Jesus e os Excluídos...

ligue o som.

São Marcos vai mostrando "Quem é Jesus" através de seus gestos:
- Jesus liberta o homem

possuído por um espírito mau;
- Estende a mão à sogra de

Pedro e a ajuda a levantar-se; - HOJE: sua atitude para com os marginalizados e excluídos.

A 1a Leitura nos ajuda a entender melhor a mensagem do evangelho:

Os leprosos eram profundamente discriminados pela severa lei de Moisés: "O leproso andará com vestes rasgadas, cabelos soltos e barba coberta... Viverá isolado e terá a sua morada fora do acampamento... Se por acaso cruzar com alguém, deve gritar: sou impuro, sou impuro...” O preceito se explica pela preocupação do contágio e pelo conceito dos hebreus, que viam na lepra um castigo de Deus para com o pecador...

O Leproso era assim um castigado de Deus e um excluído da comunidade...

No EVANGELHO,

encontramos a atitude de Cristo para com eles:
purifica um leproso e o reintegra na sua comunidade...

- Um leproso aproxima-se... (era contra a lei...) e de joelhos pede: "Se queres, podes curar-me..."

Jesus se “compadece”... “estende a mão e o toca”

e lhe restitui a saúde: “Quero, fica curado...”

Ao acolher e tocar o leproso, Jesus transgredia a lei, que proibia tocar neles. Mas logo em seguida a cumpre: manda mostrar-se ao Sacerdote para receber o atestado de cura. = A caridade está acima da Lei... Cristo não vinha suprimir a lei, mas aperfeiçoá-la... O Leproso, ao experimentar o poder salvador de Jesus, torna-se um ardoroso testemunha do amor e da bondade de Deus.

O caminho do LEPROSO deve ser o caminho de todo DISCÍPULO:
- Vir a Jesus, aceitar a própria limitação humana, - experimentar a misericórdia e o poder libertador do Senhor - e tornar-se testemunha das grandes obras de Deus.

Outros vêm nesse episódio elementos do Sacramento da PENITÊNCIA:

A Penitência é um encontro com Jesus, que cura da lepra do pecado e re-introduz na comunidade eclesial.

Os Leprosos de hoje...

Infelizmente ainda existe a lepra em nossas Comunidades... Há muitos excluídos, mantidos "fora do acampamento". Os leprosos de hoje são os que vivem nos barracos das favelas; são os desempregados das cidades industriais; os jovens drogados, vítimas de uma sociedade consumista; são as crianças abandonadas; são os idosos sem vez no emprego e na família...

= São lepras que matam muito mais do que a lepra do tempo de Jesus. + Jesus não teve repugnância dos leprosos... Pelo contrário, aproxima-se deles, porque vê neles um filho de Deus. * E Nós vamos ao encontro deles ou nos mantemos à distância? + Jesus sentiu "compaixão"... * O que sentimos diante do sofrimento, da injustiça, da miséria, da humilhação de um irmão? "Estendemos a mão" ou apenas lamentamos: "Coitado!..."

A cura da lepra era um Sinal dos tempos messiânicos...
No Antigo Testamento, só dois grandes profetas tinham curado a lepra: - Moisés (sua irmã Maria) e - Eliseu (Naaman, o Sírio).
- Os guias religiosos

não reconhecem o dia da libertação. - O leproso curado o vislumbra e o testemunha com entusiasmo.

Em nossa comunidade, quem são os leprosos excluídos?
- Muitas vezes são rejeitados, como se fossem leprosos, todos os "DIVERSOS": os que pensam ou agem diferente de nós.

E quando alguém se sente um "leproso",
a quem ele deve se dirigir? Será que poderá contar com o apoio dos cristãos de sua comunidade, com a mesma confiança do leproso que procurou Jesus ?

O encontro com Jesus transformou totalmente a vida do leproso.
Ele não podia esconder a alegria, que esse encontro produziu nele. • O nosso encontro com Cristo nessa Eucaristia nos torna capazes de testemunhar no meio de nossos irmãos, com alegria e entusiasmo, a libertação de Cristo? Renovemos nossa confiança na grande misericórdia de Deus, que pode libertar todas as lepras, que descriminam, e impedem uma convivência feliz na família, na comunidade e na sociedade.