P. 1
Simbolico Apres

Simbolico Apres

|Views: 0|Likes:
Published by janderson13

More info:

Published by: janderson13 on Oct 08, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/28/2015

pdf

text

original

C´ alculo Simb´ olico com Matlab

Universidade da Beira Interior Departamento de Matem´ atica

11 de Mar¸ co de 2012

(UBI)

C´ alculo Simb´ olico com Matlab

11 de Mar¸ co de 2012

1 / 38

Introdu¸ c˜ ao

Introdu¸ c˜ ao
Considere o seguinte problema Na figura seguinte est´ a representado o jardim do Rui. Os valores est˜ ao em metros.

Determine a express˜ ao simplificada que permite calcular a ´ area do jardim. Considerando x = 7 e y = 4, calcule a ´ area do jardim. Se x for o dobro de y , qual a ´ area do jardim? Sabendo que a ´ area ´ e 46m2 e que x ´ e o dobro de y , calcule o valor de y .
(UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 2 / 38

Introdu¸ c˜ ao

Introdu¸ c˜ ao
Neste problema os valores de x e de y n˜ ao s˜ ao conhecidos, ent˜ ao para realizarmos os c´ alculos consideramos x e y vari´ aveis. No Matlab este tipo de vari´ aveis chamam-se vari´ aveis simb´ olicas. Antes de qualquer opera¸ c˜ ao, onde se tem x , y ou qualquer outra letra como vari´ avel, ´ e preciso definir essas vari´ avel, para isso usa-se o comando: >>syms x y Dessa forma estar´ a a indicar que quaisquer x e y que for colocado nas fun¸ co ˜es ´ e uma vari´ avel simb´ olica e n˜ ao um n´ umero conhecido.

(UBI)

C´ alculo Simb´ olico com Matlab

11 de Mar¸ co de 2012

3 / 38

Figura: Opera¸ c˜ oes matem´ aticas (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 4 / 38 . como mostra a figura 1.Opera¸ c˜ oes com vari´ aveis simb´ olicas Opera¸ co ˜es elementares O Matlab realiza todas as opera¸ c˜ oes elementares entre express˜ oes simb´ olicas utilizando a sintaxe comum.

Para resolver esta ambiguidade existem os comandos simplify. 2x (2x + 2) − 4(x + 1) ´ e equivalente a 4x 2 − 4 mas tamb´ em ´ e equivalente a 4(x − 1)(x + 1). A figura 2 mostra como se utilizam e o resultado. entre outros. expand. expand e factor (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 5 / 38 . por exemplo. Figura: Comandos simplify.Opera¸ c˜ oes com vari´ aveis simb´ olicas Outras opera¸ c˜ oes Para al´ em das opera¸ c˜ oes elementares por vezes ´ e necess´ ario indicar explicitamente o que se pretende pois. Umas vezes ´ e mais conveniente a primeira representa¸ c˜ ao e outras vezes a segunda. factor e collect.

x. A forma de o utilizar ´ e subs(express~ ao.Opera¸ c˜ oes com vari´ aveis simb´ olicas Outras opera¸ c˜ oes Para substituir uma vari´ avel numa express˜ ao simb´ olica o Matlab possui o comando subs.vari´ avel. Por exemplo >>subs(4*x-4. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 6 / 38 . Para este problema existe no Matlab o comando solve. >>solve(log(2*x)-4) calcula as solu¸ c˜ oes da equa¸ c˜ ao ln(2x ) − 4 = 0.valor).2) Um problema bastante comum com vari´ aveis ´ e o seu c´ alculo atrav´ es de equa¸ c˜ oes.

Quantas colheu cada um? (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 7 / 38 . O n´ umero de camelos ´ e igual ao triplo do n´ umero de dromed´ arios. A Ana colheu trˆ es vezes mais do que o Pedro. num total de 63 bossas. Determine a idade actual do pai e do filho? A Ana. o pai tinha 31 anos. H´ a cinco anos.Opera¸ c˜ oes com vari´ aveis simb´ olicas Exerc´ ıcios Factorize o seguinte polin´ omio x 3 − 13x + 12 Num deserto. No total colheram 212 tangerinas. e o V´ ıtor colheu mais quatro do que os outros dois em conjunto. existem camelos e dromed´ arios. o pai do Tom´ e tinha o dobro da idade do filho. o Pedro e o V´ ıtor foram colher tangerinas. Quantos animais de cada esp´ ecie existem nesse deserto? Quando o Tom´ e nasceu.

de uma forma simples.Gr´ aficos Gr´ aficos Aproveitando as capacidades simb´ olicas e gr´ aficas do matlab existe o comando ezplot. o gr´ afico de uma fun¸ c˜ ao y = f (x ). Este comando desenha. [−2π. por defeito. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 8 / 38 . por exemplo >>ezplot(sin(3*x)+2*x) apresenta o gr´ afico da fun¸ c˜ ao f (x ) = sin(3x ) + 2x no intervalo. 2π ].

Todos os comandos para alterar o aspecto do gr´ afico que existiam para o comando plot.[1.Gr´ aficos Gr´ aficos No gr´ afico anterior o eixo das abcissas foi definido automaticamente. mas pode ser introduzidos pelo utilizador da forma: >>ezplot(sin(3*x)+2*x.2]) Podemos tamb´ em representar fun¸ c˜ oes impl´ ıcitas. tamb´ em funcionam para este comando. por exemplo o comando >>ezplot(y^2-6*y-x+5) representa a regi˜ ao definida por y 2 − 6y − x + 5 = 0. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 9 / 38 .

A instru¸ c˜ ao >>ezsurf(2*x^2-3*y^2-4). como mostra a figura. tamb´ em funcionam para este comando. mas mais simples. Todos os comandos para alterar o aspecto do gr´ afico que existiam para o comando surf. Desenha o gr´ afico da fun¸ c˜ ao z = 2x 2 − 3y 2 − 4. A sua utiliza¸ c˜ ao ´ e semelhante ` a do comando surf.Gr´ aficos Gr´ aficos 3D Para gr´ aficos de superficies a 3 dimens˜ oes o comando ´ e ezsurf. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 10 / 38 .

Numa semana fabricou 160 cestos e obteve um lucro de 400 euros. quando o burro lhe disse:“ De que te queixas? Se eu levasse um dos teus sacos a minha carga seria o dobro da tua. Um cavalo e um burro caminhavam juntos. todos com o mesmo peso. E se eu te desse um saco. Quantos sacos levava cada animal? Um fabricante de cestos ganha 3 euros por cada cesto que fabrica sem defeito e perde 5 euros por cada cesto que fabrica com defeito. levando no lombo sacos muito pesados. Quantos cestos com defeito foram produzidos? (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 11 / 38 .Gr´ aficos Exerc´ ıcios Resolva graficamente os problemas seguintes. a tua carga seria igual ` a minha!”. Lamentava-se o cavalo da sua pesada carga.

Gr´ aficos Exerc´ ıcios Numa experiˆ encia laboratorial verificou-se. durante 240 horas. que a taxa de crescimento de uma col´ onia de bact´ erias. com aproxima¸ c˜ oes ` as unidades. Recorrendo ` as capacidades gr´ aficas do Matlab.0001t 3 + 0.2t + 0. Quantas horas tinham decorrido quando se verificou que a taxa de crescimento da col´ onia era nula? Qual foi a taxa de crescimento m´ axima? Em que instante se verificou? (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 12 / 38 . ` as quest˜ oes seguintes. esboce o gr´ afico da fun¸ c˜ ao C e recolha os valores que lhe permitem responder.2 bact´ erias por hora (0 ≤ t ≤ 240).02t 2 + 0. era de: C (t ) = −0. t horas ap´ os o in´ ıcio da experiˆ encia.

1n−0. segundo a f´ ormula f (n.t . (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 13 / 38 . e do n´ umero de horas que elas trabalham .2t Encontre graficamente o n´ umero de pessoas e o tempo gasto de modo que apanhem o m´ aximo de fruta.n. t ) = 4nte −0.Gr´ aficos Exerc´ ıcios Num pomar. a quantidade de fruta apanhada depende do n´ umero de pessoas empregues .

x ´ e a vari´ avel e a e o valor para o qual o x est´ a a tender (x → a).Limites e s´ eries Limites Para calcular o limite de uma fun¸ c˜ ao ou sucess˜ ao no MATLAB. o comando que se deve utilizar ´ e limit.x. A forma mais simples ´ e >>limit(f(x). Por exemplo para calcular o limite lim sin(x − 1) 1−x x →1 o comando ´ e >>limit(sin(x-1)/(1-x).a) onde f(x) ´ e a fun¸ c˜ ao para a qual se quer calcular o limite.1) (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 14 / 38 .x.

a. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 15 / 38 .x.x.’right’) onde left indica o limite ` a esquerda e right o limite ` a direita.Limites e s´ eries Limites laterais Existe tamb´ em a op¸ c˜ ao dos limites laterais.a. Basta indicar qual a direc¸ c˜ ao da forma >>limit(f(x).’left’) ou >>limit(f(x).

n ´ e a vari´ avel simb´ olica.Limites e s´ eries Somas e s´ eries Se pretendermos calcular a soma de alguns.n.a. ou todos os termos de uma sucess˜ ao temos o comando symsum.1.n.100) (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 16 / 38 . O comando utiliza-se da forma >>symsum(u(n). a ´ ea ordem do primeiro termo e b a ordem do u ´ltimo termo. Se pretendˆ essemos calcular a soma dos 100 primeiros termos da sucess˜ ao n+1 o comando seria un = 4n +3 >>symsum((4*n+1)/(n+3).b) onde u(n) ´ e o termo geral da sucess˜ ao.

1− 1 1 1 1 + − + ··· − 2 3 4 20 1 1 1 + + + . n→+∞ lim 1− 2 n n x →1 lim x −1 1 − x2 x −1 (x − 3)3 x →3 lim− Calcule as seguintes somas.Limites e s´ eries Exerc´ ıcios Calcule os seguintes limites.. 4 9 16 1 + 4 + 9 + 16 + · · · + n2 1+ (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 17 / 38 ..

t horas ap´ os ser detectada ´ e dado por r (t ) = 1 + 4t 2+t Se n˜ ao for tratada a mancha vai chegar ` a costa? Um cliente ma¸ cador sempre aborrecia o seu alfaiate com pedidos insistentes de descontos. tratava-se dum fato de 250 euros. O alfaiate. o cliente aceitou o neg´ ocio.. 8 pelo quarto e assim sucessivamente.. Quem ficou a lucrar? (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 18 / 38 . disse-lhe: “ Pois ent˜ ao leve o fato de gra¸ ca e pague-me s´ o os 12 bot˜ oes do casaco: 1 euro pelo primeiro bot˜ ao. O comprimento. em quil´ ometros. do raio dessa mancha. 2 pelo segundo.Limites e s´ eries Exerc´ ıcios Uma mancha circular de crude ´ e detectada a 5 km da costa. j´ a farto. 4 pelo terceiro.” Encantado. Certa vez.

Como Aquiles corre dez vezes mais depressa que a tartaruga deu um avan¸ co de 100 metros ` a tartaruga. Ser´ a que Aquiles alcan¸ ca a tartaruga? Se sim .Limites e s´ eries Exerc´ ıcios Aquiles e uma tartaruga partem numa corrida. Come¸ cou a construir as seguintes figuras: Quantos bot˜ oes tem a figura numero 6? Quantos bot˜ oes s˜ ao necess´ arios para fazer as primeiras 20 figuras? (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 19 / 38 . ao fim de quantos metros? A Mariana est´ a a brincar com os bot˜ oes que a m˜ ae tem guardados.

o comando >>diff(sin(2*x)) Devolve a resposta ans=2*cos(2*x) que ´ e a derivada de sin(2x ). (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 20 / 38 . A forma mais simples de o utilizar ´ e: >>diff(f(x)) onde f(x) ´ e a fun¸ c˜ ao que se pretende derivar. Por exemplo.Derivadas Derivadas Para se calcular a derivada o comando ´ e diff.

Derivadas Derivadas de ordem superior Para se calcular as derivadas de ordem superior deve-se indicar qual a ordem da derivada.n) onde f(x) ´ e a fun¸ c˜ ao que se pretende derivar e n a ordem da derivada. Por exemplo.2) Devolve a resposta ans=-4*sin(2*x) que ´ e a 2a derivada de sin(2x ). Nesse caso o Matlab procura primeiro qual a vari´ avel simb´ olica que existe na express˜ ao de f . Se existirem mais que uma vari´ avel ele possui uma lista de ordena¸ c˜ ao. da forma >>diff(f(x). o comando >>diff(sin(2*x). ´ de notar que a fun¸ E c˜ ao pode ter outras vari´ aveis. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 21 / 38 .

f (x ) = 2x 3 − 3x g (x ) = ln(3x + 5) h(x ) = e 2x x −1 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 22 / 38 .Derivadas Exerc´ ıcios Calcule a primeira derivada das seguintes fun¸ c˜ oes. f (x ) = 2x 2 + 3x g (x ) = tan(3x + 5) h(x ) = 2x +3 x −1 Calcule a segunda derivada das seguintes fun¸ c˜ oes.

um foguet˜ ao ´ e impulsionado pela expuls˜ ao dos gases resultantes da queima de combust´ ıvel numa cˆ amara. em segundos.Derivadas Exerc´ ıcios Ao ser lan¸ cado. (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 23 / 38 . Determine o custo marginal quando se produzem 4000 pe¸ cas. ´ e dada por: v (t ) = −3ln(1 − 0. a velocidade do foguet˜ ao. Numa f´ abrica. em quil´ ometros por segundo. ap´ os o arranque. o custo de produ¸ c˜ ao mensal de p milhares de pe¸ cas ´ e dado por c (p ) = 10p 3 − 210p 2 + 1350p + 270 em milhares de euros O custo marginal da produ¸ c˜ ao de p pe¸ cas ´ e igual a c (p ). Indique uma express˜ ao para a acelera¸ c˜ ao em cada instante.01t A vari´ avel t designa o tempo.005t ) − 0. Desde o arranque at´ e se esgotar o combust´ ıvel.

A utiliza¸ c˜ ao deste comando ´ e >>int(f(x)) Onde f (x ) ´ e a fun¸ c˜ ao que se pretende primitivar. se pretendermos calcular a primitiva de f (x ) = 6x 3 − 2x 2 + 1 a instru¸ c˜ ao ´ e: >>int(6*x^3-2*x^2+1) (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 24 / 38 .´ Integrais e Areas Primitivas No c´ alculo de primitivas o comando a utilizar ´ e int. Por exemplo.

Por exemplo a instru¸ c˜ ao >>int(exp(-x).a.inf) devolve a resposta ans=1 pois +∞ 0 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 25 / 38 e −x dx = 1 .´ Integrais e Areas Integrais Se o que pretendemos calcular ´ e o integral do tipo b f (x ) dx a Simplesmente temos de indicar os extremos da forma >>int(f(x).1.2) Obs: Os valores a e b tamb´ em podem ser infinitos.b) por exemplo >>int(6*x^3-2*x^2+1.0.

1) (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 26 / 38 .0. Por exemplo se pretendermos calcular a ´ area sombreada da figura basta escrever >>int(sqrt(x)-x^2.´ Integrais e Areas ´ Areas O comando int pode ser utilizado para calcular ´ areas limitadas por curvas.

2 0 1 2x dx (x − 3)2 sin(x 2 ) dx 0 +∞ 0 1 dx (x + 2)2 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 27 / 38 . f (x ) = 2x 2 + 3x g (x ) = ln(3x + 5) h(x ) = 2x +3 x −1 Calcule o valor dos seguintes integrais.´ Integrais e Areas Exerc´ ıcios Calcule uma primitiva das seguintes fun¸ c˜ oes.

´ Integrais e Areas Exerc´ ıcios Um m´ ovel desloca-se em linha recta de modo que em cada instante a velocidade ´ e determinada pela fun¸ c˜ ao: v (t ) = t 2 + 3 t − 3 (m/s ) Indique uma express˜ ao que nos permite saber a posi¸ c˜ ao no instante t . Determine a ´ area da superf´ ıcie limitada pela par´ abola y = pela recta y = x + 2. x2 2 +2 e (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 28 / 38 . Determine a distˆ ancia ` a origem ao fim de 12 segundos.

Transformadas Transformada de Laplace A transformada de Laplace de uma dada fun¸ c˜ ao f (t ) ´ e outra fun¸ c˜ ao definida por +∞ L(f (t )) = F (s ) = 0 e −st f (t ) dt O comando do Matlab para o c´ alculo da transformada de Laplace ´ e: >>laplace(f) por exemplo >>laplace(exp(-2*t)) devolve o resultado ans = 1/(s+2) pois +∞ 0 e −st e −2t dt = 1 s +2 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 29 / 38 .

Transformadas Exerc´ ıcios Calcule a transformada de Laplace das seguintes fun¸ c˜ oes. f (t ) = t 4 − 2t 2 + 1 f (t ) = e 2t − cos (t ) f (t ) = t 2 e 3t (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 30 / 38 .

Transformadas Transformada de Fourier A transformada de Fourier de uma dada fun¸ c˜ ao f (x ) ´ e outra fun¸ c˜ ao definida por +∞ F (w ) = −∞ e −iwx f (x ) dx O comando do Matlab para o c´ alculo da transformada de Laplace ´ e: >>fourier(f) por exemplo >>fourier(exp(-x^2)) devolve o resultado ans = pi^(1/2)*exp(-1/4*w^2) pois +∞ −∞ e −iwx e −x dt = 2 √ πe −w 2 4 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 31 / 38 .

f (x ) = e −2|x | f (x ) = x 2 e |x | (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 32 / 38 .Transformadas Exerc´ ıcios Calcule a transformada de Fourier das seguintes fun¸ c˜ oes.

Transformadas Transformada em Z A transformada em Z de uma dada sucess˜ ao u (n) ´ e uma fun¸ c˜ ao definida por +∞ u (n) F (Z ) = zn n=0 O comando do Matlab para o c´ alculo da transformada de em Z ´ e: >>ztrans(u) por exemplo >>ztrans(n^4) devolve o resultado ans = z*(z^3+11*z^2+11*z+1)/(z-1)^5 pois +∞ n=0 z (z 3 + 11z 2 + 11z + 1) n4 = zn (z − 1)5 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 33 / 38 .

Transformadas Exerc´ ıcios Calcule a transformada em Z das seguintes sucess˜ oes. u (n ) = n 2 + 2 n u (n) = cos (3π n) (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 34 / 38 .

. por exemplo >>y=dsolve(’Dy=1+y^2’) devolve o resultado y = tan(t+C1) pois se y (t ) = tan(t + C1 ) y = 1 + tan(t + C1 )2 = 1 + y 2 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 35 / 38 . Como o s´ ımbolo ’ est´ a reservado para indicar texto n˜ ao pode ser utilizado para indicar as derivadas. da forma y’ -> Dy y’’-> D2y y’’’ -> D3y .. Ent˜ ao utiliza-se um D.Equa¸ c˜ oes Diferenciais Solu¸ c˜ ao geral Quando se pretende resolver uma equa¸ c˜ ao diferencial o comando a utilizar deve ser dsolve.

’y(0)=1’) devolve o resultado y = tan(t+1/4*pi) pois se y (t ) = tan(t + π 4) y = 1 + tan(t + π 2 π ) = 1 + y 2 e y (0) = tan( ) = 1 4 4 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 36 / 38 . essa condi¸ c˜ ao.Equa¸ c˜ oes Diferenciais Solu¸ c˜ ao particular Se a equa¸ c˜ ao diferencial tem valores iniciais. depois da equa¸ c˜ ao. por exemplo >>y=dsolve(’Dy=1+y^2’. basta indicar.

y]=dsolve(’Dx=y’. por exemplo >>[x.Equa¸ c˜ oes Diferenciais Sistemas No caso de pretendermos resolver v´ arias equa¸ c˜ oes diferenciais simultˆ aneas s´ o temos de indicar todas as equa¸ c˜ oes e as condi¸ c˜ oes iniciais separadas por v´ ırgulas.’x(0)=2’.’Dy=-x’.’y(0)=1’) devolve o resultado x =2*cos(t)+sin(t) y =-2*sin(t)+cos(t) (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 37 / 38 .

Equa¸ c˜ oes Diferenciais Exerc´ ıcios Calcule a solu¸ c˜ ao das seguintes equa¸ c˜ oes diferenciais. y (0) = 1. y = −x y (0) = 0 (UBI) C´ alculo Simb´ olico com Matlab 11 de Mar¸ co de 2012 38 / 38 . y (0) = 0 Calcule a solu¸ c˜ ao do sistema seguinte. y = y 1−t 2 y − 3y + 2y = 4e 2t y − 2ty − 2y = 0. x =y x (0) = 1 .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->