You are on page 1of 45

ARQUIVOLOGIA CONCEITOS E PRINCÍPIOS TEÓRICOS

Prof. Antonio Victor Botão

CONCEITOS

• INFORMAÇÃO: resultado do processamento, manipulação e organização de dados de tal forma que represente um acréscimo ao conhecimento da pessoa que a recebe. • SUPORTE: meio no qual a informação é registrada. • DOCUMENTO: qualquer informação registrada em um suporte.

CONCEITOS
• ARQUIVOLOGIA – Disciplina da Ciência da Informação. – Revolução Francesa – a Arquivologia cuida da informação, que tem por objetivo se tornar evidência, fator de prova de algum evento que ocorreu. Estuda teorias e métodos de organização e tratamento de documentos, e sua conversão em potencial de informação.

CONCEITOS
• ARQUIVOLOGIA é a ciência que se encarrega do estudo da organização dos acervos documentais, desde a produção do documento, seu trâmite administrativo e sua posterior destinação, seja ela a eliminação ou recolhimento permanente por valor histórico. • Seu objetivo é a organização e o acesso à informação.

e preservados para a consecução dos objetivos. visando à utilidade que poderão servir no futuro.CONCEITOS • ARQUIVO: a acumulação ordenada dos documentos. • ARQUIVO: conjunto de documentos. . no curso de suas atividades. visando sua utilidade no futuro. em sua maioria textuais. produzidos ou recebidos por uma instituição pública ou privada no âmbito de suas atividades e preservados para consecução de seus objetivos. Sua finalidade á FUNCIONAL. criados por uma instituição/pessoa.

para os fins desta Lei.CONCEITOS • LEI Nº 8. 2º . qualquer que seja o suporte da informação ou a natureza dos documentos. • CAPÍTULO I – Disposições Gerais • Art.Consideram-se arquivos. os conjuntos de documentos produzidos e recebidos por órgãos públicos.159. em decorrência do exercício de atividades específicas. instituições de caráter público e entidades privadas. DE 8 DE JANEIRO DE 1991 – Dispõe sobre a Política Nacional de Arquivos Públicos e Privados e dá outras providências. bem como por pessoa física. .

CONCEITOS • CONARQ – CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS – política nacional de arquivos públicos e privados. • SINAR – SISTEMA NACIONAL DE ARQUIVOS – implementa racionalização das atividades arquivísticas – garante a integridade do ciclo documental. .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

consulta. pesquisa. . Finalidade PESQUISA ESPECIALIZADA.ÓRGÃOS DE DOCUMENTAÇÃO • BIBLIOTECA – Biblioteca é o conjunto de material. • MUSEU – Instituição de interesse público. estudar e colocar à disposição do público conjunto de peças e objetos de valor cultural. sendo seu campo bem maior. com finalidade de conservar. armazenar. exigindo especialização no aproveitamento de toda espécie. classificar. • CENTROS DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO – Abrangem algumas atividades próprias de biblioteca e arquivo. Finalidade CULTURAL. Sua finalidade é CULTURAL. em sua maioria impresso. com finalidade de coligir. selecionar e disseminar toda a informação. disposto ordenadamente por estudo.

segurança para defesa de direitos. Servindo à administração.HISTÓRICO DO PROCESSO DE ARQUIVAMENTO • Importância dos Arquivos: centro vital de informação. • Função: guarda e conservação dos documentos e recuperação da informação. veículo de comunicação. está constituindo a base do conhecimento da História. apoio para tomada de decisões. . • Finalidade: servir à administração.

Estadual. instituições educacionais. associações. Distrito Federal e Municipal – Privados • Comerciais – firmas e companhias (com fins lucrativos = bancos. empresas nacionais e multinacionais) • Institucionais – igrejas. sociedades. instituições filantrópicas (sem fins lucrativos) – Familiares ou Pessoais .CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS • Segundo entidades criadas: – Públicos – Federal.

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

é a distância entre a administração e a história numa seqüência temporal. desde sua criação até sua destinação. – Corresponde às fases pelas quais o documento passa. Intermediária e Permanente .CLASSIFCAÇÃO DOS ARQUIVOS • Estágios da Evolução: – Ciclo Vital dos Documentos: a Teoria das Três Idades (Jean Jacques Valette – 1973). – Fases Corrente.

• Arquivamento pp dito. Em curso. • Expedição. Vivo. registro e movimentação. constituído de documentos em curso ou de uso freqüente. 1ª Idade. • CORRENTE. De movimento. conservados nos escritórios ou nas repartições que os receberam e os produziram ou em dependências próximas e de fácil acesso. . Ativo. 1º Ciclo. Administrativo. • Empréstimo e consulta.CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS – Correntes • Também chamados de primeira idade. Setorial. classificação. 1ª Fase. Núcleos de arquivo. • Protocolo: recebimento.

Transitório. constituindo documentos que deixaram de ser frequentemente consultados. Limbo. Records Center. mas cujos órgãos que os receberam ou produziram podem ainda solicitá-los.CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS – Intermediários • Também chamados de segunda idade. Pré-arquivo. Semi-ativo. 2º Ciclo. Temporário. A permanência nesses arquivos é transitória. Não há necessidade de se conservarem e localizarem próximos aos escritórios. Por isso. • INTERMEDIÁRIO. 2ª Fase. para tratar de assuntos idênticos ou retomar um problema novamente focalizado. . Purgatório. 2ª Idade. também são chamados de “limbo” ou “purgatório”.

3ª Fase. Definitivo. 3ª Idade. Inativo/passivo. Estes são os arquivos propriamente ditos. De Custódia. .CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS – Permanentes • Conhecidos também como de terceira idade. Morto. Estático. 3º Ciclo. constituído de documentos que perderam o valor de natureza administrativa ou jurídica e que se conservam em virtude de seu valor histórico ou documental e que constituem os meios para se conhecer o passado e sua evolução. • PERMANENTE. Histórico. Final.

.CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS • CICLO VITAL DOS DOCUMENTOS OU TEORIA DAS TRÊS IDADES: CORRENTE INTERMEDIÁRIA PERMANENTE TRANSFERÊNCIA RECOLHIMENTO • OBS: pode ocorrer recolhimento da fase corrente para a permanente.

VALORAÇÃO DOS DOCUMENTOS – Valor Primário (IMEDIATO): funcional .administrativo. jurídico ou legal. informativo. – Valor Secundário (MEDIATO): histórico – probatório. fiscal. .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

– Arquivos setoriais • Descentraliza as atividades do arquivo corrente .junto aos órgãos operacionais. .CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS • Extensão de sua atuação: – Arquivos gerais ou centrais • Centraliza as atividades de um arquivo corrente.

slides e que por esta razão merece tratamento especial não apenas no que se refere ao seu armazenamento. conservação. – Especializado • É o que tem sob sua custódia documentos resultantes da experiência humana num campo específico. acondicionamento. etc. formas físicas diversas: fotografias. fitas.CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS • Natureza dos documentos: – Especial • Aquele que tem sob sua guarda documentos em diversos suportes diferentes. discos. controle. . arquivos de imprensa. impropriamente. esses arquivos também. microformas. como também ao registro. de engenharia. são chamados. clichês.. independente da forma física que se apresentam. como por exemplo arquivos médicos ou hospitalares. etc. de arquivos técnicos.

CLASSIFICAÇÃO DOS ARQUIVOS • Quanto ao acesso: – Franqueados – Uso restrito – Confidencial .

fitas audiomagnéticas) – Cartográficos (dimensões e formatos variáveis = mapas. microfichas. estampas. datilografados ou impressos) – Audiovisuais (Filmográficos = filmes e fitas videomagnéticas e Sonoros = discos. cartões-janela) – Informáticos (disquetes. jaquetas. engenharia e arquitetura) – Iconográficos (imagens estáticas = fotografias (negativos e ampliações). discos rígidos. cartazes. diapositivos (slides). plantas e perfis – ligados à geografia. desenhos. litogravuras (litografia). cartões postais. discos óticos) .CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS • Gênero – Textuais (manuscritos. partituras. – Micrográficos (rolos. gravuras.

QUESTÕES DE PROVA – PREF. VILA VELHA – ES 2008 .

Parecer) – Atos de assentamento = formados por registro.CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS • Espécie – Atos normativos = ditam regras e normas expedidas por autoridades administrativas = cumprimento obrigatório (Medida Provisória. Decreto.) – Atos enunciativos = emitem opinião. Regimento. Despacho. Termo. Ata. esclarece sobre certo assunto (Relatório. Estatuto. Auto de Infração) . etc. Lei. Ordem de Serviço. firmando fatos ou ocorrência (Apostila. Voto.

Carta.CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS – Atos comprobatórios = comprovam assentamentos. Edital.) . Contrato. Atestado. etc. Cópia Autêntica) – Atos de ajuste = acordos firmados entre duas ou mais partes representados por documentos pactuais (Tratado. decisões. apontamentos (Traslado. Termos) – Atos de correspondência = criados com propósito de os atos normativos serem executados ( Aviso. Intimação. Certidão. Mensagem. Convênio. Memorando.

pois contrato é espécie e a “prestação de serviço”é uma tipologia. .TIPOLOGIAS DOCUMENTAIS • FUNÇÃO/ATIVIDADE P/ESPÉCIE • OBS: um contrato de “prestação de serviços” é um tipo documental.

VILA VELHA – ES 2008 .QUESTÕES DE PROVA – PREF.

caderno. • Formato – Aspecto físico independente da informação armazenada: ficha. livro. folder. etc. cartão. original ou cópia.CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS • Forma – Estágio de preparação: rascunho ou minuta. .

Conhecimento restrito – 4 Classificações: – Reservados . TORNA-SE OSTENSIVO .Alto grau de sigilosidade – 20 ANOS – Ultra-Secreto .CLASSIFICAÇÃO DOS DOCUMENTOS • Natureza do Assunto – Ostensivos .Não devem ser do conhecimento do público em geral – 5 ANOS – Confidenciais .Médio grau de sigilosidade – 10 ANOS – Secretos .Acarreta dano à segurança da sociedade e do estado – 30 ANOS OBS: RECLASSIFICAÇÃO = MUDA O GRAU DE SIGILO.Não prejudicam a administração – Sigilosos . DESCLASSIFICAÇÃO = DEIXA DE SER SIGILOSO.

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

somente se pertencer a uma série documental. O documento solto não tem valor arquivístico. assumindo um caráter orgânico dentro de uma relação hierárquica e ratificando sua criação em função de um objetivo. uma vontade. mesmo que de mesma tipologia ou que lhes sejam afim. a qual acumula um conjunto de documentos originados em função de uma atividade. pois a informação se perderá. .PRINCÍPIOS TEÓRICOS • RESPEITO AOS FUNDOS – Os arquivos de uma instituição deverão ser organizados por FUNDO. uma manifestação de uma ação. que é o conjunto de documentos produzidos/acumulados/recebidos no exercício de suas atividades e não poderão ser arranjados com outros documentos de outras instituições.

ou seja. mutilação. . destruição não autorizada ou adição indevida de arquivo. • PRINCÍPIO DA INDIVISIBILIDADE – É o respeito aos conjuntos documentais que guardam relações orgânicas entre si. proporcionando à arquivologia seu perfil único e inconfundível dentre as ciências da informação. mesmo com a mesma tipologia. • PRINCÍPIO DA INTEGRIDADE – preservação sem dispersão.PRINCÍPIOS TEÓRICOS • PRINCÍPIO DA PROVENIÊNCIA – Está ligado à origem do documento. alienação. tratando de um mesmo assunto. há que se respeitar a origem do documento – princípio intimamente ligado ao organograma da instituição.

PRINCÍPIOS TEÓRICOS • PRINCÍPIO DA ORGANICIDADE – Todo documento tem uma relação orgânica com a instituição que o criou. mesmo que isso pareça um paradoxo. pois apesar de só ter validade pertencendo a um conjunto de outros documentos da mesma instituição. . há que se respeitar o documento como unidade. em função de seu propósito. • PRINCÍPIO DA UNICIDADE – O documento é único.

• PRINCÍPIO DA CUSTÓDIA INTACTA OU SANTIDADE/ORDEM ORIGINAL – Respeito à ordem dos papéis na primeira e segunda idade.PRINCÍPIOS TEÓRICOS • PRINCÍPIO DA CUMULATIVIDADE/NATURALIDADE – formação progressiva. . natural e orgânica.

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

QUESTÃO DE PROVA – ANA 2006 .

VILA VELHA – ES 2008 .QUESTÕES DE PROVA – PREF.

QUESTÕES DE PROVA – PREF. VILA VELHA – ES 2008 .

VILA VELHA – ES 2008 .QUESTÕES DE PROVA – PREF.

GABARITOS .