You are on page 1of 1

Oi, Jesus, Eu Sou o Z

Cada dia, ao meio dia, um pobre velho entrava na igreja e, poucos minutos depois, saa. Um dia, o sacristo lhe perguntou o que fazia, pois havia objetos de valor na igreja. Venho rezar, respondeu o velho. Mas estranho, disse o sacristo, que voc consiga rezar to depressa. Bem, retrucou o velho, eu no sei rezar aquelas oraes compridas. Mas todo dia, ao meio dia, eu entro na igreja e falo: "Oi, Jesus, eu sou o Z, vim Lhe visitar". Num minuto, j estou de sada. s uma oraozinha, mas tenho certeza que Ele me ouve. Alguns dias depois, Z sofreu um acidente e foi internado num hospital. Na enfermaria, passou a exercer grande influncia sobre todos. Os doentes mais tristes tornaram-se alegres e, naquele ambiente onde antes s se ouviam lamentos, agora muitos risos passaram a ser ouvidos. Um dia, a freira responsvel pela enfermaria aproximou-se do Z e comentou: os outros doentes dizem que voc est sempre to alegre, Z... O pobre enfermo respondeu prontamente: verdade, irm. Estou sempre muito alegre! E digo-lhe que por causa daquela visita que recebo todos os dias. Ela me faz imensamente feliz. A irm ficou intrigada. J tinha notado que a cadeira encostada na cama do Z estava sempre vazia. Aquele velho era um solitrio, sem ningum. Quem o visita? E a que horas? Perguntou-lhe. Bem, irm, todos os dias, ao meio dia, ele vem ficar ao p da cama por alguns minutos, talvez segundos... Quando olho para Ele, Ele sorri e me diz: "Oi, Z, eu sou Jesus, vim te visitar".