Assalto D’alma

Crime cruel crime fulgaz Furtei tua juventude e deveras mais Sentimentos não devolvo nunca A solidão que deixaste assim ficou Guardo em minh’alma em minhas lagrimas A vida não volta nunca mais Quero acordar denovo denovo renascer Com um pouco mais de liberdade Para te ver novamente florecer Mas flor igual nunca mais ei de ver Crime fulgaz crime cruel Assaltei teu amor E me levaste a vida e alegria Sei que não devolverás nunca mais
Drigo Tavares - quarta-feira – 040609 – 21:16

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful