Na aula passada nós vimos a revolução inglesa, que foi o último acontecimento na Inglaterra antes da Revolução Industrial, nosso

assunto de hoje. Tudo começou com a morte da rainha Elizabeth I, em 1603, que pensava políticas econômicas para o reino inglês que estavam de acordo com os interesses da burguesia. Vocês lembram quem era a burguesia? Eles eram responsáveis pelas manufaturas e venda de produtos manufaturados, o que permitia que eles tivessem uma posição econômica um pouco melhor. Mas esta possibilidade de melhorar sua posição era limitada, por conta das práticas do Antigo Regime (mercantilismo, nobreza e o clero católico no poder). A Elizabeth I (Anglicana) não deixava nenhum herdeiro, um filho, por exemplo. Assim, quem assumiu a coroa foi o seu primo mais próximo, Jaime Stuart, que já era rei da Escócia, mas a população inglesa não apoiou este novo rei. As relações entre ele e a burguesia pioraram quando, em 1610, ele tentou impor o monopólio da coroa sobre as indústrias de tecido. Ele morreu em 1625, deixando o trono para o seu filho, Carlos Stuart, que seguiu as políticas econômicas de seu pai. A insatisfação causou uma Guerra Civil-Guerra das Duas Rosas, de 16421649, que levou à tomada de poder por Oliver Cromwell, que proclamou uma República (1649-1653), o que ficou conhecido como a Revolução Puritana. Seu governo sofreu as conseqüências da guerra civil: problema nas colheitas, alta do custo de vida, baixos salários e altas taxas dos produtos. Esse período de insatisfação popular permitiu a retomada de poder da monarquia, em 1660, com a proclamação de Carlos II rei. Este novo rei teve o apoio da aristocracia e da alta burguesia, incentivando a expansão do comércio e da indústria. A Restauração monárquica seguiu com Jaime II, em 1685, mas este rei era defensor do catolicismo, reduzindo o pagamento de impostos da Igreja, o que causou a sua saída do trono, iniciando a Revolução Gloriosa. Vocês conseguem perceber como a burguesia está se fortalecendo politicamente? Guilherme de Orange (casado com a filha de Jaime II) subiu ao trono propondo uma monarquia constitucional (Rei é parte do poder Executivo – execução de leis –, mas existem outros dois órgãos: Legislativo e Judiciário), de caráter liberal, o que possibilitaria, futuramente, o desenvolvimento do capitalismo. É aqui que entra o assunto da nossa aula.