P. 1
O Inverno Nuclear - Carl Sagan

O Inverno Nuclear - Carl Sagan

2.0

|Views: 1,059|Likes:
Published by fadasan

More info:

Published by: fadasan on Jun 21, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/07/2015

pdf

text

original

Até aqui, concentrei minhas observações nos efeitos
produzidos na Zona Temperada Norte, terreno provável
da guerra. Mas o que aconteceria nos trópicos e no
Hemisfério Sul? Naturalmente, isso dependeria em
grande parte da exata configuração dos alvos escolhidos
e de quantas tempestades ígneas se produzissem (pois
estas poderiam injetar enormes quantidades de material
na estratosfera, onde ele seria facilmente transportado do
Hemisfério Norte para o Sul).
Em qualquer cenário de guerra, a propagação do frio e da
escuridão às extensas áreas tropicais do Hemisfério Norte
é altamente provável, e é pelo menos possível que se
estendesse igualmente às áreas tropicais do Hemisfério
Sul. Ainda que o frio e a escuridão ficassem em grande
parte confinados às regiões temperadas do norte, pulsos
de ar frio poderiam penetrar bastante fundo nas zonas
tropicais. Portanto é oportuno mencionar as prováveis
conseqüências de tal propagação.
Muitas plantas de zonas tropicais e subtropicais não
possuem mecanismos de liberação que lhes permitam

suportar estações frias. Nessas regiões, danos em grande
escala seriam infligidos às plantas pelo esfriamento, ainda
que as temperaturas não chegassem a cair ao ponto de
congelamento. Além disso, considera-se que vastas áreas
de vegetação tropical estão muito próximas do "ponto de
compensação" fotossintético - a quantidade de dióxido de
carbono que absorvem é apenas ligeiramente maior que a
que liberam. Se o nível de luz caísse, essas plantas
definhariam, mesmo em ausência de resfriamento. Se a
luz permanecesse escassa por um tempo prolongado, ou
se a baixos níveis de iluminação se combinassem baixas
temperaturas, florestas tropicais poderiam desaparecer
em grande parte, levando consigo quase por inteiro um
dos recursos não-renováveis mais preciosos da Terra:
suas reservas de diversidade genética, compreendendo a
maioria das espécies animais e vegetais. Animais
tropicais, seres humanos neles incluídos, são também
muito mais sujeitos a morrer de frio que os seus
semelhantes das zonas temperadas. Em resumo: onde
regiões tropicais fossem afetadas por alterações
climáticas, as conseqüências poderiam ser muito mais
sérias do que as provocadas por mudanças similares
numa zona temperada.
Mais que isso, mesmo na ausência de frio e escuridão, a
dependência dos povos tropicais de alimentos e
fertilizantes importados criaria problemas de suma
gravidade. Um grande número de habitantes seria forçado
a deixar as cidades e a tentar cultivar áreas
remanescentes de floresta tropical úmida, acelerando a
sua destruição na medida em que os sistemas fossem
levados muito além da sua capacidade de carga.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->