TROCADORES DE CALOR CASCO E TUBOS - São trocadores amplamente utilizados em processos industriais (aquecimento, resfriamento, evaporação ou vaporização e condensação

de todas as espécies de fluidos), quando se necessita de grandes áreas para transmissão de calor. - Consiste de tubos paralelos, por onde circula um dos fluidos, montados num casco cilíndrico, no qual circula o outro fluido. - Tem vantagens em termos de fabricação, custos e desempenho térmico. Podem ser construídos com grandes superfícies de troca de calor em um volume relativamente pequeno, apresentando grande flexibilidade nas condições de projeto e operação (ampla faixa de temperatura e pressão) Projeto de trocadores de calor (características, fabricação, materiais) - Normas TEMA: Classe R: condições severas de processamento de petróleo Classe C: condições moderadas de operação , aplicação comercial: refrigeração Classe B: serviços de processamento químico Componentes básicos de trocador casco e tubos: - Casco (1) - Feixe de tubos - Espelhos (2) - Defletores (ou chicanas) (5) - Cabeçotes (3 - carretéis e 4 - tampo) - Tirantes (6)

3

Figura 1. Componentes de um trocador de calor casco e tubos Defletores ou chicanas - conduzem o escoamento do fluido de forma ora cruzado, ora paralelo, o que ocasiona certa turbulência e um maior tempo de residência do fluido do casco, levando a um aumento da transferência de calor - ajudam a suportar os tubos no interior do casco, evitando a flexão dos mesmos orifícios anulares, disco e anel e segmentados

1

Tipos de defletores Cabeçotes . casco e cabeçote de retorno) 2 . Caracterização de um trocador de calor .TEMA Tipo: (cabeçote estacionário.cabeçote de retorno: dá acabamento ao casco ou descarga do fluido dos tubos.Figura 2.cabeçote estacionário: está ligado ao feixe de tubos e serve para admissão ou admissão e descarga do fluido dos tubos .

3 .

.Tipos G. Pode-se fazer a manutenção de cabeçotes. ou troca dos tubos. sendo portanto o tipo mais econômico . B e C.fácil remover o feixe de tubos. para limpeza mecânica e a limpeza química é as vezes insatisfatória) . e outros componentes no lado do casco.Figura 3. H e J para reduzir a perda de pressão do fluido do casco e ainda no caso de condensadores em série .o feixe de tubos pode ser removido para inspeção.o diferencial de temperatura entre os fluidos não for grande .pressão no lado do casco á alta comparada com a dos tubos Trocadores de cabeçote flutuante: .Espelho fixo: Tipos L. M e N são iguais aos cabeçotes estacionários A. e também fazer a limpeza no interior dos tubos.Tipos A e C permitem inspeção dos tubos sem a remoção do cabeçote Cascos: . limpeza exterior. Trocadores com tubos em U: . S e T) Trocadores com espelhos fixos: . Caracterização do trocador: casco e cabeçotes (TEMA) Cabeçotes estacionários: .Cabeçote flutuante ou tubo em U: são usados quando há um grande diferencial de temperatura entre os fluidos e torna-se necessário prover o trocador para a dilatação do feixe de tubos (P.a seção dobrada em U é livre para expandir-se no lado casco.Tipo K é usado como refervedor ou em refrigeradores e deve ter o diâmetro do casco bem maior do que o do feixe para prover espaço para o vapor formado.construção simples . . Cabeçotes de retorno: . . permite o movimento entre casco e tubos ou uma expansão térmica diferencial entre o feixe de tubos e o casco.simplicidade de fabricação .Tipo E . devido à dificuldade de limpeza dos tubos dobrados .mais usado .Tipos A e B podem ser removidos sem a remoção dos tubos .espelho é móvel.o fluido do lado do casco é limpo e não corrosivo (Não se consegue atingir o lado do casco.difícil a substituição dos tubos individualmente Tamanho: 4 .o fluido que escoa nos tubos deve ser limpo.

deve-se usar a parte inteira do número que mede a gola ou garganta do casco.Tubos em U: . 5 . . 12. Feixe de tubos: Tubos lisos: . do número que mede o diâmetro interno do casco .orientação das aletas: transversais ou longitudinais em relação ao tubo base. 1 in. em polegadas .comprimento padrão: 8. manutenção. Comprimento nominal: . 1 ½ in e 2 in .Tubos aletados: . 16 e 20 ft .casco tipo K.tubos em U o comprimento nominal é dado pela reta que vai da extremidade do tubo até a extremidade que passa pelo retorno do feixe.comprimento dos tubos.problema na determinação do comprimento efetivo dos tubos para o cálculo da área de troca térmica. Figura 4.parte inteira.altura das aletas: tubos de alta aleta e tubos de baixa aleta .Diâmetro nominal: . 10.os tubos aletados são classificados segundo: . limpeza. Comprimento dos tubos retos e em U.diâmetros padrões: ¾ in. corrosão e custo. em polegadas.a superfície ampliada dos tubos vai depender do espaço. 1 ¼ in. . seguida da parte inteira do número que mede o diâmetro do casco propriamente dito.

cobre.coeficientes de transferência de calor menores que o triangular.ângulo formado pela distribuição dos tubos no casco pode ser: 30. latão.máximo de tubos numa dada seção transversal . . liga cobre .fácil limpeza mecânica externa .25xDe do tubo 6 .para fluido do casco é limpo ou quando as incrustações podem ser removidas por tratamento químico .níquel.as dimensões mais comuns são ¾ in e 1in de diâmetro externo Arranjo de tubos no espelho: .Materiais de construção dos tubos e dimensões: .aço. bronze alumínio e os aços inoxidáveis. passo .P menor distância de centro a centro de tubos adjacentes passo mínimo: 1. Arranjo de 30° ou passo triangular: .maior perda de carga que o arranjo quadrado (45°) Arranjo de 45° ou passo quadrado girado: . . Arranjo de 90° ou passo quadrado Indicado para regimes de escoamento turbulento quando baixa perda de carga é desejada. 45 e 90°.prover espaço para o escoamento do fluido do casco e para uma boa limpeza.

classe R . 100 (%) corte de 25%: é um valor médio que serve aproximadamente para todas as situações Defletores longitudinais: quando o fluido do casco faz mais de uma passagem (¼ in de espessura) Quebra-jato: .necessário a retirada de alguns tubos que ficam próximo ao bocal de entrada.90 e 45°.determina a velocidade efetiva do fluido no interior do casco .colocado abaixo do bocal de entrada do fluido do casco . 7 .proteção do feixe de tubos: fluidos não abrasivos e não corrosivos: ρV2 >1500 .para o espaçamento uniforme entre os defletores com boa distribuição de fluxo e suporte para os tubos 1/5 Dic < Ld ≤ Dic Percentagem de corte corte = (altura do segmento da janela/ diâmetro interno do casco). Espaçamento entre defletores .Figura 5. Arranjo dos tubos de 30.classe C fluidos corrosivos e abrasivos ρV2 <500 .