You are on page 1of 25

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO CURSO DE HISTÓRIA- 4º SEMESTRE VIVIANE DA ROSA FERREIRA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO- 4º SEMESTRE- OBSERVAÇÃO NAS SERIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Canguçu 2012

VIVIANE DA ROSA FERREIRA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO- 4º SEMESTRE- OBSERVAÇÃO NAS SERIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Trabalho apresentado ao Curso de História da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Estágio Curricular Obrigatório I – 4º Semestre (100 horas). Orientador: Prof. Julho Zamariam. Tutor eletrônico: Clodoaldo Oliveira Silva. Tutor de Sala: Beniara Passos de Souza. Pólo de Apoio Presencial: Canguçu.

Canguçu 2012

A História do Brasil previlegiava os mitos nacionais eno desenvolvimento econômico. Assim surgiu vária preposições em contraposição da História dominante nas escolas. sendo assim. uma é a História exclusivamente como disciplina. isto se deu a partir dos anos 70. Isto foi cada vez mais se delineando a relação entre o ensino da História e A construção da cidadania. a disciplina escolar num sentido amplo e atual. sociais. Imprimindo assim uma falsa ideia de que a História só é feita por alguns indivíduos e não por todos eles. por exemplo. para o autor é precisoque os profissionais busquem cada vez mais uma reflexão sobre os desafios e das exigências teóricas do nosso tempo sendo assim necessário.1) LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: O ensino da História para a construção da cidadania aborda várias perspectivas uma delas é a contribuição da História para a contrução da cidadania. para a construção da identidade dos homens. A História no Brasil apresenta-se como uma disciplina escolar. na qual é feita através de diálogos. O conhecimento adquirido por vários ângulos. a partir de vários contextos históricos. por isso era uma História que escluia os seus sujeitos. tem uma grande importância para a formação da consciência histórica. O ensino da História processa-se sempre no interior de lutas políticas. libertadora. neste novo modelo de ensino o cidadão e o responsável pela transformação da realidade. Agora a disciplina de História. assim pensando que as fontes documentais como uma forma de absorver a cultura dentro e fora da sala de aula. nele aconteceu vários debates. . suas lutas sociais. Existem duas maneiras de pensarmos. este trata da interdisciplinariedade da pesquisa. Assim acabavam provocando uma cidadania isolada e se é percebido que os professores que trabalham com essa visão de que a História e cidadania que eram utilizados uma reprodução crítica de materiais curriculares. sempre dentro de uma dimensão histórica. Ele faz uma revisão do passado recente da História da educação brasileira. que visavam as reformulações curriculares. entre outras. entre outras ao longo do tempo.

o que acaba tornando os ambientes mais comunicativos e diálogados. O professor deve utilizar em sala de aula documentos históricos para a construção do conhecimento do seu educando. a riqueza apresenta pela obra. utilizar a linguagem a si mesmo. dando assim pouco valor ao estudo e a pesquisa. O ensino da História serviu de articulação ideologicamente durante uma determinada epóca. e o professor utilizar vários recursos não somente livros didáticos. assim aconteceu reescrita da história do ensino de História.A disciplina de História deve sempre se basear no didático desta disciplina de História. por ser um meio coletivo de aprendizagem. Desta forma deve haver uma dialogação entre suleito versos objeto para que assim facilite o conhecimento e as formas de existência humana. O ensino da História apresenta um recuo de tempo. um dos passos mais salientados é através da pesquisa e assim surge efeito na escola e sala de aula estes apresentam-se como lugares para a apreensão do conhecimento. abrangendo aspectos do ensino da História sendo assim de sua pesquisa. sobre uma perspectiva plural e complexa. . onde este saber já está pronto . ou seja. e sim apoiando referências teórica-metodológicas. deve-se ter em mente a realização de atividades de pesquisa e investigação. O aluno sempre deve interrogar. sempre vendo a versão de vários autores. assim com o intuito de construir conceitos para a produção de leitura de mundo que é própria do aluno. mas de uma maneira crítica e também pouco comunicativo o que acaba tornando a sala de aula lugares sociais onde o saber e o livro didático se torna um ponto comum entre o professor e o aluno. A escola tem sido um lugar onde o professor exerce um papel social. Aqueles que pretendem construir a sua própria leitura de mundo.

2) ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA. Órgão mantedor: Federal ( ) Estadual ( ) Municipal ( X ) Particular ( Horário de funcionamento: Manhã ( X ) Tarde ( ) Noite ( ) Séries ofertadas: 7º ano e 8º ano. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome da escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental Marechal Floriano. 4º distrito de Canguçu. Materiais: Mobiliário: Tipo e quantidade se carteiras e cadeiras: 135 Quadro negro ( X) Bebedouros ( ) Mimiógrafo ( X) Copiadora xerox (X) ) ) especificar: A escola não tem laboratório em ) . 2. Endereço: Trapeira. Numero de alunos: No 7º ano 17 alunos e no 8º ano 25 alunos. ESTRUTURA FÍSICA E MATERIAL DA ESCOLA Ambientes físicos Salas de aula (quantas) ___06____ Secretárias (X ) Pátio interno ( X ) Pátio externo ( X ) Quadra coberta ( ) Quadra aberta ( X ) Refeitório ( X ) Cozinha ( X ) Sanitário feminino ( X ) Sanitário masculino ( X ) Sanitários para professores ( X ) Biblioteca (X) Sala de vídeo e TV ( ) Sala de leitura ( Laboratórios ( funcionamento.OBSERVAÇÃO DA ESCOLA: 1.

socializar. 3. supervisão. Formação: Magistério e Ensino Superior incompleto. as correspondências e os arquivos escolares elaborar e manter atualizados todos os registros referentes à vida escolar ( ) não. TV escola. particular das discussões e da elaboração do Projeto Político Pedagógico da escola. para didáticos. Função que atuam (orientação. outra) Coordenação e Orientação Tempo de atuação nesta instituição 01. contribuir. Secretário (a) (X) sim anos. Documentários de pensadores e jogos didáticos. assessorar o trabalho do docente estimulando a troca de experiência entre os segmentos e também acompanha a aprendizagem dos alunos junto com o professor. Computador com acesso para os alunos ( ) quantos 00. orientar. Atividades desenvolvidas pelos pedagogos na instituição: desenvolvem as funções da refletir. didáticos. Video ( ) quantos 00. PROFISSIONAIS Número de Diretores 01.especificar (romances.Televisão (X) quantas 01. elaborar. e outras. mas na biblioteca os alunos têm acesso a livros didáticos e TV escola. de pesquisa. coordenação. outros) Por ser uma escola pequena não possui acervo bibliográfico. Materiais didáticos para estudo da História (Quais) Livros didáticos. Atribuições dos funcionários administrativos: Organizar e manter atualizadas as escriturações. Aparelho de som ( X) quantos 03. Número de Pedagogos: 02. Tempo de atuação do diretor nesta instituição 03 anos. Número de funcionários administrativos: 03. Atribuição do Diretor: Em conjunto com o Conselho Escolar e com os demais componentes da comunidade escolar. Acesso a internet: (X) sim ( ) não Acervo bibliográfico adequado a disciplina de História ( ) sim (X) não Outros. Dvd (X) quantos 01. Tempo de atuação nesta instituição 02 .

Atribuições: O Conselho Escolar terá natureza consultiva. deliberativa e fiscalizadora no processo pedagógico. Conselho Escolar: (X) sim ( ) não. cozinhar e servir. Formação: Curso Superior e pós-graduação. Associação de Pais e Mestres e Funcionários. realizar limpeza de utensílios. preparar dietas e refeições de acordo com o cardápio elaborado. guardar e reservar os alimentos em locais adequados. alimentos da merenda escolar. Número de funcionários de serviços gerais: 02.APMF ( )sim ( X) não. promover a limpeza geral e a conservação. regendo-se por lei municipal específica. Outros funcionários e atribuição: Cumprir as demais atribuições disciplinadas do Projeto Político Pedagógico da escola em norma especifica deste sistema. .do aluno. Atribuição dos funcionários de serviços gerais: Preparar. Grêmio Estudantil: ( ) sim ( X) não. administrativo e financeiro da escola.número de professores: 13. Corpo docente. e outras.

aberta à comunidade. Queremos uma escola em que o educando. unindo o trabalho realizado nas famílias ao da escola. ampliando suas potencialidades. proporcionando ao aluno um ambiente agradável. Os educandos que na escola frequentam apresentam um perfil bem disperso. comunicar-se de forma oral e escrita. cultive valores culturais. sujeito da sua própria formação. efetivas e psicomotoras externando valores e opiniões. integrando esforços entre professor/aluno. a 25 km da sede. procurando sempre que possível ajudar o educador e equipe diretiva. sempre interagem junto com a escola. atualize-se. aplicando os conhecimentos adquiridos em atividades da vivência do aluno. tornando-os significativos para sua vida. 4º distrito de Canguçu. Um educador deve star comprometido com o ideal de educação que a escola propõe que acredite no seu trabalho. mas também se encontra aqueles educandos que apresentam pouco interesse que na qual a escola/comunidade busca recursos para melhorar o nível de aprendizagem . de forma critica e consciente. inove. bem como programas e/ou projetos oferecidos pela escola. construindo saberes.3. Participar de atividades extraclasses. desenvolvendo as habilidades cognitivas. Reconhecer e observar normas de conduta e valores aceitos na comunidade respeitando direitos e deveres. religiosos e humanos. A grande missão da escola é oferecer uma educação valorizada. professor/professor e comunidade/escola. A comunidade local é bem participativa. Aproveitando o espaço oferecido pela escola e adquirindo confiança na sua capacidade de descobrir. preparando-o para a vida em comunidade. Promover a integração entre escola e famílias de origem negra. dedicados. Esta escola busca como finalidades os seguintes objetivos: Exercitar o aluno a ouvir. comunicativos e esforçados. Resgatar o sentimento de amor e patriotismo valorizando a nossa cultura. ANÁLISE DA REALIDADE ESCOLAR ( DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO) A Escola Municipal de Ensino Fundamental Marechal Floriano está localizada na Trapeira. uns são participativos. Relacionar o estudo a fontes se outras realizações pessoais e profissionais. reflita continuamente sobre suas praticas e crie novos instrumentos que possibilitem ao educando uma aprendizagem eficaz.

secretarias municipais. 29 do 6º ano. 15 do 7º ano. devemos oferecer atividades extraclasses que desenvolvam o educando nos aspectos culturais. sendo que o prédio é todo em alvenaria. mas ainda necessitamos de recursos humanos materiais para atender o numero de alunos que precisam do AEE (Atendimento Educacional Especializado). famílias. por receber alunos com necessidades educacionais especiais. Horta. estando disposta a criar condições para acolher todo e qualquer aluno. possui 193 alunos matriculados. na qual estes envolvem todos os profissionais da escola. possui quadra de esportes cercada de tela com iluminação que precisa de reparos. 20 do 3º ano. entre outros faremos o possível buscando sempre parcerias com a comunidade. que respeite os direitos e deveres. 19 do 4º ano. Aqueles alunos que apresentam problemas disciplinares. para isso contamos com uma sala de recursos com profissionais que proporcionam um atendimento especializado aos alunos com deficiência. 17 do 8º ano e 25 do 9º ano no ensino diurno. Faremos o possível para que a nossa escola ofereça uma aprendizagem que proporcione ao educando a continuação da vida acadêmica bem como o exercício pleno da cidadania. órgãos públicos. e também o projeto adolescência sadia. normas de convivência. que eles ampliem suas potencialidades.13h às 17h. A escola procura formar um educando participativo. tornando assim significativos para sua vida.desses educandos. um galpão para ferramentas e em 2012. A escola desenvolve os projetos: Alimentação saudável.7h 30min às 11h 30min. Estes têm os seguintes turnos de funcionamento: Manhã. As aulas serão desenvolvidas de forma integrada sempre que possível e nas oportunidades que surgirem no decorrer do ano letivo. A escola possui um terreno cercado com tela. Sempre valorizando o trabalho daquele educando e educador. religiosos e humanos. 11 do 1º ano. 24 do 2º ano. 23 dos 5º ano. A avaliação é realizada durante o desenvolvimento das situações . Tarde. associações. O horário e o calendário escolar serão anexados no inicio de cada ano letivo podendo ser alterados conforme necessidades. construindo saberes. A escola é “inclusiva”. e acompanhá-lo em sua escolarização. sendo 10 da educação Infantil.

Aquele aluno que continua com dificuldade é oferecido recuperação paralela trimestral e no final do ano a recuperação terapêutica conforme legislação vigente. Reuniões com pais. A ele são oportunizadas novas experiências de aprendizagem a fim de corrigir desvios.aprendizagem. Palestras e Visitação. mediante acompanhamento e controle contínuo do aproveitamento do aluno. 1º ano do Ensino Fundamental a avaliação dar-se-á conforme legislação do ensino. . Torneio esportivo. Cronograma de ações para 2012: Hora Cívica. e terceiro trimestre 50 pontos para obter progressão no final do ano o aluno deverá somar no mínimo 60 pontos em cada componente curricular. a avaliação responderá ao caráter globalizado da organização curricular sendo que o educando terá uma nota. Reuniões Pedagogicas. no segundo trimestre 30 pontos e terceiro trimestre 50 pontos para obter progressão no final do ano o aluno deverá somar no mínimo 60 pontos. No primeiro trimestre 20 pontos. Nos 2º ao 5º ano. Nos anos finais do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental serão atribuídas notas para cada componente curricular conforme segue: no primeiro trimestre 20 pontos. Confratenização. segundo trimestre 30 pontos.de ensino. Feito o Conselho de classe em todas as pessoas envolvidas no processo de avaliação da turma. O aluno avaliado num todo. Conselho de classe. Celebração. havendo promoção automática por pareceres descritivos. suprimir ou reduzir omissões ou falhas. Festas.

Nesta ela em a visão de que o ensino da História no Ensino Fundamental é que a maioria dos alunos. eles tem que serem estimulados e ter bastante atualização. trabalha em duas escolas a primeira e a Escola Estadual de Ensino Médio João de Deus Nunes sendo a segunda a Escola Municipal de Ensino Fundamental Marechal Floriano. na qual tem 13 anos de Magistério. livros. buscar a partir da História deles. para que eles compreendam o real significado da História. por ser uma carga horária muito pequena e é praticamente impossível realizar todas as atividades propostas.4. ENTREVISTA COM O PROFESSOR REGENTE: Meu estágio foi regido pela professora Micheline Schoenardie Mota. . devem gostar da disciplina. imagens. musicas. O uso da História oral para que eles percebam que a História é feita por todos nós. não estão preparados para terem uma visão critica da História. pois para muitos o abstrato. porque muitos não entendem sobre o que significa a História e o principal. Trabalho com mapas. computador. internet e no geral a professora também trabalha com filmes e visitação em museus para o aluno poder analisar fixar e comparar os conteúdos trabalhados em sala de aula. Muitas vezes a aula é textualizada.

musicais. Meu primeiro dia de observação foi com o 7ºano. dialogaram e mostraram o entendimento quanto ao texto. . A professora trabalhou através de leitura e interpretação do texto. então a professora trabalhou sobre o Renascimento que foi uma época de grande esplendor. de grande profusão de talentos artísticos. espertos e estão na fase de entrada na adolescência. já estava interada da turma e de seu andamento. em que o autor aborda vários relatos sobre o tema abordado. Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 17/09 – 7h e 30 min as 9h e 30 min.5. literários.E. e na qual os alunos foram bem participativos. 7º ano do Ensino Fundamental Diários 1/2 – Aula 1/2 Nome da escola: E. Estes alunos são ativos. a professora propôs uma atividade que foi a seguinte a caixa mágica que ia passando de mão e mão e quando a música parar o educando tirará uma pergunta de dentro dela e deverá responder oralmente.M. Os alunos leram o texto proposto pela professora e após eles interpretaram atentamente. OBSERVAÇÃO DAS AULAS (DIÁRIOS DE OBSERVAÇÃO): Turma 1. O livro didático Utilizado foi: O Caderno do Futuro de História. a grande maioria da turma têm facilidade . devido ao período de visitação na escola. Logo após foi passado questões de interpretação do texto.F.Marechal Floriano. Ao concluir a correção. de investimento estético e artístico. nas quais os alunos imporam opiniões. ou seja.

E. 7º ano do Ensino Fundamental Diários 3 e 4 – Aulas 3 e 4 Nome da escola: E. tanto por parte da professora . que protestava contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica. esta interagiu bastante durante a aula. na Alemanha. quanto por parte dos educandos.F.Turma 1. e na qual a professora levou cartazes e fez questionamentos oral aos educandos. Na próxima aula a professora revisou o conteúdo Renascimento e após começou a falar sobre a Refoma Protestante que foi um movimento cristão iniciado no séculoXVI. mas quando a professora começou a questioná-los oralmente eles se supreenderam e a aula foi bem produtiva. sendo que dispertou muito interesse da turma. O conteúdo foi muito bem explicado.M.Marechal Floriano. A professora procurou sempre fazer uma comparação com os acontecimentos de antigamente com os da atualidade. pois a turma no início estava bastante agitada.propondo uma reforma no catolicismo. . Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 24/09 – 7h e 30 min as 9h e 30 min.

que confeccionaram cartazes sobre o tema: A expansão do Renascimento. Esta aula a professora começou com as atividades sobre o conteúdo A expansão do Renascimento que foi O movimento renascentista logo se difundiu por outras regiões da Europa.Marechal Floriano. a turma foi dividida em quatro grupos . Pintores. príncipes e demais autoridades. Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 01/10 – 7h e 30 min as 9h e 30 min. pois além deles terem compreendido muito bem o tema a sala de aula ficou muito alegre.Turma 1 – 7º ano do Ensino Fundamental Diários 5 e 6 – Aulas 5 e 6 Nome da escola: E. Na qual apresentou o conteúdo com um video para facilitar a compreensão do educando. Também trouxe atividades como: completa. escultores e arquitetos viajaram para diversas cidades convidados por reis.Este cartaz ficou espoxto na sala de aula. que na qual os alunos se saíram bem nas atividades.F. Após a correção.E. Os alunos adoraram a ideia da confecção do cartaz e após o termino estes se supreenderam.M. relaciona colunas e questões de pergunta e resposta. .

F.Marechal Floriano Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 08/10 – 7h e 30 min as 9h e 30 min. Para finalizar a aula os educandos centaram em círculo e naquele momento eles tiraram dúvidase foram questionados.E.M. e após a professora passou exercícios para melhor os alunos fixarem o conteúdo. Neste dia a Professora levou cartazes para a sala de aula com o tema Tratado de Tordesilha que foi O Tratado de Tordesilhas que foi uma divisão que os portugueses e espanhóis fizeram no Brasil e parte do território brasileiro era explorado pelos portugueses. A turma ficou bem interessada a respeito do tema. Foi feito leitura e interpretação. 7º ano do Ensino Fundamental Diário 7 e 8 – Aula 7 e 8 Nome da escola: E. e parte pelos espanhóis. assim demostrando interesse e entusismo.Turma 1. e a partir daí a professora levou cartazes ela começou a explicar o conteúdo novo. A turma naquele dia ficou supreendida com a aula que não apresentaram muitas dificuldades. .

O livro didático utilizado pela professora foi: O Caderno do Futuro e toda a sua aula está basea da neste livro. comparada com as demais. Está turma é bem agitada a professora se sente meia “precionada”. Neste dia a professora trouxe como conteúdo a Revolução Francesa qu foi situação social era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo rei Luis XVI. A professora trabalhou com os alunos a leitura e interpretação de texto e após a professora fez questinamentos aos educandos.Marechal Floriano Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 18/09 – 10h as 12h. O primeiro alvo dos revolucionários foi a Bastilha. A Queda da Bastilha em 1789 marca o início do processo revolucionário.F. pois não concengue trazer muitas coisas diferentes porque a turma e bastante desconcentrada e agitada.Turma 2 – 8º ano do Ensino Fundamental. O 8º é uma turma relativamente pequena. A turma necessita de uma aula bem diversicada e buscando sempre trazer coisas da atualidade. . Diários 1 e 2 – Aula 1 e 2 Nome da escola: E.E.M. pois a prisão política era o símbolo da monarquia francesa.

O diretório.E. Os educandos adoraram a atividade e em seguida era só o que eles falaram. ela apresentou este conteúdo com ilustrações. cada aluno ia tirando uma folha de jornal e nela tinha um questionamento sobre o tema e o educando tinha que ir até a frente da sala e responder o questionamento. Diários 3 e 4 – Aula 3 e 4 Nome da escola: E.Marechal Floriano Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 25/09 – 10h as 12h. Após a professora fez a técnica do jornal.F. a partir desta atividade a professora fez um teste oral para ver como os alunos compreenderam o conteúdo.Turma 2 – 8º ano do Ensino Fundamental. Os alunos apresentaram bastante interesse e durante a aula sempre questionaram a professora . Logo em seguida trabalhou sobre a Convenção Nacional. Nesta aula a professora relembrou a aula passada e teve a correção de exercícios.M. questionamentos e também assistiram um filme sobre o tema proposto. .

F. e a partir desse momento a professora teve que mudar seu rotero de aula.Turma 2 – 8º ano do Ensino Fundamental. Após apresentou o tema: A Independência da América Espanhola.Marechal Floriano Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 02/10 – 10h as 12h. Estes foram participativos.E. A professora passou atividades para os educandos realizarem como tarefa de casa. neste conteúdo novo os alunos apresentaram um pouco de dificuldade. Diários 5 e 6 – Aula 5 e 6 Nome da escola: E. . dedicados o que fez com que essas dúvidads fossem se apagando e assim superá-las. Ela teve que retornar a explicação e logo em seguida passou de mesa em mesa para tirar dúvidas. Após passou um texto e atividades que facilitou muito o educando e no final clareou a mente deles.M. A professora levou para sala de aula cartazes e fez questionamentos aos alunos.

Diários 7 e 8 – Aula 7 e 8 Nome da escola: E. os educando ficaram em círculo e foi passada uma caixinha e enquanto isso ia tocando uma música e os alunos iam passando de mão em mão e quando a música parar eles tinham que ir até a frente e responder a atividade que era proposta pela professora. para no próximo encontro tirarem dúvidas. Foi feita a correção da atividade que foi realizada em casa.E. atenção e se manteram bem interagidos com a professora. . Após a professora trabalhou o Império Napoleônico.M. A correção foi feita da seguinte forma.passou um texto e os alunos interpretaram e a partir do texto foi formulado atividades. sendo que cada grupo deverá pesquisar sobre o tema aboradadpo naquela aula.Turma 2 – 8º ano do Ensino Fundamental. Eles demostraram muito interesse. Após a prfessora propos um trabalho em grupo.F.Marechal Floriano Nome da professora regente: Micheline Schoenardie Mota Data/Horário: 09/10 – 10h as 12h.

a pouca importância dada ao tema história e cultura Afro-Brasileira e Africana pelas escolas. o desconhecimento por parte dos alunos da real história dos Africanos e Afros descendentes no Brasil. . As imagens narram uma série de situações ou atividades do cotidiano do negro. • Analisar os diferentes elementos da obras. bem como a insistente presença do preconceito e da discriminação racial na escola e na comunidade. Atividades: Será feito as seguintes atividades: ⇒ Levar cartazes com o tema proposto. • Usar a criatividade e criar um Jogral. A preocupação com a abordagem pejorativa que muitos livros didáticos ainda fazem sobre o negro deste período colonial. • Mostrar como os povos Africanos viviam. ⇒ Será feito questionamentos: • O que vocês estão vendo? • O que a imagem representa para nós? • O que vocês entendem por o tema Presença Africana? • No cotidiano ainda existe discriminação racial? ⇒ Levar as letras PRESENÇA AFRICANA e os educandos deverão criar um jogral. vivem e como produzem a sua arte. ⇒ Produção textual. • Ensinar nossos educandos a buscar respostas no processo histórico brasileiro.6. PROJETO: O ENSINO DE HISTÓRIA EM ESPAÇO NÃO ESCOLARES-MUSEU Projeto Museu Tema: A presença Africana Turma: 7º ano Duração: 02 aulas Justificativa: É importante apresentar a história do Negro e fazer os alunos perceberem como foi apresentada a figura do Negro. Objetivos: O aluno deverá ser capaz de: • Promover debates sobre as causas do preconceito. são fatores que justificam o presente projeto. • Conhecer as imagens em exposição.

uma carruagem a passar e o morro edificado ao fundo. com oito pessoas. pardos ou não.RJ. sendo o grande responsável por construir o imaginário do cotidiano brasileiro. Muitos anúncios explicitavam a preferência pela cor do prestador de serviço a ser contratado. Em regra os negros de ganho eram escravos. Nesta aquarela temos uma profusão de cores ao destacar as vestimentas das mulheres de ganho em suas atividades de comércio ambulante.Henry Chamberlain.RJ A maior característica da obra de Chamberlain é demonstrar a inserção do negro na sociedade através do trabalho. independente da atividade desenvolvida. com predomínio da mão-deobra feminina em todo processo. O grande destaque desta obra é a forte influência do processo fotográfico difundido nas últimas décadas do século XIX no Brasil.9 x 27.unopar. Pretos de Ganho . justamente para enfatizar e produzir destaque ao grupo em atividade cotidiana.br/sites/museu/exposição_negros. Aqui o autor usa cores suaves. Limões Doce se Cana-de-açúcar. deslocando-se para a esquerda é formado por seis pessoas que. entrada de sol capaz de iluminar e refletir luz sobre as pessoas ao fundo do quadro.html.Fontes: WWW2. embora na segunda metade do século XIX tenha crescido muito o número de homens livres. temos o transporte do barril de água nos ombros com apoio de cordas e madeiras. com a ajuda de um carrinho fazem o transporte . com pessoas nas portas das casas. no primeiro grupo. herdado do colonialismo português. cores que reforçam as expressões serenas e alegres.Modesto Brocos. 1822 19. 1892 óleo sobre tela 58 x 76 cm Nesta tela tem o olhar do espanhol Modesto Brocos sobre o processo rudimentar de fabricação da farinha de mandioca. O segundo grupo. O fundo da tela retrata o centro da cidade do Rio de Janeiro. sendo o Imperador D. Os documentos históricos que se encintram no museu sobre a Presença Africana são os seguintes: Aluá. a exercerem as funções comuns aos “negros de ganho”. Acervo Museu Castro Maya Debret destacou-se pela forma alegre de inserir o negro na sociedade brasileira.1826. ao fundo. sem predomínio dos elementos de origem européia. consagrada como estimulante natural Museu Nacional de Belas Artes . fermentada. Engenho de Mandioca . Pedro II um apaixonado pela câmara escura. esvaziando sua importância. A “fábrica” tem boa iluminação com uma janela. capazes de produzir dubiedade sobre as condições econômicas e sociais das mesmas. É preciso declinar o olhar e atenção ao título: Aluá é uma bebida refrescante.9 cm Acervo Museu Castro Maya . Na imagem vemos dois grupos de negros a transportarem dois barris de água. em especial na cidade do Rio de Janeiro. negando-lhe um destaque maior.

provavelmente pela ação da cena principal de punição. muitos feitos de seda. com diferentes atividades sobrepondo-se em processo sincrônico de final das atividades diárias. Carregadores de Café a Caminho da Cidade J. 1835 Biblioteca Baden . e do negro em posição oposta com ar de medo e intimidação. expondo os produtos com predomínio das cores claras. Debret. A presença de vidro nas estantes e o rigor da organização. No primeiro plano a esquerda um grupo busca nutrir-se e aquecer-se próximo a fogueira. B. É possível dizer que não se trata de alguém totalmente desprovido de posses. e a negra a solo. os trabalhadores são escravos. Debret 1820/30 Nesta obra temos uma das muitas funções exercidas por escravos urbanos no Brasil. é a forma lúdica com que retrata a presença africana no Brasil. não raro distante da realidade social e econômica de todo processo em andamento. amarelo.Wurttemberg. Avaliação: O aluno deverá ser avaliado pelo seu comportamento. fato comum Loja de Sapateiro Aquarela de J. Observando a imagem vemos ao fundo as estantes da sapataria. . de um dos ajudantes da sapataria. O grande destaque desta obra é a não presença de elemento fiscalizador da atividade desenvolvida pelos negros de ganho. alguns indiferentes as últimas atividades de transporte da madeira realizam atividade rítmico-lúdica com as mãos. como o branco. M.de outro barril. Rugendas. sempre sobre olhar atento. e estão a comemorar a colheita. dão os sinais dos corpos cansados à busca de sossego e descanso. com três ajudantes e “sua senhora” apenas a observar. 1826 Acervo Museu Castro Maya A cena é de colheita do café. e presente nesta obra. também destinado ao abastecimento da água nas grandes cidades brasileiras. além do predomínio dos sapatos femininos. A obra é mais um documento histórico referente à presença e importância do trabalho escravo no desenvolvimento econômico do Brasil. olhares reveladores de uma senhora em plano lateral. possibilita-nos refletir sobre a condição social do sapateiro. cidade escassa de locais de boas águas perto do centro urbano. Também por analogia é possível afirmar que seus clientes provem de famílias em condições de “bancarem” o custo da compra e a manutenção dos frágeis sapatos de seda. Stuttgart (Alemanha ) Uma das principais características da obras de Rugidas. A aquarela mostra. Entreposto de Escravos Aquarela de J. com o sol do fim do dia deixando sua maior luz do centro para o lado direito da tela. A rede armada. com limpeza monástica. rosa e azul. B. em vidro. não raro autoritário e punitivo dos senhores. carregando pesados sacos de café na cabeça. pela palmatória. neste caso no Rio de Janeiro. Nota-se uma alegria em todo quadro.

As observações serviram para adquirir experiência com a professora regente. Deu-me mais estabilidade e confiança para entrar e transmitir o conteúdo em uma sala de aula. aprendendo mais sobre o plano da escola quais os objetivos que ela pretende alcançar. comunidade e pais e assim é fundamental que ocorra uma maior mudança e aqueles alunos que necessitam de mais compreensão. atuais e futuros . Durante a elaboração do relatório. Respeito.Interesse. entre outras. ou seja. com o apoio da escola. 7.br/sites/museu/sabermais. Então com este apoio concerteza formaremos alunos responsaveis e que no futuro quem sabe podem seguir o nosso exemplo de educador. a minha pretensão é formar-me um profissional que sempre irá lutas pelo seu educando. Pontualidade. aprendendo o roteiro dos educadores e educandos. estagiei com a turma de series iniciais. e cada vez fico mais realizada e com a certeza de que no futuro quero continuar na educação e me tornar uma ótima educadora. por todos nós. carinho. Considerações finais: Este trabalho pretendeu somar quanto a minha formação profissional. A partir das observações pude criar um conceito em minha mente que nós todos somos responsáveis pelas mudanças de nossos educandos. Devemos sempre pensar que juntos somos fortes e capazes de mudar a realidade de muitos educandos para o alado do bem. foi descrito várias atividades.html. que com estas pude me ver ainda mais dentro da escola. Referências: WWW. ou seja. o 4º ano. então voltar para sala de aula foi muito bom. Por fim.pois muitas vezes nós professores acabamos sendo também os pais deles.2unopar. A dois anos atrás já vivi está experiência incrível e inovadora para mim. pois ela é uma ótima profissional. Expressão oral e atenção.

São Paulo: Contexto.Editora Cortez. mas assim nós fortaleze cada vez mais para seguirmos a nossa caminhada. 1998. KNAUSS. MARSON.educadores.Sobre a norma e o óbvio: a sala de aula como lugar de pesquisa. "Reflexões sobre o procedimento histórico in Repensando a História. Adalberto.Paulo. 8. Referências bibliofráficas: BITENCOURT. São Paulo: Marco Zero. que tenhamos reconhecimento devido pelo trabalho de cada um. 1982. "Capitalismo e cidadania nas atuais propostas curriculares de História” O Saber Histórico na sala de aula. Obstáculos fazem parte da vida. Circe Maria. .