Universidade Salvador - UNIFACS CURSO: Psicologia DISCIPLINA: Psicologia Hospitalar PROFESSORA: Inês Cerqueira ALUNA: Maria Carolina M. de A.

Cruz MATRÍCULA: 150091073

1ª ATIVIDADE PARCIAL
Utilizando elementos do texto, qual o objeto de intervenção do Psicólogo Hospitalar?

Foucoult, no seu texto “O Nascimento do hospital”, faz um apanhado histórico do significado do hospital. A princípio, era um lugar onde a “escória”, os “excluidos”, eram mandados para que a cidade ficasse “limpa”. O hospital também era considerado um lugar onde as pessoas iam para morrer e não para se curar, eles ao entrarem no hospital eles perdiam a sua própria identidade, era mais um dos tantos doentes. A classe dominante procurava ajuda de seus médicos familiares e não em hospitais. Não havia médicos e sim pessoas, normalmente, freiras, que “cuidavam” das pessoas que ali estavam, mas elas faziam isso por que pensavam que assim poderiam comprar um lugar melhor no paraíso por suas boas atitudes e bondade ao cuidar dos enfermos. Assim podemos ver o quanto a doença era vinculada a economia. Sabemos que o conceito de saúde é complexo e que ao longo do tempo nos traz várias resignificações, vemos por exemplo que antes a saúde era a ausência da doença, mas hoje sabemos o quão ultrapassado é este conceito. A entrada da medicina propriamente dita em hospitais, trouxe transformações dos saberes e das práticas. Observaram a doença como um fenômeno natural, ou seja, era influenciada pelo ambiente que estavam inseridos. Isso fez com que a doença fosse isolada como objeto de saber e conhecimento. Vemos então que a ordem médica era distinta através desses conhecimetos, onde o médico reunia seus conhecimentos e técnicas para aplica-las de maneira coordenada e sistemática. Contudo, sabemos que esse discurso por si só tende ao fracasso, já que há falhas. O psicólogo, então, entra no hospital como detentor de um novo conjunto de saberes para atuar junto à ordem médica.