UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA

Disciplina de Eletrônica de Potência – ET66B
Aula 25 – Conversor CCCC-CC à acumulação indutiva BuckBuck -Boost Prof. Amauri Assef amauriassef@utfpr.edu.br
UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 1

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost
Conversores CC-CC diretos – buck e boost
Transferência de potência da entrada para a saída se processa diretamente, sem a passagem por elementos intermediários acumuladores de energia

Conversor CC-CC Buck

Alimenta uma carga com características de fonte de corrente contínua, a partir de uma fonte de tensão contínua

Conversor CC-CC Boost
UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef

2

Alimenta uma carga com características de fonte de tensão contínua, a partir de uma fonte de corrente contínua
2

também conhecido na literatura como conversor Buck-Boost No caso em que se deseje controlar o fluxo de energia entre uma fonte de corrente contínua e uma carga com características de fonte de corrente.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Conversor CC-CC à acumulação de energia (indiretos) Em muitas aplicações é comum encontrar situações onde se deseja controlar o fluxo de potência entre carga e fonte de mesma natureza Nessas situações. devese empregar um conversor à acumulação capacitiva. também conhecido como conversor Cúk UTFPR – Campus Curitiba Prof. caso se deseje controlar o fluxo de energia entre uma fonte de tensão contínua e uma carga com características de fonte de tensão contínua. Amauri Assef 3 . a transferência de potência é feita indiretamente através da utilização de componentes acumuladores de energia Assim. devese empregar um conversor à acumulação indutiva.

de forma direta. que se comporta como fonte de corrente: Indutor O conversor buck-boost combina as características de entrada de um conversor buck e as características de saída de um conversor boost No conversor buck-boost. entre duas fontes de mesma natureza é uma impossibilidade na Eletrônica de Potência Para transferir energia entre duas fonte de tensão é imprescindível o uso de um componente armazenador de energia. a tensão média de saída pode ser maior. porém com a polaridade invertida UTFPR – Campus Curitiba Prof. em um ponto estratégico. igual ou menor que a tensão de entrada.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Conversor CC-CC à acumulação indutiva: Buck-Boost A transferência de energia. Amauri Assef 4 .

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Estrutura do conversor Buck-Boost Carga RC UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 5 .

A partir desse momento t=tc. que entra em condução.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Etapas de funcionamento – Condução Contínua 1ª Etapa (a chave S é fechada 0 < t < tc – carga do indutor): Durante o intevalo tc. a energia proveniente de E é acumulada no indutor L 2ª Etapa (a chave S é aberta tc < t < T – descarga do indutor): Com a abertura da chave S a polaridade no indutor L é invertida. Amauri Assef 6 . polarizando diretamente o diodo D. a energia acumulada em L é transferida à fonte Eo UTFPR – Campus Curitiba Prof.

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Formas de onda – Condução Contínua iL 0 ΔI IM ILmed Im t iE = iS 0 t iD 0 t (E) t (Eo) tc ta VL 0 UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 7 .

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Ganho estático Em regime permanece o fluxo magnético no indutor. Amauri Assef 8 . desse modo: tc 0 ∫ VL dt = ∫ dt ⇒ E ⋅ tc = Eota tc T Onde T = tc + ta ⇒ ta = T − tc Eo tc tc = = E ta T − tc Sabendo-se que: D = tc T Então: Obtém-se: Eo D = E 1− D UTFPR – Campus Curitiba Prof.

75 1 9 .5 3 2.5 0 0 UTFPR – Campus Curitiba Prof. Eo tende teoricamente a um valor infinito Eo D = E 1− D Eo E 4 3. Amauri Assef D < 0. Eo = 0 (tensão mínima) Quando D tende à unidade.5 – conversor abaixador D > 0.5 1 0.25 0.5 – conversor elevador D 0.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost A equação representa a relação da tensão de saída/tensão de entrada do conversor Buck-Boost Quando D tende à zero.5 2 1.5 0.

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Condução contínua: Tanto a corrente de entrada como a corrente de saída são descontínuas. Amauri Assef 10 . porém a corrente no indutor L pode ser contínua ou descontínua Etapa 1: 0 < t < tc Chave fechada (curto-circuito) Etapa 2: tc < t < T Chave aberta UTFPR – Campus Curitiba Prof.

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Principais formas de onda – Condução Contínua VL 0 (Vo) ΔI (E) t 0 IM ILmed Im t (E+Vo) t IM . Amauri Assef 11 .Io t iD IDmed = Io iL 0 iC 0 VS VC 0 ΔVc = ΔVo Vo t 0 t iE = iS IEmed 0 tc ta io Io = IDmed 0 tc ta t t UTFPR – Campus Curitiba Prof.

Condução contínua: E = vL ⇒ E = L Etapa 1: 0 < t < tc Chave fechada (curto-circuito) diL dt iL − I min = I Max E E t ⇒ iL = I min + t L L E = I min+ tc L Etapa 2: tc < t < T Chave aberta diL dt −V iL − I Max = o t L V I min = I Max − o ta L − Vo = L 12 UTFPR – Campus Curitiba Prof.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Equações . Amauri Assef .

118) Io D⋅E ∆I IM = + I M = I Lmed + (1 − D ) 2 ⋅ L ⋅ f 2 ∆I Io D⋅E I m = I Lmed − Im = − 2 (1 − D ) 2 ⋅ L ⋅ f UTFPR – Campus Curitiba Prof. admitindo que IL cresce linearmente durante tc: E E I M = I m+ ⋅ tc = I m+ ⋅ D ⋅ T L L E E E V L= D ∆I = D ∆I = ⋅ tc = o (T − tc ) ∆ I f Lf L L max Corrente média fornecida pelo indutor à carga = IDmed 1 T (1 − D ) I o = I Dmed = ⋅ ∫ iD (t )dt ( ) I = I = I + I ⋅ o Dmed M m T 0 2 Valores máximos e mínimos de corrente (pag. Amauri Assef 13 .Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Condução contínua: Ao final da 1ª etapa (t=tc).

Amauri Assef 14 . onde Ilmed = IE UTFPR – Campus Curitiba Prof.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Corrente média na chave S: Is = IE = D Io 1− D Corrente média no diodo D: I D = I O Corrente média no indutor: I Lmed = Io (1 − D ) Corrente eficaz na chave S: I s ( RMS ) = D ⋅ I Lmed * Corrente eficaz no diodo D: I D ( RMS ) = 1 − D ⋅ I Lmed * * Equações válidas para pequenas ondulações de corrente (< 20% ILmed).

o capacitor alimenta a carga com corrente constante Io: ic = C ⋅ 1 tc 1 Ou seja. ocorre a ondulação da tensão do capacitor ΔVc Considerando uma constante de tempo Ro. durante o intervalo de tempo Δt=tc. a fonte de alimentação recarrega o capacitor (↑Vc) Em regime permanente. Amauri Assef dvc ∆v ⇒ Io = C ⋅ c dt ∆t 15 .Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Cálculo do capacitor A ondulação da tensão no capacitor ΔVc é igual à ondulação da tensão Δvo Durante a condução de S o capacitor C fornece energia à carga (↓Vc) Quando S é aberta. a ondulação no capacitor é: ∆vc = ∫ I o ⋅ dt = ⋅ I o ⋅ tc T0 C D ⋅ Io I ⋅ T tc ∆vc = ∆vo = ∆vc = o ⋅ f ⋅C C T UTFPR – Campus Curitiba Prof.Co suficientemente grande.

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Dessa forma. Amauri Assef 16 . pode-se determinar o valor do capacitor por: C= D ⋅ Io D ⋅ Io D ⋅ Vo = = f ⋅ ∆vo f ⋅ ∆vc f ⋅ Ro ⋅ ∆vc Cálculo do indutor ∆I = L= E D Lf E D ∆If UTFPR – Campus Curitiba Prof.

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Cálculo da indutância crítica Para garantir a operação em condução contínua. fazendo-se a corrente mínima igual a zero (condução crítica): Im = 0 = Io D⋅E − (1 − D ) 2 ⋅ Lcrit ⋅ f L ≥ Lcrit = E ⋅ D(1 − D ) 2 ⋅ f ⋅ Io Condução contínua Condução descontínua UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 17 . o mínimo valor da corrente no indutor deve ser maior do que zero Pode-se determinar o mínimo valor de indutor que garante esta condição.

Amauri Assef 18 . T): Toda a energia armazenada em L foi transferida à carga => D bloqueado => O capacitor C alimenta a carga R. 2ª Etapa (tc. 3ª Etapa (tc + to. significa que toda a energia armazenada no indutor L foi transferida à carga 1ª Etapa (0. tc + to): S aberta => D em condução. UTFPR – Campus Curitiba Prof. O capacitor C alimenta a carga R. tc): S fechada => L acumula energia => D bloqueado.Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Condução descontínua: Se durante o tempo de abertura (ta) da chave a corrente IL se anular. Transferência da energia do indutor para carga.

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Condução descontínua – Formas de onda: VS 0 (E+Vo) io (E – tensão de entrada) t (E) t IDmed = Io 0 t VL 0 vc = vo ΔVc = ΔVo (Vo) iL 0 0 (IM) ILmed t t iC 0 tc T to ta IE = IS ID t UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 19 .

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Exercício: O conversor buck-boost tem uma tensão de entrada E=12V.25A. ΔVc. Eo D = E 1− D D ⋅ Io ∆vc = ∆vo = f ⋅C E ∆I = D Lf IM = Im = L= Io D⋅E + (1 − D ) 2 ⋅ L ⋅ f Io D⋅E − (1 − D ) 2 ⋅ L ⋅ f E D ∆I max f I Lmed = Io (1 − D ) UTFPR – Campus Curitiba Prof. ΔIL. A razão cíclica D=0.25 e a frequência é 25kHz. A corrente média de saída é 1. (d) corrente máxima do transistor. A indutância L=150uH e a capacitância C=220uF. (b) a ondulação da tensão de saída de pico a pico. (c) a ondulação da corrente no indutor de pico a pico. Determinar: (a) a tensão média de saída. Amauri Assef 20 .

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Simulação: UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 21 .

Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost Formas de onda: UTFPR – Campus Curitiba Prof. Amauri Assef 22 .

Amauri Assef 23 .Eletrônica de Potência – BuckBuck-boost UTFPR – Campus Curitiba Prof.

New York: John Wiley. Ned. Editora: Prentice Hall. Rashid Eletrônica de Potência. UFSC. Tore M. Amauri Assef 24 . Dragan. 1ª edição. Editora: Makron Books. 1995 AHMED. Conversores CC-CC Básicos Não-Isolados. 2001. William P. and design. Ashfaq. “Eletrônica de Potência”.fee. MOHAN. Power electronics: converters. & MARTINS Denizar Cruz. applications. 2001 MUHAMMAD.Eletrônica de Potência – Buck Referências bibliográficas: BARBI. Disponível em: <http://www. 2000 José A. 1999 ERICKSON. Fundamentals of power electronics.br/~antenor/> - UTFPR – Campus Curitiba Prof. MAKSIMOVIC..dsce. Robert W. UNDELAND. New York: Kluwer Academic. UNICAMP.. 1a edição. Ivo. Eletrônica de Potência. ROBBINS.unicamp. Pomilio.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful