro. Crisóstomo. Dois fortes assobios estridentes responderam através da calma. – Obrigado, meu velho – gritou vivamente. – Isto é o bastante. Desligue a corrente, está bem? Saltou fora da plataforma de tiro e olhou seriamente para o seu observador, juntando em volta das pernas as dobras soltas de seu penhoar. A cara

rechonchuda e sombria e a queixada oval e taciturna lembravam um prelado, patrono das artes na Idade Média. Um sorriso agradável desabrochou em seus lábios. – A ironia das coisas! – disse ele alegremente. – Seu nome absurdo, um grego antigo! Ele apontou com o dedo num gesto amigável e se encaminhou para o parapeito rindo consigo mesmo. Stephen Dedalus se aproximou, acompanhou-o e a meio caminho cansado se sentou na beira da plataforma de tiro, observando-o enquanto ele apoiava o espelho no parapeito, molhava o pincel na tigela e passava a espuma na face e no pescoço. A voz alegre de Buck Mulligan prosseguia. – Meu nome também é absurdo: Malachi Mulligan, dois dátilos. Mas soa helênico, não soa? Saltitante e radioso como o próprio cervo. Nós precisamos ir a Atenas. Você vem se eu conseguir que a tia me dê vinte libras? Ele pôs o pincel de lado e, rindo com prazer, gritou: – Será que ele vem? O jesuíta subnutrido! Parando, ele começou a fazer a barba com cuidado. – Diga-me, Mulligan – falou Stephen tranqüilamente. – Sim, meu anjo? – Quanto tempo Haines vai ficar nesta torre? Buck Mulligan mostrou um rosto barbeado por cima do ombro direito.

– Meu Deus, ele não é horrível? – disse francamente. – Um saxão enfadonho. Ele não acha que você seja um cavalheiro. Meu Deus, esses malditos ingleses! Estourando de dinheiro e indigestão. Porque ele vem de Oxford. Você sabe, Dedalus, você tem o verdadeiro estilo de Oxford. Ele não consegue entender você. Ó, meu nome para você é o melhor: Kinch, a lâmina-de-faca. Ele raspou cautelosamente o queixo. – A noite inteira ele esbravejou em sonho a respeito de uma pantera negra – disse Stephen. – Onde é que está o estojo da arma dele? – Um miserável lunático! – disse Mulligan. – Você ficou apavorado? – Fiquei – Stephen disse energicamente e com um medo crescente. – Aqui no escuro com um homem que eu não conheço esbravejando e ameaçando aos gemidos atirar numa pantera negra. Você salvou homens de afogamento. Porém eu não sou um herói. Se ele ficar aqui eu estou fora. Buck Mulligan franziu a testa ao olhar para a espuma em sua navalha. Ele saltou de seu poleiro e começou a dar apressadamente uma busca nos bolsos de sua calça. – Droga! – bradou guturalmente. Ele veio para a plataforma de tiro e, enfiando a mão no bolso superior de Stephen, disse: – Faça-nos empréstimo de seu traponasal para limpar minha navalha. Stephen suportou que ele puxasse para fora e

exibisse erguido por uma das pontas um lenço amarrotado e sujo. Buck Mulligan limpou a lâmina da navalha cuidadosamente. Em seguida, lançando um olhar por cima do lenço, disse: – O traponasal do bardo! Uma nova cor artística para os nossos poetas irlandeses: verdemeleca. A gente quase pode sentir o gosto, não é? Ele subiu no parapeito novamente e lançou um olhar à volta por sobre a baía de Dublin, com seu cabelo louro de carvalho pálido ligeiramente alvoroçado. – Ó Deus! – disse tranqüilamente. – Não é que o mar é aquilo que Algy chama de uma grande e doce mãe? O mar verdemeleca. O mar escrotocompressor. Epi oinopa ponton. Ah, Dedalus, os gregos! Eu preciso lhe ensinar. Você precisa os ler no original. Thalatta! Thalatta! Ele é a nossa grande e doce mãe. Venha ver. Stephen se levantou e se encaminhou para o parapeito. Apoiando-se nele olhou para a água embaixo e para o barco-correio desafogando a entrada da enseada de Kingstown. – Nossa mãe toda-poderosa! – disse Mulligan. Ele voltou abruptamente do mar para o rosto de Stephen seus olhos cinzentos inquisitivos. – A tia acha que você matou a sua mãe – disse ele. – É por isso que ela não quer me deixar ter nada a ver com você. – Alguém a matou – disse Stephen sombriamente. – Que droga, Kinch, você podia ter se ajoelhado quando sua mãe agonizante pediu – disse Buck

Mulligan. – Eu sou hiperbóreo tanto quanto você. Mas pensar em sua mãe rogando no seu último suspiro que você se ajoelhasse e rezasse por ela. E você recusou. Existe alguma coisa sinistra em você... Ele se interrompeu e passou espuma de novo ligeiramente na face. Um sorriso tolerante crispou seus lábios. – Mas um mímico encantador! – murmurou consigo mesmo. – Kinch, o mais encantador de todos os mímicos! Seriamente e em silêncio ele fez a barba com tranqüilidade e cuidado. Stephen, com o cotovelo repousando no granito pontudo, encostou a palma abaixo da sobrancelha e olhou para a extremidade da manga de seu casaco preto lustroso que começava a puir. Uma dor, que ainda não era a dor do amor, agitou seu coração. Silenciosamente, em sonho, ela viera até ele após a sua morte, seu corpo gasto dentro de largas roupas tumulares marrons, exalando um odor de cera e paurosa, seu sopro, que se curvara sobre ele, mudo, reprovador, um fraco odor de cinzas molhadas. Através do punho puído ele viu o mar saudado como uma grande e doce mãe pela voz bem alimentada ao seu lado. A orla da baía e o horizonte continham uma massa líquida verde opaca. Uma tigela de porcelana ficara ao lado do leito de morte dela contendo a bile que parecia uma lesma verde arrancada de seu fígado apodrecido em seus ataques de vômito e de altos gemidos.

Buck Mulligan limpou novamente sua navalha de barba. – Ah, pobre corpodecão! – disse ele com voz branda. – Eu preciso te dar uma camisa e alguns traposnasais. Como está a calça de segunda mão? – Ela está caindo bastante bem – respondeu Stephen. Buck Mulligan atacou a concavidade abaixo de seu lábio inferior. – A ironia disso tudo – disse ele satisfeito. – Devia ser calça-de-segunda-perna. Só Deus sabe que alcoólatra sifilítico se desfez dela. Eu tenho uma com uma listra fina cinzenta. Você vai ficar elegante nela. Não estou brincando, não, Kinch. Você fica bonitão quando está bem vestido. – Obrigado – disse Stephen. – Se ela for cinzenta eu não posso usar. – Ele não pode usá-la – falou Buck Mulligan para o seu rosto no espelho. – Etiqueta é etiqueta. Ele mata a mãe mas não pode usar calça cinzenta. Ele dobrou a navalha cuidadosamente e com batidinhas leves apalpou o rosto sentindo com os dedos a pele macia. Stephen virou seu olhar do mar para o rosto gorducho com seus olhos expressivos azulenfumaçados. – Aquele camarada que eu encontrei no Ship ontem à noite – disse Buck Mulligan – disse que você tem p.g.i. Ele está lá em Dottyville com Connolly Norman. Paralisia geral do insano!

Ele fez o espelho rodopiar em semicírculo no ar para lançar a notícia bem longe sob a luz do sol agora radioso sobre o mar. Seus lábios crispados e barbeados riram assim como as pontas dos seus dentes brancos cintilantes. O riso se apoderou de todo o seu tronco forte e compacto. – Olhe para você – disse ele –, seu bardo pavoroso! Stephen inclinou a cabeça para a frente e examinou o espelho, fendido por uma rachadura tortuosa, estendido para ele. Cabelo em pé. Como ele e outros me vêem. Quem escolheu este rosto para mim? Este corpo de cão que tem de se livrar de vermes. Ele também me pergunta o mesmo. – Eu o surrupiei do quarto da criada – disse Buck Mulligan. – Ela bem o merece. A tia sempre fica com empregadas feiosas para Malachi. Não o conduza à tentação. E seu nome é Ursula. Rindo de novo, ele afastou o espelho dos olhos perscrutadores de Stephen. – A raiva de Caliban por não ver seu rosto no espelho – disse ele. – Se Wilde ao menos estivesse vivo para ver você! Recuando e apontando, Stephen disse com amargor: – Ele é um símbolo da arte irlandesa. O espelho rachado de uma criada. Buck Mulligan enfiou subitamente seu braço no de Stephen e caminhou com ele em volta da torre, com sua navalha e espelho estalando em seu bolso onde ele

os metera. – Não é justo implicar com você desse jeito, Kinch, não é? – disse ele amavelmente. – Deus sabe que você tem muito mais talento do que qualquer um deles. Aparado o golpe novamente. Ele teme o bisturi da minha arte como eu temo o da dele. A pena fria de aço. – Espelho rachado de uma criada! Diga isso para o cara bovinooxfordiano lá embaixo e arranque dele um guinéu. Ele está tresandando de dinheiro e acha que você não é um cavalheiro. O velho dele fez sua grana vendendo jalapa para os Zulus ou numa outra sórdida falcatrua. Meu Deus, Kinch, se você e eu pudéssemos ao menos trabalhar juntos nós poderíamos fazer alguma coisa pela ilha. Helenizá-la. O braço de Cranly. Seu braço. – E pensar em você tendo de mendigar desses porcos. Eu sou o único que sabe o que você é. Por que você não confia mais em mim? O que você tem na cabeça contra mim? É Haines? Se ele fizer algum barulho aqui eu chamarei Seymour e nós faremos um banzé com ele pior do que aquele que fizeram com Clive Kempthorpe. Gritos jovens de vozes endinheiradas nos aposentos de Clive Kempthorpe. Caraspálidas: eles estouram de rir, um apertando a mão do outro. Ó, eu vou expirar! Dê a notícia gentilmente a ela, Aubrey! Eu vou morrer! Com tiras rasgadas da camisa dele açoitando o ar ele salta e cambaleia em volta da mesa,

com as calças arriadas até os calcanhares, perseguido por Ades do Magdalen College com a tesoura de alfaiate. Uma cara de bezerro assustado enfeitada de marmelada. Eu não quero que tirem minhas calças! Não se faça de tolo comigo! Gritos escapando da janela aberta assustando o pátio à noite. Um jardineiro surdo, vestindo um avental, com a máscara de Matthew Arnold, empurra sua ceifadeira no gramado sombrio observando atentamente as partículas saltitantes da relva. Para nós... novo paganismo... omphalos. – Deixe ele ficar – disse Stephen. – Não há nada de errado com ele a não ser à noite. – Então o que é? – perguntou Buck Mulligan impacientemente. – Bote pra fora. Eu sou muito franco com você. O que é que você tem contra mim agora? Eles pararam, olhando em direção ao promontório abrupto de Bray Head que jazia na água como o focinho de uma baleia adormecida. Stephen retirou seu braço tranqüilamente. – Você quer que eu lhe diga? – perguntou ele. – Quero, o que é? – respondeu Buck Mulligan. – Eu não me lembro de nada. Ele olhou para o rosto de Stephen enquanto falava. Uma brisa ligeira passou pela sua testa, abanando suavemente seu cabelo louro despenteado e revolvendo os pontos prateados de ansiedade em seus olhos. Deprimido por sua própria voz, Stephen disse: – Você se lembra do primeiro dia em que eu fui

à sua casa depois da morte de minha mãe? Buck Mulligan franziu a testa rapidamente e disse: – O quê? Onde? Eu não consigo me lembrar de nada. Eu me lembro apenas de idéias e sensações. Por quê? Em nome de Deus o que aconteceu? – Você estava preparando o chá – disse Stephen – e eu cruzei o patamar para pegar mais água quente. Sua mãe e algum visitante saíram da sala de estar. Ela perguntou a você quem estava em seu quarto. – E daí? – disse Buck Mulligan. – O que é que eu disse? Eu esqueci. – Você disse – respondeu Stephen –, Ó, é apenas Dedalus cuja mãe morreu como um animal. Um rubor que o tornou mais jovem e mais atraente subiu às faces de Buck Mulligan. – Eu disse isso? – perguntou. – Muito bem. Que mal há nisso? Ele sacudiu nervosamente seu constrangimento para fora de si. – E o que é a morte – perguntou –, a de sua mãe ou a sua ou a minha mesmo? Você só viu sua mãe morrer. Eu os vejo estourar todo dia no Mater Misericordiae e no Richmond e serem retalhados até as tripas na sala de dissecção. É uma coisa brutal e nada mais. Simplesmente não importa. Você não quis se ajoelhar para rezar por sua mãe em seu leito de morte quando ela lhe pediu. Por quê? Porque você tem aquele maldito traço jesuíta em você, só que injetado de forma

Stephen. Ele se voltou para Stephen e disse: – Olhe para o mar. Buck Mulligan rodou em seus calcanhares. – Na ofensa a mim – respondeu Stephen. velando sua visão. Pulsações batiam em seus olhos. olhando por cima do mar calmo em direção ao promontório. Um absurdo! Suponho que eu tenha dito isso. – Em que então? – perguntou Buck Mulligan. Eu não tive intenção de ofender a memória de sua mãe. Para mim é tudo uma zombaria e aliás brutal.errada. Stephen ficou de pé em seu posto. Ela chama o médico sir Peter Teazle e arranca flores douradas da colcha. Você contrariou seu último desejo e no entanto fica amuado comigo porque eu não me lamurio como as carpideiras contratadas de Lalouette. protegendo as feridas escancaradas que as palavras haviam deixado em seu coração. Os lóbulos cerebrais dela não estão funcionando. criatura impossível! – exclamou ele. Uma voz chamava alto de dentro da torre: – Você está aí em cima. O que lhe importam as . Ele saiu caminhando rapidamente em volta do parapeito. e ele sentiu febre em suas faces. Mar e promontório ficaram escuros. Mulligan? – Estou indo – respondeu Buck Mulligan. disse bastante friamente: – Eu não estou pensando na ofensa à minha mãe. Ele tinha ele próprio falado com atrevimento. Faça a vontade dela até que tudo termine. – Ó.

totalmente. incorporando seus acordes entrelaçados. Sua cabeça parou ainda por um momento no topo da escada. ao nível do telhado. A canção de Fergus: eu a cantei sozinho na casa. – Eu sou inconseqüente. – Não fique desanimado com tudo isso o dia todo – disse ele. Sombras-do-bosque flutuavam silenciosamente através da paz da manhã vindas do topo da escada em direção ao mar que ele contemplava. dois a dois. Por essas palavras. – E basta de virar para o lado e meditar Sobre o mistério amargo do amor Pois Fergus comanda as carruagens de bronze. a tigela de líquido amargo. e desça. Os acentos entrelaçados.ofensas? Acabe com Loyola. toldando a baía de um verde mais profundo. Ela jazia abaixo dele. Ondabranca ligada às palavras bruxuleando na maré sombria. repelidas por pés apressados com calçados leves. Dentro da praia e ao largo o espelho das águas esbranquiçadas. Silencioso com respeito e piedade eu fui para o lado de sua cama. Sua cabeça sumiu mas a lengalenga de sua voz ao descer ressoou para fora da escada. abafando os acordes longos e melancólicos. Uma nuvem começou a cobrir o sol lentamente. O saxônico quer suas fatias finas de bacon da manhã. Ela estava chorando em seu leito miserável. Dedos dedilhando as cordas da harpa. A porta dela estava aberta: ela queria ouvir a minha música. Seio branco do mar sombrio. Desista de sua meditação ressentida. Kinch. Stephen: mistério .

Ela ouviu o velho Royce cantar na pantomima de Turko o Terrível e riu com os outros quando ele cantou: Eu sou o rapaz Que é capaz De invisibilidade. Lembranças invadem seu cérebro ruminante. E basta de virar para o lado e meditar. Aonde agora? Os segredos dela: antigos leques-de-plumas. cheia de açúcar mascavo. fitando de dentro da morte. para sacudir e subjugar minha alma. Uma maçã sem o miolo. assando para ela na beira da lareira numa noite escura de outono.amargo do amor. embrulhada longe: perfumada-de-almíscar. um fraco odor de cinzas molhadas. curvado sobre ele com mudas palavras secretas. seu sopro. Seus olhos vidrados. O copo da água da torneira da cozinha quando ela se aproximara do sacramento. Uma gaiola pendurada na janela ensolarada da casa dela quando ela era menina. Alegria fantásmica. seu corpo gasto dentro de suas largas roupas tumulares exalando um odor de cera e pau-rosa. Só em . carnês de baile enfeitados. um berloque de contas de âmbar em sua gaveta trancada. Num sonho. Suas unhas bem modeladas avermelhadas pelo sangue dos piolhos espremidos das camisas dos filhos. ela viera até ele. silenciosamente. Embrulhada longe na memória da natureza com os brinquedos dela. impregnados de almíscar.

– Eu recebo esta manhã – disse Stephen. desça como um bom molenga. O café-da-manhã está pronto. – Quanto? Quatro libras? Empreste-nos uma. Luz espectral sobre o rosto torturado. tremendo ainda com o clamor de sua alma.mim. Está tudo bem. enquanto todos rezavam de joelhos. – Eu contei para ele o seu símbolo da arte irlandesa. – A grana da escola? – disse Buck Mulligan. Arranque uma libra dele. Espírito maléfico! Devorador de cadáveres! Não. Os olhos dela sobre mim para me derrubar. – Estou indo – disse Stephen. – Quatro reluzentes soberanos – exclamou Buck . Seu sopro rouco estrepitando alto com horror. Sua cabeça desapareceu e reapareceu. Liliata rutilantium te confessorum turma circumdet: iubilantium te virginum chorus excipiat. por Jesus – disse Buck Mulligan. ouviu correr a luz quente do sol e as palavras amigáveis no ar atrás de si. – Olá. – Faça isso. está bem? Ou melhor. um guinéu. mãe! Me deixe em paz me deixe viver. – Dedalus. chamando novamente. A velafantasma para iluminar sua agonia. – Se você quiser – disse Stephen. se virando. Ele disse que é muito inteligente. Ela se aproximou escada acima. Kinch! A voz de Buck Mulligan cantou de dentro da torre. – Por mim e por todos nós. Haines está se desculpando por nos ter acordado ontem à noite. Stephen.

esquecida. cheirando a baba viscosa da espuma de barba na qual estava enfiado o pincel. – Vamos tomar uma bebedeira gloriosa para espantar até os druidas druídicos. segurou-a nas mãos por um tempo. amizade esquecida? Ele se encaminhou para ela. sentindo seu frescor. Um servo também. Na sala de estar abobadada e sombria da torre a figura vestida de penhoar de Buck Mulligan se movia rapidamente de um lado para o outro em volta da lareira. cerveja e vinho bebidos! Na coroação. Dois raios suaves de luz caíram cruzando o chão lajeado vindos das elevadas barbacãs: e no encontro de seus raios uma nuvem de fumaça-de-carvão e exalações de . ocultando e revelando seu brilho amarelo. A tigela de barbear de níquel brilhava. Lançou as mãos para cima e desceu pesadamente a escada de pedra. Um servidor de um servo. Por que eu a levaria para baixo? Ou então a deixaria ali o dia todo. sobre o parapeito. Quatro onipotentes soberanos. vamos ter momentos divertidos Com uísque. Eu sou um outro agora e no entanto o mesmo. Assim também eu carreguei o turíbulo de incenso então em Clongowes. No dia da coroação! Ó. vamos ter momentos divertidos No dia da coroação! Luz solar quente se alegrando acima do mar. cantando desafinado com um sotaque cockney : – Ó.Mulligan encantado.

dando voltas.. Mas. foi até o vão da porta e abriu as portas internas. Haines ficou no vão da porta. abra aquela porta. Abençoa-nos.. manteiga. e a estas tuas dádivas. venha. pousou-os nela pesadamente e suspirou de alívio. – Meu Jesusinho. Cristo. Onde está o açúcar? Ó. acorde! Pão. uma luz bem-vinda e um ar claro entraram. estou sufocado! Ele uivou. A bóia está pronta. Stephen apanhou o pão e o pote de mel e a . quando a porta pesada foi escancarada. mel. sem levantar os olhos do fogo: – Kinch! – Está na fechadura – disse Stephen. psiu! Nem mais uma palavra sobre o assunto! Kinch. avançando. olhando para fora. – Nós vamos sufocar – disse Buck Mulligan. Uma figura alta se ergueu da rede em que estivera sentada. Stephen arrastou sua aprumada valise para a mesa e se sentou para esperar. – Haines. não há leite. – Você tem a chave? – perguntou uma voz. Haines. Senhor. Em seguida ele carregou a travessa e o bule grande de chá para a mesa. por favor? Stephen pôs a tigela de barbear no armário. – Eu estou derretendo – disse ele – como a vela observou quando. – Dedalus a tem – disse Buck Mulligan.gordura frita flutuavam. A chave rangeu estridentemente ao rodar duas vezes e. Buck Mulligan atirou a fritura na travessa ao seu lado.

Buck Mulligan disse com uma voz engabeladora de velha: – Quando eu faz chá eu faz chá. – Ó. Ele cortou os três ovos na travessa e atirou cada um deles nos três pratos. Buck Mulligan continuou cortando e engabelando: . dane-se você com suas noções peculiares de Paris! – disse Buck Mulligan. O açúcar está no saco. – Que espécie de hospedaria é esta? – disse ele. Mulligan. saltando da cadeira. – Nós podemos tomá-lo preto – disse Stephen sedento. – Eu quero leite de Sandycove.manteigueira do armário. – Há um limão no armário. E quando eu faz água eu faz água. – Sentese. eu não posso continuar me atrapalhando com esses malditos ovos. – As bênçãos de Deus recaiam sobre você! – exclamou Buck Mulligan. Buck Mulligan se sentou com súbito mau humor. Sirva o chá aí. não? Cortando fatias grossas de pão. Olhe. – Por Deus. dizendo: – In nomine Patris et Filii et Spiritus Sancti. Haines se sentou para servir o chá. – Mas. nossa. – Eu estou dando dois tabletes de açúcar para cada um de vocês – disse ele. isto é chá – disse Haines. Haines veio da porta e disse calmamente: – A mulher está vindo com o leite. – Eu disse que ela viesse depois das oito. como dizia a velha mãe Grogan. você faz um chá forte.

ele resmungou com uma voz enrouquecida e irritante enquanto cortava de novo vigorosamente o . erguendo as sobrancelhas: – Você se lembra. espetada em sua faca. Ele entregou bruscamente de cada vez aos seus companheiros de confusão uma fatia grossa de pão. Haines – disse ele com muita veemência. Ele se voltou para Stephen e perguntou numa bela voz intrigada. Sra. – Suas razões. Deus mandou dizer para você não fazer os dois no mesmo bule. Impressos pelas feiticeiras irmãs no ano do vento forte. irmão. – Você acha que era? Que encanto! Então subitamente com todos os traços anuviados. por favor? – Eu imagino – disse Stephen enquanto comia – que isso nunca existiu nem dentro nem fora de Mabinogion. – Isso é o povo para o seu livro. – Por Deus. Cahill –.– Eu também. Cahill – disse ela. – Cinco linhas de texto e dez páginas de notas sobre o povo e os peixesdeuses de Dundrum. Acredita-se que mãe Grogan era parenta de Mary Ann. Buck Mulligan sorriu encantado. se o bule de chá da mãe Grogan é mencionado no Mabinogion ou nos Upanixades? – Tenho dúvidas – disse Stephen seriamente. – Tem mesmo? – disse Buck Mulligan no mesmo tom. – Encantador! – disse ele com uma voz doce afetada. mostrando seus dentes brancos e piscando os olhos com prazer. mulher – disse a Sra.

Velhos mamilos mirrados. – O leite. Stephen recuou e pegou a jarra de leite no armário.pão: – Pois a velha Mary Ann Ela não liga a mínima. O vão da porta foi escurecido por uma forma que entrava. Ela louvou as qualidades do . – Os nativos da ilha – disse Mulligan a Haines casualmente – falam com freqüência no colecionador de prepúcios. – É uma linda manhã. – Quanto. mulher – disse Mulligan. Velha e reservada ela viera de um mundo matinal. senhor! – Entre. olhando para ela. Uma mulher idosa avançou e ficou de pé junto ao cotovelo de Stephen. pegue a jarra. senhor? – perguntou a velha. – Ah. Ele a observou enquanto ela derramava na medida e daí dentro da jarra o leite grosso e branco.. – Um quarto – disse Stephen. talvez uma mensageira. arregaçando seu saiote. Mas. – Kinch.. – Glória seja dada a Deus. Ele entupiu sua boca com a fritura e mastigou e zuniu. – A quem? – disse Mulligan. com certeza. não o dela. Ela derramou novamente uma medida completa e mais um pouco. senhor – disse ela.

gado de pêlo úmido e sedoso. Servir ou reprovar. mulher – disse Buck Mulligan. ao derramá-lo. Stephen ouvia em desdenhoso silêncio. mas escarnecida a implorar seu favor. Vivendo num lodaçal. – Se pudéssemos viver de um alimento bom como esse – disse ele a ela numa voz um tanto elevada –. forma humilde de um imortal servindo seu conquistador e seu alegre traidor. Seda do gado e pobre mulher velha. À voz que vai absolvê- . Acocorada junto a uma vaca paciente ao raiar do dia no campo luxuriante. – É mesmo. Ele bebeu a pedido dela. – Prove. Elas mugiam à volta dela que tão bem conheciam.leite. uma bruxa sobre o seu cogumelo. – Sou. nomes dados a ela em tempos idos. comendo comida barata e com ruas cobertas de pó. seu consertador-de-ossos. Uma velha mulher errante. corneada em comum acordo pelos dois. Ela inclina sua velha cabeça para uma voz que fala alto com ela. derramando leite nas xícaras deles. qual dos dois ele não poderia dizer. senhor – disse ela. seu homemmédico: a mim ela menospreza. uma mensageira da manhã secreta. nós não teríamos um país cheio de dentes podres e de vísceras podres. – O senhor é estudante de medicina? – perguntou a velha. seus dedos enrugados rápidos nas tetas esguichantes. de esterco de cavalo e de escarros de tuberculosos. – Ora vejam só – disse ela. mulher – respondeu Buck Mulligan.

senhor – disse a velha. deixando deslizar até seu antebraço a asa do latão de leite e prestes a partir. confiantemente numa fala mais longa. senhor? – Eu sou um inglês – respondeu Haines. – Totalmente maravilhosa. feitas da carne do homem não à semelhança de Deus. – Você pode falar gaélico? – Eu achei que era irlandês – disse ela – pelo som. Kinch. a presa da serpente. e eu estou envergonhada porque eu mesma não falo a língua. Haines falou com ela novamente.la e ungir para o túmulo tudo que existe dela exceto suas entranhas sujas de mulher. – É irlandês – disse Buck Mulligan. Encha nossa xícara de mais chá. Eu ouvi dizer que é uma grande língua por aqueles que a conhecem. dona? – Não. – E nós devíamos mesmo – disse a velha –. obrigada. – Grande não é bem a palavra para ela – disse Buck Mulligan. Haines disse a ela: . A senhora quer uma xícara. – É francês que o senhor está falando? – disse a velha a Haines. – Ele é inglês – disse Buck Mulligan – e ele acha que nós devíamos falar irlandês na Irlanda. O senhor é do oeste. E à voz autoritária que lhe ordena agora que fique em silêncio com olhos vacilantes e atônitos. – Você está entendendo o que ele diz? – perguntou Stephen a ela.

Buck Mulligan suspirou e. Isto é um shilling e um e dois é dois e dois. torceu-o em volta dos dedos e gritou: – Um milagre! Ele o passou pela mesa até a velha mulher. são sete manhãs um quartilho por dois pence é sete vezes dois é um shilling e dois pence passados e estas três manhãs um quarto por quatro pence é três quartos é um shilling. – Tem bastante tempo. . senhor? – disse ela. colorindo ligeiramente o chá com uma colher do leite grosso e forte. – Pague e se mostre satisfeito – disse Haines sorrindo para ele. você não acha Mulligan? Stephen encheu novamente as três xícaras. Stephen pôs a moeda na mão nada ansiosa dela. – Bem. doçura. pegando a moeda. Tudo que eu posso lhe dar eu lhe dou. esticou as pernas para a frente e começou a procurar nos bolsos de sua calça. Bom-dia. parando. senhor. – Ficamos lhe devendo dois pence – disse ele. – Bastante tempo. – Conta. Buck Mulligan ergueu um florim.– A senhora tem aí a sua conta? Seria melhor que nós a pagássemos. senhor. tendo enchido a boca com uma crosta de pão com bastante manteiga dos dois lados. dizendo: – Não me peça mais nada. Stephen encheu uma terceira xícara. senhor – disse ela.

houvesse mais. Eu estou sem um níquel. seguida do canto terno de Buck Mulligan: – Amor dos meus amores. Ele se voltou para Stephen e perguntou brandamente: – É hoje o dia de sua lavagem mensal.Ela fez uma reverência e saiu. Ele se voltou para Stephen e disse: – Para falar seriamente. A Irlanda espera que todo homem neste dia cumpra o seu dever. Kinch? Em seguida ele disse a Haines: – O imundo bardo insiste em se lavar uma vez por mês. – O nosso banho de mar primeiro – disse Buck Mulligan. – Toda a Irlanda é lavada pela corrente do golfo – disse Stephen enquanto deixava pingar mel em uma fatia de pão. E mais seria depositado aos seus pés. Eles se lavam e se banham e . Falando comigo. Dedalus. Corra para o seu colégio e nos traga de volta algum dinheiro. Haines do canto em que estava dando facilmente nó na echarpe em volta do colarinho aberto de sua camisa de tênis disse: – Eu tenciono fazer uma coleção dos seus ditos se você me permitir. Hoje os bardos precisam beber e festejar. – Isso me lembra – disse Haines se levantando – que eu tenho que visitar hoje a sua biblioteca nacional.

Buck Mulligan se inclinou para Stephen e disse de maneira vigorosa e áspera: – Agora você meteu os pés pelas mãos. – Aquele sobre o espelho rachado de uma criada ser o símbolo da arte irlandesa é tremendamente bom. É uma questão duvidosa. Buck Mulligan chutou o pé de Stephen por baixo da mesa e disse em tom caloroso: – Espere até ouvi-lo sobre Hamlet. Buck Mulligan suspirou tragicamente e pôs a mão no braço de Stephen. No entanto eis aqui uma mancha. Haines. De quem? Da leiteira ou dele.se esfregam. eu creio. com certeza. Remorso de consciência. – Bem. – Eu faço o seu cartaz com ele – disse Buck Mulligan – e então você vem com seu olhar de soslaio nojento e com suas chacotas jesuítas sombrias. . Haines riu e. – Eu ganharia algum dinheiro com isso? – perguntou Stephen. – Eu vejo pouca esperança – disse Stephen – vindo dela ou dele. Por que você disse isso? – E daí? – disse Stephen. ainda se dirigindo a Stephen. enquanto tirava seu macio chapéu cinzento do gancho da rede. Ele saiu perambulando para a porta. disse: – Eu não posso dizer. Consciência. eu estou falando sério – disse Haines. – Eu estava exatamente pensando nisso quando aquela pobre criatura entrou. – O problema é ganhar dinheiro.

E colocando seu colarinho duro e a gravata rebelde ele falou com eles ralhando com eles e com a corrente oscilante de seu relógio. Remorso de consciência. indo para a porta. desamarrou solenemente o cinto e despiu seu penhoar dizendo resignadamente: – Mulligan está despojado de suas vestes. nós simplesmente temos que vestir o personagem. Malachi mercurial. Por que você não os manobra como eu faço? Para o inferno com todos eles. eu me contradigo. voou de suas mãos falantes. Num tom de voz subitamente mudado ele acrescentou: – Para falar com toda a sinceridade eu acho que você está certo. – Aqui está seu traponasal – disse ele. – Saia. Haines os chamou da porta. Ele esvaziou os bolsos sobre a mesa. Um projétil preto. Kinch. Contradição. Eu quero luvas de pelica e botas verdes. Ele se levantou. – Vocês vêm.– Vindo de mim. Meu Deus. Dane-se tudo o mais para o qual eles sirvam. Vamos sair da hospedaria. – E aí está o seu chapéu do Quartier Latin – disse ele. mole. rapazes? – Eu estou pronto – respondeu Buck Mulligan. Kinch – disse ele. Stephen o apanhou e o pôs na cabeça. Suas mãos mergulharam e inspecionaram seu tronco enquanto ele clamava por um lenço limpo. Você comeu tudo o . E eu me contradigo? Muito bem então.

que nós deixamos. eu diria. quase com tristeza: – E saindo ele encontrou Butterly. Mas a nossa é o omphalos. senhor! Como ousa. enquanto eles desciam a escada. Eles pararam enquanto Haines observava cuidadosamente a torre e finalmente dizia: – Bastante fria no inverno. passando à frente deles. Ao pé da escada Buck Mulligan perguntou: – Você trouxe a chave? – Eu a tenho – disse Stephen. não é? – Billy Pitt as mandou construir – disse Buck Mulligan – quando os franceses estavam no mar. Ele continuou andando. – Qual a sua idéia sobre Hamlet? – perguntou Haines a Stephen. puxou a lenta porta de ferro e a trancou. – Ao secretário de Defesa do estado – acrescentou Stephen por cima do ombro. . eu creio. – Pra baixo. Pegando sua bengala do porta-guarda-chuvas. senhor! Haines perguntou: – Vocês pagam aluguel por esta torre? – Doze libras – disse Buck Mulligan. Atrás dele ele ouviu Buck Mulligan dar pauladas com sua toalha de banho pesada nos rebentos terminais de samambaias e gramas. Resignado ele saiu com palavras e passos solenes. dizendo. Vocês a chamam Martello. Pôs a chave pesada no seu bolso interno. Stephen os seguiu para fora e.

Kinch. dizendo. disse no ouvido de Stephen: – Ó. – Vocês aguçam minha curiosidade – disse Haines amavelmente. não – gritou Buck Mulligan aflito. – Nós superamos Wilde e os paradoxos. – Eu não sou igual a Tomás de Aquino com as cinqüenta e cinco razões que ele criou para sustentar isso. – Só a sagrada cerveja pode desatar a língua de . conseguiria? – Já se esperou tanto tempo – disse Stephen indiferentemente –. – E é uma história bastante longa para contar.– Não. sombra de Kinch o mais velho! Jafé à procura de um pai! – Nós estamos sempre cansados de manhã – disse Stephen a Haines. Ele prova por álgebra que o neto de Hamlet é o avô de Shakespeare e que ele próprio é o fantasma de seu próprio pai. que se pode esperar mais. Avançando novamente. Espere até que eu tenha tomado primeiro algumas cervejas. à medida que puxava para baixo as pontas de seu colete amarelo-claro: – Você não conseguiria fazer isso com menos de três cervejas. – O quê? – disse Haines começando a apontar para Stephen. Ele se voltou para Stephen. se inclinando para soltar uma gargalhada. É muito simples. – Ele próprio? Buck Mulligan atirou sua toalha à maneira de uma estola em volta do pescoço e. – É algum paradoxo? – Ora! – disse Buck Mulligan. Buck Mulligan ergueu as mãos.

e começou a entoar com uma voz pacata feliz e tola: . O Filho se esforçando por se identificar com o Pai. com sua boca bem delineada alegremente aberta. Olhos. pálidos como o mar que o vento refrescara. – A idéia de Pai e de Filho. Que se projeta acima de sua base dentro do mar. piscando com uma jovialidade louca. seus olhos. No instante breve e silencioso Stephen viu sua própria imagem de luto barato e empoeirado entre os trajes alegres deles. Moveu sua cabeça de boneca de um lado para o outro. vazia a não ser pela fumaça emplumada do barcocorreio vago no horizonte claro e uma vela bordejando Muglins. com as abas do seu chapéu-panamá tremulando. mais pálidos. fazendo-os parar novamente. não é? Subitamente Buck Mulligan se voltou por um instante para Stephen mas não falou. – É um conto maravilhoso – disse Haines. ele olhou em direção ao sul por sobre a baía. – Eu quero dizer – explicou Haines a Stephen enquanto eles prosseguiam – que esta torre e estes penhascos aqui me lembram de certa forma Elsinore. O rei dos mares. Ele olhou para eles. dos quais retirara subitamente todo traço de esperteza. Imediatamente Buck Mulligan sorrindo mostrou um rosto sorridente e amplamente satisfeito.Dedalus – disse ele. – Eu li uma interpretação teológica disso em algum lugar – disse ele confundido. firmes e prudentes.

Assim mesmo a sua alegria retira um pouco o aspecto . Ele ergueu um dedo indicador como aviso: – Os que ainda duvidam que eu sou divindade Não vão tomar o vinho que eu farei à vontade Vão ter que beber água e a água somente Que verto quando o vinho vira água novamente. Ele é muito irreverente. o chapéu de Mercúrio oscilante ao sopro do vento trazendo de volta até eles os gritos suaves e curtos dos passarinhos. Ele saltou na frente deles em direção ao buraco de quarenta pés de profundidade. pulando lépido. Eu mesmo não sou um crente. com as mãos tremulando como se fossem asas. Haines.– Eu sou um fulano muito esquisitinho. na verdade. e entoou: – Então. prosseguiu andando ao lado de Stephen e disse: – Não deveríamos rir. meu pai passarinho. correndo para o cimo do penhasco escarpado. Minha mãe é judia. fez seus dedos tremularem dos lados do corpo como barbatanas ou asas prestes a se erguer no ar. José carpinteiro não sabe o que faz. que até então rira prudentemente. adeus. creio. Ele puxou com força a bengala de Stephen em sinal de despedida e. adeus! Escrevam o que falei E contem a todo mundo que eu ressuscitei Meu talento inato não pode falhar E com a brisa do Jardim eu hei de voar. E eu brindo ao Calvário e coisas que tais.

– Obrigado – disse Stephen. Ele a abriu fazendo saltar a tampa com o polegar e a ofereceu. Criação do nada e milagres e um Deus pessoal. me parece – disse Stephen. Haines parou para retirar uma cigarreira de prata na qual brilhava uma pedra verde. Você não defende essa idéia. – Sim. – Ó – disse Haines –. – Ou a gente acredita ou não acredita. é? – perguntou Haines. depois das refeições – disse Stephen secamente. não é? Como é que ele o chamou? José o Carpinteiro? – A balada do Jesus piadista – respondeu Stephen. suponho? – Você vê em mim – disse Stephen com soturno descontentamento – um horrível modelo de . enquanto eles retomavam a caminhada. protegida por suas mãos fechadas em concha. – Quero dizer. – Você não é um crente. – Só existe um sentido da palavra. um crente no sentido estrito da palavra. Haines tirou um para si e fechou com um estalo a cigarreira. naturalmente – disse ele. pegando um cigarro. você já ouviu isso antes? – Três vezes ao dia. Ele a pôs de volta em seu bolso do lado e tirou do bolso do seu colete um isqueiro de níquel. não é? Pessoalmente eu não poderia engolir a idéia de um Deus pessoal.ofensivo. estendeu a centelha chamejante para Stephen. abriuo e tendo acendido seu cigarro.

Sua ponteira seguia ligeiramente pelo caminho.livre-pensamento. me chamando. eu diria que você é capaz de se libertar. atrás de mim.. Ele continuou a andar. . me parece. Eu paguei o aluguel. Tudo. – começou Haines. Eles vão caminhar por ele de noite. – E um terceiro – disse Stephen – existe que me quer para trabalhos avulsos. Agora eu como seu pão salgado. – Afinal de contas. Ele quer a chave. Uma rainha louca. Steeeeeeeeeeephen! Uma linha oscilante ao longo do caminho. Isso estava claro em seus olhos. chiando em seus calcanhares.. Haines retirou do lábio inferior algumas fibras de tabaco antes de falar. – O que você quer dizer? – O estado imperial britânico – respondeu Stephen. vindo aqui no escuro. – Italiano? – disse Haines. Dê-lhe a chave também. Meu espíritobruxo. ficando ruborizado – e a santa igreja católica apostólica romana. Você é seu próprio mestre. esperando que lhe fosse dirigida a palavra. – Afinal de contas. Ajoelhe-se diante de mim. arrastando sua bengala ao seu lado. Ela é minha. – Italiano? – Haines disse novamente. velha e ciumenta. Ele vai pedi-la. um inglês e um italiano. – Eu sou um servo de dois patrões – disse Stephen –. Stephen se virou e viu que o olhar frio que o examinava não era tão mau assim.

Símbolo dos apóstolos na missa para o papa Marcelo. cantando alto em uníssono como afirmação: e por trás do canto o anjo vigilante da igreja militante desarmava e ameaçava seus heresiarcas. e Valentino. Uma horda de heresias voando impropriamente com mitras: Fócio e a ninhada de zombadores dos quais Mulligan era um. Parece que a culpa é da história. que sempre a defende na hora do conflito com suas lanças e seus escudos. Bravo. ouso dizer. e o sutil heresiarca africano Sabelio que afirmou que o Pai era Ele Próprio Seu próprio Filho.– Eu posso entender isso perfeitamente – disse ele calmamente. Zut! Nom de Dieu! . Zombaria vã. – Um irlandês deve pensar assim. Palavras que Mulligan falara havia um momento como zombaria ao estrangeiro. Os títulos potentes e orgulhosos retiniram na memória de Stephen o triunfo de seus sinos de bronze: et unam sanctam catholicam et apostolicam ecclesiam : o crescimento lento e a mudança de rito e dogma como seus próprios pensamentos escassos. o exército de Miguel. uma química de estrelas. Nós na Inglaterra sentimos que tratamos vocês bem injustamente. bravo! Aplauso prolongado. um desarmar e uma derrota provocada por aqueles anjos dispostos para a batalha da igreja. as vozes misturadas. O vazio aguarda certamente todos aqueles que tecem o vento: uma ameaça. rejeitando o corpo terrestre de Cristo. e Ario lutando com a própria vida a respeito da consubstancialidade do Filho com o Pai.

Eles desceram do penhasco pelo caminho tortuoso. – Desse jeito ele vai ser dragado quando a maré subir por volta de uma hora. agora. – Ele está se dirigindo para o porto de Bullock. – Ali há cinco braças – disse ele. um barqueiro. Diz que ele conheceu uma coisinha jovem e encantadora lá. observando: um comerciante. Faz nove dias hoje. Receio que seja esse o nosso problema nacional. Eu também não quero ver meu país cair nas mãos de judeus-alemães. Uma vela girando em volta da baía vazia esperando que uma trouxa intumescida emerja subitamente. Com os Bannons. – Lá ainda? Eu recebi um cartão de Bannon. virando para o sol um rosto inchado. Dois homens estavam de pé na beira do penhasco. O barqueiro acenou em direção ao norte da baía desdenhosamente. em manga de camisa. . Aqui estou eu. O homem que tinha se afogado. Moça da foto como ele a chama. hein? Uma revelação rápida. branco como o sal. Um jovem se agarrando a uma saliência da rocha perto dele moveu lentamente como um sapo suas pernas verdes na profundeza gelatinosa da água. – Um instantâneo.– Naturalmente eu sou um britânico – disse a voz de Haines –. Malachi? – Lá em Westmeath. – O seu irmão está com você. Buck Mulligan ficou de pé em cima de uma pedra. com a sua gravata desfeita esvoaçando no ombro. e sinto como tal.

Você conhece aquela moça ruiva. dizendo corriqueiramente: – As ruivas copulam como cabras. – Seymour um maldito oficial! – disse Mulligan. O pai é podre de rico. olhando para Haines e Stephen. – Ela está de barriga? – É melhor perguntar ao Seymour. com água brilhando em sua cachola e em sua guirlanda de cabelo grisalho. Ele acenou com a cabeça em sinal de assentimento enquanto tirava a calça e se levantava. . a Lily Carlisle? – Conheço. apalpando o lado do peito por baixo da camisa esvoaçante. – Puta merda! – exclamou Buck Mulligan. Buck Mulligan fez espaço para que ele passasse em sua escalada e. – Ele parte na semana que vem para queimar as pestanas. fez piedosamente o sinal-da-cruz com seu polegar na testa e nos lábios e no peito. – Estava aos beijos com ele na noite passada no quebra-mar.Buck Mulligan se sentou para desatar suas botas. – Seymour está de volta na cidade – disse o jovem. agarrando-se de novo à sua saliência da rocha. – Ele se livrou da medicina e vai tentar o exército. a água escorrendo pelo seu peito e pança e soltando jatos para fora de sua tanga preta e bamba. Um homem mais velho projetou perto da saliência da rocha um rosto vermelho e ofegante. Ele se interrompeu alarmado. Ele escalou as pedras.

se . – Nós o veremos novamente – disse Haines. – Você não vai entrar? – perguntou Buck Mulligan. Stephen entregou a chave a ele. Buck Mulligan ereto. para uma cervejinha.– Minha décima segunda costela se foi – gritou ele. Seu corpo gorducho mergulhou. Haines se sentou sobre a pedra. para manter minha camisa estendida. Malachi? – Vou. Assim falou Zaratustra. – Estou indo embora. – E dois pence – disse ele –. disse solenemente: – Aquele que rouba dos pobres empresta ao Senhor. Ele arrancou fora sua camisa e a atirou atrás de si para onde estavam suas roupas. – Dê-nos aquela chave. O Kinch desdentado e eu. os super-homens. Buck Mulligan a colocou por cima das roupas amontoadas. Faça um lugar na cama. Kinch – disse Buck Mulligan –. com as mãos juntas à sua frente. – Você vai entrar aqui. – Mais tarde. O rapaz recuou aos solavancos na água e alcançou o meio da enseada com duas hábeis e longas braçadas. – Eu sou o Übermensch. Stephen se afastou. a fumar. Jogue ali. Não em cima do meu café-damanhã. despir. Stephen atirou duas moedas de um penny na pilha macia. Mulligan – disse ele. Vestir.

sustentada suavemente. Chifre de um touro. .voltando para Stephen que seguia pelo atalho e sorrindo para o irlandês arredio. sorriso de um saxão. Para casa também não posso ir. Liliata rutilantium. – Certo – disse Stephen. bem longe no mar. Ela chamava de novo. Iubilantium te virginum. – O Ship – gritou Buck Mulligan. Uma cabeça marrom luzidia. – Meio-dia e meia. de uma foca. Eu não vou dormir aqui esta noite. Usurpador. Turma circumdet. A auréola cinzenta do padre no nicho em que ele discretamente se vestia. Uma voz. casco de um cavalo. redonda. Dobrando na curva ele acenou com a mão. Ele caminhou em direção ao atalho tortuoso. o chamava do mar.

Fabulado pelas filhas da Memória. 279 a. Cochrane. senhor. Onde? O olhar vazio do menino perguntou à janela vazia. . olhando para o nome e a data no livro sebento. senhor. E no entanto era de uma certa forma como se a memória não o tivesse inventado. – Muito bem. Qualquer general a quaisquer oficiais. vidro estilhaçado e alvenaria ruída e o tempo uma lívida chama final. então. Eu ouço a destruição de todo o espaço. Uma vaga tranqüilidade mental embotada. O que restou para nós então? – Eu esqueci o lugar. de impaciência.C. Uma frase.2 Você. Daquela frase o mundo se lembrara. senhor. que cidade fez apelo a ele? – Tarento. E ele disse: Uma outra vitória como essa e nós estamos liquidados. Eles prestam ouvido. senhor. E então? – Houve uma batalha. um golpe das asas de intemperança de Blake. – Sim. – Muito bem. De uma colina acima de uma planície semeada de cadáveres um general falava aos seus oficiais apoiado em sua lança. – Asculo – disse Stephen.

Uma risada alta maliciosa sem alegria. senhor.– Você. Todos riram. – Diga-me agora – disse Stephen. Dois no banco de trás sussurraram. – Qual foi o fim de Pirro? – Fim de Pirro. Você sabe alguma coisa sobre Pirro? Um saco de rolinhos doces de figo estava confortavelmente instalado na sacola de Armstrong. Dentro de alguns instantes eles vão rir mais alto. orgulhosa porque seu filho estava na marinha. Vico Road. Dalkey. Eles sabiam: não tinham nunca aprendido nem tinham nunca sido inocentes. senhor? Pirro. Gerty. Com inveja ele observou seus rostos: Edith. conscientes da minha falta de comando e das mensalidades que seus papais pagam. Lily. Semelhantes a eles: . senhor? – Eu sei. regozijo tolo em esboço. Pergunte a mim. o que é um píer? – Um píer. – Pirro. Armstrong. Todos. Gente rica. Você. Uma espécie de ponte. senhor – disse Armstrong. Sim. Migalhas aderiram à polpa de seus lábios. Alguns riram novamente: sem alegria mas com sentido. senhor. um píer. Armstrong – disse Stephen. cutucando o ombro do menino com o livro –. senhor – disse Comyn. Ethel. De vez em quando ele os enroscava nas palmas das mãos e os engolia suavemente. – Uma coisa lá na água. O hálito adocicado de um menino. O píer Kingstown. Armstrong olhou para os seus colegas à volta. – Espere.

Ninguém aqui para ouvir. uma ponte desapontada. As palavras perturbaram os olhares deles. – Píer Kingstown – disse Stephen. Para o livrinho de contos populares de Haines. penetrar na malha reluzente de sua mente. – Onde vocês começam nisso? – perguntou . tecelão do vento. senhor. O tempo os marcou a ferro em brasa e agrilhoados eles estão alojados no lugar das possibilidades infinitas que eles jogaram fora. – Como. sua nação uma casa de penhores. também. Hoje à noite habilmente em meio a conversas e bebidas desenfreadas. conquistando um elogio clemente do mestre. Uma história de assombração. – Ó. adocicados por chá e geléia. senhor. – Conte-nos uma história. Para eles também a história era um conto como outro qualquer ouvido demais. seus braceletes rindo com riso abafado na luta. O que então? Um bufão na corte de seu mestre. Mas podem essas ter sido possíveis visto que elas nunca se deram? Ou foi possível apenas essa que aconteceu? Teça. – Uma ponte fica através de um rio. tratado com indulgência e menosprezado. Por que eles haviam escolhido toda essa parte? Não exclusivamente por uma carícia suave. por favor.seus hálitos. – É isso. Eles não podem ser descartados do pensamento. senhor? – disse Comyn. Não tivesse Pirro caído pela mão de uma bruxa em Argos ou não tivesse Júlio César sido morto a punhaladas.

desprovida de claridade. uma realidade do possível como possível. Ao seu lado um franzino siamês examinava um manual de estratégia. – Não chorem mais – disse Comyn. Um menino escuro abriu um livro e o apoiou rapidamente sob a proteção de sua sacola. empalados. protegido contra o pecado de Paris. O pensamento é o pensamento do pensamento.. A frase de Aristóteles se formou dentro dos versos ininteligíveis e eles flutuaram para dentro do silêncio estudioso da biblioteca de Santa Genoveva onde ele lera. – Continue então. Talbot. À minha volta. – E a história. noite após noite. abrindo um outro livro. tristes pastores. candente: forma das . a mover suas pregas escamosas de dragão. súbita. com antenas a bater ligeiramente: e na escuridão de minha mente uma preguiça do submundo. que chorais. não chorem mais Pois Lycidas. não está morto. Embora submerso no fundo das águas mortais. A alma é de certa maneira tudo que existe: a alma é a forma das formas. Talbot. senhor? – Depois – disse Stephen. relutante.. Tranqüilidade. Claridade tranqüila.Stephen. – Continue. vasta. Deve ser um movimento então. Ele recitou o verso aos trancos com olhares esporádicos para o texto: – Não chorem mais. cérebros alimentados e se alimentando: sob lâmpadas elétricas fosforescentes.

Aqui também acima desses corações covardes repousa sua sombra e no coração e nos lábios escarnecedores e nos meus. A César o que é de César. adivinhe. – Sim. Adivinhe. Repousa nos rostos ansiosos dos que lhe ofereceram uma moeda do tributo. senhor. Hóquei às dez. – Metade do dia. senhor. Um olhar prolongado partindo de olhos escuros. Talbot repetiu: – Pelo amado poder Dele que andou sobre as ondas. senhor? – perguntou simplesmente Talbot se inclinando para a frente. – Eu ouvi todos? – perguntou Stephen. Sua mão virou a página. Empurrando uns aos outros eles . – Vire a página – disse Stephen serenamente. Pelo amado poder. Eles recolheram seus livros. Para sempre. a Deus o que é de Deus.. Ele se reclinou para trás e prosseguiu novamente. os lápis estalando..formas. senhor. as páginas farfalhando. – Quem pode responder uma charada? – perguntou Stephen. – O que. tendo acabado de se lembrar. Dele que andou sobre as ondas. adivinho! Ganhei grãos pra semear do paizinho. Quinta-feira. uma frase enigmática para ser tecida cada vez mais no tear da igreja. Talbot deixou seu livro fechado deslizar para dentro da sacola. – Eu não vejo nada.

saltando por cima deles. pergunte a mim. senhor? Nós desistimos. – Ó. Em pouco tempo . Depois de um silêncio Cochrane disse: – O que é. Stephen respondeu: – A raposa enterrando sua avó debaixo de um azevinho. – É esta a charada – disse Stephen. senhor. Ele se levantou e soltou uma risada estridente e nervosa à qual os gritos deles ecoaram consternação. O que é isso? – O quê. senhor. andando de lado por entre os bancos. Um taco bateu na porta e uma voz no corredor chamou: – Hóquei! Eles se separaram. – Uma bem difícil. Sinos de bronze Soaram onze. O galo cacarejou. O céu azulou. senhor? – De novo. Com a garganta comichando. Os olhos deles cresciam enquanto os versos eram repetidos. senhor? Pergunte a mim. A hora da pobre alma Ir pro céu chegou. senhor. Nós não ouvimos. senhor. todos tagarelando alegremente: – Uma charada.passaram as tiras de couro e afivelaram suas sacolas.

mostrando um caderno de notas aberto. senhor. havia uma mancha de tinta em forma de tâmara recente e úmida como o leito de um caracol. Deasy disse que eu devia copiá-los do quadro. – O Sr. Seu cabelo embaraçado e seu pescoço fino testemunhavam despreparo e irresolução e através de seus óculos embaciados olhos se erguiam em apelação.eles tinham partido e do quarto de despejo veio o estrépito dos tacos e o clamor de suas botas e línguas. Deasy me disse para escrever tudo de novo e lhe mostrar. – Você consegue os resolver. senhor. – Você compreende agora como fazer isso? – perguntou ele. o carregara em seus braços e em seu coração. apática e exangue. você mesmo? – perguntou Stephen. No entanto alguém o amara. A palavra Somas estava escrita no cabeçalho. Ele estendeu seu caderno. – O Sr. Cyril Sargent: seu nome e carimbo. Sargent que fora o único que se deixara ficar avançou lentamente. senhor. Não fosse por ela a raça do mundo o teria . Stephen tocou as bordas do livro. Feio e inútil: pescoço fino e cabelo embaraçado e uma mancha de tinta. Na sua face. – Do número onze ao quinze – respondeu Sargent. Abaixo havia algarismos inclinados e embaixo de tudo uma assinatura tortuosa com voltas cegas e um borrão. – Não. Inutilidade. um leito de caracol.

Tacos de hóquei retiniam no quarto de despejo: a batida oca de uma bola e os gritos vindos do campo.esmagado sob seus pés. esburacava a terra. incline-se diante do parceiro: assim: diabinhos da imaginação dos mouros. atravesse. homens escuros em semblante e ação. na pantomima de suas letras. Era isso então real? A única coisa verdadeira na vida? O corpo prostrado de sua mãe o ardente Columbano em seu zelo sagrado passou por cima. cavava e cavava. escutava. refletindo em seus espelhos zombeteiros a alma obscura do mundo. Ela o salvara de ser esmagado sob pés e partira. Averróis e Moisés Maimônides. um caracol sem ossos despedaçado. Sentando ao seu lado Stephen solucionou o problema. uma escuridão brilhando na claridade que a claridade não pôde compreender. escutava. Partiram também do mundo. Através da página os símbolos se moviam numa solene dança mouresca. com olhos claros impiedosos cavava a terra. usando bonés exóticos de quadrados e cubos. Ela tinha amado seu sangue aguado fraco drenado do dela própria. Ele prova por meio da álgebra que o fantasma de Shakespeare é o avô de Hamlet. Dê as mãos. mal tendo existido. Sargent olhou de esguelha através de seus óculos inclinados. . um odor de pau-rosa e cinzas molhadas. Ela não existia mais: o esqueleto trêmulo de um galho no fogo. Uma pobre alma tendo partido para o céu: e numa charneca sob estrelas cintilantes uma raposa. com o cheiro desagradável de rapina no seu pêlo vermelho.

Como ele eu era. silenciosos. senhor. Ele secou a página com uma folha fina de mataborrão e levou seu caderno de notas de volta para a sua carteira. uma ligeira coloração de vergonha estremecendo por trás de sua pele fosca. – É sim. Segredos. Obrigado – respondeu Sargent. esses ombros inclinados. senhor. desejando ser destronados. – Sim. Longe demais para eu pousar uma vez minha mão ali ou sequer levemente. Com seu sangue fraco e leite azedo ela o alimentara e o escondera assim como os cueiros dele da vista dos outros. – É melhor você pegar o seu taco e ir se juntar aos outros – disse Stephen enquanto seguia a figura desgraciosa do menino que se dirigia para a porta. Em longos traços de pena vacilantes Sargent copiou os dados. Minha infância se curva ao meu lado. . Amor matris: genitivo subjetivo e objetivo. Esperando sempre por uma palavra de ajuda sua mão moveu fielmente os símbolos variáveis. A soma foi feita. A minha está longe e a dele é secreta como nossos olhos.– Você compreende agora? Você consegue fazer o segundo trabalho sozinho? – Consigo. – É muito simples – disse Stephen ao se levantar. senhor. empedernidos se sentam nos palácios escuros de nossos dois corações: segredos exaustos de sua tirania: tiranos. esta desgraciosidade.

chamado do campo de jogo. Deasy – até que eu restabeleça a ordem aqui. Ele virou para eles seu bigode branco irritado. – Sargent! – Corra – disse Stephen. Deasy veio embora pisando em pedacinhos de grama com seus pés em polainas. – Cochrane e Halliday estão do mesmo lado. – O que é agora? – gritou continuamente sem parar para ouvir. Deasy o está chamando. Ele parou no pórtico e observou o retardatário se apressar em direção ao campo de luta onde vozes agressivas discutiam. a brilhante luz solar descorando o mel de seus cabelos mal pintados. – O Sr.No corredor era ouvido o seu nome. Eles estavam divididos em times e o Sr. Quando alcançou o prédio do colégio vozes novamente em disputa o chamaram. E enquanto caminhava atarantadamente de volta pelo campo sua voz de velho gritava severamente: – O que é que há? O que é agora? As vozes agressivas dos meninos gritavam de todos os lados à sua volta: suas múltiplas figuras o cercaram. Um ar enfumaçado e viciado pairava no escritório com o cheiro do couro marrom-claro das . senhor – disse Stephen. – Espere por favor por um momento no meu escritório – disse o Sr.

Ele retirou do paletó uma carteira de dinheiro atada por uma tira de couro que estalou ao ser aberta. rodando com sua caixinha de níqueis em sua mão. tesouro servil de um irlandereco: e sempre será. os doze apóstolos tendo pregado para todos os gentios: por todos os séculos. E bem confortáveis em seu estojo de colheres de pelúcia púrpura. desbotada. atando e guardando sua carteira. sobre a lanosidade macia da toalha de mesa. espiralada como um turbante de emir. nosso acordo financeiro – disse ele. e esta. um tesouro morto. – Duas – disse ele. Deasy parou junto à mesa. é agora. – Três – disse o Sr. Como era no princípio. Deasy. Um soberano caiu. E agora seu cofre-forte para o ouro. novo e brilhante. Um passo apressado nas pedras do pórtico e no corredor. Como no primeiro dia em que ele barganhou comigo.cadeiras. e as colocou cuidadosamente sobre a mesa. No aparador a bandeja com as moedas Stuart. – Estas são coisas . uma delas feita de duas metades coladas. Afastando com um sopro seu bigode escasso o Sr. conchas ocas. A mão embaraçada de Stephen se moveu por sobre as conchas amontoadas no frio almofariz de pedra: búzios e caurins e rombos: e esta. – Em primeiro lugar. a vieira-de-são-tiago. E dela tirou duas notas. Uma coleção de um velho peregrino.

eu sei. – Você não sabe ainda o que é o dinheiro. a mesma sabedoria: e eu o mesmo. Veja. – Porque você não economiza – disse o Sr. – Obrigado. Ele fez saltarem dela duas coroas e dois shillings. Responda alguma coisa. – Você mereceu. Você vai ver que elas são muito úteis. Deasy. Símbolos também de beleza e poder. Seis pence. – Nada de agradecimento – disse o Sr. Um bocado no meu bolso: símbolos manchados por cobiça e miséria. apontando com o dedo. – Você vai tirá-lo em algum lugar e perdê-lo. Se ao menos a mocidade soubesse. senhor – disse Stephen. Três vezes agora. novamente livre. E aqui coroas. Veja. Três cadeias à minha volta aqui. Quando você tiver vivido tanto quanto eu. Compre simplesmente uma dessas engenhocas. – A minha ficaria freqüentemente vazia – disse Stephen. voltou para as conchas ocas. A mesma sala e hora. meiascoroas. Isto é para shillings. juntando o dinheiro com uma pressa tímida e pondo tudo no bolso de sua calça. Eu sei. Deasy. Isto é para soberanos.úteis de ter. E então? Eu posso rompê-las neste instante se eu quiser. A mão de Stephen. – Não leve seu dinheiro desse jeito – disse o Sr. – Três e doze – disse ele. – Creio que você vai concordar que está certo. Deasy. Dinheiro é poder. Mas o que diz Shakespeare? .

Ele deu umas pancadinhas com sua caixinha de níqueis de encontro à unha do seu polegar. três pares de meias. um guinéu. Um celta francês disse isso. sim. Eu paguei a minha parte. dois almoços. – Eu vou lhe dizer – disse ele solenemente – qual é a sua bazófia mais altiva. Curran. – Ele sabia o que o dinheiro era – disse o Sr. Deasy. Deasy. Fred Ryan. um par de borzeguins. . bom homem. – Que no seu império – disse Stephen – o sol nunca se põe. Você sabe qual é o orgulho dos ingleses? Você sabe qual é a palavra mais altiva que você pode ouvir da boca de um inglês? O senhor dos mares. – Ele ganhou dinheiro. Bom homem. MacCann. gravatas. Seus olhos marfrios olharam para a baía vazia: parece que é culpa da história: sobre mim e sobre as minhas palavras. sem ódio. dez shillings. – Isso não é inglês. um guinéu. nove libras. mas um inglês também. Um poeta. – Eu paguei a minha parte. Ele ergueu os olhos das conchas ociosas para o olhar fixo do velho homem. Eu nunca pedi um shilling emprestado em toda a minha vida. Cousins. – Bolas! – gritou o Sr. Você pode? Mulligan. Temple. – Iago – murmurou Stephen. Você pode sentir isso? Eu não devo nada. dois shillings.Ponha apenas dinheiro em sua carteira. Russell. dez guinéus.

McKernan. mascarados e armados até os dentes. – Eu vi três gerações desde o tempo de O’Connell. Kohler. O Sr. Deasy riu com puro encantamento. três guinéus. não – respondeu Stephen.Bob Reynolds. O norte protestante-reacionário e os . a esplêndida. príncipe de Gales. O juramento de lealdade dos fazendeiros ásperos. a Sra. – Eu temo essas grandes palavras – disse Stephen – que nos tornam tão infelizes. – Você me considera um velho antiquado e um velho tóri – disse sua voz pensativa. – No momento. – Eu sabia que você não podia – disse ele alegremente. – Mas um dia você precisa sentir isso. cinco semanas de alojamento. piedosa e imortal. Nós somos um povo generoso mas também precisamos ser justos. Deasy fitou severamente acima do aparador a magnitude bem proporcionada de um homem de saiote escocês axadrezado: Alberto Eduardo. Por alguns momentos o Sr. guardando de volta a caixinha de níqueis. O punhado que eu tenho é inútil. ornado de cadáveres de papistas. O núcleo de Diamond em Armagh. Você sabia que os núcleos orange agitaram a opinião pública em favor da revogação do Ato de União vinte anos antes que O’Connell o fizesse ou antes que os prelados de sua confraria o denunciassem como demagogo? Vocês fenianos esquecem algumas coisas. Eu me lembro da praga da fome em 46. meio guinéu. Memória gloriosa.

Trota. trota para mim.. Deasy firmemente –. Dedalus. – Per vias rectas – disse o Sr. – Eu também tenho sangue rebelde em mim – disse o Sr. Sr. trota meu rocim E me leva até Dublin. Trota.. Trota. Deasy. puxou duas vezes sua cadeira e leu algumas palavras da folha de papel no cilindro da máquina de escrever. Só um instante. Submetam-se cabeças tosadas. Eu só tenho que copiar o fim. Ele votou em favor disso e para fazê-lo pôs suas botas de montar e cavalgou de Ards of Down até Dublin. Sente-se um momento. era o seu lema. Duas botas de montar vão aos solavancos até Dublin... – Ai de mim – disse Stephen.verdadeiros presbiterianos escoceses legalistas da bíblia. – Sente-se e me desculpe – disse ele por cima do ombro – os ditames do bom senso. todos filhos de reis. Nós somos todos irlandeses. Stephen esboçou um gesto rápido. Dia!. Eu tenho uma carta aqui para os jornais.. Um fidalgo rural mal-humorado a cavalo com suas botas reluzentes. Um dia ameno. Dia!. – Isso me lembra uma coisa – disse o Sr. Excelência!. – O senhor pode me fazer um favor. com alguns de seus amigos intelectuais. trota meu rocim. Mas eu descendo de sir John Blackwood que votou em favor da união.. Ele foi para a mesa perto da janela. Por sob suas sobrancelhas hirsutas ele examinou . – Do lado materno. sir John! Um dia ameno. Deasy.

. Lá onde Cranly me levou para ficar rico rapidamente. em busca das patas. – Ponto final – anunciou o Sr. do duque de Westminster. com suas cabeças dóceis erguidas: Repulse. – Mas pronto debate desta questão de grande importância. soprando às vezes quando acertava o cilindro para apagar um erro. prix de Paris. Emolduradas nas paredes imagens de cavalos desaparecidos prestavam homenagem. resmungando. começou a aguilhoar lentamente as teclas rígidas do teclado. bonés e jaquetas dos competidores e por uma mulher com cara de rodela-decarne. Fair Rebel! Fair Rebel! Dinheiro líquido no favorito: dez a um como ele ganha dos concorrentes. mulher de um açougueiro. Ele viu a velocidade deles ao defender as cores da coroa. de lorde Hastings. Shotover. que enfiava avidamente seu focinho na metade de uma laranja. Cavaleiros elfos os montavam. Gritos agudos e o zunido de um apito soaram . caçando seus favoritos entre as moitas salpicadas de lama. Deasy às suas teclas.o manuscrito ao seu lado e.. Ceylon. em meio aos gritos dos apontadores de apostas e à fumaça da cantina acima do lodo multicolorido. e gritou com os gritos das multidões desaparecidas. atentos a um sinal. Stephen se sentou silenciosamente diante da presença principesca. Passamos apressados pelos jogadores de dados e os trapaceiros que exploram o jogo de dedais. 1866. do duque de Beaufort.

Cassandra. – Pois bem – disse o Sr. A mais-que-perfeita imperturbabilidade do departamento de agricultura. um brado de lanças alimentadas das entranhas sangrentas dos homens. De novo: um gol. Só examine isso aqui. Para se chegar ao ponto em questão. Conflagração européia. O comércio de nosso gado. – Eu não tenho papas na língua. – É sobre a febre aftosa. O tempo abalado repercute a cada impacto. grampeou as folhas de papel. Não pode haver duas opiniões sobre este assunto. Eu entre eles. Deasy. entre seus corpos contendores numa mixórdia. Liças. que parece estar ligeiramente de ressaca? Torneios. Você quer dizer aquele queridinho da mãe. O processo de todas as nossas velhas indústrias. Aquela doutrina de laissez faire que ocorre tão freqüentemente em nossa história. o combate da vida. Ele veio até a mesa. não é? – perguntou o Sr. Que me seja perdoada uma alusão clássica. lodo e rebuliço das batalhas. erguendo-se. – Eu expus a questão em poucas palavras – disse o Sr. Permita-me abusar de seu espaço valioso. Suprimentos de cereais através das águas estreitas do canal. A corja de Liverpool que sabotou o projeto do porto de Galway. Stephen se levantou. o gelado vômitomortal dos mortos. Por uma mulher que não valia nem um pouco mais do que sua reputação. Deasy enquanto Stephen continuava a . Deasy. cambaio.vindos do campo de esporte dos meninos.

Dedalus – disse ele. – Você verá no próximo surto que eles vão embargar o gado irlandês.. Cirurgiões veterinários. Blackwood Price. intrigas.. Agradecendo a hospitalidade de suas colunas. Em todos os mais altos cargos: suas finanças. Febre aftosa. Áustria meridional. por. Oferta cortês de um julgamento honesto. Soro e vírus. Ditames do bom senso. No sentido completo da palavra pegar o touro a unha. por. Sr. O Sr. Tão certo como estarmos de pé aqui os comerciantes judeus já estão em plena ação de .. sua imprensa.. Rinderpest. Onde quer que eles se juntem eles devoram a força vital da nação. Agora eu vou tentar a publicidade. Eu tenho visto isto acontecendo estes anos. E é curável. me escreveu que na Áustria ele é regularmente tratado e curado pelos veterinários de gado. Henry Blackwood Price. Deasy. Conhecida como preparado de Koch. Porcentagem de cavalos imunizados. por. – Preste atenção às minhas palavras. – Eu quero que isso seja impresso e lido – disse o Sr. – A Inglaterra está nas mãos dos judeus.. Eu estou tentando influenciar o departamento. Peste bovina. Cavalos do imperador Mürzsteg. E eles são o sinal da decadência de uma nação. Uma questão da maior importância. Eu estou cercado de dificuldades..ler. Eles se oferecem a vir para cá. influências secretas. Antes de falar ele ergueu o dedo indicador no ar com o gesto de um velho. E ele pode ser curado. Meu primo.

suas cabeças maquinando ferrenhamente por baixo de seus desajeitados chapéus de copa alta. – Um comerciante – disse Stephen – é alguém que compra barato e vende caro. com os olhos voltando animadamente a si enquanto percorriam um extenso raio de sol. Nos degraus da Bolsa de Paris os homens de pele-dourada cotavam o preço do mercado em seus dedos cobertos de anéis. judeu ou gentio. Deu meia-volta e retornou à posição anterior. De rua em rua uma prostituta berra E vai se tecendo a mortalha da Inglaterra. mas sabiam do rancor concentrado à sua volta e sabiam que o seu zelo era vão. estes gestos. se ela já não estiver morta. A velha Inglaterra está morrendo. – E é possível ver a escuridão nos olhos deles. Deu uns passos rápidos. insólitos.destruição. Deasy. Eles formigavam ruidosamente. Vã a paciência que empilhava e armazenava. os gestos ansiosos e inofensivos. Seus olhos escancarados fixavam severamente numa visão o raio de sol no qual ele se detivera. Parolagem de patetas. Não eram deles: estas roupas. pelo templo. não é não? – Eles pecaram contra a luz – disse gravemente o Sr. – Morrendo – disse ele novamente –. Um tesouro . Seus olhos absortos e lentos desmentiam as palavras. O tempo certamente dispersaria tudo. E é por isso que eles são os errantes da terra até o dia de hoje. esta fala.

a manifestação de Deus. Deasy perguntou. Hurra! Ai! Rrhiiii! – O quê? – o Sr. – Quem não pecou? – disse Stephen. Erguendo novamente os olhos ele as soltou. Do campo de esporte dos meninos ouviu-se um grito. O Sr. Deasy. Seu maxilar inferior pendeu um pouco para o lado em dúvida. pacientes. Ele deu um passo à frente e parou junto à mesa. Um apito estridente: gol. Deasy baixou os olhos e segurou entre os dedos as asas pinçadas do seu nariz. . É isso a velha sabedoria? Ele espera ouvir alguma coisa de mim. Stephen sacudiu seu polegar em direção à janela. tinham conhecimento das indignidades de sua natureza humana. – Um grito na rua – respondeu Stephen. – Toda a história da humanidade se move em direção a um grande alvo. O que aconteceria se esse pesadelo desse um pontapé de volta na gente? – Os caminhos de Deus não são os nossos – disse o Sr. – O que você quer dizer? – perguntou o Sr. sacudindo os ombros. – A história – disse Stephen – é um pesadelo do qual estou tentando despertar. dizendo: – Isso é Deus.empilhado na beira da estrada: pilhado e passado adiante. Seus olhos conheciam os anos de perambulação e. Deasy.

. Mas a vida é a grande mestra. a mulher fugitiva de Menelau. – Eu prevejo – disse o Sr. Stephen ergueu as folhas de papel em sua mão.– Eu sou mais feliz do que você – disse ele. – Bem. senhor – disse ele. – De preferência um aprendiz – disse Stephen. – Sim – disse o Sr. Stephen fez as folhas novamente farfalharem. creio. Uma mulher trouxe o pecado para o mundo. Deasy. Muitos erros. Mas eu vou lutar pelo direito até o fim. – Nós cometemos muitos erros e muitos pecados.. – Quem sabe? – disse ele. O senhor não nasceu para ser professor. Uma mulher também causou a derrocada de Parnell. Talvez eu esteja enganado. – Quanto a estas – começou ele. Helena. muitas falhas mas não o pecado dos pecados. Deasy sacudiu a cabeça. – Para aprender é necessário ser humilde. Por Ulster lutaremos E Ulster salvaremos. Se o senhor puder fazer com que sejam . – O senhor tem duas cópias aí. Eu sou um lutador agora e o serei até o final dos meus dias. príncipe de Breffni. Uma mulher infiel trouxe pela primeira vez estrangeiros para o nosso litoral. Deasy – que o senhor não permanecerá aqui nesta atividade por muito tempo. os gregos guerrearam Tróia durante dez anos. O’Rourke. a mulher de MacMurrough e seu amante. E aqui o que você aprenderá mais? O Sr. Por uma mulher que não era nem um pouco melhor do que ela.

Quais são eles? – O Evening Telegraph. – Eu escrevi ontem à noite ao Sr. membro do Parlamento. Os leões agachados sobre os pilares enquanto ele passava através do portão: terrores desdentados. Eu pedi que ele apresentasse a minha carta antes da reunião. – Até a vista. senhor – disse Stephen. Field. Telegraph. – Eu vou tentar – disse Stephen –. Deasy. – Isso é o bastante – disse o Sr. colocando as folhas no bolso. Ele saiu pelo pórtico aberto e seguiu pela alameda de cascalho sob as árvores. Irish Homestead. Agora tenho que responder essa carta do meu primo.. por mais velho que eu seja. – Obrigado. Mulligan vai . e o informarei amanhã. Assim mesmo eu vou ajudá-lo em sua luta. Deasy enquanto procurava os papéis em sua mesa. – Não há de quê – disse o Sr. Há um encontro de comerciantes de gado hoje no City Arms Hotel.publicadas imediatamente. ouvindo os gritos das vozes e os estalidos dos tacos no campo de esporte. – Até a vista.. – Não há tempo a perder. – Isso é o bastante – disse o Sr. Veja se o senhor consegue pôr isso em seus dois jornais. – Eu gosto de quebrar lanças com o senhor. senhor – disse Stephen novamente se inclinando para as costas curvadas dele. Eu conheço ligeiramente dois editores. Deasy vivamente.

– Por quê. – Sr. Deasy solenemente. Chega de cartas. começando a sorrir. Um acesso de tosse e de riso saltou de sua garganta arrastando atrás de si uma cadeia chocalhante de expectoração. E o senhor sabe por quê? Ele franziu a testa severamente no ar luminoso. dando as costas para o portão. – Dizem que a Irlanda tem a honra de ser o único país que nunca perseguiu os judeus. O Sr. com os braços erguidos abanando no ar. respirando com força e engolindo a respiração. Sobre seus ombros sábios o sol lançou lantejoulas e moedas dançantes através da marchetaria das folhas. rindo. – Eu só queria lhe dizer – disse ele. – Ela nunca os deixou entrar – gritou ele novamente através do riso enquanto batia com os pés calçados de polainas nos cascalhos da alameda. senhor – disse Stephen. O senhor sabia disso? Não. – Porque ela nunca os deixou entrar – disse o Sr.me dar um novo apelido: o bardo protetor-de-novilho. – Um instantinho só. espero. senhor? – perguntou Stephen. Dedalus! Correndo atrás de mim. – Sim. . – É essa a razão. Ele se voltou rapidamente. Deasy parou. tossindo.

Limites do diáfano. ovas-do-mar e destroços-do-mar. Cinco. Stephen fechou seus olhos para ouvir suas botas esmagarem os destroços e conchas estalantes. Por que em? Diáfano. Minha espada de freixo pende do meu lado. Verdemeleca. ferrugem: sinais coloridos. Assinatura de todas as coisas que estou aqui para ler. Como quer que seja você está andando através disso. Meus dois pés nas botas dele estão no final das pernas . Exatamente: e isso é a modalidade inelutável do audível. lógico. Mas ele acrescenta: em corpos. Bata com ela: eles batem. um passo largo de cada vez. Calvo ele era e um milionário. Como? Batendo com a sua cachola neles. Abra seus olhos. a maré se aproximando. Se a gente pode pôr os cinco dedos através dele é um portão. pensei através dos meus olhos.3 Inelutável modalidade do visível: ao menos isso se não mais. azulprata. se não uma porta. Eu estou. Então ele tinha consciência deles corpos antes de ter deles coloridos. Limite do diáfano em. seis: o Nacheinander. adiáfano. maestro di color che sanno. caísse inelutavelmente através do Nebeneinander! Eu estou me saindo muito bem no escuro. Feche os olhos e veja. a bota enferrujada. Não. Vá devagar. Meu Jesus! Se eu caísse sobre um penhasco que se projeta acima de sua base. Um muito curto espaço de tempo através de muito curtos tempos de espaço.

estala. Parece consistente: feito pelo malhete de Los demiurgos. Florence MacCabe. Criação do nada. Elas desceram prudentemente os degraus do Leahy’s Terrace. por todos os séculos. Veja agora. Estarei eu caminhando para a eternidade ao longo da praia de Sandymount? Esmaga. perda profundamente lamentada. nebeneinander. de Bride Street. indo de encontro a nossa mãe poderosa. Vou abrir. Madalena a égua? Tem início o ritmo. A Sra. Um tetrâmetro acataléctico de iambos marchando. Frauenzimmer: e debilmente desceram a praia inclinada. A número um balançava pesadamente sua sacola de parteira. O professor Deasy sabe tudo. Dinheiro do mar bravio. viúva do falecido Patk MacCabe. está vendo. com seus pés achatados afundando na areia entupida de resíduos depositados pela água. Ali o tempo todo sem você: e sempre estará. Eu ouço. Um momento. Será que tudo sumiu desde então? E se eu abrir e estiver para sempre na escuridão adiáfana? Basta! Vou ver se posso ver. Não. craque.de le . crique. O que é que ela tem na sacola? Um feto prematuro arrastando consigo o cordão umbilical. Abra seus olhos agora. Não vens então a Sandymount. a sombrinha da outra fincada na areia. . a galope: dalena a égua. Saídas de seu quarteirão Liberties para sua atividade diária. Por uma de sua confraria fui arrastado aos gritos para a vida. como Algy. Como eu.

Eis por que os monges místicos. um. viúvo de um bispado viúvo. Uma lex eterna permanece à volta Dele. não. Ventre de pecado. Eles se abraçaram e se separaram. Ligue-me com Edenville. Desde antes dos tempos Ele me quis e agora não pode me querer fora daqui ou jamais existente. Concebido na escuridão do pecado eu também fui. um monte de trigo branco. Alpha: zero. zero. durando de todo o sempre para todo o sempre. com o traseiro coalhado. Ventre sem defeito. precioso e imortal. Olhe. Por eles. Eva nua. Esposa e companheira de Adam Kadmon: Heva. feito não gerado. brisas animadas e .silenciado numa lã avermelhada. com o omophorion empertigado. Com uma mitra ornada de contas e com um báculo. tornando-se bojudo e grande. Alô! Aqui é o Kinch. Ela não tinha umbigo. instalado em seu trono. Vocês serão como os deuses? Olhe para o s e u omphalos. Os cordões de todos se ligam aos anteriores. É essa então a substância divina pela qual Pai e Filho são consubstanciais? Onde está o querido e pobre Ario para tentar conclusões? Lutando toda a sua vida com o contransmagnificaejudeubanguebanguelismo. Heresiarca azarado! Numa privada grega ele deu seu último suspiro: eutanásia. fizeram a vontade do acoplador. Brisas saltaram à volta dele. o homem com a minha voz e os meus olhos e uma mulherfantasma com cinzas no seu sopro. um escudo de velino retesado. como um cabo de fio entrelaçado de toda carne. Aleph.

Elas estão vindo. as ondas. Eu não posso esquecer a carta dele para os jornais. E agora. meio-dia e meia. cercado de . A propósito tenha cuidado com aquele dinheiro como um bom rapazinho imbecil. os corcéis de Mananaan. É. Os cavalosmarinhos de-crina-branca. Será que eu vou para a casa de tia Sara ou não? A voz de meu pai consubstancial. Eles me tomam por um cobrador e espreitam de uma posição vantajosa de observação.penetrantes. Stephen. Não. Um ferrolho é retirado e Walter me dá as boasvindas. mascando os freios sob o vento auspicioso. por Cristo! Eu toco a sineta asmática da casinha deles de janelas fechadas: e espero. – Deixe-o entrar. Jesus chorou: e não era pra menos. eu devo. senhor. senhor. Em seu amplo leito titio Richie. O contadorzinho embriagado e seu irmão o tocador de corneta. hein? Ora ora ora. Gondoleiros altamente respeitáveis! E o vesgo do Walter nada menos que senhoreando seu pai! Senhor pra cá senhor pra lá. como está o tio Si? Ó. Você por acaso viu seu irmão artista Stephen ultimamente? Não? Tem certeza de que ele não está com a tia dele Sally? Será que ele não podia voar um pouco mais alto do que isso. Deixe Stephen entrar. E depois? O Ship. O passo dele afrouxou. – Nós pensamos que você fosse outra pessoa. – É Stephen. Deus lacrimejante. as coisas com as quais eu casei! Os garotos em cima no palheiro. senhor. Sim.

Traga nossa cadeira Chippendale. O zunido enganador de seu assobio traz Walter de volta.. – Ele não tem onde pôr o seu traseiro. senhor? – Uma cerveja para Richie e Stephen. – Me chame de Richie. estende por cima do montículo de seus joelhos um antebraço vigoroso. Em vão Walter relanceia os olhos à procura de uma cadeira. Whusky! – Tio Richie. – Não.travesseiros e cobertor.. realmente. tio Richie.. – Sente-se ou então pelo velho Harry eu garanto que derrubo você. – Salve. peça à mãe. Ele lavou a parte superior. Onde ela está? – Dando banho em Crissie.. seu bobo. Pro inferno com sua água mineral. – Ele não tem onde sentar. Sente-se e vá passear. Tronco limpo. Isso deprime. Uma moldura de carvalho fossilizado acima de sua cabeça calva: Resquiescat de Wilde. – Pois não. Torrão de amor. Que tal uma boa fatia fina de toucinho . Você quer comer alguma coisa? Nada dos seus malditos ares de afetação aqui. anotando os acordos e sindicâncias comuns e uma intimação Duces Tecum . senhor. senhor. sobrinho. Ele põe de lado a mesinha portátil em que ele rascunha as notas de despesas para os olhos de mestre Goff e mestre Shapland Tandy. A camaradinha de cama do papai.

com elevações súbitas da melodia. acompanhando em volta dos chifres . Linhagens decadentes. Foxy Campbell. calve. A beleza não está aí. Ouça. Houyhnhnm. delicadamente matizado. a minha. ut ne amplius decalveris. A ária mais notável de toda a ópera. Uma guirlanda de cabelos grisalhos em sua cabeça anatematizada veja ele eu nos agarrando com as mãos ao último degrau do altar (descende!). Desça. Os rostos ovais eqüinos. com olhos de basilisco. Nem na baía estagnante da biblioteca de Marsh onde você lia as profecias evanescentes de Joaquim Abbas.com arenque? Tem certeza? Tanto melhor. a dele e todas. Pai Abbas. Para quem elas? Para as centenas de cabeças da ralé perto do pátio da catedral. Stephen. seus olhos estrelas. Temple. os punhos tamborilando fortemente nos joelhos acolchoados. seu careca! Um coro devolve ameaça e eco. Sai dessa. segurando um ostensório. narinascavalares. sua crina espumando na lua. All’erta! Ele assobia compassos da aria di sortita de Ferrando. Nós não temos nada em casa a não ser comprimidos para dor nas costas. Você disse à pequena nobreza de Clongowes que tinha um tio juiz e um tio general do exército. Buck Mulligan. Seu assobio melodioso soa novamente. Aquele que odiava sua espécie fugiu dela para o bosque da loucura. mandíbulaslanternosas. Este vento está mais suave. que ofensa pôs fogo em seus cérebros? Paf! Descende. deão furioso.

pra cima. pra trás. Drindrim! Pra baixo. Você era terrivelmente santo. E no mesmo instante talvez um padre a esteja elevando na esquina. trapos pintados em volta de uma squaw. O si. Você rezava ao demônio na Serpentine Avenue para que a viúva roliça em frente levantasse sua roupa ainda mais da rua molhada. certo! Venda a sua alma por isso. hein? O que me diz de quê? Para que mais elas foram inventadas? . você nunca será um santo. o doutor invencível. tonsurados e untados e castrados. se levantando. mais ainda! Sozinho no alto do trem de Howth gritando para a chuva: Mulheres nuas! Mulheres nuas! O que me diz disso. Dan Occam pensou nisso. o latim escarnecido dos corpulentos padres de fachada a se mover em suas alvas.laterais do altar. pra frente. Mais diga-me. Dringuedrim! E numa capela da Virgem um outro tomando a eucaristia só para si. vá. ouviu (agora eu estou erguendo) as duas sinetas (ele está se ajoelhando) soarem em ditongo. gordos com a gordura dos rins e do trigo. Numa manhã nevoenta inglesa o diabinho da hipóstase comichou seu cérebro. Primo Stephen. Ao descer com a hóstia e se ajoelhar ele ouviu entrelaçar-se com sua segunda sineta a primeira sineta no altar lateral (ele está erguendo o seu) e. Drindrim! E duas esquinas mais adiante a guardando no cibório. Ilha dos santos. não era? Você rezava à Santíssima Virgem para que você pudesse não ter um nariz vermelho.

muito parecido com uma baleia. na massa de areia pastosa. um mahamanvantara. É isso aí. dando um passo à frente para aplaudir freneticamente. caminhando cautelosamente. casco peneirado de cracas. Areias encharcadas insalubres aguardavam para sugar suas solas andarilhas. Você leu o F dele? Li sim. É sim. Uma sentinela: ilha de sede pavorosa. cascalhos chiantes. o W.. na terra um . lingueirões. Armada perdida. aquilo que vem bater nos cascalhos incontáveis. profundamente profundas. rosto surpreendente. exalando para cima um bafo imundo de esgoto. Como Pico della Mirandola. mas eu prefiro o Q.. hein? Eu era jovem. atolada até a cintura. Quando alguém lê estas páginas estranhas de alguém morto há muito tempo alguém sente que alguém está de acordo com alguém que certa vez. Uma garrafa de cerveja se erguia. Arcos partidos na praia. mas o W é maravilhoso. Você se inclinava para si mesmo no espelho. um bolsão de algas marinhas ardia na fosforescência do mar sob um monturo de cinzas de homem. Ai. Lembra as epifanias escritas em folhas verdes ovais. Livros que você ia escrever com letras por títulos. Hurra para o maldito idiota! Hurá! Ninguém viu: não conte pra ninguém. cópias a serem mandadas se você morresse para todas as grandes bibliotecas do mundo.Lendo duas páginas de cada vez dos sete livros toda noite. inclusive Alexandria? Alguém deveria lê-las ali milhares de anos depois. Suas botas pisaram novamente o mastro úmido e estalejante. A areia granulosa fugira de debaixo dos seus pés. Ele as costeou.

Ele se voltou para o nordeste e atravessou a areia mais firme em direção ao Pigeonhouse. vous savez. Joseph. Léo Taxil. Será que eu não vou lá? Parece que não. ele lambeu o lait chaud doce com sua língua cor-de-rosa de jovem e rosto rechonchudo de coelhinho. Deixei pra trás o caminho para a casa de tia Sara. Patrice. bem mais longe portas dos fundos das casas rabiscadas de giz e na parte mais alta da praia um varal com duas camisas crucificadas. Ninguém à volta. Meu pai é um passarinho. Schluss. Ele leu a respeito da natureza das mulheres em Michelet. Moi. Meu chapéu do Quartier Latin. Lambida. Ele lambe. Conchas humanas. Ele parou. Faut pas le dire à mon père. Meu Deus. Je ne crois pas en l’existence de Dieu. lapin. – Il croit? – Mon père. Filho do ganso selvagem. de licença em casa. Mas ele precisa me mandar La Vie de Jésus de M. – Qui vous a mis dans cette fichue position? – C’est le pigeon. – C’est tordant. nós simplesmente precisamos vestir direito o personagem. Ele tem esperança de ganhar no gros lots. não . oui.labirinto escuro e engenhoso de redes. bebeu leite morno comigo no bar MacMahon. Ringsend: barracas de timoneiros morenos e capitães da marinha mercante. Você era um estudante. je suis socialiste. Eu quero luvas de pelica. Ele emprestou a um amigo. Kevin Egan de Paris.

Diga apenas no tom mais natural possível: quando eu estava em Paris. Ah! Ah! Comendo o equivalente a um bocado de mou en civet. Justiça. Não está machucado? Ó. Você ia fazer maravilhas. Aperto de mão daqui e dali. De quem você estava tentando imitar o andar? Esqueça: um despojado. Os pedaços todos criquecraque estalando de volta ao seu lugar. É. se lembra? Missionário na Europa como o ardente Columbano. pedacinhos do homem botões de metal tudo salpicado nas paredes. Encore deux minutes. panelas de carne do Egito.. tudo bem. Com a ordem de pagamento da mãe. nariz. Fiacre e Scotus empoleirados no céu em seus tamboretes cospem sua . em nome do outro diabo? Peceene. você sabe: physiques. Aperte aqui a mão. Chapéu.era? De quê. está tudo simplesmente muito bem. Fermé. Você parece ter se divertido. Na noite de 17 de fevereiro de 1904 o prisioneiro foi visto por duas testemunhas. Lui. Funcionário miserável! Atire nele com um tiro barulhento até ficar em pedacinhos. Preciso receber. fechada com violência a porta do correio que o porteiro bateu em sua cara. percebe? Ó. Percebe o que eu quero dizer. eu costumava trazer comigo bilhetes picotados para servirem de álibi se me prendessem por assassinato em algum lugar. Olhe para o relógio. P. sobretudo.N. Andando ufanamente. está tudo bem. dor de dente. gravata. Um outro camarada fez isso: um outro eu. boul’ Mich’. tendo ao lado cocheiros a arrotar. chimiques et naturelles.C. oito shillings. eu costumava. Fome. Ó. c’est moi.

com um pires com ácido acético em sua mão. cinco números esfarrapados de Pantalon Blanc et Culotte Rouge. absinto. A tia acha que você matou sua mãe. as casas limão. E aqui vai um brinde à tia de Mulligan Pela simples razão que ela sempre manteve As coisas todas certinhas e muito decentes Na inteira família Hanniganneve. Seus pés marcharam com um ritmo subitamente orgulhoso sobre os sulcos de areia ao longo dos penedos da amurada sul.cerveja ao rirem alto em latim: Euge! Euge! Fingindo falar um inglês estropiado ao arrastar a sua valise. a dona de casa de lenço na cabeça se movimenta. seu incenso matinal. uma curiosidade a mostrar: – Mãe morrendo venha para casa pai. É por isso que ela não quer. Paris despertando cruamente. as árvores esbeltas. luz solar tosca sobre as ruas limão. Bolinhos de miolo úmido de pão. Comment? Que rico despojo você trouxe de volta. pedras empilhadas crânios de mamutes. cortejam a atmosfera. carregador três pence. um telegrama francês azul. sobre a areia. sobre blocos de pedra. Luz dourada sobre o mar. O sol está ali. Belluomo se levanta da cama da mulher do amante de sua mulher. Ele as fixou altivamente. Le Tutu. Na pastelaria Rodot Yvonne e Madeleine recompõem suas belezas enrugadas. despedaçando . através do píer pegajoso de Newhaven.

bebericando sua fada verde assim como Patrice sua fada branca. oui! Ela pensou que você queria um queijo hollandais. a fada verde enfiando suas presas entre os lábios dele. Sua camisa de fustão com flores vermelhas agita seus pompons espanhóis quando ele confia seus segredos. Ora: slainte. Rostos de parisienses passam. Drumont. Juntar-me a ele como seu parceiro. Drumont. que costumava chamar isso de seu pósprandial. Seu pós-prandial. um camarada esquisito. você sabe . Havia um camarada que eu conheci em Barcelona. A um sinal dele ela me serve. Sobre a Irlanda. conspirações. nossos crimes nossa causa comum. Você é bem o filho de seu pai. bom pastor de homens. nous. AE. você conhece essa palavra? Pós-prandial. suas bocas amareladas com o pus do flan breton. famoso jornalista. Hollandais? Non fromage. Il est irlandais. À nossa volta comilões engarfam feijão condimentado goela abaixo. sobre Arthur Griffith agora. Eu reconheço a voz. Deux irlandais. vous savez? Ah. Em volta das mesas de lajes de mármore o emaranhado de hálitos recendendo a vinho e de gargantas sussurrantes. com suas suíças satisfeitonas. Sonolência do meio-dia. Seu bafo paira acima dos nossos pratos manchados de molho. Irlande. M. conquistadores de cabelos anelados. Kevin Egan enrola cigarros à maneira de estopim de pólvora através de dedos manchados de tinta de impressora. Un demi setier! Um jato de vapor de café sai da cafeteira polida.pastéis com seus dentes de ouro. poimandres. os Dalcassians. sobre esperanças.

Vestiu-se como uma jovem noiva. disse ela. Um costume muito libidinoso. Disfarces. uma coisa muito libidinosa. bonne à tout faire. Eu era um rapaz jovem e forte naquele tempo. Eu não deixaria meu irmão. tous les messieurs. disse eu. fugas fantásticas. sumidos. mulher bonita. Na alegre Paris ele se esconde. Presas. Vidro estilhaçado e alvenaria ruída. não procurado por . de carro pela estrada para Malahide. M. Vieille ogresse de dents jaunes. la Patrie. A froeken. Raça libidinosa.como ele chamava a rainha Vitória? Velha megera de dentes amarelos. por amor a ela ele rodou com o coronel Richard Burke. Félix Faure. Eu era assim. Algum dia eu vou lhe mostrar qual era a minha aparência. garanto. Millevoye. Maçãs do rosto ossudas debaixo de seu chapéu de conspirador. Egan de Paris. Sobre líderes desaparecidos. homem. Olhos verdes. véu. versão autêntica. não mais aqui. eu lhe digo. Não este monsieur. Fez isso. agachados fora dos muros de Clerkenwell. que esfrega a nudez masculina no banho em Upsala. eles viram uma chama de vingança os lançar para o alto no nevoeiro. agarrados. A mecha azul queima agonizante por entre as mãos e queima claro. os traídos. Amante rejeitado. flores de laranja. eu vejo você. O banho é uma coisa muito particular. Maud Gonne. por certo. nem mesmo o meu irmão. Apaixonado. Fragmentos de tabaco soltos pegam fogo: uma chama e uma fumaça acre iluminam o nosso canto. Moi faire. eu sinto. sabe como ele morreu? Homens libertinos. sucessor do chefe de seu clã. Como o cabeça do grupo escapou.

uma saia listrada. seus pés começando a afundar lentamente no solo oscilante. estou? Ele se deteve subitamente. . pela mão.ninguém a não ser por mim. Diga a Pat que você me viu. Espere. Velho Kilkenny: São Canice. O. O. O os rapazes de Kilkenny. adamascada com os rostos deteriorados dos que já se foram. Rejeitado e não desesperançado. com seu canário e dois inquilinos janotas. O novo ar o saudou. rue de la Goutte-d’Or. Fazendo de suas bases diurnas a tipografia suja. Ele se aproximara da beira do mar e a areia molhada bateu em suas botas. Mão frágil desgastada na minha. ele dorme uma noite curta na toca de Montmartre. Lembrando de ti. vento do ar turbulento das sementes de claridade. O Sion.. brincalhona como é uma coisinha jovem. Desamado. O. eu não estou caminhando para o navio farol de Kish Bank. Ele me leva. desterrado. o castelo de Strongbow em Nore. Conhece essa velha canção? Eu ensinei isso a Patrice. suas três tavernas. Ela está bem satisfeita e tranqüila sem o seu homem proscrito. a senhora na rue Gît-le-Coeur. soldado da França. Eu o ensinei a cantar Os rapazes de Kilkenny são espadachins corajosos e exuberantes. Faces aveludadas. tocando os nervos desenfreados. está bem? Certa vez eu quis arranjar um emprego para o pobre Pat. Eles se esqueceram de Kevin Egan. descasado. não ele deles.. É assim. Mon fils. Napper Tandy.

forma das formas. noite de um azul profundo. Assim sob as meias-vigílias da lua eu ando a passos largos pelo caminho acima das rochas. com as cadeiras empurradas para trás. repousando sua bengala numa fenda. Crepúsculo azul. minha valise obeliscal em volta de uma mesa com travessas abandonadas. sempre lentamente enquanto meus pés afundam. Quem vai limpar isso? Ele tem a chave. Ele ergueu os pés da sucção arenosa e voltou para trás pelo quebra-mar. Ele galgou a junça e algas litorâneas escorregadias e se sentou num banco de pedra. o cair da noite. fique com tudo. Na escuridão da cúpula eles esperam. Uma porta fechada de uma torre silenciosa. Voltando. Uma carcaça intumecida de um cachorro estava refestelada num destroço inflado. Chamada: nenhuma resposta. Diante dele a . A torrente está me seguindo. de areia prateada. ouvindo a torrente tentadora de Elsinore. Volte então pela Poolbeg Road para a praia ali. Minha alma caminha comigo. O quarto abobadado e frio da torre me aguarda. o panterasahib e seu pointer.Volte para trás. sepultando seus corpos insensíveis. se arrastando em direção à sombra da noite sobre o solo quadrante solar. Através das barbacãs os raios de luz estão sempre se movendo. ele examinou o lado sul da praia. com seus pés afundando novamente lentamente em novos encaixes. Eu posso observála passando por aqui fluindo. Pegue tudo. Eu não vou dormir lá quando a noite chegar.

Elas cobriram aquilo bem escondido por entre os juncos. caminhando em direção à praia do outro lado das ondas encrespadas.amurada de um barco. Quem? Galeras de Lochlanns afluíram aqui na praia em busca de presas. Fiifófam. figuras. Esconda ouro aqui. cambaleando. Experimente. As duas marias. Eu sou o maldito gigante que faz rolar miseravelmente bem pedras grandes. com colares de metal como os dos tomahawks cintilantes no peito quando Malachi usou o colar de ouro. Vikings dinamarqueses. Um cardume de baleias turlehides no calor do meio-dia. Eu tenho a minha vareta. surgiu à vista correndo ao longo da praia. duas. fincada na areia. Piquebês. Um ponto. Não. encalhou . um viveiro de fuinhas. Você não será o patrão dos outros ou o escravo deles. o cachorro. Estas areias pesadas são a linguagem usada pela maré e o vento para obstruir aqui com aluvião. De bem longe. ossadas miseravelmente boas para me servirem de degraus. Bancos de areia e pedras. Eu zsinto o zcheiro do zsangue de zum zirlandês. Meu Deus. Sente-se firme. E estes montes de pedras dos construtores mortos. Eu vejo vocês. Cuidado para não levar um estrondo no ouvido. Você tem algum. com suas proas de bicosvermelhos rasantes sobre a arrebentação de metal derretido. um cão vivo. Os brinquedos de sir Lout. esguichando. Com o peso do passado. será que ele vai me atacar? Respeite a liberdade dele. Ele está correndo de volta para elas. Un coche ensablé era como Louis Veuillot chamava a prosa de Gautier.

com facas esfoladoras. cavalheiro sedoso. Terribilia meditans... Nós não queremos nenhuma de suas obscuridades medievais. Você faria o que ele fez? Um barco estaria perto. silencioso. Mas os cortesãos que zombaram de Guido em Or san Michele estavam em suas próprias casas. correu de volta. Eu simplesmente parei pálido. Perkin Warbeck. O latido do cachorro correu em direção a ele. É por isso que você está penando. pelo latido do aplauso deles? Pretendentes: vivem as vidas deles. O sangue deles está em mim. Ele salvou homens de se afogarem e você estremece com o ganido de um vira-lata. Casa de. um ajudante de cozinha coroado. e Lambert Simnel. Eu não falei com ninguém e ninguém comigo. posta ali para você. seus desejos são minhas avalanches. Faria ou não faria? O homem que se afogou nove dias atrás perto . escamaram. Cão do meu inimigo. com uma comitiva de empregadas domésticas e vivandeiros. sorriu do meu medo. peste e carnificinas. Eu. entre as fogueiras que expeliam resina. destino de um velhaco. Thomas Fitzgerald. O irmão de Bruce. parou. meu povo. Então da fortificação engaiolante da cidade faminta uma horda de anões vestindo jaquetas. uma bóia de salvamento. me movimentei entre eles sobre o Liffey congelado. falso herdeiro de York. correram. criança trocada ao nascer. Um gibão amarelo pálido. Natürlich. maravilha de um dia. Paraíso de pretendentes outrora e agora. Fome. Todos filhos de reis.nos bancos de areia. retalharam aos prantos carne-de-baleia. acuado. de calças de seda cor de marfim rosado.

. Eu gostaria de. saltitante.do rochedo de Maiden. Não consigo ver! Quem está atrás de mim? Fora rápido. saltou para trás.. trotando com suas pernas reluzentes. se aproximou.. Seus olhos humanos clamam para mim do horror de sua morte. Uma mulher e um homem. O cachorro deles marchava em volta de um banco reduzido de areia. De repente ele fugiu como uma lebre saltitante. as orelhas jogadas para trás. cobrindo rapidamente com seus lençóis os bancos de areia cordeconchachocolate? Se eu tivesse terra sob os meus pés. a minha seja minha. trotando. Água macia e fria. A verdade. Elas serpentearam em direção a . caçando uma gaivota em vôo rasante. Eu vejo o saiote dela. Ele se voltou. farejando para todos os lados. desprovido de chifres. Eu quero que a vida dele seja ainda dele. Num campo alaranjado um cervo. O focinho erguido ele ladrou para o tumulto das ondas e para os bandos de vacas-marinhas. Eu. Eu tentaria. rápido! Você está vendo a corrente fluindo rapidamente de todos os lados. O assobio estridente do homem atingiu suas orelhas flácidas. Na orla rendada da maré ele se deteve. Eles estão esperando por ele agora. eu aposto. Arregaçado. Eu não sou um bom nadador. Procurando alguma coisa perdida em tempos idos. Eu não pude salvá-la. com as patas da frente enrijecidas e as orelhas apontando para o mar. Junto com ele embaixo. de cor adequada. cuspa ela fora. Um homem se afogando.. Águas: morte amarga: perdida. Quando eu pus minha cara nela na bacia em Clongowes.

Crâniocanino. Eles andaram um pouco na água e.seus pés. ondas e mais ondas. Ah. A carcaça se encontrava em seu caminho. Seu corpo sarapintado caminhava à frente deles e então deu longos passos num galope de bezerro. zaranzou. fungando rapidamente como um cão por cima de todo o couro enlameado do cão morto. se inclinando. com um frangalho de língua rapace vermelho-ofegante pendendo de suas mandíbulas. se encrespando. pobre corpodecão! Aqui jaz o pobre corpo do corpodecão. Não me vê. seu vira-lata! O grito o trouxe esquivo de volta para o seu dono e o pontapé violento de um pé descalço o lançou em fuga. Ao longo da borda do quebra-mar ele saltou. caindo sobre as quatro patas. rastejou em volta dela. olhos no chão. se ergueu e pôs as patas neles. esfregando o focinho mais perto. fungadacanina. toda nona. andou à sua volta. Ignorado. encharcaram suas sacolas e as erguendo novamente saíram da água. permaneceu junto deles enquanto eles se dirigiam para a areia mais seca. servilmente agachado mas incólume através de um banco de areia. O cão ganiu correndo para eles. desfraldando crista por crista. as ergueu novamente até eles com um mudo afago rude. – Andrajos! Cai fora. de bem longe. . Ele parou. ele se dirige para um grande alvo. cheirou uma rocha e empinando a perna traseira urinou nela. vindo de longe. Apanhadores-de-conchas. salpicando. quebrando. Ele se moveu de volta furtivamente fazendo uma curva. irmão. farejou.

O melão que ele segurava ele o encostou no meu rosto. vão embora para Londres. disse. Haroun al Raschid. uma pantera. Aquele homem me levou. Entre.Saiu trotando em frente e levantando novamente a perna traseira urinou agora um pouco e rápido numa rocha não cheirada. Tapete vermelho estendido. Sorriu: cheiro de frutacremosa. Suas patas traseiras espalharam então a areia: em seguida suas patas dianteiras salpicaram areia e esgravataram. Eu não estava com medo. Os pés azulados dele saindo das calças arregaçadas batiam na areia pegajosa. Depois que ele me acordou ontem à noite foi o mesmo sonho ou não foi? Espere. Venha. a companheira dele. Abra a porta da entrada. Quando a noite esconde os defeitos do seu corpo. Com os sacos nos ombros eles se arrastavam. Você vai ver quem. atraindo para debaixo da arcada onde . Com passos de mulher ela seguia: o rufião e sua perambulante rameira. um cachecol cor de tijolo escuro sufocava seu pescoço barbudo. esgravatando e parou para escutar o vento. Pilhagem suspensa nas costas dela. Era essa a regra. Eu estou quasindo isso. Areia fofa e grãos de concha se incrustavam nos seus pés descalços. os ciganos. Alguma coisa ele enterrou ali. Os prazeres simples dos pobres. rapinando os mortos. envolta em seu xale marrom. cessando logo. chapinhando. Ele fuçou a areia. um leopardo. nascida do adultério. Rua das meretrizes. Seus cabelos caíam sobre sua face castigada pelo vento. sua avó. Atrás do seu senhor. Lembre-se. cavou de novo a areia com a fúria de suas garras. falou.

Através das areias do mundo inteiro. digamlhe coisas bonitas. schleppa. Brancas as tuas mãos. trascina sua carga. seguida pela espada flamejante do sol. pepitas duras tamborilam em seus bolsos. oinopa ponton. Antes da queda Adão copulava mas não gozava. contas-derosário que tagarelam sobre suas cinturas: palavrasenganadoras. Palavras de monge. frate porcospino. com miríades de ilhas. ela é minha bonita e encantadora garota! Uma brancura demoníaca sob seus trapos rançosos. reboca. Um olhar de soslaio para o meu chapéu à Hamlet. pois. traina. Ela arrasta. Marés nela. No beijo da noite. em direção a oeste. A ruela de Fumbally aquela noite: os odores do curtume. Linguagem nem um pouquinho pior do que a dele. O que o barrigudo Aquino. Passando agora. um mar escuro como vinho. No sono o sinal líquido . Se eu estivesse de repente nu sentado aqui? Eu não estou. no abraço apertado. sangue que não é o meu.cães fizeram suas sujeiras. Contemple a serva da lua. Deita e dorme então comigo. ela migra. Seu cáften está negociando com dois fuzileiros da Royal Dublin no bordel O’Loughlin de Blackpitts. chama de deleitamento soturno. rubra a tua boca O teu corpo é tão belo e tão delicado. para as terras da noite. Ó. Deixe ele então gritar: teu corpo é tão delicado. Uma maré que se estende para oeste atraída pela lua em seu rastro. Beijem-na. façam amor com ela.

lhe indica a sua hora, ordena que ela se levante. Leito nupcial, leito de parto, leito de morte, de velas espectrais. Omnis caro ad te veniet. Ele vem, o pálido vampiro, através da tempestade seus olhos, suas asas de morcego ensangüentando o mar, boca para o beijo da boca feminina. Aqui. Anote isso, cara, está bem? Minhas tabuletas. Boca para o beijo dela. Não. É preciso duas delas. Que fiquem bem coladas. Boca para o beijo da boca feminina. Os lábios dele tocaram e abocanharam os lábios descarnados do ar: a boca no ventre dela. ’entre, tumba que tudo entranha. A boca dele moldou o sopro que emanava, sem fala: ooiihaha: rugido de planetas diluvianos, englobados, chamejantes, rugindo longelongelongelongelonge. Papel. As notas bancárias, raios as partam. A carta do velho Deasy. Aqui. Obrigado pela hospitalidade rasgue fora o final em branco. Virando as costas para o sol ele se inclinou sobre uma mesa de rocha e escrevinhou palavras. Esta já foi a segunda vez que eu esqueci de pegar papeletas no balcão da biblioteca. Sua sombra repousava sobre as rochas quando ele se inclinou, terminando. Por que não infindável até a estrela a mais distante? Elas estão ali sombrias por trás desta luz, escuridão brilhando na claridade, delta de Cassiopéia, mundos. Eu estar sentado ali com minha bengala como varinha de condão, de sandálias emprestadas, de dia, despercebido, ao lado de um mar lívido, na noite violeta caminhando sob o domínio de

estrelas misteriosas. Eu me desfaço desta minha sombra circunscrita, forma humana inelutável e a chamo de volta. Interminável, seria minha, forma de minha forma? Quem me observa aqui? Quem jamais em algum lugar lerá estas palavras escritas? Sinais em um campo branco. Em algum lugar para alguém em sua voz a mais flautada. O bom bispo de Cloyne retirou o véu do templo de seu chapéu eclesiástico: véu do espaço com emblemas coloridos sombreados sobre a sua matéria. Segure firme. Colorido sobre uma superfície plana: sim, está certo. A superfície plana eu vejo, então pense em distância, perto, longe, o plano eu vejo, leste, atrás. Ah, veja agora! Cai para trás subitamente, rígido em estereoscópio. Um clique opera o truque. Você acha minhas palavras obscuras. A escuridão está em nossas almas você não acha? Mais aflautado. Nossas almas, feridas pela vergonha de nossos pecados se aferram ainda mais a nós, uma mulher se apega ao seu amante, mais e mais. Ela confia em mim, sua mão suave, seus olhos de cílios longos. Agora com todos os diabos aonde eu a estou levando para além do véu? Para a modalidade inelutável da visualidade inelutável. Ela, ela, ela. Que ela? A virgem na vitrine de Hodges Figgis na segundafeira procurando os livros de abecedário que você ia escrever. Você lançou a ela um olhar agudo. O pulso através da alça trançada da sombrinha dela. Ela vive no parque Leeson de desgosto e guloseimas, uma dama letrada. Conte isso para outro, Stevie: uma mulher fácil. Aposto que ela usa aquela praga de Deus de espartilho

com ligas e meias compridas amarelas cerzidas bojudas de cerzido. Fale com ela sobre bolinhos de maçã, piuttosto. Onde é que está a sua esperteza? Me acaricie. Olhos meigos. Mão macia macia macia. Eu estou sozinho aqui. Ó, me acaricie logo, agora. Qual é aquela palavra conhecida de todos os homens? Eu estou aqui quieto só. Triste também. Toque em mim, me acaricie. Ele se deitou com o corpo estendido sobre as rochas pontiagudas, socando a nota escrevinhada e o lápis dentro do bolso, com seu chapéu cobrindo os olhos. Esse movimento que eu fiz é o mesmo de Kevin Egan, cabeceando para a sua soneca, na sesta de domingo. Et vidit Deus. Et erant valde bona. Halô! Bonjour. Seja bem-vindo como as flores em maio. Sob a aba do chapéu ele observou o sol que avançava para o sul através de seus cílios palpitantes de lúnulas. Eu estou preso nesta cena ardente. A hora de Pan, o meio-dia do fauno. Entre as plantasserpentes pesadas de goma, frutos gotejantes-de-leite, em cujas águas fulvas folhas se estendem amplamente. O sofrimento está longe. E basta de virar para o lado e meditar. Seu olhar se perdeu em suas botas de largosartelhos, os refugos de um cervo, nebeneinander. Ele contou as pregas do couro vincado em que o pé de um outro se aninhara aquecido. O pé que batera no chão em ritmo de tripudium, pé que eu desamo. Mas você ficou encantado quando seu pé entrou no sapato de Esther Osvalt: moça que eu conheci em Paris. Tiens,

quel petit pied! Amigo fiel, uma alma irmã: amor de Wilde que não ousa dizer seu nome. O braço dele: o braço de Cranly. Ele agora vai me abandonar. E a culpa de quem? Sou como sou. Como sou. Ou tudo ou nada. Em longas laçadas vindas do lago Cock a água fluía copiosa, cobrindo de areia as lagoas verdedouradas, se elevando, jorrando. Minha bengala vai flutuar para longe. Eu vou esperar. Não, a água vai continuar passando, passando, se esfregando de encontro às rochas baixas, rodopiando, passando. É melhor terminar com este negócio rápido. Ouça: a linguagem de quatropalavras da onda: siisu, hrss, rsseeiss, uuus. Sopro veemente das águas entre serpentesmarinhas, cavalos corcoveantes, rochas. Nas cavidades das rochas ela salpica: sacode, salpica, bate: ricocheteando em tonéis. E, exausta, sua fala se extingue. Ela reflui, fluindo amplamente, poça-deespuma flutuante, flor desabrochante. Sob a maré que se ergue inflada ele viu as algas contorcidas se elevarem languidamente e balançarem os braços relutantes, erguendo seus saiotes, balançando e revirando suas tímidas copas prateadas na água sussurrante. Dia após dia: noite após noite: se ergueram, jorraram e se deixaram cair. Céus, elas estão cansadas e quando alguma coisa lhes é cochichada elas suspiram. Santo Ambrósio ouviu o suspiro das folhas e ondas, esperando, aguardando a plenitude de seus dias, diebus ac noctibus iniurias patiens ingemiscit. Reunidas sem nenhuma finalidade; em vão em seguida libertadas, jorrando para a frente,

recuando para trás: tecelagem da lua. Também cansada aos olhos dos amantes, dos homens lascivos, uma mulher nua brilhando em sua corte, ela retira das águas um trabalho árduo para si. Cinco braças ali. Umas boas cinco braças abaixo teu pai repousa. Ele disse: à uma hora. Encontrado afogado. Maré alta na barra de Dublin. Arrastando à sua frente um monte solto de detritos, um leque de cardume de peixes, de conchas disparatadas. Um cadáver branco de sal se erguendo na ressaca, um boto balançando passo a passo em direção à terra. Lá está ele. Enganche-o rápido. Puxe. Por mais afundado que ele esteja sob o solo da água. Nós o temos. Devagar agora. Saco de gás cadavérico ensopado em salmoura infecta. Uma trepidação de barrigudinhos, gordura de um petisco esponjoso, jorra através das fendas da braguilha abotoada de sua calça. Deus se torna homem se torna peixe se torna bernaca se torna montanha de leito-de-penas. Sopros mortais eu respiro vivo, piso em pó morto, devoro os restos urinosos de todos os mortos. Arrastado rígido sobre a amurada ele exala para cima o odor fétido de sua sepultura verde, o orifício leproso de seu nariz ressonando para o sol. Uma mudança do mar esta, olhos marrons azulados de sal. Morte no mar, a mais suave de todas as mortes conhecidas do homem. Velho Pai Oceano. Prix de Paris: cuidado com imitações. Faça você mesmo simplesmente um julgamento justo. Nós nos divertimos imensamente.

Vamos. Estou com sede. O céu está se cobrindo de nuvens. Nenhuma nuvem escura em parte alguma, será que há? Trovão de tempestade. Todoesplendoroso ele cai, o clarão orgulhoso do intelecto, Lucifer, dico, qui nescit occasum . Não. Meu chapéu de bico, meu bastão e delemeus sapatos assandalhados. Onde? Para terras noturnas. A noite vai se encontrar a si mesma. Ele pegou o cabo de sua bengala, dando uma estocada com ela, brincando parado com ela. É isso aí, a noite vai se encontrar em mim, sem mim. Todos os dias completam o seu fim. Por falar nisso o próximo quando será. Terça-feira será o dia mais longo. De todo este ano novo feliz, mamãe, rataplan, plan, plan. Lawn Tennyson, cavalheiro poeta. Già. Para a velha megera de dentes amarelos. E monsieur Drumont, cavalheiro jornalista. Già. Meus dentes estão bem ruinzinhos. Por quê, eu me pergunto. Sinta. Este também se vai. Conchas. Eu me pergunto, será que eu devo ir ao dentista com este dinheiro? Aquele. Este. Kinch desdentado, o super-homem. Por que isso, eu me pergunto, ou talvez queira dizer alguma coisa? Meu lenço. Ele o atirou. Eu me lembro. Eu não o apanhei? Sua mão apalpou em vão os seus bolsos. Não, eu não apanhei. Melhor comprar um. Ele colocou, cuidadosamente, a meleca seca que tirou de sua narina numa saliência da rocha. Quanto ao resto, quem quiser que veja. Atrás. Talvez haja alguém.

Ele virou o rosto por sobre o ombro, olhando para trás. Movendo-se através do ar vergas elevadas de três mastros, com suas velas enfunadas nos vaus reais, um navio silencioso voltava para casa, corrente acima, movendo-se silenciosamente.

Parte II

4
O Sr. Leopold Bloom comia com prazer os órgãos internos de aves e de outros animais. Ele gostava de uma sopa grossa de miúdos de aves, moela com nozes, um coração recheado assado, fatias de fígado fritas à milanesa, ovas de bacalhau tostadas. Mais do que tudo ele gostava de rins de carneiro grelhados que davam ao seu paladar um sabor refinado de urina ligeiramente perfumada. Rins estavam em sua cabeça enquanto ele se movia mansamente pela cozinha, arrumando as coisas dela na bandeja corcovada. Havia na cozinha uma luz e um ar gélidos mas lá fora se estendia em toda parte

uma suave manhã de verão. Fazia com que ele se sentisse um tanto faminto. Os carvões estavam avermelhando. Uma outra fatia de pão com manteiga: três, quatro: certo. Ela não gostava de seu prato cheio. Tudo bem. Ele deu as costas para a bandeja, levantou a chaleira da chapa de ferro da lareira e a pôs de lado no fogo. Ela ficou ali sentada, apática e acocorada, com o bico projetado para fora. Uma xícara de chá logo. Bom. Boca seca. A gata andou toda esticada com a cauda erguida em volta de uma das pernas da mesa. – Minhau. – Ah, você está aí – disse o Sr. Bloom, se virando de costas para o fogo. A gata respondeu miando e toda esticada se aproximou rastejando miando novamente em volta de uma das pernas da mesa. Exatamente do jeito que ela rasteja em cima de minha escrivaninha. Ronron. Coce minha cabeça. Ron. O Sr. Bloom observou, gentilmente inquisitivo, a forma negra flexível. Graciosa de ver: o brilho do seu pêlo lustroso, o botão branco sob a base de sua cauda, os olhos verdes cintilantes. Ele se inclinou para ela, com mãos apoiadas nos joelhos. – Leite para a gatinha – disse ele. – Minhau! – gritou a gata. Eles as chamam de tolas. Elas entendem o que dizemos melhor do que nós as entendemos. Ela entende tudo que quer. Vingativa também. Cruel. A

natureza dela. Curioso os camundongos não chiam nunca. Parecem gostar disso. Eu me pergunto o que é que eu pareço para ela. Altura de uma torre? Não, ela pode pular por cima de mim. – Medo dos pintos ela tem – disse ele zombeteiramente. – Medo dos chukchuks. Eu nunca vi uma gatinha tão tola como essa gatinha. – Miinhau! – gritou alto a gata. Ela piscou para ele seus olhos ávidos a se fechar envergonhados, miando longa e queixosamente, mostrando para ele seus dentes brancos como leite. Ele observou as pupilas escuras se apertando de ganância até os olhos se tornarem duas pedras verdes. Em seguida ele foi até o aparador, pegou a jarra que o leiteiro de Hanlon acabara de encher para ele, derramou leite quente e espumoso em um pires que pôs lentamente no chão. – Grru! – ela gritou, correndo para lamber. Ele espreitou os bigodes dela brilhando metalicamente sob a luz fraca enquanto ela se inclinava três vezes e lambia ligeiramente. Eu me pergunto se é verdade que se cortarmos seus bigodes eles não podem mais depois caçar ratos. Por quê? Elas brilham no escuro, talvez, as pontas. Ou são uma espécie de antenas no escuro, talvez. Ele escutou o barulhinho da lambida dela. Ovos e presunto, não. Ovos nada bons nesta estiagem. Precisam de água fresca pura. Quinta-feira: um dia nada bom para rim de carneiro do Buckley. Frito na manteiga, com um pouco de pimenta. Melhor um rim

de porco do Dlugacz. Enquanto a chaleira está fervendo. Ela sorveu mais devagar, limpando então o pires com lambidas. Por que as línguas deles são tão ásperas? Para lamber melhor, todas de orifícios porosos. Nada que ela possa comer? Ele olhou à sua volta. Não. Com suas botas rangendo discretamente ele subiu a escada que dava para o saguão e parou junto à porta do quarto. Talvez ela gostasse de alguma coisa saborosa. Ela gosta de manhã de fatias finas de pão com manteiga. Ainda assim quem sabe: uma vez ou outra. Ele falou suavemente no saguão vazio: – Eu vou dar um pulo na esquina. Estou de volta em um minuto. E quando ouviu sua voz dizer isso ele acrescentou: – Você quer alguma coisa para o café-damanhã? Uma voz sonolenta resmungou como resposta: – Mnan. Não. Ela não queria nada. Ele ouviu então um suspiro pesado e caloroso, mais suave, quando ela se virou na cama e as argolas de metal do enxergão soltas tilintaram. Tenho que mandar consertar essas coisas realmente. Que pena. Vindas de tão longe de Gibraltar. Ela esqueceu o pouco espanhol que sabia. Imagino o quanto o pai dela deu por isso. Estilo antigo. Ah sim! naturalmente. Comprou-a no leilão do governador. Conseguiu num lance curto. Duro na queda numa

barganha, o velho Tweedy. Sim, senhor. Isso foi em Plevna. Eu vim de soldado raso a oficial, senhor, e me orgulho disso. Ainda assim ele tinha massa cinzenta suficiente para especular com selos. Ora isso era ver longe. Sua mão pegou o chapéu no cabide por cima de seu sobretudo pesado com suas iniciais e de sua capa de chuva de segunda mão do departamento de objetos perdidos. Selos: figuras com cola no verso. Aposto que muitos oficiais também estão por dentro disso. Naturalmente que estão. A inscrição gordurosa na copa interna do chapéu lhe lembrou silenciosamente: a alta categoria de Plasto, ora. Ele deu uma rápida olhadela dentro da tira de couro. Papelzinho branco. Bem seguro ali. Na soleira da porta ele apalpou o bolso de trás em busca da chave de trinco. Nada ali. Na calça que eu suspendi. Tenho que pegá-la. A batata eu tenho. Armário rangente. Inútil perturbá-la. Ela se virou sonolentamente daquela vez. Ele puxou a porta do saguão atrás de si bem suavemente, mais, até que o rodapé da porta caiu gentilmente sobre a soleira, um tampo flácido. Parecia fechada. Está certo ao menos até eu voltar. Ele atravessou para o lado ensolarado, evitando o alçapão da adega, solto, do número setenta e cinco. O sol estava se aproximando do campanário da igreja de São Jorge. Será um dia quente imagino. Especialmente nestas roupas pretas vou sentir mais. O preto conduz, reflete (será refrata?) o calor. Mas eu

não podia ir com aquele terno claro. Fazer disso um piquenique. Suas pálpebras se afundaram mansamente várias vezes enquanto ele andava em meio à calidez aprazível. A caminhonete do pão de Boland entregando em bandejas o nosso de cada dia mas ela prefere pães dormidos pastéis tostados com a parte de cima quente. Faz você se sentir jovem. Em algum lugar no Oriente: cedo de manhã: partir de madrugada. Viajar por aí de frente pro sol, roubar um dia de marcha dele. Manter isso para sempre nunca ficar um dia sequer tecnicamente mais velho. Caminhar ao longo da praia, terra estranha, chegar ao portão de uma cidade, sentinela ali, velho soldado que também chegou a oficial, o bigode grande do velho Tweedy, se apoiando numa espécie de lança longa. Perambular através das ruas sombreadas de toldos. Rostos de turbantes passando. Grutas escuras como lojas de tapetes, homem grande, Turco o Terrível, sentado de pernas cruzadas, fumando um cachimbo espiralado. Gritos de vendedores nas ruas. Beber água perfumada com erva-doce e suco de frutas. Vagar o dia inteiro. Poderia encontrar um ou dois ladrões. Pois bem, encontrá-lo. Indo para o poente. As sombras das mesquitas entre os pilares: padre com um pergaminho enrolado. Um estremecer das árvores, sinal, o vento da noite. Eu sigo em frente. Céu dourado sumindo. Uma mãe me observa da soleira de sua porta. Ela chama seus filhos pra casa na linguagem obscura deles. Muro elevado: além tangem cordas. Céu noturno, lua, violeta, cor das novas ligas de Molly. Cordas. Ouça. Uma moça tocando

um desses instrumentos como é que vocês os chamam: cítaras. Eu passo. Provavelmente nem um pouco realmente desse jeito. Espécie de matéria que você lê: no rastro do sol. Refulgência do sol no título da página. Ele sorriu, num agrado a si mesmo. O que Arthur Griffith disse sobre o cabeçalho a respeito do líder do Freeman: um governo próprio se erguendo a noroeste vindo da alameda atrás do banco da Irlanda. Ele prolongou seu sorriso satisfeito. Um esperto toque judeu este: sol de autonomia se erguendo a noroeste. Ele se aproximou do armazém de Larry O’Rourke. Partindo do respiradouro de grade do porão flutuava o jato fraco de cerveja. Através da porta aberta do bar jorravam bafos de gengibre, pó de chá, farinha de biscoito. Uma casa boa, no entanto: bem no final do tráfego da cidade. Por exemplo o armazém de M’Auley lá embaixo: nada bom como localidade. Naturalmente se criassem uma linha de bonde do mercado de gado ao cais ao longo do Circular-Norte ia ser um tiro em termos de valorização. Cabeça calva acima da veneziana. Velho astuto e esquisitão. Inútil cabalá-lo para um anúncio. Assim mesmo ele conhece melhor o seu negócio. Lá está ele, com toda a certeza, meu audacioso Larry, em manga de camisa apoiado na caixa de açúcar de olho no seu caixeiro que limpava com esfregão e balde de água. Simon Dedalus imita com a maior precisão seus olhos apertados. Você sabe o que eu vou lhe dizer? O que é isso, Sr. O’Rourke? Sabe de uma coisa? Os russos, eles

seriam apenas um café de oito da manhã para os japoneses. Pare e diga uma palavra: sobre o funeral quem sabe. Coisa triste a do pobre Dignam, Sr. O’Rourke. Dobrando na rua Dorset ele disse com uma saudação vigorosa através da soleira da porta: – Bom-dia, Sr. O’Rourke. – Bom-dia para o senhor também. – Um dia bonito, senhor. – É isso tudo sim. Onde eles conseguem o dinheiro? Caixeiros ruivos vindos do condado de Leitrim, enxaguando os recipientes vazios e guardando na adega os restos de bebida de um freguês. Então, veja e observe, eles florescem como Adam Findlater ou Dan Tallon. Pense então na competição. Sede geral. Um bom quebracabeça seria atravessar Dublin sem passar por um bar. Poupar isso eles não podem. Retirado dos bêbados talvez. Anotar três e levar cinco. O que é isso, um shilling aqui outro ali, em conta-gotas. Na venda por atacado talvez. Fazendo uma trapaça dupla com os caixeiros-viajantes. Elevem isso com o patrão e nós dividiremos o lucro, certo? Quanto iria totalizar tirando isso por mês da cerveja? Digamos dez barris do troço. Digamos que ele retire dez por cento. Ou mais. Quinze. Ele passou pela escola Nacional São José. Gritaria dos fedelhos. Janelas abertas. Ar fresco ajuda à memória. Ou o ritmo. Abecê defgê kaelemen opequê erstuvê dabliu. São meninos eles? Sim. Inishturk. Inishark. Inishboffin. Na jografi

deles. A minha. Monte Bloom. Ele parou em frente à vitrine de Duglacz, olhando para as salsichas, chouriços, brancos e pretos. Quinze multiplicado por. Os números empalideceram em sua mente, sem solução: insatisfeito, ele os deixou sumir. Rolos reluzentes, abarrotados de recheio de carne moída, alimentavam seu olhar e ele inspirava tranqüilinho a exalação tépida de sangue de porco condimentado, cozido. Um rim vertia gotas-de-sangue na travessa decorada de ramos de salgueiro: o último. Ele estava no balcão ao lado da moça sua vizinha. Será que ela ia comprar isso também, nomeando os itens de um pedaço de papel em sua mão? Áspera: água sanitária. E um quilo e meio de salsichas Denny. Os olhos dele repousaram nos quadris viçosos dela. Woods é o nome dele. Eu me pergunto o que ele faz. A mulher dele é velhota. Sangue novo. Nenhum pretendente permitido. Um par de braços fortes. Batendo com força um tapete no varal. E ela bate com força mesmo, por Deus. Do jeito que sua saia retorcida balança a cada batida forte. O salsicheiro de olhos-de-fuinha dobrou, com dedos manchados de rosa-da-salsicha, as salsichas que ele tinha cortado. Carne de boa qualidade ali: como uma novilha engordada-no-estábulo. Ele pegou uma página da pilha de folhas cortadas: a fazenda modelo em Kinnereth à beira do lago de Tiberíades. Poderia se tornar um sanatório de inverno ideal. Moisés Montefiore. Eu achava que ele

era. Casa de fazenda, cercada por um muro, gado indistinto pastando. Ele afastou a página de si: interessante: leia mais perto, o título, o indistinto gado pastando, a página farfalhando. Uma jovem novilha branca. Aquelas manhãs no mercado-de-gado, os animais mugindo em seus cercados, carneiros marcados a ferro, baque e queda de esterco, os criadores com botas ferradas, chafurdando no estrume, batendo com a palma no quarto traseiro de carne no ponto, essa está no auge, com uma vareta em estado bruto na mão. Ele segurou pacientemente a página inclinada, contendo seus sentidos e sua vontade, com o olhar suavemente pousado. A saia retorcida balançando, blam e blam e blam. O salsicheiro agarrou duas folhas da pilha, embrulhou as salsichas de primeira dela e fez uma careta ruborizada. – Ora vamos, minha senhorinha – disse ele. Ela ofereceu uma moeda em pagamento, sorrindo impudente, estendendo seu pulso grosso. – Obrigado, minha senhorinha. E um shilling e três pence de troco. Para a senhorinha, por favor. O Sr. Bloom apontou rapidamente. Para alcançá-la e andar atrás dela se ela se movesse lentamente, atrás de suas ancas ondulantes. Primeira coisa agradável de se ver de manhã. Apresse-se, droga. Aproveitar a oportunidade. Ela estava de pé fora da loja sob a luz do sol e saracoteou preguiçosamente dobrando à direita. Ele suspirou pelo nariz: elas nunca compreendem. Mãos ásperasdesoda. Unhas dos pés

encrostadas também. Escapulários marrons em frangalhos, defendendo-a de todos os lados. A picada da indiferença despertou um fraco prazer em seu peito. Ela era para um outro: um policial de folga abraçando-a em Eccles Lane. Elas gostam deles bem grandes. Salsicha de primeira. Ó por favor, Sr. Policial, eu estou totalmente perdida. – Três pence, por favor. A mão dele aceitou a glândula tenra e úmida e a enfiou no bolso do lado. Em seguida pegou três moedas do bolso da calça e as colocou sobre cilindros de borracha. Elas ficaram ali, foram lidas rapidamente e rapidamente deslizaram, disco por disco, dentro da gaveta da caixa registradora. – Obrigado, senhor. Até a próxima vez. Uma faísca mínima de ansiedade dos olhos de raposa lhe agradeceu. Ele desviou o olhar depois de um instante. Não: melhor não: numa outra ocasião. – Passe bem – disse ele, se afastando. – Passe bem, senhor. Nenhum sinal. Partiu. O que importa? Andou de volta pela rua Dorset, lendo gravemente. Agendath Netaim: companhia de plantadores. Comprar extensões de terra deserta arenosa do governo turco e plantar eucaliptos. Excelente para sombra, combustível e construção. Pomares-de-laranjeiras e imensos campos de melão ao norte de Jaffa. Você paga oitenta marcos e eles plantam em mil metros quadrados de terra oliveiras, laranjeiras, amendoeiras ou limoeiros. Oliveiras são mais

baratas: laranjeiras precisam de irrigação artificial. Todo ano você recebe uma remessa da safra. Seu nome é incluído como proprietário para sempre no livro da união. Pode pagar dez por cento de entrada e o restante em prestações anuais. Bleibtreustrasse 34, Berlim, W. 15. Não há nada a fazer. Ainda assim uma idéia por trás disso. Ele olhou para o gado num halo de canícula prateada. Oliveiras salpicadas de prata. Dias tranqüilos e longos: podando, amadurecendo. As azeitonas são embaladas em frascos de vidro, não é? Ainda me restam algumas de Andrews. Molly as cuspindo. Sabe o gosto delas agora. Laranjas embrulhadas em papel de seda em caixotes. Limões também. Me pergunto se o pobre Citron ainda se encontra em Saint Kevin’s Parade. E Mastiansky com sua velha cítara. Noites agradáveis tivemos então. Molly sentada na cadeira-de-vime de Citron. Agradável de segurar, fruto fresco e lustroso, de segurar na mão, de levar às narinas e sentir o perfume. Assim, pesado, adocicado, perfume forte. Sempre a mesma coisa, ano após ano. Eles renderam preços altos, me disse Moisel. Arbustus Place: Pleasants Street, velhos tempos agradáveis. Tem que ser sem nenhum defeito, disse ele. Vindo de tão longe: Espanha, Gibraltar, Mediterrâneo, o Levante. Caixotes enfileirados no cais de Jaffa, um camarada conferindo num livro, estivadores os manuseando descalços com macacões sujos. Ali está comovocêochama saído de. Como vai? Não vê. Um sujeito que você conhece só de cumprimento um pouco chato. Suas costas são como

as daquele capitão norueguês. Me pergunto se vou encontrá-lo hoje. Carreta de regar. Para provocar chuva. Na terra como no céu. Uma nuvem começou a cobrir o sol lentamente, totalmente. Cinza. Longe. Não, não desse jeito. Uma terra estéril, nua deserta, lago vulcânico, o mar morto: nenhum peixe, nenhuma alga, afundado profundamente na terra. Nenhum vento podia elevar aquelas ondas, metal cinzento, águas nebulosas venenosas. Chamavam de enxofre a cair como chuva: as cidades da planície: Sodoma, Gomorra, Edom. Todos nomes mortos. Um mar morto numa terra morta, cinza e velha. Velha agora. Ela produziu a primeira raça, a mais antiga. Uma velha megera encurvada vindo de Cassidy atravessou, agarrando pelo pescoço uma garrafa com um pouco de licor. O povo mais antigo. Vagou bem longe por toda a terra, de cativeiro em cativeiro, se multiplicando, morrendo, nascendo em toda parte. Jazia ali agora. Agora não podia mais gerar. Morta: de uma mulher velha: a boceta cinzenta afundada do mundo. Desolação. Um horror cinzento crestou sua carne. Dobrando a página dentro de seu bolso ele virou em Eccles Street, se apressando em direção à casa. Óleos frios deslizaram por suas veias, enregelando seu sangue: a idade o incrustando com uma capa de sal. Bem, eu estou aqui agora. É sim, eu estou aqui agora. Boca da manhã imagens nocivas. Eu me levantei da cama com o pé esquerdo da cama. Preciso recomeçar

aqueles exercícios Sandow. Deitado apoiado nas mãos. Casas de tijolos marrons manchados. O número oitenta ainda desalugado. Por que isso? Avaliado em apenas vinte e oito libras. Towers, Battersby, North, MacArthur: janelas do salão emplastradas de anúncios. Emplastros num olho ferido. Sentir o cheiro suave da fumaça do chá, a emanação da frigideira, a manteiga crepitante. Estar perto de sua carne abundante aquecida pela cama. Sim, sim. Um breve raio de sol quente escapando de Berkeley Road, rapidamente, em sandálias elegantes, ao longo da calçada iluminada. Corre, ela corre ao meu encontro, uma moça de cabelos dourados ao vento. Duas cartas e um cartão se encontravam no chão da sala de entrada. Ele se inclinou e os apanhou. Sra. Marion Bloom. Seu coração apressado diminuiu imediatamente as batidas. Mão atrevida. Sra. Marion. – Poldy! Entrando no quarto com os olhos semicerrados ele caminhou através da penumbra quente amarelada em direção à cabeça desgrenhada dela. – Para quem são as cartas? Ele as olhou. Mullingar. Milly. – Uma carta para mim de Milly – disse ele cuidadosamente – e um cartão para você. E uma carta para você. Ele pôs o cartão e a carta sobre a colcha de sarja perto da curva dos joelhos dela. – Você quer que eu suspenda a veneziana? Suspendendo a veneziana com suaves e

equilibrados puxões ele olhou com o rabo dos olhos para o olhar que ela lançou à carta que enfiou debaixo do travesseiro. – Assim basta? – perguntou ele, se virando. Ela estava lendo o cartão apoiada em seus cotovelos. – Ela recebeu as coisas – disse ela. Ele esperou que ela pusesse o cartão de lado e se enroscasse lentamente de volta com um suspiro de reconforto. – Apresse-se com aquele chá. Estou seca. – A chaleira está fervendo – disse ele. Mas ele se demorou arrumando a cadeira: a anágua listada dela, a roupa suja atirada: e pegou tudo com um braço pondo no pé da cama. Enquanto ele descia a escada da cozinha ela chamou: – Poldy! – O quê? – Escalde o bule de chá. Em ebulição com toda a certeza: um rastro de vapor saindo do bico do bule. Ele escaldou e esvaziou o bule de chá e colocou dentro quatro colheres de chá bem cheias, inclinando então a chaleira para que a água escorresse nele. Tendo deixado o chá apurando ele retirou a chaleira e comprimiu bem a frigideira sobre os carvões em brasa e observou um bocado de manteiga deslizando e derretendo. Enquanto desembrulhava o rim a gata miava faminta enroscada nele. Dê carne demais e ela não caçará ratos. Dizem que eles não comem

carne de porco. Koshner. Aqui. Ele deixou que o papel lambuzado de sangue caísse para ela e jogou o rim no molho crepitante de manteiga. Pimenta. Tirando-a de um porta-ovo lascado salpicou-a por entre os dedos à volta. Em seguida abriu a carta, olhando-a de cima a baixo. Obrigada: novo gorro escocês com borla: Sr. Coghlan: piquenique no lago Owel: jovem estudante: moças da beira do mar de Blazes Boylan. A infusão de chá estava pronta. Ele encheu, sorrindo, sua xícara-de-bigode, imitação barata de Derby. Presente de aniversário da Silly-Milly. Ela só tinha cinco anos então. Não, espere: quatro. Eu lhe dei o colar de âmbar prensado que ela partiu. Punha pedaços dobrados de papel marrom na caixa do correio para ela. Ele sorriu vertendo o chá. Ó, Milly Bloom, você é meu querubim. Você me reflete no claro e na escuridão. Prefiro ter você sem sequer um tostão A ter Katey Keogh com seu asno e jardim. Pobre velho professor Goodwin. Caso antigo terrível. Ainda assim ele era um velho camarada cortês. Jeito antiquado que ele tinha de se inclinar diante de Molly quando ela se retirava da plataforma. E o espelhinho na sua cartola. Na noite em que Milly o trouxe para a sala de estar. Ó, olhem o que eu encontrei no chapéu do professor Goodwin! Nós todos rimos. O sexo despontando desde então nela. Coisinha espevitada que ela era. Ele espetou o garfo no rim e o virou com força:

em seguida ajustou o bule de chá na bandeja. Sua corcova se moveu aos solavancos quando ele a ergueu. Tudo nela? Pão e manteiga, quatro, açúcar, colher, seu creme. Sim. Ele a carregou escada acima, com o polegar enganchado na alça do bule. Entreabrindo a porta com o joelho ele entrou com a bandeja e a colocou sobre a cadeira junto à cabeceira da cama. – Como você demorou! – disse ela. Ela fez o metal tilintar ao se erguer rapidamente, apoiando o cotovelo no travesseiro. Ele olhou calmamente para as formas roliças dela e para o espaço entre os seios grandes e macios, caídos dentro de sua camisola como as tetas de uma cabra. O calor de seu corpo reclinado se elevava no ar, mesclando-se com a fragrância do chá de que ela se servia. Uma tira do envelope rasgado espreitava de debaixo do travesseiro ondulado. Prestes a partir ele ficou para esticar a colcha. – De quem é a carta? – perguntou ele. Mão atrevida. Marion. – Ó, de Boylan – disse ela. – Ele vai trazer o programa. – O que você vai cantar? – Là ci darem com J. C. Doyle – disse ela – e Love’s Old Sweet Song. Os lábios grossos dela, bebendo, sorriam. Aquele incenso deixa no dia seguinte um pouco de cheiro de mofo. Como de água de flores podre. – Você quer que eu deixe a janela um pouco

aberta? Dobrando uma fatia de pão na boca, ela perguntou: – A que horas é o enterro? – Às onze, eu penso – disse ele. – Eu não vi o jornal. Acompanhando o dedo dela que apontava ele pegou da cama uma perna de sua calçola suja. Não? Então, uma liga cinzenta torcida enrolada em volta de uma meia: sola amarrotada, lustrosa. – Não: aquele livro. Outra meia. A anágua. – Deve ter caído no chão – disse ela. Ele apalpou aqui e ali. Voglio e non vorrei. Me pergunto se ela pronuncia isso direito: voglio. Na cama não. Deve ter escorregado para baixo. Ele se inclinou e levantou o dossel. O livro, caído, esparramado de encontro à protuberância do urinol com decoração grega homérica. – Mostra aqui – disse ela. – Eu pus uma marca nele. Há uma palavra que não entendo e eu queria te perguntar. Ela deu um gole no chá da xícara que ela segurava ignorando a asa e, tendo enxugado as pontas dos dedos elegantemente no cobertor, começou a procurar com o grampo de cabelo no texto até que alcançou a palavra. – Metem psi o quê? – disse ele. – Aqui – disse ela. – O que isso quer dizer? Ele se inclinou para baixo e leu perto do polegar

coberto de esmalte. – Metempsicose? – Sim. Quem é ele quando está em casa? – Metempsicose – disse ele, franzindo as sobrancelhas. – É grego: do grego. Isso significa a transmigração das almas. – Ó, droga! – disse ela. – Fale com palavras comuns. Ele sorriu, olhando de soslaio para os olhos zombeteiros dela. Os mesmos olhos jovens. A primeira noite depois das charadas. Dolphin’s Barn. Ele virou as páginas manchadas. Ruby: o Orgulho do Ringue. Alô. Ilustração. Italiano feroz com chicote-de-cocheiro. Deve ser Ruby orgulho de nu no chão. Lençol gentilmente oferecido. O monstro Maffei desistiu e atirou sua vítima para longe de si com uma imprecação. Crueldade por trás de tudo. Animais dopados. Trapézio em Hengler’s. Tinha de virar o rosto. O povo de boca aberta. Torça o seu pescoço e nos torceremos de rir. Famílias inteiras. Jovens se entregam a um trabalho árduo a fim de que se metempsicosem. Que nós vivemos depois da morte. Nossas almas. Que a alma de um homem depois que ele morre, a alma de Dignam... – Você já o terminou? – perguntou ele. – Sim – disse ela. – Não há nada de obsceno nele. Ela está apaixonada pelo primeiro camarada o tempo todo? – Nunca o li. Você quer um outro? – Sim. Traga um outro de Paul de Kock. Nome bonito que ele tem.

Ela pôs mais chá em sua xícara, observando de lado ele fluir. Tenho que renovar aquele livro da biblioteca de Capel Street ou eles vão escrever para Kearney, meu fiador. Reencarnação: é essa a palavra. – Algumas pessoas acreditam – disse ele – que nós continuamos a viver num outro corpo depois da morte, que nós vivemos antes. Eles chamam isso de reencarnação. Que nós todos vivemos antes na Terra milhares de anos atrás ou em outro planeta. Eles dizem que nós esquecemos isso. Alguns dizem que se lembram de suas vidas passadas. O creme serpenteou lento em espirais coalhantes através do chá dela. Preferível lembrá-la da palavra: metempsicose. Um exemplo seria melhor. Um exemplo? O Banho da Ninfa acima da cama. Doada com o número de Páscoa da Photo Bits: uma obra-prima esplêndida na arte das cores. Chá antes de pôr leite nele. Nada diferente dela com seu cabelo solto: mais magra. Eu dei três e seis pela moldura. Ela disse que ficaria bonito acima da cama. Ninfas nuas: Grécia: e por exemplo todas as pessoas que viveram então. Ele virou as páginas para trás. – Metempsicose – disse ele – é como os gregos a chamavam. Eles costumavam acreditar que a gente podia ser transformado num animal ou numa árvore, por exemplo. O que eles chamavam de ninfas, por exemplo. A colher dela parou de mexer no açúcar. Ela

olhou fixo em frente, inalando através de suas narinas arqueadas. – Está cheirando a queimado – disse ela. – Você deixou alguma coisa no fogo? – O rim! – gritou ele subitamente. Ele acomodou o livro de qualquer jeito no seu bolso interior e, dando uma topada com os dedos dos pés contra a cômoda quebrada, saiu apressadamente em direção ao cheiro, descendo rapidamente a escada com pernas de uma cegonha agitada. Uma fumaça pungente se elevou com um jato raivoso de um lado da panela. Cutucando com um dente do garfo por baixo do rim ele o destacou e o virou de borco. Só um pouco queimado. E jogou-o então da panela num prato e deixou que o molho marrom reduzido gotejasse sobre ele. Uma xícara de chá agora. Ele se sentou, cortou uma fatia de pão e passou manteiga nela. Separou a superfície queimada e a jogou para a gata. Em seguida pôs uma garfada na boca, mastigando com discernimento a carne maleável e saborosa. No ponto exato. Um gole de chá. Então ele cortou fora pedacinhos de pão, embebeu um no molho e o pôs na boca. Que história era aquela de um jovem estudante e de um piquenique? Desamassou a carta ao seu lado e a leu lentamente enquanto mastigava, embebendo um outro pedacinho de pão no molho e o levando à boca. Meu querido paizinho

Obrigadíssima pelo lindo presente de aniversário. Ele ficou esplêndido em mim. Todos dizem que eu fico uma beldade com o novo gorro escocês. Eu recebi a bonita caixa de bombons de chocolate de leite de mamãe e estou escrevendo. Eles são muito saborosos. Estou me saindo muito bem no negócio de fotografia agora. O Sr. Coghlan tirou uma foto de mim com a Sra. Vou mandar quando reproduzida. Ontem foi um dia ótimo para os negócios. Um dia bonito e todas as mulheres de pernas grossas estavam presentes. Na segunda-feira nós vamos com alguns amigos a um piquenique informal no lago Owel. Dê meu carinho a mamãe e para você um grande beijo e obrigada. Eu os ouço tocando piano lá embaixo. No sábado vai haver um concerto no Greville Arms. Há um jovem estudante chamado Bannon que vem algumas noites aqui seus primos ou coisa que o valha são da alta e ele canta a canção de Boylan (eu estava prestes a escrever Blazes Boylan) sobre as moças à beira da praia. Diga-lhe que a Silly-Milly lhe manda lembranças. Tenho que terminar agora com todo o meu amor. A filha que o ama Milly P.S. Desculpe a letra ruim estou apressada. Baibai. M. Quinze anos ontem. Curioso, dia quinze do mês também. Seu primeiro aniversário fora de casa. Separação. Eu me lembro da manhã de verão em que ela nasceu, correndo para bater na porta da Sra. Thornton em Denzille Street. Uma senhora idosa alegre.

Ela deve ter contribuído para trazer ao mundo uma porção de bebês. Ela soube desde o início que o nosso pobre pequeno Rudy não viveria. Ora, Deus é bom, senhor. Ela soube imediatamente. Ele teria onze anos agora se tivesse vivido. O rosto apático dele fixava compassivamente o pós-escrito. Desculpe a letra ruim. Pressa. Piano lá embaixo. Ela saindo da concha. A briga com ela no XL Café sobre a pulseira. Não queria comer os bolos ou falar ou olhar. Atrevidinha. Ele embebeu outros pedacinhos de pão no molho e comeu pedaço por pedaço do rim. Doze shillings e seis por semana. Não muito. Assim mesmo ela podia estar em situação pior. Palco de musical. Jovem estudante. Ele tomou um gole de chá mais frio para banhar sua refeição. Em seguida leu a carta novamente: duas vezes. Ó, tudo bem: ela sabe como se cuidar. Mas se não? Não, não aconteceu nada. Naturalmente que poderia. De qualquer jeito espere até que aconteça. Uma peça agreste de mercadoria. Suas pernas finas subindo correndo a escada. Destino. Amadurecendo agora. Vaidosa: muito. Ele sorriu com uma preocupação afetiva para a janela da cozinha. O dia em que a peguei beliscando as bochechas para torná-las vermelhas. Um pouco anêmica. Foi-lhe dado leite tempo demais. Aquele dia no Rei de Erin em volta do Kish. Miserável barco velho jogando de popa a proa. Nem um pouco amedrontada. Sua echarpe azul-clara solta ao vento com o seu

cabelo.

Com seus cachos e bochechas, Elas viram nossas cabeças. Moças da beira da praia. Envelope rasgado. Mãos enfiadas nos bolsos da calça, cocheiro com o dia livre, cantando. Amigo da família. Viram ele diz. Píer com lâmpadas, noite de verão, banda. Aquelas moças de se sonhar, Aquelas moças da beira-mar. Milly também. Beijos jovens: o primeiro. Bem longe agora o passado. Sra. Marion. Lendo, recostada agora, contando os fios de seus cabelos, sorrindo, trançando. Um suave receio, tristeza, percorreu sua espinha dorsal, num crescendo. Vai acontecer, sim. Impedir. Inútil: não posso alterar nada. Lábios delicados e doces de moça. Vai acontecer também. Sentiu o receio fluindo espalhar-se sobre ele. Inútil alterar agora. Lábios beijados, beijando, beijados. Lábios grossos e pegajosos de mulher. Melhor que esteja lá: longe. Ocupá-la. Queria um cachorro para passar o tempo. Podia viajar para lá. Feriado bancário de agosto, apenas duas e seis ida e volta. Seis semanas fora, no entanto. Podia cavar um passe de imprensa. Ou através de M’Coy. A gata, tendo limpado todo o seu pêlo, voltou para o papel manchado de carne, cheirou-o e rastejou até a porta. Olhou de volta para ele, miando. Quer sair. Espere até que uma porta em determinado momento se abra. Que ela espere. Fica inquieta. Elétrica.

Tempestade no ar. Estava lavando sua orelha com o dorso também voltado para a lareira. Ele se sentia pesado, cheio: então uma suave soltura de seus intestinos. Levantou-se, abrindo o cós da calça. A gata miou para ele. – Miau – disse ele, em resposta. – Espere até eu terminar. Indolência: dia quente se aproximando. Trabalho demais se esfalfar subindo a escada até o patamar. Um jornal. Ele gostava de ler na privada. Espero que nenhum chato venha bater na porta justo na hora em que eu estiver. Na gaveta da mesa ele encontrou um antigo número do Titbits. Dobrou-o e o pôs debaixo do braço, foi para a porta e a abriu. A gata subiu em saltos ágeis. Ah, queria ir lá para cima, enroscar-se como uma bola na cama. Escutando, ele ouviu a voz dela: – Venha, venha, gatinha. Venha. Ele saiu pela porta dos fundos para o jardim: parou para escutar o que vinha do jardim vizinho. Nenhum som. Talvez estivesse pendurando roupas para secar. A empregada estava no jardim. Bela manhã. Ele se inclinou para contemplar uma magra fileira de hortelãs crescendo muro acima. Fazer um quiosque aqui. Feijões escarlates. Trepadeiras da Virgínia. É preciso estrumar todo o lugar, solo ingrato. Uma camada escura de potássio e enxofre. Todo solo seria assim se não se adubasse. Restos domésticos. Barro, o

que é que é isso afinal? As galinhas do jardim vizinho: seus excrementos são adubo de primeira. No entanto o melhor é o do gado, especialmente quando eles são alimentados com torta de linhaça. Excremento arenoso. Melhor coisa para limpar luvas de senhoras de pele de cabra. A sujeira limpa. Cinza também. Reformar todo o lugar. Plantar ervilha naquele canto ali. Alface. Ter sempre então verduras frescas. Ainda assim os jardins têm seus inconvenientes. Aquela abelha ou moscavarejeira aqui na segunda-feira de Páscoa. Ele continuou a andar. Por falar nisso, onde está o meu chapéu? Devo tê-lo posto de volta no cabide. Ou deixado no chão. Engraçado, eu não me lembro disso. Cabideiro cheio demais. Quatro guarda-chuvas, capa de chuva dela. Pegando as cartas. A campainha da loja Drago tocando. Esquisito eu estava justamente pensando naquele momento. Cabelo castanho-escuro com brilhantina sobre o colarinho dele. Acabou de ser lavado e escovado. Eu me pergunto se vou ter tempo para um banho esta manhã. Tara Street. O camarada da caixa registradora ali ajudou James Stephens a escapar, dizem. O’Brien. Voz grave tem aquele camarada Dlugacz. Agendath o que é isso? Ora, minha senhorinha. Entusiasta. Chutando ele abriu a porta rachada do sanitário. É bom ter cuidado para não sujar esta calça para o enterro. Ele entrou, abaixando a cabeça sob o lintel baixo. Deixando a porta entreaberta, em meio ao mau cheiro de caiação mofada e teias de aranha bolorentas

ele arriou o suspensório. Antes de se sentar deu uma olhadela através de uma fenda para a janela do vizinho. O rei estava no seu escritório de contabilidade. Ninguém. Acocorado no vaso sanitário ele abriu o jornal, virando as páginas sobre seus joelhos nus. Alguma coisa nova e fácil. Nada de muita pressa. Retenhamos um pouco. Nosso prêmio titbit: Golpe de mestre de Matcham. Escrito pelo Sr. Philip Beaufoy, Clube dos Aficionados do Teatro, Londres. Pagamento na base de um guinéu por coluna foi feito ao escritor. Três e meia. Três libras e três. Três libras, treze e seis. Tranqüilamente ele leu, se contendo, a primeira coluna e, cedendo mas resistindo, começou a segunda. No meio do caminho, sua última resistência cedeu, ele permitiu que seus intestinos se esvaziassem tranqüilamente enquanto ele lia, lendo ainda pacientemente aquela ligeira prisão de ventre da véspera tinha-se ido. Espero que não seja grande demais para não provocar novamente hemorróidas. Não, justo o tamanho. Assim. Ah! Prisão de ventre. Um tablete de cáscara-sagrada. A vida devia ser assim. Isso não o agitava nem o emocionava mas era alguma coisa rápida e limpa. Imprima qualquer coisa agora. Estação tola. Ele continuou a ler sentado calmamente sobre o seu próprio cheiro que se elevava. Limpo certamente. Matcham pensa freqüentemente no golpe de mestre por meio do qual conquistou a feiticeira risonha com quem agora. Começa e termina moralmente. De mãos dadas. Esperto. Ele olhou para

Me cortei ao me barbear. Ela mordendo o lábio inferior. Qual? Houve tempo em que eu costumava tentar rabiscar no meu punho o que ela dizia ao se vestir. ao enganchar a abertura de sua saia. Aquela foi sua primeira noite. Aluda a isso. Tipo estranho de música naquela última noite. Estou inchada depois daquele repolho. treze e seis. Não adianta cantarolar então. Explique-se isso: horas da manhã. Podia arranjar um esquete. então horas da noite. O que me fez comprar este pente? 9:24. Rugas nos seus olhos. enquanto sentia a urina fluir tranqüilamente. Espreitando para dentro dele. O que Gretta Conroy estava usando? 9:23. Roberts já lhe pagou? 9:20.trás para o que tinha lido e. invejava brandamente o Sr. Pelo Sr. Ela esfregou seu espelho de mão rapidamente na sua roupa de lã de encontro ao seio roliço e balouçante. De . 9:15. Marcando o tempo dela. Por quê? Eu reparei que ele exala um cheiro bom da sua boca ao dançar. Esse tal de Boylan está bem de vida? Ele tem dinheiro. O espelho estava na sombra. então o entardecer chegando. Sua cabeça dançando. L. Manhã depois da dança do bazar quando a banda de May tocou a dança das horas de Ponchielli. Inventar uma história para algum provérbio. Beaufoy que tinha escrito isso e recebido pagamento de três libras. meio-dia. M. Um grão de pó na bota de verniz dela: esfregando vivamente de cada vez cada dobra da bota de encontro à barriga da perna com meia. Não gosto que nos vistamos juntos. Ela lavando os dentes. e a Sra. Bloom. Seu leque clicando ao fechar.

e então preto. Um terceiro. Dia: e então a noite. e então cinza.uma forma ou de outra não ia dar resultado. Eles soaram a hora: elevado ferro escuro. Lá vai novamente: o som concomitante prosseguindo através do espaço. Horas noturnas então: pretume com punhais e máscaras nos olhos. moças em gaze cinza. Idéia poética: rosa. com os membros frios e leves. ele olhou cuidadosamente para sua calça preta: as extremidades. fiel à realidade também. Horas crepusculares. e então dourado. Um rangido e um zunido sombrio bem alto no ar. Na luz clara. pôs o suspensório e se abotoou. Haiho! Haiho! Haiho! Haiho! Haiho! Haiho! Um quarto para. Ele rasgou com força metade da história premiada e se limpou com ela. A que horas é o enterro? Melhor verificar no jornal. os jarretes dos joelhos. Em seguida suspendeu a calça. os joelhos. Pobre Dignam! 5 . Ainda assim. Puxou a porta desconjuntada do sanitário e saiu da penumbra para o ar livre. Os sinos da igreja de São Jorge.

Podia ter dado este endereço também. passou em frente à fachada rebarbativa de Bethel. El. Enterrá-lo barato num comosechama. Canta com os olhos fechados. Com meu patibum. E por Nichols o agente funerário. com o balde de refugo seguro por uma corda. Acho que Corny Kelleher se apossou do emprego para O’Neill. E passou pelo Abrigo do Marinheiro. pai. certamente ele o abateu. Beth. Em Westland Row ele parou diante da vitrine da Companhia de Belfast de Chá Oriental e leu os rótulos . passando por Windmill Lane. Encontrei com ela uma vez no parque. Uma menina menor com cicatrizes de eczema na testa olhava para ele. Perto dos chalés um menino coletor de lixo estava refestelado. Leask o esmagador de linhaça. Deixou para trás os ruídos matinais da beira do cais e enveredou pela Lime Street. Ó.Com um andar compassado o Sr. Bloom caminhou ao longo dos caminhões do cais de sir John Rogerson. bum. Diga pra ele que se ele fumar não crescerá. É às onze. Vem pra casa pra mãe. fumando um coto de cigarro mastigado. Ó deixe ele em paz! Sua vida não é lá esse mar de rosas. patibum. segurando apaticamente sua argola de barril amassada. patibum. Que achado. Esperando do lado de fora dos bares para trazer o pai pra casa. Tempo suficiente. No escuro. sim: casa de: Aleph. Ele atravessou Towsend Street. o prédio dos Correios e Telégrafo. Um informante da polícia. Seu nome e endereço ela me deu então com meu patibum patibum bum. patibum. Hora de inatividade: não haverá muitas ali. Corny.

cipós sinuosos assim os chamam. O Oriente distante. Seus dedos encontraram rapidamente um cartão atrás da carneira e o transferiram para o bolso do seu colete. Estufa em Jardins Botânicos. Lugar encantador deve ser: o jardim do mundo. Azotes. Plantas sensitivas. Muito calor. Influência do clima. Caminhar sobre pétalas de rosas. Chá. Bem ali. a mais alta qualidade. Calor excessivo para se brigar. Imagine tentar comer tripa e mocotó. chá da família. Sob suas pálpebras caídas seus olhos encontraram a pequenina dobra da carneira de couro do seu chap de qualidade superior.dos pacotes de papel laminado: mistura requintada. Tenho que conseguir um de Tom Kernan. Manhã muito quente. Não poderia pedir-lhe isso no enterro. O ar alimenta a maioria. contudo. Doença do sono no ar. folhas grandes preguiçosas a flutuar à volta. cactos. Tanto calor. Onde é que estava aquele camarada . Aqueles cingaleses perambulando à volta sob o sol num dolce far niente. campinas floridas. feita das melhores marcas do Ceilão. não fazendo absolutamente nada o dia inteiro. Sua mão direita desceu até dentro da copa do chapéu. Flores da ociosidade. Me pergunto se é realmente assim. Ele pôs então novamente o chapéu. Dormem seis meses de doze. Enquanto seus olhos ainda liam brandamente ele tirou o chapéu aspirando serenamente o óleo do seu cabelo e pousando sua mão com lenta elegância sobre sua testa e cabelo. Letargia. Sua mão direita passou de novo mais lentamente sobre sua testa e cabelo. aliviado: e leu de novo: mistura requintada. Nenúfares. Pétalas cansadas demais para.

Entrar. Eles todos caem no chão. É a força de gravidade da Terra que é o peso. lendo um livro com um guarda-sol aberto. Ninguém. Ele virou em direção contrária e vagou pela rua. O correio aqui. – Há alguma carta para mim? – perguntou. enrolou-o no seu comprimento como um bastão e bateu com ele na sua perna-de-calça a cada passo saracoteante. Ele estendeu o cartão através da grade de metal. sim. Não poderia afundar mesmo que você tentasse: tão espesso de sal. o peso do corpo na água é igual ao peso de quê? Ou é o volume que é igual ao peso? É uma lei ou coisa no gênero. Como ela andava com suas salsichas? Desse jeito mais ou menos. O currículo do colégio. Por segundo por segundo. Ar descuidado: só dei uma passada para ver. Porque o peso da água. Enquanto andava ele pegou o Freeman dobrado do seu bolso do lado. A Terra. O que é realmente peso quando você diz o peso? Trinta e dois pés por segundo por segundo. Do meio-fio ele lançou um olhar penetrante através da porta do correio. no mar morto flutuando de costas. Currículo estalejante. não. Tarde demais para retirada das cartas das caixas. Por segundo quer dizer cada segundo. Lei da queda dos corpos: por segundo por segundo. Vance no ginásio estalando os dedos. ensinando. desdobrou-o. Enquanto a funcionária do correio procurava no escaninho ele olhou para o pôster de recrutamento de soldados de todas as armas em parada: e levou a .que eu vi naquele quadro em algum lugar? Ah.

Henry Flower Esq. A funcionária estendeu de volta através da grade o cartão com uma carta. Mais fácil de alistar e treinar. Não. Chamativos demais. Ele agradeceu e olhou rapidamente para o envelope batido à máquina. O. Propriedade do rei. Olhos fixos. rasgando aos trancos ao . O jornal de Griffith está com a mesma norma de ação agora: um exército podre com doença venérea: império ultramarino ou de embriagados. barretina de pele e penacho de pluma. Penacho: acho. De maçom. Westland Row City. Falar: como se isso consertasse as coisas. Nenhuma resposta provavelmente. Ele enfiou o cartão e a carta no seu bolso do lado. Onde está o regimento do velho Tweedy? Soldado rejeitado. Lá está ele: fuzileiros do Royal Dublin. Ele se retirou do prédio do correio e dobrou à direita. Marcando o passo. Punhos pontudos. Sua mão entrou no bolso e um dedo indicador apalpou por baixo da aba do envelope. Deve ser por isso que as mulheres vão atrás deles. Fui longe demais da última vez. Parecem meio sazonados: como hipnotizados. Ali. Gamela: ela. sim. Carta de Maud Gonne para tirálos da O’Connell Street à noite: uma desgraça para nossa capital irlandesa. c/o P. Nunca o vi vestido de bombeiro ou de policial.ponta do bastão até as narinas. revendo de novo os soldados em parada. cheirando a tinta fresca do pedaço de jornal. De qualquer forma respondeu. Casacosvermelhos. Uniforme. ele é um granadeiro.

– Onze. você sabe.. O porteiro içou a valise no porta-bagagem. Às mulheres pouco se lhes dá. marido. – Eu vou tentar ir lá – disse M’Coy.. O Sr. pobre homem.. Ela ficou parada. – É isso aí. É mesmo. – Ó. Bloom. como ela. Seus dedos arrancaram a carta e amassaram o envelope em seu bolso. O enterro é hoje. Com os olhos na gravata e na roupa preta ele perguntou em tom respeitoso: – Há algum. – Alô. Para onde você está indo? – Alô. Você conhece Hoppy? – Conheço. nenhum problema espero? Vejo que você está. Tirar-me do meu caminho. irmão.abri-lo. creio. procurava um trocado em seus . Cabelo? Não. M’Coy. A que horas? Uma foto não é. – Pobre Dignam. Quem foi mesmo que me disse? Holohan. Alguma coisa presa com um alfinete: uma foto talvez. M’Coy. – Como vai essa força? – Ótimo. Nenhum lugar em particular. Bloom olhou para o outro lado da rua para o cabriolé parado diante da porta do hotel Grosvenor. não – disse o Sr.. Ficar livre dele rápido. Bloom. enquanto o homem. é isso não? Eu só soube ontem à noite. Bloom. aguardando. Um emblema talvez. Detesto companhia quando se. – Ooonze – respondeu o Sr. E você como vai? – Só me mantendo vivo – disse M’Coy.

em uma de suas bebedeiras periódicas. disse ele. Inclinando a cabeça para trás e olhando para longe por entre as pálpebras abaixadas ele viu a pele castanho-clara brilhar no clarão. e Brutus é um homem honrado. Sempre de olho em outro homem de reserva. Tipo elegante de casaco com aquela gola alta. Chegou o Hoppy. e como você o chama Bantam Lyons. parece um cobertor. quente para um dia como aquele. Possua-a uma vez e retire o formalismo dela. debruns engalonados. É bonito e faz bonito. De que lado ela vai se erguer? – E ele disse: Que coisa triste aquela do nosso pobre amigo Paddy! Que Paddy?. De partida para o campo: Broadstone provavelmente. Talvez a umidade à volta permita uma visão de longa distância. Como aquela criatura altiva na partida de pólo. A honrada Sra. Posição descuidada a dela com suas mãos naqueles bolsos de malha. – Eu estive com Bob Doran. Doran e Lyons no Conway. Mão de dama. As mulheres são todas a favor do sistema de classes até que se acerte no alvo. Boa recuada.bolsos. . Falando de uma coisa ou de outra. disse eu. Para ela dois coelhos de uma só cajadada. Ela ergueu uma mão enluvada até seus cabelos. O pobrezinho do Paddy Dignam . Posso ver claramente hoje. Por que ele está alvoroçado com esse trocado? Me vê olhando. Botas marrons de cano alto com os cadarços balançando. Reservadas prestes a se render. Estivemos justamente ali no bar de Conway. Pé bem torneado. Tomando um trago.

Vai se levantar dentro de um minuto. Eles partiram em direção à ponte de Loop Line. disse. ele encheu a cara. Bloom. – O que há de errado com ele?. Bloom depois de soltar um suspiro desanimado. Não podia acreditar no que estava ouvindo. A moça na entrada de Eustace Street na segunda-feira estava ajeitando a liga. Sempre acontece desse jeito. Sente-se trancado do lado de fora. E. O que há de errado com ele?. Tremular. Ora. sua bela mão enluvada no cabo de metal. . O Paddy Dignam?. Maldito seja o seu nariz arrebitado e barulhento. Morreu na segunda-feira. disse ele. No momento exato. Está morto. por certo. Paraíso e espírito benfazejo. Ele se foi. Eu estive com ele na sexta-feira passada ou quinta no Arco. Sua amiga cobrindo a exibição da. Atenção! Atenção! Um lampejo de fina meia de seda branca. – Um outro se foi. O bonde passou. Ele andou um pouco para o lado da cabeça falante de M’Coy. por que você está aí embasbacado? – Sim. disse eu. pobre rapaz. tremular: o brilho de renda do seu chapéu ao sol: tremular. – Um dos melhores – disse M’Coy. – Sim – disse o Sr. sim – disse o Sr. tremor.– Por quê?. disse eu. Altiva: rica: meias de seda. Atenção! Um pesado bonde buzinando a sineta girou no meio. disse ele: É sim. Esprit de corps. Perdi. Sim . disse eu.

Ele desenrolou o bastão de jornal indolentemente e leu indolentemente: O que é um lar sem Carne enlatada de Plumtree? Incompleto. no dia vinte e cinco. – Alegra-me ouvir isso. – É mesmo? – disse M’Coy. Figuras sebentas de baralho estavam espalhadas ao longo de sua coxa em grupos de sete. Quem está pondo isso de pé? Sra. Pelo menos ainda não foi firmada. Velha.– Sua mulher está bem. Gata como uma bola de pêlo negro. Ainda não está em pé. O Sr. Pedacinho rasgado de envelope. A tática da valise novamente. Por falar nisso nenhum problema. – Está. obrigado. sim – disse o Sr. – Ela vai cantar num negócio de alta esfera em Ulster Hall. Carta. suponho – disse M’Coy com voz mudada. Com ela uma moradia feliz. – Excelente. Doce. Dama morena e homem louro. – Minha mulher também – disse ele. . meu velho. A rainha estava no seu quarto comendo pão com. Estou fora disso. Belfast. Bloom voltou seus olhos de longas pálpebras com afabilidade morosa. – Minha cara-metade acabou de receber uma proposta de contrato. Bloom. Nenhum livro. obrigado. Marion Bloom.

– Doooce canção. Vem velha doce. está bem? Eu gostaria de ir mas é possível que eu não consiga. entendeu – disse o Sr. M’Coy basta. é um prazer vê-lo em boa forma. tudo bem – disse ele. Alvo delicado. Eu iria se realmente pudesse. se preparando para partir. – Isso será feito – respondeu o Sr. De amor. – Isso é uma boa notícia. Encontrá-lo perambulando. Só C. P. Bem. você sabe.. Parte é repartida e parte é lucro. – Você poderia assinar o meu nome no enterro. meu velho. – Obrigado. Gostaria do meu . Bloom. – Certo – disse M’Coy vivamente. está bem? – Eu farei isso – disse o Sr. – Ó. M’Coy acenou com a cabeça. – Sim – disse o Sr. puxando o bigode ralo. – É uma espécie de tour. Há um comitê formado. – Ora. Bloom pensativamente. Não me pegou desprevenido esse velho truque.Canção.. – Por falar nisso – disse M’Coy. Bloom. O toque rápido. – Está combinado. Até a vista. Ele se moveu para ir. Você só põe o meu nome se eu não estiver lá. Pode ser que um caso de afogamento em Sandycove venha à tona e então o médico-legista e eu teremos de ir para lá se o corpo for encontrado. Bloom firmemente.

Alô. Valise pela qual tenho um xodó especial. Não. Personificadora masculina. Você e eu. Um tanto a contragosto. Jinjibirra de Cantrell e Cochrane (aromática). bordas pregadas. fechadura de segurança com duplo ferrolho. ele vai prosseguir em frente. Do lado de fora do Adelphi em Londres esperou toda a tarde para entrar. o Sr. Bob Cowley lhe emprestou a dele para o concerto das regatas de Wicklow o ano passado e nunca mais teve notícias dela desde esse bendito dia. isso dá. Sem energia na voz. Sua mulher e minha mulher. Pensava que Belfast o buscaria. Será que ele não ouve a diferença? Acho que ele está um pouco propenso desse jeito. Talvez ele fosse uma mulher. Sra. Leah hoje à noite. Por que Ofélia cometeu suicídio. Bloom ficou de pé na esquina. Saldo de verão de Clery. Espero que aquele surto de varíola lá não piore. Dá nervosismo. Focinho de sovina. Suponhamos que ela não se deixe vacinar de novo. Bajulador. Bastante boa a seu modo: para uma pequena balada.trabalho. Bandman Palmer. Ela fez o papel de Hamlet na noite passada. Soprano sardenta esganiçada. sabe: no mesmo barco. Pobre papai! Como ele costumava falar de Kate Bateman nesse papel. Bloom sorriu. Isso foi um ano antes de eu . Gostaria de vê-la de novo nisso. Eu me pergunto será que ele está me espionando? O Sr. Couro. com os olhos percorrendo os cartazes multicoloridos. Vagando em direção a Brunswick Street. Cantos reforçados. Minha cara-metade acabou de receber uma.

Hora do embornal. Como é mesmo o nome certo? É de Mosenthal. Ele se aproximou e ouviu um mastigar de aveia dourada. por entre o doce cheiro forte de aveia da urina dos cavalos. Não adianta pensar mais nisso. Aquele dia! Ó Deus! Ó Deus! Ffuu! Bem. Castrados também: um coto de guta-percha preta balançando flácido entre as ancas. talvez tenha sido melhor para ele. não é? Não. Pobre papai! Pobre homem! Fico feliz de não ter entrado no quarto para olhar para o seu rosto. O Sr. Tão cheios que não dá para expressar em palavras. Podiam ser felizes mesmo assim daquele jeito. Ainda assim eles sem dúvida recebem sua comida e lugar para dormir. que deixou a casa de seu pai e deixou o Deus de seu pai.nascer: sessenta e cinco. O Eldorado deles. os dentes suavemente triturando. Seus olhos saciados de cervo o olharam enquanto ele passava. Todas as palavras são tão profundas. Gostaria de não ter encontrado aquele camarada M’Coy. Parecem ser bons os . A voz de Nathan! A voz de seu filho! Eu ouço a voz de Nathan que deixou seu pai morrer de desgosto e de tristeza em meus braços. Pobre ignorância! Dane-se tudo que sabem ou que tem importância para eles com seus focinhos longos enfiados em embornais. Bloom deu a volta na esquina e passou pelos pôneis curvados da estação de carros. Rachel. Leopold. E Ristori em Viena. A cena de que ele sempre falava em que o velho cego Abraham reconhece a voz e põe seus dedos na face dele.

Com passo cuidadoso passou por cima de uma quadra de amarelinha com sua esquecida pedradeapanhar.? Ele abriu a carta dentro do jornal. No entanto seu relinchar pode ser muito irritante. Uma flor amarela . nenhuma vontade própria. Sociáveis. A ruela é mais segura. uma esfinge a piscar. dando alguns passos. O depósito de madeira de Meade. Acho que é uma. atirando a bola com o polegar entre os dedos. parou no abrigo do muro da estação. Ellis. Gritam algumas sílabas apressadas quando passam. Voglio e non. Ruínas e cortiços. Ele cantarolou. sozinha. E Sr. todos os lugares. Ela gostava da mignonette. Sra. Ninguém. Passou diante do abrigo de cocheiro. Ele dobrou em Cumberland Street e. Podia esbarrar nela aqui. Curiosa a vida de se deixar levar dos cocheiros. Maomé cortou um pedaço de seu manto para não a acordar.pobres animais. Là ci darem la mano La la lala la la. observava de sua soleira quente. Abra-a. Uma gata sábia. Não é um pecador. E uma vez eu joguei bola de gude quando fui para a escola daquela velha senhora. Uma flor. Gosto de lhes dar um cigarro avulso. Ele tirou a carta do bolso e a dobrou dentro do jornal que carregava. Pena perturbálos. Vigas empilhadas. Perto do depósito de madeira uma criança agachada jogando bola de gude. Toda sorte de tempo. toda hora ou o desembarcar dos passageiros.

Adeus agora. hoje. Não está aborrecida então? O que ela diz? Querido Henry. estou com tanta dor de cabeça. Eu realmente gostaria de poder puni-lo por isso. Henry querido. quando vamos nos encontrar? Eu penso em você tanto que você não tem idéia. Nunca me senti tão atraída por um homem como você. Eu recebi a sua última carta para mim e lhe agradeço muito por isso. Querido Henry. Freqüentemente penso no nome bonito que você tem. Sinto muito que você não tenha gostado da minha última carta. se você não escrevia. Então agora você sabe o que vou fazer com você. Lembre-se que se você não fizer eu vou puni-lo. Por favor me diga qual é o sentido verdadeiro daquela palavra? Você não é feliz em sua casa pobrezinho do meu menininho levado? Eu realmente gostaria de fazer alguma coisa por você. seu menino levado. Ó como eu desejo o encontrar.com pétalas achatadas. Eu o chamei de menino levado porque não gosto daquele outro planeta. não negue o meu pedido antes que minha paciência fiquem exaustas. Por favor diga o que você pensa da pobre de mim. meu querido levado. Então eu lhe contarei tudo. Por que você incluiu os selos? Estou muito zangada com você. Por favor me escreva uma carta longa e me conte mais. Eu me sinto tão mal a respeito. e escreva pela volta à sua ansiosa Martha .

Tendo lido ela toda ele a retirou do jornal e a pôs de volta no bolso lateral. Obrigado: não tendo nada. Tulipas zangadas com você querido homemflor castigam seu cacto se você não agradar a pobre miosótis como eu anseio violetas para as queridas rosas quando nós em breve encontrarmos anêmona a toda picante dulcamara mulher perfume de Martha. hein? Atirou-o na rua. Usual rixa de amor. Narcótico. Tocando ainda com os dedos a carta em seu bolso ele retirou o alfinete dela. caráter respeitável. murmurando aqui e ali uma palavra. Podia encontrar um domingo depois do rosário. Então caminhando lentamente para adiante ele leu de novo a carta. Linguagem das flores. Tão ruim quanto uma briga com Molly. Diga-me sem falta que tipo de perfume sua mulher usa. Mudou desde a primeira carta. Brutal.P. Menino levado: punir: medo das palavras.S. Elas gostam disso porque ninguém pode ouvir. Me pergunto se ela mesma a tinha escrito. Tirado de algum lugar das roupas . Ou um buquê envenenado para derrubá-lo. Alegria tênue entreabriu seus lábios. Se fazendo de indignada: uma moça de boa família como eu. xxxx Ele arrancou a flor gravemente de seu alfinete cheirou sua quase ausência de perfume e a colocou em seu bolso do coração. por que não? Tente de qualquer forma. Eu quero saber. Vou mais longe na próxima vez. Um alfinete comum. Em seguida flertando nas esquinas. naturalmente. Um pouco de cada vez. Charuto tem um efeito refrescante.

Esqueça. Marta. Tipo gostoso de sensação da noite.dela: alfinetadas juntas. Foco ocular ruim para nervos do estômago. Estranho o número de alfinetes que elas sempre têm. Ó. Basta de vagar. costumes estranhos. Que perfume sua mulher usa? Ora é possível entender uma coisa dessas? Para mantê-la em cima. Ela não sabia o que fazer Para mantê-la em cima. Ele está sentado na casa delas. estava preparando a ceia: frutas. Que tremenda dor de cabeça. Vozes de Dublin de sotaque vulgar vociferavam em sua cabeça. Nenhuma rosa sem espinhos. Ela escuta com olhos grandes . Maria. friadepedra como o buraco no muro em Ashtown. Ou sentada o dia inteiro batendo à máquina. Também as duas prostitutas em Coombe escutariam. Misterioso. de braços dados na chuva. Aquelas duas prostitutas aquela noite em Coombe. Só se recoste aqui: crepúsculo silencioso: deixe tudo amadurecer. Aquela outra. Tem suas rosas provavelmente. a jarra na cabeça. Para mantê-la em cima. Eu vi aquele quadro em algum lugar que eu esqueço agora de um velho mestre ou falsificado por dinheiro. conversando. Preciso levar um copo de papel na próxima vez que eu for às corridas de pôneis. Para mantê-la em cima. água fresca deliciosa tirada do poço. Fale sobre os lugares em que você esteve. Ela? Elas. Mary perdeu o alfinete de sua calçola. azeitonas.

Longo longo longo descanso. uma preguiçosa espiral empoçante de bebida carregando consigo flores . Sim. Dois pence uma caneca. fluindo junto. Henry Flower. O que é que estou dizendo barris? Galões. Barris se chocaram em sua cabeça: cerveja insípida entornou e fez espuma dentro. Lorde Iveagh certa vez descontou um cheque de setealgarismos de um milhão no banco da Irlanda. Um milhão de libras. então tudo afundou. Simples pedaço de papel. espere um minuto. Mostra o dinheiro a ser extraído da cerveja. não. exatamente. Pode-se rasgar um cheque de cem libras da mesma maneira. oito pence um galão de cerveja comum. As bocas dos barris saltaram abertas e uma enorme torrente sombria escoou. A pele produz piolhos ou vermes. afundaram no ar escuro: um esvoaçar branco. um e quatro pence um galão de cerveja comum. Andando embaixo do arco da estrada de ferro ele tirou o envelope. Um e quatro em vinte: cerca de quinze. vagão após vagão. Cerca de um milhão de barris mesmo assim. Um trem que chegava retiniu fortemente acima de sua cabeça. rasgou-o prontamente em pedaços e os espalhou pela rua. serpenteando através das extensões de terra lamacentas por toda a terra plana.escuros e suaves. dizem. quatro pence um quarto. Os pedaços esvoaçaram para longe. Quinze milhões de barris de cerveja comum. Então um suspiro: silêncio. Conte a ela: mais e mais: tudo. Assim mesmo o outro irmão lorde Ardilaun tem que mudar de camisa quatro vezes por dia.

A eles é ensinado isso. Preferem uma libra de ópio. Uma pena que eu não passei uma conversa nele para que Molly entrasse para o coro em vez daquele padre Farley que parecia um tolo mas não era. Eles absorvem gostosamente como leite. J. Os protestantes são a mesma coisa. D. . pegou o cartão do bolso e o meteu de novo atrás da carneira de couro. escutando. Eu podia ter tentado cantar M’Coy por um bilhete para Mullingar. não é? Os óculos iam agradar a fantasia deles. Celestiais. Coroa de espinhos e cruz. Walsh D. Ele não irá sair de óculos escuros com o suor saindo pelos poros para batizar negros. Ele atingira a porta dos fundos aberta da igreja de Todos os Santos. Idéia genial o trevo de São Patrício. Gostaria de vê-los sentados à volta num círculo com lábios grossos. O mesmo aviso na porta. Não se afobando com a mão debaixo do rosto. Buda o deus deles deitado de lado no museu. Vida mansa. Varetas de incenso queimando. Sermão pelo muito reverendo John Conmee S. Grosseira heresia para eles.de pétalas largas para fora de sua espuma. William J. Entrando no pórtico retirou o chapéu. Pauzinhos dos chineses comerem? Conmee: Martin Cunnigham o conhece: aparência distinta. Maldito seja. Salve milhões da China. e a Missão Africana. suponho. sobre São Peter Claver S. Orações pela conversão de Gladstone também havia quando ele estava quase inconsciente. Não como Ecce Homo. brilhando. extasiados. à verdadeira religião. Converta Dr. J. Me pergunto como eles explicam isso para os chinas pagãos.

Então a próxima.O cheiro frio da pedra sagrada o chamava. O padre passou por elas. e procurarem seus lugares. Lugar agradável e discreto para se estar ao lado de uma moça. O chapéu e a cabeça dela baixaram. Elas estavam . Em seguida a próxima: uma mulher velha e pequena. O padre se inclinou para a pôr em sua boca. afagando seu chapéu e jornal. A próxima. Esses potes nós temos que usar. Aproximou-se de um banco e se sentou na ponta. Seu chapéu baixou imediatamente. Parou em cada uma. Latim. Ele pisou nos degraus gastos. Um grupo ajoelhado perto das grades do altar. Elas não parecem mastigá-la: apenas engoli-la. Devíamos ter os chapéus modelados em nossas cabeças. uma a uma. segurando a coisa em suas mãos. murmurando. Asilo para os moribundos. O quê? Corpus: corpo. Feche seus olhos e abra sua boca. cabeças curvadas. Entorpece-as primeiro. tirou uma comunhão. Boa idéia o latim. Idéia estranha: comendo pedacinhos de um cadáver. sacudiu uma gota ou duas (elas estão na água?) e a pôs com precisão em sua boca. Sétimo céu. empurrou a porta de vaivém e entrou suavemente por trás. murmurando o tempo todo. Aquela mulher na missa de meia-noite. Mulheres ajoelhadas nos bancos com fitas carmesins em volta do pescoço. Ora os canibais concordam com isso. Ele ficou de lado observando suas máscaras cegas passarem pela nave lateral. Cadáver. Quem é meu próximo? Forçado pela hora a tornar lenta a música. Alguma coisa acontecendo: alguma irmandade. Pena tão vazia.

N. mostrando uma sola grande cinza de bota por baixo do negócio de renda que ele vestia. bem dentro. o mesmo que no teatro. Não tão solitários. com as cabeças ainda inclinadas em suas fitas carmesins. Ignorado hipocritamente sobrevivi: ou não: ignorado humildemente sofri. e se ajoelhar um instante diante dela.S. Eles sentem. Agora aposto que isso faz elas se sentirem felizes. Então se sentem todos como uma festa de família. Há uma grande idéia por trás disso. E o outro? Inocente nazareno rapaz infeliz. Sãos e salvos nos braços de venha a nós o reino. Então saem um pouco embriagados. Uma coisa assim como aquele mazzoth: é aquela espécie de pão: pão ázimo para proposição. Imagine se ele perdesse o alfinete de seu. é isso. Molly me disse certa vez em que eu lhe perguntei. Tenho certeza disso. Faz. Um ponto calvo atrás. Fé cega. esperando que ela derretesse em seus estômagos. Olhe para elas. esquecimento. e a aparição de Knock. Ele não ia saber o que fazer. Cura de Lourdes. todos na mesma situação. Em nossa confraria. Sim. Letras nas suas costas I. Soltam para fora a energia. . Pirulito. Embala toda dor. Charlatanismo um penny por pedaço. Acordem a esta hora no ano que vem. Ele viu o padre guardar a taça da comunhão.à volta dele aqui e ali.I? Não: I. Daí esses roncos. O negócio é se você realmente acredita nisso. Homem velho dormindo perto do confessionário.H. Primeiros comungantes. é chamado pão dos anjos. espécie de sentimento de reino de Deus está dentro você. estátuas sangrando.R.

Aquele homem que passou de cúmplice a testemunha de acusação contra os invencíveis ele costumava receber a. Denis Carey. Fraude piedosa mas bem certa: de outro modo eles teriam um velho beberrão pior do que qualquer outro que viesse. Ela podia estar aqui com uma fita em volta do pescoço e fazer a outra coisa ainda assim às escondidas. Torna mais aristocrático do que por exemplo se ele bebesse o que eles estão acostumados a cerveja Guinness ou alguma bebida amarga de festa dublinense de Wheatley ou jinjibirra de Cantrell e Cochrane (aromática). não. Não lhes dá nem um pouco dele: vinho de proposição: só o outro. há sempre alguma coisa matreira na aparência deles. Peter Claver eu estou pensando em. Peter Carey. E imagine só isso. será que eu rasguei aquele envelope? Sim: embaixo da ponte. Surgir com um véu e uma bolsa preta. Mulher e seis filhos em casa. a comunhão toda manhã. ora esse é um nome bom para eles. Esses carolas. ela não está aqui: a flor: não. Esta mesma igreja. Estranha toda a atmosfera de.Encontrar num domingo depois do rosário. Inteiramente certo. sim. Perfeitamente certo é isso. Por falar nisso. . Penumbra e a luz por trás dela. Não negue o meu pedido. Não. Ó. O padre estava enxaguando o cálice: em seguida ele bebeu de um trago o resto rapidamente. suplicando por uma bebida. O caráter deles. Eles também não são homens de negócio honestos. não. E tramando aquele assassinato o tempo todo. Grande consolo. o nome dele era Carey. Vinho.

salmodiando. Que tipo de voz é essa? Deve ser curioso ouvir depois seus próprios baixos profundos. Não vai haver nenhuma música. tendo eunucos em seu coro o que estava ficando um pouco excessivo. Algo daquela antiga música sagrada é esplêndido. Molly estava com uma voz ótima naquele dia. o Stabat Mater de Rossini. as pessoas olhando para cima: Quis est homo. Podia se ouvir um alfinete cair. Espécie de um plácido. Saudável também. No entanto. Era a música que eles queriam. o vibrato: cinqüenta libras por ano dizem que ele recebia em Gardiner Street. Eu podia sentir a vibração no ar. Green Chartreuse.O Sr. não é? Glutões. Suponhamos que eles não sintam nada depois. em arte e estátuas e quadros de toda sorte. o máximo. Aqueles papas antigos eram interessados em música. Primeiro o sermão do padre Bernard Vaughan. Benedictine. Eu tinha dito para ela entoar a voz na direção daquele ângulo. Pena. Palestrina por exemplo também. . horário regular. Quem toca o grande órgão aqui eu me pergunto? O velho Glynn sabia como fazer o instrumento falar. Eles engordam. O movimento dos pés tinha cessado. Nenhuma preocupação. Mercadante: as sete últimas palavras. A décima segunda missa de Mozart: Gloria nela. pernas longas. Cristo ou Pilatos? Cristo. Bloom olhou para trás em direção ao coro. mas não nos retenha a noite toda com isso. altos. Eles tiveram um passado alegre enquanto durou. em seguida a fermentação de licores. Connoisseurs.

Bloom lançou um olhar à sua volta e então se levantou. Há quanto tempo desde sua última missa? Virgem gloriosa e imaculada. Vergonha encantadora. naturalmente. incenso. Sussurrando as paredes da galeria têm ouvidos. velas derretendo. Ele viu o padre se inclinar e beijar o altar e então fazer meia-volta e abençoar todas as pessoas. A piadinha de Deus. Então o padre se ajoelhou e começou a ler num cartão: – Ó Deus. Eu me lembro ligeiramente.. Pedro e Paulo. Grande arma na mão deles. Marido descobre para sua surpresa. Então todos se ajoelharam novamente e ele se sentou tranqüilamente no banco. Todos se benzeram e se levantaram. Arrependimento superficial. Rezar no altar. nosso refúgio e nossa força. Então ela sai. Mais do que médico ou advogado. Ave Maria e Santa Maria. Penitência.Quem sabe? Eunuco. e ele e o coroinha responderam um ao outro em latim. . Esconder seus rubores. Atire o osso para eles. funciona como um relógio. olhando acima dos chapéus erguidos. segurando a coisa longe de si. Maravilhosa organização certamente. O padre desceu do altar. por favor. E eu chchchchch. Uma maneira de se sair bem. Mulher morrendo para. Levantar-se no evangelho. Puna-me. E você fez chachachachacha? E por que você fez? Olhe para o anel dela para encontrar uma desculpa. Todo mundo quer. seu esposo. José. O Sr. Exército da Salvação imitação ruidosa. Mais interessante se você entendesse do que se tratava. Bloom esticou o rosto para pegar as palavras. O Sr.. Inglês. Confissão. Flores. Então eu vou lhe dizer tudo.

. pelo poder de Deus lança Satanás no inferno e com ele aqueles outros espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para desgraça das almas. Ó príncipe da hoste celestial. Ele tinha sua resposta preparada para tudo. As mulheres permaneceram atrás: dando graças. O padre no banco das testemunhas naquele caso de testamento de Fermanagh. Cumpra seu dever pascoal. Os doutores da igreja: eles fizeram um levantamento de toda a teologia dela. Ele se levantou. O padre e o coroinha se levantaram e saíram. O padre rezou: – Abençoado Miguel. Nada de intimidá-lo. Venha com o prato de coleta talvez. É melhor ir abrindo caminho.Prostituta convertida vai conduzir o encontro. arcanjo. defenda-nos na hora da luta. Tudo terminado. Missas públicas a serem rezadas com as portas abertas para o descanso de minha alma. P. por enquanto com sua absoluta discrição. Mas nós. E eles não acumulam dinheiro também? Doações também: para o P. Nunca lhe dizem. humildemente rogamos!) e tu. Como eu encontrei o Senhor. Seja nossa salvaguarda contra a maldade e as armadilhas do demônio (possa Deus detê-lo. Alô. Estavam esses dois botões do meu colete abertos o tempo todo? As mulheres sentem prazer com isso. Liberdade e exaltação de nossa santa madre igreja. Irmão Bisbilhoteiro. Camaradas criteriosos devem ser aqueles em Roma: eles organizam todo o espetáculo. Monastérios e conventos.

não é culpa dele. há um (whh!) apenas um (whh!) argueiro. Ó.Desculpe. fundado no ano da inundação. Eu troquei um soberano eu me lembro. abertura da saia desenganchada. Por que você não me disse antes. Aparições momentâneas da lua. Noto porque também estou de luto. a última vez. Melhor mandar preparar aquela loção. ele pode verificar no livro de prescrições. Deve ter sido o primeiro dia do mês ou o segundo. Uma amolação o negócio desse enterro. O farmacêutico virou página após página. Ó. Sweny na praça Lincoln. Bondes: um carro da tinturaria Prescott: uma viúva em seu traje de luto. pobre rapaz. Tudo bem. Seus frascos verde e ouro são pesados demais para se mover. Visitar algum dia. Ele caminhou em direção ao sul ao longo de Westland Row. eu esqueci a chave de trinco também. Ou a saia delas atrás. Mas a receita está na outra calça. Ele passou. Ele se cobriu. Como anda o tempo? Passou de um quarto. Aborrecidas se você não. Onde é isso? Ah sim. Ele parecia exalar um cheiro areento e seco. Cérebro . senhorita. Farmacêuticos raramente se mudam. pela nave lateral e saiu através da porta principal para a claridade. Hamilton Long. Ficou um momento sem ver junto à bacia de mármore preta e fria enquanto à sua frente e atrás duas devotas mergulhavam mãos furtivas na quantidade reduzida de água benta. Quando é que eu mandei preparar pela última vez? Espere. Cemitério huguenote perto dali. Que bom que não foi mais ao sul. Tempo bastante ainda. abotoando discretamente. No entanto preferem você desarrumado.

Ele devia se medicar um pouco. Material aqui suficiente para nos cloroformizar. Os alquimistas. Te Virid. Aq. Argamassa e pilão. Ele esperou junto ao balcão. Venenos as únicas curas. Fol. Filtros de amor. Bloom. senhor? – Sim – disse o Sr. desinfetantes. Drogas envelhecem você depois de excitação mental. Isso certamente tornava sua pele tão delicada branca como cera. O tempo que se leva contando suas dores e sofrimentos. Uma vida toda numa noite. O primeiro sujeito que colheu uma erva para se curar teve um bocado de coragem. inalando lentamente o cheiro forte e desagradável das drogas. ungüentos. Dist. O cheiro quase nos cura como a campainha da porta do dentista. Clorofórmio. Teste: tornam vermelho o papel de tornassol azul. Laur. Busca da pedra filosofal. Bloom – e então água de flor de laranjeira. Doutor Charlatão.. Inteligente por parte da natureza. Eletuário ou emulsão. Elixir paregórico ruim para tosse. o cheiro seco e poeirento das esponjas e lufas. E velho. Remédio onde você menos espera..minguado. – E cera branca também – disse ele. Overdose de láudano. Bloqueia os poros ou a fleuma. – Óleo de amêndoa doce e tintura de benjoim – disse o Sr. Precisam ser cuidadosos. Altera gradualmente seu caráter. Por quê? Reação. . Todos os vasos-de-lírio dele de alabastro. – Cerca de quinze dias atrás. Os simplórios. Viver o dia inteiro entre ervas. Letargia então. Bebidas para dormir.

Um dos filhos da velha rainha. Olhando para mim. – Prepare-a. Enterro vai ser bastante taciturno. Cheiro gostoso têm esses sabonetes. Mais gostoso se uma bela moça o fizesse. Verrugas.Ressalta a cor escura de seus olhos. Nós temos três. – Isso faz três e um . duque da Albânia era isso? tinha apenas uma pele. Turco. enquanto eu fixava as abotoaduras em meus punhos. Massagem. Leopold. Mas você quer um perfume também. – Sim. sim. O Sr. Alimento da pele. Sujeira fica enroscada em seu umbigo. joanetes e espinhas para piorar. Doce cera limonada. Bloom ergueu um sabão até suas narinas. Fazê-lo no banho. Água para a água. Sim eu. Eu virei buscá-la mais tarde e vou levar um desses sabonetes. senhor. Essa água de flor de laranjeira é tão fresca. Combinar negócio com prazer. Desejo curioso eu. Essas receitas caseiras são freqüentemente as melhores: morangos para os dentes: urtiga e água da chuva: mingau de aveia dizem embebido em leitelho. Que perfume sua? Peau d’Espagne. Pena sem tempo para massagem. Bloom. Hamman. Hora de tomar um banho lá na esquina. Sentir-me fresco então o dia inteiro. espanhola. Puro sabonete de coalho. – Isso foi dois e nove. se cheirando. Quanto é que custam? – Quatro pence. por favor. – Eu levo este – disse ele. O senhor trouxe uma garrafa? – Não – disse o Sr. senhor – disse o farmacêutico. com o lençol puxado até os olhos. Também penso eu.

– Muito bem – disse o Sr. Tirar fora a sujeira desagradável. – Você pode ficar com ele – disse o Sr. Grande prêmio. Para parecer mais jovem. – Onde o patife se meteu? Ele fez as páginas dobradas farfalharem. Colarinho apertado ele vai perder o cabelo. Bloom. por Deus! Lábio superior longo e frio. você usou o sabonete Pear? Caspa nos seus ombros. – Sim. Ele tem de verdade um aspecto balsâmico. Bloom. sacudindo o queixo sobre o colarinho alto. Bloom. Os dedos amarelos de unhas escuras de Bantam Lyons desenrolaram o bastão. Ânsia de barbeiro. com o bastão de jornal debaixo da axila e o sabonete fresco e embrulhado na mão esquerda. senhor – disse o farmacêutico. Junto à sua axila a voz e a mão de Bantam Lyons disseram: – Alô. Espere – murmurou . – Ascot. Raspou o bigode de novo. Mais moço do que eu. Melhor deixar que ele fique com o jornal e me livrar dele. quando voltar.penny. Qual é a melhor notícia? Esse é de hoje? Mostre-me um minuto. Ele vagou para fora da loja. Precisa de um banho também. Couro cabeludo precisa levar um óleo. – Eu quero ver o que diz sobre aquele cavalo francês que corre hoje – disse Bantam Lyons. Bomdia. – O senhor pode pagar tudo junto.

Olhou para o cartaz de ferradura acima do portão do parque do colégio: ciclista dobrado como um bacalhau numa panela. os minaretes. Eles nunca voltam. Bloom. Partiu a toda velocidade em direção à esquina de Conway. O Sr. Uma fonte costumeira disso ultimamente. Seu jantar de Natal por três pence. telhas vermelhas. Ele caminhou alegremente para a mesquita dos banhos. Esportes de colégio hoje estou vendo. sorrindo. – O que é isso? – disse sua voz estridente. Tem um hotel agora. – Tome. Bantam Lyons hesitou um instante. – Eu disse que você pode ficar com ele – respondeu o Sr.Bantam Lyons. Jack Fleming deu desfalque para jogar em seguida partiu às escondidas para a América. Anúncio danado de ruim. – Eu o ia jogar fora naquele momento. Meninos mensageiros roubando para apostar seis pence. olhando de soslaio: em seguida empurrou as folhas estendidas de volta nos braços do Sr. Vida de luxo do Egito. Apostando. Agora se o tivessem . – Eu o ia jogar fora – disse o Sr. – Só um mi. Bloom. – Vou arriscá-lo – disse ele. Bloom. Bantam Lyons ergueu os olhos subitamente e olhou fracamente de soslaio. Rifa de um peru grande macio. obrigado. Lábios imbecis os daquele camarada. No máximo o segundo. Lembra uma mesquita. Vai com Deus seu tratante. Bloom dobrou as folhas novamente num quadrado caprichado e acomodou o sabonete dentro.

cabelo flutuante da corrente em volta do pai flácido de milhares. Este é o meu corpo. nu. esporte. Ondade-calor. Viu seu tronco e membros. Ali está Hornblower de pé no alojamento do porteiro. untado de um sabonete líquido perfumado. Sentam-se por aqui debaixo dos guarda-sóis. A feira de Donnybrook faz mais o estilo deles. Eles não podem jogar aqui. Fora. Ele anteviu seu corpo pálido totalmente reclinado nela. Seis escores nulos de um batedor. Mantenha-o à mão: com um aceno ele pode deixar você dar uma volta por ali. senhor? Um tempo realmente divino. o fluxo da vida. Se a vida fosse sempre assim. Está sempre passando. esmalte frio. Não vai durar. uma . Hornblower? Como vai.feito redondo como uma roda. Ainda assim capitão Culler quebrou uma janela no clube da Kildare Street com um golpe violento contra a posição defensiva. Desfrute um banho agora: uma tina de água limpa. Um serviço após o outro. Alguma coisa para atrair o olhar. E as cabeças que nós estávamos quebrando quando M’Carthy começou a dançar. Como vai. Sr. aquilo que traçamos no fluxo da vida nos é mais caro dooo que tudo o mais. o jorro tépido e suave. Depois os raios da roda: esporte. cobertos pela água ondulada e por ela sustentados. esporte: e o eixo grande: colégio. boiar ligeiramente: seu umbigo. num útero de calor. broto de carne: e viu os cachos escuros emaranhados de seu tufo flutuando. limão-amarelo. Tempo de críquete. suavemente banhado.

.lânguida flor flutuando.

meteu sua cabeça de cartola na carruagem rangente e. O Sr. O Sr. primeiro. Patinham nos chineloshlepe com medo que ele acorde. curvando sua estatura com cuidado. Dedalus se cobriu rapidamente e subiu. Contentes em nos ver partir nós lhes damos tanto trabalho ao chegar. Bloom. – Estamos todos aqui agora? – perguntou Martin Cunningham. Uma puxada para o lado: uma mulher idosa espreitando. entrando habilmente. A tarefa parece lhes convir. – Depois do senhor – disse o Sr. – Venha. Bloom entrou e se sentou no lugar vago. Agradecendo aos céus por ter ficado incólume. Secretamente nos cantos.6 Martin Cunningham. Então o aprontam. se sentou. Passou um braço através da correia e olhou gravemente da janela aberta da carruagem para as persianas abaixadas da avenida. Power entrou depois dele. – Venha. O Sr. Bloom. Extraordinário o interesse que têm em um cadáver. Nariz branco de tão achatado de encontro à vidraça. Puxou a porta atrás de si e bateu com ela duas vezes até que ficasse bem fechada. Simon. dizendo: – Sim. Vestem . sim.

Então ouviu-se o som de rodas vindo da frente. – Por que caminho ele está nos levando? – perguntou o Sr. Todos esperavam. Mais rapidamente. Arrumando as coroas provavelmente. Eles esperaram imóveis. Puxe mais para o seu lado. Guardam um pouco num envelope. olhando . Outras patas e rodas rangentes começaram a ser ouvidas atrás. Andando a passo. Nossa mortalha. Nunca sabemos quem vai tocar em nós quando mortos. Cunningham. O Sr. Lavam corpo e cabelo. virando: então mais próximas: em seguida patas de cavalos. Nada foi dito. As persianas da avenida passaram e o número nove com a argola coberta de crepe da porta entreaberta. Esperar por uma oportunidade. A carruagem deles começou a se mover. As rodas chocalhavam ao rolar por sobre a estrada de paralelepípedo e os vidros enlouquecidos vibravam chocalhando nos alizares das portas. Crescem mesmo assim depois. Dedalus acenou com a cabeça. – Irishtown – disse o Sr. rangendo e balançando. Estou sentado numa coisa dura. Melhor mudá-lo dali. – Ringsend. Ah. os joelhos sacudindo. Power através de ambas as janelas. Tritonville Road. Fleming fazendo a cama. Todos esperavam. até que viraram e seguiram ao longo dos trilhos dos bondes. Creio que aparam as unhas e o cabelo. Trabalho sujo. Um sacolejão. Molly e a Sra. aquele sabonete: no meu bolso detrás. Brunswick Street.o defunto.

deslizou ruidosamente com rodas trepidantes. – Lá com sua tia Sally. O Sr. . – Lá se foi um amigo seu. se desviando de volta para o trilho do bonde. Todos observaram por algum tempo através das janelas bonés e chapéus erguidos por passantes. Wallace Bros: o fabricante de garrafas: ponte Dodder. Bloom. dizendo: – Aquele cafajeste do Mulligan estava com ele? Seu fidus Achates! – Não – disse o Sr. Bloom sorriu tristemente em Ringsend Road. passando por bueiros abertos e montes de pedras da rua fendida diante das moradias. Dedalus. Dedalus – disse ele. – Quem é? – Seu filho e herdeiro. a facção Goulding. a filha sábia que conhece seu próprio pai. – Onde ele está? – disse o Sr. com um chapéu de aba larga. suponho – disse o Sr. – Estou feliz em ver que não desapareceu. – Ele estava sozinho. Bloom à espreita viu um rapaz esbelto.para fora. O Sr. o torrãozinho de esterco do papai. deu uma guinada na esquina e. Respeito. A carruagem. Dedalus –. – Esse é um ótimo costume antigo – disse. se estirando para a janela oposta. o contadorzinho bêbado e Crissie. vestido de luto. Na altura de Watery Lane a carruagem se desviou do trilho do bonde para tomar uma rua mais suave. Dedalus caiu para trás. O Sr.

– Ele está andando com uma turma sórdida – rosnou o Sr. eu receio. Eu vou comichar o traseiro dele. O filho de um caixeirinho qualquer. O Sr. Ele está certo. Power e para os olhos e barba de Martin Cunningham. Pensa que vai se curar com pílulas. Cerca de seiscentos por cento de lucro. Vendendo cadarço na loja de meu primo. Ele cessou. Todas migalhas de pão que elas são. com dois chapéus da senhoria pregados em sua cabeça. Homem voluntarioso barulhento. Peter Paul M’Swiney. sacudindo seriamente a cabeça.Richie Goulding e a sacola legal. acredite em mim. Collis e Ward ele denomina a firma. Suas piadas estão ficando um pouco chochas. Goulding. lançou um olhar de seu bigode raivoso para o rosto brando do Sr. Fora na baderna toda a noite. Empolgado com seu filho. – Esse Mulligan segundo todos dizem é um desgraçado desordeiro aferrado e pervertido. Uma grande figura ele era. Dedalus. Seu nome tem má fama em toda Dublin. Valsando em Stamer Street com Ignatius Gallaher num domingo de manhã. A mulher massageando suas costas. Alguma coisa . Ele gritou acima do estrépito das rodas: – Eu não vou permitir que o bastardo do sobrinho dela destrua meu filho. Mas com a ajuda de Deus e de Sua santa mãe eu vou me encarregar de escrever um desses dias uma carta à mãe dele ou à sua tia ou o que quer que ela seja que vai abrir seus olhos tão grandes quanto uma cancela. Bloom. Não vou mesmo. Está começando a denunciá-lo agora: aquela dor nas costas dele.

se não tivesse aquela sovinice a perturbá-lo. sim: uma mulher também. Aprender alemão também. Torná-lo independente. Jovem estudante. A mesma coisa atenuada.para transmitir. Se o pequeno Rudy tivesse vivido. vida. Power. Andando ao lado de Molly com uniforme de Eton. Sentimento estranho seria. Molly. Meu filho. – Poderia – disse o Sr. olhando para o relógio. Vida. E o sargento sorrindo para cima. Mullingar. – Corny podia ter nos fornecido um aparato mais cômodo – disse o Sr. Ó Júpiter saltador! Ó deuses e peixinhos! Assim mesmo. Eu poderia tê-lo ajudado a progredir na vida. Eu em seus olhos. Milly. estou morrendo de vontade. Power. Em breve será uma mulher. – Estamos atrasados? – perguntou o Sr. Como a vida começa. Apenas uma chance. Teve de recusar o concerto de Greystones. Ficou barriguda então. seus quatro troncos balançando. Meu filho dentro dela. Sim. De mim. Dedalus –. ela é uma menina amada. observando os dois cachorros fazendo aquilo junto ao muro do deixar de fazer o mal. Vocês me entendem? . Poldy. Queridíssimo papaizinho. A carruagem se inclinou pra frente e pra trás. Ela estava com aquele vestido creme com o rasgão que ela nunca coseu. Vamos transar. Suas imprecações de garoto levado. Poderia. Deve ter sido naquela manhã no Raymond Terrace ela estava na janela. Meu Deus. Ouvir sua voz dentro de casa. – Dez minutos – disse Martin Cunningham. Vê-lo crescer.

Martin Cunningham começou a varrer para longe migalhas de pão de debaixo de suas coxas. Martin? – Ocorreu-me também – disse Martin Cunningham. – No cemitério – disse Martin Cunningham. – Em nome de Deus – disse ele –. – E Corny Kelleher ele mesmo? – perguntou o Sr. – Ele está atrás com Ned Lambert e Hynes. o que é isso? Migalhas? – Alguém parece ter feito um piquenique aqui recentemente – disse o Sr.. O Sr. O que você acha. O Sr. Bloom abaixou sua coxa. Mas gostaria que a Sra. Power. O Sr. Todos levantaram suas coxas e olharam com desagrado para o couro mofado e sem botões dos assentos. olhou carrancudo para baixo e disse: – A menos que eu esteja terrivelmente enganado.. Power. – Tom Kernan apareceu? – perguntou Martin Cunningham. Fleming tivesse cerzido melhor estas meias. torcendo o nariz. Sinto meus pés bem limpos. . torcendo delicadamente a ponta de sua barba. – Sim – disse o Sr. Contente porque tomei aquele banho. Dedalus suspirou resignadamente.Fechou o olho esquerdo. Dedalus. Bloom. – Afinal de contas – disse ele – é a coisa mais natural do mundo.

A carruagem se deteve subitamente. Uma gota de chuva respingou em seu chapéu. Bloom pôs a cabeça para fora da janela. Power. epidemias de gripe. Chá de linhaça. Pobres crianças. – O tempo está mudando – disse tranqüilamente.– Eu encontrei M’Coy esta manhã – disse o Sr. Abrigo dos cachorros lá. Ele recuou e viu uma chuva momentânea espalhar pingos sobre as bandeiras cinzentas. Como através de um coador. Leopold. Gasômetro. Nós obedecemos a eles na sepultura. definhou. Não perca esta oportunidade. Ainda bem que Milly nunca teve. – Ele disse que tentaria vir. À distância. Ele ficou muito abalado. – Necessário para o campo – disse o Sr. Bloom. Seja feita a tua vontade. Angariando votos para a morte. Um rabisco agonizante. Dizem que cura coqueluche. Pobre velho Athos! Seja bom para o Athos. . Escarlatina. Eu achei que ia. Só sarampo. Comparada sofreu pouco de doenças. – Onde é que estamos? O Sr. Curioso. Minhas botas rangeram eu me lembro agora. – O que aconteceu? – Estamos parados. Uma lástima realmente. é o meu último desejo. Animal sossegado. Dobram o corpo ficam azuis com as convulsões. – Uma pena que não se manteve bom – disse Martin Cunningham. Os cachorros dos velhos geralmente são. – O grande canal – disse.

Simon. – Tom Kernan esteve ótimo ontem à noite – disse ele. Power rindo. Aquele livro que preciso trocar para ela. O Sr. Power animadamente. – Vigorosa – disse o Sr. espreitando o sol velado através de seus óculos.– Lá está o sol saindo novamente. Martin. – Partimos de novo. proferiu uma maldição muda contra o céu. O Sr. – Ele é um bamba nisso. – Espere até ouvi-lo. é a mais vigorosa interpretação que eu jamais ouvi em todo o curso de minha experiência. Dedalus. – Você leu o discurso de Dan Dawson? – perguntou Martin Cunningham. – Está tão incerto quanto o bumbum de uma criança – disse. A carruagem virou novamente suas rodas emperradas e os troncos deles balançaram docemente. – Ó. Dedalus. Bloom pegou o jornal de dentro do seu bolso. – Ótimo – disse Martin Cunningham pomposamente. Martin – disse o Sr. – Eu não li então – disse o Sr. – E Paddy Leonard o imitando nas suas barbas. – Onde está? – No jornal desta manhã. sobre o canto de Ben Dollard de O Jovem Patriota. . dê-nos uma amostra. – Seu canto daquela balada simples. Martin Cunningham torceu mais rapidamente a ponta de sua barba. E o arranjo retrospectivo.

Sexton. O outro trotando com um passageiro. Recinto de Meade. Graças à Pequena Flor. Dedalus rapidamente. A estação de fiacres. De cuja alma o doce Jesus tenha compaixão. Urbright. Só dois agora ali. Os cocheiros tiraram seus chapéus. passando uma vista pelas mortes: Callan. Naumann. Estava ali sim. – Mais tarde por favor. Querido Henry voou. Peake. Aos 88 anos depois de uma doença longa e cansativa. Fawcett. não – disse o Sr. De barriga cheia como um carrapato. Bloom desceu pelo jornal. Onde é que eu pus a carta dela depois de lê-la no banho? Bateu de leve no bolso do colete. Coleman. Escola nacional. Será que não podiam inventar uma coisa automática de modo que a própria roda muito . Bloom. À inexpressável dor dos seus. Há uma hora eu passei ali. As costas de um agulheiro se impertigaram subitamente de encontro a um pilar da ferrovia perto da janela do Sr. Eu rasguei o envelope? Sim. Antes que minha paciência fiquem exausta. Faz um mês que o caro Henry voou Para sua casa lá em cima no céu Enquanto sua família lamenta sua perda Esperando encontrá-lo um dia no céu. Ossos demais em seus crânios.– Não. que Peake é esse? será o camarada que estava no Crosbie e Alleyne? não. Letras feitas de tinta sumindo rapidamente no jornal rasgado que se partia. Perda muito triste. O olhar do Sr. Sacudindo a cabeça. Dignam. Lowry. Lembrança de mês: Quinlan.

Terei de lhe pagar um ou dois drinques. Mudança grande e poderosa. Um quarto de luto. e ladearam o teatro Queen: em silêncio. Nada acontecendo lá. eu me pergunto. Power. Será que eu poderia ir ver Leah hoje à noite. Parente por afinidade talvez. – Vê. – Blazes Boylan – disse o Sr. As canções dela. Dá no mesmo. Cartazes resplandecentes com tinta fresca para a próxima semana. Quem era ele? – Como vai? – disse Martin Cunningham. erguendo a palma da mão até a testa em sinal de saudação. Ou Lily de Killarney ? Companhia de Ópera Elster Grimes. – Lá está ele arejando seu topete. . Um desgosto não muito grande ali. Martin Cunningham podia me arranjar um bilhete para o Gaiety.mais prático? Bem mas então aquele camarada ia perder o seu emprego? Ora mas então um outro camarada conseguiria um emprego fabricando a nova invenção? Salas de concerto Antient. Diversão em Cartaz. – Ele não nos vê – disse o Sr. Eles passaram por Saint Mark com seu púlpito frio. sim. por debaixo da ponte da ferrovia. Sra. Bandman Palmer. Como vai? – Quem? – perguntou o Sr. Eu disse eu. Um homem num terno de camurça bege com uma braçadeira de crepe. Ele vem à tarde. Dedalus. Power. Cartazes: Eugene Stratton. Plasto. Na fonte o busto em memória de sir Philip Crampton.

. Isso o mantém vivo. Minhas unhas. Ombros. sim. lançou um olhar vago sobre os rostos dos outros. Instinto. E depois: pensando sozinho. muito bem – disse o Sr. O que causa isso? Suponho que a pele não pode se contrair bastante rapidamente quando a carne míngua. Power perguntou: – Como é que vai o tour de concertos. Mas um tipo como esse. Eu só estou olhando para elas: bem aparadas. Eu notaria isso: por me lembrar. O Sr. Bloom. Elas às vezes sentem o que uma pessoa é. A forma ainda está ali. Bloom inspecionou as unhas de sua mão esquerda. em seguida as de sua mão direita. Mas a forma está ali. Corpo ficando um pouco flácido. Noite da dança se vestindo.. Quadris. – Tenho tido excelentes informações sobre ele. Da porta do Red Bank o disco branco de um chapéu de palha lançou uma resposta: figura elegante: passou. – Na realidade tenho de ir ao condado Clare a negócios particulares. Camisa presa entre as faces de detrás.Justo naquele momento eu estava pensando. Roliça. É uma boa idéia. satisfeito. – Você vai também? – Bem não – disse o Sr. Pior homem em Dublin.. sabe. O Sr. Bloom? – Ó. As unhas. Dedalus se inclinou para o lado oposto para saudar. Ele apertou as mãos entre seus joelhos e. Há alguma coisa a mais nele que elas ela vê? Fascinação. Bloom. O Sr.

Eu me pergunto por que ele foi excluído do foro judicial. Tweedy. Power. – Certamente – disse Martin Cunningham. – Quatro cordões de bota por um penny. A carruagem passando pela estátua de Farrell unia silenciosamente os joelhos passivos deles. O’Callaghan nas últimas. Vocês têm bons artistas? – Louis Werner é quem está como empresário dela – disse o Sr. pobre infeliz! Chutado à volta como uma pitada de rapé em um velório. Tinha seu escritório em Hume Street. Deve ser aniversário de sua morte. Relíquia do antigo decoro. nós teremos todos artistas de primeira. Tem aquela cartola desde então. Fleming . O que se perder numa pode ser recuperado na outra. sua boca se abrindo: oota. – A última mas nem por isso a menos importante. O Sr. E madame. Bloom abriu as mãos em um gesto de discreta polidez e as apertou novamente. De pé. Doyle e John MacCormack espero e. De luto também. A mesma casa do xará de Molly. – Ó. C. Oota: um homem idoso mal trajado apregoava do meio-fio suas mercadorias.Você sabe a idéia é fazer o tour das principais cidades. A Sra. – E madame – disse sorrindo o Sr. o que há de melhor. J. De fato. Para que esta data se repita muitas vezes. Alguém pôs um ramalhete de flores ali. Mulher. procurador da coroa por Waterford. Smith O’Brien. Onze e vinte. Terrível queda. Bloom. sim. – Mary Anderson está por lá agora.

Eu sorri de volta. Grisalho sobre as orelhas. Homem simpático. Olhando para as pontas de seus cabelos para ver se estão partidos. Um tordo. Vorrei e non . Ou em Moira. Apenas cortesia talvez. não é? Eles passaram sob a estátua do Libertador com sua enorme capa. cantarolando. Poder-se-ia imaginar que eles ficariam exaustos muito rápido. Dedalus lançou um olhar para a figura que andava pesadamente e disse suavemente: – Que o diabo arranque as suas tripas! . Um sorriso vai longe. uma figura alta de barba preta. Não. – Em toda a sua beleza primitiva – disse o Sr. Voglio e non vorrei. O Sr.está lá para a limpeza. Seus olhos percorreram levemente o rosto bemapessoado do Sr. No entanto dizem. O que é que ela era? Garçonete no Jury. lhes mostrava uma mão curvada aberta sobre as costas. Quem sabe se é verdade acerca da mulher que ele mantém? Nada agradável para a própria mulher. Mi trema un poco il. mancando apoiada em uma bengala. Uma toutinegra. Power. Madame: sorrindo. Power. Sim. quem foi mesmo que me disse. foi Crofton que o encontrou uma noite levando um quilo de rabada para ela. Que beleza a sua voz naquele tre: tom choroso. que não há nada carnal. Na esquina da casa Elvery’s Elephant. Penteando seu cabelo. – Da tribo de Reuben – disse ele. Existe uma palavra tordo que expressa isso. Martin Cunningham cutucou o Sr. Power.

Bloom começou a falar com súbita animação olhando nas caras dos companheiros. O Sr. – Nós todos passamos por isso – disse claramente Martin Cunningham. Bloom – e ele determinou enviar o filho a salvo para a ilha de Man mas quando os dois estavam... Bloom. Dedalus. Ele acariciou a barba dizendo: – Bem. – Eles estavam os dois a caminho do barco e ele tentou se afogar. – Sobre o barqueiro? – perguntou o Sr. o próprio filho. – É aquele miserável comprovado imberbe? – É sim – disse o Sr. Power. – O quê? – perguntou o Sr. e o filho. Bloom. Power protegeu o rosto da claridade da janela quando a carruagem passou pela estátua de Gray. Bloom –.. – Que se afogue Barrabás! – gritou o Sr. Seus olhos encontraram com os olhos do Sr. – Havia uma moça no caso – começou o Sr. – Há uma ótima que anda circulando a respeito de Reuben J. o Sr.. Dedalus. – Eu não ouvi nada. – É sim. – Por Cristo como eu gostaria que tivesse! O Sr.. não é ótima? – O que é isso? – perguntou o Sr. Martin Cunningham impediu asperamente a sua fala: . Power soltou uma risada longa pelas narinas sombreadas. quase todos nós. – Não – disse o Sr.. Dedalus.Desabando de rir.

– Pelo amor de Deus! – exclamou o Sr. Dedalus suspirou. Um suspiro abafado veio de debaixo da mão do Sr.. – Ó. Bloom vivamente. – Mas a parte divertida é. – Ele não! Um barqueiro pegou uma vara e o pescou pelas calças largas e ele foi descarregado no cais para o pai mais morto do que vivo. . Dedalus assustado.. – disse Martin Cunningham – deu um florim ao barqueiro por ter salvo a vida do filho. ele fez isso – confirmou Martin Cunningham. – Ele está morto? – Morto! – gritou Martin Cunningham. Power estourou tranqüilamente na carruagem. – Essa não é ótima? – disse o Sr. Um florim de prata. e o filho estavam se mandando pelo cais ao lado do rio a caminho do barco para a ilha de Man e o jovem trapaceiro subitamente se soltou e pulou da amurada dentro do Liffey. – Oito ameixas por um penny! Oito por um penny! – É melhor termos um ar um pouco sério – disse Martin Cunningham. – E Reuben J. Bloom. Coluna de Nelson. – Como um herói. Dedalus secamente. Power. O riso sufocado do Sr. O Sr. – Um pouco demais até – disse o Sr. – Sim – disse o Sr. Metade da cidade estava lá.– Reuben J.

O Sr. corretores de terras.– Ah certamente então – disse – o pobre pequeno Paddy não iria nos regatear uma risada. Seus olhos escancarados o olharam. Como morrer dormindo. Rosto inflamado: vermelhovivo. – Coração. Power. – Um momento só e está tudo terminado. Ninguém falou. – Que Deus me perdoe! – disse o Sr. hotel de temperança. – Colapso – disse Martin Cunningham. Bloom. Lado morto da rua este. guia de . – Ele foi muito subitamente. – Nenhum sofrimento – disse ele. pobre homem – disse. Bateu no peito tristemente. Negócio monótono de dia. – Ele teve uma morte súbita. enxugando os olhos molhados com os dedos. – A melhor morte – disse o Sr. Beber como o diabo até que ele fique cinza-amarelado. Ele gastou um bocado de dinheiro o colorindo. Ele nos abandonou. John Barleycorn demais. Muitas e boas ele próprio contou. – O tipo do homenzinho decente – disse o Sr. Cura para um nariz vermelho. Dedalus. Power lançou um olhar de pesarosa apreensão para as casas que passavam. – Pobre Paddy! Eu mal podia imaginar há uma semana quando o vi pela última vez e ele estava com sua saúde habitual que eu estaria acompanhando seu corpo desse jeito.

Erro da natureza. À noite também. Somente um indigente. faculdade de administração pública. Ninguém é dono. Um penny por semana por uma gleba de gramado. Não significava nada. Se não do homem. Castanho para uma freira. Um caixão pequenino irrompeu. Não-casada. A Friendly Society paga o enterro. num caixão raiado de branco. Se é saudável herdou da mãe. Dedalus. Por quê? Alguma razão. instituição para cegos trabalhadores. – No meio da vida – disse Martin Cunningham. Sol ou vento. Nosso. Cavalos brancos com plumas brancas na testa vinham da esquina de Rotunda. Bebê. Pedra fundamental para Parnell. galopando. – Mas o pior de tudo – disse o Sr. – Triste – disse Martin Cunningham. cor de malva e com rugas como era o do pequeno Rudy. Pequeno. Coração. Power – é o .estrada de ferro de Falconer. A carruagem subiu mais lentamente a colina da praça Rutland. Pretos para os casados. Com pressa de enterrar. círculo católico de Gill. Rapazes pobres e empregadas. Mais sorte da próxima vez. Colapso. Sobre os seixos. – Está bem fora disso. Chocalham seus ossos. Mendigo. Sob o patrocínio do falecido padre Mathew. – Pobre coisa pequenina – disse o Sr. Malhados de preto e branco para os solteiros. Rosto de um anão. – Uma criança. Corpo de anão. fraco como betume. Um coche de luto.

tossiu e o pôs de volta. Inteligente. Recusam enterro cristão. Martin Cunningham tirou o relógio vivamente. Costumavam atravessar com uma estaca de madeira seu coração na sepultura. Dedalus. O Sr. Olhando para longe agora. Eles não têm compaixão disso aqui ou de infanticídio. – A maior desgraça a se ter numa família – acrescentou o Sr. Dar um duro. Power. Como o rosto de Shakespeare. – Precisamos ter uma visão caridosa sobre isso. Consumir o coração de uma pedra.homem que tira sua própria vida. ela devia estar uma figura naquela noite que Dedalus me disse ter estado lá. Ele olhou para mim. cerrou os lábios novamente. Encontrado no leito do rio agarrando juncos. Como se ele já não estivesse partido. – Dizem que quem faz isso é um covarde – disse o Sr. – Não nos cabe julgar – disse Martin Cunningham. naturalmente – disse decididamente Martin Cunningham. Bêbada pela . E aquela mulher dele horrível bêbada. Bloom. Fazendo ele levar a vida de um amaldiçoado. Sempre uma palavra boa para dizer. Olhos grandes os de Martin Cunningham. Homem humano e compreensivo ele é. prestes a falar. Começar de novo. Segunda-feira de manhã. aquilo. Meu Deus. Montando casa para ela sem parar e ela então penhorando a mobília quase todo sábado. No entanto às vezes eles se arrependem tarde demais. – Insanidade temporária.

creio – disse Martin Cunningham. O quarto do hotel com quadros de caçada. Para meu filho Leopold. Chocalham seus ossos. da Ásia. – Estamos indo a passo. Sobre os seixos. A carta. A garrafa com rótulo vermelho sobre a mesa. As orelhas ensolaradas do médico-legista. Dedalus. Pensei primeiro que estava dormindo. Não sofrer mais. – É mesmo. A luz do sol através das tábuas da veneziana. palavra. Power. O camareiro do hotel dando testemunho. Veredicto: overdose. Quando eles dobraram em Berkeley Street um . Não acordar mais. Aquela tarde do inquérito judicial. Ele sabe. Tinha escorregado para o pé da cama. Estava sufocante. – Haverá uma grande corrida de automóvel amanhã na Alemanha. Ninguém é dono.casa e pulando com o guarda-chuva de Martin. A carruagem chocalhou rapidamente pela Blessington Street. A Gordon Bennett. Morte acidental. Ele afastou os olhos de mim. – Deus queira que ele não capote conosco na estrada – disse o Sr. E eles me chamam de jóia da Ásia. – Essa vai valer a pena ver. grandes e peludas. Vi então como que riscas amarelas em seu rosto. por Deus – disse o Sr. – Espero que não – disse Martin Cunningham. A gueixa.

naturalmente. Marcha fúnebre de Saul. – Hoooh! Fora daí! Quinta-feira. espanando lentamente com suas caudas as garupas ossudas e grumosas. Necrotério ao alcance embaixo. A carruagem galopou em torno da esquina: parou.órgão de rua perto de Basin enviava para eles dos salões uma canção lépida e jovial. – O que é que aconteceu agora? Uma manada dividida de gado marcado a fogo passou pelas janelas. Uma ala para os incuráveis lá. Muito encorajador. Amanhã é dia de matança. Ele me deixou por minha continha. andando encurvados sobre suas patas almofadadas. Minha casa ali. Simpático estudante aquele que tratou da picada que a abelha me deu. Ele foi transferido para uma maternidade me disseram. Um lugar grande. Sua xícara de alimentação e ela esfregando sua boca com a colher. Alguém aqui viu Kelly? Ka e dois éles ipsilone. Fora deles e no meio deles seguiam carneiros sarapintados balindo assustados. Eccles Street. – Emigrantes – disse o Sr. Cuffe as vendeu por cerca de . Power. Riordan morreu. Onde a velha Sra. Pirouette! O Mater Misericordiae. De um extremo ao outro. Our Lady’s Hospice para os doentes terminais. mugindo. Elas têm uma aparência horrível as mulheres. As prenhas. – Hoooh! – gritou a voz do tropeiro. Então o biombo em volta de sua cama para ela morrer. com seu chicote soando em seus flancos. Ele é tão ruim quanto o velho Antonio.

– Uma pobre perspectiva para Corny – acrescentou o Sr. Eles deviam. – Todos esses animais podiam ser transportados em caminhões até os barcos. pêlo. Vem a ser um grande negócio por ano. – Vagão-leito e sala de estar e de jantar. se voltando para o Sr. Rosbife para a velha Inglaterra. Bloom. chifres. couro. – Inteiramente certo. Dedalus. e uma outra coisa em que tenho freqüentemente pensado. – Não posso entender por que a corporação não organiza uma linha de bondes do portão do parque até o cais – disse o Sr. Dedalus. Para Liverpool provavelmente. Me pergunto se essa artimanha de retirar carne de qualidade inferior do trem de Clonsilla funciona hoje em dia. Percebem o que eu quero dizer? – Ó. E então a quinta parte se perde: toda aquela matéria bruta. sabão. margarina. Subprodutos dos matadouros para curtumes. é haver bondes funerários municipais como eles têm em Milão. carro fúnebre e carruagem e tudo o mais. essa seria uma danada de uma história – disse o Sr. Bloom. – É sim – disse o Sr. sabe. – Não seria mais decente . Organizar uma linha para os portões do cemitério e ter bondes especiais. Comércio de carne morta. Power. – Em vez de obstruir a via pública – disse Martin Cunningham. Bloom –. – Por quê? – perguntou o Sr. A carruagem se movimentou através da manada. Eles compram todas as suculentas.vinte e sete libras cada.

Espero que nós paremos aqui na volta para beber à saúde dele. Um caixão saltou para a estrada.do que galopar os dois lado a lado? – Bem. Além do mais. Perguntando o que foi isso agora. abanando a cabeça. Boca escancarada. Com cera. Dedalus. Passar à volta a consolação. Será que ele sangraria se um prego no . Muito melhor tapar todos os orifícios. Power –. Rosto vermelho: cinza agora. Fica horrível aberta. Bumba! Derrubado. há alguma idéia nisso aí – concedeu o Sr. Sim. Elixir da vida. Inteiramente certo fechá-la. e o cadáver caiu na rua. Uma pausa à beira da estrada. afogando seu pesar. Coches fúnebres parados. O esfíncter solto. Abriu-se com violência. Power enquanto a carruagem dobrava à direita. – Aquilo foi terrível – disse o rosto chocado do Sr. Mas suponhamos agora que tivesse realmente acontecido. – Taça Gordon Bennett. Paddy Dignam projetado para fora e rolando rígido na poeira em um terno marrom grande demais para ele. Dedalus. A esquina de Dunphy. Terrível! – O primeiro na esquina de Dunphy – disse o Sr. Ótima situação para um bar. – Louvado seja Deus! – disse Martin Cunningham piedosamente. Lacrar tudo. as entranhas se decompõem rapidamente. – E – disse Martin Cunningham – não teríamos cenas como essa em que o carro fúnebre emborcou na esquina de Dunphy e derrubou o caixão na rua. também. – Dunphy – anunciou o Sr.

Mullingar. Wren tinha um no outro dia no leilão mas de uma senhora. Também carros fúnebres. garrafas sufocadas de lama. vindo do cemitério: parece aliviado.choque o cortasse? Sangraria e não sangraria. Clonsilla. entre montes de turfa. Descendo eclusa após eclusa até Dublin. segurança. Na lenta via navegável cheia de ervas daninhas ele flutuara na sua balsa em direção ao litoral da Irlanda arrastado pela corda de um reboque passando por leitos de junco. No caminho da margem junto à eclusa um cavalo preso por uma corda frouxa. Seria melhor enterrá-los de vermelho: vermelho escuro. A bordo do Bugabu. Eles seguiram em silêncio ao longo de Phibsborough Road. A circulação cessa. O passatempo favorito de James M’Cann é me levar remando acima da estação de barcas. eu bem que podia fazer uma caminhada para ver Milly pelo canal. creio. Depende onde. Desenvolvendo vias navegáveis. Água jorrou com estrondo através das comportas. Ou ir de bicicleta. Para o céu de barco. Athlone. Por etapas fáceis. Com a turfa dos pântanos do interior. A ponte Crossguns: o canal real. Um carro fúnebre vazio trotou. . Alugar um cavalo velho. Saudar. Moyvalley. Os olhos deles o observavam. Trajeto mais barato. Ainda assim algum sangue poderia se esvair de uma artéria. carnes putrefatas de cães. Um homem se encontrava em sua barcaça que afundava. por cima de lodo. Talvez eu vá sem escrever. Leixlip. Casas flutuantes. Acampar fora. Chegar de surpresa.

Bem perto agora. Uma multidão de sombras silenciosas apareceram na banda de terra. Fragmentos de sombras. Seguiram-se então jardins sombrios: um a um: casas sombrias. Dedalus. escultor e construtor monumental. saudando Paddy Dignam. talhadas. A carruagem rumou à esquerda para Finglas Road. ajoelhadas sob a dor. – Deixou-o chorando. Depois da jornada da vida. No meio-fio diante de Jimmy Geary. Última volta. – Melhor perguntar a Tom Kernan – disse o Sr. . esvaziando a sujeira e as pedras de sua enorme bota escancarada coberta de poeira marrom. estava sentado um velho mendigo. Power. Thos. apontando com o dedo. – Eu me pergunto que fim levou nosso amigo Fogarty – disse o Sr. perto do coração – disse o Sr. Passaram. estendendo suas mãos serenas. pesarosas. Num silêncio branco: apelando. Eles passaram pela casa de Brian Boroimhe. O melhor possível de se conseguir. resmungando. o coveiro.Ele ergueu seu chapéu de palha marrom. H. brancas. O pátio da marmoraria à direita. Dedalus. Dennany. – Como é? – disse Martin Cunningham. suponho? – Embora longe dos olhos.

É preciso ter cuidado com as mulheres. jardim maltratado. – Foi aí que Childs foi assassinado – disse ele. Ultraje recente. – Essa é a máxima da lei. O lugar todo entregue às moscas. Passou obscuramente. Seymour Bushe o livrou. – É isso aí – disse o Sr. Apertados nesta carruagem. Quinze anos. Como ela foi morta. – Um caso revoltante. Eles olharam. – A última casa. Dedalus. É melhor que noventa e nove culpados escapem do que uma pessoa inocente seja erradamente condenada. Ou é o que dizem. Choupos escuros. Assassinou seu irmão. As grades elevadas do Prospect ondularam sob seus olhares. Formas mais freqüentes. Assassinato. Assassinato virá à luz. Erradamente condenado. A imagem do assassino nos olhos do assassinado. Power. Eles gostam de ler sobre o assunto. A roupa dela consistia em. Terreno de assassino. Persianas fechadas. Assassino ainda está solto. O corpo para ser exumado. Ela poderia não gostar que eu chegasse desse jeito sem que ela soubesse. Power apontou.O Sr. formas e fragmentos brancos se . raras formas brancas. formas brancas se apinhavam entre as árvores. inabitada. Cabeça de homem encontrada num jardim. Pistas. Pegá-las uma vez com as calças arriadas. – A coroa não tinha provas – disse o Sr. Não nos perdoarão nunca depois. A arma usada. Um cordão de sapato. – Apenas circunstanciais – acrescentou Martin Cunningham.

Carregadores do féretro. O aro da roda se tornou estridente de encontro ao meio-fio: parou. abriu a porta. Chegou aqui antes de nós. empurrando com o joelho. Bolos recheados são esses. O Sr. missa de réquiem. O carroceiro marchando à sua frente saudou. Do outro lado da carruagem detrás um vendedor ambulante estava de pé junto de sua barraca de bolos e frutas. arrastando através do silêncio funéreo uma carroça rangente na qual havia um bloco de granito. Corny Kelleher ficou ao lado do carro fúnebre aberto e retirou as duas coroas. colocados juntos: bolos para os mortos. rédeas douradas. O Sr. Martin Cunningham pôs o braço para fora. sustentando no ar a inutilidade de seus gestos. Quem os comia? Carpideiras saindo. Entregou uma para o menino. Enterro reles: coche e três carruagens. Dá tudo no mesmo. Biscoitos para cachorro. repondo o jornal que sua outra mão ainda segurava. Ele saltou fora da carruagem. Ele seguiu seus companheiros. Onde foi parar o enterro daquela criança? Uma parelha de cavalos passou vinda de Finglas com passadas penosas e difíceis. Dedalus o seguiram. Power e o Sr. A mão do Sr. . Desceu. Mude o sabonete de lugar agora. Pompa da morte. Bloom desabotoou o bolsinho rapidamente e transferiu o sabonete grudado no papel para o bolso interior do lenço. Hynes andando atrás deles. disparar uma torrente de palavras. puxando a maçaneta com força para trás e.movendo mudos. O caixão agora. Kernan e Ned Lambert seguiram.

apesar de estar morto. mulher dura numa barganha. Cavalo olhando à volta para ele com sua pluma enviesada. Enterros em todo o mundo em toda parte a todo minuto. Martin Cunningham segredou: – Eu estava numa agonia mortal com você falando de suicídio na frente do Bloom. Olhar apagado: colarinho apertado no pescoço. Harpia de queixada magra. Carpideiras saíram através dos portões: uma mulher e uma menina. Tanto peso morto. Power. Rosto da menina manchado de sujeira e lágrimas. – O quê? – sussurrou o Sr. sua touca torta. Enterrando-os aos montes muito depressa. o cunhado. Primeiro o defunto: em seguida os amigos do defunto. Muitos demais no mundo. Corny Kelleher e o menino seguiram com suas coroas. Todos caminharam atrás. – Como assim? – O pai dele tomou veneno – segredou Martin . Eu me senti mais pesado saindo daquele banho. Os acompanhantes pagos do enterro puseram nos ombros o caixão e o carregaram através do portão. Será que eles sabem o que eles transportam todo dia aqui em suas carroças? Devem ser uns vinte ou trinta enterros todo dia. olhando para ela à espera de um sinal para chorar. segurando o braço da mulher. Cara de peixe. pressionando uma veia ou coisa no gênero. Milhares a toda hora. exangue e lívida. Então Mount Jerome para os protestantes. Quem é aquele ali ao lado deles? Ah.

– Ó meu Deus! – sussurrou o Sr. Ele? Não. Bloom brandamente. Ned Lambert diz que ele vai tentar fazer uma das meninas entrar em Todd’s. Um tem que sobreviver ao outro. Bloom. Dizem os homens sábios. Falando. Kernan. Ela sobrevivera a ele. – Creio que sim – respondeu o Sr. – Tinha o hotel Queen em Ennis. Kernan. Ela se casaria com outro. – Cinco filhos pequenos. Há mais mulheres do que homens no mundo. Se envenenou? Olhou para trás para onde um rosto com olhos escuros pensativos seguia em direção ao mausoléu do cardeal. Bloom. – A primeira vez que ouço falar nisso. – Mas a apólice tinha uma hipoteca elevada. Agora o feitiço se virou contra o feiticeiro. Espero que o acompanhe em breve. Arrastada sobre . Aniversário. Viuvez não é mais aquela coisa desde que a velha rainha morreu. Você ouviu ele dizer que estava indo para Clare. Para as mulheres hindus apenas. – Um caso triste – disse o Sr. – Ele tinha seguro? – perguntou o Sr.Cunningham. Power. – Quantos filhos ele deixou? – Cinco. Ele baixou os olhos para as botas que tinha engraxado e lustrado. Perdeu seu marido. Contudo quem sabe afinal de contas. – É mesmo – concordou o Sr. Martin está tentando fazer o menino ingressar em Artane. – Um grande golpe para a pobre mulher – acrescentou o Sr. Sua perda terrível. Dê pêsames a ela. Mais morto para ela do que para mim.

– Não podia estar melhor. Dedalus com moderada surpresa. – Há séculos que não o vejo. Ele nunca vem. Mas no final ela pôs algumas violetas em sua touca. – Dick Tivy careca? – Martin está fazendo uma coleta para os meninos – disse Ned Lambert. o homem sensato? – Nada entre ele e o céu – respondeu Ned Lambert. Como vão todos em nossa cidade de Cork? – Eu estive lá para a corrida do parque de Cork na segunda-feira de Páscoa – disse Ned Lambert. – E como está Dick. Cerimônia de aniversário de morte em Frogmore. sim – disse o Sr. – Aquele ali em frente é o menino mais velho? – É sim – disse Ned Lambert –.uma carreta de canhão. Fiquei na casa de Dick Tivy. Vitória e Alberto. – Como vai você. apertando suas mãos. Dedalus com certa dúvida. Só para mantê-los em forma até que o seguro esteja esclarecido. – Os mesmos velhos seis e oito pence de sempre. Alguma coisa nova para lhe dar esperança não como o passado que ela queria de volta. apontando para a frente. Seu filho era a substância. Tudo por uma sombra. – Alguns shillings por cabeça. aguardando. – Sim. com o irmão da . – Por São Paulo! – disse o Sr. Um tem que ir antes: sozinho. debaixo da terra: e não se deitar mais na cama quente dela. Consorte nem sequer um rei. Simon? – disse Ned Lambert suavemente. Vaidosa no fundo do coração.

Sempre diante de nós. Eles se detiveram perto da porta da capela mortuária. piscando na luz encoberta. Corny Kelleher. – Bebida. Dedalus com um suspiro. com quatro longas velas amarelas nos seus cantos. – Eu garanto que ele fez isso – disse o Sr. Será que ele iria entender? Os acompanhantes pagos carregaram o caixão para dentro da capela. John Henry Menton está atrás. quando todos se . fez sinal para o menino se ajoelhar. O caixão jazia no seu esquife diante do santuário. – Como ele o perdeu? – perguntou Ned Lambert. Pobre menino! Será que ele estava lá quando o pai? Ambos inconscientes. Os acompanhantes do enterro se ajoelharam aqui e ali em genuflexórios. Bloom ficou em pé atrás perto da pia de água benta e. Bloom ficou atrás do menino com a coroa de flores olhando para seu cabelo lustroso e para o pescoço magro vincado dentro de seu colarinho novo em folha. Tudo que podia ter feito. Em que extremidade está sua cabeça? Depois de um momento ele entrou acompanhando os outros. Voltar a si no último momento e reconhecer pela última vez. John Henry está longe de ser o pior homem do mundo. como? – Falha de muito homem bom – disse o Sr. O Sr. Ele se inscreveu com uma libra. O Sr. colocando uma coroa em cada canto fronteiro. – Muitas vezes eu disse ao pobre Paddy que ele devia dar atenção ao seu emprego. Eu devo três shillings a O’Grady. Dedalus.mãe.

deixou cuidadosamente cair o jornal desdobrado de seu bolso e ajoelhou nele seu joelho direito. Papel de carta tarjado de preto. Padre Coffey. Eu sabia que o nome dele era como um esquife. Dominenamine. O padre de bata branca veio atrás dele. Maldito seja aquele que olhe atravessado para ele: padre. Precisa se alimentar bem. Missa de réquiem. ajeitando sua estola com uma das mãos.ajoelharam. balançando com a outra um livrinho de encontro ao seu ventre de sapo. Quem vai ler o livro? Eu. Pranteadores fúnebres. Domine. Eles se detiveram junto ao esquife e o padre começou a ler em voz alta em seu livro com um grasnido fluente. Expressões as mais divertidas esse homem descobre. Hhhn: estourar pros lados. Um sacristão trazendo uma caçamba de bronze com alguma coisa dentro saiu através de uma porta. Assentou seu chapéu preto suavemente no joelho esquerdo e. Ele tem a aparência de um focinho grande e compacto demais. Seu nome na lista do altar. Com uma barriga como a de um cachorrinho envenenado. – Non intres in judicium cum servo tuo. Cristão musculoso. Tu és Pedro. Lugar friozinho este. Controla o espetáculo. sentado ali toda a manhã na penumbra tendo que esperar de pé pelo próximo por . se inclinou piedosamente. disse a gralha. Faz eles se sentirem mais importantes ao serem encomendados em latim. Dedalus diz que ele vai estourar pros lados como um carneiro na engorda. o segurando pela aba.

Então voltou e a pôs de volta na caçamba. Sacudindo o sono para fora. O que o incha desse jeito? Molly fica inchada com repolho. Olhos de um sapo também. Parece cheio de gás nocivo. Uma baforada disso e você é um homem morto. imagino. Au. Ele deve estar cheio desse trabalho. Aflui para fora: azul.favor. mulheres . O ar do lugar talvez. Até os quinze anos mais ou menos. Como você era antes de repousar. Em seguida ele caminhou para a outra extremidade e a sacudiu novamente. Era água benta aquilo.. Todo santo dia uma nova leva: homens de meia-idade. Está tudo anotado: ele tem de fazer isso. Minha rótula está doendo. Assim está melhor. Eu muitas vezes achei que seria melhor haver sacristãos meninos. Açougueiros. – Et ne nos inducas in tentationem. O sacristão dizia as respostas com voz estridente e aguda. O padre tirou da caçamba do menino uma vara com uma saliência na extremidade e a sacudiu sobre o caixão. Quem me disse isso? Mervyn Browne. sacudindo aquela coisa sobre todos os cadáveres que lhe apresentam.. ficam como bifes crus. Que mal haveria se ele pudesse ver sobre o que ele estava sacudindo aquilo. Deve haver uma quantidade infernal de gás nocivo em volta desse lugar. por exemplo. Depois disso. naturalmente. Lá na câmara mortuária de São Werburgh com seu velho belo órgão de cento e cinqüenta anos eles têm às vezes que fazer um buraco nos caixões para deixar escapar o gás nocivo e queimá-lo.

– O círculo de O’Connell – disse o Sr. o levaram para fora e o empurraram sobre sua carreta. Olhou gravemente para o chão até que a carreta-do-caixão rodasse para a esquerda. mulheres mortas no parto. As rodas de metal esmigalharam o cascalho com um grito agudo irritante e o bando de botas grossas seguiu a carreta rolante ao longo da alameda de sepulcros. O padre fechou o livro e saiu. Os olhos suaves do Sr. – Ele está em paz – disse –. Corny Kelleher deu uma coroa para o menino e uma para o cunhado. crianças. – In paradisum. moças tuberculosas com pequenos peitos de pardais. homens com barbas. O ri o ra o ri o ra o ru. Mas seu coração está enterrado . Durante todo o ano ele rezou a mesma coisa sobre todos eles e sacudiu água em cima deles: sono. eu não devo cantar aqui. Disse que ia para o paraíso ou está no paraíso. Bloom veio por último dobrando seu jornal de novo para dentro de seu bolso. seguido pelo sacristão. Dedalus para os que estavam à sua volta. negociantes carecas. Diz isso sobre todo mundo. Power se ergueram para o topo do obelisco elevado. no meio do seu povo. O Sr. Corny Kelleher abriu as portas laterais e os coveiros entraram. Todos os seguiram saindo pelas portas laterais para o ar cinzento e ameno. Sobre Dignam agora. Meu Deus. Mas ele tem que dizer alguma coisa.velhas. Que tipo de trabalho chato. içaram o caixão novamente. o velho Dan O’.

Dedalus com a respiração ligeiramente entrecortada. procurando segredo. não acham? – disse o Sr. – Acredito que ela está no céu se houver um céu. Cedendo à emoção. Jack – disse o Sr. O Sr. Este cemitério é um lugar traiçoeiro. Que Ele me leve logo que queira. – Em breve estarei estendido ao seu lado. Eles cobriram a cabeça. – Creio que podemos fazê-lo também. Kernan com reprovação. Maçom. Bloom acenou gravemente com a cabeça olhando para os olhos injetados e vivos. Power lhe deu o braço. Corny Kelleher se retirou de sua fila e permitiu que as carpideiras o ultrapassassem. Dedalus. Ao lado dele novamente. – O reverendo cavalheiro leu o cerimonial rápido demais. Olhos secretos. Kernan. começou a chorar silenciosamente. tropeçando um pouco no seu andar. O Sr. Simon! – A sepultura dela é ali. Kernan. Quantos corações partidos estão enterrados aqui. – Ocasiões dolorosas – começou cortesmente o Sr. – Os outros estão pondo os chapéus – disse o Sr. Nós somos os .em Roma. – Creio que sim – disse o Sr. O Sr. – Ela está melhor onde está – disse bondosamente. Bloom fechou os olhos e inclinou tristemente duas vezes a cabeça. Nós somos os últimos. penso: não tenho certeza.

Pra frente Lázaro! E ele ficou pra trás e perdeu o lugar. devo confessar. Kernan acrescentou: – A cerimônia da igreja irlandesa usada em Mount Jerome é mais simples. Kernan disse com solenidade: – Eu sou a ressurreição e a vida. Um belo dia fica obstruída: e lá está você. Isso toca o coração mais profundo do homem. – Toca sim – disse o Sr.últimos. corações. Um vigésimo de onça dentro de um crânio. A ressurreição e a vida. Velhas bombas enferrujadas: maldito tudo o mais. Corny Kelleher acompanhou ao lado deles. O Sr. fígados. Espero que ele diga mais alguma coisa. . Um vigésimo de onça doze gramas. Bloom. No mesmo barco. Sede dos afetos. Seu coração talvez mas quais as probabilidades para o camarada nos seis pés por dois com seus artelhos voltados para as margaridas? Nada comovente isso. O Sr. Aquela idéia do último dia. Uma bomba afinal de contas. Levantem-se! Último dia! Então cada homem procurando à volta seu fígado e seus pulmões e o resto de seus troços. Coração partido. A linguagem naturalmente era uma outra coisa. Fazendo todos sair de suas sepulturas. bombeando milhares de galões de sangue todo dia. O Sr. Não encontrando nada de si naquela manhã. Uma vez que você esteja morto você está morto. Medida troy . mais comovente. Bloom deu um prudente assentimento. Uma porção deles deitados aqui à volta: pulmões.

Ned Lambert sorriu. Ela era uma mulher bonita. Ombros de policial. – Sim. – Eu conheço aquela cara. ele trabalhava em Wisdom Hely’s – disse. O Sr. Ele olhou para trás por entre os outros.– Tudo correu às mil maravilhas – disse ele. Ned Lambert olhou para trás. – Ele faz . Kernan lhe assegurou. em Mat Dillon’s na Roundtown. a soprano. – Por Deus – disse John Henry Menton –. – Bloom – disse ele –. – Ó com certeza – disse John Henry Menton. Ela podia ser contida numa boa braçada. – O quê? Hein? – disse Corny Kelleher. – O que é que ele é? – perguntou. – Quem é aquele camarada lá atrás com Tom Kernan? – perguntou John Henry Menton. – Um caixeiro-viajante para mata-borrão. num jogo de bocha. – O quê? Ele olhou para eles com um olhar arrastado. Kernan. – O que ele faz? Ele não trabalhava no ramo de papelaria? Eu tive uma desavença com ele certa noite. – Eu não a vejo há algum tempo. quero dizer. espere. Madame Marion Tweedy era. Eu dancei com ela. – Como devia ser – disse o Sr. eu me lembro. Com seu patibum patibum. quinze dezessete áureos anos atrás. Ela é mulher dele. por que razão ela se casou com um sonso como esse? Ela tinha muita energia dentro dela então. é. – Ainda tem – disse Ned Lambert.

O Sr. Eles curvaram suas cartolas de comum acordo e Hynes inclinou sua orelha. Os coveiros levaram as mãos a seus bonés. O zelador suspendeu seus polegares nos anéis da corrente de ouro de seu relógio e falou em tom discreto para seus sorrisos vagos. Eles perguntaram por Mulcahy de Coombe e lhes disseram onde ele fora enterrado. Depois de vagar no nevoeiro eles . ergueu o chapéu em homenagem. – Contam – disse ele – a história de que dois bêbados vieram aqui numa noite nevoenta para procurar a sepultura de um amigo. Dedalus disse: – Eu venho lhe fazer uma outra visita. – Eu não o quero de jeito nenhum como freguês. Os olhos grandes de John Henry Menton fitaram em frente. – Ele nunca esquece um amigo. Power satisfeito. O’Connell apertou as mãos de todos em silêncio. de tocaia no gramado. A carreta dobrou numa alameda lateral. – Meu caro Simon – respondeu o zelador do cemitério em voz baixa. – Vocês ouviram essa – ele lhes perguntou – sobre Mulcahy de Coombe? – Eu não ouvi – disse Martin Cunningham. Cumprimentando Ned Lambert e John Henry Menton ele andou ao lado de Martin Cunningham manipulando duas chaves grandes em suas costas.alguma corretagem de publicidade. Um homem corpulento. O Sr. – John O’Connell – disse o Sr.

Eu preciso ver a respeito daquele anúncio depois do enterro. – Eu sei disso. disse ele. Habeas corpus. John O’Connell. disse. realmente um bom sujeito. revirando e os verificando enquanto andava.encontraram efetivamente a sepultura. Nenhum controle de saída. Será que eu escrevi Ballsbridge no envelope que peguei para esconder o que eu escrevia a Marta quando ela me interrompeu? Espero que não esteja jogado na seção de cartas não . O outro bêbado piscava os olhos para uma estátua de Nosso Salvador que a viúva tinha mandado pôr ali. – Eu sei – disse Hynes. Bloom admirou a rica corpulência do zelador. Esse não é Mulcahy . Todos desejam ficar em bons termos com ele. Camarada decente. Recompensado pelos sorrisos ele diminuiu o passo e falou com Corny Kelleher. O Sr. O zelador olhou piscando para um dos sepulcros pelos quais passaram e retomou: – E depois de piscar para a figura sagrada. – Tudo isso foi feito com uma finalidade – explicou Martin Cunningham a Hynes. qualquer que seja o infeliz que tenha feito isso. Um dos bêbados soletrou o nome: Terence Mulcahy. Droga nem um pouquinho como o homem . aceitando os comprovantes de pagamento que lhe foram dados. – É pura bondade de coração: o resto que se dane. Chaves: como o anúncio do Chaves: nenhum perigo de alguém escapar. – Para levantar o moral de uma pessoa – disse Martin Cunningham.

Seria bom me barbear. Sombras da noite pairando aqui com todos os mortos estirados à volta. Eu me pergunto como ele teve a audácia de pedir uma moça em casamento. Saia e venha morar no cemitério. Você já viu alguma vez um fantasma? Bem. Fogo-fátuo. Ela precisa manter sua mente fora disso para poder engravidar. E o gênio ficando irritadiço. Os homens gostam disso. Fios prateados entre os cinza. Gás dos túmulos. Desejo de provocar inveja nas pessoas. Corroendo seus órgãos vitais. Você poderia arranjar aqui uma jovem viúva. As sombras das tumbas quando os cemitérios bocejam e Daniel O’Connell deve ser um descendente suponho quem era aquele que costumava dizer que ele era um estranho reprodutor ainda assim um católico excelente como um grande gigante da escuridão. Prostitutas nos cemitérios turcos. No meio da morte estamos na vida. Amor entre as pedras tumulares. Balance isso diante dela. Conte a ela na cama uma história de fantasma para a fazer dormir. Esse é o primeiro sinal quando surge cabelo grisalho. Cheiro de bifes grelhados para os famintos. eu vi. Aprendem qualquer coisa se apanhadas jovens. Assim mesmo eles certamente se beijariam se devidamente estimulados. Pode excitá-la a princípio. Barba nascendo grisalha. Imagine sendo mulher dele. Molly . Os dois extremos se encontram. As mulheres especialmente são tão sensíveis. Foi numa noite escura como breu. Tempero do prazer. Romeu. Cortejando a morte. Torturante para os pobres mortos.reclamadas. O relógio deu a badalada de meia-noite.

Cemitérios chineses com papoulas que crescem gigantescas e produzem o melhor ópio me disse Mastiansky. Com os agradecimentos. Depois ficam . Sentados ou ajoelhados não era possível. um melado negro se esvaindo deles. deitadas à sua volta num terreno após o outro. O solo deve ser todo esburacado: celas oblongas. Em seguida começam a enegrecer. Deveria haver flores soníferas. mataram o menino cristão. Terras santas. Todo homem tem seu preço. Cadáver gordo bem preservado. inspetor e contador. falecido recentemente. Mesma idéia daqueles judeus. E ele o mantém muito limpo também: grama e bordas aparadas. Ossuários. Então uma espécie de queijoso gorduroso. é isso mesmo. cavalheiro. Ouso dizer que o solo seria bem fértil com adubo de cadáveres. unhas. Apodrecimento rápido em terra úmida. Em todo caso ele tem oito filhos. Major Gamble chama seu jardim de Mount Jerome. que. Ele viu em seu tempo um número considerável de pessoas ir para debaixo da terra. carne.desejando fazê-lo na janela. disseram. Os velhos magros são mais resistentes. Os Jardins Botânicos são bem ali. inestimável para pomar. Mais espaço se os enterrassem de pé. ossos. Pela carcaça de William Wilkinson. três libras treze e seis. Pavoroso. De pé? A cabeça dele poderia surgir algum dia acima do solo num deslize de terra com sua mão apontando. Bem. É o sangue penetrando na terra que dá nova vida. Uma barganha. Ficando verdes e rosados ao se decompor. epicúreo.

Não ousaram fazer pilhéria sobre os mortos durante dois anos pelo menos. Spurgeon foi para o céu às quatro desta manhã. Uma pêra suculenta ou um ponche de senhoras. quente. Me pergunto de que maneira ele encara a vida. Demonstra o profundo conhecimento do coração humano. Elas fazem simplesmente girar nossas cabeças. forte e doce. Vivem praticamente para sempre. Mas eles devem produzir uma quantidade infernal de larvas. Ver os outros partirem antes dele lhe dá um sentimento de poder. Pedro. – Dois – disse Corny Kelleher. Nada para alimentá-las alimentam-se de si mesmas. Aquelas mocinhas bonitas da beira da praia. Coveiros e m Hamlet. Onze da noite (hora de fechar). – Quantos vocês têm para amanhã? – perguntou o zelador. Parece um tipo de piada. O solo deve simplesmente turbilhonar por sua causa. Os próprios mortos os homens pelo menos gostariam de ouvir uma velha piada ou as mulheres de saber o que está na moda. Afastar a umidade.secos. Aquela sobre o boletim. Zombando com suas piadas também: aquece o fundo do seu coração. Mariposas-de-morte. Vão mudando. Não chegou ainda. Naturalmente as células ou o que quer que sejam continuam a viver. É preciso rir às vezes assim é melhor fazê-lo desse jeito. Ler a notícia do seu próprio obituário dizem faz você viver por mais tempo. De mortuis nil nisi prius. Isso lhe dá novo fôlego. Tire o luto primeiro. Difícil imaginar o enterro dele. Novo prazo de vida. – Dez e meia e . Ele parece bastante animado com isso.

pobre Robinson Crusoé! Como você pode ser o que é? Pobre Dignam! Sua posição final na terra em sua caixa. Viemos enterrar César. Ó. Ainda assim ele teria que conseguir alguém para cobri-lo de terra depois que ele morresse embora ele pudesse cavar sua própria sepultura. Toda inteiramente corroída. Quando se pensa em todos eles parece um desperdício de madeira. Seus idos de março ou junho. A primeira coisa que ocorre a qualquer um. Enterrando-o.onze. Nós todos temos. . Sempre surge alguém com quem você nunca sonhou. O zelador pôs os papéis em seu bolso. Digamos que Robinson Crusoé foi fiel à realidade. A carreta parara de rodar. as formigas. Um homem poderia viver em sua solidão toda sua vida. também. Sim. Só o homem enterra. Se você prestar atenção toda Sextafeira enterra uma Quintafeira. Ele não sabe quem está aqui e nem liga. Bem então Sextafeira o enterrou. Enterrar os mortos. Os acompanhantes do enterro se dividiram e se deslocaram para cada um dos lados da cova. Não. Os coveiros carregaram o caixão e colocaram sua ponta na beira da cova dando voltas com as alças em torno dele. pisando com cuidado em volta das sepulturas. ele poderia. Ora quem é aquele sujeito estranho desengonçado ali de capa impermeável? Ora quem é ele eu gostaria de saber? Ora eu daria uma bagatela para saber quem ele é.

que o depusesse embaixo desse jeito. O caixão mergulhou fora da vista. A mulher dele eu me esqueci que ele não é casado ou sua senhoria devia ter retirado esses fios para ele. Um toque roxo. Não. Protegê-lo enquanto for possível mesmo na terra. Alô.Podia ser inventado um belo esquife com uma espécie de painel deslizante. Só uma mãe e o filho morto ao nascer são sempre enterrados no mesmo caixão. Eu sou treze. O camarada de impermeável é treze. Embalsamamento nas catacumbas. Sim mas eles poderiam recusar ser enterrados com o que foi usado por um outro. baixado suavemente pelos homens escarranchados sobre os suportes da cova. Bloom ficou bem para trás. isso posso jurar. Um homem elegante ele era antigamente. Está tingido. Eu entendo o que isso significa. . Deposite-me na minha terra natal. Eles se levantaram com dificuldade e saíram: todos de cabeça descoberta. Entendo. Que superstição tola essa do treze. O Sr. Costumava mudar três ternos ao dia. contando as cabeças descobertas. A casa do irlandês é o seu caixão. a mesma idéia das múmias. Eles são tão exigentes. Doze. Que belo tweed macio o desse terno de Ned Lambert. O número da morte. De onde diacho ele surgiu? Ele não estava na capela. Pausa. Eu tinha um assim quando nós morávamos em Lombard Street oeste. com seu chapéu na mão. Eu tenho que fazer Mesias me entregar o meu terno cinza. Vinte. Um pouco de argila da terra santa.

Bem é um longo repouso. O sono dele não está natural. As pessoas . Sussurro.Se de repente nós fôssemos uma outra pessoa. A luta da morte. Espere. O demônio naquele quadro da morte do pecador lhe mostrava uma mulher. Delírio tudo que você escondeu toda a sua vida. Observando se seu nariz está afilado se seu queixo está caindo se as solas de seus pés estão amarelas. Deve haver um engano: uma outra pessoa. Eu ainda não. Nenhum asno assim. O menino junto à cabeça da cova segurou sua coroa com ambas as mãos fitando calmamente o espaço aberto e escuro. Sobrecasaca bem cortada. Não sentir mais. Lá longe um burro zurrou. Deve ser tremendamente desagradável. Tente a casa em frente. Sussurrando à sua volta. Vergonha da morte. Chuva. Vestindo uma camisa e morrendo de vontade de abraçá-la. Não se pode acreditar a princípio. É no momento que você sente. Eles se escondem. Eles querem luz. Pressione sua pálpebra inferior. Será que nunca mais vou te ver? Bumba! Ele expira. eu queria. dizem. Examinando-os talvez para ver quem seria o próximo a partir. Puxe para fora o travesseiro e termine tudo no chão visto que ele está condenado. Então a câmara mortuária escurecida. Gostaria de ver um padre? Depois tagarelando e perambulando. O Sr. Último ato de Lucia. O pobre papai também partiu. Nunca se vê um morto. Bloom se moveu atrás do bondoso e corpulento zelador. Foi-se afinal. Um ar suave e agradável soprou em volta das cabeças descobertas como um sussurro.

isso seria medonho! Não. Fora da frigideira da vida dentro do fogo do purgatório.falam um pouco de você: esquecem de você. Lembrem-se dele em suas orações. longe do coração. não: ele está morto. E se ele estivesse vivo o tempo todo? Puxa! Caramba. O zelador se afastou dando alguns passos e pôs . Esperando que você esteja bem e não no inferno. Bloom virou o rosto. Será que ele alguma vez pensa no buraco que o espera? Dizem que você pensa quando treme de frio no sol. Devia haver uma lei para que se perfurasse o coração para se ter certeza ou um relógio elétrico ou um telefone no caixão e algum tipo de tela com buraco para ar. O barro caiu mais suavemente. o lote que eu comprei. e o pequeno Rudy. Nós estamos rezando agora para o repouso de sua alma. Os coveiros pegaram suas enxadas e lançaram pesadas porções de barro sobre o caixão. Perto de você. Três dias. um depois do outro. Longe dos olhos. certamente. Começar a ser esquecido. Alguém andando sobre ele. Até Parnell. Mamãe. Muito tempo para mantê-los no verão. pobre mamãe. Não se esqueçam de rezar por ele. Certamente que ele está morto. Uma sorte ficarmos livres deles assim que temos certeza de que não há. O dia da hera se extinguindo. Aviso do moço-derecados. Bandeira do desespero. Então eles seguem: caindo num buraco. O Sr. Ele morreu na segunda-feira. Bela mudança de ar. O meu lá em direção a Finglas.

Ele morreu numa terça-feira. Bloom. Descobrir o que eles imaginam que sabem. não faz mal. – E diga-nos – disse Hynes – você conhece aquele camarada de.o chapéu. ele atravessou o campo sombrio. seguro do chão que pisava. Bloom pôs o chapéu e viu a figura corpulenta habilmente abrir caminho através do labirinto de sepulturas. Foi posto fora. Charley. E você podia anotar também o nome de M’Coy. Ele olhou à volta. os nomes. Obrigado.. – Qual é seu nome de batismo? Não estou bem certo. Hynes anotando alguma coisa no seu caderno de notas. – Leopold. Mas ele sabe todos eles. Ele me pediu para fazê-lo.. Ele foi outrora do Freeman. – L – disse o Sr. – Charley – disse Hynes escrevendo. Deixe-o dever-lhe um favor: não custa nada. Foi por isso que ele me pediu para. Eu cuidei disso. – Eu sei. O Sr. – Eu estou só pegando os nomes – disse Hynes falando em voz baixa. Caminhando para mim. Estava farto daquilo. . Tranqüilamente. Fugiu com o dinheiro de alguns anúncios. Foi sim antes que conseguisse um emprego no necrotério sob a chefia de Louis Byrne. cobrindo um a um a cabeça sem ostentação. M’Coy. Ah. meu amorzinho. Não. Os acompanhantes do enterro recobraram ânimo pelo prazo de graça. meu velho: muito grato. o camarada que estava lá de. Ó tudo bem. Uma boa idéia uma autópsia para os médicos.

Bloom para pegar uma enxada que não estava sendo usada. se virando e parando. e os coveiros repousaram suas enxadas. – Não – começou o Sr. Silenciosamente na cabeceira da sepultura um outro enrolava a alça do caixão. Sim. Meu Deus. abandonando os companheiros. caminhou lentamente com a arma no ombro. Hynes! Não ouviu. Bloom. se virando. eu o vi – disse o Sr. Um. me desculpe. Tornar-se invisível. Bloom. Seu cordão umbilical. O menino apoiou sua coroa num canto: o cunhado a sua sobre um torrão de terra. Ele se desviou agilmente. Então eles bateram com as lâminas ligeiramente na relva: limpas. É esse o nome dele? Afastou-se olhando à sua volta. colocou alguma coisa em sua mão . Ora com franqueza. – Onde é que ele está agora? – Impermeal – disse Hynes escrevinhando. Um monte de terra úmida subiu mais. que fim ele levou? Um sétimo coveiro se aproximou do Sr. Os coveiros repuseram seus bonés e levaram suas enxadas terrosas para a carreta. O cunhado. Alguém aqui o viu? Ka é dois éles. Todos se descobriram de novo por uns instantes. marrom. Quase terminado. O quê? Onde é que ele desapareceu? Nenhum sinal.– Impermeável. subiu. Barro. Ele subia. – Eu não sei quem ele é. Um se inclinou para arrancar do cabo um longo tufo de grama. – Escute. sua lâmina oblíqua azul. – Ó. úmido começou a ser visto no buraco.

– Parnell nunca virá novamente – disse ele. Simplesmente para vocês todos. Que um dia ele vai voltar novamente. Eles viraram para a direita. – Ele está lá. cruzes. – Temos tempo. Como deslizar pela calha do carvão. Aperto de mão. Mais sensato gastar dinheiro com alguma caridade para os vivos. Não precisava. esperanças petrificadas rezando com os olhos voltados para o céu. câmaras mortuárias de famílias. por trilhas sinuosas. No dia vinte e sete estarei em sua sepultura. Rezar para o descanso da alma de. Power falou: – Alguns dizem que ele não está de jeito nenhum naquela sepultura. – Vamos dar uma volta até a sepultura do chefe – disse Hynes. Depois empilhe-os todos juntos para poupar tempo. Agradecimento em silêncio. Dez shillings para o jardineiro. Bloom caminhou ao longo de sua alameda ignorado por anjos entristecidos. seguindo seus pensamentos morosos. com tudo dele que era mortal. Paz para suas cinzas. Eu sei disso. se preocupar. – Vamos – disse o Sr. Power. Os acompanhantes se afastaram lentamente a esmo. Hynes sacudiu a cabeça. Dia de finados. colunas quebradas. Com pasmo a voz inexpressiva do Sr. Será que alguém realmente reza? Plante-o e fique quite com ele. parando vez por outra para ler um nome numa tumba. Que o caixão foi recheado de pedras. senhor. O Sr. .livre. corações e mãos da velha Irlanda.

Lugar ideal para se fumar tranqüilamente e se ler o Church Times. Como o presente de casamento que o regedor Hooper nos deu. Os protestantes dizem entrou em seu repouso. Coroas enferrujadas penduradas em ganchos. Fulano de tal. Sabe que não há nenhum estilingue para ser atirado contra ele. Ainda assim. Perto da porta da morte. Eu viajava para o linóleo. Immortelles. Dobrado em dois podando com o tesourão. todos eles. Ainda mais tristes . Como se empalhado. Melhor avaliá-las pelo dinheiro gasto. Bela residência campestre. Mais interessante se eles dissessem o que eles eram. O grande médico o chamava de lar. As outras se tornam fatigantes.Ele o mantém livre de ervas daninhas. consertador de rodas. Ou uma mulher com sua caçarola. Quem se acabou. Panegírico de um cemitério do campo devia ser aquele poema de quem mesmo Wordsworth ou Thomas Campbell. O túmulo do velho Dr. guirlandas de folhas de bronze. Huu! Completamente imóvel. Quem partiu desta vida. Levaram um empurrão. Eu fazia um bom ensopado de carne de carneiro. Recentemente rebocada e pintada. Anúncios de casamento eles nunca tentam embelezar. Como se o fizessem por vontade própria. Quem bateu as botas. Não expressam nada. não murchando nunca. Bem é o acre de Deus para eles. as flores são mais poéticas. Em bancarrota eu reembolsei cinco shillings por libra. Ele mesmo um homem velho. Murren. Um pássaro se sentou mansamente empoleirado num galho de álamo.

Esse é o Sagrado Coração: mostrando-o. Ponha no pobre e velho bisavô. a voz. Tstcrst! Um chocalhar de pedras. Assim como vocês são agora assim certa vez fomos nós. A Irlanda foi dedicada a ele ou o que quer que seja isso. uma cadeia de margaridas e pedacinhos de louça partida sobre o túmulo. Devia ficar de lado e vermelho e deveria ser pintado como um coração de verdade. Craarc! Alôalôalô tãotãofeliz craarc tãotãocontenterever alôalô tãotão pshite. Mortos fiéis. Por que esta imposição? Será que passarinhos viriam então e bicariam como no caso do menino com a cesta de frutas mas ele disse que não porque eles deviam ter tido medo do menino. Que se tenha um gramofone em todas as sepulturas ou que ele seja guardado em casa. Quantos. Bem. sim: gramofone. Por exemplo quem? Por exemplo um camarada que morreu quando eu trabalhava para Wisdom Hely. digamos. Espere. O coração na mão.os animais mortos. voz. andar. De outro jeito você não poderia se lembrar do rosto quinze anos depois. Longe de parecer satisfeito. Faz você lembrar da voz como a fotografia faz lembrar do rosto. Pare! Baixando os olhos ele olhou com atenção para . Depois do jantar num domingo. Silly-Milly enterrando o passarinho morto na caixa de fósforos da cozinha. Além disso como você poderia se lembrar de todo mundo? Olhos. Esse era Apolo. meu Deus! Todos estes aqui andaram certa vez por Dublin.

No entanto não se pode enterrar no ar. água. não foi? Dando suas voltas. Venda por atacado de maçaricos e revendedores holandeses de fornos. Me pergunto se corre a notícia toda vez que um novo é jogado para baixo. O cinzento vivo se espremeu sob a base se introduzindo sorrateiramente debaixo dela. Época da peste. Um velho ator: bisavô: ele entende do riscado. Bem e o que é o queijo? Cadáver de leite. Ou enterrar no mar. Não ficaria surpreso. O rabo se foi agora. fogo. Carne comum para eles. Onde está aquela torre do silêncio de Parsi? Comidos por pássaros. Terra. Comunicação subterrânea. Quem mora ali? Foram depositados os restos de Robert Emery. Um daqueles caras daria rapidamente cabo de um homem. Advogando para a outra firma. Um rato cinza obeso caminhou vacilante pelo lado da cripta. Jogados fora de uma máquina voadora. Lá vai ele. Eu li em Voyages in China que os chineses dizem que o homem branco cheira a defunto. Bom esconderijo para um tesouro. Padres mortalmente contra isso. Robert Emmet foi enterrado aqui à luz de tochas. Ver toda a sua vida num relance. Febre de covas com cal virgem para consumi-los. Deixam os ossos limpos não importa quem ele tenha sido. Um cadáver é carne que se estragou. Câmara mortífera. Mas ser trazido de volta à vida não. Algum animal.uma cripta de pedra. Cinzas às cinzas. Soubemos disso por eles. Espere. Alimentação regular substancial . Afogamento dizem é o mais agradável. Cremação é melhor. movimentando as pedras.

Eles não vão me pegar ainda dessa vez. Meu fantasma vai assombrá-lo depois da morte. Viemos a saber sobre Dignam. Moscas vêm antes que ele esteja bem morto. No de Mat Dillon. garrafas de vidro lapidado de Tântalo. O alegre Mat. Eles não ligam para esse cheiro. advogado. Do pobre papai também. Chega desse lugar. Sinico. Menton. A última vez que estive aqui foi no enterro da Sra. Muito ainda para ver e ouvir e sentir. Eu não gosto daquele outro planeta ela escreveu. Que eles durmam em seus leitos bichados. E mesmo cavoucando à noite a terra com uma lanterna como naquele caso que eu li para chegar a mulheres recémenterradas ou até putrificadas com chagas tumulares supuradas. Vou aparecer a você depois da morte. Traz você toda vez um pouco mais perto. especialista em juramentos e declarações juramentadas. gosto de nabo branco cru. Você verá meu fantasma depois da morte. charutos. John Henry. creio. Dá arrepios depois de algum tempo. Sentir seres vivos quentes perto de nós. Frango frio. muito tempo atrás. Martin Cunningham emergiu de um caminho lateral. Coração de ouro . Noites festivas. Advogado. Conheço o seu rosto. O amor que mata. conversando gravemente. De volta novamente ao mundo.para eles. Camas quentes: vida cheia de sangue quente. Os portões vislumbraram em frente: ainda abertos. Dignam costumava ficar em seu escritório. Eu também não. Mingau farelento de cadáver brancodesal: cheiro. Há um outro mundo depois da morte chamado inferno.

John Henry Menton o fitou por um instante sem se mover. – Seu chapéu está um pouco amassado – disse o Sr. – Está bem agora – disse Martin Cunningham. deprimido. Bloom. John Henry Menton tirou o chapéu. Bloom apontando. Bloom ao lado deles. senhor – disse o Sr. A carruagem provavelmente. Está com um amassado do lado do seu chapéu. rindo. Martin podia exercer completo domínio sobre um camarada inexperiente . Recolocou rapidamente o chapéu em sua cabeça. Razão pela qual tomou uma aversão a mim tão arraigada. recuou alguns passos para não os escutar. Eles caminharam em direção aos portões. – Ali – contribuiu Martin Cunningham. Martin sendo dogmático. mortificado se há mulheres por perto. Puro acaso feliz: a forma irregular da bola. também apontando. Eles pararam. Molly e Floey Dillon se deram o braço sob a árvore de lilás. Menton. O Sr. abaulou o amassado e alisou a penugem na manga de seu paletó. – Desculpe-me. Ficou zangado aquela noite no gramado de jogo de bocha porque eu o enfrentei com disposição. Um homem fica sempre desse jeito. John Henry Menton sacudiu a cabeça para baixo em sinal de aquiescência.realmente. Sim. Ódio à primeira vista. – Obrigado – disse secamente.

como aquele. Como estamos formidáveis esta manhã! 7 NO CORAÇÃO DA METRÓPOLE HIBÉRNICA Diante da coluna de Nelson os bondes diminuíam a marcha. Rathmines. Ringsend e Sandymount Tower. O rouco registrador do horário de partida da Companhia Unida de Bondes de Dublin gritava as saídas: – Rathgar e Terenure! – Vamos. sem que ele o percebesse. Obrigado. Vai talvez se arrepender depois quando se der conta. mudavam de linha. Dessa maneira leve vantagem sobre ele. Não se importe. Rathgar e Terenure. Kingstown e Dalkey. partiam para Blackrock. Palmerston Park e alto Rathmines. manobravam. Olhos de ostra. Harold’s Cross. Sandymount Green. Clonskea. Sandymount Green! .

À direita e à esquerda. deslizavam paralelos. de cartas. para entrega local. um ônibus de dois andares e um de um andar abandonavam seus terminais. tendo nas laterais as iniciais reais. Palmerston Park! O MENSAGEIRO DA COROA Sob o pórtico do correio geral engraxates chamavam fregueses e engraxavam. com o retinir das sinetas que soavam. desviavam para as vias descendentes. na província. na Inglaterra e além-mar. registrados e pagos. recebiam sacos lançados ruidosamente. Estacionados na rua North Prince os carros-correio escarlates de Sua Majestade. cartas-postais. E.. HOMENS DE IMPRENSA . pacotes. paralelos. cartões-postais.R. – Parta.

e eu o levarei para o escritório do Telegraph. um mensageiro do rei. – Certo – disse o Sr. . Tesoura e cola. Bloom. – Alexandre Chaves. – Aí está – disse Red Murray. – Eu enfatizarei isso. A porta do escritório de Ruttledge rangeu novamente. pegando o quadrado cortado. está bem? – disse o Sr. Nós. O tesourão longo de Red Murray cortou o anúncio do jornal com quatro golpes secos. podemos fazer um para ele. se ele quiser um par – disse Red Murray vivamente. Bloom –. Davy Stephens.Carroceiros com botas grossas rolavam barris com ruído surdo para fora dos depósitos de Prince e os sacolejavam sobre a carroça da destilaria. Bloom acenando com a cabeça. minúsculo em sua grande pelerine. – Naturalmente. com uma caneta atrás da orelha –. Sobre a carroça da destilaria sacolejavam barris rolados com ruído surdo para fora dos depósitos de Prince por carroceiros com botas grossas. – Eu vou passar pelas impressoras – disse o Sr. saiu com um rolo de papéis debaixo do seu manto. o cabelo anelado coroado por um pequeno chapéu de feltro. – Recorte-o apenas.

As costas de casimira enfestada se elevavam a cada passo: costas. Subiu majestosamente a escada. um rosto solene emoldurado por barba. O Sr. conduzido por um guarda-chuva. pescoço. pescoço. Entrada. Nosso Salvador: rosto oval emoldurado de barba: conversando na penumbra. Conduzido pela espada de um guarda-chuva para a . – Você não acha que o rosto dele é como o de Nosso Salvador? – murmurou Red Murray. Barris de Guinness com ruído surdo. Vergões de carne nele atrás. Saída. Maria. Eles sempre constroem uma porta em frente à outra para que o vento. Marta. diz Simon Dedalus. Bloom com o tesourão e sussurrou: – Brayden. A porta do escritório de Ruttledge sussurrou: ii: crii. banha. Dobras gordas do pescoço. Toda sua massa cinzenta está em sua nuca. banha. Bloom se virou e viu o porteiro de libré tirar seu boné com o nome impresso do jornal enquanto uma figura imponente entrava entre os cartazes de notícias do Weekly Freeman and National Press e do Freeman’s Journal and National Press . DE OAKLANDS. SANDYMOUNT Red Murray tocou no braço do Sr.O ILUSTRE WILLIAM BRAYDEN.

botas sumirem. pernas. de gibão e pernas finas. ele é um dos nossos salvadores também. Eles observaram os joelhos. jogou um envelope no balcão e saiu a toda velocidade com uma palavra: – Freeman! O Sr. – Ou como o de Mario – disse o Sr. passou pela porta lateral e . Jesusmario com as faces carmesim. Bloom disse lentamente: – Bem. Pescoço. – Mas se dizia que Mario era o retrato de Nosso Salvador. Um sorriso manso o acompanhou quando ele ergueu o batente do balcão. Bloom. Ve-em tu que estás perdida.ribalta: Mario o tenor. Ve-em tu que és querida! O BÁCULO E A PENA – Sua graça telefonou duas vezes esta manhã – disse gravemente Red Murray. Em Martha. Mão no coração. O garoto do telegrama entrou lepidamente. – Sim – concordou Red Murray.

pisando sobre papel de embrulho espalhado. Despedaçam um homem até seus átomos se conseguem pegá-lo. Martelando. Controlam o mundo hoje em dia. Hynes aqui também: provavelmente relato do enterro. . Martelando. Mas será que ele vai salvar a circulação? Martelando. perderam o controle: fermentando. É COM VERDADEIRO PESAR QUE ANUNCIAMOS O FALECIMENTO DE UM MUITO RESPEITADO BURGUÊS DE DUBLIN Esta manhã os restos mortais do falecido Sr.caminhou ao longo da escada sombria e quente e do corredor. Ele empurrou a porta de vaivém de vidro e entrou. ao longo das tábuas do soalho que agora ecoavam. E aquele velho rato cinzento abrindo buraco para entrar. Martelam. Através de uma ala de rotativas estrepitantes ele se encaminhou em direção ao gabinete de leitura de Nannetti. Os mecanismos dele também estão trabalhando com afinco. rasgando com afinco. Trabalhando com afinco. Patrick Dignam. Máquinas. Como estes.

Prezado Sr. Cartuns.F. Ele valorizou rapidamente com o máximo esforço aquele trabalhador do trabalho diário de um novo programa de ação. Publicado oficialmente no ano mil e. Propriedade situada no território de Rosenallis. Perguntas de caipiras. não as notícias requentadas da gazeta oficial. Membro do College Green. Essencialmente só fotografias. Aprende-se muito ensinando aos outros. São os anúncios e reportagens de página que vendem um hebdomadário. A rainha Ana morreu. Notas sobre a natureza. Editor. A nota pessoal. A todos aqueles aos quais possa interessar relação de acordo com estatuto mostrando a relação de mulas e jumentas exportadas de Ballina.COMO É PRODUZIDO UM GRANDE DIÁRIO O Sr. O . Banhistas bem-feitas de corpo na areia dourada. Bloom se deteve atrás do corpo magro do chefe de redação. A página de tio Toby para as crianças pequeninas. Irlanda meu país. A história semanal Pat e Bull de Phil Blake. admirando sua cabeça lustrosa. qual é um bom tratamento para flatulência? Eu gostaria dessa parte. E. Estranho ele nunca ter visto seu verdadeiro país. baronato de Tinnahinch.S.

sem responder. Bloom ficou no seu caminho. martelavam. imprimiriam sem parar pra cima e pra baixo.maior balão do mundo. Casamento duplo de irmãs celebrado. meu velho – disse Hynes. Martelavam. conselheiro – disse Hynes. linotipista. Ele entregou a folha silenciosamente por cima da tela de vidro suja. Em breve o chamará de meu senhor prefeito. Bloom. . O Sr. – Vai rápido e você o pegará. apontando para trás com o polegar. obrigado – disse Hynes saindo. Cuprani também. martelavam. O chefe de redação. ponha isso na edição da noite. Dois noivos rindo cordialmente um para o outro. As máquinas batiam em compasso de três-porquatro. – Você sacou? – perguntou Hynes. escrevinhou imprensa num canto da folha e fez um sinal para um linotipista. dizem. Agora se ele ficasse paralisado ali e ninguém soubesse como pará-las elas bateriam assim mesmo incessantemente. – Se você quiser sacar o caixa está justamente indo almoçar – disse. O Long John o está apoiando. – Obrigado. Caminhou apressado e animadamente em direção ao escritório do Freeman’s Journal. – Mm – disse o Sr. Mais irlandês do que os irlandeses. Macaquice de simplório a coisa toda. – Eu também vou recorrer a ele. – Está certo. – Ora. É preciso presença de espírito.

Bloom. Ele não ouve. Nannetti considerou o recorte por algum tempo e acenou afirmativamente com a cabeça. começou a coçar lentamente a axila através de sua jaqueta de alpaca. O Chaves. – Desculpe-me. O chefe de redação se voltou para ouvir pacientemente e. erguendo o cotovelo. – Assim – disse o Sr. Quer duas chaves em cima. sabe. – Este anúncio. O Chaves. Bloom. O chefe de redação movimentou seu lápis em direção ao recorte. – Mas espere – disse o Sr. Nervos de aço. Três semanas. Nannetti. Terceira insinuação. Bloom colocou o recorte na escrivaninha do Sr. conselheiro – disse. o senhor se lembra? O Sr. VEMOS O CORRETOR DE PUBLICIDADE EM AÇÃO O Sr. Talvez ele entenda o que eu. Infernal barulho o que eles fazem. – Ele o quer para julho – disse o Sr.Eu lhe emprestei três shillings no Meagher. – Ele o quer modificado. sabe. Bloom. Nannan. cruzando seus .

Milhas de papel desenroladas.dedos indicadores no alto. Deslizando habilmente suas palavras nos intervalos do retinir ele desenhou rapidamente na madeira coberta de cicatrizes. veja. Retinem. pacotes: mil e uma utilidades. comerciante de chá. penso que tem o aspecto de icterícia. Então aqui o nome. Um círculo. conselheiro. vinho e bebidas em geral. Retinem. É melhor não ensinar a ele seu próprio ofício. o Sr. – O senhor sabe. Então no alto separado com entrelinhas: a casa de chaves. O senhor percebe? O senhor acha que . exatamente o que ele quer. e mais além carretéis obedientes abastecendo enormes bobinas de papel. milhares e milhares de coisas. Tirando os olhos da cruz que fizera com os dedos. A CASA DE CHAVES – Assim. Duas chaves atravessadas aqui. O que é feito dele depois? Ó. Alexandre Chaves. Assim por diante. embrulha carne. Bloom contemplou o rosto pálido do chefe de redação. Deixe que ele primeiro assimile isso.

Estabelecimento autorizado de alta categoria. Bem. Bloom ouvia as pulsações elevadas das manivelas. – Você tem o desenho? – Posso consegui-lo – disse o Sr. Bloom. O senhor sabe o usual.é uma boa idéia? O chefe de redação moveu sua mão coçadora até a altura das costelas inferiores e coçou ali tranqüilamente. – Que ele nos dê três meses de renovação. Atrai o olhar. – Podemos fazer isso – disse. – Podemos fazer isso – disse o chefe de redação. O senhor pode fazer isso? Eu poderia talvez lhe perguntar como pronunciar aquele voglio. Um linotipista lhe trouxe uma página mole de prova. Melhor não. o senhor pode fazer isso e apenas um pequeno par chamando a atenção. conselheiro. Turistas. – Estava num jornal de Kilkenny. . o senhor sabe. Ele tem também uma casa lá. O chefe de redação pensou por um minuto. O senhor sabe. Bloom – é a casa das chaves. De pé o Sr. Eu vou correndo perguntar a ele. Uma deficiência há muito sentida. E assim por diante. Alusão à autonomia. Mas então se ele não soubesse isso só faria com que ele ficasse sem jeito. o parlamento Manx. Ele começou a examiná-la silenciosamente. o senhor compreende. da ilha de Man. observando os linotipistas silenciosos em suas caixas. – A idéia – disse o Sr.

Fazendo todo o possível para falar. O cilindro inferior da primeira máquina projetou para diante sua bandeja móvel com slt a primeira fornada de quatro folhas dobradas em oito páginas. não é? Cemitério introduzido naturalmente por causa de equilíbrio. Febre de provas. . Slt. Dá a impressão de que é novo agora. Martin Cunningham se esqueceu de nos dar esta manhã sua charada ortográfica do concurso. pedindo para ser fechada. Tolo. Ver sua fachada então. Quase humana a maneira com que ela slt para chamar a atenção. Obrigado.ORTOGRÁFICO Querem ter certeza de sua ortografia. Aquela porta também slt rangendo. Tudo fala à sua própria maneira. Eu podia ter dito. É divertido observar o incompar um erre ável embara um erre não é? ço cedilha ou dois esses de um mascate cansado enquanto avaliava ava o equilíbrio com io de uma pêra descascada sob um muro do cemitério. Slt. Slt. Eu devia ter dito quando ele colocou rapidamente sua cartola. Não. Eu devia ter dito alguma coisa sobre um chapéu velho ou coisa no gênero.

– Então eu vou buscar o desenho. Sr. Ballsbridge. – Sim. Bloom pegou seu recorte. Hora de sair.FAMOSO ECLESIÁSTICO UM COLABORADOR OCASIONAL O chefe de redação devolveu a página de prova subitamente. – Monks. Renovação de três meses. Ressaltar agosto: boa idéia: mês da exposição de cavalos. Onde está Monks? – Monks! O Sr. . Onde está qual é o nome dele? Ele olhou à sua volta para as máquinas barulhentas sem resposta. Onde está a carta do arcebispo? Deve ser repetida no Telegraph. A tentar de qualquer forma. – Monks! – Sim. Afluência de turistas para a exposição. dizendo: – Espere. senhor? – perguntou uma voz da caixa dos tipos de impressão. e o senhor lhe dará uma boa colocação eu sei. Primeiro vou ter que gastar muita saliva. Nannetti – disse –. senhor.

Está chegando ao limite de suas forças agora. sem nenhuma maluquice na cabeça. E ERA A FESTA DA PÁSCOA JUDAICA Ele parou de andar para observar um linotipista . retirada de afogados. discursos. o registro-do-dia.UM REGISTRO-DO-DIA Ele atravessou a sala da caixa de tipos passando por um homem idoso. de óculos e avental. Muitas matérias esquisitas devem ter passado por suas mãos em sua vida: comunicações de óbitos. processos de divórcio. O velho Monks. Feiosa Jane. anúncios de bares. A mulher uma boa cozinheira e lavadeira. Filha em sua máquina de costura na sala de estar. inclinado. Homem sério e sóbrio com alguma coisa na caixa econômica eu diria.

Bloom se afastou dos ruídos estrepitosos prosseguindo através da galeria até o patamar. Parece ver com seus dedos. Pobre papai com seu livro Hagadah. Deve exigir alguma prática isso. E então a ovelha e o gato e o cachorro e o bastão e a água e o açougueiro. Soa um pouco tolo até que seja bem examinado. Então os doze irmãos. O número? Sim. O ano que vem em Jerusalém. Agora eu vou de fato sair por aí de bonde para então talvez perceber que ele saiu. Céus. Como ele faz esse trabalho rapidamente. O Sr. Não. Shema Israel Adonai Elohenu. filhos de Jacó. Isso é o que é a vida afinal de contas. O mesmo da casa de Citron. Vinte e oito quatro quatro. Isso quer dizer justiça mas são todos se comendo uns aos outros. E então o anjo da morte mata o açougueiro e ele mata o boi e o cachorro mata o gato. Vinte e oito. Pessach. A prática leva à perfeição. essa é a outra. Faz isso rapidamente. SÓ MAIS UMA VEZ AQUELE SABONETE . Ó céus! Toda essa longa história de que nos tirou das terras do Egito para a casa da servidão alleluia. Lê primeiro de trás para diante. Melhor ligar para ele primeiro.distribuindo cuidadosamente os tipos. lendo para mim de trás para diante com seu dedo. mangiD kcirtaP.

ERIN. Não. É Ned Lambert. Aqui. Que diacho quem rabiscou todas essas paredes com fósforos? Parece que fizeram isso por uma aposta. Há sempre um cheiro gorduroso e intenso nesses trabalhos. Só para ver: antes: se vestindo. Qual é o perfume que sua mulher usa? Eu ainda podia ir para casa: bonde: alguma coisa que esqueci. Retirou o lenço para dar umas pancadinhas no nariz. O que está acontecendo? Surgir subitamente por um instante para telefonar. no bolsinho de trás de sua calça. o sabonete que pus ali. abotoado. Cidralimão? Ah. Uma súbita risada aguda veio do escritório do Evening Telegraph. Vou perdê-lo nesse bolso. Pondo seu lenço de volta ele tirou o sabonete e o guardou. Sei de quem é. Cola forte morna na casa ao lado de Thom quando eu estava lá. Ele entrou mansamente.Ele desceu a escada da casa. GEMA VERDE DO MAR PRATEADO – O fantasma anda – murmurou suavemente para a . Não.

do qual o sol glorioso tirou vantagem ou sob as sombras lançadas sobre seu seio melancólico pela folhagem abobadada dos gigantes da floresta. Puxa vida! Puxa vida! – E Xenofonte olhou para Maratona – disse o Sr. – O que você me diz disso como jactância? – Está bebendo algo novo – disse o Sr. embora brigando com os obstáculos pedregosos. Dedalus olhando novamente da lareira para a janela – e Maratona olhava para o mar. até as águas que tombam do domínio azul de Netuno. o Sr. repetindo: – O seio melancólico e a folhagem atamancada. Que tal isso.vidraça empoeirada o professor MacHugh. Dedalus perguntou-lhe malhumoradamente: – Por Cristo agonizante. entre bancos musgosos. Simon? – perguntou por sobre a margem do seu jornal. Ned Lambert prosseguiu lendo: – Ou ainda. Dedalus. abanado pelo mais suave zéfiro. Ele acabou de comer a meia-lua da bolacha de . com a boca cheia de biscoito. notem os meandros de algum regato murmurejante enquanto ele balbucia em seu curso. Ned Lambert bateu com o jornal em seus joelhos. – Não quero mais ouvir falar desse assunto. – Basta – gritou o professor MacHugh da janela. Às gargalhadas. isso não lhe provocaria uma azia no traseiro? Sentado à mesa. Fitando da lareira vazia o rosto zombeteiro de Ned Lambert.

Perturba bastante o dia de um homem. faça lugar para o seu tio. – Um fragmento de Cícero recentemente descoberto – respondeu o professor MacHugh com tom pomposo. – O que é? – perguntou o Sr. Johnny. – Só um outro espasmo – disse Ned Lambert. Disparates. o vicechanceler. Vivendo para irritálos. O excelentíssimo Hedges Eyre Chatterton. o apetite despertado. Ele tem influência dizem. um enterro. CURTO MAS DIRETO . Vejo que Ned Lambert está tirando um dia de folga. Ouso afirmar que ele preenche para ele um ou dois cheques tremidos nos dias de pagamento dos periódicos. O velho Chatterton. Sorte inesperada quando ele bater as botas. Aleluia. Bloom. Matéria de linguagem bombástica. é seu tio-avô ou seu tio-bisavô. – Nosso belo país. Está perto dos noventa dizem. se preparou para mordiscar o biscoito em sua outra mão. Poderia ele mesmo partir primeiro. Subeditorial para sua morte talvez tenha sido escrito há muito tempo.água que andara mordiscando e.

Entre. O Sr. – País de Dan Dawson – disse o Sr.– País de quem? – disse simplesmente o Sr. e você? J. A maçaneta da porta bateu no meio das costas do Sr. O’Molloy sacudiu a cabeça. Dedalus? – Bem. Bloom. J. Ned Lambert acenou com a cabeça. – Bom-dia. – Entre. – Desculpe-me – disse J. Dedalus. – Bom-dia. – Eu lhe peço desculpa – disse ele. – Como vai. Bloom. Bloom quando ela foi empurrada. O’Molloy. TRISTE Ele costumava ser o rapaz mais inteligente do foro . J. – Pergunta muito pertinente – disse o professor MacHugh entre suas mastigadas. – Mas ouçam isso – disse ele. – É o discurso dele de ontem à noite? – perguntou o Sr. Jack. Bloom se afastou agilmente. entrando. – Com acento sobre de quem.

– Ou ainda se nós ao menos galgarmos os picos das montanhas cerradas. Creio que ele faz uma contribuição literária para o Express com Gabriel Conroy. eu me pergunto. Cumprimentam bem o sujeito que . Um podiatersido. Clientela minguando. Quente e frio no mesmo sopro. Preocupação com dinheiro. Perdendo a coragem. O’Molloy. – Será que o editor pode ser visto? – perguntou J. É perigoso para ele. Atacam-se impetuosamente uns aos outros nos jornais e depois tudo se dissipa. Fitzgerald. J. Não saberiam em quem acreditar. Jogando. Costumava receber bons honorários adiantados de D. Tísico. olhando para a porta interna. Colhendo o turbilhão. Dívidas de honra.judicial jovem. J. J. – Você está com uma aparência excelente. Um rapaz muito culto. – Ser visto e ouvido. Cata-ventos. Myles Crawford começou no Independent. Ele está no seu santuário com Lenehan. Suas perucas para mostrar sua massa cinzenta. Essa vermelhidão héctica significa o fim para um homem. e T. Uma história boa até se ouvir a próxima. pobre camarada. Que vento o traz. Com o cérebro à mostra como a estátua em Glasnevin. O’Molloy caminhou para a escrivaninha inclinada e começou a voltar para trás as páginas rosa do arquivo. – Como não – disse o professor MacHugh. Engraçada a maneira pela qual esses jornalistas mudam de opinião quando eles tomam conhecimento de uma nova oportunidade.

inigualáveis.. por sua grande beleza. impregnados do brilho translúcido e transcendente do nosso crepúsculo irlandês ameno e misterioso..encontram no momento seguinte. – Que ele banhe seus lábios – disse o Sr.. Dedalus. no panorama incomparável da pasta da Irlanda. – Ou ainda se nós ao menos galgarmos os picos da montanha cerrada. para banhar nossas almas. ouçam isso pelo amor de Deus – rogou Ned Lambert. de frondosos arvoredos e planícies ondulantes e pastagens luxuriantes de um verde vernal. – A lua – disse o professor MacHugh.. – Bombástico! – interrompeu o professor com mau humor. – Ele se esqueceu de Hamlet. – Deus eterno e abençoado! Sim? Será que ele está recebendo alguma coisa por isso? – Por assim dizer. – Ah.. apesar dos protótipos bem elogiados em outras alardeadas regiões merecedoras de prêmio. – Chega de falastrão inflado! – Picos – continuou Ned Lambert – subindo cada vez mais alto.. por assim dizer. SEU DIALETO NATIVO .

– Mas que merda! Chega. O QUE WETHERUP DISSE É fácil zombar agora disso impresso friamente mas esse negócio desce pela garganta como um pãozinho quente. Um instante depois uma risada enorme e rouca irrompeu do rosto não barbeado e de óculos escuros do professor MacHugh. Filha noiva daquele camarada do departamento de receita pública que tem um carro.. A vida é curta demais. – Ó! – gritou o Sr. Ele tirou sua cartola e. penteou seu cabelo à moda de Gales com seus dedos. Ned. Também ele era do ramo da padaria. Em todo caso ele enriqueceu.– Que envolve a vista por toda parte e espera até que a orbe resplandecente da lua fulgure para irradiar seu resplendor prateado. não era? Razão pela qual o chamavam de Doughy Daw. soprando impacientemente em seu basto bigode. dando vazão a um gemido desalentado. cacarejando com prazer. Ned Lambert jogou o jornal para o lado. Dedalus. – Doughy Daw! – gritou ele. ..

Os atrevidos olhos azuis olharam fixamente à volta e a voz áspera perguntou: – O que é? – E eis que chega o falso senhor em pessoa! – disse grandiloqüentemente o professor MacHugh. – Você se junta a nós. – Seu sabe-tudo. Ned. – Vamos. A porta interna foi aberta violentamente e uma cara bicuda escarlate. Diversões. – Venha. – E com toda a razão – disse o Sr. Grande festividade. encimada por uma crista de cabelo emplumado. Os olhos azuis do editor vagaram em direção ao rosto do Sr. – Eu preciso de um drinque depois disso. . Bloom. Myles? – perguntou Lambert. Ned Lambert desceu da mesa escorregando de lado. – Drinque! – gritou o editor.Fisgou isso satisfatoriamente. Ned – disse o Sr. Dedalus. pondo o chapéu. Dedalus saindo. se intrometeu. – Nenhum drinque será servido antes da missa. Casa aberta a todos. Agarrá-los pelo estômago. Wetherup sempre disse isso. que esboçava um sorriso. seu miserável velho pedagogo – disse o editor em resposta.

O’Molloy: – Jigas incipientes. – Meu Ohio! – Um perfeito crético! – observou o professor. HARPA EÓLICA Ele pegou um rolo de linha dental do bolso de seu colete . – Onde foi isso Myles? – perguntou Ned Lambert com um olhar pensativo para as biqueiras de seus sapatos. J. – Ohio! – exultou o editor com voz aguda e elevada partindo de seu rosto enaltecido escarlate. por Deus – concordou Ned Lambert. – Longa. dando grandes passadas em direção à lareira.BATALHAS MEMORÁVEIS RELEMBRADAS – A milícia de North Cork! – gritou o editor. – Foi isso mesmo. Saindo ele murmurou para J. curta e longa. – Nós ganhamos todas as vezes! North Cork e oficiais espanhóis. Ó. – Em Ohio! – bradou o editor. Caso triste.

deixando as páginas que segurava deslizar molemente de volta para o arquivo. – E quanto ao editorial desta noite? – perguntou o professor MacHugh. passou elegantemente entre os seus ressoantes dentes não lavados. Crawford – disse ele. – Quem quer uma barbada para o Grande . Jack. sim. Está bem. – Está tudo certo – disse Myles Crawford mais calmamente. – Só um minuto. – Bom-dia. – Não se atormente. partindo um pedaço. Ele entrou. Bloom se encaminhou para a porta interna. J. – Binguebangue.e. o Sr. – Eu só quero fazer uma ligação sobre um anúncio. O’Molloy. Sr. Quatro quatro. banguebangue. DESCOBRIR O GANHADOR Lenehan saiu do escritório interno com folhas do Sport. Vendo o terreno livre. – É hoje que passa aquele caso de fraude do Canadá? O telefone zuniu lá dentro. Alô. Não. – Vinte e oito. vindo até o editor e pousando uma mão firme em seu ombro. Vinte. Myles – disse J.

O professor MacHugh atravessou a sala com passos largos e agarrou o garoto agachado pela gola enquanto os outros fugiam do saguão precipitadamente escada abaixo. No saguão gritos estridentes de pequenos jornaleiros descalços se aproximavam apressados e a porta foi aberta com violência. Jogou as folhas sobre a mesa. – Fora daqui você – disse rispidamente o professor MacHugh. resmungando ao se abaixar duas vezes. . – Há um furacão soprando. Ele empurrou o menino para fora e fechou com violência a porta. flutuaram suavemente no ar as garatujas azuis e passando por baixo da mesa chegaram à terra. – Ponha-o fora e feche a porta – disse o editor. Madden. Foi o camarada grande que me empurrou. – Foi Pat Farrell que me empurrou. senhor. – Cetro montado por O. murmurando.Prêmio? – perguntou. procurando. J. – Psiu – disse Lenehan. As folhas farfalharam com a corrente de ar. Ele apontou para dois rostos espiando por detrás do batente da porta. senhor – disse o pequeno jornaleiro. J. – Ele. Lenehan começou a pegar as folhas do chão. senhor. senhor. senhor. – Ouço passos. O’Molloy virou as páginas do arquivo com estalido. – Estou esperando o caderno especial da corrida. – Não fui eu.

esfregando o joelho: – A acumulação do anno Domini. É do Evening Telegraph aqui – disse ao telefone da sala interna o Sr.? Sim. Bloom. Certo.– Continua na página seis. – Minha culpa – disse o Sr. monsieur – disse Lenehan o agarrando por um instante e fazendo uma careta. O barulho de duas vozes estridentes... – Pardon. Bloom. parou. coluna quatro. uma gaita.. Ele caminhou para a porta e. – Você se machucou? Estou com pressa. Eu o alcançarei. J.. – O joelho – disse Lenehan. suportando seu aperto. Telegraph. – O patrão está. Bloom. mantendo-a entreaberta. UMA COLISÃO SE SEGUE A sineta zuniu novamente enquanto ele desligava. O’Molloy bateu por cima das páginas pesadas. Para onde? Aha! Que salas de leilão? Aha! Entendo. – Sim. – Desculpe – disse o Sr. Ele entrou rapidamente e deu um encontrão em Lenehan que estava lutando com a segunda folha do arquivo. ecoou no saguão vazio vindo dos pequenos . J. Ele fez uma expressão cômica e choramingou.

. J.jornaleiros acocorados na soleira da porta. – O mundo está à sua frente. saindo apressado. J. sem comentário. – Nós somos os garotos de Wexford Que lutam com a mão e o coração. – Olhem só para os jovens tratantes atrás dele. – Volto num instante – disse o Sr. apoiara a cabeça nas mãos. BLOOM SAI – Eu só estou dando um pulo em Bachelor’s Walk – disse o Sr. – Parta! – disse. olhando fixamente com seus óculos de aros escuros pela persiana entreaberta. O editor que. Bloom. subitamente estendeu o braço com um gesto teatral. Disseram que ele está por ali no Dillon’s. Quero resolvê-lo. Por um momento ele olhou indeciso para os rostos deles. a respeito deste anúncio de Chaves. encostado na lareira. soprando suavemente para separálas. – Ele vai conseguir esse anúncio – disse o professor. Bloom –. O’Molloy pegou as folhas da mão de Lenehan e as leu.

São capazes de se aproximar despercebidos até de cotovias. – O que é isso? – disse Myles Crawford com um sobressalto. – Eles foram dar uma volta até o Oval para tomar um . Ó meu fígado desopilado! Imitando seus pés grandes e seu andar desajeitado. Onde? – exclamou Lenehan. com uma cauda de laços corrediços brancos. Até os menores truques. o último ziguezagueando na brisa um papagaio branco zombeteiro.– Mostre. – Para onde foram os outros dois? – Quem? – disse o professor. se voltando. O’Molloy que colocou as folhas em suas mãos estendidas para recebê-las. Ele começou a dançar uma mazurca numa rápida caricatura através do soalho passando com pés deslizantes pela lareira até J. – Olhem para o clamor público dos moleques de rua atrás dele – disse Lenehan – e vocês vão se divertir. Bloom. J. correndo para a janela. UM CORTEJO NA RUA Os dois olharam sorrindo por cima da persiana entreaberta para a fila de pequenos jornaleiros saltando no rastro do Sr.

Elas tilintaram então no ar e de encontro à madeira quando ele trancou a gaveta de sua escrivaninha. Paddy Hooper está lá com Jack Hall. O’Molloy. . J. separando as abas de sua jaqueta. se servindo.drinque. O’Molloy abriu sua cigarreira novamente e a ofereceu. pegando uma cigarreira com uma reflexão sussurrante –. fazendo tilintar as chaves no seu bolso de trás. Lenehan riscou prontamente um fósforo para eles e acendeu os seus cigarros um de cada vez. mas não é possível nos fiarmos sempre na aparência. J. – Vamos então – disse Myles Crawford. – Thanky vous – disse Lenehan. Quem aí tem mais fósforos? O CACHIMBO DA PAZ Ele ofereceu um cigarro ao professor e pegou um para si mesmo. – Onde está o meu chapéu? Ele entrou abruptamente na sala atrás. – Ele está meio bêbado – disse o professor MacHugh em voz baixa. Chegou ontem à noite. J. – Parece estar – disse J.

O editor veio do escritório interno. O’Molloy delicadamente. Estamos mais fritos do que uma bola de neve no inferno. com um chapéu de palha enviesado na testa. – Hein? Seu velho miserável império romano? – disse Myles Crawford. J. Ele pegou um cigarro da cigarreira aberta. Declamou cantando. cerrando seus longos lábios. – Nós somos a gordura. disse: – Silêncio para a minha charada nova em folha! – Imperium romanum – disse J. – Soa mais nobre do que britânico ou de Brixton. O professor deu um sorriso forçado. A palavra me lembra de certa forma gordura no fogo. A GRANDEZA QUE FOI ROMA . – É isso aí – disse. apontando severamente para o professor MacHugh: – Eram posição e fama que te tentavam Era o império que seduzia teu coração. acendendo-o para ele com rápida solicitude. Myles Crawford soprou violentamente para o teto sua primeira baforada. Vocês e eu somos a gordura no fogo. Lenehan.

– Vocês conhecem aquela história sobre aquele importante barão Palles? – perguntou J. por sons de palavras. Os judeus no deserto e no cimo da montanha disseram: É apropriado ficar aqui. O’Molloy. – Primeiro a minha charada! – exclamou .. J. trouxe para cada novo litoral em que pôs os pés (em nosso litoral ele nunca os pôs) apenas sua obsessão cloacal. Tudo estava indo às mil maravilhas. – Foi num jantar da universidade real. – O que eles assim fizeram – disse Lenehan. Pensamos em Roma imperial. O romano. erguendo duas garras tranqüilas. – Eles eram cavalheiros da natureza – J. gostavam é dos riachos. Estendeu braços elocutórios dos punhos manchados e puídos da camisa. – Mas nós temos também a lei romana. como lemos no primeiro capítulo de Guinness. imperiosa. Construamos uma latrina. – E Pôncio Pilatos é seu profeta – respondeu o professor MacHugh. fazendo uma pausa: – O que foi a sua civilização? Vasta. Cloacae: esgotos.– Vamos com calma – disse o professor MacHugh. como o inglês que lhe seguiu os passos. Construamos um altar para Jeovah. O’Molloy murmurou. concedo: mas desprezível.. J. Ele lançou um olhar à volta vestindo sua toga e disse: É apropriado ficar aqui. imperativa. – Nossos antigos e velhos ancestrais. – Não devemos nos deixar levar por palavras.

ponderem. Seu chefão acabou de sair. – Sr. entrou vindo do saguão. Um pedacinho rasgado. apontando para o título e assinatura. respondam. ??? Lenehan disse para todos: – Silêncio! Que ópera é ao mesmo tempo um instrumento musical e um animal? Reflitam. – Estou escoltando um suplicante – disse melodiosamente o Sr. alto num tweed de Donegal de um cinza exuberante. – Como vai? – disse o editor. estendendo a mão. – Aquele velho libertino – disse o editor. – Vocês estão prontos? O Sr.Lenehan. excogitem. mes enfants! – exclamou Lenehan. tirou o chapéu ao entrar. Garrett Deasy – disse Stephen. O’Madden Burke. – Quem . Stephen entregou as folhas batidas à máquina. – Entrez. Stephen Dedalus. – A Juventude conduzida pela Experiência visita a Notoriedade. – Entre. atrás dele. – Quem? – perguntou o editor. O’Madden.

príncipe de Breffni. vindo espiar por cima dos ombros deles. O Sr. – Febre aftosa? Você se tornou. a mulher fugitiva de Menelau. Por Cristo. e eu conheci sua mulher também. dez anos os gregos.. – A carta não é minha. ela tinha febre aftosa sem dúvida alguma! A noite em que ela jogou o prato de sopa na cara do garçom em Star and Garter..o rasgou? Estava lhe faltando papel? Na nau ligeira ele vem Flamejando do sul tempestuoso O pálido vampiro A boca na minha boca.. senhor – respondeu Stephen corando. eu o conheço – Myles Crawford disse –.. Por Helena. – Ó. – Bom-dia. A velha mais miserável e intratável que Deus já criou. O’Rourke.? Bardo protetor-de-novilho. Stephen – disse o professor. . Garrett Deasy me pediu para. Meu Deus! Uma mulher trouxe o pecado ao mundo. TUMULTO NUM CONHECIDO RESTAURANTE – Bom-dia.

J. – É. Gansos selvagens. Um irlandês salvou a sua vida nas muralhas de Viena. toda vez. CAUSAS PERDIDAS NOBRE MARQUÊS MENCIONADO – Nós sempre fomos fiéis às causas perdidas – disse o professor. a mulher está separada dele há muito tempo – disse Myles Crawford. revirando na mão um peso de papel de ferradura. O professor MacHugh se virou para ele. Habsburgo.– Ele é viúvo? – perguntou Stephen. – E se não? – disse. – Era uma vez um húngaro.. – Eu vou lhes contar como era – começou Myles Crawford.. Mandou seu herdeiro levar então ao rei as insígnias de marechal-de-campo da Áustria. Ó sim. Vai haver confusão lá um desses dias. – Salvar príncipes é uma tarefa digna de uma recompensa substancial. O’Molloy tranqüilamente. graf von Tirconnell na Irlanda. percorrendo o texto batido à máquina. Não se esqueçam disso! – O xis do problema é se ele se esqueceu – disse J. Não se esqueçam! Maximilian Karl O’Donnell. – O sucesso para nós é a morte do intelecto e da imaginação. Nunca fomos leais aos bem- . – Cavalos do imperador.

Eu deveria lecionar grego. Nós somos vassalos feudais da ordem de cavaleiros católicos da Europa que se arruinou em Trafalgar. a linguagem da mente. induzido em erro por um oráculo. Eu ensino a língua redundante que é o latim. não de um imperium . – Kyrios! Palavra cintilante! As vogais os semitas e os saxões as desconhecem. – O grego! – disse ele novamente. Eu falo a língua de uma raça cujo ápice de sua mentalidade é a máxima: tempo é dinheiro. Mas o grego! KYRIE ELEISON! Um sorriso de compreensão iluminou seus olhos de bordas escuras. . Sim. Nós os servimos. Kyrie! O esplendor do intelecto.sucedidos. alongou seus lábios longos. que se afundou com as frotas atenienses em Egospotamos. Eles se afundaram. Dominação material. e do império do espírito. Domine! Senhor! Onde está a espiritualidade? Lorde Jesus? Lorde Salisbury? Um sofá em um clube aristocrático. Kyrie eleison! O fabricante da latrina e o construtor do esgoto nunca serão senhores de nosso espírito. sim. Pirro. Leal a uma causa perdida. fez uma última tentativa de recuperar a prosperidade da Grécia.

Myles Crawford socou as folhas no bolso lateral. Lenehan estendeu as mãos em sinal de . pobre. Cuja mãe morreu como um animal.Ele se afastou deles a passos largos caminhando em direção à janela. Vai dar tudo certo. – Devido a um tijolo que lhe caiu em cima na segunda metade da matinée. pobre Pirro! Ele murmurou então perto do ouvido de Stephen: VERSO HUMORÍSTICO DE LENEHAN – MacHugh é um guru enfadonho De óculos pretos medonhos Com a visão dupla que tem Os óculos não lhe fazem bem. Pobre. Mas isso não é piada nem em sonho. – Buubuu! – choramingou Lenehan com um barulhinho. O’Madden Burke sombriamente –. diz Mulligan. De luto por Saluste. mas sempre perdiam. – Vai dar tudo certo – disse. – Eu vou ler o resto depois. – Eles partiam para lutar – disse o Sr.

– Nós estávamos exatamente pensando nisso – disse Stephen. J. Erguendo-se na ponta dos pés. O Sr. – Socorro! – suspirou ele. – Violanta. – Que ópera é ao mesmo tempo um instrumento musical e um animal? – Ópera? – O rosto esfíngico do Sr. – Mas a minha charada! – disse. – Ou teriam sido vocês que atiraram de comum acordo no vice-rei da Finlândia? Vocês estão com jeito de ter realizado esse feito. – Vocês estão parecendo dois membros de uma comuna. – Estou sentindo uma extrema fraqueza. Viram a piada? Viola e anta. – Paris. O’Madden caiu com graça para trás sobre seu guarda-chuva. O professor. Lenehan anunciou alegremente. voltando por entre os arquivos. tocou de leve com as mãos as gravatas frouxas de Stephen e do Sr. O’Madden Burke. – Como os camaradas que derrubaram a Bastilha – disse J. Puxa! Ele deu um soco suave no estômago do Sr. fingindo sufocar um grito. O’Madden. .protesto. O’Molloy com branda zombaria. passado e presente – disse ele. O’Madden Burke recharadou. General Bobrikoff. Lenehan abanou o rosto dele rapidamente com as folhas farfalhantes.

– Lei. – Hemhem! – disse ele muito suavemente. – A delicada arte da publicidade. – A musa vocal. O’Madden Burke.. – Literatura. – Se Bloom estivesse aqui – disse o professor. – As corridas de cavalos – encaixou Lenehan.OMNIUM AGRUPAMENTUM – Todos os talentos – disse Myles Crawford. O portão estava aberto. – E Madame Bloom – acrescentou o Sr. . o que eu não daria por um sopro de ar fresco! Eu peguei um resfriado no parque. A prima-dona favorita de Dublin. a imprensa. os clássicos. “VOCÊ CONSEGUE!” O editor pôs sua mão nervosa no ombro de Stephen.. – Ó. Lenehan tossiu com força.

Filho e Espírito Santo e Jakes M’Carthy.– Eu quero que você escreva alguma coisa para mim – disse. Vejo isso no seu rosto. O’Madden Burke.. – Febre aftosa! – exclamou o editor numa invectiva desdenhosa. – Grande assembléia nacionalista em Borris-in-Ossory. Vejo isso nos seus olhos. – Nós podemos todos fornecer sustento mental – disse o Sr. – Espere um instante. Padre. Você pode fazer isso. J. Seu indolente Maquiavelzinho preguiçoso. Tudo disparate! Intimidando o público! Dê-lhes alguma coisa corrosiva. O’Molloy. Meta-nos todos nisso e que se dane.. Stephen ergueu os olhos para o olhar atrevido e desatento. Eu o vejo em seu rosto. No léxico da juventude. – Ele o quer na turma da imprensa – disse J. apertando a mão dele com entusiasmo. Nós vamos paralisar a Europa como Ignatius Gallaher costumava dizer quando estava . – Alguma coisa mordaz. O GRANDE GALLAHER – Você pode fazer isso – repetiu Myles Crawford.

– New York World – disse o editor. Passou empurrando por eles até o arquivo. Holohan me disse. Você sabe como ele se distinguiu? Vou lhe dizer. – Olhem aqui – disse ele se voltando. – Fitzharris. não é? – disse Myles Crawford. assassinato no parque Phoenix. Que pena brilhante. – E o pobre do Gumley também está lá. marcando os pontos no jogo de bilhar no Clarence. dizem. empurrando seu chapéu de palha excitadamente para trás. 6 de maio. creio. Joe Brady e todos os outros. O’Madden Burke. Um vigia noturno. Todo o caminho. ou Kavanagh. Ele tem aquele abrigo do cocheiro. cuidando de um depósito de pedras para a corporação. Isso foi em 81. Foi a matéria de jornalismo mais inteligente que já existiu. Quero dizer Tim Kelly. lá na ponte Butt. – O lugar em que aconteceu. Stephen se voltou surpreso. Vocês se lembram daquele tempo? O professor MacHugh acenou com a cabeça em assentimento. – Gumley? – disse. – Não me diga. Um amigo de meu pai. aquilo é que era um jornalista. segundo ele me disse. antes de você nascer. – O New York World havia telegrafado pedindo uma nota especial. Vocês conhecem Holohan? – Pule e leve.desempregado. não é? – Esqueçam Gumley – gritou irritado Myles . entende? – Pele-de-Cabra – disse o Sr. época dos invencíveis. Onde Pele-deCabra conduziu o carro. Gallaher. Vou lhe mostrar.

digamos. Telegrafou imediatamente. Alô?. – Deixem que Gumley cuide das pedras.. e não deixe elas fugirem. Olhem para isto aqui.. Acharam? Bem... Vocês têm o Weekly Freeman de 17 de março? Vocês acharam? Ele voltou atrás as páginas do arquivo e grudou o dedo num ponto. K é o portão Knockmaroon. – Alô? Aqui é do Evening Telegraph. se afastando.. Bom.. A carne flácida do seu pescoço sacudiu como o papo de um galo.Crawford. Quem está falando?. Sim. Sim. Seu dedo saltou e bateu vibrante em um ponto atrás do outro. A campainha do telefone zuniu. Com um gesto brusco ele meteu de volta dentro do seu colete o peitilho mal engomado da camisa que se projetara para cima.. – T é o alojamento do vice-rei. UMA VOZ DISTANTE – Eu vou atender – disse o professor. – Peguem a página quatro.. Inspiração de gênio. C é o lugar em que o assassinato ocorreu. . – De F a P é o caminho pelo qual Pele-de-Cabra passou de carro como forma de álibi. – B é o portão do parque. no anúncio do café Bransome. O que fez Ignatius Gallaher? Vou lhes dizer. Sim. Inchicore.

Roundtown. – Diga a ele que vá para o inferno – disse prontamente o editor. anunciando: – Madam. Dick Adams. O professor veio até a porta interna. – Eu estava presente. aquele tratante de Cork de melhor coração do mundo em que o Senhor já tenha soprado vida. . – Eu vi isso – disse orgulhosamente o editor. e eu. – História! – exclamou Myles Crawford. – X é o bar Davy. Ranelagh. – Muito. – Bloom está no telefone – disse. F. Windy Arbour. Pesadelo do qual você nunca despertará. – Ele lhes deu isso num prato quente – disse Myles Crawford –. eu sou Adam. Perceberam? X é o bar Davy no alto da Lesson Street. B. MUITO – Inteligente – disse Lenehan. – A Velha Senhora de Prince Street foi a primeira a estar lá. toda a maldita história sangrenta. Lenehan se curvou para uma figura no espaço. Palmerston Park. P. E Abel era eu antes de ver Elba. A. perceberam? INTELIGENTE.

Pyatt! O papai de todos! – O pai do jornalismo das ousadas manchetes – confirmou Lenehan – e o cunhado de Chris Callinan. O’Madden Burke. Isso o ajudou a pôr o pé no estribo. – Alô? Quem está falando? Sim. Ele atirou com violência as páginas. Justamente no lado de fora do alojamento do vice-rei.. Por meio de um anúncio. – Tanadamente dalentoso – disse Lenehan para o Sr.Por causa disso houve choro e ranger de dentes. Gregor Grey organizou o plano. ele ainda está aqui. – Lady Dudley estava caminhando para a casa através do parque para ver todas as árvores que foram derrubadas pelo ciclone do ano passado e pensou em comprar um cartão-postal com uma vista de Dublin. Isso é a imprensa. Venha você. Isso é talento. O’Madden Burke. Então Paddy Hooper trabalhou Tay Pay que o levou para o Star. – Falando dos invencíveis – disse –. hein? – exclamou o editor. E este cartão nada mais era do que uma comemoração a Joe Brady ou o Número Um ou Pele-de-Cabra. vocês viram que alguns vendedores ambulantes compareceram perante o magistrado. O’Molloy. imaginem só! – Agora estão apenas envolvidos em .. J. – Onde se encontra agora um jornalista desse calibre. – Muito esperto – disse o Sr. Agora ele está lá com Blumenfeld. O professor MacHugh veio do gabinete interno. – Ó sim – disse vivamente J.

Arre! Só de segunda categoria. . de castanho-avermelhado. Soca. la tua pace . . Hein? Ah. . como Whiteside. toca. . como o eloqüente O’Haggan. Ele as viu se aproximando de três em três. foca. Rimas: dois homens vestidos igualmente. roca. parecendo iguais. dois a dois. soca. . si tace. doca. Será que a boca soca de uma certa maneira? Ou o que soca é boca? Deve haver algo. . . como Isaac Butt. . Será que haveria alguém que desejasse beijar essa boca? Como é que vamos saber? Por que você escreveu isso então? RIMAS E RAZÕES Boca. . Sua boca silenciosa continuava a se contrair sem falar com crispações nervosas que expressavam desprezo. . che parlar ti piace Mentre che il vento. . maldito absurdo. . – Arre! A imprensa e a advocacia! Onde existe agora um homem nos tribunais como aqueles camaradas. . de rosa. come fa.procedimentos inconseqüentes – disse Myles Crawford. moças de verde.

Conforme no momento aconselhado. A CADA DIA BASTA. J. Por que trazer à tona um mestre da eloqüência forense como Whiteside? A cada dia basta o seu jornal. – Defenda-se – disse o Sr. e seu primo americano da imprensa marrom sem mencionar Paddy Kelly’s Budget. de púrpura. Mas eu homens velhos. de malva. – Meu caro Myles – disse ele. Pue’s Occurrences e nosso amigo alerta The Skibbereen Eagle. O’Molloy aceitou o desafio. jogando fora o cigarro –. O’Madden Burke. soboescuroabaixo a noite: boca soca: centre ventre. ouro de oriflama. di rimirar fè più ardenti. Sorrindo amarelo. penitentes. quella pacifica oriafiamma. pésdechumbo. Por que não trazer à tona Henry Grattan e Flood e Demóstenes e Edmund Burke? Todos nós conhecemos Ignatius Gallaher e seu patrão de Chapelizod.. eu não serei defensor da terceira profissão qua profissão mas suas pernas de Cork o estão fazendo perder o controle.enlaçadas. J. per l’aer perso. . Harmsworth do jornal de um vintém.. você interpretou mal as minhas palavras.

ELOS COM OS DIAS DE OUTRORA – Grattan e Flood escreveram neste mesmo jornal – gritou o editor na cara dele... Ou a outra história. Mas não importa. . A propósito como ele descobriu isso? Ele morreu dormindo. E no pavilhão de minha orelha derramou. a fera de duas costas? – O que foi isso? – perguntou o professor. sim: Bushe. Kendal Bushe ou quero dizer Seymour Bushe. Bushe o defendeu. Onde você está agora? Fundado em 1763. Dr. – Há muito tempo ele estaria na magistratura – disse o professor – se não fosse. Lucas. sim. O’Molloy se voltou para Stephen e disse calmamente e lentamente: – Uma das orações mais refinadas que penso jamais ter ouvido em toda a minha vida saiu dos lábios de Seymour Bushe. Quem você tem agora como John Philpot Curran? Puxa! – Bem – disse J. J. – Bem. J. Foi naquele caso de fratricídio. no caso do assassinato de Childs. Ele tem esse estilo no seu sangue. J. C. – Voluntários irlandeses. O’Molloy – Bushe K.. por exemplo. – Bushe? – disse o editor.

MAGISTRA ARTIUM – Ele falou baseado na lei de evidência – disse J. – Hah. o riscar de um fósforo. – Umas poucas palavras bem escolhidas – prefaciou Lenehan. Desde então eu pensei muitas vezes ao olhar para trás para aquela época singular. UMA ÉPOCA REQUINTADA . tão trivial em si mesmo. J. – Silêncio! Pausa. J. que tivesse sido aquele pequeno ato. J. O’Molloy – da justiça romana em contraste com o código mosaico anterior. Pensativamente o Mensageiro tirou um palito de sua caixa de fósforos e acendeu seu charuto. Falsa calmaria. que tivesse determinado todo o futuro rumo de nossas vidas. Alguma coisa bem banal. O’Molloy pegou sua cigarreira. E ele citou o Moisés de Michelangelo no vaticano.ITÁLIA. a lex talionis.

cornífera e terrível. merece viver. aquele eterno símbolo de sabedoria e de profecia que. Sua mão delgada com um gesto ondulante dignificou o eco e a queda. – A divina inspiração – disse o Sr.J. J. J. Tirou um cigarro da cigarreira. UM HOMEM DE GRANDE MORAL . dizendo: – Muichibus obrigadibus. O’Molloy a Stephen. O’Molloy ofereceu sua cigarreira a Myles Crawford. J. – Você gosta disso? – perguntou J. – Ótimo! – disse Myles Crawford imediatamente. Com sua natureza atraída pela graça da linguagem e do gesto. moldando suas palavras: – Ele disse sobre isso: aquela efígie de pedra numa música congelada. Stephen corou. J. Lenehan acendeu como antes os cigarros deles e pegou seu troféu. O’Madden Burke. da forma humana divina. se alguma coisa daquilo que a imaginação ou a mão de um escultor talhou no mármore da almatransfigurada e da almatransfigurante merecer viver. O’Molloy retomou.

E. A. falara e o objeto de debate era um ensaio (novo para aqueles dias). obrigado – disse o professor MacHugh. E. andou dizendo a um entrevistador ianque que você o procurou nas primeiras horas da manhã para o questionar a respeito dos planos da consciência. – Ele tem assento ao lado de uma coisa . Ele se voltou para Myles Crawford e disse: – Você conhece Gerald Fitzgibbon.– O professor Magennis me falou a seu respeito – disse J. A mais refinada exibição de oratória que jamais ouvi foi um discurso pronunciado por John F. recusando a cigarreira. O juiz Sr. de bobo. o Magennis. Ela era uma bela velha sacola de truques. J. dos poetas da Opala e do Silêncio: A. o presidente atual da corte de apelação. – Espere um instante. J. o mestre místico? Foi aquela mulher Blavatsky que iniciou isso. O’Molloy a Stephen. Deixe-me dizer uma coisa. – O que você realmente pensa desse grupo hermético. E. Taylor na Sociedade Histórica de Trinity College. O’Molloy – de que ele tem assento ao lado de Tim Healy na comissão administrativa de Trinity College. advogando o restabelecimento da língua irlandesa. Magennis acha que você andou fazendo A. Ele é um homem da mais elevada moral. Fitzgibbon. Você pode então imaginar o estilo do discurso dele. – Não. O que ele disse? O que ele disse? O que ele disse a meu respeito? Não pergunte. Falando a meu respeito. – Corre um rumor – disse J.

Era então um movimento novo. O’Molloy: – Taylor doente. portanto sem valor. E então? – Era. Nós éramos fracos. levou a mão bem aberta aos seus óculos e. com o polegar e o dedo anular trêmulos tocando de leve nos aros pretos. o discurso de um orador consumado. Que ele tivesse preparado seu discurso não o creio pois não havia um estenógrafo sequer na sala. Cerrou por um momento seus lábios longos e finos mas. Seu rosto magro e moreno tinha à volta uma barba que crescia emaranhada. – Continue. firmou-os para acertar o foco. saíra da cama para ir ali. Ele tinha um . IMPROMPTU Com um tom de voz natural ele se dirigiu a J. J. observem bem – disse o professor –. cheio de uma cortesia altiva que derramava com uma dicção depurada eu não diria a torrente de sua cólera mas antes o desprezo do homem orgulhoso pelo novo movimento. como você deve saber. na ânsia de prosseguir.encantadora vestida como uma criança – disse Myles Crawford.

procurando. Presidente. ele disse: – Quando o discurso de Fitzgibbon terminou John F. ensebado por seu cabelo escasso. Ele ergueu firmemente sua cabeça. Seu olhar se voltou imediatamente mas lentamente do rosto de J. Ainda buscando. da melhor maneira possível em que possam me ocorrer. Ele começou: – Sr. suas fumaças subindo em frágeis hastes que desabrochavam com a sua fala. Seu colarinho de linho embaciado apareceu por trás de sua cabeça inclinada. foram estas as suas palavras. Moluscos ininteligentes eles pululavam de um lado para o outro nas lentes espessas. que eu estivesse no Egito antigo ouvindo o discurso de algum sumo sacerdote daquela terra dirigido ao juvenil Moisés. E que possam nossas fumaças tortuosas. Palavras nobres surgindo.cachecol branco de seda frouxo e no seu todo ele aparentava (embora não o estivesse) estar morrendo. Seriam vocês capazes de . para uma era bem distante desta era. Taylor se levantou para responder. Cuidado. O’Molloy para o de Stephen e em seguida se inclinou imediatamente para o chão. Seus ouvintes mantiveram seus cigarros suspensos no ar para ouvi-lo. procurando uma saída. Seus olhos mais uma vez refletiam seus pensamentos. Parecia-me estar sendo transportado para um país bem longe deste país. J. senhoras e senhores: Foi com grande admiração que ouvi um momento atrás as observações dirigidas à mocidade irlandesa pelo meu sábio amigo. Sucintamente.

. – Por que vocês judeus não querem aceitar nossa cultura. Ah. um sacerdócio. Vocês não têm cidades nem riqueza: nossas cidades são colmeias de humanidade e nossas galeras. carregadas de toda sorte de mercadorias sulcam os mares do mundo conhecido. Ouvi suas palavras e seu sentido me foi revelado. Vocês apenas emergiram de condições primitivas: nós temos uma literatura. nossa religião e nossa língua? Vocês são uma tribo de pastores nômades: nós somos um povo poderoso.fazer o mesmo? – E me parecia ouvir a voz daquele sumo sacerdote egípcio elevada a um tom semelhante de altivez e de orgulho. Nilo. trirremes e quadrirremes. uma história secular e uma sociedade organizada. maldição! Isso é Santo Agostinho. HERANÇA VINDA DOS PAIS Foi-me revelado que são boas aquelas coisas que no entanto são corrompidas que nem que elas fossem extremamente boas nem a menos que fossem boas pudessem ser corrompidas.

Ousadamente ele ergueu acima dele a sua voz: – Mas. desfrutando um silêncio. efígie. senhoras e senhores. Israel é fraco e pequeno o número de seus filhos: o Egito é um exército e terríveis são suas armas. De vocês a servidão. Ele nunca teria falado entre relâmpagos com o Eterno no monte Sinai nem nunca teria descido com a luz da inspiração brilhando em sua fisionomia e carregando em seus braços as tábuas da lei. de barba de pedra. gravadas na língua dos fora-da-lei. nem seguido a coluna de nuvem durante o dia. homem. de Hórus e Ammon Ra. majestosos e misteriosos. Um arroto de fome emudecido cortou suas palavras. são as moradias de Ísis e Osíris. Ele parou e olhou para eles. berço de junco: um homem ágil no combate: de chifre de pedra. o temor e a humildade: de nós o trovão e os mares. se o jovem Moisés tivesse escutado e aceitado aquela visão de vida.Criança. . Na margem do Nilo as mariasdobebê se ajoelham. Vagabundos e diaristass assim vocês são chamados: o mundo treme ao ouvir nosso nome. – Vocês rezam a um ídolo local e obscuro: nossos templos. de coração de pedra. se ele tivesse curvado sua cabeça e curvado sua vontade e curvado seu espírito diante daquela exortação arrogante ele nunca teria retirado o povo escolhido da casa de sua servidão.

– Cavalheiros – disse Stephen. – Posso sugerir como próxima medida de ordem do dia que seja votado o adiamento da câmara? . – Uma – morte – súbita – nesse – momento – embora – de – uma – longa – doença – muitas – vezes – previamente – expectorada – acrescentou Lenehan. – E com um grande futuro atrás de si. Ame e louve-o: a mim não mais. Um povo abrigado em sua voz. Inscrições acasianas de tudo que jamais existiu em algum lugar que fosse. Exércitos dos reis em Mullaghmast e Tara. Milhares de pavilhões de ouvidos. A tropa de pés descalços foi ouvida se precipitando ao longo do saguão e tagarelando escada acima. Levado pelo vento. As palavras do tribuno. Ruído amortecido. Eu tenho dinheiro. berradas e espalhadas aos quatro ventos. J.DE MAU AGOURO – PARA ELE! J. O’Molloy disse com um certo pesar: – E no entanto ele morreu sem ter entrado na terra prometida. – Isso é oratória – disse o professor sem que houvesse contradição.

. Declaro a moção aprovada.? Meu voto de Minerva é: Mooney! Ele foi à frente. . Não é por acaso uma cortesia francesa? – perguntou o Sr. Para que abrigodebebedeira em particular. Onde é que estão aquelas malditas chaves? Ele tateou no bolso retirando as folhas batidas à máquina amarrotadas. Ele enfiou as folhas de volta onde estavam e entrou no escritório interno. não é? Sim. – Que assim seja e pelo presente resolutamente decidido. Macduff. – É a hora. Seguindo de perto. falando metaforicamente. – Filho da antiga cepa! – exclamou o editor. – Caso contrário. em que a botija de vinho. é muito agradável senhores na Vossa antiga estalagem. Onde é que elas estão? Tudo bem.. – Vamos. Vai ser publicado. Todos aqueles que sejam a favor digam sim – anunciou Lenehan. – Febre aftosa. advertindo: – Nós vamos nos recusar terminantemente a tomar bebidas fortes. Está certo. De modo algum. O’Madden Burke disse com uma estocada aliada de seu guarda-chuva. Eu sei. – Em guarda. o Sr. batendo no ombro de Stephen. é isso aí. digam não. O’Madden Burke. me parece.– Você me deixa sem respiração.

– Crawford vai acompanhar. Um outro pequeno jornaleiro disparou por eles. – Venha. muito que aprender. O primeiro pequeno jornaleiro desceu correndo a escada nos calcanhares deles e saiu apressadamente para a rua.NÃO NOS DESESPEREMOS J. – É? – disse o professor. berrando enquanto corria: – Especial de Corridas! . um momento por favor. saltando para acertar o passo. – Eu também tenho uma visão – disse Stephen. – Isso está ótimo. Eu tenho muito. Os senhores do Mediterrâneo são hoje em dia felás. J. Fuit Ilium! O saque da tempestuosa Tróia. Myles. disse tranqüilamente para Stephen: – Espero que você viva o bastante para ver isso publicado. Eles dobraram à esquerda na rua Abbey. Reinados deste mundo. O’Molloy. fechando a porta atrás de si. Stephen – disse o professor. berrando: – Especial de Corridas! Dublin. pronto para segui-lo. não está? Tem uma visão profética. Ele entrou no escritório interno.

– Onde fica isso? – perguntou o professor. querido! Continue agora. Que haja vida. Ouse. Põem suas toucas e suas melhores roupas e pegam seus guarda-chuvas com medo que venha a chover. – Elas querem ver a vista de Dublin do alto da coluna de Nelson. viveram respectivamente cinqüenta e cinqüenta e três anos em Fumbally’s Lane. Sacodem para fora as moedinhas de três pence e a de seis pence e conseguem extrair as de um penny com a lâmina de uma faca. De encontro ao muro. – Duas vestais de Dublin – disse Stephen –. Corações frenéticos. Noite úmida exalando um cheiro de massa de pão que desperta fome. Dois e três de prata e um e sete de cobre. – Virgens sábias – disse o professor MacHugh. Um rosto reluzindo sebo sob o xale de fustão dela. Mais rápido. – Além de Blackpitts – disse Stephen. . idosas e piedosas.QUERIDA TORPE DUBLIN Dublinenses. Elas economizam três e dez pence num cofre que é uma caixa vermelha de cartas. Inscrições acasianas.

resmungando. Anne Kearns sofre do lumbago que ela fricciona com água de Lourdes. Não tinham idéia de que fosse tão alta. ameaçando descer. Adquirem vinte e quatro ameixas maduras de uma menina ao pé da coluna de Nelson para matar a sede que a cabeça de porco dá. uma perguntando à outra se está com a gelatina. espreitando as aberturas de ar. arquejando. Dão duas moedinhas de três pence para o senhor que fica na borboleta e começam a subir gingando lentamente a escada em espiral. – Antítese – disse o professor acenando duas vezes com a cabeça. que lhe foi dada por uma senhora que conseguiu uma garrafa de um padre da Congregação dos Passionistas. Posso vê-las. louvando a Deus e à Virgem Maria.A VIDA AO NATURAL – Elas compram por um shilling e quatro pence quatro fatias de pão com gelatina de cabeça de porco no North City Restaurant de Marlborough Street da proprietária senhorita Kate Collins. Deus seja louvado. Elas se chamam Anne Kearns e Florence MacCabe. Florence MacCabe todo sábado ceia pé de porco com uma garrafa de duplo X. encorajando-se uma à outra. com medo do escuro. – Virgens vestais. O .

que é que está detendo nosso amigo? Ele se virou. Logo atrás deles surgiu Myles Crawford nos degraus da escada. com seu chapéu aureolando seu rosto escarlate. – Sim. fazendo sinal com o braço. se espalhando em todas as direções. Um pequeno jornaleiro gritou na cara do Sr. Bloom. Bloom: . ofegante. com suas folhas brancas de jornal esvoaçando. O’Molloy. dando um passo atrás. – Venham – gritou o professor. conversando com J. chamou: – Um momento! Sr. Ele voltou a caminhar ao lado de Stephen. berrando. Crawford! – Telegraph! Especial de Corridas! – O que é que há? – disse Myles Crawford. A VOLTA DE BLOOM O Sr. Um bando de pequenos jornaleiros desceu galopando a escada. envolvido por um turbilhão de pequenos jornaleiros selvagens perto dos escritórios do Irish Catholic e do Dublin Penny Journal. J. – disse – Eu as vejo.

o senhor percebe? O nome dele é Chaves. Mas ele praticamente prometeu dar a renovação. – Eu falei com o Sr. Crawford? . Sr. Casa de chaves. Posso ter acesso a isso na biblioteca nacional. na folha rosa de sábado. Depois ele verá. E ele quer que seja copiado se não for tarde demais como eu disse ao conselheiro Nannetti do Kilkenny People. e tirando o recorte de seu bolso. O que eu devo lhe dizer. disse. Mas ele quer apenas um pequeno anúncio extravagante. Mas ele quer um par para chamar a atenção no Telegraph também. Bloom. É um jogo de palavras com o nome. Chaves agora mesmo. Ele vai conceder uma renovação de dois meses. ofegante. abrindo caminho em direção aos degraus.– Tragédia terrível em Rathmines! Uma criança mordida por um fole! ENTREVISTA COM O EDITOR – Apenas este anúncio – disse o Sr.

Na última vez em que o vi ele estava com seus calcanhares à vista. – Quer lhe dizer para beijar o meu traseiro? – disse Myles Crawford estendendo o braço para enfatizar. Está hoje com um belo par de botas.B. Andando na lama por aí. Todos fora para um drinque. Bajulação habitual. Um pouco nervoso. – Diga-lhe isso direto do estábulo. De braços dados. T. O que é que ele estava fazendo em Irishtown? . M. Camarada descuidado. Cuidado com as rajadas. O boné da marinha de Lenehan lá pedindo esmolas. Eu me pergunto se aquele jovem Dedalus não é o inspirador do movimento.

Sandymount Green! À direita e à esquerda. Palmerston Park e alto Rathmines. – Parta. paralelos. Kingstown e Dalkey. Sandymount Green. desviavam para as vias descendentes. com o retinir das sinetas que soavam. O rouco registrador do horário de partida da Companhia Unida de Bondes de Dublin gritava as saídas: – Rathgar e Terenure! – Vamos. Ringsend e Sandymount Tower. Rathmines. deslizavam paralelos. Harold’s Cross. mudavam de linha. Clonskea. Rathgar e Terenure. partiam para Blackrock. Palmerston Park! . um ônibus de dois andares e um de um andar abandonavam seus terminais.7 NO CORAÇÃO DA METRÓPOLE HIBÉRNICA Diante da coluna de Nelson os bondes diminuíam a marcha. manobravam.

na província. Sobre a carroça da destilaria sacolejavam barris rolados com ruído surdo para fora dos depósitos de Prince por . E. cartas-postais.O MENSAGEIRO DA COROA Sob o pórtico do correio geral engraxates chamavam fregueses e engraxavam. de cartas. na Inglaterra e além-mar. registrados e pagos. HOMENS DE IMPRENSA Carroceiros com botas grossas rolavam barris com ruído surdo para fora dos depósitos de Prince e os sacolejavam sobre a carroça da destilaria. recebiam sacos lançados ruidosamente. cartões-postais. Estacionados na rua North Prince os carros-correio escarlates de Sua Majestade..R. pacotes. para entrega local. tendo nas laterais as iniciais reais.

saiu com um rolo de papéis debaixo do seu manto. – Eu enfatizarei isso. SANDYMOUNT . – Eu vou passar pelas impressoras – disse o Sr. O tesourão longo de Red Murray cortou o anúncio do jornal com quatro golpes secos. minúsculo em sua grande pelerine.carroceiros com botas grossas. – Naturalmente. – Alexandre Chaves. – Aí está – disse Red Murray. DE OAKLANDS. e eu o levarei para o escritório do Telegraph. Nós. o cabelo anelado coroado por um pequeno chapéu de feltro. está bem? – disse o Sr. O ILUSTRE WILLIAM BRAYDEN. A porta do escritório de Ruttledge rangeu novamente. Bloom acenando com a cabeça. Bloom –. Bloom. Tesoura e cola. com uma caneta atrás da orelha –. Davy Stephens. um mensageiro do rei. – Certo – disse o Sr. – Recorte-o apenas. se ele quiser um par – disse Red Murray vivamente. pegando o quadrado cortado. podemos fazer um para ele.

diz Simon Dedalus. conduzido por um guarda-chuva. Nosso Salvador: rosto oval emoldurado de barba: conversando na penumbra. Bloom. Subiu majestosamente a escada. banha. Conduzido pela espada de um guarda-chuva para a ribalta: Mario o tenor. pescoço. banha. – Mas se dizia que Mario era o retrato de Nosso Salvador. Marta. Saída. – Sim – concordou Red Murray. Em Martha. Jesusmario com as faces carmesim. As costas de casimira enfestada se elevavam a cada passo: costas.Red Murray tocou no braço do Sr. . Bloom com o tesourão e sussurrou: – Brayden. Mão no coração. Barris de Guinness com ruído surdo. Bloom se virou e viu o porteiro de libré tirar seu boné com o nome impresso do jornal enquanto uma figura imponente entrava entre os cartazes de notícias do Weekly Freeman and National Press e do Freeman’s Journal and National Press . Toda sua massa cinzenta está em sua nuca. O Sr. A porta do escritório de Ruttledge sussurrou: ii: crii. Dobras gordas do pescoço. um rosto solene emoldurado por barba. de gibão e pernas finas. – Ou como o de Mario – disse o Sr. pescoço. Maria. – Você não acha que o rosto dele é como o de Nosso Salvador? – murmurou Red Murray. Vergões de carne nele atrás. Entrada. Eles sempre constroem uma porta em frente à outra para que o vento.

ao longo das tábuas do soalho que agora ecoavam. pisando sobre papel de embrulho espalhado. passou pela porta lateral e caminhou ao longo da escada sombria e quente e do corredor. O garoto do telegrama entrou lepidamente. Bloom disse lentamente: – Bem. jogou um envelope no balcão e saiu a toda velocidade com uma palavra: – Freeman! O Sr.Ve-em tu que estás perdida. Mas será que ele vai salvar a circulação? Martelando. botas sumirem. Eles observaram os joelhos. pernas. Martelando. Ve-em tu que és querida! O BÁCULO E A PENA – Sua graça telefonou duas vezes esta manhã – disse gravemente Red Murray. . Um sorriso manso o acompanhou quando ele ergueu o batente do balcão. ele é um dos nossos salvadores também. Ele empurrou a porta de vaivém de vidro e entrou. Pescoço.

E aquele velho rato cinzento abrindo buraco para entrar. Como estes. Os mecanismos dele também estão trabalhando com afinco. Trabalhando com afinco. Martelam. perderam o controle: fermentando. Controlam o mundo hoje em dia. Despedaçam um homem até seus átomos se conseguem pegá-lo. É COM VERDADEIRO PESAR QUE ANUNCIAMOS O FALECIMENTO DE UM MUITO RESPEITADO BURGUÊS DE DUBLIN Esta manhã os restos mortais do falecido Sr. rasgando com afinco. Máquinas.Através de uma ala de rotativas estrepitantes ele se encaminhou em direção ao gabinete de leitura de Nannetti. Patrick Dignam. Martelando. Hynes aqui também: provavelmente relato do enterro. .

Casamento duplo de irmãs celebrado. Cuprani também. baronato de Tinnahinch. Editor.F. Estranho ele nunca ter visto seu verdadeiro país. Irlanda meu país. A nota pessoal. Banhistas bem-feitas de corpo na areia dourada. Ele valorizou rapidamente com o máximo esforço aquele trabalhador do trabalho diário de um novo programa de ação. As máquinas batiam em compasso de três-porquatro. linotipista. Membro do College Green. A história semanal Pat e Bull de Phil Blake. Aprende-se muito ensinando aos outros.S. qual é um bom tratamento para flatulência? Eu gostaria dessa parte. Notas sobre a natureza. Bloom se deteve atrás do corpo magro do chefe de redação. Publicado oficialmente no ano mil e. não as notícias requentadas da gazeta oficial. Mais irlandês do que os irlandeses. Propriedade situada no território de Rosenallis.COMO É PRODUZIDO UM GRANDE DIÁRIO O Sr. Dois noivos rindo cordialmente um para o outro. Martelavam. admirando sua cabeça lustrosa. Cartuns. E. martelavam. martelavam. A todos aqueles aos quais possa interessar relação de acordo com estatuto mostrando a relação de mulas e jumentas exportadas de Ballina. São os anúncios e reportagens de página que vendem um hebdomadário. O maior balão do mundo. Perguntas de caipiras. Agora . A rainha Ana morreu. Essencialmente só fotografias. Prezado Sr. A página de tio Toby para as crianças pequeninas.

– Você sacou? – perguntou Hynes. dizem. Caminhou apressado e animadamente em direção ao escritório do Freeman’s Journal. ponha isso na edição da noite. – Ora. obrigado – disse Hynes saindo. – Eu também vou recorrer a ele. – Se você quiser sacar o caixa está justamente indo almoçar – disse. meu velho – disse Hynes. Em breve o chamará de meu senhor prefeito. Bloom. – Obrigado. conselheiro – disse Hynes. Macaquice de simplório a coisa toda. É preciso presença de espírito. Terceira insinuação. Três semanas. Eu lhe emprestei três shillings no Meagher. Ele entregou a folha silenciosamente por cima da tela de vidro suja. . – Está certo. O Long John o está apoiando. O chefe de redação. Bloom ficou no seu caminho. apontando para trás com o polegar.se ele ficasse paralisado ali e ninguém soubesse como pará-las elas bateriam assim mesmo incessantemente. escrevinhou imprensa num canto da folha e fez um sinal para um linotipista. – Vai rápido e você o pegará. sem responder. imprimiriam sem parar pra cima e pra baixo. – Mm – disse o Sr. O Sr.

penso que tem o aspecto de icterícia. o senhor se lembra? O Sr. o Sr. – Ele o quer para julho – disse o Sr. Nannetti. Bloom. e mais além carretéis obedientes abastecendo enormes . – Mas espere – disse o Sr. Quer duas chaves em cima. O Chaves. – Ele o quer modificado. Bloom. O chefe de redação movimentou seu lápis em direção ao recorte. Bloom colocou o recorte na escrivaninha do Sr. começou a coçar lentamente a axila através de sua jaqueta de alpaca. Nervos de aço. Nannetti considerou o recorte por algum tempo e acenou afirmativamente com a cabeça. O Chaves. erguendo o cotovelo. Tirando os olhos da cruz que fizera com os dedos. Ele não ouve. sabe. O chefe de redação se voltou para ouvir pacientemente e. Bloom. – Desculpe-me.VEMOS O CORRETOR DE PUBLICIDADE EM AÇÃO O Sr. Talvez ele entenda o que eu. sabe. – Assim – disse o Sr. Deixe que ele primeiro assimile isso. conselheiro – disse. Infernal barulho o que eles fazem. cruzando seus dedos indicadores no alto. Bloom contemplou o rosto pálido do chefe de redação. Nannan. – Este anúncio.

conselheiro.bobinas de papel. – O senhor sabe. milhares e milhares de coisas. conselheiro. O senhor percebe? O senhor acha que é uma boa idéia? O chefe de redação moveu sua mão coçadora até a altura das costelas inferiores e coçou ali tranqüilamente. Alexandre Chaves. vinho e bebidas em geral. Deslizando habilmente suas palavras nos intervalos do retinir ele desenhou rapidamente na madeira coberta de cicatrizes. exatamente o que ele quer. Retinem. veja. Bloom – é a casa das chaves. O que é feito dele depois? Ó. A CASA DE CHAVES – Assim. – A idéia – disse o Sr. O senhor sabe. o parlamento . Retinem. Milhas de papel desenroladas. pacotes: mil e uma utilidades. comerciante de chá. Um círculo. embrulha carne. Então aqui o nome. Duas chaves atravessadas aqui. É melhor não ensinar a ele seu próprio ofício. Assim por diante. Então no alto separado com entrelinhas: a casa de chaves.

ORTOGRÁFICO . Eu vou correndo perguntar a ele. – Você tem o desenho? – Posso consegui-lo – disse o Sr. Atrai o olhar. O chefe de redação pensou por um minuto. Um linotipista lhe trouxe uma página mole de prova.Manx. Ele tem também uma casa lá. Uma deficiência há muito sentida. o senhor pode fazer isso e apenas um pequeno par chamando a atenção. Bem. O senhor pode fazer isso? Eu poderia talvez lhe perguntar como pronunciar aquele voglio. E assim por diante. Estabelecimento autorizado de alta categoria. De pé o Sr. Bloom. Alusão à autonomia. Melhor não. da ilha de Man. o senhor compreende. Mas então se ele não soubesse isso só faria com que ele ficasse sem jeito. observando os linotipistas silenciosos em suas caixas. o senhor sabe. O senhor sabe o usual. – Que ele nos dê três meses de renovação. Ele começou a examiná-la silenciosamente. Bloom ouvia as pulsações elevadas das manivelas. – Estava num jornal de Kilkenny. – Podemos fazer isso – disse o chefe de redação. – Podemos fazer isso – disse. Turistas.

FAMOSO ECLESIÁSTICO UM . Dá a impressão de que é novo agora. Martin Cunningham se esqueceu de nos dar esta manhã sua charada ortográfica do concurso. Tudo fala à sua própria maneira.Querem ter certeza de sua ortografia. Tolo. Eu devia ter dito quando ele colocou rapidamente sua cartola. Ver sua fachada então. É divertido observar o incompar um erre ável embara um erre não é? ço cedilha ou dois esses de um mascate cansado enquanto avaliava ava o equilíbrio com io de uma pêra descascada sob um muro do cemitério. pedindo para ser fechada. Febre de provas. O cilindro inferior da primeira máquina projetou para diante sua bandeja móvel com slt a primeira fornada de quatro folhas dobradas em oito páginas. Aquela porta também slt rangendo. Quase humana a maneira com que ela slt para chamar a atenção. Fazendo todo o possível para falar. Não. não é? Cemitério introduzido naturalmente por causa de equilíbrio. Slt. Eu devia ter dito alguma coisa sobre um chapéu velho ou coisa no gênero. Obrigado. Slt. Slt. Eu podia ter dito.

– Sim. . senhor. Ressaltar agosto: boa idéia: mês da exposição de cavalos. Bloom pegou seu recorte. Onde está a carta do arcebispo? Deve ser repetida no Telegraph. Sr. Primeiro vou ter que gastar muita saliva. Onde está qual é o nome dele? Ele olhou à sua volta para as máquinas barulhentas sem resposta. A tentar de qualquer forma. senhor? – perguntou uma voz da caixa dos tipos de impressão. – Monks. Hora de sair. e o senhor lhe dará uma boa colocação eu sei. Renovação de três meses. dizendo: – Espere. Afluência de turistas para a exposição. – Então eu vou buscar o desenho. Nannetti – disse –. Onde está Monks? – Monks! O Sr.COLABORADOR OCASIONAL O chefe de redação devolveu a página de prova subitamente. Ballsbridge. – Monks! – Sim.

Pobre papai com seu livro Hagadah. o registro-do-dia. O ano que vem em . Está chegando ao limite de suas forças agora. O velho Monks. Pessach. Homem sério e sóbrio com alguma coisa na caixa econômica eu diria. Deve exigir alguma prática isso. Feiosa Jane. Muitas matérias esquisitas devem ter passado por suas mãos em sua vida: comunicações de óbitos. sem nenhuma maluquice na cabeça. discursos. inclinado. E ERA A FESTA DA PÁSCOA JUDAICA Ele parou de andar para observar um linotipista distribuindo cuidadosamente os tipos. processos de divórcio. Filha em sua máquina de costura na sala de estar. mangiD kcirtaP.UM REGISTRO-DO-DIA Ele atravessou a sala da caixa de tipos passando por um homem idoso. A mulher uma boa cozinheira e lavadeira. lendo para mim de trás para diante com seu dedo. anúncios de bares. Lê primeiro de trás para diante. retirada de afogados. Faz isso rapidamente. de óculos e avental.

Agora eu vou de fato sair por aí de bonde para então talvez perceber que ele saiu. Isso quer dizer justiça mas são todos se comendo uns aos outros. Ó céus! Toda essa longa história de que nos tirou das terras do Egito para a casa da servidão alleluia. Soa um pouco tolo até que seja bem examinado. Não. A prática leva à perfeição. Vinte e oito quatro quatro. Há sempre um cheiro . O mesmo da casa de Citron. Que diacho quem rabiscou todas essas paredes com fósforos? Parece que fizeram isso por uma aposta. E então a ovelha e o gato e o cachorro e o bastão e a água e o açougueiro. Então os doze irmãos. O Sr. Vinte e oito. essa é a outra. Isso é o que é a vida afinal de contas. Parece ver com seus dedos.Jerusalém. E então o anjo da morte mata o açougueiro e ele mata o boi e o cachorro mata o gato. Shema Israel Adonai Elohenu. filhos de Jacó. Melhor ligar para ele primeiro. Como ele faz esse trabalho rapidamente. SÓ MAIS UMA VEZ AQUELE SABONETE Ele desceu a escada da casa. Bloom se afastou dos ruídos estrepitosos prosseguindo através da galeria até o patamar. Céus. O número? Sim.

no bolsinho de trás de sua calça. Não. Vou perdê-lo nesse bolso. Aqui. Qual é o perfume que sua mulher usa? Eu ainda podia ir para casa: bonde: alguma coisa que esqueci. Pondo seu lenço de volta ele tirou o sabonete e o guardou. O que está acontecendo? Surgir subitamente por um instante para telefonar. Cola forte morna na casa ao lado de Thom quando eu estava lá. Retirou o lenço para dar umas pancadinhas no nariz. abotoado. Não. É Ned Lambert. Cidralimão? Ah. Só para ver: antes: se vestindo. ERIN. o sabonete que pus ali. GEMA VERDE DO MAR PRATEADO – O fantasma anda – murmurou suavemente para a vidraça empoeirada o professor MacHugh. Dedalus perguntou-lhe malhumoradamente: . Fitando da lareira vazia o rosto zombeteiro de Ned Lambert.gorduroso e intenso nesses trabalhos. Ele entrou mansamente. Sei de quem é. o Sr. Uma súbita risada aguda veio do escritório do Evening Telegraph. com a boca cheia de biscoito.

entre bancos musgosos. Ned Lambert bateu com o jornal em seus joelhos. . embora brigando com os obstáculos pedregosos. – Basta – gritou o professor MacHugh da janela. Puxa vida! Puxa vida! – E Xenofonte olhou para Maratona – disse o Sr. Dedalus.– Por Cristo agonizante. Às gargalhadas. – Não quero mais ouvir falar desse assunto. Vejo que Ned Lambert está tirando um dia de folga. até as águas que tombam do domínio azul de Netuno. Ned Lambert prosseguiu lendo: – Ou ainda. Disparates. – O que você me diz disso como jactância? – Está bebendo algo novo – disse o Sr. Dedalus olhando novamente da lareira para a janela – e Maratona olhava para o mar. Ele acabou de comer a meia-lua da bolacha de água que andara mordiscando e. notem os meandros de algum regato murmurejante enquanto ele balbucia em seu curso. Matéria de linguagem bombástica. o apetite despertado. isso não lhe provocaria uma azia no traseiro? Sentado à mesa. se preparou para mordiscar o biscoito em sua outra mão. repetindo: – O seio melancólico e a folhagem atamancada. Que tal isso. Simon? – perguntou por sobre a margem do seu jornal. abanado pelo mais suave zéfiro. do qual o sol glorioso tirou vantagem ou sob as sombras lançadas sobre seu seio melancólico pela folhagem abobadada dos gigantes da floresta.

Bloom. – Nosso belo país. Johnny. Ouso afirmar que ele preenche para ele um ou dois cheques tremidos nos dias de pagamento dos periódicos. – O que é? – perguntou o Sr. é seu tio-avô ou seu tio-bisavô. Poderia ele mesmo partir primeiro. – Um fragmento de Cícero recentemente descoberto – respondeu o professor MacHugh com tom pomposo. Subeditorial para sua morte talvez tenha sido escrito há muito tempo. O excelentíssimo Hedges Eyre Chatterton. Ele tem influência dizem. . Vivendo para irritálos. – Pergunta muito pertinente – disse o professor MacHugh entre suas mastigadas. Dedalus. o vicechanceler. um enterro. Bloom. – Só um outro espasmo – disse Ned Lambert. – Com acento sobre de quem. faça lugar para o seu tio. CURTO MAS DIRETO – País de quem? – disse simplesmente o Sr. – País de Dan Dawson – disse o Sr. Está perto dos noventa dizem. O velho Chatterton. Aleluia.Perturba bastante o dia de um homem. Sorte inesperada quando ele bater as botas.

Entre. J. Tísico. Jack. – Bom-dia. – Bom-dia. Que vento o traz. O Sr. eu me pergunto. Bloom se afastou agilmente. Essa vermelhidão héctica significa o fim para um homem. TRISTE Ele costumava ser o rapaz mais inteligente do foro judicial jovem.– É o discurso dele de ontem à noite? – perguntou o Sr. Bloom. – Entre. O’Molloy. O’Molloy sacudiu a cabeça. J. pobre camarada. É perigoso para ele. Ned Lambert acenou com a cabeça. – Ou ainda se nós ao menos galgarmos os picos . entrando. Bloom quando ela foi empurrada. Dedalus? – Bem. – Como vai. e você? J. – Eu lhe peço desculpa – disse ele. A maçaneta da porta bateu no meio das costas do Sr. Preocupação com dinheiro. – Desculpe-me – disse J. – Mas ouçam isso – disse ele.

. – Como não – disse o professor MacHugh.. J. Ele está no seu santuário com Lenehan. – Você está com uma aparência excelente. Creio que ele faz uma contribuição literária para o Express com Gabriel Conroy. olhando para a porta interna. – Será que o editor pode ser visto? – perguntou J. Uma história boa até se ouvir a próxima. Cata-ventos. Quente e frio no mesmo sopro. e T. Fitzgerald. J. Não saberiam em quem acreditar. Suas perucas para mostrar sua massa cinzenta. J. Cumprimentam bem o sujeito que encontram no momento seguinte. Clientela minguando. – Ou ainda se nós ao menos galgarmos os picos da montanha cerrada. Um podiatersido. Engraçada a maneira pela qual esses jornalistas mudam de opinião quando eles tomam conhecimento de uma nova oportunidade. O’Molloy caminhou para a escrivaninha inclinada e começou a voltar para trás as páginas rosa do arquivo. Um rapaz muito culto. Perdendo a coragem. Myles Crawford começou no Independent.das montanhas cerradas. O’Molloy. Jogando. – Ah. Costumava receber bons honorários adiantados de D. ouçam isso pelo amor de Deus – rogou Ned Lambert. – Bombástico! – interrompeu o professor com . Colhendo o turbilhão. Dívidas de honra. – Ser visto e ouvido. Com o cérebro à mostra como a estátua em Glasnevin. Atacam-se impetuosamente uns aos outros nos jornais e depois tudo se dissipa.

Dedalus. – Ele se esqueceu de Hamlet. SEU DIALETO NATIVO – Que envolve a vista por toda parte e espera até que a orbe resplandecente da lua fulgure para irradiar seu resplendor prateado. – Que ele banhe seus lábios – disse o Sr. – A lua – disse o professor MacHugh. – Ó! – gritou o Sr. impregnados do brilho translúcido e transcendente do nosso crepúsculo irlandês ameno e misterioso. no panorama incomparável da pasta da Irlanda. apesar dos protótipos bem elogiados em outras alardeadas regiões merecedoras de prêmio.. – Deus eterno e abençoado! Sim? Será que ele está recebendo alguma coisa por isso? – Por assim dizer. Dedalus.mau humor. por assim dizer. dando vazão a um . de frondosos arvoredos e planícies ondulantes e pastagens luxuriantes de um verde vernal.... – Chega de falastrão inflado! – Picos – continuou Ned Lambert – subindo cada vez mais alto.. por sua grande beleza. inigualáveis.. para banhar nossas almas.

– Mas que merda! Chega. A vida é curta demais. encimada por uma crista de . Fisgou isso satisfatoriamente. A porta interna foi aberta violentamente e uma cara bicuda escarlate. Também ele era do ramo da padaria.gemido desalentado. Wetherup sempre disse isso. soprando impacientemente em seu basto bigode. não era? Razão pela qual o chamavam de Doughy Daw. Grande festividade. Em todo caso ele enriqueceu. Diversões. penteou seu cabelo à moda de Gales com seus dedos. cacarejando com prazer. Ned. – Doughy Daw! – gritou ele. Ned Lambert jogou o jornal para o lado. Filha noiva daquele camarada do departamento de receita pública que tem um carro. Agarrá-los pelo estômago. Um instante depois uma risada enorme e rouca irrompeu do rosto não barbeado e de óculos escuros do professor MacHugh. Ele tirou sua cartola e. O QUE WETHERUP DISSE É fácil zombar agora disso impresso friamente mas esse negócio desce pela garganta como um pãozinho quente. Casa aberta a todos.

cabelo emplumado. dando grandes passadas em direção à lareira. – Drinque! – gritou o editor. que esboçava um sorriso. Bloom. – Nós . Myles? – perguntou Lambert. se intrometeu. – Vamos. pondo o chapéu. seu miserável velho pedagogo – disse o editor em resposta. BATALHAS MEMORÁVEIS RELEMBRADAS – A milícia de North Cork! – gritou o editor. Ned. – Seu sabe-tudo. Os atrevidos olhos azuis olharam fixamente à volta e a voz áspera perguntou: – O que é? – E eis que chega o falso senhor em pessoa! – disse grandiloqüentemente o professor MacHugh. Ned Lambert desceu da mesa escorregando de lado. – Eu preciso de um drinque depois disso. Os olhos azuis do editor vagaram em direção ao rosto do Sr. – Nenhum drinque será servido antes da missa. Dedalus saindo. Ned – disse o Sr. Dedalus. – Você se junta a nós. – E com toda a razão – disse o Sr. – Venha.

por Deus – concordou Ned Lambert. – Binguebangue. O’Molloy: – Jigas incipientes. partindo um pedaço. Caso triste. . HARPA EÓLICA Ele pegou um rolo de linha dental do bolso de seu colete e. Ó. Saindo ele murmurou para J. – Meu Ohio! – Um perfeito crético! – observou o professor. banguebangue. Vendo o terreno livre. – Longa. curta e longa. – Em Ohio! – bradou o editor. Bloom se encaminhou para a porta interna. – Onde foi isso Myles? – perguntou Ned Lambert com um olhar pensativo para as biqueiras de seus sapatos.ganhamos todas as vezes! North Cork e oficiais espanhóis. – Foi isso mesmo. passou elegantemente entre os seus ressoantes dentes não lavados. o Sr. J. – Ohio! – exultou o editor com voz aguda e elevada partindo de seu rosto enaltecido escarlate.

Sr. O’Molloy. J. – Não se atormente. – Bom-dia. – Vinte e oito. Não. Jogou as folhas sobre a mesa. – E quanto ao editorial desta noite? – perguntou o professor MacHugh. Myles – disse J.– Só um minuto. Quatro quatro. sim. Jack. Crawford – disse ele. Vinte. deixando as páginas que segurava deslizar molemente de volta para o arquivo. . Está bem. No saguão gritos estridentes de pequenos jornaleiros descalços se aproximavam apressados e a porta foi aberta com violência. – Está tudo certo – disse Myles Crawford mais calmamente. vindo até o editor e pousando uma mão firme em seu ombro. – Quem quer uma barbada para o Grande Prêmio? – perguntou. – É hoje que passa aquele caso de fraude do Canadá? O telefone zuniu lá dentro. Alô. – Eu só quero fazer uma ligação sobre um anúncio. – Cetro montado por O. DESCOBRIR O GANHADOR Lenehan saiu do escritório interno com folhas do Sport. Madden. Ele entrou.

Certo.. Eu o alcançarei. As folhas farfalharam com a corrente de ar. senhor. senhor. Lenehan começou a pegar as folhas do chão. senhor – disse o pequeno jornaleiro. Bloom.. O’Molloy virou as páginas do arquivo com estalido. – Sim. – Continua na página seis. .– Psiu – disse Lenehan. senhor.. coluna quatro. Foi o camarada grande que me empurrou. – Não fui eu. J. – Ele. procurando. senhor. murmurando. – Estou esperando o caderno especial da corrida. – O patrão está. Ele empurrou o menino para fora e fechou com violência a porta. – Ponha-o fora e feche a porta – disse o editor. – Foi Pat Farrell que me empurrou..? Sim. J. Ele apontou para dois rostos espiando por detrás do batente da porta. É do Evening Telegraph aqui – disse ao telefone da sala interna o Sr. flutuaram suavemente no ar as garatujas azuis e passando por baixo da mesa chegaram à terra. – Fora daqui você – disse rispidamente o professor MacHugh. Telegraph. resmungando ao se abaixar duas vezes. Para onde? Aha! Que salas de leilão? Aha! Entendo. – Há um furacão soprando. – Ouço passos. O professor MacHugh atravessou a sala com passos largos e agarrou o garoto agachado pela gola enquanto os outros fugiam do saguão precipitadamente escada abaixo.

uma gaita. – Minha culpa – disse o Sr. – Você se machucou? Estou com pressa. mantendo-a entreaberta. J. suportando seu aperto. . parou.UMA COLISÃO SE SEGUE A sineta zuniu novamente enquanto ele desligava. esfregando o joelho: – A acumulação do anno Domini. ecoou no saguão vazio vindo dos pequenos jornaleiros acocorados na soleira da porta. monsieur – disse Lenehan o agarrando por um instante e fazendo uma careta. Ele fez uma expressão cômica e choramingou. – Pardon. – Nós somos os garotos de Wexford Que lutam com a mão e o coração. Bloom. – Desculpe – disse o Sr. Ele entrou rapidamente e deu um encontrão em Lenehan que estava lutando com a segunda folha do arquivo. Bloom. – O joelho – disse Lenehan. J. O’Molloy bateu por cima das páginas pesadas. Ele caminhou para a porta e. O barulho de duas vozes estridentes.

– Parta! – disse. Quero resolvê-lo. encostado na lareira. O editor que. olhando fixamente com seus óculos de aros escuros pela persiana entreaberta. subitamente estendeu o braço com um gesto teatral. Bloom –. apoiara a cabeça nas mãos. O’Molloy pegou as folhas da mão de Lenehan e as leu. correndo para a janela. a respeito deste anúncio de Chaves. soprando suavemente para separálas. Por um momento ele olhou indeciso para os rostos deles. saindo apressado. – O mundo está à sua frente. J. – Ele vai conseguir esse anúncio – disse o professor. Onde? – exclamou Lenehan. – Volto num instante – disse o Sr. J. . Disseram que ele está por ali no Dillon’s. – Olhem só para os jovens tratantes atrás dele. Bloom. sem comentário. – Mostre.BLOOM SAI – Eu só estou dando um pulo em Bachelor’s Walk – disse o Sr.

se voltando. – Para onde foram os outros dois? – Quem? – disse o professor. – Olhem para o clamor público dos moleques de rua atrás dele – disse Lenehan – e vocês vão se divertir. Chegou ontem à noite. Paddy Hooper está lá com Jack Hall. – Vamos então – disse Myles Crawford. fazendo tilintar as . Bloom. – Eles foram dar uma volta até o Oval para tomar um drinque. o último ziguezagueando na brisa um papagaio branco zombeteiro. J. Ele começou a dançar uma mazurca numa rápida caricatura através do soalho passando com pés deslizantes pela lareira até J. São capazes de se aproximar despercebidos até de cotovias. separando as abas de sua jaqueta. com uma cauda de laços corrediços brancos. – Onde está o meu chapéu? Ele entrou abruptamente na sala atrás. Ó meu fígado desopilado! Imitando seus pés grandes e seu andar desajeitado. Até os menores truques. O’Molloy que colocou as folhas em suas mãos estendidas para recebê-las.UM CORTEJO NA RUA Os dois olharam sorrindo por cima da persiana entreaberta para a fila de pequenos jornaleiros saltando no rastro do Sr. – O que é isso? – disse Myles Crawford com um sobressalto.

. Lenehan riscou prontamente um fósforo para eles e acendeu os seus cigarros um de cada vez. com um chapéu de palha enviesado na testa. pegando uma cigarreira com uma reflexão sussurrante –. Declamou cantando. mas não é possível nos fiarmos sempre na aparência. J. apontando severamente para o professor MacHugh: – Eram posição e fama que te tentavam Era o império que seduzia teu coração. J. – Parece estar – disse J. – Ele está meio bêbado – disse o professor MacHugh em voz baixa. O editor veio do escritório interno. Quem aí tem mais fósforos? O CACHIMBO DA PAZ Ele ofereceu um cigarro ao professor e pegou um para si mesmo. J. Elas tilintaram então no ar e de encontro à madeira quando ele trancou a gaveta de sua escrivaninha. O’Molloy. se servindo.chaves no seu bolso de trás. – Thanky vous – disse Lenehan. O’Molloy abriu sua cigarreira novamente e a ofereceu.

Vocês e eu somos a gordura no fogo. J. por sons de palavras. Lenehan. – Soa mais nobre do que britânico ou de Brixton. – É isso aí – disse. imperiosa. A palavra me lembra de certa forma gordura no fogo. – Não devemos nos deixar levar por palavras. Ele pegou um cigarro da cigarreira aberta.O professor deu um sorriso forçado. erguendo duas garras tranqüilas. – Hein? Seu velho miserável império romano? – disse Myles Crawford. . O’Molloy delicadamente. Estamos mais fritos do que uma bola de neve no inferno. Myles Crawford soprou violentamente para o teto sua primeira baforada. acendendo-o para ele com rápida solicitude. – Nós somos a gordura. disse: – Silêncio para a minha charada nova em folha! – Imperium romanum – disse J. cerrando seus longos lábios. imperativa. A GRANDEZA QUE FOI ROMA – Vamos com calma – disse o professor MacHugh. Pensamos em Roma imperial.

tirou o chapéu ao entrar. mes enfants! – exclamou Lenehan. Construamos um altar para Jeovah. – Primeiro a minha charada! – exclamou Lenehan. concedo: mas desprezível. – E Pôncio Pilatos é seu profeta – respondeu o professor MacHugh. gostavam é dos riachos. alto num tweed de Donegal de um cinza exuberante. – Mas nós temos também a lei romana. – Nossos antigos e velhos ancestrais. J. – Vocês estão prontos? O Sr.Estendeu braços elocutórios dos punhos manchados e puídos da camisa. Stephen Dedalus. Os judeus no deserto e no cimo da montanha disseram: É apropriado ficar aqui. atrás dele. entrou vindo do saguão. J. – Entrez. O’Molloy murmurou. – Eles eram cavalheiros da natureza – J.. trouxe para cada novo litoral em que pôs os pés (em nosso litoral ele nunca os pôs) apenas sua obsessão cloacal. Construamos uma latrina. como o inglês que lhe seguiu os passos. fazendo uma pausa: – O que foi a sua civilização? Vasta. – Vocês conhecem aquela história sobre aquele importante barão Palles? – perguntou J.. . O’Madden Burke. O’Molloy. Tudo estava indo às mil maravilhas. Cloacae: esgotos. Ele lançou um olhar à volta vestindo sua toga e disse: É apropriado ficar aqui. como lemos no primeiro capítulo de Guinness. – O que eles assim fizeram – disse Lenehan. – Foi num jantar da universidade real. O romano.

– Bom-dia. – Quem? – perguntou o editor. – Quem o rasgou? Estava lhe faltando papel? Na nau ligeira ele vem Flamejando do sul tempestuoso O pálido vampiro A boca na minha boca. Um pedacinho rasgado. O’Madden. – Aquele velho libertino – disse o editor. Seu chefão acabou de sair. excogitem. vindo . Garrett Deasy – disse Stephen. respondam. estendendo a mão. – A Juventude conduzida pela Experiência visita a Notoriedade. – Como vai? – disse o editor.– Estou escoltando um suplicante – disse melodiosamente o Sr. apontando para o título e assinatura. – Sr. ponderem. Stephen – disse o professor. ??? Lenehan disse para todos: – Silêncio! Que ópera é ao mesmo tempo um instrumento musical e um animal? Reflitam. Stephen entregou as folhas batidas à máquina. – Entre.

. Por Cristo.? Bardo protetor-de-novilho.. Um irlandês salvou a sua vida nas muralhas de Viena. ela tinha febre aftosa sem dúvida alguma! A noite em que ela jogou o prato de sopa na cara do garçom em Star and Garter. O Sr. TUMULTO NUM CONHECIDO RESTAURANTE – Bom-dia. Garrett Deasy me pediu para. senhor – respondeu Stephen corando. – A carta não é minha. e eu conheci sua mulher também. Não se esqueçam! Maximilian Karl O’Donnell. – Febre aftosa? Você se tornou. Habsburgo. – Ele é viúvo? – perguntou Stephen. Por Helena. a mulher fugitiva de Menelau... príncipe de Breffni. dez anos os gregos. eu o conheço – Myles Crawford disse –. graf von .espiar por cima dos ombros deles. A velha mais miserável e intratável que Deus já criou. percorrendo o texto batido à máquina. a mulher está separada dele há muito tempo – disse Myles Crawford. – Ó. O’Rourke. – Cavalos do imperador. – É. Meu Deus! Uma mulher trouxe o pecado ao mundo.

Eu ensino a língua redundante que é o latim. O professor MacHugh se virou para ele. Mas o grego! . Eu falo a língua de uma raça cujo ápice de sua mentalidade é a máxima: tempo é dinheiro. Não se esqueçam disso! – O xis do problema é se ele se esqueceu – disse J. Mandou seu herdeiro levar então ao rei as insígnias de marechal-de-campo da Áustria. CAUSAS PERDIDAS NOBRE MARQUÊS MENCIONADO – Nós sempre fomos fiéis às causas perdidas – disse o professor. Domine! Senhor! Onde está a espiritualidade? Lorde Jesus? Lorde Salisbury? Um sofá em um clube aristocrático. – Eu vou lhes contar como era – começou Myles Crawford.. – O sucesso para nós é a morte do intelecto e da imaginação. – E se não? – disse. Vai haver confusão lá um desses dias. O’Molloy tranqüilamente. revirando na mão um peso de papel de ferradura.. Dominação material.Tirconnell na Irlanda. toda vez. J. Nunca fomos leais aos bemsucedidos. – Salvar príncipes é uma tarefa digna de uma recompensa substancial. Nós os servimos. Gansos selvagens. Ó sim. – Era uma vez um húngaro.

fez uma última tentativa de recuperar a prosperidade da Grécia. Kyrie! O esplendor do intelecto. induzido em erro por um oráculo. Sim. e do império do espírito. Nós somos vassalos feudais da ordem de cavaleiros católicos da Europa que se arruinou em Trafalgar. que se afundou com as frotas atenienses em Egospotamos. – Devido a um tijolo que lhe caiu em cima . – Kyrios! Palavra cintilante! As vogais os semitas e os saxões as desconhecem. Eu deveria lecionar grego. mas sempre perdiam. Leal a uma causa perdida. Ele se afastou deles a passos largos caminhando em direção à janela. não de um imperium . – Eles partiam para lutar – disse o Sr. – Buubuu! – choramingou Lenehan com um barulhinho. sim. alongou seus lábios longos. a linguagem da mente. Pirro. – O grego! – disse ele novamente.KYRIE ELEISON! Um sorriso de compreensão iluminou seus olhos de bordas escuras. Eles se afundaram. Kyrie eleison! O fabricante da latrina e o construtor do esgoto nunca serão senhores de nosso espírito. O’Madden Burke sombriamente –.

Cuja mãe morreu como um animal. – Que ópera é ao mesmo tempo um instrumento musical e um animal? – Ópera? – O rosto esfíngico do Sr. Mas isso não é piada nem em sonho. pobre Pirro! Ele murmurou então perto do ouvido de Stephen: VERSO HUMORÍSTICO DE LENEHAN – MacHugh é um guru enfadonho De óculos pretos medonhos Com a visão dupla que tem Os óculos não lhe fazem bem. O’Madden Burke recharadou. Myles Crawford socou as folhas no bolso lateral.na segunda metade da matinée. diz Mulligan. Lenehan estendeu as mãos em sinal de protesto. – Eu vou ler o resto depois. pobre. Pobre. Vai dar tudo certo. . – Mas a minha charada! – disse. – Vai dar tudo certo – disse. De luto por Saluste.

Viram a piada? Viola e anta.Lenehan anunciou alegremente. OMNIUM AGRUPAMENTUM . Lenehan abanou o rosto dele rapidamente com as folhas farfalhantes. J. fingindo sufocar um grito. Puxa! Ele deu um soco suave no estômago do Sr. – Nós estávamos exatamente pensando nisso – disse Stephen. – Paris. voltando por entre os arquivos. Erguendo-se na ponta dos pés. – Como os camaradas que derrubaram a Bastilha – disse J. O professor. O’Madden Burke. General Bobrikoff. O’Molloy com branda zombaria. – Estou sentindo uma extrema fraqueza. O’Madden. O’Madden caiu com graça para trás sobre seu guarda-chuva. – Ou teriam sido vocês que atiraram de comum acordo no vice-rei da Finlândia? Vocês estão com jeito de ter realizado esse feito. – Violanta. – Vocês estão parecendo dois membros de uma comuna. – Socorro! – suspirou ele. tocou de leve com as mãos as gravatas frouxas de Stephen e do Sr. passado e presente – disse ele. O Sr.

– E Madame Bloom – acrescentou o Sr. a imprensa. Você pode fazer isso. os clássicos. No léxico da juventude. – Febre aftosa! – exclamou o editor numa .. “VOCÊ CONSEGUE!” O editor pôs sua mão nervosa no ombro de Stephen. Vejo isso no seu rosto. – Hemhem! – disse ele muito suavemente. Vejo isso nos seus olhos. A prima-dona favorita de Dublin. – Eu quero que você escreva alguma coisa para mim – disse. o que eu não daria por um sopro de ar fresco! Eu peguei um resfriado no parque.. Eu o vejo em seu rosto. – A musa vocal. – A delicada arte da publicidade. Lenehan tossiu com força. – As corridas de cavalos – encaixou Lenehan. O portão estava aberto. – Ó. – Lei. – Alguma coisa mordaz. O’Madden Burke.– Todos os talentos – disse Myles Crawford. – Literatura.. Seu indolente Maquiavelzinho preguiçoso.. – Se Bloom estivesse aqui – disse o professor.

J. Isso foi em 81. O GRANDE GALLAHER – Você pode fazer isso – repetiu Myles Crawford. – Nós podemos todos fornecer sustento mental – disse o Sr. Você sabe como ele se distinguiu? Vou lhe dizer. Que pena brilhante. Filho e Espírito Santo e Jakes M’Carthy.invectiva desdenhosa. O’Molloy. Meta-nos todos nisso e que se dane. . assassinato no parque Phoenix. – Grande assembléia nacionalista em Borris-in-Ossory. 6 de maio. – Ele o quer na turma da imprensa – disse J. Padre. época dos invencíveis. Stephen ergueu os olhos para o olhar atrevido e desatento. apertando a mão dele com entusiasmo. aquilo é que era um jornalista. – Espere um instante. Tudo disparate! Intimidando o público! Dê-lhes alguma coisa corrosiva. Nós vamos paralisar a Europa como Ignatius Gallaher costumava dizer quando estava desempregado. Gallaher. O’Madden Burke. marcando os pontos no jogo de bilhar no Clarence. Foi a matéria de jornalismo mais inteligente que já existiu.

Onde Pele-deCabra conduziu o carro. – O lugar em que aconteceu. Telegrafou imediatamente. lá na ponte Butt. Inspiração de gênio. Todo o caminho. Vocês conhecem Holohan? – Pule e leve. Stephen se voltou surpreso. dizem. e não deixe elas fugirem. Um amigo de meu pai. ou Kavanagh. Olhem para isto aqui. Passou empurrando por eles até o arquivo. – Olhem aqui – disse ele se voltando. não é? – disse Myles Crawford. – O New York World havia telegrafado pedindo uma nota especial. – New York World – disse o editor. Joe Brady e todos os outros. – Gumley? – disse. – Fitzharris. – Deixem que Gumley cuide das pedras. não é? – Esqueçam Gumley – gritou irritado Myles Crawford. Ele tem aquele abrigo do cocheiro. Quero dizer Tim Kelly. cuidando de um depósito de pedras para a corporação. Um vigia noturno. O’Madden Burke. O que fez Ignatius Gallaher? Vou lhes dizer. Vou lhe mostrar. empurrando seu chapéu de palha excitadamente para trás.antes de você nascer. Holohan me disse. entende? – Pele-de-Cabra – disse o Sr. creio. segundo ele me disse. Vocês se lembram daquele tempo? O professor MacHugh acenou com a cabeça em assentimento. Vocês têm o Weekly Freeman de 17 de março? Vocês acharam? Ele voltou atrás as páginas do arquivo e grudou . – Não me diga. – E o pobre do Gumley também está lá.

– B é o portão do parque. – Alô? Aqui é do Evening Telegraph. Sim. – De F a P é o caminho pelo qual Pele-de-Cabra passou de carro como forma de álibi. – Peguem a página quatro. A carne flácida do seu pescoço sacudiu como o papo de um galo.o dedo num ponto. – T é o alojamento do vice-rei. UMA VOZ DISTANTE – Eu vou atender – disse o professor. Sim. no anúncio do café Bransome. digamos. Com um gesto brusco ele meteu de volta dentro do seu colete o peitilho mal engomado da camisa que se projetara para cima. Bom. Roundtown. Windy Arbour.. P. Acharam? Bem. Ranelagh. Quem está falando?. Sim... B. O professor veio até a porta interna. A campainha do telefone zuniu. K é o portão Knockmaroon. C é o lugar em que o assassinato ocorreu. – Bloom está no telefone – disse. Palmerston Park.... se afastando. Alô?.. Perceberam? X é o bar Davy no alto da Lesson Street. A.. – Diga a ele que vá para o inferno – disse . F. Seu dedo saltou e bateu vibrante em um ponto atrás do outro. Inchicore.

MUITO – Inteligente – disse Lenehan. – A Velha Senhora de Prince Street foi a primeira a estar lá. Então Paddy Hooper trabalhou Tay Pay que o levou para o Star. aquele tratante de Cork de melhor coração do mundo em que o Senhor já tenha soprado vida. – História! – exclamou Myles Crawford. Por causa disso houve choro e ranger de dentes. anunciando: – Madam. – Eu vi isso – disse orgulhosamente o editor. Gregor Grey organizou o plano. – Ele lhes deu isso num prato quente – disse Myles Crawford –. Isso é a imprensa. Pesadelo do qual você nunca despertará. E Abel era eu antes de ver Elba. Pyatt! O papai de todos! . Isso é talento. eu sou Adam. Agora ele está lá com Blumenfeld. toda a maldita história sangrenta. Lenehan se curvou para uma figura no espaço. – X é o bar Davy. e eu. – Muito. Isso o ajudou a pôr o pé no estribo.prontamente o editor. Dick Adams. perceberam? INTELIGENTE. – Eu estava presente. Por meio de um anúncio.

.– O pai do jornalismo das ousadas manchetes – confirmou Lenehan – e o cunhado de Chris Callinan. – Lady Dudley estava caminhando para a casa através do parque para ver todas as árvores que foram derrubadas pelo ciclone do ano passado e pensou em comprar um cartão-postal com uma vista de Dublin. . – Ó sim – disse vivamente J. Ele atirou com violência as páginas. – Falando dos invencíveis – disse –. Arre! Só de segunda categoria. O’Madden Burke. imaginem só! – Agora estão apenas envolvidos em procedimentos inconseqüentes – disse Myles Crawford. Venha você. O’Molloy. como o eloqüente O’Haggan. como Isaac Butt. ele ainda está aqui. como Whiteside.. Justamente no lado de fora do alojamento do vice-rei. – Onde se encontra agora um jornalista desse calibre. hein? – exclamou o editor. – Alô? Quem está falando? Sim. O professor MacHugh veio do gabinete interno. – Muito esperto – disse o Sr. Hein? Ah. J. – Tanadamente dalentoso – disse Lenehan para o Sr. O’Madden Burke. E este cartão nada mais era do que uma comemoração a Joe Brady ou o Número Um ou Pele-de-Cabra. maldito absurdo. – Arre! A imprensa e a advocacia! Onde existe agora um homem nos tribunais como aqueles camaradas. vocês viram que alguns vendedores ambulantes compareceram perante o magistrado.

ouro de oriflama. quella pacifica oriafiamma. Ele as viu se aproximando de três em três. toca. de castanho-avermelhado. . pésdechumbo. dois a dois. O’Madden Burke. . roca. foca. Rimas: dois homens vestidos igualmente. penitentes. Será que haveria alguém que desejasse beijar essa boca? Como é que vamos saber? Por que você escreveu isso então? RIMAS E RAZÕES Boca. . Mas eu homens velhos. . di rimirar fè più ardenti. de rosa. moças de verde. . . per l’aer perso. . soca. . . che parlar ti piace Mentre che il vento. doca. . . – Defenda-se – disse o Sr. enlaçadas. si tace. soboescuroabaixo a noite: boca soca: centre ventre. . la tua pace . . come fa. de púrpura. parecendo iguais.Sua boca silenciosa continuava a se contrair sem falar com crispações nervosas que expressavam desprezo. Será que a boca soca de uma certa maneira? Ou o que soca é boca? Deve haver algo. de malva. Soca.

Por que trazer à tona um mestre da eloqüência forense como Whiteside? A cada dia basta o seu jornal. J. Por que não trazer à tona Henry Grattan e Flood e Demóstenes e Edmund Burke? Todos nós conhecemos Ignatius Gallaher e seu patrão de Chapelizod. Conforme no momento aconselhado. jogando fora o cigarro –. eu não serei defensor da terceira profissão qua profissão mas suas pernas de Cork o estão fazendo perder o controle.. ELOS COM OS DIAS DE OUTRORA . você interpretou mal as minhas palavras. – Meu caro Myles – disse ele. Harmsworth do jornal de um vintém. O’Molloy aceitou o desafio.A CADA DIA BASTA. J. Sorrindo amarelo. Pue’s Occurrences e nosso amigo alerta The Skibbereen Eagle.. e seu primo americano da imprensa marrom sem mencionar Paddy Kelly’s Budget.

O’Molloy se voltou para Stephen e disse calmamente e lentamente: – Uma das orações mais refinadas que penso jamais ter ouvido em toda a minha vida saiu dos lábios de Seymour Bushe. – Há muito tempo ele estaria na magistratura – disse o professor – se não fosse. O’Molloy – Bushe K. por exemplo.– Grattan e Flood escreveram neste mesmo jornal – gritou o editor na cara dele. Lucas. ITÁLIA... Dr. Bushe o defendeu. Quem você tem agora como John Philpot Curran? Puxa! – Bem – disse J. Onde você está agora? Fundado em 1763. J. A propósito como ele descobriu isso? Ele morreu dormindo. Ele tem esse estilo no seu sangue. a fera de duas costas? – O que foi isso? – perguntou o professor. J. Foi naquele caso de fratricídio. – Bem. Mas não importa. E no pavilhão de minha orelha derramou. – Voluntários irlandeses. no caso do assassinato de Childs.. Kendal Bushe ou quero dizer Seymour Bushe. J. – Bushe? – disse o editor. MAGISTRA ARTIUM . sim: Bushe. C. sim. Ou a outra história.

da forma humana divina. que tivesse sido aquele pequeno ato. a lex talionis.– Ele falou baseado na lei de evidência – disse J. J. se alguma coisa daquilo que a imaginação . tão trivial em si mesmo. O’Molloy pegou sua cigarreira. Falsa calmaria. aquele eterno símbolo de sabedoria e de profecia que. – Silêncio! Pausa. J. Pensativamente o Mensageiro tirou um palito de sua caixa de fósforos e acendeu seu charuto. que tivesse determinado todo o futuro rumo de nossas vidas. cornífera e terrível. O’Molloy retomou. O’Molloy – da justiça romana em contraste com o código mosaico anterior. Alguma coisa bem banal. E ele citou o Moisés de Michelangelo no vaticano. moldando suas palavras: – Ele disse sobre isso: aquela efígie de pedra numa música congelada. – Hah. Desde então eu pensei muitas vezes ao olhar para trás para aquela época singular. J. UMA ÉPOCA REQUINTADA J. o riscar de um fósforo. – Umas poucas palavras bem escolhidas – prefaciou Lenehan. J.

ou a mão de um escultor talhou no mármore da almatransfigurada e da almatransfigurante merecer viver. – Você gosta disso? – perguntou J. J. dizendo: – Muichibus obrigadibus. o mestre místico? Foi aquela mulher Blavatsky que iniciou isso. Sua mão delgada com um gesto ondulante dignificou o eco e a queda. merece viver. O’Molloy ofereceu sua cigarreira a Myles Crawford. O’Molloy a Stephen. dos poetas da Opala e do Silêncio: A. UM HOMEM DE GRANDE MORAL – O professor Magennis me falou a seu respeito – disse J. – O que você realmente pensa desse grupo hermético. J. J. O’Madden Burke. Stephen corou. J. – Ótimo! – disse Myles Crawford imediatamente. Com sua natureza atraída pela graça da linguagem e do gesto. E. Lenehan acendeu como antes os cigarros deles e pegou seu troféu. Tirou um cigarro da cigarreira. Ela era uma bela velha sacola . O’Molloy a Stephen. – A divina inspiração – disse o Sr.

Ele se voltou para Myles Crawford e disse: – Você conhece Gerald Fitzgibbon. A. O que ele disse? O que ele disse? O que ele disse a meu respeito? Não pergunte. andou dizendo a um entrevistador ianque que você o procurou nas primeiras horas da manhã para o questionar a respeito dos planos da consciência. recusando a cigarreira. Taylor na Sociedade Histórica de Trinity College. o discurso de um orador consumado. advogando o restabelecimento da língua irlandesa. J. de bobo. obrigado – disse o professor MacHugh. o presidente atual da corte de apelação. Fitzgibbon. A mais refinada exibição de oratória que jamais ouvi foi um discurso pronunciado por John F. Falando a meu respeito. Você pode então imaginar o estilo do discurso dele. – Continue. observem bem – disse o professor –. O’Molloy – de que ele tem assento ao lado de Tim Healy na comissão administrativa de Trinity College. E então? – Era. – Espere um instante. Deixe-me dizer uma coisa.de truques. O juiz Sr. cheio de uma cortesia altiva que derramava com uma dicção . E. – Não. o Magennis. falara e o objeto de debate era um ensaio (novo para aqueles dias). – Ele tem assento ao lado de uma coisa encantadora vestida como uma criança – disse Myles Crawford. E. Magennis acha que você andou fazendo A. – Corre um rumor – disse J. Ele é um homem da mais elevada moral.

firmou-os para acertar o foco. Ele tinha um cachecol branco de seda frouxo e no seu todo ele aparentava (embora não o estivesse) estar morrendo. J. Seu rosto magro e moreno tinha à volta uma barba que crescia emaranhada. levou a mão bem aberta aos seus óculos e. portanto sem valor.depurada eu não diria a torrente de sua cólera mas antes o desprezo do homem orgulhoso pelo novo movimento. O’Molloy para o de Stephen e em seguida se inclinou imediatamente para o . na ânsia de prosseguir. Cerrou por um momento seus lábios longos e finos mas. Que ele tivesse preparado seu discurso não o creio pois não havia um estenógrafo sequer na sala. Era então um movimento novo. Nós éramos fracos. Seu olhar se voltou imediatamente mas lentamente do rosto de J. IMPROMPTU Com um tom de voz natural ele se dirigiu a J. como você deve saber. saíra da cama para ir ali. com o polegar e o dedo anular trêmulos tocando de leve nos aros pretos. J. O’Molloy: – Taylor doente.

procurando uma saída. Ouvi suas palavras e seu sentido me foi revelado. Taylor se levantou para responder. Seus olhos mais uma vez refletiam seus pensamentos. Ele começou: – Sr. senhoras e senhores: Foi com grande admiração que ouvi um momento atrás as observações dirigidas à mocidade irlandesa pelo meu sábio amigo. Parecia-me estar sendo transportado para um país bem longe deste país. Seus ouvintes mantiveram seus cigarros suspensos no ar para ouvi-lo. que eu estivesse no Egito antigo ouvindo o discurso de algum sumo sacerdote daquela terra dirigido ao juvenil Moisés. da melhor maneira possível em que possam me ocorrer. suas fumaças subindo em frágeis hastes que desabrochavam com a sua fala. ele disse: – Quando o discurso de Fitzgibbon terminou John F. Ainda buscando. ensebado por seu cabelo escasso. procurando. Seriam vocês capazes de fazer o mesmo? – E me parecia ouvir a voz daquele sumo sacerdote egípcio elevada a um tom semelhante de altivez e de orgulho. Moluscos ininteligentes eles pululavam de um lado para o outro nas lentes espessas.chão. Seu colarinho de linho embaciado apareceu por trás de sua cabeça inclinada. E que possam nossas fumaças tortuosas. Palavras nobres surgindo. foram estas as suas palavras. para uma era bem distante desta era. Presidente. Sucintamente. Cuidado. . Ele ergueu firmemente sua cabeça.

um sacerdócio. Vocês não têm cidades nem riqueza: nossas cidades são colmeias de humanidade e nossas galeras. homem. trirremes e quadrirremes. Ah. uma história secular e uma sociedade organizada. Na margem do Nilo as mariasdobebê se ajoelham. berço de junco: um homem ágil no combate: de chifre de pedra. maldição! Isso é Santo Agostinho. Nilo. de coração de pedra. efígie. Vocês apenas emergiram de condições primitivas: nós temos uma literatura. Criança.HERANÇA VINDA DOS PAIS Foi-me revelado que são boas aquelas coisas que no entanto são corrompidas que nem que elas fossem extremamente boas nem a menos que fossem boas pudessem ser corrompidas. – Por que vocês judeus não querem aceitar nossa cultura. nossa religião e nossa língua? Vocês são uma tribo de pastores nômades: nós somos um povo poderoso. . carregadas de toda sorte de mercadorias sulcam os mares do mundo conhecido. de barba de pedra.

De vocês a servidão. de Hórus e Ammon Ra. se o jovem Moisés tivesse escutado e aceitado aquela visão de vida. desfrutando um silêncio. Vagabundos e diaristass assim vocês são chamados: o mundo treme ao ouvir nosso nome. nem seguido a coluna de nuvem durante o dia. gravadas na língua dos fora-da-lei. Um arroto de fome emudecido cortou suas palavras. se ele tivesse curvado sua cabeça e curvado sua vontade e curvado seu espírito diante daquela exortação arrogante ele nunca teria retirado o povo escolhido da casa de sua servidão. são as moradias de Ísis e Osíris. o temor e a humildade: de nós o trovão e os mares. Ele parou e olhou para eles.– Vocês rezam a um ídolo local e obscuro: nossos templos. majestosos e misteriosos. Ousadamente ele ergueu acima dele a sua voz: – Mas. . Ele nunca teria falado entre relâmpagos com o Eterno no monte Sinai nem nunca teria descido com a luz da inspiração brilhando em sua fisionomia e carregando em seus braços as tábuas da lei. senhoras e senhores. Israel é fraco e pequeno o número de seus filhos: o Egito é um exército e terríveis são suas armas.

berradas e espalhadas aos quatro ventos. é muito . Um povo abrigado em sua voz. Ame e louve-o: a mim não mais. – E com um grande futuro atrás de si. O’Madden Burke. J. – Posso sugerir como próxima medida de ordem do dia que seja votado o adiamento da câmara? – Você me deixa sem respiração. falando metaforicamente.DE MAU AGOURO – PARA ELE! J. Não é por acaso uma cortesia francesa? – perguntou o Sr. As palavras do tribuno. em que a botija de vinho. Milhares de pavilhões de ouvidos. Ruído amortecido. O’Molloy disse com um certo pesar: – E no entanto ele morreu sem ter entrado na terra prometida. Exércitos dos reis em Mullaghmast e Tara. me parece. – Cavalheiros – disse Stephen. Eu tenho dinheiro. Inscrições acasianas de tudo que jamais existiu em algum lugar que fosse. – Uma – morte – súbita – nesse – momento – embora – de – uma – longa – doença – muitas – vezes – previamente – expectorada – acrescentou Lenehan. – Isso é oratória – disse o professor sem que houvesse contradição. – É a hora. Levado pelo vento. A tropa de pés descalços foi ouvida se precipitando ao longo do saguão e tagarelando escada acima.

O’Madden Burke disse com uma estocada aliada de seu guarda-chuva. Declaro a moção aprovada. Onde é que elas estão? Tudo bem. batendo no ombro de Stephen. – Que assim seja e pelo presente resolutamente decidido. Eu sei. – Vamos.. não é? Sim. Macduff. De modo algum.? Meu voto de Minerva é: Mooney! Ele foi à frente. – Filho da antiga cepa! – exclamou o editor. digam não. Todos aqueles que sejam a favor digam sim – anunciou Lenehan. Onde é que estão aquelas malditas chaves? Ele tateou no bolso retirando as folhas batidas à máquina amarrotadas. Seguindo de perto. advertindo: – Nós vamos nos recusar terminantemente a tomar bebidas fortes. é isso aí. – Caso contrário. – Febre aftosa. Vai ser publicado. Para que abrigodebebedeira em particular. Ele enfiou as folhas de volta onde estavam e entrou no escritório interno. NÃO NOS DESESPEREMOS .. Está certo.agradável senhores na Vossa antiga estalagem. o Sr. – Em guarda.

Eles dobraram à esquerda na rua Abbey. Stephen – disse o professor. berrando enquanto corria: – Especial de Corridas! . Os senhores do Mediterrâneo são hoje em dia felás. – É? – disse o professor. Um outro pequeno jornaleiro disparou por eles. Reinados deste mundo. Fuit Ilium! O saque da tempestuosa Tróia. – Eu também tenho uma visão – disse Stephen. J. pronto para segui-lo. – Venha. Myles. – Crawford vai acompanhar. Eu tenho muito. saltando para acertar o passo. O’Molloy. fechando a porta atrás de si. Ele entrou no escritório interno. muito que aprender. – Isso está ótimo. disse tranqüilamente para Stephen: – Espero que você viva o bastante para ver isso publicado. berrando: – Especial de Corridas! Dublin.J. um momento por favor. O primeiro pequeno jornaleiro desceu correndo a escada nos calcanhares deles e saiu apressadamente para a rua. não está? Tem uma visão profética.

Põem suas toucas e suas melhores roupas e pegam seus guarda-chuvas com medo que venha a chover. Um rosto reluzindo sebo sob o xale de fustão dela. – Onde fica isso? – perguntou o professor. querido! Continue agora. Inscrições acasianas. Elas economizam três e dez pence num cofre que é uma caixa vermelha de cartas. – Virgens sábias – disse o professor MacHugh. Dois e três de prata e um e sete de cobre. De encontro ao muro. Noite úmida exalando um cheiro de massa de pão que desperta fome.QUERIDA TORPE DUBLIN Dublinenses. Corações frenéticos. – Duas vestais de Dublin – disse Stephen –. – Elas querem ver a vista de Dublin do alto da coluna de Nelson. Sacodem para fora as moedinhas de três pence e a de seis pence e conseguem extrair as de um penny com a lâmina de uma faca. idosas e piedosas. – Além de Blackpitts – disse Stephen. viveram respectivamente cinqüenta e cinqüenta e três anos em Fumbally’s Lane. Ouse. . Mais rápido. Que haja vida.

que lhe foi dada por uma senhora que conseguiu uma garrafa de um padre da Congregação dos Passionistas. Posso vê-las. Deus seja louvado. – Antítese – disse o professor acenando duas vezes com a cabeça. uma perguntando à outra se está com a gelatina. espreitando as aberturas de ar. arquejando. Elas se chamam Anne Kearns e Florence MacCabe.A VIDA AO NATURAL – Elas compram por um shilling e quatro pence quatro fatias de pão com gelatina de cabeça de porco no North City Restaurant de Marlborough Street da proprietária senhorita Kate Collins. Adquirem vinte e quatro ameixas maduras de uma menina ao pé da coluna de Nelson para matar a sede que a cabeça de porco dá. Florence MacCabe todo sábado ceia pé de porco com uma garrafa de duplo X. Não tinham idéia de que fosse tão alta. Anne Kearns sofre do lumbago que ela fricciona com água de Lourdes. Um bando de pequenos jornaleiros desceu . resmungando. – Virgens vestais. ameaçando descer. O que é que está detendo nosso amigo? Ele se virou. com medo do escuro. Dão duas moedinhas de três pence para o senhor que fica na borboleta e começam a subir gingando lentamente a escada em espiral. louvando a Deus e à Virgem Maria. encorajando-se uma à outra.

Logo atrás deles surgiu Myles Crawford nos degraus da escada. ofegante. A VOLTA DE BLOOM O Sr. dando um passo atrás. Um pequeno jornaleiro gritou na cara do Sr. J. se espalhando em todas as direções.galopando a escada. O’Molloy. com seu chapéu aureolando seu rosto escarlate. Bloom: – Tragédia terrível em Rathmines! Uma criança mordida por um fole! . fazendo sinal com o braço. – Venham – gritou o professor. envolvido por um turbilhão de pequenos jornaleiros selvagens perto dos escritórios do Irish Catholic e do Dublin Penny Journal. berrando. Crawford! – Telegraph! Especial de Corridas! – O que é que há? – disse Myles Crawford. – Sim. – disse – Eu as vejo. Ele voltou a caminhar ao lado de Stephen. chamou: – Um momento! Sr. Bloom. com suas folhas brancas de jornal esvoaçando. conversando com J.

– Eu falei com o Sr. Depois ele verá. Casa de chaves. Sr. o senhor percebe? O nome dele é Chaves. O que eu devo lhe dizer. É um jogo de palavras com o nome. Mas ele quer um par para chamar a atenção no Telegraph também. Chaves agora mesmo. M. abrindo caminho em direção aos degraus. Mas ele quer apenas um pequeno anúncio extravagante.ENTREVISTA COM O EDITOR – Apenas este anúncio – disse o Sr. . Ele vai conceder uma renovação de dois meses. Crawford? B. Mas ele praticamente prometeu dar a renovação. ofegante. disse. T. E ele quer que seja copiado se não for tarde demais como eu disse ao conselheiro Nannetti do Kilkenny People. Posso ter acesso a isso na biblioteca nacional. e tirando o recorte de seu bolso. Bloom. na folha rosa de sábado.

Todos fora para um drinque.– Quer lhe dizer para beijar o meu traseiro? – disse Myles Crawford estendendo o braço para enfatizar. Cuidado com as rajadas. Andando na lama por aí. Camarada descuidado. Bajulação habitual. Eu me pergunto se aquele jovem Dedalus não é o inspirador do movimento. De braços dados. O que é que ele estava fazendo em Irishtown? . Na última vez em que o vi ele estava com seus calcanhares à vista. – Diga-lhe isso direto do estábulo. Está hoje com um belo par de botas. Um pouco nervoso. O boné da marinha de Lenehan lá pedindo esmolas.

Bloom media os prós e contras quase sorrindo ele se afastou aos trancos. erguendo a mão até o queixo. B. – Ele pode beijar meu traseiro real irlandês – gritou Myles Crawford bem alto por cima do ombro. Bloom. voltando os olhos –. creio. Estou eu mesmo com a corda no pescoço. diga-lhe. T. I. – A qualquer hora que ele queira. Jack – disse ele. se eu conseguir o desenho suponho que vá merecer um par curto.. Enquanto o Sr. Ele daria o anúncio. M. Eu vou lhe dizer. R. – Eu estou enterrado até a alma.– Bem – disse o Sr. ANGARIANDO DINHEIRO – Nulla bona.. Andei procurando um .

QUE COLUNA! – DISSE UMA DAS ESCALADORAS – Isso é novo – disse Myles Crawford. Aceite a minha boa vontade em troca de minha inação. A caminho do rio Dargle dos sapateiros. o quê? – Mas elas estão com medo que a coluna caia – prosseguiu Stephen. elas se aproximaram da balaustrada.indivíduo que endossasse uma letra de câmbio para mim ainda na semana passada. O’Molloy fez uma cara desapontada e continuou andando em silêncio. – Isso é cópia. – Alguma coisa aqui para o senhor – explicou o professor a Myles Crawford. Se eu pudesse de todo o coração angariaria dinheiro para você. – Elas vêem os telhados e discutem sobre onde estão as diferentes igrejas: . Duas velhas astutas. J. – Duas mulheres idosas de Dublin no topo da coluna de Nelson. Desculpe. J. Eles alcançaram os outros e lhes passaram na frente. Jack. – Quando acabaram de comer o pão e a gelatina e enxugado os vinte dedos no papel em que o pão estava embrulhado.

– E se sentam sobre suas anáguas listradas..o domo azul de Rathmines. Estamos aqui na arquidiocese. – Adúltero maneta! – exclamou o professor. AQUELAS MULHERES UM POUCO INDISCIPLINADAS – Alto lá – disse Myles Crawford. São Lourenço O’Toole. erguendo os olhos para a estátua do adúltero maneta. Adão e Eva.. Entendo o que você quer dizer. Percebo a idéia. – Gosto disso. AS DAMAS DOAM AOS CIDADÃOS DE DUBLIN A CRENÇA EM AERÓLITOS VELOZES COMO PÍLULAS DE VELOCIDADE . – Nenhuma licença poética. Mas olhar faz com que fiquem tontas de modo que elas arregaçam suas saias.

enxugando com seus lenços o suco que escorre de suas bocas e cuspindo os caroços de ameixa lentamente por entre as grades. atravessaram em direção ao Mooney. tiram as ameixas e as comem. ouvindo. OS ESPARTANOS RANGEM OS MOLARES.– Isso lhes provoca um torcicolo no pescoço – disse Stephen – e elas se sentem cansadas demais para olhar para cima ou para baixo ou para falar. E escreveu um livro em que . Ele terminou soltando subitamente bem alto uma risada jovem. Ele era o filho de um nobre e de uma escrava. Lenehan e o Sr. O’Madden Burke. Colocando o saco de ameixas entre si. um discípulo de Górgias. fazendo um sinal com a mão. Diz-se dele que ninguém podia afirmar se ele era mais amargo em relação aos outros ou em relação a si mesmo. OS ITAQUIANOS ELEGEM PENÉLOPE CAMPEÃ – Você me lembra Antistene – disse o professor –. – Terminou? – disse Myles Crawford – Desde que elas não façam nada pior do que isso. o sofista. se voltaram e. uma após a outra. UM SOFISTA DÁ UM SOCO DIRETO NO NARIZ DA ALTIVA HELENA.

Rathfarnham. caminhões de entrega. ALÔ. Sandymount Green. Carros de aluguel. táxis. todos parados. Penélope Rich. puxadas por cavalos. com destino a ou vindos de Rathmines. rolaram. coches particulares. Ringsend e Sandymount Tower.retirava a palma da beleza da argiva Helena e a entregava à pobre Penélope. . Pobre Penélope. Eles se prepararam para atravessar O’Connell Street. Palmerston Park e Upper Rathmines. CENTRAL! Distribuídos em vários pontos ao longo das oito linhas bondes com seus vagões imóveis se mantinham em seus trilhos. furgões postais. chocalharam. Kingstown e Dalkey. água mineral gasosa boiando nas garrafas chocalhantes dos engradados. acalmados num curto circuito. rapidamente. Donnybrook. Blackrock.

espere – disse o professor. J. Chame de: Deus nobis haec otia fecit. – Chame de. SOFOMANO VOTA NO VELHO MOISÉS – Chame de. – Entendo – disse o professor. abrindo bem seus longos lábios para refletir. Ele riu gostosamente.O QUÊ? – E ALÉM DISSO – ONDE? – Mas como você chama isso? – perguntou Myles Crawford. vejamos. . – Eu o chamo de Uma Visão da Palestina de Cima do Monte Pisgah ou A Parábola das Ameixas. – Moisés e a terra prometida. – Entendo – disse novamente com renovado prazer. – Não – disse Stephen. – Onde elas conseguiram as ameixas? VIRGILIANO. O’Molloy. DIZ O PEDAGOGO. Nós lhe demos essa idéia – acrescentou para J.

O’Molloy lançou um olhar oblíquo e fatigado para a estátua sem dizer palavra. . devo confessar. DEDOS DIMINUTOS DEMONSTRAM SER TITILANTES DEMAIS PARA FRANGALHONAS FOLGAZÃS.HORÁCIO É CENTRO DE ATRAÇÃO NESTE BELO DIA DE JUNHO J. se a verdade do Deus todopoderoso fosse conhecida. Ele se deteve na ilha pavimentada de sir John Gray e olhou para cima para Nelson através das malhas de seu sorriso amargo. FLO TITUBEIA – MAS QUEM PODE CENSURÁ-LAS? – O maneta adúltero – disse ele sorrindo sombriamente. J. – Isso me encanta. – Entendo – disse o professor. ANA TONTEIA. – Também encantou as idosas senhoritas – disse Myles Crawford –.

fundações de um monumento. lendo. sacrifício. Poligamia. bala de limão. guerra. Sua mulher vai pôr um fim nisso. atento no meio das emanações doces e cálidas de Graham Lemon. Sentado pálido no trono chupando jujubas vermelhas. Eu? Não. Onde estava aquele anúncio de um crucifixo luminoso . Seus passos lentos o conduziram ao rio. Uma moça besuntada de açúcar distribuindo colheradas de creme de chocolate a um irmão cristão. Deus. caramelo. pôs um prospecto na mão do Sr. C. mártir.8 Caramelo de abacaxi. D. Dr. hímen. Você está salvo? Todos estão lavados pelo sangue do cordeiro. Um rapaz sombrio da A. No ano passado foi Torry e Alexander. Bloo. Sangue do Cordeiro.. Alguma merenda escolar.. Ruim para os seus estômagos. M. altares druidas. oblação de rim-queimado. Nosso. Balas e frutas cristalizadas do fornecedor de Sua Majestade o Rei. Bloom. Conversas francas. Deus quer vítima sangrenta. Nascimento. Elias está chegando. Salve. Jogo rendoso. Está chegando! Está chegando! Está chegando! Sejam todos entusiasticamente bem-vindos. John Alexander Dowie restaurador da igreja de Sion está chegando..

Eles mesmos não têm família para alimentar. Não gosto de todos aqueles cheiros ali aguardando para escapar. Muito bom para o cérebro. O lar sempre se desfaz quando a mãe parte. O que é que ela queria? As passas de Málaga. Pensando na Espanha. A filha de Dedalus ainda ali do lado de fora das salas de leilão de Dillon. Isso faz parte da teologia deles ou o padre não confessará a pobre mulher. Um nascimento quase todo ano. A fosforescência. Crescei e multiplicai. Inocente nazareno rapaz infeliz. Vagando enquanto o esperava. Quinze filhos ele tinha. Deve estar vendendo alguma mobília antiga. Acordar no meio da noite e o ver pendurado na parede. Idéia do fantasma de Pepper. A noite em que fui à despensa na cozinha. Eu podia ver sobre ele um azul-prata. Antes de Rudy nascer. Quando por exemplo você deixa de lado um pedaço de bacalhau. Nosso Salvador. Uma refeição e uma consoada a fim de evitar desfalecer no altar. Tudo do bom e do melhor. Uma empregada de um desses camaradas se se pudesse arrancar alguma informação . Fosforoso deve ser feito com. Suas adegas e despensas.de uma firma de Birmingham. Eu gostaria de vê-los fazer o jejum atroz de Yom Kippur. Bolinhos da sexta-feira santa. Da esquina da casa de Butler adjacente ao monumento ele lançou um olhar para Bachelor’s Walk. Reconheci os olhos dela imediatamente parecidos com os do pai. aquele azulado esverdeado. Onde já se viu uma idéia dessas? Comem tudo de você casa e lar. não lhe dará a absolvição.

Tudo para si mesmo. Bêbados de cair com a cerveja. .dela. Elas voltearam mais baixo. Batatas e margarina. Ouvi dizer que o ar do mar a azeda. É a maneira impagável que ele tem de se sair com essas coisas. É um verdadeiro mundo em si mesmo. Olhando para baixo ele viu gaivotas batendo fortemente as asas. dele. Será interessante obter um dia uma autorização de Hancock para visitar a cervejaria. Sabe também como contar uma história. Ele se cuida. Como arrancar £. Traga seu próprio pão e manteiga. Huhm. Bebem como gente grande. Meu Deus. Barcaça da cervejaria com cerveja de exportação. volteando entre os muros lúgubres do cais. deve ter engolido um bom fartão daquela imundície. s. Pensar que se bebe isso! Ratos: tonéis. Um shilling e oito pence a mais. naturalmente. d. Procurando comida. se nós soubéssemos todas as coisas. Mau tempo ao largo. Ratos também entram. Seu reverendo: caluda é a palavra. Controlando sua urina. Inchados de tanto beber ficam tão grandes quanto um collie flutuando. A prova do pudim. Solapa o organismo. Depois é que eles sentem. Excelentes os tonéis da cerveja comum. Ela parece subnutrida também. Ora. o vestido daquela pobre criança está em frangalhos. Inglaterra. Se eu me atirasse lá embaixo? O filho de Reuben J. Nenhum convidado. Assim que ele pôs o pé na ponte O’Connell uma baforada de fumaça se exalou do parapeito. margarina e batatas. Nunca se arranca informação dela.

– Duas maçãs por um penny! Duas por um penny! Os olhos dele pousaram por um momento nas maçãs lustrosas no quiosque dela. Ele parou novamente e comprou da velha vendedora de maçãs dois bolinhos de Banbury por um penny e partiu a pasta frágil e lançou os fragmentos no Liffey. Os pensamentos. Mas Shakespeare não usa rimas: verso branco. Todas as migalhas. Espere. os sons semelhantes. Elias trinta e dois pés por segundo está cheg. Ele atirou para elas uma bola de papel amassada. Não são tão tolas assim. Cascas reluzentes: lustra-as com um trapo ou um lenço. Sumiram. Nem um pouco. É o fluxo da linguagem. Vivem de expedientes. A faminta gaivota esfomeada Bate as asas no mar adoidada. Consciente . Viu? As gaivotas se precipitaram silenciosamente das alturas primeiro duas e depois todas apoderando-se de sua presa.Esperem. eu sou o espírito do teu pai Condenado por um tempo a vagar na terra. Também no dia em que eu atirei aquele bolo seco do Erin’s King elas o pegaram nas águas cinqüenta jardas à ré. flutuou debaixo da ponte ao longo das pilastras. Elas voltearam. Aqueles pobres pássaros. A bola se moveu ignorada no curso das ondas. Solenes. Devem ser australianas nesta época do ano. Hamlet. É assim que os poetas escrevem. batendo as asas.

carne de peixe é o que eles têm. Gosto não se discute. Não se vê mais agora. que na torrente da vida nós traçamos. Se você empanturrar um peru digamos de castanhas ele toma o gosto delas. Comer porco como um porco. Nem um grasnido sequer. Eu me pergunto que tipo de carne é a do cisne. Robinson Crusoé teve que viver se alimentando deles.de sua ganância e esperteza ele sacudiu o farelo poeirento de suas mãos. Cisnes de Anna Liffey nadam aqui às vezes para alisar suas penas. Elas também espalham febre aftosa. Elas giraram batendo debilmente as asas. todos os pássaros marinhos. Estritamente . Elas nem de longe esperavam aquilo. Vivem de peixe. Não vou jogar mais nada. Me pergunto se ele paga uma taxa à municipalidade. Mas então por que os peixes de água salgada não são salgados? Como é isso? Seus olhos procuraram uma resposta no rio e viram um barco ancorado sobre as ondas melosas balançar preguiçosamente seu cartaz de propaganda. Porque a vida é uma torrente. Kino 11 / – Calças Que boa idéia. Como é que se pode realmente ser dono da água? Ela se escoa sempre numa torrente. Grande agradecimento eu recebi. mergulhões. Maná. Aquele médico charlatão de gonorréia costumava estar colado nas paredes de todos os mictórios. gaivotas. nunca a mesma. Toda sorte de lugar é boa para anúncios. Um penny é mais do que suficiente.

Ela costumava dizer que Ben Dollard tinha . Eu nunca compreendi exatamente. Não lhe custava um centavo como a Maginni o professor de dança sua própria publicidade. Metem psi coisas ela disse até que eu lhe falei sobre a transmigração. ? Ó! Quê? Não. erguendo seus olhos perturbados. O Sr. Arranjava camaradas para os colar ou os colava ele próprio aliás ao correr às escondidas para lá para desabotoar a braguilha. Afinal de contas ela está certa.. Hora de Dunsink. Não. Paralaxe. Não pense mais nisso. remeta 110 pílulas.confidencial. Ela não é precisamente espirituosa. Hy Franks. Fascinante aquele livrinho de sir Robert Ball. Assim mesmo não sei não. Também o lugar exato.. Poderia lhe perguntar. Ali está um padre. Eu não acredito. Ele não faria certamente? Não. A bola-do-tempo está embaixo no escritório da Marinha. Só palavras complicadas para coisas simples devido ao som.. Pode mesmo ser rude. paralaxe.. Bloom avançou. Não. Algum cara com uma doença venérea o queimando. não pregue cartazes. Par é grego: paralelo. não. Dr. Pássaro da noite. Já passa de uma. Bloom sorriu Ó droga para duas janelas do escritório da Marinha. não. Ó droga! O Sr. Digo sem pensar o que penso. E se ele.

Eles não são Boyl: não. Ele leu as letras escarlates em suas cinco cartolas brancas: H.uma voz de baixo barriltoante. Que homem colossal ele era ao esconder aquela cerveja forte de Bass. Juntam logo uns dez à sua volta se você ficar olhando para . Dá cabo de um duplo lombo de vaca. andando ao longo das sarjetas.S. Aposto que isso teria pegado. socou-o na boca e mastigou enquanto andava. Um apetite de leão. Moças elegantes escrevendo alguma coisa atraem imediatamente o olhar. Ora. Percebe? Tudo resulta no mesmo. homens de M’Glade.Y. Eu tinha sugerido a ele uma carroça-reclame transparente com duas moças elegantes sentadas nela escrevendo cartas. Três shillings por dia.L. mata-borrão. Y se arrastando atrás arrancou um naco de pão de debaixo de seu cartaz fronteiro. Só para manter a pele sobre os ossos. Como aquele padre eles estão esta manhã: nós pecamos: nós sofremos. Nosso alimento básico. Uma procissão de homens-sanduíches com batas brancas marchava lentamente em direção a ele ao longo da sarjeta. Isso também não rende nenhum negócio. As pernas dele pareciam barris e a gente tinha a impressão que ele estava cantando para dentro de um barril. Costumavam chamá-lo de Big Ben. Wisdom Hely. não é que isso é espirituoso. cadernos. pão e mingau. Barril de Bass. uma rua após outra. envelopes.E. Longe de ser tão espirituoso quanto chamá-lo de baixo barriltoante. Todo mundo fica louco para saber o que ela está escrevendo. seus cartazes atravessados por faixas escarlates. Barganhas.

Creio que elas eram realmente desprovidas de dinheiro. 85 Dame Street. Eu a perturbei em suas devoções naquela manhã. Estátua de sal. Mas contente de se comunicar com o mundo exterior. Jones. Fritavam assim mesmo tudo com a melhor manteiga existente. Alô. com o véu erguido. Suas idéias para anúncios são como aquelas conservas de ameixa embaixo dos obituários. a filha do agiota. Não se pode lambê-los. Irmã? Irmã? Pelos seus olhos eu podia ter certeza de que tivera uma decepção amorosa. Dizem . ela disse. As mulheres também. Nada de banha para elas. O quê? Nossos envelopes. Festa de Nossa Senhora do Monte Carmelo. Nosso grande dia. Irmã? Pat Claffey. Se ela tivesse se casado teria mudado. Molly provou. Não quis aceitar naturalmente porque ele não tinha pensado nisso primeiro. Felizmente estou fora desse bando. estou indo às pressas comprar o único apagador de tinta confiável Kansell. Ela sabia que eu. Elas gostam de se untar de manteiga por dentro e por fora. Convento Tranquilla. departamento de carne fria. penso que ela sabia pelo jeito quê. Aquela freira era simpática. Meu coração se parte ao comer gordura. com um rosto realmente suave. Ou o tinteiro que eu sugeri com uma mancha falsa de celulóide preto. Logo se intrometem.nada. Nome doce também: caramelo. vendido por Hely’s Ltd. A touca de freira ficava bem na sua cabeça pequena. aonde você vai? Não posso parar. Robinson. Trabalho infernal esse de cobrar as contas daqueles conventos. Curiosidade. É muito difícil negociar com esse tipo de mulher.

As pessoas a seguindo com os olhos. Consegui o emprego de Wisdom Hely no ano em que casamos. Mais feliz então. Nós morávamos em Lombard Street oeste. ombros e quadris. Como se isso. Pelo que já recebemos possa o Senhor nos tornar. Feliz. Quartinho aconchegante era aquele com papel de parede vermelho. Há quanto tempo foi isso? No ano em que Phill Gilligan morreu. Essas corridas estão acontecendo hoje. Molly estava com aquele vestido cinzaelefante com alamares trançados. Comemos torta de coelho naquele dia. O conselheiro municipal Robert O’Reilly esvaziando o porto em sua sopa antes que fosse abaixada a bandeira. Loja de bicicleta Rover. Em Dockrell. Assentava nela como uma luva. Val Dillon era prefeito de Londres. Bobbob o sorvendo como seu sustento espiritual. Não se podia ouvir o que a banda tocava.que foi uma freira que inventou o arame farpado. Milly era então uma garotinha. O jantar de Glencree. . Ela não gostava dele porque eu torci meu tornozelo no primeiro dia em que ela o usou no piquenique do coral no Sugar Loaf. A cartola de Goodwin amarrada com uma substância pegajosa. Ele atravessou Westmoreland Street quando o apóstrofe S já tinha passado se arrastando. Justamente começando a ficar cheinha. Vejamos: eu trabalhava em Thom. Seis anos. Também um piquenique de moscas. Dez anos atrás: em noventaequatro ele morreu sim é isso aí o grande incêndio em Arnott. Nunca usou um vestido que ficasse tão bem nela como aquele. Tipo tailleur com botões forrados.

se ele não podia se lembrar do nome do registro-do-dia que ele via todo dia. Qual era o nome daquele camarada que parecia um padre e que estava sempre de olhos semicerrados quando passava por nós? Visão fraca. Uma folha da partitura dela voou da minha mão e foi parar nas grades da Escola Erasmus. Noite ventosa aquela em que fui pegá-la havia aquela reunião da loja sobre aqueles bilhetes de loteria depois do concerto de Goodwin na sala de banquetes ou sala de festas na residência oficial do prefeito. Sujeito convencido com seu bigode empinado com cera. Pendennis? Minha memória está ficando. O ateliê daguerreótipo de que meu pobre pai falava. Bem-feita de corpo também. Ele e eu atrás. Torrente da vida. Gosto hereditário. Deulhe aquela canção Ventos que Sopram do Sul. Cheiro gostoso do seu banho. Noite de banho de banheira de Milly. Sabonete americano que comprei: flor de sabugueiro. Bem. pobre . Ela ficou engraçada toda ensaboada. Ele se alojava na casa de Citron em Saint Kevin’s Parade. Pen alguma coisa.. Agora fotografia. Pen. Uma coisa dessas estraga o efeito de uma noite para ela.? Naturalmente foi anos atrás. Acompanhando-a em casa depois do ensaio. Na frente o professor Goodwin enfiando o braço no dela. Barulho dos bondes provavelmente. Bartell d’Arcy era o tenor. mulher. Ele caminhou ao longo do meio-fio. Felizmente que não.um shilling e nove pence a dúzia. que estava justamente começando a se tornar conhecido. Trêmulo nas pernas..

– Não me diga! Que coisa formidável para ela. não é? – É sim. Como vão os seus rebentos? . O estalo e o baque que seu espartilho fazia ao cair na cama.. Da lareira podia vê-la no quarto desabotoando seu espartilho: branco. Seus concertos de despedida. Sr. Feliz. Sempre gostou de se descartar dele. com sua gola alta levantada pela nevasca. Lembro daquela rajada de vento na esquina de Harcourt. Breen? – Não vale a pena eu me queixar. Feliz..velho beberrão. – Milly está com um emprego em Mullingar. – Às mil maravilhas – disse o Sr. Está progredindo a todo pano. – Oi. Numa loja de fotografia lá. sabe. Milly encolhida em sua cama-lar. E o rum quente adoçado. Bloom alegremente. Talvez por meses e talvez para sempre. Ela ficou toda corada com o vento. Sentada ali até quase duas horas retirando os grampos do cabelo. Sra. Bloom. Brruff! Levantou todas as suas saias e seu boá quase asfixiou o velho Goodwin. Lembro de quando nós chegamos em casa eu a atiçar o fogo e a fritar aquelas fatias de fígado de carneiro para a ceia dela com o molho de chutney de que ela gostava. Sempre quente ainda do seu corpo. Positivamente a última aparição em qualquer palco. Como vai passando Molly ultimamente? Não a vejo há séculos. como vai. Lembro dela rindo ao vento. Aquela foi a noite. como vai? – Oi.

.. Breen. pobre homem. Breen.– Dando trabalho ao padeiro – disse a Sra. Quantos ela tem? Nenhum outro à vista. Breen ergueu seus dois grandes olhos. Bloom. meu Deus – disse a Sra. Quem morreu. Ele morreu subitamente. De qualquer forma não os perdeu. Ele ainda . É seu enterro amanhã Enquanto você estiver no campo Direlim. Ele está lá agora com seus códigos jurídicos em busca da lei sobre difamação. – Ó. já posso prever. Bloom. Você não está. Basta disso agora. creio. – Estou acabando de vir de um enterro. quando e de que morreu? Isso vai retornar como uma moeda falsa. – Vejo que você está de preto. – É triste perder os velhos amigos – disseram melancolicamente os olhos-patéticos da Sra. – É de espantar uma cascavel. – Ó. – Dignam – disse o Sr. É melhor conquistar sua simpatia. – Espero que não seja nenhum parente próximo. dindim Direlim. – Um velho amigo meu. Isso vai vir à tona o dia inteiro. O enterro foi esta manhã. Problema do coração. – E o seu senhor e mestre? A Sra. Simplesmente: tranqüilamente: o marido.? – Não – disse o Sr.. Breen.. nem me fale! – disse ela.

açúcar mascavo. – O quê? – perguntou o Sr. O marido cria um caso. – Ele fica sempre ruim nessa ocasião. Abrindo sua bolsa.acaba comigo.? – Deve ser lua nova hoje – disse ela. Onde estão os dez shillings que eu lhe dei na segunda-feira? Você está sustentando a família do seu irmãozinho? Lenço sujo: frasco de remédio. Ou vem dela? Um árabe descalço de pé junto ao gradil inalava os vapores. bem abertos de espanto. Pegue por favor. Deixe ela falar. Fazem uma balbúrdia. Um vapor quente de carne de vitela e um aroma de pastéis de geléia e de pudins saídos do forno se exalavam da confeitaria Harrison. Isso é prazer ou dor? Jantar por um penny. manteiga. Olhe direto nos olhos dela. a melhor farinha. Bloom. Um bafio pesado de meio-dia comichou as papilas gustativas do Sr. Matava desse jeito a fome que o corroía. Os seus olhos se fixaram nele. Enfiar no olho de um cara num bonde. Dinheiro. no entanto sorridentes. Confie em mim. Bloom. Dando uma busca. . Faca e garfo acorrentados à mesa. O que é que ela. Sabe o que ele fez ontem à noite? A mão dela parou de dar busca.. Espere até que eu lhe mostre. Alfinete de chapéu: devia haver uma proteção contra essas coisas. Uma coisa caiu era uma pastilha. couro lascado. Eu acredito em você.. Abre. É o diabo se perderem uma moeda. ou então se perceberia o sabor com o chá quente. Precisam disso para fazer uma boa massa.

Veja só o olhar que aquela mulher.: para cima – disse ela. Ela dobrou o cartão e o pôs na bolsa desgastada. Ele diz que vai entrar com uma ação judicial de dez mil libras. E aquele toque deselegante na cabeça: três velhas uvas para melhorar um pouco o aspecto. É uma vergonha quem quer que seja que tenha feito isso. . Sexo injusto. – O que é isso? – perguntou o Sr. Só um ano ou coisa que o valha mais velha do que Molly. C. Bloom. Rugas em volta da boca. um pesadelo. ao passar. Menton. pegando o cartão. Elegância surrada. – E agora ele está indo ao escritório do Sr. Fios de cabelo sobre as orelhas. – Alguém lhe pregando uma peça.? – P. o tecido descorado. Cruel. – Sonho que ele teve. Já viu dias melhores. lhe lançou. Ela costumava se vestir com bom gosto. Indiges. estalando o fecho. O mesmo vestido de sarja azul que ela usava dois anos atrás. – Leia isso – disse. – O ás de espadas? – disse o Sr. Ela tirou de sua bolsa um cartão-postal dobrado. Bloom. Bloom. Ela pegou de volta o cartão suspirando. – É mesmo – disse o Sr. – P.– Ele me acordou de noite – disse ela. – Disse que o ás de espadas estava subindo a escada. c. – Ele o recebeu esta manhã.

Migalhas de pastelaria na nesga de seu vestido: camadas de farinha açucarada grudadas na sua face. Ela está na maternidade em Holles Street. ocultando nos olhos sua insatisfação. Bloom. Beaufoy? – perguntou o Sr. Ela já está lá há três dias num trabalho de parto difícil. Bloom. Matcham freqüentemente pensa no golpe de mestre. Torta de ruibarbo com generoso recheio de frutas. E uma casa cheia de crianças. Bloom. Penetrante o aroma de carne de vitela rabada sopa hindu com caril. – Ó – disse o Sr. c. Dr. Mude de assunto. Dolphin’s Barn. – Mina Purefoy? – disse ela. Eu estava pensando em Philip Beaufoy. Aquela era Josie Powell.Ele continuou a olhar para ela. – É sim. Horne a internou lá. Tsk! Tsk! . – Ó – disse o Sr. as charadas. P. Em Luke Doyle muito tempo atrás. Do Clube de Teatro.: para cima. Seu olhar pesado e compassivo absorveu a notícia dela. – Você vê de vez em quando a Sra. me disse a enfermeira. – Sinto muito em saber disso. É um parto muito difícil. Sua língua estalou em sinal de compaixão. Eu também estou com fome. – Sim. – Eu acabei de perguntar quando estava a caminho se o parto dela já terminara. Será que eu puxei a corrente? Sim. O último ato.

De costas para o rio uma figura ossuda andava com passos largos ao longo do meio-fio fixando com olhar enlevado a luz solar através de um monóculo preso por um cordão consistente.. – Ele é maluco? – O nome dele é Cashel Boyle O’Connor Fitzmaurice Tisdall Farrell – disse sorrindo o Sr. Ajustado como um solidéu um chapéu minúsculo se aferrava à sua cabeça.. – Olhe só! – Ele faz bom uso deles – disse ela. O Sr. – Lá está ele – disse. Bloom. Bloom tocou de leve o cotovelo dela. – Ela foi levada passando mal na terça-feira. advertindo-a: – Cuidado! Deixe este homem passar. Breen acenou com a cabeça em assentimento. – Olhe só para ele – disse o Sr. Breen. Adeus. – Um desses dias Denis vai ficar assim. – Tenho que ir atrás dele. Ela se interrompeu subitamente. Dê lembranças minhas a Molly. sim? – Eu darei – disse o Sr. Em seu braço um guarda-pó dobrado. Bloom. Olhe só! – Quem é ele se esta é uma pergunta que se faça? – perguntou a Sra. Bloom. A Sra. – Ele anda sempre ao largo dos postes de luz. – Coitadinha! Três dias! Isso é terrível para ela. uma bengala e um guarda-chuva balançavam acompanhando a cadência de seus passos.– Sinto muito em saber disso – disse ele. Ele a observou enquanto ela se desviava dos .

Estão almoçando agora. Ele aceitou sem surpresa que ela o alcançasse e projetou sobre ela sua barba de um grisalho fosco. que eles fiquem ali fervilhando. Ó. bengala-guarda-chuva-guarda-pó balouçante. Indo sem risco de passar despercebido. Doido varrido. Olhe só para ele! Lá vai ele de novo fora da calçada. Gostaria de responder a todas. Uma forma de se dar bem neste mundo. P. Um bom sistema para criminosos. Denis Breen numa parca sobrecasaca e sapatos de lona azul se esquivava para fora de Harrison abraçando contra o peito dois volumes pesados. Ele passou pelo Irish Times. De volta para o escritório de Menton. E aquele outro velho lunático cabeludo naqueles andrajos. Bloom prosseguiu em sua caminhada com desenvoltura. Código. com o queixo pendente oscilando enquanto falava veementemente. Era possível que houvesse outras respostas ali. Soprado pelo vento da baía. vendo à sua frente sob a luz do sol o solidéu esticado. Será uma festa para os deuses. Ela deve ter uma vida difícil com ele. Posso jurar que isso é coisa de Alf Bergan ou Richie Goulding. Aposto qualquer coisa que escreveu isso de brincadeira no bar Scotch. Meshuggah. Funcionário ali de óculos não me conhece.pedestres em direção à parte fronteira das lojas. Como nos velhos tempos. O Sr. Bastante enfadonho ler com dificuldade quarenta e quatro delas. Precisa-se de datilógrafa capaz para auxiliar cavalheiro .c.: para cima. Seus olhos de ostra olhando fixamente para o cartão-postal.

Lady Mountcashel já se recuperou inteiramente do seu parto e participou da caçada com galgos de Ward Union na largada da raposa ontem em Rathoath. cozinha. Já atingiu as províncias. A . Por favor. A maneira pela qual elas soltam essas perguntas em cima da gente. Caçadora emérita. Por favor me diga qual é o significado. Comprou agora o Irish Field. O medo injeta sucos nela que tornam sua carne suficientemente tenra para eles. Geo. Precisa-se de homem ativo para balcão de bebidas. nem de brincadeira. Nenhuma sela de amazona ou assento traseiro para ela. Também caçadores apenas preocupados com o número de caças. Russell). Meus esforços literários tiveram o privilégio de merecer a aprovação do eminente poeta A. Vá devagar. R. Seis e meio por cento de dividendo. James Carlisle criou isso. exc. Não teve tempo de arrumar o cabelo tomando um chá lamacento com um livro de poesia. Ela se senta no cavalo como um homem. Diga-me quem fez o mundo. Astuto velho escocês avarento. Nossa vice-rainha graciosa e popular.) se oferece para emprego em loja de frutas ou salsicharia. Eu o chamei de levado querido porque eu não gosto daquele outro planeta. (C. E. (Sr. me diga qual é o perfume que sua mulher. Moça resp.em trabalho literário. Cozinheira e empregada para todo serviço. Raposa incomível. Fez um grande negócio com as ações de Coates. De longe o melhor jornal para um pequeno anúncio. Montar à amazona. E a outra Lizzie Twigg. com arrumadeira. Todas as notícias bajuladoras.

vinte e duas mastigadas por minuto. Miriam Dandrade que me vendeu seus agasalhos velhos e roupas de baixo pretas no hotel Shelbourne. Supunha-se que ele fosse bem relacionado. Fortes como uma égua reprodutora são algumas dessas caçadoras. A maionese eu derramei nas ameixas pensando que era creme. Método na loucura dele. Ele a presenteia com rebentos . As orelhas dela devem ter ardido durante algumas semanas depois. É preciso ser um touro para ela. Com quem ela se parecia? Ó sim! A Sra. Cortesã nata. Uma divorciada da América Latina. Pobre Sra.primeira a chegar no encontro da caçada e presente na morte da raposa.M. A. Não a perturbava em nada me ver manuseá-las. Salta por cima de um muro de pedra ou de um portão de cinco metros de altura. Um parente grã-fino em toda família. Salta no carro: uichsuich. Bebem subitamente de um trago um copo de conhaque puro. obrigada. Nada de cuidar de criança para ela. Um almoço de pãozinho de açafrão e leite e soda na Educational Dairy. Jantar com frios e chá. Aquela em Grosvenor esta manhã. E ainda assim suas suíças de costeleta de carneiro cresciam. Limpando os restos da nobreza. Eu a vi na festa do vice-rei quando Stubbs o guarda do parque real me fez entrar com Whelan do Express.C. Primo de Theodore no Castelo de Dublin. Como se eu fosse seu cabide para secar roupas. Elas se vangloriam nas cavalariças. Purefoy! Marido metodista. Acho que aquele motorista de nariz arrebitado o fez por despeito. Comendo com cronômetro.

Intervalo para o almoço. Suponhamos que ele fosse tuberculoso. Por seis pence em Rowe? Preciso consultar aquele anúncio na biblioteca nacional. Os bebezinhos. Por oito pence no Burton. Felizmente Molly teve os seus facilmente. Só um torrão de açúcar no meu chá. A caminho. A vida com um parto difícil. Asnice para alimentar os tolos. Pobrezinha! Então tendo que dar o seio a noite toda ano após ano. Era possível haver facilmente grandes estabelecimentos um negócio todo . Eu o vi fora do Three Jolly Topers caminhando sem chapéu e seu filho mais velho carregando um menor numa cesta de mercado. Ele passou por Bolton’s Westmoreland House. Puá! Simplesmente terrível. por favor. Encolhida dentro dela tentando cegamente se precipitar para fora buscando em vão a saída. com sua barriga crescida. Ele parou no cruzamento de Fleet Street. Já era tempo de alguém pensar nisso em vez de conversar fiado sobre o quê mesmo o seio pensativo do fulgor da prata. Tchu. tchu. Deviam inventar alguma coisa para parar com isso. Sss. A idéia de uma anestesia parcial: foi dada uma assim à rainha Vitória. Um desmancha-prazeres. Egoístas todos esses abstêmios. Melhor. Chá. Isso me mataria. Uma boa parideira. A velha que habitava num velho tamanco tinha um bando de filhos. Chá. tchu! Imagine só três dias gemendo na cama com um lenço embebido em vinagre em volta da testa. A cabeça da criança grande demais: fórceps. Ela teve nove. Chá. Eu esqueci de recorrer a Tom Kernan.anuais.

Thornton era uma muito boa alma. Minha mulher lutando com o sofrimento. Nenhuma gratidão nas pessoas. Ó. Moisel. Visão divertida as duas juntas. Transtorno por nada. Cabeça como uma abóbora premiada. Teve sua mão esmagada pelo filho do velho Tom Wall. Pelo amor de Deus. Eles não são sequer registrados. Molly e a Sra. Por atendimento à sua mulher. Sua pequena travessura em busca de alimento. Como subitamente elas parecem achatadas depois. Não para os natimortos naturalmente.indolor sobre todos os impostos dar a cada criança que nascesse cinco libras a juro composto até atingir vinte e um anos cinco por cento são cem shillings mais as maçantes cinco libras multiplicar por vinte pelo sistema decimal isso encorajaria as pessoas a pôr de lado cento e dez e um pouco mais por vinte e um anos necessidade de calcular isso no papel o que chegará a uma soma apreciável maior do que se possa imaginar. Murren. Médicos humanos. Depois os deixam esperar meses pelo pagamento. A velha Sra. depois volta. Pessoas batendo à sua porta todas as horas do dia e da noite. Tuberculose é temporariamente retirada de circulação. Diante da porta imensa da Câmara do Parlamento Irlandês um bando de pombos voou. doutor. Todos os meu bebês. A colher de mingau em sua boca antes de alimentá-los. Em quem . Reunião de mães. a maioria deles. Irritado Dr. Olhos tranqüilos. A primeira mesura dele ao público. é niamniam. dizia ela. seus ventres protuberantes. Um peso a menos em suas mentes.

Fizeram bem em colocá-lo acima de um mictório: encontro das águas. Manteve toda sua voz bem até o último momento. Um outro pelotão. Apjohn. Discípula de Michael Balfe. Deve ser excitante mandar pelo ar. capacetes suados. É freqüentemente feliz o destino de um policial.nós vamos deixar cair? Eu escolho o camarada de preto. Eles se dividem em grupos e espalhados. Soltos para pastar. marchando em fila indiana. circundou as grades de Trinity caminhando em direção à estação. marchando irregularmente. Vou endireitar o meu chapéu. O melhor momento para atacar um deles é na hora do pudim. se dirigem para suas rondas. Ele atravessou sob o dedo maroto de Tommy Moore. dando tapinhas em seus cassetetes. Faces congestionadas por uma boa alimentação. se cumprimentando. Com destino às suas gamelas. Preparam-se para receber a sopa. Jack Power poderia revelar muita coisa: o . Lá vai. Boa sorte. Preparam-se para a ordem de ataque. Passo de ganso. Eles me chamavam de cavalinha. Depois de tomar uma abundante sopa substancial de estourar seus cintos. eu e Owen Goldberg no alto das árvores perto de Goose Green bancando macacos. Não Há Nenhum Vale Neste Vasto Mundo. Um murro no seu jantar. não foi? Ele acompanhou com os olhos a última ampla túnica que fechava a marcha. Correndo para dentro de confeitarias. Grande canção de Julia Morkan. Fregueses desagradáveis de enfrentar. Deveria haver lugares para as mulheres. Um pelotão de policiais desembocou da College Street.

O assobio da polícia ainda nos meus ouvidos. Me deu ordem de prisão. – Viva os bôeres! – Três vivas para De Wet! – Pra forca com Joe Chamberlain numa macieira bem azeda! Bobocas: turba de filhotes inexperientes botando as tripas pela boca de tanto gritar. Por sorte eu tive a presença de espírito de me ocultar no bar Manning ou estaria perdido. Ainda assim eu vim a conhecer aquele moço Dixon que cuidou daquela minha picada de abelha no Mater Misericordiae e está agora em Holle’s Street onde a Sra. Foi exatamente aqui que tudo começou. Palavra que foi! As patas de seu cavalo em tropel atrás de nós pela Abbey Street. Aquele polícia-montada no dia em que Joe Chamberlain se formou em Trinity College foi recompensado por seus esforços. Relacionamentos complexos. Se um camarada der problema ao ser preso eles o fazem passar um mau pedaço na cadeia. Não se pode censurá-los afinal de contas com o tipo de trabalho que eles têm especialmente os tiras jovens. Por que ele me escolheu para vítima. A banda do Grêmio das Leiterias. E os calouros de Trinity College com seus barretes de formatura. O Monte Vinagre.pai é da divisão G da polícia secreta. Todos debandaram. Purefoy. Por Deus. Alguns anos depois metade deles são magistrados e funcionários públicos. Procurando confusão. Eu não devia ter me deixado arrastar por aqueles estudantes de medicina. ele levou uma paulada e tanto. Deve ter quebrado a cabeça de encontro ao paralelepípedo. .

Mary? – Eu não uso essas coisas. Engambelador. Pare ou eu vou denunciar você à patroa.. Manejá-la um pouco. Também era membro da corporação. Jovem estudante impetuoso brincando com os braços gordos dela enquanto ela passa a ferro. Círculos de dez de modo que cada camarada .Chega a guerra: atabalhoadamente no exército: os mesmos homens que costumavam. Vendedoras de tabacarias. Corny Kelleher está de olho em Harvey Duff. – Ah. – Essas são suas. Deixado de lado como uma batata quente. Fora de casa metade da noite. Espere e você verá. E quem é o cavalheiro que tem andado por aqui? O que anda dizendo o patrãozinho? Peeping Tom através do buraco da fechadura. A idéia de James Stephen foi a melhor. Seja no alto da forca. dê o fora com seus grandes tempos a vir. Depois o prato seguinte no cardápio. Ele os conhecia. Incentivando jovens inexperientes o tempo todo para ficar a par das coisas recebendo pagamento do castelo por seu serviço secreto. Mary. – Grandes tempos estão para vir. Nunca se sabe com quem se está falando. Garçonetes também. Como aquele Peter ou Denis ou James Carey que denunciou os invencíveis. É fácil discernir um homem metido a conquistador. Espremendo-a contra a porta dos fundos. Ora aqueles detetives à paisana estão sempre cortejando as criadas domésticas..

Coisas corriqueiras. entrando. Garibaldi. Palavras inúteis. A filha do carcereiro conseguiu tirá-lo de Richmond. Nenhum pedaço para o trinchador. Bondes passaram uns atrás dos outros. Coma mais um pouco do molho gorduroso antes que ele esfrie demais. Aqui está para você um bom punhado de tomilho temperando o ganso por baixo da pele. Que a república é a melhor forma de governo. Esquadrão de fuzilamento. As coisas . quer dizer pêssegos. Ficam inteiramente à vontade. A idéia é que o outro cara que paga tem o melhor molho do mundo.só tinha contato com os do seu próprio círculo. Que os entupam de comida e bebida. Entusiastas meio alimentados. fora de Lusk. Ganso da festa de São Miguel. Façam suas filhas os atraírem para a sua casa. Se recuar uma facada nas costas. uma nuvem pesada escondeu lentamente o sol. Passando a noite no hotel Buckingham Palace debaixo de seus próprios narizes. O sol da independência está se erguendo a noroeste. saindo. Que a questão da linguagem deva ter precedência sobre a questão econômica. Arthur Griffith é um homem honesto e reto mas não tem carisma junto ao povo. Sinn Fein. A sala de chá da Panificação Irlandesa. Seu sorriso se esvaneceu enquanto ele caminhava. tinindo. Pãozinho de um tostão e uma caminhada com a banda. Permanecer. Mostre-nos aqueles abricós. Você precisa ter um certo fascínio: Parnell. deixando na penumbra a fachada altiva de Trinity. Sociedades de debates. Mão oculta. O dia nada distante. Ou atração para nossa terra adorável.

sumindo. Mudando de dono.prosseguem do mesmo modo. Pirâmides na areia. Ninguém é nada. Dignam removido. Desde que eu alimentei os pássaros há cinco minutos. para a noite. Babilônia. dia após dia: esquadrões de polícia saindo. Um outro mete os pés nos seus sapatos quando ele recebe ordem de partir. Aqueles dois malucos perambulando. uma outra cidade toda surgindo. Trezentos bateram as botas. Grandes pedras deixadas. esgotados século após século. saindo. Casas. Construídas à base de pão e cebola. Sinto como se tivesse sido . Outros trezentos nasceram. Esta é a hora pior do dia. aquele. deprimente: odeio esta hora. construídos às pressas. Escravos da muralha da China. tijolos amontoados. Apática. Um nascendo a cada segundo em algum lugar. Torres redondas. Vitalidade. todos são lavados no sangue do cordeiro. Alguma fraude nisso em algum lugar. Uma cidade toda sumindo. Eles compram o lugar com ouro e ainda assim eles têm todo o ouro. Mina Purefoy de ventre intumescido na cama gemendo para que arrancassem um filho de dentro dela. Casas de cogumelos de Kerwan construídas de brisas. subúrbios esparramados. fileiras de casas. O dono nunca morre dizem. Outro morrendo a cada segundo. sumindo também: outra surgindo. berrando baauau. pedras. milhas de calçadas. lavando fora o sangue. Abrigo. Amontoados em cidades. voltando: bondes entrando. ruas. Este proprietário. Resíduo de cascalho.

Essa é a fascinação: o nome. Deve haver hoje uma reunião da corporação. Lá está ele: o irmão. Olhe só para o andar acabrunhado dele.B. distraído. Naturalmente uma centena de vezes você pensa numa pessoa e não a encontra. A natureza abomina um vácuo. empoado e barbeado. Que todos eles se acabem. O reverendo Dr. Vai provavelmente dar um pulo na D. Bem enlatado ali. Irmão do grande homem: irmão do seu irmão. A louca Fanny e a outra irmã dele a . jogar xadrez lá. Como uma capela mortuária. Rosto que nos persegue. envaidecido. Não teria morado nela mesmo que me tivessem pago. Espero que tenham fígado e toucinho defumado hoje. O sol se libertou lentamente e ateou clarões de luz por entre a prataria na vitrine oposta de Walter Sexton por onde John Howard Parnell passava. Ora isso é uma coincidência. Ele ficaria bem num cavalo de batalha.C. Charley Kavanagh costumava sair montado em seu grande cavalo. A cara dele. Olhos escaldados no fantasma. Como se tivesse comido um ovo estragado. para o seu café. Como um homem andando durante o sono. Dizem que ele nunca vestiu o uniforme de grande escudeiro da cidade desde que tem esse emprego. Ninguém o conhece. Eu tenho uma mágoa. Têm medo de fazer um comentário sobre ele.comido e vomitado. Seu irmão utilizava os homens como peões. Ele os enregela com aquele seu olhar. Salmon: salmão enlatado. Todos um pouco pirados. Casa do Reitor. com seu chapéu de bicos.

Geo. Simon Dedalus disse que quando o pusessem no Parlamento Parnell ressurgiria do túmulo e o conduziria pelo braço para fora da câmara dos comuns. Sem dizer uma palavra. Alguma coisa oculta: simbolismo. Aquela podia ser Lizzie Twigg com ele. Assim mesmo ele foi derrotado por David Sheehy em South Meath. O que é que ele estava dizendo? As extremidades do mundo com um sotaque escocês. Ora isso é realmente uma coincidência: a segunda vez. Dickinson cavalgando à volta com os arreios escarlates de sua montaria. uma delas é a cabeça sobre a qual as duas extremidades do mundo esqueceram de se encontrar enquanto a outra fala com um sotaque escocês. Comendo cascas de laranja no parque. Alphonsus Eb Ed El Escudeiro. Eles passaram pelo Sr. Para auxiliar cavalheiro em trabalho literário.Sra. Ela está absorvendo tudo. Albert Edward.. O banquete do patriota. E ali está ele também. uma mulher o . Barba e bicicleta. – Das duas cabeças de polvo. A.. Seus olhos seguiram a figura alta vestida de tecido de fio cru. Bloom ao longo da calçada. E.: o que isso quer dizer? Iniciais talvez. Ereta como um fuso como o cirurgião M’Ardle. Abandonou seu cargo público para se candidatar a administrador do Chiltern Hundreds. Tentáculos: polvo. Futuros acontecimentos lançam suas sombras adiante. Arthur Edmund. Discursar. Sr. Com a aprovação do eminente poeta. barba e bicicleta. Os tentáculos. Russell. Uma moça.

Eles cozinham em soda. Frutarianos. Dizem que é mais saudável. As meias dela estão soltas acima dos tornozelos. Para lhe dar a impressão de que você está comendo bife de alcatra. avaliando os preços dos binóculos. Isso faz você ficar sentado ao lado da torneira a noite inteira. simbolistas. Por que eles chamam aquela coisa que me deram filé de noz? Nozarianos. Provavelmente na hora do almoço dele. . Experimentei. Ruim como arenque defumado. Estetas eles são. Salgado também. Não sabem sequer o que é poesia. Absurdo. É preciso estar com um certo estado de espírito.escutando a seu lado. Vindos do restaurante vegetariano. Por exemplo um daqueles policiais transpirando ensopado irlandês de carne de carneiro em sua camisa você não poderia espremer nenhuma linha poética dele. sombrios. Sonhos a noite toda. Eu não ficaria surpreso que fosse esse tipo de alimentação você sabe que produzisse essa onda de cérebros de veia poética. Aqueles seres literários etéreos são eles todos. Se você o fizer os olhos daquela vaca irão persegui-lo através de toda a eternidade. Não comem um bife sequer. Mantém você em forma o dia todo. Eu odeio isso: de tão mau gosto. Apenas legumes e frutas. A sombria e sonhadora gaivota Lânguida sobre as águas se agita. Somente ventoeágua. Que tal eu dar um pulo no velho Harris e bater um papo com o jovem Sinclair? Rapaz bem-educado. Sonhadores. Ele cruzou a esquina de Nassau Street e parou diante da vitrine de Yeates and Son.

A ponta de seu dedo mínimo apagou o disco do sol. Inacreditável. Há um pequeno relógio colocado lá em cima no teto do banco para testar esses óculos. No ano passado ao viajar para Ennis eu tive que pegar a bolsa da filha do fazendeiro e entregá-la a ela na conexão de Limerick. estendeu a mão direita à distância em direção ao sol. Sim é isso aí: completamente. Se eu tivesse óculos escuros. São espantosas as coisas que as pessoas esquecem nos trens e vestiários. ficando em pé entre os toldos. São explosões espetaculares. Não posso vê-lo. Não posso vê-lo. É o relógio que é posto para . Muitas vezes eu quis fazer essa experiência. Os alemães estão se espalhando por toda parte. Ele deu meia-volta e. Vai haver um eclipse total este ano: em determinado momento no outono. Facilitam as vendas para conquistar o mercado. Deve ser o foco em que os raios se cruzam. Havia muita discussão a respeito dessas manchas solares quando nós morávamos em Lombard Street oeste. Dinheiro que não é reclamado também. Suas pálpebras caíram a ponto de quase taparem suas pupilas. Se você o imaginar ali você quase pode vê-lo. Erguendo os olhos do jardim atrás. Agora pensando bem naquela bola que cai com a hora de Greenwich. Lentes de Goerz custam seis guinéus. Em que elas estariam pensando? As mulheres também. Poderia ter uma chance de conseguir um par no escritório de objetos perdidos da estrada de ferro.Preciso pôr em dia esses meus velhos óculos. Interessante. Vendendo por preço inferior.

como aquele caramelo de abacaxi. Ele passou pela Maison Claire. Ele. Caminhando ao longo do Tolka. Bajule. Preciso ir lá num primeiro sábado do mês. A lâ-âmpada do vagalume está cintilando. se cruzando. ofegante. disse ela. Se tinha que ser foi. braço. Ela estava cantarolando. caminhando mais . Espere.funcionar por meio de um fio elétrico que parte de Dunsink. Adular à loucura. Nada má para uma lua de Fairview. Isso serviria para: um homem sempre se sente lisonjeado. Sua mão caiu para o lado novamente. O Sr. Responder. Pare. Sempre o mesmo antigo estribilho. Se eu pudesse conseguir uma apresentação para o professor Joly ou descobrir alguma coisa sobre a sua família. Ah. Acredito que sim. A lua cheia era a noite em que estávamos domingo exatamente quinze dias depois há uma lua nova. Tem de. Tocar. A jovem lua de maio está brilhando. Bajulação de onde é menos esperada. amor. A lua. Ele do outro lado dela. Gás: e então sólido: então mundo: então frio: então concha morta vagando. Nada de entrar e deixar escapar o que você sabe que não deve: o que é paralaxe? Acompanhe este cavalheiro até a porta. rochedo congelado. Nunca sei nada sobre isso. Homem nobre orgulhoso de descender de alguma amante do rei. passando. Cotovelo. Bloom. amor. Perguntar. Deve ser a lua nova. Bolas de gás rodopiando. Sua ancestral. Perda de tempo. Sim. Pare. Boné na mão leva longe. Dedos.

O negócio de Dion Boucicault com sua cara de lua cheia em seu gorro apertado. Voltaria? Você não é feliz em sua casa meu pobre menininho . A harpa que outrora nos matou de fome. Partiu. Eles bebem a fim de dizer ou fazer alguma coisa ou cherchez la femme. Você voltaria para aquela época? Apenas começando então. Foi o que pensei. dizia M’Coy. Carranca vermelha: diversão para os bêbados: gargalhada e fumaça. Tire esse chapéu branco. bebendo. Uma soda pura lhe faria bem. Ou será que eu era? Ou eu sou agora eu? Eu tinha vinte e oito anos. riam cuspindo gotas de bebida em sua respiração. Não se pode trazer o tempo de volta.lentamente passou por Adam Court. Os olhos escaldados dele. Sim. Lá em cima no Coombe com cáftens e prostitutas e então o resto do ano sóbrio como um juiz. Mais uísque. Como o tempo voa. Meninice de um rapaz. É como segurar água na mão. hein? Mostrando longas pantalonas vermelhas por baixo das saias dele. Nunca mais pôde ser a mesma coisa depois de Rudy. Onde Pat Kinsella tinha seu teatro Harp antes que Whitbred dirigisse o Queen’s. Pat. Ela vinte e três. Sumindo no Empire. Onde é que ele está agora? Mendigo em algum lugar. Com um fique quieto de alívio silencioso seus olhos notaram esta é a rua aqui no meio do dia dos ombros encurvados de Bob Doran. Quando nós partimos de Lombard Street oeste alguma coisa mudou. Eu era mais feliz então. Beberrões. Três donzelas de pensionato. Na sua pândega anual.

Meyerbeer. Arranhão: quase sumido. Preciso voltar para aquela loção. Para o aniversário dela talvez. Isso sempre dá à mulher um andar desajeitado. Eu estou há muito tempo ameaçando comprar uma. Pés grandes tem aquela mulher de meias brancas. Escrever na biblioteca. anáguas em finos trilhos de . Uma urna inclinada derramava de sua boca um dilúvio de popeline vermelho-sangue: sangue lustroso. Cascatas de fitas. Espero que a chuva as suje. patadas soando baixo na rua de paralelepípedos assando ao sol. Então talvez ela não gostasse disso. Sedas chinesas delicadas. Musseline estampada. Preciso responder. Espetando eles todos por toda parte. Dizem que ele corta o am. seda de damas e viúvas. Agulhas nas cortinas das janelas. De qualquer forma não hoje. Labregos nascidos no campo.travesso? Quer pregar meus botões. Todas as mulheres de pernas grossas estavam ali. Deve ser lavada com água da chuva. Os huguenotes trouxeram isso para cá. negociante de tecidos de seda. Grafton Street alegre com casas de toldos fascinava seus sentidos. Um grande coro esse. Tara: bom bom bom . Ele passou. Alfineteiras. Molly parece fora de prumo. Daqui a quase três meses. o tilintar dos arreios. pelas vitrines de Brown Thomas. zombeteiro. Lacaus esant tara tara. As mulheres não apanham alfinetes. Taree tara . Sedas brilhantes. Ele descobriu ligeiramente seu antebraço esquerdo. Junhojulhoagostosetembro oito.

O Burton. Seu cérebro se rendeu. Vozes elevadas. Homens. Seda aquecida pelo sol.metal. Uma substância humana roliça e quente se assentou no seu cérebro. camas rangentes. Conte-me tudo. Tinha de ser. Agendath Netaim. homens. seções de meias de seda em exposição. nos saguões porejantes das moradias. lar e casas. Ele dobrou a esquina de Combridge. Empoleirados em tamboretes elevados junto ao . Tudo para uma mulher. frutas saborosas perfumadas de Jaffa. Corpos perfumados. Perfume de carícias assaltaram-no todo. Com uma carne dominada pela fome ele obscuramente e mudamente ansiou por adorar. meu amor! – Querida! – Beije-me. ao longo dos sofás. Todos beijados. Reggy! – Meu garoto! – Meu amor! Com o coração agitado ele empurrou a porta do restaurante Burton. homens. Sentir-me melhor então. Riquezas do mundo. patadas. Aqui estamos. Arreios tilintantes. aluvião de legumes verdes. quentes. Inútil voltar atrás. se entregaram: nos campos profundos do verão. Tilintar. Duke Street. Veja os animais se alimentarem. ainda perseguido. a relva comprimida se emaranhou. Um mau cheiro lhe invadiu a garganta trêmula: molho acre de carne. baixela de prata. – Jack. tecidos de seda. saciados. Preciso comer.

Pedaço de costeleta grelhada. xixi acervejado dos homens. Pôs na boca mais do que lhe era possível mastigar. Olhos tristes de alcoólatra. . Um homem cuspindo de volta no prato: cartilagem meio mastigada: gengivas: nenhum dente para tritritriturá-la. Homem famélico é homem colérico. – Rosbife e repolho. Não por favor! Ó! Um osso! Cormac aquele último rei pagão da Irlanda do poema escolar se engasgou em Sletty ao sul de Boyne. Um jovem pálido de rosto sebento lustrava com o guardanapo seu copo faca garfo e colher. Será que eu sou assim? Ver-nos como os outros nos vêem. Ficou enojado. com os olhos salientes. Alguma coisa deliciosa. os chapéus jogados para trás. cerveja derramada. comendo vorazmente porções tão grandes de comida que transbordavam da boca. enxugando os bigodes molhados. Não conseguiu engolir tudo no entanto. a urina de levedura. Engolindo às pressas para acabar com isso. Dente e mandíbula trabalhando. Eu me pergunto o que ele estava comendo. – Um ensopado. cheiro desagradável de fumo.bar. nas mesas pedindo mais pão parte do serviço. Cusparada na serragem. São Patrício o converteu ao cristianismo. Odores de homens. fumaça de cigarro adocicada aquecida. bebendo avidamente. Um novo contingente de micróbios. Um homem com o guardanapo em volta do pescoço manchado de molho debaixo do queixo tomava sofregamente sopa gorgolhante pela goela abaixo.

Devorando o molho do guisado com pedacinhos de pão nele encharcados. Bem para cima: ela salpicou amarela perto de sua bota. penso. Um camarada afiando a faca e garfo para comer tudo diante de si. Mas então a alusão fica perdida. com os cotovelos na mesa. Olhe para este retrato e depois para esse. Ou não. Prata quer dizer que nasceu rico. Rock. pronto para uma segunda rodada olhava para o elevador de comida através do quadrado manchado do seu jornal. Apertando as asas do nariz. Um outro cara lhe contando . cheio. homem de Deus! Vamos embora daqui. Segunda natureza para ele. Um serviçal malvestido recolhia ruidosamente pratos grudentos. Lamba o prato. Bela tacada. – Uma presuntada e repolho. chefe dos meirinhos. de pé no bar soprava a coroa de espuma de sua caneca. Um comensal. Ação de graças depois das refeições.Não poderia comer uma migalha sequer aqui. Aquele camarada socando com a faca uma porção de repolho pela garganta abaixo como se sua vida dependesse disso. – Duas cervejas aqui. com a faca e o garfo erguidos. Isso é espirituoso. ele lançou um olhar para os comilões sentados nos tamboretes e na mesa. Ligeiro espasmo. Me dá arrepio de ver. Mais seguro comer com suas três mãos. Despedace-o membro por membro. Antes e depois. Nasceu com uma faca. mastigando o bolo alimentar dos ruminantes. um cara velho palitando seus dentinhos. Nasceu com uma faca de prata na boca.

Não o vejo. Ele saiu para o ar livre e virou em direção a Grafton Street. ao lordeprefeito em seu coche vistoso. – Meia garrafa de cerveja preta. Eu chenchontrei chegunda chno Unchster Bunk. Para me manter em pé. Matar! Matar! Imaginemos aquela cozinha pública que nos espera talvez no futuro. Comer ou ser comido. Meu prato está vazio. Conversa de mesa. Trago. à velha rainha no seu carrinho de inválida. às moradias populares. Ele recuou em direção à porta. Tive um bom café-da-manhã. Esfregue fora os micróbios . Depois de você com sua taça da Corporação de Dublin. Cada um por si. Todos trotando com tigelas e canecas para serem servidas. Troçonaboca. Clyde Road. – Assado e purê de batata aqui. Como a fonte de sir Philip Crampton. da unha aos dentes. De Ailesbury Road. Um tapa-buraco. De John Howard Parnell por exemplo superintendente de Trinity ao mais insignificante cidadão sem falar dos seus superintendentes e do superintendente de Trinity às mulheres e crianças cocheiros de fiacres padres pastores marechais-decampo arcebispos.alguma coisa de boca cheia. O quê! É verdade mesmo? O Sr. Seus olhos disseram: – Aqui não. Ouvinte compreensivo. Bloom ergueu dois dedos duvidosamente até seus lábios. ao asilo de North Dublin. Odeio comilões sujos. Trago. Devorar os conteúdos na rua. Vou fazer um lanche ligeiro no Davy Byrne’s. Fora. Bóia.

Um sofrimento para o animal também. E então quem lavaria todos os pratos e garfos? Pode ser que nessa ocasião todos se alimentariam de pílulas. Os dentes ficando cada vez piores. O padre O’Flynn daria asas a todos.com seu lenço. Arpoando postas de peixe e pernas de carneiro dali. Dê-nos aquela carne de peito pendurada. Cada um querendo tudo para si. . Carneiros tosquiados de olhos vidrados pendurados pelas ancas. focinhos de carneiros envoltos em papel sangrento congestionamento de nariz pingando na serragem. Vitelo cambaleante. Mé. Ela chamava isso de table d’hôte no hotel City Arms. Quadrúpedes desgraçados lá no mercado de gado que aguardam o machado que vai lhes partir os crânios. Afinal de contas há muita verdade nessa idéia vegetariana do sabor gostoso das coisas provenientes da terra o alho naturalmente dá depois um cheiro ruim aos tocadores de realejo italianos que fritam com cebola cogumelos trufas. Querem um prato de sopa tão grande quanto o Phoenix Park. Mu. Cabeça crua e ossos sangrentos. Ei rapazinho. Odeiam pessoas à sua volta. não massacre os pedaços. Nunca se sabe de quem são os pensamentos que você está ruminando. Sopa. Pobres bezerros trêmulos. Chlape. carne e doce. Depenar e retirar os miúdos das aves. Perdas e aparas saindo. Crianças lutando para raspar a panela. Nos baldes dos açougueiros bofes oscilantes. Rosbife e batata frita com legumes picados. Haveria brigas da mesma forma. O próximo cara esfrega uma nova leva com o seu.

Como carne de porco em salmoura. Flynn.. Ele entrou no Davy Byrne’s. Havia um velho negro real. Vejamos.. Oferece uma bebida de vez em quando. uma vez de quatro em quatro anos. Incompleto.. Todos num beco sem saída. – Olá. Ele não bate papo. Devem ser duras devido ao exercício. Carne enlatada de Dignam. Posso quase sentir o gosto ao olhá-las. Canibais os comeriam com limão e arroz. Vou tomar um copo de borgonha e. Que comeu ou coisou as coisas do reverendo Sr. As mulheres dele em fila para observar o efeito. Bloom – disse Nosey Flynn do seu canto. Sanduíche? Presunto e seus descendentes concentrados e produzidos ali. Vejamos agora. O que é um lar sem carne enlatada Plumtree. Espera-se que o chefe consuma as partes mais honrosas. Descontou uma vez um cheque para mim. Bar moral. Vejamos. estou com fome. Que anúncio idiota! Eles o fixam embaixo dos obituários. Sempre necessidade de sangue. Carnes enlatadas. Fantasmas famintos. xarope espesso. . O que é que eu vou beber agora? Olhou no relógio. Ah.. Lambê-lo ainda fumegante. Sardinhas nas prateleiras.Recomenda-se sangue ainda quente para os tísicos. Missionário branco salgado demais. Insidioso. – Como vão as coisas? – Às mil maravilhas. Uma mistura de cerveja e gengibirra? – Olá. Mas em ano bissexto.

Puro azeite de oliva. Lubrifica. Tom Kernan sabe preparar. – A mulher está bem? – Muito bem. Matança de inocentes. senhor.MacTrigger. Religiões. Com isso um lugar no paraíso. Orelhas de abano para combinar. Isso era o que eles chamam agora de higiene. então. Comer beber e ficar alegre.. Bandagens em volta da cabeça. Jejum do Yom Kippur uma limpeza de primavera do interior. Nosey Flynn tomou um gole do grogue. Nada de carne e leite juntos. Caranguejo bem temperado assado. – Tem cantado ultimamente? Olhe só para a boca dele. Prefiro italianas. senhora de si. Gostaria também de umas azeitonas se as tivessem. Tem prazer em fazê-lo. Milly me serviu aquela costeleta com um raminho de salsa. Queijo forte. . obrigado. Deus fez a comida. Pegar uma cebola espanhola.. o diabo as cozinheiras. Perus e gansos de Natal. Um sanduíche de queijo. Guerra e paz dependem da digestão de algum indivíduo. Um bom copo de borgonha leve isso. senhor. Charada encontre a carne. Poderia assobiar em seu próprio ouvido. – Você tem sanduíche de queijo? – Sim. Uma bela salada. Kosher. Então depois ambulatórios de hospitais cheios. Redenhos tripas bolorentas traquéias adulterados e picados. O queijo digere tudo exceto a si mesmo. O Senhor conhece o preparado. Você tem gorgonzola? – Sim.

Ficou maior e cada vez maior. – Mostarda. Divertiam-se a valer. É isso aí. O relógio do bar está cinco minutos . Bloom cortou seu sanduíche em pequenas tiras. Bloom. MacTrigger. – Não.. Duas. Suas vidas.Música. Quem a está organizando? O balconista do bar serviu. Uma parte de ações e uma parte de lucros. Não faz mal. Talvez você tenha ouvido falar a respeito.. Mais fácil do que aquele negócio de creme de sonho. pondo a mão no bolso para coçar a virilha. Obrigado. senhor. Ele ergueu os olhos e se deparou com o olhar bilioso de um relógio. isso tem muita classe. – Você o prepara assim? – disse ele. – Sim. é como o princípio que norteia uma companhia sabe. Ainda assim é melhor lhe dizer. – Ora. O Sr. senhor? – Obrigado. Sr. Entende tanto disso como o meu cocheiro. Anúncio gratuito.. – Quem foi que andou me contando? Não é Blazes Boylan que está metido nisso? Um choque de ar quente o calor da mostarda mordeu vorazmente o coração do Sr. senhor. Ele salpicou gotas amarelas debaixo de cada tira erguida.. Suas quinhentas mulheres. agora eu me lembro – disse Nosey Flynn. – Quanto é isso? – Sete pence. Ó. – Ela foi contratada para uma grande turnê no final do mês.

Ainda não. ansiosamente. antes que se realizasse. – Na verdade é ele o organizador. viu? Ó por Deus Blazes é um cara astuto. afundou dentro dele. Rubor de arenque. Os ponteiros se movendo. pedindo fortemente à sua garganta que se apressasse a engoli-lo. O tempo está passando.. – Por quase um mês. Nada de medo: nenhuma inteligência. Vinho.adiantado. Seu diafragma subiu então.. limpando os lábios com duas esfregadas de seu guardanapo. ela foi aspirada de volta pelo nariz. ele andou me dizendo que manteve à vista aquele tipinho no condado de Carlow. colocou delicadamente seu copo de vinho na mesa. Cujo sorriso em cada um de seus traços . Pulga fazendo uma refeição substancial. Absorvendo ovos de pata meu Deus até nova ordem. Espero que essa gota de orvalho não lhe caia no copo. Mantê-lo afastado de bebida. Por Deus. Duas. Davy Byrne avançou da parte de trás do bar com a camisa de mangas arregaçadas. Ele cheirou e deu um gole do líquido generoso e. Não. Nosey Flynn fungou e se coçou. subiu mais demoradamente. – Sim – disse ele. criatura. – Jack Mooney andou me dizendo que ele teve uma boa fatia de sorte naquela partida de boxe em que Myler Keogh venceu de novo aquele soldado nas barracas de Portobello.

Licenciado para a venda e consumo de cerveja. – No que você está certo – disse Nosey Flynn. Sr. de lorde Howard de Walden. Lenehan tem uns bons palpites. Ele está apostando no Cetro hoje. Morny Cannon o está montando. – A menos que você esteja por dentro. – E aqui está ele em boa forma – disse Nosey Flynn. Cara eu ganho coroa você perde. Lindamente planejado. Bloom comeu suas tiras de sanduíche. – Você está certo – disse Nosey Flynn. Flynn – respondeu Davy Byrne. de um queijo verde com sabor de pés. com o prazer enojado de uma mostarda picante.joga com tal e tal repleto. Barzinho gostoso e sossegado. Eu podia ter apostado sete a um contra Santo Aman quinze dias . Bela peça de madeira no balcão. – Eu não faria nada de forma alguma nesse ramo – disse Davy Byrne. um bom pão fresco. Zinfandel é o favorito. Tem mais buquê neste tempo livre de friagem. Não há mais nenhum esporte correto agora. Gordura demais nas verduras. Goles de seu vinho abrandaram seu paladar. Bolo de apostas de taberneiro. foi vencedor em Epsom. Como aquela linha curva ali. os mesmos cavalos. – Nunca apostei nada em cavalo. O Sr. – Isso já arruinou muitos homens. Nenhum adstringente nisso. vinho e bebidas alcoólicas no local. – Você pode nos dar um bom palpite para o Grande Prêmio? – Estou fora disso.

a potranca de Rothschild. Jaqueta azul e boné amarelo. Então por volta de seis horas eu . De barbas espinhosas elas gostam. O tolo e seu dinheiro. – Eu podia. – É mesmo? – disse Davy Byrne. Sim. Ele me pôs fora da jogada. De pé. O sabor está melhor porque eu não estou sedento. – Aquele era um cavalo fora de série. Falta de sorte para o grandão Ben Dollard e seu cavalo John O’Gaunt. Melhor deixar ele esquecer. com chumaços em suas orelhas. Seu pai era São Frusquino. fazendo seus dedos descerem deslizando pelos canudos do copo. Narizes frios de cachorros. Ó. Ele bebeu resignadamente. Ela venceu num dia de tempestade. por certo – disse Nosey Flynn. Belo vinho este. Bloom olhou de cima para o suspiro dele. pegando seu livro de despesas. A velha Sra. Riordan com seu skye terrier de estômago roncador no hotel City Arms. Molly fazendo festa nele no colo dela. Assim mesmo pode ser que elas gostassem. Ele se encaminhou para a janela e. o grande cãozinho bauuausiuausiuausi! Miolo de pão embebido e amaciado no vinho mostarda um momento queijo nauseante. Nosey de cérebro parvo.atrás. Só uma mordida ou duas. fungando. mastigando ruidosamente. – Sim – disse suspirando. Falo a ele sobre o cavalo de Lenehan? Ele já sabe. Gotas de orvalho caindo novamente. Ir e perder mais. O banho naturalmente causa isso. examinou atentamente suas folhas. o Sr. Nariz frio ele teria ao beijar uma mulher.

Laranjais por exemplo. Champanha e ostras do Red Bank. Bombas geladas. fora das árvores. Se você não soubesse que é arriscado pôr qualquer coisa em sua boca. Seus olhos sem fome viam prateleiras de latas: sardinhas. Fruta tentadora. O fogo suave do vinho inflamava suas veias. É o diabo abri-las também. Ele estava no Red Bank esta manhã. É levado pelo cheiro ou a aparência. Os chineses comem ovos de cinqüenta anos de idade. Peixes tolos que não aprendem nada em milhares de anos. O tempo já terá passado então. Repugnantes como um grumo de catarro. Sim e quanto às ostras. do mar tiram com isca num anzol. Seis.posso. Precisam de irrigação artificial. Conchas asquerosas. Jantar de trinta pratos. Bleibtreustrasse. de imundície. os franceses comem caracóis tirados do solo. Guisado de carne de caça. Experimentar primeiro no cachorro. Seis. . De uma cor vistosa você se previne. Primeiro cace sua lebre. Frutas silvestres venenosas. Um camarada contou para o outro e assim por diante. tenazes de ostras vistosas. Roseiras bravas. Eu queria isso demais. Instinto. Todas as coisas estranhas que as pessoas pegam para alimento. Lebre cozinhada em panela de barro. Estava ele ostras peixe velho na mesa talvez ele carne fresca na cama não junho não tem erre nem ostras. Efeito sobre o sexual. Quem as descobriu? Elas se alimentam de lixo. Ela. Rotundidade você considera uma coisa boa. Mas há pessoas que preferem caça. Litorinas fora das conchas com um alfinete. Me sentia tão descorado. Afrodis. Creme. azuis e verdes novamente.

Vinho branco Hock em copos verdes. damas seminuas. Um eremita com uma travessa de legumes para impedir ferrões na carne. Caviar. Devolver a ele a metade de uma vaca. Eu vi espalhada na área da cozinha do Juiz de Apelação. O esturjão real. Chef de boné branco como um rabino. Eles querem pratos especiais para fingir que são. Pato combustível. o açougueiro. Uma boa coisa seria escrever isso no cardápio para que você possa saber o que comeu. Naturalmente os aristocratas. Por preço baixo ninguém compraria. O alto xerife. Gorjetas. Posso tentá-la a comer um pouco . traje a rigor. Crème de la crème. Pérolas em colos empoados. Lagostas cozidas vivas. Idéia para um mistério com veneno. depois os outros copiam para ficar na moda. A élite. Não me importaria de ser garçom num hotel de luxo. Excelente rega-bofe. Dão de grande. De massa crua eu mesmo gosto.Cada prato inocente pode se misturar lá dentro. Bolinho de repolho à la duchesse de Parme. Foi o arquiduque Leopoldo não sim ou foi Otto um daqueles Habsburgos? Ou quem era que costumava comer as caspas de seu próprio couro cabeludo? O almoço mais barato da cidade. tem direito à carne de veado da floresta de sua ex. Coffey. Dama tal. Milly também caramelo óleo e farinha. Dosando isso com sopa dessecada de Edward. Ptome um tbocado de ptármiga. Gansos cevados para eles a ponto de ficar imbecis. Eu sei por experiência própria. Metade das ostras apanhadas são jogadas de volta ao mar para se manter o preço alto. Conheça-me e venha comer comigo. Drogas demais estragam o caldo.

Du de la isso é francês. Campos submarinos. Esmagadas na prensa de lagar as uvas da Borgonha. entaladas. Deitado sobre ela extasiado. você vai me amarrotar toda. Ó coisa maravilhosa! Sua mão suavificada por cremes me tocou. Vinho afogueante se deteve em seu céu da boca e foi engolido.mais de filé de linguado-alimonado. O céu. as linhas de um marrom esmaecido na relva. Ela aceitou e como. centopéias na urze esfregavam minha mão por baixo da sua nuca. Verde ao lado de Drumleck. me acariciou: abaixo de mim seus olhos não se esquivaram. Tem jeito de um nome huguenote. senhorita Nicomo? Sim. Com meu casaco servindo de travesseiro para seus cabelos. pode deixar que eu como. Maikel A Aitcha Ha ignorante como uma toupeira e vale cinqüenta mil libras. com todos os meus lábios bem abertos. Eu me lembro que uma senhorita Nicomo morava em Killiney. Verdeamarela em direção a Sutton. Entaladas no vidro duas moscas zumbiam. Esse é o calor do sol. Nenhum som. Oculta sob samambaias selvagens em Howth a baía dormia abaixo de nós: céu. Ainda assim é o mesmo peixe do qual o velho Micky Hanlon de Moore Street retirou as tripas ficando rico a todo vapor com os dedos nas guelras dos peixes não sabe escrever seu nome num cheque dava para se pensar que ele estava pintando a paisagem com sua boca retorcida. Atingido seu sentido umedecido se lembrou. A baía purpúrea junto ao Lion’s Head. . cidades soterradas. Parece com seu toque secreto estar me trazendo lembranças à memória.

Ela estava deitada imóvel. Lábios suaves quentes pegajosos gengiva gelatinosa. Toda entregue ela ouriçou meu cabelo. Juno: curvas que o mundo admira. me tome. Ela me beijou. É possível vê-las no museu da biblioteca de pé no saguão redondo. deusas nuas. Ninguém. Um bode. seu pescoço esticado que pulsava. Inflamado eu a lambi. E eu agora. ela me beijou. A mim. Beleza: ela se encurva: curvas são beleza. Vida jovem. seus mamilos redondos e rijos.eu beijei sua boca. Beijou. Seixos caíram. Vênus. olhos que desejam. Verdadeiras flores eram seus olhos. semeando suas passas de Corinto. Entaladas. Deusas bem proporcionadas. Tudo para ver. Docemente ela fez deslizar em minha boca o bolo de sementes aromáticas quente e mastigado. Encoberta por samambaias ela ria no abraço apertado e quente. Nunca falando. Sofregamente eu me deitei sobre ela e a beijei: seus olhos. seus seios fartos de mulher em sua blusa de tecido fino de lã. Ajuda a digestão. Suponhamos que ela fizesse como Pigmalião e Galatéia o que ela diria em primeiro lugar? Mortal! . as moscas zumbiam. Alegria: eu a comi: alegria. Hum. seus lábios que fizeram beicinho. Eu tenciono dizer isso para homens como Flynn. Eu fui beijado. seus lábios. Pasta enjoativa que sua boca tinha mastigado com sua saliva agridoce. No alto nos rododendros de Ben Howth uma cabra andando com um passo seguro. Seus olhos abaixados seguiram silenciosos os veios da prancha de carvalho. Elas não se importam que qualquer homem as olhe.

Néctar é como imaginar beber eletricidade: comida dos deuses. sangue. esterco. aos homens elas também se entregavam. Nunca olharam. Pingando vinha uma mensagem silenciosa de sua bexiga ir fazer não fazer ali fazer. para o pátio. Como um homem e preparado ele esvaziou seu copo até a última gota e partiu. virilmente conscientes. Inclinar-me deixar cair alguma coisa. – Ele está com algum problema? – Problema? – disse Nosey Flynn. E nós socando alimento por um orifício e o fazendo sair por trás: alimento. Eu vou olhar hoje. um jovem gozou com ela. Bebendo néctar em grandes goles atrapalhada com os pratos dourados dos deuses. – Ele faz corretagem publicitária para o Freeman. terra. alimento: temos que alimentá-lo como se alimenta a fornalha de uma locomotiva. Não como o almoço reles que nós temos. Quando o som de suas botas cessou Davy Byrne disse erguendo os olhos de seu livro: – O que é que ele é? Não está metido no ramo de seguro? – Ele já está fora disso há muito tempo – disse Nosey Flynn. uma garrafa de Allsop. Elas não têm nenh. – Que eu . quilo. – Eu o conheço bem para ver – disse Davy Byrne. Imortal encantadora. Formas encantadoras de mulheres esculpidas junoninamente. todos ambrosíacos. carneiro cozido. O vigia não verá.Coloque-se no seu lugar. deitavam-se com amantes homens. Ver se ela. cenouras e nabos.

vida e amor. – Ele está na maçonaria – disse ele. Ela é bem nutrida. – Eu o encontrei anteontem quando ele estava saindo daquela leiteria irlandesa que a mulher de John Wyse Nolan tem em Henry Street com um pote de creme na mão que ele levava para casa para sua cara-metade.saiba não. – De qualquer forma não é a mulher – disse Nosey Flynn. Você pode apostar nisso. – Não me diga? – disse Davy Byrne. Tarambolas sobre canapés. – E ele está trabalhando para o Freeman? – disse Davy Byrne. Luz. – Estava? – disse Nosey Flynn. Ele piscou. Eles o ajudam a . Você está certo. – Como então? – perguntou Davy Byrne por detrás de seu livro. – Bem metido nela – disse Nosey Flynn. Eu perguntei a ele como estava tudo em casa. – Eu nunca abordo o assunto – disse Davy Byrne humanitariamente – se eu vejo que o cavalheiro tem um problema dessa natureza. Nosey Flynn fez passes rápidos no ar com dedos malabarísticos. posso garantir. Nosey Flynn franziu os lábios. – Não é que estava. Não é que ele estava. por Deus. Por quê? – Eu notei que ele estava de luto. Isso só faz reavivar a tristeza em sua mente. – Uma ordem antiga livre e reconhecida. por Deus. – Ele não pode comprar creme com os anúncios que arruma. Ele é um irmão excelente.

disse com os olhos molhados de lágrimas: – E isso é verdade? Ele é um homem tão decente e sossegado. Eu sempre o vi por aqui e nunca nenhuma vez sequer o vi. – Isso é verdade? – Ó é uma ótima ordem – disse Nosey Flynn. Por Deus eles fizeram bem de deixar as mulheres fora dela. – Ele escapole quando as coisas começam a esquentar. Davy Byrne. Ela era uma Saint-Léger de Doneraile. Mas danação eles a farejaram e imediatamente a fizeram prestar juramento de mestre-maçom. . Isso me foi dito por um – bem. eu não vou dizer quem. Vocês não viram ele olhando para o relógio? Ah. saciado depois do bocejo. Davy Byrne assentiusorriubocejou tudo de uma vez só: – Haaaaaaaaah! – Houve uma mulher – disse Nosey Flynn – que se escondeu num relógio para descobrir o que eles faziam estavam fazendo. – Nem Deus Todo-Poderoso poderia fazer com que ele ficasse bêbado – disse Nosey Flynn firmemente. vocês não estavam lá. Eu conheço um camarada que esteve tentando entrar nela. Se você o convida para tomar um drinque a primeira coisa que ele faz é tirar o relógio do bolso para ver o que deve beber. vocês sabem. Mas eles são miseravelmente fechados. sair da linha.subir na vida. Juro por Deus que é isso que ele faz. – Eles o amparam quando você está por baixo.

– Bem e o que será? – perguntou Paddy Leonard. Ó. – Dia. – Dia. Em resposta Tom Rochford comprimiu o peito . pelo amor de Deus? Qual é a sua. Tom Rochford os seguiu fechando a cara. Mas há uma coisa que ele nunca fará. – Nada de preto no branco – disse Nosey Flynn. bebendo um gole. – Eu vou tomar uma cerveja de gengibre – disse Bantam Lyons. – Quem está pagando a rodada? – perguntou Paddy Leonard. Bloom tem seus lados positivos. – É conhecido por pôr a mão no bolso para ajudar um camarada em apuros. fungando para dentro. – Quanto? – gritou Paddy Leonard. Eles pararam junto ao balcão. com uma mão queixosa em seu colete bordô. – Ele não é nada mau – disse Nosey Flynn. Dar a cada um o que lhe é devido. senhores.– Existem alguns assim – disse Davy Byrne. – De qualquer forma eu só estou sentado – respondeu Nosey Flynn. Sua mão rabiscou com caneta seca uma pretensa assinatura ao lado de seu grogue. Tom? – Como vai a drenagem principal? – perguntou Nosey Flynn. Sr. – Eu diria que ele é um homem digno de confiança. – Desde quando. Byrne. Paddy Leonard e Bantam Lyons entraram. – Eu sei disso – disse Davy Byrne.

– Diga-nos se você vale o pão que come e que se dane – disse Paddy Leonard. – Veja só as bebidas que estou pagando para eles! Água fria e cerveja de gengibre! Dois caras que sugariam uísque de uma perna ferida. – É Zinfandel. – Até logo! – disse Nosey Flynn. Paddy Leonard olhou para os seus companheiros-de-cerveja. Tom Rochford assentiu com a cabeça e bebeu.com a mão e soluçou. – Quem lhe deu a dica? O Sr. Uma dica certeira. Bloom de saída ergueu três dedos em sinal de despedida. Ele tem algum nome de cavalo debaixo da manga para o Grande Prêmio. – Foi aquele homem ali que me deu a dica – murmurou Bantam Lyons. senhor. Byrne? – Certamente que não. Os outros se viraram. – Essa maldita dispepsia – disse antes de beber. – É Zinfandel mesmo? – Não diga nada! – piscou Bantam Lyons. – Eu vou mergulhar de cabeça cinco shillings no meu palpite. – Seria muito trabalho me trazer um copo de água fresca. Tom Rochford derramou na água à sua frente um saquinho de pó. não é? – perguntou Nosey Flynn. . – Bicarbonato é muito bom – disse Davy Byrne. Sr. – Meu Deus olhe só para isso – disse ele.

esfregando seus dentes suavemente com a língua. . Eu me pergunto se Tom Rochford vai fazer alguma coisa com aquela sua invenção? Perdendo tempo a explicando a esta goela de Flynn.– Puts! – disse Paddy Leonard com desprezo. – Uma mamadeira para o bebê.. Pessoas magras bocas grandes. Então com os raios daqueles holofotes Röntgen você poderia. Em Duke Lane um terrier voraz vomitava nas pedras da rua um bolo alimentar socado e nauseante com o qual se engasgara e o lambia com nova satisfação. Ele cantarolou. Naturalmente você teria então todos os doidos o importunando. a cenar teco M’invitasti. – Sr. Primeiro o doce depois o salgado. depois dessa nós vamos tomar dois pequenos Jamesons e uma. O Sr.. – Cerveja de gengibre – acrescentou Davy Byrne civilmente. Gula. prolongando num eco solene os finais dos compassos: – Don Giovanni. Ruminantes. Byrne. Bloom se encaminhou para Dawson Street. espinafre. Seu segundo prato. senhor. Alguma coisa verde tinha de ser: digamos. – Sim – disse Paddy Leonard. O Sr. Devia haver um saguão ou um lugar onde os inventores pudessem ir e trabalhar livremente em suas invenções. Bloom passou cautelosamente ao largo. Movimentam sua mandíbula superior. Voltou com agradecimentos tendo digerido totalmente o conteúdo.

Depois uma excursão pelo sul. não combina nada. Cerca de cinco guinéus. Se eu conseguir anúncio de Billy Prescott: duas libras e quinze. Coragem do bêbado. Mas o pobre velho teria de ficar ali o tempo todo com as entranhas à mostra. Ciência. Duas libras e onze. Chaves: dois meses se eu conseguir que Nannetti.Me sinto melhor. Vasos sanitários declaradamente limpos aguardando na vitrine de William Miller. – A cenar teco. Um bom trago. Não pensar. Hoje. faz uma excursão pelo corpo mudando o conduto biliar do baço injetando no fígado suco gástrico espirais de intestinos como tubos. da cor de suas ligas novas. Eu poderia comprar uma daquelas anáguas de seda para Molly. Que tal as praias . Isso representaria duas libras e dez cerca de duas libras e oito. Borgonha. Hoje. fizeram seus pensamentos voltar atrás. Eles poderiam: e observar todo o percurso da descida. tu me convidaste Para cear contigo esta noite O rum o rundum . Maré de sorte. Quem destilou primeiro? Algum cara na pior. O furgão da tinturaria de Prescott ali. Não. Aquele Kilkenny People na biblioteca nacional agora eu tenho de. bombeiro. se por acaso se engole um alfinete ele sai às vezes pelas costelas anos depois. Três Hynes me deve. – Don Giovanni. O que esse teco quer dizer? Esta noite talvez.

Elas dizem que ele costumava dar sopa às crianças pobres para convertê-las ao protestantismo na época da praga da batata. De encontro a John Long’s um vagabundo entorpecido se perdia em pensamentos profundos. Bloom se voltou para as tortas ainda não vendidas na vitrine da confeitaria de Gray e passou em frente da livraria do reverendo Thomas Connellan. As mulheres o conduzem para o Ninho de Passarinho. Por que eu abandonei a igreja de Roma.inglesas? Brighton. Baixo salário. O Sr. Bloom seguiu a direção dela e . – Molesworth Street fica do outro lado. Um rapazinho cego batia de leve no meio-fio com sua bengala fina. Sua cararígida se fechou levemente. Quer atravessar. Um homem jeitoso quer emprego. Por que nós abandonamos a igreja de Roma. Ele meneou a cabeça indeciso. Bloom. A bengala se moveu tremulamente para a esquerda. Píeres ao luar. Margate. – Você está em Dawson Street – disse o Sr. – Você quer atravessar? – perguntou o Sr. O mesmo chamariz. O olhar do Sr. enquanto roía o nó encrostado de um dedo. O rapazinho cego não respondeu. Bloom. Mais adiante a sociedade à qual papai foi para a conversão dos pobres judeus. Nenhum bonde à vista. Sua voz flutuando. Come qualquer coisa. Aquelas moças encantadoras da beira da praia. Você quer atravessar? Não há nada no caminho.

Como uma mão de criança. Sabores todos diferentes para ele. Furgão. mas ele não está se movendo – disse o Sr. – Obrigado. Bloom. senhor. creio.viu novamente o furgão da tinturaria parado diante de Drago. Mantenha a bengala dele longe das pernas do cavalo: o cansado burro de carga está tirando seu cochilo. Matando sua sede. Livre. Baba a sua comida. Diga alguma coisa a ele. Sabe que sou um homem. – Tudo bem agora? Primeiro vire para a . Nenhuma resposta. Condutor em John Long. Me pergunto se ele tem um nome. Bloom. Faça um comentário qualquer. Melhor não bancar o condescendente. Me avaliando acho através da minha mão. Onde eu vi seu cabelo coberto de brilhantina exatamente quando eu estava. – Há um furgão ali. – Para Frederick Street sul. Um touro atrás: um cavalo na frente. Como era a de Milly. Sensível. Ele tocou gentilmente o cotovelo magro: em seguida tomou a mão vidente e flácida para guiá-la adiante. Manchas no seu casaco. Cavalo caindo de cansaço. É isso aí. Voz. – Eu o ajudo a atravessar. – Venha – disse o Sr. Tem que ser primeiro alimentado de colher. Eles desconfiam do que você lhes diz. a sua mão. Você quer ir para Molesworth Street? – Sim – respondeu o rapazinho. – A chuva se afastou.

Homens sombrios eles os chamam. Sentiria um buraco. Repare todas as coisas que eles podem aprender a fazer. Cesta de costura eu podia comprar para o aniversário de Molly. Por que nós pensamos que uma pessoa deformada ou um corcunda é inteligente se ele diz alguma coisa que poderíamos dizer. Poderia fazer objeção. Naturalmente os outros sentidos são mais. Afinar pianos. Me pergunto como ele se sentiria se alguma coisa fosse removida. Pobre moço! Mas afinal de contas como ele podia saber que o furgão estava ali? Deve têlo sentido. recolhendo sua bengala. Cestas de palha. Idéia estranha de Dublin ele deve ter. Ler com seus dedos. alguma coisa mais negra do que a escuridão. Peso ou tamanho dele. O rapazinho cego bateu de leve no meio-fio e prosseguiu no seu caminho. Ou será que ficamos surpresos que eles tenham cérebro. encontrando o seu caminho batendo de leve nas pedras à sua volta. Detesta coser. Vêem coisas em suas cabeças talvez: uma espécie de sentido de volume. O Sr. Bloom caminhou atrás dos pés privados de visão. . do terno de tweed tecido em espinha de peixe de corte uniforme. As pessoas deveriam ajudar. Será que ele poderia andar numa linha reta se ele não tivesse essa bengala? Um rosto piedoso e exangue como o de um camarada se preparando para ser um padre. apalpando o chão de novo com ela. Penrose! Esse era o nome daquele cara.esquerda. Bordar.

Em seguida passando em cima de sua pele branca. Digamos. A voz. Nós chamamos de negros. Espere. Uma espécie de forma nos olhos de sua mente. Deve ser estranho não a ver. todos enfeixados. Penugem de cabelo ali também. Cada pessoa também. Sensação do branco. que são negros. Reflita um pouco. Fibras de palha fina fina. O ventre é o mais macio. Em seguida seu dedo apalpou delicadamente a pele no lado direito do seu rosto. Papelaria bem aqui também. Olhe para mim. Cada rua um cheiro diferente. as curvas. Canseira hoje. Cheiros de todos os lados. Eu os engano a todos. As mãos dele nos cabelos dela. Aquela moça passando pela instituição Stewart. Podia estar . Sabores? Dizem que você não pode saborear vinhos com os olhos fechados ou com um resfriado de cabeça. Delicadamente e lentamente ele penteou com o dedo o cabelo em volta de suas orelhas. E então a primavera. Aceite meu pequeno presente. Não suficientemente macio. por exemplo.O sentido do olfato deve ser mais apurado também. com a cabeça empinada. por exemplo. o verão: cheiros. Mais lúbrico sem ver. Lá vai ele entrando em Frederick Street. Talvez para a academia de piano e dança de Levenston. Ninguém à volta. Correio. por exemplo. Mandar uma ordem postal para ela de dois shillings. E com uma mulher. Preciso responder. Novamente. Bom. Uma sensação de tato diferente talvez. meia coroa. temperaturas: quando ele a toca com seus dedos deve também ver as linhas. Também fumar no escuro dizem que não dá prazer.

Sir Frederick Falkiner entrando no salão dos franco-maçons. Depois de seu belo almoço em Earlsfort Terrace. Ao passar pela taberna de Doran ele fez sua mão deslizar entre o colete e a calça e. Uma pena. meu deus. Vinho de qualidade para eles. afastando suavemente sua camisa. Retirou sua mão e puxou sua roupa para. com o ano indicado numa garrafa poeirenta. Que sonhos ele teria. Eu o condenei a dez anos. Onde está a justiça em se nascer desse jeito? Todas aquelas mulheres e crianças em festa naquela excursão queimadas e afogadas em Nova York. Mas eu sei que ela é amarela esbranquiçada. Realmente terrível. Chamam de carma essa transmigração pelos pecados que você cometeu na vida passada a reencarnação metem psi coisas. Quero tentar fazer isso no escuro para ver.ajeitando meu suspensório. sem ver? A vida um sonho para ele. Pobre rapaz! Quase um garoto. Solene como Troy. Os velhos companheiros da magistratura bebendo meia garrafa de vinho. Terrível. Holocausto. Histórias do tribunal e julgamentos e anais da escola de capa azul. meu deus. naturalmente: mas de alguma forma você não pode de algum modo os entender. Suponho que ele torceria o nariz para esse negócio que eu bebi. Ele tem suas próprias idéias de justiça quando está no tribunal de polícia correcional. Os registros de entradas na polícia . Meu deus. apalpou uma dobra macia de sua barriga. Um velho bem-intencionado.

Por que é que eu? Precipitado demais. Ele os manda passear. É hoje. Desenhado por sir Thomas Deane. Como auxílio para os fundos do hospital Mercer. Pro inferno com os agiotas. Velhos encrostados beberrões de peruca. Seu coração pulsou suavemente. É. Para a direita. É? Quase certo. Olhe. Não ver. É. O Messiah a primeira exibição foi dada para isso. Luz batendo em seus olhos. Sapatos castanhoamarelados. Belo edifício. O passo. Museu. Não está me seguindo? Talvez não me viu.abarrotados com casos obtêm percentagem manufaturando crimes. Continuar. Sim. Deusas. Bazar Mirus. Poder esses juízes têm. Bloom chegou em Kildare Street. Calça revirada. Ballsbridge. E que o Senhor tenha piedade de sua alma. Sim. Handel. Biblioteca. Com certeza vou encontrar algum conhecido no portão. De chapéu de palha no sol. . Sua excelência o vice-rei. é. Desgastar minha acolhida cordial. Que tal ir lá. Pessoa remoedora e irritadiça. Dezesseis. Dirigindo-se para o portão do museu com passadas longas e violentas ele levantou os olhos. Não adianta grudar nele como uma sanguessuga. Ele desviou para a direita. Vinho no meu rosto. O Sr. Dar um pulo lá no Chaves. Não vou olhar. Deu uma chamada violenta demais em Reuben J. um cartaz. Agora ele é realmente o que eles chamam de um judeu sujo. Primeiro tenho de.

Não. Onde eu? Ah. Salvo! . Carteira. sim. Depressa repôs no lugar Agendath. Justo no portão. Em segurança em um minuto. Sir Thomas Deane era arquitetura grega. Meu coração! Seus olhos piscando olhavam firmemente para as curvas da pedra creme. Tente em todos os bolsos. Sim. Estátuas frias: tranqüilas ali. Batata. Já passou das duas. Procure alguma coisa eu. Estou procurando isso. Não me viu. isso. Lenç. Calça. Sua mão procurando o onde eu pus encontrou em seu bolsinho de trás o sabão loção tenho que dar um pulo no papel tépido grudado. Ah o sabão ali eu sim. Ande calmamente. Portão. retirou. Rápido. Meu coração.A vibração de sua respiração se fez sentir em suspiros curtos. Freeman. Sua mão apressada entrou rapidamente em seu bolso. leu Agendath Netaim. À tarde ela disse. desdobrou. Onde eu? Ocupado procurando. Mais um momento. Onde? Depressa.

aquelas páginas inestimáveis de Wilhelm Meister. Ele deu um passo sincopado para a frente em seus sapatos de couro e um passo sincopado para trás sobre o soalho solene. dilacerada por dúvidas conflitantes. Uma alma hesitante armar-se contra um mar de desgraças. não temos. o bibliotecário quaker ronronou para os confortar: – E nós temos. – Monsieur de la Palice – escarneceu Stephen – estava vivo quinze minutos antes de sua morte. – Você desencavou aqueles seis bravos medicantes para escrever o Paraíso Perdido sob a sua . rangendo para ir. Um auxiliar silencioso entreabrindo a porta lhe fez um aceno silencioso. para as palavras do atendente: ouviu-as: e partiu. Análise duplamente rangente ele partiu num passo de dança corrida. como se vê na vida real. embora se retardando.9 Com urbanidade. – Já vou já – disse ele. Restam dois. Junto à porta. Acertados numa análise mais ampla. calvo. – O belo sonhador ineficaz que sofre reveses ao enfrentar a dura realidade. Um grande poeta sobre um grande irmão poeta. Sentimos sempre que os julgamentos de Goethe são tão acertados. o zelo personificado ele esticou toda a sua orelha bem grande.

E mais um para saudá-lo: ave. um ollav. Na sombra da ravina. – Ele chama isso de As Tristezas de Satã. Os sete cintilantes como os chama W. Os onze de Cranly verdadeiros homens de Wicklow para libertar a terra de seus antepassados.B. Sorria com o sorriso de Cranly. o estrangeiro em sua casa. Os olhos fulgurantes em seu crânio ruivo perto da lâmpada da escrivaninha coberta por um abajur verde procuraram o rosto barbado em meio à sombra verde-escura.. com olhar de santidade. Boa caçada. Mulligan recebeu meu telegrama. Persista. noite após noite. Ed egli avea del cul fatto trombetta. Sorria. Satã orquestral pranteando muitas cruzes Lágrimas como as dos anjos. Ele riu baixo: um riso de bolsista de Trinity: sem resposta. ele lança seu grito de chamada para eles. seus quatro lindos campos verdes. Ele mantém minhas loucuras como reféns. Sete é um número caro à mente mística. – Nossos jovens bardos irlandeses – censurou . Primeiro ele a provocou Depois ele a acariciou Então com um cateter a furou Pois ele era um medicante Um alegre medi.. rabbi: os doze de Tinahely. Kathleen denteshiatados. Eu lhe leguei a juventude da minha alma.orientação? – perguntou John Eglinton com a biliosidade de um mais velho. Loucura. – Sinto que você precisaria mais um para Hamlet. Deus o proteja.

E. o mundo de idéias de Platão. – Todas estas questões são puramente acadêmicas – vaticinou Russell do lugar sombrio em que se encontrava. – É possível imaginá-lo. esperemos – disse John Eglinton tranqüilamente. Discussões clericais da historicidade de Jesus. Tudo o mais é especulação de escolares para escolares.John Eglinton – precisam ainda criar uma figura que o mundo coloque ao lado do Hamlet do saxão Shakespeare embora eu o admire à idolatria. Verbo e Sopro Santo. Isto é verdadeiramente isso. – E permaneceu assim. como o velho Ben. o mágico do belo. que a danação eterna recaia sobre mim! – Os escolásticos foram primeiramente escolares – disse Stephen superpolidamente. Bem. o homem celestial. Hiesos Kristos. se Hamlet é Shakespeare ou James I ou Essex. andou dizendo isso para algum entrevistador ianque. Eu sou o fogo sobre o . A arte deve nos revelar idéias. as palavras de Hamlet põem nossas mentes em contato com a sabedoria eterna. Pai. um aluno exemplar com seu diploma debaixo do braço. A pintura de Gustave Moreau é uma pintura de idéias. – Quero dizer. A questão primordial em uma obra de arte é de que profundidade de vida ela tenha brotado. Ele riu novamente para o rosto barbudo agora sorridente. essências espirituais informes. A poesia mais profunda de Shelley. Todopai. Amorfo espiritual. A. – Aristóteles foi outrora aluno de Platão. o Logos que sofre a todo momento em nós.

O Cristo com a noivairmã. esplêndido. nascido de uma virgem de almainfusa. umidade de luz. Eu sou a manteiga do sacrifício. Best entrou. A. C. A Sra. E. sabedoria arrependida. John Eglinton disse. Eles adoram os . monólogo improvável. ficando enfurecido: – Palavra de honra ouvir alguém comparar Aristóteles com Platão faz meu sangue ferver. cuja identidade não é nenhum segredo para os adeptos. Franzindo a testa. Ó que vergonha! Fora com isso! Pfuiteufel! Você não deve de olhar. novo. O Sr.. no alto do céu: K. grande. P. o mais nobre de todos os romanos. jovem. Trazia com graça em sua mão um caderno de notas. – Qual dos dois – perguntou Stephen – me teria banido de sua comunidade? Desembainhe suas definições apunhalantes. brando. P. B. tem primeiro que se livrar do seu mau carma. Cooper Oakley vislumbrou certa vez a natureza inferior e mortal da muito ilustre irmã H. o Nome Inefável. dona. Arval. alto.altar. tão superficiais quanto os de Platão.. mestre deles. A vida esotérica não é feita para uma pessoa comum. Judge. partiu para o plano búdico. Irmãos da grande loja branca sempre observando para ver se podem ajudar. – Aquele aluno exemplar – disse Stephen – teria achado os devaneios de Hamlet sobre a vida-pós-morte de sua alma principesca. louro. em branco. Cavalice é a essência de todo cavalo. não deve de quando uma dama está mostrando sua natureza inferior. H. Dunlop. insignificante e antidramático.

ao aqui. O Sr. através do qual todo o futuro mergulha no passado. Best avançou. Pedra verde cintilante. pule. – A fumaça da turfa lhe subiu à cabeça – opinou John Eglinton. amável. Ele tem a maior admiração. Eu fumei seu tabaco. Deus: barulho na rua: muito peripatético. – As pessoas não sabem como as canções de amor podem ser perigosas – preveniu ocultamente o ovo áurico de Russell. Em inglês enxuto e prosaico. O ar rarefeito da academia e a arena produzem a . Corra. Através de espaços menores do que os glóbulos vermelhos do sangue humano eles rastejam horripilados atrás das nádegas de Blake para a eternidade da qual este mundo vegetal é apenas uma sombra. – Haines foi embora – disse ele. meu livrinho. Partiu. Para eles a terra não é um solo explorável mas a mãe viva. – Foi? – Eu lhe mostrei o livro de Jubainville. em direção ao seu colega. eu acho. Nós sentimos na Inglaterra. Espaço: aquilo que você simplesmente tem de ver.éons e as correntes da tendência. Uma esmeralda incrustada no anel do mar. Ele foi a Gill para comprá-lo. Escrito contra meus desejos. – Os movimentos que operam revoluções no mundo nascem de sonhos e visões no coração de um camponês na encosta da colina. Ladrão penitente. Agarre-se ao agora. Eu não consegui trazê-lo para ouvir a discussão. pelas Canções de Amor de Connacht de Hyde. rápido Para saudar esse público ingrato. sabe.

Eles o anunciaram. não sabe. John Eglinton riu. uma cidade provinciana. Best voltou um rosto inofensivo para Stephen. Hamlet ou. Ele descreve o Hamlet sendo levado numa cidade francesa. não sabe. suponho que o seria – disse ele. sem dúvida. – O mendigo distraído – concluiu Stephen. a canção do teatro de variedades. lendo o livro de si mesmo. – Povo excelente. – Um carrasco da alma como o chamou Robert Greene – disse Stephen. lisant au livre de lui-même. É tão francês.novela de seis shillings. mas aflitivamente míope em algumas questões. – Sim. – Mallarmé. a vida dos feácios de Homero. Com estas palavras o Sr. não sabe. Exagero suntuoso e estagnante de assassinato. Hamlet ou Le Distrait Pièce de Shakespeare Ele repetiu para a testa novamente franzida de John Eglinton: – Pièce de Shakespeare. não sabe – disse ele – escreveu aqueles poemas em prosa maravilhosos que Stephen MacKenna costumava ler para mim em Paris. – Não era à toa que ele era ... A França produz a mais fina flor da corrupção em Mallarmé mas a vida desejável é revelada apenas aos pobres de espírito. Sua mão livre escreveu graciosamente sinais pequeninos no ar. O ponto de vista francês. Aquele sobre Hamlet. Ele diz: il se promène.

O demônio e o mar profundo. – O que é um fantasma? – disse Stephen com vibrante energia. Os Hamlets de cáqui não hesitam em atirar. acompanhando de longe as batalhas. Nove vidas são sacrificadas por uma de seu pai. retornando ao mundo que o esqueceu? Quem é o rei Hamlet? John Eglinton moveu seu corpo minguado. – Alguém que gradualmente desapareceu em impalpabilidade através da morte.. Quem é o fantasma de limbo patrum . através da ausência. Mulheres e filhotes de inimigos sanguinários que ninguém A não ser nós poupamos. através da mudança de costumes. Swinburne.. se inclinando para trás para julgar melhor. Se tu jamais. Escuta! Escuta! Ó escuta! Minha carne o ouve: ficando arrepiada.. ouve. . – Ele vai insistir que Hamlet é uma história de fantasma – disse John Eglinton em benefício do Sr. A mortandade crivada de sangue no quinto ato é uma previsão do campo de concentração cantado pelo Sr. eu seu ordenança mudo. Cranly. empunhando um machado próprio do ofício e cuspindo nas palmas. A Londres de Elizabeth ficava tão longe de Stratford quanto a Paris corrupta se encontra da Dublin virginal.. Best. Entre o sorriso saxão e o grito rouco do ianque.filho de um açougueiro. Pai Nosso que estais no purgatório. – Como o rapaz gordo em Pickwick ele quer nos causar arrepio.

eu sou o espírito do teu pai. rogando com um rápido olhar que o ouvissem. Composição do lugar. Cor local. o jovem Hamlet e ao filho do seu corpo. apressese em me ajudar! – A peça começa. – Shakespeare saiu da casa do huguenote em Silver Street e caminha à margem do rio ao longo dos viveiros dos cisnes. Trajando um colete de malha de um rebotalho de gamo de corte. Trabalhe com tudo que você sabe. um rei e não rei. no jardim de Paris. chamando-o por um nome: Hamlet. Torne-os cúmplices. É o fantasma. que morreu em Stratford para que seu xará possa viver para sempre. . o jovem ator que está de pé à sua frente do alémtúmulo. o filho de sua alma. e o ator é Shakespeare que estudou Hamlet todos os anos de sua vida que não foram de vaidade a fim de representar o papel do espectro. Mas ele não se detém para alimentar a cisne fêmea que se precipita com seu bando de filhotes para os juncos. pedindo-lhe que o escute. Inácio de Loyola.Ergueu. o príncipe. avança na penumbra um ator. Hamnet Shakespeare. A um filho ele fala. de bela forma física e voz de baixo. Marinheiros que navegaram com Drake mastigam suas salsichas entre os espectadores mais modestos. O cisne de Avon tem outros pensamentos. Ele fala as palavras para Burbage. O urso Sackerson rosna perto no seu fosso. – A bandeira está hasteada no teatro perto da margem do rio. o rei. – É esta hora de um dia na metade de junho – disse Stephen.

Pega tu esta moeda de ouro. . Mananaan. meu chapa? – Interessante apenas para o sacristão. as dívidas do poeta. malandro. Best. filha do padre. um fantasma por morte. ou provável que ele não tivesse delineado ou previsto a conclusão lógica daquelas premissas: você é o filho despojado: eu sou o pai assassinado: sua mãe é a rainha culpada. Ann Shakespeare. Temos Rei Lear: e é imortal. e nos trajes do dinamarquês enterrado. nós temos as peças. será possível. O rosto do Sr. aquela libra que ele lhe emprestou quando você estava com fome? Com a breca. Quero dizer. Você está aí. um fantasma por ausência. concordou. Ora vamos! Você gastou a maior parte dela na cama de Georgina Johnson. Villiers de l’Isle o disse. eu queria isso. a bebida do poeta. falando com suas próprias palavras ao nome de seu próprio filho (tivesse Hamnet Shakespeare vivido ele teria sido gêmeo do príncipe Hamlet). Remorso de consciência. Espreitando e nos intrometendo no mexerico dos bastidores do dia. Mananaan MacLir. quero saber.. invocado. nascida Hathaway? – Mas esta intromissão na vida familiar de um grande homem – começou Russell impacientemente..Será possível que aquele ator Shakespeare. Que é isso. Quero dizer quando lemos a poesia do Rei Lear o que nos importa como o poeta viveu? Quanto a viver nossos empregados podem fazer isso por nós. Flua sobre eles com suas vagas e com suas águas.

– Ela morreu – retrucou Stephen – sessenta e sete anos depois de ter nascido. Eu sou um outro eu agora. Ele é do outro lado do rio Boyne.. Eu. Bla.Você tenciona devolvê-la? Ó. Eu que pequei e rezei e jejuei. Bla. Não. – O fantasma dela ao menos foi enterrado para sempre. O canto a nordeste. sim. U. Ela recebeu seus primeiros abraços. Uma criança que Conmee salvou de palmatórias. O. Quando. – Você pretende ir contra a tradição de três séculos? – perguntou a voz queixosa de Eglinton. Calma. sou eu pela memória porque sob formas sempre mutáveis. Eu paguei a minha parte. Quando? Agora? Bem. então? Eu paguei a minha parte. forma das formas. Vela.. Você lhe deve. para a literatura pelo menos. Ela pariu seus filhos e colocou moedas sobre as pálpebras dele para mantê-las fechadas quando ele estava deitado em seu leito de morte. antes de ter nascido. I. Eu. O espelho . E. eu e eu. Mas eu. Ela morreu. Todas as moléculas mudaram. Bla. Espere. Cinco meses. Como um outro eu recebi uma libra. Ela o viu chegar ao mundo e sair dele. intelequia. Leito de morte de minha mãe. A.

com pálpebras de bronze.coberto com lençol. Quem me trouxe ao mundo jaz ali. parece que nos esquecemos dela como Shakespeare ele próprio a esqueceu. Best. nem uma única mulher. Portais de descoberta se abriram para dar passagem ao bibliotecário quaker de sapatossuavemente-rangentes. O que ele aprendeu com sua outra mulher Mirto (absit nomen!). orelhudo e assíduo. Eu chorei sozinho. nenhum homem. devese imaginar. para repreendê-los não . – O mundo acredita que Shakespeare cometeu um erro – disse ele – e que saiu dele o mais rápido e o melhor possível. e com sua mãe como trazer pensamentos ao mundo. – Sim. Liliata rutilantium . – Uma megera – disse John Eglinton judiciosamente – não é um portal de descoberta. Seus erros são voluntários e são portais de descoberta. – Mas Ann Hathaway? – disse distraidamente a voz tranqüila do Sr. Epipsyquidion de Socratididion. sob algumas flores baratas. John Eglinton examinou o vaga-lume emaranhado de sua lâmpada. Que descoberta útil Sócrates fez com Xantipa? – Dialética – respondeu Stephen –. para lembrar. jamais saberá. calvo. Seu olhar foi da barba do meditador para o crânio do censor. – Um homem de gênio não comete erros. Mas nem o saber da parteira nem os sermões de Caudle o salvaram dos arcontes de Sinn Fein e de eles lhe impingirem cicuta. – Bobagem! – disse Stephen rudemente.

Por certo. doce e com vinte-e-seis-anos. Se as outras têm sua vontade. Mesmo se o terremoto não tivesse marcado o tempo nós saberíamos como localizar o pobre Wat. A vida. Aquela lembrança. A deusa de olhos cinzentos que se inclina sobre o rapaz Adônis. tinha os olhos atrás da cabeça a ponto de escolher para partilhar sua cama a amante mais feia de todo o condado de Warwick? Bom: ele a deixou e conquistou o mundo dos homens. se encontrava no quarto de dormir de toda mulher leviana de Londres. a fala delas lhes são emprestados por varões. me parece. Você acha que o escritor de Antônio e Cleópatra. o latido dos cães de caça. lebre sentada em sua toca. em seguida para o coco calvoroso do lollardo.maldosamente. humilhando-se para conquistar. Ele escolheu mal? Ele foi escolhido. E a minha vez? Quando? Venha! . Mas suas mulheresrapazinhos são as mulheres de um rapazinho. Trazia uma lembrança em sua carteira enquanto se arrastava para Londres assobiando A Garota que Deixei para Trás . Ela o seduziu. É Katherine a megera maldotada fisicamente? Hortensio diz que ela é jovem e bela. é uma moça atrevida de Stratford que derruba num campo de trigo um amante mais moço do que ela. as bridas cravejadas e as janelas azuis dela. Vênus e Adônis. a culpa toda foi dela. o pensamento. Ann tem sua veneta. um peregrino apaixonado. inocente embora caluniado. – Ele tinha uma inteligência valendo bem uns quatro pence – disse Stephen – e uma memória nada preguiçosa. como prólogo para o ato envaidecedor.

Ele murmurou então para todos com encantamento louro: – Entre as terras de centeio Estes bonitos camponeses se deitariam. vivamente. a almassuperior deles. Para onde ele vai? Terreno explorável. alegremente. – Eu não sei se posso. . operando em níveis astrais. Best vivamente. – Piper voltou? Peter Piper patati patatá pegou um pingo de pó de pimenta. As damas de Lótus tomam conta deles com os olhos. amadurecidos para o noviciado. Quinta-feira. Caulfield Irwin. Se eu conseguir sair a tempo. rodamroliçosemroda dele. – Piper! – piou o Sr. Ísis Desvendada. Páris: o deleitado deleitador. alegremente. T. mahamahatma. Victory. Nós tentamos penhorar o livro deles em língua pali. Os fiéis hermetistas aguardam a luz.– Campo de centeio – disse o Sr. – Você vai embora? – perguntaram as sobrancelhas ativas de John Eglinton. Louis H. com suas glândulas pineais incandescentes. – Receio que eu esteja sendo esperado em Homestead. Sentado de pernas cruzadas à moda oriental sob um guarda-sol ele impera um logos asteca. – Nós o veremos esta noite na casa de Moore? Piper virá. Best. Uma figura alta vestindo um traje de fio cru eriçado se levantou da penumbra e exibiu seu relógio cooperativo. Nós temos nossa reunião. erguendo seu livro novo. Salãoiogapapão no conjunto de salas de Dawson.

Engolfadas em bribrados lamurientos. Estamos todos aguardando ansiosamente. Portanto. pendurado no cabo de sua bengala sobre seu joelho. – Dizem que vamos ter uma surpresa literária – disse o bibliotecário quaker. Você acha que ele é realmente genial? Yeats admirou seu verso: Como em terra selvagem um vaso grego. Em requintada trivialidade Anos a fio no casulodecarne uma mulheralma morou.Repleto de seu deus. um chapéu é um chapéu. será que fará? Eu gostei d o Pastor de Colum. acesos. Ansiosamente ele lançou o olhar para o cone da luz da lâmpada em que três rostos. Lembre-se. Malachi Mulligan também vem. Stephen baixou os olhos para um largo chapéu velho acéfalo. engolfador. rodopiavam. George Roberts está fazendo a parte comercial. Buddh. Ó. rodopiando. elasalmas. cintilavam. Elesalmas. O jovem Colum e Starkey. Experiência de Aristóteles. Longworth lhe fará um elogio extravagante no Express. . sob sua bananeira. Meu capacete e espada. acho que ele tem aquela coisa estranha gênio. Um ou dois? Necessidade é aquilo em virtude do qual é impossível que algo possa ser diferente. Admirou? Espero que você possa vir esta noite. Sim. Ouça. Golfador de almas. Toque de leve com dois dedos indicadores. elas se lamentam. – Corre um boato de que o Sr. ele impera. cordial e convicto. Veja isto. Russell está reunindo um punhado de versos de nossos poetas mais jovens. montões de almas.

Moore é o homem para isso. suas observações são muito esclarecedoras. Que Deus o recompense. Você ouviu a piada da senhorita Mitchell sobre Moore e Martyn? Que Moore é a loucura da mocidade de Martyn? Tremendamente inteligente. Se ele considera isso importante será incluída. Ruborizada. A mais solitária filha de Lir. Stephen se sentou. O jornal dos porcos. sim. Será que vamos ser lidos? Sinto que sim. A liga gaélica quer alguma coisa em irlandês. Synge também me prometeu um artigo para Dana. Imprensado contra a parede. – Ó. Agora seu melhor verniz francês. Traga Starkey. sua máscara disse: – Sr.. Parece que estamos ficando importantes. Ele rangeu de um lado para o outro. Sr. Cordélia. se . sim. – Obrigado. Com um kilt açafrão? O’Neill Russell? Ó. – Compreendo – disse Stephen. O bibliotecário quaker veio dos que se despediam. Dr. Cordoglio. Espero que você venha esta noite. Um paladino de triste figura aqui em Dublin. – Muito obrigado. ele deve falar a grande língua antiga. Russell – disse Stephen se erguendo. Temos tanta correspondência. Dedalus.Moore pediu que ele trouxesse Haines. não é? Lembram-nos Dom Quixote e Sancho Pança. Sigerson diz que nosso épico nacional ainda tem de ser escrito. Protetordonovilho. Norman.. E sua Dulcinéia? James Stephen está escrevendo alguns sketches inteligentes. – Se o senhor puder ter a bondade de entregar a carta ao Sr.

esposas de taverneiros valentões. mulheres de magistrados. Não conhecendo nenhuma raposa fêmea. coberto pelo ruído da despedida. – Sim. Uma lâmpada de vestal. se escondendo. – Sim. disse baixo: – É sua opinião. uma cortesã de Babilônia. A porta se fechou atrás do que partiu. outrora tão doce. Aqui ele pensa sobre as coisas que não existiram: o que César teria vivido para fazer se tivesse acreditado no oráculo: o que poderia ter acontecido: possibilidades do possível enquanto possível: coisas desconhecidas: que nome Aquiles teve quando viveu . Por que ele veio? Cortesia ou luz interior? – Onde há uma reconciliação – disse Stephen – deve ter havido primeiro uma separação.. que ela não era fiel ao poeta? Rosto alarmado me pergunta. um fugitivo nos forcados das árvores empestadas de gritos de protesto. Raposa e gansos. pessoas delicadas. todo despido. Raposacristo em calças de couro. Mulheres que conquistou para si.aproximando na ponta dos pés do céu com a altura de uma mulher de chapim e. agora todo desfolhado. tão fresco quanto canela. com temor do túmulo estreito e não-perdoado. caminhando solitário na caçada.. Assim você pensa. E em New Place um corpo flácido e desonrado que foi outrora gracioso. então. Uma quietude subitamente se apossou da discreta cela abobadada. quietude de ar quente e meditativo.

me incitar a dar livre curso à vontade deles. Tenham paciência comigo. joãozinho. Thot. Ele repousou um livro inocente na beira da escrivaninha. E eu ouvi a voz daquele sumo sacerdote egípcio. – Sem dúvida – refletiu John Eglinton – de todos os grandes homens ele é o mais enigmático. Taim in mo shagart. com desafio no sorriso. Eles estão imóveis. embalsamados na especiaria das palavras. Ta an bad ar an tir . eu não ligo a mínima. para quem é morto ou quem é culpado. Stephen suportou a maldição de olhos torpes . uma espécie de jornal íntimo. Outros toleram nossa pergunta. não sabe. deus das bibliotecas. Ponha inglesismo nisso. – Quero dizer. de me contar no ouvido uma história piegas. Seus jornais íntimos no original. Pensamentos confinados à minha volta. – Mas Hamlet é tão pessoal. Imóveis: mas uma ânsia de morte está neles. Disse joãozinho Eglinton: – Eu estava preparado para paradoxos dentro do que Malachi Mulligan nos disse mas devo preveni-lo que se o senhor quiser abalar minha crença de que Shakespeare é Hamlet o senhor terá uma tarefa árdua à sua frente.. Nem sequer tanto assim.entre mulheres. Uma sombra paira sobre tudo o mais. Quero dizer. Antigamente rápidos nos cérebros dos homens.. coroadolunar. de sua vida privada. Nós não sabemos nada a não ser que ele viveu e sofreu. um deuspássaro. não sabe. Best. Em aposentos pintados cobertos de tijoloslivros. não é? – apelou o Sr. em caixõesdemúmias.

eu te agradeço pela palavra. assim também o artista tece e destece sua imagem. – Se esse fosse o sinal de nascença do gênio – disse ele –. eu posso me ver enquanto sentado aqui agora mas como reflexo daquilo que eu então serei. – Eu sinto Hamlet bem moço. Um basilisco. Eu estou em seu filho. suas moléculas se movendo de um lado para o outro. ou mãe Dana. No instante intenso da imaginação. – Assim como nós. – Esse sinal é o último a desaparecer – disse Stephen. Best juvenilmente. E quando vede l’uomo l’attosca. E como o sinal no meu peito direito está onde estava quando nasci. O amargor poderia ser proveniente do pai mas as passagens com Ofélia são certamente do filho. Ele está em meu pai. Assim no futuro. As peças de Shakespeare dos últimos anos . – Sim – disse o Sr. quando o espírito – diz Stephen – é carvão desvanecente. embora todo o meu corpo tenha sido tecido sem parar com uma nova substância. dia após dia. gênio seria uma droga encontrada em mercado.brilhando implacáveis sob sobrancelhas franzidas. Comeu gato por lebre. tecemos e destecemos nossos corpos – disse Stephen –. Mestre Brunetto. a irmã do passado. John Eglinton fez uma careta nada agradável. aquilo que eu fui é aquilo que eu sou e aquilo que dentro da possibilidade eu posso vir a ser. assim também através do fantasma do pai inquieto a imagem do filho anulado olha à frente. rindo. Drummond of Hawthornden o ajudou nesse lance.

– Uma criança. – Não pode haver reconciliação – disse Stephen – se não tiver havido separação. cega pelas lágrimas. A leste do sol. príncipe de Tiro? Cabeça. O que suaviza o coração de um homem.. naufragado em borrascas calamitosas. Disse isso. Péricles. Estaremos lá ao anoitecer? – O Sr. – O espírito da reconciliação – soprou o bibliotecário quaker. – Se vocês quiserem saber quais são os acontecimentos que lançam sua sombra sobre o período infernal de Rei Lear. De botas os dois e cajados. uma menina. éon: Magee. olhem para ver quando e como a sombra se dispersa. Hamlet. Marina. Que cidade. Troilus e Cressida. bons mestres? Mascarados em nomes: A. E. a oeste da lua: Tir na n-og. Malabaristas de cifras percorrendo as grandes estradas. posto à prova como um outro Ulisses. – A inclinação dos sofistas pelos atalhos de uma obra apócrifa é uma quantidade constante – detectou John Eglinton. colocada em seus braços. fustigada. John Eglinton. senhor. Shakespeare desvarios da mocidade de Bacon. Exploradores da grande busca. Bom Bacon: tornado desenxabido. Brandes a considera – disse Stephen – .que Renan admirava tanto respiram um outro espírito. de boné vermelho pontudo. Otelo. Quantas milhas até Dublin? Umas trinta e seis. – As grandes estradas são monótonas mas levam à cidade.

sim. Palavra conhecida de todos os homens. uma maravilha. Será que algum homem ama a filha se não tiver amado a mãe? – A arte de ser um avô – a boca do Sr. com a lembrança acrescida de sua própria juventude? Você sabe do que está falando? Amor. ou o Sr... – É mesmo? O que o Sr. – Não terá ele visto renascer nela uma outra imagem. Best murmura. O que foi perdido é devolvido a ele: a filha de sua filha. Miranda. As imagens de outros machos de seu sangue vão lhe desagradar. E deveríamos mencionar um outro comentarista irlandês. diz Péricles. era como esta moça.. Seus artigos sobre Shakespeare no Saturday . Frank Harris. Nem deveríamos esquecer o Sr. uma criança da tempestade. Minha amada mulher. Dedalus elabore sua teoria para esclarecimento do público. Simon Lazarus como alguns afirmam seja o seu nome. George Bernard Shaw. material e moral. diz disso? – Marina – disse Stephen –. Sidney Lee. Perdita. o Sr. Amor vero aliquid alicui bonum vult unde et ea quae concupiscimus.. – L’art d’être grandp. – Espero que o Sr. Tal apelo vai comovê-lo. – Sua própria imagem para um homem dotado daquela coisa estranha gênio é o padrão de toda experiência. Ele verá nelas tentativas grotescas da natureza de profetizar ou de reproduzi-lo.como a primeira peça do período final. aquela que foi perdida. A testa afável do bibliotecário quaker se inflamou roseamente com esperança.

Nenhuma desgraça futura anulará a primeira desgraça.Review foram certamente brilhantes. A presa do javali o feriu ali onde o amor jaz sangrando. sinto nas palavras. Por quê? A crença em si mesmo tinha sido prematuramente destruída. um fidalgote para a cortejar por ele? Ele era ele próprio senhor da linguagem e se tornara um gentilhomem rufião e já escrevera Romeu e Julieta. algum . Há. uma baía onde todos os homens aportam. Se a megera já foi sobrepujada ainda resta a ela a arma invisível da mulher. Primeiramente ele foi dominado num milharal (campo de centeio. O rival favorecido é William Herbert. Ele usa com ela tus e tuas com palavras maritais solenes. eu diria) e depois disso nunca será um vencedor aos seus próprios olhos nem brincará vitoriosamente o jogo de rir e se deitar. galardão de sua contenda. Confesso que se o poeta tem de ser rejeitado tal rejeição pareceria estar mais em harmonia – como direi? – com nossas noções daquilo que não devia ter acontecido. Dom-juanismo assumido não vai salvá-lo. Por estranho que pareça ele também descreve para nós a relação infeliz com a dama morena dos sonetos. Por que ele envia a uma que é uma buonaroba. Oportunamente ele terminou mantendo uma cabeça submissa entre eles. Tu amas. ovo de alca. Miriam? Tu amas teu homem? – Isso também pode ser – disse Stephen. Cuidado com o que você almejar na mocidade porque você o obterá na meia-idade. Magee gosta de citar. uma dama de honra com uma escandalosa meninice. conde de Pembroke. – Há um ditado de Goethe que o Sr.

Mas. uma sombra agora. E nos pavilhões de seus ouvidos eu derramo.aguilhão da carne o impelindo para uma nova paixão. É por isso que a fala (seu inglês pobre e desgracioso) está sempre voltada para outro lugar. Ele é um fantasma. o vento junto aos rochedos de Elsinore ou o que quer que você deseje. com seu sinal de cinco manchas. nu. Violador e violada. como a perda é o seu ganho. – A alma fora anteriormente mortalmente atingida. uma voz ouvida apenas no coração daquele que é a substância de sua sombra. Sua viseira está erguida. uma sombra mais escura da primeira. para trás. cansado da criação que ele empilhou para se esconder de si mesmo. Mas aqueles que são mortos no sono não podem saber a forma de sua destruição a menos que seu Criador dote suas almas com esse conhecimento na vida futura. o que ele queria mas não queria. . um veneno derramado no pavilhão de um ouvido adormecido. um velho cão lambendo uma ferida antiga. a voz do mar. não-ensinada pela sabedoria de seus escritos ou pelas leis que revelou. vão com ele dos globos de marfim de Lucrécia cercados de azul ao seio de Imogene. o filho consubstancial com o pai. Eles escutam. escurecendo até sua própria compreensão de si mesmo. Ele retorna. Um destino semelhante o aguarda e os dois desejos se misturam num redemoinho. Do envenenamento e da fera com duas costas que o provocou o fantasma do rei Hamlet não podia saber se não tivesse sido dotado deste conhecimento pelo seu criador. ele passa para a eternidade como uma personalidade nãodiminuída.

Vestido-de-amarelo-pálido ele saudou alegremente com seu panamá retirado como se fosse um brinquedo. passou fome na cruz de lenho. Meu telegrama. . Que molestado por Seus demônios. então jovial na policromia. despojado de sua veste e açoitado. Tu me descobriste. Ninhada de escarnecedores: Photius. Buck Mulligan avançou. foi pregado como um morcego na porta de um celeiro. Was Du verlachst wirst Du noch dienen. se não me engano? – indagou de Stephen.– Amém! – foi respondido do vão da porta. entre Si-Mesmo e os outros. Eles lhe deram as boas-vindas. um Mediador. atormentou o inferno. taciturno como o de um decano. Um rosto irreverente. Aquele Que gerou a Si-Mesmo por meio do Espírito Santo e Ele-Próprio se enviou. se ergueu. Que Se deixou enterrar. Johann Most. pseudo Malachi. em direção à acolhida de seus sorrisos. se instalou no céu e lá nesses mil e novecentos anos se sentou à mão direita de Sua Própria Pessoa mas ainda virá no último dia para julgar os vivos e os mortos quando todos os vivos já estarão mortos. – Você estava falando do vertebrado gasoso. Ó meu inimigo? Entr’acte.

– Com certeza – disse ele. – Shakespeare? – disse ele. se recordando vivamente. Ele foi à Gill’s para comprar Canções de Amor de Connacht de Hyde. Ouvi dizer que uma atriz representou . Buck Mulligan pensou. Caem os véus. intrigado. O Sr.Glo_o___ri__a in ex____cel____sis De________o. – Ele esteve aqui? – Os conterrâneos do bardo – respondeu John Eglinton – estão talvez bastante cansados do brilho de nossa teorização. Best se voltou para ele. também tem sua teoria sobre a peça e sobre Shakespeare. Ó. – O camarada que escreve como Synge. Mulligan. garanto. O Sr. flores! Sinos com sinos com sinos em uníssono. Ele sorriu igualmente para todos os lados. Ele ergue as mãos. realmente – disse o bibliotecário quaker.C. – Eu vim pelo museu – disse Buck Mulligan. – Parece que conheço o nome. – Uma discussão muito instrutiva. Um sorriso iluminado e fugidio raiou em suas feições flácidas. – Haines sentiu sua falta – disse ele. – Sim. Todas as facetas da vida devem ser apresentadas.B. – Você o encontrou? Ele o verá depois no D.

creio. O toque ligeiro. para Willie Hughes – disse o Sr. William Ele Próprio. um homem de todos os matizes. É a própria essência de Wilde. Essência domesticada de Wilde. Vivacidade. – É tudo sem dúvida um paradoxo. Hughes. Ninguém pensou em fazer dele um irlandês? O juiz Barton. Você daria suas cinco faculdades mentais pela altiva libré de juventude com a qual ele se . não sabe.o papel de Hamlet pela quatrocentésima oitava vez a noite passada em Dublin. Três tragos de uisquete que você bebeu com os ducados de Dan Deasy. erguendo seu brilhante caderno de notas. não sabe. Quanto eu gastei? Ó. Best. H. um efebo louro. Vining afirmou que o príncipe era uma mulher. – A mais brilhante de todas é essa história de Wilde – disse o Sr. Seu olhar tocou de leve os rostos deles enquanto ele sorria. – Aquele Retrato do Sr. corrigindo com desembaraço seu comentário. Para um bando de jornalistas. não é? – perguntou o bibliotecário quaker. alguns shillings. Humor úmido e seco. em que ele prova que os sonetos foram escritos por um Willie Hughes. W. está procurando algumas pistas. Ou Hughie Wills? O Sr. Best. e cortes e matizes. Você é danadamente espirituoso. W. – Para Willie Hughes.: quem sou eu? – Quero dizer. a cor. H. Ele jura (Sua Alteza não Sua Senhoria) por São Patrício. mas é tão típica a maneira pela qual ele o elabora.

Haines e eu. – Você acha que é apenas um paradoxo? – pergunta o bibliotecário quaker. Tome-a por mim. você faquinha padrificada! Jovialmente ele enfiou mensagem e envelope no bolso mas se lamentou com sotaque queixoso: – É o que estou lhe dizendo. Uma serpente se enrosca nela. College Green. Sim. Assinado: Dedalus. você incomparável mímico! Ó. Júpiter. com veneno em seu beijo. doçura. sorrindo com renovado prazer. Pecado nu de ventredetrigo. Telegrama! Malachy Mulligan. Em tempo de acasalamento.adorna. Eva. Eles falavam seriamente da seriedade do escarnecedor. retirando um telegrama dobrado do bolso. – O escarnecedor nunca é levado a sério quando está falando sério. Traços de um desejo satisfeito. envie-lhes uma estação tranqüila de copulação. De onde você desencadeou isso? Dos bordéis? Não. Seus lábios móveis leram. Em seguida. The Ship. ele se aproximou. nós ficamos danados da vida. – Inspiração maravilhosa! Telegrama! Uma bula papal! Ele se sentou num canto da escrivaninha nãoiluminada. arrulhe para ela. na hora em que . Você bebeu as quatro libras? A tia vai fazer uma visita ao seu pai insubstancial. lendo alegremente em voz alta: – O sentimentalista é aquele que gozaria sem incorrer em imenso endividamento por um ato praticado. – Telegrama! – disse. balançando a cabeça. Novamente o rosto pesado de Buck Mulligan olhou para Stephen por um tempo. Haverá muitos mai. Lower Abbey Street. Ó.

ele a encontrou.ele o trouxe. para te assassinar. Rosto duro de traços grotescos que me combatia na rua Saint André des Arts acima de nossa misturada mixórdia de luzes. Buck Mulligan se inclinou com uma expressão de advertência. . – Essa foi a contribuição que você deu à literatura. Eu encontrei um tolo na floresta. O fauno que ele encontrou no bosque de Clamart. e você sem nosso conhecimento nos mandando suas conglomerações daquele jeito e nós tendo de ficar de língua de fora por muito tempo como aqueles clérigos secos a desmaiar por uma trepada. e ele bambo de libertinagem. Rapidamente. perambulando. Exultante Buck Mulligan se inclinou para trás. Stephen riu. Oisin com Patrício. meu anjo. palabras. Nós resmungamos pra valer pois uma experiência no patíbulo faria até um frade se inflamar. Sua imagem. – A mim! – exclamou Stephen. – Te matar! – riu ele. Irlandês assassino. C’est vendredi saint. brandindo uma garrafa de vinho. Eu a minha. Ele ouviu dizer que você urinou na sua porta de entrada em Glasthule. rindo para o teto escuro que escutava às escondidas. Em palavras de palavras por palavras. Ele saiu de mocassim de couro cru para te matar. penso. – O Synge errante está procurando por você – disse ele –. Ele se lamentou: – E nós tendo de ficar ali. E nós uma hora e duas horas e três horas aguardando civilmente por nossa bebidinha em Connery.

cheio de honestidade em seu porte quakeriano. Kilkenny ...– Sr. Será que esse cavalheiro é.. onde cada um pode encontrar o que lhe é próprio. Siga por favor o funci. claro..... perguntou... já estava fora. conduza este senhor. avançando e entregando um cartão. por favor me permita. – Toda a grande imprensa provinciana. – Claro.. Examiner. Por aqui. cheio de cortesia. Northern Whig. senhor...? Ó..... Lyster – disse um funcionário entreabrindo a porta. No corredor iluminado ele conversou com esforços loquazes de zelo. Por favor. senhor – disse o funcionário. cheio de amabilidade.. – Este senhor? Freeman’s Journal? Kilkenny People? Sem nenhum problema. Ele quer ver os arquivos do ano passado de Kilkenny People... Sim? O que é? – Há um cavalheiro aqui. Uma silhueta paciente esperava. escutando. Evans. depositou sem olhar. claro. Cork. olhou. Temos certamente. Enniscorthy Guardian. não viu. juiz Madden encontrou em seu Diário de Mestre William Silence os termos de caçada.. dominado por seu dever. ele conduziu a todos os jornais provincianos uma figura curvada de preto que . ali! Trêfego num passo de dança ele partiu. Do ano passado... – . 1903. Loquaz. rangeu.. Assim o Sr. perguntou: – Ele está. respeitoso. olhou. Por favor....? Ele pegou o cartão ansioso. Ou. Bom-dia.. – Do Freeman. senhor..

Ó. Ó. Subitamente ele se voltou para Stephen. Seus pálidos olhos galileus repousavam sobre o sulco mediano dela. Vinte anos ele viveu em Londres e. Até agora pensávamos nela. ele recebeu um salário igual ao do presidente da Câmara dos Lordes da Irlanda. Todo dia devemos prestar homenagem a ela. Ele matraqueou: – Jeová. Vênus Calipígia. – Antístenes. eu não respondo por mim. – O judeuzinho! – bradou Buck Mulligan. Sua arte. teus lábios inflamam . é a arte . Ele saltou e agarrou o cartão. A porta se fechou. Vida de vida. – Como é o nome dele? Ikey Moses? Bloom. mais do que a arte do feudalismo como Walt Whitman a chamava. ele é mais grego do que os gregos.seguia seus passos apressados. Eu o encontrei no museu aonde eu fui saudar a famosa Afrodite nascida da espuma do mar. se por acaso o fazíamos. S. Sua vida foi rica. a argiva Helena. aluno de Górgias – disse Stephen –. – Ele o conhece. o trovão de seus lombos. colecionador de prepúcios. durante parte desse tempo. Ele conhece o seu velho. a égua de madeira de Tróia em cujos flancos uma dúzia de guerreiros dormiu. – Começamos a ficar interessados na Sra. Best. O deus perseguindo a virgem escondida. A boca grega que nunca se torceu em oração. e a entregou à pobre Penélope. uma Penélope caseira. – Queremos ouvir mais – decidiu John Eglinton com a aprovação do Sr. não existe mais. retirou a palma da beleza da mulher-de-ninhada de Kyrios Menelau. como uma Griselda paciente.

Lawn Tennyson. marzipã. sem mais barulho por nada.de excessos. Mas durante todos . doces de rosas. E a mãe do sir William Davenant de Oxford com sua taça de vinho das Canárias para qualquer canário que aparecesse. e as prostitutas da margem do rio. Buck Mulligan. pegou o touro a unha e. dama Penelope Rich. Sir Walter Raleigh. uma mulher de qualidade e honesta que é apropriada para um ator. quando Burbage bateu na porta. pombos à groselha. Cours-la-Reine. com seus olhos devotos voltados para cima. senhora Fitten. a um penny por vez. respondeu de debaixo das cobertas do capão: William o conquistador chegou antes de Ricardo III. E a alegre pequena dama. rezou: – Abençoada Margaret Mary Qualquercanário! – E a filha do Harry das seis mulheres. Minette? Tu veux ? – O topo da alta sociedade. e sua queridinha delicada. canecas verdes de xerez. Vocês conhecem a história de Manningham sobre a mulher do burguês que convidou Dick Burbage pra sua cama depois que o viu em Ricardo III e como Shakespeare. Tortas de arenque quentes. Nous ferons de petites cochonneries. guloseimas de gengibre. E as outras damas amigas dos locais vizinhos como canta o cavalheiro poeta. tinha meio milhão de francos nas costas inclusive um espartilho elegantíssimo. a montar e a gritar Ó. molhos de mel. Vinte anos ele passou ali o tempo entre o amor conjugal e seus encantos castos e fornicação amorosa e seus prazeres ilícitos. Encore vingt sous. A agiota Eliza Tudor tinha roupa de baixo capaz de rivalizar com a da rainha de Sabá. tendo ouvido por acaso. ao ser preso.

Mas ela. eu . o herbanário. Agir. Uma campânula de flores azul-celeste como as veias dela. Mas aja. mãos são postas sobre a brancura. Um corpo. o irmão do marido morto. como Sócrates. numa atmosfera infecta de luxúria e sordidez. A doce Ann. não quebrou um juramento de alcova. quando ele quer fazer para si. Amor que não ousa dizer seu nome. Velho muro em que lagartos aparecem subitamente. Buck Mulligan bateu abruptamente na escrivaninha de John Eglinton. Uma vez rejeitado duas vezes rejeitado. a leviana doidivanas. – É o que parece – disse Stephen –. – Você quer dizer que como um inglês – interpôs John resoluto Eglinton – ele amava um lorde. Mas a leviana da corte o rejeitou por um lorde. ele caminha. – De quem você suspeita? – desafiou. Pálpebras dos olhos de Juno. ele teve por mãe uma parteira assim como ele teve uma megera por mulher. o santo ofício que o cavalariço faz para o garanhão. Longe. – Digamos que ele seja o amante rejeitado dos sonetos. Coisa feita. No roseiral em Fetter Lane de Gerard. Ele caminha. Uma vida é tudo. violetas. Em Charenton eu os observei. o meuqueridoamor dele. Talvez. e para todos os outros e únicos ventres não cultivados.aqueles vinte anos o que é que vocês pensam que a pobre Penélope estava fazendo em Stratford por trás das vidraças de diamantes? Fazer e fazer. ruivoacinzentado. Dois feitos são repulsivos na mente daquele fantasma: um juramento perjuro e o labrego obtuso a quem ela concedeu seus favores.

Ao que Eglinton assim falou: Você quer dizer o testamento. enquanto a filha de Susan. Ele enfrentou o silêncio deles. . Expliquem vocês então.presumo. enraivecido por ter sido o primeiro a partir. Stephen se virou deliberadamente em sua cadeira. para usar as palavras do vovô. – O ônus da prova está com vocês não comigo – disse franzindo a testa. Uma vez sedutora. Mas isso foi explicado. Joan. também seu marido. seu bomhomem John. Nos anos em que ele estava vivendo suntuosamente na Londres real ela teve que tomar quarenta shillings emprestados do pastor de seu pai para pagar uma dívida. tendo matado o primeiro. por juristas. Elizabeth. Todas aquelas mulheres viram seus homens mortos e enterrados: Mary. – Se vocês negarem que na quinta cena de Hamlet ele a estigmatizou com infâmia digam-me por que não há menção a ela durante os trinta e quatro anos entre o dia em que ela casou com ele e o dia em que ela o enterrou. tinha o sangue quente. Satã zomba dele. creio. O conhecimento legal dele era grande Dizem-nos nossos juízes. Ó. há menção. duas vezes sedutora. Expliquem também o cantodocisne em que ele a confiou à posteridade. Judith. quando ele foi e morreu sobre ela. seus quatro irmãos. casou com o segundo. Susan. seu marido e todos os seus filhos. Ann. seu pobre querido Willun. sim. Ela tinha direito a seus bens de viúva Por direito consuetudinário.

Por que ele não lhe deixou sua melhor cama se ele desejava que ela roncasse o resto dos seus dias em paz? . para os seus velhos amigos íntimos de Stratford E de Londres. um homem capaz de fazer passar uma lei no Parlamento. E por conseguinte quando ele foi instado. a nomeá-la Ele lhe deixou sua Segundamelhor Cama. Deixoulhesua Segundamelhor Deixoulhesua Melhorumacama Segunumamelhor Deixouumacama. para suas filhas. um acionista capitalista. Para sua irmã.Escarnecedor: E por conseguinte ele deixou de fora o nome dela Do primeiro rascunho mas não deixou de fora Os presentes para sua neta. Punkt. um fazendeiro que pagava tributo. Ôôoo! – O encantador pessoal do campo tinha poucos bens então – observou John Eglinton – como eles ainda têm se nossas peças campestres de teatro são fiéis ao gênero. – Ele era um senhor rural rico – disse Stephen – com brasão e terras em Stratford e uma casa em Ireland Yard. Como creio.

– A antiguidade menciona camas famosas – careteou Eglinton Segundo. William Shakespeare e companhia. – Deixe-me pensar.. – Você quer dizer que ele morreu desse jeito? – perguntou o Sr. Dowden.. – Um quarto de cerveja é um prato para um rei.. demonstra respeito pelos mais velhos. uma melhor e uma segundamelhor – disse sutilmente o Sr. – Eu lhe perguntei o que pensava sobre a acusação de pederastia feita contra o bardo. limitada. manifesta o desejo de ser posto na terra ao lado dos ossos de sua falecida mulher e pede aos amigos que sejam bondosos com uma velha amante (não se esqueçam de Nell Gwynn Herpyllis) e a deixem viver em sua quinta. – Separatio a mensa et a thalamo – aprimorou Buck Mulligan para o qual sorriam. Highfield House.– Está claro que havia duas camas. – Ele morreu bêbado de morrer – completou Buck Mulligan. com sorriso-de-cama. Segundomelhor Best. Ele ergueu as mãos e disse: Tudo que podemos dizer é que os sentimentos eram muito ardentes naquela . – A antiguidade menciona aquele garoto-deescola Stagirita e sábio calvo pagão – disse Stephen – que ao morrer no exílio liberta e contempla em testamento seus escravos. Para as condições dirigir-se a: E.. Ó. eu preciso lhes contar o que Dowden disse! – O quê? – perguntou Melhoreglinton. O William do povo. – Adorável! – suspirou Buck Mulligan amorosamente. Best ligeiramente preocupado. – Quero dizer.

época. com dez moitas de trigo armazenadas nas épocas dos motins causados pela fome. seu coração de judeu tendo sido arrancado enquanto o judeu ainda estava vivo: Hamlet e Macbeth com o acesso ao trono de um filosofastro escocês com um fraco por assado de bruxa. De que outra maneira poderia o cavalariço e moço de recados de Aubrey ficar rico rápido? Todos os acontecimentos traziam farinha para o seu moinho. o sanguessuga da rainha. Dizes isso? Arrancarão eles de nós. Shylock faz coro com a perseguição de judeus que se seguiu ao enforcamento e esquartejamento de Lopez. a palma da beleza? – E o sentido de propriedade – disse Stephen. A invencível armada é a sua chacota em Trabalho de Amor Perdido . as . Dois proveitos não cabem num saco só. Os que lhe tomavam dinheiro emprestado eram sem dúvida aqueles que cultuavam sua imagem mencionados por Chettle Falstaff que relatou a probidez de sua conduta. de mim. Seus quadros vivos. – Ele tirou Shylock do próprio bolso longo. O resoluto John retrucou severo: – O doutor pode nos dizer o que significam essas palavras. Adorável! Sodomita passivo. – A sensação de beleza nos desencaminha – disse o belonatristeza Best ao feiosinton Eglinton. Ele processou um colega-ator pelo preço de alguns sacos de malte e lhe arrancou a pele com juros por cada soma emprestada. Filho de um especulador de malte e agiota ele era ele próprio um especulador de trigo e agiota.

a virgem vulgar que inspirou As Alegres Comadres de Windsor. mictum.. Sufflaminandus sum . Ali ele entoou uma runa lamurienta: – Pogue mahone. – Santo Tomás. ou de outro modo Bess ruiva. nosso primo americano.. expectantemente. – Um homem de mente múltipla – lembrou o Sr. Amplius. Acho que você está se saindo muito bem. – Ora pro nobis – o monge Mulligan gemeu.histórias. minxi. Os sonetos açucarados se seguem aos de Sidney. Mingo. – Prove que ele era um judeu – desafiou John Eglinton. navegam ventrudos numa maré de entusiasmo à Mafeking. mingere. afundando numa cadeira. In societate humana hoc est maxime necessarium ut sit amicitia inter multos. Os jesuítas de Warwickshire são julgados nos tribunais e temos a teoria de um porteiro sobre ambigüidade. – Seu decano de estudos mantém que ele era um católico romano. Quanto à fada Elizabeth. Acuschla machree! Destruídos é que estamos a partir deste dia! Destruídos é o que . – Ele foi produzido na Alemanha – replicou Stephen – como o paladino de verniz francês passado nos escândalos italianos. – começou Stephen. Best. Misture apenas um misto de teolológicafilolológica. deixemos algum meinherr de Almany buscar em vão por toda a sua vida os sentidos ocultos nas profundezas da cesta do janota. – Coleridge o chamava de mentemúltipla. A Sea Venture regressa das Bermudas e a peça que Renan admirava é escrita com Patsy Caliban.

cujas obras bojudas eu gosto de ler no original. – O gentil Will está sendo manuseado rudemente – disse gentilmente o gentil Sr. Best. Acusações são feitas colericamente.estamos certamente! Todos sorriram seus sorrisos. As leis cristãs que aumentaram as reservas dos judeus (para os quais. Sejam estes pecados ou virtudes o velho Papaininguém nos dirá no tribunal senhorial do Juízo Final. – Nós estamos ficando confusos. a tempestade era um abrigo) também cingiram seus afetos com aros de aço. – Santo Tomás – disse Stephen sorrindo –. – Que will? – soprou suavemente Buck Mulligan. possivelmente. o deseje ardentemente. escrevendo sobre incesto de um ponto de vista diferente do da nova escola vienense de que falou o Sr. – Ou sua asna – salmodiou Buck Mulligan. são de todas as raças os mais dados a casamentos consangüíneos. que os cristãos tacham de avareza. Nenhum vizinho senhor sorriso cobiçará seu boi ou sua mulher ou seu empregado ou sua empregada ou seu asno. Magee. Mas um homem que se agarra tão firmemente ao que ele chama de seus direitos sobre o que ele chama de suas dívidas também se agarrará firmemente ao que ele chama de seus direitos sobre aquela a quem ele chama de sua mulher. Os judeus. assim como para os lollardos. viúva de Will – filosofou . – Para a pobre Ann. Ele quer dizer que o amor dado dessa forma a um próximo pelo sangue é gananciosamente negado a um estranho que. o equipara em sua maneira curiosa e sábia a uma avareza de emoções.

Sinto que o cavaleiro gordo é sua criação suprema. Mas sabemos de fonte segura que os piores inimigos de um homem são aqueles de sua própria casa e família. – Ela jaz exposta em rigidez completa na segundamelhor cama. Onde está toda a vontade de fazer? Ela sumiu há muito tempo. – A história prova a veracidade disso. As eras se sucedem umas às outras. Vênus torceu seus lábios ao rezar. inquit Eglintonus Chronolologos. – Requiescat! – orou Stephen. Falstaff não era um homem de família. a rainha encoberta. É uma era de prostituição desgastada buscando seu deus em vão. a vontade de viver é a vontade de morrer. embora você prove que uma cama naqueles dias era tão rara quanto um automóvel o é agora e que seus entalhes eram a maravilha de sete paróquias. ela meditava sobre Ganchos e Colchetes para as Calças dos Crentes e A Caixa de Rapé a Mais Espiritual para Fazer as Almas Mais Devotas Espirrar. Agenbite of inwit: Remorso de consciência.John Eglinton –. ao urinar noturnamente no urinol... Na velhice ela se dava com pregadores puritanos (um ficou com ela em New Place e bebia um quarto de vinho da Espanha fornecido pela municipalidade mas em que cama ele dormia não cabe perguntar) e ouviu então dizer que ela possuía uma alma. . O que nos importa a mulher ou o pai dele? Eu diria que somente os poetas de família têm vidas de família. Sinto que Russell está certo. Ela lia ou fazia lerem para ela os livrinhos religiosos dele preferindo-os às Alegres Comadres e.

desguarnecido de paternidade. A voz falando. Tímido. com suas meias elisabetanas enlameadas com lama de dez florestas e um bastão de macieira brava na mão. é o graduando imberbe de Wittenberg então vocês têm de afirmar que sua mãe de setenta anos é a rainha voluptuosa. O Dr. Tímido. ele surrupia a taça. Mas não me conhecem. senhor. Ele repousa. ele se joga para trás. Sr. repudia teus parentes. De hora em hora ele apodrece e apodrece. com trinta e cinco anos de vida.Magro. . A mim? Diz que é o seu pai. Correndo da Paris alegre da beira do rio para o esquálido leito-de-morte dela eu toquei a mão dele. com novo calor. com ceroulas fáceis de desabotoar. um homem grisalho com duas filhas casadouras. Magee. tendo legado aquele estado místico a seu filho. – Um pai – disse Stephen. O viúvo. um soldado tosco áspero de cabelo desgrenhado. Dê-me o meu Wordsworth. Ele escreveu a peça nos meses que se seguiram à morte do pai. Calandrino de Boccaccio foi o primeiro e último homem que se sentiu concebendo um filho. lutando contra a desesperança – é um mal necessário. O seu próprio? Ele conhece o seu velho. O cadáver de John Shakespeare não vaga de noite. um cavalheiro deseja vêlo. Os olhos que me desejam o bem. os rigidamente probos. nel mezzo del cammin di nostra vita. Se vocês afirmarem que ele. Um pai de Antrim em Ulster fez uma oferta por ele. Bob Kenny está cuidando dela. senhor. Visita-o aqui nas têmporas. Não. com cinqüenta de experiência. ceando com o ímpio. Entra Magee Mor Mathew.

de apenas um gerador para um apenas gerado. Quem é o pai de algum filho que algum filho devesse amar ou ele algum filho? Que diabo está você insinuando? Eu sei. Na rua Monsieur le Prince eu pensava assim. no vazio. Amplius. como o mundo. ele traz dor. aumenta os cuidados. macro e microcosmo. Postea. A paternidade pode ser uma ficção legal. rainhas com touros premiados. com o sentido de geração consciente. genitivo subjetivo e objetivo. Nesse mistério e não no da madona que o intelecto sagaz italiano lançou à plebe da Europa a igreja está fundamentada e fundamentada irremovivelmente porque fundamentada. uma sucessão apostólica. sobrinhos com avós.Paternidade. seu amigo o inimigo de seu pai. pais com filhas. manchados com todos os outros incestos e bestialidades. Raios o partam. Amor matris. irmãs lésbicas. pode ser a única coisa verdadeira na vida. Ele é um novo macho: seu crescimento é o declínio de seu pai. Filhos com mães. prisioneiros com fechaduras. Iterum . É um estado místico. amores que não ousam dizer seus nomes. Sobre a incerteza. Você está condenado a fazer isso? – Eles estão separados por uma vergonha corporal tão inalterável que os anais criminais do mundo. Cale a boca. sua mocidade a inveja de seu pai. divide a afeição. O filho não nascido desfigura a beleza: nascido. – O que os une na natureza? Um instante de cio . mal registram sua infração. Adhuc. Eu tenho minhas razões. sobre a improbabilidade. é desconhecida do homem.

Mas bajule. pois a natureza. – Espere. afirmava que o Pai era Ele Próprio Seu Próprio Filho. não sendo mais um filho. como o Sr. O buldogue Aquino. Olhos-de-Eglinton. Pallas Athena! Uma peça! A peça é o que interessa! Deixe-me parir. o Africano. – Ele mesmo seu próprio pai – falou consigo mesmo Filhomulligan. Ora: se o pai que não tem um filho não for um pai poderá o filho que não tem um pai ser um filho? Quando Rutlandbaconshouthamptonshakespeare ou um outro poeta com o mesmo nome na comédia dos erros escreveu Hamlet ele não era apenas o pai de seu próprio filho mas. ele era e se sentia o pai de toda a sua raça. o refuta. em prova do que digo. através da madressilva retorcida. um alegre puritano. – Quanto à sua família – disse Stephen –. nunca nasceu. – Sabelio. se ergueram brilhando de timidez. Bajule. o pai de seu neto não nascido que. Olhando contente. Tenho um filho não-nascido no meu cérebro. reluzentes de prazer. Sua morte fez que dele surgisse a cena com Volumnia em Coriolano. Magee a entende. Eu estou grávido. o nome de sua mãe vive na floresta de Arden. A morte de seu filho-menino é a cena de .cego. abomina a perfeição. Um pouquinho. Ele apertou sua testabarriguda com suas duas mãos fórceps. o mais sutil heresiarca de todos os animais do campo. para o qual nenhuma palavra é impossível. o pai de seu próprio avô. Serei eu um pai? E se eu fosse? Mão encolhida incerta.

e Cressida e Vênus são nós podemos adivinhar.morte do jovem Artur em Rei John. entrou na ponta dos pés. em Conto de Inverno nós o sabemos. quakra sua máscara. Porta fechada. Eu você ele eles. . é Hamnet Shakespeare. partilhem a comida. Eles ouvem. – A trama está engrossando – disse John Eglinton. Hamlet. o príncipe negro. Quem Cleópatra. Eles. Cubículo. Dia. O livreiro quaker. quakra com pressa. Vamos. Mas há um outro membro de sua família que está registrado. Quem são as moças em A Tempestade . em Péricles. quakra. Três. vivendo no luxo do Egito. quak. tremendo.

STEPHEN Ele tinha três irmãos. Gilbert. Ele não está em nenhum lugar: mas um Edmund e um Richard estão registrados nas obras do suave William. Edmund. MAGEEGLINJOHN Nomes! O que existe em um nome? . Richard. A salsicha do teatro foi um regalo para a alma de Gilbert. Gilbert na velhice contou a alguns cavaleiros que conseguiu certa vez um bilhete de graça do Mestre Coletor por Deus que conseguiu e ele viu seu mano Mestre Wull o dramaturgo lá em Londres numa peça de luta com um homem em suas costas.

Iago. (risos) BUCK MULLIGAN (piano. para meu próprio bem. . Richard. Edmund em Rei Lear. não sabe. diminuendo) Então declarou medicante Dick Ao seu camarada medicante Davy. STEPHEN Em sua trindade de Wills sinistros. essa última peça foi escrita ou estava sendo escrita enquanto seu irmão Edmund agonizava em Southwark. Espero que você diga uma palavra favorável a respeito de Richard..BEST Esse é o meu nome. Mais ainda.. Richard o Corcunda. dois trazem os nomes dos tios perversos. não sabe. os ladrões vilões.

Não quero que Richard..... . (risos) QUAKERLYSTER (a tempo) Mas aquele que surrupia de mim meu nome honrado. um . STEPHEN (stringendo) Ele escondeu seu próprio nome. meu nome. um super aqui. um nome impoluto.BEST Espero que Edmund apanhe tudo. William. nas peças.

Não lhes diga que ele tinha nove anos quando ela se extinguiu. uma estrela matutina. Revelou-o nos sonetos em que existem Wills de sobra. mais resplandecente do que Vênus à noite. honorificabilitudinitatibus. seu palerma. baixando no horizonte. como um pintor da antiga Itália colocou seu rosto num canto escuro de sua tela.: sua donna. a leste da Ursa. E dos braços dela. a constelação reclinada que é a assinatura de sua inicial entre as estrelas. Sr. Dedalus? – perguntou o bibliotecário quaker. Già: di lui. Espera ser seduzido e conquistado. e de noite brilhou sobre Delta em Cassiopéia. . mais caro do que sua glória como o maior abalador-de-cena do país. – Uma coluna de nuvens de dia. Uma estrela. Stephen. surgiu no dia em que ele nasceu. Onde está a sua configuração? Stephen. S. Gelindo risolve di non amare S. – O que é isso. – Terá sido um fenômeno celestial? – Uma estrela à noite – disse Stephen. Bous Stephanoumenos. Ela brilhou de dia sozinha no céu. Os dois satisfeitos. Sim. tão caro quanto os brasões que ele obteve à custa de bajulação. enquanto ele caminhava pelos campos entorpecidos do verão ao voltar à meia-noite de Shottery e dos braços dela. Seus olhos a observaram. Como John of Gaunt seu nome lhe é caro. Autontimorumenos. corte o pão em fatias iguais. D. um meteoro. D. Quem vai te seduzir? Leia nos astros. O que é que existe num nome? É isso que nos perguntamos na infância quando escrevemos o nome que nos disseram ser o nosso. Eu também.palhaço ali. sobre uma barra diagonal de zibelina uma lança ou prata acerada.

minha coroa. – Eu gostaria de saber – disse – que irmão o senhor.. . Paris e retorno.. o máximo. Bom. Minha espada. sua bengala. Ventoinha. O Sr.. também encontramos nos antigos mitos irlandeses. prostrado. Mas talvez eu esteja me antecipando? Ele se deteve no ato: olhou para todos: se conteve. Stephanos. O melhor dos irmãos Best. Suponho que ele explica seu fantástico humor. Julgo o senhor ter sugerido que houve adultério com um dos irmãos. melhor. ait. Ícaro. Você é uma ventoinha. nos contos de fada. Eu. Pater.. Compre um par. Fabuloso artífice. As botas dele estão estragando a forma de meus pés. chafurdado. Magee e Mulligan. passageiro de terceira classe.O que mais a dizer? Stephen olhou para seu chapéu. Exatamente o que você diz. – Seu nome ele mesmo é bastante estranho. Best tranqüilamente ansioso ergueu seu livro para dizer: – Isso é muito interessante porque aquele tema do irmão. Seja uma ventoinha. Salpicado de água do mar. Para onde? Newhaven-Dieppe. Os três irmãos Shakespeare. não sabe. Em Grimm também. O homem falcão. não sabe. Um lenço também. O terceiro irmão que sempre se casa com a bela adormecida e ganha o melhor prêmio. Você voou. Furos nas minhas meias. – O senhor faz um bom uso do nome – concedeu John Eglinton. O bibliotecário quaker se deteve saltando perto. suas botas.

Por que ele os tirou em lugar de outros? Richard. veio depois de William o conquistado. Ele. um corcunda filho-da-puta. padre Dineen! Já vou. faz a corte a uma enviuvada Ann (o que existe num nome?). Rapidamente ereto rangendo ereto ereto ele saiu ereto. – Ouçamos o que o senhor tem a dizer sobre Richard e Edmund. Onde está seu irmão? No saguão do boticário. Meu reino por uma bebida. Mas aja. Os outros quatro atos daquela peça pendem molemente desse primeiro. em seguida Cranly. – Ó. uma viúva alegre filha-da-puta. Meu incentivo. Estou cansado de minha voz. acho que lhes pedi talvez demais.Um funcionário chamou da porta: – Sr. não foi? – Ao lhes pedir que se lembrassem desses dois parentes nobres titio Richie e titio Edmund – respondeu Stephen –. Aja com a fala. o anjo do mundo. Fale. Ventoinha. Um irmão é tão facilmente esquecido quanto um guarda-chuva. fale. Ventoinha. Richard o conquistador. Vai.. – Vamos – disse. bastardo. – Vocês dirão que esses nomes já se encontravam nas crônicas das quais ele tirou a matéria de suas peças. a seduz e a conquista. O senhor os deixou para o fim.. o terceiro irmão. Reaja. Aja. De todos os reis Richard é o único rei desprotegido do respeito de Shakespeare. Lyster! Padre Dineen deseja. Eles zombam para o testar. Mulligan: agora estes. John Eglinton tocou na chapa. a voz de Esaú. Por que o enredo secundário de Rei Lear no qual Edmund figura é retirado .

Ele existe numa variedade infinita em toda parte no mundo que ele criou. – Porque o tema do irmão falso ou do usurpador ou do adúltero ou todos os três em um só está para Shakespeare. em Medida por Medida – e . quando sua filha casada Susan. enfraqueceu sua vontade e deixou nele uma forte inclinação para o mal.da Arcádia de Sidney e pastichado de uma lenda celta mais antiga do que a história? – Essa era a maneira de ser de Will – defendeu John Eglinton. Está nas entrelinhas de suas últimas palavras escritas. em A Tempestade. – Por quê? – respondeu Stephen a si mesmo. prótase. O tema se duplica no meio da vida dele. catástase. diria Moore. se reflete num outro. banimento do lar. Que voulez-vous?. soa ininterruptamente de Os Dois Cavalheiros de Verona em diante até que Próspero quebra o seu bastão. A idade não o murchou. é acusada de adultério. o enterra algumas braças de terra abaixo e afoga seu livro. cometido por um outro em cujo pecado ele também pecou. Mas foi o pecado original que escureceu sua compreensão. catástrofe. em Muito Barulho por Nada. como pecado original. se repete. Essas palavras são as dos meus senhores bispos de Maynooth. duas vezes em Como Gostais. em Hamlet. está petrificado na laje do seu túmulo sob a qual não devem ser depositados os quatro ossos dela. Repete-se novamente quando ele está próximo à sepultura. – Não nos caberia agora combinar uma saga nórdica com um trecho de uma novela de George Meredith. que tem a quem sair. epítase. banimento do coração. O tom de banimento. sempre com ele. Um pecado original e. A beleza e a paz não o fizeram desaparecer. o que os pobres não estão. Ele situa a Boêmia à beira-mar e faz Ulisses citar Aristóteles.

Um rei e um príncipe finalmente na morte. Em Cymbeline. – E que personagem esse Iago! – o impávido John Eglinton exclamou. Amante de um ideal ou de uma perversão. como José ele mata a verdadeira Carmen. em Otelo ele é alcoviteiro e corno. E o que mais. O movimento chegou ao fim. – Afinal de contas Dumas fils (ou será Dumas père) está certo. Seu intelecto incansável é o desvairado Iago desejando incessantemente que o mouro nele sofra. com música de menor importância.em todas as outras peças que não li. – Cuco! Cuco! – Cucante Mulligan cacarejou licenciosamente. onde sempre esteve. – O homem não o encanta nem a mulher – disse Stephen. – A verdade está no meio – afirmou. uma testemunha silenciosa e ali. – Ó palavra temível! O domo escuro recebeu. terminada a jornada de sua vida. que sofrem pois o morto é o único marido de quem elas se recusam a se divorciar. O juiz Eglinton resumiu. – Ele o é – disse Stephen. – Depois de uma vida de ausência ele retorna àquele recanto da terra em que nasceu. Se você gosta do epílogo considere-o . é chorado de tristeza por todos os corações ternos e frágeis. reverberou. – Ele é o fantasma e o príncipe. embora assassinado e traído. Coveiros enterram Hamlet père e Hamlet fils. dinamarqueses ou dublinenses. Ele atua e é atuado. Ele é tudo em todos. homem e menino. ele planta na terra sua amoreira. – O rapaz do primeiro ato é o homem maduro do quinto ato. Depois de Deus foi Shakespeare quem mais criou. Tudo em todos. Ele riu para libertar sua mente do cativeiro de sua mente. Então morre.

mas sempre nos encontrando. jovens. e seria alcoviteiro e corno também não fosse pelo fato de que na economia do céu. viverão. e titio Richie. cavalariço e acougueiro. o senhor das coisas como elas são o qual os mais católicos romanos chamam de dio boia. – Aqueles que são casados – disse o Sr. Maeterlinck diz: Se Sócrates sair de sua casa hoje vai encontrar o sábio sentado no beiral de sua porta. não existem mais casamentos. Se Judas sair esta noite é para Judas que os passos dele o conduzirão. Ele riu. sendo uma esposa para si mesmo. o bom homem recompensado. bacharel . homem glorificado. o homem mau retirado por justiça poética para o lugar para o qual os negros malvados vão. solteiro. O dramaturgo que escreveu o fólio deste mundo e o escreveu mal (Ele nos deu primeiro a luz e o sol dois dias depois). a queridinha do vovô. encontrando ladrões. – Eureka! – gritou Buck Mulligan. para Eglinton Johannes. viúvas. todos exceto um. deus carrasco. – O Senhor falou com Malachi. velhos. cunhados. arauto sereno –. – Eureka! Subitamente alegrado ele saltou e alcançou com passo largo a escrivaninha de Eglinton. é sem dúvida tudo em tudo em todos nós. Nós caminhamos através de nós mesmos. fantasmas. Lizzie. predita por Hamlet. Pegue alguns pedaços de papel do balcão ao sair. – Posso? – disse.longamente: próspero Próspero. Começou a escrevinhar num pedaço de papel. Os restantes permanecerão como estão. gigantes. Frase de suspense. Ele encontrou no mundo exterior como real aquilo que existia em seu mundo interior como possível. esposas. Best. dia após dia. um anjo andrógino. Toda a vida são muitos dias.

John Eclecticon deu um sorriso que valia por dois. O senhor acredita em sua própria teoria? – Não – disse prontamente Stephen. As duas moedas de prata que ele me . – O senhor é o único colaborador de Dana que exige moedas de prata.de artes. – Bem. me ajude a crer ou me ajude a descrer? Quem ajuda a crer? Egomen. – Deveria fazer um diálogo dela. Ó Senhor. não sabe. Best. Dowden julga que há um certo mistério em Hamlet mas não diz mais do que isso. – O senhor vai escrevê-la? – perguntou o Sr. Freidraine. – O senhor é uma ilusão – disse sem rodeios John Eglinton a Stephen. Não casados. – O senhor nos fez percorrer todo esse caminho para nos mostrar um triângulo francês. eles folheiam e meditam cada um deles à noite sobre a edição variorum de A Megera Domada. conscientes da astúcia. o homem com quem Piper se encontrou em Berlim. não fantasiados. e provar para ele que seu ancestral escreveu as peças. que está desenvolvendo aquela teoria de Rutland. Eu acredito. Fred Ryan quer espaço para um artigo sobre economia. Herr Bleibtreu. diz Piper. como os diálogos platônicos que Wilde escreveu. Assim eu não sei quanto ao próximo número. Vai ser uma surpresa para sua graça. Mas ele acredita em sua teoria. Quem a descrer? Um outro camarada. acredita que o segredo está escondido no monumento de Stratford. não sei como o senhor esperaria um pagamento por ela visto que o senhor mesmo não acredita nela. Ele vai visitar o atual duque. ajude minha descrença. Isto é. neste caso – disse –.

. Eu estarei lá. A vida são muitos dias. Um dia na biblioteca nacional tivemos uma . – Nós o veremos hoje à noite – disse John Eglinton. Vamos. ele. Palhaço. com uma malícia melada: – Eu fui visitar o bardo Kinch em sua residência de verão no alto de Mecklenburgh Street e o encontrei mergulhado no estudo da Summa contra Gentiles na companhia de duas damas gonorréicas. Distração das noites irlandesas... conferencista de letras francesas para a mocidade da Irlanda. os bardos precisam beber. Economia. a prostituta do porto carbonífero. Kinch. Stephen se ergueu.emprestou. – Vamos. – Por um guinéu – disse Stephen – o senhor pode publicar esta entrevista.. Você consegue andar reto? Rindo. Beber avidamente até as onze. Buck Mulligan se levantou de onde estava escrevinhando rindo. Vamos. Sim. Stephen seguiu um palhaço. – Notre ami Moore disse que Malachi Mulligan tem de estar lá. Ele se interrompeu. Eu vou te servir teus restos e rebotalho. – Monsieur Moore – disse ele –. Isso terá fim.. Kinch. Kinch. Vamos. Te ajudou a vencer uma dificuldade. Buck Mulligan agitou seu pedaço de papel e o panamá. Aengus errante dos pássaros.. Você comeu tudo que deixamos. rindo: e então disse gravemente. a Fresca Nelly e Rosalie.

? A balaustrada curva: o suavementedeslizante Mincius.. sob seu panamáelmo. concordando consigo mesmo: – Um traseiro satisfeito. Apertos de mão. Eu fiz uma bolha no seu calcanhar. foi passo a passo.? O quê?. recentemente barbeado. No livro de registro dos leitores Cashel Boyle O’Connor Fitzmaurice Tisdall Farrell rubrica seus polissílabos.. Nas costas do palhaço: eu segui.. – Ó. Maeterlinck. girando: – John Eglinton.? Um chapéu de fita azul. A borboleta. Item: estava Hamlet louco? A cachola do quaker de pureza divina com a conversa livresca de um padreco. meu jo..? Escrevendo negligentemente. Eu terei muito prazer. Nossos atores estão criando uma nova arte para a Europa como os gregos ou M. A sala dos leitores assíduos.. Por que você não casa com uma mulher? Ele cuspiu para o ar. cumprimentando. iambando. o estúdio dos bombeiros. Haines e eu.. Achando graça Buck Mulligan meditou num murmúrio agradável. É isso.. – Ó faça por favor. saiu do cubículo abobadado desembocando numa claridade estilhaçante vazia de pensamento. Nós fomos para o teatro deles. Depois.. Olhou. O que é que eu aprendi? Deles? De mim? Ande agora como Haines.. Puck Mulligan.. Stephen.. uma cabeça bem penteada. John.. o chinês chem queixo! Chin Chon Eg Lin Ton. seguiu o palhaço gracejador. Teatro da Abadia! Sinto o cheiro do suor .. e então totalmente desalentado. senhor.discussão..

– Longworth está se sentindo muito mal – disse ele – depois do que você escreveu sobre Gregory aquela velha fofoqueira. hein.. trinando: – Assim que ouço o som do cortiço Ou de um soldado inglês falando quando passo No F. Eu só hein... Hein.. eu esqueci. escravo do prazer. queria. Eu paro. o cabelo louro de Phedo feito para afagar. Puck Mulligan pisou com elegância.. padres e carvão inglês são pretos.. Ó você seu judeujesuíta bêbado inquisidor! Ela te arranja um emprego no jornal . – Synge deixou de se vestir de preto para ficar igual à natureza. – Mímico tristonho – gemeu Buck Mulligan. Parado....púbico dos monges. Volte... E ele abandonou a femme de trente ans. O homem mais sedento que já vi O que não tinha queixo. Ele cuspiu inexpressivo. abaixo de mim. Só corvos. Conheça-se. O triste recluso ainda ali (ele teve sua parte do bolo) e o suave meninote. – Longworth e M’Curdy Atkinson estavam lá. Um riso saltitou em seus lábios. Esqueci: não mais do que ele esqueceu a surra que a nojenta Lucy lhe deu. E por que nenhum outro filho nasceu? E seu primeiro filho uma menina? Sabedoriatardia. M’Curdy Atkinson logo penso Aquele mesmo da perna de pau E no de saiote com cara de mau. um zombador olha para mim. Continue a gracejar. Era tanto o medo de casar Que se masturbavam sem parar.. o tal Magee.

Será que você não poderia proceder como Yeats? Ele continuou a descer. é escasso. Findada a dança folclórica morris de nove homens com bonés de expositores. sombras entrelaçadas. Faz-nos pensar em Homero. marcato: – Personagens: TOBY TOSTOFF (um polonês arruinado) CRAB (um bandido) ESTUDANTE DE MEDICINA DICK (dois coelhos numa ESTUDANTE DE MEDICINA DAVY só cajadada) MÃE GROGAN (uma carregadora de água) FRESCA NELLY } e . fazendo caretas. cantando e balançando graciosamente os braços: – O mais belo livro que tenha sido publicado sobre nosso país em nossos dias. Ele parou no pé da escada. – Eu concebi uma peça para os farsistas – disse solenemente. Mas ouça. Com vozes suavemente variadas Buck Mulligan leu em sua tabuleta: Todohomem com a Própria Mulher ou Uma Lua-de-Mel na Mão (uma imoralidade nacional em três orgasmos) por Ballocky Mulligan Ele voltou para Stephen o sorriso afetado de um palhaço. A sala de colunas mourescas. Ele leu. receio. dizendo: – O disfarce.e aí você vai e solta os cachorros em cima da sandice de suas elucubrações.

Para onde então? Se Sócrates partir de casa hoje. – Você viu os olhos dele? Ele te examinou com desejo. Partir. Ó. Ruas das meretrizes depois. vir. a noite em Camden Hall quando as filhas de Erin tiveram de erguer suas saias para passar por cima de você que jazia em seu vômito amoracolorido. Kinch. Aengus dos pássaros. por quem elas jamais sempre as ergueram.ROSALIE (a prostituta do porto carbonífero). almas de homens: – Ó. Eles vão. Dia. Prestes a passar pela porta. você corre perigo. Entre. inelutavelmente. Os homens se espantaram. Minha vontade: a vontade dele que me confronta. se curvando e cumprimentando. acompanhado por Stephen: e alegremente disse às sombras. seguindo em frente. Aqui eu observei os pássaros em busca de augúrio. se Judas sair esta noite. eles vêm. balançando a cabeça pra lá e pra cá. passando entre eles. – O judeu errante – sussurrou com o assombro de um palhaço Buck Mulligan. sentindo alguém atrás. O pórtico. Providencia para ti uma braguilha de segurança. Voei facilmente. Agora é o momento. Eu te temo. multicolorido. – Mais uma vez bom-dia – disse Buck Mulligan. velho marinheiro. Oceanos entre. Modos de Oxenford. Um homem saiu. ele ficou de lado. A noite passada eu voei. multitudinário! – O mais inocente filho de Erin – disse Stephen –. Ele riu. Sol de carrinho de mão sobre o arco da . Um melão cremoso ele estendeu para mim. Por quê? Isso jaz no espaço ao qual com o tempo devo. Você verá.

Ofenda-me sempre. Um marinheiro perneta. Vere dignum et iustum est . balançando o corpo . Católico bom e prático: útil na época das missões. sob as grelhas de ferro fundido do seu arco. Cinco para as três. Prestar-lhe o favor. Umas costas escuras passaram na frente deles. Pare de lutar. recolocou seu relógio polido no seu bolso interior enquanto descia os degraus do presbitério. Sim. 10 O superior. Como era mesmo o nome daquele menino? Dignam. Louvemos os deuses E deixemos que nossas fumaças tortuosas subam até suas narinas De nossos altares abençoados. Um ar ameno delimitava os ângulos das casas em Kildare Street. Cunningham. Fale. J.ponte. se emplumando e numa suave rajada de ar foram suavemente sopradas. Justamente a hora ideal para caminhar para Artane. passo de pardo. A carta do Sr. O irmão Swan era a pessoa indicada para se ver. desceram. se possível. o mui reverendo John Conmee S. Eles seguiram. atravessando o portão. Frágeis saindo do topo das casas duas plumas de fumaça ascendiam. Paz dos padres druidas de Cymbeline: hierofântico: da vasta terra um altar. Nenhum pássaro. Sim.

. Sheehy? Ainda em Londres. David Sheehy M. certamente estava. padre? Padre Conmee estava realmente passando maravilhosamente bem. padre Conmee o abençoou à luz do sol pois sua carteira continha. Ele parou bruscamente diante do convento das irmãs de caridade e estendeu um boné pontudo para esmolas em direção ao mui reverendo John Conmee S. E o senhor. David Sheehy M. Ele provavelmente iria para as águas termais de Burton. tão bem-disposta e lhe rogou que desse lembranças ao Sr. cujas pernas tinham sido arrancadas por balas de canhão. Tempo bonito aquele. rosnou algumas notas. P. Sim. E o próprio Sr. estavam se dando bem em Belvedere? Era isso aí? Padre Conmee estava realmente muito contente em ouvir isso. sim: um enorme sucesso. Ele caminhou sob a sombra da árvore de folhas piscandoensolaradas: e vinha em direção a ele a mulher do Sr. P. – Muito bem. P. Padre Conmee estava muito contente em ver a mulher do Sr. e nas palavras do cardeal Wolsey: Se eu tivesse servido a meu Deus como servi a meu rei Ele não teria me abandonado na minha velhice.para a frente com os sacolejões indolentes de suas muletas. Padre Conmee atravessou para a praça Mountjoy. padre. A câmara ainda estava se reunindo. Sim. J. era muito provável que o padre Bernard Vaughan viesse novamente pregar. Ó. ele certamente lhe faria uma visita. adorável mesmo. mas não por muito tempo. David Sheehy M. terminando seus dias em alguma enfermaria pobre. Um homem realmente maravilhoso. nos soldados e marinheiros. E os filhos dela. mesmo. uma moeda de cinco shillings. Ele pensou. ele o sabia.

caminhando. com pasta de areca. sorriu pois pensou nos olhos cômicos e na voz londrina do padre Bernard Vaughan. E eles eram bonzinhos na escola? Ó. Realmente era.– Boa-tarde. – Bem. Sheehy. sabia. – Por Pilatos! Por que você não ’etém essa multidão g’itante? Um homem zeloso no entanto. Despedindo-se padre Conmee cumprimentou com sua cartola e sorriu para as contas de âmbar da mantilha negra dela que reluzia ao sol. que nome bonito era esse. Sem dúvida alguma. Padre Conmee deteve três garotinhos de escola na esquina da praça Mountjoy. não eram? Ó para não se esquecer. Os meninos com os seis olhos no padre Conmee riram: – Ó. E realmente à sua moda fez um enorme bem. Padre Conmee tirou do peito uma carta que deu ao jovem senhor Brunny Lynam e apontou para a caixa vermelha do correio na esquina de Fitzgibbon Street. E o outro homenzinho? O nome dele era Brunny Lynam. dizia. Aquela carta para o padre provincial. E sorriu ainda novamente. E qual era o nome dele? Jack Sohan. senhor. Aha. Gallaher. E o nome deste? Ger. Sim: eles eram de Belvedere. Padre Conmee caminhou e. Ele tinha limpado os dentes. – Mas preste atenção para não se pôr também na caixa. Ora isso era muito bom. Ele amava a Irlanda. e amava os irlandeses. meu homenzinho – disse. Sra. vamos ver se você sabe pôr uma carta . Ó. ao partir. Além do mais de boa família já se imaginou isso? Eles eram galeses. Dos primeiros graus.

casaco cinzento-azulado com debrum de seda. com seus cabelos grisalhos. Padre Conmee caminhou por Great Charles Street abaixo e lançou um olhar para a igreja protestante fechada à sua esquerda. Padre Conmee dobrou a esquina e caminhou ao longo da North Circular Road. calças justas cor de alfazema. Ignorância invencível. O Sr. luvas amarelo-canário e botas pontudas de boa qualidade. inclinou a cabeça para o padre Conmee da calçada distante pela qual navegava.. Denis J. R. Padre Conmee sorriu e acenou com a cabeça e sorriu e caminhou ao longo da praça Mountjoy leste. muito bem! Tamanho.. Sentia-se incumbido de dizer algumas palavras. professor de dança &c. rainha da Escócia. Mas era preciso ser caridoso. imponente.no correio – disse padre Conmee. M’Guinness? A Sra. Eles agiam de acordo com suas luzes. Maginni. O incumbente assim o chamavam. Como estava ela? Que belo porte ela possuía. tamanho porte de rainha. lenço-gravata branco. Como Mary. O jovem senhor Brunny Lynam atravessou correndo a rua e pôs a carta de padre Conmee para o padre provincial na boca da caixa vermelha reluzente de cartas. Aquela não era a Sra.. (Deo Volente ) falará. Era surpreendente que não houvesse nenhuma linha de bonde numa via . alguma coisa assim. E padre Conmee sorriu e cumprimentou. como diria. de cartola. O reverendo T. andando com um porte circunspecto tomou muito respeitosamente a beira da calçada ao passar por lady Maxwell na esquina de Dignam’s Court. Greene B. M’Guinness.. A. E pensar que ela era uma agiota! Ora.

Gente infeliz ter de morrer desse jeito. William Gallagher e percebeu os odores que vinham das mantas de toucinho e das grandes cubas de manteiga. Para senhoras idosas e virtuosas.pública tão importante. Padre Conmee sentia o cheiro de incenso em sua mão direita enquanto andava. Padre Conmee saudou o Sr. Um guarda em sua ronda saudou padre Conmee e padre . Padre Conmee os saudou afavelmente mais de uma vez. Padre Conmee passou pela casa funerária de H. E agora era um escritório ou coisa semelhante. Padre Conmee começou a andar ao longo de North Strand Road e foi saudado pelo Sr. Igreja São José. Eles o saudaram e foram saudados. Portland Row. despreparada. Um bando de escolares com suas sacolas atravessaram vindos de Richmond Street. William Gallagher que estava de pé na porta de sua loja. O’Neill em que Corny Kelleher somava algarismos no diário enquanto mastigava uma folha de feno. Meninos de Christian Brother. Padre Conmee ergueu o chapéu em homenagem ao Santo Sacramento. um ato de contrição perfeito. devia haver. Padre Conmee passou pelo bar de Daniel Bergin sobre a janela do qual dois desempregados estavam apoiados. Certamente. Ele passou pela tabacaria de Grogan de encontro à qual estavam apoiados placares noticiosos que relatavam uma terrível catástrofe em Nova York. Todos ergueram seus bonés desmazelados. J. Perto da casa de Aldborough padre Conmee pensou naquele nobre perdulário. Virtuosas: mas ocasionalmente também eram mal-humoradas. Na América essas coisas continuamente aconteciam. Ainda assim.

J. uma moeda de seis pence e cinco pennies caíam de sua outra palma roliça enluvada para dentro de sua carteira. um cavalo de reboque com cabeça pendente. Padre Conmee gostava de um decoro alegre. no alto de Gardiner Street. com um bilhete azul enfiado cuidadosamente no buraco de uma luva de pelica roliça. Era idílico: e padre Conmee refletiu sobre a providência do Criador que tinha feito turfa existir nos pântanos de onde os homens podiam desencavá-la e trazê-la para a cidade e o povoado para preparar o fogo nas casas dos pobres. De um bonde que chegava à ponte Newcomen saltou o reverendo Nicholas Dudley C. Passando pela igreja episcopal ele refletia que o fiscal de bilhetes geralmente fazia sua ronda quando alguém descuidadamente tivesse jogado fora o bilhete. fumando e mirando um galho de choupo acima dele. brancos e pretos e vermelhos. da igreja de São Francisco Xavier. . padre Conmee notou chouriços. Na ponte Newcomen padre Conmee subiu num bonde pronto para partir pois lhe desagradava atravessar a pé a via escura passando por Mud Island. subiu em um bonde pronto para partir. A solenidade dos ocupantes do vagão parecia excessiva a padre Conmee para uma jornada tão curta e barata. um barqueiro de chapéu de palha sujo sentado no meio da embarcação. cuidadosamente enrolados em tubos. Na salsicharia de Youkstetter. Padre Conmee se sentou num canto do vagão. Ancorada sob as árvores de Charleville Mall padre Conmee viu uma barcaça de turfa. Na ponte Newcomen o mui reverendo John Conmee S.Conmee saudou o guarda. da igreja de Santa Ágata. C. enquanto quatro shillings. do lado norte de William Street.

Dos cartazes o Sr. Um minúsculo bocejo abriu a boca da mulher do cavalheiro de óculos. Ela ergueu seu pequeno pulso enluvado. Padre Conmee percebeu o perfume dela no carro. que ela era uma daquelas boas almas às quais era sempre preciso dizer duas vezes Deus a abençoe. Sua mulher. bocejou muito delicadamente. minha filha. batendo levemente com o pequeno pulso enluvado em sua boca que se abria e sorriu levemente. pobres criaturas. Percebeu também que o homem desajeitado do outro lado dela estava sentado na beirada do banco. Na mesa de comunhão padre Conmee tinha dificuldade em colocar a hóstia na boca do homem idoso desajeitado que tinha cabeça trêmula. Eugene Stratton fazia com seus lábios grossos de negro uma careta para padre Conmee. Ela saiu com sua cesta e sua rede de compras: e padre Conmee viu o condutor ajudá-la a descer com sua rede e cesta: e padre Conmee pensou. quando estava prestes a partir. docemente. supunha padre Conmee. e a missão africana e na propagação da fé e nos milhões de almas pretas e .Era um dia tranqüilo. O condutor tocou a sineta para retardar o vagão para ela saltar. uma senhora idosa se levantou subitamente do seu lugar para descer. O cavalheiro de óculos em frente ao padre Conmee acabara de explicar e baixara os olhos. J. que elas tinham sido absolvidas. Na ponte Annesley o bonde parou e. Mas elas tinham tantas preocupações na vida. Padre Conmee pensou nas almas dos homens pretos e morenos e amarelos e no seu sermão sobre São Peter Claver S. reze por mim . visto que ela havia quase ultrapassado o ponto final de sua viagem. tantos encargos.

Na parada de Howth Road padre Conmee desceu. primeira condessa de Belvedere. Le Nombre des Élus. Agradavam ao padre Conmee. Mary. não mais jovem. imediato lorde-almirante hereditário de Malahide e dos mares adjacentes. esposa e viúva num só dia. criadas por Deus. filha de lorde Molesworth. caminhava sozinha pela praia de Lough Ennel. Uma dama apática. Os sinos-da-alegria soavam na alegre Malahide. Aquelas eram milhões de almas humanas criadas por Deus à Sua Própria Semelhança às quais a fé não tinha (Deo Volente ) sido trazida. padre Conmee pensava no seu livrinho Velhos Tempos do Baronato . eiaculatio seminis inter vas naturale mulieris. se assim se pudesse dizer. primeira condessa de Belvedere.marrons e amarelas que não tinham recebido o batismo de água quando sua hora final chegou como um ladrão na noite. Parecia a padre Conmee uma pena que elas tivessem de estar todas perdidas. Aquele livro do jesuíta belga. velhos tempos do baronato. Veio então a convocação militar e ela foi moça. com o irmão de seu marido? Ela . Aqueles foram dias do velho mundo. rua e nome. andando apaticamente à noite. e no livro que podia ser escrito sobre as casas jesuítas e sobre Mary Rochfort. Quem podia saber a verdade? Nem o ciumento lorde Belvedere nem seu confessor se ela não havia cometido adultério consumado. parecia uma argumentação razoável para padre Conmee. Mas eram almas de Deus. foi saudado pelo condutor e por sua vez o saudou. tempos leais em terras urbanas prazenteiras. A Malahide Road estava silenciosa. um desperdício. Andando. Lorde Talbot de Malahide. sem se atemorizar quando uma lontra mergulhava.

o irmão de seu marido. Mas lady Maxwell viera. lendo à tardinha. Nonas. lhe fazendo reverência com folhas amplas. O portão coberto de um campo mostrava a padre Conmee amplitudes de repolhos. Padre Conmee retirou as luvas e tirou para fora seu breviário de bordas vermelhas. Dom John Conmee andava e se movia nos tempos idos. eram colocadas uma sobre a palma da outra por dom John Conmee. sabiam. E as mãos de uma noiva e de um noivo. . diziam os franceses. padre Conmee observava um bando de nuvens carneirando sobre Rathcoffey. jovens gritos no entardecer silencioso. Era um dia encantador. de nobre para nobre. e ouvia os gritos das séries de meninos em suas brincadeiras. O céu lhe mostrava um bando de pequenas nuvens brancas descendo lentamente ao vento. Uma palavra justa e despretenciosa. Ele era humano e homenageado ali. Lendo seu ofício. e nos caminhos de Deus que não eram os nossos. Somente Deus e ela e ele. Um marcador de marfim lhe indicou a página. Era o reitor deles: seu reino era ameno. Ele guardava em mente segredos confessados e sorria para os rostos nobres sorridentes numa sala de estar encerada. Padre Conmee pensou naquela incontinência tirana. necessária no entanto à raça humana na terra. Ele caminhava ali. estucada com cachos cheios de frutas. Ele devia ter lido isso antes do almoço. Seus tornozelos com soquetes finas eram comichados pelo restolho do campo de Conglowes. Moutonner.confessaria pela metade como as mulheres faziam se ela não tivesse pecado totalmente.

Padre Conmee abençoou ambos gravemente e virou uma página fina de seu breviário. Ele esticou o corpo. O rapaz ergueu o boné bruscamente: a moça se inclinou bruscamente e lentamente com cuidado destacou de sua saia clara um graveto nela agarrado. Sin: – Principes persecuti sunt me gratis: et a verbis tuis formidavit cor meum . *** Corny Kelleher fechou seu longo diário e lançou um olhar desanimado para um caixão de pinho de sentinela no canto.Padre Conmee leu em segredo o Pater e a Ave e fez o sinal-da-cruz no peito. andando e lendo até chegar a Res em Beati immaculati: – Principium verborum tuorum veritas: in eternum omnia iudicia iustitiae tuae. Deus in adiutorium . se dirigiu até ele e. Um rapaz ruborizado saiu de uma brecha de uma sebe e atrás dele veio uma moça com margaridas selvagens pendentes em sua mão. Ali ele inclinou a aba do chapéu para proteger os olhos com sua sombra e se recostou no umbral da . fazendo-o girar em volta de seu eixo. examinou sua forma e seus acessórios de bronze. Mastigando seu broto de feno ele pôs de lado o caixão e foi para a porta. Ele caminhou calmamente e leu silenciosamente as nonas.

de manga de camisa em sua porta. Dirigindo-se para Larry O’Rourke. Sr. se postou ali para passar o tempo. Corny Kelleher lançou de sua boca um jato silencioso de suco de feno para cima enquanto um braço branco generoso atirava uma moeda de uma janela de Eccles Street. – Quais são as melhores novidades? – perguntou.. Corny Kelleher trançou suas botas avantajadas e lançou um olhar. olhando preguiçosamente para fora. Padre Conmee subiu no bonde de Dollymount na ponte Newcomen. *** Um marinheiro perneta dobrou de muletas a esquina de MacConnell. – É sim – disse Corny Kelleher.porta. com seu chapéu inclinado para baixo. – Está muito abafado – disse o guarda. ele rosnou pouco amigavelmente: – Pela Inglaterra. – Eu vi aquele sujeito especial na noite passada – disse o guarda com um sussurro contido. O guarda 57C.. . Kelleher. mastigando seu broto de feno. – Isso é que é um dia bonito. contornando o carro de sorvete de Rabaiotti. e sacolejou pela Eccles Street acima. em sua ronda.

.Balançando o corpo violentamente para a frente ao passar por Katey e Boody Dedalus. cessou. lançou um olhar azedo para as janelas que o ignoravam. Ele girou para a frente com sacudidelas vigorosas. Disseram à figura desgastada de J. O marinheiro resmungou um agradecimento.. levantou a cabeça em direção a uma janela e ladrou profundamente: – lar e beleza. foi visto. senhor. ele se deteve e rosnou: – lar e beleza. Um cartão Apartamentos não-mobiliados deslizou do caixilho da janela e caiu. Um braço roliço generoso e nu brilhou.. O’Molloy que o Sr. Um dos garotos correu para ela. J. dizendo: – Tome. O assobio suave alegre chilreante vindo de dentro prosseguiu um ou dois compassos. estendido de uma combinação branca e alças esticadas. Lambert estava no armazém com um visitante. boquiabertos diante de seu coto de perna com suas bocas babadas de amarelo. A persiana da janela foi puxada para o lado. Dois garotos descalços. A mão de uma mulher atirou uma moeda por sobre o parapeito. pararam junto dele. Deteve-se e rosnou raivosamente: – Pela Inglaterra. parou. enterrou a cabeça e balançando deu quatro passos largos à frente. apanhou-a e a deixou cair no boné do menestrel. tirou uma moeda de cobre da carteira e a deixou cair no boné estendido para ela. Ela caiu na calçada. chupando dois longos laços de alcaçuz. Uma dama grandona parou.

– Você pôs os livros no prego? – perguntou Boody. – Azar para a sua cara grandona! – gritou. não há nada para nós comermos? Katey. Boody bateu com o pé no chão e atirou sua sacola na mesa. com seus tornozelos de soquetes finas comichando devido ao restolho. – M’Guinness. – Não quiseram dar nada por eles – disse ela. – O que está dentro da panela? – perguntou. levantando a tampa da chaleira com um pedaço de sua saia manchada. perguntou: . No fogão da cozinha Maggy comprimia duas vezes com uma vareta uma massa acinzentada por baixo de espuma de sabão fervendo e enxugava a testa. – Camisas – disse Maggy. Boody gritou raivosamente: – Por Cristo.*** Katey e Boody Dedalus entraram empurrando a porta da cozinha abafada e fumegante. – Onde é que você tentou? – perguntou Boody. Padre Conmee atravessou os campos de Conglowes. Katey foi até o fogão e examinou com seus olhos estrábicos.

Onde está Dilly? – Foi encontrar o pai – disse Maggy. – Um bom trabalho esse nosso até aqui. Derramando sopa na tigela de Katey. O porteiro tocou a sineta. Maggy exclamou: – Boody! Que vergonha! Um esquife. – Triimm! Boody se sentou na mesa e disse faminta: – Dê isso aqui. sentada em frente a Boody. Katey. flutuou ligeiramente Liffey abaixo.– E o que está nesta? Um vapor fumegante esguichou em resposta. sob a ponte Loopline. – Onde você conseguiu isso? – perguntou Katey. Boody acrescentou: – Pai nosso que não estais no céu. – Com a irmã Mary Patrick – disse Maggy. um volante amassado. – Sopa de ervilha – disse Maggy. Maggy derramou uma sopa grossa amarela da chaleira na tigela. disse tranqüilamente. navegando em direção a leste passando por cascos e correntes de âncoras. Elias está chegando. Partindo nacos de pão dentro da sopa amarela. enquanto elevava ao acaso com a ponta de seu dedo migalhas até a boca. entre a antiga doca da Alfândega e o cais George. . disparando pelas corredeiras os rápidos onde a água desgastava os pegões da ponte.

Ele se virou de um cestinho de morangos. senhor. pegando as frutas. H. aspirando os cheiros. frescas suculentas enrugadas e tomates vermelhos gorduchos. E. – Sim. senhor – disse a loura. É aqui na cidade? – É sim – disse Blazes Boylan. Blazes Boylan lhe entregou a garrafa embrulhada em papel de seda rosa e um pequeno frasco. – E as frutas em cima. cabeça contra cabo. está bem? – disse ele. A moça loura lhe entregou uma fatura e um . tirou um relógio de ouro do bolsinho de sua calça e o estendeu em todo o cumprimento de sua corrente. – A dez minutos daqui. – Certamente. – Pode mandá-las de bonde? Agora? Uma figura de costasescuras sob o Merchant’s Arch examinava livros na carreta do vendedor ambulante. passando por Tangier Lane. L. e entre elas tímidos pêssegos maduros. Ela dispôs cuidadosamente peras gordas. Y’s desfilaram diante dele. Blazes Boylan andava de lá para cá em seus sapatos marrons novos pela loja recendendo a frutas. – Serve assim. arrastando-se em direção à sua meta.*** A moça loura em Thornton’s colocou fibra farfalhante no fundo da cesta de vime. jogada decisiva – disse Blazes Boylan. de cartolas brancas. – Coloque primeiro estas.

– O senhor pode escrever o endereço. Os dedos finos da moça loura contaram as frutas. corando. – Posso dar uma palavra em seu telefone. está bem? – disse. – Sim. A loura olhou de lado para ele. Fique tranqüilo. Blazes Boylan olhou para o decote dela com um olhar de maior aprovação. senhor. Uma jovem franga. mocinha? – perguntou ele velhacamente. senhor – disse ela. Inclinando-se brejeiramente ela contou novamente as peras gordas e os pêssegos ruborizados. – Mande imediatamente. tendo o talo da flor vermelha entre seus dentes sorridentes. – Qual é o prejuízo? – perguntou. Pegou um cravo vermelho do comprido vaso de vidro. *** . com a gravata meio torta. senhor. Blazes Boylan mergulhou os olhos no decote da blusa dela. Blazes Boylan fez retinir alegremente o dinheiro no bolso de sua calça.lápis. – É para uma inválida. por favor? Blazes Boylan no balcão escreveu e empurrou a fatura para ela. – Sim. – Este é para mim? – perguntou galantemente. erguido sem lhe dar importância.

mandando parar. Lei si sacrifica. sarebbe un cespite di rendita. Ele olhou por cima do ombro de Stephen para a cabeça encaroçada de Goldsmith. – Venga a trovarmi e ci pensi. baixando os olhos para as calças compactas do maestro. balançando sua bengala em movimentos oscilatórios como de um pêndulo. Olhos humanos. via.. . caro. dia: retta a me. – Ma. Seus olhos iam de Trinity para o pórtico colunar escuro do banco da Irlanda onde pombos arrulhavam. È pecato. – Eccolo – disse Almidano Artifoni com uma pressa amigável. – Ci refletterò – disse Stephen. Os braços dos homens em volta das formas mirradas. eh? – disse Almidano Artifoni. Sua mão pesada segurou firmemente a de Stephen. Dois carros carregados de turistas passaram lentamente.. Eles se posaram curiosamente por um instante e se voltaram rapidamente para o bonde de Dalkey. – Sacrifizio incruento – disse Stephen sorrindo. Caras pálidas. Addio. Perchè la sua voce. sul serio. levemente. agarrando os suportes das mãos. Junto à mão rígida de pedra de Grattan. – Anch’io ho avuto di queste idee – disse Almidano Artifoni – quand’ ero giovine come Lei. um bonde Inchiore descarregou soldados escoceses dispersos de uma banda. – Ma. – Speriamo – disse amavelmente o rosto redondo bigodudo. Eppoi mi sono convinto che il mondo è una bestia. suas mulheres sentadas à frente. Ci rifletta.– Ma! – disse Almidano Artifoni. Invece.

no fundo da gaveta e pôs no rolo da máquina de escrever uma folha espalhafatosa de papel de carta. segurando uma música enrolada como batuta para fazer sinal. Um negócio misterioso demais nele. – Scusi. A Mulher de Branco.– Arrivederla. fazendo sinal em vão em meio à turba de membros da banda militar escocesa de joelhos nus se insinuando com seus instrumentos de música através dos portões de Trinity. maestro – disse Stephen. – E grazie. oscilou por um instante. Será que ele está apaixonado por aquela Marion? Trocá-lo e pegar um outro de Mary Cecil Haye. Cinco homens-sanduíche de cartolas brancas. parou e ficou de olho neles: seis. – Di che? – disse Almidano Artifoni. eh? Tante belle cose! Almidano Artifoni. *** A senhorita Dunne escondeu o exemplar da biblioteca de Chapel Street. Trotou em vão. O disco deslizou pela ranhura. entre a esquina de Monypeny e a laje em que não . A senhorita Dunne bateu no teclado: – 16 de junho de 1904. trotou em suas calças resistentes para o bonde de Dalkey. erguendo o chapéu quando sua mão ficou livre.

rabiscou no bloco alguns dezesseis e esses maiúsculos. e. Vinte e sete shillings e seis pence. sete. Y’s e caminharam com dificuldade de volta por onde tinham vindo. – Alô. Se eu pudesse fazer com que aquela costureira fizesse para mim uma saia sanfonada como a de Susi Nagle. Sim: um. . Ele disse que estará no Ormond às quatro. senhor. é? O jeito com que ela está segurando a ponta da saia. E. Espero em Deus que ele não me retenha aqui até as sete. Não. seis. se reclinando languidamente. Então eu posso ir embora depois das seis se o senhor não estiver de volta. Cabelo mostarda e faces mal pintadas. Ela escreveu às pressas três algarismos num envelope. Elas dão uma volta e tanto. O Sr. para Belfast e Liverpool. Sim senhor. criada encantadora. Eu direi a ele. Quinze minutos depois. Só esses dois. Ela não é bonita. Eu vou ligar para eles depois das cinco. Boylan! Alô! Aquele senhor do Sport esteve aqui procurando pelo senhor. Eu vou ligar para eles depois das cinco. L. Shannon e todos os figurões do iate clube nunca tiravam os olhos dela. Lenehan. senhor. Não. Sim. – Sr. senhor. Sim. O telefone soou asperamente em seus ouvidos. senhor.estava a estátua de Wolfe Tone. Sim. sim. senhor. Está bem. Eu me pergunto se aquele camarada vai estar esta noite na banda. se esgueiraram contornando H. senhor. Então ela olhou fixamente para o cartaz grande de Marie Kendall. senhor.

– Nós estamos de pé na histórica câmara do conselho da abadia Santa Maria em que Silken Thomas se proclamou rebelde em 1534. não é Jack? – Não. então é você? – disse Ned Lambert. se não me falha a memória. – Venha. O fósforo Vesta na mão erguida do sacerdote se apagou com uma longa chama suave e foi jogado fora. Jack. – Alô. erguendo em saudação sua armação flexível de sarrafos entre os arcos bruxuleantes. – É isso mesmo – disse Ned Lambert.*** Duas bochechas rosadas se voltaram ao clarão da pequenina tocha. Cuidado ali com os degraus. A mansão dos Kildares ficava em Thomas Court. – Que interessante! – disse um sotaque requintado na escuridão. – O . Ned. Sua partícula vermelha morreu aos pés deles: e o ar bolorento os envolveu. Este é o local mais histórico de toda Dublin. – É você Crotty? – Ringabella e Crosshaven – replicou uma voz procurando às apalpadelas um apoio para os pés. O antigo banco da Irlanda ficava por aqui até a época da união e o templo original dos judeus ficava aqui também antes que eles construíssem sua sinagoga em Adelaide Road. – Quem está aí? – perguntou Ned Lambert. – Sim. Você nunca esteve aqui antes. – Ele desceu a cavalo por Dame Walk – disse o sotaque refinado –. O’Madden Burke vai escrever alguma coisa sobre isso um desses dias. senhor – disse cordialmente Ned Lambert.

J. senhor – disse Ned Lambert. Ele está escrevendo um livro sobre os Fitzgeralds segundo me disse. Na luz ainda fraca ele se moveu à volta. – O reverendo Hugh C. Lambert – disse o sacerdote. – Se o senhor puder ter a bondade – disse o sacerdote – de permitir que eu possa talvez na próxima vez. na verdade. – Apareça toda vez que o deseje. – Não vou abusar de seu tempo precioso.senhor está absolutamente certo. Wexford. Sr. – Eu lhe fico muito grato. Tive muito prazer em conhecê-lo. – O prazer foi todo meu. De um rosto longo uma barba e um olhar se curvavam sobre um tabuleiro de xadrez. Love. O’Molloy ele avançou lentamente por Mary’s Abbey onde carreteiros carregavam carroças com sacos de alfarroba e de farinha de coco de palmeira. – Certamente – disse Ned Lambert. Sr. senhor – respondeu Ned Lambert. O senhor pode tirar fotos daqui ou dali. Na próxima semana. Sallins. sim. Um camarada jovem bem simpático que ele é. Ele se deteve para ler o cartão em sua mão. Ele é. digamos. .. Passe bem. O senhor consegue ver? – Sim. O’Connor... Rathcoffey. Na companhia de J. – Não há de quê. Eu vou mandar retirar esses sacos das janelas. batendo de leve com seu sarrafo nos sacos de sementes empilhados e nos lugares propícios no chão. muito entendido em história. Lambert. Ele acompanhou seu convidado até a saída e então varejou seu sarrafo entre os pilares. Endereço atual: Saint Michael’s.. – Traga a máquina fotográfica toda vez que o deseje.

. Segure firme. O quê? Por Deus. contudo. mas declaro perante Deus que eu pensava que o arcebispo estivesse dentro dela. J. diz ele. – Não – disse Ned Lambert com voz entrecortada –. um instante depois.A moça despegou com morosa atenção de sua saia clara um graveto grudado nela. o Fitzgerald Mor. Com a boca escancarada e a cabeça jogada para trás ele permaneceu imóvel e.. espirrou ruidosamente.. O’Molloy.. resfriado a noite passada. O’Molloy.. – Atchim! – disse ele. Esse era o grande conde. – Raios o partam! – A poeira desses sacos – disse polidamente J. – Eu esqueci de contar a ele aquela sobre o conde de Kildare depois que ele pôs fogo na catedral de Cashel. e havia uma corrente de ar desgraçada. eu vou de qualquer jeito contá-la para ele. esses Geraldines... – Por Deus! – gritou. Você conhece essa? Sinto muitíssimo ter feito isso.. Ele poderia não gostar muito disso. Indivíduos bem esquentados eram todos eles.. eu peguei um. Ele deu um tapa numa anca malhada trepidando perto dele e gritou: – Uoa. filhote! E ele se virou para J. Jack. diabos o levem. Os cavalos pelos quais ele passou estremeceram nervosamente sob seus arreios frouxos.. anteontem. Ele segurou o lenço pronto para o que vinha. . O’Molloy e perguntou: – Bem. J. O que é que há? Qual é o problema? Espere um pouco.. – Eu pensei que você estivesse tramando uma nova conspiração da pólvora – disse J.. Ned Lambert estalou os dedos no ar. J.

. pleiteando altivos.... Magistrados do passado. Minha mãe santa! *** Tom Rochford pegou o disco de cima da pilha que ele comprimia de encontro ao seu colete cor de clarete. Collis e Ward e ouviram farfalhar da divisão da Marinha do Tribunal Superior de Justiça para a Corte de Apelação uma mulher idosa com dentes falsos sorrindo incredulamente e uma saia de seda preta de grande amplitude. – Que idéia engenhosa – disse Nosey Flynn.. . – Digamos que seja a vez do seis.. oscilou por um instante. olhando-os amorosamente: seis. viram passar do escritório consolidado da receita para a corte Nisi Prius Richie Goulding carregando sua pasta de Goulding. Ele fez deslizar para eles na abertura à esquerda o disco que caiu no encaixe. parou.. compreende? Ele lhes mostrou a coluna de discos que subia à direita.. Efeito de alavanca. como você o chama. Ponha-o aqui. Atchim!. em Glasnevin esta manhã. Número em Curso. – Viu? – disse ele. O impacto.– Eu estava.. veja.. – Viu? – disse ele. – Veja agora o último que eu introduzi está agora aqui: Números Aparecidos. coitadinho.

Número Agora Em Curso. Descendo pelo atalho de Sycamore Street ao lado do teatro de variedades Empire Lenehan mostrou a M’Coy como tudo se passou. – Faça isso – disse Tom Rochford. oscilar. – Bueiro? – disse Lenehan. Ele saiu com M’Coy atravessando a praça minúscula de Crampton Court. fungando nela. Um favor merece outro.. Eles passaram pelo teatro de variedades de Dan Lowry onde Marie Kendall. Ele fez deslizar um disco para si mesmo: e o observou cair. – Diga a ele que estou Boylan de impaciência. – Estava embaixo de um tampão de esgoto. Nosey Flynn se inclinou sobre a alavanca. a encantadora criada. – Vejo vocês mais tarde. – Turalu – disse Lenehan. meio sufocado com o gás do . – Boa-noite – disse M’Coy abruptamente. – O bueiro. – Quando vocês dois começam. – Assim um indivíduo chegando atrasado pode ver qual o número que está acontecendo e os que já aconteceram.fungando. ficar de olho neles. parar: quatro. – Eu vou vê-lo agora no Ormond – disse Lenehan – e sondá-lo.. – Viu? – disse Tom Rochford. você quer dizer. sorria de um cartaz para eles com um sorriso lambuzado. – Ele é um herói – disse simplesmente. – Mas como é que funciona aqui. – Eu sei – disse M’Coy. Um desses esgotos como uma miserável tubulação de gás e ali estava o pobrediabo enfiado lá embaixo. Tommy? – perguntou.

caminhando para a direita. Madden – disse Lenehan. Que horas são em seu relógio e corrente de ouro? M’Coy examinou o escritório sombrio de Marcus Tertius Moses. Um indivíduo podia facilmente levar um tombo dos diabos vindo por ali meio bêbado na escuridão da noite. em seguida o relógio de O’Neill. Eles subiram os degraus e passaram por baixo do Merchant’s Arch. Os portões do parque se escancararam para dar passagem à cavalgada do vice-rei. Tom Rochford desceu de qualquer jeito. Enquanto esperava no bar Temple M’Coy desviou com suaves empurrões do pé uma casca de banana da calçada para a sarjeta. – Ao par – disse Lenehan retornando. com uma corda em volta de si. No Dolphin eles pararam para permitir que a ambulância passasse a galope por eles em direção a Jervis Street. – Por aqui – disse ele. – O ato de um herói – disse. – Passa das três – disse. – E uma potranca valente ela é. E macacos me mordam ele pôs a corda em volta do pobre-diabo e os dois foram arrastados para cima. – Lá está ele – disse Lenehan. . – Eu esbarrei em Bantam Lyons ali que ia apostar num desgraçado de um cavalo que alguém lhe indicou e que não tem nenhuma chance. Por aqui. com aquela veste cheia de bolsos com apostas e tudo o mais. – Eu quero dar um pulo em Lynam para ver a cotação inicial do Cetro. Uma figura de costas escuras folheava livros na carroça do vendedor ambulante. – Quem a está montando? – O.esgoto.

estrelas e a lua e cometas com longas caudas...– Eu me pergunto o que ele estará comprando – disse M’Coy. Lenehan riu. – Minha mulher cantou certa vez lá. – Eu estava um dia com ele e ele comprou um livro de um velho por duas libras. era Val Dillon. O prefeito de Londres estava lá. sabe. Um negócio de traje de festa. Era sobre astronomia. Um cartão Apartamentos não-mobiliados reapareceu na vidraça da janela do número 7 de Eccles Street. Ele parou de repente a história e soltou uma risada asmática. – Eu sei – interrompeu M’Coy. – Mas espere até que eu lhe conte – disse. – Delahunt de Camden Street era o fornecedor de alimento e este seu criado era o principal lacaio. Havia gravuras lindas nele que valiam o dobro do preço. – O jantar anual. e sir Charles Cameron e Dan Dawson falaram e houve música. Eles atravessaram a ponte de metal e seguiram por Wellington Quay junto à amurada do rio. – Leopoldo ou o Bloom está no campo de centeio – disse Lenehan. Bloom e . O jovem senhor Patrick Aloysius Dignam saiu do Mangan’s. carregando uma libra e meia de costeletas de porco. Bartell d’Arcy cantou e Bejamin Dollard. – Ele é doido por sebos – disse M’Coy. – Vou lhe contar uma danada de boa sobre caudas de cometas – disse. – Caminhemos ao sol. – Houve uma longa festa no reformatório de Glencree – disse Lenehan entusiasmado. olhando para trás. – É mesmo? – disse Lenehan. ex-Fehrenbach’s.

– Mas espere até que eu lhe conte – disse. Depois dos líquidos vieram os sólidos. Deus a abençoe. Lenehan enfiou calorosamente o braço no dele.sua mulher estavam lá. Bloom e Chris Callinan estavam de um lado do carro e eu estava com a mulher dele no outro. Vindo para a casa tínhamos uma esplêndida noite de inverno no monte Featherbed.. Ela estava bem alta com uma boa dose de Porto Delahunt em sua barriga. – Ela é uma égua sensacional sem dúvida alguma.. Daquele jeito. Carnes frias em abundância e tortinhas doces. Começamos a cantar canções para mais vozes e duetos: Vejam. o primeiro raio de luz da manhã. franzindo a testa: – O tempo todo eu aconchegava a coberta por baixo dela e ajeitava o seu boá. – O rapaz mantinha de qualquer jeito a atenção – disse com um suspiro. Uma quantidade de coisas nos foram oferecidas: vinho do Porto e xerez e curaçau aos quais nós fizemos amplamente justiça. encolhendo o corpo. Ele fechou os olhos bem fechados em encantamento. – Fizemos também um almoço de meia-noite depois de toda aquela folia e quando saímos impetuosamente já era uma hora melancólica da manhã seguinte à noite anterior. Rápida e vorazmente. Bloom apontava para Chris Callinan e o cocheiro todas as estrelas e cometas no céu: a . – No ano em que a patroa esteve lá. Que prazer infernal! Ela tem um bom par.. – Eu sei – disse M’Coy. e soltou de seus lábios um trinado.. Ele manteve as mãos côncavas a um cúbito de distância. Está entendendo o que eu quero dizer? Suas mãos modelaram curvas amplas no ar. A cada solavanco que o desgraçado do carro dava ela caía de encontro a mim.

disse ela. na verdade. você sabe. arquejando com um riso suave. Olhou sob o sol de lado para M’Coy. por assim dizer. – Estou fraco – disse com voz entrecortada. – Ele não é um desses homens comuns. Poldy?. certamente aquela é apenas o que você poderia chamar de uma alfinetada. por Deus.. *** O Sr. Bloom virou negligentemente páginas de As Terríveis Revelações de Maria Monk. Lenehan voltou novamente a andar.. não é?. Ele as conhece bem. Não é que ela pôs Bloom contra a parede. Lenehan parou e se inclinou para o paredão. Chapas fotográficas: bebês enroscados numa .Grande Ursa e Hércules e o Dragão. Há um toque do artista no velho Bloom.. Mas. Finalmente ela avistou uma mínima minúscula milhas distante. em seguida de A Obra-Prima de Aristóteles. – Ele é um homem de cultura versátil. Por Deus. e toda aquela confusão. na Via Látea. Impressão atamancada e tortuosa.. Ele tirou seu boné de iatismo e coçou rapidamente a nuca. eu estava perdido. E que estrela é aquela. Aquela. disse Chris Callinan. Bloom – disse seriamente. O rosto branco de M’Coy sorriu com aquilo por instantes e depois ficou sério. ele não estava muito longe da verdade.

Sra. – Esses dois são bem bons – disse. Ele se inclinou para fazer um embrulho dos outros livros. . de Leopold von Sacher Masoch. Todos empurrando com seus crânios para sair dali. O vendedor deixou dois volumes caírem sobre o balcão. abraçou-os de encontro ao seu colete desabotoado e levou-os para trás da cortina encardida. Purefoy.bola em ventres cheios de sangue como fígados de vacas recentemente abatidas. empurrando-o para o lado. Cebolas de seu hálito vinham através do balcão de sua boca devastada. Uma porção deles dessa maneira neste momento no mundo inteiro. Uma criança nascendo a todo minuto em algum lugar. – Esse eu tinha – disse. Ele pôs seus dois livros de lado e lançou os olhos para o terceiro: Contos do Gueto.

Conheço o gênero desse. Levar este. Ponto final. de James Lovebirch. Uma voz de mulher por trás da cortina encardida. Mais na linha dela. Tinha? Sim. sozinho. Sim. Maginni. Ouça: o homem. lançando-lhe um olhar desconfiado. Ele o abriu. Aqui. Experimentar. olhou para os títulos. Bloom. exibindo seus ombros majestosos e sua corpulência arquejante. professor de dança &c. Vejamos. Um sorriso imperceptível brincou em seus lábios perfeitos enquanto ela se . Belos Tiranos. Para ele! Para Raoul! Sim. disse ele roucamente. Ele leu o outro título: Doçuras do Pecado. – Sua boca grudou na dele com um beijo voluptuoso e suculento enquanto as mãos dele apalpavam as curvas opulentas por dentro do seu déshabillé. – Todas as notas de dólar que seu marido lhe deu foram gastas em lojas com vestidos maravilhosos e anáguas com babados caríssimas. Dei para ela certa vez. Ele leu onde seu dedo abriu.Na ponte O’Connell muitas pessoas observavam a postura circunspeta e o traje alegre do Sr. A bela mulher tirou apressadamente sua manta adornada de zibelina. O Sr. Denis J. Era o que pensava. Este. – Você está atrasada. Não: ela não ia gostar muito desse.

na divisão do direito marítimo as citações judiciais. tossindo.. saiu do edifício das cortes do Tribunal do Lorde Chanceler. cuspiu catarro no chão. Tosses encatarradas sacudiram o ar da livraria. mostrando uma cabeça tosada cercada de . Muco de cola de peixe (sua corpulência excessiva). dos proprietários de lady Cairns versus os proprietários do veleiro Mona. Ungüentos fundindo nos seios (para ele! para Raoul!). e se curvou. intimidando sua carne. na corte de apelação a restrição de julgamento no caso de Harv ey versus a Companhia de Seguros Marítimos Ocean Accident. As narinas dele se arquearam farejando a presa. Uma sensação de calor o invadiu gentilmente. Suor acebolado das axilas. do Ministério das Finanças e das Ações Judiciais Comuns. tendo ouvido na corte do presidente da câmara dos pares o caso de loucura de Potterton. Ele limpou com força a garganta. uma moção unilateral. não mais jovem. Colocou sua bota no catarro que cuspira. esfregando sua sola nele. Carne que cedia totalmente entre as roupas amarfanhadas: os brancos dos olhos desfalecendo. Bloom leu novamente: A bela mulher. A cabeça grisalha despenteada do livreiro apareceu assim como seu rosto barbudo avermelhado.. O Sr. do Tribunal Superior de Justiça. Apalpe! Comprima! Amassada! Por Cristo! Excremento de leões cheirando a enxofre! Jovem! Jovem! Uma mulher idosa. estufando as cortinas encardidas.voltava calmamente para ele.

O Sr. – Esse é bem bom. ele disse: – Eu levo este. Aquelas bonitas cortinas. – Doçuras do Pecado – disse ele. Controlando sua respiração perturbada. Vendidas novas a dois guinéus. Bloom a contemplou. *** Na porta das salas de leilão Dillon o porteiro sacudiu a sineta novamente duas vezes e se mirou no espelho coberto de giz do gabinete. Cinco shillings. junto do meio-fio escutando. O porteiro ergueu sua sineta e a sacudiu: – Triim! A detonação da sineta da última volta incitou o . Quatro shillings e nove pence. O livreiro ergueu os olhos lacrimejantes com reuma antiga. Dilly Dedalus. os gritos do leiloeiro dentro. Cortinas aconchegantes. Alguém dá mais do que cinco shillings? Vendidas por cinco shillings. dando um tapinha no livro.cabelos escassos. ouviu os toques da sineta.

Dedalus. Sabe o que você parece? Ele deixou sua cabeça cair subitamente avançando para a frente. Munro e H. – Onde é que eu iria conseguir dinheiro? – disse o Sr. o olhando nos olhos. . Dedalus pousou as mãos neles e os puxou para trás. O Sr. – Pare com isso. curvando os ombros e deixando cair seu maxilar inferior.arranco dos ciclistas da corrida de meia milha. pai – disse Dilly. – Não há ninguém em Dublin que me empreste sequer quatro pence. – Será que você está tentando imitar seu tio John. T. E. – Estique o corpo pelo amor do senhor Jesus – disse o Sr. O Sr. menina – disse. Gahan. O Sr. A. com seus pescoços esticados oscilantes. Dedalus se empertigou todo e puxou novamente o bigode. W. Jackson. – Já era hora – disse ela. – Você conseguiu algum dinheiro? – perguntou Dilly. – Você vai acabar com um arqueamento da coluna. o cornetista. J. Dedalus. – Você tem algum – disse Dilly. Ele se deteve junto à filha. transpuseram a curva da biblioteca do College. Dedalus. – Fique reta. Wylie A. com a cabeça enfiada nos ombros? Que tristeza. – Todo mundo está olhando para você. meu Deus! Dilly sacudiu os ombros. puxando o longo bigode. chegava de William’s Row.

Ele a deixou para trás e seguiu em frente. parando. O homem lá em cima está morto. sorrindo. Dedalus. satisfeito com a encomenda que tinha feito. Ele está morto. Vocês não se importariam de me ver estendido duro no chão. Vou ignorar vocês todas por muito tempo. – Você esteve agora no Scotch House? – Não estive. não – disse o Sr. – Espere um pouco – disse o Sr. caminhou altaneiramente por James Street. O Sr. Dedalus. Dilly o acompanhou rapidamente e o puxou pelo casaco. – Você é como todas as outras. se voltando para . Entregou-lhe um shilling. – Eu sei que sim – respondeu Dilly. – Triiim! – Que sua maldita alma barulhenta seja amaldiçoada – gritou o Sr. – Me dê mais do que isso. – Suponho que você conseguiu cinco – disse Dilly. Sórdida patifaria! Eu vou ficar livre de vocês. – Foram as freirinhas que lhe ensinaram a ser insolente? Tome. Dedalus.– Como é que você sabe? – perguntou o Sr. o que é que há? – disse ele. Dedalus ameaçadoramente. com ironia. – Veja se você pode fazer alguma coisa com isso – disse. não é? Um bando insolente de putinhas desde que sua mãe morreu. O porteiro tocou sua sineta atrás das costas deles. Mas espere um pouco. – Bem. Kernan.

Dedalus. isso é tudo que tenho. nervosamente. – Tome – disse o Sr. – Trim. – Eu vou lhe mostrar um pequeno truque – disse o Sr. – Você é muito engraçado – disse Dilly. – Compre um copo de leite para você e um pãozinho doce ou coisa semelhante. – Eu vou fazer isso – disse seriamente. O Sr. – Procurei na sarjeta em O’Connell Street. – Será que você não pode procurar algum dinheiro em algum lugar? – disse Dilly. Vou procurar nesta aqui agora. . entregando dois pennies a ela. O Sr. Dedalus o encarou.ele. Ele retirou um punhado de moedas de cobre. sacudiu de leve o badalo pendente de sua sineta. Eu consegui dois shillings de Jack Power e gastei dois pence com a barba que foi feita para o enterro. com um sorriso forçado. – É instrutivo. Dedalus. Dedalus pensou e acenou afirmativamente com a cabeça. – Você conseguiu mais do que isso. Eu me pergunto se ele vai permitir que nós conversemos. Daqui a pouco eu vou para casa. O porteiro. – Eu vou deixar todas vocês onde Jesus deixou os judeus. – Observe o que ele faz – disse. pai – disse Dilly. Olhe. consciente do comentário.

Sr. A cavalgada do vice-rei. saiu pelo portão do Parque.Ele pôs as outras moedas no bolso e começou a andar. Eu estava com medo que o senhor estivesse em seu outro . murmurando suavemente consigo mesmo com uma boca afetada franzida: – As freirinhas! Boazinhas como elas só! Ó. O porteiro tocou com força a sineta. O Sr. Como vai. saudada por policiais solícitos. senhor. Crimmins? Melhor não é possível. Kernan caminhou do relógio solar para o portão de James. – Tenho certeza que você tem um outro shilling – disse Dilly. altaneiramente ao longo de James Street. Dedalus partiu em meio ao alarido. Eu consegui o que queria direitinho. passando pelos escritórios de Shackleton. o Sr. por certo elas não iam querer fazer nada! Ó. por certo elas não iam realmente querer! Seria a pequena irmã Mônica! *** Satisfeito com a encomenda que tinha feito para Pulbrook Robertson.

meu caro senhor. Suborno. Isso é verdade? Sem dúvida alguma.. Eu pensava que era aqui que as coisas não funcionavam. Simon – disse padre Cowley. Sim. Bem. Homens pisando em mulheres e crianças. – Como vão . Sr. Isso os impressiona. Como vão as coisas? Apenas sobrevivendo. Sr. Nenhum único barco salva-vidas conseguiu flutuar e a mangueira de incêndio toda estourada. Eu vou só tomar uma dose minúscula do seu melhor gim. desse jeito. Uma coisa extremamente brutal. Sabe por quê? Suborno. disse calmamente. Bem. Eu sorri para ele. senhor. Crimmins. Não é verdade? Isso é um fato. O que é? Os lixos de todos os países inclusive do nosso.estabelecimento em Pimlico.. América. Terrível aquele negócio da explosão do General Slocum . ora vejam só. senhor. Terrível. E dizem que a América é a terra das pessoas livres. Uma revelação bastante escandalosa. Bom para o campo. O que é que disseram sobre a causa? Combustão espontânea. É sim. realmente. Nada como uma aparência elegante. – Alô. Uma dose pequena. Agora o senhor está falando certo. naturalmente. terrível! Mil vítimas do acidente. O que eu não posso entender é como os inspetores permitiram um barco como esse. A roupa faz isso. onde há dinheiro circulando há sempre alguém para pegá-lo. Crimmins. Como o tempo anda bonito. Eu o vi olhando para minha sobrecasaca. E cenas de cortar o coração. Aqueles fazendeiros andam sempre resmungando.

North Wall e o cais de John Rogerson. podemos ter a honra de contá-lo novamente como freguês. Elias está chegando. A taça que alegra mas não embebeda. Aha! É preciso vestir bem o personagem para esses camaradas. com quilhas de barcos e correntes de âncoras. Um casaco alinhado. Crimmins. Assenta-me às mil maravilhas. fora de dúvida. Bigode grisalho. Oficial indiano de volta. O Sr. Não. Sam? O quê? Sim. o gerente do Hibernian Bank. Kernan deu um olhar de despedida à sua imagem. navegado por um esquife. me lançou um olhar atento ontem na ponte Carlisle como se estivesse se lembrando de mim. um volante amarrotado.as coisas? – Alô. Bem merecido o meio soberano que dei a Neary por ele. Sr. Cavaleiro da estrada. senhor. navegando para oeste. Bravamente ele inclinou seu corpo atarracado sobre pés com polainas. balançando na esteira da balsa. parando. John Mulligan. Só um . conforme o antigo ditado. O Sr. aprumando os ombros. Dedalus. Kernan parou e se ajeitou diante do espelho inclinado do barbeiro Peter Kennedy. meu velho – respondeu o Sr. Bob. O pára-brisa daquele automóvel ali no sol. naturalmente. Aquele ali do outro lado é o irmão de Lambert. Cavalheiro. Tez afogueada. Scott de Dawson Street. Nunca feito por menos de três guinéus. Era provavelmente de algum figurão do clube de Kildare Street. E agora. É ele cuspido e escarrado.

Ele está enterrado em São Michan? Ou não. O Sr. Inteiramente liquidado. Ora. Denis Breen com seus tomos. Fazer um desvio. Cães lambendo o sangue da rua quando a mulher do vice-rei passava na sua carruagem. . Danado de parecido com ele. Maus tempos aqueles. isso é que era. Vejamos. Algum cara imprestável de Tipperary ameaçando as vidas dos cidadãos. ora. Ali Emmet fora enforcado.clarão assim. Cadáver trazido através de uma porta secreta no muro. As abas de sua sobrecasaca piscaram à luz clara do sol para seu andar empertigado. Dignam está lá agora. Kernan se aproximou de Island Street. conduziu sua mulher pela ponte O’Connell. ora. Um bom gole de gim. Ora. Aha! A bebida quente do suco de junípero aqueceu seus órgãos vitais e seu hálito. Uma coisa tremendamente perigosa. Kernan virou e desceu a ladeira de Watling Street na esquina dos salões de espera dos visitantes de Guinness. Melhor dobrar aqui. com as rédeas atadas à roda. com destino ao escritório dos senhores Collis e Ward. Corda preta sebosa. Grandes beberrões também. houve um enterro à meia-noite em Glasnevin. O Sr. Homens de quatrogarrafas. Um cavalo desembestado. Ele se foi num sopro. Do lado de fora dos armazéns da Companhia de Destiladores de Dublin estava um carro sem passageiro ou cocheiro. cansado de ter esperado uma hora no escritório de John Henry Menton. eviscerado e esquartejado.

Um gim danado de bom aquele. Uma cavalgada a trote lento passou pelo cais de Pembroke. Um belo poema esse: Ingram. Estábulos atrás da Moira House. Uma interpretação magistral. Um daqueles homens teve sua mão pregada na mesa por uma adaga. soprando ofegante. Nenhuma trapaça então. Quando se olha para tudo isso agora numa espécie de ordenação retrospectiva. Um admirável nobre jovem arrojado. Ben Dollard canta essa balada de maneira comovedora. Apostar em Daly. com suas luvas violeta o denunciou. naturalmente.Épocas de distúrbios. O Sr. Sua Excelência! Que pena! Perdido por um segundo. batedores saltando. Eles surgiram em dias tenebrosos e calamitosos. Preciso pedir a Ned Lambert que me empreste aquelas reminiscências de sir Jonah Barrington. No cerco de Ross meu pai caiu. saltando em suas. Sobrecasacas. Eles eram cavalheiros. aquele falso escudeiro. em suas selas. É evidente que estavam do lado errado. Aquele rufião. Em algum lugar aqui lorde Edward Fitzgerald escapou do major Sirr. Sombrinhas creme. Kernan se apressou. Droga! Que pena! . De boa cepa.

mãos que fossam e fossam. luzes malignas brilhando na escuridão. pedras escamosas e cor de vinho escuro. a revirava e a segurava na altura da ponta de sua barba de Moisés para examiná-la. agarram e os arrebentam. Ela dança. Avô macaco olhando com cobiça para um tesouro roubado. Focinhos enlameados de porcos. os losangos de cinábrio. e seu ventre obsceno no qual se agita um rubi grande como um ovo. Poeira cobria a janela e as bandejas de mostruário. Um marinheiro. E você que arranca velhas imagens da terra . sorve rum de um copo grande e a observa. salta. sacudindo suas ancas suínas e seus quadris. Ela dança na escuridão imunda em que a resina arde com alho. centelhas de fogo congeladas. Onde os arcanjos degradados lançaram as estrelas de suas frontes. O velho Russell com um trapo de camurça seboso lustrava novamente sua pedra preciosa. Muda concupiscência por muito tempo alimentada pelo mar. Poeira escurecia os dedos que se moviam penosamente com suas unhas de abutre. Tudo isso nascido na terra escura e carcomida. sobre rubis. Poeira dormitava sobre os espirais inertes de bronze e prata.*** Stephen Dedalus observou através das teias de aranha da janela os dedos do lapidário que examinavam uma corrente deslustrada pelo tempo. com barba cor de ferrugem.

Estilhace-me você que pode. Seres privados de ser. Onde? Entre dois mundos vociferantes em que eles rodopiam. Em volta das cordas do ringue de boxe apostadores com chapéus altos acompanhavam com os olhos. realmente. eu. Seu coração você celebra. os dois. Duas mulheres idosas recém-vindas de seu bafejo do mar se arrastavam através de Irishtown seguindo pela London Bridge Road. Uma olhadela à volta. com o cabo da bengala martelando sua omoplata. verdadeiríssimo. Stephen desceu por Bedford Row. Eu entre eles. Alcoviteiro e carrasco eram as palavras. a outra com uma sacola de parteira na qual sacolejavam onze conchas. Pare! Pulsação sempre fora de você e a pulsação sempre dentro de você. Estilhaçá-los. O senhor está certo. Ora essa! Não por enquanto. Uma segunda-feira de manhã. Sim. uma com um guarda-chuva cansado coberto de areia. senhor. Os pesospesados de tangas justas exibiam um ao outro os . Foi isso. Mas me atordoar também com o golpe. O zumbido das correias de transmissão de couro e o zunido dos dínamos da usina elétrica incitaram Stephen a prosseguir. Na vitrine de Clohissey uma gravura empalidecida de 1860 de Heenan lutando boxe com Sayers reteve seu olhar. Uma doutrina de drogas.sepulcral? As palavras insanas dos sofistas: Antístenes. Trigo imortal do Oriente permanecendo de todo o sempre para todo o sempre. Muito grande e maravilhoso e trabalha com uma precisão incrível.

Páginas rasgadas. Quem escreveu isto? Palavras mágicas e invocações do mais abençoado abade Peter Salanka divulgadas a todos os verdadeiros crentes. Dizer o talismã seguinte três vezes com as mãos juntas: – Se el yilo nebrakada femininum! Amor me solo! Sanktus! Amen. palmam ferenti. Stephano Dedalo. Receita de vinagre de vinho branco. padre Conmee caminhou através da aldeia de Donnycarney. Segredo de todos os segredos. como as murmuradas de Joaquim. Talvez eu pudesse encontrar aqui um dos meus prêmios escolares penhorados. murmurando as vésperas. Selo do rei Davi. Ele se virou e se deteve junto à carreta de livros inclinada. Para baixo. E eles estão pulsando: os corações dos heróis. – Quatro por seis pence. – Dois pence cada – disse o vendedor ambulante. alumno optimo. Para mim este.punhos bulbosos. Tão boas quanto quaisquer outras palavras mágicas de um abade. Quem passou por aqui antes de mim? Como amaciar mãos ásperas. Como conquistar o amor de uma mulher. O que é isto? Livro oitavo e nono de Moisés. Tendo lido suas pequenas horas canônicas. Vida e Milagres do Cura de Ars. The Irish Beekeeper Journal. . Páginas manuseadas: lidas e relidas. Encadernação provavelmente boa demais. Guia de Bolso para Killarney .

– Eu o comprei na outra carreta por um penny – disse Dilly. Nebrakada femininum . O deitar na cama tarde debaixo de um acolchoado de sobretudos velhos. – Por que você comprou isso? – perguntou. – O que é que você tem aí? – perguntou Stephen. ou nós vamos tosquiar seu cabelo. Reluzia enquanto ela se agachava para alimentar o fogo com botas destruídas. Feche o livro rapidamente. corando e apertando os lábios. Será que os outros me vêem assim? Rápidos.cabeçacalva. Não deixe ver. uma lembrança de Dan Kelly. Não mostre surpresa. Manual de francês de Chardenal para iniciantes. Suponho que todos os meus livros já se foram. Sombra da minha mente. distantes e atrevidos. com mechas de cabelo lisas de cada lado. Ele tomou o livro sem capa da mão dela. Fique bem natural. Preste atenção para que Maggy não o ponha no prego. tocando com os dedos um bracelete fantasia. – Para aprender francês? Ela acenou afirmativamente com a cabeça. Um rosto Stuart sem igual de Carlos. – O que você está fazendo aqui. Eu falei a ela sobre Paris. – Tome – disse Stephen. Stephen? Os ombros altos de Dilly e seu vestido surrado. . – O que você está fazendo? – disse Stephen. – E por acaso ele é bom? Dizem que ela tem os meus olhos. – Tudo bem. rindo nervosamente.

Remorso de consciência. Morte verde salgada. Dedalus. parando. Dedalus. Salve-a. Ela vai me afogar com ela. Tudo contra nós. – Como vão as coisas? – Alô. – Quais são as melhores notícias? – disse o Sr. olhos e cabelo. Bob. Remorso.– Alguns – disse Dilly. – Ora na verdade nada de muito novo – disse . meu velho – respondeu o Sr. Caracóis de cabelos lisos de alga marinha à minha volta. Padre Cowley escovou para baixo várias vezes seu bigode com a mão em concha. Simon – disse padre Cowley. Ela está se afogando. De consciência remorso. minha alma. Remorso. meu coração. Desgraça! Desgraça! *** – Alô. Nós. Eles apertaram as mãos ruidosamente do lado de fora de Reddy and Daughter. – Nós fomos forçados.

Dedalus. O fraque folgado azul e o chapéu alto de Ben Dollard acima das calças largas cruzaram o cais com passo largo vindos da ponte de metal. Só o que eu quero é um pouco de tempo. Ele vai dar uma palavra ao Long John para conseguir que ele retire esses dois homens. – Nossa – disse o Sr. Simon – respondeu padre Cowley. Simon. – Um homem usurário de nossas relações. – Esse mesmo. com dois homens rondando a casa e tentando entrar. – Eu sei – disse o Sr. – Reuben daquela espécie. Ele olhou com pouca esperança acima e abaixo do cais. por Deus – disse –. não é? – perguntou o Sr. traseiro e bolsos inclusive. – Pobre manco velho Ben! Ele está sempre prestando serviço a alguém. Dedalus. Ele veio em direção a eles a furta-passo coçando energicamente por baixo das abas do casaco. Dedalus. Como ele se aproximasse o Sr. Agüente firme! Ele pôs os óculos e olhou por um instante em direção da ponte de metal. Dedalus o saudou: . – Com uma corcunda. Estou só esperando Ben Dollard. – Aqui está ele. – Eu estou entrincheirado. – Quem são eles? – Ó – disse padre Cowley. confirmando com a cabeça.padre Cowley. com uma grande maçã se avolumando no seu pescoço.

Ben Dollard franziu a testa e. – Segure-o agora – disse Ben Dollard. Dedalus removia felpas. Em seguida. murmurou zombeteiramente: – Essa é que é uma roupa bonita. – Esse é o estilo – disse o Sr. dizendo: – De qualquer maneira. Ele permaneceu ao lado deles sorrindo para eles e para suas roupas amplas das quais o Sr. fazendo subitamente a boca de um cantor de coro. de olhos vidrados. não é. Dedalus. – Au! – disse. – Azar para o judeu que as fez – disse Ben Dollard. voltando-se para padre Cowley com um aceno. que Deus amaldiçoe eternamente a sua alma – rosnou Ben Dollard furiosamente –. – E como vai esse basso profondo. Dedalus olhou com um desprezo peregrino e frio para vários pontos da figura de Ben Dollard. Cashel Boyle O’Connor Fitzmaurice Tisdall Farrell. soltou uma nota profunda. murmurando. Ben. – Graças a Deus ele ainda não foi pago.– Segure esse homem com calças que não prestam. passou a passos largos pelo clube de Kildare Street. Benjamin? – perguntou padre Cowley. O Sr. eu joguei fora mais roupas no meu tempo do que você jamais viu. para um dia de verão? – Ora. elas foram feitas para um homem em pleno gozo de saúde. .

. prestem bem atenção. um botão de seu casaco pendente de seu fio balançando brilhante para trás enquanto para ouvir melhor ele limpava as densas secreções que estorvavam seus olhos. – Que poucos dias? – retumbou ele. – Não está enferrujada demais? Que tal? – Serve – disse padre Cowley. Ben Dollard se deteve e mirou. – Quero lhes mostrar a nova beldade que Rock arrumou como meirinho. com seus ouvidos bem abertos. Venham. retificadores. – Diga a ele que é só por alguns dias – disse padre Cowley ansiosamente. acredite. Ele é um cruzamento de Lobengula com Lynchehaun.aprovando-a. Esperem um pouco. elevando os dedos alegres no espaço. em direção ao Tholsel além de Ford of Hurdles. Love saiu da casa do cabido da abadia Santa Maria passando por James e Charles Kennedy. aprovando também com a cabeça. Eu vi John Henry Menton casualmente na Bodega ainda há pouco e vai me provocar uma queda se eu não. acreditem em mim. O reverendo Hugh C. Nós estamos na direção certa.. Ele merece ser visto. Bob. – O que vocês me dizem disso? – disse Ben Dollard. assessorado por Geraldines altos e bem-apessoados. – Não é .. Ben Dollard com uma inclinação pronunciada em direção à fachada das lojas os conduzia.. – Venham comigo ao escritório do subxerife – disse ele.

– Então a intimação do nosso amigo não vale nem pelo papel em que está impressa – disse Ben Dollard. Dedalus. Ele avançou com padre Cowley enlaçado ao seu corpanzil. Mas o senhor tem certeza disso? – Você pode dizer de minha parte a Barrabás – disse Ben Dollard – que ele pode pôr a intimação onde Jacó pôs as nozes. os seguindo enquanto punha seus óculos no bolso da frente do casaco. Ele é pastor em algum lugar do país. Windsor Avenue. *** – Vai dar tudo certo para o jovem – disse Martin Cunningham. – Eram avelãs eu creio – disse o Sr.verdade que o seu senhorio o embargou devido ao aluguel? – É sim – disse padre Cowley. enquanto eles atravessavam o portão de . Love. – O proprietário tem prioridade de direito. O nome é Love? – É esse mesmo – disse padre Cowley. Eu dei a ele todos os pormenores. 29. – O reverendo Sr.

Castleyard. O policial tocou sua testa. – Deus o abençoe – disse o Sr. Cunningham, alegremente. Ele fez um sinal para o cocheiro que aguardava e que incitou o cavalo com as rédeas e partiu para Lord Edward Street. Bronze ao lado de ouro, a cabeça da senhorita Kennedy ao lado da cabeça da senhorita Douce aparecia acima da veneziana do hotel Ormond. – Sim – disse Martin Cunningham, passando os dedos na barba. – Eu escrevi ao padre Conmee e expus a ele toda a situação. – Você podia tentar o nosso amigo – sugeriu o Sr. Power se voltando para trás. – Boyd? – disse Martin Cunningham secamente. – Não me toque. John Wyse Nolan, se arrastando atrás, lendo a lista, descia rapidamente por Cork Hill. Descendo os degraus de City Hall, o conselheiro Nannetti cumprimentou Alderman Cowley e o conselheiro Abraham Lyon que subiam. O carro do castelo rodou vazio por Exchange Street adentro. – Olhe aqui, Martin – disse John Wyse Nolan, ao alcançá-los no escritório do Dublin Evening Mail. – Estou vendo que Bloom se inscreveu com cinco shillings. – Isso mesmo – disse Martin Cunningham, tomando a lista. – E também pagou os cinco shillings. – Sem outra palavra também – disse o Sr.

Power. – Estranho, mas verdadeiro – acrescentou Martin Cunningham. John Wyse Nolan abriu os olhos bem abertos. – Olhe só, há muita bondade no judeu – citou, elegantemente. Eles desceram por Parliament Street. – Olhe ali Jimmy Henry – disse o Sr. Power, se dirigindo exatamente para Kavanagh. – Está certo – disse Martin Cunningham. – Lá vai ele. Do lado de fora da Maison Claire Blazes Boylan abordava o cunhado de Jack Mooney, corcunda, bêbado, que se dirigia para as Liberdades. John Wyse Nolan esperou pelo Sr. Power, enquanto Martin Cunningham segurava pelo cotovelo um homenzinho garboso vestindo um terno sal e pimenta, que andava incerto, com passos apressados passando pelos relógios de Micky Anderson. – Os calos do assistente do secretário da câmara municipal estão lhe causando problema – disse John Wyse Nolan para o Sr. Power. Eles dobraram a esquina em direção às salas de vinho de James Kavanagh. O carro vazio do castelo repousava em frente a eles em Essex Gate. Martin Cunningham, falando sem parar, mostrava feqüentemente a lista para a qual Jimmy Henry não lançou os olhos. – E Long John Fanning também está aqui – disse John Wyse Nolan –, tão grande quanto a vida.

A figura alta de Long John Fanning tomava todo o vão da porta em que se encontrava. – Bom-dia, Sr. subxerife – disse Martin Cunningham enquanto todos paravam e cumprimentavam. Long John Fanning não deu passagem a eles. Ele retirou decisivamente da boca seu grande Henry Clay e seus olhos grandes e agressivos percorreram com ar carrancudo os rostos deles. – Será que os pais conscritos estão buscando suas deliberações pacíficas? – disse com uma expressão penetrante e mordaz ao assistente do secretário da municipalidade. Eles estavam tendo o inferno aberto para os cristãos, disse Jimmy Henry irritado, a respeito da miserável língua irlandesa deles. Onde estava o funcionário encarregado, ele gostaria de saber, para manter a ordem na câmara do conselho. E o velho Barlow o porta-maça de cama com asma, nenhuma maça sobre a mesa, nada em ordem, nem mesmo quórum, e Hutchinson, o lorde Prefeito, em Llandudno e o pequeno Lorcan Sherlock funcionando como locum tenens para ele. Miserável língua irlandesa, língua de nossos antepassados. Long John Fanning soprou uma baforada de fumaça de seus lábios. Martin Cunningham, torcendo a ponta de sua barba, falava ora com o assistente do secretário da câmara municipal, ora com o subxerife, enquanto John Wyse Nolan se mantinha calado.

– Que Dignam era esse? – perguntou Long John Fanning. Jimmy Henry fez uma careta e levantou seu pé esquerdo. – Ai meus calos! – disse ele tristemente. – Subam pelo amor de Deus para que eu possa me sentar em algum lugar. Ufa! Ui! Cuidado! De mau humor ele abriu caminho ao longo do costado de Long John Fanning e entrou e subiu as escadas. – Suba – disse Martin Cunningham ao subxerife. – Não creio que você o conhecesse mas quem sabe você, no entanto, o conhecia. Junto com John Wyse Nolan o Sr. Power os seguiu entrando. – Um camaradinha decente ele era – disse o Sr. Power às costas robustas do comprido John Fanning ao subir em direção ao comprido John Fanning do espelho. – De tamanho um tanto diminuto. Dignam do escritório de Menton ele era – disse Martin Cunningham. O comprido John Fanning não conseguia se lembrar dele. Um tropel de patas de cavalos soou no ar. – O que é isso? – disse Martin Cunningham. Todos se voltaram de onde estavam. John Wyse Nolan desceu novamente. Da sombra fresca da porta aberta ele viu os cavalos passarem por Parliament Street, com os arreios e quartelas lustrosas tremulando ao sol. Alegremente eles passaram, nada rapidamente, diante de seus olhos impassíveis e nem um pouco

amistosos. Em selas dos cavalos dianteiros, dos cavalos dianteiros saltadores, cavalgavam os batedores. – O que era aquilo? – perguntou Martin Cunningham, enquanto eles subiam a escada. – O lorde general-de-divisão e governador-geral da Irlanda – respondeu John Wyse Nolan do pé da escada.

*** Enquanto eles avançavam pelo carpete espesso Buck Mulligan sussurrou no ouvido de Haines por trás de seu chapéu-panamá: – O irmão de Parnell. Ali no canto. Eles escolheram uma mesinha perto da janela, do lado oposto a um homem de rosto comprido cuja barba e olhar se curvavam sobre um tabuleiro de xadrez. – Esse aí é ele? – perguntou Haines, se contorcendo na cadeira. – É sim – disse Mulligan. – Esse é John Howard, irmão dele, o magistrado da nossa municipalidade. John Howard Parnell moveu tranqüilamente um bispo branco e sua garra cinzenta se elevou até a testa

onde repousou. Um instante depois, por baixo deste anteparo, seus olhos lançaram um olhar rápido, fantásmico e brilhante, para seu adversário e baixaram mais uma vez sobre um canto de manobra. – Eu vou tomar um mélange – disse Haines à garçonete. – Dois mélanges – disse Buck Mulligan. – E traga-nos uns bolinhos e manteiga e também alguns bolos. Quando ela foi embora ele disse, rindo: – Nós chamamos isso aqui de B. D. R. porque eles têm uns bolos danados de ruins. Ó, mas você perdeu Dedalus discursando sobre Hamlet. Haines abriu o livro que acabara de comprar. – Sinto muito – disse. – Shakespeare é usado alegremente por todas as mentes que perderam seu equilíbrio. O marinheiro perneta rosnou na área do número 14 de Nelson Street: – A Inglaterra espera... O colete amarelo pálido de Buck Mulligan sacudiu alegremente com o seu riso. – Você devia vê-lo – disse – quando seu corpo perde o equilíbrio. Eu o chamo de Aengus Errante. – Estou certo de que ele tem uma idée fixe – disse Haines, beliscando pensativamente o queixo com o polegar e o indicador. – Agora estou especulando de que espécie seria. As pessoas desse tipo sempre têm. Buck Mulligan se inclinou gravemente por cima da mesa.

– Eles perturbaram sua cabeça – disse ele – com visões do inferno. Ele não vai nunca capturar o tom helênico. O tom de Swinburne, de todos os poetas, a morte branca e o nascimento róseo. É essa a sua tragédia. Ele não pode ser nunca um poeta. A alegria da criação... – Punição eterna – disse Haines, com um aceno breve da cabeça. – Eu entendo. Eu tive uma discussão com ele hoje de manhã a respeito de fé. Eu vi que havia algo em sua mente. É bem interessante porque o professor Pokorny de Viena chega a uma conclusão interessante sobre isso. Os olhos observadores de Buck Mulligan viram a garçonete se aproximar. Ajudou-a a descarregar sua bandeja. – Ele não pode encontrar nenhum vestígio de inferno no mito antigo irlandês – disse Haines, no meio da alegre bebedeira. – A idéia moral parece estar faltando, o sentido de destino, de retribuição. É bem estranho que ele tenha apenas esta idéia fixa. Ele escreve alguma coisa para o seu movimento literário? Ele afundou dois tabletes de açúcar habilmente no sentido de seu comprimento no creme batido. Buck Mulligan partiu um bolinho fumegante em dois e cobriu de manteiga a substância fumegante. Deu avidamente uma mordida num pedaço macio. – Dez anos – disse, mastigando e rindo. – Ele vai escrever alguma coisa daqui a dez anos. – Parece muito distante – disse Haines pensativamente, erguendo a colher. – No entanto, eu

não me surpreenderia que ele afinal de contas o fizesse. Ele saboreou uma colherada do cone cremoso de sua taça. – Presumo que este seja o verdadeiro creme irlandês – disse com complacência. – Não gosto de ser enganado. Elias, esquife, volante leve amassado, navegava em direção a leste pelos flancos de navios e traineiras, em meio a um arquipélago de rolhas, além da New Waping Street passando pela estação de barcas Benson e pela escuna de três mastros Rosevean vindo de Bridgwater carregada de tijolos.

*** Almidano Artifoni caminhava por Holles Street, passando por Sewell’s Yard. Atrás dele Cashel Boyle O’Connor Fitzmaurice Tisdall Farrell, balançando bengalaguardachuva-guardapó, se desviava do poste de luz diante da casa do Sr. Law Smith e, atravessando, andava ao longo de Merrion Square. Bem longe atrás dele um rapazinho cego guiava-se com toques de sua bengala junto ao muro do parque do College.

Cashel Boyle O’Connor Fitzmaurice Tisdall Farrell andou até as vitrines risonhas do Sr. Lewis Werner, deu meia-volta e voltou a passos largos por Merrion Square, balançando sua bengala-guardachuva-guardapó. Na esquina da casa de Wilde ele se deteve, fechou a cara para o nome de Elias anunciado no Metropolitan Hall, fechou a cara para o jardim distante de Leinster House. Seus óculos reluziram na cara amarrada sob a luz do sol. Com seus dentes-de-rato à vista ele murmurou: – Coactus volui. Caminhou a passos largos para Clare Street, rosnando sua imprecação. Enquanto passava a passos largos pela janela do dentista Sr. Bloom o vaivém de seu guarda-pó varreu rudemente de seu ângulo uma bengala fina de cego e seguiu impetuosamente em frente, tendo fustigado um corpo frágil. O rapazinho cego voltou seu rosto pálido para a figura que andava a passos largos. – Que Deus o amaldiçoe – disse amargamente – quem quer que você seja! Você é mais cego do que eu, seu bastardo filho-da-puta!

***

Em frente a Ruggy O’Donohoe jovem senhor Patrick Aloysius Dignam, agarrando a libra e meia de costeletas de porco que o tinham mandado comprar em Mangan, antigo Fehrenbach, caminhou ao longo da quente Wicklow Street, vagando. Era por demais deprimente ficar sentado na sala de estar com a Sra. Stoer e a Sra. Quigley e a Sra. MacDowell com a persiana abaixada e elas todas com suas fungadelas e sorvendo goles do superior xerez extra-escuro que tio Barney trouxe de Tunney. E elas comendo migalhas de bolo-de-frutas coberto com creme quente, batendo boca miseravelmente o tempo todo e suspirando. Depois da passagem de Wicklow, a vitrine de madame Doyle, chapeleira estilista da corte, o fez parar. Ele ficou olhando para os dois boxeadores despidos até a cintura e em posição de ataque. Dos espelhos laterais dois jovens senhores Dignam de luto olhavam silenciosamente embasbacados. Myler Keogh, cordeiro de estimação de Dublin, vai enfrentar o primeiro-sargento Bennett, o pugilista de Portobello, por um prêmio de cinqüenta libras. Puxa, essa seria uma bela partida de boxe para se ver. Myler Keogh, esse era o camarada que estava treinando aquele com uma faixa verde. Dois shillings o bilhete de entrada, metade do preço para os militares. Eu podia facilmente tapear a mamãe. O jovem senhor Dignam à esquerda virou quando ele se virou. Aquele sou eu de luto. Quando é? Vinte e dois de maio. Lógico, a maldita coisa já se foi. Ele virou para a direita e à sua direita o jovem senhor

Dignam se virou, com seu boné enviesado e o colarinho alteado. Com o queixo levantado para abotoá-lo embaixo, ele viu a imagem de Marie Kendall, encantadora criada, ao lado dos dois boxeadores. Uma daquelas vadias que estão sempre nos maços de cigarros de Stoer e que quando o velho dele descobriu lhe deu uma surra e tanto. O jovem senhor Dignam abaixou o colarinho e continuou a flanar. O melhor boxeador em questão de força era Fitzsimons. Um soco na boca do estômago dado por aquele camarada deixaria você derrubado até a metade da semana seguinte, homem de Deus. Mas o melhor boxeador em termos técnicos era Jem Corbet antes que Fitzsimons o pusesse a nocaute, apesar de se desviar e tudo o mais. Em Grafton Street o jovem senhor Dignam viu uma flor vermelha na boca de um figurão e um outro com uma boa dose de bebida e ele ouvindo o que o bêbado lhe dizia e com um largo sorriso o tempo todo. Nenhum bonde para Sandymount. O jovem senhor Dignam caminhou pela Nassau Street, passando as costeletas de porco para a outra mão. Seu colarinho saltou de novo para cima e ele o puxou com força para baixo. O maldito botão era pequeno demais para a casa da camisa, maldito fim para ele. Ele encontrou meninos de escola com sacolas.Também não vou amanhã, vou ficar fora até segunda-feira. Encontrou outros meninos de escola. Será que eles notam que estou de luto? Tio Barney me disse que ia sair no jornal esta noite. Então eles todos

vão ver no jornal e vão ler meu nome impresso e o nome do papai. O rosto dele ficou todo cinzento em vez de ficar vermelho como era e havia uma mosca andando até o seu olho. O rangido que houve quando eles estavam parafusando os parafusos no caixão: e as sacudidelas quando eles estavam descendo com ele pela escada. Papai estava dentro dele e mamãe estava chorando na sala de estar e tio Barney dizia aos homens como eles tinham que passar com ele na curva. Era um caixão grande, e alto e pesadão. Como foi aquilo? A última noite em que papai estava embriagado ele estava de pé no patamar ali berrando por suas botas para sair para o Tunney a fim de se embriagar mais e ele tinha um aspecto atarracado e pequeno dentro de sua camisa. Não o ver nunca mais. É isso, a morte. Papai está morto. Meu pai está morto. Ele me disse para ser um bom filho para mamãe. Eu não consegui ouvir as outras coisas que ele disse mas eu vi a sua língua e seus dentes tentando falar melhor. Pobre papai. Esse era o Sr. Dignam, meu pai. Espero que ele esteja no purgatório agora porque ele foi se confessar com o padre Conroy sábado à noite.

*** William Humble, conde de Dudley, e lady Dudley, acompanhados do tenentecoronel Heseltine, depois do almoço saíram de carro da residência do vice-rei. Na carruagem seguinte estavam de plantão as ilustres Sra. Paget, senhorita de Courcy e o ilustre Gerald War A. D. C. A cavalgada saiu pelo portão inferior do Phoenix Park saudada por policiais subservientes e passando pela Kingsbridge prosseguiu ao longo do cais do norte. O vice-rei foi muito cordialmente saudado em seu caminho através da metrópole. Na ponte Bloody o Sr. Thomas Kernan do outro lado do rio em vão o saudou de longe. Entre as pontes Queen e Whitworth as carruagens do vice-rei lorde Dudley passaram e não foram saudadas pelo Sr. Dudley White, B. L., M. A., que se encontrava no cais de Arran em frente à loja da Sra. M. E. White, a agiota, na esquina de Arran Street oeste esfregando o nariz com o dedo indicador, hesitando se chegaria mais rápido em Philsborough fazendo três mudanças de bonde ou pegando um táxi ou indo a pé através de Smithfield, Constitution Hill e o

terminal de Broadstone. No pórtico das Quatro Cortes Richie Goulding com a pasta de Goulding, Collis e Ward o viu com surpresa. Passando pela ponte Richmond na soleira da porta do escritório de Reuben J. Dodd, advogado, agente da Companhia de Seguros Patriotic, uma mulher idosa prestes a entrar mudou de idéia e voltando atrás pelas vitrines de King sorriu credulamente para o representante de Sua Majestade. De sua comporta na amurada do cais Wood embaixo do escritório de Tom Devan o rio Poddle em sinal de lealdade punha para fora uma língua de líquido de esgoto. Acima da persiana do hotel Ormond, ouro ao lado de bronze, a cabeça da senhorita Kennedy ao lado da cabeça da senhorita Douce observava e admirava. No cais Ormond o Sr. Simon Dedalus, se encaminhando do mictório público para o escritório do subxerife, parou no meio da rua e abaixou o seu chapéu. Sua Excelência devolveu graciosamente a saudação do Sr. Dedalus. Da esquina da Cahill o reverendo Hugh C. Love, M. A., ciente dos delegados cujas mãos benignas tinham distribuído ricas prebendas em tempos idos, fez uma reverência despercebida. Na ponte Grattan, Lenehan e M’Coy, se despedindo um do outro, observaram as carruagens passarem. Passando pelo escritório de Roger Greene e pela grande gráfica vermelha de Dollard, Gerty MacDowell, levando as cartas do manufatureiro de linóleo Casteby para seu pai que estava de cama, reconheceu pelo estilo que se tratava do vice-rei e de sua lady mas não pôde ver como Sua Excelência estava vestida porque o bonde e o grande

caminhão amarelo de mudança de Spring tiveram que parar em frente a ela justamente por se tratar do vicerei. Ao lado de Lundy Foot vindo da porta sombreada do comerciante de vinhos Kavanagh John Wyse Nolan sorria com despercebida frieza para o vice-rei e governador-geral da Irlanda. O Muito Ilustre William Humble, conde de Dudley, G. C. V. O., passou pelos relógios sempretiquetaqueantes de Micky Anderson e pelos manequins de cera elegantes de Henry e James, o cavalheiro Henry, o James dernier cri. Em frente de Dame Gate, Tom Rochford e Nosey Flynn observaram a aproximação da cavalgada. Vendo os olhos de lady Dudley fixos nele, Tom Rochford retirou os polegares rapidamente dos bolsos de seu colete cor de clarete e tirou seu boné para ela. Uma criada encantadora, a grande Marie Kendall, com as faces borradas de pintura e saia levantada sorria com o rosto borrado de seu cartaz para William Humble, conde de Dudley, e para o tenentecoronel H. G. Heseltine, e também para o ilustre Gerald Ward A. D. C. Da janela de B. D. R. Buck Mulligan alegremente, e Haines gravemente, olharam para a equipagem do vice-rei por cima dos ombros de convivas excitados, cujo amontoamento obscurecia o tabuleiro de xadrez para o qual John Howard Parnell olhava atentamente. Em Fowness Street, Dilly Dedalus, forçando a vista por cima do manual de primeiras lições de francês de Chardenal, viu sombrinhas atravessadas e travões de rodas rodopiando sob a luz ofuscante. John Henry Menton, ocupando todo o espaço da soleira da porta da Casa de Comércio, olhou com seus olhos

grandes de ostra cor de vinho, segurando seu gordo relógio de bolso de ouro para o qual não olhava em sua gorda mão esquerda nem o sentia. Quando a pata dianteira do cavalo de King Billy deu uma patada no ar a Sra. Breen puxou as costas apressadas do marido de debaixo das patas dos batedores. Ela gritou em seus ouvidos a notícia. Compreendendo, ele passou os volumes para o lado esquerdo do peito e saudou a segunda carruagem. O ilustre Gerald Ward A. D. C., agradavelmente surpreso, se apressou em responder à saudação. Na esquina de Ponsonby um frasco branco exausto H. parou e quatro frascos brancos de cartolas pararam atrás dele, E. H. Y., enquanto batedores passavam empinados com as carruagens. Em frente às salas de música de Pigott o Sr. Denis J. Maginni, professor de dança &c, vestido jovialmente, caminhava circunspecto, ultrapassado por um vice-rei e despercebido. Junto ao muro do reitor vinha lepidamente Blazes Boylan, andando com sapatos marrons e meias com relógios azul-celeste ao refrão de Minha pequena é uma moça de Yorkshire . Blazes Boylan apresentou às testas azul-celeste dos cavalos dianteiros e à sua alta atividade uma gravata azulceleste, um chapéu de palha de aba larga de banda e um terno de sarja cor de anil. Suas mãos nos bolsos da jaqueta se esqueceram de saudar mas ele ofereceu às três damas a atrevida admiração de seus olhos e a flor vermelha entre seus lábios. Enquanto desfilavam por Nassau Street Sua Excelência chamava a atenção de sua consorte curvada para o programa de música que

estava sendo tocado no parque do College. Despercebidos impudentes rapazolas escoceses clamavam e tocavam tambores atrás do cortejo: Mas embora ela seja uma operária E não use roupas elegantes. Tararabum. Eu acho a minha rosinha de Yorkshire Uma delícia de Yorkshire. Tararabum. Do outro lado do muro os corredores do handicap de um quarto de milha, M. C. Green, H. Shrift, T. M. Patey, C. Scaife, J. B. Jeffs, G. N. Morphy, F. Stevenson, C. Adderly e W. C. Huggard, partiram em busca. Passando a passos largos pelo hotel Finn, Cashel Boyle O’Connor Fitzmaurice Farrell lançou um olhar feroz de seus óculos através das carruagens para a cabeça do Sr. M. E. Solomons na janela do vice-consulado austro-húngaro. Bem ao fundo de Leinster Street ao lado da porta de trás de Trinity, um homem leal ao rei, Hornblower, tocou no seu boné de caça. Enquanto os cavalos lustrosos passavam empinados por Merrion Square o jovem senhor Patrick Aloysius Dignam, esperando, viu saudações serem apresentadas aos cavalheiros de cartola e ergueu também seu boné novo preto com dedos lambuzados do papel de costeleta de porco. O colarinho dele também saltou para cima. O vice-rei, em sua ida para inaugurar o bazar Mirus para a obtenção de fundos para o hospital Mercer, seguiu com seu séquito para Lower Mount Street. Ele passou por um rapazinho cego do lado oposto de Broadbent.

Em Lower Mount Street um pedestre de impermeável marrom, comendo pão seco, atravessou rapidamente e são e salvo a passagem do vice-rei. Na ponte Royal Canal, de seu cartaz, o Sr. Eugene Stratton, com um riso em seus lábios grossos, deu as boas-vindas a todos que chegavam a Pembroke Township. Na esquina de Haddington Road duas mulheres cobertas de areia se detiveram, com um guarda-chuva e uma sacola com onze conchas que nela rolavam para contemplar com admiração o prefeito sem sua corrente dourada e a mulher do prefeito. Nas ruas Northumberland e Lansdowne Sua Excelência devolveu pontualmente os cumprimentos de raros caminhantes masculinos, o cumprimento de dois pequenos meninos de escola no portão do jardim da casa que dizia ter sido admirada pela falecida rainha quando de visita à capital irlandesa com o marido, o príncipe consorte, em 1849 assim como a saudação das calças vigorosas de Almidano Artifoni tragadas por uma porta que se fechava.

11
Bronze ao lado de ouro ouviu o soar de aço dos ferrados cascos. Impertninte tninte. Lascas, arrancando lascas da unha rochosa do polegar, lascas.

Horrendo! E ouro corou ainda mais. Uma nota rouca de pífaro soou. Soou. Brumoso Bloom no. Cabelo-de-ouro em pináculo. Uma rosa saltitante em seio acetinado de cetim, rosa de Castela. Trinando, trinando: Idolores. Pipilo! Quem está no... pipilodeouro? Retinido bradou para bronze com pena. E um chamado, puro, longo e pulsante. Chamado longoagonizante. Chamariz. Palavra suave. Mas veja: as estrelas brilhantes empalidecem. Notas respondem chilreando. Ó rosa! Castela. A manhã está despontando. Tilintar tilintar cabriolé tilintando. Uma moeda ressoou. Um relógio estalou. Confissão. Sonnez. Eu poderia. Ricochete de liga. Não te deixar. Estalo. La cloche! Estalo de coxa. Confissão. Quente. Meu amor, adeus! Tilintar. Bloo. Ressoaram as cordas espatifadas. Quando o amor absorve. Guerra! Guerra! O tímpano. Uma vela! Um veleiro ondeia sobre as ondas. Perdido. Um tordo pia. Tudo está perdido agora. Ereção. A ere, ereção. Quando ele viu pela primeira vez. Ai! Cópula total. Trepidação total. Gorjeio. Ah, fascinação! Enfeitiçando. Marta! Venha! Clapeclape. Clipeclape. Clepiclape.

Bomdeus elenun caouviu notodo. Surdo calvo Pat bloco levou faca apanhou. Uma enluarada chamada noturna: longe, longe. Estou tão triste. P. S. Blooming tão sozinho. Ouça! A concha fria trespassada e sinuosa. Você tem a? Cada uma, e para a outra, salpico e ronco silencioso. Pérolas: quando ela. Rapsódias de Liszt. Vaia. Você não? Não: não, não: acreditei. Lidlyd. Com um galo com uma garra. Negro. Sonoro. Faça, Ben, faça. Espere enquanto espera. Hiii hiii. Espere enquanto você hiii. Mas espere! No fundo no centro tenebroso da Terra. Minério encravado. Naminedamine. Pregador é ele. Todos mortos. Todos prostrados. Frágeis, suas trêmulas frondes capilares femininas. Amém! Ele rangeu os dentes enfurecido. Pra trás. Pra frente, pra trás. Um bastão insensível se projetando. Bronzelidia ao lado de Minaouro. Ao lado de bronze, ao lado de ouro, na penumbra verdemar. Bloom. O velho Bloom. Alguém bate, alguém fura, com uma garra, com um galo. Rezem por ele! Reze, minha boa gente!

Seus gotosos dedos se exaurindo. Grande Benaben. Grande Benben. A última rosa de Castela do verão deixou bloom eu me sinto tão triste sozinho. Puft! Um ventinho miudinho sibilou. Homens de verdade. Lid Ker Cow De e Doll. Sim, sim. Como vocês homens. Ergam suas taças tchinque e tchanque. Fff! Oo! Onde bronze de perto? Onde ouro de longe? Onde patas? Rrrpr. Kraa. Kraandl. Então só então. Meu eppripftáfio. Seja pfscrit. Acabado. Comecemos! Bronze ao lado de ouro, a cabeça da senhorita Douce ao lado da cabeça da senhorita Kennedy, por sobre a persiana do bar Ormond ouviu passar os cascos do vice-rei, soando aço. – É ele? – perguntou a senhorita Kennedy. A senhorita Douce disse que sim, sentado com sua ex, de cinza pérola e eau de Nil. – Contraste primoroso – disse a senhorita Kennedy. Quando toda impaciente a senhorita Douce disse ansiosamente: – Olhe só para aquele homem de cartola. – Quem? Onde? – perguntou ouro mais ansiosamente. – Na segunda carruagem – disseram os lábios

molhados da senhorita Douce, rindo sob o sol. – Ele está olhando. Espere até que eu veja. Ela se atirou, bronze, para o canto de trás, esborrachando o rosto contra a vidraça num halo de respiração ofegante. Seus lábios molhados riram com um riso abafado: – Ele está torcendo o pescoço para olhar para trás. Ela riu: – Ó meu Jesus! Os homens não são mesmo uns tremendos idiotas? Com tristeza. A senhorita Kennedy se afastou devagar tristemente da luz clara do sol, enrolando o cabelo solto atrás da orelha. Vagando tristemente, não mais ouro, ela torceu enrolou uns fios de cabelo. Tristemente ela enrolou vagando o cabelo dourado atrás da curva da orelha. – São eles que têm os melhores momentos – disse ela então tristemente. Um homem. Blooquem passou pelos cachimbos de Moulang carregando em seu peito as doçuras do pecado, pelo antiquário Wine, guardando na memória palavras doces e pecaminosas, ao passar pela prataria escurecida de Carroll, dirigidas a Raoul. O ajudante de garçom se dirigiu a elas, a elas no bar, a elas garçonetes. Para elas que não lhe davam atenção ele bateu fortemente sobre o balcão com a

bandeja cujas taças de porcelana trepidaram. E – Aí está o seu chá – disse ele. A senhorita Kennedy educadamente transportou a bandeja de chá para uma caixa de água mineral revirada, longe do alcance dos olhos, embaixo. – O que é isso? – perguntou alto o ajudante de garçom mal-educado. – Adivinhe – retorquiu a senhorita Douce, abandonando seu posto de espreita. – É seu namorado, é? Uma bronze altiva replicou: – Eu vou me queixar de você à senhora de Massey se eu ouvir mais uma vez esta sua impertinente insolência. – Impertninte tninte – fungou rudemente o focinhodebotas, enquanto se retirava como ela ameaçasse como ele tinha vindo. Bloom. Olhando carrancuda para sua flor a senhorita Douce disse: – É muito irritante esse fedelho. Se ele não se comportar direito eu vou torcer tanto sua orelha que ela vai crescer uma jarda garanto. Comoumadama em refinado contraste: – Não dê atenção – retorquiu a senhorita Kennedy. Ela verteu chá na xícara e depois verteu de volta o chá da xícara no bule. Elas se agacharam atrás da saliência do balcão, esperando nos banquinhos, caixas de cabeça para baixo, esperando que a infusão

do chá ficasse pronta. Elas ajeitaram as blusas, ambas de cetim preto, de dois shillings e nove pence a jarda, esperando que a infusão de seu chá ficasse pronta, e de dois shillings e sete. Sim, bronze de perto e ouro de longe, ouviram aço de perto, cascos soar de longe, e ouviram cascosde-aço casco soar aço soar. – Será que eu estou terrivelmente queimada? A senhorita bronze desabotoou a blusa no pescoço. – Não – disse a senhorita Kennedy. – Depois você fica morena. Você experimentou o bórax com água de louro-cereja? A senhorita Douce levantou meio corpo para olhar de soslaio sua pele no espelho do bar ornado de letras douradas em que copos de vinho branco e clarete tremulavam tendo no meio uma concha. – E o deixe por minha conta – disse ela. – Experimente usar com glicerina – aconselhou a senhorita Kennedy. Dizendo adeus ao seu pescoço e às suas mãos a senhorita Douce – Essas coisas só provocam brotoeja – replicou, re-sentada. – Eu pedi àquele velho antiquado em Boyd alguma coisa para a minha pele. A senhorita Kennedy, se servindo agora do chá no ponto, fez uma careta e rogou: – Ó, não me fale dele pelo amor de Deus! – Mas espere até que eu lhe conte – implorou a senhorita Douce.

O chá açucarado foi servido com leite pela senhorita Kennedy que tapou os dois ouvidos com seus dedinhos. – Não, por favor – exclamou. – Eu não vou ouvir – gritou. Mas e Bloom? A senhorita Douce grunhiu com a voz de uma pessoa velha e rabugenta: – Para sua o quê? – disse ele. A senhorita Kennedy destampou os ouvidos para ouvir, para falar: mas disse, mas rogou novamente: – Não me faça pensar nele senão eu morro. Aquele abominável velho miserável! Aquela noite nas salas de Antient Concert. Com certa repugnância ela sorveu sua infusão, o chá quente, um gole, sorveu, o chá adoçado. – Aqui estava ele – disse a senhorita Douce, empinando três quartos de sua cabeça bronze, agitando suas narinas. – Ufa! Ufa! Uma risada estridente e esganiçada se soltou da garganta da senhorita Kennedy. A senhorita Douce soprou e bufou por suas narinas que estremeceram impertninte como um focinho em busca. – Ó – gritou a senhorita Kennedy soltando uma risada estridente. – Será que você vai algum dia esquecer o olho esbugalhado dele? A senhorita Douce fez coro com a risada bronze profunda, bradando: – E seu outro olho?

Bloocujos olhos escuros liam o nome de Aaron Figatner. Por que eu sempre penso em Figather? Colhendo figos, creio. E o nome huguenote de Prosper Lore. Os olhos escuros de Bloom relancearam pelas virgens abençoadas de Bassi. Vestidadeazul, branco por baixo, venha a mim. Eles acreditam que ela é Deus: ou deusa. Aquelas de hoje. Eu não pude ver. Aquele camarada falou. Um estudante. Depois com o filho de Dedalus. Podia ser Mulligan. Todas virgens graciosas. Isso atrai aqueles homens devassos: o branco nela. Os olhos dele relancearam. As doçuras do pecado. Doces são as doçuras. Do pecado. Soltando uma risadinha afetada as vozes jovens ourobronze se fundiram, Douce com Kennedy seu outro olho. Elas atiraram suas jovens cabeças para trás, bronze risinhoouro, para soltar livremente sua risada, gritando, seu outro, fazendo sinais uma para a outra, com notas agudas penetrantes. Ah, arquejando, suspirando, suspirando, ah, exaustas, a alegria delas se esvaiu. A senhorita Kennedy tocou novamente a taça com os lábios, ergueu, bebeu um gole e deu uma risadinharisadinha. A senhorita Douce, se inclinando sobre a bandeja de chá, agitou novamente as narinas e revirou seus olhos brincalhões empapuçados. De novo Kennedyrisada, inclinando, seu cabelo louro em pináculo, inclinando, mostrava a travessa de tartaruga da nuca, espirrava seu chá pela boca, engasgando com o chá e o riso, tossindo de se engasgar, exclamando:

– Ó aqueles olhos sebosos! Imagine só ser casada com um homem daqueles! – bradou. – Com aquela barbicha! Douce deu vazão a um notável berro, um verdadeiro berro de uma verdadeira mulher, encantamento, alegria, indignação. – Casada com aquele nariz seboso! – berrou. Do riso agudo ao grave, depois, ouro após bronze, elas se instigavam uma à outra a rir após rir, soando em modulações diversas, bronzeouro, ourobronze, agudograve, riso após riso. E então riram ainda mais. Seboso eu sabe. Exaustas, ofegantes, elas colocaram suas cabeças sacudidas, trançadas e elevadas ao auge por travessas lustrosas, sobre a saliência do balcão. Todas coradas (Ó!), arquejando, transpirando (Ó!), todas ofegantes. Casada com Bloom, com sebosoosobloom. – Ó meus santos do céu! – disse a senhorita Douce, suspirando acima de sua rosa saltitante. – Eu gostaria de não ter rido tanto. Estou me sentindo toda molhada. – Ó senhorita Douce! – protestou a senhorita Kennedy. – Sua coisa horrenda! E corou ainda mais (sua horrenda!), mais aureamente. Pelos escritórios de Cantwell vagava Sebosoosobloom, pelas virgens de Ceppi, reluzentes com seus óleos. O pai de Nannetti vendia aqueles objetos de porta em porta, engambelando as pessoas como eu. A religião rende bem. Preciso vê-lo a respeito

daquele par de Chaves. Comer primeiro. Eu quero. Ainda não. Às quatro, ela disse. O tempo passa sempre. Ponteirosdorelógio girando. Adiante. Comer onde? O Clarence, o Dolphin. Adiante. Para Raoul. Comer. Se eu fisgar cinco guinéus com esses anúncios. As anáguas de seda violeta. Ainda não. As doçuras do pecado. Menos corada, ainda menos, empalideceu aureamente. Pelo bar delas adentro vagou o Sr. Dedalus. Lascas, arrancando lascas da unha de um de seus polegares empedernidos. Lascas. Ele vagou. – Ó bem-vinda de volta, senhorita Douce. Segurou a mão dela. Ela aproveitou bem as suas férias? – Foi o máximo. Ele esperava que ela tivesse tido bom tempo em Rostrevor. – Magnífico – disse ela. – Olhe só para a minha figura abençoada. Deitada na praia o dia inteiro. Brancura bronzeada. – Isso foi muito feio de sua parte – disse o Sr. Dedalus e pressionou a mão dela indulgentemente. – Tentando os pobres e simples mortais. A senhorita Douce de cetim libertou docemente seu braço. – Ó tenha dó! – disse ela. – O senhor é muito tolo, eu não creio. Ele era. – Bem certamente que sou – refletiu ele. – Eu

parecia tão tolo no berço que me batizaram o tolo Simon. – O senhor deve ter sido um maluquete – respondeu a senhorita Douce. – E o que o médico lhe prescreveu hoje? – Ora, vejamos – refletiu ele –, qualquer coisa que você mande. Eu acho que vou perturbá-la pedindo um pouco de água fresca e meio copo de uísque. Tilintar. – Com o maior entusiasmo – a senhorita Douce concordou. Com a graça do entusiasmo ela se voltou para o espelho dourado de Cantrell e Cochrane. Com graça serviu uma dose de uísque de ouro do barrilete de cristal. Da aba de seu paletó o Sr. Dedalus produziu bolsa de tabaco e cachimbo. Entusiasmo ela serviu. Ele soprou através do fumeiro duas notas roucas de pífaro. – Por Deus – refletiu ele –, muitas vezes eu quis ver as montanhas de Mourne. Deve ser um tônico e tanto o ar de lá. Mas pode ser também finalmente bastante ameaçador, dizem. Sim. Sim. Sim. Ele colocou com os dedos dentro da tigela fiapos de cabelo, do cabelodemoça dela, de sereia dela. Lascas. Fiapos. Refletindo. Mudo. Ninguém nada disse nada. Sim. Alegremente a senhorita Douce poliu um copo, gorjeando: – Ó, Idolores, rainha dos mares orientais! – O Sr. Lidwell esteve hoje aqui? Entrou Lenehan. Examinou à volta Lenehan. O

Sr. Bloom atingiu a ponte de Essex. Sim, o Sr. Bloom atravessou a ponte de Yessex. A Marta tenho que escrever. Comprar papel. No Daly. Moça lá educada. Bloom. O velho Bloom. Brumoso Bloom está no campo de centeio. – Ele esteve aqui na hora do almoço – disse a senhorita Douce. Lenehan avançou. – O Sr. Boylan andou procurando por mim? Ele perguntou. Ela respondeu: – Senhorita Kennedy, o Sr. Boylan esteve aqui enquanto eu estava lá em cima? Ela perguntou. A senhorita voz de Kennedy respondeu, segurando uma segunda xícara de chá, seu olhar sobre uma página: – Não. Ele não esteve. A senhorita olhar de Kennedy ouviu, sem ser vista, continuou lendo. Lenehan em volta da campânula de vidro que protegia os sanduíches deu uma volta com o corpo corpulento. – Espie só! Quem está na esquina? Sem nenhum olhar de Kennedy o recompensando ainda assim ele lhe fez novos avanços. Ter cuidado com suas paradas. Ler apenas as pretas: o redondo e esse recurvado. Tilintar lépido cabriolé tilintante. Moçaouro ela leu e não relanceou. Não preste atenção. Ela não deu atenção enquanto ele lia de cor uma escala musical para ela, borbulhando terminantemente:

– Umah raposa encontrou umah cegonha. Disse elaa para aa cegonha: Você quer pôr seu bico naa minha garganta e puxar para foora uum osso? Ele zuniu em vão. A senhorita Douce virou para o lado para o seu chá. Ele suspirou para o lado. – Ai céus! Ó meu Deus! Ele cumprimentou o Sr. Dedalus e recebeu um aceno de resposta. – Saudações do famoso filho de um famoso pai. – Quem pode ser ele? – perguntou o Sr. Dedalus. Lenehan abriu os braços muito cordiais. Quem? – Quem pode ser ele? – perguntou. – O senhor pode perguntar? Stephen, o jovem bardo. Seco. O Sr. Dedalus, famoso pai, pôs de lado seu cachimbo cheio e seco. – Entendo – disse ele. – Por um momento eu não o reconheci. Ouvi dizer que ele está andando com uma companhia muito seleta. Você o tem visto ultimamente? Ele tinha. – Eu bebi um bom copo de ambrosia com ele hoje mesmo – disse Lenehan. – No Mooney en ville e no Mooney sur mer. Ele tinha recebido pagamento à vista pelo trabalho de sua musa. Ele sorriu para os lábios de bronze molhados de chá, para os lábios e olhos que ouviam: – A élite de Erin ficou suspensa nos lábios dele.

O importante sábio, Hugh MacHugh, o mais brilhante escriba e editor de Dublin e aquele moço menestrel do nosso faroeste úmido que é conhecido pela designação eufônica de O’Madden Burke. Depois de um intervalo o Sr. Dedalus ergueu seu grogue e – Deve ter sido extremamente divertido – disse. – Eu percebo. Ele perceber. Ele bebeu. Com um olhar montanhês distante e pesaroso. Pousou o seu copo. Olhou para a porta do salão. – Estou vendo que vocês mudaram o piano de lugar. – O afinador esteve hoje aqui – replicou a senhorita Douce – afinando-o para o concerto de gala e eu nunca ouvi um pianista tão primoroso quanto ele. – É verdade? – Não é mesmo, senhorita Kennedy? O clássico verdadeiro, o senhor sabe. E ainda por cima cego, pobre rapaz. Menos de vinte anos. Tenho certeza que ele tinha. – É verdade? – disse o Sr. Dedalus. Ele bebeu e se afastou. – Tão triste olhar para o rosto dele – se condoeu a senhorita Douce. Deus amaldiçoe o bastardo filho-da-puta. Tilintando para a sua piedade ressoou a campainha de um comensal. Para a porta do bar e sala de jantar veio o calvo Pat, veio o aflito Pat, veio Pat, o garçom do Ormond. Cerveja para o comensal. Sem

entusiasmo ela serviu cerveja. Com paciência Lenehan esperava por Boylan com impaciência, pelo moço chamejante tilintante e lépido. Sustentando o tampo ele (quem?) olhou dentro do caixão (caixão?) para as oblíquas cordas triplas (piano) metálicas. Ele pressionou (o mesmo que pressionara indulgentemente a mão dela), pedalando suavemente, três teclas para ver a espessura do feltro avançar, para ouvir a queda abafada do martelo em ação. Duas folhas de papel pergaminho creme uma de reserva dois envelopes quando eu estava em Wisdom Hely um sábio Bloom Henry Flower comprou em Daly. Você não é feliz em sua casa? Flor para me consolar e um alfinete que fere vilmente. Tem algum significado, a linguagem da flor. Era uma margarida? Inocência isso é que é. Moça respeitável encontre depois da missa. Tremendamente muitamente obrigada. O sábio Bloom vislumbrou na porta um cartaz, uma sereia ondulante fumando no meio de ondas atraentes. Fumem sereias, a baforada mais fresca de todas. Cabelo escorrido: abandonada. Para algum homem. Para Raoul. Ele olhou e viu distante na ponte de Essex um chapéu alegre passando num carro de passeio. É. De novo. A terceira vez. Coincidência. Saltitando de galochas flexíveis ele vagava da ponte para o cais de Ormond. Seguir. Arriscar. Ir rápido. Às quatro. Perto agora. Fora. – Dois pence, senhor – a vendedora da loja

ousou dizer. – Aha... Eu ia me esquecendo... Me desculpe... – E quatro. Às quatro ela. Insinuantemente ela para Bloomelequem sorriu. Bloo sor ráp ir. Btarde. Pensa que é o único ser existente no mundo? Faz isso com todos. Para os homens. Num silêncio sonolento ouro se inclinou sobre a página. Do salão veio um chamado, longo em sua agonia. Era o diapasão que o afinador tinha esquecido e que agora ele soava. Um chamado novamente. Aquilo ele agora sustentou no ar aquilo ele agora pulsou. Você ouviu? Pulsou puro, mais puro, suavemente e mais suavemente, seus pinos murmurantes. Mais longo no chamado agonizante. Pat pagou pela garrafa do comensal arrolhada com estampido: e por sobre o copo de vidro, a bandeja e a garrafa arrolhada com estampido antes de ir ele sussurrou, calvo e aflito, com a senhorita Douce. – As estrelas brilhantes empalidecem... Uma canção sem palavras cantou do íntimo, cantando: – ... desponta a manhã... Uma dezena de notas aladas trinaram numa alegre resposta tríplice sob os dedos sensíveis. Alegremente as teclas, todas cristalinas, unidas, todas arpejos, apelavam para uma voz que cantasse a melodia da alvorada, da mocidade, da despedida amorosa, da vida, da manhã de amor.

ouro de perto ao lado de bronze de longe. desesperançada. – Ela caiu ou foi empurrada? – ele perguntou a ela. rosa de Castela: aborrecida.. rosa de Castela. Mas a .. saudando: – E eu de ti. Os lábios de Lenehan por cima do balcão balbuciaram um assobio discreto como chamariz. Como uma dama. caminhando cautelosamente. O tilintar vagou junto à calçada e parou. Lenehan ouviu e soube e o saudou: – Eis o herói conquistador que chega. sonhadoramente rosa.. Gato preto macho cauteloso andava em direção à pasta legal de Richie Goulding. Os elegantes sapatos castanho-amarelados de Blazes Boylan rangeram no chão do bar ao caminhar. – Eu soube que você estava por aqui – disse Blazes Boylan. – Mas olhe para aqui – disse ele –. com desprezo: – Não faça perguntas e não ouvirá mentiras. Me ver ele podia.– A pérola gotasdeorvalho.. Sim. uma verdadeira dama. Ele tocou para a senhorita Kennedy na aba de seu chapéu de palha inclinado. Ela respondeu. Ela se levantou e fechou o que lia. O assento em que ele se sentava: quente. Ela sorriu para ele. Entre o carro e a janela. ia Bloom o herói inconquistado. erguida nas alturas.

ajeitando para ele sua cabeleira mais volumosa. Às quatro ela. Richie passou à frente. tão alto. Ver.irmã bronze sorriu ainda mais do que ela. Aqui dentro. – O que você toma? Um copo de bitter? Por favor. Esperar. Boylan encomendou bebidas. – Ó! Ó! – se sacudiu Lenehan. seu seio. Alô. A senhorita Douce se esticou para pegar uma garrafa de vinho. Goulding uma chance. Acho que vou me juntar a você. um seio e uma rosa. – Por que a senhorita não cresce? – perguntou Blazes Boylan. Elabronze. Sentar firme ali. Bloom seguiu a pasta. um copo de bitter e uma aguardente para mim. Jantar digno de um príncipe. sem ser visto. Ainda não veio o resultado? Ainda não. É mesmo? Sala de jantar. e com voz . Quem disse quatro? As orelhas vermelhas de Cowley e seu pomo-deadão saliente na soleira da porta do escritório do xerife. – Ó! Mas facilmente ela segurou sua presa e a abaixou triunfalmente. Evitar. o Ormond? O melhor negócio em Dublin. olhou enquanto o líquido escorria (flor no paletó: quem lhe deu?). Venha. estendeu seu braço de cetim. Para onde você vai? Alguma coisa para comer? Eu também estava justamente. O que é que ele está fazendo no Ormond? Carro esperando. O quê. arquejando a cada esticada. que por pouco não estourava. servindo com sua garrafa inclinada licor grosso para os lábios dele.

me pergunto quem deu).. Um estalido. entreabertos. Ela retiniu.melosa: – Os melhores perfumes em pequenos frascos. Lenehan bebeu ainda e sorriu para o copo de cerveja inclinado e para os lábios da senhorita Douce que quase cantarolavam. Os mares orientais. – A que horas é? – perguntou Blazes Boylan. – Cetro vai ganhar facilmente – disse. A senhorita Douce pegou a moeda de Boylan e bateu com força na caixa registradora. levando para longe a bandeja de chá.. erguendo sua cerveja espumosa. O relógio estalou. O relógio zumbiu. Idéia de um amigo meu. O relógio estalou. – Eu fui um pouco longe demais – disse Boylan piscando os olhos e bebendo. Ele atirou uma moeda grande no chão. – Saúde – desejou ele. A senhorita Kennedy passou por eles (flor. – Quatro? . Para mim. A moeda girou. – Espere – disse Lenehan – até que eu. sabe. O que quer dizer ela. A bela do Egito provocou e separou o dinheiro na gaveta da caixa e cantarolando entregou moedas de troco. Idolores. – Não por iniciativa própria. a canção do mar que seus lábios haviam gorjeado. Olhe para o poente. Caprichosamente ela derramou lentamente o abrunho melado. – À sua saúde – disse Blazes.

Às quatro.. Paciência.Horas. paciência. uma mesa perto da porta. uma nota aguda ressoou límpida na voz de soprano. – Eu não podia te abandonar. Ele nunca ouviu. Será que ele esqueceu? Talvez um truque. Collis. Ficar perto. puxou Blazes Boylan pela manga da camisa. agora – urgiu Lenehan. Não vir: aguçar o desejo. Bronzedouce em comunhão com sua rosa que afundava e se erguia procurava a flor e os olhos de Blazes Boylan. – Por favor.. com os olhos esfomeados no cantarolar dela. – Não há ninguém. – Vamos – insistiu Lenehan. Lenehan.. Eu não poderia fazer. por favor. Ao acaso ele escolheu com agitado propósito. sendo assistido pelo calvo Pat servindo. O azul cintilante de bronze olhou para a gravataborboleta azulceleste e os olhos de Blazul. – . Aguda. providente. Pat. – Não. – Sonnez la . A pasta de Goulding. apressou-se para os lábios de Flora. o seio cantarolando.. Ward conduzia Bloom pelo campo de centeio das mesas floridas. – Vamos ouvir a hora – disse. Ele apelou novamente revidando frases de confissão. pacientava. – Daqui a pouquinho – prometeu timidamente a senhorita Douce.

– Sonnez! Estalido. deslizando em direção à luz. – Vamos! Toque! Sonnez! Inclinando-se. sorriu suavemente para Boylan. os mantendo em suspenso.cloche! Ó por favor toque! Não há ninguém. se inclinando. Rápido. vacilando. olhou. Inclinação súbita. seguiram a cabeça deslizante dela que atravessava o bar pelos espelhos. vinho branco do Reno e clarete. Retardou. Levou o cálice aos seus lábios grossos. Nenhuma serragem ali. onde sob o arco dourado bruxuleavam copos de cerveja. dentro de sua meia quente. se encontraram novamente. Ela olhou. sugando as últimas gotas violetas espessas melosas. e o perderam e encontraram. Ela soltou de repente em rebote sua liga de elástico que segurava e que estalou quente contra sua coxa. Boylan. Seus olhos fascinados seguiram. Escarneceu deles ainda uma vez. A senhorita Kennedy fora do alcance do ouvido. Vibrando os acordes se perderam no ar. perderam o acorde. – La cloche! – gritou contente Lenehan. – O senhor é a essência da vulgaridade – disse ela deslizando. olhou. esvaziou com um só trago o cálice minúsculo. com um olhar decidido. mas. Ela sorrisoafetado arrogante (chorou! os homens não são?). uma . ela segurou uma ponta da saia acima de seu joelho. – Treinada pela dona. Dois rostos excitados observavam a inclinação de seu corpo.

– Espere um instante – rogou Lenehan. – Eu queria lhe dizer. nós vamos pôr – cantou Ben Dollard . saindo. – Hoho. – Como vai Sr. Ele seguiu os sapatos rangentes apressados mas ficou a postos junto à soleira da porta. no espelho. Tom Rochford. abandonando por um instante o infortúnio de padre Cowley. Sim. – Espere. Estou indo. meu amor. Ele empurrou seu cálice vivamente e apanhou seu troco. Suspirando o Sr. adeus! – Vou-me embora – disse Boylan com impaciência. uma corpulenta com uma esbelta. – .concha pontiaguda.. – Está tendo uma ereção ou o quê? – disse. bronze com bronze mais luminoso. Lenehan engoliu apressado para sair.. Alf Bergan vai falar com o camarada comprido. – Venha dizer a Blazes – disse Blazes Boylan. Bob. em que se projetava. Dedalus atravessou o salão. com um dedo esfregando a pálpebra. Vamos pôr desta vez uma bagatela no ouvido desse Judas Iscariote. bronze de bem perto.. Dollard? – Einh? Como vai? Como vai? – respondeu a voz vaga de baixo de Ben Dollard. cumprimentando formas. bebendo rapidamente.. – Ele não vai lhe causar nenhum problema.

ignorados. Tilintar. Como está quente esse escuro. Seus calos. – Amor e Guerra. – Deus esteja com os velhos tempos. Dedalus. garçom aflito. Suas patas gotosas executaram acordes. bronze distante. Ele partiu. Sidra. Ele se deixou cair pesadamente Dollard no banco. aguardava os pedidos de bebida. E Bloom? Vejamos. Me dê uma canção. Com um ligeiro soluço de respiração Bloom suspirou para as flores azuladas silenciosas. O calvo Pat. Bloom ouviu um tinido. Ouvir. Tilintando. ele queria uísque Power e sidra. meu caro. – Vamos. Me deixe ver. na frente deles (segure esse camarada com as: segure ele agora) para dentro do salão. pararam abruptamente. Naturalmente é um pouco enervante. Quatro horas agora. Nós ouvimos o piano. Uísque Power para Richie. se desviaram da persiana. Aflito. Simon. Não deixe ele andar duas vezes. – O que é isso? – disse o Sr. Vamos. Bronze junto à janela. Bob. vamos – chamou Ben Dollard. castigados pela . Lá foi ele caminhando Dollard. – Eu estava só improvisando. Ben – disse o Sr. com as calças folgadas avantajadas. Sim. Os olhos intrépidos da senhorita Douce. Refrata (não é?) o calor.jovialmente em falsete. – Vamos. observava. O calvo Pat encontrou na porta ouro sem chá que retornava. O tilintar de um retinir que vagava. Dedalus. Ele se foi. – Fora com a preocupação enfadonha. uma garrafa de sidra. Executaram. um pequeno som.

do acorde perdido. Richie e Poldy. – O pobre velho Goodwin era o pianista naquela noite – lembrou-lhes padre Cowley. Ele era um velho excêntrico no primeiro estágio da bebida. nada primoroso contraste nãoprimoroso. – E por Deus eu não tinha nenhum traje de casamento. ela baixou a persiana por meio do cordão deslizante.luz solar. penumbra profunda lenta tépida sombria verdemar. O calvo Pat trouxe as bebidas dos dois comensais. Todo o trio riu. – E por falar nisso. Ele não tinha nenhum tra. . acima do bar em que o calvo estava ao lado da irmã ouro. E padre Cowley riu novamente. creio. Dedalus. contraste nada primoroso. dando as costas para o teclado castigado. Dedalus. – Nosso amigo Bloom se mostrou prestativo naquela noite – disse o Sr. – Eu salvei a situação. castigada (a luz castigante). – Um simpósio só dele – disse o Sr. Ben. Havia mesmo. onde está o meu cachimbo? Ele caminhou de volta para o bar em busca do cachimbo perdido. Nenhum traje de casamento. – Meu Deus. vocês se lembram? – Ben corpulento Dollard disse. – Havia uma ligeira diferença de opinião entre ele e o piano de cauda Collard. eau de Nil. Pensativa (quem sabe?). Ela puxou para baixo pensativa (por que ele foi tão depressa quando eu?) em volta de seu bronze. – Nem o demônio o faria parar. Partiu. Eles riram todos três.

Certo. O quê? Uma quantidade enorme de chapéus de bico e boleros e calções largos. Pat. Vocês se lembram? Ben se lembrava. sim – assentiu o Sr. com seu rosto largo conjeturando. – A Sra. Dedalus recuou. – Eu me lembro daquelas calças apertadas também. Cal apertadas. Padre Cowley corou até seus brilhantes lóbulos purpúreos. Certo. – Eu sabia que ele estava no miserê – disse ele. – A mulher tocava piano no palácio do café aos sábados por uma miséria e quem me deu a dica de que ela tinha aquele outro negócio? Vocês se lembram? Tivemos que procurar por toda Holles Street para encontrá-los até que o camarada em Keogh nos deu o número. Dedalus. ela dispunha ali de algumas capas para teatro verdadeiramente suntuosas e coisas no gênero. Marion Bloom tem roupas usadas de todo tipo. . Foi uma idéia brilhante. Idé brilhante. – Estilo elegantíssimo Merrion Square. – Por Deus.– Salvou sim – asseverou Ben Dollard. Tilintar do cabriolé pelo cais abaixo. Fígado e toucinho defumado. Ele salvou a situa. O quê? – Sim. Bife e torta de rim. O Sr. trajes de gala que eram o máximo. Ele não quis aceitar nenhum vintém por eles. Vestidos de baile. com o cachimbo na mão. meu Deus. Blazes esparramado sobre os pneus saltitantes. Bob. senhor.

moelas cheias de nozes. – É isso aí. Marion. acendeu. – Irlandesa? Não sei.. 4 Lismore Terrace.. saborosa. Ó. Ela está viva? – E bem viva forte e ativa... pensativas todas as duas. Pat serviu.. forte. Mina Kennedy... Marion. Conforme dito anteriormente ele comia com prazer os órgãos internos. Dolores. – Meu bucinador está. Minha irlandesa Molly. silenciosa. tragou depois uma baforada saborosa. Drumcondra com Idolores.. Ele soltou uma baforada um pungente sopro emplumado... – Como era mesmo o nome dela? Uma mocinha rechonchuda. – Filha do regimento. por todo o caminho. uma baforada.. na verdade. Leopold cortou fatias de fígado. bronze junto ao marasquino. por Deus. O Sr. ovas de bacalhau fritas enquanto Richie . Ó ela é. – Do rochedo de Gibraltar. que sibilou. O quê?. Dedalus acendeu um fósforo. – Sim. Cheiro de queimado.? – Tweedy. ouro junto à bomba de cerveja.. – Ela era uma filha do. De Paul de Kock. Elas definhavam na penumbra profunda do oceano. Levemente enferrujado. pratos descobertos.. Metem psi coisas. uma rainha. Ela é. Simon? Depois uma baforada dura..Sra. Eu me lembro do velho tambor-mor. Bonito nome o dele. crepitante.

Você tem a? Ereção. Ele parou. retumbando novamente acordes bombardeantes. Com riso abundante o barbado Dollard se sacudiu sobre o teclado. com leve batida do chicote. O rufar de Benalmabenjamin rufou para os painéisdoteto trepidantes trêmulosdeamor. você estouraria o tímpano dela. sentada quente a impaciência de Boylan.. homem de Deus – disse o Sr. Sacudiu a imensa barba. Bloom e Goulding. Acima das vozes deles o ataque fagoteante de Dollard. – Eu estava pensando no seu senhorio. Por Bachelor’s Walk com lépidas sacudidelas tilintava Blazes Boylan. Você tem a? Ere ere ereção. – Sou mesmo – riu Ben Guerreiro. ardente destemida.Goulding. Ereção. o rosto imenso sobre seu imenso disparate. – Certamente. comeram. com um órgão como o seu. Ward comia carne e rim. ao trote das ancas lustrosas da égua. esparramada sobre pneus saltitantes. Dedalus através do aroma da fumaça –. – Isso para não mencionar uma outra . pedaço por pedaço de torta ele comeu Bloom comeu eles comeram. – Quando o amor absorve minh’alma ardente. – Você é o guerreiro. casados em silêncio. carne e depois rim. – Guerra! Guerra! – exclamou padre Cowley. Collis.. Amor ou dinheiro. solteiro. sob o sol a pino. Refeições dignas de príncipes. Evidentemente.

disse o primeiro cavalheiro. disse o primeiro cavalheiro. Ouro ao lado de bronze ouviu o aço ferroso. minh’alma ardente Não ligo pa-ara o futuro. nem um pouco. Ó. A maneira que ele olhou aquilo. ela não precisava se incomodar. ela não saberia dizer. Amoroso ma non troppo. Ela deixou escapar uma observação. Não. Vice-rei. chutando.. No molho de fígado Bloom misturou o purê de batatas. eu nunca ri tanto em minha vida! Bem. Ela brandia pra lá e pra cá o Independent todo aberto.membrana – acrescentou padre Cowley. Mas estaria nos jornais. estou ensopada! Ó. A noite em que ele correu para nós para tomar emprestado o terno a rigor para aquele concerto.. os pináculos de seu cabelo se movendo lentamente. Jogou o corpo para trás na cama. Trabalho demais.. Ó. O tempo estava realmente muito bonito. A famosa de Ben Dollard. procurando. A senhorita Kennedy serviu dois cavalheiros com canecões de cerveja fresca. Deixe-me fazer. Amor e Guerra alguém está. as mulheres na primeira fila! Ó. Ó meus santos do céu. Calças apertadas como um tambor nele.. o vice-rei. gritando. é isso com certeza que lhe dá aquele baixo barriltom. – A metade do tempo... – . Nenhum incômodo. Leitõescevados musicais. Eles beberam a cerveja fresca... Eu me pergunto . Molly riu pra valer quando ele saiu. Por exemplo os eunucos. Ela por acaso sabia aonde o vice-rei ia? E ouviram cascosdeaço cascosretinintes soar. vice-rei. Ben.. Com todos os pertences dele à mostra..

que entrava. Ninguém aqui: Goulding e eu. Lidwell. Sabe qualquer nota que você toque. ela estava de volta. entre os atos. Piano novamente. o olho na extremidade do arco. esvaziando a saliva. As pernas do regente também. Musical. cavalheiro. guardanapos como mitras. Tarde. Maneira como se senta nele. Compreensão mútua. Pat de um lado para o outro. Parou. O ronco dela alto e longo. Lydia Douce. Faz bem em escondê-las. Trombone embaixo soprando como uma respiração ruidosa. Aquele camarada no Burton. Mesas limpas. todas saltitantes. delicado. Ela entregou sua mão úmida (de uma dama) para o seu firme aperto. segurou uma lydiamão. cartilagem viscosa. flores. em suas calças bufantes. Nada a fazer. serrando o celo. Um lindo toque. Sim. . como uma coisa só. Bloom comeu fig como dito antes.quem está tocando. Para o velho dinguedongue novamente. – Seus amigos estão lá dentro. Deve ser Cowley. solicitou. George Lidwell. se inclinou para o sofisticado advogado. A senhorita Douce. insinuante. Calvo Pat. Tem mau hálito. O mais vantajoso em Dublin. pobre coitado. outro instrumento de metal desatarraxando. Sr. George Lidwell. Limpo aqui pelo menos. É Cowley. Boa-tarde. lhe faz pensar em dor de dente. Cansativos modeladores arranhando violinos. Tilintar. A noite em que estávamos no camarote.

Suavemente ele cantou para uma enferrujada passagem marítima ali: Uma Última Despedida.. uma vela sobre os vagalhões. Moça a tocou. diabos o levem – resmungou Ben Dollard. alguém querido. amor. Moço. seu véu ondulado sobre o vento sobre o promontório. criatura – disse o Sr. – Vamos. – Ah. meus dias de festa . Nós somos suas harpas. – Deixe que saia aos poucos. Na parte da frente do palco ele deu uns passos.Saltitante o tilintar lépido lépido. Encantadora. Ela acenou. Dedalus. Roucamente o pomo-de-adão de sua garganta enrouqueceu suavemente. Velho. sem ouvir Cowley. com seus longos braços estendidos. Fortemente. Mãos tépidas. Uma moça encantadora. alto em sua aflição. Apenas a harpa. Simon. para o vento. Simon – disse padre Cowley. Ele. Um promontório. vento à volta dela. Ben Howth.. para alguém que partia. – M’appari. seu véu. Navio dourado. realmente. apático. vela veloz. Adeus. Popa de um gracioso. tímido. eu não poderia. Molho está bem bom digno de um. grave. – Ah. A harpa que uma ou duas vezes. Cowley cantou: – M’appari tut amor: Il mio sguardo l’incontr. um navio. retorne. Eu. – Vamos. os rododendros. Luz dourada fulgente. Erin.

Carne. disse Richie: Sonnambula. RapazMaas. confusas. – Toque no original. Ah. Simon. A mais bela ária de tenor jamais escrita. Passou pelo caramelo de abacaxi de Graham Lemon. confessaram. As teclas. purê. Na parte de trás do palco andou padre Cowley. – Levante-se. O Sr. pão amassado. Ele ouviu Joe Maas cantá-la uma noite. pela casa de Elvery’s Elephant com som tilintante e sacolejante. valendo na verdade um guinéu a caixa. Com dor nos rins ele. À sua maneira.. Próximo item no programa. Um tenor lírico se você quiser. Canta também: Estirado .. Nunca. Nunca se esqueça disso..terminaram. uma carne digna de príncipes sentavam-se os príncipes Bloom e Goulding. que M’Guckin! Sim. Power e sidra. tocou nas teclas obedientes. Estilo rapaz de coro. Um bemol. se elevaram cada vez mais.. Ora. – Aqui. O rapaz era Maas. Pílulas. Ben. fígado. Príncipes na refeição eles ergueram as taças e beberam. contaram. obedientes. Olhos brilhantes de nefrite. Pagar o flautista. Por sobre o toucinho defumado sem fígado Bloom contemplou afetuosamente a tensão dos traços contraídos. Evite-o por enquanto. vou acompanhá-lo – disse ele. falharam. – Não. Dedalus colocou seu cachimbo para repousar ao lado do diapasão e. Simon – virou-se padre Cowley. rim. sentando.

Exigente sobre sua bebida. Rapsódias sobre tudo. Toda chamada muito nova demais se perde no todo. Mentiroso fantástico. Melhor negócio em. Richie alçou os lábios fazendo beicinho. Apoderando-se dos meus temas ele os torceu e inverteu. água fresca do Vartry. bons dentes dos quais se orgulha. Sem tirar partido disso. Acredita em suas próprias mentiras. Como se faz isso? Tudo perdido agora. Está perdido. E quando solicitado nenhum vintém. Torta de rim. Pesaroso ele assobiou. Bêbado recusa-se a pagar a passagem. No paraíso do Royal Theatre com o pequeno Peake. Fraqueja. Um malviz. perdido. Escamotear palitos de fósforo dos balcões para economizar. – Que canção é essa? – perguntou Leopold Bloom. Doces para o. A respiração dele. Apropriado. Tipos estranhos. . Nunca Richie esqueceria aquela noite. Enquanto ele vivesse: nunca. Um melro eu ouvi no vale dos espinheiros. Som precioso. doçuradepássaro. Uma incipiente nota em surdina da doce banshee murmurou: tudo. Mas lhe falta uma boa memória. Um tordo. Duas notas numa só ali. E então desperdiçar um soberano em bobageira. se rende. Vai se sair agora com uma grande mentira. E quando a primeira nota.entre os Mortos. flauteou com mágoa queixosa. Power. – Agora Está Tudo Perdido. Quão suave a resposta. Acredita mesmo. As palavras se detiveram nos lábios de Richie. Típico dele. Defeito no copo. Eco.

Ordem. Perdão. Ele também a conhece bem. Soa melhor do que na última vez em que ouvi. – Uma linda canção – disse Bloom perdido Leopoldo. Sim: está tudo perdido. Parou de novo. Simon. – Senhoras e senhores. Rosto de tudo está perdido.Bloom inclinou o ouvido de leopoldo. Ainda assim detê-la. Estrábico Walter senhor eu fiz senhor. Ainda repisando o assunto de sua filha. Dollard e Cowley continuavam a instar com o vagaroso cantor para que cantasse logo. Nunca em toda a sua vida tinha Richie Goulding. Agora cartas rogando dinheiro que manda por seu filho. disse Dedalus. Eu? Bloom o olhou de soslaio por sobre sua ausênciadefígado. Filha sábia que conhece seu próprio pai. Piano novamente. Mulher. – Eu a conheço bem. Tarde demais. Ela ansiava ir. – Vamos com isso. dobrando uma fímbria do guardanapo debaixo do vaso. Sim. Ou a sente. Corajosas. Não queria incomodar mas eu estava aguardando algum dinheiro. Eis por quê. Abanando sua orelha. eu me lembro. estou profundamente . Tilintar lépido. Inocência sob a lua. Provavelmente afinado. Desconhecem o perigo. Simon. Tocar a água. Tão fácil quanto reter o mar. Uma bela canção. Argola de guardanapo em seu olho. Chamá-la pelo nome. O Richie brincalhão de antigamente. – Vamos. Velhas piadas batidas agora. Dormindo ela ia para ele.

A porta do bar. pacientando para ouvir. vigilante arrastou para longe uma voz. Richie se virou. Assim. .. – Vamos com isso. Pat. o calvo Pat que é um garçom que ouve mal. junto da porta. – A voz de Si Dedalus – disse. para que deixasse entreaberta a porta do bar. pacientou. – Quando primeiro vi aquela figura cativante.. as faces atingidas pela flama. Perto da campânula de sanduíches protegida pela penumbra Lydia. eles escutavam sentindo aquela torrente cativante fluir sobre a pele os membros o coração humano a alma a espinha dorsal. Simon. prolongado. Com o cérebro tinindo de excitação. Basta. providente. – Não tenho dinheiro mas se vocês me emprestarem sua atenção eu vou tentar cantar para vocês sobre um coração oprimido. Bloom fez sinal para Pat. pois ele era meio surdo.agradecido por sua generosa solicitação. oferecia e recusava: como na glauca e fresca eau de Nil Mina aos canecões seus dois pináculos de ouro. Os acordes repetidos do prelúdio chegavam ao fim. com a graça de uma dama. Um acorde. seu bronze e sua rosa.

gloriosa. Cantando palavras erradas. Mãos para apalpar os opulentos. teste! Tome! Trema. Através da quietude do ar uma voz cantava para eles. desenlaçava. A cantiga de Cork mais suave o sotaque deles também. Apenas os dois eles próprios. Tilintar todo encantamento. Essa é a coisa certa. a clemência da beleza. em desejo. Bloom enrolou uma meada em volta de quatro dedos bifurcados. Parar. sua primeira palavra misericordiosa tãoamada de ternoamor.– . Fluxo de calor apertoaperto devorar em segredo se expandia para brotar na música. Ai de mim elevou-se a voz. Bom. enternecendo seus ouvidos serenos com palavras.. tremulou plenamente.. era um sonho vão. na sua bolsa. meia xícara de creme. relaxou. Ha. Tenores conseguem mulheres aos montes. Ternura ela se derramou: lentamente. Tilint. Mas difícil de dizer. Consumiu sua mulher: agora canta. não era chuva. trepando nela. salva... Como ainda é magnífico o seu timbre. Homem tolo! Podia ter ganho rios de dinheiro. Quando vamos nos encontrar? Minha cabeça ela simplesmente. É preciso ser abstêmio para cantar. não eram folhas em murmúrio. Palavras? Música? Não é o que está por trás. ai de mim. Quando eles viram pela primeira vez. – Mas.. Ali? O quê? Ou? Frasco de cachu. O saguão. Bater na porta. esticou-a. vibrante. A tristeza parecia me abandonar. Aumentam o desejo delas. se inflando. os corações serenos de cada um as suas vidas relembradas. Sopa de Jenny Lind: caldo de carne ou peixe. desatava. A antiga e doce de amor sonnez la ouro. baixo. Trepar. tamponando-a. Sua cabeça ela simplesmente rodopia. Atire flores aos pés dele. esplendorosa. – Cheio de esperança e todo encantamento. Bloom laçava. quádruplos dedos tensos. um pulsar orgulhoso ereto. Mantém-se em forma apesar dos pesares. ovos crus. Nervos hipersensíveis. como nenhuma voz de instrumentos de corda ou de sopro ou comovocêaschama cítaras. Perfumada para ele. Ele não pode cantar para cartolas. ouviram de alguém de quem nem um pouco esperavam. em óctuplo. Bebida. bom de ouvir: a tristeza de cada um deles parecia abandonar os dois assim que começaram a ouvir. . suspirando. Richie e Poldy perdidos. Seus pés e mãos também cantam. Bloom. Bloom lentamente desenrolou a tira elástica de seu pacote. Último olhar para o espelho antes que ela abra a porta. atava. balas que favorecem o beijo.. atochando-a. para sobrepujar na escuridão o fluxo invasor. Se ele não sucumbir. Lá? Como vai? Vou bem. alterada: sonora. um tremor. Que perfume sua mulher? Eu quero saber. Para um sonhar cremoso. Amor que canta: a antiga e doce canção de amor. Tocandoa. e enrolou-a em volta dos duplos. e os atou firmemente.

Parar. Pois apenas por ela ele esperava. Trepar. fluxo. ambos fartos. Voz cheia de perfume de que perfume seus arbustos de lilás. É Martha mesmo. Eu o chamei de menino levado. Inundação. Que nome bonito você tem. no entanto. Sob uma pereira no pátio solitário a esta hora na velha Madri um lado na penumbra Dolores eladolores. sedutora. – Martha! Ah. – Ve-em. Em algum lugar. Uma esperança. conquistaram o coração de Pat Bloom. como o olhar. Explicaria melhor. Seguila. tua tão querida! Sozinho. Ainda assim ouço melhor aqui do que no bar embora mais longe. Trepar. Um amor. Todos olharam. Girando girando lentamente. de poder ver o rosto dele. jatodealegria. – . Uma volta rápida. Ela é uma. Onde? Aqui ali tente ali aqui todos tentam onde.. A mim.. jato. Lydia para Lidwell o esganiçado difícil de ouvir tão refinado a musa esganiçou um raio de esperança. Cada olhar cheio de graça. Por que ela a mim? Destino. Ah. Num grito de lionel a solidão que ela deve conhecer que martha deve sentir. Coincidência. Aceite meu pequeno pres.Poros a se dilatar se dilatando. Um conforto para mim. Todos os espoliados olharam. A primeira noite em que a vi em Mat Dillon em Terenure.. a palavra encantaram a ele Gould Lidwell. Seios eu vi. A canção de Lionel.. Derramar por sobre as comportas jatos torrenciais. Destino. Primeiro eu vi. Nós dois. Ela me agradeceu. mais fraca mas incessante. Nós dois as últimas. Seduzindo. Cadeiras musicais. tremulardecópula. Martha. garganta gorjeando. Esperando ela cantou. Olhos espanholados. Já ia escrever. Gostaria. Por que o barbeiro em Drago sempre olhava para meu rosto quando eu falava com seu rosto no espelho.. Ainda o nome: Martha. com renda preta. Joelhos amarelos. Aí está! Linguagem de amor. Como ele viu pela primeira vez aquela figura tão cativante. Virei a página de sua música.. – . Ela se sentou.. volta! . Que estranho! Hoje. num grito de paixão dominante ao amor para que ele voltasse com acordes profundos e crescentes de harmonia. A voz de Lionel retornou. Ela cantou de novo para Richie Poldy Lydia Lidwell também cantou para Pat de boca e ouvido bem abertos pacientando para providenciar. tua fé perdida! Ve-em. Tocar nas cordasdocoração dela cordasdacarteira também.. Ela vestia amarelo. como a tristeza pareceu se esvair. A alegria o sentir o calor o... dó de peito. Lábios rindo. – Encantava meus olhos. Irradiante. Não posso escrever. Cantando. Destino. Martha! Abandonando todo o langor Lionel gritava de desgosto. raio de esperança é. a figura.

servindo mal. Nunca se esqueceria daquela noite. um pássaro. Ben Dollard. Vem. no calor. alto. Bravo! Clepeclepe. Simon. Os elegantes sapatos castanho-amarelados de Blazes Boylan rangeram no soalho do bar. admirando. admirou. Deus do céu ele nunca ouvira em toda a sua vida uma nota como aquela nunca mesmo então . A senhorita Kennedy sorriu com afetação. para ele. um rápido grito puro. Cowley. Admirando. Cloche. Lentamente demais para Boylan. para ela. a infinininitude. Então você cantaria. não prolongar o sopro longo longo demais ele o sopro de longa vida. do seio etéreo. ininterrupto. alto na refulgência simbólica. se apressando. Cloche. morreu no ar mais enriquecido. Mais devagar a égua subiu o morro pela Rotunda. Consumido. disseram. Lidwell sua Guinness. lábios de coral. Som de uma campainha.– Vem.. E Richie Goulding bebeu seu Power e Leopold Bloom sua sidra bebeu. Lionel Simon. mim. Ela não se importava. Ela deveria vir. Tilintar pelos monumentos de sir John Gray. inflamado. Muito bem. riu. Tom Kernan entrou pomposamente. – Para mim! Siopold. tecia elogios à voz gloriosa daquele homem.. deteve seu vôo. Pat. – Sete dias na cadeia – disse Ben Dollard – a pão e água. nós. Lydia Douce. o segundo cavalheiro disse que eles iam compartilhar mais dois canecões se ela não se importasse. Sonnez la. para você também. Rutland Square. coroado. primeiro cavalh com canecão e bronze senhorita Douce e ouro senhorita Mina. Todos aplaudiram. George Lidwell. O clangor renitente dos acordes de Cowley se dissipou. Padre Cowley tocou. Bem cantado. alto. Mina Kennedy serviu. assentoquente. sacolejava a égua.. da vasta irradiação elevada em toda parte planando todo em toda volta em volta de tudo. Horatio maneta Nelson. ao segundo. como acabado de dizer há pouco. Ele se lembrava de uma noite muito tempo atrás. Encore! Clepeclipeclepe clepe. elevado na órbita prateada saltou sereno. Clepiclepeclepe. como um tordo de jardim. Si cantou Era Classe Social e Fama : no caso de Ned Lambert era. Simon! Clepeclopeclepe. Segundo cavalheiro pagou. Richie. dois cavalheiros com dois canecões. planando alto. Lydia. inflama Boylan. altamente resplendente. Sonnez la. vagava. Trotando. enclepe. reverendo padre Theobald Mathew. Vem.! Ele pairou. Encore. como dito antes. ao primeiro. cantor. admirou. gritaram aplaudiram todos. Bravo. para vir. impaciência Boylan. Mas Bloom cantou em silêncio.. Simon. Para mim. Mina Kennedy.

Enquanto o grandalhão Ben Dollard falava com Simon Dedalus. mais. Dedalus cantou Era Classe Social e Fama. Eu também. um rubor se debatendo em seu pálido. Que . Vibrações. Tua fé perdida. Eles cantam. Agora o ar silencioso. E veja. Enquanto Goulding falava da produção vocal de Barraclough. – Não tome tanta intimidade – disse ela – até nos conhecermos melhor. ouviu ele. Todas as canções sobre esse tema. George Lidwell lhe assegurou que realmente verdadeiramente: mas ela não acreditou. Ele esticou mais. Esquecido. No entanto Bloom estica ainda mais seu cordão. Sr. Parece cruel. tangeu. Desavença creio. Aquela voz era uma lamentação. Cunhados: parentes próximos. acendendo o cachimbo que fumava. Corpus paradisum. A senhorita Douce retirou seu braço acetinado. maravilhosos. Deixá-la: ficar cansado. Bloom. O primeiro cavalheiro disse a Mina que era isso mesmo. Estalou. Sr. que. que tocava um solo. Pancada na cabeça. Váproinferno foradisso. Ela zumbiu. A voz humana. assentia enquanto fumava. Mais calma agora. Vida humana. Bloom. Richie. Choramingar. Bloom. Nós nunca nos falamos quando nos encontramos. mais do que todos os outros. Ele o admira ainda mais. Seus cabelosloslosvolumosossossos des penteados. Sofrer então. que assentia com a cabeça enquanto tocava. retornando em uma espécie de arranjo retrospectivo falava ao ouvinte padre Cowley. Grandes olhos espanholados arregalados para nada. É no silêncio depois que você sente você ouve. Tilintar por Dorset Street adentro. Ela perguntou a ele se era isso mesmo. E o segundo canecão disse a ela que era isso mesmo. Explos. lhe contava. Partiu. Deixar as pessoas se apaixonarem uma pela outra: induzi-las. Ufa. em que Si na casa de Ned Lambert. escutou enquanto ele. dois mínimos acordes sedosos. cantar Era Classe Social e Fama em sua. Arrastou e puxou. o rabo daquele rato que se retorcia! Cinco shillings eu dei. Codornizão crocitador: ventre como o de cachorrinho envenenado. Ele. Dignam. enquanto Tom Kernan. Contudo feliz demais chateia. E um dia ela com.sua falsa é melhor nos separarmos tão clara tão meu Deus ele nunca ouvira uma vez que não existe amor uma voz excelente não existe pergunte a Lambert ele pode lhe dizer o mesmo. sobre a noite em que ele. Bloom desentrelaçou seus dedos cruzados e com dedos vagarosos puxou a tira frágil de categute. Em seguida separá-las violentamente. A noite em que Si cantou. casa. contou ao Sr. rosto sobre a noite. Richie Goulding. Trata-o com desprezo. Si Dedalus. Goulding. a de Ned Lambert. reprovadora. satisfeita. Você não é feliz em sua? Tangeu. Morte.

a senhorita Kenn: Lydlydiawell: o canec. Um mataborrão para secar. corrida de obstáculo. a menina. cantando suas barcarolas. não. não acreditou: a senhorita Kennedy. Ele não vê minha mágoa. não acreditou: George Lidwell. Mina. Mas suponhamos que você dissesse desse modo: Martha. Trata-se de números. Tudo isso devido ao som. Ele foi. Ele foi. E você pensa que está escutando o etéreo. Um mata-borrão. Algumas linhas bastarão. Uma pena e tinta. Meu presente. Penas no correio são mastigadas e torcidas. – O número mais sensacional em toda a ópera – disse Goulding. Deviam ser inventados mudos para isso. Ainda assim sempre bom de ouvir. Era a única linguagem disse o Sr. não: não acreditou. Eu comprei Blumenlied para ela. Calvo Pat surdo trouxe mata-borrão raso e tinta. Ao começar tudo bem: então ouço acordes um pouco desafinados: me sinto um pouco perdido. através de cercasdearame. o surdo Pat. – Sim. por cima de barris. Pode ser o que você quiser. não: a senhorita Dou não acreditou: o primeiro. Porta dos estábulos perto de Cecilia Street. O tempo rege a melodia. Depende do estado de espírito em que você se encontra. quero dizer. Exceto escalas acima e abaixo. – Sim – disse o Sr. Uma menina a tocava lentamente. Dedalus a Ben. Ringabella. Milly não tem gosto para música. Duas juntas no vizinho do lado. Sempre descobrirá isso igual a aquilo. – É mesmo – disse Bloom. um envelope: despreocupado. Dois multiplicado por dois dividido pela metade é duas vezes um. Crosshaven. É tão característico. Vibrações: são acordes. Musamatemática. Pat foi. Quem é esse que escreveu? Se você sabe o nome você entende melhor. a senhorita Lydia. o primeiro: cavalh com o canec: acreditar. Quando menino ele os ouvira em Ringabella. Pat pegou prato travessa faca e garfo.aquilo era isso mesmo. Pegue uma folha de papel de carta. Toda aquela música italiana floreada é. O calvo Pat a um sinal se aproximou. Insensível tudo para seu próprio bem. Improvisando. A senhorita Douce. certamente. Pat depositou tinta e pena com mata-borrão bem raso. Dentro e fora de sacos. Um mais dois mais seis é sete. Simetria sob um muro de cemitério. Faça o que quiser com algarismos em malabarismo. Ele ouviu. O nome. sete vezes nove menos x são trinta e cinco mil. Estranho porque nós dois. O . Em toda música se você pensar bem. até que você ouça as palavras. Bloom. destrinçando a tira de categute retorcida. meninas aprendendo. Quero escutar atentamente. Melhor escrevê-la aqui. Por exemplo o que ele está tocando agora. É de cair duro. Firmemente. na noite em que cheguei em casa.

alfaiate e talhador. eu lhe direi. Se ela descobrisse. Coleman. É isso que faz o casamento. O canec. do número cinco no cais Eden. número trezentos e vinte e quatro. suas mulheres. Sofrimento inútil. Callan. vestido elegantemente com um terno de sarja azulanil feito por George Robert Mesias. Dois mais ou menos aqui. não dizer tudo. Quero sim. sondando onde eu vi isso. Sublinhar imposs. São cerca de oito. Não posso ver agora. ao luar com aqueles chapéus de terremoto. Retirado o cachimbo acre ele pôs a mão como um escudo ao lado dos lábios que arrulharam um chamado enluarado. O que é bom para um é bom para o outro. Por que você me chama de levado? Você levada também? Ó. Lembrar de escrever ees gregos. comprado de John Plasto do número um da Great Brunswick Street. Que chateação isso. Recebi sua car e flr. Para continuar. Ai meu Deus! Ai meu Deus! Fawcett. Chame-me daquele outro.porto de Queenstown cheio de navios italianos. Através do porto de Ringabella luarcarola. Digamos meia coroa. Outro planeta escreveu ela. Mairy perdeu sua corrente. Meu pobre presentin: r. Hein? Esse é o . Prossigamos. Cinco Dig. Não. Sete em Davy Byrne. Na extremidade do seu bastão Freeman se alinhava Bloom. Você despreza? Tilintar. no qual estava sentado um passageiro. Andando. um jovem cavalheiro. Manter-se jovem. Ouvi quando menino. Diacho onde é que eu pus? Em algum bols ou outr. sim. Verdade. Espero que ele não esteja olhando. ecoando. Um vintém para as gaivotas. Cartão no meu chap de luxo.p. esperto como um rato. motorista Barton James do número um da avenida Harmony. Elias está chegan. Não peça a ela nenhuma resposta. Que loucura estou escrevendo? Maridos não o fazem. você tem a? Tão excitado. Um carro de aluguel. Donnybrook. Você precisa acreditar. Ben. Continue. mude esse es. Aha! Justo quando eu estava olhando. Acredite. um chamado longínquo. Bloo mur: prezado senhor. com seu outro olho. Bloom molhou a pena. Sim. Bloom chateado tamborilou docemente no mata-borrão raso que Pat trouxe com dedos de eu só estou refletindo. Porque eu estou longe de. Isso. Minha paciência estão exaus. Não. Dignam Patrick. Aceite meu modesto presentin em anex. você sabe. É para escrever hoje. chapeleiro. que música. e usando um chapéu de palha muito chique. Ó Deus. Se elas não vêem. É. Você sabe o que eu quero dizer. Ele segurou desenrolado seu Freeman. dois shillings e seis. claro de perto. Ben. Escreva-me uma longa. Suponhamos. Querido Henry escreveu: querida Mady. Por hoje adeus. Mesclando suas vozes. É totalm imposs. Para continuar. Mulher. Mas como? Ela precisa.

Gostaria que eles cantassem mais.. De qualquer forma feito. Certo. – Respondendo a um anúncio? – perguntaram a Bloom os olhos penetrantes de Richie. Citações todo dia do ano. C. Ele pacienta enquanto você pacienta. Carro chegando lá agora. Hi hi. Calvo Pat que está aflito juntou os guardanapos em meia esquadria. Hi hi hi hi. Ande agora. Como você vai me pun? Você. O que ele está tocando agora? Improvisando. Melhor acrescentar pósescrito. Bloom. Naturalmente se eu não eu não perguntaria. Douce agora. P. Sabedoria enquanto você espera. Arrumando aqueles guardanapos. Um corpo. Ele pacienta enquanto você pacienta. Henry escreveu: Senhorita Martha Clifford c/o P. . nada feito. Aja. Pacientar enquanto você pacienta. Idéia do prêmio do Titbits. – Caixeiro-viajante. limitada. Bloom murm: as melhores referências. Só copiar do jornal. No roseiral de Gerard de Fetter Lane ele caminha. Falar. Basta. Me diga eu quero. Junto dos tubos reluzentes de Agendath da salsicharia de Dlugacz passava trotando uma égua de belasancas. Elas gostam de final triste. Shakespeare disse. P. Poético demais isso acerca da tristez. Lá réé. Intermezzo. Pat! Não fala. A música faz isso. Não gosto desse emprego. Vale postal. Alguma coisa que o detetive leu no mata-borrão. Mas aja mesmo. O. P. Mas Henry escreveu: isso vai me excitar. Pobre Sra. Casa do luto. Pat é um providente que pacienta enquanto você pacienta. O correio mais abaixo. Pat! Não ouve. Hóó. O ram tam tam. Um providente ele é. Eu me sinto tão triste hoje.: para cima. Dolphin’s Barn Lane Dublin Enxugar o outro para que ele não possa ler. P. sacudida por. Dii. Hi hi hi hi. Henry. Hi hi hi hi. Purefoy. Matcham freqüentemente pensa na bruxa risonha. Ele enxugou rápido com o mata-borrão de Pat. Callan. Ali. me punir? Saia torcida balançando. Bronze e rosa. Coleman e Cia. S. Tão só. Lá lá lá ré. selo. Murmurou: Srs. A música tem magia.tilintar que sacolejou e tilintou. Você sabe como. Uma vida é tudo. Ee grego. – Sim – disse o Sr. Falar. Me impediriam de pensar nisso. Triste se dissipa em menor. Douce Lydia. Cabeça dura é o que ele é. Às pressas. Envel. ruivoacinzentado. Por que o menor triste? Assinar H. Pago à base de um guinéu por col. Endereço. Ó. Lá lá lá réé. Um bocado de chão ele tem de percorrer o dia todo. Enquanto você pacienta se você pacientar ele vai pacientar enquanto você pacienta. Se pintarmos um rosto atrás dele ele vira dois. Ser ou não ser. S. Prometi encontrá-los em Barney Kiernan. Pat é um garçom meio surdo. Ande. Provavelmente. Saber.

Bronze junto a uma ouro exausta. você não vai mais cantar canções de amor. Entrada proibida a não ser a negócio. senhor Tom. Boylan balançou e Boylan se virou. foi simplesmente fantástico. George Lidwell segurou seu murmúrio. Torrada com manteiga. Ela segurou junto ao próprio ouvido. Eles pensam que ouvem o mar. Como é que Walter Bapty perdeu a voz. Cabelo trançado por cima: concha com alga marinha. Bob Cowley tecia. Sua cabeça ela simplesmente. Fato autêntico. Não. Tap. Tenores conseguem mulh. Lidwell. nada sozinha. Tão inconfundível. Por que elas escondem suas orelhas com cabelo de alga marinha? E as turcas a boca. ouvindo o espadanar das ondas. Uma yashmak. ousado Larry O’. Ah. com ela a segurando junto ao ouvido dele. O acompanhador tecia uma música lenta sob as palavras quentes de gim de Tom Kernan. Devia ter passado primeiro um creme para ficar morena. Meninas bonitas da beira da praia. Ilhas corpúsculos. A orelha dela também é uma concha. por Larry. Tap. Caminhadas ao luar junto ao mar. Ele fez isso. Salmoura no ouvido às vezes. Ele ouviu mais tenuemente do que eles ouviram. Pele bronzeada crestada. ruidosamente. Um rugido. ela não estava tão sozinha brejeiramente a cabeça da senhorita Douce informou o Sr. Ó e não posso esquecer aquela loção. longe. Canalha. Passando por Larry O’Rourke. cada uma para si mesma sozinha. É o sangue. um rugido silencioso. procurador. – Ouça! – ela lhe pediu. elas escutaram. Novamente. Bloom através da porta do bar viu uma concha alçada às orelhas deles. é um mar. Bem. Descobrir a entrada. Com quem? Com . por quê? Os olhos dela por cima do lençol. E veja que bela concha ela trouxe. gentilmente. Cowley se reclinou para trás. Da concha abandonada a senhorita Mina deslizou para seus canecões que aguardavam. com um sorrisodemar e sem responder Lydia sorriu para Lidwell. Bem. meu senhor. Realmente maravilhoso. Não. ouvindo: depois a pôs de lado. Tinha estado na praia. E através da pálida luz peneirada ouro em contraste deslizou. o lóbulo espreitador ali. perto. então cada um para o outro. o marido o pegou pelo pescoço.Ela se divertiu fantasticamente. Uma caverna. pudesse ouvir. agora ele ouviu. Para ouvir. Febre perto de sua boca. disse ele. Maravilhoso. Cantando. Para a extremidade do bar para ele ela trouxe alegremente a concha cheia de pontas e sinuosa para que ele. Encantadora. George Lidwell. realmente. – O que as ondas bravias estão dizendo? – perguntou a ela e sorriu. Ouça! Ele ouviu.

Como seda se rasgando. Não. galos. Podia fazer uma espécie de trocadilho com isso. Retinindo. Que beleza isso aí. Então eu sabia. serpentes sssibilam. Suavemente ele tocou de leve um compasso animado e tilintante para senhoras saltitantes. É um tipo de música em que muitas vezes pensei quando ela. Ben – disse padre Cowley. Gotas. – Qui sdegno. Os dedos de Bob Cowley tocavam novamente adejantes no som agudo do teclado. Ben – disse o Sr. maliciosas e sorridentes. vento. isso é ruído. A voz quando ele fala parece um badalo de um fole. toc Paul de Kock com um toque orgulhoso tocador com um toc bateubateu toc. A mera existência da música mostra que você é. O proprietário tem priori. olhe. – O Jovem Patriota. folhas. Miséria negra. Freqüentemente eu pensava que ela estava deprimida até ela começar a cantar melodiosamente. um. Psit. Agora. Chuva. Ó veja nós estamos tão! Música de câmara. Devido à acústica. Minueto de Don Giovanni é o que ele está tocando. Como aquelas rapsódias de Liszt. toc. Sacie-me. um: dois. e para seus galanteadores. Por quê? Minha alegria é uma outra alegria. Antes. o mercado de gado. um. – . O sapato castanhoamarelado as soquetes azulceleste e relógios de dândi Boylan pousaram de leve na terra. quatro. Pérolas. três. vacas mugindo. A maleta de M’Coy. húngaras. toc. a ressonância muda de acordo uma vez que o peso da água é igual à lei da queda da água. Gligloglu gliglogu gluglu.fidalguia ela respondeu: com um cavalheiro amigo. alguém bateu na porta. galinhas não cocoricam. Coc coc. de olhodecigana. Tap. Isso é acústica. Nunca escrevi algo assim. deve ser alegria. olhe. Olhe: olhe. John comprido. Isso é alegre posso sentir. aberta. Alguém bateu de leve na porta. Rostos verdes e famintos comendo folhas de begônia. Vasilhas vazias fazem muito barulho. um. – Não. Um pouco de tempo. Um: um. Gato guinchador. Talvez agora. Camponeses do lado de fora. Há música em toda parte. Dedalus. Sim. olhe. A porta de Ruttledge: ii rangindo. Vestidos de gala de todos os tipos nos quartos do castelo dançando. águas. Não podem suportar os intervalos dos homens. cavalheiros amigos. Ben grande. Nosso dialeto nativo. – Sim cante. Quero uma mulher que possa cumprir seus compromissos. Mas ambas são alegrias. Estou quente. Um branco em suas vozes também. trovão. Mar. Ben – interferiu Tom Kernan. Minha mulher e a sua mulher. Molly em quis est homo: Mercadante. Ginga jogada gingou parou. sombria. um. Minha orelha de encontro à parede para ouvir. olhe: você olhe para nós.

Eu me lembro: cordas resinadas. Eu vou. O venerável padre. ele não ficou parado. Quanto? Ele vêouve lábiosfala. Quanto é? – Que tom? Seis sustenidos? – Fá maior agudo – disse Ben Dollard. Preciso ir disse o príncipe Bloom ao príncipe Richie. Não. disse Richie. cante – imploraram em uníssono. Sim. Pensa que vai ser o vencedor no quebra-cabeça sobre poetas de Answers. Nós lhe entregamos cinco libras em notas. contou-lhes que o jovem entrara num saguão escuro. Dar-lhe dois pence de gorjeta. Surdo pacienta enquanto eles pacientam. Surdo. Destruir suas vidas. Cãozinho. Volte. a fadiga da terra se aproximava solenemente e penosamente. Acordes sombrios. Com reverências um funcionário traidor. A voz de uma era sombria. O padre está em casa. cão. Baixo barriltoante. apelava para os homens louváveis e valorosos. Lá vai ele com seu lumbago para uma bebedeira. de desamor. Aqui. Canção de ninar. Agora um pouco aturdido. Arabescos de cordas íntimas. Ver espaço em branco dar partida a que animal doméstico? . Teve um rombo de dez mil libras. aqui. ele veio. morre. Sujeito decente. Tap. Lúgugugubres. contoulhes sobre a câmara lúgubre. lanternas de navios. Número do cubículo e tudo o mais. Numa caverna no centro soturno da Terra. Ele achava que era a balada do último menestrel. Morre. Então construir celas para que nelas terminem seus dias. Fragmentodemúsica. aflito. Incrustada de minério. O padre ele procurou. Entre. Um penny para você. Grasnido do vasto pântano semhomem semlua semmulherlua. A ele diria umas palavras. – Cante. Profundos. contou-lhes como seus passos ressoaram solenemente ali. de montanhas velhas e cansadas. sobre o sacerdote com seus paramentos sentado para ouvir a confissão. Ganhei dinheiro em algum lugar. Uma voz de aviso. Um grande negócio de veleiros e navios ele empreendeu certa vez. Hi hi hi hi. Mas ouçamos. Mas talvez ele tenha uma mulher e família o esperando. Um shilling e nove.Homens louváveis e valorosos. Pat. preciso. Quietinho bebê. O funcionário de um falso padre lhe deu as boas-vindas. Foi a cerveja Bass número um que fez aquilo com ele. vinda de longe. Outro revés. As garras estendidas de Bob Cowley pressionaram os acordes profundamente sonoros das teclas pretas. esperando Pat chegar em casa. Pássaro sentado chocando num ninho. Venha. Agora na casa de Iveagh. Fazendo sinceramente o máximo possível para dizê-lo. aviso solene. Mas esperemos. Ele veio. Arruiná-los. A voz de Ben Dollard. Para mim.

Bloom escutou. Lembrava-lhe o lar doce lar. Bronzes dos asnos zurrando através das trombas elevadas. calvo Pat. Nenhum eunuco com todos os seus pertences. Ela se inclinava. Bateu com a mão no peito. A voz da penitência e do remorso chegava lenta. George Lidwell. O xá da Pérsia gostava mais disso. Richie Goulding escutou. O sacerdote com o corpus da comunhão para aquelas mulheres. Últimos retoques finais. Uma batida na porta. In nomine Domini. Tap. Ouça. O que é que elas pensam quando ouvem música? Um meio de pegar cascavéis. Costume de seu país talvez. Ele ainda tem uma boa voz. Entaladela. Um espelho ali. Ela estava linda. Os seus pecados. . seus pertences à mostra. O camarada no balcão nobre olhava fixamente para ela com seu binóculo para tudo aquilo que ele tinha direito. Canecões e a senhorita Kennedy. escutava. Quase não percebe que eu estou. A barba contrita de Ben confessava. O cara no mortuário. Isso é música também. trêmula. esquife ou Coffey. Seu filho bast. Cheia de emoção. gorjeteado Pat. Instrumentos de sopro como nome de Goodwin. Eles escutavam. corpusnomine. Certa vez passara pelo cemitério diante da igreja e para o descanso de sua mãe não tinha rezado. Latim de novo. É esse o ângulo melhor do seu rosto? Elas sempre sabem. cetim de seios fartos. A noite em que Michael Gunn nos deu a caixa. Isso os prende como visgo. pálpebra bem expressiva. Galogarragarra. Contrabaixos indefesos. Piano de meia-cauda aberto como crocodilo a música tem mandíbulas. E junto à porta o surdo Pat. Bronze olhava longe para um lado. Desde a Páscoa ele havia praguejado três vezes. embelezada. Molly é uma perita e tanto em ver quem a está olhando. Limpou também o nariz na cortina. Seu hálito de cravo estava sempre presente no teatro quando ela se inclinava para fazer uma pergunta. Me pergunto onde estará aquele rato agora. Afinando o instrumento. Não tão ruim quanto soa. Olhos assim. escutava. Instrumentos de sopro vacas mugindo. E certa vez na hora da missa tinha ido brincar. Flauteando. junto à bombadecerveja olhava para bem longe. Bronze. escutando. Um jovem rebelde. Os acordes harpejaram mais lentos. confessando: mea culpa. Si. Um rapaz. Kernan. da puta. Hipnotizada. com feridas nos flancos. em nome de Deus ele se ajoelhou. Seu vestido cor de açafrão com decote acentuado.Dar a partida travessão e espaço em branco sã um marinheiro muito corajoso. A voz suspirando de desgosto cantava. Eu lhe disse o que Espinoza declara naquele livro do meu pobre papai.

Os companheiros pagam com grana. Todos tombaram. Aquelas moças. Deus fez a Terra o homem a melodia. O último de seu nome e de sua raça. pai – clamou Dollard o camponês rebelde. Da pintinha para o própriozonho rabugentinho. Para a natureza da mulher um meio olhar. Cartas lidas em voz alta por quebra de promessa. Isso as mantém jovens. se desesperam. Depois se apressou. Compreendem também os animais desse . Que droga! Todos se foram. Rosto inexpressivo. De olhos nos olhos. Romance da jovem corista. Meu país acima do rei. Virgem dir-se-ia: ou apenas manuseada. Em breve estarei velho. Três orifícios. Ela escuta. Da batina farfalhante do falso sacerdote surgia o soldado. Ou porque ela era tão como os espanhóis. nós somos os rapazes de Wexford. Rudy. O belo nome que você. Deusa eu não a vi. Essas são palavras. Eu também. Se não o que acontece com elas? Definham. talvez culpa minha. É por isso que ele as consegue. Até mesmo admiram-se a si mesmas. Grande voz disse Richie Goulding. aquele moço do realejo. um rubor se espalhando em seu pálido. O último de minha raça. Boné de guarda do paço. Henry. se inclinando emocionada para ouvir. Filosofia. Rudy. Sopre suavem. Milly jovem estudante. Eles sabem tudo de cor. Um capitão da guarda do paço. Ou se não for? Se não for? Se ainda? Ele não guardava rancor. aquelas belas. Tap. em Gorey seus irmãos tombaram. Ouro no seu bolso. No cerco de Ross seu pai. O grande Ben sua voz desabrochou. Metem psi coisas. aço no seu rosto. uma flauta viva. A emoção que eles almejam. partir desabençoado. Escreva alguma coisa nela: página. Bem. Diga alguma coisa. Forte. Elas o desejam. Engane-a. Mas quando foi jovem? A Irlanda vem agora. Ao longo das ondas tristes do mar. Amor. Molly. Tarde demais agora. Risada na corte. – Me abençoe. Excitada ela ouvia. ele iria. Canções sem palavras. Olhou demais. Levantou-se para matar: a dezoito shillings por semana. Quem teme falar de mil novecentos e quatro? É tempo de abrir caminho. Ela sabia que ele queria dizer que o macaco estava doente. Faça com que ela o ouça. melodia e palavras. Para Wexford. Bloom olhou. Eu nunca a assinei. A música penetrou profundamente. Corpo de mulher branca. É preciso ficar com o olho aberto para o clima.A beleza da música deve ser ouvida duas vezes. Ódio. Vejamos. Tap. todos mulheres. a Bloom em breve velho. – Me abençoe e me deixe partir. Não ser educado demais. Nenhum filho. Lábio sopran. Tap.

calmamente. deixe isso nas minhas mãos. Eu sou assim? Eu a vejo daqui no entanto. por todas as coisas nascendo. E todas as mínimas mínimas frondes das capilárias estremeceram. Purefoy. Suponhamos que ela fosse a? Não. Ele rangeu os dentes enfurecido. foi divino. Tap. Uma hora é o seu tempo para viver. A manh. Ó rosa! Castela. Oih. A cada lenta encapelada e acetinada onda do seio (do seu seio encapelado dela) uma rosa vermelha se erguia lentamente se afundava uma rosa vermelha. . Os acordes consentiram. sua última hora. tocando delicadamente. Um líquido do ventre de mulher do globo ocular olhou sob uma cerca de pestanas. Espero que ela tenha terminado. os meus olhos. roliçamente. ouvindo. andar. Os traidores vibram. Piedade é o que sentem. repousaram e. estourando apoplético o filho bastardo da puta. Andar. Posso deixar aquele Freeman. O quê? Quer? Você? Eu. os olhos dela) seu polegar e dedo passaram com piedade: passaram. preciso sair. Rolhas estouradas. Mas veja. Quero. Por todas as coisas morrendo. Porque seus ventres. Uma boa idéia essa sua. Eu sustento esta casa. Salomão compreendia. Sair antes do fim. Como Cashel Boylo Connoro Coylo Tisdall Maurice Tisntdall Farrell. Perceba a verdadeira beleza dos olhos quando ela não fala. Enxugar as lágrimas pelos mártires querendo. Tap. andar. Você. Tap. S’bre o altocenteio azul. morrer. Emoção agora. Na macia bomba de cerveja saliente repousava a mão de Lydia. Uma coisa muito triste. Dom da natureza. Onde está o meu chapéu? Passar por ela. Tap. Tap. Obrigado. Daqui pra lá: de lá pra cá: por sobre a maçaneta polida (ela conhece os olhos dele.jeito. Apaixonado. morrendo por. Sobre o rio longínquo. Andaaaaaaaar. Bem. Ventriloquize. de vir. Mas tinha de ser. Blselev. rapaz. como uma batuta de esmalte branco firme e impassível se projetando através do anel deslizante deles. Pobre Sra. Você está de partida? Voceudodeus. A carta eu tenho. Lidwell. As estrelas brilhantes empalidecem. Com um galo com uma garra. Amém. Para ele então não para. Tamb. Batidas do coração: sua respiração: respiração que é vida. levemente. deslizaram então suavemente. Todos perdidos em sua compaixão pelo rebelde. montões de caixotes vazios. lentamente para baixo. Com fúria grosseira e desmedida o guarda do paço amaldiçoava. Ha. borrifos de espumadecerveja. Penso com meu estômago. Meus lábios cerrados.

Richie uma brecha no alaúde estava sentado sozinho: Goulding. Simon trombeteando sua compaixão através da buzinasereia do seu nariz. Collis. E todos profundamente emocionados. eu me sinto tão sozinho Bloom. Aquela loção. pelos caixotes vazios. batendo na gorda omoplata de Ben. O volumoso Ben Dollard cachuchou em direção ao bar. Vocês que me ouvem em paz. bons homens. Bom. por minha alma e honra é mesmo. vibrante de alegria. Dolor! Ó. – Você está com um aspecto saudável – disse George Lidwell. suave Bloom. com passadas pesadas e os dedos gotosos tamborilando castagnettes no ar. De luxo. – Vamos. Pela rosa. Bigue Benben. Pat que não fora pago também. Pelo surdo Pat na soleira da porta passou Bloom escutando com atenção.Bloom se levantou. cumprimentando ao sair. Rezem por ele. derramem uma lágrima. – Melhor – disse Tomgin Kernan. ele dolores! A voz lamurienta do cantor invocou a oração dolorosa. . Devo ter suado: música. Tap. A senhorita Douce ajeitou sua rosa para esperar. coberto enormemente de elogios e todo sorrisos. Sentindo o sabonete bem pegajoso atrás. Sim. Em Passage seu corpo foi enterrado. passando por olhos e capilárias. Ward. pelas rolhas estouradas. Na barraca de Geneva morreu aquele rapaz. as numerosas batidas-nas-costas. Rrrrrrrsss. Ele era o jovem rebelde. Cartão dentro. Tap. – Lablache – disse padre Cowley. Contente por eu ter evitado. Coro geral: para tomar um trago. Ben – exclamou Simon Dedalus. Rrr. você continua tão bom quanto sempre foi. rezou a voz de baixo de Dollard. Assustando o bisbilhoteiro ajudante-de-garçom rebelde ajudante-de-garçom Bloom ouviu no saguão do Ormond os rosnados e rugidos de bravo. lá se foi Bloom. Rezem uma oração. Simon – resmungou Ben Dollard. – Gordura da morte. pelos restos de cozinha. as botas todas pisando. até logo. Bigue Benben. Tap. botas não as botas o rapaz. todos rindo o conduziram. Inseguro ele esperou. pelo seio acetinado. pela mão acariciante. Ben Dollard. me lembrar. Dedalus. Bigue Benaben Dollard. bronze e abatida ouro na penumbra profunda. – A mais incisiva interpretação dessa balada que já ouvi. boa gente. – Ben meu querido – disse o Sr. – Em ótima forma apesar da adiposidade encoberta por toda a sua pessoa. – Por Deus.

Tap. Espera aí. Cowley. Estranho lá em cima no sótão. em seguida guinchar amaldiçoando (é preciso pôr um chumaço ou alguma coisa no dele não por favor ela gritou). Rosnar zangado. Sempre falando de negócios. Tap. Tap. O beberrão número um acreditava: a senhorita Kennedy quando ela: que ele era boneco: ela boneca: o beberrão. os lábios dela disseram mais alto. Henry travesso com carta para Mady. Longe. O órgão de Gardiner Street. Dollard. murmurou Mina. Dollard. Bomba de cerveja. então de súbito um suave minúsculo pequeno minúsculo zéfiro sussurrante. Tap. A mão dela que balança o berço governa o. O canecão amava a canção que Mina. Dollard. Como por exemplo os entusiastas. No . Sr. tap por tap. Tap. sozinho com o registro do órgão e sob sete chaves. Não perdem uma meiasemicolcheia. Desagradável quando há uma interrupção porque você nunca sabe exat. Dá nos nervos. Cais acima ia Lionelleopold. Ele murmurou que conhecia o nome. Longe. Olhos fechados. com doçuras do pecado com anáguas com babados para Raoul com metem psi coisas seguia Poldy. – Dollard – murmurou o canecão. A senhorita Mina Kennedy aproxima os lábios da orelha do primeiro caneco. Longe. Tudo uma espécie de tentativa de puxar conversa. Mina amava aquela canção. não é? Dollard. Ele cantou aquela bela canção. Gostaria de não ter prometido me encontrar. O velho Glynn cinqüenta libras por ano. O nome lhe era familiar. sim. Cabeça acenando para marcar o tempo. Tap cego caminhava tapeando com o tap tapeando o meio-fio. É a última rosa do verão dollard partiu bloom sentiu gases circularem à volta por dentro. Sim. Pensar é estritamente proibido. Resmungar horas a fio. Longe. Tanta bagatela a propósito de notas. Sentado o dia inteiro no órgão. Por assim dizer. ele se atordoa com isso: uma espécie de embriaguez. Sr. Melhor dar passagem apenas meia passagem a passagem de um homem com uma moça virgem. Amalucados. Esquivar-se pela Greek Street. Música. falando consigo mesmo ou com o outro camarada que sopra o fole. Que governa o mundo. Livrar-se disso. Todos ouvidos. um shilling e oito pence também. Que coisa gasosa aquela sidra: aglutinante também. Dollard – murmuraram eles baixinho. Tap. E A Última Rosa do Verão era uma bela canção. Mais liberdade ao ar livre. Por assim dizer ele ouvira o nome de. Tap. – Sr. Você não ousa se mexer. A agência do correio perto do escritório de Reuben J. Pfuiti! Um minúsculo ventinho sussurrou iiii. Tap. Ben Howth.

. Pom. Tap. Imediatamente vi que ele era cego ela disse para George Lidwell. Um rapazinho. sereia. Bom. Bloom passou por Barry. Tap. Os Srs. Tap. Amam-se uns aos outros. última sardinha de verão. Debaixo da campânula de sanduíche jazia sobre um esquife de pão uma última... Tap. com uma bengala de bater vinha taptaptapeando pela vitrine de Daly com os cabelos de uma sereia escorrendo água (mas ele não podia ver) soprava baforadas de uma sereia (os cegos não podiam). Instrumentos. na concha de suas mãos. Uma haste de gramínea. Pick e Pocket têm poder de procuradores. – Vamos brade! – Eu bradarei – gritou padre Cowley. Goulding.. voltando com o cachimbo que apanhara. Sua vocação: a banda de Mickey Rooney. Tap.. Tap. Molly com sua artimanha em Lombard Street oeste. – Muito – disse o Sr. Ward. Me pergunto como essa idéia ocorreu pela primeira vez. Tap. Dedalus. Eu sinto que quero. Tap. – A mulher dele tem uma bonita voz. Tap. – A propósito há um diapasão ali no. Destino. O quê? – perguntou Lidwell. Espancá-los através da vida. olhando fixo para uma sardinha sem cabeça. servindo a bebida. Peles de asnos. Tap. Mas por exemplo o camarada que bate com força no tambor grande. minaouro. Tap. eu vi pela primeira vez. Pilhas de pergaminho. que o Senhor tenha compaixão dele. – O mais baixo registro de escolha. depois surrá-los depois da morte. Tap. Collis.pequeno minúsculo de Bloom. Mesmo de um pente e papel de seda você pode tirar uma melodia. que o esqueceu quando esteve aqui. um prazer ouvi-lo. Eu os contei. Tap. Sentado em casa depois de uma carne de porco salgada com repolho e embalando-a na poltrona. – Ah. – Eu estive com ele esta manhã no do pobrezinho Paddy Dignam. Dedalus. Surrar. Litígio. deve ter sido o afinador – Lydia disse para Simonlionel –. Badabom. Tap. Me parece que isso seja o que você chama de yashmak ou quero dizer kismet. Se eu tivesse aquele trabalhadorprodigioso. Ou tinha. Tap. uma solitária. Bloom tão só. Tap.. Tap. Tap. E tocava tão primorosamente. Tap. – Ó. Vinte e quatro procuradores naquela única casa.. – Era ele? – disse o Sr. cego. Gostaria de poder. Rrrrrr. Ensaiando sua parte na banda. Esperar. Ótimo para a mulher. Delicado contraste: bronzelid. ela então soprar. – Grite! – gritou Ben Dollard. – Muito – ele olhou fixamente. a mais fresca de todas as baforadas.

rosa de Castela. Poderia aprender a tocar. Rosto e pescoço envolvidos. Pfuiti pequeno minúsculo. Na vitrine do antiquário Lionel Mark o arrogante Henry Lionel Leopold o querido Henry Flower veementemente o Sr. Mesmo assim é preciso que ele tenha sido um imbecil para que não visse que se tratava de um capitão da guarda do paço. De. Suponho que cada tipo de ofício fazia sua própria música. Pom. marchamos em frente. bem dificilmente um dia. Eu me sinto tão sozinho. Si Dedalus. Quero dizer naturalmente é tudo pom pom pom muito do que eles chamam de da capo.com o cabelo caindo nas costas. Deixar ela passar. Long John. Bob Cowley. Quando nós marchamos. Depertar os mortos. Psit! Alguma chance de lavar a sua roupa? Conhecia Molly. . com os olhos brilhantes e galhardos. Uma senhora forte estava com você com um vestido marrom. marchamos em frente. Eu preciso realmente. e uma quinta: Lidwell. Fff. quadrilheiro. Sonnez la. Agora se eu fizesse isso num banquete. Queria me cobrar por tê-la afiado. A sete chaves! Limpar a chaminé! Quatro horas está tudo bem! Dormir! Está tudo perdido agora. Bloom. Isso é o que um bom vendedor é. Perto de bronze de perto perto de ouro de longe eles todos tiniram seus copos estalejantes. Noite de chuva na viela. Ela está passando por mim agora. Isso deixava você desconcertado. Que ela se dane. derramar uma lágrima. Pom. Pobre do pequeno nominedomine. ela tem que viver como os demais. Eu sei. Pom. Quem tinha a? Elechiu elaviu. Caro demais perto demais do lar doce lar. Ainda assim você pode ouvir. Vejamos aqui dentro. Me pergunto quem será aquele cara de imperm marrom lá na sepultura. Murmurar uma oração. Me tinha enfeitado. Ela fora de sua ronda. Naturalmente tudo é caro quando você não está interessado. Isso é música. Kernan e o Big Ben Dollard. Só uma questão de costume xá da Pérsia. Ela me vê. Clarina. Você tem a? Cloche. Doll. não é que vê? É um pavor à luz do dia. Pregoeiro. Primeiro Lid. é isso aí. bem. a prostituta da viela! Uma prostituta desmazelada com um chapéu de marinheiro de palha preto de lado veio à luz do dia ao longo do cais em direção ao Sr. Faz você comprar o que ele quer vender. Leopold Bloom contemplou castiçais e acordeão bichado com seus foles transpirando vermes. O que ela é? Espero que ela. Um rosto como uma vela. Barato. Dignam. entende? O caçador com seu clarim. Espera. Ó. Ker. Ora. diante da tentadora última rosa do verão de Lydia. Seis shillings. Uma pechincha: seis shillings. O pastor a sua flauta. Aquele camarada me vendeu a navalha sueca com a qual ele me barbeou. Quando ele viu pela primeira vez aquela figura cativante? Sim. Deve ser a sidra ou talvez o borgonh. Tambor? Badapom. Marcamos encontro sabendo que nunca. Cow. Ereção. O policial um apito.

Terminei. Pprrpffrrppffff. Fff. – Quem é aquele velho estúpido com quem você estava falando? – É o velho Troy – disse eu –. Marbloom. hu. dois. Um jovem entrou no saguão solitário do Ormond. Ele não viu bronze. – É isso aí. Eu já. Um rapazinho que não enxergava estava de pé na porta. Quando meu país tomar seu lugar entre. Nem Ben nem Bob nem Tom nem Si nem George nem beberrões nem Richie nem Pat.Tap. Joe – disse eu. Que meu epitáfio seja. que já foi da polícia. hu. Tenho certeza que é o borgonh. ali na esquina de Arbour Hill quando macacos me mordam um maldito limpador de chaminé se aproximou e quase meteu seu equipamento de limpeza no meu olho. Eles ergueram. Deve ser o borgon. – Há um ladrão um maldito finório lá perto da capela da caserna na esquina de Chicken Lane. Hu. Prrprr. – O que você está fazendo por essas bandas? – disse Joe. – Homens verdadeiros como vocês homens. Eu me virei para lhe dizer poucas e boas quando quem eu havia de ver se esquivando por Stony Batter senão Joe Hynes. Sim. Ninguém atrás. Tim. – Um danado de um problema – disse eu. é isso aí. Ele não viu ouro. As sete últimas palavras. Ele não viu. Ben. M. hu. Tim. Nações da Terra . Tip. – Que ventos o sopram? Você viu aquele maldito limpador de chaminé que quase arrancou meu olho com sua escova? – Fuligem dá sorte – disse Joe. Bonde kran kran kran. – Erguerão seus copos conosco. Kraaaaaa. As últimas palavras de Robert Emmet. Krandlkrankran. Brandamente. Oo. Bloom avistou na vitrine de Lionel Mark um quadro de um herói garboso. sebosobloom considerava as últimas palavras. o velho Troy . – Ora veja. Rrpt. Chegando. Um. Então e somente então. 12 Eu estava só passando o tempo com o velho Troy do D. Boa oport. Estou na dúvida se não entrego aquele camarada à polícia por obstruir a via pública com suas vassouras e escadas. Isto é de Meyerbeer. Passou por ela. P. Escrito.

por comerciar sem licença. sucessores. cinco libras avoirdupois de chá de primeira qualidade a três shillings e nenhum pence por libra avoirdupois e quarenta e duas libras avoirdupois de açúcar cristalizado. Um velho encanador chamado Geraghty.? – diz Joe. bairro Arran Quay. – É sim – disse eu. eu farei com que ele seja intimado perante a justiça. videlicet. – Como os poderosos desabaram! Cobrador de dívidas ruins e duvidosas. seus herdeiros. que eu o desafio. – É esta a sua ocupação agora? – disse Joe. – Um circunciso! – disse Joe. curadores e depositários judiciais da outra parte. e vendido e entregue a Michael E. e o desafio duplamente a mandar o senhor de volta aqui ou se ele o fizer. daqui por diante chamado de vendedor. – Você é um rígido abst. – Não tomo nada entre minhas bebidas – digo . Esquire. disse. seus herdeiros. que roubou uma enorme quantidade de chá e açúcar pela qual devia pagar três shillings por semana e dizia que tinha uma fazenda no condado de Down. Geraghty. a um nanico de nome de Moses Herzog lá nas proximidades de Heytesbury Street. Mas esse é o mais notório maldito ladrão que você possa defrontar nas ruas e com um rosto em que as cicatrizes de varíola poderiam conter um temporal. – Um dos maiorais. bairro Wood Quay. comerciante. disse. Ele beber meus chás. a três pence por libra avoirdupois. de 29 Arbour Hill na cidade de Dublin. disse. Diga a ele. da maneira aqui estabelecida deste dia em diante entre o dito vendedor. ah isso eu farei. cavalheiro. curadores e depositários judiciais de uma parte e o dito comprador. o dito comprador devedor ao dito vendedor de uma libra cinco shillings e seis pence pelo valor recebido cujo total deve ser pago pelo dito comprador ao dito vendedor em sete prestações semanais todo dia sete do calendário de três shillings e nenhum pence: e os ditos produtos não-perecíveis não devem ser penhorados ou dados em garantia ou vendidos ou de outra forma alienados pelo dito comprador mas devem ser e permanecer e ser retidos como propriedade única e exclusiva do dito vendedor para serem utilizados por ele de acordo com sua vontade e prazer até que a dita importância tenha sido devidamente paga pelo dito comprador ao dito vendedor. daqui por diante chamado de comprador. Meu Jesus.estava justamente me dando uma informação sobre ele. eu tive de rir do judeuzinho pondo seus manguitos de fora. de 13 Saint Kevin’s Parade na cidade de Dublin. Ele comer meus açúcares. – Sim – disse eu. Por que ele não me pagar meu dinheiro? Por produtos não-perecíveis comprados de Moses Herzog. sucessores. E isso depois de se encher de comida até quase explodir. Eu estou nos calcanhares dele nesses últimos quinze dias e não consigo tirar um vintém dele.

gemas marítimas purpúreas e insetos brincalhões. o linguado europeu. ele está no asilo de loucos John of God completamente fora de si. ladrão em plena luz do dia. os filhos de reis. – Quem? – digo eu. Por negociar sem licença. Em Inisfail a Bela existe ali uma terra. – Eu estive naquela reunião no City Arms. o plátano sublime. o salmão. arrastões de enguias. Ali dormem os mortos poderosos como dormiram em vida. – Algo estranho ou maravilhoso. eu não conseguia digerir aquele velhaco desgraçado do Geraghty. Assim sendo nós fomos pelas casernas de Linenhall e pelos fundos do palácio de justiça conversando sobre uma e outra coisa. guerreiros e príncipes de alto renome. Uma terra agradável ela é na verdade com águas murmurantes. o linguado. o cedro libanês. Meu Jesus. Ali se ergue uma torre de vigia avistada por homens à distância. Joe? – digo eu. – O que era aquilo. – Quero ver o cidadão. . Nas brisas suaves do oeste e do leste as árvores elevadas agitam nas mais diversas direções sua folhagem exuberante. diz ele. Quero informar o cidadão o que há por dentro da história. – Certamente. filhotes de bacalhau. o hadoque de mandíbula saliente. cestos de peixinhos. – Que me diz de apresentarmos nossos respeitos ao nosso amigo? – diz Joe. galões de arenques. a terra de São Michan. E heróis viajam de terras distantes para cortejá-las. – Vamos dar um pulo no Barney Kiernan – diz Joe. o sicômoro adejante. peixes prateados. o solha. – Bebendo sua própria substância – diz Joe. Joe? – Nenhuma palavra – diz Joe. pobre homem. – Uísque e água no cérebro. Belas donzelas se sentam em íntima proximidade das raízes das belas árvores cantando as mais belas canções enquanto brincam com toda sorte de belos objetos como por exemplo lingotes dourados. os príncipes sem igual da livre Munster e de Connacht a justa e do suave e aveludado Leinster e da terra de Cruachan e de Armagh a esplêndida e do nobre distrito de Boyle. príncipes. de Eblana a Slievemargy. – No Barney “meu amor” que assim seja – digo eu. o eucalipto eugênico e outros ornamentos do mundo arborizado do qual aquela região é extremamente bem suprida. o pardelho. – É isso aí – digo eu.eu. uma mistura de peixes inferiores em geral e outros habitantes do reino aquoso numerosos demais para serem enumerados. – Negociantes de gado – diz Joe – sobre a febre aftosa. o limanda. rios abundantes em peixes em que se divertem a cabrinha. o linguado gigante. Um camarada decente esse Joe quando está na dele mas certamente desse jeito ele nunca está na dele. a pescada-polaca.

de carneiros e porcos e vacas de pataspesadas vindos das pastagens de Lusk e Rush e Carrickmines e dos vales regados por regatos de Thomond. e das gentis declividades do lugar da raça de Kiar. sulcos de nabos da Suécia. carroças de espinafre. Então nós entramos na propriedade de Barney Kiernan e ali. estava o cidadão num canto tendo uma grande confab consigo mesmo e aquele maldito cão vira-lata sarnento. Venha aqui para fora. grunhido.E ali surge um magnífico palácio cujo cintilante telhado de cristal é visto por navegantes que cruzam o vasto mar em veleiros construídos expressamente para essa finalidade. com seu cantil cheio e sua porção de . ágata e castanho-acinzentados. Para ali as caleças extremamente grandes trazem fartura dos campos. e eu o desafio duplamente. e bandejas de cebolas. batatas esféricas e centos de couve iridescente. barris de figos. no meio de sua bagunça. rugido. Garryowen. bramido. seu notório ladrão desgraçado de colinas e vales! E por aquele caminho seguiram as manadas incontáveis de carneiros-guias e ovelhas reprodutoras e carneiros e cordeiros já tosquiados e gansos selvagens e novilhos castrados médios e éguas resfolegantes e bezerros de chifres cortados e carneiros angorás e carneiros reprodutores e vacas de Cuffe prestes a dar cria e animais de engorda e porcas castradas e suínos ricos em toucinho e várias diferentes variedades de porcos de primeira qualidade e novilhas de Angus e bois descornados de raça impecável junto com vacas leiteiras e reses de excelente qualidade e premiadas: e ali se ouve permanentemente um tropel. diz ele. Geraghty. York e Sabóia. ronco. mastigação. cestos de couve-flor. abacaxi em conserva. uma trituração. dos montes de M’Gillicuddy os inacessíveis e do senhorial Shannon o insondável. mugido. Eu o desafio. polposas e peludas. e grandes cestas rasas de cogumelos e cremes de abóbora e abundantes ervilhacas e cevada e colza e castanhas vermelhas verdes amarelas marrons maçãs grandes doces amargas maduras arredondadas e caixinhas de madeira de morangos e cestas de groselha. – Lá está ele – digo eu –. diversos em tamanho. feijões de Rangoon. um chefe de tribo descendente de chefes de tribos. e morangos dignos de príncipes e framboesas tiradas dos seus galhos. grande quantidade de tomates. pérolas da terra. cacarejo. à espera do que pudesse cair do céu em sua goela como bebida. balido. seus úberes distendidos pela superabundância de leite e barricas de manteiga e coalhos de queijo e barriletes de fazendeiro e pescoços e peitos de cordeiros e quantidades de milho e muitas centenas de ovos oblongos. e para ali vêm todas as hordas e animais de engorda e primeiros frutos daquela terra para O’Connell Fitzsimon que recolhe um tributo deles. sem dúvida alguma.

– E como vai o velho coração. por uma espessa vegetação de pêlos fulvos picantes em coloração e dureza semelhantes ao tojo da montanha (Ulex Europeus). por Deus. As narinas de abas largas. Os olhos nos quais uma lágrima e um sorriso constantemente lutavam por supremacia . – O vinho nacional – diz ele. Terry – diz Joe. E diz Joe. A figura sentada sobre um enorme bloco de pedra aos pés de uma torre redonda era a de um herói de ombros largos de vasto peito de membros robustos de olhos francos de cabelos vermelhos de múltiplas sardas de barba desgrenhada de boca larga de nariz grande de cabeça comprida de voz grossa de joelhos nus de punho de aço de pernas peludas de rosto corado de braços musculosos. deslizando sua mão pelo garfo. – Tudo bem. Joe – digo eu. cidadão – diz Joe. – Que tal Garry? Será que nós vamos ganhar? Hein? E com isso ele pegou o velho maldito canzarrão por baixo do pescoço e. fincando o polegar em seu bolso: – São os russos que desejam tiranizar. Seria uma obra de caridade se alguém tirasse a vida daquele cão maldito. – Acho que o mercado está em alta – diz ele. pare com sua maldita pilhéria.papeladas. a chara – diz ele. Então ele esfrega o olho com a mão e diz: – Qual é a opinião de vocês sobre a situação atual? Fazendo sua pirataria e seu Rory da colina. – Amigos aqui. – Passem. – O Ditto MacAnaspey – digo eu. cidadão? – diz ele. Jesus da minha alma. Foi-me dito como um fato que ele comeu grande parte das culotes de um guarda-civil em Santry que veio certa vez com uma intimação judicial a respeito de uma licença. – Melhor do que nunca. eram de tamanha amplitude que dentro de sua obscuridade cavernosa a cotovia poderia facilmente alojar o seu ninho. O maldito vira-lata soltou um resmungo que lhe daria arrepios. Assim por Deus o cidadão bate com a palma da mão no joelho e diz: – As guerras estrangeiras é que são a causa disso. – Qual é o seu? – diz Joe. – A bolsa ou a vida – diz ele. De um ombro ao outro ele media várias varas e seus joelhos como montanhas rochosas estavam cobertos. Mas. amigos – diz ele. cidadão – diz Joe. quase o estrangulou. – Três doses. – Ora francamente. – Estou com uma sede dentro de mim que não venderia por nada neste mundo. como igualmente o resto de seu corpo onde quer que fosse visível. trabalhando pela causa. Joe estava à altura da situação. – Dê-lhe um nome. das quais se projetavam pêlos hirsutos da mesma tonalidade fulva.

S. Dick Turpin. Patricio Velasquez. Thomas Conneff. Napoleão Bonaparte. Patrick W. Art MacMurragh. Michelangelo Hayes. Angus the Culdee. Adão e Eva. Paracelso. Ben Howth. Carlos Magno. Michael Dwyer. Jack o Matadorgigante. Por baixo disso ele usava calças de tartã de couro de gamo rudemente costuradas com tripas. Brian de Kincora. a Noiva de Lammermoor. os pés sendo calçados com borzeguins de couro de boi cru secado no sal atados com a traquéia do mesmo animal. o Último dos Moicanos. Conn de centenas de batalhas. Red Jim MacDermott. Dante Alighieri. Fursa. A Mulher Que Não Fez. Sidney Parade. Thomas Cook and Son. sir Thomas Lipton.tinham a dimensão de uma couve-flor de bom tamanho. o primeiro príncipe de Gales. Henry Joy M’Cracken. Uma poderosa corrente de sopro quente se emanava a intervalos regulares da cavidade profunda de sua boca enquanto em ressonância rítmica as reverberações fortes vigorosas e altas de seu formidável coração trovejavam retumbantemente fazendo com que o chão. dom Philip O’Sullivan Beare. Guilherme Tell. marechal MacMahon. Niall de nove reféns. o corajoso Soldier Boy. o Homem que Quebrou o Banco de Monte Carlo. Owen Roe. Valentine Greatrakes. O Lírio de Killarney. S. Horace Wheatley. capitão Boycott. Soggarth Eoghan O’Growney. Ludwig Beethoven. Arrah na Pogue. Peter o Eremita. Cristóvão Colombo. Chuchulin. Savourneen Deelish. Dark Rosaleen. Tristão e Isolda. Dolly Mount. John L. Gautama Buda. Peter o Empacotador. Uma lança deitada de granito de ponta acerada jazia ao lado dele enquanto a seus pés repousava um . padre John Murphy. Maomé. Jeremiah O’Donovan Rossa. o Homem na Ravina. Shakespeare. Francy Higgins. Cleópatra. Sullivan. a rainha de Sabá. Joe Nagle. a Mãe dos Macabeus. Red Hugh O’Donnell. De sua faixa pendia uma fileira de pedras do mar que dançavam a cada movimento de sua figura portentosa e nelas estavam gravadas com tosca e no entanto surpreendente arte as imagens tribais de muitos heróis e heroínas irlandeses da antiguidade. Suas extremidades inferiores estavam cobertas por botas altas tingidas com líquen purpúreo. Benjamin Franklin. Alessandro Volta. Patrick Sarsfield. Heródoto. Waddler Healy. lady Godiva. o Homem para Galway. Theobald Wolfe Tone. Boss Croker. Acky Nagle. Arthur Wellesley. capitão Nemo. Ele vestia uma túnica longa sem mangas de couro de boi recentemente tosquiado que chegava até os joelhos como um kilt solto e isso era amarrado no meio por uma faixa de palha e fios de junco trançados. o topo da torre elevada e as paredes ainda mais elevadas da gruta vibrassem e tremessem. Shane O’Neill. Balor do Olhar Maléfico. a Rosa de Castela. Brendan. Brian Confucius. Golias. o poderoso rei Malachi. capitão Moonlight. Peg Woffington. Murtagh Gutenberg. o Village Blacksmith. the Colleen Bawn. Júlio Cesar.

Então de qualquer forma Terry trouxe as três doses para Joe que estava de pé e por Deus a visão quase cegou meus olhos quando eu o vi lhe estender uma libra. tão certo quanto dois e dois são quatro. E vejam este maldito jornaleco – diz ele. – Cockburn. Isabella Helen. meu pinto! Que tal isso para Martin Murphy. hein. – Eu o vi antes de encontrar com você – digo eu –. Um bem-apanhado soberano. uma suposição confirmada por rosnados roucos e movimentos espasmódicos que seu dono reprimia de tempos em tempos por meio de golpes tranqüilizadores com um porrete poderoso de pedra paleolítica toscamente modelado.animal selvagem da tribo canina cujo arfar estertoroso informava que ele estava mergulhado numa modorra agitada. Quem está cruzando a terra de Michan. – Vejam só isto – diz ele. . tendo pertencido ao almirantado: Miller. – E tem mais de onde isso veio – diz ele. Impenetrável ao medo é o filho de Rory: ele da alma prudente. Barnfield Crescent. de gastrite e doença de coração: Cockburn. – Para a velha senhora de Prince’s Street – diz o cidadão – o órgão subvencionado. – Você andou roubando a caixinha dos pobres. Liverpool. decano de Worcester. hein? Wright e Flint. na Moat House. com oitenta e cinco anos: Welsh. Saint Anne’s on the Sea: a mulher de William T. Joe? – digo eu. mulher de David Dimsey. Tottenham. nascimento de um filho.. descendo por Pill Lane e Greek Street com seu olhar de peixe morto a inventariar as entranhas do peixe. Playwood e Ridsdale em Saint Jude. Ouçam os nascimentos e mortes em Os irlandeses todos por uma Irlanda Independente. – Eu conheço esse cara – diz Joe –. – The Irish Independent. Stoke Newington. Exeter. o filho de Rory: é ele mesmo. no 35 Canning Street. em Whitehall Lane. Redmayne. dia 12 de junho. O partido ligado por promessas no recinto da Câmara. passando à volta a bebida. Dimsey. – Graças a Deus eles nos passaram a perna. tudo bem – diz Joe. Ó. Bristow. E ele começa a ler para eles: – Gordon. vestindo uma armadura de luto? O’Bloom. Que tal isso. Hein? Mortes. Vincent e Gillett para Rotha Marion filha de Rosa e do falecido George Alfred Gillett. Redmayne de Iffley. Que tal isso em uma imprensa nacional. – Foi o elemento prudente que me deu a dica. Stockwell. Chepstow. o especulador de Bantry? – Ah. Londres: Carr. e eu lhes ficarei grato e os casamentos. 179 Clapham Road. fundado por Parnell para ser o defensor do trabalhador.. Forrest. se me façam o favor. Kensington pelo mui reverendo Dr. – Com o suor do meu rosto – diz Joe. de amarga experiência própria.

senão Bob Doran. eu chego a sentir dor de tanto rir. – Uma ação por difamação – diz ele – de dez mil libras. – Entrar com o quê? – digo eu. Eu pensei que Alf fosse se estourar de tanto rir. Ele está flanando por toda Dublin com um cartão-postal que alguém lhe enviou com P. radiante como o olhar celestial. – Quando é que o Long John vai enforcar esse homem em Mountjoy? – diz Joe. trotando como um poodle. a mais linda de sua raça.: escrito nele para entrar com uma aç.Beba isso. E ele se dobrou em dois.. cidadão. droga! – digo eu. Eu não sabia o que estava acontecendo e Alf continuava a fazer sinais para o lado de fora da porta. trazendo os pergaminhos sagrados da lei e com ele sua mulher uma dama de linhagem incomparável. Ó meu Deus. – Breen – diz Alf. despertando. desgraçada mulher infortunada. enquanto eles sorviam sua taça de alegria. cego para o mundo.: para cima. O maldito vira-lata começou a rosnar de tal maneira a ponto de nos fazer tremer de medo ao ver que alguma coisa ia acontecer mas o cidadão lhe deu um chute nas costelas. E quem estava sentado ali no canto que eu não tinha visto roncando bêbado. – Ah! Ufa! Nem me diga. sufocado de tanto rir. E veja. – Ele esteve no escritório de John Henry Menton e em seguida passou por Collis e Ward e então Tom Rochford o encontrou e o mandou de brincadeira direto ao subxerife. Joe – digo eu. Por Deus eu afirmo que poderia ouvi-la atingir o fundo do meu estômago com um clique. um jovem gracioso e atrás dele passava um ancião de porte e semblante nobres.. C. P. – Enforcar? Espere até que eu . – Bi i dho husht – diz ele. – À sua saúde. – Esse é o Alf Bergan? – É sim – diz Alf. – Breen. C. – Quem? – pergunta Joe. O pequeno Alf Bergan entrou inesperadamente pela porta e se escondeu atrás da salinha do Barney. – E à de todos os presentes. E por Deus não era senão aquele desgraçado velho palhaço do Denis Breen em suas alpercatas com dois miseráveis livros grandes metidos debaixo de sua asa com a mulher em seus calcanhares. um mensageiro dos céus entrava rapidamente. – Ah. – Bergan – diz Bob Doran. O camarada comprido lhe lançou um olhar que valia por um mandato e agora o desgraçado velho lunático partiu para Green Street para procurar um cara da polícia. – De bom grado – diz ele – ilustre figura. Eu estava muito por baixo por falta dessa bebida. – Olhe só para ele – diz ele.

você passou adiante. – Esse é o Bergan? – Vamos rápido.. – Por falar em enforcamento. P. a bem-amada. Aqui. como se tivesse nascido para esse fim. os pálidos. rainha. aquela bebida nectárea e ofereceu a taça de cristal àquele que tinha sede. tão sagazes quanto os filhos da Leda imortal. esses sagazes irmãos. o jovem chefe dos O’Bergan que dificilmente podia suportar ser superado em feitos generosos deu por conseguinte com um gesto gracioso um testom do mais caro bronze. Então Joe pegou as cartas. Terence O’Ryan o ouviu e sem demora lhe trouxe uma taça de cristal cheia de cerveja ale ebânea espumante que os dois nobres gêmeos Bungiveagh e Bungardilaun preparam invariavelmente em seus divinos tonéis. os escuros. Nele gravada por excelente forja podia ser vista a imagem de uma rainha de porte majestoso. dê-nos um copo de cerveja. – De quem vocês estão rindo? – diz Bob Doran. Então ele tirou do bolso um pacote de pedacinhos de cartas e envelopes. – Eu acabei de vê-lo em .. Alf? – Não sei. eu vou lhes mostrar uma coisa que vocês nunca viram. Pois eles enceleiram as bagas suculentas do lúpulo e juntam e peneiram e esmagam no pilão e as preparam e misturam nelas sumos azedos e levam o mosto ao fogo sagrado e se entregam à sua faina dia e noite sem cessar.lhe mostre. – Você está brincando? – digo eu. imperatriz da Índia. pela graça do Deus do Reino Unido da GrãBretanha e Irlanda e domínios britânicos de além-mar. – O que é que esse maldito maçom está fazendo – diz o cidadão – rondando pra cima e pra baixo do lado de fora? – O que é isso? – diz Joe. lordes do tonel. Cartas de carrascos. a alma da fidalguia. – Verdade – diz Alf. pois eles a conheciam por isso e a amavam do nascer ao pôr do sol. – De quem você está rindo? – diz Bob Doran. até ela. Mas ele. defensora da fé. os avermelhados e os etiópicos. descendente da casa de Brunswick. de nome Vitória. íntimo em beleza dos imortais. Vejam isso aqui. – Leia-as. C. Então. Aquele desgraçado velho tolo! Dez mil libras. – Aqui estamos nós – diz Alf. E começou a rir. Terry meu chapa – diz Alf. não – diz Alf. Assim eu vi que ia haver um pouco de confusão Bob é um cara esquisito quando está com a cara cheia de cerveja então eu digo só para puxar conversa: – Como tem passado ultimamente Willy Murray. Terry. tirando para fora sua grana. Vocês precisavam ter visto o olhar do Long John. que era o suporte do poder. Sua Mais Excelsa Majestade. cavalheiresco Terence. uma dominadora de muitos povos.

– Talvez – diz Joe. – Quem está falando sobre. – Por quê? – Você não sabe que ele morreu? – diz Joe. – Sim. – Meu Cristo! – diz Alf. – O Paddy? – diz Joe. Indagado por meio de seu nometerrestre quanto ao seu paradeiro no mundocelestial ele declarou que estava agora a caminho do pr¯al¯ay¯a ou retorno mas ainda estava submetido à prova nas mãos de entidades sedentasdesangue nos níveis astrais inferiores. – Sim senhor – diz Joe. . E Willy Murray com ele. Comunicação foi efetuada através do corpo pituitário e também por meio de raios laranjaígneos e escarlates se emanando da região sacra e do plexo solar. – O quê? – diz Alf. – Quem está morto? – diz Bob Doran. só cinco. Deus tenha piedade dele. – Você o quê? – diz Joe jogando as cartas na mesa.. – Então você viu o fantasma dele – diz Joe –. senhor – diz Joe.. Na escuridão mãos espirituais se fizeram sentir se agitando e quando a oração em forma de tantras foi dirigida para a região adequada uma luminosidade fraca mas crescente de luz rósea se tornou gradualmente visível. – De qualquer forma eles tomaram a liberdade de enterrá-lo esta manhã. Em resposta à pergunta quanto a suas primeiras sensações para lá das fronteiras do além ele declarou que previamente ele tinha visto como se num espelho obscuramente mas que aqueles que já tinham passado para o outro lado tinham possibilidades máximas de desenvolvimento átmico à disposição deles. – Ele já pagou sua dívida com a natureza. – É sim – diz Alf... tão claro como a água. O quê?. Deus entre nós e o mal. – Com quem? – Com Dignam – diz Alf.Capel Street com Paddy Dignam.. – Ele está tão morto quanto você. – Paddy Dignam morto! – diz Alf. ? – Morto! – diz Alf.. a aparição do duplo etérico sendo particularmente semelhante à vida devido à descarga de raios jívicos provindos da coroa da cabeça e do rosto... – Paddy? – diz Alf. Indagado se a vida ali se assemelhava à nossa experiência corporal ele declarou que ouvira de seres mais favorecidos agora em seu espírito que suas habitações eram equipadas com todo o conforto de uma casa moderna como t¯al¯af¯an¯a. O quê? Dignam morto? – O que há com o Dignam? – diz Bob Doran. Por Deus ele estava o que se pode dizer pasmo. – Meu Cristo. os dois juntos ali perto do comoéquevocêochama.. Só que eu estava correndo atrás de.. ¯al¯av¯at¯ar. – Sem dúvida alguma eu o vi ainda há pouco não faz cinco minutos – diz Alf –.

gerente da funerária popular dos Srs. Tendo solicitado um quarto de leitelho isso foi trazido e evidentemente lhe proporcionou alívio. Prestem atenção para que C. Declarou também que isso tinha perturbado grandemente sua paz de espírito naquela outra região e solicitava ansiosamente que seu desejo fosse tornado conhecido. que ainda estão em seus corpos. – Ele está livre de todos os seus problemas. com o chapéu atrás de sua cuca. – Ele é um miserável rufião – digo eu – por levar embora o pobre pequeno Willy Dignam. G. Cornelius Kelleher. . H. Mas Bob Doran grita fora de si. – Lá está ele novamente – diz o cidadão. Ligeiro era seu pé sobre a samambaia: Patrick de fronte resplandecente. eu vi sua fision dar uma olhadela para dentro e em seguida ir-se embora novamente. o patife mais reles de Dublin quando está bêbado: – Quem disse que Cristo é bom? – Perdão seu pastinaca – diz Alf. Lamente. Indagado se tinha alguma mensagem para os vivos ele exortou todos aqueles que ainda estivessem no lado errado de M¯ay¯a a reconhecer o verdadeiro caminho pois era divulgado nos círculos devânicos que Marte e Júpiter estavam empenhados em praticar dano no ângulo oriental em que Áries tem poder. Foi apurado que a referência era ao Sr. com seu redemoinho. E diz Bob Doran. O’Neill. tentando disfarçar. – Meu bom Cristo! – diz ele. quem sabe – diz Alf. – Eu podia jurar que era ele. Ele partiu dos lugares mortais que freqüentava: O’Dignam. com seu vento: e lamente. Ó oceano.qu¯ant¯afri¯a. amigos da Terra. w¯at¯akl¯as¯at e que os adeptos mais elevados eram banhados por ondas de volúpia da mais pura natureza. Banba. não sobrecarregue. K. E. – Quem? – digo eu. O pequeno Alf ficou curvado como duas rodas de disco. Antes de se afastar ele solicitou que fosse dito ao seu querido filho Patsy que a outra bota que ele tinha andado procurando estava no momento debaixo da cômoda na saleta e que o par devia ser mandado ao Cullen para uma meia-sola apenas visto que os saltos ainda estavam bons. amigo pessoal do defunto. Verdade. ficou. – Bloom – diz ele. Garantias lhe foram dadas de que a coisa seria feita e foi insinuado que isso lhe causou satisfação. Foi então perguntado se havia alguns desejos especiais da parte do defunto e a resposta foi Nós os saudamos. que tinha sido responsável pelos arranjos do sepultamento. por Deus. sol de nossa manhã. olhando fixamente para fora. – Será que esse é um bom Cristo – diz Bob Doran – que leva embora o pobre pequeno Willy Dignam? – Ora. – Ele está montando guarda ali pra cima e pra baixo nestes últimos dez minutos.

e isso é tão verdadeiro como você estar aqui. pobre pequeno Paddy Dignam. H. Honrado senhor eu rogo oferecer meus serviços no penoso caso acimamencionado em que enforquei Joe Gann na cadeia de Bootle em 12 de fevereiro de 1900 e eu enforquei.. fungando –. – Ouçam isto. – . a filha do tira.. Mestre Barbeiro. E pesaroso e com o coração pesado ele chorou pela extinção daquele raio de luz celestial. a mãe mantinha uma hospedaria em Hardwicke Street. – Meu Jesus – digo eu. 7 Hunter Street. vamos – diz o cidadão. sim? E começa a ler em voz alta uma delas. expondo sua pessoa. Então Bloom se introduz com seu olhar de peixe morto no cachorro e pergunta a Terry se Martin Cunningham estava ali. O velho Garryowen começou novamente a rosnar para Bloom que espreitava em volta da porta.. Rumbold. – Ó. – Ele não vai comê-lo. o caráter o mais puro e melhor. E Bob Doran começa a choramingar sobre Paddy Dignam. o soldado Arthur Chace por assassinato torpe de Jessie Tilsit na prisão de Pentonville e eu fui auxiliar quando. eu tenho um truque especial de pôr o nó corredio uma vez dentro ele não consegue sair esperando ser favorecido eu permaneço.. A lágrima está miseravelmente perto de seu olho. – Agüente firme – diz Joe –... acessível a todos que viessem. – O homem melhor do mundo – diz ele. Mooney. honrado senhor. Mais adequado ele ir para casa para a putinha sonâmbula com a qual ele se casou. Christ M’Keown – diz Joe. Joe – digo eu.Terry veio abaixo e fez um sinal piscando o olho para que ele ficasse quieto. Liverpool. – Entre. – Mostre-nos. Billington executou o terrível assassino Toad Smith. Ao elevado Xerife de Dublin. o mais verdadeiro – diz ele. que eles não queriam aquele tipo de conversa naquelas premissas licenciadas e respeitáveis. Ele está dizendo disparates. – . – E um bárbaro maldito bárbaro que ele . – O mais nobre.. Dublin. que costumava perambular pelos desembarcadouros me disse Bantam Lyons que ela estava parada lá às duas da manhã nua em pêlo.. – E ele partiu.. pobre pequeno Willy. um campo aberto sem favor nenhum. lendo uma das cartas. O cidadão tentou arrebatar a carta. minhas condições é cinco guinéus..

– A ereção do pobre patife que está sendo enforcado – diz Alf. Alô. leve-as para as profundezas do inferno longe da minha vista. – É mesmo? – diz Joe. E Alf nos dizia que havia um cara que mandou um cartão de luto com uma tarja preta em volta.. – Isso pode ser explicado pela ciência – diz Bloom. – Eles são todos barbeiros – diz ele – das Midlands ocidentais que enforcariam seus próprios pais por cinco libras e mais despesas de viagem.. como alguém o disse. Alf. Terry – diz Joe. compreendem. – Dê-nos um de seus canalhas de primeira. E então ele começa com suas palavras difíceis sobre fenômeno e ciência e este fenômeno e o outro . os cavaleiros vingadores da navalha. – E o garrancho imundo do desgraçado – diz Joe. Bloom dizendo que não ia nem podia e para desculpá-lo sem nenhuma intenção de ofender e assim por diante e então ele disse que pegaria apenas um charuto. porque devido a. – Olhe – diz ele –. – É somente um fenômeno natural. – Existe uma coisa sobre a qual não tem efeito inibitório – diz Alf. sem qualquer dúvida. Na terra sombria eles aguardam. – O que é? – diz Joe. – Eu ouvi isso do chefe dos carcereiros que estava em Kilmainham quando enforcaram Joe Brady. ele é um elemento prudente. o invencível. Ele me disse que quando cortaram a corda depois da queda aquilo estava de pé na cara deles como um atiçador de brasa. E ele nos contava que havia dois camaradas esperando embaixo para puxá-lo pelos pés quando ele levasse a queda e estrangulá-lo devidamente e depois cortar a corda em pedacinhos e vender os pedaços a alguns shillings por crânio. – Paixão dominadora forte mesmo na morte – diz Joe –. Por Deus. – A mais santa verdade – diz Alf. Dessa forma eles começaram a conversar sobre a pena capital e naturalmente Bloom veio logo com o por que e o porquê de todo o absurdo do negócio e o velho cachorro o cheirando o tempo todo me foi dito que esses judeuzinhos têm uma espécie de odor esquisito se exalando deles para os cachorros à volta sobre eu não sei que efeito inibitório e assim por diante e assim por diante. o que você vai tomar? Então eles começaram a discutir sobre o assunto.também é – diz o cidadão. Bloom – diz –. Seu laço fatal eles agarram: sim senhor. e nesse particular eles conduzem ao Érebo qualquer que seja o ser humano que tenha cometido um ato sanguinário pois eu não vou de modo algum suportar isso assim mesmo disse o Senhor.

fazendo desse modo os poros elásticos da corpora cavernosa se dilatarem rapidamente de maneira tal a facilitar instantaneamente o fluxo sanguíneo para aquela parte da anatomia humana conhecida como pênis ou órgão masculino resultando no fenômeno que tem sido denominado pela faculdade de uma ereção prolífica mórbida para cima e para fora in articulo mortis per diminutionem capitis. Fenômeno! A desmazelada gorda com quem ele se casou é um belo velho fenômeno com um traseiro como uma pista de boliche. naturalmente. O distinto cientista herr professor Luitpold Blumenduft apresentou um testemunho médico para o efeito de que a fratura instantânea das vértebras cervicais e conseqüente cisão da medula espinhal seria. Por falar em nova Irlanda ele deveria adquirir um novo cachorro ah isso ele deveria. cachorrinho! Bom e velho cachorrinho! Dê aqui a pata! Me dê a pata! Que absurdo. ele engoliu vorazmente de um jeito incrível e sua língua pendurada uma jarda para fora pedindo mais. Quase comeu a lata e tudo o mais. isso e aquilo. Então naturalmente Bob Doran começa a proceder como um miserável tolo com seu: – Me dê a pata! Dê a pata. E o cidadão e Bloom tendo uma discussão sobre o assunto. calculada a fim de produzir inevitavelmente no sujeito humano um estímulo ganglionar violento dos centros nervosos do aparato genital. Deus meu. Já era hora de . E lá vai ele para Bob Doran que estava servindo uma meia para Alf adulando para conseguir o que pudesse. E Bloom. Um animal extremamente voraz farejando e espirrando pelo lugar todo e coçando suas feridas. Então ele começa a raspar uns pedaços de biscoito velho do fundo da lata de Jacobs que ele disse a Terry para trazer. faminto maldito vira-lata. o toque de Tommy Moore sobre Sara Curran e ela está longe do país. os irmãos Sheares e Wolfe Tone lá longe em Arbour Hill e Robert Emmet e morrer pelo seu país. de acordo com a tradição mais bem aceita da ciência médica.fenômeno. com seu charuto principesco se dando um ar de grand seigneur com seu rosto gorduroso. Assim naturalmente o cidadão que estava apenas esperando pelo piscar de uma palavra começa a falar sem parar sobre os invencíveis e a velha guarda e os homens de sessenta e sete e sobre quem tem medo de falar de noventa e oito e Joe com ele sobre todos os homens que foram enforcados. eviscerados e transportados pela causa para um julgamento sumário pela corte marcial e uma nova Irlanda e um novo isto. final miserável para a pata que ele queria que desse a pata e Alf tentando evitar que ele desmoronasse do maldito tamborete em cima do maldito velho cão e ele falando toda sorte de baboseira sobre como adestrar com carinho o cão de raça e cachorro inteligente: era de enojar.

– Sinn Fein! – diz o cidadão. O último adeus estava afetando ao máximo. E certa vez ele o levou para dar umas voltas em Dublin e. Meu Jesus. de metais e instrumentos de sopro todos cobertos de crepe oferecia para ajudar a passar o tempo uma audição admirável da melodia incomparável que a musa melancólica de Speranza nos tornara tão cara desde o berço. eu tive de rir de Pisser Burke os imitando e batendo papo. E Bloom com o seu mas vocês não percebem? e mas por outro lado. Fenômeno! – À memória dos mortos – diz o cidadão erguendo seu copo e olhando para Bloom – Isso sim. Uma chuva torrencial desabou das comportas dos céus enraivecidos sobre as cabeças descobertas da multidão reunida que era constituída no mínimo por quinhentas mil pessoas.. – O que quero dizer é. não entregou os pontos até trazê-lo pra casa bêbado como um gambá e disse que tinha feito isso para lhe dar uma lição sobre os males do álcool e pela barba de bode mansa. sim – diz Joe. E certamente. – Sinn fein amhain! Os amigos que amamos estão ao nosso lado e os inimigos que odiamos na nossa frente. comerciante de bebidas. – Vocês não percebem o xis da questão – diz Bloom. o palerma me disseram andou indo depois ao Power.. Diversão considerável era . Dos campanários distantes e próximos o sino fúnebre da morte dobrava incessantemente enquanto a toda a volta dos recintos sombrios retumbava a advertência sinistra de uma centena de tambores amortecidos pontuada pelo abafado ressoar de divisões de artilharia. a mulher de Bloom e a Sra. que história mais estrambótica.darem uma parada no City Arms Pisser Burke me disse que havia uma velhota lá com um sobrinho louco de causar vergonha e Bloom tentando atingir o lado suave dela dando uma de maricas jogando besigue para conseguir um dinheirinho no testamento dela e deixando de comer carne na sexta-feira porque a velhota estava sempre martelando sua beatice e levando o palerma para passear. imaginem só as três mulheres quase o assaram vivo. Os estrondos ensurdecedores do trovão e os estonteantes clarões dos raios que iluminavam o cenário horripilante testemunhavam que a artilharia do céu emprestara sua pompa sobrenatural ao espetáculo já por si mesmo medonho. a maior prova do que foi dito. Trens rápidos especiais de excursão e charabãs tinham sido providenciados para o conforto dos povos irmãos de nosso país dos quais havia um grande contingente. O’Dowd a dona do hotel. Um pelotão da polícia Metropolitana de Dublin comandado pelo AltoComissário em pessoa mantinha a ordem entre a imensa aglomeração humana para a qual a banda de York Street. a velhota. pelo santo padre. cinco dias na semana em Cope Street voltando depois etéreo para casa num coche após beber o mais que podia todos os tipos de vinho no maldito estabelecimento.

Goosepond Prhklstr Kratchinabritchisitch. Hiram Y. No curso da discussão balas de canhão. Todos os delegados sem exceção se expressaram nos mais fortes termos heterogêneos a respeito da barbaridade inominável que tinham sido convidados a testemunhar. convocado de Booterstown por mensageiro especial. Nationalgymnasiummuseumsanatoriumandsuspensoriumordinaryprivatdocentegeneralhistoryspecialprofessordoctor Kriegfried Ueberallgemein. Hans ChuechliSteuerli.proporcionada pelos cantores de rua de Dublin L-n-h-n e M-ll-g-n que cantavam A Noite Antes de Larry Esticar as Canelas com seu jeito habitual de provocar o riso. A delegação. herr Hurhausdirektorpresident. guarda-chuvas. o arquigozador Leopold Rudolph von SchwanzenbadHodenthaler. quanto a ser o dia oito ou nove de março a data correta do nascimento do santo padroeiro da Irlanda. o grandegozador Vladinmire Pokethankertscheff. a condessa Martha Virága Kisaazony Putrápesthi. Mynheer Trik van Trumps. Nossos dois inimitáveis galhofeiros fizeram negócios retumbantes com seus volantes de palavras-e-música entre os amantes da comédia e ninguém que tenha num cantinho de seu coração um lugar reservado para a verdadeira graça irlandesa sem vulgaridade poderá condená-los pelo dinheiro ganho a duras penas. monsieur Pierrepaul Petitépatant. señor Hidalgo Caballero Don Pecadillo y Palabras y Paternoster de la Malora de la Malaria. Olaf Kobberkeddelsen. Borus Hupinkoff.T. Bomboost. rapidamente restabeleceu a ordem e com a presteza de um raio propôs o dia dezessete do mês como solução igualmente honrosa para as duas partes . soqueiras de metal. o conde Athanatos Karamelopulos. O policial caçula. Hokopolo Harakiri.I.E. A festa na residência do vice-rei incluía muitas senhoras famosas que eram conduzidas por Suas Excelências a lugares de destaque na tribuna de honra enquanto a pitoresca delegação estrangeira conhecida como a dos Amigos da Ilha da Esmeralda era acomodada numa tribuna bem em frente. bacamartes. granadas asfixiantes.O. Hi Hung Chang. recorreu-se a pedaços de lingotes de metal e socos foram trocados livremente. moedores de carne. As crianças do Hospital de Meninos e Meninas Enjeitados que se apinhavam nas janelas para observar a cena se mostravam encantadas com este inesperado acréscimo à diversão do dia e uma palavra de elogio é devida às Irmãzinhas dos Pobres por sua excelente idéia de proporcionar às crianças pobres órfãs de pai e mãe um prazer genuinamente instrutivo. toda ela presente. Ali Baba Backsheesh Rahat Lokum Effendi. Uma altercação animada (na qual todos tomaram parte) se seguiu entre os F. cimitarras. guarda MacFadden. consistia no commendatore Bacibaci Beninobenone (o semiparalisado doyen do grupo que tinha que ser içado ao seu assento por meio de uma grua a vapor poderosa). catapultas. sacos de areia. bumerangues. Pan Poleaxe Paddyrisky.

. A sugestão sagaz do novebotas foi imediatamente do agrado de todos e foi unanimemente aceita. hiphip. Enquanto aguardava o sinal fatal ele testava a lâmina de sua terrível arma afiando-a sobre seu antebraço musculoso ou decapitava numa sucessão rápida um rebanho de carneiros que tinha sido fornecido pelos admiradores de seu ofício feroz mas necessário. Tranqüilamente. O erudito prelado que administrou as últimas palavras de conforto da sagrada religião ao herói mártir prestes a pagar por seus atos com a pena de morte se ajoelhou com um espírito extremamente cristão numa poça de água de chuva. A chegada do carrasco de renome mundial foi saudada por um estrondo de aclamação da enorme multidão. O guarda MacFadden foi calorosamente congratulado por todos os F. a Gladiolus cruentus. Dr. o sombreiro patriarcal do commendatore. e ofereceu ao trono da graça orações fervorosas de súplica. polla kronia.E. Anunciou sua presença com aquela delicada tosse rumboldiana que tantos têm tentado (infrutiferamente) imitar – curta. despretensiosamente Rumbold subiu ao patíbulo num traje matinal impecável e usando sua flor favorita. tendo sido removido por seu médico assistente a serviço. eljen. muitos dos quais sangravam profusamente. Allah.litigantes. Commendatore Beninobenone tendo sido desembaraçado de debaixo da poltrona presidencial. vive. O sinal para a oração foi então prontamente dado por um megafone e num instante todas as cabeças foram descobertas. Numa elegante mesa de mogno perto dele estavam cuidadosamente arrumados o facão de . esmerada e no entanto com tudo isso tão característica do homem. chinchin. em meio aos quais o soar de evviva do delegado da terra da canção (um F maiúsculo duplo lembrando aquelas belas notas agudas com as quais o eunuco Catalani enfeitiçou nossas trisavós) era facilmente identificável. as damas vice-reais acenando com seus lenços em sua excitação enquanto ainda mais excitados delegados estrangeiros aplaudiam vociferantemente numa misturada de gritos.T. hoch.I. Pippi. Os objetos (que incluíam várias centenas de relógios de ouro e de prata de senhoras e cavalheiros) foram prontamente restituídos aos seus verdadeiros donos e reinou uma suprema harmonia geral. Juntinho ao madeiro se encontrava a figura sombria do carrasco.O. que estava na posse de sua família desde a revolução de Rienzi. banzai. zivio. com seu rosto escondido por um pote de dezgalões com dois orifícios circulares perfurados através dos quais seus olhos brilhavam furiosamente. foi explicado por seu conselheiro legal avvocato Pagamimi que os diversos artigos escondidos em seus trinta e dois bolsos tinham sido surrupiados por ele durante o tumulto dos bolsos de seus colegas mais moços na esperança de devolverlhes o bom senso. sua batina sobre a cabeça grisalha. Eram exatamente dezessete horas.

deliciosos pãezinhos quentes para o café-da-manhã e chá envigorante tinham sido providenciados atenciosamente pelas autoridades para o consumo da figura central da tragédia que estava no mais alto estado de espírito quando preparada para a morte e manifestava o mais agudo interesse no que estava acontecendo do princípio ao fim mas ele. feito primorosamente. o intestino e apêndice etc. Os nec e non plus ultra de emoção foram atingidos quando a encabulada noiva por ele eleita irrompeu através das fileiras cerradas de espectadores e se lançou sobre o peito musculoso daquele que estava prestes a ser arremessado na eternidade por sua causa. Aquela monstruosa audiência simplesmente tremeu de prazer. bife frito e cebolas. Ela jurou a ele enquanto misturavam as torrentes salgadas de suas lágrimas que sempre guardaria com carinho a sua memória. esquecidos do presente pavoroso. ficando não menos afetado o próprio idoso . John Round e Filhos. os vários instrumentos de estripar minuciosamente preparados (especialmente supridos pelas cutelarias mais famosas do mundo. inclusive o venerável pastor. todos os espectadores. uma caçarola de terracota para receber o duodeno. eles riram efusivamente. com uma abnegação rara nestes nossos tempos. Sheffield). Uma nova torrente de lágrimas jorrou de seus canais lacrimais e a imensa multidão de pessoas. Mas dentro em pouco eles foram tomados pelo desgosto e se deram as mãos pela última vez. se mostrou à altura da situação e expressou o desejo final (imediatamente concedido) de que a refeição fosse dividida em alíquotas iguais entre os membros doentes e indigentes da associação dos camareiros como um sinal de sua consideração e estima. O herói enlaçou sua forma graciosa num abraço amoroso murmurando carinhosamente Sheila. Ela trouxe de volta a ele a lembrança dos dias felizes da infância feliz dos dois juntos nas margens do Anna Liffey quando eles se tinham entregue aos passatempos inocentes dos jovens e. minha adorada. Um repasto de qualidade bastante excelente consistindo de fatias de presunto e ovos. o cólon. se juntando à alegria geral. tocadas no íntimo do seu ser. O administrador do abrigo conjunto de cães e gatos estava a serviço para transportar esses recipientes quando reabastecidos para aquela instituição beneficente. quando extraídos com sucesso e duas jarras de leite espaçosas destinadas a receber o sangue mais precioso da vítima a mais preciosa. Srs. que nunca se esqueceria de seu jovem herói que foi para sua morte com uma canção nos lábios como se estivesse indo para uma partida de hóquei irlandês no Clonturk Park.esquartejar. Encorajada por este emprego do seu nome de batismo ela beijou apaixonadamente todas as diversas áreas acessíveis do corpo dele que as decências da roupa da prisão permitiam seu ardor de atingir. prorrompeu em soluços de cortar o coração.

tenentecoronel Tomkin-Maxwell ffrenchmullan Tomlison. ele o deixaria derramar toda sorte de bebida por sua goela abaixo até que o Senhor o chamasse antes que você jamais visse ele pagar uma rodada. quando eu a vejos p’que eu penso no meu velho saco de batatas que está me esperando em Limehouse Way. um ato oportuno e generoso que evocou uma nova explosão de emoção: e quando o jovem e galante Oxoniano (portador. aquela maldita mulher da vida ali. Mais ainda. Que inferno isso me dá vontade de chorar de dor. a sussurrar para si mesmo em voz baixa entrecortada: – Que eu vá para o inferno. de um dos nomes mais honrados em todos os tempos da história da Álbion) colocou no dedo de sua fiancée que corava um dispendioso anel de noivado com esmeraldas cravadas com a forma de um trevo de quatro folhas a excitação atingiu seu apogeu. até o severo chefe-de-polícia-militar. se ela não é um belo exemplar.prebendário. solicitando dela que indicasse o dia. Um incidente extremamente romântico ocorreu quando um belo jovem graduado de Oxford. a praga da Irlanda. faziam uso franco de seus lenços e é possível dizer com segurança que não havia um olho seco naquela assembléia máxima. verdade que dá. solicitou a mão da jovem dama desafortunada. avançou e. e foi aceito no ato. sua conta bancária e árvore genealógica. não pôde conter sua emoção natural. conhecido por seu cavalheirismo para com o belo sexo. E uma noite eu entrei com um camarada em uma dessas noitadas musicais. por aqueles burgueses privilegiados que faziam parte do seu entourage imediato. apresentando seu cartão de visita. que presidia o triste acontecimento. por sinal. Homens grandes e fortes. ele que tinha disparado pela boca do canhão sem estremecer um número considerável de soldados nativos indianos. Todas as damas do público foram presenteadas com uma lembrança da ocasião de bom gosto sob a forma de um broche com crânio e ossos cruzados. oficiais da paz e gigantes joviais da polícia real irlandesa. música e dança à volta ela podia subir num feixe de feno ela podia mesmo minha Maureen Lay e ali havia um homem com uma fita azul de Temperança saindo vistosa dele em irlandês e muitas moças louras andando à volta com refrigerantes e vendendo medalhas e . Puxa vida. Com sua luva de cota de malha ele varreu uma lágrima furtiva e foi ouvido. Com que então o cidadão começa a falar sobre a língua irlandesa e a reunião da corporação e tudo o mais e sobre os futuros cavalheiros que não sabem falar sua própria língua e Joe interrompendo porque entrara numa fria dando uma libra a alguém e Bloom dando uma de seu velho sentimentalismo com a ponta de cigarro de dois pennies que ele filara de Joe e falando sobre a liga gaélica e a liga antiintemperança e sobre a bebida. Antiintemperança é sobre as proporções disso.

Não estamos nos referindo tanto àquelas canções de amor adoráveis com as quais o escritor que esconde sua identidade sob o gracioso pseudônimo de Galhinho Cheiroso familiarizou o mundo amantedeleitura mas de preferência (como um colaborador D. como eu estava dizendo. E um ou dois padres dando uma olhada à volta e vendo que não estava acontecendo nada com as mulheres. Então ele chama para junto de si o velho cachorro. Em seguida ele começa a puxar e a marretar e a conversar com ele em irlandês e o velho destruidor a rosnar. zombando. puxa. dando golpe baixo. Dar-lhe-ia um grande e belo chute de vez em quando onde não o cegasse. fingindo responder.laranjas e limonadas e alguns velhos pãezinhos secos. Garry? – diz. Irlanda sóbria é Irlanda livre. Assim comoesempre. Todos aqueles que estão interessados na divulgação da cultura humana entre os animais inferiores (e seu nome é legião) deveriam se empenhar em não perder a demonstração realmente maravilhosa de cinantropia feita pelo famoso velho setter irlandês cãolobo antigamente conhecido pelo sobriquet de Garryowen e recentemente rebatizado pelo amplo círculo de amigos e conhecidos como Garry Owen. Tal rosnado vocês nunca ouviram igual ao que eles soltaram entre si. Alguém que não tenha nada que fazer deveria escrever uma carta pro bono publico para os jornais pedindo uma ordem para o uso de focinheira para um cachorro como aquele. nem me fale. o assinala em uma comunicação . faria isso sim. a declamação de versos. Rosnando e resmungando e com os olhos injetados de sangue devido à sua secura e a hidrofobia gotejando de suas mandíbulas. – Com medo que ele o morda? – diz o cidadão.O. o velho cão vendo que a lata estava vazia começa a farejar à volta de Joe e de mim. Nosso maior perito de fonética vivo (cavalos selvagens não hão de arrancar isso de nós!) não deixou pedra sob pedra em seus esforços de elucidar e comparar o verso declamado e descobriu que ele tem uma semelhança notável (os itálicos são nossos) com os versos irlandeses dos antigos bardos celtas. se ele fosse meu cachorro. compreende.C. muito divertido. que é o resultado de anos de adestramento por bondade e um sistema dietético cuidadosamente planejado. como um dueto numa ópera. – O que há com você. – Mas ele podia estar tomando minha perna por um poste de luz. – Não – digo eu. Eu o adestraria com bondade. além de outros feitos. E então um homem idoso começa a soprar em sua gaita-de-foles e todos os trapaceiros arrastando os pés ao som da música desagradável e ensurdecedora que era tocada. A demonstração.

Barney Kiernan. Então ele pediu a Terry que trouxesse um pouco de água para o cachorro e. – O mesmo novamente. Então a esposa surge como uma pessoa importante. E diz Joe: – Pode me dar uma dose maior de bebida? – Pode um pato nadar? – digo eu. – Na verdade eu só queria encontrar Martin Cunningham. você podia ouvir ele bebendo tudo a uma milha de distância. é infinitamente mais complicado mas acreditamos que nossos leitores concordarão que o espírito foi bem apanhado. Talvez devesse ser acrescentado que o efeito é grandemente aumentado se o verso de Owen for falado de certa forma lentamente e indistintamente num tom sugestivo de rancor reprimido. com o cachorro de Giltrap. quero dizer Dignam. Divertimento para homem e animal. Perdendo tempo de bar em bar. . – Eu quero – diz ele – a chara. hein? – Bem. Terry – diz Joe. Martin me pediu para ir à casa mortuária. – Não. – Guerra Santa – diz Joe. sabe. Sabe. – Tem certeza de que não quer nada em matéria de refresco líquido? – diz. é esse o ponto básico – diz Bloom – para os admiradores da mulher. Nós acrescentamos um espécime que foi traduzido para o inglês por um eminente erudito cujo nome não temos no momento a liberdade de revelar embora acreditemos que para nossos leitores a alusão tópica seja bem mais do que uma indicação. rindo –. A praga das minhas pragas Sete dias todo dia E sete quintas-feiras de abstinência Pra você. ele. sobre o seguro do pobre Dignam. deixando com você a própria honra. Não tem gole d’água Que esfrie minha coragem. E minhas entranhas vermelhas rugindo Atrás das luzes de Lowry. que lembra as intricadas regras aliterativas e isossilábicas do englyn galês. e ficando aborrecido com os contribuintes que pagam taxas e os eleitores dos membros da corporação. E Joe lhe perguntou se ele queria mais. muito obrigado – diz Bloom. ele não é tão tolo quanto parece. não avisou a companhia sobre a hipoteca de sua apólice e nos termos da lei o credor hipotecário não tem recurso sobre a apólice. para mostrar que não há ressentimento. nossa.interessante publicada por um jornal vespertino contemporâneo) à nota mais áspera e pessoal que se encontra nas efusões satíricas do famoso Raftery e de Donald MacConsidine para não mencionar um lírico mais moderno grandemente em evidência no momento. O tratante. O sistema métrico do original canino. essa é muito boa então o velho Shylock é apanhado em seu próprio jogo.

Dignam que ele sente muito pelo problema que ela está enfrentando e que sente muito a respeito do funeral e que diga a ela que ele disse e todo mundo que ele conhece disse que nunca houve um homem mais direito e melhor do que o pobre pequeno Willy que está morto para dizer a ela. Sufocando com a maldita parvoíce. – Não – retrucou o outro –. irmão. dê minhas recomendações a um israelita! Ladroeira húngara real e privilegiada. num sentimento de estima mútua a ponto de lhe pedir este favor. Vendendo bilhetes de bazar ou como se diz da privilegiada loteria real húngara. Então todo confuso ele começa a se atrapalhar todo sobre os termos da lei a respeito do devedor hipotecário como o presidente da Corte de Justiça ao tornar público seu julgamento no tribunal e em benefício da mulher e que uma custódia é criada mas por outro lado que Dignam devia dinheiro a Bridgeman e se agora a mulher ou a viúva contestasse o direito da hipoteca a ponto de ele me fazer ficar com a cabeça aturdida nos termos da lei. os consultores da mulher – diz Bloom. Você é um trapaceiro e eu sou outro. está fundamentada. Cego para o mundo lá num bar em Bride Street depois da hora de fechar. Aquela noite em que ele foi quase preso não fosse pelo fato de Paddy Leonard conhecer o guarda. – A bondade de seu coração. apesar da mensagem ser de pesar. Aperte a mão. caso eu tenha ultrapassado os limites da reserva permita que a sinceridade de meus sentimentos seja uma desculpa para a minha ousadia. Mas. fosse eu dar vazão aos meus sentimentos. fornicando com duas prostitutas e um cáften de guarda. eu compreendo totalmente os motivos que determinaram a sua conduta e me incumbirei da tarefa que você me confia consolado pela reflexão de que. E lá se foi ele tentando caminhar reto. 14 A. tenho certeza. Assim Bob Doran vem cambaleando pedir a Bloom que diga à Sra. – Permita-me – disse ele – abusar da nossa relação que. embora superficial como possa parecer se julgada pelo mero padrão do tempo. Ele estava miseravelmente seguro de que não fora preso nos termos da lei naquela vez como um trapaceiro e um vagabundo só porque ele tinha um amigo na corte de justiça. E apertando a mão de Bloom com um ar trágico que dissesse isso a ela. Ó. – Quero dizer. bebendo com eles .– Admiradores de quem? – diz Joe. me impediria sequer de falar. como espero e creio. Bêbado às cinco da tarde. esta prova de sua confiança suaviza até certo ponto o amargor da taça. Tão certo como o fato de você estar ali. lhe ditará melhor do que minhas palavras inadequadas as expressões que sejam mais apropriadas para demonstrar uma emoção cuja pungência. – Aceite portanto que eu tome a sua mão – disse ele.

E a velha prostituta da mãe dela arrumando quartos para os casais da rua. Vagando com seu livro e lápis ele de cabeça melhor do que as pernas veio até que Joe Cuffe o mandou embora abruptamente por ter sido insolente com um invernador de gado. E as duas prostitutas morrendo de rir. roubando seu dinheiro.cerveja em xícaras de chá. Porque ele estava certa vez numa venda de cavalos inutilizados próprios para o matadouro. Ensine a sua avó a ordenhar patos. cidadão. – Boa sorte. só Paddy estava passando por ali. – Tome – diz Joe. ele já estava com sua boca a meio caminho do copo. dos negociantes de gado.. Joe – digo eu. Então Joe começa a contar ao cidadão a respeito da febre aftosa e dos negociantes de gado e entrando em ação na questão e o cidadão mandando eles todos pentear macacos e Bloom se saindo com o banho dos carneiros para curá-los de uma doença de pele altamente contagiante e o remédio para a doença dos pulmões do gado e o remédio garantido para actinomicose do gado. – O Peludo Iopas – diz o cidadão –. – Tome. e se abraçando e se masturbando. Senhor Sabetudo. P. Jack o fez seguir as regras do jogo como os outros faziam. Veja-o então num domingo com sua pequena concubina de mulher. e ele ajudando missa na igreja Adão e Eva quando era jovem com seus olhos fechados. – Nannan? – diz Joe. dando uma de pequena dama. ele acabaria com ele. Como é o seu testamento? Você tem um antigo testamento? Eu lhe digo mais. e falando contra a religião católica. M. Alf? – diz Joe. bela como ela só. e suas violetas. Puxa vida. o maldito tolo derramando a cerveja por toda a cama e as duas prostitutas gritando e rindo uma com a outra. Era preciso uma pequena fortuna para sustentar as suas bebidas. aquele vulcão explodido. o queridinho de todos os países e o ídolo do seu. Tratante. fazendo as honras da casa. – Um amigo seu – diz Alf. – Slan leat – diz ele. – O púlpito? – Não vou mencionar nenhum nome – diz Alf. meu Jesus. – À sua boa saúde. e ela abanando acima sua cauda pela nave lateral da capela com nada menos do que suas botas de boa qualidade. – Era o que eu pensava – diz Joe. – Eu o vi na reunião agora com William Field. Disselhe que se ele não se casasse com a moça que engravidara. Então Terry trouxe as três doses. E se chamando de franciês para as prostitutas. quem escreveu o novo testamento e o antigo testamento. A irmã de Jackie Mooney. – Quem é o homem comprido candidato à prefeitura. Joseph Manuo. cidadão. Pisser Burke me disse no hotel que sua mulher costumava se debulhar em .

– Isso é uma pena – diz Bloom. Ele põe a mão por baixo da pretinha Liz e pega seu ovo fresco. – A liga lhe pediu para apresentar amanhã a questão sobre a proibição dos jogos irlandeses no parque determinada pelo comissário de polícia. Nacionalista): Surgindo da pergunta do meu honrado amigo. Porque os pobres animais sofrem e peritos o dizem e o remédio mais conhecido que não provoca dor no animal e no lugar ferido se administrado suavemente. – Em todo caso – diz Joe –. Cluque Cluque Cluque. Talvez apenas o Sr. Cowe Conacre: O famoso telegrama do muito honrado cavalheiro de Mitchelstown inspirou o plano de ação dos cavalheiros do Ministério da Fazenda? (Oh. – Você tem certeza – diz Bloom – de que o conselheiro vai? Acontece que eu queria vê-lo. Então vem o bom tio Leo. A resposta à pergunta do honrado deputado é afirmativa. Ga ga ga ga Gara. Allfours: Eu devo ser informado dessa questão. – Bem. Não. Sr. Quando ela põe seus ovos fica tão contente. que mão ligeira ele tinha por baixo de uma galinha. Puxa vida. Você tem certeza? – Nannan também vai – diz Joe. ele parte esta noite pelo barco-correio – diz Joe. Field e Nannetti vão hoje à noite para Londres indagar a esse respeito no recinto da Câmara dos Comuns. Cluque Cluque Cluque. posso perguntar ao correto honrado cavalheiro se o governo emitiu ordem para que estes animais sejam mortos embora nenhuma evidência médica tenha sido apresentada quanto à condição patológica deles? O Sr. Sinto que não posso acrescentar nada a isso que seja de alguma utilidade. Independente): Não . A Liz pretinha é a nossa galinha. Cowe Conacre (Multifarnham. Oh!) Sr. O Sr. Gara. – Eu precisava muito. Field vá. O’Dowd que chorava a mais não poder com suas oito polegadas de gordura à volta do seu ser. Conservador): Honrados deputados já têm em posse a evidência apresentada perante uma comissão de toda a Câmara.lágrimas às vezes com a Sra. Qual é o seu programa hoje? Métodos humanitários. Ga Ga Gara. O que pensa disso. Eu não poderia ligar para ele. Orelli O’Reilly (Montenote. Não podia soltar sua fieira de peidos que o olho de peixe morto valsava à sua volta mostrando-lhe como fazê-lo. Sr. Allfours: A resposta é negativa. Sr. o deputado de Shillelagh. Nacionalista): Foram emitidas ordens semelhantes de matar os animais humanos que ousarem jogar jogos irlandeses no parque Phoenix? Sr. Ela põe ovos para nós. cidadão? The Sluagh na h-Eireann. Cluque Cluque Cluque. Allfours (Tamoshant. Staylewit (Buncombe.

com um pronunciamento particularmente . L. – É verdade mesmo? – diz Alf. cidadão? – Na bacleis – diz o cidadão. Vivas. sim – diz Bloom. sobre o restabelecimento dos antigos esportes gaélicos e a importância da cultura física. se mostrando modesto. com o objetivo de reviver as melhores tradições da força e da proeza masculinas legadas a nós de antigas eras. tendo advogado o contrário o presidente vocalista pôs um fim ao debate. fez um apelo eloqüente pelo ressurgimento dos antigos esportes e passatempos gaélicos.) O presidente: Ordem! Ordem! (A câmara se levanta. Você não sabia? E eis que eles começaram a falar sobre o esporte irlandês e os jogos inglesados como o tênis de gramado e o hóquei irlandês e colocação de pedras e riqueza do solo e o erguimento mais uma vez de uma nação e tudo o mais. como praticada na Grécia antiga e na Roma antiga e na Irlanda antiga para o desenvolvimento da raça. O homem que fez James Stephens escapar.) – Ali está o homem – diz Joe – que fez reviver o esporte gaélico. – Houve um tempo em que eu fui tão bom quanto qualquer outro. em resposta a pedidos incessantes e palmas calorosas de todas as partes de uma câmara numerosa. praticados de manhã e à noite por Finn MacCool. Qual foi seu melhor lançamento. O campeão de toda a Irlanda por lançar um peso de dezesseis libras. (Risadas irônicas da oposição.hesite em atirar. Joseph M’Carthy Hynes. Ali está ele sentado. sob os auspícios de Sluagh na h-Eireann. Você está vendo essa palha? Isso é uma palha. – Ponha a mão aqui. que se defrontou com uma recepção mista de aplausos e vaia. Sr. Uma discussão muito interessante teve lugar no antigo saguão de Brian O’Ciarnain em Sraid na Bretaine Bheag. cidadão – diz Joe. – É um fato sabido. Posso afirmar a quem quiser me ouvir que ele falará sobre isso uma hora a fio garanto e sem parar. O venerável presidente da nobre ordem ocupava a presidência e o público era de grandes dimensões. Bloom. O bem conhecido e altamente respeitado batalhador da causa de nossa antiga língua. E naturalmente Bloom também tinha que ter sua palavra sobre isso se um homem tiver o coração sobrecarregado de um remador um exercício violento lhe fará mal. uma discussão muito interessante e instrutiva do usual padrão elevado de excelência se seguiu quanto à conveniência do reflorescimento dos antigos jogos e esportes de nossos prévios antepassados pancélticos. uma oração magnífica expressa eloqüentemente e energicamente. – Você era muitíssimo melhor. – É. Bloom. Depois de um discurso instrutivo do presidente. Declaro ao meu sobrecoberta que se você pegar uma palha do maldito chão e disser para Bloom: Olhe aqui.

J. da igreja católica de Santiago. que por sua superqualidade realçava grandemente sua reputação já internacionalmente reconhecida. doutor em Teologia.. o rev.. M. – Ele deixou escapar que enquanto Myler se enchia de cerveja ele se matava de . Seu soberbo vocalismo do mais alto teor. padre pároco da igreja de São Nicolau. da Ordem dos Carmelitas Descalços. Peter Fagan. vigário geral da igreja de Santa Catarina. o rev. pároco da igreja católica de Santa Margarida. o rev. etc. Gorman. Mgr M’Manus. J. Purcell. – Eu ouvi dizer que Fulano de tal ganhou um bom dinheiro com ela – diz Alf. foi entusiasticamente aplaudido pelo público numeroso em meio ao qual podiam ser notados muitos membros proeminentes do clero assim como representantes da imprensa e juristas e outras doutas profissões. da Ordem dos Monges Pregadores. o muito rev. o rev. P. da Ordem de Santo Agostinho. William Delany. Blazes – diz Alf. T. L. J. John M. etc. o rev. o muito rev. Entre os membros do clero estavam o muito rev. T. Nicholas. pároco da igreja católica de São Miguel e São João. o rev. T. S. da Ordem dos Pregadores. padre paroquial. o muito rev. Scally. Dessa maneira foi encerrada a sessão. P. Brangan. Cleary. Fay. Flanagan. J. Os leigos incluíam P. Hackett. Slattery. T. W. o rev.. J. T. cônego Timothy cânon Gorman. o muito rev. Flavin. o reitor rev. M. por exemplo. da Ordem de São Francisco. o rev. cura encarregado da igreja católica de São João Batista. o rev. Ivers. o reitor rev. da Ordem de Maria Imaculada. Quirke.digno de nota dos versos perenes do imortal Thomas Osborne Davis (felizmente por demais familiares para que precisem ser lembrados aqui) Novamente uma Nação na interpretação dos quais pode ser dito sem medo de contradição que o veterano campeão patriota se superou lindamente. William Doherty. John Lavery. membro dos Padres da Congregação da Missão. o rev. – Quem? Blazes? – diz Joe. Hickey. o rev. da Ordem do Monastério Capuchinho de São Francisco. da procatedral da Imaculada Conceição. da congregação do Espírito Santo. Maher. A. o muito rev. o rev. B. B. Waters. – Sim. doutor em Letras. o rev. – Por falar em exercício violento – diz Alf –.. J. da procatedral da Imaculada Conceição. cura da procatedral da Imaculada Conceição. S. Fr. Hurley. você foi àquela partida de Keogh-Bennett? – Não – diz Joe. E diz Bloom: – O que eu quero dizer sobre o tênis. O Caruso-Garibaldi irlandês estava superlativamente em forma e suas notas estentóreas podiam ser ouvidas com o maior proveito cantando o hino sagrado como somente nosso cidadão pode cantá-lo. James Murphy. Kavanagh. da Ordem dos Maristas. F. J. o muito rev. o rev. R. é a agilidade e o olhar treinado. Gerald Molloy. D. S. o rev. J.

e Myler veio parecendo grogue. O sargento-ajudante peso-médio tinha esmurrado a ponto de o nariz sangrar na peleja anterior durante a qual Keogh tinha sido o recebedorgeral de direitas e esquerdas. foi para o seu canto onde foi generosamente encharcado de água e quando a sineta soou veio combativo e transbordante de coragem. o querido favorito de Dublin compensou a falta por meio de uma perícia extrema na arte de boxear. Nós sabemos o que pôs ouro inglês em seu bolso. Deus meu. Foi uma luta de acabar com o adversário cabendo ao melhor fazê-lo. – Você está absolutamente certo – diz Joe. derrubando-o direto no chão. O inglês. Os homens chegaram a um corpo-a-corpo. E Bloom interrompe novamente com o tênis de gramada e a circulação do sangue. você não acha. Bergan? – Myler limpou o soalho com ele – diz Alf.tanto treinar. Deu-lhe uma surra de pai e mãe. Depois de uma brusca troca de cortesias durante a qual um hábil upper-cut do militar fez sangrar livremente a boca do adversário subitamente o queridinho dos irlandeses investiu contra seu homem e plantou um tremendo soco de esquerda no estômago de Battling Bennett. perguntando a Alf: – Ora. cujo olho direito estava quase fechado. Em meio a uma tensa expectativa era contado o tempo do boxeador do Portobello quando o ajudante de Bennett . confiando pôr fora de combate num abrir e fechar de olhos o pugilista eblanita. Myler rapidamente ficou ocupado colocando seu homem por baixo. e lhe deu um último soco no estômago. O último assalto de fogos de artifício foi uma experiência estafante para os dois campeões. que o fez vomitar até aquilo que não comera. O árbitro duas vezes advertiu Pucking Percy por corpo-a-corpo mas o favorito era astuto e era um regalo observar seu trabalho com os pés. o assalto terminando com o grandalhão nas cordas. Em desvantagem como estava pela falta de comissão. se adiantando ao outro com um poderoso soco de esquerda ao qual o gladiador irlandês revidou disparando um golpe em cheio no maxilar de Bennett. Veja só o peixinho não chegava ao umbigo dele e o grandalhão a bater pra valer. – Perto dele o caso de Heenan e Sayers não passou de um joguete sangrento. com um notável murro no corpo. o artilheiro fazendo um certo jogo limpo no nariz do favorito. Os dois lutaram como leões e a excitação febril atingiu o auge. O soldado foi ao que interessava. Foi uma batalha memorável e histórica aquela em que Myler e Percy foram escalados para vestir as luvas por um pagamento de cinqüenta soberanos. O casacovermelho desviou mas o dublinense o ergueu com um gancho de esquerda. Foi um nocaute limpo e inteligente. – O filho do traidor. Myler o castigando. dentro das regras de Queensberry e tudo o mais. – Nós o conhecemos – diz o cidadão.

Apenas umas férias. Sim. Ned. Sr. Eu vim para as taxas dos pobres e da água. diz ele. e com ele o príncipe e herdeiro da nobre linhagem de Lambert. – Alô. Ned. Ali cresceu ela com sua incomparável beleza onde ameixa e amêndoa perfumam o ar. – Minha mulher? – diz Bloom. ouça o que eu digo. Turnê de concertos. Alf. J. J. – Não está? – Quem? – diz Bloom. Joe. – Ouvi dizer que ele está organizando uma turnê de concerto no norte. Ned? – Uma meia – diz Ned. Hoho por Deus digo eu para mim mesmo digo eu. Ele é um excelente organizador. – Alô. – Estive – diz J. sim. – Ele sabe o que lhe convém – diz Alf. J. – Alô. Blazes produzindo um flauteio na flauta. Excelente. bebendo juntos com espertos . E veja. Com seu nome no Stubb. sim. é a brilhante estrela especial. Boylan. – A Sra. – Está mesmo – diz Joe. – Ele vai ajustar isso. não é? – diz Joe. A casta esposa de Leopold é ela: Marion dos fartos seios. a filha de cabelos de ébano de Tweedy. acho que vai ser um sucesso. Agora o que aqueles dois estavam tramando? J. É bem verdade. – Alô. esse conselheiro de Sua Majestade conhecedor das leis. sabe. tirando-o da lista do grande júri e o outro lhe dando uma mão no umbral da porta. uma espécie de turnê de verão. O sujo do Dan filho do trapaceiro de Island Bridge que vendeu duas vezes ao governo os mesmos cavalos para a luta contra os bôeres. Orgulho do monte rochoso de Calpe. – Deus os guarde – diz o cidadão. – Ela vai cantar. Boylan. Jack. ali entrou um do clã dos O’Molloy. Você quequê? Esse é o janota que vai organizá-la. B. Velho Quequê. de novo. Você o quê? A taxa de água. J. Na verdade. – Você esteve lá no tribunal? – diz Joe. – Ah. – O que você vai tomar. Isso explica o leite no coco e a ausência de cabelo no peito do animal. – Espero que sim – diz Ned. Jogando cartas. Sr. um gracioso herói de brancas faces contudo apesar disso um tanto corado. Os jardins da Alameda conheceram seus passos: os pátios de oliveiras a conheceram e se curvaram perante ela. Entre mim e você o que. pediu as bebidas. Então J. – Deus também o guarde em sua bondade – diz J.Ole Pfotts Wettstein jogou a toalha e o rapaz de Santry foi declarado vitorioso sob as aclamações frenéticas do público que saltou através das cordas do ringue e auspiciosamente o cercou encantado.

um desses dias ele ainda vai se arrepender amargamente do que faz. C. senhor? Feitoso. – É o que quero dizer – diz o cidadão. e Jimmy Johnson por testemunha. – Quer dizer que ele. – É uma lástima para ela – diz o cidadão. Qual é o seu nome. – Então você não sabe que ele é tantã? Olhe para a cabeça dele. Empenhando seu relógio de ouro no Cummins de Francis Street onde ninguém o conhecia no escritório particular quando estive lá com Pisser tirando as suas botas do prego. J. – Nem um bom arenque vermelho – diz Joe. mas aos olhos da lei a veracidade de uma difamação não justifica a indicação para uma publicação.: para cima. – Quero dizer um meio a meio – diz o cidadão. ha. quero dizer sua mulher. rindo. poderá ser tomada como prova contra você. – Eu? – diz Alf. –. J. diz ele. – Implica que ele não está compos mentis. – Caramba. – É sim – diz Ned. Uma crueldade com os animais isso sim deixar aquele maldito indigente do Breen solto em campo com sua barba entre os joelhos o fazendo . – E ele queria sem medir conseqüências apelar para o tribunal só que Corny Kelleher o convenceu a mandar primeiro examinar a letra. Alf – diz Joe.. C. Por Deus eu vi que havia confusão à vista. toda a verdade e nada mais do que a verdade. E Bloom explicando que ele queria dizer em relação àquilo ser cruel para a mulher ter de andar à volta atrás daquele velho tolo gago. – Ou para qualquer outra mulher que se case com um meio a meio. – Um enfeitiçado se vocês sabem o que isso é. Alf? – diz Joe. Você sabe que em certas manhãs ele tem que pôr seu chapéu com uma calçadeira? – Sim – diz J. é o que eu penso. bebendo champanhe e ele meio sufocado com intimações e mandados judiciais. J. rindo.figurões com um monóculo pomposo nos olhos. – Como um meio a meio? – diz Bloom. – Assim mesmo – diz Bloom – em relação à pobre mulher. – Qualquer declaração que você faça – diz Joe –. – Não lance as suas difamações sobre o meu caráter. – Foi você que fez isso. – Ha. e feito digo eu. Em busca de um detetive particular. eu daria qualquer coisa para ouvi-lo perante o juiz e o júri. – Um camarada que não é nem carne nem peixe. P. – A verdade.. – P. J.: para cima. – Você viu por lá aquele maldito lunático do Breen? – diz Alf. – Naturalmente uma ação seria admissível – diz J. – Dez mil libras – diz Alf. Sim. – Compos uma pinóia! – diz Alf. – Vi sim. Tratante.

– O presidente do tribunal – diz Ned. J. – Quem julgou o caso? – diz Joe. O quê? Você me toma por acaso por algum ingênuo? Naturalmente que era uma tapeação miserável. Droga. E quem era ele. o macarrone. por favor. e seu próprio rim também. – Como terminou aquele caso da falcatrua canadense? – diz Joe. e ele coberto de toda sorte de peitorais a desafiar o mundo. eles podem fazê-lo de tolo à vontade. de sete shillings por semana. O quê? Burlou todos eles. tentando vender-lhe um caixão de segunda mão. – É sim – diz Alf. e a chamar chuva. Seis e oito pence. empregadas domésticas e rústicos do condado de Meath. teve uma sorte e tanto por ele não o ter colocado no banco dos réus no outro dia por processar o pobre pequeno Gumley que cuida do canteiro de pedras. dois quartos dando para um pequeno pátio. Em minha opinião caberia uma ação judicial. Um da fraternidade dos narigudos conhecido pelo nome de James Wought vulgo Saphiro vulgo Spark e Spiro. Hole. – Pobre velho sir Frederick – diz Alf –. – Onde? – diz Alf. – Lá está ele de novo – diz Joe. falando com ele como um pai. o signior Brini de Summerhill. Ned – diz J. Serviu como prova suficiente de intenção criminosa no caso de Sadgrove v. E ela com seu nariz empinado depois que se casou com ele porque um primo do seu pai conduzia para o papa os paroquianos aos seus lugares. pôs um anúncio nos jornais dizendo que venderia uma passagem para o Canadá por vinte shillings. – Reuben J. Quem quer a sua opinião? Vamos tomar nossas bebidas em paz. – Em reencarceramento – diz J. E por Deus lá estava ele passando pela porta com seus livros debaixo da axila e a sua mulher ao lado e Corny Kelleher com seu olhar parado a examiná-los enquanto passavam. Jack – diz Ned. J. à sua saúde. Um retrato dele na parede com seus bigodes de Smashall Sweeney. o zuavo papal junto ao Santo Padre. para a corporação ali perto . J. um cartão-postal é uma publicação.tropeçar. me diga? Um ninguém. J. ele se desmanchará em lágrimas na sua poltrona de juiz. –. J. – Bem. abandonou o cais e foi para Moss Street. nos contou que havia um antigo hebreu Zaretsky ou coisa semelhante chorando no banco das testemunhas de chapéu na cabeça. – E além do mais – diz J. – Um coração tão grande quanto o de um leão – diz Ned. sim. – À sua saúde. na verdade. jurando pelo santo Moisés que tinha sido logrado em duas libras. não vão nos deixar sequer fazer isso. – É suficiente contar-lhe uma desgraça sobre dívidas de aluguel e a mulher doente e um bando de filhos e.

deficiente mental. E considerando que estávamos no dia dezesseis do mês da deusa dos olhos de boi e na terceira semana depois do dia de festa da Santíssima e Indivisível Trindade. versus Livingstone.de Butt Bridge. E ele começa a se lastimar com o velho presidente da corte fingindo chorar: – Uma coisa muito escandalosa! Este pobre trabalhador! Quantos filhos? Você disse dez? – Sim. senhor. E por volta das cinco horas ele deu início à sessão para ministrar a lei dos Brehons na comissão para todo esse distrito e suas dependências que deve ter assento no e para o condado da cidade de Dublin. – E a mulher com febre tifóide! Escandaloso! Saia do tribunal imediatamente. tendo assento em sua própria câmara. aconteceu que aqueles sábios juízes se encaminharam para a mansão da lei. Ali o mestre Courtenay. menor. meritíssimo. pesava bem e ponderava sobre os direitos do primeiro requerente à propriedade na questão do testamento apresentado e da disposição testamentária final in re o patrimônio pessoal e real do lamentado Jacob Halliday. senhor. um homem para cada tribo. E ali tiveram assento com ele os membros do alto sanhedrin das doze tribos de Iar. E eles se levantaram de seus assentos. Não. Como ousa. E minha mulher está com tifo. E imediatamente os amantes da lei fizeram sair de sua torre de menagem aquele que os cães de caça da justiça tinham prendido em conseqüência da informação recebida. deu seu parecer e o mestre juiz Andrews. E à majestosa corte de Green Street compareceu sir Frederick o Falcoeiro. havendo ao todo doze homens de bem e leais. não vou dar nenhuma ordem de pagamento. e um outro. falecido. E ele os conjurou por Aquele que morreu na cruz que eles julgassem bem e verdadeiramente e dessem uma deliberação verdadeira à matéria em questão entre o senhor soberano o rei e o prisioneiro julgado e um veredicto correto de acordo com as provas e que tomassem Deus por testemunha e que beijassem o livro. vir diante de mim para me pedir uma ordem dessa natureza! Um pobre homem trabalhador esforçado! Dou o caso por encerrado. E eles o algemaram mãos e pés e o teriam levado ne bail ne mainprise mas preferiram uma ação judicial contra ele pois ele era um malfeitor. . da tribo de Patrick e da tribo de Hugh e da tribo de Owen e da tribo de Conn e da tribo de Oscar e da tribo de Fergus e da tribo de Finn e da tribo de Dermot e da tribo de Cormac e da tribo de Kevin e da tribo de Caolte e da tribo de Ossian. a filha dos céus. a lua virgem estando então no seu primeiro quarto. sentado sem um júri no tribunal de sucessões. taverneiro. senhor. e juraram em nome Daquele Que é sempiterno que fariam de acordo com Sua Justiça correta. aqueles doze de Iar.

como sua camisa é curta! – Ali está o cabelo. Não queremos mais estrangeiros em nossa casa. Prevaricação da beldade da sociedade. e seu namorado a apalpando nas zonas erógenas e Norman W. Isso é todo o segredo da história. J. Segredos capazes de aumentar suas partes íntimas. – Logrando os camponeses – diz o cidadão – e os pobres da Irlanda. isso é que foi a causa de todos os nossos infortúnios. – Confie em mim – diz Joe. – Nossa própria culpa. – Os estrangeiros – diz o cidadão. rico empreiteiro de Chicago. vir para aqui para encher o país de insetos. Joe – digo eu. – Ó. Nós os trouxemos. – Uma mulher desonrada – diz o cidadão –. Jenny – diz Joe –. uma teia de aranha no canto atrás do barril. Tupper. – E aqui está ela em seu traje de gala – diz Alf – na Police Gazette dando uma risadinha para Terry no balcão. Crawford. A adúltera e seu amante trouxeram os saxões ladrões para aqui. E o que era aquilo senão fotografias enegrecidas ianques que Corny Kelleher passa para Terry. Hynes – diz Bloom. – É só aquele Keyes. qual é a última notícia do cenário da ação? O que é que aqueles lambões da prefeitura na sua reunião de líderes políticos decidiram . – Pegar um bom pedaço de presuntada daquela dona. Beldade em seus calções femininos se portando mal. – Decreto nisi – diz J. E Bloom fingindo estar terrivelmente e profundamente interessado em nada. você sabe – diz Bloom –. e o cidadão carregando o sobrolho para cima dele e o velho cão a seus pés olhando para cima para saber quem morder e quando. E então Joe jurou por tudo que havia de mais sagrado que por esse mundo e o outro ele o faria. tenho certeza que dará tudo certo. encontra sua mulher bela mas infiel no colo do oficial Taylor. para um anúncio é necessária a repetição.– Essas são realmente umas belezas – diz o cidadão –. que tal? Assim de qualquer forma chegaram John Wyse Nolan e Lenehan com ele com uma cara comprida como se ainda não tivesse tomado o café-da-manhã. – Deixe-nos dar uma olhada nela – digo eu. – Ora – diz o cidadão –. Então Bloom finge que não ouviu nada e começa a conversar com Joe. Tupper saltando com sua zarabatana justo a tempo de chegar tarde depois de ela fazer seu carnaval com o oficial Taylor. – Considere isso coisa feita – diz Joe. Norman W. dizendo-lhe que não se preocupasse com aquele assunto trivial até o dia primeiro mas se ele pudesse dar uma palavrinha ao Sr. – Porque. – Ai Jesus. você sabe. – Muita bondade sua – diz Bloom. Nós os deixamos vir.

Mudos filhos de fantasmas bastardos. . J. vocês querem dizer – diz o cidadão. senhores dos mares. os havia encontrado sob a nave. a segunda do reino. que se sentam em tronos de alabastro silenciosos como os deuses imortais. – O Grande Prêmio – diz ele. trajando uma armadura reluzente. colocando seu olho cego no telescópio e redigindo uma lei de proscrição para impugnar uma nação. e Bloom tentando apoiá-lo na moderação e amolação e suas colônias e sua civilização. se assim fosse possível. – O que é que há com você? – digo eu a Lenehan. tinham realizado um conselho solene por meio do qual eles pudessem. e curvado até o chão prestou obediência ao pujante e eminente e poderoso chefe de toda Erin e o tornou conhecedor do que tinha acontecido. como os graves veteranos da mais obediente de todas as cidades. Não se via ali nenhum vestígio deles ou da língua deles em lugar nenhum a não ser num cabinet d’aisance. e ali. Então J. – Jogarfora – diz ele –. E diz John Wyse: – Muitas e muitas flores nasceram para corar ignoradas.. Sr. – Para o inferno com eles! Que a praga de um deus bomparanada recaia sobre esses malditos orelhudos filhos-da-puta! Nenhuma música e nenhuma arte e nenhuma literatura digna de menção. – Eles não são europeus – diz o cidadão. – Sua sifilização. bancando um figurão a respeito de uma história que era boa até ser ouvida uma outra e fazendo vista grossa para fatos e a política de Nelson. pronunciando seu slogan tribal Lamh Dearg Abu. – Eu estive na Europa com Kevin Egan de Paris. – Para o inferno com os miseráveis saxões brutais e seu patois. J. Qualquer civilização que tenham eles a roubaram de nós. bebeu à destruição de seus inimigos. depois das devidas orações aos deuses que residem no éter celestial. uma raça de poderosos heróis valorosos. – Quem ganhou. E diz Lenehan que conhece um pouco o jargão: – Conspuez les anglais! Perfide Albion! Ele disse e então ergueu em suas grandes mãos fortes musculosas e rudes a taça quadrangular de madeira com cerveja forte de espuma escura e. Lenehan? – diz Terry. – E a égua de Bass? – diz Terry. dá o seu recado. – Já está a caminho – diz o cidadão.. E os restantes não contaram. Um azarão nojento. – Você parece um cara que perdeu um shilling e encontrou seis pence. trazer mais uma vez à tona com todas as honras entre os mortais a linguagem alada do celta dividido pelo mar.sobre a língua irlandesa? O’Nolan. a vinte contra um. – A família européia – diz J.

. – Assim é a vida numa privada ao ar livre. – Leva a palma. Boylan jogou duas libras no meu palpite Cetro para ele e para uma dama amiga. com o velho viralata atrás dele arriscando a sorte com seu focinho sarnento para cima. – Não há nada ali. Então ele se encaminhou para a lata de biscoito que Bob Doran deixara para ver se havia alguma coisa que ele pudesse pegar em confiança. – Eu mesmo joguei meia coroa – diz Terry – no Zinfandel que o Sr. A Velha Mãe Hubbard foi para o armário. teu nome é Cetro. Flynn me sugeriu. Estamos todos em apuros. De lorde Howard de Walden. meu filho – diz ele. Fragilidade. e por falar em joanetes. Jogarfora – diz ele.– Ainda está correndo. – Vinte contra um – diz Lenehan.

E J. – Algumas pessoas – diz Bloom – podem ver um argueiro nos olhos dos outros. nossos curtumes e nosso cristal branco lá de Ballybough e nossa popelina huguenote que nós temos desde Jacquard de Lyon e nossa seda tecida e nossos tweeds de Foxford e nossa guipura do convento das Carmelitas em New Ross. com o rei Felipe da . as mais lindas de todo o mundo! E nossa lã que era vendida em Roma no tempo de Juvenal e nosso linho e nosso damasco dos teares de Antrim e nossa renda de Limerick. e mesmo Giraldus Cambrensis. o Gibraltar agora arrebatado pelo inimigo da humanidade. – Raimeis – diz o cidadão. nossos cavalos de fama universal até hoje.– Coragem. e o cidadão a discutir sobre lei e história com Bloom a meter uma palavrinha aqui e ali. mármore de Connemara. os cavalinhos-de-pau irlandeses. prata de Tipperary. – Ela teria ganho se não fosse aquele outro cavalo pangaré. vá em frente – diz Joe. mas não podem ver a trave nos próprios olhos. Onde estão os mercadores gregos que vinham através das colunas de Hércules. incomparável em todo o vasto mundo. J. Onde estão nossos vinte milhões de irlandeses desaparecidos que deviam estar hoje aqui em vez de quatro milhões. peles. Vinho. se vocês sabem o que eu quero dizer. para vender em Wexford na feira de Carmen o ouro e a púrpura do povo de Tiro? Leiam Tácito e Ptolomeu. não ficam devendo a ninguém. nossas tribos perdidas? E nossas cerâmicas e fibras têxteis. – Não existe maior cego do que o homem que não quer ver.

grande comandante-em-chefe da Guarda Florestal Nacional Irlandesa. a senhorita Virginia Creeper. a senhorita Dorothy Canebrake. Lady Sylvester Elmshade.. a Sra. a senhorita Gladys Beech.Espanha oferecendo pagar taxas para ter o direito de pescar em nossas águas. todas as árvores da família conífera estão sumindo rapidamente.. O que nos devem os indivíduos asquerosos da Anglia por terem arruinado nosso comércio e arruinado nossos lares? E os milhões de acres de pântano e lodaçal e os leitos de Barrow e Shannon que eles não querem aprofundar para nos fazer morrer de tuberculose? – Breve estaremos tão desprovidos de árvores como Portugal – diz John Wyse – ou Heligoland com sua única árvore se não se fizer qualquer coisa para reflorestar a terra. a Sra. O elegante mundo internacional compareceu en masse esta tarde ao casamento do cavalheiro Jean Wyse de Neaulan. Ó! – A Europa tem os olhos voltados para você – diz Lenehan. a Sra. Barbara Lovebirch. a senhorita . Helen Vinegadding. Holly Hazeleyes. – Que sejam salvos – diz o cidadão – o freixo gigantesco de Galway e o olmo do chefe da clã de Kildare com um tronco de quarenta pés e um acre de folhagem. a Sra. a senhorita Daphne Bays. Que se salvem as árvores da Irlanda para os homens futuros da Irlanda nas belas colinas da Eire. Poll Ash. Andei lendo uma declaração de lorde Castletown. Rowan Greene. a Sra. a Sra. Clyde Twelvetrees. com a senhorita Fir Conifer de Pine Valley. Lariços. pinheiros.

moldada sobre um forro cinza crepuscular. a senhorita Myra Murtle. Norma Holyoake de Oakholme abrilhantaram a cerimônia com sua presença. A noiva que foi conduzida ao altar por seu pai. um motif delicado de pluma rosa permeando as pregas em listas finas e se repetindo caprichosamente nas toucas verde-jade sob a forma de penas de garça de uma suave tonalidade de coral. a Sra. a senhorita Bee Honeysuckle. estava extremamente fascinante numa criação executada em seda verde mercerizada.Olive Garth. As damas de honra. cingida por uma faixa verde-esmeralda e terminando com um triplo debrum franjado num verde mais escuro. as senhoritas Lilian e Viola Lilac. a Sra. tocou um arranjo novo e admirável de Lenhador. o conjunto sendo realçado por glandes de bronze dispostas em fitas e entremeios nos quadris. a Sra. fruto- . Arabella Blackwood e a Sra. a senhorita Blanche Maple. Gloriana Palme. Kitty Dewey-Mosse. vestiam trajes do mesmo tom que lhes assentavam lindamente. a Sra. a senhorita Grace Poplar. o M’Conifer de Glands. Mimosa San. a senhorita Rachel Cedarfrond. Maud Mahogany. senhorita Larch Conifer e senhorita Spruce Conifer. a Sra. a senhorita May Hawthorne. a senhorita O. a senhorita Timidity Aspenall. O senhor Enrique Flor presidiu no órgão com sua renomada habilidade e. irmãs da noiva. Poupe Aquela Árvore no final da cerimônia. em acréscimo aos números musicais prescritos numa missa nupcial. a senhorita Priscilla Elderflower. Ao sair da igreja de Santo Fiacre in Horto depois da bênção papal o feliz par foi submetido a um alegre fogo cruzado de avelãs. Liana Forrest.

frutos de azevinho. Queenstown. amentilhos de salgueiro. os três filhos de Milesius. batendo com a mão na coxa. – Nossos portos agora vazios ficarão novamente cheios. a barcadevinho sobre o canal vinho-escuro. – Tivemos nosso comércio com a Espanha e os franceses e com os flamengos antes que aqueles vira-latas fossem paridos. a mais velha bandeira desfraldada. Ventry no domínio de Kerry. Imagine se a . Moya. e a Sra. O Sr. três coroas sobre um campo azul. o terceiro maior porto na amplidão do mundo com uma frota de mastros dos Lynches de Galway e dos Cavan O’Reillys e dos O’Kennedys de Dublin quando o conde de Desmond pôde fazer um tratado com o próprio imperador Carlos Quinto. nenhuma das harpas de seu Henrique Tudor. Kinsale.de-faia. E ele bebeu o último trago da caneca. cerveja espanhola em Galway. As vacas em Connacht têm chifres longos. Todo vento e mijo como um gato de curtume. – E nossos olhos estão voltados para a Europa – diz o cidadão. folhagem-de-hera. Galway. folhas de coroa-de-louro. Killybegs. a bandeira da província de Desmond e Thomond. raminhos de visgo e frutos de sorveira-brava. não. Blacksod Bay. Wyse Conifer Neaulan passarão uma lua-de-mel tranqüila na Floresta Negra. – E teremos novamente – diz Joe. E o teremos novamente – diz ele – quando o primeiro couraçado irlandês for visto enfrentando as ondas com a nossa própria bandeira desfraldada. – E com a ajuda da santíssima mãe de Deus teremos novamente – diz o cidadão.

Uma porção de Piratas da Savana com chapéus de abas largas desabadas e eles atirando num negro enforcado numa árvore com a língua para fora tendo uma fogueira embaixo. um cara investindo contra o outro com sua cabeça abaixada como um touro de encontro a um portal. Terry – diz John Wyse –.sua maldita vida merece que ele vá e fale à multidão reunida em Shanagolden onde ele não ousa aparecer com os Molly Maguires a procurá-lo para dar cabo dele por se apoderar da propriedade de um arrendatário desapossado. e uma mão para cima. eles deviam afogá-lo no mar depois e eletrocutá-lo e crucificá-lo para ter certeza de um serviço completo. – Mas e quanto à marinha de guerra – diz Ned –. Pendurado no maldito jornal à procura com Alf de notícias excitantes em vez de servir a clientela. Leia as revelações . – Bravo. – O que vocês vão tomar? – Uma da brigada imperial britânica – diz Lenehan – para celebrar a ocasião. Ga. senhor. Certo. E uma outra: Fera Negra Queimada em Omaha. Terry! Você está dormindo? – Sim. Droga. – Uma dose pequena de uísque e uma garrafa de Allsop. A imagem de uma luta de marradas. – É o inferno sobre a Terra. – Uma meia. muito bem dito – diz John. senhor – diz Terry. que mantém encurralados nossos inimigos? – Vou lhe dizer o que acontece com ela – diz o cidadão. eles tentando arrebentar suas malditas cabeças.

– Um fundilho sangrento e doze chibatadas – diz o cidadão –. Há um homem que escreve e que se denomina: O Enojado. berrando por sua mãe. Então ele começa a falar sobre o castigo corporal e sobre a tripulação de marujos e oficiais e contra-almirantes parados com seus chapéus de bico e o capelão com sua bíblia protestante a testemunhar o castigo e um rapazinho trazido. E diz John de Wyse: – É um costume que se conhece mais pelas violações do que pelo cumprimento da lei. com a única Câmara hereditária na face da Terra de Deus e com seu solo nas mãos de uma dúzia de porcos e barões afetados. Esse é o grande império de que eles se vangloriam dos burros de carga e dos servos chicoteados. era assim que aquele velho rufião do sir John Beresford chamava isso mas o inglês moderno de Deus o chama de vergastada no traseiro. – Essa é a sua gloriosa armada britânica – diz o cidadão – que controla a Terra. Os camaradas que nunca serão escravos.que aparecem nos jornais sobre o açoitamento nos navios-escola em Portsmouth. e eles o amarram à culatra de um canhão. – E a tragédia disso tudo – diz o cidadão – é que . – No qual o sol nunca se ergue – diz Joe. Então em breve ele nos falava do oficial responsável pela ordem no navio de guerra que chega com uma vara comprida que estende e com a qual chicoteia as costas sangrentas do pobre rapaz até que ele urre mil vezes por socorro.

criador do inferno na Terra. Seus casebres de barro e suas choças à beira da estrada foram postas abaixo por aríete e o Times esfregou as mãos de contentamento e disse aos covardes saxões que em breve haveria tão poucos irlandeses na Irlanda quanto peles-vermelhas na América. no terceiro dia se reergueu da cama. Mas o saxão tentou matar de fome a nação em seu próprio país enquanto a terra estava rica de safras que as hienas britânicas compravam e vendiam no Rio de Janeiro. no flagelador todopoderoso. sentou-se quase sem condições até nova ordem quando deverá vir para trabalhar como escravo para a sobrevivência e ser pago por isso. eles expulsaram hordas de camponeses. conduziu para o ancoradouro.eles crêem nele. padeceu sob um fundilho e uma dúzia de chibatadas. Os infelizes yahoos crêem nele. Eles foram expulsos da casa e da pátria no ano tenebroso de 47. nascido da armada combatente. urrou loucamente. o filho de um patife. Sim. que foi concebido por bazófia profana. foi cortado. e em Jacky Tar. Até o Grande Turco nos enviou suas piastras. . – Nós oporemos resistência à força – diz o cidadão. – Nós temos nossa maior Irlanda além-mar. Eles crêem no açoite. esfolado e espancado. – Mas – diz Bloom – a disciplina não é a mesma em toda parte? Quero dizer não seria a mesma coisa aqui se houvesse resistência à força? Eu não lhe disse? Tão verdadeiro quanto dois e dois são quatro se ele estivesse nas últimas ele tentaria convencê-lo com tenacidade de que morrer era viver.

– E quanto aos prussianos e hanoverianos – diz .. os filhos de Granuaile. agarrando sua cerveja. nós os gansos selvagens. e Ulysses Browne de Camus que era marechal-de-campo de Maria Teresa. – Totalmente correto – diz Bloom. cidadão – diz Ned. – Nós lutamos pela realeza dos Stuarts que nos abandonou de encontro aos partidários de Guilherme III e eles nos traíram. Lembre-se de Limerick e da pedra partida do tratado. E eles virão novamente e com uma vingança. Não é que eles estão tentando agora estabelecer um pacto cordial no jantar de Tay Pay com a pérfida Albion? Agitadores da Europa eles sempre o foram. – Mas o que eu queria dizer é que. – Conspuez les français – diz Lenehan. – É sim – diz John Wyse. não são poltrões não. Mas o que é que obtivemos com isso? – Os franceses! – diz o cidadão. Demos o melhor do nosso sangue à França e à Espanha. – Desde que a pobre velha senhora nos disse que os franceses estavam no mar e aportaram em Killala. duque de Tetuan na Espanha. – Um bando de mestres de dança! Sabe-se lá o que é isso? Eles nunca valeram um tostão furado para a Irlanda. hein? E Sarsfield e O’Donnell.Vinte mil deles morreram em naviosesquifes. – Temos esperado muito tempo por esse dia. Mas aqueles que vieram para a terra dos livres se lembram da terra da escravidão. Fontenoy. os paladinos de Kathleen ni Houlihan..

– Há muito mais de um sifili do que de um pacifi neste tipo. – Nós temos agora Edward o Pacificador.: – Considerações de espaço influenciaram a decisão de suas senhorias. Edward de Guelph-Wettin! – E o que vocês pensam – diz Joe – dos santos moços. já não tivemos o suficiente desses bastardos comedoresdesalsicha no trono desde George o Eleitor até o rapaz alemão e a velha puta flatulenta que está morta? Meu Jesus. cidadão? – diz Joe. . – Bem – diz J. E diz J. bêbada como um gambá no seu palácio real toda a noite de Deus. J. – Eles deviam ter pregado todas as mulheres em que ele próprio montou – diz o pequeno Alf. com seu copo de uísque escocês e seu cocheiro a carregando corpo e carcaça dela para rolá-la na cama e ela o puxando pelos fios da barba e cantando para ele velhos fragmentos de canções sobre Ehren on the Rhine e venha para onde a bebida é mais barata. os padres e bispos da Irlanda decorando seu quarto em Maynooth com as cores esportivas de Sua Majestade Satânica e pregando quadros de todos os cavalos que seus jóqueis montaram. Nada menos do que o conde de Dublin.Joe –. – Conte isso para um tolo qualquer – diz o cidadão. – Quer tentar uma outra. J. a velha Vic. eu tive de rir da maneira com que ele se saiu com aquilo acerca da velha com aqueles antolhos nela.

– Obrigado a você. – Por Deus. – Eu nasci aqui. – Qual é sua nação se me permite perguntar? – diz o cidadão. toda a história do mundo está cheia dela. se é assim eu sou uma nação pois eu vivo há cinco anos no mesmo lugar.– Sim. tentando escapar na brincadeira: – Ou também vivendo em diferentes lugares. – Uma nova rodada – diz Joe. – Isso cobre o meu caso – diz Joe. rindo –. – Perseguição – diz ele –. – Você? – diz Joe. – Uma nação é o mesmo povo vivendo no mesmo lugar. A Irlanda. Joe – digo eu. puxa vida. – Sim – diz Bloom. – Que isso lhe faça bom proveito. – O que é? – diz John Wyse. senhor – diz ele. – Uma nação? – diz Bloom. então – diz Ned. O cidadão não disse nada apenas pigarreou a saliva que tinha na garganta e. – Eu quero. – A Irlanda – diz Bloom. Bloom falava sem parar com John Wyse e ele muito excitado com aquela cara amareloacinzentada dele e seus velhos olhosameixa revirando à volta. ele cuspiu . Assim naturalmente todo mundo riu de Bloom e diz ele. – Mas você sabe o que é uma nação? – diz John Wyse. Perpetuando um ódio nacional entre as nações.

Glendalough. Não é necessário nos determos na beleza lendária de seus quatro cantos. o apogeu da arte. As cenas descritas no campo pituitário. Joe – diz ele. Ireland’s . cidadão – diz Joe. em que se pode claramente distinguir cada um dos quatro evangelistas apresentando por sua vez a cada um dos quatro mestres seu símbolo evangélico. diga-se de passagem).para fora uma ostra da Margem Vermelha bem no canto. – Eu vou na onda. são tão esplendorosamente belas e seus pigmentos tão delicados quanto quando os escribas de Sligo deram rédeas à sua artística fantasia muito muito tempo atrás na época dos Barmecides. os lagos encantadores de Killarney. um cetro de carvalho fossilizado. – Aqui está. mostrando nossas antigas colinas fortificadas. Glen Inagh e os Twelve Pins. as ruínas de Clonmacnois. retirando seu lenço para se secar. O muitoapreciado e finamente bordado antigo lenço irlandês atribuído a Solomon de Droma e Manus Tomaltach og MacDonogh. a Abadia de Cong. foi então cuidadosamente exibido e provocou prolongada admiração. um puma norteamericano (um rei dos animais muito mais nobre do que o espécime britânico. autores do Livro de Ballymote. um bezerro de Kerry e uma águia dourada de Carrantuohill. – Pegue isso com sua mão direita e repita depois de mim as seguintes palavras. fortalezas e muralhas monolíticas e jardins de inverno de castelos medievais e sedes de sabedoria e pedras amaldiçoadas.

as margens de Lough Neagh. o vale de Ovoca. a Scotch House. Arthur Guinness. Tomando o que nos pertencia por direito. Neste exato momento. o pântano de Allen. Filho e Companhia (Limitada). o refeitório de Maynooth College. os Green Hills de Tallaght. Nossa. a rocha de Cashel.Eye. Neste exato instante. – Pilhado. Rathdown Union Workhouse em Loughlinstown. – Qual a de cada um? – Essa é minha – diz Joe –. o purgatório de São Patrício. o Henry Street Warehouse. a ravina de Aherlow. os três lugares de nascimento do primeiro duque de Wellington. Fingal’s Cave – todas estas cenas emocionantes ainda estão ali para nós hoje tornadas ainda mais belas pelas ondas de tristeza que se impuseram a elas e pelas ricas incrustações do tempo. Perseguido. Ainda agora. erguendo o punho – vendido em leilão em Marrocos como escravo ou gado. o Salmon Leap. . – E eu pertenço a uma raça também – diz Bloom – que é odiada e perseguida. o buraco de Curley. o obelisco Mapas. Cape Clear. as cachoeiras de Castleconnel. a cruz em Monasterboice. – Roubado – diz ele. o presídio de Tullamore. o castelo de Lynch. a torre de Isolda. Croagh Patrick. – Passe-nos a bebida – digo eu. a destilaria dos Srs. Kiballymacschonakill. ele quase queimou seus dedos com o toco de seu velho charuto. o Jury’s Hotel. como disse o demônio ao policial morto. Neste exato momento – diz. Insultado. o hospital Saint Patrick Dun.

– Amor universal. ódio. se ao menos ele estivesse vestindo um avental de ama-seca. – Aquele cara? – diz o cidadão. – Mas não adianta – diz ele. – Estou falando de injustiça – diz Bloom. ele adornaria uma vassoura. – Um novo apóstolo para os gentios – diz o cidadão.– Você está falando da nova Jerusalém? – diz o cidadão. Tenho que ir agora – diz para John Wyse. história. – Quero dizer o oposto do ódio. – Não é isso que nos é dito? Ame seu próximo. – Força. Se ele vier diga apenas que eu estarei de volta num segundo. adornaria mesmo. Amor. – Certo – diz John Wyse. Isso não é vida para homens e mulheres. – Empobrecer meu vizinho é o seu lema. – Bem – diz John Wyse. – Dar um pulinho só no tribunal para ver se Martin está lá. Quem o está impedindo? E sai rapidamente como um raio seboso. como se possível! Ele . E todo mundo sabe que é exatamente o oposto disso que vale realmente a vida. se enrolando à volta de todos os que lhe são contrários. insulto e ódio. Puxa. – O amor – diz Bloom. Essa é uma imagem de almanaque. – O quê? – diz Alf. tão vacilante como um trapo molhado. – Enfrentem então isso com força como homens. Alvo para uma bala aprimorada. E então ele desaba subitamente. O velho rosto oleoso enfrentando a extremidade de um canhão. tudo o mais. Só um minuto.

o elefante. Você ama uma certa pessoa. O policial 14 A ama Mary Kelly. Gerty MacDowell ama o menino que tem a bicicleta. – Nós conhecemos esses puritanos – diz ele –. M. Joe – digo eu –. Verschoyle com a corneta acústica ama a velha Sra. ama um senhor louro. E ele ergue sua caneca para tomar um trago. à sua boa saúde e canção. – Hurra. O que vocês me dizem do santarrão do Cromwell e os membros de sua cavalaria que puseram a fio de espada as mulheres e crianças de Drogheda com o texto da bíblia Deus é amor grudado na boca de seu canhão? A bíblia! Vocês leram aquela chacota no United Irishman hoje sobre aquele chefe zulu que está visitando a Inglaterra? – O que é isso? – diz Joe. ama Alice. Jumbo. O homem com o impermeável marrom ama uma senhora que está morta. pregando e batendo nossa carteira. Mais poder. E esta pessoa ama aquela outra pessoa porque todo mundo ama alguém mas Deus ama todo mundo. O velho Sr. pronto – diz Joe. Norman W. Sua Majestade o rei ama Sua Majestade a rainha. Verschoyle de olhar estrábico. a elefanta. A enfermeira ama o novo farmacêutico. B.é um ótimo exemplo à Romeu e Julieta. Tupper ama o oficial Taylor. Amor ama amar o amor. – Bem. A Sra. – Que a bênção de Deus e Maria e Patrício recaia sobre vocês – diz o cidadão. cidadão. Li Chi Han tá apaixonada pelo bejoqueiro Cha Pu Chow. Então o cidadão pega uma de suas parafernálias .

traduzido livremente pelo capelão britânico.de jornais e começa a ler em voz alta: – Uma delegação dos principais magnatas do algodão de Manchester foi ontem apresentada a Sua Majestade o alaki de Abeakuta pelo chefe do protocolo. para oferecer a Sua Majestade o agradecimento mais sincero dos comerciantes britânicos pelas facilidades a eles concedidas em seus domínios. O alaki bebeu à saúde então de um só trago a taça da amizade de uísque Black and White contido no crânio de seu imediato predecessor na dinastia Kakachakachak. graciosamente presenteado a ele pela chefe branca. executando subseqüentemente uma fascinante velha dança guerreira abeakutica. a grande pele-vermelha Vitória. ofereceu seu mais sincero agradecimento a Massa Caminhar e enfatizou as relações cordiais existentes entre Abeakuta e o império britânico. depois do que ele visitou a principal fábrica de Algodãonópolis e assinou com sua marca o livro dos visitantes. no decorrer da qual engoliu diversos garfos e facas. com uma dedicatória pessoal da mão augusta do Doador Real. . A delegação participou do almoço no final do qual o escuro potentado. em meio ao aplauso hilariante das operárias. de sobrenome Quarenta Verrugas. o reverendo Ananias Louvaadeus Descarnado. no decorrer de um discurso feliz. lorde Caminhar de Caminhar sobre Ovos. o livro da palavra de Deus e o segredo da grandeza da Inglaterra. declarando que apreciava como um dos seus bens mais preciosos uma bíblia iluminada.

estalando os dedos. – Bloom – diz ele. – Ele é um irlandês. que enraivecido nunca apostou em um cavalo em toda a sua vida. – Não – diz o cidadão. – Não está assinado Shanganagh. – Acima de qualquer suspeita. –. J. é esse o homem – diz J. J.– A viúva – diz Ned. – E daí por diante naquela terra fértil a mangueira de folhas largas floresceu extraordinariamente. Ele jogou alguns shillings no Jogarfora e foi recolher seu dinheiro. – Violando as mulheres e meninas e açoitando os nativos no ventre para extrair deles toda a borracha vermelha que pudessem. Só tem a inicial: P. – O mesmo e ainda mais – diz Lenehan. – Então é esse cafre de olhos brancos? – diz o cidadão. – E uma muito boa inicial também – diz Joe. . – Quem? – digo eu. Eu me pergunto se ele fez o mesmo uso da bíblia que eu faria. – O comércio acompanha a bandeira. – Ora – diz J. – É assim que funciona – diz o cidadão. – Isso foi escrito por Griffith? – diz John Wyse. – Sim. Vocês leram aquele relatório por um homem como é o nome dele? – Casement – diz o cidadão. se por acaso eles são piores do que aqueles belgas do Estado Livre do Congo eles devem ser ruins. – Eu sei aonde ele foi – diz Lenehan. – O tribunal é um pretexto.

Então de qualquer forma quando eu voltei eles estavam numa tremenda discussão. – Ele próprio é um maldito azarão – diz Joe. Assim eu só fui até o fundo do quintal para fazer xixi e puxa vida (cem shillings por cinco) enquanto eu descarregava meu (Jogarfora a vinte) fardo.– Foi lá que ele foi – diz Lenehan. John Wyse dizendo que Bloom deu idéias para o Sinn Fein para que . nossa. toc) nunca estar à altura desses malditos (terminou finalmente) cucos (ah!) de Jerusalém. devo ter feito cerca de um galão) sua mulher de traseiro flácido falando por um alto-falante ela está melhor ou ela está (uau!) tudo um plano para que ele pudesse sumir com a bolada se ganhasse ou (meu Jesus. Adeus Irlanda estou indo para Gort. – Preste atenção. Joe – digo eu. – Mostre-nos a entrada para sair. Ele é o único homem em Dublin a tê-lo. falo comigo mesmo eu sabia que ele estava com a mente inquieta (duas doses de Joe e uma em Slattery) para escapar da meta de (cem shillings são cinco libras) e quando eles estavam no (azarão) Pisser Burke me falava sobre o jogo de cartas e deixando escapar que a filha estava doente (nossa. – Eu encontrei Bantam Lyons ao ir apostar naquele cavalo só que eu o dissuadi de fazê-lo e ele me disse que Bloom lhe dera a dica. Aposto o que vocês quiserem que ele tem agora cem shillings por cinco. Um azarão. eu estava cheio mesmo) estivesse comerciando sem licença (uau!) a Irlanda minha nação diz ele (hoc. – Lá está ela – diz Terry.

vai dar uma baboseira danada se o velho de olhos piegas arruinar o espetáculo. Nenhum impedimento de distância. que se envenenou com ácido prússico depois de atolar o país com suas bugigangas e seus diamantes de cacaracá. Nenhuma garantia exigida. – Bem. Nossa. Nossa. o velho Methusalem Bloom. Efetivamente chegava o carro do castelo com Martin e Jack Power com ele e um camarada chamado Crofter ou Crofton. Nossos viajantes chegaram à estalagem rústica . o caixeiro-viajante ladrão. aposentado da receita geral. ele é como o bode de Lanty MacHale que ia com todo mundo por um bom pedaço de estrada. Martin Cunningham. Deus proteja a Irlanda contra esse safado e os da sua espécie. júris enganosos e fraude nos impostos do governo e a nomeação de cônsules em todo o mundo para sair vendendo as indústrias irlandesas. isso é um fato – diz John Wyse. Que nos seja dada uma miserável oportunidade. Empréstimos por correspondência em condições moderadas.Griffith pusesse em seu jornal toda sorte de expedientes eleitorais. Roubar Pedro para pagar a Paulo. – E ali está agora o homem que lhes informará tudo a respeito disso. Bloom com sua discussão e raciocínio infundado. Qualquer importância de dinheiro adiantada por assinatura. um membro da Orange Order que Blackburn tem no registro e ele retirando seu pagamento ou Crawford vagabundeando pelo país às custas do rei. O Sr. E o seu velho antes dele cometendo fraudes.

– Como então. um homem de fisionomia agradável. – Ho. escudeiro! – gritou aquele que por seu aspecto parecia ser o líder do grupo. – Então mãos à obra! – exclamou o viajante . Os amigos do rei (Deus abençoe Sua Majestade) não passarão fome na minha casa eu mesmo o garanto. E para nós dê o melhor de si mesmo pois realmente é disso que precisamos. – Ai de mim. – Insolente criado! A nós! Assim dizendo ele bateu com força com o cabo da espada na porta aberta. – Concedam-me vossa misericórdia. cavalheiros – disse humildemente. seu malandro! – gritou aquele que tinha batido na porta. bons mestres – disse o hoteleiro –. – E os senhores são os mensageiros do rei (Deus proteja Sua Majestade!) não lhes faltará nada. – É assim que você serve os mensageiros do rei. minha pobre casa tem apenas despensa vazia.e apearam de seus palafréns. – Ponha-se em movimento. mestre Taptun? Uma mudança instantânea se espalhou pelo rosto do senhorio. homem? – exclamou o segundo do grupo. meus amos – disse ele com uma mesura subserviente. Não sei o que oferecer às Suas Senhorias. Meu hoteleiro avançou à convocação. – Dou-lhes uma boa noite. envolvendo-o com seu manto. – Cuide dos nossos corcéis.

um quinhão. de um pastelão coxim de pombo. – Ou assim eles o alegam. – Eu – diz Joe. um comilão de aspecto saudável. bondosos amos. uma cabeça de javali com pistache. – Não é verdade – diz John Wyse –. . – Tem algo para nos oferecer? Meu hoteleiro se inclinou novamente enquanto respondia: – Que me dizem os senhores. um pudim de nêspera e uma jarra de um velho vinho do Reno? – Ora veja! – exclamou o último interlocutor. – Enganando viúvas e órfãos. – Onde ele está? – diz Lenehan. J. Pistache! – Aha! – exclamou o de fisionomia agradável. – Uma pobre casa e uma despensa vazia. Isso é que é um alegre trapaceiro.que não tinha falado. – E afinal de contas – diz John Wyse – por que um judeu não pode amar seu país como qualquer outra pessoa? – Por que não? – diz J. – Eu sou o aligátor. Então entra Martin perguntando onde estava Bloom. algumas fatias de veado. marreco com bacon de porco tostado. – Quem fez essas alegações? – diz Alf. – Isso me agrada bem. um lombo de vitela. o que eu estava contando ao cidadão sobre Bloom e o Sinn Fein? – É isso aí – diz Martin. – Quando ele tem certeza absoluta de qual é o país. uma bacia com creme gelatinoso.

– Aguardando que cada minuto seja o seu próximo – diz Lenehan. eles ainda estão esperando seu redentor – diz Martin. J. –. Sabemos disso no castelo. o pai o fez. – Não é ele primo de Bloom o dentista? – diz Jack Power. creio. – Ilha dos santos e sábios. E todo judeu fica num completo estado de excitação. J. e a cada macho que nasce eles pensam que pode ser seu Messias. – Nós não o queremos – diz Crofter o membro da Orange Order ou presbiteriano. – Bem. – Esse é o novo Messias da Irlanda! – diz o cidadão.– É ele um judeu ou um gentio ou um santo romano ou um protestante de meia-tigela ou que diabo de coisa ele é? – diz Ned. Seu nome era Virag. – Como nós. – Ou quem é ele? Sem ofensa Crofton. Ele o mudou por votação. – Quem é Junius? – diz J. em suma. – De forma alguma – diz Martin. – Ele é um judeu pervertido – diz Martin – de um lugar na Hungria e foi ele que redigiu todos os planos de acordo com o sistema húngaro. – Apenas xarás. nome do pai que se suicidou tomando veneno. – Ó. vocês deviam ter visto Bloom antes que seu filho que morreu tivesse nascido. por Deus – diz Ned –. até que saiba se é um pai ou uma mãe. Eu o encontrei um dia nos mercados da parte . – Sim – diz J.

. – E você Jack? Crofton? Três meias doses. – Eu me pergunto se ele jamais o pôs longe de sua vista – diz Joe. Nossa. – Mas onde ele está? Não podemos esperar. Amaldiçoado por Deus. – Você chama isso de homem? – diz o cidadão. – Isso é o que ele é. e S. Ele é um desses produtos confusos. Martin? – diz Ned.sul da cidade comprando uma lata de comida de Neave seis semanas antes de sua mulher dar à luz. – Um lobo com pele de cordeiro – diz o cidadão. Você sabe o que estou lhe dizendo? Seria um ato de Deus segurar um camarada desse tipo e lançá-lo no mar sangrento. – Apenas uma – diz Martin. – Caridade para com seu próximo – diz Martin. J. Homicídio justificável. de qualquer forma dois filhos nasceram – diz Jack Power. – Temos que ser ligeiros. – Você tem tempo para uma rápida libação. – En ventre sa mère – diz J. J. Pisser me disse certa vez que ele ficava deitado uma vez por mês na cama do hotel com uma dor de cabeça como uma moça em seu período menstrual. Nem sequer o bastante para cegá-lo. Virag da Hungria! Ahasuerus é como o chamo. há muita palavra verdadeira dita de brincadeira. – Bom. seria esse. Dê-nos a sua bênção. Então sumir com suas cinco libras sem pagar uma bebida sequer como um homem. J. – E de quem ele suspeita? – diz o cidadão.

– Bem – diz Martin. e os filhos de Pedro Nolasco: e além disso do monte Carmelo os filhos e filhas do profeta Elias conduzidos pelo bispo Alberto e Teresa d’Ávila. ostiários. – Amém – diz o cidadão. servos de Maria. os filhos: e a confraria dos irmãos cristãos conduzidos pelo reverendo irmão Edmund Ignatius Rice. virgens e confessores: S. E depois vinham todos os santos e mártires. os frades pregadores. diáconos e subdiáconos. – São Patrício gostaria de aportar novamente em Ballykinlar e nos converter – diz o cidadão –. batendo na mesa por um copo. e os filhos de Vicente e os monges de Santo Wolstano: e Inácio. oratórios e valombrosianos. trinitários. carregadores de embarcação. esta é a minha oração. marrons e cinza. encabeçado por um cruciferário com acólitos. mínimos e observantes e as filhas de Clara: e os filhos de Domingos. leitores. Isidoro Arator e Santiago o . cartusianos e camaldulas. capuchinhos. premontreses. – Deus os abençoe a todos aqui. depois de ter permitido que coisas assim contaminassem nossas praias. cistercianos e olivetanos. Ciro e S. filhos do pobre Francisco.Terry. franciscanos. e os frades agostinhos. o grupo abençoado se aproximou de abades mitrados e priores e guardiães e monges e frades: os monges de Benedito de Spoleto. calçados e descalços: e frades. E ao som do sino sagrado. turiferários. – E tenho certeza que Ele o fará – diz Joe. brigidinos.

Fachtna e S. Pseudônimo e S. Escolástica e S. Alfredo e S. Fursey e S. Fiacre e S. Úrsula com onze mil virgens. Ives da Britânia e S. Columbanus e S. Simão Estilita e S. Aloísio Gonzaga e S. Stanislaus Kostka e S. Eduardo e S. Parônimo e S. Ferreol e S. Attracta e S. Colman e S. Terêncio e S. Vicente de Paula e S. Julião Hospitator e S. Jarlath de Tuam e S. Vulmar e S. Phocas de Sinope e S. Kevin e S. Homônimo e S. Lucia e S. Brígida e S. Félix de Cantalice e S. Owen Caniculus e S. Epônimo e S. Marion Calpensis e a bemaventurada irmã Teresa do Menino Jesus e S. Gall e S. Ricardo e S. Tomás de Aquino e S. trazendo nas mãos palmas e harpas e espadas e coroas de olivas. Fintan e S. Theodorus e S. Estevão Protomártir e S. Herman-Joseph e os três patronos da juventude sagrada S. Dênis e S. Ita e S. Bernardo e S. Canice de Kilkenny e S. Laurence O’Toole e Santiago de Dingle e Compostella e S. com vestes nas quais estavam tecidos símbolos abençoados de suas eficácias. Pappin de Ballymun e irmão Aloysius Pacificus e irmão Louis Bellicosus e as santas Rosa de Lima e de Viterbo e S. João Nepomuc e S. Leopoldo e S. Servásio e Bonifácio e S. tinteiros de . E todos vinham com nimbos e auréolas e glórias. Columcille e S. Bride e S. João de Deus e S. Martim de Tours e S. Columba e S. Celestino e S. Leugarda e S. Anônimo e S. Maria do Egito e S. Bárbara e S. Cornélio e S. José e S.Menor e S. Frigidian e S. Kieran e S. John Berchmans e os santos Gervásio. Sinônimo e S. Dympna e S. Martim de Tod e S. Brendan e S. Michan e S. Senan e S. Finbarr e S.

9 e 10 Little Britain Street. lâmpadas.chifres. chifres de veados. velas de cera. descobrir vários objetos que estavam perdidos. mós. cobras. botas à prova de água. ressuscitar os mortos. pequenos frascos. grilhões. bigornas. pontes. conchas de sopeira. muletas. machados. foles. sob um dossel de tecido de ouro vinha o reverendo padre O’Flynn seguido de Malachi e Patrick. a casa de Bernard Kiernan e Cia. estrelas. sinos. Little Britain Street entoando o intróito in Epiphania Domini que começa com Surge. Capel Street. 8. carabinas. árvores. curar os mancos e os cegos. interpretar e cumprir as escrituras. Limitada. conchas. setas. tesouras grandes. multiplicar os peixes. chaves. remetentes de vinho e aguardente. barbas. caixas de vaselina. olhos numa travessa. o celebrante abençoou a casa e incensou as janelas com mainéis e os quebra-mares de madeira e as abóbadas e as arestas e os capitéis e os frontões triangulares e as cornijas e os arcos denteados e as agulhas de torre e . pães. lírios. E quando os bons padres alcançaram o lugar preestabelecido. porcos. unicórnios. aspersórios. vinho e outras bebidas para consumo nas premissas. armazém de venda por atacado. Mary Street. E finalmente. licenciados para a venda de cerveja. E enquanto seguiam seu caminho pela Coluna de Nelson. Henry Street. bebês numa banheira. illuminare e daí por diante mais suavemente o gradual que diz Omnes de Saba venient eles faziam diversas maravilhas tais como expulsar os demônios. dragões. carteiras de dinheiro. colmeias. falcões. abençoar e profetizar. fórceps.

– Certo – diz Ned. benedictionem tuam effunde super creaturas istas: et praesta ut quisquis eis secundum legem et voluntatem Tuam cum gratiarum actione usus fuerit per invocationem sanctissimi nominis Tui corporis sanitatem et animae tutelam Te auctore percipiat per Christum Dominum nostrum . Eu estava só olhando à volta para ver quem aquele pensamento feliz impressionaria quando macacos me mordam ei-lo que chega novamente deixando escapar que estava com uma pressa dos . – Et cum spiritu tuo. E ele pousou suas mãos sobre aquilo que abençoara e deu graças e orou e eles todos com ele oraram: – Deus. – E saúde e boa sorte. – E assim dizemos todos nós – diz Jack. pegando seu John Jameson. – Adiutorium nostrum in nomine Domini. cuius verbo sanctificantur omnia.as cúpulas e aspergiu os lintéis daí com água benta e orou para que Deus abençoasse aquela casa como abençoara a casa de Abraão e Isaac e Jacó e fizesse com que os anjos de Sua luz naquele lugar fizessem sua morada. – Qui fecit coelum et terram. Lambert – diz Crofton ou Crawford. – Dominus vobiscum. E entrando abençoou os alimentos e as bebidas e o grupo de todos os abençoados respondeu às suas orações. – Mil por ano.

uniram suas formas esplendorosas como . Esperto como um rato de merda.. Diabo é pouco para ele! Isso é que é um judeu! Tudo para elezinho. – Partamos – diz Martin ao cocheiro. – Não diga a ninguém – diz o cidadão. rapazes – diz Martin. Tribunal uma ova e seus bolsos caindo de tão cheios de ouro e prata. – Vamos embora agora. E ele os levou para fora o mais rápido que pôde. – Não diga a ninguém – diz o cidadão. Inúmeras ninfas graciosas se aproximaram de estibordo e bombordo e. – É um segredo.. E o maldito cão acordou e soltou um rosnado.infernos. soltando um grito de dentro de si. – Vamos. estamos prontos. – Não – diz Martin –. O golfinho branco como leite sacudiu sua juba e. a vela da fortuna a bombordo. vendo que a coisa estava ficando preta. Mesquinha lebre desgraçada. – Perdão – diz ele. se agarrando aos lados da nobre embarcação. – Até logo – diz Martin. Jack Power e Crofton ou o que quer que você o chame e ele no meio deles confessando que não estava entendendo nada e subindo com eles no maldito cabriolé. procurando por você. Cem por cinco. se erguendo na popa dourada. Espero não estar. o timoneiro estendeu a vela enfunada ao vento e avançou com toda a vela exposta. – Acabei de dar um pulo no tribunal – diz ele –. Pague-nos um drinque.

sente-se pelo amor de Deus no lado parlamentar de seu traseiro e não dê um espetáculo de si mesmo. Nossa. E elas riram. cuspindo e lançando o cuspe para fora de si e Joe e o pequeno Alf à volta dele como um duende tentando apaziguá-lo. E puxa vida ele chegou até a porta e eles o segurando e soltou um grito de dentro de si: – Três vivas a Israel! Ora vejam só. Mas puxa vida eu acabava de beber o último gole da bebida quando vi o cidadão se levantar para caminhar gingando para a porta. é de embrulhar mesmo o seu estômago. há sempre um ou outro maldito palhaço fazendo um maldito escarcéu sobre desgraçadamente nada. Meu Jesus. bufando e soprando com hidropisia. ele praguejando e lançando a maldição de Cromwell sobre ele.o faz o hábil carpinteiro de carretas quando modela em volta do coração da roda os raios eqüidistantes em que cada um é irmão de um outro e os ata todos com um elo exterior e empresta velocidade aos pés dos homens tanto quando eles cavalgam em combate ou quando lutam pelo sorriso de belas damas. Desse modo elas vêm e se colocam ali. essas ninfas obsequiosas. E todos os maltrapilhos e prostitutas da nação em volta da porta e Martin dizendo ao cocheiro para seguir em frente e o cidadão gritando e Alf e Joe lhe . brincando no círculo de sua espuma: e a embarcação singrou as ondas. livro e vela em irlandês. as irmãs imortais. – Deixem-me em paz – diz ele. sem dúvida alguma. sino.

ex-colaborador dos Srs. O seu Deus. tipógrafos de Sua Majestade. judeu. Alexander Thom. – Bem. – Agora basta. por ocasião de sua partida para o clima distante de . – Por Cristo – diz ele –. senhor! E diz ele: – Mendelssohn era um judeu e Karl Marx e Mercadante e Espinoza.dizendo para se calar e ele a todo vapor contra os judeus e os vagabundos pedindo um discurso e Jack Power tentando fazê-lo se sentar no carro e fechar sua maldita boca e um vagabundo com uma venda no olho começa a cantar Se o homem na lua fosse um judeu. sem dúvida que vou. Cristo era um judeu como eu. Me dêem aqui essa caixa de biscoito. – Seu Deus era um judeu. – Pare! Pare! – diz Joe. eu vou crucificá-lo. senhor! Sua presilha está aberta. Um grande e apreciador grupo de amigos e relações da metrópole e da grande Dublin se reuniram aos milhares para se despedir de Nagyaságos uram Lipóti Virag. Siga em frente. judeu e uma prostituta solta um grito de dentro de si: – Ei. – Deus de quem? – diz o cidadão. Por Cristo. – Ele não tinha nenhum pai – diz Martin. Nossa. E o Salvador era um judeu e seu pai era um judeu. seu tio era um judeu – diz ele. o cidadão deu um mergulho para dentro da loja. eu vou partir o crânio desse maldito judeu por usar o santo nome.

O convidado que partia foi objeto de calorosa ovação. um trabalho que reflete o crédito a ser dado aos confeccionadores. de Three Rock Mountain. imediatamente seguidos da Marcha de Rakózsy . Barris de alcatrão e fogueiras foram acesos ao longo da costa dos quatro mares nos cimos do monte de Howth. A cerimônia que teve lugar com grande éclat se caracterizou pela mais afetada cordialidade. Em meio aos vivas que perfuram o firmamento. de Ox e Donegal e dos picos Sperrin. das atmosferas infectas de M’Gillicuddy. dos Galtees. Bray Head. Um pergaminho iluminado de antigo velino irlandês. o mastodôntico navio de recreio se afastou lentamente saudado por um tributo floral final das representantes do belo sexo que estavam presentes em grande número enquanto. foi presenteado ao eminente fenomenologista da parte de um grande setor da comunidade e foi acompanhado do presente de um escrínio de prata. das montanhas de Mourne. Slieve Aughty. Jacob agus Jacob. Sugarloaf. muitos daqueles que estavam presentes estando visivelmente emocionados quando a orquestra seleta de gaitas-de-fole irlandesas tocou os conhecidos acordes de Volte a Erin . Slieve Bernagh e Slieve Bloom. trabalho de artistas irlandeses. dos Nagles e dos Bographs.Százharminczbrojúgulyás-Dugulás (Prado de Águas Murmurantes). Srs. das colinas de Connemara. à medida que ele . de muito bom gosto executado no estilo de antigo ornamento celta. aos quais responderam vivas vindos de um grande ajuntamento de capangas na distante Câmbria e nas colinas da Caledônia.

tão bom quanto qualquer peça miserável do teatro real de Queen: – Onde ele está até que eu o mate? E Ned e J. Nossa ele estendeu a mão deu com ela uma pancada violenta e deixou que voasse. – Pare. – Fique firme. Nossa. – Malditas guerras – digo eu –. O maldito cavalo se assustou e o velho vira-lata atrás do carro como o próprio inferno ambulante e todo o populacho gritando e rindo e a lata velha chocalhando pela rua afora. cidadão – diz Joe. Nossa de qualquer forma nem o diabo o impediria de se apoderar da maldita lata e lá se foi ele e o pequeno Alf pendurado no seu cotovelo e ele gritando como um porco crivado. todos do quinto grau da escala de Mercalli. kedvés barátom! Visszontlátásra! Partido mas não esquecido. J. ele quase a enviou para o condado de Longford. e não há registro existente de um distúrbio sísmico semelhante em nossa ilha desde o terremoto de . vou estar presente para o último evangelho. o Ballast Office e a Alfândega saudavam com as bandeiras assim como a usina elétrica da Pigeonhouse e de Poolbeg Light. escoltado por uma flotilha de barcaças. Misericórdia divina o sol batia em seus olhos sem o que ele o teria deixado morto. O observatório de Dunsink registrou ao todo onze choques. A catástrofe foi terrível e instantâneo o seu efeito.prosseguia rio abaixo. paralisados de tanto rir. Mas como a sorte o desejava o cocheiro puxou a cabeça do cavalo para o outro lado e lá se foi ele. Visszontlátásra.

1534. o ano da rebelião de Silken Thomas. foram descobertos por grupos de busca em partes remotas da ilha respectivamente. . duas cruzes e um pólo quadrado ou vara. George Fottrell e um guarda-chuva de seda com cabo de ouro com as iniciais gravadas. timbre. o primeiro na terceira crista basáltica da barragem do gigante. sir Frederick Falkiner. Pelos relatórios de testemunhas oculares deduz-se que as ondas sísmicas foram acompanhadas por uma perturbação atmosférica violenta de caráter ciclônico. a última enterrada numa profundidade de um pé e três polegadas na areia da praia da baía de Holeopen perto do velho cabo de Kinsale. é literalmente uma massa de ruínas sob a qual teme-se que todos os ocupantes foram enterrados vivos. Todas as residências dos lordes na vizinhança do palácio de justiça foram demolidas e aquele próprio edifício nobre. primeiro magistrado de Dublin. brasão e número da casa do erudito e venerável presidente da corte de Quatro-Sessões. no qual no momento da catástrofe importantes debates legais estavam em andamento. O epicentro parece ter sido aquela parte da metrópole que constitui o distrito de Inn’s Quay e a paróquia de São Michan cobrindo uma superfície de quarenta e um acres. Outras testemunhas oculares declaram que observaram um objeto incandescente de proporções enormes se movendo ruidosamente através da atmosfera com uma velocidade aterradora numa trajetória dirigida a sudeste vinda do sudoeste. Um adorno de cabeça verificado pertencer ao muito respeitado funcionário da coroa e paz Sr.

Doc. M. ele o fez. F. A. J. I. P. 79 e 80 North Wall.Mensagens de condolência e simpatia estão sendo recebidas de hora em hora de todas as partes dos diferentes continentes e o soberano pontífice teve especial prazer em decretar que uma missa pro defunctis especial fosse celebrada simultaneamente pelos ordinários de cada e todas as igrejas catedrais de todas as dioceses episcopais submetidas à autoridade espiritual da Santa Sé em sufrágio das almas daqueles fiéis que partiram. e aos Srs. K.. e F.. M... R. Martin. O cocheiro salvou sua vida ao dirigir furiosamente tão certo como Deus ter feito Moisés. F. F. I. H. Nossa. 77. Mus. Você nunca viu coisa igual em toda a sua existência. e C. D.. M. certamente o faria. P. H. foi confiado aos Srs. S. C.. G. P. P... O.. I. O quê? Ó. C. G. T. K. B. K. S. C. contra-almirante. F. O.. 78. se ele recebesse aquele bilhete de loteria do lado de sua cabeça ele se lembraria do grande prêmio. R. que foram tão inesperadamente chamados para longe de nós.. B. Jesus. E ele soltou uma saraivada de pragas sobre ele. L. L.. U. R. . C. P. R. O trabalho de salvamento. C. M. B. I. D. o muito honrado senhor Hercules Hannibal Habeas Corpus Anderson... mas puxa vida o cidadão teria sido recolhido à colônia penal por agressão e ofensa física e Joe por auxiliar e se acumpliciar. 159 Great Brunswick Street. S. R. P. remoção de débris restos humanos etc. D.. Michael Meade e Filho.. T. T... assistidos pelos homens e oficiais da infantaria do duque de Cornwall sob a supervisão geral de H. K.

ele tirou dele o valor disso. em meio às nuvens e aos anjos ascender à glória da luminosidade num ângulo de quarenta e cinco graus acima de Donohoe em Little Green Street como a detonação de uma pazada. vejam. . Quando. Garry! Atrás dele. bela como a lua e terrível de modo que dominados pelo espanto não ousaram olhar para Ele.– Eu o matei – diz ele –. cara! E a última coisa que vimos foi o maldito carro contornando a esquina e o velho rostodecarneiro nele gesticulando e o maldito vira-lata atrás dele com sua empáfia de volta por tudo que ele desgraçadamente valia para despedaçá-lo em todos os seus membros. tendo uma indumentária como se do sol. surgiu à volta deles todos uma grande luminosidade e eles viram o coche em que Ele estava ascender ao céu. ben Bloom Elijah. eu garanto. E veio do céu então uma voz. E eles O viram no coche. Cem por cinco! Meu Jesus. clamando: Elijah! Elijah! E Ele respondeu com um único grito: Abba! Adonai! E eles viram Ele até Ele. vestido com a glória da claridade. afinal de contas? E ele gritando para o maldito cão: – Atrás dele.

a estrela-domar. de apenas quatro anos e . Belleisle impresso em ambos. Bem longe no poente o sol se punha e no último fulgor de todos também o dia evanescente se detinha amorosamente sobre o mar e a praia. dois menininhos de cabelo encaracolado. desfrutando o cenário do entardecer e o ar que estava fresco mas não friorento demais. sobre o promontório altivo do antigo e querido vilarejo Howth resguardando como sempre as águas da baía. por último mas não menos importante. sobre a pacata igreja de onde se emanava vez por outra no silêncio reinante a voz da oração àquela que em sua pura irradiação é um farol eterno para o homem sacudido por tempestades.13 A tarde de verão começara a envolver o mundo num misterioso abraço. Maria. M. com roupas de marinheiros e bonés combinando e o nome H. sobre as rochas cobertas de ervas daninhas ao longo da praia de Sandymount e. S. Muitas e muitas vezes elas costumavam vir ali àquele recanto para bater um papo descontraído ao lado das ondas espumantes e discutir assuntos femininos. As três amigas estavam sentadas nas rochas. Cissy Caffrey e Edy Boardman com o bebê no carrinho e Tommy e Jacky Caffrey. Pois Tommy e Jacky Caffrey eram gêmeos.

Eu quero beber água. E Edy Boardman embalava o bebê gorducho no carrinho de um lado para o outro enquanto esse jovem cavalheiro positivamente ria gostosamente de prazer. – Diga alto. Que poder de persuasão tinha aquela moça! Mas com certeza também o bebê Boardman valia ouro. embora ainda fosse um projetinho de gente dando os primeiros passos. ou brincando com sua bola grande e colorida. Eles estavam brincando na areia com suas pás e baldes. construindo castelos como as crianças o fazem. . E o bebê balbuciou depois dela: – Qué bebê aua. tão paciente com os pequeninos sofredores que não conseguia nunca fazer com que Tommy Caffrey tomasse seu óleo de fígado de bacalhau a não ser que Cissy Caffrey tapasse o seu nariz e prometesse lhe dar a ponta esmigalhada do pão ou pão preto com um melado da melhor qualidade.às vezes gêmeos muito barulhentos e mimados mas apesar de tudo uns rapazinhos queridos de rostos muito vivos e alegres e de natureza carinhosa e cativante. um perfeito anjinho com seu babador do último tipo. Ele tinha apenas onze meses e nove dias e. começava a balbuciar as primeiras palavras em sua língua tatibitati. – Vamos. Cissy Caffrey se inclinou sobre ele para fazer cócegas nas suas bochechas gordinhas e na covinha delicada de seu queixo. Cissy Caffrey afagou o garotinho pois ela adorava crianças. meu bebê – disse Cissy Caffrey. bem alto. felizes como eles só.

Jacky. O pomo da discórdia era um certo castelo de areia que o mestre Jacky tinha construído e que mestre Tommy encasquetou que o certo está errado e que precisava ser arquiteturalmente melhorado com uma porta na frente como a que tinha a Torre Martello. uma moça cativante ao extremo. Tommy – chamou sua irmã imperativamente. – Imediatamente! E você. Meninos vão ser sempre meninos e nossos dois gêmeos não eram uma exceção a esta feliz regra. era Cissy Caffrey. sempre rindo com seus olhos de cigana e uma palavra brincalhona em seus lábios vermelhos como cerejas maduras. Esperem até que eu os pegue fazendo isso de novo. Mas justo naquele momento se dava uma pequena altercação entre mestre Tommy e mestre Jacky.Nenhuma dessas belezas cheias de vontade. ele se atirou sobre seu rival odiado com tanta disposição que o que seria o agressor desabou e (triste de relatar!) com ele também o cobiçado castelo. fiel ao ditado de que toda casinha de um irlandês é o seu castelo. Inútil dizer que os gritos do frustrado mestre Tommy atraíram a atenção das jovens amigas. E Edy Boardman também riu com a fala engraçadinha do irmãozinho. Com os olhos marejados de lágrimas não . – Venha cá. do gênero de Flora MacFlimsy. que vergonha derrubar o pobre do Tommy nessa areia suja. Mas se o mestre Tommy era cabeça-dura o mestre Jacky também era teimoso e. Uma garota mais leal nunca se viu.

seus olhos fuzilando com a repreensão. Ela pôs o braço em volta do marinheirinho e o agradou sedutoramente: – Como você se chama? Manteiga derretida? – Diga quem é sua namorada – falou Edy Boardman.derramadas mestre Tommy veio ao chamado dela pois uma palavra da irmã mais velha era lei para os gêmeos. – Eu sei quem é a namorada de Tommy. – Nam – disse Tommy à beira das lágrimas. – Jacky seu feio e atrevido! – gritou ela. – É Edy Boardman a sua namorada? – indagou Cissy. – É Cissy a sua namorada? – Nam – disse o choroso Tommy. E ele estava num triste estado também depois de sua desventura. Gerty é a namorada de Tommy. No entanto os olhos azuis brilhavam de lágrimas ardentes que iam deles jorrar então com um grande beijo ela apagou a mágoa e ameaçou com o dedo mestre Jacky o culpado e disse que se ela chegasse perto dele ele ia ver o que era bom. – Nam – disse Tommy. Com sua visão materna Cissy percebeu o que havia de errado e segredou a Edy Boardman que o . Seu traje de marinheiro e cuequinha estavam cheios de areia mas Cissy era uma mestra de primeira na arte de suavizar as mais mínimas mazelas da vida e num instante nenhum grão de areia podia ser visto em sua bela roupinha. – Já sei – Edy Boardman disse não muito amavelmente com uma expressão brejeira em seus olhos míopes.

Certa vez Bertha Supple contou a Edy Boardman. Ela era considerada bonita por todos os que a conheciam embora.levasse ali atrás do carrinho onde o cavalheiro não o pudesse ver e que prestasse atenção para que ele não molhasse seus sapatos novos castanho-amarelos. como as pessoas freqüentemente diziam. perdida em seus pensamentos. quando ela estava fora de si de raiva de Gerty (as amigas íntimas tinham suas pequenas desavenças de tempos em tempos como o . com o olhar fixo perdido na distância era. de perfeição grega. Sua figura era delgada e graciosa. ela fosse mais uma Giltrap do que uma MacDowell. Mas quem era Gerty? Gerty MacDowell que estava sentada perto das companheiras. uma mentira deliberada. o mais atraente espécime que pudesse ser visto das jovens beldades irlandesas. tendendo mesmo a uma certa fragilidade mas aquelas cápsulas gelatinosas de ferro que ela andara tomando ultimamente lhe tinham feito muito bem muito mais do que as pílulas femininas da Widow Welch e estava muito melhor daquelas perdas de sangue que costumava ter e daquela sensação de cansaço. A palidez de cera de seu rosto era quase espiritual em sua pureza ebúrnea embora sua boca como um botão de rosa fosse um genuíno arco de cupido. na verdade. Suas mãos eram de um alabastro delicadamente raiado de veias com dedos esguios e tão brancos como se banhados em suco de limão e na rainha dos ungüentos embora não fosse verdade que ela costumasse usar luvas de pelica na cama e banhasse também seus pés em leite.

Por que as mulheres têm olhos tão feiticeiros? Os de Gerty eram do mais azul dos azuis irlandeses. tensa de sentido reprimido. e ela nunca se . o amor que podia ter sido. Foi madame Vera Verity. Havia um requinte inato. redatora-chefe da página Mulher Bonita da Princess Novelette que primeiro a aconselhou a experimentar a sobrancelhaleine que proporcionava aquela expressão nostálgica aos seus olhos. um fascínio ao qual poucos poderiam resistir. Tivesse o bondoso destino querido que ela tivesse nascido uma senhora de alta estirpe por seus próprios méritos e tivesse lhe sido ao menos concedido o benefício de uma boa educação e Gerty MacDowell se teria mantido facilmente no nível de qualquer dama na superfície da Terra e teria trajado roupas as mais requintadas com jóias na sua fronte e nobres pretendentes a seus pés competindo uns com os outros em lhe prestar homenagem. realçados por pestanas lustrosas e por sobrancelhas escuras e expressivas. Houve tempo em que essas sobrancelhas não eram tão sedosamente sedutoras. Talvez fosse isso. Não.resto dos mortais) e lhe disse que não deixasse escapar o que quer que ela fizesse que ela é que tinha lhe dito senão ela nunca mais falaria com ela. tão adequada aos líderes da moda. que emprestava aos seus belos olhos uma propensão a um estranho enternecimento. que conferia por vezes aos traços suaves de sua face uma expressão. uma lânguida hauteur régia em Gerty que era inequivocamente evidenciada por suas mãos delicadas e o notável arqueado de seus pés. Honra seja feita a quem ela é devida.

o que fizera com que a rancorosa Edy dissesse aquilo por ele ter esfriado em suas atenções com ela quando era simplesmente uma briga de namorados. Justamente agora o pai dele o . ninguém melhor. Em seguida houve a cura científica do rubor e como ser alta eleva sua estatura e você tem um rosto bonito mas e seu nariz? Isso serviria bem para a Sra. a divina e bela terra. Como de costume alguém torcia o nariz quando o rapaz que tinha uma bicicleta e rodava pela Londonbridge Road passava sempre para cima e para baixo em frente à sua janela. Seu cabelo era castanho-escuro com ondas naturais. deslizou pelas suas faces e ela parecia tão encantadora em sua suave timidez juvenil que por certo nunca existiu igual na Irlanda. numa quinta-feira para ficar rica.arrependera disso. Por um instante ela ficou silenciosa com os olhos tristes postos no chão. Dignam que tem um que parece um botão. O desejo a incitava a falar abertamente: a dignidade lhe dizia que se calasse. Os lindos lábios por um momento fizeram beicinho mas então ela ergueu os olhos e soltou uma risadinha alegre que continha toda a frescura de uma jovem manhã de maio. Ela sabia muito bem. Mas a maior glória de Gerty era a sua abundante e maravilhosa cabeleira. E justamente agora com as palavras de Edy um rubor revelador. delicado como o mais tímido botão de rosa. Esteve prestes a replicar mas algo reteve as palavras em sua boca. Ela o tinha cortado naquela exata manhã devido à lua nova e ele se aninhava em volta de sua linda cabeça numa profusão de cachos luxuriantes e também aparara suas unhas.

Wylie que participava das corridas de bicicleta da universidade no Trinity College. E. Eles eram protestantes na família dele e naturalmente Gerty sabia Quem vinha em primeiro lugar e depois Dele a Virgem Santíssima e em seguida São José. No entanto ele era jovem e quem sabe talvez pudesse com o tempo aprender a amá-la. aquela dor às vezes imprecisa de vazio em seu coração. que lhe penetrava até o âmago. Mas ele era inegavelmente bonito com um nariz delicado e era aquilo que aparentava. Gerty estava vestida com simplicidade mas com o gosto instintivo de uma devota súdita da Dama Moda pois ela sentia que talvez houvesse a possibilidade de que ele pudesse sair. cada polegada dele um cavalheiro.mantinha à noite em casa estudando com afinco para fazer um exame para obter uma bolsa para o curso secundário que estava em curso e ele ia ingressar no Trinity College para estudar para ser um médico quando terminasse o curso secundário como seu irmão W. o formato de sua cabeça também atrás sem o boné ela a conheceria em qualquer lugar como alguma coisa fora do comum e a maneira com que ele contornava o poste com suas mãos fora do guidom e ainda o perfume gostoso daqueles cigarros de boa qualidade e além do mais eles dois eram do mesmo tamanho e era por isso que Edy Boardman achava que ela era tão espantosamente inteligente porque ele não ia rodar pra cima e pra baixo de bicicleta em frente do pedacinho de jardim dela. Talvez ele não se importasse nem um pouco com o que ela sentia. Uma blusa elegante de um azul .

que o azul elétrico seria usado) com um belo decote em V descendo até a divisão entre os seios e um bolso de lenço (no qual ela sempre mantinha um pedaço de algodão embebido em seu perfume favorito porque o lenço estragaria a linha) e uma saia três-quartos azul-marinho adequada ao andar que revelava à perfeição sua figura esbelta e graciosa. Seus sapatos eram do último modelo em matéria de calçado (Edy Boardman se orgulhava de ser bem petite mas nunca que ela teve um pé como o de Gerty MacDowell. ligeiramente manchado na loja mas que você nunca notaria. e nunca teria em toda a eternidade) com biqueiras de boa qualidade e apenas uma fivela elegante sobre o arqueado de seus pés. sorrindo para a encantadora imagem que o espelho lhe devolvia de si mesma! E quando ela o colocou na jarra para manter a forma ela sabia que isso ia empanar o brilho de algumas pessoas que ela conhecia. de doze a dois shillings e um penny.elétrico com bolas salpicadas de corantes (porque se esperava no Lady’s Pictorial. Toda a tarde da terça-feira anterior ela andara à procura de alguma coisa para combinar com aquela chenille mas finalmente encontrara o que queria nos saldos de verão de Clery. um trinta e cinco. exatamente aquilo. Seus tornozelos bem torneados . Ela fez tudo isso sozinha e qual não foi sua alegria então quando ela o experimentou. Ela usava um amor de chapéu coquete de palha cabeça-de-negro com um entrançado largo enfeitado para contrastar com a parte inferior da aba de chenille azul e do lado um laço borboleta de seda do mesmo tom.

três peças de roupa e camisolas extras e cada conjunto com fitas de diferentes cores em seus orifícios. malva e verde-ervilha. azul pálido. sua própria cor que é de sorte também para uma noiva que devia pôr alguma coisa azul sobre si porque o verde que usara sete dias atrás lhe trouxera tristeza porque o pai dele o prendera em casa para estudar para aquela bolsa para o curso secundário e porque ela achava que talvez ele tivesse saído porque quando ela estava se vestindo aquela manhã ela quase enfiara suas calças pelo avesso e isso dava sorte e proporcionava o encontro de amantes se você pusesse essas coisas do lado do avesso ou se elas ficassem desamarradas ele estaria pensando em . Ela mesma as acabava de secar e as anilava quando vinham da lavadeira e as passava a ferro e possuía um caco de tijolo para repousar o ferro porque não confiava naquelas lavadeiras uma vez que vira a maneira pela qual chamuscavam as roupas.exibiam proporções perfeitas sob a saia e apenas a quantidade apropriada e não mais do que isso de suas pernas bem modeladas envoltas em meias delicadas com saltos altos bem encaixados e no alto ligas largas podiam ser vistas. esperando pelo improvável. Quanto às peças íntimas essas eram a maior preocupação de Gerty e como pode aquele que conhece as trêmulas esperanças e os medos dos dezessete anos (embora Gerty nunca mais os veria) encontrar em seu coração condições de censurá-la? Ela possuía quatro conjuntos mimosos com bordados extremamente bonitos. Ela estava usando o azul para dar sorte. rosa.

Não acreditaria no amor. Na noite da festa muito tempo atrás em Stoer (ele ainda usava calça curta) quando eles estavam sozinhos e ele deslizara um braço à volta de sua cintura ela ficou branca como um lençol. D. Wylie) e na coluna social a Sra. Que rapaz impetuoso! Energia de caráter nunca fora um ponto forte de Reggy Wylie e aquele que cortejasse e conquistasse Gerty MacDowell teria de . Ele a chamou de minha queridinha com uma voz estranhamente rouca e lhe roubou um meio beijo (o primeiro!) mas apenas na ponta do nariz e então ele saiu apressado da sala com um comentário sobre refrescos. Reggy Wylie T. ela soubera desde o princípio que sua fantasia de um casamento planejado nos céus com os sinos nupciais repicando para a Sra. ela podia dar uma boa chorada e aliviar seus confinados sentimentos sem exagero contudo porque ela sabia chorar bonito diante do espelho. Ele era jovem demais para compreender. Gerty. Sua própria alma se encontra em seus olhos e ela daria tudo para estar recolhida na privacidade de seu quarto familiar. C.você desde que não fosse uma sexta-feira. entregue às lágrimas. (porque aquela que se casasse com o irmão mais velho seria Sra. ele lhe dizia. direito de nascença da mulher. Sim. A luz pálida do anoitecer cai sobre um rosto infinitamente triste e melancólico. E no entanto – e no entanto! Aquela expressão tensa no seu rosto! Uma tristeza persistente ali o tempo todo. Gertrude Wylie estava usando um vestido suntuoso cinzento guarnecido de um renard azul não se realizaria. Você é encantadora. Gerty MacDowell suspira em vão.

Então eles poderiam todos falar dela até ficarem roxos de raiva. Ela cuidaria dele também lhe proporcionando todos os mimos que uma criatura pode ter pois Gerty tinha a sabedoria feminina e sabia que um homem qualquer que fosse gostava daquela sensação de bem-estar no seu lar. Seria simplesmente divino. a estreitaria com toda a força de sua natureza profundamente apaixonada e a confortaria com um longo beijo. esperava sempre ser pedida e além do mais era um ano bissexto e terminaria em breve. Bertha Supple também. a tomaria em seus braços protetores. De todo o seu coração ela deseja ser somente dele. o paviozinho curto. Seu belo ideal não é nenhum príncipe encantado que ponha a seus pés um amor maravilhoso e raro mas um homem viril com um rosto forte e tranqüilo que não tivesse ainda encontrado o seu ideal. até que a morte nos separe. e que a compreenderia. e Edy. Seus bolos assados na chapa a ponto de adquirirem uma tonalidade dourada e o pudim da rainha Ana de um . com o cabelo talvez com mechas ligeiramente grisalhas. Mas ela esperava. na saúde e na doença. agora e para todo o sempre. E enquanto Edy Boardman estava com o pequeno Tommy atrás do carrinho ela pensava se jamais chegaria o dia em que ela pudesse ser chamada de sua futura mulherzinha. sua noiva comprometida na riqueza e na pobreza. porque ela ia fazer vinte e dois anos em novembro.ser um homem entre os homens. Por alguém assim ela suspirava neste fragrante crepúsculo de verão.

só para eles dois e antes de sair para o trabalho ele daria um bom e apaixonado abraço em sua querida mulherzinha e olharia por um momento profundamente nos olhos dela. Edy Boardman perguntou a Tommy Caffrey se ele já tinha feito e ele disse que sim sendo assim ela . quando eles se estabelecessem numa bela e confortável casinha despretensiosa e aconchegante. Ele seria alto de ombros largos (ela sempre admirara homens altos para maridos) com dentes brancos e brilhantes sob o vasto bigode cuidadosamente aparado e eles iriam ao continente para sua lua-de-mel (três semanas maravilhosas!) e então.cremoso delicioso lhe tinham valido famosa reputação por parte de todos porque ela tinha uma boa mão para acender o fogo. todo dia eles tomariam o seu café-damanhã. então acrescentar creme de leite e açúcar e bater bem as claras em neve embora ela não gostasse de comer quando havia visitas o que a intimidava e freqüentemente ela se perguntava por que não se poderia comer algo poético como violetas ou rosas e eles teriam uma bela sala de visitas lindamente mobiliada com quadros e gravuras e a fotografia de Garryowen o adorável cachorro do vovô Giltrap que só faltava falar de tão humano que era e capas de chintz para as cadeiras e aquele porta-torradas de prata da liquidação de verão da miscelânea de Clery como as que existem nas casas dos ricos. polvilhar fermento na farinha que crescia e sempre mexer na mesma direção. simples mas perfeitamente servido.

eis aqui sua carruagem de pão de mel e aqui vai ele patati patatá patati patatá. ele já era um homem o pequeno Tommy Caffrey visto que não usava mais um avental de criança. tendo ganho o dia. – A bola é minha. como eu gostaria. Mas Cissy Caffrey disse ao bebê Boardman para olhar para cima. onde eu não digo. não e que ele se mandasse e disse a Cissy Caffrey que não cedesse a ele. Edy lhe disse que não. . olhar bem para cima para o seu dedo e arrancou rapidamente a bola e a lançou na areia e Tommy saiu atrás dela em alta velocidade. – Qualquer coisa por uma vida tranqüila – riu Ciss. E ela fez cócegas nas bochechas do garotinho para fazê-lo esquecer e brincou eis aqui o prefeito. – Eu gostaria de lhe dar uma das boas – disse ela –. ora me faça um favor. eis aqui seus dois cavalos. Mas Edy ficou danada da vida por ele ter conseguido o que queria daquele jeito com todo mundo sempre o mimando. – Você não é minha irmã – disse o levado Tommy. Que gênio danado o dele! Ó. Mas Tommy disse que queria a bola e Edy disse que não que o bebê estava brincando com ela e se ele a pegasse haveria um alvoroço mas Tommy disse que a bola era dele e ele queria a bola dele e bateu com o pé no chão.abotoou para ele seu calção e lhe disse para correr e brincar com Jacky e para ser bonzinho agora e não brigar.

e Edy Boardman disse que tinha certeza que o senhor do outro lado tinha ouvido o que ela dissera. Mas Cissy não ligou a mínima. Estouvada Ciss com seus cachos grotescos. . doces demais para serem autênticos. Ó. Você tinha de rir com ela às vezes. Gerty MacDowell inclinou a cabeça e ficou vermelha com a idéia de Cissy dizer alto uma coisa tão pouco própria de uma dama que ela morreria de vergonha de dizer. fumando um cigarro. Não havia ninguém que se igualasse a ela em matéria de brincadeira. Isso era bem típico de Cissyneta. e será que é possível jamais esquecer a noite em que ela vestiu o terno e o chapéu do pai e com o bigode feito com cortiça queimada andou por Tritonville Road abaixo. – Dou nele também no mesmo lugar tão rápido quanto o meu olhar para ele. não um daqueles tipos de duas caras. Mas ela era a sinceridade encarnada. um dos corações mais bravos e verdadeiros que o céu já produziu. ficando muito ruborizada. – Pois que ouça! – disse ela com uma sacudidela atrevida da cabeça e uma inclinação maliciosa do nariz. Por exemplo quando ela lhe perguntava se você queria mais chá chinês e geléia de framboesa e também quando ela desenhava as jarras e os rostos dos homens nas suas unhas com tinta vermelha fazia você se dobrar de tanto rir ou quando ela queria ir aonde você sabe ela dizia que queria correr e fazer uma visita à senhorita Branca.– No seu bumbunzinho – riu Cissy alegremente.

as velhas palavras familiares. depois das tormentas deste mundo miserável. implorando-lhe interceder por eles. perder completamente a cabeça pois se havia uma . o reverendo John Hughes S. santa virgem das virgens.E então surgiu no ar um som de vozes e o ressoar litúrgico do órgão. Eles estavam ali reunidos todos sem distinção de classe social (e um espetáculo muito edificante de se ver era aquele) naquele templo simples ao lado das ondas. ela poderia estar agora rodando em sua carruagem. rosário. pensando. fazendo uma promessa a Deus ou tomando aqueles pós que curavam do vício de beber de Pearson’s Weekly . a primeira entre todas. ela mesma testemunhara no círculo familiar atos de violência causados pela intemperança e tinha visto o próprio pai. J. recitando a ladainha de Nossa Senhora de Loreto. ajoelhados aos pés da Imaculada Conceição. Santa Maria. Mais ainda. sermão e bênção do Santíssimo Sacramento. Muitas e muitas vezes ela dissera isso a si mesma enquanto refletia junto às brasas agonizantes com seus pensamentos sombrios sem uma lâmpada porque ela detestava duas luzes ou muitas vezes olhando por horas sonhadoramente para fora da janela para a chuva caindo sobre o balde enferrujado. Mas aquele elixir desprezível que arruinara tantas famílias e lares lançara sua sombra sobre a sua infância. Era o retiro de abstinência dos homens conduzido pelo missionário. Que coisa triste para os ouvidos da pobre Gerty! Se seu pai tivesse ao menos evitado as garras da bebida demoníaca. uma presa dos vapores da embriaguez..

como te Amar ou Meu Amor e Minha Cabana Perto de Rochelle e eles tinham tido para jantar moluscos cozidos e salada de alface com molho de Lazenby e quando ele cantou A Lua Elevou com o Sr. Dignam que morreu de repente e foi enterrado. mal via ou ouvia suas companheiras ou os gêmeos em suas cambalhotas infantis ou o senhor que vinha de Sandymount Green que Cissy Caffrey dizia que era tão parecido com o pai quando ele fazia sua curta caminhada ao longo da praia. E sua mãe dissera a ele que aquilo lhe servisse de aviso para o . E as vozes continuavam a cantar em súplica à Virgem mais poderosa. Patsy e Freddy Dignam e iam tirar um retrato do grupo. Era o aniversário da mãe dela e Charley estava em casa de férias e Tom e o Sr. à Virgem mais misericordiosa. Você nunca o via bêbado mas apesar de tudo ela não gostaria de tê-lo como pai porque ele era velho demais ou sei lá o quê ou por causa do rosto dele (era um caso palpável de doutor Fell) ou seu nariz vermelho cheio de espinhas e seu bigode ruivo um pouco branco debaixo do nariz. Mary.coisa de todas as coisas de que Gerty tinha conhecimento essa era que o homem que levanta a mão para uma mulher a não ser por carinho merece ser estigmatizado como o mais vil dos vis. perdida em seus pensamentos. Ninguém imaginava que o fim estivesse tão próximo. Agora ele repousava em paz. de um derrame. Deus se compadeça de sua alma. Pobre papai! Apesar de todos os seus defeitos ela ainda assim o amava quando ele cantava Dize. Dignam e a Sra. E Gerty.

Podia-se ver que havia uma história por trás daquilo. com padrões de desenhos artísticos. Tunney. Gerty era uma filha genuinamente boa uma verdadeira segunda mãe na casa. próprios para um palácio. Ela estava com um vestido branco justo e suave com uma atitude estudada e o cavalheiro com um traje cor de chocolate e tinha a aparência de um . Todo mundo a achava o máximo devido aos seus modos gentis. o que dá um estilo requintado e sempre claro e alegre a uma casa. um anjo providencial também com um coraçãozinho que valia o peso em ouro. com a imagem dos dias de alcione em que um jovem cavalheiro vestido com um traje que costumavam então usar com um chapéu de três bicos oferecia um ramo de flores à sua amada com o cavalheirismo dos velhos tempos através da treliça da janela dela. As cores tornavam o todo uma coisa encantadora. E quando sua mãe tinha aquelas dores de cabeça violentas e devastadoras quem é que lhe esfregava mentol na testa senão Gerty embora ela não gostasse que sua mãe cheirasse rapé e essa era a única coisa que fazia com que elas discutissem. cheirar rapé. Era Gerty que desligava o contador de gás toda noite e era Gerty que pregava na parede daquele lugar em que ela jamais se esquecia de jogar de quinze em quinze dias o clorato de limão-doce o calendário de Natal do merceeiro Sr.resto dos seus dias e ele não pôde sequer ir ao enterro devido à gota e ela tinha tido que ir à cidade para lhe trazer do escritório as cartas e amostras do linóleo de Cork manufaturado por Catesby.

Os gêmeos estavam agora brincando da maneira mais fraternal possível até que afinal mestre Jacky que era realmente o atrevimento em pessoa não havia como negá-lo chutou a bola propositalmente com toda a força de que dispunha em direção às rochas cobertas de algas marinhas. É desnecessário dizer que o pobre do Tommy não levou tempo para clamar seu desespero mas felizmente o senhor de preto que estava sentado ali sozinho veio gentilmente em socorro e interceptou a bola. Os gêmeos a reclamaram novamente para eles e Cissy disse a ela que a chutasse e deixasse que eles se disputassem por ela então Gerty encolheu o pé mas ela gostaria que aquela bola estúpida não tivesse rolado até ela e deu um chute mas errou e Edy e Cissy riram. O cavalheiro mirou com a bola uma ou duas vezes e então a atirou acima da areia em direção a Cissy Caffrey mas ela rolou pelo declive abaixo e foi parar exatamente debaixo da saia de Gerty perto da pequena poça junto à rocha.verdadeiro aristocrata. Freqüentemente ela olhava sonhadoramente para eles quando ia ali por alguma razão e apalpava os próprios braços que eram brancos e macios exatamente como os da outra com as mangas arregaçadas e pensava naqueles tempos porque ela descobrira no dicionário de pronúncia de Walker que pertencia ao vovô Giltrap a respeito dos dias de alcione e do que eles representavam. Nossos dois heróis reclamaram seu brinquedo aos gritos e para evitar confusão Cissy Caffrey gritou para o cavalheiro que atirasse por favor a bola para ela. .

rogai por nós. sempre um sinal de perigo no caso de Gerty MacDowell. Um delicado rubor subiu-lhe à face encantadora mas ela estava determinada a lhes mostrar o que era bom assim levantou somente um pouco a saia mas apenas o necessário fez uma boa pontaria e deu na bola um chute e tanto e ela foi parar bem longe e os dois gêmeos correram atrás dela em direção ao seixo da praia. Gerty sorriu assentindo e mordeu o lábio. com os olhos úmidos de arrependimento mas apesar de tudo brilhando de esperança pois o reverendo padre Hughes lhes dissera o que o grande São Bernardo disse em sua famosa . rogai por nós. E corações conturbados ali estavam e labutadores pelo pão de cada dia e muitos daqueles que tinham errado e vagado. vaso espiritual. rogai por nós. Até então eles tinham apenas trocado olhares da maneira a mais casual possível mas agora sob a aba de seu chapéu novo ela se aventurou a olhá-lo e o rosto que enfrentou o seu olhar ali na penumbra. rosa mística. Puro ciúme naturalmente e nada mais do que isso para chamar a atenção do cavalheiro que do outro lado as olhava. surgindo e inflamando seu rosto. vaso honorífico. Ela sentiu uma vermelhidão quente.– Se você falhar tente novamente – disse Edy Boardman. pareceu a ela o mais triste que jamais vira. pálido e estranhamente contraído. vaso de excepcional devoção. Através da janela aberta da igreja o fragrante incenso era soprado e com ele os nomes fragrantes daquela que foi concebida sem a mancha do pecado original.

oração a Maria. Cissy Caffrey brincava com o bebê Boardman até que este soltou um grito de alegria. diziam. e certamente ele seria um dia bem importante. minha Nossa Senhora. E o bebê se esforçou ao máximo em dizê-lo pois ele era muito inteligente para os seus onze meses todos diziam e grande para sua idade e a imagem da saúde. Os gêmeos estavam agora de novo brincando bem alegremente pois os distúrbios da infância são apenas passageiros como as tempestades de verão. Cissy limpou a boquinha dele com o babador pingado e quis que ele se sentasse direitinho e dissesse pa pa pai mas quando ela desatou a tira gritou. Diga pa pa pa pa pa pa pai. Naturalmente sua majestade o infante se rebelou contra as formalidades daquela toalete e o tornou bem claro para todos. Hu-hu gritou ela por trás da capota do carrinho e Edy perguntou aonde é que tinha ido a Cissy e então a cabeça de Cissy surgiu e gritou ah! e. . como o garotinho se divertiu com aquilo! E então ela disse para ele falar papai. um perfeito feixezinho de amor. que ele estava alagado e para dobrar ao meio o cobertor por baixo dele virando-o ao contrário. – Diga papai. – Ha ia ia haia. meu Santo Antônio. meu bebê. a mais piedosa Virgem de força intercessora que em época alguma fora registrado que aqueles que implorassem sua proteção poderosa jamais seriam por ela abandonados. batendo com suas mãozinhas no ar.

a noite e as nuvens surgindo e o farol de Bailey no topo de Howth e ouvir uma música como aquela e o perfume daquele incenso que queimavam na igreja como uma espécie de aragem. supremamente expressivos. exceto pelo bigode o que ela preferia porque ela não era fanática por teatro . Eram olhos maravilhosos. E enquanto ela olhava sua pulsação se acelerava. não era mais hora para estar fora de casa. com sua presença de espírito. Os olhos dele a queimavam como se estivessem penetrando nela toda. Gerty desejava do fundo do coração que elas levassem seu bebê berrão para casa para fora dali para que não lhe desse nos nervos. e os pirralhinhos dos gêmeos. e dizer-lhe já passou e onde estava o au-au mas Cissy. Era como aquelas pinturas que aquele homem costumava pintar na calçada com todo aquele giz de cores diferentes e dava tanta pena também de deixá-las ali para ficarem todas borradas. E duas bem grandes bonitas lágrimas grandes rolaram por suas faces. a imagem da foto que ela possuía de Martin Harvey. meu bebezinho. era para ela que ele estava olhando. nãonão. mas seria possível confiar neles? As pessoas eram tão estranhas. lendo sua própria alma. Não adiantava acalmá-lo com não. pôs o bico da garrafa na boca dele e o pequeno selvagem rapidamente se acalmou. e havia um significado no seu olhar. Ela podia imediatamente ver por seus olhos escuros e seu rosto pálido de intelectual que ele era um estrangeiro. o ídolo das matinês. Sim.– Habaa baaagabaaa baaaa. Ela lançou o olhar para o mar distante.

Ele estava olhando para cima tão atentamente. Mesmo que ele fosse protestante ou metodista ela o converteria facilmente se ele a amasse de verdade. Era ele que importava e havia alegria no rosto dela porque ela o desejava porque sentia instintivamente que ele era como ninguém mais. seu marido dos sonhos. mesmo. um homem mau. Ele estava de luto fechado. se ele tivesse sido ele próprio um pecador. tendo-se pecado mais contra ele do que ele mesmo tivesse pecado. aquelas . O coração ele mesmo da meninamulher partia para ele. tão imóvel. Ela estava contente por alguma coisa ter-lhe dito para pôr aquelas meias transparentes pensando que Reggy Wylie tivesse saído mas isso já estava bem longe.como Winny Rippingham que queria que as duas sempre se vestissem iguais devido a uma peça mas ela não podia ver de onde estava sentada se ele tinha um nariz aquilino ou ligeiramente retroussé. Ela uma mulher feminina não como aquelas outras moças volúveis nada femininas que ele conhecera. Havia feridas que precisavam ser curadas com bálsamodocoração. Ela teria dado tudo para saber o que era. ou mesmo. e a história de um pesar obsessivo estava escrita em seu rosto. Se ele tivesse sofrido. e a viu chutar a bola e talvez pudesse ver as fivelas de aço reluzentes de seus sapatos se ela pensativamente os balançasse daquele jeito com os dedos voltados para baixo. ela não se importava nem um pouco. Aqui estava aquilo com que ela tantas vezes sonhara. porque ela soube naquele instante que era ele. ela o podia ver claramente.

fazê-lo esquecer as lembranças do passado. só por ser exclusivamente ela. Ele disse a ela aquela vez em que ela lhe falara sobre aquilo na confissão. as janelas com vitrais iluminados. Então quem sabe ele a abraçaria gentilmente. as velas. Consoladora dos aflitos. para perdoar tudo se ela pudesse fazê-lo se apaixonar por ela. e a amaria. Tem sido dito com toda a razão que qualquer um que reze a ela com fé e constância nunca poderá se perder ou ser lançado fora: e também adequadamente ela é um porto de refúgio para os aflitos por causa das sete dores que traspassaram seu próprio coração.ciclistas que exibiam o que não tinham e ela só ansiava ter conhecimento de tudo. carregando as coisas pra dentro e pra fora com seus olhos postos no chão. Gerty podia imaginar toda a cena na igreja. as flores e os estandartes azuis da congregação da Santíssima Virgem e padre Conroy ajudando Canon O’Hanlon no altar. Ora pro nobis. apertaria seu corpo frágil contra o dele. para não se perturbar porque aquilo era apenas a voz da natureza e que nós éramos todos sujeitos às leis da natureza. Refúgio dos pecadores. Ele parecia quase um santo e seu confessionário estava tão silencioso e limpo e escuro e suas mãos que pareciam exatamente cera branca e se algum dia ela se tornasse uma freira dominicana com o hábito branco delas talvez ele pudesse vir ao convento para a novena de São Domingos. nesta vida e que aquilo não era . a garotinha toda sua. ficando vermelha até a raiz dos cabelos com medo que ele pudesse ver. como um verdadeiro homem. disse ele.

Ele era tão bom e santo que muitas e muitas vezes ela pensou e pensou se não podia fazer para ele de presente um abafador de bule enfeitado com um desenho floral bordado ou lhe dar um relógio mas eles tinham um relógio ela notara no consolo da lareira branco e ouro com um canário que saía de uma casinha para dizer a hora no dia em que ela foi lá a respeito das flores para a adoração de quarenta horas porque era difícil saber que tipo de presente se pode dar ou talvez um álbum de vistas iluminadas de Dublin ou de algum outro lugar. disse. de jeito nenhum! Que grande idéia eles tinham! Então Cissy disse que era realmente a última vez que ela saía com eles. Os gêmeos pirralhinhos exasperantes começaram novamente a brigar e Jacky atirou a bola em direção ao mar e os dois correram atrás dela. E Cissy e Edy gritaram com eles para que voltassem porque tinham medo que a maré pudesse subir até eles e eles se afogassem. os dois. Dois macaquinhos grosseiros como eles só. – Jacky! Tommy! Eles.pecado porque provinha da natureza da mulher instituída por Deus. e que Nossa Virgem Santa ela própria disse ao arcanjo Gabriel que seja feito em mim segundo a Tua Palavra. Ela levantou de um salto e os chamou e desceu correndo o declive passando por ele. Alguém devia pegá-los e lhes dar uma boa surra para que eles aprendessem a se comportar. sacudindo o cabelo para trás que tinha uma cor razoavelmente boa se fosse mais volumoso mas com .

Ela correu com longas passadas de ganso e era de espantar que ela não rasgasse o lado da saia que estava apertada demais porque havia muito de uma menina levada em Cissy Caffrey porque ela era uma dona atirada onde quer que pensasse que tinha uma boa oportunidade de se mostrar e justamente porque era uma boa corredora ela correu daquele jeito de modo que ele pudesse ver o final de sua anágua correndo e suas canelas magras o mais alto possível. de todos os santos. rainha dos patriarcas. Tableau! Teria sido uma revelação muito fascinante para um cavalheiro como aquele presenciar. rainha do mais sagrado rosário e então padre Conroy entregou o turíbulo a Canon O’Hanlon e ele pôs ali o incenso e incensou o Santíssimo Sacramento e Cissy Caffrey pegou os dois gêmeos e estava louca para lhes dar um bom puxão de orelhas mas não o fez porque ela achou que ele podia estar observando mas ela nunca cometeu um erro maior do que aquele em toda a sua vida porque Gerty podia ver sem olhar que ele nunca tirou os olhos dela mesma e então Canon O’Hanlon entregou o turíbulo de volta a padre Conroy e se ajoelhou . eles rezaram. Seria bem merecido que ela tropeçasse acidentalmente em alguma coisa de propósito com seus saltos franceses altos e arqueados para parecer alta e levasse um belo tombo. rainha dos profetas. Rainha dos anjos.todo esse negócio que ela esfregava nele ela não conseguia que ele ficasse longo porque não era natural por isso só podia tentar de algum jeito chamar a atenção.

mais elegante – uma pequena visão radiosa.erguendo os olhos para o Santíssimo Sacramento e o coro começou a cantar o Tantum Ergo e ela só balançou o pé pra dentro e pra fora no compasso enquanto a música se elevava e se abaixava para o tantumer gosa cramen tum . Cissy subiu ao longo da praia com os dois gêmeos e a bola deles com seu chapéu de qualquer jeito em sua cabeça caído para o lado depois de sua corrida e ela tinha o aspecto de uma desleixada arrastando os dois garotos com a blusa insignificante que comprou apenas quinze dias atrás como um trapo em suas costas e um pouco de sua anágua pendente como uma caricatura. Gerty simplesmente tirou por um momento seu chapéu para ajeitar o cabelo e nunca se viu nos ombros de uma moça uma cabeça de tranças castanho-escuras mais bonita. na verdade. e não para as insignificâncias dela que não tinham formato nem forma (que petulância a dela!) porque ele tinha olhos em sua cabeça para perceber por si mesmo a diferença. Ela quase pôde ver como rápida resposta um lampejo de admiração nos olhos dele que fez com que todos os seus nervos tinissem. . não na segunda-feira antes da Páscoa e não havia nenhuma falha de fabricação nelas e era para isso que ele estava olhando. Três shillings e onze ela pagou por aquelas meias na Sparrow de George Street na terça-feira. Você teria que viajar muitas e muitas milhas até encontrar uma cabeça com um cabelo igual àquele. quase enlouquecedora em sua delicadeza. transparentes.

Seu instinto de mulher lhe disse que tinha despertado o demônio existente nele e com esse pensamento um escarlate abrasador deslizou da garganta à fronte até a cor encantadora de sua face adquirir um rosa glorioso. fingindo cuidar do bebê. Ele a estava olhando como uma cobra olha para a sua presa. meio sorridente. E quando Cissy se aproximou Edy lhe perguntou que horas eram e Miss Cissy. disse que tinha passado meia hora da hora de beijar. – Eu só estava me perguntando se não está tarde. com seus óculos como de uma velha solteirona. . era hora de beijar novamente.Ela pôs o chapéu para que pudesse ver por baixo da aba e balançou seu sapato de fivela mais rápido pois perdeu a respiração quando surpreendeu a expressão nos olhos dele. – O quê? – replicou Gerty com um sorriso reforçado por dentes branquíssimos. Porque ela desejava do fundo do coração que levassem os gêmeos de narizes repulsivos e seu bebê para casa para fazer travessura fora dali de modo que foi por isso que ela fez apenas aquela insinuação sobre estar tarde. Mas Edy queria saber por que tinham lhes dito para chegar cedo. E ela disse a Gerty: – Um níquel por seus pensamentos. Coisinha irritante ela era e sempre seria e era por isso que ninguém podia se dar bem com ela metendo o nariz no que não lhe dizia respeito. Edy Boardman o notou também porque estava olhando para Gerty de soslaio. desembaraçada como ela só.

no momento seguinte era o senhor de face grave e tranqüila. Cissy disse muito obrigada e voltou com a língua para fora e disse que o tio disse que seus órgãos urinários estavam enguiçados. Embora de natureza apaixonada como era a dele Gerty podia ver que ele tinha um controle enorme sobre si mesmo. Sua voz soava culta e embora ele se expressasse com um modo de falar compassado havia uma suspeita de tremor nos tons melodiosos. fascinado com uma beleza que o fizera olhar fixamente. e começar a brincar com a corrente do seu relógio. eu vou perguntar ao meu tio Pedro ali adiante que horas são em seu troço. Então lá se foi ela e quando ele a viu chegando ela pôde vê-lo tirar a mão do bolso. Então eles cantaram o segundo verso de Tantum Ergo e Canon O’Hanlon se levantou novamente e incensou o Santíssimo Sacramento e se ajoelhou e disse ao padre Conroy que uma das velas estava quase pegando fogo nas flores e padre Conroy se levantou e . Num momento ele estivera ali. erguendo os olhos para a igreja. ficar nervoso. com autocontrole expresso em todos os traços de sua figura de aparência distinta. Cissy pediu que ele a desculpasse mas ele se importaria de lhe dizer qual era a hora exata e Gerty pôde vê-lo retirar seu relógio.– Espere – disse Cissy –. levá-lo ao ouvido para escutar e erguendo os olhos e clareando a garganta ele disse que sentia muito seu relógio estava parado mas julgava que eram mais de oito horas porque o sol se tinha posto.

Edy começou a se aprontar para ir embora e era mais do que tempo para que ela o fizesse e Gerty notou que aquela pequena insinuação que fizera tinha surtido o efeito desejado porque o caminho era longo pela areia para chegar aonde havia lugar para empurrar o carrinho para cima e Cissy tirou os bonés dos gêmeos e ajeitou o cabelo deles naturalmente para se tornar mais atraente e Canon O’Hanlon se levantou com seu manto cutucando seu pescoço e padre Conroy lhe entregou o cartão para que lesse e ele leu em voz alta Panem de coelo praestitisti eis e Edy e Cissy estavam . Gertrude MacDowell. e você o sabe. bebendo cada um de seus contornos. É para você. Os olhos escuros dele se fixaram novamente nela. Se jamais houve uma admiração indisfarçável no olhar apaixonado de um homem estava claramente ali para ser vista no rosto daquele homem. Estava ficando mais escuro mas ele podia ver e estava olhando o tempo todo enquanto dava corda no relógio ou o que quer que estivesse fazendo com ele e então o pôs de volta e pôs as mãos de volta nos bolsos. literalmente a adorando em seu santuário.pôs tudo em ordem e ela podia ver o senhor dando corda no relógio e escutando o mecanismo e ela balançou mais a perna pra dentro e pra fora dentro do compasso. Ela sentiu uma espécie de sensação percorrê-la toda e soube pela sensação no seu couro cabeludo e por aquela irritação de encontro ao seu espartilho que aquela coisa estava chegando porque a última vez também foi assim quando ela aparou seu cabelo devido à lua.

tão puro. Ela o amara mais do que ele se dera conta. mais musicais do que o arrulho do pombo-torcaz. Os lábios de Gerty se entreabriram para formar a palavra mas ela lutou contra o soluço que subia em sua garganta. Enganador despreocupado e instável como todo o seu sexo ele nunca compreenderia o que significara para ela e por um instante houve nos olhos azuis uma rápida ferroada de lágrimas. Isso doía – Ó sim. – Eu posso atirar o meu boné para quem eu gosto porque este é um ano bissexto. Suas palavras soaram claras como cristal. rapidamente como um raio. – Ó – replicou Gerty. tão lindamente moldado que parecia algo com o qual um artista tivesse sonhado. Havia aquilo em sua .falando o tempo todo sobre a hora e lhe fazendo perguntas mas Gerty podia lhes dar o troco na mesma moeda delas e apenas respondeu com fulminante polidez quando Edy lhe perguntou se ela estava de coração partido porque seu namorado a tinha abandonado. Um breve fulgor gélido brilhou em seus olhos que expressavam todo o seu desprezo incomensurável. rindo. tão tênue. e a cabeça orgulhosa chispou para cima. embora cortassem gelidamente o silêncio. retalhava fundo porque Edy tinha sua própria maneira tranqüila de dizer coisas como aquela que sabia iam ferir como a execrável pestinha que ela era. Os olhos delas a sondavam impiedosamente mas com um esforço corajoso ela resplandeceu de volta com compreensão enquanto olhava para sua nova conquista para que elas vissem. Gerty estremeceu vivamente.

e Cissy cutucou daquele jeito de brincadeira sua pequenina barriga gorda e o bebê. E Cissy lhe disse também que o soninho estava chegando e que o bebê ia fazer dodô e o bebê estava por demais uma gracinha. sem sequer dizer com sua permissão. que ela não era do time delas e nunca seria e que havia alguém mais que também o sabia e via. de outra esfera. Reggy com sua arrogância e seu dinheirinho ela podia simplesmente jogá-lo para o lado como se ele não fosse mais do que uma imundície e nunca mais lhe concederia de novo sequer um segundo pensamento e rasgaria seu tolo cartão-postal em doze pedaços. Edy arrumou o bebê Boardman para se preparar para partir e Cissy aconchegou junto dele a bola as pás e baldes e já era mais do que hora também porque o joão pestana estava a caminho do mestre Boardman júnior. assim que elas engolissem isso se pudessem. enviou seus . E se depois algum dia ele ousasse tomar liberdades ela poderia lhe lançar um olhar calculado de desprezo que o faria murchar no mesmo instante.voz jovem que informava que ela não era alguém que pudesse ser ligeiramente escarnecida. porque aquele dardo tinha acertado o alvo devido ao seu ciúme mesquinho e ambas sabiam que ela era um tanto altiva. a pequena tola impudente e vaidosa. distante. Quanto ao Sr. rindo com seus olhinhos alegres. A fisionomia franzina e pequena da senhorita Edy desabou consideravelmente e Gerty pôde ver por sua expressão negra como um trovão que ela estava simplesmente com uma raiva monumental embora o escondesse.

– Ele destruiu seu babador. aqui.cumprimentos para todos no seu babador novo em folha. O ligeiro contretemps exigia sua atenção mas em dois abrir e fechar de olhos ela consertou o pequeno estrago. ali. Que cena tocante aquela no crepúsculo que se expandia. – Ó céus! Porquinho querido! – protestou Cissy. com um grito minúsculo que se perdia. Gerty reprimiu uma exclamação sufocada e deu uma tossida nervosa e Edy perguntou o que era e ela esteve a ponto de lhe dizer que apanhasse o que pudesse enquanto era tempo mas ela era por demais uma dama em toda sua conduta de modo que simplesmente deixou passar com um tato consumado dizendo que se tratava da bênção porque exatamente naquele momento o sino tocou no campanário sobre a praia silenciosa porque Canon O’Hanlon estava em cima no altar com o véu humeral que padre Conroy pôs à volta de seus ombros dando a bênção com o Santíssimo Sacramento em suas mãos. E ela podia ver à distância as luzes dos faróis tão pitorescos que ela teria gostado de reproduzir com uma caixa de tintas porque era mais fácil do que fazer um homem e logo o acendedor de lampiões estaria fazendo sua ronda passando pelo terreno da igreja presbiteriana e prosseguindo pela sombria Tritonville . o repicar tocante daqueles sinos vespertinos e ao mesmo tempo um morcego a voar do campanário coberto de hera através da penumbra. o último lampejo de Erin.

És Real. Era ali que ela guardava seus objetos mais valiosos de mocinha. meu Ideal? era o seu nome da autoria de Louis J. sua caixinha de perfumes de alabastro e as fitas para trocar quando suas roupas vinham da lavadeira de volta para casa e havia alguns belos pensamentos escritos nele com a tinta roxa que ela comprava no Hely de Dame Street pois ela sentia que também podia escrever poesia se pudesse ao menos se expressar como aquele poema que a atraíra tão profundamente que ela o copiara do jornal que encontrara certa noite em volta das hortaliças. Magherafelt. Ela amava ler poesia e quando ganhou de lembrança de Bertha Supple aquele álbum encantador de confissões com uma capa rosacoral para registrar seus pensamentos ela o colocou na gaveta de sua penteadeira que. tão triste em seu encanto passageiro. umedecera seus olhos com lágrimas silenciosas pois sentia que os anos estavam lhe escapando. Pois Gerty tinha seus sonhos que ninguém conhecia. o sachet de rosa branca. autora de Mabel Vaughan e outros contos. os pentes de tartaruga. e não fosse por aquele defeito . desejarás tu jamais? e muitas vezes a beleza da poesia. seu emblema de filha de Maria.Avenue onde pares caminhavam e acendendo o lampião perto de sua janela por onde Reggy Wylie costumava dar voltas em sua bicicleta como ela lera naquele livro O Acendedor de Lampiões da senhorita Cummins. a sobranceleine. era escrupulosamente limpa e ordenada. um a um. e depois havia alguma coisa sobre crepúsculo. Walsh. embora não pecasse por excesso de luxo.

Todos os seus esforços se concentrariam em partilhar seus pensamentos com os dele. Ali estava a questão mais importante de todas e ela morria de vontade de saber se ele era um homem casado ou viúvo que perdera a mulher ou alguma tragédia do tipo daquela do nobre de nome estrangeiro da terra da canção que teve que a confinar num hospício. Mas mesmo que – e então? Faria grande diferença? Sua natureza refinada se afastava instintivamente de tudo que fosse o menos indelicado possível. Ela seria a mais querida do mundo inteiro para ele e enfeitaria seus dias com a felicidade. não: aquilo não. cruel apenas para ser generoso. Se ela visse aquele feitiço mágico nos olhos dele não haveria nada que a detivesse. Eles seriam apenas bons amigos como um irmão mais velho e a irmã sem tudo o mais apesar das convenções da Sociedade com um s maiúsculo. Mas ela sentia que isso tinha que terminar. Não. O amor se ri dos ferralheiros.físico ela sabia não precisar temer competição alguma e aquilo fora um acidente quando descia Dalkey Hill e ela sempre se esforçava por escondê-lo. degradando o sexo e sendo levadas para a delegacia de polícia. O antigo amor . Tentaria compreendê-lo porque os homens eram tão diferentes. Ela achava que compreendia. Ela desprezava aquele tipo de pessoa. Talvez ele estivesse de luto por uma antiga paixão de dias distantes além da recordação. as mulheres perdidas da calçada de prostituição ao lado de Dodder que iam com os soldados e homens grosseiros sem respeito à honra de uma moça. Ela faria o grande sacrifício.

Acontecesse o que acontecesse ela seria impetuosa. olhe. Mas Gerty estava inflexível.aguardando. – Venha. o único homem do mundo inteiro para ela pois o amor era o guia-mestre. num corre-corre. Gerty – chamou Cissy. Não tinha intenção de ficar à disposição delas. desimpedida. os ditames do seu coração que lhe diziam que ele era tudo para ela. seu sonho de amor. Canon O’Hanlon pôs o Santíssimo Sacramento de volta no tabernáculo e fez uma genuflexão e o coro cantou Laudate Dominum Omnes Gentes e então ele trancou a porta do tabernáculo porque a bênção havia terminado e padre Conroy lhe entregou seu chapéu para que o pusesse na cabeça e o gatoirritadiço Edy perguntou se ela não vinha mas Jacky Caffrey gritou: – Ó. Nada mais importava. aguardando com mãozinhas brancas estendidas. E eles todos desceram pela praia para ver acima das casas e da igreja. Edy com o carrinho com o bebê Boardman nele e Cissy segurando Tommy e Jacky pela mão para que eles não caíssem correndo. azul e depois verde e púrpura. – São os fogos de artifício do bazar. livre. com olhos azuis que apelavam. Cissy! E todos olharam seria um relâmpago difuso mas Tommy o viu também por cima das árvores ao lado da igreja. – São fogos de artifício – disse Cissy Caffrey. Se elas podiam correr como desmioladas ela podia ficar sentada então ela disse que . Ai meu coração! Ela seguiria.

um sortimento suave e delicadamente arredondado. sua respiração rouca. As mãos dele e o rosto se moviam e um tremor a percorreu toda. encontrando o seu olhar. Mas isso era completamente diferente de uma coisa como essa porque havia uma diferença total porque ela podia . Os olhos que estavam cravados nela aceleravam os batimentos de seu coração. um homem de honra inabalável até a ponta dos dedos. e uma luz a invadiu. Havia uma paixão ardente naquele rosto. Finalmente eles foram deixados a sós sem os outros para espreitá-los e fazer comentários e ela sabia que podia confiar nele até a morte. Por um momento ela olhou para ele. e lhe parecia ouvir o ofegar do coração dele. paixão silenciosa como um túmulo. e fez com que ela se tornasse dele. um homem estável. porque Bertha Supple lhe disse certa vez como segredo de morte e a fez jurar que nunca o desvendaria sobre o senhor do Congested Districts Board que era seu inquilino que tinha fotos recortadas de jornais daquelas dançarinas que levantavam as saias e jogavam as pernas para o ar e ela disse que ele costumava fazer uma coisa às vezes na cama não muito bonita como você podia imaginar.podia ver de onde estava. porque ela conhecia bem a paixão dos homens daquele tipo. de sangue quente. Ela se reclinou para trás para olhar para cima onde estavam os fogos de artifício e segurou o joelho com as mãos para não cair para trás ao olhar para cima e não se via ninguém ali apenas ele e ela quando ela revelou suas pernas graciosas e lindamente modeladas como eram. autêntico.

a quatro shillings e onze por serem brancas e ela deixou que ele visse e viu que ele via e então ele subiu tão alto que ficou fora da vista . E Jacky Caffrey gritou para olharem. olhem. o tecido que acaricia a pele. Além do mais havia absolvição desde que você não fizesse a outra coisa antes de se casar e deveria haver mulheres padres que compreenderiam sem que você o dissesse e Cissy Caffrey também tinha aquele tipo sonhador de olhar sonhador em seus olhos de modo que ela também. seus calções de cambraia. e Winny Rippingham tão louca por fotografias de atores e além disso era por conta daquela outra coisa que estava vindo do jeito que vinha. alto. e. e seu rosto estava coberto por um rubor divino e arrebatador por se esticar para trás e ele pôde ver suas outras coisas também. alto. alto. de um lado para o outro. lá estava ele e ela se inclinou ainda mais para ver os fogos de artifício e uma coisa estranha voava através do ar. E ela viu um longo foguete subindo acima das árvores.quase sentir ele atraindo seu rosto para o dele e o primeiro toque rápido e quente dos belos lábios dele. minha querida. melhor do que aquelas outras calças saiotes com fitas verdes. eles estavam todos sem fôlego de excitação enquanto ele subia cada vez mais alto e ela teve que se inclinar cada vez mais para trás para olhar para cima para ele. escura. alto. na quietude tensa. havia um outro e ela se inclinou para trás e as ligas eram azuis para combinar com as transparentes e todos o viram e todos gritaram para olhar. uma coisa suave. quase fora da vista.

E então um rojão saltou e atirou ruidosamente às cegas e Ó! então o foguete explodiu e foi como um suspiro de Ó! e todo mundo gritou Ó! Ó! extasiado e jorrou dela uma chuva de fios de cabelo dourado e eles se derramaram e ah! e eles eram todos estrelas orvalhadas esverdeadas caindo com dourado. de tímida reprovação que o fez corar como uma moça. estendido seus braços delgados e brancos como a neve para ele vir. um pequeno grito estrangulado. olhando. um olharzinho patético de piedoso protesto. Ó tão lindas. Ah! Ela olhou para ele enquanto se inclinava rapidamente para a frente. . Ela gostaria de ter gritado prazerosamente e embargadamente para ele. delicadas. para sentir seus lábios pousados em sua testa branca. Ele estava recostado de encontro à rocha que ficava atrás. arrancado dela.por um momento e ela tremia em todos os seus membros por ter se inclinado tanto para trás que ele tinha uma visão completa bem acima do joelho dela onde ninguém nunca nem sequer no balanço ou andando na água e ela não estava envergonhada e ele também não estava de olhar daquela maneira imodesta como ela só porque ele não podia resistir à visão da revelação maravilhosa meio oferecida como a daquelas dançarinas que levantavam as saias se comportando de forma tão imodesta diante de cavalheiros que as olhavam e ele continuava olhando. o grito de amor de uma jovem. suaves! Então tudo derreteu como orvalho no ar cinzento: tudo estava silencioso. aquele grito que ressoa através dos séculos. Ó tão suaves.

Venha. Podemos ver de lá de cima. e ela sonharia com isso até aquele momento. Era um adeus? Não. As almas deles se encontraram num último olhar prolongado e os olhos . imitando os rapazes no campo de futebol para mostrar que grande pessoa ela era: e então gritou: – Gerty! Gerty! Estamos indo. amanhã. Esse era o segredo deles. mil vezes não. para ele também uma palavra de perdão embora ele tivesse errado e pecado e vagado. Será que uma moça contaria? Não. só deles. com a cabeça inclinada diante daqueles olhos jovens e ingênuos. Deslizou a mão para dentro do seu bolso de lenço e retirou o chumaço e acenou em resposta naturalmente sem largá-lo e então o deslizou de volta. um dos pequenos ardis do amor. Ela se ergueu em toda a sua estatura. Precisava ir mas eles se encontrariam de novo.Leopold Bloom (pois é ele) se levanta em silêncio. Gerty tinha uma idéia. Cissy Caffrey assobiou. ali. Me pergunto se ele está longe demais para. desgraçado que ele era. sós no crepúsculo ocultador e não havia ninguém para saber ou contar exceto o pequeno morcego que voava tão suavemente através da tardinha de um lado para o outro e os pequenos morcegos não contam nada. Que selvagem ele fora! Fazendo isso de novo? Uma bela alma pura o chamara e. como ele havia respondido? Um completo cafajeste ele fora! Logo ele de todos os homens! Mas havia uma reserva infinita de misericórdia naqueles olhos. Ela se levantou. seu sonho da noite anterior.

pairaram enlevados no rosto delicado como uma flor. Estava mais escuro agora e havia pedras e pedacinhos de madeira na areia e algas marinhas escorregadias. faz com que elas se tornem sensíveis... Perto de suas regras. Bloom a observava enquanto ela partia mancando. Botas apertadas? Não. Achei que alguma coisa estava errada por sua aparência. Diabinha fogosa no entanto. um doce sorriso magnânimo. Mas as torna educadas. As virgens . tudo bem. Onde pus a carta? Sim. Aquela outra estrábica tem um aspecto frágil. Pobre moça! Esta era a razão pela qual era deixada de lado enquanto as outras corriam a toda velocidade. até o bebê Boardman. e então eles se separaram. sem olhar para trás ela desceu pela praia irregular até Cissy. Beleza rejeitada. até Jacky e Tommy Caffrey. Lentamente. até Edy. A moça no convento. um sorriso beirando as lágrimas. suponho. Contente por não o saber enquanto ela estava se mostrando. Uma curiosidade como uma freira ou uma negra ou uma moça de óculos. repletos de um brilho estranho. Toda sorte de desejos loucos.que atingiram seu coração. Ela é aleijada! Ó! O Sr. Ela caminhou com uma certa dignidade serena uma de suas características mas com cuidado e muito lentamente porque – porque Gerty MacDowell era. Tranqüila aquela freira me disse que gostava de cheirar petróleo. Lamber moedas. Ela lançou um meio sorriso lânguido para ele. Eu não me importaria. Estou com uma dor de cabeça tão forte hoje. Um defeito físico é dez vezes pior em uma mulher.

Porque elas próprias o desejam. Às vezes Molly e Milly juntas. Eles fotografam essas moças ou é tudo uma tapeação? Lingerie tem esse efeito. voz como uma picareta. Espiando. Alguma coisa no ar. Mas então por que todas as mulheres não ficam menstruadas ao mesmo tempo com a mesma lua. Seu de graça. É barato também. Estou toda limpa venha e me suje. Por que eu lhe comprei as . Onde foi isso? Ah.enlouquecem no final eu suponho. Excita-as também quando estão. Melhor mostrar reserva. De qualquer forma eu levei a melhor disso. Estou contente pra valer por não o ter feito no banho esta manhã ao ler sua carta tola com eu vou puni-lo. Não o quero e elas se atiram a você. Irmã? Quantas mulheres em Dublin têm isso hoje em dia? Martha. Isso é a lua. Aquele trapaceador do M’Coy me parando para não dizer nada. O chapéu de Willy e o que as meninas fizeram com ele. Imagens mutoscópicas em Capel Street: para homens apenas. Ó. Molly. ela. Uma compensação por aquele motorneiro esta manhã. E o compromisso da mulher dele no interior do país valise. E elas gostam de vestir uma a outra para o sacrifício. Uma pena que eles não possam se ver. Seu anseio natural. Grato pelas pequenas graças concedidas. Ou todas partem do zero e depois perdem o passo. sim. Toquei nas suas curvas por baixo do deshabillé. Um sonho de uma meia bem fornida. Pegá-las vivas. A princípio. Vesti-las todas para despi-las todas. Montões delas toda tardinha derramadas de escritórios. quero dizer? Depende da hora em que nasceram suponho. Milly se encantava com a nova blusa de Molly.

beijando e sussurrando segredos sobre nada no jardim do convento. Cada uma pondo defeito na aparência da outra. Esteja seguro agora e me escreva. vingativas também por aquilo que não podem conseguir. Então você não vai? Molly e Josie Powell. Tableau! Ó. Exceto no Oriente: Mary. Muda apenas quando você está na pista do segredo. com toucas frescas e seus rosários indo pra cima e pra baixo. então vão se ver uma vez na vida outra na morte. Ele usava um par de polainas na primeira noite em que nos encontramos. Presas por alfinetes. Sua bonita camisa estava brilhando debaixo de seu o quê? de azeviche. Certo chegue. Freiras com os rostos brancos lavados. Nenhuma oferta razoável recusada. Arame farpado. suas belas meias e calça de bainha revirada. E eu lhe escreverei. Nós também: a gravata que ele usou. Vestidas à perfeição para alguém. Até que o Sr. vê-la. Martha: agora como então. Ó.ligas roxas. veja quem é pelo amor de Deus! Como vai você afinal de contas? O que você andou fazendo consigo mesmo? Beijam-se e tão encantada em. Almas . Amigas na escola. Saem provavelmente em especul. A moda é parte do encanto delas. Você parece esplêndida. Acreditam na chance porque ela é como elas. Sempre atrás de um homem quando estão. Ela também não estava com pressa. Nunca esquecem um encontro. Diz-se que uma mulher perde um encanto com cada alfinete que retira. beijam-se. com os braços em volta do pescoço da outra ou com dez dedos entrelaçados. E as outras inclinadas a lhe dar uma estocada esporádica. Mairy perdeu o alfinete de sua.

Coce a sola do meu pé. faz estalar as cordas do violino. Fazê-lo gentilmente. Me pergunto se é mau ir com elas então. isso é delicioso! Eu o sinto também. Além disso dizem que se a flor que ela está usando murcha ela é uma namoradeira. Quando você se sente desse jeito você freqüentemente se depara com o que sente. Molly freqüentemente me dizia estar sentindo um peso de uma tonelada. Quantos lhe sobraram? Não emprestariam uma à outra sequer uma pitada de sal. Eu li alguma coisa sobre as plantas murcharem num jardim. Ouso dizer que ela sentiu que eu. Mostrando os dentes uma para a outra.irmãs. Todas são. Ora os galos e os leões fazem o mesmo e os veados. Não gostam de indivíduo grosseiro e de confusão. Beijar no escuro e nunca revelar. Não a deixei me ver de . Ah! São demônios quando dá aquilo nelas. com cachinho caindo sobre seu olho direito. Preciso prestar atenção à minha aparência na minha idade. Ó assim! Ó. Bom descansar de vez em quando. Prefere me ter como eu sou do que algum cara poeta de cabelo emplastrado e sebosocomourso. Têm um ar demoníaco e sombrio. Gostou de mim ou o quê? Para a roupa elas olham. Me pergunto o quê. Ajudar cavalheiro em trabalho literário. Calças? Suponhamos que eu quando eu estava? Não. Sempre se conhece o homem que está namorando: colarinhos e punhos. Azeda o leite. Ao mesmo tempo podem preferir uma gravata desfeita ou coisa semelhante. Seguro até certo ponto. Viu alguma coisa em mim.

É preciso contudo ficar livre daquilo de algum jeito. Ela fez. Feito. uma libra. Comprado assim para esconder seu rosto. Pesa na mente dele. Por que não? Suponhamos que ele lhe desse dinheiro. ela? Ó. Poeira. Consegui dez shillings pelos fios de cabelo de Molly quando estávamos na miséria em Holles Street. eu me lembro. Não. Cabelo forte no cio.perfil. Está começando a ficar frio e melado. aquela diabinha manca. Podia fazer eu mesmo. ele fez. Ah! Com mão cuidadosa o Sr. Engraçado meu relógio parou às quatro e meia. Ela tirou seu chapéu para mostrar seu cabelo. não é . A bela e a fera. Bloom recompôs sua camisa molhada. encontrando alguém que pudesse conhecê-la. mais. Moças bonitas e homens feios se casam. Marion. Mão atrevida: Sra. Talvez lisonjeadas. Elas não se importam. Efeito posterior nada agradável. Aquilo foi justo quando ele. abaixar a cabeça ou segurar um ramalhete de flores para esconder o rosto ao cheirá-las. Será que eu esqueci de escrever o endereço naquela carta como no cartão-postal que enviei para Flynn? E o dia em que fui a Drimmie sem gravata. Dentro dela. Além disso não posso ser tão se Molly. Eles usam óleo de fígado de tubarão para limpar. Assim mesmo nunca se sabe. Ó Senhor. Ela vale dez. Briga com Molly foi o que me pôs fora de mim. Tudo isso por nada. Vão para casa para um gostoso pãozinho com leitinho e rezam as orações da noite com os filhotes. Aba larga. O quê? Assim o penso. Economia. quinze. Ora. Por que não? Tudo preconceito. Richie Goulding: ele é outro.

que elas são? Vê-la como ela é estraga tudo. Cortina levantada. Isso foi a sidra. Suponhamos que eu falasse com ela. Ainda assim sinto. Uma boa idéia se você estiver engasgado. Depois faz você ter vontade de cantar. De outro modo eu não teria podido. Revelada em cena moça de seio sonhador. e você vir que ela corresponde: boa-noite. O nome também. Sobre o quê? No entanto um plano negativo se você não sabe como terminar a conversa. Amours de atrizes. Ó. Bracegirdle. Ó mas aquela tardinha escura na via Ápia em que eu quase falei com a Sra. Mas aí você fica sem saber para que lado se virar. É tão difícil achar uma que. A força que isso dá a um homem. ruge. Papagaios. Tudo errado naturalmente. Gostaria que ela não tivesse me chamado de senhor. E beijou minha mão quando eu lhe dei dois shillings a mais. É preciso o cenário do espetáculo. Ganha tempo. Ela chamou isso de meu transeiro. Nell Gwynn. Maravilhoso naturalmente se você disser: boa-noite. música. vestuário. Todas as coisas sujas que eu fiz ela dizer. Meu namoradinho venha me beijar. posição. a sua boca na escuridão! E você um homem casado com uma . Clinch Ó pensando que ela era. Sra. Faça a elas uma pergunta e elas respondem com outra. Maud Branscombe. Ai! Se você não responde quando elas lhe oferecem seu serviço deve ser terrível para elas até que elas fiquem calejadas. Lacaus esant taratara. Esplendor prateado do luar. Ainda bem que eu soltei lá atrás do muro ao sair da casa de Dignam. Aperte o botão e o passarinho vai chiar. É esse o segredo. Ufa! A moça em Meath Street aquela noite.

Adormeceu então. Molly. Fingir desejar alguma coisa terrivelmente. não disse nada. ele e ele. O primeiro beijo resolve a questão. Eu sonhava. Ela também. É assim meio piegas.moça solteira! É disso que elas gostam. Quinze anos me disse ela. Ela devia estar pensando em outra pessoa o tempo todo. Os primeiros pensamentos são os melhores. eu não acho. Causa de metade do problema. às escondidas. O quê? O pior está começando. Entre. Mas seus seios eram desenvolvidos. Mas poderia acontecer alguma vez. Isso foi depois do jantar de Glencree quando . Porque eu queria. Lembram-se disso até o dia de sua morte. O camarada no Burton hoje cuspindo fora a cartilagem mastigada. de dizer: eu quero fazer ou alguma coisa no gênero. Tirar um homem de outra mulher. Alguma coisa dentro deles estoura. Diferente comigo. Perguntam-lhe se você gosta de cogumelos porque ela conheceu certa vez um senhor que. em seguida desistir por amor a ela. No entanto se eu fosse até o último extremo. Como elas mudam de ponto quando não gostam. Comer do prato frio dele. Ou lhe perguntam o que alguém ia dizer quando ele mudou de idéia e parou. o tenente Mulvey que a beijou debaixo do Moorish Wall ao lado dos jardins. Ou até mesmo ouvi-lo dizer. A camisinha ainda na minha carteira de notas. Ofendê-la. O momento propício. Que mal há nisso? Desde que ela atingiu a idade da razão deve ter sido ele. é possível dizê-lo pelo olhar deles. Contente de escapar da mulher daquele outro camarada. está tudo preparado. Isso as deleita. Então fazer as pazes.

Boca feita para isso. bebês. esperando que alguma coisa aconteça. Lá está ela com eles ali embaixo para ver os fogos de artifício. Essas moças. Será que ela sabia o que eu? Naturalmente. tratamento para lábios grossos. O prefeito estava de olho nela também. Têm tempo bastante para compreender todos os caminhos do mundo. E as crianças. Diga o rato roeu a roupa quarenta vezes toda a manhã. Olhos bonitos eram os dela. Como Molly. claros. Não queria dar esse gostinho. Os espectadores percebem a maior parte do jogo. Por que aquela prostituta de alta categoria em Jammet usava seu véu somente até o nariz. Meus fogos de artifício. Faz parte da atividade delas. Apoplético. As mulheres nunca encontram alguém como aquele Wilkins no colégio desenhando uma Vênus com todos os pertences dele à . para baixo como uma vareta. animais. O senhor poderia. E a escura com aquela gaforinha e boca de negra. por favor. essas encantadoras moças da beira do mar. Val Dillon. Para cima como um foguete. Ela não olhou para trás ao descer pela praia. Rangendo os dentes no sono. Como um gato sentado fora do alcance do pulo de um cachorro. Querem ser gente grande. essas moças. me dizer a hora certa? Eu vou lhe dizer qual é a hora certa na alameda escura. Eu sabia que ela podia assobiar.voltamos de carro para casa. É o branco do olho que ressalta isso não tanto a pupila. Monte Featherbed. Vestindo as roupas da mãe. Fazendo festa no menininho também. Naturalmente elas entendem os pássaros. devem ser gêmeas.

Quando eu disse a Molly que o homem na esquina de Cuffe Street era bem-apessoado. Onde é que elas conseguem isso? A datilógrafa subindo de dois em dois degraus a escada de Roger Greene para mostrar suas pernocas. Com quem você aprendeu isso? Com ninguém. É passado de pai para. ela observou imediatamente que ele tinha um braço falso. pensei que ela gostaria. Afiadas como agulhas elas são. Milly por exemplo secando seu lenço no espelho para evitar passá-lo. mesmo. Jovem estudante. E quando eu a mandei a Prescott para buscar o xale de Paisley de Molly. logo antes de partirmos de Lombard Street oeste. Olham debaixo da cama em busca do que não está ali. trazendo para casa o troco na meia! Atrevidinha inteligente. E tinha. para deixar o sangue fluir de volta quando ela estava vermelha. É inato. Mullingar. O melhor lugar para um anúncio é um espelho para atrair o olhar de uma mulher. quero dizer. Uma coisinha assim atrai os homens. Também a maneira caprichosa com que ela carregava os embrulhos. Levantando a mão. De qualquer . de mãe para filha. aquele anúncio. a sacudindo. Loucas para levar o susto de suas vidas. Eu nunca disse isso a ela. Chama-se isso de inocência? Pobre idiota! Sua mulher tem seu trabalho feito a calhar para ela. o que é que elas não sabem! Aos três anos de idade ela estava diante da penteadeira de Molly.mostra. por falar nisso eu preciso. Têm mil olhos. Uma coisa que a babá me ensinou. Mim ter uma cala binita. Quem sabe? Os caminhos do mundo. Nunca as vejo sentadas num banco marcado Tinta fresca. Ó.

eu vi. sua. esticadas a ponto de se rasgar. Ou aquela de Grafton Street. Excitação. Quando ela se reclinou para trás. Ela farejou alguma coisa. Meu Deus! Foi tudo junto. Não como aquela frangalhona de hoje. Em vez de falar sobre nada. Meu Deus! Mesmo assim me fez bem. Querida. Podia ser um nome falso como o meu nome e o endereço do Dolphin Barn um subterfúgio. Será que por acaso não podia ser? Não. Diaba que você é. Eu vi tudo. Em Hamlet. Poderia ter feito um papel de bobo ainda maior contudo. Sua cabeça ela simplesmente gira. Brancas. E.jeito firme em suas pernas não como a outra. A. Não estava me sentindo bem depois de Kiernan. Meu Deus. Meias enrugadas. Zrads e zrads. salpicando suas crepitações dardejadas. O arredondado de sua barriga da perna. estou todo molhado. E Cissy e Tommy e Jacky correram para ver e Edy atrás deles com o carrinho do bebê e então Gerty além da curva das rochas. é isso aí. de Dignam. Uau! Perna grossa. zrads. Seu nome de solteira era Jemina Brown E ela morava com sua mãe em Irishtown. eles a chamaram de Gerty. Assim mesmo foi uma espécie de linguagem entre nós dois. Meias transparentes. Por esse alívio muito obrigado. Um rojão estourou. zrads. Ele está certo. Será que ela? Observe! Observe! Veja! Olhou à volta. Ainda assim ela era esperta. . senti uma dor na ponta da minha língua. Então vou lhe contar tudo.

Preciso dar um pulo no hospital. Enchêla de vento. E a Sra. Crânios como cocos. Limpando as canetas em suas meias. lavar um cadáver. No escuro fica aquilo no seu nariz. Duggan no City Arms. As mãos das crianças sempre agarradas nelas. Dignam.O lugar me fez pensar nisso creio. Ela costumava inspecionar algumas noites quando Molly estava no Coffee Palace. Os frangos vêm para o galinheiro para se . Mas a bola rolou para ela como se compreendesse. Isso as mantém a salvo. Breen e a Sra. o bafo de bebedeira bolorenta. Então pergunta de manhã: eu estava bêbado ontem à noite? Não é uma boa política no entanto culpar o marido. Marido rolando para casa bêbado. o doutor O’Hare. Todas farinha do mesmo saco. casadouras. A natureza. Lavar uma criança. a princípio nem sequer fechados. macacos. fedor de bar se exalando dele como um cangambá. Isso as salva. A Sra. leite azedo em seus cueiros e coalhos manchados. Toda bala tem seu destino. Torto como um chifre de carneiro. Beaufoy. O pior de tudo é à noite me disse a Sra. É pena contudo que levem apenas alguns anos até que se acalmem e comecem a lavar a louça e as calças de papai daqui a pouco vão servir para Willy e o pó de licopódio para o bebê depois de segurá-lo para fazer ps ps. Dignam foram também algum dia desse jeito. Me pergunto se a enfermeira Callan ainda está lá. Eu a vi certa vez escovando o paletó daquele médico jovem. Não deviam ter dado uma teta vazia para aquela criança sugar. É evidente que na escola nunca consegui atirar nada reto. Purefoy. Não é um trabalho ameno.

Mãos apalpavam as opulências. Têm seus próprios segredos entre eles. Me pergunto se há alguma influência magnética entre a pessoa porque essa era mais ou menos a hora em que ele. com seus maridos pequeninos. Também seu porte. Esta umidade é muito desagradável. É a força do destino. eu creio. você não saberia como chamá-la. ficar apaixonado. Ele grande ela pequena. Então aquelas moças pedacinhos de gentes. Uau! Por outro lado um homenzarrão de seis pés de altura com uma mulherzinha da altura de sua cintura. Enquanto o gato está longe. do tamanho de um vintém. Basta comparar por exemplo com aquelas outras. Homens que seriam entregues às baratas se alguma mulher não lhes desse a mão. imediatamente. Casar em maio e se arrepender em dezembro. o esqueleto escondido no armário. Melhor destacar. Às vezes os filhos vêm a ser um sucesso. Mouresco. É o sangue do sul. Sim. Duas vezes zero dá um. É aí que Molly pode derrubar uma porção delas. Permita-me apresentar minha. Eles ficam fiéis um ao outro como grude. O comprido e o curto. Muito estranho o negócio do meu relógio. Então eles lhe exibem um tipo de coisa indefinível. o corpo.empoleirar. Talvez também seja culpa das mulheres. Os relógios de pulso estão sempre enguiçando. Assim como Deus os fez assim os casou. Ora o prepúcio não voltou para o lugar. os . Grudou. Ou um velho ricaço de setenta anos e uma noiva tímida. Mulher trancada em casa. É em sua mulher que se descobre sempre o ponto fraco de um homem.

Molly. Como o de flores. Era demais. Porque está tudo organizado. Vinha da terebintina provavelmente na tinta. Um pedacinho de ferro de aço. Trepar. Isso provoca o movimento. Giuglini começou assim. como um espirro que vem. nas estrelas. A Terra por exemplo atraindo isso e sendo atraída. Elas se arrumam todas e olham e sugerem e deixam você ver e ver mais ainda e o desafiam se você é homem para ver isso e. Eu me lembro de ter olhado em Pill Lane. Ficam com . bem esse é o tempo que o movimento leva. Então se uma coisa parasse todo o espetáculo pouco a pouco pararia. Mais aborrecida por causa de um furo na meia. E quando os pintores estavam em Lombard Street oeste. a cabeça virada pra trás por causa de um fazendeiro de botas de cavalgar e esporas. Garfo e aço. Molly na feira de cavalos. Me pergunto o que ela está sentindo naquela região. Elas tiram partido de tudo. A agulha magnética lhe diz o que está acontecendo no sol. as pernas. Ao mesmo tempo ao fazer isso ela esfregava seu chinelo no soalho para que eles não ouvissem. ele. Homem e mulher é isso aí. Por trás de tudo o magnetismo. creio. Venha. Violetas. Senti o cheiro do que eu fiz. olhe. Mas muitas delas não experimentam orgasmo. A vergonha de toda a encenação é de ser diante de terceiro. Quando você estende o garfo. Tem de deixar voar.camundongos brincam. Trepe. olhe e isso se você tiver peito. Bela voz tinha aquele camarada. Venha. com o maxilar inferior projetado para a frente. Isso também agora é magnetismo. E o tempo.

Como se estivesse dando uma volta por todo o meu corpo até a metade de minhas costas. é isso aí. não é? Ou mau? A luz também. O . Hum. Doce e barato: em breve azedo. e elas estão sempre o tecendo e tirando para fora de si. Rosas. Por que Molly gosta de opoponax. como as cores do arco-íris sem que elas se apercebam disso. Espere. É como um véu fino fino ou teia que elas têm por sobre toda a pele. Coisa misteriosa também. O pé de suas meias. Por que ela acenou com a mão. Suas notas elevadas e suas notas baixas. Vou lhe dizer o que é. misturado com um pouco de jasmim. Ela gostaria de um odor desse tipo. Eu deixo isso para você para pensar em mim quando eu estiver longe sobre o meu travesseiro. Por que eu só senti o cheiro agora? Levou tempo em vir como ela própria. Porque aquelas ilhas Molucas. Seus sapatos quentes. Sim. sentimos o seu cheiro a léguas de distância. Sim. Suponhamos que haja muitos milhões de grãos minúsculos soprados pelo vento na atmosfera. essas cingalesas esta manhã. dança das horas. lento mas seguro. Por exemplo se você entrar numa adega que esteja às escuras. Suponhamos que haja alguma conexão. fino como o que você chama de gaze. Esse perfume é o dela. O que é isto? Heliotrópio? Não. fino como tudo. Jacinto? Hum. eu creio. Hum. O calor revelava seu perfume. Ela estava com seu vestido preto e ele conservava o perfume da vez anterior.aquela coisa em suspenso durante horas. Agarra-se a tudo que ela despe. Bom condutor. Combina com ela. Na noite da dança ela o conheceu.

Uma bolsa debaixo de seus rabos. Hálito? É o que você come e bebe que produz isso. Quero dizer. Deve ter ligação com isso porque os padres que se supõe sejam celibatários são diferentes. E o . Fonte de vida. O gato também gosta de cheirar a camisa dela na cama. Se atravancam na grade do altar para chegar a qualquer custo até ele. pai. o senhor quer? Deixe-me ser a primeira a. Baibai até a próxima vez. A árvore do padre proibido. penetra. Nós somos iguais. Cães cheiram o traseiro um do outro. Ali ou nas axilas ou debaixo do pescoço. Me pergunto onde realmente fica alojado. Porque você o exala por todos os orifícios e cantos. Algumas mulheres. Ó. por exemplo. Hum. Perfume de jacinto feito de óleo de éter ou coisa semelhante. Então você recebe um cheirite de matar. avisam quando estão menstruadas. Me lembra morangos com creme. A água do seu banho também. As mulheres zumbem em volta disso como moscas em volta de melado. Noite. para retirálas. Rato almiscarado. Talvez elas sintam um cheiro de homem em nós. Qual porém? Outro dia as luvas cheirando a charuto do comprido John estavam sobre a sua mesa. Isso se difunde por todo o corpo. Boa-noite. Um grão exala um odor que se estende por anos afora. Eu conheço o seu cheiro entre mil outros. Sim agora. Chegue perto. Os animais se guiam por isso. Como o quê? Arenques enlatados estragados ou. Muito bem. As calçolas: um pequeno chute. obrigado. Buuf! Por favor não pise na grama. cheirodehomem. Não. vejamos desse jeito.espartilho. Como você cheira? Hum.

Existem camaradas que esticam a conta o mais que podem e então escapolem pelas ruas de trás para consumir em outro lugar. Parece destroçado: deu uma boa comilança. Hum. Ah. Dois shillings e nove. Desde que as . Poderia impedi-lo de me dar crédito uma outra vez. Vou procurá-lo amanhã. Ação de graças depois das refeições. Abertura de seu colete. Desfrutando agora da natureza. Hum. No entanto se ele publicar aquele parágrafo. Depois do jantar andar uma milha. isso é o sabonete. É limão. Ainda assim se aprende alguma coisa. Terá má impressão de mim. Hynes podia ter me pago aqueles três shillings. Ó por falar nisso aquela loção. Sempre em casa na hora do jantar. Soprado da enseada. Perdem-se os fregueses desse jeito. Ver a nós mesmos como os outros nos vêem. Com certeza ele tem uma pequena conta bancária em algum lugar. É assim nos bares. Eu sabia que havia alguma coisa na minha mente. Não. Bloom inseriu seu nariz. Amêndoas ou. Não voltei mais lá e o sabonete não foi pago. governamental. Deixeme. senhor. O Sr. Foi lá apenas e voltou. Eu podia mencionar Meagher só para lhe lembrar.cheiro é extremamente curioso. Ah não. Não gosto de carregar garrafas como aquela velha bruxa desta manhã. sit. Molho de aipo. Andar atrás dele agora fazê-lo se sentir constrangido como aqueles meninos-jornaleiros fizeram eu me sentir hoje. Quanto eu lhe devo? Três shillings e nove? Dois e nove. Dentro da. Eis aqui o nobre senhor com o qual cruzei antes.

ciclistas: hora de se iluminar. O corpo sente a atmosfera. Grace Darling. Ainda há dois tipos de pessoas com os quais você se depara. Alguma luz ainda. violeta. laranja. Salva-vidas. São sinais de chuva. O farol de Bailey. Pergunte a si mesmo quem ele é agora. Não. Estradas do interior. amarelo. Não o vai machucar. Calos no seu destino no entanto. oito. Também vagalumes. O leitor real. As jóias de diamantes cintilam melhor. As juntas da velha Betty estão sofrendo torturas. seis. Melhor momento para se molhar as plantas também na sombra depois do pôr do sol. Pagamento na base de um guinéu por coluna. Os raios infravermelhos são os mais longos. . Estou vendo uma estrela. Corpos saudáveis talvez absorvam toda a. E as colinas distantes parecem se aproximar. Dizem que assobiar traz chuva. E aquele camarada hoje junto do túmulo com um impermeável marrom. Roygbiv Vance nos ensinou: vermelho. verde. Deve haver alguma em algum lugar. A profecia da Mãe Shipton que é sobre os navios à volta eles voam num piscar. Mulheres. Melhor agora naturalmente do que muito tempo atrás. azul.mulheres não caçoem de nós o que importa? Essa é a maneira de o descobrir. Pessoas com medo do escuro. quatro. índigo. história premiada do Sr. Leopold Bloom. Os carrancudos ou os sorridentes. Dois. O Homem Misterioso na Praia. Cortavam o seu pescoço sem qualquer motivo. Veja. nove. Perdão! De nada. Sal na umidade do Ormond. A luz é uma espécie de tranqüilizante. Howth. Tem de mudar ou eles poderiam pensar que se trata de uma casa.

Não. Desabrocham como flores. sentar nessa pedra. Agarram-se a tudo que oferecem. Quando chega a três já é noite. O ano retorna. A história se repete. Começo a gostar delas nessa idade. sentados. Elas sentem tudo isso. Eu mesmo poderia ter hemorróidas. Se agarra também como um resfriado de verão. Pôr do sol do Homerule no sudeste. O sereno caindo. Cadeiras felizes debaixo delas. Espere. Duas. Mas é a influência do entardecer. Fricção pela posição. girassóis. Aquelas nuvens noturnas estavam ali o tempo todo? Parecem um navio fantasma. Vida. Cortes por grama ou papel os piores. Miragem. . boa-noite. viagem ao redor do seu mundinho. candelabros. conhecem seu momento. você não sabe como estava linda. avenidas sob os lampiões. amor. Minha terra natal. ferida na boca. Gostaria de ter um quadro a óleo dela de corpo inteiro naquele instante. Suponho que é a única idade em que cruzamos as pernas. nos salões de baile. Nunca ter um bebezinho então a menos que ele seja suficientemente grande e forte para abrir caminho através. querida. Foi naquele mês de junho que eu também lhe fiz a corte. Também hoje na biblioteca: aquelas moças graduandas. Seriam árvores? Uma ilusão de ótica. Provoca fluxos vaginais. Maçãs verdes. Terra do pôr do sol essa aí. Eu gostaria de ser aquela rocha em que ela se sentou. Ó penhascos e cumes aqui estou eu mais uma vez com vocês. As belas da noite no jardim de Mat Dillon onde eu beijei o ombro dela. topinambos.Vênus? Ainda não o posso dizer. Ruim para você. Ó minha doçurinha.

Nada de novo sobre a Terra. Espantoso que ela seja filha única e eu filho único. Eu sou talvez um tolo. Os rododendros. Minha juventude. Elas se aproveitam disso.E agora? Triste por ela ser aleijada naturalmente mas preciso ficar na defensiva para não sentir piedade demais. . Eu quero algo novo. Os nomes mudam: é só isso. sua safadinha. Será que vou me levantar? Ó espere. Só acontece uma vez. Aos cuidados de P. E logo quando ele e ela. E o velho major. Onde eu entro nessa. Onde nós. É como quando somos crianças e vamos a uma casa pela segunda vez. Cavalo de circo andando em círculo. Dolphin’s Barn. Atty. Quando você pensa que está escapando você volta para si mesmo. Toda a minha virilidade se escoou. Hetty. Você não está feliz em sua? Meu querido travesso. Mat Dillon e seu bando de filhas: Tiny. R. Isso foi em oitenta e sete. Tudo sossegado agora no Howth. Floey. Charadas em Dolphin’s Barn na casa de Luke Doyle. Maimy. apreciador de seus bons tragos. Tudo que essa velha colina já viu. Os amantes: niam. Não. Ou a dela. Nós representamos Rip van Winkle. niam. Van: a caminhonete do padeiro fazendo entrega. Rip: rasgão no sobretudo de Henny Doyle. As colinas distantes parecem. Estou me sentindo cansado agora. Tomar o trem para lá amanhã. Ele fica com as ameixas e eu com os caroços. Um ano antes de nós. A volta nunca é a mesma coisa. Ela me beijou. Molly também. E assim se retorna. Louy. Nunca mais. A volta por maior que seja é o caminho mais curto para a casa.

Eu me lembro do engano de avaliação quando eu estava em Thom. Ahah. Eles têm duas casas. Orai por nós. Muito provavelmente. A arma dele enferrujada pelo orvalho. creio. Esquecido. tão cego. Ahah. Lá em cima no campanário. Eles acreditavam que por desgosto você podia ser transformado numa árvore. Ela observava apoiada no aparador. Ahah. Ele é como um homenzinho com uma capa de mãos mínimas. Pensa que sou uma árvore. E orai por nós. Olhos mourescos.Winkle: conchas e moluscos. Podia ouvi-los todos rezando. Tudo é instinto é como aquele passarinho sedento que conseguiu beber a água do fundo de uma jarra jogando pedras nela. Os jovens estão velhos. O irmão de Gabriel Conroy é um cura. Eles são uma raça híbrida. E orai por nós. Ossos minúsculos. E compre de nós. Vinte anos adormecida no Antro do Sono. Lá vai ele. Uma boa idéia essa repetição. Pequeno mendigo divertido. Chorão. com uma espécie de branco . A mesma coisa com os anúncios. Quase os vejo tremulando. Parece que a missa terminou. a luz ou o barulho? Melhor ficar sentado quieto. Suspenso pelas patas em odor de santidade. O que é isso que está voando? Uma andorinha? Provavelmente um morcego. A refeição frugal deles. Sim. Em seguida eu fiz Rip van Winkle voltando. há luz na casa do padre. É o vinte e oito. O que os assusta. De novo. O sino o assustou. Os pássaros não têm olfato? Metempsicose. Compre de nós. Tudo mudado. Me pergunto por que eles saem à noite como camundongos. Me pergunto onde ele mora. Pássaros são como camundongos saltitantes.

Corpo de cinqüenta cores diferentes. Faugh a ballagh! Fora . Vidro reluzindo.azulado. Não é verdade. Muitos deles devem ser mortos pelas tempestades. Foi assim com aquele homem sábio como é o nome dele com o vidro em chamas. Insetos? Aquela abelha na semana passada entrou na sala e brincou com a sombra dela no teto. Forças brutas de vapores cruzando os oceanos que chapinham na escuridão mugem como vacas marinhas. Arquimedes. Eles precisam de nervos para voar por sobre os oceanos e voltar. Quem sabe por que eles estão sempre voando. Cor de turfa marrom. Ahah. Nunca descubro. Podia ser aquela que me mordeu. Que vida pavorosa também têm os marinheiros. Não podem ser fósforos de turistas. Por exemplo. Os pássaros também. É isso! Minha memória não está tão ruim assim. Aquela gata branca amarela e preta no City Arms com uma letra eme na testa. As cores dependem da luz em que são vistas. Quer deixar sua marca de fabricação em tudo. Como nossa conversa fiada. E ela diz e ele diz. Então a urze pega fogo. O quê? Talvez os talos secos se esfreguem uns nos outros ao vento e à luz do sol. que voltou para ver. Olhe por exemplo fixamente para o sol como uma águia e depois olhe para o sapato e verá uma bolha como um borrão amarelado. fios telegráficos. Algum tempo atrás Howth estava ametista. aquele gato esta manhã na escada. Dizem que nunca se pode vê-los com três cores. Ou o que eles dizem. Ou garrafas quebradas nos tojos como um espelho ardendo sob a ação do sol.

Não é minha culpa. Bem. Há alguma coisa em todas essas superstições porque quando você parte nunca sabe que perigos. com um colete de salva-vidas à volta dele. Casados também. lançada à volta como rapé num velório quando os ventos tempestuosos sopram. e essa é a última de suas façanhas até que os tubarões se apoderem dele. tripulação e carga em estilhaços. Uma última vela solitária vagou céu acima do bazar Mirus por fundos para o hospital Mercer e se . um mar manso. A âncora é levantada. engolindo água salgada. com um pedaço de lenço como vela. Se ele jamais voltar.com isso. o cofre de Davy Jones. Pendurado numa prancha ou montado numa viga com todas as forças. E o tefilim não como é que eles o chamam que meu pobre papai tinha na sua porta para tocar. Isso nos tirou das terras do Egito e nos trouxe para a casa da servidão. Ela tem um bom emprego se tiver cuidado até que Johnny volte novamente para a casa. plácido. raios os partam! Outros em embarcações. Ele parte navegando com um escapulário ou uma medalha no peito para dar sorte. seu velho pretensioso. Farejando as ruelas dos portos. Realmente sem fim porque é redondo. Como é que eles podem gostar do mar? No entanto eles gostam. Uma mulher em cada porto dizem. a lua olhando para baixo tão tranqüila. Às vezes longe de casa durante anos em algum lugar nos confins do mundo. Será que os peixes ficam algum dia enjoados? Então se tem uma bela calmaria sem uma nuvem.

Ao longo das janelas iluminadas. Foguete e bóias e barco salva-vidas. Ursos no . O conselho que controla de Irish Lights. dando sua batida dupla sempre bem-vinda. respirando profunda e lentamente. E ao longe o navio farol ancorado no Kish Bank faiscou. Alvoroçado o morcego voava aqui. ia o carteiro das nove horas. cinzenta. jogamos para eles o saco com jornais velhos. A hora do pastor: a hora de recolher as ovelhas ao aprisco: a hora do encontro marcado. Ele estava deitado mas abria um olho vermelho desperto. piscou para o Sr. e irradiou um feixe de estrelas violeta com a exceção de uma branca. cansado dos dias longos. Elas flutuaram. sonolento mas acordado. Guardas costeiras também. chorosa: Evening Telegraph. No dia em que nós fizemos um cruzeiro a bordo do Erin’s King . com a lâmpada de vagalume na cintura fulgurando aqui e ali através das sebes de loureiro. E entre as cinco jovens árvores de Leahy’s Terrace a candeia içada do iluminador acendeu o lampião.desfez. Bloom. Lá longe por sobre a areia a arrebentação vinha e deslizava. fixos no mesmo lugar. eriçar suas ervas de samambaia. ao longo dos jardins simétricos uma voz estridente gritava. dos rododendros niamniam (ele estava velho) e sentia contente a brisa da noite se elevar. Que vida aqueles caras devem ter lá. De casa em casa. Howth se preparava para dormir. com as últimas notícias! Resultado das corridas do Grande Prêmio! e da porta da casa de Dignam um menino saiu correndo e chamou. caindo. caíram: sumiram aos poucos. voava ali. Penitência por seus pecados.

Suas dores de crescimento à noite. Mamãe! Mamãe! Crianças perdidas no bosque.zoológico. Eu me lembro do seu primeiro espartilho. Meu querido paizinho. Mais perto do coração? Põem enchimentos se a moda for tê-los grandes. O meu também. O do lado esquerdo é mais sensível. me chamando. Com seu cachecol azul solto. Vomitando de bordo para alimentar os arenques. E as mulheres. rindo. Não têm idéia do que seja a morte nesta idade. Jogá-las para cima no ar para pegá-las de volta. . Me fez rir vê-lo. É só de brincadeira? Ou crianças brincando de guerra. Como é que as pessoas podem empunhar armas contra as outras. Tudo isso a mão lhe diz quando você a toca. Náusea. Pobres garotos! Seus únicos problemas são sarampo e urticária. nenhum sinal de medo. Que passeio infecto. Bêbados fora para sacudir seus fígados. creio. Elas têm os mesmos dentes. Depois disso dormi melhor de encontro a Molly. Totalmente convictas. Assustá-las também com máscaras. Tiquetaqueando. Purgante Calomel que eu comprei para ela. Quando nos escondemos atrás da árvore em Crumlin. me acordando. Eu não queria. Milly. Mas quando se perdem ficam assustadas. Adorava contar os botões do meu colete. E então com os estômagos limpos. O que elas amam? Uma outra delas mesmas? Mas de manhã ela a enxotou com o guarda-chuva. Mamilos pequeninos para começar. Talvez para não a machucar. Eu vou te matar. A mão era pequena: agora é grande. Tomei o seu pulso. com pavor do castigo de Deus em seus rostos. Às vezes elas disparam.

Ou? Não. El hombre ama la muchacha hermosa. Buenas noches. Gibraltar. Os pássaros marinhos gritando. Vou dar um pulo no hospital para ver. o banho. Talvez não tivesse intenção de me . a canção de Dedalus. mas clara. Tarde demais para Leah. Suponhamos que ele me tivesse atingido. Encaremos isso de outro modo. Esses bêbados vociferadores o que eu disse a respeito do Deus dele o fez estremecer. Estava olhando para o mar no dia em que ela me disse. Não é tão ruim assim. Uma tardinha como esta. Visão que se tinha de Buena Vista. Traz de volta a sua meninice. Este tempo o embrutece. Espero que ela já esteja livre. Eu sempre pensei que ia casar com um lorde ou um cavalheiro rico vindo com um iate. disparo de canhão para o recolhimento dos homens da guarnição. Pobrezinha! Um momento difícil também para a mãe. A torre de O’Hara. Pela luz deve estar se aproximando das nove. sem nuvens. Medo de ficar sozinhos como uma criança de dois anos. Martha. Um dia longo esse meu. o enterro. a casa de Keyes.Ficou assustada quando menstruou pela primeira vez. Em seguida aquele energúmeno no Barney Kiernan. Eu lhe dei o troco. Um erro devolver-lhe o golpe. o museu com aquelas deusas. Melhor não ficar entalado aqui a noite toda como um molusco. Poderia ainda estar de pé. Por que eu? Porque você era tão diferente dos outros. señorita. Não. O velho macaco de Barbary que devorou toda a sua família. Lily of Killarney. Pôr do sol. Ir para casa. Querem sempre se embebedar na companhia de outros. Deviam ir para casa e rir deles mesmos.

Imagine só isso de manhã cedo perto de você. Sua migalha de viúva. A mulher e os filhos do pobre homem O’Connor envenenados por mariscos. Aquela viúva na segunda-feira não foi que estava do lado de fora de Cramer e olhou para mim.machucar. dizem. De qualquer forma ela precisa do dinheiro. Três vivas para Israel. Mesmo estilo de beleza. Amemos. P. O que é de gosto regala a vida como disse Morris quando beijou a vaca. E então? O que você espera que ela faça? Precisa adular. com três dentes na boca. Tenho que ir naquelas Viúvas Escocesas como prometi. Levá-lo a reboque. Calções de senhoras de flanela cinza. eu não. Desesperado. Três vivas para a cunhada que ele apregoou nas ruas. Parece tão desamparado. Vejo ele às vezes perambulando tentando descobrir quem lhe pregou uma peça. com um rosto de lua cheia e um grande avental.: para cima. Enterrou o pobre do marido mas vai se virando com o seguro. Uma companhia particularmente encantadora para tomar chá. Feia: nenhuma mulher acha que é. Isso é o destino. Detesto ver um viúvo. uma pechincha espantosa. Não tem jeito. amada para sempre. Uma boa matrona de chapeuzinho redondo para cuidar dele. A irmã da mulher do selvagem de Bornéu acabou de chegar na cidade. C. Casas de luto são tão deprimentes porque nunca se sabe. Nome muito estranho. O mesmo acontece com uma loja como freqüentemente . Ele. Mas Dignam meteu os pés pelas mãos. Feiosa e amada. Assume que nós vamos bater as botas primeiro. mintamos e sejamos belas pois amanhã morreremos. a três shillings o par.

Deve voltar. Pode ser que permaneça. Turca.observei. E se ela usar? Será que eu gostaria de vê-la de pijama? Danado de difícil de responder. Melhor ir embora. Ela tem o que por dentro delas. Preciso fechar negócio com aquele anúncio de Chaves. O barco-correio. O quê? Eu. Ela estava com uns chinelos vermelhos. Aproximou-o dos olhos e examinou. Página de um caderno velho. Utilizar Hynes e Crawford. Parece perseguido por uma maldição. Garrafa com história de um tesouro. Crianças sempre querem atirar coisas no mar. Não sou mais tão jovem. Estou cansado para me mexer. Remessa de pacotes. Anáguas para Molly. Melhor. Bloom se inclinou e revirou um pedaço de papel na areia. Estava usando calções. Confiança? Pão atirado ao mar. Vou escrever uma mensagem para ela. O Sr. O que é isso? Pode ser dinheiro. Nannetti partiu. E eu voltarei? Com sua vareta o Sr. Bloom remexeu gentilmente a areia grossa a seus pés. Será que ela vem aqui amanhã? Esperar por ela em algum lugar para sempre. Sonhei ontem à noite? Espere. Os assassinos voltam. Algum vagabundo de pé chato vai pisá-la de . Ó! Essa fêmea me exauriu. Quem poderia contá-los? Nunca se sabe o que se vai encontrar. Perto de Holyhead agora. O que é isso? Pedacinho de vareta. Não consigo ler. Todos esses furos e seixos. atirada de um naufrágio. Alguma coisa confusa. Carta? Não.

Eu me inclino. Fez de propósito a metade. Em volta do Kish em oitenta dias. sopro nele. A vareta caiu sobre a areia lodosa. Fez que eu me sentisse tão jovem. Sou. Um. Nunca nos encontraremos novamente. porém. querida. Agora se você tentasse fazer isso durante uma semana sem parar não conseguiria. Deixa pra lá. aquelas transparentes! Além disso elas não sabem. A maré vem até aqui. Uma coisa inútil a areia. Mas novamente.manhã. um espelho escuro. O Sr. ele se move. Apenas uns poucos. Nem mesmo a fumaça. Qual é o sentido daquele outro planeta. Agora uma soneca se eu tirasse seria ótimo. Tudo some. Adeus. Ele atirou sua caneta de madeira para longe. Exceto as barcaças de Guinness. Ó. Eu não vou. Nunca é a mesma coisa. Nada cresce nela. uma corrida de volta para Ennis. Devem ser quase nove horas. Não vou dormir. Bloom apagou as letras com uma bota vagarosa. Meio sonhando. Uma corrida para lá. E Belfast. Inútil. Que ele o faça. Eu o chamei de menino levado porque eu não gosto. vejo meu rosto ali. . Mas foi gostoso. O barco para Liverpool já partiu há bastante tempo. Vi uma poça perto do pé dela. Acaso. Nenhum receio de que grandes veleiros venham até aqui. Fez mesmo. Todas essas rochas com linhas e cicatrizes e letras. ficou fincada. Vou apenas fechar os meus olhos por um momento. E ela pode fazer a outra coisa. Obrigado. Não tem espaço. Inofensivo. Destruída pela água.

respirou. O Sr. Aqui. Apenas por alguns Cuco Cuco Cuco. estavam tomando chá com pão e manteiga e costeletas fritas de carneiro com molho de tomate e conversando sobre Cuco Cuco Cuco porque foi um pequeno canário que saiu de sua casinha para dizer a hora que fez Gerty MacDowell notar o tempo em que estava ali porque ela era viva como ela só a respeito dessas coisas. Um morcego voou. O relógio no consolo da lareira da casa do padre arrulhou onde Canon O’Hanlon e padre Conroy e o reverendo John Hughes S. . seu pé esquerdo coberto nos lados de areia. Longe no céu cinzento um sino repicou. Bloom com a boca aberta. Ali.Ó queridinha todo seu branquinho de moça para cima eu vi a sua cinta suja me fez fazer amor pegajoso nós dois levada Grace querida ela ele quatro e meia a cama metem psi coisas anáguas para Raoul para perfumar cabelos negros sua mulher agitar sob a corpulên señorita olhos jovens Mulvey fartos seios eu caminhonete de padeiro Winkle chinelos vermelhos ela sono enferrujado perambular anos de sonho voltar no final Agendath desfalecida amada me mostrou seu próximo ano de calçolas retornar proximamente em seu próximo seu próximo. J. se inclinou. isso Gerty MacDowell era. Aqui.

.e ela notou imediatamente que o cavalheiro estrangeiro que estava sentado nas rochas olhando era Cuco Cuco Cuco.

Pois quem é que existe que . Hurra meninoummenino hurra! Hurra meninoummenino hurra! Hurra meninoummenino hurra! Universalmente a sagacidade dessa pessoa é avaliada ser muito pouco perceptiva no que diz respeito a quaisquer questões consideradas muito proveitosas por mortais dotados de sabedoria a serem estudadas por quem é ignorante daquilo que os mais eruditos na doutrina e certamente em razão desse ornamento elevado de seu espírito merecedores de veneração constantemente mantêm quando unanimemente afirmam que outras circunstâncias sendo iguais é a prosperidade de uma nação mais eficazmente afirmada do que na medida de como tão longe possa ter progredido o tributo de sua solicitude por aquela continuidade proliferadora que de males se o original estiver ausente quando afortunadamente o presente constitui o sinal certeiro do benefício impoluto da natureza todapoderosa.14 Deshil Holles Eamus. Deshil Holles Eamus. Horhorn. Deshil Holles Eamus. iluminado. fecundação e fruto-do-ventre. fecundação e fruto-do-ventre. Mande-nos deus da luz. iluminado. Mande-nos deus da luz. Horhorn. Mande-nos deus da luz. Horhorn. iluminado. fecundação e fruto-do-ventre.

a arte da medicina deve ser altamente reverenciada. os O’Hickeys. que nada que não admiravam fosse admirável em sua natureza. leprosários. os O’Shiels. covas de mortos por peste. seus maiores médicos. Sem falar nos albergues. os O’Lees.tenha apreendido algo de algum sentido mas esteja consciente de que esse esplendor externo possa ser a face de uma realidade túrbida que tende a decair ou ao contrário que exista alguém tão pouco iluminado a ponto de não perceber que nenhum dom da natureza pode lutar contra o benefício da proliferação assim cabe a todo cidadão muito justo tornar-se o exortador e admoestador de seus semelhantes e a tremer para que aquilo que no passado foi excelentemente iniciado possa no futuro ser realizado com igual excelência se uma prática imodesta tiver gradualmente denegrido os costumes honrados transmitidos pelos ancestrais àquele ponto de profundidade ao qual seria excessivamente audacioso aquele que tivesse a audácia de se erguer e afirmar que não pode existir para ninguém mais odiosa ofensa do que fazer cair em relegado esquecimento aquela mensagem divina simultaneamente de comando e de promessa lançada sobre todos os mortais com profecia de abundância ou com ameaça de redução daquela exaltada função de procriar sempre reiteradamente e irrevogavelmente ordenada? Não é por isso portanto que nos perguntaremos se. como relatam os melhores historiadores. salas de suar. entre os celtas. que estabeleceram diligentemente os diversos métodos pelos quais os doentes e os que recaíam em .

doença recuperavam a saúde seja que a doença tivesse sido dança de São Guido ou hemorragia aguda. Certamente em toda função pública que tenha em si algum grau de gravidade deveria haver uma preparação de proporcionada importância e por conseguinte um plano foi por eles adotado (seja por terem considerado previamente ou como amadurecimento de experiência é difícil de dizer qual as opiniões discrepantes de que subseqüentes investigadores não estão até o presente de acordo em tornar manifesto) pelo qual era afastada qualquer possibilidade de acidente na maternidade de modo que qualquer cuidado que a paciente particularmente necessitava naquela hora mais difícil da mulher e não apenas para as mais fartamente ricas mas também para aquela não suficientemente provida de dinheiro que dificilmente e às vezes nem mesmo dificilmente podia subsistir valentemente e pelo qual um diminuto salário era fornecido. quando o caso vinha a se dar. A ela nada desde então e daí por diante era capaz de qualquer forma molestar pois isso era particularmente sentido por todos os cidadãos exceto no caso das mães fecundas nenhuma prosperidade podia existir e como eles tinham recebido dos deuses da eternidade a procriação de mortais para adaptá-los ao olhar dela. a parturiente no veículo transportando para lá um desejo imenso no coração de todos uns aos outros incitavam ela ser recebida naquele domicílio. Ó coisa de nação prudente não apenas em ser vista mas até também em ser relatada digna de ser louvada de modo que eles nela .

sua hora tendo chegado.por antecipação continuavam a ver a mãe. Do povo de Israel era esse homem que errando pela Terra viajara de bem longe. Qualquer coisa feita naquele caso era feita folgadamente. Duas vigias caminham ali. As que padecem dores elas . Setenta camas ele mantém ali em que mães prolíficas costumam se deitar e suportar dores para dar à luz crianças robustas como o anjo do Senhor anunciou a Maria. se aproxima sua hora de dar à luz. Um certo homem que era viandante parou na porta da casa à aproximação da noite. Vivendo no ventre veneração recebeu. divinas e humanas. ela sentia! Neném não nascido foi mimado. Daquela casa A. Horne é o senhor. irmãs brancas em enfermaria insones. cuja cogitação por mulheres em separado favorece a dilatação ou facilita a expulsão à luz do sol da bela casa bem construída das mães quando. que subitamente tinha começado a ser tratada com carinho. Forte e banal companheira do homem sua missão o conduzira solitário até aquela casa. ostensivamente preparadas para serem reprodutivas. os mais limpos cueiros como se tivesse sido dada à luz e por sábia previdência posta: mas para fazer isso há necessidade daquelas drogas e instrumentos cirúrgicos que são próprios ao caso dela sem omitir a visão de todos os espetáculos que distraiam em várias latitudes de nossa orbe terrestre junto com imagens. Uma cama por parteiras atendida com comida saudável confortante.

acalmam. A cruz de Cristo ela traçou em seu peito e o puxou para que ele entrasse rapidamente sob o seu teto. Como os olhos dela notassem as roupas dele de luto pesado ela temeu uma desgraça. dela. as palavras dele fizeram desabrochar rubores. Que ela o perdoasse agora ele implorava a ela que tinha razão de sobra pois reconhecia ter o rosto dela visto rapidamente. a doença amenizam: em doze luas cuidaram de três vezes cem. Certa vez ela no portodacidade o encontrando ele ao cumprimento dela não tirara o chapéu. No lugar dela ele vivera antes com a querida mulher e amada filha ele que por terras e mares vagara por nove longos anos. pois para a propriedade de Horne elas fazem a mais cuidadosa vigilância. um raio saltando ilumina num pestanejo o firmamento ocidental da Irlanda. A ela ele pediu notícias do doutor O’Hare mandado para a costa . Aquele homem sabendo a vontade dela ser inteligente e valiosa entrou na casa de Horne. Em sua ronda cautelosa a guardiã ouvindo chegar aquele homem manso de coração erguendo novamente o pescoço envolto por um pano para ele abriu bem aberto o portão. Relutante em molestar e segurando o chapéu na sala de entrada de Horne o solicitante parou. Uma rápida luz inflamou os olhos dela. As mais fiéis servidoras das camas elas são duas. Veja. Ela teme plenamente que Deus o Destruidor afogue toda a humanidade por causa dos pecados malignos dele. Contente ficou depois ela que antes tinha temido. que lhe tinha parecido então tão jovem.

O homem que entrara na casa então falou para a enfermeira e lhe perguntou como estava passando a mulher que se encontrava ali em trabalho de parto. a receber a sagrada comunhão e a extrema-unção em seus membros. Homem. A enfermeira lhe respondeu dizendo que aquela mulher estava com as dores do parto já há três dias inteiros e . a morte entristecedora de um amigo tão jovem. olha para o teu fim que é a tua morte e ao pó que se agarra a todo homem nascido de mulher pois assim como ele veio nu do ventre de sua mãe assim também nu seguirá ele no final para ir como veio. Ele ouviu as palavras tristes dela. Desolado ficou o homem ao ouvir estas palavras que lhe embrulharam penosamente as entranhas. O homem então muito ansioso em saber perguntou à enfermeira de que morte o falecido tinha morrido e a enfermeira respondeu que ele tinha morrido em Mona Island de câncer no estômago faria três anos no Dia dos Santos Inocentes e ela rogava a Deus Todomisericordioso que mantivesse sua alma em eterna sobrevivência.distante e ela com um suspiro doloroso lhe respondeu que doutor O’Hare no céu se encontrava. Assim ficaram os dois por um tempo em desespero se lamentando um com o outro. Ela disse que ele teve uma bela morte suave através da Bondade Divina com um padre a quem se confessar. segurando o chapéu e a fitando entristecido. sempre uma recordação dolorosa mas não estava disposta a contestar a sempre certa sabedoria de Deus. Tudo ela lhe contou então. Portanto.

E se aproximou do lugar em que eles estavam um jovem cavaleiroaprendiz chamado Dixon. E enquanto eles falavam a porta do castelo foi aberta e se aproximou deles um grande barulho dos muitos que estavam sentados ali para comer. E o viajante Leopold disse que iria para outro lugar pois el