Protocolos farmacológicos em Odontologia.

Resumo:

Introdução. Os Protocolos têm o objetivo de estabelecer claramente os critérios de diagnóstico de cada doença, o tratamento preconizado, os medicamentos disponíveis nas respectivas doses corretas. Funcionam como “manuais” que trazem informações detalhadas sobre como se
proceder quanto ao diagnóstico, tratamento, controle e acompanhamento dos pacientes.

como as demais ciências da área da saúde. não pode ser traçada separadamente.Justificativa A Odontologia. passando pelo pré-cientificismo. por suas particularidades. intensificou-se a busca do conhecimento visando a prevenção da infecção cruzada no atendimento ambulatorial. até o surgimento de escolas especializadas na prática odontológica. Na Odontologia. uma vez que está interligada com o desenvolvimento das ciências médicas. A história da Odontologia. nos séculos XVI e XVII. . percorreu várias etapas no decorrer de sua evolução. chegando assim à fase Científica. ¹ Seguir Protocolos estabelecidos por autoridades competentes é de relevante importância para a segurança do paciente. iniciando com o empirismo. em seus primórdios. na Idade Antiga.

ou 4 a 6 tubetes na diluição de 1:200. Anestesia local seguir protocolo específico: conforme o protocolo específico. Usamos então 45 a 60 minutos antes do procedimento: 1. Sedação consciente: usada somente em casos de ansiedade aguda e quando houver falhas pelos métodos não-farmacológicos. podem ser usados 2 a 3 tubetes de solução contendo adrenalina a 1:100. Midazolam 7. Anti-sepsia extrabucal: é feita com o auxilio de uma pinça (por ex:Allis) com gase embebida de digluconato de clorexidina a 2%. infecções fúngicas sistêmicas ou alergia a . Dipirona sódica 500mg – 4 a 6 horas ou 2. Avaliar contra indicações: herpes. Protocolo farmacológico de anestesiologia local Crianças e idosos e pacientes com doenças hepáticas e renais sempre recebem doses menores. sendo assim em pequenas cirurgias de tecido mole e exodontias simples ou não complicadas.000. Diazepam 5 a 10 mg Anti-sepsia intra e extrabucal: conforme o protocolo específico.5 a 15 mg 2.4mg/Kg de peso 300mg Mepivacaína 2% a 3% 4.3mg/Kg de peso 90mg Articaína a 4% 7mg/Kg de peso 500mg Prilocaína a 3% 6mg/Kg de peso 900mg Fonte: MARQUES. 1.000.Outubro 2010 Protocolo farmacológicos de anti-sepsia intra e extrabucal Anti-sepsia intrabucal: bochechar 15 mL de solução de digluconato de clorexidina a 0. Fabio Vidal: Protocolo clínico para anestesiologia local em Odontologia. Em casos que há contra-indicação de vasoconstritor. Paracetamol 750 mg – 6/6 horas Cirurgia de maior complexidade: Medicação pré operatória: • 4mg de Dexametazona ou Betametasona dose única 60 minutos antes. Protocolos farmacológicos em Cirurgia Bucal Cirurgia de menor complexidade: leve grau de desconforto e de dor no pós operatório. Recomendada por Sessão Dose Máxima Absoluta por Sessão N° tubetes 8 8 9 6 7 Lidocaína a 2% 4.[Desenvolvimento] Os principais protocolos em Terapêutica odontológica serão abordados levando em consideração situações da prática odontológica separados por suas principais áreas de atuação.4mg/Kg de peso 300mg Bupivacaína a 0.5% 1.12% por 1 minuto. Droga Dose Max. Medicação pós-operatória: uso de analgésicos somente em caso de dor.

nem sempre o especialista acha necessário ultilizar corticosteróides. nas seguintes dosagens: • • • Dipirona sódica 500 – a 800 mg Paracetamol 500 a 750 mg Acido acetilsalicílico 500 a 600mg Administrar a primeira dose após o termino do procedimento antes de cessar os efeitos da anestesia local. com dipirona ou paracetamol conforme descrito no protocolo anterior. Tratamento endodontico de maior complexidade Em adultos qundo a expectativa em relação ao pós operatório é de que haverá dificuldade na instrumentação do sistema de canais radiculares deve-se instituir analgesia preemptiva e uso de um corticosteróide de ação prolongada dexametazona ou betametazona dose única 30 minutos antes. Nos tratamentos convencionais os pacientes podem acusar qundo muito apenas dor e desconforto de intensidade leve justificando o emprego de um analgésico. Anestesia local conforme protoclo Medicação pós-operatória: • Analgesia . Antibiótico profilaxia: Quando a profilaxia for necessária deve se empregar 1ª 2 gramas de amoxicilina ou 300 a 600 miligramas de clindamicina aos alérgicos às penicilinas uma hora antes da intervenção em dose única. Por um período de 24 horas. prescrever Aine’s ou drogas inibidoras da Cox – 2. Protocolo farmacológico em Endodontia: Tratamento endodontico convencional. como medicação pré operatória. Anti-sepsia: intra e extrabucal conforme protocolo.5 a 1 ml 2 a 4mg de solução injetável de betametasonana região apical do dente envolvido. . Antes da instrumentação endodôntica de elementos assintomáticos. prescrever as doses de manutenção conforme protocolo acima. entretanto se o especialista mudar de idéia pode se fazer infiltração submucosa de 0.componentes da formula.

ou periorbital em virtude de prevalência de bactérias anaeróbias estritas G (-) . • • Dipirona sódica 500 – a 800 mg Paracetamol 500 a 750 mg • • Administrar a primeira dose após o termino do procedimento antes de cessar os efeitos da anestesia local. Quadro de celulite na região sublingual. uma dose de ataque do antibiótico ( no mínimo o dobro da dose de manutenção). pressupõe-se a presenção de microorganismos no interior de sistemas radiculares e periapical.7 a 15 mg ( Diazepan: contra indicado em idosos) • Dexametazona 4 mg ou Betametazona 4 mg. . Medicação pós-operatória. 30 a 45 minutos antes do procedimento. Para prevenir a disseminação microbiana a partir da área contaminada dos canais radiculares e da lesão periapical administrar: Amoxicilina 1 a 2 gramas dose única ou Azitromicina 500mg em caso de alergia a penicilinas 30 minutos antes do inicio do procedimento. Doses de ataque dos antibióticos ( adultos ou crianças acima de 12 anos) Abscessos apicais localizados na região subperióstica ou submucosa. Fazer bochecho com 15 ml com solução de digluconato de clorexidina a 0. Quando empregar antibióticos No protocolo medicamentoso pode se administrar nos casos previstos. prescrever as doses de manutenção conforme protocolo acima. (Assim diagnosticado por meio de anamnese e pelo exame físico) Amoxicilia 1g Pacientes com história de hipersensibilidade a penicilinas Eritromicina 1 g ou Azitromicina 500mg Abscessos apicais com características de maior gravidade.Cirurgias parendodonticas Devido ao fracasso do tratamento endodontico convencional . O único parâmetro confiável para se descontinuar a terapia antibiótica das infecções agudas é a remissão dos sinais e sintomas clínicos. Desta forma pára os casos de cirurgias parendodontica compresença de lesão periapical propõe-se o seguinte protocolo: Medicação pré-operatória: Diazepan 5 a 10 mg ou midazolan 7. submandibular.12% durante um minuto a cada 12 horas pelo período Maximo de 5 a 7 dias. • Amoxicilina 1g + Metronidazol 250 mg Pacientes com alergia a penicilina : • Clindamicina 600mg.

Em caso de hiperswensibilidade azitromicina 1g ou clindamicina 600mg. Após a resolução de infecção periodontal.DOENÇAS PERIODONTAIS AGUDAS Abscessos do periodonto Os abscessos do periodontos são subdivididos em gengivais . DOENÇAS PERIODONTAIS CRÔNICAS O uso sistêmico de antibióticos no tratamento das doenças periodontais crônicas ainda é um dilema.5 ou 15 mg via oral concomitantemente com o antimicrobiano. periodontais e pericoronarios. Em caso de hipersensibilidade Azitromicina 500mg a cada 24 horas ou Clindamicina 300mg a cada 8 horas. Se houver a real necesessidade do uso de antibiótico obedecer os princípios indicados nos tratamentos de outras infecções bucais agudas. Anti-sepsia intra e extrabucal: conforme protocolo. Durante 3 dias . Protocolo farmacológico à drenagem cirúrgica Medicação pré operatória Quando houver indicação : Amoxicilina: uma dose de ataque de 1g adminstrado 45 minutos antes do precedimento. Anestesia local: Medicação pós-operatório : • Amoxicilina: 500mg a cada 8\8.o paciente deve ser inserido num programa individual de manutenção.A recorrência da doença progressiva requer um imediato teste microbiológico e subseqüente terapia antibiótica contra microrganismos identificados. Periodontites agressivas • . Sedação consciente: considerar o uso de midazolan 7. cujo o tratamento básico é praticamente o mesmo Geralmente de caráter de urgência é feito uma descontaminação local por meio da drenagem da coleção purulenta seguiido de meticuloso controle do biofilme dental.

Com base no artigo da American Academy of Periodontoloy. Diazepam 5 a 10 mg Anti-sepsia intra e extrabucal: conforme o protocolo específico.O protocolo mais recomendado para a terapia inclui o debridamento mecânico. Usamos então 45 a 60 minutos antes do procedimento: 3. a cada 12 horas por 8 dias. • • Dexametasona 4 mg Betametazona 4 mg . Os regimes mais comumente utilizados associam amoxicilina 375 mg ou 500 mg com metronidazol 250 mg a cada 8 horas por 7 dias.5 a 15 mg 4.por 14 a 21 dias. PROTOCOLOS FARMACOLÓGICOS EM CIRURGIAS PERIODONTAIS Intervenções de menor complexidade Sedação consciente: usada somente em casos de ansiedade aguda e quando houver falhas pelos métodos não-farmacológicos.a despeito da terapia mecânica convencional.operatória: administrada 60 minutos antes do procedimento para prevenção da hiperalgesia e edema pós-operatório em dose única. Anestesia local seguir protocolo específico: conforme o protocolo específico. Metronidazol + amoxicilina – 250mg de cada droga.complementado pelo o uso de uma associação de amoxicilina e metronidazol. 3. Periodontite crônica No tratamento de periodontite crônica o uso adjunto de antibióticos deve ser limitado somente em pacientes que tem perda continua de suporte periodontal. Clindamicina – 300mg a cada 8 horas por 8 dias. Midazolam 7. Em pacientes com alergias as penicilinas ou intolerância ao metronidazol recomenda-se doxiciclina 100mg única dose diária.O tratamento geralmente é beneficiado pelo uso sistêmico de antibióticos.as drogas e regimes mais empregados atualmente são os seguintes: • • • • • • • Metronidazol . Dipirona sódica 500mg – 4 a 6 horas ou 4.500mg a cada 8 horas por 8 dias. a cada 8 horas por 8 dias. Azitromicina – 500mg a cada 24 horas por 4 a 7 dias. Medicação pós-operatória: uso de analgésicos somente em caso de dor. Metronidazol + ciprofloxacina – 500mg de cada droga. Ciprofloxacina – 500mg a cada 12 horas por 8 dias. Paracetamol 750 mg – 6/6 horas Intervenções de maior complexidade Medicação pré. Doxicilina ou minociclina – 100mg a 200 mg a cada 24 horas por 21 dias. Não existe um protocolo padrão em relação o uso de antibióticos quando a terapia mecânica não funciona.

5 ou 15 mg via oral concomitantemente com o corticosteróide.Sedação consciente: considerar o uso de midazolan 7. Usamos então 45 a 60 minutos antes do procedimento: 5. 1 hora antes do procedimento. Intervenção de maior complexidade Sedação consciente: usada somente em casos de ansiedade aguda e quando houver falhas pelos métodos não-farmacológicos. Profilaxia antibiótica cirúrgica: Uma dose de 2 g de amoxicilina. • • Dexametasona 4 mg ou Betametazona 4 mg . Anestesia local : conforme protocolo.Em pacientes alérgicos usar azitromicina 500 mg ou clindamicina 600 mg. Por um período de 24 horas. Usamos então 45 a 60 minutos antes do procedimento: 7.5 a 15 mg 6. Diazepam 5 a 10 mg . Midazolam 7. Diazepam 5 a 10 mg . • Digluconato de clorexidina a 0. Por um período de 24 horas. Midazolam 7. PROTOCOLOS FARMACOLÓGICOS EM IMPLANTODONTIA REGIMES FARMACOLÓGICOS PARA CIRURGIAS DE IMPLANTES Intervenção de menor complexidade Sedação consciente: usada somente em casos de ansiedade aguda e quando houver falhas pelos métodos não-farmacológicos.12%: bochechar a solução duas vezes ao dia. Anti-sepsia intra e extrabucal :conforme protocolo. Medicação pós-operatória: • Analgesia : com dipirona ou paracetamol conforme descrito no protocolo anterior.5 a 15 mg 8. Antibiótico profilaxia: quando necessária deve se empregar 1 a 2 gramas de amoxicilina ou 300 a 600 miligramas de clindamicina aos alérgicos às penicilinas uma hora antes da intervenção em dose única.em torno de 7 dias. Anestesia local : conforme protocolo. Anti-sepsia intra e extrabucal :conforme protocolo. Medicação pós-operatória: • Dipirona ou paracetamol: conforme descrito no protocolo anterior. Prevenção da hiperalgesia e controle do edema: administrada 60 minutos antes do procedimento.

5 mg/kg Anti-sepsia intrabucal: conforme protocolo.2 a 0. Intervenção de maior complexidade Medicação pré. Paracetamol: solução oral “gotas” – 1gota/kg 6/6 horas no máximo 24 horas depois.0.5mg \kg regra pratica = 1gt\kg que pode ser repetida a cada 12 horas. Anti-sepsia extrabucal: conforme protocolo.em torno de 7 dias.025 a 0.Em pacientes alérgicos usar azitromicina 500 mg ou clindamicina 600 mg. na dosagem de 2. 1 hora antes do procedimento.enrolar no dedo uma gase estéril embebida com digluconato de clorexidina a 0.0. .5 mg/kg Outra opção é por meio de inalação de Oxido nitroso e oxigênio por meio de profissional qualificado. Medicação pós-operatória: • Dipirona ou paracetamol: conforme descrito no protocolo anterior.05mg\kg de peso corporal em dose única 45 minutos antes do procedimento. em caso de contra-indicação da epinefrina. Anti-sepsia intra e extrabucal :conforme protocolo.3 mg/kg • Midazolan .3 mg/kg • Midazolam .2 a 0.2% e aplicá-la nas superfícies dos dentes.12%: bochechar a solução duas vezes ao dia. Anestesia local: • Lidocaína a 2% com epinefrina 1:100.5 mg\ml) na dosagem de 0. Por um período de 24 horas. Sedação consciente: Se necessário usar via oral 30 a 45 minutos antes do procedimento: • Diazepam – 0.Mas em crianças menores e que não conseguem bochechar. Como alternativa ao corticosteróide pode-se empregar nimesulida solução oral “gotas” (50 mg\ml). PROTOCOLOS FARMACOLÓGICOS EM ODONTOPEDIATRIA Intervenção de menor complexidade Sedação consciente: se necessário usar via oral 30 a 45 minutos antes do procedimento: • Diazepam – 0. • Betametasona solução oral gotas (0. • Digluconato de clorexidina a 0.Profilaxia antibiótica cirúrgica: Uma dose de 2 g de amoxicilina.operatória: administrada 60 minutos antes do procedimento para prevenção da hiperalgesia e edema pós-operatório em dose única. Medicação pós-operatória: 1º dose após o procedimento • • Dipirona solução oral “gotas” – ½ gota/kg 4 /4 horas no máximo 24 horas depois. Anestesia local : conforme protocolo.000 • Prilocaína a 3% com felipressina.

000 • Prilocaína a 3% com felipressina.Anti-sepsia intrabucal: Orientar a criança a bochechar vigorosamente 15 ml de solução de digluconato de clorexidina 0. Em crianças menores e que não conseguem bochechar.2% e aplicá-la nas superfícies dos dentes. Paracetamol: solução oral “gotas” – 1gota/kg 6/6 horas no máximo 24 horas depois.2% por um minuto sem deglutir a solução. Anestesia local: • Lidocaína a 2% com epinefrina 1:100. em caso de contra-indicação da epinefrina. . Anti-sepsia extrabucal: conforme protocolo. Medicação pós-operatória: 1º dose após o procedimento • • Dipirona solução oral “gotas” – ½ gota/kg 4 /4 horas no máximo 24 horas depois. enrolar no dedo uma gase estéril embebida com digluconato de clorexidina a 0.

pois. Concluímos que através de estudos feitos para elaboração deste artigo que os protocolos farmacológicos é de fundamental importância e necessidade na área da saúde.Esses protocolos ajudam a padronizar e assim melhorar as formas de tratamento e conduta a serem realizadas de forma correta e segura.Conclusão. vários estudos foram feitos com embasamento e comprovação científica.inclusive na odontologia. .

org. Acesso em: 22/08/2009. Registro.Niklaus.php [Acesso em 28/10/2011 às 19:20] 11. NEIDLE. 9. Rio de Janeiro. http://www. E.Vania Santos. 2000. de 22 de outubro de 2001. Outubro 2010. Artes Médicas : São Paulo. http://www. Pág.php [Acesso em 30/10/2011 às 13:28] 12. Jan. de 17 de novembro de 2006. http://www. alteração. 2.aboimperatriz. CARRANZA.pdf [Acesso em 26/10/2011 às 16:34] 10.. 7.org.5º ed. Serviços Odontológicos.php?id=22426&word= Alterada por:Resolução RDC nº 207. Prevenção e Controle de Risco. Website: http://e-legis.NEWMAN. ANDRADE. ANVISA. Anvisa 2006.. Tratado de Periodontia Clinica e Implantodontia Oral. MARQUES.anvisa.gov. Diário Oficial da União .CARRING. 2001.. Guanabara Koogan.2010. 2004.br/document/?code=vtls000429221 30/10/2011 às 12:20] [Acesso em .1998.br/revista/81/materia-3. de 24/10/2001.br/pc/out10. Rio de Janeiro. NEDER. LINDHE.abo.Eduardo Dias De. Brasília.cro-rj. 5. Antônio Carlos. 100 4. Periodontia Clínica.Referências Bibliográficas. São Paulo. revalidação e cancelamento do registro de produtos médicos na Agência Nacional de Vigilância Sanitária.br/leisref/public/showAct. Guanabara Koogan. Guanabara Koogan. BRASIL. YAGIELA..10°ed. DF.unicamp. http://cutter. Resolução RDC nº 185.Ministério da Saúde. Farmacologia e terapêutica para Dentistas. 1. Brasil. 2ºed. Rio de Janeiro.br/art_04.com. Farmacoterapia para médico Cirurgião-dentista.2004.TAKEI. 8.Thorkild. ANVISA Publicações Eletrônicas. 6. 13. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia: procedimentos clínicos e uso de medicamentos nas principais situações da prática odontológica. Fabio Vidal: Protocolo clínico para anestesiologia local em Odontologia. J. LANG. 4º ed. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 3.9° ed.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful