Proposta de articulação entre os objectivos individuais sugeridos para os coordenadores de biblioteca e a respectiva ficha de avaliação de desempenho.

NOTA PRÉVIA: Os objectivos mencionados nesta ficha referem-se aos propostos no documento “Guião para a definição de Objectivos Individuais do coordenador da biblioteca, sugestão de instrumentos e recolha de evidências”.

A.1. Não se aplica ao coordenador a tempo inteiro pois não tem serviço lectivo distribuído; sugere-se que a classificação do item A1 seja transferida preferencialmente para o item A4, mantendo a respectiva ponderação. A2. Não se aplica ao coordenador a tempo inteiro; sugere-se que a classificação do item A2 seja transferida preferencialmente para o item A3, mantendo a respectiva ponderação. A3.1.1. Parte significativa das actividades do coordenador deve constituir um apoio às aprendizagens dos alunos apesar de formalmente não se enquadrarem no âmbito do apoio educativo, pelo que se apresentam os seguintes exemplos de objectivos que podem ser definidos no âmbito deste indicador: A ii) / B i) / C i) / E i) / E ii) / E iii) / F i) / F ii) A4. Este espaço refere-se ao nível de assiduidade do serviço não lectivo. Poderá ser pontuado da mesma forma da definida em A1.

B1. Embora estes indicadores não se apliquem directamente ao cargo de coordenador da biblioteca, podem ser definidos na perspectiva da melhoria global dos resultados escolares. Para classificar o indicador B.1. apresentamse estes objectivos: A ii) B i) / C i) / E i) / E ii) / E iii) / F i) /F ii)

B2. Na mesma lógica dos indicadores B1, são objectivos possíveis: E i) / E ii) / E iii) / F ii)

Anexo XVI ao Despacho16 872/2008 de 23/06/2008, ponto 21: «Na situação em que, nos termos do número anterior, o docente não possa ser avaliado num item de avaliação procede-se à reconversão da classificação, de forma a que a pontuação máxima do parâmetro, expressa na escala 1 a 10, corresponda à pontuação máxima do conjunto de itens ou indicadores de classificação desse parâmetro em que o docente foi efectivamente avaliado, salvaguardando-se as respectivas ponderações ou pontuações relativas»,

C1. Sugerem-se os objectivos: A i) / A iii) / F i)

C2. Objectivos a considerar: A iii) / F i) B iii) / B iv) / B v) 01) / B v) 02) / D i)
(entendendo-se que a BE é um projecto da escola)

C3. Objectivos possíveis: A i) / A ii) / Aiii) / A iv)/ G i) / G ii)

C4. Objectivos a definir em função de projectos inovadores em que o professor se insira na qualidade de coordenador da biblioteca.

Recomenda-se a validação de acções de formação na área das bibliotecas escolares para os respectivos coordenadores e elementos das equipas, de acordo com o Anexo XVI ao Despacho16 872/2008 de 23/06/2008, ponto 17:
“Por decisão do director ou do presidente do conselho executivo, podem os agrupamentos de escolas ou escolas não agrupadas validar, para os efeitos do número anterior, acções de formação contínua que, ainda que não se encontrem estritamente abrangidas pelas áreas referidas, entendam ser relevantes para o desenvolvimento profissional do docente no quadro dos objectivos ou planos de formação do agrupamento ou escola não agrupada.”

E1. Sugerem-se os objectivos: B ii) / F i) / F ii)

Ficha anotada pelo Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. 29/10/2008